Sheol e Purgatório – Lucas 16 confirma a Doutrina Católica


Madona Do Monte Carmelo e as Almas do Purgatório

Madona Do Monte Carmelo e as Almas do Purgatório

Toda exegese da Bíblia, para ser idônea, deve ser feita com base nos textos originais das Escrituras e não apenas em meras traduções. Haja visto que a linguagem moderna evolui de modo constante, os significados das palavras muitas vezes não são fiéis ao significado intencionado pelo texto em Grego ou em Hebraico.

Um bom exemplo disso é o  caso da passagem sobre o Homem Rico e Lázaro, em  Lucas 16:19-31.  Aí, a palavra traduzida em algumas versões da Bíblia como Inferno provém do Latim, “Infernus ou infernum”.  A palavra “Infernus”, em seu sentido original, indicava na verdade, “Mansão dos Mortos ou Sepulcro” e foi usada como o equivalente da palavra grega ᾅδης ou Hades, usada no texto original da Bíblia.  Por isso a palavra “Infernus” aparece no credo católico em seu verdadeiro sentido : 

“Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, criador do Céu e da Terra e em Jesus Cristo, Seu único Filho […] padeceu sob Poncios Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à “Mansão dos Mortos”  , ressucitou ao terceiro dia […]”

Ou seja, embora o termo “Infernus” seja atualmente traduzido para o Português simplesmente como “inferno”, em Latim ele não tem o sentido estreito que a palavra adquiriu no nosso idioma e em outras línguas modernas. “Infernus” em Latim continua a ter o sentido genérico de “Mansão dos Mortos ou Sepulcro”. Por outro lado, o termo “Infernum Damnatorum” (inferno dos danados ou inferno dos condenados) era usado para conotar o que no sentido estreito moderno convencionou-se chamar simplesmente de “inferno”, o lugar para onde vão as almas condenadas.

Vejamos o que o Pai do Protestantismo, Martinho Lutero, escreveu sobre a parábola do Homem Rico e Lazáro:

… o inferno aqui mencionado não pode ser o verdadeiro inferno que começará no dia do juízo. Pois o cadáver do homem rico está, sem dúvida, não no inferno, mas enterrado na terra, que deve, no entanto, ser um lugar onde a alma pode estar mas não tem paz, e não pode ser corpórea. Portanto, parece-me  que este inferno é a consciência, que está sem fé e sem a Palavra de Deus, em que a alma está enterrada e mantida até o dia do juízo, quando eles são lançados para baixo do corpo e alma para o verdadeira e real inferno. “(Igreja PostIL 1522-1523) [Os Sermãos de Martinho Lutero, Vol. IV pag 17-32]

Aqui vemos que até mesmo Lutero, embora equivocado em sua conclusão – pois as almas que sofrem «embaixo da terra» não são lançadas ao verdadeiro inferno após sua purificação, mas sim, entram no Reino dos Céus –   admite a existência de um terceiro lugar, ou uma condição da alma, após a morte.

A questão 69, artigo 7 do Supplemento da Summa Teológica de Tomas Aquinas,  distingue cinco estados da Mansão dos Mortos: paraíso, inferno dos condenados, limbo das crianças, purgatório, e limbo dos Padres: “A alma separada do corpo está em estado de receber bem ou mal por seus méritos; de modo que após a morte encontra-se ou no  estado de receber a recompensa final, ou no estado de ser impedido de  sua recepção. Se ele está no estado de receber a sua retribuição final, isso acontece de duas formas: à respeito do bem e então é o paraíso, ou no que diz respeito ao mal, e portanto, no que se refere o pecado atual é o inferno, e no que diz respeito o pecado original é o limbo das crianças. Por outro lado, se for no estado onde ele está impedido de receber a sua recompensa final, isto é, quer por conta de um defeito da pessoa, e assim temos o purgatório onde as almas são detidas de receber a sua recompensa, ao mesmo tempo em conta dos pecados que cometeram, ou então é por causa de um defeito da natureza, e assim temos o limbo dos Padres, onde os pais foram presos de obter glória por conta da culpa da natureza humana que ainda não podia ser expiada. “[Questão 69. Assuntos referentes à ressurreição, e o primeiro dos lugares onde as almas se encontram depois da morte]

Podemos ainda afirmar que Hades é a tradução padrão da palavra Sheol na Bíblia Seputaginta, bem como outras obras judaicas escritas em Grego.

Assim, como em outras literaturas judaicas escritas em Grego, os cristãos primitivos usaram a palavra grega Hades para traduzir o termo Sheol do hebraico. Por isso, em Atos dos Apóstolos 2:27, a frase em hebraico no Salmo 16:10 aparece na forma: “§ pois não vais abandonar minha vida no sepulcro, nem vais deixar que teu santo  experimente a corrupção”.

O Novo Testamento usa o grego Hades para se referir à morada temporária dos mortos ( ex. Atos 2:31; Apocalipse 20:13), ou seja, no sentido traduzido pela Igreja Católica como “Mansão dos Mortos”. Apenas uma passagem descreve Hades como um lugar de tormento, na estória de Lázaro e Homem Rico (Lucas 16:19-31). Ai, Jesus descreve um homem ímpio sofrendo o tormento de Hades,  que é contrastado com a acolhida de Lázaro por Abraão, quem explica que é impossível atravessar de um local para o outro. Alguns estudiosos acreditam que esta parábola reflete a visão intertestamental judaica de Hades (ou sheol) como contendo divisões separadas para os ímpios e justos. [New Bible Dictionary 3º editiçãp, IVP Leicester 1996. “Sheol”.] [Comissão Alliança Evangélica para Unidade e Verdade entre Evangelicos (2000). A Natuza do Inferno. Acute, Paternoster (Londres).]. Em Apocalipse 20:13-14 Hades é em si lançado no lago “de fogo ” após o esvaziamento dos mortos. Em Latim, Hades poderia ser traduzido como Purgatorium (Purgatório em uso em português) depois de cerca de 1200 dC [Católico por uma Razão, editado por Scott Hahn & Leon Suprenant, copyright 1998 por Emmaus Road Publishing, Inc., capítulo por Curtis Martin, pg 294-295]], mas nenhuma tradução moderna relaciona Hades explicitamente com o termo Purgatório.

Nesse sentido, podemos concluir que é equivocado que o lugar ou estado de purificação da alma não ocorra também após a morte. A Igreja Católica ensina que todos os cristão são chamados a viverem uma vida Santa, em perfeita imitação à Cristo. Entretanto, ela prega também que somos salvos pela fé em Cristo por meio da Graça de Deus. Nesse sentido, se é a Graça que nos salva, Graça essa proveniente de Deus, Ele, que por sua vez deseja a salvação de todos ( Cf 1 Tim 2,4 – Ezeq 18,23 e 32 – Jo 3, 17 ) , derrama sobre nós as graças necessárias para nossa santificação. Contudo, a misericórdia divina não exclui do seu plano de salvação aqueles que por ventura não alcançam ainda em vida a santidade necessária para entrar na presença de Deus (cf Heb. 12,14) . O purgatório é fruto da misericórdia de Deus, sem eles poucos entrariam no Céu.

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica, Doutrinas & Dogmas e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

187 respostas para Sheol e Purgatório – Lucas 16 confirma a Doutrina Católica

  1. Pingback: O que é o cárcere ao qual Cristo desceu para pregar o Evangelho em 1 Pedro 3, 19? | Ecclesia Militans

  2. Ricardo disse:

    CARDEAIS LIGADOS A PEDOFILIA PODERÃO PARTICIPAR DO CONCLAVE. Pelo menos quatro cardeais estão na mira de associações de vítimas

    http://g1.globo.com/mundo/renuncia-sucessao-papa-bento-xvi/noticia/2013/02/cardeais-ligados-casos-de-pedofilia-poderao-participar-de-conclave.html

    CARDEAL IRLANDÊS RENUNCIA O CARGO POR CONDUTA SEXUAL INAPROPRIADA

    O cardeal Keith O’Brien, que renunciou na segunda-feira ao cargo de arcebispo de St. Andrews e Edimburgo após ser acusado de “comportamento inadequado” nos anos 80, admitiu neste domingo que sua “conduta sexual” não foi sempre a que se esperava dele.
    Cardeal O’Brien admite que sua conduta sexual não foi apropriada

    http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/cardeal-obrien-admite-que-sua-conduta-sexual-nao-foi-apropriada,3decf5ac7bb2d310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

    SERÁ QUE ESSA É A VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO???????

    Curtir

    • Helen disse:

      Ricardo,

      Sua informação està errada. O’brien foi demitido por Bento XVI…

      Vai formar seu juízo com base nas “matérias” do Globo e já sai achando que é um perito e conhece todos os fatos… Haja paciência!

      Curtir

      • Ricardo disse:

        Renuncia, demissão, seja o que for… o que importa foi a causa: comportamento sexual inadequado do ex-Cardeal. E não venha dizer que isso é fato isolado porque não é. A cada dia novos casos de abuso sexual por parte de padres, bispos e cardeais surgem nos noticiários.

        E muitos cardeais são acusados de acobertar esses escândalos. Veja essa outra aqui envolvendo um cardeal mexicano. E nao venha tirar a credibilidade da fonte de informação porque contra fatos não há argumentos:

        PROTESTOS TENTAM BARRAR CARDEAL MEXICANO NO CONCLAVE

        Um novo nome foi adicionado à pouco honrosa lista de cardeais envolvidos em casos de pedofilia sob pressão para desistir do conclave que elegerá o próximo Papa — o do arcebispo da Cidade do México, Norber to Rivera Carrera. Acusado de acobertar abusos de menores quando era bispo na cidade mexicana de Tehuacán, nos anos 1980, ele é alvo de uma série de protestos de entidades católicas e ex-integrantes do clero.

        http://www.interjornal.com.br/noticia.kmf?canal=131&cod=19877023

        VOLTO A PERGUNTAR SE ESTA É A VERDADEIRA, UNA E SANTA IGREJA DE CRISTO???????

        Curtir

        • Helen disse:

          Ricardo,

          Por que vcs atribui os pecados dos MEMBROS da Igreja à Igreja?

          Curtir

          • Ricardo disse:

            E a quem mais podemos atribuir os pecados dos líderes da Igreja a não ser a própria Igreja que proibe eles se casarem?

            Deus não proibe de ninguem se casar. Pedro era casado e por que motivo os “sucessores” de Pedro não podem se casar?

            Curtir

            • Helen disse:

              Ricardo,

              Como o sr me explica o fato de que – apenas nos Estados Unidos existem MILHARES de processos penais de abuso sexual, pedofilia, etc, contra pastores de centenas de denominações protestantes – onde é permitido se casar ?

              Se o problema fosse esse, porque professores casados ou não, são condenados frequentemente – veja os jornais europeus – por algum crime sexual?

              Não é o não casar que faz a pessoa tornar-se um disfuncional, maníaco sexual, etc. As notícias dos jornais são a prova disto que afirmo.

              Curtir

            • Ricardo disse:

              A senhora responde uma pergunta com outra pergunta. Esses “milhares” de crimes que a senhora afirma contra os pastores não se tem notícias. Só o que se vê diariamente são escandalos nao so com padres, mas cardeais que inclusive hoje estão decidindo que será o novo Papa.

              Repito a pergunta: onde está na Bíblia a proibição de membros da igreja se casarem? Pedro era casado,entao por que os seus “sucessores” resolveram agir diferentemente dele?

              Curtir

              • Helen disse:

                Ricardo,

                O sr está certíssimos, não sem tem conhecimento dos crimes de pastors mesmo…afinal quem quer difamar a Igreja batista, metodista, pentecostal, etc, etc… O alvo, como smpre é a única Igreja de Cristo, que como o próprio Cristo, deve ser escorneada e perseguida….

                Agora, entre no link abaixo e veja a lista dos processos, com nomes, data, etc.

                http://www.reformation.com

                BOA PESQUISA!

                Ps. A bíblia não proíbe o casamento de sacerdotes, apenas aconselha que assim o seja nos escritos de S Paulo. Entretanto, minha pergunta foi pertinente, não acha? Tanto é que o sr não consegue responde-la sem com isso ter que admitir que eu estou com a razão!

                Curtir

            • Tiago disse:

              Veja Ricardo, a nova da Igreja Católica!

              Conclave no Vaticano começa com escândalo da sauna gay

              No dia em que começa o conclave para a escolha do novo papa, jornais internacionais repercutem mais um escândalo envolvendo a Igreja Católica. O britânico ‘Independent’ informou na segunda-feira que o Vaticano teria investido 23 milhões de libras (R$ 58 milhões) em apartamentos de um edifício em Roma, no qual funciona a maior sauna gay da Europa.

              http://www.pesqueira-emfoco.com/2013/03/conclave-no-vaticano-comeca-com.html

              é escândalo após escândalo que mais parece uma bola de neve. E o povo católico nao ve isso!

              Curtir

              • Helen disse:

                Tiago,

                Uma matéria sensacionalista vende jornal, näo sabe? Seu comentário prova que o sr leu e não entedeu do que se trata, e se entendeu, então foi mal-intencionado qdo comentou, uma vez que parece fazer crer que a tal sauna gay tem alguma relação com a Igreja ou seus membros….

                Olha, sr Tiago, a igreja é apenas proprietária de alguns apartamentos do edifício, a sauna é de propriedade de outros, que alías, de acordo com a lei Italiana receberam alvará pra que ela funcionasse no local!

                Agora eu lhe pergunto, que poder tem a Igreja para exigir que um estabelicimento Gay seja impedido de funcionar, quando a lei local os permitem existir? Se assim o fosse, então seria a Igreja católica responsável por exigir o fechamento de cada casa gay ou estabelecimento de prostituição em toda a Itália! INFELIZMENTE, não é assim… O fato de naquele edifício alguns aptos pertencerem à Igreja não torna a Igreja rssponsàvel pelo uso e finalidade a que se destinam os outros espaços do prédio. Mais adiante, quem lhe garante que a Igreja não tenha se manifestado em oposiçãos às atividades da dita ‘sauna gay’? Acha que a midia secular reportaria o fato?

                Parece que no seu anseio em difamar a Igreja o sr foi muito apressado em tirar suas conclusões tendenciosas e levianas!

                Curtir

            • Ricardo disse:

              Sra helen,

              Quem quer difamar a a igreja Protestante? Ora, voces, católicos!

              Pastores ladrões, lobo em pele de cordeiro, charlatões quando afirmam que as curas milagrosas nos templos são tudo mentira. Sem falar que nos acusam de alienados, hereges e burros por dar o Dizimo que é BIBLICO.

              Quando ao casamento de líderes religiosos, não procede sua afirmação de que não há proibição e sim aconselhamento da igreja. A igreja católica tanto proíbe que já aconteceu de padres se casarem e serem excomungados. Creio que a senhora tenha pleno conhecimento desse fato.

              A noticia trazida pelo Tiago está correta e não tem nada de sensacionalismo. Como pode o vaticano investir 58 MILHÕES DE REAIS em apartamentos onde funciona a MAIOR SAUNA GAY DA EUROPA?

              Respondendo sua pergunta ao Tiago. A igreja tem sim poder para fechar essa saúna gay localizada no mesmo prédio onde possui apartamentos por ser algo que contraria a crença católica a respeito do homosexualismo. Se o permite é porque acha que não tem problema algum e então aguentem as consequencias!

              Curtir

              • Helen disse:

                Ricardo,

                A notícia trazida pelo Tiago é verdade. A manchete, que por sua vez leva o leitor à conclusões equivocadas, é que é sensacionalista.

                Se lermos com calma a notícia fica claro duas coisas:

                1 – A igreja comprou alguns alguns imóveis no valor de 58 milhoes de Euros.

                2 – No mesmo edifício onde se encontram os tais imóveis, funciona um estabelecimento gay.

                Conclusão do Tiago – e pelo visto a do Sr:

                A Igreja Católica está associada com o estabelecimento gay.

                Fato:

                A Igreja Católica investiu em imóveis sem antes certificar-se de que os mesmos estavam inseridos em im edifício livre de atividades condenáveis.

                E ainda vem aqui dizer que são os Católicos que vos perseguem!

                Curtir

            • Paulo disse:

              primeiramente agradeço a Irmã Helen pelo grande trabalho. segundo quero avisar ao senhor Ricardo, pois caso ele não saiba, o numero de pastores pedófilos é maior que o de padres http://noticias.gospelmais.com.br/casos-pedofilia-cometidos-pastores-superam-padres-22204.html terceiro que pedro quando foi ordenado papa ele não era casado e a bíblia não narra isso, Quanto ao fato de que São Pedro fora casado, não há dúvida disso.

              Só que quando Cristo cura sua sogra, está dito que, tendo sido curada da febre por Jesus, “ela levantou-se, e pôs-se a serví-los” (Mt. VIII, 14) . ORA, SE SÃO PEDRO AINDA TIVESSE MULHER, SERIA NATURAL QUE ESTA, E NÃO A SOGRA DE PEDRO, OS SERVISSE. Portanto, São Pedro era viúvo quando conheceu Cristo, existem relatos que a esposa de pedro tinha sido martirizada e como a sogra de pedro morava com ele e com a sua esposa depois da morte da mulher de pedro, São pedro cuido da sua sogra (gesto muito piedoso) E, POR ISSO, NUNCA SE FALA DA MULHER DELE.

              CELIBATO – HÁ BASE BÍBLICA PARA JUSTIFICA O CELIBATO SACERDOTAL??

              A RESPOSTA É MUITO SIMPLES!

              “Todo o que deixar por amor de meu nome a casa, ou os irmãos, ou as irmãs, ou o pai, ou a mãe, ou a mulher, ou os filhos, ou as fazendas, receberá cento por um e possuirá a vida eterna” (Mt. XIX, 29).

              É patente, por esse texto que Jesus aconselha alguns a deixarem a mulher para serví-Lo. E É O QUE FAZEM OS SACERDOTES CATÓLICOS.

              Curtir

            • Ricardo disse:

              Dona Helen

              A sra. acredita mesmo nisso, que a igreja comprou prédios sem se certificar antes que lá funcionava a maior sáuna gay da Europa?
              Complicado demais comprar um imóvel sem antes saber das vizinhanças… não creio nisso, absolutamente!

              Além do mais,volto a repetir, a igreja católica tem autoridade SIM para mandar fechar este estabelecimento. A igreja católica é uma Igreja-Estado, o Vaticano é um Estado independente, inclusive com corpo Diplomático e o papa é uma autoridade daquele Estado e tem poderes parar mandar fechar aquela sauna, basta querer…

              Curtir

    • Manuel da Costa disse:

      Sr Ricardo;

      Entraste no blog somente para postar esta informação? tens certeza que é verdade? e se for verdade? muda a Igreja de Cristo?

      voce vai julgar o colegios dos 12 Apostólos pela má conduta de Judas?
      você vai julgar os Àrabes pela conduta de OSAMA BIN LADEN?
      você vai julgar os Anjos? pela má conduta do Lucifer que também era Anjo?
      você vai julgar o colegio dos Cardeais pela má conduta de 3 ou 4 cardeais infiel a Santa Mãe Igreja? haja paciência.

      Pax domini

      Curtir

      • Ricardo disse:

        Paulo

        Sua noticia tem a seguinte manchete: Número de casos de pedofilia cometidos por pastores superam os de padres nos noticiarios brasileiros.

        Porém, veja o que diz a CONCLUSÃO da mesma:

        Com base apenas nesse noticiário, NÃO É POSSIVEL DIZER QUE EXISTEM PROPORCIONALMENTE MAIS PASTORES PEDÓFILOS DO QUE PADRES. Para isso, haveria a necessidade de um estudo aprofundado, que levasse em conta, por exemplo, a quantidade de pastores e de padres.

        Muito contradição não acha???

        Além do mais essa sua fonte cita apenas 3 casos de suspeita de pedofilia por parte de pastores e que em nada supera as dezenas ou até mesmo centenas de casos de pedofilia sendo esse um dos principais motivos que fizeram o papa Bento pedir demissão.

        Com relação ao celibato, é o seguinte: Essa passagem que o sr. trouxe significa que é muito louvável e Deus recompensará aqueles que fazem a obra de Deus se desapegando de tudo e renunciando ao direito de cada um de querer constituir uma família.

        Acontece que Jesus NUNCA, eu disse JAMAIS, proibiu os seus discípulos de se casarem. A Igreja Católica caiu em apostasia quando comecou a proibir o casamento de seus sarcedotes. E veja o que as Sagradas Escrituras dizem sobre a proibição do casamento:

        “nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios. Pela hipocrisia dos que falam mentiras e que tem cauterizada a própria consciência que PROÍBEM O CASAMENTO.” (1Timoteo 4.1-3)

        Curtir

    • CATIA disse:

      RICARDO PARA SER PADRE É UM DOM QUE TEM QUE RENUNCIAR BENS ESTUDAR ETC…

      AGORA PARA SER PASTOR É FÁCIL É SÓ SABER MENTIR PREGAR O QUE AS PESSOAS QUEREM OUVIR

      PASTORES TRANSAM TRAEM PEGAM FIEIS E NINGUÉM COBRA NÉ

      AGORA COMO UM PADRE É PERSEGUIDO SIM

      RICARDO ESTAMOS NOS FINAIS DOS TEMPOS

      O PROTESTANTISMO PODRE ESTÁ AÍ CONTAMINANDO MENTES COM SUAS MILHÕES DE DOUTRINAS HERÉTICAS

      Curtir

    • Thiago disse:

      Jesus falaria para Ricardo a mesma coisa que falou para Paulo: “Saulo Saulo… por que me persegues?”

      PS: Saulo perseguia a Igreja, mas quem persegue a Igreja persegue Cristo!

      Curtir

  3. Tiago disse:

    NOTICIA EXTRAORDINARIA

    Bispo de Roma pede pra sair e renuncia o cargo alegando que “pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério petrino.” (palavras do Papa)

    Se o Papa tivesse fé nas as Sagradas Escrituras certamente encontraria forças vindas do SENHOR porque Ele promete multiplicar as nossas forças conforme as passagens abaixo:

    “faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. ” (Isaías 40:29)

    “Sedes fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.” (Salmo 31:24)

    VIVA a Palavra de SENHOR!

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Tiago,

      Eu gostaria de repreender o seu mais que ofensivo comentário sobre o Papa Bento XVI, sobre quem aliás eu ontem publiquei um artigo falando sobre sua resignação:

      O sr escreveu: “Se o Papa tivesse fé nas as Sagradas Escrituras certamente encontraria forças vindas do SENHOR porque Ele promete multiplicar as nossas forças conforme as passagens abaixo:”

      O sr, alguém que consistentemente demonstrou, tanto por seu preconceito quanto por sua indisposição em aprender seja sobre o que realmente ensina a Igreja católica, seja sobre o ofício Petrino – por conseguinte, sobre quem é Joseph Cardinal Ratzinger, o eleito sucessor de Pedro, o Papa Bento VXI – quer questionar o conhecimento Bíblico e a fé do Papa?

      Leia os escritos do Papa, Sr Tiago, não porque o sr tenha que se submeter à nenhum deles, mas para saber de quem está falando. Joseph Ratzinger é considerado, não apenas por teólogos católicos, como o maior teólogo cristão vivo. Ele é, provávelemte, para o mundo de hoje o que T. Aquino foi para o mundo de seu tempo, quem aliás, até hoje influencia o pensamento filosófico e teológico do mundo ocidental. O sr mesmo, possivelmente conhece e acredita em coisas saídas diretamente da mente de T. Aquino, mas talvez não saiba.

      >Se o Papa tivesse fé nas as Sagradas Escrituras!!! Desculpe, sr Tiago, mas isso é um insulto. Possivelmente, fruto da sua ignorância, mas nem por isso deixa de ser uma justiça contra Bento XVI.

      Curtir

      • Tiago disse:

        Helen

        Faltou a palavra “GRANDE” no meu comentário, ou seja,” se tivesse GRANDE fé…” Peço perdão pelo mal entendido.

        Jesus sempre nos disse que somos homens de PEQUENA FÉ. Foi neste sentido o meu comentário. E o proprio Deus afirma que se tivessemos uma fé do tamanho de um grão de mostarda faríamos coisas impossíveis acontecer.

        Em nenhum momento tive intenção de ofender ou atacar a fé do papa a quem respeitamos e por quem oramos para que Deus lhe dê forças.

        Mais um vez, perdão e fique na paz do Senhor!!

        Curtir

        • Helen disse:

          Obrigada, Tiago.
          Que Dues dê forças ao Papa. Amém.

          Curtir

          • EDMILSON disse:

            Helen responde aos protestantes, O que é um Dogma?

            Dizem para eles que o Dogma é uma verdade de fé.

            Pois o Catecismo da Igreja Católica nos ensina que:

            “O Magistério da Igreja empenha plenamente a autoridade que recebeu de Cristo quando define dogmas, isto é, quando, utilizando uma forma que obriga o povo cristão (católico) a uma adesão irrevogável de fé, propõe verdades que com estas têm uma conexão necessária.

            Há uma conexão orgânica entre nossa vida espiritual e os dogmas. Os dogmas são luzes no caminho de nossa fé que o iluminam e tornam seguro. Na verdade, se nossa vida for reta, nossa inteligência e nosso coração estarão abertos para acolher a luz dos dogmas da fé.

            Os laços mútuos e a coerência dos dogmas podem ser encontrados no conjunto da Revelação do Mistério de Cristo. “Existe uma ordem ou ‘hierarquia’ das verdades da doutrina católica, já que o nexo delas com o fundamento da fé cristã é diferente”.

            Quando o sucessor de Pedro, o Papa, define solenemente um dogma, não é que apresenta uma “nova verdade” para ser crida; simplesmente nos dá pública notícia de que se trata de uma verdade que data do tempo dos Apóstolos e na qual, por conseguinte, devemos crer.

            Curtir

          • OLIVEIRA disse:

            Helen conheça o que é a Doutrina da Infalbilidade do Sumo Pontífice
            A doutrina da Infalibilidade do Papa diz que o Sumo Pontífice é infalível quando fala nas condições “ex-cathedra”, isto é:
            1. Quando, na qualidade de Pastor Supremo e Doutor de todos os fiéis, se dirige a toda a Igreja;
            2. Quando o objeto de seu ensinamento é a moral, fé ou os costumes;
            3. Quando manifesta a vontade de dar decisão dogmática e não simples advertência, instrução de ordem geral.
            Em suma, o Papa é infalível quando se dirige, como tal, a toda a Igreja; quando o objeto de seu pronunciamento é moral, fé ou os costumes e quando pronuncia que dará decisão dogmática, ou seja, ele define, manifesta tal decisão. Em outras palavras, o Papa esta passível de falha fora dessas três condições. É necessário elucidar, no entanto, que quando dissemos que o Santo Padre faz um pronunciamento passível de falha, não significa necessariamente que ele falhou, apenas que tal ensinamento ou pronunciamento não foi emitido nas condições “ex-catedra”.
            A razão da infalibilidade, ela pode ser deduzida pela lógica, pela obviedade das Sagradas Escrituras. Vemos no evangelho segundo São Mateus XXVIII,19-20:
            “Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.”(Jesus Cristo à sua Igreja)
            Notemos que Nosso Senhor afirma, há 2000 anos, aos Apóstolos que estará com eles ATÉ O FIM MUNDO, isto significa que os Apóstolos, não os primeiros, mas os sucessores dos primeiros, estão hoje ensinando a humanidade e com a presença de Nosso Senhor Jesus Cristo, que garantira a infalibilidade da doutrina dos apóstolos conforme está narrado em São Lucas XXIV,49:
            “Eu vos mandarei o prometido de meu Pai; entretanto, permanecei, até que sejais revestidos da força do alto.”
            Em São João XIV,17.26 Jesus diz a seus apóstolos:
            “E o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós.”
            “Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo que vos tenho dito”
            Note a frase de Cristo, Nosso Senhor: “E o ESPÍRITO DA VERDADE, QUE O MUNDO NÃO PODE RECEBER, porque NÃO O VÊ NEM O CONHECE…” Ou seja, somente os Apóstolos podem ensinar uma doutrina como verdadeira e, autenticamente, inspirada por Deus, pois somente eles possuem o Espírito da Verdade, conforme Nosso Senhor Jesus Cristo afirmou.
            Jesus Cristo ordenou que seus apóstolos ensinassem a humanidade os ensinamentos de Deus, por tanto, os apóstolos são infalíveis nos seus ensinamentos, pois, Cristo disse que estaria com ele até o fim do mundo. As próprias “Chaves do Reino dos céus e a promessa de que as portas do inferno não prevaleceriam sobre ela” (São Mateus XVI, 18-19) é uma característica da infalibilidade do Papa, pois, se Nosso Senhor disse aos apóstolos que eles iriam ensinar a humanidade e que estará com sua Igreja (composta inicialmente por São Pedro e os outros 11 onze apóstolos) até o fim do mundo, então, pela providência divina, esta Igreja não ensinaria nada contra a vontade de Deus. Também em São Lucas XXII,31ss temos que Jesus fala a São Pedro (Simão) nos seguintes termos :
            “Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos pereinar como o trigo; mas eu roguei por ti, para que a tua confiança não desfaleça; e tu, por sua vez, confirma os teus irmãos.”
            Umas das passagens de extrema importância é São João XXI,15-17, pois, ela refuta a objeção de que São Pedro teria perdido sua autoridade por ter negado Nosso Senhor Jesus Cristo por três vezes, conforme o próprio Cristo profetizou em São Lucas XXII,34. Segue a passagem de São João XXI,15-17, onde por três vezes São Pedro recebe de Jesus Cristo a missão de apascentar (doutrinar) suas ovelhas, como uma compensação:
            “Tendo eles comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?” Respondeu ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Disse-lhe Jesus: “Apascenta os meus cordeiros.” Perguntou-lhe outra vez: “Simão, filho de João, amas-me?” Respondeu-lhe: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo.” Disse-lhe Jesus: “Apascenta os meus cordeiros.” Perguntou-lhe pela terceira pela vez: “Simão, filho de João, amas-me?” Pedro entristeceu-se por que perguntou pela terceira vez: “Amas-me?”, e respondeu-lhe: “Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo.” Disse-lhe Jesus: “Apascenta as minhas ovelhas.”
            Por tanto, o Papa é infalível nas suas funções como autoridade instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo, no entanto, ter a infalibilidade de ensinar não significa necessariamente ser santo, pois, como foi visto, São Pedro, primeiro Papa da Igreja fundada por Jesus Cristo pecou ao negá-lo, mas, Nosso Senhor perdoou-o conforme a última passagem citada e foi canonizado por que morreu martirizado pelo Imperador Romano.
            A única ocasião em que Deus interfere no livre-arbítrio dos apóstolos é quando estes cumprem a missão de doutrinar as ovelhas de Deus, pois, os seres humanos não têm condições de se comunicar com Deus como em uma simples conversa informal, e a ciência humana é incapaz de descobrir diretamente a vontade de Divina, ou seja, por seus próprios méritos, o ensinamento do ser humano é falho, mas Jesus disse que mandaria o Espírito da verdade que iria auxiliá-los nesta tarefa de suma importância. O fiel comum não é capaz, através de debates com outras pessoas, de definir um ensinamento isento de erro, mesmo os grandes teólogos não possuem essa capacidade, e suas conclusões somente são aceitas, quando são colocadas sob apreciação do Magistério Infalível da Santa Igreja centrada na figura do Papa, pois, como dissemos, Cristo, Nosso Senhor afirmou a seus apóstolos que somente eles conheceriam o Espírito da Verdade.
            Vários Papas foram canonizados, entre eles, destacamos São Gregório Magno, O Grande, São Pio X, São Lino, Santo Anacleto, São Clemente, etc… Da mesma forma, existem Papas que não foram canonizados: Pio XII, Pio XIX, João Paulo I, etc… Os apóstolos têm a função de auxiliar o Papa no pastoreio das ovelhas de Jesus Cristo.

            Curtir

          • EDMILSON disse:

            Vou explicar para os meus irmãos e minhas irmãs católicas o que é a infalibilidade papal: E o que é Papa infalível? Quando? Como?

            A doutrina da infalibilidade do Papa foi definida no 4º capítulo da 4ª sessão do Concílio Vaticano I (1869 – 1870), durante o pontificado de Pio IX. Ouvimos, porém, muitos questionamentos a esse respeito, de pessoas que pensam que os católicos acreditam que o Papa seja isento de qualquer erro ou pecado, sendo ele um homem falho e imperfeito. Alguns polemizam a respeito dessa questão por puro desconhecimento da doutrina (talvez alguma preguiça de aprender?), mas me parece que a maioria o faz por má fé. Por ser uma tema muito importante, é necessário que os católicos entendam definitivamente este assunto, para que possam também elucidar a outros quando tiverem oportunidade.

            Em primeiro lugar, a doutrina da infalibilidade não, NÃO diz que o Sumo Pontífice é um homem perfeito, que nunca erra e não peca, por ser Papa. O que a doutrina da infalibilidade do Papa afirma é que o Papa é infalível quando fala nas condições “Ex Cathedra”.

            O que significa isto? Ex Cathedra (do latim) quer dizer, literalmente, “da Cadeira” ou “do Trono”. Quer dizer que o Papa é infalível quando se pronuncia a partir do Trono de Pedro, como Sumo Pontífice, isto é, como líder e condutor de toda a Igreja, nas seguintes condições:

            1) Quando se pronuncia como sucessor de Pedro, usando o poder das Chaves concedidas ao Apóstolo pelo próprio Cristo (Mt 16, 19);

            2) Quando o objeto do seu ensinamento é a moral, fé ou os costumes;

            3) Quando ensina à Igreja inteira;

            4) Quando é manifesta a intenção de dar decisão dogmática e não simples advertência, declarando anátema que se ensine tese oposta.

            Em resumo, o Papa é infalível quando se dirige, como Papa e sucessor do Apóstolo Pedro, que ele é, a toda a Igreja; quando o objeto de seu pronunciamento é a moral, a fé e/ou os costumes; e quando define que dará uma decisão dogmática.

            Em outras palavras, o Papa é passível de falhas fora das condições descritas acima. Fica esclarecido, portanto, que nós, católicos, não cremos que o Papa é um ser humano perfeito, que nunca erra nem peca. Mesmo assim, alguns continuam achando absurdo pensar que o Papa é infalível quando instrui a Igreja a respeito de doutrina. O que você acha disso?

            Se somos cristãos, não, isso não é nenhum absurdo, pelo contrário. Para quem tem fé, absurdo seria pensar que o Papa, sucessor de Pedro e pastor maior da Igreja, aquele que comanda toda uma imensa nação de fiéis que constituem o Corpo Místico de Cristo no mundo, fosse falho enquanto líder, pois nesse caso seria totalmente incapaz de assumir a missão de orientar e conduzir a Igreja!

            Se o líder máximo da cristandade não fosse infalível enquanto condutor da Igreja, não poderíamos crer em Igreja, nem nos Evangelhos, nem mesmo em Jesus Cristo, que prometeu que estaria com a sua Igreja até o fim do mundo. – A infalibilidade é lógica, óbvia e consta explicitamente nas Sagradas Escrituras:

            “Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Jesus Cristo à sua Igreja, no Evangelho segundo S. Mateus, 28, 19-20)

            Nosso Senhor afirma aos Apóstolos que estará com a Igreja até o fim do mundo. Isto demonstra que os Apóstolos, e não só os primeiros, mas também os seus sucessores, escolhidos pelos próprios Apóstolos (como vemos no livro de Atos), estão ainda hoje conduzindo a humanidade sob a Assistência do Espírito Santo e de Nosso Senhor Jesus Cristo, que garantiu a infalibilidade da doutrina dos Apóstolos:

            “Eu vos mandarei o Prometido de meu Pai; permanecei até que sejais revestidos da Força do Alto.” (Lc 24, 49)

            “O Espírito da Verdade o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conheceis, porque permanecerá convosco e estará em vós.” – “O Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo que vos tenho dito.” (Jo 14, 17.26)

            Note a afirmação: “O Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece…” – Isto é, cabe aos Apóstolos ensinar a doutrina verdadeira e autenticamente inspirada por Deus. – Então, não basta cada um ler a Bíblia, é preciso seguir a orientação da Igreja, que por sua vez é guiada pelo Papa, sob a Luz do Santo Espírito.

            Jesus Cristo enviou seus Apóstolos a propagar à toda a humanidade o Caminho até o Pai. Portanto, se cremos em Jesus Cristo e nos Evangelhos, temos que crer também que os Apóstolos são infalíveis em seus ensinamentos, pois Cristo mesmo afirmou categoricamente que estaria com eles até o fim do mundo, para que cumprissem a missão de levar o Evangelho “até os confins do mundo”: “Descerá sobre vós o Espírito Santo, e vos dará o poder; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia, Samaria e até os confins do mundo” (At 1, 8).

            A própria entrega das Chaves do Reino dos Céus a Pedro, com a promessa de que o Inferno não prevaleceria sobre a Igreja, juntamente com o poder dado a ele, Pedro, diretamente por Jesus Cristo: “O que ligares na Terra será ligado nos Céus, e o que desligares na Terra será desligado nos Céus” (Mt 16, 18-19), é a afirmação clara, direta e inquestionável da infalibilidade daquele que comanda a Igreja. Pois, se Nosso Senhor disse aos Apóstolos que deveriam ensinar o Evangelho à humanidade e que estaria com eles até o fim do mundo, então, pela Providência Divina, esta Igreja não poderia ensinar senão a verdadeira Doutrina, o Caminho certo até o Pai. A confirmação definitiva consta em Lucas 22, 31, quando o Senhor Jesus Cristo fala a Simão Pedro:

            “Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como o trigo; mas eu roguei por ti, para que a tua confiança não desfaleça; e tu, por sua vez, confirma os teus irmãos.”

            Não há dúvida quanto a autoridade e infalibilidade da Igreja de Jesus Cristo enquanto “Coluna e Fundamento da Verdade” e “Casa do Deus Vivo” (1Tm 3,15) na Terra. – Sabemos bem que Padres, Bispos e Papas estão sujeitos ao pecado, como qualquer ser humano. Porém, se cremos em Cristo e na Bíblia Sagrada, devemos crer que o Papa, enquanto condutor máximo da Igreja no mundo, é infalível quando guia a Igreja; nessa função, ele faz uso das Chaves que foram entregues por Cristo a S. Pedro: ele não é infalível por si mesmo, mas é assistido pelo Espírito Santo.

            Porém, como a criatividade humana não tem limites, os inimigos da Igreja nunca deixam de tentar contestar até mesmo as verdades mais simples da Teologia. Desesperados em sua tentativa de negar o óbvio, apelam para todo tipo de insanidade: já ouvimos dizer até que Pedro teria perdido a sua autoridade ao ter negado Nosso Senhor por três vezes(!). O mais curioso é que as pessoas que inventam esses desvarios são aquelas que se colocam como conhecedoras das Sagradas Escrituras! Incrível que nunca tenham lido aquilo que Jesus Cristo mesmo diz a Pedro no Evangelho segundo João, depois da crucificação e da negação de Pedro:

            “Após a ceia, Jesus perguntou a Simão Pedro: ‘Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?’ Respondeu ele: ‘Sim, Senhor, tu sabes que te amo.’ Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta os meus cordeiros.’ Perguntou-lhe outra vez: ‘Simão, filho de João, amas-me?’ Respondeu-lhe Pedro: ‘Sim, Senhor, tu sabes que te amo.’ Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta os meus cordeiros.’ Perguntou-lhe pela terceira pela vez: ‘Simão, filho de João, amas-me?’ Pedro entristeceu-se por que o Senhor perguntou pela terceira vez: ‘Amas-me?’, e respondeu-lhe: ‘Senhor, sabes tudo, e sabes que te amo.’ Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta as minhas ovelhas.'” (João 21, 15-17)

            Jesus Cristo, Deus, sabe tudo. Por certo sabia das contestações que surgiriam, no correr da história, a respeito da autoridade e da infalibilidade do Papa. Por isso, fez questão de repetir por três vezes que estava entregando a Ele, Pedro, a missão de cuidar do seu rebanho, a Igreja, neste mundo.

            Não. O Papa não é infalível enquanto homem. Trata-se de um ser humano que dedicou e consagrou toda a sua vida, – literalmente toda a sua vida, – ao serviço de Deus e da Igreja. Mesmo assim, isso não significa necessariamente ser santo, pois, como foi visto, até mesmo S. Pedro, que conviveu diretamente com o Senhor e foi o primeiro líder da Igreja (embora não fosse chamado ‘Papa’ naquela época, ele sem dúvida o era), era falho e pecou ao negá-lo. Até mesmo após a Ascensão do Senhor ao Céu, Pedro, que sempre manteve o seu livre arbítrio, parece ter se equivocado em questões teológicas, sendo que foi repreendido por Paulo, outro Pilar da Igreja e grande Apóstolo.

            Sim, o Papa é infalível em suas funções como autoridade instituída diretamente por Nosso Senhor Jesus Cristo. A ele foram concedidas as Chaves do Reino de Deus, para instruir o Povo de Deus neste mundo, à frente da santa Igreja. Ele foi canonizado e morreu martirizado pelos romanos.

            A única ocasião em que Deus interfere no livre-arbítrio dos Apóstolos é quando estes cumprem a missão de doutrinar as “ovelhas” de Deus, pois os seres humanos não têm condições de comunicar Deus através da sua própria ciência ou por seus próprios méritos. Assim, o fiel comum não é capaz, através de elucubrações, estudos e debates com outras pessoas, de definir um ensinamento isento de erro; mesmo os grandes teólogos não possuem essa capacidade: suas conclusões somente são aceitas quando colocadas sob apreciação do Magistério da santa Igreja, centrada na figura do Papa.

            Curtir

            • Helen disse:

              Muito obrigada pela contribuição valiosa ao blog, Edmilson.
              Gostaria apenas de pedir que enviasse seus comentários sob os respectivos post – assim fica mais fácil manter a consistência de cada tema e facilita a pesquisa de quem visita o blog apenas para consulta.
              Por exemplo, o blog tem pelo menos um post que trata especificamente sobre a doutrina da infalibilidade. Sendo assim, seria mais fácil se o seu comentário fosse enviado sob aquele post.
              Da próxima vez, faça uma busca rápida no blog e escolha o tema mais adequado para o envio dos comentários-textos.

              Pax!!
              H

              Curtir

          • EDMILSON disse:

            MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS CATÓLICAS

            Saibam que os documentos da Igreja Católica ensinam que a Sã Doutrina que ela prega, em suas minúcias e detalhes, foi gradualmente revelada por Deus através dos tempos. Esse processo vem desde os tempos do Antigo Testamento, pois o Povo de Deus, é claro, já existia desde antes da vinda de Cristo.

            Jesus Cristo anunciou o Evangelho definitivo à humanidade, que é considerado pelos cristãos católicos como o único Salvador da humanidade. Mas a definição e compreensão da Sã Doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo é baseada na Revelação Divina progressiva, isto é, se dá progressivamente através da História. Por isso, necessitamos de constante estudo, reflexão e oração.

            Essa compreensão, no entanto, permanece sempre fiel à Revelação e é sempre orientada pelo Magistério da Igreja à qual foi confiada a autoridade. – Esta definição progressiva da Doutrina é chamada de “desenvolvimento da Doutrina”.

            Essa Revelação imutável e definitiva é transmitida pela Igreja sob a forma da Tradição. A doutrina católica está expressa e resumida no Credo dos Apóstolos, no Credo Niceno-Constantinopolitano e também nos documentos da Igreja, como por exemplo o Catecismo da Igreja Católica (CIC) e o seu Compêndio (CCIC).

            A Igreja, ao longo da história, cresceu na fé e produziu a Teologia. Dessa maneira foram criadas diversas formas de comunicação, internas e externas, destinadas a toda a Igreja (clero e leigos). Surgiam assim os documentos, as diretrizes e as normas baseadas na experiência e observância da prática cristã e da doutrina da Igreja.

            Portanto, tudo que até hoje foi publicado pela Igreja (documentos) têm grande importância. Se o Magistério da Igreja extrai todo o ensinamento que dá aos fiéis da Revelação Divina, que se compõe da Tradição (oral) que veio dos Apóstolos e da Tradição (escrita), a Bíblia, e se é sobre essa Tradição (escrita e oral), com igual importância nas duas formas, que o Magistério assenta seus ensinamentos infalíveis, podemos dizer que sim, sem dúvida os documentos da Igreja são tão verdadeiros quanto as Escrituras.

            Como você sabe, sem a Revelação oral, que chegou até nós, nem mesmo a Bíblia existiria, já que ela foi redigida pela Igreja.

            Como verificar se um documento é oficial:

            Se é oficial aparece na Acta Apostolicae Sedis. Se você não tem acesso a essa acta, pode-se verificar no jornal do Vaticano, o L’ Osservatore Romano, que se publica em português e outras línguas.

            Classificação dos Documentos Pontifícios

            Carta Encíclica

            a) doutrinal

            b) exortatória

            c) disciplinar

            Epístola Encíclica

            Constituição Apostólica

            Exortação Apostólica

            Carta Apostólica

            Bula

            Motu Proprio

            Curtir

        • CATIA disse:

          TIAGO VOCÊ DIZ! QUE SÃO CINCO CARGOS DE LIDERANÇA ou seja: Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor e Mestre. Paulo diz em Efésios 4:11: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores”.

          OLHA MEU CARO, VAI ESTUDAR! SE ESSA SUA CONTRADIÇÃO E PIADA FOSSE VERDADEIRA EXISTIRIA JÁ NO TEMPO DOS APÓSTOLOS VÁRIAS IGREJAS E NÃO SE PREGARIA A IGREJA CATÓLICA COMO A ÚNICA IGREJA VERDADEIRA. VAI ESTUDAR FILHO DE LUTERO.

          TIAGO, COMO DIZ O EDMILSON VOCÊ NUNCA ESTUDOU NA VIDA, O QUE VOCÊ APRENDEU FOI FALSAMENTE DECORAR TEXTOS BÍBLICOS ISOLADOS,

          TIAGO, EXISTEM MAIS DE 200 DOCUMENTOS DE PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA, SÓ DOS 2 PRIMEIROS SÉCULOS, QUE MOSTRAM BIBLICAMENTE QUE OS PROFETAS, DIÁCONOS, MESTRES DOUTORES, ETC, PERTENCEM AOS MEMBROS DA IGREJA.

          DEIXA DE CHACOTA, CRIANCINHA LEIGA, ME MOSTRE O VERSÍCULO BÍBLICO QUE MOSTRE QUE DEUS DA AUTORIDADES PARA HOMENS FUNDAR IGREJAS?

          NÃO ME VENHA COM CONTRADIÇÕES.

          Curtir

          • Tiago disse:

            CATIA,

            Assim vc disse: “SE ESSA SUA CONTRADIÇÃO E PIADA FOSSE VERDADEIRA EXISTIRIA JÁ NO TEMPO DOS APÓSTOLOS VÁRIAS IGREJAS”.

            Minha cara, eu citei Efésios 4:11, a respeito dos Cargos dentro de uma Igreja e voce diz que eu to fazendo piada? Voce insinua que a palavra de Deus é piada?

            Deus tenha misericórdia da sua pessoa! porque de Deus nao se zomba!

            Quando eu citei efésios foi pra mostrar que só existem 5 cargos, quais sejam, APÓSTOLO, PROFETA, EVANGELISTA, PASTOR E DOUTOR.

            E volto a perguntar o que voce nao me respondeu: ONDE ESTÁ NA BIBLIA O CARGO DE PAPA OU DE PADRE?

            OUTRA PERGUNTA: SE O PAPA É O SUCESSOR DE PEDRO, PORQUE OS PAPAS NAO SE CASAM, ASSIM COMO PEDRO FOI CASADO?

            PORQUE O CATOLICISMO PROIBE PADRES DE CASAREM?

            A BIBLIA RELATA A APOSTASIA DAS IGREJAS, E A CATOLICA É UMA IGREJA QUE HÁ SECULOS APOSTATOU QUANDO PROIBIU CASAMENTO DOS SEUS LIDERES. TIMOTEO RELATA QUE ESSA APOSTASIA SE DEVE AO FATO DA IGREJA SEGUIR ESPÍRITOS ENGANADORES E A ENSINO DE DEMÔNIOS (1 Timóteo 4:1)

            ACRESCENTA AINDA MAIS: “PELA HIPOCRISIA DOS QUE FALAM MENTIRAS E QUE TÊM CAUTERIZADA A PRÓPRIA CONSCIÊNCIA, QUE PROIBEM O CASAMENTO…” (1 Timóteo 4:2-3)

            A PROIBIÇÃO DE CASAMENTO DOS LIDERES RELIGIOSOS RESULTOU NA TRAGÉDIA DE CASOS DE PEDOFILIA QUE ASSOLA A IGREJA CATÓLICA E ESSA É A CONSEQUENCIA DE PROIBIR ALGO QUE DEUS ESTABELECEU EM GÊNESIS QUANDO DISSE: “NAO É BOM QUE O HOMEM VIVA SÓ.”

            Curtir

            • Helen disse:

              Tiago,
              Efésios 4 descreve exatamente isso, os diferentes papéis do Cristão dentro do Corpo de Cristo, não ensina, entretanto, que cada cristão esteja sendo comissionado a fundar uma nova assembléia sob a denominação cristã, sem submeter-se àquela já instituída pelo próprio cristo.

              Em Joao 17 cristo ora pela unidade do rebanho. A vontade de Deus é que haja UM rebanho, sob Um pastor, Cristo. Unido entre si, como o ramo à videira. Cristo é o fundamento, a cabeça. O Corpo deve ser um só. A fé dos Apóstolos NÃO é a fé pregada pelas mais de 50 mil denominações cristãs. Não porque em essÊncia cada uma dela seja complemente ruim ou errada. Até a Igreja Católica reconhece que há muito dos ensinamentos de Cristo no seio do Protestantismo, por isso chama-os de “rebanho separado”. Mas ter muito não significa ter tudo. A plenitude está na Santa Católica Apostólica UNA Igreja Católica. Amém!

              Curtir

      • EDMILSON disse:

        Meus irmãos e minhas irmãs católicas saibas que Bento XVI não foi o primeiro Papa a renunciar.

        Pois algumas pessoas mal informadas, assim como também websites igualmente mal informados, pretendendo falar em nome da Igreja, foram rápidos em insinuar ou afirmar que Bento XVI teria sido o primeiro Papa na História a abdicar do Trono de Pedro. Isto não é verdade. Vou Divulgar aqui abaixo a lista dos Papas que renunciaram à Cátedra de São Pedro

        VEJAM-

        SÃO PONCIANO
        O Papa Ponciano foi o primeiro Bispo de Roma, na história da Igreja que não permaneceu no trono de São Pedro até seu falecimento, já que abdicou em 28 de setembro de 235. Confirmou a condenação que Demétrio de Alexandria lançou sobre os textos de Orígenes sobre a Resurreição e ordenou que os Salmos fossem cantados nas igrejas, além da recitação do Confiteor antes de morrer e o uso da saudação Dóminus vobiscum (‘o Senhor esteja convosco’). Pouco depois de sua renúncia ao Pontificado, Ponciano foi martirizado sendo açoitado até a morte, tendo seu corpo trasladado à Roma onde foi depositado nas Catacumbas de São Calixto.

        SÃO PEDRO CELESTINO (CELESTINO V)
        Entrou para a Ordem beneditina e, com licença do abade, voltou para a vida de eremita. Assumiu, então, o nome de Pedro de Morrone, pois foi viver no sopé do morro do mesmo nome, onde levantou uma cela, vivendo de penitências e orações contemplativas.

        Em 1251, fundou, com a colaboração de dois companheiros, um convento. Rapidamente, sob a direção de Pedro, o convento abrigava cada vez mais seguidores. Assim, ele fundou uma nova Ordem, mais tarde chamada “dos Celestinos”, conseguindo, pessoalmente, a aprovação do papa Leão IX, em 1273.

        Em 1292, morreu o papa Nicolau V e, após um conclave que durou dois anos, ainda não se tinha chegado a um consenso para sua sucessão. Nessa ocasião, receberam uma carta contendo uma dura reprovação por esse comportamento, pois a Igreja precisava logo de um chefe. A carta era de Pedro de Morrone e os cardeais decidiram que ele seria o novo papa, sendo eleito em 1294 com o nome de Celestino V. Entretanto, a sua escolha foi política e por pressão de Carlos II, rei de Nápoles. Com temperamento para a vida contemplativa e não para a de governança, o erro de estratégia logo foi percebido pelos cardeais.

        Pedro Celestino exerceu o papado durante um período cheio de intrigas, crises e momentos difíceis. Reconhecendo-se deslocado, e não sentindo apto para o cargo, renunciou à cátedra de São Pedro.Foi sucedido pelo Papa Bonifácio VIII. Isso gerou nova crise, com o poder civil ameaçando não reconhecer nem a renúncia, nem o novo sumo pontífice. Para não gerar um cisma na Igreja, Pedro Celestino aceitou, humildemente, ficar prisioneiro no castelo Fumone. Ali permaneceu até sua morte.

        GREGÓRIO XII
        Foi eleito Papa em 19 de dezembro de 1406, aos oitenta anos de idade. Viveu o período do Grande Cisma do Ocidente quando chegou a haver 3 “Papas” (na verdade apenas UM Papa e 2 anti-papas). Após ter sido confirmado legítimo sucessor de Pedro, o Santo Padre Gregório XII, tempos depois, renunciou à cátedra no dia 14 de julho de 1415.

        BENTO XVI
        Hoje recebemos a notícia da renúncia do Santo Padre, o Papa Bento XVI. Confesso que tive a sensação de me haver tornado órfão. É uma mistura de medo, insegurança, perplexidade, enfim, confesso que me sinto um tanto “perdido”.

        Ouvimos as justificativas relacionadas à idade avançada e ao cansaço do Santo Padre. Observo, porém, que fonte segura indicou meses antes dessa renúncia, que o Santo Padre poderia renunciar e que um dos motivos seria não o cansaço referente à idade mas ao fato de sentir-se não apoiado pelos seus, por aqueles que estão ao seu redor mas que dificultam de todas as formas o seu pontificado.

        Como exemplo posso citar a aplicação Motu Propio Summorum Pontificum. De fato, quantos não o criticaram e mesmo o contrariaram dificultando de todas as formas a aplicação de tal documento (me refiro ao clero, grande número de Cardeais, Arcebispos, Bispos e Padres). Quantos de nós, “católicos comuns”, também não o dificultamos e pior, quantos de nós (a grande maioria dos católicos) sequer ouvimos falar de tal documento…

        Quantos por todo o mundo se dizem católicos mas se dão o direito de ignorar os ensinamentos do Santo Padre, selecionando somente aquilo que lhes interessa… Quantos vêem o Santo Padre como mero figurante, um velhinho de cabelos brancos que reside no vaticano e que na teoria “representa” a nós católicos, mas que na prática não tem muita serventia para a “igreja latinoamericana”… Quantos?

        Por outro lado não podemos nos esquecer das palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo sobre a Igreja quando nos prometeu que “…as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (São Mateus, cap. 16 vers.18) e ao dizer que “Eis que estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo” (São Mateus cap. 28, vers. 20).

        Eu como pobre pecador sou levado a tais sentimentos (insegurança, medo) mas como cristão católico devo confiar em Deus e nas promessas de Nosso Senhor, reconhecendo o gesto do Santo Padre, digno de um Grande Papa e orando e jejuando a fim de Deus Nosso Senhor se compadeça de sua Igreja e nos mande um Santo Papa digno de suceder ao Grande Bento XVI.

        Curtir

    • Catia disse:

      Tiago, estude a patrística e a história da igreja! Você não passa de um contraditório.

      Tiago sou professora de história na faculdade católica de Brasilia, me procure.

      Curtir

    • Kim disse:

      A igreja de Jesus,que ele estabeleceu realmente não ensina somente em céu e inferno,que bom saber que todos os pedaços juntos levam ao caminho onde estou. =)

      Curtir

  4. Renato disse:

    Que purgatorio?
    Isso nao existe.
    Mas Deus precisa de algum purgatorio para purificar alguem??

    Curtir

    • Helen disse:

      Deus revelou-lhe isso também, sr Renato?

      Claro que Deus não precisa de nada para purificar ninguém. Porém, porque Ele não precisa não significa dizer que não ESCOLHA purificar seus filhos da forma que desejar.

      Deus precisava que Moisés batesse o cajado na pedra para matar a sede de seu Povo? Poderia fazer chover, ou criar um rio profundo no meio do deserto, mas escolheu dar um sinal visível por meio de Moisés, um cajado e uma pedra, para fazer seu Povo insolente e incrédulo, voltar a ter fé!

      A inteligência de Deus é incompreensível ao homem, meu caro Renato. Não deixe que a soberba lhe faça crer saber entendê-la!

      Curtir

  5. Marcelo disse:

    Helen bom dia estava eu pesquisando sobre o “espirito devorador” que os evangelicos tanto falam e achei uma questão no minimo interessante achei varios versiculos que mostram que Deus que coloco os espiritos maus nas pessoas

    exemplo: Juízes 9, 23 Enviou Deus um mau espírito entre Abimeleque e os cidadãos de Siquém; e estes se houveram aleivosamente contra Abimeleque;

    1 Samuel 16, 14 E o Espírito do SENHOR se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do SENHOR.

    Isaías 45, 7 Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas.

    é isso mesmo ou esse interpretação é errada?

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Marcelo,

      A bíblia ensina que todos os Espíritos, bons e maus, submetem-se ao Senhor. Ele é o único soberano.

      Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará glória a Deus (Is 45,23). (Rom 14, 11)

      Assim vemos também no livro de Jó, onde até o diabo necessita da permissão de Deus para molestar à Jó. Concluímos portanto que, Deus pode usar para o bem até o Mal, se assim O aprazer. A diferença é que Deus sempre nunca usa de algo mal para fazer o mal e sim para estabelecer Seus desígnios, que são sempre bons.

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      AVE MARIA CONCEBIDA SEM PECADO.

      Romanos 3:23 diz: “Todos pecaram e carecem da glória de Deus.”Primeira João 1:8 acrescenta: “Se alguém diz que não tem pecado é mentiroso ea verdade não está nele.” Estes textos não poderiam ser mais claras para milhões de protestantes:? “Como alguém poderia acreditar que Maria estava livre de todo pecado à luz dessas passagens da Escritura que é mais, a própria Maria disse:” A minha alma se alegra em Deus, meu Salvador ‘em Lucas 1:47 . Compreendia claramente se a ser um pecador se admite precisar de um salvador “.
      A RESPOSTA CATÓLICA
      Não poucos protestantes estão surpresos ao descobrir a Igreja Católica na verdade concorda que Maria foi “salvo”. De fato, Maria precisava de um salvador! No entanto, Maria foi “salvo” do pecado de uma forma mais sublime. Ela foi dada a graça de ser “salva” completamente do pecado, para que ela nunca cometeu a menor transgressão. Os protestantes tendem a enfatizar a “salvação” de Deus quase que exclusivamente para o perdão dos pecados realmente cometidos. No entanto, a Sagrada Escritura indica que a salvação também pode se referir ao homem sendo protegido do pecado antes do fato:
      Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis diante da presença de sua glória, com alegria, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os tempos e agora e para sempre.(Judas 24-25)
      Seiscentos anos atrás, o grande teólogo franciscano Duns Scotus explicou que a queda no pecado poderia ser comparado a um homem se aproximando desconhecem uma vala profunda. Se ele cai na vala, ele precisa de alguém para baixar uma corda e salvá-lo. Mas se alguém avisá-lo do perigo à frente, impedindo o homem de cair na vala em tudo, ele seria salvo de cair em primeiro lugar. Da mesma forma, Maria foi salva do pecado, recebendo a graça de ser preservada a partir dele. Mas ela ainda foi salva.
      Todos pecaram exceção. . .
      Mas o que dizer “todos pecaram” (Rom. 3:23), e “se alguém diz que não tem pecado é mentiroso ea verdade não está nele” (1 João 1:8)? Não seria “tudo” e “qualquer homem” incluem Mary? Na superfície, isso soa razoável. Mas esta maneira de pensar levada à sua conclusão lógica seria listar Jesus Cristo em companhia dos pecadores bem. Nenhum cristão fiel ousaria dizer isso. No entanto, nenhum cristão pode negar os textos claros da Escritura declarando plena humanidade de Cristo também. Assim, para tomar 1 João 1:08 em um sentido estrito, literal seria aplicar “qualquer homem” a Jesus também.
      A verdade é que Jesus Cristo foi uma exceção a Romanos 3:23 e 1 João 1:8. E a Bíblia nos diz que ele estava em Hebreus 4:15: “Cristo foi tentado em todos os pontos como nós somos e ainda assim ele estava sem pecado.” A questão agora é: Existem outras exceções a esta regra? Sim, milhões deles.
      Tanto Romanos 3:23 e 1 João 1:9 lidar com pessoal ao invés de pecado original. (Romanos 5 trata de pecado original.) E há duas exceções a essa norma bíblica em geral. Mas, por agora, vamos simplesmente lidar com Romanos 3:23 e 1 João 1:8. Primeira João 1:8, obviamente, refere-se ao pecado pessoal porque no próximo verso, João nos diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados …” Nós não confessar o pecado original; confessarmos os pecados pessoais.
      O contexto de Romanos 3:23 deixa claro que ele também se refere a pecado pessoal:
      Não há justo, nem sequer um, ninguém entende, ninguém busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram de errado, ninguém faz o bem, nem um sequer. A sua garganta é um sepulcro aberto. Eles usam suas línguas para enganar. O veneno of.asps está nos seus lábios. Sua boca está cheia de maldição e amargura. (Romanos 3:10-14)
      O pecado original não é algo que fazemos, é algo que herdamos. Romanos capítulo três lida com o pecado pessoal porque fala de pecados cometidos pelo pecador. Com isso em mente, considere o seguinte: Tem um bebê no útero ou uma criança de dois anos nunca cometeu um pecado pessoal? Não. Para pecar a pessoa tem que saber o ato que ele está prestes a realizar é pecaminoso enquanto livremente engajar sua vontade em realizá-la. Sem as faculdades adequadas que lhes permitam o pecado, as crianças antes da idade da responsabilidade e quem não tem o uso de seu intelecto e não pode pecar. Assim, existem e foram milhões de exceções a Romanos 3:23 e 1 João 1:8.
      Ainda assim, como sabemos que Maria é uma exceção à norma do “todos pecaram?” E mais especificamente, há apoio bíblico para essa afirmação? Sim, há muito apoio bíblico.
      NOME JÁ DIZ TUDO
      E [o anjo Gabriel] veio a [Maria] e disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Mas ela ficou perturbada com a palavra, e considerado em sua mente que tipo de saudação seria essa. E o anjo disse-lhe: “Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus.” (Lucas 1:28-30)
      Muitos protestantes insistirão este texto para ser pouco mais do que uma saudação comum do Arcanjo Gabriel a Maria. “O que isso tem a ver com Maria ser sem pecado?” No entanto, a verdade é que, de acordo com a própria Maria, esta não era uma saudação comum. O texto revela Maria ter sido “muito perturbado no dizer e considerado em sua mente que tipo de saudação seria essa “(Lucas 1:29, ênfase adicionada). O que era sobre esta saudação que era tão incomum para Maria reagir desta maneira? Podemos considerar pelo menos dois key.aspects.
      Primeiro, de acordo com os estudiosos bíblicos (bem como o Papa João Paulo II), o anjo fez mais do que simplesmente cumprimentar Maria. O anjo realmente comunicou um novo nome ou título a ela. (Cf.Redemptoris Mater , 8, 9). Em grego, a saudação foi Kaire, kekaritomene , ou “Ave, cheia de graça”. Geralmente, quando um outro recebidos com Kaire , um nome ou título seria encontrado no contexto imediato. “Salve, rei dos judeus” em João 19:03 e “Claudias Lysias, a Sua Excelência o governador Felix, saudação” (Atos 23:26) são dois exemplos bíblicos deste. O fato de que o anjo substitui o nome de Maria na saudação por “cheia de graça” não era nada comum. Isso seria análogo ao me falar com um dos nossos técnicos no Respostas católicas e dizendo: “Olá, ele que conserta computadores.” Na cultura hebraica, nomes e mudanças de nome nos dizem algo permanente sobre o caráter ea vocação de um chamado. Apenas recordar as mudanças de nome de Abrão para Abraão (de “pai” para “pai das multidões”) em Gênesis 17:05, Saray a Sarah (“minha princesa” para “princesa”), em Gênesis 17:15 e Jacó Israel (“suplantador” para “ele que prevalece com Deus”) em Gênesis 32:28.
      Em cada caso, os nomes revelam algo permanente sobre o nomeado.Abraão e Sara transição de ser um “pai” e “princesa” de uma família para ser “pai” e “princesa” ou “mãe” de todo o povo de Deus (cf. Rom 4:1-18, é 51..: 1-2). Eles se tornam patriarca e matriarca do povo de Deus para sempre. Jacó / Israel se torna patriarca cujo nome, “ele que prevalece com Deus”, continua para sempre na Igreja, que é chamado de “o Israel de Deus” (Gl 6:16). O povo de Deus sempre vai “prevalecer com Deus” na imagem do patriarca Jacob.
      O que há em um nome? Segundo as Escrituras, muito.
      São Lucas usa o particípio passivo perfeito, kekaritomene , como o seu “nome” para Maria. Esta palavra significa literalmente “aquela que foi agraciado” em um sentido completo. Este adjetivo verbal, “agraciada”, não está apenas descrevendo uma ação simples passado. Grega tem outra tenso por isso. O tempo perfeito é usado para indicar que uma ação foi concluída no passado, resultando em um estado atual de ser.”Cheia de graça” é o nome de Maria. Então, o que isso nos diz sobre Maria? Bem, a média cristã não é concluída em graça e em um sentido permanente (ver Phil 3:8-12.). Mas de acordo com o anjo, Maria é.Você e eu pecar, não por causa da graça, mas por causa de uma falta de graça, ou a falta de nossa cooperação com a graça, em nossas vidas. Esta saudação do anjo é uma dica para o caráter único e chamado da Mãe de Deus. Só Mary é dado o nome de “cheia de graça” e no tempo perfeito, indicando que este estado permanente de Maria foi concluído.
      ARCA DA ALIANÇA (novo)
      A Arca do Antigo Testamento da Aliança era um verdadeiro ícone do sagrado. Porque continha a presença de Deus simbolizada por três tipos de a vinda do Messias-o maná, os Dez Mandamentos, e Aaron da haste que tinha que ser pura e intocada pelo homem pecador (ver 2 Sam. 6:1-9 e Ex. 25:10 ss; Num 4:15)..
      No Novo Testamento, a nova Arca não é um objeto inanimado, mas uma pessoa: a Mãe de Deus. Quanto mais pura seria a nova Arca ser quando consideramos a velha arca era uma mera “sombra” em relação a ele (ver Hb 10:01).? Esta imagem de Maria como a Arca da Aliança é um indicador de que Maria seria oportunamente ser livre de todo contágio do pecado para ser um vaso digno de levar Deus em seu ventre. E o mais importante, assim como a Arca da Antiga Aliança foi preservada desde o momento em que foi construída com instruções divinas explícitas em Êxodo 25, de modo que Maria seja pura a partir do momento de sua concepção. Deus, em certo sentido, preparado sua própria moradia, tanto no Antigo como no Novo Testamento.
      1. A Arca da Aliança continha três “tipos” de Jesus dentro: maná, a vara de Arão, e os Dez Mandamentos. Em hebraico, mandamento ( dabar ) pode ser traduzida como “palavra”. Compare: Maria carregou a realização de todos esses tipos em seu corpo. Jesus é o “verdadeiro [maná] do céu” (João 6:32), o verdadeiro “sumo sacerdote” (Hb 3:1), e “a palavra se fez carne” (João 1:14).
      2. A nuvem de glória (hebraico Anan ) foi representativa do Espírito Santo, e “ofuscou” a Arca quando Moisés a consagrou em Ex.40:32-33. A palavra grega para “ensombrar” encontrada na Septuaginta é uma forma de episkiasei . Compare: “O Espírito Santo virá sobre ti, eo poder do Altíssimo te encobrirá, por isso a criança que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus” (Lucas 1:35). A palavra grega para “ofuscar” é episkiasei .
      3. David “pulou e dançou” perante a Arca quando estava sendo levada para Jerusalém em procissão em 2 Sam. 6:14-16.Compare: Assim que Isabel ouviu o som de saudação de Maria, João Batista “pulou de alegria” em seu ventre (cf. Lc 1:41-44).
      4. Após a manifestação do poder de Deus trabalhando através da Arca, David exclama: “Como é que a Arca do Senhor, vinde a mim?” Compare: Depois da revelação de Elizabeth sobre a verdadeira vocação de Maria, que estava carregando Deus em seu ventre, Isabel exclama: “Por que me é dado, que a mãe do meu Senhor venha me visitar?” (Lucas 1:43)
      5. A Arca do Senhor “permaneceu na casa de Obede-Edom … três meses” em 2 Sam. 06:11. Compare: “Maria permaneceu com [Elizabeth] por cerca de três meses” (Lucas 01:56).
      O Novo
      É importante para nós lembrar que as realizações da Nova Aliança são sempre mais glorioso e mais perfeito do que os tipos do Antigo Testamento, que são “apenas uma sombra das boas coisas por vir” na Nova Aliança (Hb 10:1). Com isto em mente, vamos considerar a revelação de Maria como a “Nova Eva”. Após a queda de Adão e Eva em Gênesis 3, Deus prometeu o advento de uma outra “mulher” em Gênesis 3:15, ou uma “Nova Eva” que iria se opor Lúcifer, e cuja “semente” iria esmagar a cabeça dele. Esta “mulher” e “a semente” iria reverter a maldição, por assim dizer, que o “homem” original e “mulher” trouxe à humanidade através de sua desobediência.
      É mais importante aqui notar “Adão” e “Eva” são revelados simplesmente como “o homem” e “mulher” antes do nome da mulher foi mudado para “Eva” (hebraico, “mãe dos viventes”) depois da queda (veja Gn 02:21 ss). Quando, em seguida, olhar para a Nova Aliança, Jesus é explicitamente referido como o “último Adão”, ou o “Novo Adão” em 1 Coríntios. 15:45. E o próprio Jesus indica que Maria é o profético “mulher” ou “Nova Eva” de Gênesis 3:15, quando ele se refere à sua mãe como “mulher” em João 02:04 e 19:26. Além disso, São João refere-se a Maria como “mulher” oito vezes em Apocalipse 12. Como a primeira Eva trouxe a morte a todos os seus filhos através da desobediência e atendendo as palavras da antiga serpente, o diabo, a “Nova Eva” do Apocalipse 12 traz vida e salvação a todos os seus filhos através de sua obediência. A mesma “serpente” que enganou a mulher original do Genesis é revelado, em Apocalipse 12, a falhar em sua tentativa de superar esta nova mulher. A Nova Eva vence a serpente e, como resultado, “A serpente está zangado com a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus, e dar testemunho de Jesus” (Ap . 12:17).
      Se Maria é a nova Eva e realizações do Novo Testamento são sempre mais gloriosa do que seus antecedentes do Antigo Testamento, seria impensável para Maria a ser concebido em pecado. Se ela fosse, ela seria inferior a Eva que foi criado em um estado perfeito, livre de todo pecado.

      Curtir

  6. Tiago disse:

    Edmilson

    “Cai na real Tiago vibrador me mostre autores e documentos de escritores da época da inquisição me mostre padres da igreja ou escritores eclesiásticos falando que a igreja matou seu vagabundo”

    Voce me chamou de vagabundo. Vamos a advertência do site:

    “Advertimos que comentários desrespeitosos e linguagem ofensiva serão editados antes de sua publicação. É permitido discordar, questionar, debater. Não será permitido, entretanto, humilhar ou ridicularizar a quem quer que seja”

    Voce nao apenas falta com respeito a mim, meu caro, como também descumpre as regras deste site. Voce sequer tem a capacidade de respeitar as regras deste site que proibe qualquer comentário desrespeitoso!

    E agora eu pergunto a moderação, como que permite que tal desrespeito seja publicado aqui? A MODERAÇÃO DO SITE, COM ESTE ATO, SE MOSTRA DESCUMPRIDOR DE SUAS PROPRIAS REGRAS AO PERMITIR TAIS OFENSAS.

    AGUARDO RESPOSTA.

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      TIAGO VOCÊ FALA SOBRE A INQUISIÇÃO QUE A IGREJA MATOU
      AGORA ME PROVE COM DOCUMENTOS VERÍDICOS COM FONTE HISTÓRICA DA ÉPOCA QUE MOSTRE A LOROTA QUE VOCÊ E FALA BASEADOS NAS FABULAS DE HISTORIADORES ATEUS E DE HISTORIADORES PROTESTANTES.

      AGORA TIAGO SE VOCÊ FALA CONTRA OS 7 LIVROS QUE SÃO JERONIMO REJEITOU OU QUASE REJEITOU
      OLHA TIAGO NOS LIVROS DA ÉPOCA CONSTAM APENAS QUE ELE DEBATIA COM OS PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA E COM OS BISPOS DA ÉPOCA SOBRE ESSE ASSUNTO

      AGORA TIAGO VOU TI DA UM OUTRO EXEMPLO SOBRE SÃO JERONIMO SE ELE MESMO QUE QUISESSE TER REJEITADO OU NÃO OS 7 LIVROS A DECISÃO FINAL ERA DO PAPA E NÃO DELE

      AGORA DISCUTIR E DEBATER ESCREVER SOBRE ISSO É NORMAL PARA O CRESCIMENTO E DOUTRINAL

      TIAGO VOU TI FAZER UM CONVITE VAMOS NA MAIOR BIBLIOTECA DA AMERICA LATINA QUE FICA NO RIO DE JANEIRO

      LÁ TEM MILHARES DE MILHARES DE OBRAS PATRÍSTICAS

      LÁ TEM OS GRANDES HISTORIADORES E ESCRITORES DA AFRICA DOS PRIMEIROS SECULO LÁ TEM OS 40 ESCRITORES E HISTORIADORES FORA DA IGREJA DOS 2 PRIMEIRO SÉCULO DE ROMA E ASSIM POR DIANTE

      LÁ TAMBÉM TEM TODOS OS ESCRITOS E OBRAS DE SÃO JERONIMO EM LIVROS ORIGINAIS EU TAMBÉM TENHO TODOS ELES MAIS PRA NÃO TER DUVIDAS VAMOS LÁ

      OLHA TIAGO EU APOSTO 50 MIL REAIS COM VOCÊ COM ASSINATURA EM CARTÓRIO QUE PIADAS COMO PAPISA, PIADAS DE CONSTANTINO FOI QUEM FUNDOU A IGREJA CATÓLICA E OUTRAS PIADAS QUE VEJO EM SITES PROTESTANTES SOBRE SÃO PEDRO NUNCA TER SIDO PAPA
      E QUE A IGREJA PRIMITIVA DOS 4 PRIMEIROS SÉCULOS NÃO ERA CATÓLICA

      EU TI PROVO HISTORICAMENTE QUE ISSO TUDO É PIADA E QUE NÃO EXISTE NA HISTÓRIA

      OLHA MEU CARO A IGREJA É PURA E VERDADEIRA
      AGORA COM CERTEZA EXISTIU SIM ERROS DENTRO DA IGREJA
      POIS OS HOMENS SÃO FALHOS

      VOU TI DA UNS EXEMPLOS CLAROS
      SÃO PEDRO NEGOU JESUS

      E MUITOS ANJOS DO CÉU SE REVOLTOU CONTRA DEUS

      MOISÉS MATOU E AINDA DUVIDOU DE DEUS E TEVE A CONSEQUÊNCIA DO SEU PECADO

      DAVI MATOU E COMETEU ADULTÉRIO

      SALOMÃO COMETEU IDOLATRIA E TANTOS PECADOS

      E ASSIM POR DIANTE

      AGORA TIAGO EM QUESTÕES DOUTRINAIS A IGREJA NÃO TEM ERROS EU APOSTO COM QUAL QUER UM

      AGORA TIAGO VOU TI DA UM EXEMPLO TERTULIANO ERA UM PADRE DA IGREJA E SE TORNOU HEREGE NO FINAL DA VIDA POR QUERER MUDAR A DOUTRINA DA IGREJA NUM SÓ QUESITO

      EU PODERIA COLOCAR OUTROS NOMES AQUI MAIS PARA FINALIZAR MESMO DEPOIS DE TERTULIANO FICAR FORA DA IGREJA ELE NUNCA CONTESTOU O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA.

      Curtir

    • JAIME disse:

      TIAGO DEUS HABITOU NOS TEMPLOS DE MOISÉS E DE SALOMÃO.

      E OUTRA A IGREJA NASCEU CATÓLICA!

      —————————

      COMPLEMENTO DO BLOG

      A afirmação de que a Igreja nasceu católica quer dizer simplesmente que ela era Universal, ou seja, incluía todo o UNIVERSO de pessoas que acreditassem em Cristo. Não era um Igreja Grega, Romana, Egípcia, etc… Mas católica.

      Curtir

    • Tiago disse:

      Estou aguardando o pronunciamento da moderação a respeito das ofensas dirigidas a mim conforme acima relatado.

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Tiago,

        A moderação é feita de modo bem simples: busco ler se existem palavras ofensivas – do tipo impropérios – e se houver necessidade, elimino-as. Até agora nunca aconteceu isso.
        Sei que as vezes alguns participantes se exaltam e usam termos como “herege”, etc, que aos ouvidos de quem ouve pode soar ofensivo, mas que em si, não necessariamente, é uma obscenidade.
        Peço mil desculpas se o sr foi ofendido aqui. Ainda hoje vou re-ver o filtro automático que me auxilia na moderação dos comentários. Incluirei na lista de palavras banidas alguns termos pejorativos que por vezes aparecem por aqui.

        Que Deus abençoe ao sr e sua família e mais uma vez, obrigada pela participação!

        Curtir

    • EDMILSON disse:

      Pois é Tiago me diga? quem ti falou que a Igreja matava alguém na fogueira? Olha nunca a igreja condenou ninguém a morte, pois quem condenava a morte na fogueira, eram as cortes civis, e isso só ocorria na Inglaterra, França, Espanha e depois em Portugal.

      Me desculpa Tiago cade as provas até hoje nada Tiago me mostre fontes documentais da época onde alguém diz que a Igreja condenava pessoas morte,
      Olha Tiago isso foi uma loucura protestante americana criada 3 séculos depois da revolta protestante, agora me mostre 5 fontes do tribunal do santo oficio com 5 nomes de pessoas condenadas a morte? Tiago Se você acha que se a igreja matasse seus adversários não teria feito um churrasco com lutero e calvino?

      TANTAS LOROTAS E FABULAS PROTESTANTES

      Curtir

    • Tiago disse:

      Veja Helen, o Edmilson me chamando de vagabundo, até citei sua fala. Agora se pra sra. isso não é ofensa eu tenho que rever meus conceitos de ofensas.

      Mas, tudo bem, Edmilson. O Senhor Jesus nos ensinou a perdoar 70×7 então porque nao haveria de perdoá-lo…

      Curtir

      • Helen disse:

        caro Tiago,

        O termo “vagabundo” é ofensivo. Por que o sr julga que eu tenha deliberadamente autorizado sua publicação sem a devida moderação? Não lhe ocorreu que talvez eu, entre tantos comentários para ler, não o tivesse visto?
        Desculpa-me a distração. A atualização da lista de palavras proibidas está prestes a ser efetivada. Paciência, por favor. A moderação automática há de ajudar-me nessa tarefa.

        Pax.

        Curtir

      • OLIVEIRA disse:

        tiago estudar história é abandonar a seita protestante!
        cara em vez de você ficar estudando fabulas e contradições baratas
        de sites protestantes mentirosos cheios de fantasias e falsificações

        por que você não procura um museu ou uma biblioteca como a biblioteca nacional de Brasilia ou a do Rio de Janeiro

        là você vai encontrar os verdadeiros livros e não piadas mentiras pregadas ao longo dos 493 da seita protestante.

        Curtir

      • CATIA disse:

        Tiago vi aqui seu debate com o Edmilson olha se você apostasse com ele os 50 mil reais você iria perder feio rsrsrs que vergonha meu leigo protestante!

        Parabéns pelo site querida Helen!

        Conheci seu blog hoje! E já fiquei encantada com ele pois aqui realmente tem grandes doutores em apologética e patrística.

        Agora me responda uma coisa Tiago?

        Qual das 50.000 seitas protestantes devo ir para me “converter a Jesus”

        A do trízimo,a que batiza criança, as dos pastores gays, qual? Ou melhor me responda todas essas perguntas que estão nessa página:

        http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=6585813478994151512#editor/target=post;postID=2401560323929468485

        Só rindo.

        Curtir

        • Tiago disse:

          Katia

          nao comentando as suas ironias que nao têm qualquer fundamento, eu respondo a sua pergunta de uma maneira bem simples. Primeiro que você nao precisa escolher nenhuma Igreja pra se converter a Jesus. Quem converte e convence é a PALAVRA DE DEUS. É ela que LIBERTA, CURA E RESTAURA VIDAS. Voce nao precisa de nenhuma Igreja para aceitar Jesus em sua vida, basta crer de todo o seu coração que Ele morreu para perdoar os seus pecados e que é o seu unico e suficiente Salvador.

          Quanto às 50 mil “seitas” protestantes que vc afirma existirem eu tenho a dizer que nem todas denominações que existem podem ser chamadas de protestantes. Algumas, eu concordo com voce que nao possuem amparo Biblico, mas sao poucas. As demais denominações professam a mesma fé em Jesus Cristo como único Salvador e mediador entre Deus e os homens.

          E em relação as varias denominações, creio que nenhum católico tem autoridade para falar uma vez que a propria Igreja Catolica tem inumeras denominações, dentre elas a Renovação Carismática que copiou descaradamente a doutrina da Igreja Protestante Pentecostal no que diz respeito ao dom de falar linguas estranhas.

          Curtir

          • Helen disse:

            Caro Tiago,
            Muito bem pela resposta. De fato, há igrejas e igrejas protestantes…
            Mas, sem querer intromete-me no seu debate com a Katia,ermita-me esclarecer que NÃO EXISTEM DENOMINAÇÕES Católicas, mas UMA Igreja, UNA Igreja e Apostólica. A Renovação Carismática não é uma denominação, mas um movimento dentro da Igreja católica. A missa Católica pode ser ce
            Ebrada em muitos ritos e o rito Romano Novus Ordo – ou Missa Nova – introduzida em 1969, ao contrário dos Ritos Teadicionais, possibilita um culto de adoração mais carismático e menos solene. Na Missa Carismática observa-se uma certa apenas um grau mais acentuado de participação no culto de adoração por parte dos fiéis, seja nos cantos, ou mesmo na postura das pessoas. Entretanto, é a mesma Igreja, são as mesmas doutrinas, o mesmo Papa. Aliás uma paróquia, como a minha por exemplo, pode ter as 8 am uma Missa Latina e as 11 uma missa Novus Ordo, que aliás pode variar no grau de carisma, dependendo do padre, parócos e ocasião.

            Pax

            Curtir

            • Tiago disse:

              Helen

              Vamos admitir que voce tenha razão, a Renovação Carismática é um “movimento” criado dentro da Igreja Católica, muito embora eu afirmo que seja uma outra demoninação, mas tudo bem.

              Agora desta verdade você nao poderá fugir. Existem demoninações completamente diferentes dentro do catolicismo que estão dentro do CATOLICISMO INDEPENDENTE QUE SÃO AS IGREJAS QUE NÃO ACEITAM O PRIMADO DO BISPO DE ROMA (PAPA). Fazem parte do Catolisimo Independente:

              1) Antiga Igreja Católica
              2) Igreja Católica Apostólica Brasileira
              3) Igreja Episcopal Latina do Brasil
              4) Igreja Católica Liberal
              5) Igreja Anglicana do Brasil

              Não há como, Helen, você afirmar que estas sao a igreja “una” católica uma vez que estas acima citadas são igrejas católicas independentes que possuem doutrina diferente da igreja romana uma vez que elas não aceitam o primado do papa.

              Curtir

              • Helen disse:

                Tiago,

                O sr não tem que “admitir que eu estou certa para me fazer um favor, eu não preciso disso, pois sei do que estou falando. Além do mais, com fatos não se discute. A menos que se trate de uma pessoa tosca e orgulhosa, esses sim discutem não os fatos, mas COM os fatos.

                Saiba que:

                Não existe denominação católica. Existe UMA e UNA, Santa Igreja. Aquela que nasceu na fundação do Cristianismo sob a Palavra do Cristo, sua Cabeça.
                O termo “denominação” refere-se àquelas “igrejas” fora da comunhão com Roma, nisso o sr está certo, pois ao separarem-se de Roma tornaram-se tantas que houve a necessidade de (de)nomina-las, ou seja, dar-lhes NOME ( de-NOMI-nar , significar dar nome). A Santa Igreja sempre teve um nome, como o sr pode ver nos escritos do S. Ignácio de Antioca, que menos de 70 anos após a ressurreição de Cristo já cunhou o termo católico para salientar a UNIVERSALIDADE da Igreja Apostólica.

                Portanto, assim como todas as Igrejas ditas “católicas” como o sr citou em sua tão equivocada lista, pois inclui até igrejas da comunhão Anglicana e Pentecostal – essas não são denominações católicas, caro Tiago, algumas são cismas e outras, frutos da rebelião Luterana e de Henrique VII, nada mais.

                Uno-me ao coro do Edmilson e exorto ao sr: Tiago, estuda!!!

                Curtir

          • catia disse:

            Tiago discordo de você! Que Vê Me fale de uma igreja protestante antes de 1480 Tiago?

            Me mostre um só versículo bíblico em que mostra que Deus da autoridades para homens fundar igrejas?

            Tiago igrejas de homossexuais testemunhas de Jeová são sim protestantes!

            Pois elas nasceram pelo livre exame bíblico e toda seita protestante prega a sola scriptura

            Agora tiago só a unica igreja funda por Jesus cristo tem a presença viva de nosso Senhor Jesus Cristo

            Jo 6, 54-55: (Eucaristia, presença real x paozinho simbólico e doutrinas variadas)

            (50) Este é o pão que desceu do céu, para que não morra todo aquele que dele comer.
            (51) Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.
            (52) A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne?
            (53) Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos.
            (54) Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.
            (55) Pois a minha carne é * verdadeiramente * uma comida e o meu sangue, * verdadeiramente * uma bebida.

            E tem mais…1Cor 11,27 e 28:
            (28) “Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e do sangue do Senhor.”
            Ora, como alguém pode ser culpável do corpo do Senhor e comer sua própria condenação, se fosse apenas pão?

            (29) “Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação.”

            Lc 22,19-20:
            (19) Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto É o meu corpo, que é dado por vós, fazei isto em memória de mim.
            (20) Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós…

            Leia bem esse trecho Tiago:

            (29) “Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação.”

            Agora Tiago tome muito cuidado,com o que você fala.

            O desrespeito de vocês é tão grande que tem “igrejas” vendendo santa ceia(sic) pelo correio.

            Tiaguinho contraditório.

            Curtir

            • Tiago disse:

              Catia,

              Desculpe o atraso na resposta, mas são muitos os que se dirigem a mim e nao tenho tempo para responder a todos.

              Voce questionou: “Me mostre um só versículo bíblico em que mostra que Deus da autoridades para homens fundar igrejas?”

              Pois bem, você como estudiosa que diz ser, deve conhecer a passagerm bíblica que estabelece apenas CINCO CARGOS DE LIDERANÇA ou seja: Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor e Mestre. Paulo diz em Efésios 4:11: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores”.

              Segundo a definição sobre as funções do APOSTÓLO, a este cabe o ensinamento e também ESTABELECER FUNDAMENTOS DA IGREJA. Fundamentos, sao bases e alicerçes doutrinários acerca da Palavra de Deus. E neste contexto a Igreja é estabelecida. Jesus nao disse expressamente para os Apostolos fundarem Igrejas, mas sim estabelecer FUNDAMENTOS, BASES da igreja. E como as doutrinas das Igrejas Protestantes divergem em algumas questões umas das outras, outras bases outros fundamentos sao estabelecidos através de uma denominação nova ou seja, uma nova igreja.

              Mas a crença maior prevalece em todas as igrejas evangélicas: O RECONHECIMENTO DE JESUS CRISTO COMO SEU UNICO SENHOR E SALVADOR.

              Agora eu lhe pergunto uma coisa: considerando que a Biblia diz que existem apenas cinco cargos, dentre os quais o Pastor que existe nas igrejas evangelicas, de onde o catolicismo tirou o cargo de Papa?

              Esse título é totalmente anti bíblico uma vez que nao existe nas Escrituras tal cargo e o pior, JESUS PROIBE TAL CARGO ESPIRITUAL. vejamos o que diz as Sagradas Palavras:

              “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.” (Mateus 23:9)

              Jesus proibiu que chamássemos alguém de ‘Pai’ não estava se referindo a nossos pais sanguíneos, mas a líderes religiosos. Assim, cargos de liderança no catolicismo como Padre e Papa que significam “PAI”, são figuras totalmente contrárias ao que estabelem as Sagradas Escrituras.
              .

              Curtir

              • Helen disse:

                Caro Tiago,

                Os apóstolos estabeleceram os fundamentos da Igreja. Cabe aos crentes respeitá-los! A questão aqui, portanto, é a seguinte: será que todo pastor é um verdadeiro apóstolo? Se fosse, por que estabelecer um NOVA igreja, se ela já existe desde o principio do cristianismo? Por que estabelecer algo diferente daquilo que ensinaram os verdadeiros apóstolos?

                Veja bem, Edir Macedo chama-se a si mesmo de Bispo. Quem o institui? Quem sobrepôs as mãos sobre ele e o fez Bispo? Mais ainda, se é Bispo, por que não ensina o verdadeiro Evangelho, mas o invés disso prega, por exemplo, o aborto como planejamento familiar e diz-lo não ser uma ofensa aos olhos de Deus?

                Por favor, estou a citar Edir Macedo, mas saiba que não é contra ele o meu caso. Mas contra a ideologia que permite que pessoas como ele sejam ministros da palavra de Deus. Pois não o são! Se pregam um evangelho diferente do Evangelho de Cristo, não são!

                Alguns protestantes entram aqui e debatem exaustivamente os ditos “erros” da Igreja católica, “erros” esses que nem com o auxílio da Bíblia conseguem indubitavelemte contestar. Enquanto nós católicos, podemos facilmente contestar pela Bíblia os seguintes erros protestantes:

                1- A Sola Scriptura não é ensinada na Bíblia
                2- A Sola Fide não é ensinada na Bíblia
                3- O Matrimónio é indisolúvel. Portanto, o divórcio não existe no Novo Testamento e assim, não pode ser Cristão.
                4- O Homosexualismo é contra a Lei de Deus. Assim, a união gay também o é.
                5- O Aborto é contra a Lei de Deus. Assim, aquele que o prega, como Edir Macedo e outros “ministros da Palavra”, ofende à Deus.
                6- Após a Morte recebemos julgamento e recebemos a Vida Eterna, onde vivemos em Espírito na Glória prometida pelo Senhor, ou Morte Eterna, que é a separação de perpétua de Deus, e não simplesmente dormimos indefinidamente, como acreditavam os Judeus bíblicos – pois ainda não tinham recebido ainda toda a revelação em Cristo – e erroneamente insistem em pregar algumas seitas ditas “evangélicas”…

                Assim, como pode ver, existe muitos “apóstolo” estabelecendo os “fundamentos” da fé. Fundando Igreja e proclamando um Evangelho que nem de longe se assemelha
                à fé Cristã apostólica pela qual os mártires de nossa fé deram a vida pra defender!

                Sua interpretação de Efésios 4, 11 é, portanto, uma afronta à memória dos Santos de Deus como Paulo, Pedro, João. Esses sim, Apóstolos de Cristo.

                Chamar aos homens de Pai:

                1. O sr diz que Jesus proibiu o uso do termo Pai para nos dirigirmos à todos, exceto aos pais biológicos. Na minha bíblia Jesus não diz:

                “Não chameis a NINGUÉM na terra de vosso Pai.”

                Ora, ninguém exclui à todos, inclusive aos pais biológicos, correto? Pergunta: Os Evangélicos e cristãos não católicos chamam aos seus pais de Pai? Se sim, estão a desobedecer à Deus? Não, não estão, pois não foi isso que Jesus quis dizer, se fosse, ele mesmo não teria atribuído à Abraão o título de Pai dos Judeus, assim como fizeram outros homens de Deus, como Paulo ao falar de Jacó em Romanos 9,10 e Stevão sobre Abraão em Atos 7, 2…

                Ademais, se sua interpretação privada de Mateus 23,9 fosse correta, teríamos que concluir que Paulo, não escreveu o verso abaixo sob a inspiração do Espirito Santo, pois segundo a sua interpretação, ele estaria a contrariar à Jesus, pois Paulo coloca-se como Pai espiritual de Timóteo e dos cristãos.

                15. Com efeito, ainda que tivésseis dez mil mestres em Cristo, não tendes muitos pais; ora, fui eu que vos gerei em Cristo Jesus pelo Evangelho.
                16. Por isso, vos conjuro a que sejais meus imitadores.
                17. Para isso é que vos enviei Timóteo, meu filho muito amado e fiel no Senhor. Ele vos recordará as minhas normas de conduta, tais como as ensino por toda parte, em todas as igrejas.

                Observe: fui eu que vos gerei em Cristo Jesus pelo Evangelho – Não tendes muitos “pais”, ora … EU vos GEREI pelo Evangelho. Meu pai gerou a mim, o seu a si, todos somos gerados de nossos pais. Paulo diz ter-nos gerado pelo Evangelho. E confirma isso mais adiante, quando chama Timóteo de meu filho amado e fiel NO SENHOR, não biológico, mas no Senhor-

                Além disso, ele diz que não tendes muitos pais. Ora, se não tendes muitos pais, presume-se que tendes poucos ou ao menos alguns pais, do contrário o apóstolo teria afirmado não tendes nenhum pai no Senhor.

                Mais uma vez, Caro Tiago, o sr está equivocado.

                Pax Domini,

                Curtir

          • catia disse:

            Agora eu te pergunto Tiago! O que Jesus Cristo veio fundar ? Foi a Bíblia? Ou uma Igreja ??
            todos os padres da igreja, e todos os escritores eclesiásticos são unanimes em afirmar que foi a igreja católica!

            Agora novamente eu te pergunto, Tiago?

            Por que as contestações contra a igreja católica e contra o primado de são pedro em Roma só nasceu quando veio ao mundo Calvino e Lutero e depois os seus bandos que começaram a caluniar a igreja e falsificar documentos você não acha isso estranho Tiago?

            Isso é a igreja!

            “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do reino dos céus e tudo que ligares na terra, será ligado nos céus, tudo o que desligares na terra, será desligado nos céus”
            Mateus 16:18

            “Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.”
            Mateus 5:19

            E disse-lhes: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.”
            Marcos 16:15

            “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.”
            Lucas 10:16. Também Lucas 24:45-47

            “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.”
            2Tesalonisences 2:15

            Aonde nas Escrituras diz que Jesus Cristo ordenou que alguém escrevesse uma Epístola?
            Olha, Jesus primeiro fundou una Igreja docente, e está Igreja ‘produziu a Bíblia’.

            Reconheça! Jesus Cristo fundou uma Igreja instrutiva!

            É através da Bíblia ou da Igreja que a sabedoria de Deus é conhecida?

            “Eu me tornei servo deste Evangelho em virtude da graça que me foi dada pela onipotente ação divina. A mim, o mais insignificante dentre todos os santos, coube-me a graça de anunciar entre os pagãos a inexplorável riqueza de Cristo, e a todos manifestar o desígnio salvador de Deus, mistério oculto desde a eternidade em Deus, que tudo criou. Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, PELA IGREJA, a infinita diversidade da sabedoria divina”
            Efésios 3:7-10

            Creia! É a Igreja!

            Qual é a coluna e fundamento da verdade? Poderíamos dizer que é a Bíblia?
            Então porque a Bíblia diz que é a Igreja?

            “Estas coisas te escrevo, mas espero ir visitar-te muito em breve. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é A IGREJA de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.”
            1Timóteo 3:14-15

            Creia! É a Igreja!

            Tiago me diga? Quem possui a autoridade final? É a Bíblia? Então porque a Bíblia diz que é a Igreja?

            “Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o À IGREJA. E se recusar ouvir também A IGREJA, seja ele para ti como um pagão e um publicano.”
            Mateus 18:15-17

            Creia! É a Igreja!

            Tiago o que você crê, a quem Cristo ama, a sua Igreja ou a Bíblia?

            “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou A IGREJA e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra”
            Efesios 5:25-26

            Tiago creia! É a Igreja!

            Se contesta me mostre o contrario.

            Curtir

      • CATIA disse:

        TIAGO, ISSO AQUI SIM É A IGREJA CATÓLICA TESTIFICADA POR TODOS OS PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA DOS PRIMEIROS SÉCULOS. VEJA:

        Hebreus 12-23 à universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;

        Assembléia = Igreja
        Universal = Católica

        A Igreja Católica (o termo “católico”, derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa “universal” ou “geral”), AGORA OLHE JESUS, RENATO DE CARVALHO, FALANDO DE FUNDAR A SUA IGREJA SOBRE PEDRO.

        VEJA

        “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

        OLHA MAIS PROVAS CLARAS, TIAGO, DE JESUS CRISTO TER FUNDADO A SUA IGREJA

        VEJA

        Jesus realmente prometeu que o Espírito Santo estaria com Sua Igreja e a ensinaria para sempre (cf. João 14,16-17)!
        OLHA O QUE DIZ SÃO PAULO. QUER MAIS PROVAS DO QUE ISSO?

        Só a verdade liberta e a Igreja é coluna e firmeza da verdade (1Timóteo 3,15)

        VEJA, ESSA OUTRA PASSAGEM BÍBLICA, TIAGO. SE VOCÊ NÃO ACEITA ISSO É POR SUA IGNORÂNCIA, PELOS SEUS ESTUDOS DISTORCIDOS LHE FEZ UM HOMEM HEREGE E CONTRADITÓRIO.

        VEJA COMO É TÃO NÍTIDO E TÃO CLARO A EXISTÊNCIA DA IGREJA

        Deste modo, a razão da própria existência da Igreja está em ser um instrumento de santificação dos homens: “Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade” (Jo 17,19)

        TIAGO, AGORA OLHA O QUE SÃO PAULO FALA. VOCÊ QUER PROVAS MAIS CLARAS DO QUE ESSA, MEU CARO IRMÃO HEREGE?

        “Eu me tornei servo deste Evangelho em virtude da graça que me foi dada pela onipotente ação divina. A mim, o mais insignificante dentre todos os santos, coube-me a graça de anunciar entre os pagãos a inexplorável riqueza de Cristo, e a todos manifestar o desígnio salvador de Deus, mistério oculto desde a eternidade em Deus, que tudo criou. Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, PELA IGREJA, a infinita diversidade da sabedoria divina” Efésios 3:7-10

        AGORA, OLHE MAIS PROVAS TIAGO DE QUE ESSA É A IGREJA DE QUE TODOS OS PADRES DA IGREJA E BISPOS ESCREVERAM EM SUAS OBRAS. SÓ MESMO VOCÊS PROTESTANTES POR ORGULHO DESPREZO E MENTIRAS, TENTAM MANCHAR A TODO CUSTO ESSA VERDADE TÃO NÍTIDA E TÃO CLARA.

        VEJA – (Atos dos Apóstolos 20,28)

        Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

        OLHA MAIS PROVAS TIAGO, SAIBA MAIS UMA VEZ QUE DENTRO DA BÍBLIA TEMOS 3 PAPAS E AINDA DENTRO DA BÍBLIA EXISTE ORDENS DADAS PELOS PRÓPRIOS APÓSTOLOS PARA OBEDECEREM AOS BISPOS PRESBÍTEROS E DIÁCONOS E VOCÊ VEM COM A FALSA HERESIA DE JESUS CRISTO NÃO FUNDOU UMA IGREJA…

        VEJA MAIS PROVAS CLARAS. ISSO É A IGREJA, MEU CARO AMIGO, PROCLAMADA POR TODOS OS PADRES DA IGREJA
        VEJA O QUE O PRÓPRIO SÃO PAULO ESCREVE, MEU CARO HEREGE.

        “Estas coisas te escrevo, mas espero ir visitar-te muito em breve. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é A IGREJA de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.” 1Timóteo 3:14-15

        ISSO É A IGREJA CATÓLICA, MEU CARO TIAGO, NÃO VENHA COM SOLA SCRIPTURA, NÃO VENHA COM VERSÍCULOS DECORADOS, POIS ESSA FARSA DE LIVRE EXAME DA BÍBLIA SÓ DIVIDIU O CRISTIANISMO, MEU CARO HEREGE, EM MAIS DE 50 MIL SEITAS
        QUER MAS PROVAS CLARAS? EU TE DOU, TIAGO:

        VEJA

        “Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o À IGREJA. E se recusar ouvir também A IGREJA, seja ele para ti como um pagão e um publicano.” Mateus 18:15-17

        AGORA TIAGO, EU TE PEÇO ENCARECIDAMENTE NÃO CHAMEM MAIS OS APÓSTOLOS E PADRES DA IGREJA DE MENTIROSOS, POIS TODOS ELES SÓ PREGARAM UMA SÓ IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA.
        ESTUDA A PATRÍSTICA, ISSO AQUI, MEU CARO É A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA.

        VEJA TIAGO~

        “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou A IGREJA e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra” Efesios 5:25-26

        AGORA TIAGO, ENTRE NESSE ENDEREÇO QUE EU VOU TE PASSAR, POIS É A MAIOR DESCOBERTA DA HUMANIDADE, POIS OS MAIORES ARQUEÓLOGOS DO MUNDO DESCOBRIRAM A MAIS ANTIGA IGREJA DO MUNDO COMPROVADA POR TESTES E DNA
        E AINDA DATANDO SER DO ANO 30 DA ERA CRISTÃ E QUE ELA ERA FREQUENTADA POR JESUS E TODOS OS SEUS DISCÍPULOS
        AGORA ENTRE E TIRE VOCÊ MESMO A CONCLUSÃO;

        http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2008/08/surpresa-de-megido-e-igreja-crist-mais.html

        Curtir

  7. Tiago disse:

    Helen

    Primeiramente quero agradecer pela oportunidade do debate. Terei o maior prazer em responder a todos os seus questionamentos de um por um. Só que alem das suas respostas, tenho que responder ao Edmilson e agora ao Jaime e também Rafael e Leandro (nao sei de onde veio tanta gente…rs)
    Mas isso mostra que o debate está sendo edificante. Só espero da parte dos irmãos RESPEITO conforme as próprias regras do site. Já fui chamado de pesquisador de google (quando na verdade sao outros), decorador de textos (quando na verdade é que existem textinhos espalhados na internet sobre as respostas dos católicos já prontinhas), e agora, sou chamado de herético, mas isso não me atinge.
    Creio que o respeito deve sempre imperar, do contrário os irmaos se apegarão 100% a sua doutrina católica e se esquecerao do ensinamento maior do Senhor Jesus que é o amor para com o próximo.

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      Tábua cronológica da história do cristianismo – alguns pequenos relatos do segundo século

      105 – nasce Justino Mártir. Morre em 165.

      107 – 3ª perseguição dos cristãos, sob Trajano (98-117). Inácio de Antioquia martirizado em Roma. De acordo com Severo, depois que Trajano descobriu que os cristãos eram inocentes, ele proibiu as crueldades contra eles.

      Inácio acentuou o papel do bispo local como o enfoque de unidade. Ele afirmou que o bispo era o representante de Deus na Terra. Na época de Inácio, as igrejas da Ásia Menor eram governadas por bispos monárquicos, ajudados por presbíteros e diáconos. Em uma carta para os Efésios, Inácio escreveu, “Seja sujeito ao bispo e ao presbitério…pois mesmo Jesus Cristo, nossa Vida inseparável, é a vontade manifesta do Pai; como também os bispos, até aos confins da Terra, são assim pela vontade de Jesus Cristo”. Inácio é o primeiro escritor conhecido a aplicar o nome de católica à Igreja: “onde estiver o bispo, estejam também as pessoas: onde estiver Jesus Cristo, aí estará a Igreja católica”.(aos Esmirnenses)

      De várias cartas (escritas por volta de 107):

      Sobre a divindade de Cristo: ” …sendo unidos e escolhidos por Sua verdadeira paixão, de acordo com a vontade do Pai e Jesus Cristo nosso Deus.” (Efésios)
      “Há um corpo, carnal e espiritual, feito e não feito; Deus encarnado; verdadeira vida em morte; de Maria e de Deus; primeiro passível, então impassível; Jeus Cristo nosso Senhor”. ( Efésios)
      “O próprio Deus apareceu na forma de um homem, para a renovação da vida eterna.” (Efésios)

      Sobre a identidade do Filho e o Logos: “Deus se manifestou por Jesus Cristo, Seu Filho, que é Sua Palavra eterna.” (Magnésios)

      Sobre a Trindade: “Sejam sujeitos a seu bispo como Jesus Cristo ao Pai, segundo a carne,: [como] os apóstolos [eram sujeitos] a Cristo, o Pai e o Espírito Santo”. (Magnésios)

      Sobre o batismo: “Pois nosso Deus Jesus Cristo… nascido e batizado, por Sua paixão purificou a água, para o purificação dos pecados.” (Efésios)

      Eucaristia: “… obedecendo seu bispo e o presbitério de todo coração; partindo o mesmo pão que é o bálsamo da imortalidade; nosso antídoto contra a morte, mas que nos faz viver para sempre em Cristo Jesus… “ (Efésios)
      “Desejo o pão de Deus que é a carne de Jesus Cristo (da semente de Davi), e a bebida que desejo é o Seu sangue, que é o amor incorruptível. “ (Aos Romanos)
      “Pois há somente uma carne de nosso Senhor Jesus Cristo; e um cálice na unidade de seu sangue; um altar…” (aos Filadelfos)

      Domingo: “Pois se nós ainda continuamos vivendo de acordo com a lei judaica, devemos admitir que não tivemos obtido a graça…não mais guardamos o sábado, mas o dia do Senhor, no qual nossa vida se renonvou por Ele…” (aos Magnésios)

      Inácio foi martirizado sob a perseguição de Trajano em 107. Ele advertiu os cristãos influentes em Roma a não tentarem obter sua liberdade da prisão. Isto o privaria do sofrimento na união com o Senhor.

      Em sua História Eclesiástica (livro VI, capítulo 8), Sócrates disse que Inácio introduziu cânticos na igreja em Antioquia depois de ter visto uma visão de anjos “cantando hinos para a Santíssima Trindade”.

      Nós sabemos, pelo Martírio de Inácio, do segundo século, que as relíquias de Inácio foram reverenciadas já naquela época. Nele, lemos: “só ficaram as partes mais duras de seus santos restos, que foram levadas para Antioquia e embrulhadas em linho, como um tesouro inestimável deixado à santa Igreja pela graça que obteve no martírio.”

      Hegesipo (veja ano 170) disse que Simeão, filho de Cleófas, quanto teve 120 anos de idade, sofreu o martírio sob Trajano. Simeão, disse, era um filho do tio do Senhor, e tinha sido bispo depois de Tiago, o Justo.

      Hegesipo também registrou que nesta época os hereges tentaram corromper a Igreja, quando o último dos apóstolos morreu. Ele também listou muitos deste grupos: simonianos, cleobianos, doricianos, gorteanos, masboateianos, menandristas, marcianitas, carprocacianos, valentinianos, basilidianios e saturnalianos – que foram atacados pelos apologistas Irineu e Hipólito.

      110 – nasce Marcião, líder de uma seita herética. Morreu em 165. Marcião rejeitou o Deus do Velho Testamento, o criador deste mundo, e conseqüentemente rejeitou o Velho Testamento também. Ele acreditou que era impossível que Jesus, o redentor do gênero humano, tivesse nascido de uma mulher.

      Papias, bispo de Hierápolis na Frígia, viveu nesta era. Ele é a fonte da tradição que o evangelho de Marcos era baseado no testemunho de Pedro. Papias foi um quiliasta. Eusébio de Cesaréia era da opinião que Papias aprendeu o mileniarismo de um certo João, o presbítero. Segundo esta idéia, outros (até Irineu, v. ano 177) interpretaram mal Papias – dizendo que ele obteve esta opinião do apóstolo João, pensando que haveria um milênio literal.

      112 – Plínio, o Jovem (61/62 – 113), governador da Bitínia, escreveu uma carta ao imperador Trajano. Ele declarou que os cristãos “estão acostumados a se encontrarem em um dia antes da luz do dia, cantar hinos para Cristo como para Deus, e se ligarem por um sacramento de não cometerem maldade”.

      115 – Trajano sobrevive de um terremoto que devastou a Antioquia.

      116 – Adriano expulsa os judeus de Chipre depois de suprimir sua revolta na qual muitos habitantes gregos da ilha (240.000) foram massacrados.

      118 – 4ª perseguição dos cristãos, sob Adriano (117-138). De acordo com Severo, Adriano montou “imagens de demônios” no monte de templo e do Gólgota. Adriano também colocou guardas para impedir os judeus de se aproximarem de Jerusalém.

      122-7 – construção da muralha de Adriano.

      124 – a anônima Epístola para Diogneto, uma apologia do cristianismo escrito a um pagão, “meu senhor Diogneto”. O autor explica que a Palavra não é “algum servo de Deus”, ou “algum anjo ou príncipe”. De fato, a Palavra era Deus: “como Deus ele foi enviado, como homem para homens” que foi o “artífice e construtor” da Criação. O autor às vezes contrasta a “chama passageira” do martírio que os cristãos experimentam com o eterno tormento daqueles que não podem ver por causa da “maldade e erro deste mundo”.

      125 – o papiro 52 foi escrito neste ano. É o fragmento mais antigo do Novo Testamento existente. Contêm partes de Jo. 18:31-33 e 37-38.

      126 – Quadrato escreve uma apologia da fé cristã dirigida a Adriano (como Aristides fez na mesma época). Nesta obra, Quadrato menciona que alguns daqueles que foram curados por Jesus ainda estavam vivendo.

      127-42 Ptolomeu, astrônomo, geógrafo, e matemático de em Alexandria. Seu modelo geocêntrico ficou muito conhecido até 1542, quando Copérnico admitiu o sistema heliocêntrico. A circurferência da Terra por Ptolomeu era 30% menor que o valor atual.

      130 (132?) – O imperador Adriano reconstrói Jerusalém, chamando-a de Aelia Capitolina (depois Aelius Adriano). Ali, ele ergueu um templo para Júpiter. Ele também taxou um imposto aos judeus para pagar a manutenção do templo Júpiter Capitolino.

      130 – um certo Áquila produziu uma nova tradução grega, muito literal doVelho Testamento. Áquila foi discípulo do rabino Akiba e um prosélito do judaísmo. O propósito de sua tradução era suplantar a Septuaginta. (Incidentemente, o rabino Akiba apoiou Bar-Kocheba, crendo que ele cumpriu as profecias messiânicas.)

      130 – a Epístola de Barnabé foi escrita entre a queda de Jerusalém (70) e esta data. Só se conhece uma versão latina da história e o texto grego completo foi descoberto em 1859 com a descoberta do Códice Sinaiticus. A epístola explica eventos e práticas do Velho Testamento de uma maneira alegórica e os aplica para Cristo e a Igreja. Barnabé identifica aquele que se encarnou para nossa salvação com o que Deus disse: “façamos o homem a nossa imagem”.

      135 – outra rebelião judaica começou, esta aqui conduzida por Bar-Kocheba. De acordo com Justino, “Nesta guerra judaica, Bar-Kocheba… ordenou que só os cristãos deveriam ser sujeitados a tormentos terríveis, a menos que renunciassem e blasfemassem Jesus Cristo.”

      136 – segunda conquista e destruição de Jerusalém pelos romanos. Mais de 500.000 mortos à espada. O imperador Adriano proibiu os judeus de voltarem à Jerusalém, e eles se dispersaram pela Terra.

      Neste ano o filósofo alexandrino Valentino, um cristão batizado, mas pensador agnóstico, vai a Roma. Ele deixou a comunidade cristã em 140, quando outro foi escolhido bispo de Roma. Deixando Roma em 160, Valentino continuou praticando sua filosofia religiosa, escrevendo O Evangelho da Verdade. Suas idéias, como outras idéias gnósticas, afirmavam um dualismo fundamental entre o bem e mal e a salvação pela gnose. Ele foi refutado por Irineu e Hipólito.

      Basilides foi outro filósofo agnóstico de Alexandria. A escola que ele fundou, conhecida como os basilidianos, ainda existia na Alexandria no séc. IV. Os basilidianos são talvez os primeiros a celebrar o batismo de Jesus em 6 de janeiro (ou 10 de janeiro), praticando uma vigília noturna. Basilides usava o termo “Abraxas” (que pensava ter um significado mágico) para Deus.

      Outro grupo gnóstico viu o Simão Mago (At. 8.9-24) como o verdadeiro Deus ou Pai. Deus tinha gerado o primeiro pensamento (Ennoia) para criar os anjos que, por sua vez, criaram o Universo. Por ciúme, os anjos prenderam Ennoia em carne humana, e ela foi condenada a transmigrar a de um corpo a outro. Para livrá-la, Deus entrou na Criação na forma de Simão, e ele deu a salvação à humanidade em troca de reconhecê-lo ser deus.

      O mitraísmo ficou bem popular no Império Romano, particularmente entre os soldados. Em 307, Diocleciano dedicou um templo a Mitra em Carnuntum, no Danúbio. Mitra era um deus do Sol, e sua fé dele enfatizava a lealdade ao Imperador. Depois que os imperadores se tornaram cristãos, o mistraísmo decaiu. Mitra tinha sido o maior deus persa antes do zoroastrismo. Os santuários dele eram em cavernas. Só homens assistiam as cerimônias desta fé, e não havia, aparentemente, nenhuma hierarquia religiosa.

      140 – Justino Mártir escreveu sua Apologia ao Imperador Antonius Pius (138-61). Ele deu uma descrição do culto de domingo:

      “No dia chamado Festa do Sol, todos os que vivem nas cidades ou no país se ajuntam em um lugar, e são lidas as memórias dos Apóstolos ou as escritas dos Profetas conforme o tempo. Então, quando o leitor termina, o Presidente instrui e encoraja que as pessoas pratiquem as verdades contidas nas lições das Escrituras. Depois, todos nós nos levantamos e fazemos orações…”

      “Depois que as orações terminam, nós nos saudamos um ao outro com um beijo. Depois, trazem pão e um cálice de vinho misturado com água ao celebrante. Ele os toma e oferece louvor e glória ao Pai de todos pelo Nome do Filho e o Espírito Santo, dando graças por termos sido merecedores de receber estes dons de Deus; e quando ele termina as orações e as ações de graças todos os presentes dizem alto: Amém. Amém na língua dos hebreus significa: assim seja.”

      “Depois que o celebrante dá graças e todas as pessoas dizem Amém, aqueles entre nós chamados diáconos dão a todos os presentes o pão e o vinho misturado com água, sobre os quais os presentes dão graças e também os levam para aqueles que estão ausentes. E esta refeição é chamada de Eucaristia por nós, da qual não pode participar quem não crê no que dissemos ou não é lavado pela água do perdão dos pecados, tendo suas vidas dirigidas por Cristo.”

      Justino rejeitou a mitologia pagã, mas respeitou a filosofia grega. Ele acreditava no livre-arbítrio, sendo crítico da doutrina gnóstica que a predestinação era independente da moralidade. Ele também acreditou que a realização das profecias do Antigo Testamento
      eram uma forte prova que Jesus era o Messias, rejeitando a negativa idéia que Marcião tinha das Escrituras judaicas. Justino acreditava em um reino literal de mil anos de Cristo na Terra e aceitava o canonicidade e interpretação literal do Apocalipse.

      Justino viu o batismo como um banho de arrependimento e conhecimento de Deus pelo qual o Espírito é dado, uma substituição para a circuncisão, e a entrada para a remissão dos pecados. A Eucaristia é o novo sacrifício predito por Malaquias. Ele interpretou as palavras “façam” como “ofereçam”. Ele ligou a Eucaristia com a paixão de Cristo e acreditava na Real Presença: “Nós não recebemos estes alimentos como pão ou vinho comum. Mas como nosso Salvador Jesus Cristo foi feito carne pela Palavra de Deus e foi feito carne e sangue para nossa salvação, também aprendemos que a comida que foi eucaristizada por Sua oração (aquela comida que por processo de assimilação nutre nossa carne e sangue) é a carne e sangue do Jesus encarnado.”

      Justino considerou a Septuaginta como o único texto fidedigno do Velho Testamento. Ele viu Maria como a antítese de Eva. Nossa queda veio por uma virgem desobediente, mas nossa salvação por uma obediente.

      140 – Aristo de Pella escreveu sua Disputação de Papisco e Jasão, um diálogo entre um judeu e um cristão sobre a verdade da fé. Esta obra só nos é conhecida hoje por referências a ela.

      155 – Policarpo, bispo de Esmirna, visita Roma e vê que os romanos não celebravam a Páscoa como no oriente (veja ano 190). Isto foi quando Aniceto era o bispo de Roma.

      157 – Policarpo queimado na estaca em Esmirna. Um ano depois, o aniversário do martírio de Policarpo era celebrado. Assim começou o primeiro “dia de santo”.

      157 – Montano, líder de uma seita herética, nasce. Ele era um frígio. Junto com duas mulheres, Prisca e Maximilla, entrou em estados extáticos e falava como que movido pelo Espírito Santo. Eles eram quiliastas e acreditavam que a Nova Jerusalém aterrissaria na
      Frígia. Eles ensinaram que discordar de suas falas era uma blasfêmia contra o Espírito.

      160 – por este ano, o sepulcro de Pedro estava marcado por um santuário.

      A celebração anual da Páscoa pode ter começado em Roma neste ano (veja 190). Na Ásia já tinha sido celebrada muito antes.

      Tertuliano nasce. Morre em 230.

      Cláudio Apolinário, bispo de de Hierápolis (160-180). Apolinário relata que um exército do Imperador Antoninus (Marco Aurélio) (161-180) foi atacado por uma forte tempestade pelas orações dos cristãos. Apolinário disse que o Senhor foi crucificado na Páscoa, em 14 de Nisã, não num dia depois. A Última Ceia, ele disse, aconteceu antes da Páscoa, como menciona João (Jo. 13.1).

      Durante o reinado de Marco Aurélio, um certo Alexandre Paflagoniano fez um misterioso espetáculo envolvendo uma serpente sagrada chamada Glycon.

      165 – morte de Justino Mártir.

      Taciano. Pouco antes da morte de Justino, um nativo da Mesopotâmia (chamado de assírio), Taciano, converteu-se ao Cristianismo depois de estudar filosofia. Sua conversão pode ter acontecido em Roma onde ele conheceu Justino. Taciano fez uma obra chamada Harmonia dos Evangelhos, conhecida como Diatessaron e uma Apologia aos Gregos. Depois da morte de Justino, Taciano se simpatizou com uma seita gnóstica ascética conhecida como Encratitas, ou os “auto-controlados”, que tinha surgido no ano 166. Taciano mudou-se para Antioquia e atraiu discípulos para esta heresia até a morte em 172.

      167 – de acordo com o Venerável Beda, o bispo de Roma, Eleutério, recebeu um pedido de batismo de um rei britânico neste ano.

      168 – Teófilo (morreu em 181 ou 188) se tornou bispo de Antioquia. Realizou várias obras de comentários nos evangelhos e no livro de Provérbios, mas sua única obra sobrevivente é apologética, dirigido ao amigo pagão Autólico.

      170 – Melito de Sardes (morreu em 177, sob a perseguição de Aurélio) viajou a Palestina onde obteve uma lista de livros do velho Testamento hebraico com exceção de Ester.

      Melito acreditava na divindade de Cristo. Ele escreveu, “…nosso Senhor Jesus Cristo… é razão perfeita, a Palavra de Deus; Ele que foi procriado antes da Luz; Ele é o criador junto com o Pai; Ele é o Criador do homem; Ele é tudo em todos; …no Pai, o Filho; em Deus, Deus”.

      “Não há necessidade, para pessoas inteligentes, tentar provar, das ações de Cristo subseqüente ao batismo, que Sua alma e corpo, Sua natureza humana como a nossa, eram reais, e nenhum fantasma da imaginação. Pois as ações feitas por Cristo depois do batismo, e especialmente os milagres, deram indicação e garantia para o mundo de Sua divindade oculta na carne. Pois sendo perfeito Deus e perfeito homem, deu-nos mostra dessas duas naturezas: de Sua divindade, pelos milagres durante os três anos que decorreram depois do batismo; de Sua humanidade, durante os trinta períodos semelhantes que precederam o batismo no qual, por causa de Sua baixa obrigação com a carne, escondeu os sinais de Sua divindade, embora fosse o verdadeiro Deus que existe antes de todos os tempos.”

      Melito derivou a palavra Pascha do grego paschein, sofrer. Em seu Peri Pascha, que data de cerca de 165, ele escreveu, “Ele veio na Terra, do céu, por sofrimento humano, ficando encarnado no útero de uma virgem do qual ele se tornou homem; ele assumiu os sofrimentos do homem num corpo capaz de sofrimento, e pôs um fim para os sofrimentos da carne, e por Seu espírito incapaz da morte ele se tornou a morte da morte do homem… Este é quem na virgem se encarnou, na cruz foi suspenso, na Terra foi enterrado, do morto foi ressuscitado, para as alturas do céu foi elevado.”

      170 – Hegesipo nasce nestá época. Ele foi um antigo cronista da História da Igreja.

      170 – Dionísio de Corinto escreve, “era o costume dos romanos…desde o princípio… ajudar toda a comunidade por vários meios e enviar contribuições para as igrejas em toda cidade, aliviando os necessitados.” Dionísio mencionou o martírio de Pedro e Paulo em Roma.

      ~175 – na segunda metade do segundo século, foi escrita a Epistula Apostolorum. A obra descreve Jesus ordenando a Seus seguidores que observassem o Pascha “até que eu volte do Pai com minhas feridas”. O Pascha parece ter sido observado em 14/15 Nisã.

      177 – 5ª perseguição da Igreja, sob o Imperador Marco Aurélio (161-180). Nesta época, os hereges gnósticos perturbaram as igrejas do vale de Rona. Estas igrejas eram gregas e tinham grandes ligações com as igrejas da Ásia Menor. Irineu de Lyon atacou muito desses hereges em suas obras.

      177 – Irineu, discípulo de Policarpo, é eleito bispo de Lyon (nasceu em 130). Morreu em 200. Acreditou que o plano da Nova Aliança é a “recapitulação” da Criação original: pelo pecado de Adão, perdeu-se a semelhança com Deus, mas ficou a imagem. Pela fé em Cristo, o homem pode recuperar a semelhança perdida. Para ele, a história da salvação é um progressivo ensino apresentado por Deus ao homem no Evangelho. Irineu, como Justino Mártir, acreditava que Cristo reinará na Terra durante mil anos, e protestava veementemente contra as tentativas de alegorizar os textos milenaristas. Irineu criticou a doutrina gnóstica com o ensino da Sucessão Apostólica – se a gnose fosse verdadeira, os apóstolos teriam ensinado isto aos seuss sucessores. Os apóstolos, ele dizia, ensinara, a Regra de Fé (bem parecida com nossos Credos Apostólicos).

      Irineu escreveu, “A tradição dos Apóstolos é manifesta no mundo inteiro; e nós podemos reconhecer aqueles que foram, pelos apóstolos, ordenados bispos nas igrejas, e ver sua sucessão até nossa época. Se os apóstolos tivessem ensinado mistérios ocultos, eles os teriam passado aos outros, especialmente para aqueles de suas próprias igrejas. Porque eles queriam que esses homens fossem muito perfeitos e inocentes em todas as coisas, pois os estavam sucedendo, dando seu próprio governo a estes homens.”

      Irineu viu o batismo como o selo de vida eterna e do novo nascimento a Deus, pelo qual o Espírito Santo é dado. Ele escreveu, “… ele veio para salvar todas as pessoas; todos, eu quero dizer, são os regenerados por Ele a Deus: crianças, jovens e velhos” (já que por crianças ele quer dizer os nascidos de novo, parece ser uma referência ao batismo infantil). Para Irineu, a Eucaristia era a “nova oblação da Nova Aliança” oferecida por Deus ao mundo. Irineu não ligou a Eucaristia com a paixão de Cristo, como Justino fez, mas a via mais como uma oferta das primícias. Mas Irineu identificou o pão e o vinho com o corpo e o sangue de Jesus.

      Irineu acreditava que Maria não teve pecados. Também relata uma das mais antigas fontes da igreja comemorar o Pentecostes.

      Com respeito à divindade de Cristo, escreveu Irineu, “Os livros sagrados reconhecem com respeito a Cristo que como Ele é o Filho do homem, assim não é o mesmo Ser um [mero] homem; e como Ele é carne, assim é Ele também espírito, e a Palavra de Deus, e Deus.”

      “Mas já que seria muito longo enumerar em um volume como este as sucessões de todas as Igrejas, nós confundiremos todos esses que, de qualquer maneira, se por presunção ou vanglória, ou por cegueira e má opinião, ajuntam outros do que é normal, mostrando aqui as sucessões dos bispos da maior e mais antiga Igreja conhecida, fundada e organizada em Roma pelos dois grandes apóstolos, Pedro e Paulo, que Igreja tem a tradição e a fé que vem a nós vinda dos apóstolos. Pois é com esta Igreja, por causa de sua origem superior, é que todas as Igrejas têm que concordar, quer dizer, todo o crente no mundo inteiro; e é nela que o crente tem a tradição Apostólica em todos lugares.” (Contra as Heresias 3,3,2) .
      A última linha nesta passagem também pode ser traduzida, “Pois para esta Igreja, por causa de seu principado mais poderoso, é necessário que toda Igreja concorde; nesta Igreja sempre foi preservada a tradição dos apóstolos”. Isto expressa a idéia que a Igreja de Roma é unida em todos os lugares.

      Ele declara que Pedro tinha estado em Roma, e que Lino foi lá o primeiro bispo, ordenado por Pedro e Paulo.

      Irineu mencionou um grupo de gnósticos que honravam imagens e dá a impressão que o uso de imagens era relativamente desconhecido na Igreja em sua época. Ele afirmou que o charismata ainda eram ativo em sua época e notou que os demônios eram expulsos, o futuro predito, e havia muitas ressurreições de mortos. Refutando um uma das interpretações gnósticas das Escrituras, Irineu relata a Tradição que recebeu dos discípulos de João (e outros apóstolos) para o efeito que Jesus tinha quase cinqüenta anos quando ele foi crucificado.

      179 – conversão de Bardesanes (154-222) ao cristianismo. Infelizmente, ele foi influenciado pelos gnósticos e negou a Criação imediata por Deus do Universo e Satanás, apresentando assim uma série de seres intermediários. Bardesanes se tornou uma importante figura do gnosticismo sírio.

      O mandaeanismo se originou em alguma época durante os primeiros três séculos no oriente médio. Nesta religião, a salvação é conseguida pela própria pessoa, por conhecimentos esotéricos. Neste sistema, existem seres espirituais (Arcões) entre a alma e Deus. Nestes pontos, o mandaeanismo é semelhante ao gnosticismo. Ao contrário de muitos sistemas gnósticos, porém, eles proibiam a promiscuidade sexual e encorajavam o matrimônio. Os mandaeanos consideram Jesus um falso messias, mas tinham grande respeito por João Batista.

      180 – antes desta época, o Cristianismo estava estabelecido na África do Norte, como testemunhado em latim pelos Atos dos Mártires de Scillium, escritos por volta de 180.

      Rodon, sobre quem pouco é conhecido, escreveu obras contra os catafrígios e os Marcionitas.

      Teófilo, bispo de Cesaréia, atestou que as igrejas na Palestina e Alexandria observaram a Páscoa em um domingo – diferentes das igrejas na Ásia Menos (veja 190 abaixo).

      185 – Tertuliano (160-230) converte-se ao cristianismo. Se tornou montanista em ~200. Ele foi o primeiro teólogo cristão a escrever em latim. Em contraste com Irineu e Clemente de Alexandria, Tertuliano dizia que o útero de Maria foi aberto ao nascimento de Cristo e acreditava que isto estava profetizado em Ex. 13:2. Dizia que Maria teve relações sexuais normais com o José e que Jesus teve irmãos.

      Tertuliano acreditava que o 2º Mandamento contra imagens fundamental aos cristãos. Ele afirmava que algumas imagens eram inocentes e não ídolos – como a serpente de bronze que era o símbolo da cruz (Em Idolatria).

      Em uma carta escrita entre 200 e 206, Tertuliano falou contra o batismo infantil. Dizia que ele não era de origem apostólica. Ele dizia que não havia perdão dos pecados cometidos depois do batismo. Dizia que os solteiros deveriam ficar sem o batismo até se casarem; que deveriam ficar sem o batismo até a velhice; as viúvas e viúvos deveriam esperar até que se casassem de novo ou ficarem em continência.

      Do artigo batismo, da Enciclopédia Católica diz: “A imersão é sem dúvida muito antiga na Igreja e aparentemente de origem apostólica. É mencionada por Tertuliano (De cor. milit., iii), S. Jerônimo (Dial. Contra Luc., xxvii) e muitos outros escritores antigos”.

      Tertuliano acreditava no milênio literal que duraria 1000 anos literais, localizado na Nova Jerusalém que desceria do céu.

      Ele usou a frase “Vigário de Cristo”, mas a referência é ao Espírito Santo (Prescrição Contra os Hereges, Capítulo 28). Em referência a Mt.16, Tertuliano escreveu (op. cit., Capítulo 22), “Havia algo escondido do conhecimento de Pedro,chamado de ‘pedra na qual a Igreja deveria ser construída’, que tinha ‘as chaves do reino do céu’ e o poder de‘ligar e desligar o que há na Terra’? Havia qualquer coisa escondida de João, o discípulo mais amado doSenhor, que se apoiou em Seu peito e só a quem o Senhor revelou o traidor e também lhe recomendou os cuidados de Maria?” Veja que Tertuliano não fez nenhuma distinção entre Pedro e João em grau de conhecimento. Também não afirmou a supremacia de Pedro.

      Tertuliano ensinou que o Filho derivava a substância do Pai e que o Espírito procedia do Pai pelo Filho. Em uma obra contra um certo Praxeas, ensinou que o Pai, Filho e Espírito eram uma pessoa, descrevendo a Trindade como sendo “suscetível denúmero sem divisão”. Na mesma obra, Tertuliano dizia que o bispo de Roma (Victor) inicialmente “reconheceu osdons proféticos de Montano, Prisca e Maximilla” mas foi persuadido por Praxeas para seguir o exemplo do bispo anterior. Praxeas renunciou o patripassionismo, mas ele depois voltou a este erro.

      Em Prescrição Contra os Hereges, Tertuliano advertiu contra discutir Escritura com os hereges, porque eles nunca serão convencidos. O guia para a verdadeira interpretação, e a doutrina verdadeira, seria visto na transmissão da tradição apostólica pela Igreja.

      Em uma obra às vezes atribuída a Tertuliano, o autor identificou 25 de março como a data da crucificação de Jesus, declarando, de acordo com a cronologia de João, que a data também era 14 de Nisã.

      185 – Máximo, bispo de Jerusalém (185-196). Ele escreveu uma obra sobre a origem do mal.

      189 – Victor se torna bispo de Roma. Morreu em 199. Durante a posse de Victor, a controvérsia monarquista surgiu como uma revolta contra a teologia do Logos de Justino Mártir. Justino tinha ensinado que o Logos era “outro Deus”, significando “outro em número, não em objetivo”. Os cristãos tinham discutido contra os gnósticos que havia um único primeiro princípio, o criador Deus, um único monarca, mas a teologia do Logos prejudicou este argumento. Para evitar o diteísmo incipiente de Justino, Sabélio propagou a doutrina que o Pai e o Filho são um e o mesmo e a diferença está só no nome. A doutrina de Sabélio é às vezes chamada de modalismo, porque o Pai, Filho e Espírito são modos do mesmo ser. No Ocidente, foi chamada patripassionismo, que significa que o Pai sofreu os sacrifícios da cruz.

      190 – Victor exigiu conformidade das igrejas do Oriente sobre a data da Páscoa. Ele dizia que seu método para estabelecer a data para a Páscoa foi estabelecida por Pedro e Paulo. As igrejas da Ásia Menor consideraram isto autocrático e tomaram como ofensa. Polícrates (130-196), bispo de Éfeso, escreveu a Victor defendendo sua prática Pascal, citando o exemplo do evangelista Filipe, o apóstolo João, o bispo Policarpo e outros. Ele disse: “eu, portanto, irmãos, que vivi sessenta e cinco anos no Senhor e
      me encontrei com irmãos no mundo inteiro, e tenho praticado toda a Santa Escritura, não estou com medo de tais palavras. Paraesses maior que eu disse, ‘devemos obedecer Deus em vez do homem’”.

      Irineu de Lyon também escreveu a Victor: “E esses presbíteros que governaram a Igreja antes de Sotério, sobre os quais governas agora, eu quero dizer Aniceto [(155-66)] Pio [(140-55)], Higino [(136-40)] e Teléforo [(125-36)] e Xisto [(115-25)],nenhum deles observaram, nem permitiram que seus sucessores observassem…em nenhum momento eles lançaram qualquer coisa por causada forma. Mas esses mesmos presbíteros antes de vós que não observaram tal prática, praticavam a Eucaristia às Igrejas que não observavam. Equando o santo Policarpo foi para Roma, no tempo de Aniceto, tinham pouca diferença entre eles a respeito de vários assuntos. Igualmente, eles concordavam em tudo e não havia discussões. Pois nem
      Aniceto pôde persuadir Policarpo a não observar isto, porque ele sempre tinha praticado isto com João, o discípulo de nossoSenhor… e Policarpo nem persuadiu Aniceto para observar, que disse que ele ele praticava assim por causa dos presbíteros antes dele”.

      A distinção entre as igrejas que ‘observavam isto’ das que não observavam talvez pode se referir à prática de observar a Páscoa em um domingo: as igrejas na Ásia Menor observavam o dia 14 de Nisã como Páscoa, sem ter em conta em que dia da semana caia. A discordância está no significado preciso da palavra “observar”, de Irineu. Em uma interpretação dos eventos (proposto por Karl Holl em 1927), a Páscoa não foi observada sob qualquer forma ou em qualquer data em Roma no tempo de Aniceto (aproximadamente 155), mas foi introduzida em 165 quando Sotério foi bispo.

      190 – aproximadamente nesta época, Clemente de Alexandria presidiu a escola catequética de Alexandria e serviu lá até 203. Nasceu em 150. Morreu em 215. Clemente era um teólogo leigo. O princípio central de sua teologia dele era a doutrina da Criação. Já que a Criação era boa, Deus implantou as sementes da verdade em todas as criaturas. Portanto, havia muito para aprender dos filósofos gregos. Sua Stromata descreve os atributos dos gnósticos cristãos. Ele dizia que o casamento não é um estado espiritual inferior ao celibato, e rejeitou a idéia que todos os cristãos eram abstinentes ou vegetarianos. Em sua idéia, a Igreja é uma escola onde o pecador pode ser restaurado. Clemente viu a vida espiritual como um processo de educação sem fim que não termina com morte, e tudo precisaria ser purificado antes de entrar na presença de Deus. Clemente rejeitou as interpretações milenárias de Irineu e Justino. (De acordo com O Ano Cristão, de Gwynne, Clemente mencionou que o aniversário de Cristo era observado em sua época. Talvez fosse em 6 de janeiro, diferente do 25 de dezembro, cuja observância começou em Roma no quarto século.)

      192 – em uma obra por volta deste ano, Tertuliano mencionou a observância da vigília da Páscoa.

      198 – Zeferino se torna bispo de Roma. Morreu em 217. A controvérsia monarquista continuou. Hipólito se opôs a Sabélio com a doutrina que o Pai e o Filho são duas pessoas distintas. Calisto, um escravo livre e arquideão da igreja, tinha sido exilado para as minas de Sardenha entre 188 e 193. O imperador Cômodo (m.
      193), ao pedido de sua concubina cristã, Márcia, ordenou uma libertação geral de todos os cristãos exilados em Sardenha. Assim, Calisto retornou. (Nesses dias, a Igreja considerava o matrimônio concubinato contanto que a concubina cristã agisse como se fosse.) Talvez a pedido de Calisto, Zeferino tentou aproximar os monarquistas e os defensores da teologia do Logos. Ele disse: “eu conheço um Deus,Cristo Jesus, e a Seu lado não conheço nenhum outro que foi procriado e passível” e “o Pai não morreu mas sim o Filho”.

      Diz-se que Hipólito é o último teólogo romano a escrever em grego. A transformação do Ocidente do grego ao latim foi completada na época de Constantino. (Mas veja abaixo, ano 366.)

      Em sua Tradição Apostólica, escrita entre 215 e 217, nós lemos, “E primeiro batizai os pequenos; e se eles puderem falar, eles farão assim; se não, seus pais ou outros parentes falarão por eles. Então batizai os homens, e a última detodas as mulheres; elas têm que soltar os cabelos primeiro e colocar de lado qualquer enfeite de ouro ou ornamentos de prata quelevem: não deixe ninguém levar qualquer coisa estranha até a água com eles”. Isto indica a prática do batismo infantil em Roma, que talvez fosse por imersão.

      Hipólito também relatou a preparação dos candidatos ao batismo antes da Páscoa. Estas preparações foram a raiz da Quaresma. O batismo praticava-se imergindo a pessoa três vezes na água: uma imersão para o Pai, o Filho, e o Espírito Santo, seguindo uma confissão de cada um. A Confirmação era dada pelo bispo impondo as mãos na pessoa (enquanto ele invocava o Espírito Santo a encher os batizados) e a aplicação de óleo (crisma).

      A Tradição Apostólica mostra a influência de oração judaica no culto cristão. Talvez foi escrita para combater a fraca atenção de Zeferino a cerimônia tradicional. Hipólito comenta que seu arquiinimigo mortal Calisto e seus seguidores, pelo menos, praticavam à tradição apostólica.

      Que a Eucaristia não era entendido como mero simbolismo é vista em sua ordem para mantê-la longe dos animais e não-batizados. “Pois é o corpo de Cristo é para ser comido pelos que crêem e não pelos despreparados”.

      A Tradição Apostólica também contém referências para o sinal da cruz: “façais sempre com reverência o sinal em suas frontes. Pois o sinal da paixão age e se manifesta contra o diabo se fizeres com fé”. E declara que o bispo era “escolhido por todas as pessoas”.

      Hipólito defendeu o milenarismo. Em face à crescente reação contra esta doutrina em Roma, conduzida pelo padre Caio, Hipólito explicou que os mil anos de Ap. 20.2-5 não eram literais, mas eram símbolos do esplendor do reino.

      Em um comentário em Daniel, Hipólito disse que Jesus nasceu em uma quarta-feira, 25 de dezembro, no ano 42 do ImperadorAugusto (2 a.C.?). Ele identificou 25 de março como a data da crucificação de Cristo e acreditava que isto ocorreu em 14 de Nisã, segundo a cronologia de João.

      Hipólito também é o primeiro autor a declarar que Pedro tinha sido bispo de Roma. Seu Cronicon perdido é citado a este efeito por Eusébio.

      200 – Serapião (morreu ~211), oitavo bispo de Antioquia, escreveu que o Evangelho de Pedro deveria ser rejeitado nas terras que não tinham sido “passadas por nós”.

      200? – papiro 66: 2º de Bodmer, João, 1956, textos alexandrinos/ocidentais: Jo. 1:1-6:11, 6:35-14:26, 29-30; 15:2-26; 16:2-4, 6-7; 16:10-20:20, 22-23; 20:25-21:9 P46: 2º Chester Beatty, texto-tipo alexandrino: Rm. 5:17-6:3; 6:5-14; 8:15-25; 8:27-35; 8:37-9:32; 10:1-11:22; 11:24-33; 11:35-15:9; 15:11-16:27; 1Co. 1:1-9:2; 9:4-14:14; 14:16-15:15; 15:17-16:22; 2Co. 1:1-11:10; 11:12-21; 11:23-13:13; Gl. 1:1-8; 1:10-2:9; 2:12-21; 3:2-29; 4:2-18; 4:20-5:17; 5:20-6:8; 6:10-18; Ef. 1:1-2:7; 2:10-5:6; 5:8-6:6; 6:8-18; 6:20-24; Fl. 1:1; 1:5-15; 1:17-28; 1:30-2:12; 2:14-27; 2:29-3:8; 3:10-21; 4:2-12; 4:14-23; Cl. 1:1-2; 1:5-13; 1:16-24; 1:27-2:19; 2:23-3:11; 3:13-24; 4:3-12; 4:16-18; 1Te. 1:1; 1:9-2:3; 5:5-9; 5:23-28. Hb. 1:1-9:16; 9:18-10:20; 10:22-30; 10:32-13:25. P46 é notório pelos erros do copista. P32: Biblioteca J. Rylands: Tt. 1:11-15; 2:3-8 P64 (+67): Mt. 3:9,15; 5:20-22; 5:25-28; 26:7-8, 10, 14-15, 22-23, 31-33, P90: Jo. 18:36-19:1; 19:2-7 P98: Ap. 1:13-20

      Talve a liturgia foi traduzida ao siríaco e cóptico nesta época. Em contraste com o Ocidente, a prática Oriental foi sempre administrar o serviço da Igreja no vernáculo.

      Curtir

    • JAIME disse:

      Vou da aqui apenas 05 (cinco) argumentos a favor da Intercessão dos Santos

      1. Primeiro Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos:

      A INTERMEDIAÇÃO única de Jesus na REDENÇÃO do gênero humano não exclui a INTERMEDIAÇÃO entre nós, os vivos, e aqueles mortos, os Santos, que já estão na glória de Deus.

      1.1 – Argumento da Lógica humana

      Há um princípio da Lógica que diz: “A afirmação de uma coisa não implica a negação de outra”. A Bíblia diz que Jesus é o Único Intermediário de Redenção, mas não diz que é o único de INTERCESSÃO.

      Ora, se uma afirmação não exclui outra, ou seja, se é dito que Jesus é o único Intermediário de Redenção,

      Conclui-se que não se pode excluir outros tipos de INTERMEDIAÇÃO, tal como a INTERCESSÃO que há entre os vivos e os mortos perante o Senhor Deus.

      1.2 – Argumento da Lógica divina

      O Divino Espírito Santo inspirou São Paulo em 1 Tim 2, 5 a dizer: “… o Qual se entregou em Redenção por nós”.

      Ora, em nenhum lugar da Bíblia está dito, nem implicitamente, que a INTERMEDIAÇÃO para fins de Redenção exclui a INTERMEDIAÇÃO para outros fins tais como: um pedido aos santos ou a Maria para que INTERCEDAM junto ao Filho ou ao Senhor Deus em favor de um vivo.

      Portanto, se Jesus é o Único APENAS para Redenção, conclui-se que outros (inclusive Ele), vivos ou mortos, podem INTERCEDER por nós junto ao Senhor Deus.

      2. Segundo Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

      2.1 – Argumento da Lógica humana

      Tudo o que a mente humana é incapaz de abarcar mas que a Palavra de Deus nos REVELA através da Bíblia é verdade e é matéria de fé.

      Ora, o próprio Deus afirma que os santos que já estão vivendo na sua glória INTERCEDEM por nós que ainda estamos aqui na terra, na esperança da ressurreição.

      Portanto, os santos INTERCEDEM a Deus por nós ou nós podemos INTERCEDER aos santos em nosso favor.

      2.2 – Argumento da Lógica divina”E o Seenhor Deus me disse: ‘ainda que Moisés e Samuel se apresentem diante de mim, o meu coração não se voltaria para esse povo” (Jeremias 15, 1)

      Ora, se Deus reconhece que os mortos ou santos (no caso, Moisés e Samuel) podem INTERCEDER diante dele, embora assim não o tenham feito,

      Conclui-se, portanto, que, dentre os mortos, apenas os que estão na glória de Deus, não os que se condenaram ao inferno, podem INTERCEDER por nós e, de fato, INTERCEDEM.

      3. Terceiro Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

      3.1 – Argumento da Lógica humana

      O Senhor Deus, através de especial INTERCESSÃO dos Santos que já estão na sua glória (não dos mortos que se condenaram) concede favores a nós que ainda estamos aqui na terra.

      Ora, o Senhor Deus, numa deferência toda especial a Davi, que já era morto, mas que era, também, um Santo ainda aguardando a Redenção do gênero humano, promete favores a seu filho Salomão.

      Portanto, o Senhor Deus nos REVELA que existe a INTERCESSÃO dos Santos.

      3.2 – Argumento da Lógica divina

      “O Senhor Deus disse-lhe então: … vou tirar-te o reino e dá-lo a teu servo. Todavia, em atenção ao teu pai, Davi, não o farei durante a tua vida…” (1 Reis 11, 11-12).

      Ora, o Senhor Deus vai prestar um favor a um vivo (Salomão. O favor da não retirada do reino), em atenção a um morto, Davi, que estava aguardando a entrada no “Seio de Abraão” (Lucas 16, 22)

      Portanto, o Senhor Deus leva em consideração os pedidos e a INTERCESSÃO dos mortos (é claro, daqueles mortos que já estão junto a ele, ou seja, dos Santos)

      4. Quarto Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

      4.1 – Argumento da Lógica humana

      Outro princípio da Lógica Formal, afirma que todo aquele que vai julgar algo ou uma pessoa deve conhecer a matéria ou a pessoa a serem julgadas.

      Ora, os Santos, conforme dito na Bíblia, julgarão o mundo.

      Portanto, os Santos (que são nossos mortos que já desfrutam da glória de Deus), para julgarem, devem conhecer o mundo dos vivos.

      4.2 – Argumento da Lógica divina

      O Senhor Deus inspirou São Paulo em 1 Cor 6, 2: “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”.

      Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos.

      Portanto, os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.

      5. Quinto Argumento para a INTERCESSÃO dos Santos

      5.1 – Argumento da Lógica humana

      Os Santos são amigos de Jesus e Jesus tem muito gosto por seus amigos. Nós, os vivos, sabendo que o Senhor Deus gosta dos amigos de seu Filho (no caso, seus Santos), podemos usar o artifício de pedir a esses Santos que INTERCEDAM por nós junto ao seu amigão que é Jesus, mesmo porque, em nenhum lugar da Bíblia, está dito que os Santos não podem INTERCEDER.

      Ora, se Jesus atende a seus amigos e se não há nenhuma proibição do próprio Deus para isto,

      Conclui-se que o Senhor Deus gosta de que, não só peçamos a INTERCESSÃO de seus amigos, os Santos, como também Ele atende ao pedido de seus amigos.

      5.2 – Argumento da Lógica divina

      Nosso Senhor Jesus Cristo disse em Marcos 9, 40: “Pois quem não é contra nós, é a nosso favor”.

      Ora, não é contra Jesus nós, os vivos, dirigirmo-nos a seus amigos, os Santos, para lhes pedirmos uma INTERCESSÃO junto a Ele ou ao Pai.

      Portanto, Jesus, o único INTERMEDIÁRIO (de Redenção) entre nós e o Pai, gosta que seus amigos vivos e os Santos INTERCEDAM uns pelos outros.

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Jaime,

        muito bom seu comentário, mas sabe de uma coisa? Quando se trata da afirmação bíblica que diz que Jesus é o único mediador, se considerarmos verdade a analogia feita por Paulo sobre o Corpo Místico de Cristo, a lógica diz-nos também o seguinte:

        Se os que seguem a Jesus são parte integrante do Corpo onde Ele é a Cabeça, nós, o Corpo, somos parte de Cristo – que desse modo está em nós, como nós estamos nele. Sendo assim, Jesus é sim o Mediador, e seu Corpo Místico intercede também junto com Ele.

        Curtir

  8. Tiago disse:

    Ao Sr. Jaime

    Prezado, antes de me pronunciar sobre seu texto gostaria de dizer que é muito feio copiar e colar um texto inteiro e não citar sua fonte.
    Fiquei muito desconfiado do seu texto que mais parece uma “cartilha” e entao joguei as primeiras frases no google:
    “Convém fazer algumas distinções primeiras quanto aos nomes
    1) Cânon, do Grego Kanón = Regra, medida e catalogado…”

    e olha quantas fontes apareceram:
    1-http://santuariomeninojesus.org.br/include/arquivoPdf/Os%20Protestantes%20e%20os%20Livros%20Deuterocanonicos.pdf

    2-http://www.universocatolico.com.br/index.php?/o-protestantismo-e-os-livros-deuterocanonicos.html

    3-http://www.comdeus.org.br/formacao/teologica/sagrada-escritura.pdf

    Ou seja, voces só sabem copiar e colar e essas heresias vao se propagando pela internet e voces, como bem ensinados, certamente já conhecem o texto decorado. de có e salteado, para usar como defesa de vossa religião..

    Depois eu que sou o pesquisador de google né, Edmilson… me poupe.

    Antes de copiar e colar um texto, favor, cite a fonte de pesquisa!

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      TIAGO VOCÊ E SUAS LOROTAS, OLHA VIBRADOR SÓ MESMO A HELEN PRA AGUENTAR SUAS PAPAGAIADAS, OLHA EU TI DOU MIL FONTES HISTÓRICAS

      AGORA SE EU TI PEDIR A VOCÊ TENHO CERTEZA ABSOLUTA QUE VOCÊ NÃO ME DARÁ NENHUMA QUE APOSTAR?

      VAMOS FAZER A PROVA!

      E OUTRA PIADISTA OS APOLOGÍSTICAS CATÓLICOS SÃO UNIDOS
      POIS FORAM FEITO PARA DESMASCARÁ PIADISTAS COMO VOCÊ

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      Tiago vi o seu site é só heresia e piadas chulas estorinhas plagiadas e adulteradas olha Tiago coloca na sua cabeça herege que Jesus e os apóstolos utilizaram a Septuaginta (LXX) (Deuterocanônicos)!!! Agora os judeus, para contrariarem Cristo, ficaram com a bíblia hebraica. E Calvino arrancou os 7 livros do AT.

      OLHA TIAGO VOCÊ NÃO CONHECE A PATRÍSTICA E MUITO MENOS A HISTÓRIA PRIMITIVA

      O QUE VOCÊ CONHECE SÃO DOUTRINAS HERÉTICAS E FALSAS
      ESSES SITES PROTESTANTES QUANDO FALA DE PATRÍSTICA E HISTÓRIA 99,99 POR CENTO É FALSIFICAÇÃO BARATA

      TIAGO A SEITA PROTESTANTE NÃO TEM IDENTIDADE COLOCA ISSO NA SUA CABEÇA

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      Tiago você está se passando de ridículo e ao mesmo tempo piadista.

      Olha não é verdade que todos os livros do Antigo Testamento que os protestante consideram como canônicos são citados no Novo Testamento.

      Olha piadista existem vários livros que não tem nenhuma citação.
      Por exemplo, o Novo Testamento não cita os livros de Juízes, Rute, Esdras, Neemias, Abdias, Naum, Ester, Cântico dos Cânticos, ou Eclesiastes.[1] A ausência de Ester, Cântico dos Cânticos e Eclesiastes, é de interesse e particular que desde que os rabinos judeus, bem nos dois primeiros séculos cristãos, ainda debatiam sobre seus status de inspiração.

      Por este motivo, os estudiosos às vezes se referem a eles como livros marginais”, uma vez que parecem ser os últimos livros a fazerem parte definitivamente no cânon rabínico. A este respeito, H.E. Ryle destaca-se:

      Os três livros ‘disputados’, Ester, Cântico dos Cânticos, e Eclesiastes, não recebem nenhum apoio do Novo Testamento, seja por citação, ou por alusão, para terem o seu lugar entre as Escrituras canônicas. Por outro lado, seria temerário inferir que seus conteúdos não sendo mencionados ou referidos, que os escritores do Novo Testamento não os consideram como canônicos.”[2]

      De acordo com Ryle, a falta de uma citação (ou mesmo uma alusão) para um livro do Velho Testamento não exclui de fato a possibilidade de sua inclusão no cânon. Caso contrário, os livros de Ester, Cântico dos Cânticos e Eclesiastes seriam rejeitados também. Uma vez que o Novo Testamento não replica o cânon protestante do Antigo Testamento, este argumento se torna nulo.

      O fato da questão é que a falta de citações não fornece evidência de que o Novo Testamento rejeitou o status canônico de um determinado livro, assim como apenas uma citação não afirma canonicidade de um livro.[3] Na melhor das hipóteses, o uso de citações (ou a falta de citações) argumenta apenas em cima de probabilidade e como FF Bruce observa: “Argumentos de probabilidade são ponderados diferentemente por juízes diferentes”.[4] Nada definitivo pode ser concluído a partir da ausência de uma citação, uma vez que é impossível determinar se ele foi deliberadamente omitido ou que o escritor simplesmente não encontrou uma ocasião para incluí-lo em seu livro. No entanto temos diversas passagens em que os deuterocanônicos são citados pelos autores do Novo Testamento, a baixo temos as mais claras referências:

      Tobias

      Atos 2, 1, I Cor 16, 8 → Tobias 2, 1;

      Apocalipse 8, 2-5 → Tb 12,12-15;

      Tobias 13, 16-18 → Apocalipse 21, 18-21

      Judite

      I Coríntios 2, 9-11 → Judite 8, 14;

      I Cor 10, 10-12 → Judite 8, 23-26;

      I Macabeus

      João 10, 22-23 → I Macabeus 4, 59;

      Apocalipse 6, 10 → I Macabeus 6, 22;

      Gálatas 1, 4, I Timóteo 2, 6, Tito 2, 14 → Macabeus 6, 44;

      II Macabeus

      Hebreus 11, 35 → II Macabeus 7, 13-14;

      Atos 2, 1, I Cor 16, 8 → Macabeus 12, 31;

      Baruc

      Baruc 3, 28-30 Romanos 10, 5-6

      Baruc 4, 37 Mateus 8, 11

      Sabedoria

      Sabedoria 9, 9 → João 1, 1-3

      Sabedoria 7, 21 → João 1, 3

      Sabedoria 6, 18 → João 14, 15

      Sabedoria 7, 26; 18, 3-4 → João 8, 12; 1, 9).

      Sabedoria 7, 30 → João 1, 5

      Sabedoria 9, 9 → I Coríntios 2, 7

      Sabedoria 6, 11 → I Coríntios 2, 9

      Sabedoria 3, 6 → I Coríntios 3, 12-15

      Sabedoria 7, 26 → Hebreus 1, 3

      Sabedoria 2,13-20 → Lucas 23,35.37.39; Marcos 14,61.65; Marcos 15,15.19-20; Marcos 15,30-31

      Sabedoria 4, 19 → Atos 1, 18

      Eclesiástico

      Eclesiástico 1, 1-4 → João 1, 1-2

      Eclesiástico 24, 6-7 → Mateus 8, 20; Lucas 9, 58

      Eclesiástico 15, 7-9 → João 1, 11

      Eclesiástico 15, 3; 24, 21 e 29, 21 → João 6, 35

      Eclesiástico 6, 26 → João 14, 6

      Eclesiástico 6, 27-29; Eclesiástico 51, 34 → Mateus 11, 29-30

      Eclesiástico 11, 18-20 → Lucas 12, 16-21

      Eclesiástico 24, 44-45 → I Pedro 3, 18-20; I Pedro 4, 6

      Eclesiástico 1, 5 → João 1, 1; Apocalipse 19, 13

      Eclesiástico 28, 25-26 → Tiago 3, 5-6

      Enfim Tiago alguns podem argumentar que os Doze Profetas Menores sempre foram considerados como um bloco de escritos, portanto, os status inspiração de Obadias e Naum são assegurados por outras citações dos Profetas Menores.

      A edição vigésima sexta da Nestle-Aland grego do Novo Testamento (Eberhard Nestle et al, eds, novembro Testamentum Graece, 26 ed (Stuttgard:… Deutsche Bibelstiftung, 1979), 739-75) omite as citações dos livros citados de Juízes, Cântico dos Cânticos, Rute, Lamentações e Ester. Grego das Sociedades Bíblicas Unidas “Novo Testamento (Kurt Aland, et al, eds, do Novo Testamento grego, 3 ª ed (Nova Iorque, Londres, Edimburgo, Amsterdã e Stuttgard:…. Sociedades Bíblicas Unidas, 1975), 897 -900) também incluiu os livros de Josué, o Eclesiastes, Esdras, Neemias e os livros das Crônicas.

      [2] Herbert Edward Ryle, O Cânon do Antigo Testamento: Um Ensaio sobre o crescimento gradual e a Formação do Cânon hebraico das Escrituras, (London: Macmillan and Co. Limited, 1904), 162 (grifo meu)

      [3] Ver, McDonald, 98-99

      [4] FF Bruce, o cânon das Escrituras (Downers Grove, Illinois: Intervarsity Press, 1988), 41

      Curtir

    • JAIME disse:

      Tiago são mentiras você vim dizer que esses livros não estavam na bíblia e de que não eram citados e usados por Jesus e os apóstolos, vocês hereges apresentam sempre uma tentativa frustrada de defender a mutilação satânica de suas bíblias, vocês dizem que usam o Cânon Hebraico e que nesse cânon Hebraico não existe tais livros;

      Tiago isso seria o mesmo que um Cristão qualquer recém convertido pegasse uma bíblia protestante hoje e afirmasse que a bíblia protestante sempre teve 66 livros,

      desconsiderando que até o século XIX todas as bíblias protestantes continham os 73 livros e só após o terceiro séculos da reforma protestante a sociedade bíblica internacional retirou os 7 livros,

      Tiago tanto que é verdade que até hoje a versão protestante KING JAMES contem 73 livros.

      Sinal que nem sempre a bíblia protestante conteve apenas 66 livros. da mesma forma acontece com o cânon Hebraico, realmente hoje esse Cânon não contem os 7 livros deuterocanonicos, isso não quer dizer que sempre ele esteve dessa forma, os Hebreus no inicio do I século eram divididos entre 3 Seitas principais onde cada seita tinha uma idéia diferente sobre cânon.

      Fariseus (aceitavam todos os livros que existiam na biblioteca judaica como sendo inspirados).
      Saduceus (aceitavam apenas os cinco livros de Moises.)
      Essênios (aceitavam a septuarginta mais seus escritos particulares como salmos sectares.)

      Podemos ver quer em Israel nunca existiu um Cânon definido do AT, o único lugar no mudo que existia tal Cânon era na biblioteca de Alexandria onde 72 judeus sábios traduziam para o grego apenas o que realmente era canônico, esse cânon foi chamado de septuarginta que por sinal era usado pelos essênios seita no qual João Batista se formou, também foi usado pelos apostolo para levar o evangelho ao mundo gentílico já que na palestina os Cristãos pouco tinham acesso as escrituras Hebraicas.

      Mas voltando ao assunto do Cânon hebraico, quando ele foi definido exatamente:

      A resposta é simples; ele foi definido no chamado sínodo de jamnia que foi realizado no fim do século I e no inicio do século II, praticamente 70 anos depois da morte e ressurreição de Cristo.

      “Concílio de Jamnia foi o nome dado a um concílio que teria sido realizado no final do primeiro século sob a liderança do rabino Yochanan ben Zakai.O chamado Concílio de Jâmnia, realizado nos finais do século I d.C e inicio do II d.C, destinou-se a procurar um rumo para o judaísmo, após a destruição do Templo de Jerusalém, no ano 70 d.C. Nesse concilio os participantes decidiram considerar como textos canônicos do judaísmo apenas os que existiam em língua hebraica e que remontassem ao tempo do profeta Esdras.Apesar de a crítica moderna afirmar que vários livros que constam no Cânon Hebraico são posteriores ao tempo de Esdras (como é o caso do Livro de Daniel), os estudiosos explicam que os Fariseus não dispunham do método científico que existe hoje para se datar uma obra, ou mesmo para se atribuir a ela um autor. De qualquer forma, os critérios por eles adotados excluíram os livros deuterocanônicos do Cânon Hebraico farisaico, bem como evidentemente não aceitaram o Novo Testamento, pois uma tese para a realização desse concílio foi combater a Cristandade. Os judeus alexandrinos, representados hoje pelo judaísmo etíope e judaísmo egípcio , reconhecem a Septuaginta como inspirada e os livros deuterocanônicos.

      A preponderância do cânon de Jâmnia no Judaísmo moderno se deu pelo fato de os judeus da Europa, majoritários em Israel, seguirem esta tradição em detrimento da alexandrina. O (Concílio de Jâmnia não contou com a participação dos rabinos de Alexandria por razões de ordem político-teológica) e preconceituosa, por acharem eles inferiores aos rabinos habitantes da Terra Santa.As descobertas do Mar Morto e Massada mostram que entre os antigos judeus ainda não havia um cânon bíblico fixo ou instituído, pois o cânon da Septuaginta era usado entre os judeus de Israel e mesmo pelos Apóstolos / Discípulos de Cristo ao seu tempo; também após a morte dos apóstolos, os cristãos utilizaram-se desse cânon continuamente.

      O Cânone Hebraico de 39 livros, não foi realmente fixado em definitivo no Concílio de Jâmnia no inicio do século II. Como afirmam vários estudiosos, assim estudiosos como Leonard Rost garante que tais decisões demoraram muito para serem aceitas e até hoje não tiveram aceitação em algumas comunidades judaicas; como o caso dos judeus da Etiópia e do Egito.O Concílio de Jâmnia rejeitou vários livros (e livros canônicos pelos cristãos como Ester, Cântico dos Cânticos e Daniel, entre outros, conforme registro da Mishná) e demais escritos tradicionais, considerando-os como apócrifos (Ou seja: não admitindo serem obras inspiradas por Deus, pois indignas de fé sobrenatural em suas composições). Houve muitos debates acerca da aprovação de inúmeros outros livros. A tese de que o trabalho desse Concílio foi apenas ratificar aquilo que já era aceito por todos os judeus através dos séculos, carece de fundamento científico e é rejeitada por quase todos os especialistas católicos, protestantes, ortodoxos ou judeus (da diáspora).”
      Tiago Pelos visto, eu creio que vocês protestantes fecham os olhos para verdade de que seu Cânon foi definido pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo a morte e que perseguiam severamente os Cristãos, assim sendo esse Cânon utilizado por vocês protestantes foi definido para negar Jesus Cristo e o Novo Testamento,

      pois todo o Cânon possui suas regras para seu estabelecimento, sendo assim os protestantes se utilizando do Cânon farisaico coerentemente teriam que aceitar suas regras de estabelecimento e para tristeza dos protestantes essas regras não permitem que o NT seja incluído junto com o AT.
      As regras são:
      O livro não poderia ter sido escrito fora do território de Israel.
      O livro não poderia conter passagens ou textos em aramaico ou grego, mas apenas em hebraico.
      O livro não poderia ter sido redigido após a época de Esdras (458-428 aC).
      O livro não poderia contradizer a Lei de Moisés (Pentateuco).
      Vejam bem meus irmãos católicos, segundo essas regras utilizadas para o estabelecimento do Cânon farisaico, jamais os protestantes poderiam acrescentar o Novo Testamento pois as três primeiras regras contraria tanto os 7 livros como o Novo Testamento.
      Tanto os 7 livros quanto o NT foram escritos fora de Israel.
      Tanto os 7 livros quanto o NT foram escrito fora da língua Hebraica.
      Tanto os 7 livros quanto o NT foram escritos depois de Esdras.
      Resumindo tudo que vocês protestantes deixaram de seguir o Cânon usado por João Batista, Jesus e os apóstolos para seguir o Cânon editado pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo e perseguiam os Cristãos, cujas regras desse Cânon foram feitas para não aceitar o Novo Testamento.

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      TIAGO POBRE TIAGO! VOCÊ AINDA CONTINUA LENDO FABULAS PROTESTANTES?
      EU JÁ TI DISSE MEU HEREGE, PESQUISE NAS FONTES DOS OCORRIDOS DOS FATOS SE NÃO VOCÊ CONTINUARÁ LEIGO MENTIROSO E FRAUDULENTO COMO TODA SATÂNICA SEITA PROTESTANTE QUE NEM 500 ANOS TEM INDA!
      VEJA SUA CONTRADIÇÃO TIAGO
      OLHA A INSPIRAÇÃO DOS 7 LIVROS DEUTEROCANONICOS.
      Tiago nesse estudo eu usarei vários tópicos onde eu já desmascarei milhares de heresias e mentiras que vocês os conhecidos hereges protestantes inventaram ao longo do tempo sobre os 7 livros duterocanonicos;
      E mais Tiago essas mentiras são facilmente refutadas com a própria bíblia, pois ela mesma declara que tais livros são totalmente inspirados e era usados por Jesus Cristo e seus discípulos em uma época que não havia um Cânon definido e nem uma quantidade de livros estabelecidos.
      Assim você Tiago e todas as seitas protestantes foram inventando varias mentiras ao logo do tempo, tentando assim sustentar essa heresia maligna de ter mutilado a Bíblia sagrada.
      Olha a farsa sua e de todas as seitas protestantes.
      1ª) Sete livros foram acrescentados no concilio de Trento 1546.
      2ª) Os Sete livros estavam na bíblia, mas não eram canônicos.
      3ª) Os sete livros não eram usados por Jesus e os Apóstolos.
      4ª) O cânon Hebraico nunca conteve tais livros apócrifos.
      5ª) Existiu um período Inter-bíblicos entre Malaquias e Jesus Cristo.
      Bem Tiago , após ter acabado com todas as mentiras inventadas ao longo do tempo sobre o cânon Bíblico, vou acaba de uma vez por todas com as mentiras inventadas sobre cada um dos 7 livros, assim Tiago eu ti provarei que não há contradição e muito menos os “supostos” erros doutrinais que vocês os conhecidos hereges protestantes juram existir, assim todos o leitores do site da ecclesia militans perceberão que esses “supostos” erros e contradições existem em todos os livros bíblicos, que por justiça também deveriam ter sido retirado por esses hereges
      Até por que Tiago dentro do cânon bíblico não se pode existir dois pesos e suas medidas; Vamos começar:
      O seu primeiro erro Tiago está no fato de trata tais livros como como Macabeus de “apócrifos”, Tiago vocês hereges nem sabe o que realmente significa a palavra “apócrifa”;
      Apócrifa significa (livros não públicos) sendo os canônicos livros públicos e os apócrifos livros não publico, ou seja, livros que não foram catalogados pelos os bispos da igreja católica em seu cânon oficial para ser usado em sua liturgia diária.
      E mais Tiago vocês hereges ligam esse nome a livros “ocultos” como se esse oculto significado algum tipo de mentiras ou ocultismo em tais livros, infelizmente isso não tem nada haver com a tese protestante o “oculto” tem o significado de “não publico” só isso e mais nada.
      Agora tais livros apócrifos mesmo não estando catalogado como livros públicos “canônicos” possuem total teor de informação e muitos São Clemente por exemplo.
      Agora Tiago os 7 livros “deuterocanonicos” do Antigo Testamento e os deuterocanincos do Novo Testamento jamais foram catalogados como apócrifos em algum momento da historia Bíblica, desde que o Cânon Bíblico passou a existir todos os deuterocanonicos sempre foram catalogados como livros canônicos, ou seja, “livros públicos”.
      Sendo assim Tiago a primeira heresia protestante está no fato de chamar tais livros como apócrifos.
      Mas vamos agora passar para todos os livros deutorocanonicos e assim mostra que todos os “supostos” erros desses livros jamais existiram.
      Podemos encontrar tais calunias em sites satânicos como:
      http://uncaosemlimites.blogspot.com/2009/09/as-heresias-dos-livros-apocrifos.html
      http://www.iebivars.hpg.ig.com.br/iebi_artigos/apocrifos/apocrifos8.html
      http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-InspiracApologetCriacionis/PorqueRecusamosApocrifos-DefesaFeICP.htm
      Bem, na verdade um copia do outro pois no protestantismo ninguém tem capacidade para de ler e produzir seus próprios argumentos.

      Curtir

      • Tiago disse:

        Edmilson e demais “cegos espirituais”

        Vou responder neste comentário exclusivamente sobre os DEUTEROCANONICOS para acabar de vez com esta farsa de que eles foram inspirados por Deus e provar que eles são APÓCRIFOS.

        E com esta voces nao contavam… por que lá vem as bombas! OS PRÓPRIOS DOUTORES CATÓLICOS DA ÉPOCA REJEITARAM TAIS LIVROS APÓCRIFOS.

        Helen, voce com certeza nos teus estudos histórios já ouviu falar de JERONIMO nao é mesmo? Trata-se do Primeiro Doutor da Igreja católica que traduziu a Biblia do grego antigo e do hebraico para o latim, logo merece TODA CREDIBILIDADE.
        (atenção para o destaque em caixa alta)

        Veja, Helen o que Jeronimo disse sobre os deuterocanônicos:

        “Este prólogo, como vanguarda (principium) com capacete das Escrituras, pode ser aplicado a todos os Livros que traduzimos do Hebraico para o Latim, de tal maneira que possamos saber que tudo quanto é separado destes deve ser colocado entre os Apócrifos. Portanto, a SABEDORIA COMUMENTE CHAMADA DE SALOMÃO, o livro de Jesus, filho de Siraque, e JUDITE E TOBIAS e o Pastor [supõe-se que seja o Pastor de Hermas], NÃO FAZEM PARTE DO CÂNON. Descobri o Primeiro Livro de Macabeus em Hebraico; o Segundo foi escrito em Grego, conforme testifica sua própria linguagem” (“Prologus Galeatus”)

        Reveja seus estudos Helen, e volte-se para o Doutor da igreja católica Jeronimo e se convença de uma vez por todas que os livros apócrifos da bíblia católica NÃO FAZEM PARTE DO CÂNON. E como você deve saber, os livros Cânone Bíblico contém evidências de revelações DIVINAS.

        Vejam Helen outras citações do famoso Jerônimo:

        Note a clareza das palavras que categoricamente afirma que os Deuterocanonicos não podem estabelecer doutrinas da sua Igreja por não serem canonizados!

        “E assim da mesma maneira pela qual A IGREJA LÈ JUDITE E TOBIAS E MACABEUS (no culto público), MAS NÃO OS RECEBE NAS ESCRITURAS CANÔNICAS, assim também sejam estes dois livros úteis para a edificação do povo, MAS NÃO PARA ESTABELECER AS DOUTRINAS DA IGREJA” (“Prefácio dos Livros de Salomão”)

        Note a falta de credibilidade dos livros Deuterocanoninos da sua Biblia!!

        “Para os católicos, os apócrifos são certos livros antigos, semelhantes a livros bíblicos, quer do N.T, quer do V.T, o mais das vezes atribuídos a personagens bíblicos, MAS NÃO INSPIRADOS, como os livros canônicos,E NEM ESCRITOS POR PESSOAS FIDEDÍGNAS NEM DE DOUTRINA SEGURA” (Introdução Geral a Vulgata Latina, p.9)

        Note aqui novamente, a falta de AUTORIDADE dos deuterocanonicos para confirmar doutrina!

        “Como a Igreja lê os livros de Judite e Tobite e Macabeus, MAS NÃO OS RECEBE ENTRE AS ESCRITURAS CANÔNINAS, assim também lê Sabedoria e Eclesiástico para a edificação do povo, NÃO COMO AUTORIDADE PARA A CONFIRMAÇÃO DA DOUTRINA” (Prefácio aos Livros de Samuel e Reis. Em Nicene and Post-Nicene Fathers, 2nd Series, vol. 6, p. 489-490)

        Edmilson, você também deve ter ouvido falar de RICARDO DE SÃO VITOR não é mesmo? Veja aqui o que ele fala sobre os livros apócrifos da sua bíblia:

        “Os livros apócrifos de Sabedoria, Eclesiástico, Tobias, Judite e os Macabeus, apesar de autorizados para a leitura na Igreja, NÃO FORAM RECEBIDOS COMO CANÔNICOS” (Ricardo de São Vítor, Tractatus Exceptionum: Qui continet originem et discretionem artium, situmque terrarum, et summam historiarum; distinctus in quatuor libros. Livro II, Capítulo IX. De duobus Testamentis)

        Edmilson, leigo, RUPERT DE DEUTZ também confirma abaixo o que os outros Doutores da SUA Igreja falaram anteriormente:

        “O livro de Sabedoria não é canônico” (Rupert de Deutz, Comentário em Gênesis, Livro III, Capítulo 31)

        Veja, estude também, edmilson, sobre WILLIAM DE OCKHAM e veja outra BOMBA que ele revela sobre os Apócrifos:

        “De acordo com Agostinho, como é mantido em Distich IX em vários capítulos, A Sagrada Escritura deve ser estabelecida antes das letras e escritos de todos os bispos e outros. Assim como temor e honra devem ser oferecidos aos escritores sagrados da Bíblia, de forma que não se creia que eles erraram em nada, tal temor e honra não deve ser oferecido a ninguém além deles. De acordo com Jerônimo no prólogo aos livros de Provérbios e Gregório na Moralia, OS LIVROS DE JUDITE, TOBIAS E MACABEUS, ECLESIÁSTICO E SABEDORIA NÃO DEVEM SER TOMADOS PARA CONFIRMAR QUALQUER ELEMENTO DE FÉ. POIS JERONIMO DIZ, COMO DIZ GREGÓRIO: A IGREJA LÈ OS LIVROS DE JUDITE, TOBIAS E MACABEUS, MAS NÃO ACEITAM ELES ENTRE AS ESCRITURAS CANÔNINCAS.” (Guillelmus de Occam O.F.M., Opera Plurima (Lyon, 1494-1496)

        Segura essa aqui também, Edmilson, CARDEAL CAJETANO, falando a mesma coisa que os outros mestres do Catolicismo:

        “Aqui fechamos nossos comentários dos livros históricos do Velho Testamento. SOBRE O RESTO,(ou seja, Judite, Tobias e os livros de Macabeus) SÃO CONTADOS POR SÃO JERÔNIMO FORA DOS LIVROS CANÔNICOS, E SÃO COLOCADOS JUNTOS COM OS APÓCRIFOS, JUNTO COM SABEDORIA E ECLESIÁSTICO, COMO SE DEIXA CLARO NO PROLOGUS GELEATUS. Não fique perturbado, como um estudioso novato, se você encontrar em qualquer lugar, ou nos sagrados concílios ou sagrados doutores, estes livros reconhecidos como canônicos. Pois as palavras bem como os concílios bem como doutores devem ser reduzidos à correção de Jerônimo. Agora, segundo seu julgamento, na epístola aos bispos Cromácio e Heliodoro, estes livros (e qualquer outro livro igual no cânon bíblico) não são canônicos, ou seja, NÃO POSSUEM A NATUREZA DE UMA REGRA PARA CONFIRMAR QUESTOES DE FÉ. Com a ajuda desta distinção você pode ver seu caminho claramente através do que Agostinho diz, e pelo que está escrito no concílio provincial de Cartago” (Cajetano, Comentário em todos os autênticos Livros Históricos do Velho Testamento, no ultimo Capítulo de Esther)

        Segura Edmilson outra noticia BOMBASTICA, do Doutor GREGÓRIO, O GRANDE sobre os deuterocaninicos não canonizados:

        “Com referência a qual particular nós não estamos agindo de forma irregular, se dos livros, APESAR DE NÃO CANONICOS, ainda trazidos para a edificação da Igreja, nós trouxermos testemunho. Assim Eleazar na batalha golpeou e derrubou um elefante, mas caiu debaixo da própria besta que matou (1 Macabeus 6.46)” (Fonte: http://www.lectionarycentral.com/GregoryMoralia/Book19.html)

        Jaime agora também pegue outra BOMBA sobre o assunto: RADULFO FLAVICÊNCIO que tira a AUTORIDADE dos livros deuterocanonicos:

        “Nas Sagradas Escrituras, há quatro tipos de discurso: histórico, profético, proverbial e simples. História está relatando fatos passados, como nos cinco livros de Moisés. Nisto, apesar dos temas a respeito dos quais são escritos estarem cheios de figuras, não obstante o legislador declara estas coisas serem ordenadas pelo Senhor, ou cumpridas por ele mesmo ou seu povo. Da mesma forma, os livros de Josué, Juízes, Rute, Reis, Crônicas, Esdras, Ester, os quatro Evangelhos e os Atos dos Apóstolos pertencem à história sagrada. DE TOBIAS, JUDITE E MACABEUS, APESAR DELES SEREM LIDOS PARA A INSTRUCAO DA IGREJA, NO ENTANTO NÃO POSSUEM COMPLETA AUTORIDADE” (Radulfo Falvicêncio, Comentário em Levítico, Prefácio ao livro XIV)

        Cansaram nas noticias bombásticas? então vem mais, Jaime. Leia JOÃO DE SALISBURY:

        “E assim eu fico feliz de tomar para você as questões propostas, e respondê-las, com permissão feita para minhas presentes oportunidades e tarefas urgentes, não como eu deveria, mas tão bom quanto eu puder por enquanto. As questões foram: qual você acredita ser o número dos livros do Velho e Novo Testamento, e quem são seus autores… Sobre o número dos livros eu me encontrei lendo diversas e numerosas opiniões dadas pelos pais; e ASSIM EU SIGO JERÔNIMO, PROFESSOR DA IGREJA CATÓLICA, de quem eu mantenho ser a testemunha mais segura em estabelecer a base da interpretação literal. Assim como é aceito que há vinte e duas letras no alfabeto hebraico, assim acredito sem sombra de dúvidas que há vinte e dois livros no Velho Testamento, divididos em três categorias” (Letters of John of Salisbury, W.J. Millor S.J. e C.N.L. Brooke, editores – Oxford: Clarendon, 1979 -, Carta 209, páginas 317, 319, 321, 323, 325)

        Aguente você também Jaime, essa realidade bombástica vinda de HUGO DE SÃO VÍTOR:

        “A primeira subseção do Velho Testamento é a lei, que os hebreus chamam de thorath, contém o Pentateuco, que são os cinco livros de Moisés. Nesta subseção o primeiro é Beresith, que é Gênesis; segundo Hellesmoth, que é Êxodo; terceiro é Vagethra, que é Levítico; quarto Vagedaber, que é Números; quinto Elleaddaberim, que é Deuteronômio. A segunda subseção é a dos profetas e contém oito textos. O primeiro é Bennum, que é, Filho de Nun, que é chamado de Josué e Jesus e Jesus Nave.O Segundo é Sathim, que são os Juízes; terceiro Samuel, que é primeira e segunda Reis; quarto Malaquias, que é terceira e quarta Reis; quinto Isaías; sexto Jeremias; sétimo Ezequiel; oitavo Thereasra, que são os doze profetas. A terceira subseção tem nove livros. Primeiro é Jó, segundo Davi, terceiro Masloth, que em grego é Parabolae mas em latim é Provérios, isto é de Salomão; quarto Coeleth, que é Eclesiastes; quinto Sirasirim, que é o Cântico dos cânticos; sexto Daniel, sétimo Dabreiamin, que são as Crônicas; oitavo Esdras; nono Ester. Todos eles se somam vinte e dois. Além disto, HÁ OUTROS LIVROS , TAIS QUAIS A SABEDORIA DE SALOMAO, o livro de Jesus filho de Siraque, E O LIVRO DE JUDITE, TOBIAS E O LIVRO DOS MACABEUS QUE SÃO LIDOS MAS NÃO SÃO CONSIDERADOS NO CÂNON. A estes vinte e dois livros do Velho Testamento… Então os escritos dos santos pais, que são Jerônimo, Agostinho, Ambrósio, Gregório, Isidório, Orígenes, Beda e os outros doutores, que são incontáveis. Estes escritos patrísticos não são contados no texto das Santas Escrituras, assim como no Velho Testamento, como temos dito, HÁ CERTOS LIVROS QUE NÃO ESTAO INSCRITOS NO CÂNON E AINDA SÃO LIDOS, COMO A SABEDORIA DE SALOMÃO, ETC. E assim o texto das Sagradas Escrituras, como um corpo inteiro, é principalmente contido em trinta livros, vinte e dois destes são reunídos no Velho e oito no Novo Testamento” (Hugo de São Vítor, De Scripturis et Scriptoribus Sacris)

        Pra finalizar, Rafael, fique com a ultima BOMBA, de ANTONINO que seguiu o mesmo pensamento dos grandes Doutores da ICAR:

        “Os judeus,… de acordo com Jerônimo em seu prólogo Galeatus… criaram quatro divisões dos livros do Velho Testamento. A primeira eles chamam de Lei… a segunda de Profetas,… a terceira de Hagiografia,… a quarta (que os judeus não colocam no cânon das Escrituras Sagradas mas chamam de Apócrifos) eles fazem com os outros cinco livros, a saber, Sabedoria, Eclesiástico, Judite, Tobias e Macabeus, que é dividido em dois livros; A RESPEITO DESTES CINCO LIVROS JERÔNIMO DIZ EM SEU PRÓLOGO A JUDITE, QUE SUA AUTORIDADE É JULGADA MENOS QUE APROPRIADA PARA FORTALECER AQUELAS COISAS QUE VIEREM EM DISPUTA… E TOMÁS DIZ A MESMA COISA NA Secunda secundae, e NICOLAS DE LYRA EM TOBIAS, A SABER, QUE ELES NÃO POSSUEM TAL AUTORIDADE, QUE NÃO SE PODE SER ARGUMENTADO DE SUAS PALAVRAS O QUE PERTENCE À FÉ, COMO OUTROS LIVROS DAS ESCRITURAS SAGRADAS. DAÍ, TALVEZ, ELES POSSUEM TANTA AUTORIDADE QUANTO AS PALAVRAS DOS SAGRADOS DOUTORES APROVADOS PELA IGREJA” (Sancti Antonini, Archiepiscopi Florentini, Summa Theologica, In Quattuor Partes Distributa, Pars Tertia, Tit xviii, Cap vi, Sect 2, De Dilatatione Praedicationis, Col 1043-1044)

        Todos agora estão convencidos de que os livros Deuterocanonicos não são fruto da inspiração Divina e por este motivo não foram canonizados pela Igreja?

        Provei baseado pelos ANTIGOS DOUTORES da vossa ICAR que os livros apócrifos deuterocanonicos NÃO POSSUEM AUTORIDADE PARA CONFIRMAR DOUTRINA, NÃO FORAM INSPIRADOS POR DEUS E POR ESTE MOTIVO NÃO CONSTAM NO CÂNON BÍBLICO.
        Se duvidarem, procurem as fontes históricas que eu citei. Busque a fundo a VERDADE e vocês a alcançarão!

        Curtir

        • Helen disse:

          Caríssimo Tiago,

          Todo protetestante usa este argumento, até Lutero e Calvino fizeram uso dele pra jusficarem sua rejeição aos deuterocanônicos, portanto, não se trata de ‘bomba’, não há novidade nisto, tampouco falta de resposta… Ou está a crer que re-inventou a rode e ‘finalmente’ pegou. igreja católica no contra-pé? Quantas vezes terei que repetir aqui que NÃO HÁ ARGUMENTO OU REFUTAÇÃO PROTESTANTE aos quais a Igreja já não tenha respondido e refutado?

          Pois bem, ninguém está a negar o que O ilustre São Jerônimo escreveu. É história documentada, e com isso não se discute….pelo menos se for católico, pois valorizamos o testemunho registrado a história.

          Agora, o que o sr não parece saber é que este mesmo S. Jerônimo, diferentemente de Lutero, apercebeu-se de seu erro e voltou atrás! Ai vemos a diferença entre o pecador santificado e o pecador comum…

          As palavras de S Jerônimo sobre os livros que o sr chama de apócrifos são a prova que submeteu-se ao papa e ao canon, pesquisa sobre a citação que o Santo faz do livro de Baruque em sua epístola 108 à Eustoquim no ano de 404 d.C chamando esse livro de “Escritura”.

          Acoselho ainda que pesquise melhor e verifique que , na verdade, ele, no prólogo a Judite reconheceu o mesmo livro como canônico, tal e qual estabelecido no primeiro concílio de Nicea (325 d.C)

          Mais adiante, o referido santo disse em defesa dos trechos retirados do livro de Daniel: Que pecado terei eu cometido se segui o julgamento da Igreja? Mas ele que traz acusações contra mim por relatar as objeções a que os judeus estavam acostumados a formar contra a história de Susana, a Canção das trêa crianças e a história de Bel e o dragão, que não se encontram nos volums hebraicos, prova que ele é apenas um bajulador insensato. Porque eu não estava relatando minha própria visão, mas antes as questões que eles [os judeus] são acostumados a fazer contra nós. (Contra Rufinus, 11:33 [402 dC]).

          Agora, Sr Tiago, só pra clarificar uma coisa pro sr… Eu sei que os evangélicos tem uma postura muito liberal, quase anárquica sobre a autoridade da igreja, prova disso é que dentro da mesma denominação tem conflitos e descrepâncias de doutrina… Agora, parece um tanto qto equivocada a sua afirmação de que ” provou” pelas opiniões dos ” doutores” da Igreja que tal coisa é errada, etc.

          Saiba que dentre os mais de Um bilhão de católicos no mundo, cada um terá sua própria opinião em um assunto x ou y, sem com isso ter autoridade para determinar ou estabelecer que suas respectivas opiniões sejam de fato o que ensina a Igreja. Com isso, caro amigo, estou a dizer que é justamente este o papel do Magistério Eclesiastico! A igreja à todo tempo tem teólogos, estudiosos, filósofos que estudam os temas e buscam dicernir a verdade. Porém, SOMENTE aquilo que é declarado em ex-cátedra pelo sucessor de Pedro é ensinamento oficial. Em outras palavras, pra ser dogma tem que ser promulgado pelo Vigário de Cristo, sucessor de Pedro. portanto se hoje um teólo catolico diz A e amanhã a Igreja determina infalivelmete (por meio do Papa) que, na verdade, a Igreja ensina B, então a posição católica é B, não A.

          Dai vem o dito: Roma locuta est, causa finita est! ( Roma falou, está falado! )

          Portanto, até agora tudo o que o sr conseguiu provar é que houveram divergèncias entre alguns católicos proeminentes ( nao de oarte de todos os mencionados no seu cmomentario, mas sem dúvida, de muitos outros que a história registrou) no tema dos deuterocanônicos, nada mais. Contudo, o testemunho de Jesus ao fazer citações dos tais livros – como mostrado pelo Edimilson – seguramente deve ter um peso bastante significante….

          Curtir

          • Tiago disse:

            Helen

            Vamos la, por partes.

            Mas antes, terei que pegar uma citação sua para refutar sua respostas diante das evidências muito questionáveis acerca do deuterocanônicos.

            Em outro post vc disse: “SOMENTE a Igreja tem autoridade para declarar INFALÍVELMENTE um dogma”.

            Voce tocou num ponto onde queria chegar que é a INFALIBILIDADE da ICAR e seus dogmas. Agora sua declaração me intrigou bastante que é a seguinte:

            “o que o sr não parece saber é que este mesmo S. Jerônimo, diferentemente de Lutero, apercebeu-se de seu erro e voltou atrás! Ai vemos a diferença entre o pecador santificado e o pecador comum…”

            Como funciona isso?

            Uma hora voces afirmam a INFALIBILIDADE dos dogmas da ICAR e tbm que o Bispo de Roma, conhecido como Papa, é infalível, e outra hora, afirmam que o Doutor, o Mestre maior da ICAR tradutor da Biblia Hebraica cometeu “erro de interpretação e voltou atrás?

            Desculpa, Helen, mas isso é um tremendo contrasenso. Isso é falácia, sendo facilmente refutado. O fato é que como voce mesma admitiu: “houveram divergèncias entre alguns católicos proeminentes ( nao de oarte de todos os mencionados no seu comentario, mas sem dúvida, de muitos outros que a história registrou) no tema dos deuterocanônicos.”

            Então é ponto pacífico entre nós que os Deuterocanônicos são mais do que controvertidos. Se eles nao fossem tão controvertidos, nao teria causado tanta divergência entre os Doutores da época, isso é óbvio.

            Uma hora o Doutor da Igreja diz que eles nao sao inspirados por Deus e outra hora, “volta atrás” e corrige sua “suposta falha”?

            Isso é querer brincar com a fé dos menos informados e também com a inteligência dos mais esclarecidos!

            Se ele falhou mesmo como voce afirma, nao apenas os deuterocanônicos nao foram inspirados por Deus, como o proprio Jeronimo careceu de inspiração Divina!

            Entenda, Helen, HOMENS INPIRADOS PELO ESPÍRITO SANTO NAO FALHAM PORQUE O ESPIRITO SANTO DE DEUS NAO FALHA JAMAIS E NAO PERMITE SEUS INSPIRADOS FALHAREM!

            SE ACEITARMOS QUE HOMENS INSPIRADOS PELO ESPIRITO SANTO PODEM FALHAR ENTAO TEMOS QUE PÔR EM DUVIDA TODA A BIBLIA SAGRADA, AI TEMOS QUE VOLTAR A ESTACA ZERO SOBRE O QUE CREMOS A RESPEITO DE DEUS! (me poupe disso porque minha fé já está consolidada!)

            JERÔNIMO nao falhou na sua primeira análise sobre os Deuterocanônicos como voce tanto quer acreditar, mas com certeza, levado pelo seu proprio humanismo, falhou na sua segunda análise, se é que ele voltou mesmo atrás como voce afirma…o que nao vem ao caso eu procurar saber.

            Um Doutor da Igreja, o mais proeminente, diz uma coisa e, depois, diz outra nao MERECE CREDIBILIDADE. E quem me garante que o fato dele ter voltado atrás significa que ele está certo? Se ele supostamente errou na primeira interpretação, poderia certamente errar na segunda (dizer que os deuterocanonicos são inspirados por Deus).

            Alem disso, nao foi só Jeronimo que, segundo voce, falhou. Origenes, Ricardo de Sao Vitor, Pedro Selêncio, Rupert de Deutz, Nicolas de Lira, William de Ockmam, Cardeal Catejano, Gregório, o Grande, Radulfo Flavicêncio, João de Salisbury, Hugo de Sao Vitor e Antonio TODOS ESSES DOUTORES DA SUA ICAR TAMBEM ATESTARAM QUE OS DEUTEROCANONICOS NAO FAZEM PARTE DO CÂNON.

            Então, todos eles tambem falharam? Nenhum teve a sabedoria de discordar de Jerônimo? ou todos eles como bons discípulos do Mestre abaixaram a cabeça e concordaram com ele sem pestanejar? (aguardo a resposta a estes questionamentos)

            Dizer que Jerônimo e todos estes citados erraram na sua interpretação (o que eu nao creio que falharam) é o mesmo que dizer que a sua Igreja é passivel de erros, logo, CAI POR TERRA sua afirmação de que “SOMENTE a Igreja tem autoridade para declarar INFALÍVELMENTE um dogma”.

            Cai por terra também a falácia que o Papa é infalível como prega o “dogma infalível” da sua ICAR. Nem o dogma, nem o Papa que atesta o dogma da Igreja são infalíveis e as evidencias históricas disso estão ai pra quem quiser ler.

            Vejo também outra contradição em sua declaração: “Saiba que dentre os mais de Um bilhão de católicos no mundo, cada um terá sua própria opinião em um assunto x ou y, sem com isso ter autoridade para determinar ou estabelecer que suas respectivas opiniões sejam de fato o que ensina a Igreja.”

            Uma hora você diz que SOMENTE a Igreja estabelece INFALIVELMENTE um dogma e depois diz que cada um dos 1 bilhao de católicos no mundo podem ter sua própria opinião sobre determinado assunto.

            Devo-lhe informar que a sra. incorreu em outra contradição. Como pode uma Igreja estabelecer “dogmas infalíveis” e ao mesmo tempo os membros da ICAR tirarem suas próprias conclusões acerca deles?

            Ora, se o dogma da sua ICAR falar que 1+1=5 todos os 1 bilhão de católicos terão necessariamente que concordar que 1+1=5, mesmo que isso contrarie totalmente a lógica, mas aceitarão porque o Dogma que a ICAR estabelece é “infalível”, portanto, devo segui-lo e ponto final.

            Ai eu afirmo categoricamente que seria muita alienação da parte dos 1 bilhão de católicos se isso acontecesse…

            Portanto, fico satisfeito de chegarmos a conclusão de que os deuterocanônicos são controvertidos e também baseado nas suas falas contraditórias que os dogmas da ICAR são tão passíveis de erros quanto suas fontes doutrinárias, bem como o Bispo de Roma é igualmente falível fato que contraria o dogma também FALIVEL.

            Quanto a infalibilidade do PAPA e dos dogmas da ICAR, aprofundarei em outro post, caso a sra.queira refutar estas verdades.

            Curtir

            • Helen disse:

              Tiago,

              Eu vou aprovar este comentário, mas a resposta só vem mais tarde. Agora, infelizmente não vai ser possível.
              Agradeço pela atenção!

              Pax!

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Tiago piadista você diz para HELEN

              Quanto a infalibilidade do PAPA e dos dogmas da ICAR, aprofundarei em outro post, caso a sra.queira refutar estas verdades.

              Olha Tiago sobre decaídos dentro da Igreja, isso sempre existiu, desde a era apostólica, quem não se lembra de Demas e Alexandre o ferreiro? Decaíram, por acaso eu ti pergunto Tiago a igreja deixou de ser igreja? Os apóstolos deixaram de ser apóstolos? Creio que não, Olha Tiago se existiu algum papa decaído, ele terá seu galardão, no mais,agora a partir do momento que você acusa e não prova, isso se vira contra você, ai quem terá o belo galardão, será o caluniador.

              Olha Tiago não adianta vir com livrinhos protestantes ou historiadores protestantes que dizem tal coisa, para provar que um papa decaiu, Você tem que trazer fontes documentais onde um Cristão na época desse papa escreveu tal coisa. COMO VOCÊS dizem, morto não fala, agora é fácil caluniar.

              Você diz Portanto, fico satisfeito de chegarmos a conclusão de que os deuterocanônicos são controvertidos e também baseado nas suas falas contraditórias que os dogmas da ICAR são tão passíveis de erros quanto suas fontes doutrinárias, bem como o Bispo de Roma é igualmente falível fato que contraria o dogma também FALÍVEL.

              Eu não acredito que a HELEN conhecedora de história primitiva e patrística iria concordar com um cara rude funesto e errante como você que até agora só mostrou baboseiras acorda Tiago me traga fatos escritores de época

              tenho pena de você doença da sociedade mais estou aqui pronto sempre pronto para desmascará doentes como você isso me diverte

              Curtir

            • JAIME disse:

              TIAGO VOCÊ NÃO TEM ARGUMENTOS .
              OLHA, NO MUNDO HOJE SÃO MAIS DE 1 BILHÃO E 600 MILHÕES DE CATÓLICOS. VOCÊ ERROU NÃO É SÓ UM BILHÃO

              E VOCÊ TIAGO DOS 555 MILHÕES DE PROTESTANTES NO MUNDO VOCÊ PERTENCE A QUAL SEITA AS DOS HOMOSSEXUAIS , A DOS MÓRMONS , OU A IGREJA DA MACONHA, OU A UMA ADVENTISTA OU MESMO UMA TESTEMUNHA DE JEOVÁ?

              NÃO FUGA DA PERGUNTA

              E NÃO ADIANTE SE EXPLICAR POIS ESSAS SEITAS SÃO TUDO FRUTO DA SOLA SCRIPTURA

              É POR CAUSA DE LUN´TICOS COMO VOCÊ TIAGO QUE A SEITA PROTESTANTE ACABOU COM A EUROPA NOS ESTADOS UNIDOS SÃO 200 MIL SEITAS E ASSIM VAI ACORDA FARSANTE

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Pois essa é a realidade Tiago depois que Lutero pregou a falsa doutrina da Sola Scriptura, vocês das seitas protestantes se multiplicam em heresias igrejas de homossexuais como da maconha, mórmons e testemunhas de Jeová entre milhares de milhares de outras são sim igrejas protestantes pois tudo isso é fruto do livre exame bíblico os conhecidos decoradores de textos.
              • TIAGO como o próprio nome já indica (Sola Scriptura), agora eu ti pergunto Tiago se você é capaz de apresentar o(s) versículo(s) bíblico(s) onde ele aparece explicitamente para autorizar essa doutrina?
              • Em 2Tm 3,16, Paulo disse: “Toda Escritura é inspirada por Deus”. Mas que Escritura havia no tempo de Paulo? Paulo morreu em aproximadamente 67 dC, de forma que a segunda epístola a Timóteo (2Tm) foi escrita antes desse ano. Existia o Novo Testamento na época da 2Tm? Não, não existia! Também sabemos que não existiu um Novo Testamento por centenas de anos após a redação da 2Tm. A única Escritura disponível para Paulo era o Antigo Testamento. Portanto, você não pode usar este versículo para justificar a Sola Scriptura, a não ser rejeitando todo o Novo Testamento.
              • “Toda Escritura é inspirada por Deus”. Foi o que Paulo disse. Mas de qual “Escritura” ele se refere Tiago? A única Escritura disponível naquele tempo era o Antigo Testamento hebraico, bem como sua tradução grega, chamada Septuaginta. Isto o coloca na difícil situação de ter que aceitar os livros “deuterocanônicos”, que estavam na Septuaginta grega, usada pelos judeus de língua grega, inclusive Paulo. Lembre-se que estes foram os sete livros rejeitados por Lutero, quase 1500 anos depois: Sabedoria, Eclesiástico, Judite, Tobias, 1Macabeus, 2Macabeus e Baruque. Uma vez que estas duas traduções eram as únicas disponíveis para Paulo e ele disse que toda Escritura era inspirada por Deus, então também estes sete livros foram inspirados por Deus, ou não? Se não, quem poderia ter autoridade para removê-los? Você se lembra que a Bíblia proíbe que se acrescente ou retire algo da Palavra de Deus e o que acontecerá para aquele que o fizer? Portanto, você não pode usar 2Tm 3,16-17 sem rejeitar todo o Novo Testamento e você tem que aceitar aqueles sete livros como inspirados.
              • Mais uma vez, já que Paulo disse que toda Escritura era inspirada, você acredita que esta advertência vale também para a Escritura futura (após 2Tm)? Obviamente não, pois Paulo não faria uma declaração sobre escritos futuros, pois não teria como conhecer seu conteúdo. Se você insiste em acreditar que ele abrangia os escritos futuros, então você terá que admitir que centenas de livros, que foram rejeitados por serem não inspirados (apócrifos), são, na verdade, inspirados pois Paulo assim o disse (segundo a sua crença). A Tiago propósito, quem rejeitou estes diversos livros não-inspirados e manteve somente os livros que você encontra na sua Bíblia?
              • Por que você cita 2Tm 3,16-17 fora do contexto? Todos aqueles que crêem na Sola Scriptura com quem conversei, citam os versículos 16-17 e estes versículos são tudo. Esta é a maior razão porque alguns têm a falsa compreensão da Bíblia. Por favor, leia 2Tm 3,1-6. É o que está acontecendo hoje… O versículo 7 é um dos principais e vai de encontro com os crentes da Sola Scritura: “sempre aprendendo, mas sem jamais poder atingir o conhecimento da verdade”. Os versículos 8 e 9 reforçam o versículo 7. No versículo 10, Paulo elogia Timóteo por seguir sua doutrina. Qual era sua doutrina? Era ela um livro que Paulo escreveu? Não, Paulo fala oralmente. Sua doutrina era aTradição Oral, a qual ele passava aos outros. Nos versículos 11 e 12, Paulo se diz perseguido e avisa que o mesmo se sucederá conosco. O versículo 13, outro dos principais, fala que alguns levarão outros a caírem no erro e isto se agravará. A falsa doutrina da Sola Scriptura é parte do agravamento tratado por Paulo. Agora se torna mais interessante no versículo 14, “permanece firme naquilo que aprendeste e que foram confiadas a você”. O que este versículo pode possivelmente significar se não manter as tradições que lhe foram transmitidas? O versículo 15, “desde a tua infância conheces as sagradas letras; elas têm o poder de comunicar-te a sabedoria que conduz à salvação…”, é muito interessante: já que 2Tm foi escrita antes do ano 67 dC, então a infância do discípulo a quem Paulo dirige a carta deu-se há muitos anos antes, antes, inclusive, de qualquer livro do Novo Testamento ter sido escrito. Aqui, novamente, você terá que aceitar que Paulo referia-se ao Antigo Testamento e rejeitar todo o Novo Testamento. Como aqueles que crêem na Sola Scriptura já estão familiarizados com os versículos 16 e 17, citados fora do contexto como demonstrei, então não precisarei comentá-los.
              o Em resumo:
              Olha Tiago as pessoas de hoje desconhecem a verdade porque se desviaram do caminho apresentado pelos versículos 1 a 9 da 2Tm. Manter as tradições que nos foram confiadas e estar preparados para a perseguição, como consequência, lemos nos versículos 10 a 13. Eu poderia então afirmar que nós, católicos, somos perseguidos por manter as tradições, você não acha? Os versículos 14 e 15 dizem que devemos continuar na verdade que aprendemos a partir da tradição oral. Para isso, usamos as Escrituras, já que elas são úteis para o ensinamento, como lemos nos versículos 15 a 17. Nós, católicos, obedecemos a tudo que está escrito em 2Tm 3. E você? Quando você citar a Escritura, por favor não a cite fora do seu contexto, pois é fácil cair no erro agindo dessa maneira. Volto, então, a perguntar: qual versículo explica a doutrina da Sola Scriptura?
              • Por que aqueles que crêem na Sola Scriptura ignoram tantos versículos na Bíblia que nos instrui para fazer exatamente o contrário do que os teimosos da Sola Scriptura afirmam que deve ser feito? A Bíblia está cheia desses versículos e alguns são tão claros e diretos que eu não sei como podem ser mal interpretados. A Sola Scriptura é a falsa crença de que a Bíblia possui toda a verdade e que a tradição não tem lugar no plano da salvação. Para começar, “então, irmãos, estejam firmes e mantenham os ensinamentos que aprenderam, quer por palavra ou por carta nossa”. Esta citação se encontra em 2Ts 2,15. Por palavra ou por carta, o que São Paulo queria dizer? Quem dá ouvidos à Sola Scriptura se recusa a ouvir e explicar isto… Retorne ao versículo 14, “com essa finalidade, Ele também vos chamou, através da nossa pregação para que ganhasseis a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Assim, a pregação é a palavra oral ou tradição. Ambos versículos são simplesmente ignorados pelos defensores da Sola Scriptura. Da mesma forma, 1Cor 11,2 é também ignorado por esses defensores: “Eu vos louvo por vos recordardes de mim em todas as ocasiões e por conservardes as tradições tais como vo-las transmiti”. E assim também Mt 28,20: “ensinando-os a observar aos mandamentos que vos dei”. Eu ainda poderia listar muito mais, mas sinto que é desnecessário. Acaso Jesus mandou alguém escrever a Bíblia ou Ele mandou que saíssem e pregassem?
              Nada da Bíblia pode ser ignorado. Não podemos selecionar e aceitar este versículo e rejeitar aquele outro, como em um aperitivo, simplesmente porque envolve a nossa fé e crença. Mas é isso que os defensores da Sola Scriptura fazem. Lembra-se daqueles versículos sobre não acrescentar ou retirar nada da Palavra de Deus?A Escritura está cheia dessas referências. Aqui vão algumas: Dt 4,2; Pv 30,5-6; Gl 1,8; 2Pd 3,15-16 e, logicamente, Ap 22,18-20. Uma vez que Paulo disse que toda Escritura é inspirada, então estaria incluindo todos os versículos que mencionam a tradição, ou palavra oral. Isto não é verdade? Já que o Antigo Testamento é o único que podemos usar, se insistimos em aceitar 2Tm 3 como “autoridade” para a Sola Scritura, então repare os exemplos extraídos do Antigo Testamento: Sl 44,1; Sl 78,5.10-11; Sl 105,5; Sl 143,5; Pv 2,18; Is 40,8; Is 59,21; Jr 6,16-17; Jr 31,36; Dn 7,28; Zc 1,6. Existem muitos outros no Antigo e no Novo Testamentos. Agora, se você ainda insistir em usar 2Tm 3,16-17, você somente poderá usar o Antigo Testamento e terá que reconhecer os livros deuterocanônicos como inspirados, e, agora, você também terá que aceitar a tradição como sendo bíblica e inspiradas. Apegar-se à Sola Scriptura é rejeitar a Palavra de Deus e quem acreditar nessa falsa doutrina será culpado de afastar-se da Palavra de Deus…
              • Por acaso Paulo ou qualquer outro autor dos livros do Novo Testamento sabiam que estavam escrevendo livros inspirados? Se não, então como você sabe que os livros que você cita, como 2Tm, são completamente inspirados? Existe uma lista de livros inspirados em algum lugar da Bíblia? Se sim, mostre-me por favor o versículos. Se você não encontrar tal lista, então por favor me diga, sob qual autoridade você considera esses livros como inspirados. Acaso o Novo Testamento caiu do Céu diretamente nos braços de Lutero? Acredite nisso ou não, é o que algumas pessoas acabam ensinando…
              • Pois é Tiago quanto mais retrocedemos na linha do tempo da composição do Novo Testamento, o que percebemos? Para que a Sola Scriptura possa funcionar corretamente, deveria estar disponível ao povo para que fosse praticada, não é verdade? Que Bíblia era usada pelas pessoas que viveram no ano 333? E no ano 222? E em 111? Por esses tempos, os cristãos eram entregues às feras. O que motivava esses cristãos primitivos a sacrificarem suas vidas aos milhares, nas mais diversas e horríveis formas de martírio, para manterem sua fé cristã? Estava no Livro sim, em qual livro?
              • Como eram reproduzidas as Bíblias antes da invenção da imprensa em 1450? Novamente o Céu providenciou a Bíblia para as milhões de pessoas que viveram desde os tempos de Cristo? Onde estas massas de cristãos obtinham suas Bíblias para que pudessem praticar a Sola Scriptura? A resposta é: as massas não possuíam Bíblia, já que cada Bíblia produzida era manual e totalmente copiada pelos monges. Tiago você sabe quanto tempo levava para um monge copiar uma Bíblia inteira? Variava de 10 a 20 anos. Agora, depois de tanto tempo copiando uma Bíblia, quanto você acha que custava uma para venda? Uma pessoa comum não tinha meios para pagar o trabalho de 10 a 20 anos do copista da Bíblia. Por isso, existiam pouquíssimas cópias disponíveis. Agora Tiago como, então, alguém poderia praticar a Sola Scriptura antes de 1450?
              • Você acredita que George Washington foi o primeiro presidente dos Estados Unidos? Por quê? Você acredita que realmente aconteceu a Guerra Civil Americana? Por quê? Você acredita que o rei João assinou a Magna Carta? Por quê? Nenhum destes fatos está na Bíblia, ainda que você acredite neles, ou aprendeu a acreditar neles ou apenas estão registrados nos livros de História… Por que, então, você não acredita em nada sobre a Igreja Católica, tal como o primado de Pedro, que Pedro esteve em Roma, que Pedro foi o primeiro papa, exceto se você puder encontrar a referência na Bíblia? E Tiago A Igreja possui milhares de documentos que mostram exatamente como a Igreja se formou e como se desenvolveu, tornando-se a Igreja que é hoje. Todas essas questões e milhares de outras são respondidas por documentos bem primitivos da Igreja. Eusébio escreveu um livro sobre a História da Igreja, desde sua origem, após ter sido fundada por Jesus Cristo, até cerca do ano 200 dC. Mas será que aquele que crê na Sola Scriptura vai acreditar no livro de história escrito por Eusébio? Não, pois ele não se encontra na Bíblia. Então porque você acredita em qualquer outro fato contado por qualquer outro livro de história? Você não estará se utilizando de duplo critério por não acreditar na História da Igreja, tal como está registrada, e acreditar apenas na história que não envolve a Igreja?
              • Aqueles que crêem na Sola Scriptura nunca compreenderão e jamais encontrarão a verdade. Eles edificaram suas crenças sobre a fundação de areia da Sola Scriptura e não sobre a rocha. A fundação de areia é insegura e instável. Não importa quantos remendos façam, mas seu edifício de fé jamais será sólido e irá constantemente balançar conforme o vento e a água for levando a fundação de areia sobre a qual construíram sua fé. Gastarão todos os seus dias tentando provar em vão esta ou aquela crença, a partir da Bíblia. Uma denominação provará pela Bíblia que Jesus Cristo era divino mas não humano enquanto outra provará, pela mesma Bíblia, que Ele era humano mas não divino. A falsa doutrina da Sola Scriptura criada pelo homem simplesmente não funciona e jamais funcionará.
              • A doutrina da Sola Scriptura surgiu em cena apenas na época da Reforma Protestante. Não existia, nem poderia existir, antes da invenção da imprensa, quando as Bíblias finalmente se tornaram disponíveis a um baixo custo e em abundância para as massas populares. A doutrina da Sola Scriptura é antibíblica, como demonstrei; não é histórica antes da Reforma e é impraticável. Esta falsa doutrina da Sola Scriptura e a “interpretação individual” da Bíblia (proibida pela própria Escritura, cf. 2Pd 1,20), são a principal causa da fragmentação do Corpo de Cristo no Protestantismo. Existem, no mundo de hoje, aproximadamente 58.000 denominações protestantes. Como você poderia explicar estas divisões? Cada uma afirma deter a verdade, “como o Espírito Santo a comunicou”. São 58.000 Espíritos Santos revelando cada verdade? Ou existe apenas um Espírito Santo revelando uma verdade diferente para cada uma delas. Jesus Cristo disse: “Haverá um só Pastor e um só Rebanho (cf. Jo 10,16). Ele não disse que haveria 58.000 pastores com um só rebanho. Como você explica a razão de existir 58.000 divisões no Protestantismo? A mais antiga menção à falsa doutrina da Sola Scriptura encontramos em Martinho Lutero, quando foi questionado pelo Sínodo de Augsburgo (Alemanha), em outubro de 1512. Em seu apelo ao Concílio, Lutero colocou a Bíblia e sua decisão (conforme sua interpretação) acima do Papa. Ele admitiu que a autoridade do Sínodo e da Bíblia estavam lado a lado, mas apenas na esperança de que o Sínodo se manifestasse a seu favor. Na disputa de Leipzig, em julho de 1519, Lutero declarou que a Escritura estava acima do Concílio e que os Concílios Ecumênicos já haviam errado em matérias de fé (v. “Martinho Lutero – Sua Vida e Sua Obra”, 6 volumes, Hartmann Grisar, sj, vol.4, pp. 388-389, 1930).
              • Agora Tiago vou ti mostrar alguns dos muitos escritos dos primitivos Padres da Igreja, que apoiam a Sagrada Tradição. Agora se duvida Tiago?Por favor, mostre-me escritos similares, dizendo para que as tradições não sejam mantidas (ou observadas). Mostre-me uma citação favoráves à falsa doutrina protestante da Sola Scriptura.
              “Mantenham a Tradição…”
              § Polícrates – Carta a Vítor de Roma V,24,1
              § Ireneu de Lião – Contra as Heresias I,10,2; II,9,1; III,3,2
              § Ireneu de Lião – Carta a Florino V,20,4
              § Tertuliano – Objeção aos Hereges 19,3
              § Tertuliano – O Véu das Virgens 2,1
              § Tertuliano – Contra Marcião IV,5,1
              § Hipólito – Contra a Heresia de Noeto 17
              § Orígenes – Doutrinas Fundamentais I,2,4 (prefácio)
              § Atanásio – Cartas a Serapião 1,28
              § Febade de Agen – Contra os Arianos 22
              § Basílio o Grande – Transcrito da Fé 125,3
              § Basílio o Grande – O Espírito Santo 27,66
              § Basílio o Grande – A Fé 1
              § Gregório de Nissa – Contra Eunômio
              § Epifânio – Contra todas as Heresial 61,6; 73,34
              § João Crisóstomo – Sobre Romanos 1,3
              § João Crisóstomo – Sobre a Segunda aos Tessalonicenses 4,2
              § Jerônimo – Diálogo entre Luciferano e Cristão 8
              § Agostinho – Carta a Januário 54,1; 1,3
              § Agostinho – Contra a Carta de Manes 5,6
              § Agostinho – O Batismo II,7,12; IV,24,31
              § Agostinho – Interpretação Literal de Gênesis X,23,39
              § Agostinho – A Cidade de Deus XVI,2,1
              § Agostinho – Contra Juliano I,7,30; II,10,33
              § Inocêncio I – Carta ao Concílio de Cartago 29,1
              § Teodoreto de Ciro – Carta a Florêncio 89
              § Vicente de Lerins – A Agenda 2,1; 9,14; 20,25; 22,27
              § Gregório I – Homilias sobre Ezequiel II,4,12
              § João Damasceno – Homilias 10,18

              Agora Tiago para encerrar,] aqui vão mais algumas perguntas para aqueles que acreditam na Sola Scritura. Será o último prego necessário para fechar o caixão desta falsa doutrina caso você não saiba responder à estas simples questões:
              • Tiago me diga? onde Jesus ordenou que a fé cristã somente poderia se basear na Bíblia?
              • Tiago onde Jesus ordena a seus Apóstolos a escreverem a Bíblia?
              • Tiago onde, no Novo Testamento, os Apóstolo falam às gerações futuras que a fé cristã se baseará na Bíblia?
              • Agora vocês protestantes afirmam que Jesus condenou categoricamente toda tradição oral (Mt 15,3.6; Mc 7,8-13). Se isto é verdade Tiago?Por que Ele ordena a tradição oral aos seus ouvintes dizendo que eles devem obedecer os escribas e os fariseus quando estes estiverem sentados na cátedra de Moisés (Mt 23,2)?
              • Vocês protestantes afirmam que São Paulo categoricamente condenou toda tradição oral (Col 2,8). Se isto é verdade Tiago?por que ele diz aos tessalonicenses para que “fiquem firmes na fé e guardem as tradições que ensinamos, oralmente ou por escrito” (2Ts 2,15) e elogia os coríntios por estes “manterem firmes nas tradições” (1Cor 11,2)?
              • Se os autores do Novo Testamento acreditavam na Sola Scriptura, por que às vezes eles dão à tradição oral autoridade como Palavra de Deus (Mt 2,23; 23,2; 1Cor 10,4; 1Pd 3,19; Jd 1,9.14.15)? Onde, na Bíblia, a Palavra de Deus está restrita somente àquilo que está por escrito?
              • Como nós sabemos quem escreveu os livros que chamamos de Mateus, Marcos, Lucas, Atos, Hebreis e 1-2-3 João? Sob que autoridade ou princípio, poderíamos aceitar como Escritura livros que sabemos que não foram escritos por um dos Doze Apóstolos?
              • Tiago me diga? Onde na Bíblia encontramos uma lista inspirada e infalível dos livros que devem pertencer à Bíblia?
              • Como sabemos, usando somente a Bíblia, que os livros do Novo Testamento são inspirados, mesmo quando eles não afirmam ser inspirados?
              • Como sabemos, usando somente a Bíblia, que as cartas de São Paulo, escritas para congregações e indivíduos do primeiro século, deveriam continuar sendo lidas por nós, 2000 anos depois, como Escritura?
              • Aonde a Bíblia afirma ser a única autoridade para o cristão em matérias de fé e moral?
              • Tiago para você que é leigo saibas que a maioria dos livros do Novo Testamento foram escritos para abordar problemas bem específicos da Igreja primitiva, e nenhum deles é uma apresentação sistemática da teologia e fé cristã. Agora sobre qual base bíblica vocês protestantes acham que tudo o que os apóstolos ensinaram se encontra nos escritos do Novo Testamento?
              • Se os livros do Novo Testamento são “auto-autenticados” pelo ministério do Espírito Santo para cada indivíduo, então por que havia confusão na Igreja primitiva sobre quais livros eram inspirados, tendo sido alguns livros rejeitados pela maioria?
              • Se o significado da Bíblia é tão claro, tão fácil de ser interpretado, e se o Espírito Santo conduz cada cristão a interpretá-la corretamente, então por que Tiago? Existem mais de 58.000 denominações protestantes e milhões de indivíduos protestantes, todos interpretando a Bíblia diferentemente?
              • Quem tem autoridade para arbitrar cristãos diferentes que afirmam ser liderados pelo Espírito Santo em interpretações mutuamente contraditórias da Bíblia?
              • E, já que cada protestante pode admitir que sua interpretação é falível, como pode um protestante em boa consciência chamar algo de heresia ou obrigar um outro cristão a acreditar em algo particular?
              • Vocês protestantes geralmente afirmam que todos concordam “nas coisas importantes”. Quem é capaz de decidir com autoridade o que é importante na fé cristão e o que não é?
              • Como pôde a Igreja primitiva evangelizar, sobreviver e prosperar durante os primeiros 350 anos, sem saber ao certo quais livros pertenciam ao cânon da Escritura?
              • Quem na Igreja tem a autoridade para determinar quais livros devem pertencer ao cânon do Novo Testamento e fazer esta decisão obrigatória para todos os cristãos?
              • Se ninguém tem esta autoridade, então eu posso remover ou adicionar livros ao cânon bíblico conforme a minha própria autoridade?
              • Tiago me diga? Por que os estudiosos protestantes reconhecem que os concílios primitivos da Igreja em Hipona e Cartago foram a primeira instância onde o cânon do Novo Testamento foi oficialmente sancionado, mas ignoram o fato de que os mesmos concílios sancionaram o cânon do Antigo Testamento usado até hoje pela Igreja Católica e abandonado pelos protestantes durante a Reforma?
              • Tiago me diga? Por que vocês Protestantes seguem as decisões dos judeus, tomadas em período pós-apostólico, sobre o cânon do Antigo Testamento, desprezando a decisão da Igreja fundada por Jesus Cristo?
              • Como os bispos de Hipona e Cartago foram capazes de determinar o cânon correto da Escritura, ainda que acreditassem em todas as doutrinas católicas como a sucessão apostólica dos bispos, o sacrifício da missa, a presença real de Cristo na Eucaristia, a regeneração pelo batismo etc.?
              • Se a Cristandade é uma “religião do Livro”, como ela floresceu durante os primeiros 1500 anos de História da Igreja, quando a imensa maioria do povo era analfabeto?
              • Como poderia o Apóstolo Tomé estabelecer uma Igreja na Índia, que sobrevive até hoje e que voltou a estar em comunhão com a Igreja Católica, sem deixar-lhes uma única palavra da Escritura do Novo Testamento?
              • Me diga Tiago? Se a Sola Scriptura é tão sólida e biblicamente fundada, por que não existe um tratado de verdade, escrito para defendê-la, desde a época em que a expressão foi cunhada na Reforma?
              • Me respondas Tiago? Se Jesus tinha a intenção de que a Cristandade fosse exclusivamente uma “religião do Livro”, por que Ele aguardou 1400 anos para mostrar como se poderia inventar a imprensa?
              • Tiago me responda? Se a Igreja primitiva acreditava na Sola Scriptura, por que os credos primitivos sempre dizem: “Creio na Santa Igreja Católica” e não simplesmente “Creio na Santa Escritura”?
              BONG.G..G…G….G…..
              BONG.G..G…G….G…..
              BONG.G..G…G….G…..
              BONG.G..G…G….G…..
              BONG.G..G…G….G…..
              BONG.G..G…G….G….
              BONG.G..G…G….G…..
              Desculpe-me Tiago! Mas protestante vim debater história com um católico é o mesmo que voar sem paraquedas!

              Curtir

            • Tiago disse:

              Helen

              Voce ficou me devendo resposta ao meu post acima.

              agradeço.

              Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago se a seita protestante fosse verdadeira teria 2000 mil anos e não seria essa contradição maligna de heresias olha Tiago você erra muito mais muito mesmo estude nas fontes meu caro você só me mostra heresias e falsificações baratas você usa as mesmas mentiras que são mais usadas pelos hereges protestantes em vim dizer que esses 7 livros foram acrescentados pela igreja católica no concilio de Trento 1546 DC, assim antes dessa data a bíblia só continha 66 livros. Vou colocar aqui a ata do concilio de Hipona em 393 DC, isso foi definido séculos antes do concilio de Trento.
          Ata do concilio de Hipona Cânon 36.
          “Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão3, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12″
          (Concílio de Hipona, 08.Out.393).
          Observando esse 1º concilio onde se definiu uma exatidão do Cânon bíblico, estão relacionados:
          (1º) Cinco livros de Salomão (provérbios, cântico dos cânticos, eclesiastes, sabedoria e eclesiástico).
          (2º) Jeremias (nesse livro estava relacionado lamentações e Baruc)
          (3º) Tobias e Judite.
          (4º) Dois livros dos Macabeus.
          Tiago Veja bem, vocês protestantes que afirmaram não conter esses livros antes do concilio de Trento é um baita de um mentiroso, e o pai da mentira todos sabem que é se eu não me engano é satanás.

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          Agora Tiago a segunda mentira sua que também é a mais usada por vocês das seitas protestantes é a de vim dizer que tais livros estavam sim na bíblia, mas não eram considerados canônicos e só foram confirmados como canônicos no concilio de Trento; primeiro eles dizem que não estavam na bíblia, agora dizem que estavam, mas não eram canônicos, como se na bíblia sagrada tivesse livros não sagrados, mas vamos desmascarar mais uma mentira. Vou colocar a ata do concilio de Florença, esse concilio ocorreu um século antes do concilio de Trento:
          “Devemos agora tratar das Escrituras Divinas. Vejamos o que a Igreja Católica universalmente aceita e o que deve ser evitado: (1) Começa a ordem do Antigo Testamento: um livro da Gênese, um do Êxodo, um do Levítico, um dos Números, um do Deuteronômio, um de Josué (filho de Nun), um dos Juízes, um de Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, um livro de 150 Salmos, três livros de Salomão (um dos Provérbios, um do Eclesiastes, e um do Cântico dos Cânticos). Ainda um livro da Sabedoria e um do Eclesiástico. (2) A ordem dos Profetas: um livro de Isaías, um de Jeremias com Cinoth (isto é, as suas Lamentações), um livro de Ezequiel, um de Daniel, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Joel, um de Abdias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias e um de Malaquias. (3) A ordem dos livros históricos: um de Jó, um de Tobias, dois de Esdras, um de Ester, um de Judite e dois dos Macabeus. (4)A ordem das escrituras do Novo Testamento, que a Santa e Católica Igreja Romana aceita e venera são: quatro livros dos Evangelhos (um segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas e um segundo João). Ainda um livro dos Atos dos Apóstolos. As 14 epístolas de Paulo Apóstolo: uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Efésios, duas aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon e uma aos Hebreus. Ainda um livro do Apocalipse de João. Ainda sete epístolas canônicas: duas do Apóstolo Pedro, uma do Apóstolo Tiago, uma de João Apóstolo, duas epístolas do outro João (presbítero) e uma de Judas Apóstolo (o zelota)”
          (Papa S. Gelásio, 495; Decreto Gelasiano; repetido em 520 pelo Papa S. Hormisdas. Seguido também pelo Concílio Ecumênico de Florença15 [1438-1445],
          Olha Tiago para quem saber ler, na ata do concilio de Florença diz que os 7 livros deuterocanonicos junto com os demais livros são considerados divinos. Olha Tiago mentira é coisa do diabo.

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago tudo o que você escreveu para mim e para Helen não passa de piada e falsificação barata protestante em matéria de história e patrística é sinônimo de mentiras e falsificações de fundo de quintal

          Tiago vou ti provar facilmente que os 7 livros que vocês protestantes dizem não ser inspirados vou ti mostrar aqui que eles foram usados por Jesus e pelos apóstolos

          Olha Tiago eu e a Helen SAMOS CATÓLICOS DE CORPO E ALMA
          E provo e provaremos para vocês hereges que jamais existiu um cânon bíblico sem os 7 livros, Pois foram os satânicos Calvino e Lutero que passaram a inventar mais uma mentiras, agora com os 7 livros sempre estiveram na bíblia,

          sempre foram canônicos mas nunca foram usados e nem citados por Jesus e os apóstolos no Novo Testamento; Tiago olha! Mesmo que esses livros não fossem citados no Novo Testamento, o que isso tem haver com ser ou não ser inspirados?

          Mas eu provarei que esses livros eram citados e usados pelos apóstolos e por Jesus Cristo.

          VEJA

          Festas da dedicação.
          João 10
          22. Celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação. Era inverno
          23. Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão
          Eu pergunto, algum protestante sabe o que era a festa da dedicação? O que era comemorado? Quem inaugurou essa festa? E qual livro era usado para confirmar essa tradição do calendário judaico?
          I Macabeus 4
          59. Foi estabelecido por Judas e seus irmãos, e por toda a assembléia de Israel que osdias da dedicação do altar seriam celebrados cada ano em sua data própria, durante oito dias, a partir do dia vinte e cinco do mês de Casleu, e isto com alegria e regozijo
          Ai de voz protestante, Jesus participando de uma festa apócrifa?
          O terror ao ver o ressuscitado.
          Apocalipse 11
          11. Mas, depois de três dias e meio, um sopro de vida, vindo de Deus, os penetrou. Puseram-se de pé e grande terror caiu sobre aqueles que os viam.
          Vejam que São João o medo que sentiram aqueles que perseguiram Jesus Cristo após sua ressurreição, passagem totalmente retirado do livro da sabedoria.
          Sabedoria 5
          1. Então, com grande confiança, o justo se levantará em face dos que o perseguiram e zombaram dos seus males aqui embaixo.
          2. Diante de sua vista serão presos de grande temor e tomados de assombro ao vê-lo salvo contra sua expectativa;
          Ai de voz protestante será que São João usou um livro apócrifo para citar no Apocalipse?

          Os 7 anjos na presença de Deus.
          Apocalipse 8
          2. Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas.
          Só existe um livro no Antigo Testamento onde cita os 7 anjos na presença de Deus, São João lendo o livro de Tobias? Isso não seria uma heresia?
          Tobias 12
          15. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.
          Ai de voz protestante será que São João usou um livro apócrifo para citar no Apocalipse?
          O verbo divino.
          João 1
          1. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus.
          Apocalipse 19
          13. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome é Verbo de Deus.
          Será que algum protestante sabe qual livro São João lia para usar esse termo Verbo de Deus? Só existe um livro no Antigo Testamento que possui esse termo.
          Eclesiástico 1
          5. O verbo de Deus nos céus é fonte de sabedoria, seus caminhos são os mandamentos eternos.
          Ai de voz protestante será que São João era um herege que usava livros apócrifos?
          Mulheres na igreja.
          1 Corintos 14
          34. Como em todas as igrejas dos santos, as mulheres estejam caladas nas assembléias: não lhes é permitido falar, mas devem estar submissas, como também ordena a lei.
          35. Se querem aprender alguma coisa, perguntem-na em casa aos seus maridos, porque é inconveniente para uma mulher falar na assembléia.

          1 Timotio 2
          9. Do mesmo modo, quero que as mulheres usem traje honesto, ataviando-se com modéstia e sobriedade. Seus enfeites consistam não em primorosos penteados, ouro, pérolas, vestidos de luxo,

          11. A mulher ouça a instrução em silêncio, com espírito de submissão.
          12. Não permito à mulher que ensine nem que se arrogue autoridade sobre o homem, mas permaneça em silêncio.
          13. Pois o primeiro a ser criado foi Adão, depois Eva.
          14. E não foi Adão que se deixou iludir, e sim a mulher que, enganada, se tornou culpada de transgressão.
          Alguns protestantes até hoje não entende o porquê São Paulo dizia que as mulheres eram submissas aos seus maridos e teriam que ficar em silencio na assembléia, mas para quem tem uma bíblia original sabe que ele citava os ensinamentos do livro de eclesiástico.
          Eclesiástico 25
          33. Foi pela mulher que começou o pecado, e é por causa dela que todos morremos.

          Eclesiástico 26
          18. É um dom de Deus uma mulher sensata e ((silenciosa)), e nada se compara a uma mulher bem-educada.
          Ai de voz protestante será que São Paulo errou em usar o livro de eclesiástico como ensinamentos para seus discípulos?
          A recompensa pela esmola.
          Atos 9
          36. Em Jope havia uma discípula chamada Tabita – em grego, Dorcas. Esta era rica em boas obras e esmolas que dava.

          Atos 10
          4. Cornélio fixou nele os olhos e, possuído de temor, perguntou: Que há, Senhor? O anjo replicou: As tuas orações e as tuas esmolas subiram à presença de Deus como uma oferta de lembrança.

          Lucas 12
          33. Vendei o que possuís e dai esmolas; fazei para vós bolsas que não se gastam, um tesouro inesgotável nos céus, aonde não chega o ladrão e a traça não o destrói.
          Mateus 6
          3. Quando deres esmola, que tua mão esquerda não saiba o que fez a direita.
          4. Assim, a tua esmola se fará em segredo; e teu Pai, que vê o escondido, recompensar-te-á.
          Bem meus irmãos, esses ensinamentos só existe claramente em dois livros do Antigo Testamento.
          Tobias 4
          7. Dá esmola dos teus bens, e não te desvies de nenhum pobre, pois, assim fazendo, Deus tampouco se desviará de ti.

          Tobias 12
          9. porque a esmola livra da morte: ela apaga os pecados e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna;
          Eclesiástico 14
          13. Antes de morrer, faze bem ao teu amigo, e dá esmola ao pobre conforme tuas posses.
          14. Não te prives de um dia feliz, e não deixes escapar nenhuma parcela do precioso dom.
          Eclesiástico 31
          11. Por isso seus bens serão fortalecidos no Senhor, e toda a assembléia dos santos louvará suas esmolas.
          Ai de voz protestante, eu fiquei muito triste agora, acabei de saber que São Lucas e Jesus Cristo usavam os livros apócrifos de Tobias e Eclesiástico.
          Honra aos antepassados.
          Hebreus 11
          1. A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.
          2. Foi ela que fez a glória dos nossos, antepassados.
          Creio que o autor de Hebreus seja o autor que mais usou os livros deuterocanonicos, além de usar Macabeus ele usa muito o livro de Eclesiástico, veja de onde ele retirou as citações da gloria dos antepassados.
          Eclesiástico 44
          1. Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.
          2. O Senhor deu-lhes uma glória abundante, desde o princípio do mundo, por um efeito de sua magnificência.

          Ai de voz protestante, eu acredito que o autor de Hebreus não era muito adepto do cânon farisaico que vocês usam como AT, além dele citar essa passagem do livro de Eclesiástico como fonte para sua obra, ele faz outras citações desse livro:
          Henoc agradou a Deus.
          Hebreus 11
          5. Pela fé Henoc foi arrebatado, sem ter conhecido a morte: e não foi achado, porquanto Deus o arrebatou; mas a Escritura diz que, antes de ser arrebatado, ele tinha agradado a Deus
          Essa citação poderia ser muito bem retirada do livro de Gêneses, pois é nesse livro que conta o primeiro relato de Henoc, pena que uma frase dessa citação nos mostra claramente que o autor de Hebreus não o retirou do livro de Genesis e sim o retirou do livro de Eclesiástico.
          Prestem a atenção na frase (ele tinha agradado a Deus), essa frase não aparece no livro de gêneses:
          Genesis 5
          24. Henoc andou com Deus e desapareceu, porque Deus o levou.
          Perceberam que em nenhum momento o livro de Genesis cita que Henoc agradou a Deus? Mas o autor de Hebreus citou e retirou isso de outro livro do Antigo Testamento.
          Eclesiástico 44
          16. Henoc agradou a Deus e foi transportado ao paraíso, para excitar as nações à penitência.
          Ai de voz protestante, será que o autor de Hebreus passou a ser herege?
          Os irmãos 7 irmãos martirizados.
          Hebreus 11
          35. Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados,((( movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa. )))))
          Se depois dessa citação os protestantes não se converterem e aceitarem os 7 livros de volta é por que satanás trabalha com uma venda em seus olhos, o autor faz uma citação exata do livros de Macabeus, pessoas que foram torturada e morta na esperança de uma ressurreição gloriosa, essa historia consta no livros dos Macabeus.
          2 macabeus 7
          1. Havia também sete irmãos que foram um dia presos com sua mãe, e que o rei por meio de golpes de azorrage e de nervos de boi, quis coagir a comerem a proibida carne de porco.
          9. Prestes a dar o último suspiro, disse ele: Maldito, tu nos arrebatas a vida presente, mas o Rei do universo nos ressuscitará para a vida eterna, se morrermos por fidelidade às suas leis.
          41. Seguindo as pegadas de todos os seus filhos, a mãe pereceu por último.
          Ai de voz protestante será que o autor de Hebreus usou um livro mentirosos para citar em sua obra do Novo Testamento?
          Assim diz Jesus.
          Mateus 23
          27. Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois semelhantes aos sepulcros caiados: por fora parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos, de cadáveres e de toda espécie de podridão.
          28. Assim também vós: por fora pareceis justos aos olhos dos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.
          Bem, como eu já provei a esses sepulcros caiados que hoje são os protestantes, os 7 livros foram mais do que citados e usados por Jesus e os apóstolos, clicando no botão de acionamento vocês verão que ao todo são 300 citações dos 7 livros Deuterocanonicos no Novo Testamento.
          Agora Tiago piadista para esclarecer sobre esse assunto
          VEJA

          300 CITAÇÕES (7 LIVROS NO NT)

          REFERÊNCIAS POR ORDEM DO NOVO TESTAMENTO
          • Evangelho segundo Mateus
          Mt 4,4 = Deut 8,3;
          Mt 4,15 = 1Mc 5,15;
          Mt 5,18 = Br 4,1;
          Mt 5,28 = Eclo 9,8;
          Mt 5,2-4 = Eclo 25,7-12;
          Mt 5,4 = Eclo 48,24;
          Mt 6,7 = Eclo 7,14;
          Mt 6,9 = Eclo 23,1.4;
          Mt 6,10 = 1Mc 3,60;
          Mt 6,12 = Eclo 28,2;
          Mt 6,13 = Eclo 33,1;
          Mt 6,20 = Eclo 29,10-11;
          Mt 6,23 = Eclo 14,10;
          Mt 6,33 = Sb 7,11;
          Mt 7,12 = Tb 4,15 / Eclo 31,15;
          Mt 7,16 = Eclo 27,6;
          Mt 8,11 = Br 4,37;
          Mt 8,21 = Tb 4,3;
          Mt 9,36 = Jdt 11,19;
          Mt 9,38 = 1Mc 12,17;
          Mt 10,16 = Eclo 13,17;
          Mt 11,14 = Eclo 48,10;
          Mt 11,22 = Jdt 16,17;
          Mt 11,25 = Tb 7,17 / Eclo 51,1;
          Mt 11,28 = Eclo 24,19 / Eclo 51,23;
          Mt 11,29 = Eclo 6,24-25 / Eclo 6,28-29 / Eclo 51,26-27;
          Mt 12,4 = 2Mc 10,3 ;
          Mt 12,5 = Eclo 40,15;
          Mt 13,44 = Eclo 20,30-31;
          Mt 16,18 = Sb 16,13;
          Mt 16,22 = 1Mc 2,21;
          Mt 16,27 = Eclo 35,22;
          Mt 17,1 = Eclo 48,10;
          Mt 18,10 = Tb 12,15;
          Mt 20,2 = Tb 5,15;
          Mt 22,13 = Sb 17,2;
          Mt 23,38 = Tb 14,4;
          Mt 24,15 = 1Mc 1,54 / 2Mc 8,17;
          Mt 24,16 = 1Mc 2,28;
          Mt 25,35 = Tb 4,17;
          Mt 25,36 = Eclo 7,32-35;
          Mt 26-38 = Eclo 37,2;
          Mt 27,24 = Dn 13,46;
          Mt 27,43 = Sb 2,13 / Sb 18-20.
          • Evangelho segundo Marcos
          Mc 1,15 = Tb 14,5;
          Mc 4,5 = Eclo 40,15;
          Mc 4,11 = Sb 2,22;
          Mc 5,34 = Jdt 8,35;
          Mc 6,49 = Sb 17,15;
          Mc 8,37 = Eclo 26,14;
          Mc 9,31 = Eclo 2,18;
          Mc 9,48 = Jdt 16,17;
          Mc 10,18 = Eclo 4,1;
          Mc 14,34 = Eclo 37,2;
          Mc 15,29 = Sb 2,17.
          • Evangelho segundo Lucas
          Lc 1,17 = Eclo 48,10;
          Lc 1,19 = Tb 12,15;
          Lc 1,19 = Tb 12,15;
          Lc 1,42 = Jdt 13,18;
          Lc 1,52 = Eclo 10,14;
          Lc 2,29 = Tb 11,9;
          Lc 2,37 = Jdt 8,6;
          Lc 6,35 = Sb 15,1;
          Lc 7,22 = Eclo 48,5;
          Lc 9,8 = Eclo 48,10;
          Lc 10,17 = Tb 7,17;
          Lc 10,19 = Eclo 11,19;
          Lc 10,21 = Eclo 51,1;
          Lc 12,19 = Tb 7,10;
          Lc 12,20 = Sb 15,8;
          Lc 13,25 = Tb 14,4;
          Lc 13,27 = 1Mc 3,6;
          Lc 13,29 = Br 4,37;
          Lc 14,13 = Tb 2,2;
          Lc 15,12 = 1Mc 10,29[30] / Tb 3,17;
          Lc 18,7 = Eclo 35,22;
          Lc 19,44 = Sb 3,7;
          Lc 21,24 = Tb 14,5;
          Lc 21,24 = Eclo 28,18;
          Lc 21,25 = Sb 5,22;
          Lc 24,4 = 2Mc 3,26;
          Lc 24,31 = 2Mc 3,34;
          Lc 24,50 = Eclo 50,20-21;
          Lc 24,53 = Eclo 50,22-23.
          • Evangelho segundo João
          Jo 1,3 = Sb 9,1;
          Jo 3,8 = Eclo 16,21;
          Jo 3,12 = Sb 9,16 / Sb 18,15-16;
          Jo 3,13 = Br 3,29;
          Jo 3,28 = 1Mc 9,39;
          Jo 3,32 = Tb 4,6;
          Jo 4,9 = Eclo 50,25-26;
          Jo 4,48 = Sb 8,8;
          Jo 5,18 = Sb 2,16;
          Jo 6,35 = Eclo 24,21;
          Jo 7,38 = Eclo 24,40 / Eclo 43,30-31;
          Jo 8,44 = Sb 2,24;
          Jo 8,53 = Eclo 44,19;
          Jo 10,20 = Sb 5,4;
          Jo 10,22 = 1Mc 4,59;
          Jo 14,15 = Sb 6,18;
          Jo 15,9-10 = Sb 3,9;
          Jo 17,3 = Sb 15,3;
          Jo 20,22 = Sb 15,11.
          • Atos dos Apóstolos
          At 1,10 = 2Mc 3,26;
          At 1,18 = Sb 4,19;
          At 2,4 = Eclo 48,12;
          At 2,11 = Eclo 36,7;
          At 2,39 = Eclo 24,32;
          At 4,24 = Jdt 9,12;
          At 5,2 = 2Mc 4,32;
          At 5,12 = 1Mc 12,6;
          At 5,21 = 2Mc 1,10;
          At 5,39 = 2Mc 7,19;
          At 9,1-29 = 2Mc 3,24-40;
          At 9,2 = 1Mc 15,21;
          At 9,7 = Sb 18,1;
          At 10,2 = Tb 12,8;
          At 10,22 = 1Mc 10,25 / 1Mc 11,30.33 etc.;
          At 10,26 = Sb 7,1;
          At 10,30 = 2Mc 11,8;
          At 10,34 = Eclo 35,12-13;
          At 10,36 = Sb 6,7 / Sb 8,3 etc.;
          At 11,18 = Sb 12,19;
          At 12,5 = Jdt 4,9;
          At 12,10 = Eclo 19,26;
          At 12,23 = Jdt 16,17;
          At 12,23 = Eclo 48,21 / 1Mc 7,41 / 2Mc 9,9;
          At 13,10 = Eclo 1,30;
          At 13,17 = Sb 19,10;
          At 14,14 = Jdt 14,16-17;
          At 14,15 = Sb 7,3;
          At 15,4 = Jdt 8,26;
          At 16,14 = 2Mc 1,4;
          At 17,23 = Sb 14,20 / Sb 15,17;
          At 17,24 = Tb 7,17 / Sb 9,9;
          At 17,24-25 = Sb 9,1;
          At 17,26 = Sb 7,18;
          At 17,27 = Sb 13,6;
          At 17,29 = Sb 13,10;
          At 17,30 = Eclo 28,7;
          At 19,7 = Sb 3,17;
          At 19,28 = Dn 14,18.41;
          At 20,26 = Dn 13,46;
          At 20,32 = Sb 5,5;
          At 20,35 = Eclo 4,31;
          At 21,26 = 1Mc 3,49;
          At 22,9 = Sb 18,1;
          At 24,2 = 2Mc 4,6;
          At 26,18 = Sb 5,5;
          At 26,25 = Jdt 10,13.
          • Epístola aos Romanos
          Rm 1,19-32 = Sb 13-15;
          Rm 1,21 = Sb 13,1;
          Rm 1,23 = Sb 11,15 / Sb 12,24;
          Rm 1,28 = 2Mc 6,4;
          Rm 2,4 = Sb 11,23;
          Rm 2,11 = Eclo 35,12-13;
          Rm 2,15 = Sb 17,11;
          Rm 4,13 = Eclo 44,21;
          Rm 4,17 = Eclo 44,19;
          Rm 5,5 = Eclo 18,11;
          Rm 5,12 = Sb 2,24;
          Rm 9,4 = Eclo 44,12 / 2Mc 6,23;
          Rm 9,19 = Sb 12,12;
          Rm 9,21 = Sb 15,7;
          Rm 9,31 = Eclo 27,8 / Sb 2,11;
          Rm 10,7 = Sb 16,13;
          Rm 10,6 = Br 3,29;
          Rm 11,4 = 2Mc 2,4;
          Rm 11,15 = Eclo 10,20-21;
          Rm 11,33 = Sb 17,1;
          Rm 12,15 = Eclo 7,34;
          Rm 13,1 = Eclo 4,27;
          Rm 13,1 = Sb 6,3-4;
          Rm 13,10 = Sb 6,18;
          Rm 15,4 = 1Mc 12,9;
          Rm 15,8 = Eclo 36,20.
          • 1ª Epístola aos Coríntios
          1Cor 1,24 = Sb 7,24-25;
          1Cor 2,9 = Eclo 1,10;
          1Cor 2,16 = Sb 9,13;
          1Cor 4,13 = Tb 5,19;
          1Cor 4,14 = Sb 11,10;
          1Cor 6,2 = Sb 3,8;
          1Cor 6,12 = Eclo 37,28;
          1Cor 6,13 = Eclo 36,18;
          1Cor 6,18 = Eclo 23,17;
          1Cor 7,19 = Eclo 32,23;
          1Cor 9,19 = Eclo 6,19;
          1Cor 9,25 = Sb 4,2;
          1Cor 10,1 = Sb 19,7-8;
          1Cor 10,20 = Br 4,7;
          1Cor 10,23 = Eclo 37,28;
          1Cor 11,7 = Eclo 17,3 / Sb 2,23;
          1Cor 11,24 = Sb 16,6;
          1Cor 15,29 = 2Mc 12,43-44;
          1Cor 15,32 = Sb 2,5-6;
          1Cor 15,34 = Sb 13,1.
          • 2º Epístola aos Coríntios
          2Cor 5,1.4 = Sb 9,15;
          2Cor 12,12 = Sb 10,16.
          • Epístola aos Gálatas
          Gl 2,6 = Eclo 35,13;
          Gl 4,4 = Tb 14,5;
          Gl 6,1 = Sb 17,17.
          • Epístola aos Efésios
          Ef 1,6 = Eclo 45,1 / Eclo 46,13;
          Ef 1,17 = Sb 7,7;
          Ef 4,14 = Eclo 5,9;
          Ef 4,24 = Sb 9,3;
          Ef 6,12 = Sb 5,17;
          Ef 6,14 = Sb 5,18;
          Ef 6,16 = Sb 5,19.21.
          • Epístola aos Filipenses
          Fl 4,5 = Sb 2,19;
          Fl 4,13 = Sb 7,23;
          Fl 4,18 = Eclo 35,6.
          • Epístola aos Colossenses
          Cl 2,3 = Eclo 1,24-25.
          • 1ª Epístola aos Tessalonicenses
          1Ts 3,11 = Jdt 12,8;
          1Ts 4,6 = Eclo 5,3;
          1Ts 4,13 = Sb 3,18;
          1Ts 5,1 = Sb 8,8;
          1Ts 5,2 = Sb 18,14-15;
          1Ts 5,3 = Sb 17,14;
          1Ts 5,8 = Sb 5,18.
          • 2ª Epístola aos Tessalonicenses
          2Ts 2,1 = 2Mc 2,7.
          • 1ª Epístola a Timóteo
          1Tm 1,17 = Tb 13,7.11;
          1Tm 2,2 = 2Mc 3,11 / Br 1,11-12;
          1Tm 6,15 = Eclo 46,5 / 2Mc 12,15 / 2Mc 13,4.
          • 2ª Epístola a Timóteo
          2Tm 2,19 = Eclo 17,26 / Eclo 23,10 (vl) / Eclo 35,3;
          2Tm 4,8 = Sb 5,16;
          2Tm 4,17 = 1Mc 2,60.
          • Epístola a Tito
          Tt 2,11 = 2Mc 3,30;
          Tt 3,4 = Sb 1,6.
          • Epístola aos Hebreus
          Hb 1,3 = Sb 7,25-26;
          Hb 2,5 = Eclo 17,17;
          Hb 4,12 = Sb 18,15-16 / Sb 7,22-30;
          Hb 5,6 = 1Mc 14,41;
          Hb 7,22 = Eclo 29,14-16;
          Hb 11,5 = Eclo 44,16 / Sb 4,10;
          Hb 11,6 = Sb 10,17;
          Hb 11,10 = Sb 13,1 / 2Mc 4,1;
          Hb 11,17 = 1Mc 2,52 / Eclo 44,20;
          Hb 11,27 = Eclo 2,2;
          Hb 11,28 = Sb 18,25;
          Hb 11,35 = 2Mc 6,18-7,42;
          Hb 12,4 = 2Mc 13,14;
          Hb 12,9 = 2Mc 3,24;
          Hb 12,12 = Eclo 25,23;
          Hb 12,17 = Sb 12,10;
          Hb 12,21 = 1Mc 13,2;
          Hb 13,7 = Eclo 33,19 / Sb 2,17.
          • Epístola de Tiago
          Tg 1,1 = 2Mc 1,27;
          Tg 1,2 = Eclo 2,1 / Sb 3,4-5;
          Tg 1,13 = Eclo 15,11-20;
          Tg 1,19 = Eclo 5,11;
          Tg 1,21 = Eclo 3,17;
          Tg 2,13 = Tb 4,10;
          Tg 2,23 = Sb 7,27;
          Tg 3,2 = Eclo 14,1;
          Tg 3,6 = Eclo 5,13;
          Tg 3,9 = Eclo 23,1.4;
          Tg 3,10 = Eclo 5,13 / Eclo 28,12;
          Tg 3,13 = Eclo 3,17;
          Tg 4,2 = 1Mc 8,16;
          Tg 4,11 = Sb 1,11;
          Tg 5,3 = Jdt 16,17 / Eclo 29,10;
          Tg 5,4 = Tb 4,14;
          Tg 5,6 = Sb 2,10 / Sb 2,12 / Sb 2,19.
          • 1ª Epístola de Pedro
          1Pd 1,3 = Eclo 16,12;
          1Pd 1,7 = Eclo 2,5;
          1Pd 2,25 = Sb 1,6;
          1Pd 4,19 = 2Mc 1,24 etc.;
          1Pd 5,7 = Sb 12,13.
          • 2ª Epístola de Pedro
          2Pd 2,2 = Sb 5,6;
          2Pd 2,7 = Sb 10,6;
          2Pd 3,9 = Eclo 35,19;
          2Pd 3,18 = Eclo 18,10.
          • 1ª Epístola de João
          1Jo 5,21 = Br 5,72.
          • Epístola de Judas
          Jd 1,13 = Sb 14,1.
          • Livro do Apocalipse
          Ap 1,18 = Eclo 18,1;
          Ap 2,10 = 2Mc 13,14;
          Ap 2,12 = Sb 18,16[15];
          Ap 2,17 = 2Mc 2,4-8;
          Ap 4,11 = Eclo 18,1 / Sb 1,14;
          Ap 5,7 = Eclo 1,8;
          Ap 7,9 = 2Mc 10,7;
          Ap 8,1 = Sb 18,14;
          Ap 8,2 = Tb 12,15;
          Ap 8,3 = Tb 12,12;
          Ap 8,7 = Eclo 39,29 / Sb 16,22;
          Ap 9,3 = Sb 16,9;
          Ap 9,4 = Eclo 44,18 etc.;
          Ap 11,19 = 2Mc 2,4-8;
          Ap 17,14 = 2Mc 13,4;
          Ap 18,2 = Br 4,35;
          Ap 19,1 = Tb 13,18;
          Ap 19,11 = 2Mc 3,25 / 2Mc 11,8;
          Ap 19,16 = 2Mc 13,4;
          Ap 20,12-13 = Eclo 16,12;
          Ap 21,19-20 = Tb 13,17.

          Agora Tiago se o fato de não ser citado por Jesus ou pelos apóstolos fosse algum critério para designar um livro como “APÓCRIFO”, então vocês hereges protestantes deveriam igualmente ter tirado de suas Bíblias os seguintes livros: Esdras, Neemias, Rute, Ester, Eclesiastes, Cânticos, Abdias e Naum. Que nunca foram citados pelos apóstolos ou por Jesus Cristo.

          Por justiça deveriam ter acrescentado como “canônicos” os seguintes livros: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Henoc. Dos quais são feitas alusões no Novo Testamento, sendo o livro de Henoc e assunção de Moises citado por São Judas.
          Agora eu pergunto Tiago vocês hereges protestantes, não tem vergonha na cara de inventar fabulas e adulterar escritos e frases dos padres da igreja?

          Olha nós católicos, Jesus, os apóstolos e a historia estamos todos errados e vocês estão certos?

          DEIXE DE LOROTA TIAGO

          Curtir

          • Tiago disse:

            Edmilson

            Chego a conclusão que é inviável discutir com voce. Primeiro porque voce nao consegue manter um nível minimo de respeito em seus comentários. Segundo, voce nao consegue manter uma linha de racioncínio linear e fica misturando os assuntos que nao estão em pauta.

            Quanto as “mentiras” que voce afirma que eu estou colocando aqui sobre os Deuterocanonicos, leia com atenção os textos históricos de Jeronimo e outros mestres estudiosos da sua Igreja e verá que eles sao um assunto muito controverso, uma vez que a própria Helen reconheceu a veracidade destes escritos logicamente porque estão na história e alem do que disse que Jeronimo teria ” falhado” na sua interpretação sobre tais livros o que mostra a polêmica que gira em torno do assunto.

            Portanto, enquanto voce nao seguir a mesma linha de respeito e raciocínio coerente da sua colega Helen, ficará inviável nosso debate. Nao estou fugindo do debate, que fique claro. Mas voce posta textos muito cansativos de se ler e eu sequer estou lendo. Portanto, poupe seu próprio tempo…

            Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago após cair por terra as mentiras de que esses livros não estavam na bíblia e de que não eram citados e usados por Jesus e os apóstolos, vocês hereges sempre apresentam uma tentativa frustrada de defender a mutilação satânica de suas bíblias,

          Vocês dizem que eles dizem que usam o Cânon Hebraico e que nesse cânon Hebraico não existe tais livros;

          Tiago isso seria o mesmo que um Cristão qualquer recém convertido pegasse uma bíblia protestante hoje e afirmasse que a bíblia protestante sempre teve 66 livros, desconsiderando que até o século XIX todas as bíblias protestantes continham os 73 livros e só após o terceiro séculos da reforma protestante a sociedade bíblica internacional retirou os 7 livros, tanto é verdade que até hoje a versão protestante KING JAMES contem 73 livros. Sinal que nem sempre a bíblia protestante conteve apenas 66 livros. da mesma forma acontece com o cânon Hebraico, realmente hoje esse Cânon não contem os 7 livros deuterocanonicos, isso não quer dizer que sempre ele esteve dessa forma, os Hebreus no inicio do I século eram divididos entre 3 Seitas principais onde cada seita tinha uma idéia diferente sobre cânon.
          Fariseus (aceitavam todos os livros que existiam na biblioteca judaica como sendo inspirados).
          Saduceus (aceitavam apenas os cinco livros de Moises.)
          Essênios (aceitavam a septuarginta mais seus escritos particulares como salmos sectares.)
          Podemos ver quer em Israel nunca existiu um Cânon definido do AT, o único lugar no mudo que existia tal Cânon era na biblioteca de Alexandria onde 72 judeus sábios traduziam para o grego apenas o que realmente era canônico, esse cânon foi chamado de septuarginta que por sinal era usado pelos essênios seita no qual João Batista se formou, também foi usado pelos apostolo para levar o evangelho ao mundo gentílico já que na palestina os Cristãos pouco tinham acesso as escrituras Hebraicas. Mas voltando ao assunto do Cânon hebraico, quando ele foi definido exatamente:

          A resposta é simples; ele foi definido no chamado sínodo de jamnia que foi realizado no fim do século I e no inicio do século II, praticamente 70 anos depois da morte e ressurreição de Cristo.
          “Concílio de Jamnia foi o nome dado a um concílio que teria sido realizado no final do primeiro século sob a liderança do rabino Yochanan ben Zakai.O chamado Concílio de Jâmnia, realizado nos finais do século I d.C e inicio do II d.C, destinou-se a procurar um rumo para o judaísmo, após a destruição do Templo de Jerusalém, no ano 70 d.C. Nesse concilio os participantes decidiram considerar como textos canônicos do judaísmo apenas os que existiam em língua hebraica e que remontassem ao tempo do profeta Esdras.Apesar de a crítica moderna afirmar que vários livros que constam no Cânon Hebraico são posteriores ao tempo de Esdras (como é o caso do Livro de Daniel), os estudiosos explicam que os Fariseus não dispunham do método científico que existe hoje para se datar uma obra, ou mesmo para se atribuir a ela um autor. De qualquer forma, os critérios por eles adotados excluíram os livros deuterocanônicos do Cânon Hebraico farisaico, bem como evidentemente não aceitaram o Novo Testamento, pois uma tese para a realização desse concílio foi combater a Cristandade. Os judeus alexandrinos, representados hoje pelo judaísmo etíope e judaísmo egípcio , reconhecem a Septuaginta como inspirada e os livrosdeuterocanônicos. A preponderância do cânon de Jâmnia no Judaísmo moderno se deu pelo fato de os judeus da Europa, majoritários em Israel, seguirem esta tradição em detrimento da alexandrina. O (Concílio de Jâmnia não contou com a participação dos rabinos de Alexandria por razões de ordem político-teológica) e preconceituosa, por acharem eles inferiores aos rabinos habitantes da Terra Santa.As descobertas do Mar Morto e Massada mostram que entre os antigos judeus ainda não havia um cânon bíblico fixo ou instituído, pois o cânon da Septuaginta era usado entre os judeus de Israel e mesmo pelos Apóstolos / Discípulos de Cristo ao seu tempo; também após a morte dos apóstolos, os cristãos utilizaram-se desse cânon continuamente.O Cânone Hebraico de 39 livros, não foi realmente fixado em definitivo no Concílio de Jâmnia no inicio do século II. Como afirmam vários estudiosos, assim estudiosos como Leonard Rost garante que tais decisões demoraram muito para serem aceitas e até hoje não tiveram aceitação em algumas comunidades judaicas; como o caso dos judeus da Etiópia e do Egito.O Concílio de Jâmnia rejeitou vários livros (e livros canônicos pelos cristãos como Ester, Cântico dos Cânticos e Daniel, entre outros, conforme registro da Mishná) e demais escritos tradicionais, considerando-os como apócrifos (Ou seja: não admitindo serem obras inspiradas por Deus, pois indignas de fé sobrenatural em suas composições). Houve muitos debates acerca da aprovação de inúmeros outros livros. A tese de que o trabalho desse Concílio foi apenas ratificar aquilo que já era aceito por todos os judeus através dos séculos, carece de fundamento científico e é rejeitada por quase todos os especialistas católicos, protestantes, ortodoxos ou judeus (da diáspora).”
          Pelos visto, Tiago eu creio que vocês das seitas protestantes fecham os olhos para verdade de que seu Cânon foi definido pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo a morte e que perseguiam severamente os Cristãos, assim sendo esse Cânon utilizado por vocês protestantes foi definido para negar Jesus Cristo e o Novo Testamento, pois todo o Cânon possui suas regras para seu estabelecimento, sendo assim vocês protestantes se utilizando do Cânon farisaico coerentemente teriam que aceitar suas regras de estabelecimento e para sua tristeza Tiago e a dos protestantes essas regras não permitem que o NT seja incluído junto com o AT.
          As regras são:
          O livro não poderia ter sido escrito fora do território de Israel.
          O livro não poderia conter passagens ou textos em aramaico ou grego, mas apenas em hebraico.
          O livro não poderia ter sido redigido após a época de Esdras (458-428 aC).
          O livro não poderia contradizer a Lei de Moisés (Pentateuco).
          Vejam bem meus irmãos católicos, segundo essas regras utilizadas para o estabelecimento do Cânon farisaico, jamais os protestantes poderiam acrescentar o Novo Testamento pois as três primeiras regras contraria tanto os 7 livros como o Novo Testamento.
          Tanto os 7 livros quanto o NT foram escritos fora de Israel.
          Tanto os 7 livros quanto o NT foram escrito fora da língua Hebraica.
          Tanto os 7 livros quanto o NT foram escritos depois de Esdras.
          Resumindo tudo que os protestantes deixaram de seguir o Cânon usado por João Batista, Jesus e os apóstolos para seguir o Cânon editado pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo e perseguiam os Cristãos, cujas regras desse Cânon foram feitas para não aceitar o Novo Testamento.

          TIAGO TENHO MILHARES DE MILHARES DE LIVROS E ESCRITOS DA ÉPOCA DESSES FATOS OCORRIDOS ME PROCURE QUE TI PASSO A VERDADEIRA HISTÓRIA SEU PROBLEMA É QUE VOCÊ SÓ APRENDEU FABULA

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago a realidade é dura para os cegos né pois estudar a história verdadeira é abandonar as seitas os protestantes

          Uma vez num site tinha um cara engraçado como você Tiago que não sabia nada de história com fatos verídicos e ele começou a me dizer
          que existiu um período inter-biblico ates do nascimento de Jesus Cristo, onde nesse período não existiram profetas e nem homem inspirados por Deus, esse período foi entre o profeta Malaquias e o nascimento de Jesus Cristo onde Deus se calou com a humanidade e do nada ele enviou Jesus Cristo, Tiago isso parece piada, mas tem muitos hereges pregam essa baboseira.

          Mas Tiago eu deixo aqui um desafio; para você ou para qual quer historiador protestante que me trazer um escrito seja qual for, pode até ser em livros apócrifos onde um Cristão do primeiro século diz que existiu esse tal período ant-bíblico eu deixo de ser católico.

          É lógico que nunca um Cristão seja ele qual for disse uma baboseira dessas, isso é só mais uma das maluquices de vocês Tiago conhecidos como hereges protestantes,

          Muitos de vocês usam um escrito do historiador Flavio Josefo (aquele mesmo que eu uso para provar que as tribulações já aconteceram)

          Agora para sustentar essa heresia.
          O escrito de Flavio Josefo diz:
          Josefo: (nascido em c. 37/38 d.C.) “Desde Artaxerxes até os nossos dias foi escrita uma história completa, mas não foi julgada digna de crédito igual ao dos registros mais antigos, devido à falta de sucessão exata dos profetas”
          É Tiago veja a encrenca que vocês protestantes entraram,

          Flavio Josefo escreveu isso depois da morte e ressurreição de Cristo, ele diz claramente (até nossos dias) isso quer dizer que ele não considerou nem João Batista, nem os apóstolos e muito Jesus como algum profeta ou homem digno de fé. Será que esse grande historiador Flavio Josefo tem alguma autoridade para dizer qual livro era inspirado ou não? Um homem que não reconheceu nem Jesus e nem João Batista como um profeta!

          Esse herege é a fonte dos protestantes afffffff; além de usar o Cânon definido pelos fariseus que mataram Jesus Cristo, também quer utilizar como fonte doutrinal os escritos de um herege judeu que não reconhece Jesus Cristo. Esses protestantes estão em boas mãos. Mas como historiador Flavio josefo é excelente isso não posso negar.
          Mais Tiago como eu não deixo barato eu vou ti provar biblicamente que tanto os protestantes como esse grande historiador herege estão errados. Tanto Flavio Josefo quanto os protestantes dizem que a lei dos profetas terminou com o profeta Malaquias, porem Jesus Cristo diz que a lei dos profetas foi até João Batista.
          Lucas 16
          16. A lei e os profetas duraram até João. Desde então é anunciado o Reino de Deus, e cada um faz violência para aí entrar.
          Em quem acreditar? Nos protestantes junto com Josefo ou em Jesus Cristo? Eu particularmente acredito em Jesus Cristo. Mas os nossos amigos hereges podem dizer que, entre Malaquias e João Batista não existiram profetas e que Flavio Josefo está certo até um ponto esse ponto é que depois de Malaquias não existiram profetas, mas voltaram a existir com João Batista. Vamos ver o que a Bíblia sagrada diz:
          Lucas 2
          25. Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Este homem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele.
          26. Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não morreria sem primeiro ver o Cristo do Senhor.
          Lucas 2
          36. Havia também uma profetisa chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser; era de idade avançada.
          37. Depois de ter vivido sete anos com seu marido desde a sua virgindade, ficara viúva, e agora com oitenta e quatro anos não se apartava do templo, servindo a Deus noite e dia em jejuns e orações.
          38. Chegando ela à mesma hora, louvava a Deus e falava de Jesus a todos aqueles que em Jerusalém esperavam a libertação.
          Observando esses textos de são Lucas podemos entender que antes de João batista existiam um homem chamado Simeão que sofria de revelações divinas e uma profetisa chamada Ana que também recebia revelação de Deus.

          Será que Flavio Josefo e os protestantes estavam certos e São Lucas estava errado? Eu prefiro acreditar em São Lucas.
          Outra heresia desse grande historiador Flavio Josefo é:
          “Não pode haver, de resto, nada de mais certo do que os escritores autorizados entre nós, pios que eles não poderiam estar sujeitos a controvérsia alguma, porque só se aprova o que os profetas escreveram há vários séculos, segundo a verdade pura, por inspiração e por movimento do Espírito de Deus. Não temos, pois, receio de ver entre nós um grande número de livros que se contradizem. Temos somente vinte e dois que compreendem tudo o que se passou, e que se referem a nós, desde o começo do mundo até agora, e aos quais somos obrigados a prestar fé. Cinco são de Moisés, que refere tudo o que aconteceu até sua morte, durante perto de três mil anos e a seqüência dos descendentes de Adão. Os profetas que sucederam a esse admirável legislador escreveram, em treze outros livros, tudo o que se passou depois de sua morte até o reinado de Artaxerxes, filho de Xerxes, rei dos persas, e os quatro outros livros contêm hinos e cânticos feitos em louvor de Deus e preceitos para os costumes. Escreveu-se também tudo o que se passou desde Artaxerxes até os nossos dias, mas como não se teve, como antes, uma seqüência de profetas não se lhes dá o mesmo crédito, que aos outros livros, de que acabo de falar e pelos quais temos tal respeito, que ninguém jamais foi tão atrevido para tentar tirar ou acrescentar, ou mesmo modificar-lhes a mínima coisa. Nós os consideramos como divinos, chamamo-los assim; fazemos profissão de observá-los inviolavelmente e morrer com alegria, se for necessário, para prová-lo.” (Flavio Josefo, resposta a Ápia primeiro livros capítulo II)
          Se vocês perceberem ele cita apenas 13 profetas em seu Cânon com 24 livros, mas será que só existem 13 profetas no Cânon Hebraico? Vamos contar:
          Isaias, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oseías, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacue, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.
          Pois bem Tiago se vocês protestantes souberem contar até 16, perceberão que Flavio josefo incluiu em seu suposto Cânon de 24 livros apenas 13 profetas.

          Agora eu ti pergunto Tiago?

          Onde foram para os outros 3? Por esses erros jamais um Cristão poderia usar Flavio Josefo como fonte doutrinal para seu Cânon bíblico.

          Pois é Tiago a mentira acabou pois os 7 livros deuterocanonicos são mais do que inspirados.

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago, após eu ter acabado com todas as mentiras inventadas ao longo do tempo sobre o cânon Bíblico, vou acabar de uma vez por todas com as mentiras inventadas sobre cada um dos 7 livros, assim Tiago, eu provarei que não há contradição e muito menos os “supostos” erros doutrinais que vocês hereges protestantes juram existir. assim todos o leitores do site Ecclesia Militans perceberão que esses “supostos” erros e contradições existem sobre todos os livros bíblicos, que por justiça também deveriam ter sido retirado por vocês hereges.

          Até por que Tiago, dentro do cânon bíblico não se pode existir dois pesos e suas medidas. Vamos começar:

          Tiago, o seu primeiro erro protestante está no fato de tratar tais livros como “apócrifos”. vocês hereges nem sabem o que realmente significa a palavra “apócrifa”; apócrifa significa livros não públicos.

          Sendo os canônicos livros públicos, os apócrifos livros não públicos, ou seja, livros que não foram catalogados pelos os bispos da igreja católica em seu cânon oficial para serem usados em sua liturgia diária.

          Agora Tiago, vocês hereges ligam esse nome a livros “ocultos” como se esse oculto significasse algum tipo de mentiras ou ocultismo em tais livros, infelizmente isso não tem nada haver com a tese protestante. o “oculto” tem o significado de “não publico”, só isso e mais nada.

          Tais livros apócrifos, mesmo não estando catalogados como livros públicos “canônicos”, possuem total teor de informação e muitos são certamente, por exemplo. Já os 7 livros “ deuterocanônicos” do Antigo Testamento e os deuterocanincos do Novo Testamento jamais foram catalogados como apócrifos em algum momento da historia Bíblica, desde que o Cânon Bíblico passou a existir todos os deuterocanônicos sempre foram catalogados como livros canônicos, ou seja, “livros públicos”.

          Sendo assim Tiago, a primeira heresia protestante está no fato de chamar tais livros de apócrifos. Mas vamos agora passar para todos os livros deuterocanônicos e assim mostra que todos os “supostos” erros desses livros jamais existiram.

          Refutando os argumentos Protestantes

          1º) “TOBIAS-(200 a.C.)-É uma história novelística sobre a bondade de Tobiel (pai de Tobias) e alguns milagres preparados pelo anjo Rafael”:

          O primeiro erro do autor esta no nome do pai de Tobias, vejam que ele jamais leu esse livros para tentar encontrar algum tipo de erro, pois o nome do pai de Tobias é Tobit e não Tobiel.

          Sobre o fato de ser uma historia novelística, gostaria mesmo de saber desde quanto isso é argumento para se retirar algum livro da bíblia? Sendo assim por total justiça o cara deveria retirar livros como “Esther”, “Jô” e do profeta “Jonas” que também são livros novelísticas.

          2º) “justificação pelas obras – 4:7-11; 12:8”:

          Bem meus irmãos católicos, nesse caso as heresias não estão no livro e sim no autor dessa tese, ou ele não é muito chegado a ler sua bíblia ou ele tem sérios problemas satânicos, qual a parte bíblica que diz que nós seremos julgados “segundo as nossas obras” ele não conhece? Se o senhor nunca leu esse texto bíblico eu te apresento a Bíblia sagrada:

          Apocalipse 20
          12. Vi os mortos, grandes e pequenos, de pé, diante do trono. Abriram-se livros, e ainda outro livro, que é o livro da vida. E os mortos foram julgados conforme o que estava escrito nesse livro, segundo as suas obras.
          13. O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo, a morte e a morada subterrânea. Cada um foi julgado segundo as suas obras.
          Será que eu preciso ainda citar o livro de São Tiago ou esse herege fez como o maldito Lutero, retirou esse livro da bíblia sagrada?
          Tiago 2
          17. Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma.
          18. Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
          19. Crês que há um só Deus. Fazes bem. Também os demônios crêem e tremem.
          26. Assim como o corpo sem a alma é morto, assim também a fé sem obras é morta.
          Realmente a Bíblia sagrada não pode ficar nas mãos desses hereges.

          3º) “mediação dos Santos – 12:12”:

          Veja como o autor dessa baboseira Jamais leu o livro de Tobias é só mais um pastor papagaio, em nenhum momento o livro de Tobias mostra qualquer tipo de “mediação” ainda mais mediação dos Santos, o que o livro nos mostra é a intercessão dos Santos em apresentar nossas orações ao Deus Pais todo poderoso.

          Tobias 12
          12. Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor.
          13. Mas porque eras agradável ao Senhor, foi preciso que a tentação te provasse.
          14. Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara, mulher de teu filho.
          15. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.
          Será que esse infeliz realmente leu o livro de Tobias ou ele tem problemas de interpretação de texto? Veja que no versículo 12 e o verso 15 mostra a intercessão dos Anjos e não santos; mesmo assim se a intercessão dos Anjos forem heréticas então temos que retirar livros como apocalipse e Mateus da bíblia.

          Apocalipse 8

          3. Adiantou-se outro anjo e pôs-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os santos no altar de ouro, que está adiante do trono.
          4. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus.
          5. Depois disso, o anjo tomou o turíbulo, encheu-o de brasas do altar e lançou-o por terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos.
          Mateus 18
          10. Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque eu vos digo que seus anjos no céu contemplam sem cessar a face de meu Pai que está nos céus.

          Meu Deus, o autor dessa baboseira além de matar o livro de Tobias matou junto Mateus e apocalipse, durma com um barulho desses!

          4º) “superstições – 6:5, 7-9, 19”

          Gostaria mesmo de saber em que tese furada o senhor se baseia para afirmar tal baboseira. Vamos comparar tais versículos citados pelo autor e assim provar que ele deveria ter retirado mais livros de sua Bíblia:

          Tobias 6

          5. O anjo então disse-lhe: Abre-o, e guarda o coração, o fel e o fígado, que servirão para remédios muito eficazes. Ele assim o fez.
          Se eu não me engano a medicina alternativa era realmente muito usada na época, mas se isso for motivo para se retirar algum livro da bíblia o autor dessa baboseira deveria ter retirado o livro de Isaias também:
          Isaias 38
          21. Isaías disse então: Que tragam um cataplasma de figos para aplicar sobre a úlcera, e Ezequias sarará.
          Eu mesmo nunca tinha ouvido falar em cataplasma de figos, mas talvez o senhor tese furada não tenha o livro de Isaias em sua bíblia, mas vamos passar para outra baboseira dele que segundo sua ótica é uma superstição: vejam que o cara estava tão cego por satanás no momento em que escrevia a tal tese, que errou ate o capitulo, na verdade não era o capitulo 7 e sim o capitulo 8.

          Tobias 8

          1. Depois do jantar, introduziram o jovem no aposento de Sara.
          2. E Tobias, fiel às indicações do anjo, tirou do seu alforje uma parte do fígado e o pôs sobre brasas acesas.
          3. Nesse momento, o anjo Rafael tomou o demônio e prendeu-o no deserto do Alto Egito.
          Bem meus irmãos católicos, vou explicar biblicamente toda essa situação:
          Nossos amigos hereges acusam o livro de Tobias, pelo fato deles imaginarem que Tobias praticou algum tipo de arte mágica para expulsar o demônio, acusação totalmente sem pé e sem cabeça, Tobias usou um incenso com o fígado do peixe a pedido do Anjo Rafael, em nenhum momento o Anjo falou para ele que o incenso expulsaria o demônio! E sim que no momento em que ele usasse o incenso “o demônio seria posto em fuga” de sua esposa.

          Tobias 6
          18. Tu, porém, quando te casares e entrares na câmara nupcial, viverás com ela em castidade durante três dias, e não vos ocupareis de outra coisa senão de orar juntos.
          19. Na primeira noite, queimarás o fígado do peixe, ((e será posto em fuga o demônio.))

          Vejam o que o Anjo fala: ele diz que ao queimar o incenso será posto em fuga o demônio, ele não falou que o incenso faria isso, e sim que o incenso seria o sinal de que o fato ocorreria.
          Para entender isso devemos também entender o real significado do incenso!

          Levitico 16

          13. Porá o incenso no fogo diante do Senhor, para que a nuvem do perfume cubra o propiciatório da arca, e Aarão não morra.
          Os judeus usavam o incenso para entrar no lugar “santo dos santos” no templo e descobrir a arca da aliança, pois com aquela neblina do incenso o brilho da arca não faria mal algum ao sacerdote dentro do lugar “santo dos santos”.

          Para isso servia o incenso.

          Vejam que Tobias passava por uma provação, onde o Anjo Rafael até aquele momento não poderia se revelar como anjo e sim como um humano, assim não poderia deixar com que Tobias descobrisse que o exorcismo seria feito pelo Anjo Rafael que até o momento estava com uma identidade humana para provação de Tobias. Então o Anjo Rafael manda Tobias acenda o incenso dentro do quarto, onde o quarto ficaria totalmente cheio de fumaça para que ninguém observasse que o Anjo Rafael faria a obra do exorcismo.

          É só acompanhar cada versículo:

          Tobias 8
          3. Nesse momento, o anjo Rafael tomou o demônio e prendeu-o no deserto do Alto Egito.

          Perceberam? Quando se cobriu o quarto com a fumaça o Anjo Rafael pode fazer a obra e expulsar aquele demônio sem revelar que sua condição Angelical, assim o Anjo pode continuar sua provação sem problema algum.
          5º) “um anjo engana Tobias e o ensina a mentir 5:16 a 19”
          Realmente essa tese foi a melhor de todas as besteira que esse cidadão inventou, desde quando o Anjo Rafael menti no livro ou ensina alguém a mentir?
          O nome fornecido pelo anjo ao pai de Tobias era exatamente o nome demonstrativo de sua qualidade.

          Ananias – o Senhor tem sido misericordioso (por atender ao pedido se seu pai).

          Azarias – o Senhor ajudou (por que ele foi enviado pelo senhor “Deus Pai” para assim ajudar Tobias em sua missão)
          Tobias 5
          17. O anjo respondeu: Que é que procuras: a raça do servo, ou o próprio servo para acompanhar teu filho?
          18. Mas, para tranqüilizar-te: eu sou Azarias, filho do grande Ananias.
          19. És de família distinta, respondeu Tobit. Rogo-te que não me queiras mal por ter querido conhecer tua origem.
          A primeira coisa que devemos entender é o fato do Anjo ter recebido de Deus a missão de provar Tobias, essa provação consistiria em Tobias acreditar que Deus enviaria uma pessoa para lhe acompanhar em seu caminho até a media. Assim Deus enviou o Anjo em uma forma totalmente humana, logicamente Deus lhe concedeu uma identidade humana, nome e família, se fosse para o Anjo revelar naquele momento que ele era um Anjo, Deus não precisaria enviá-lo como humano e sim o enviaria como Anjo mesmo, mas temos que entende a incapacidade protestante eles são proibidos de pensar, o que existiu ali foi uma provação e não uma mentira tanto que no próprio livro o mesmo Anjo explica isso:

          Tobias 12

          11. Vou descobrir-vos a verdade, sem nada vos ocultar.
          13. Mas porque eras agradável ao Senhor, foi preciso que a tentação te provasse.
          15. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.
          Agora vamos supor que realmente o livro de Tobias não pode ser inspirado por que supostamente um Anjo usou de mentiras, sendo assim esse livro deveria ser retirado da bíblia, o que fazer então com um livro onde Deus envia um espírito de mentiras para boca de seus profetas?

          I Reis 22

          21. Então um espírito adiantou-se e apresentou-se diante do Senhor, dizendo: Eu irei seduzi-lo. O Senhor perguntou: De que modo?
          22. Ele respondeu: Irei e serei um espírito de mentira na boca de seus profetas. – É isto, replicou o Senhor. Conseguirás seduzi-lo. Vai e faze como disseste.
          23. O Senhor pôs um espírito de mentira na boca de todos os profetas aqui presentes, mas é a tua perda que o Senhor decretou.

          Bem Tiago um livro onde supostamente diz-se que um Anjo mentiu não pode estar na bíblia, mas um livro onde diz que Deus coloca um espírito de mentiras na boca de seus profetas pode? Tiago é Por isso que eu tenho nojo de pastores e historiadores protestantes que são pagos pela mídia protestante para mentir e fazer lavagem cerebral em leigos e com isso vender livros e ganhar fieis inocentes as custas da falsidade

          Curtir

          • Helen disse:

            Obrigada pela ótima contribuição, Edmilson!

            Curtir

          • Tiago disse:

            Edmilson,

            Primeiramente, cumpre ressaltar o significado da palavra APOCRIFO. Eles significam livros que nao fazem parte do Canon Biblico, e consequentemente, livros nao inspirados pelo Espírito Santo.

            Sobre os deuterocanonicos, eu e Helen chegamos num concenso de que tais livros são em si muito controversos quanto a sua canonização ou não baseado nos relatos históricos que eu trouxe dos quais nem ela e nem voce poderao fugir. Portanto pra mim já é assunto encerrado.

            Portanto, poupe-me de seus textinhos prontos tirados sabe-se lá de onde, uma vez que voce sequer cita suas fontes.

            Curtir

        • EDMILSON disse:

          Tiago, você é muito leigo pois as fabulas protestantes deixaram você com celulite no cérebro
          Amigo, o que eu mais vejo em sites protestantes são mentiras engraçadas
          E outra coisa Tiago! não existe ICAR, tenha respeito pelo menos,
          Se chama igreja católica apostólica romana.
          Tiago vi que você nem conhece patrística e muito menos história primitiva
          Se quiser aprender e se interessar ti mando as mais de 500 cartas que eram lidas nos 3 três primeiro século da era cristã
          E depois dessas 500 cartas a igreja católica selecionou os 27 Livros que iriam pertencer ao Novo Testamento
          Tiago se duvida e contesta isso que eu falo me refute me mostre o contrário mais por favor não me venha com fabulas
          Por enquanto Tiago vou ti da uma lista de 40 historiadores e escritores que viveram durante a época, ou até um século após , em que Jesus teria vivido
          Tiago me procure que ti ensino patrística e história primitiva OK
          Me da dó vê pessoas como você vivendo na mentira isso me da pega
          Olha tenho todas as obras e escritos desses escritores e historiadores da época de Jesus
          E mais traduzidas
          Me procure e aprenda de história e para de pregar estorinhas Tiago.
          Josefo

          Filon de Alexandria

          Plínio, o Velho

          Arriano

          Petrônio

          Díon Pruseus

          Paterculus

          Suetônio

          Juvenal

          Marcial

          Pérsio
          Plutarco
          Plínio, o Moço

          Tácito

          Justus de Tiberíades

          Apolônio

          Quintiliano

          Lucanus

          Eptectus

          Hermógenes
          Sílio Itálico

          Statius

          Ptolomeu

          Apiano

          Flegon

          Fedro

          Valério Máximo

          Luciano

          Pausânias
          Floro Lúcio

          Quinto Cúrcio

          Aulo Gélio

          Díon Crisóstomo

          Columella

          Valério Flaco

          Dâmis

          Favorino

          Lísias[nada

          Pompônio Mela
          Apiano de Alexandria

          Teão de Smyrna

          Tiago você é muito leigo pois as fabulas protestantes deixaram você com celulite no cérebro
          Amigo o que eu mais vejo em sites protestantes são mentiras engraçadas
          E outra coisa Tiago! não existe ICAR, tenha respeito pelo menos,
          Se chama igreja católica apostólica romana.
          Tiago vi que você nem conhece patrística e muito menos história primitiva
          Se quiser aprender e se interessar ti mando as mais de 500 cartas que eram lidas nos 3 três primeiro século da era cristã
          E depois dessas 500 cartas a igreja católica selecionou os 27 Livros que iriam pertencer ao Novo Testamento
          Tiago se duvida e contesta isso que eu falo me refute me mostre o contrário mais por favor não me venha com fabulas
          Por enquanto Tiago vou ti da uma lista de 40 historiadores e escritores que viveram durante a época, ou até um século após , em que Jesus teria vivido
          Tiago me procure que ti ensino patrística e história primitiva OK
          Me da dó vê pessoas como você vivendo na mentira isso me da pega
          Olha tenho todas as obras e escritos desses escritores e historiadores da época de Jesus
          E mais traduzidas
          Me procure e aprenda de história e para de pregar estorinhas Tiago.
          Josefo

          Filon de Alexandria

          Plínio, o Velho

          Arriano

          Petrônio

          Díon Pruseus

          Paterculus

          Suetônio

          Juvenal

          Marcial

          Pérsio

          Plutarco

          Plínio, o Moço

          Tácito

          Justus de Tiberíades

          Apolônio

          Quintiliano

          Lucanus

          Eptectus

          Hermógenes
          Sílio Itálico

          Statius

          Ptolomeu

          Apiano

          Flegon

          Fedro

          Valério Máximo

          Luciano

          Pausânias
          Floro Lúcio

          Quinto Cúrcio

          Aulo Gélio

          Díon Crisóstomo

          Columella

          Valério Flaco

          Dâmis

          Favorino

          Lísias[nada

          Pompônio Mela
          Apiano de Alexandria

          Teão de Smyrna

          Curtir

          • Tiago disse:

            Devo esclarecer a voce Edmilson que nao faltei com o respeito com a sua Igreja ao chamá-la de ICAR uma vez que sao as iniciais: I greja C atolica A postolica R omana (ICAR).

            Se fosse assim entao IBGE seria uma falta de respeito para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

            E quem é voce para falar de respeito?

            O mesmo Edmilson que exige respeito com relacao a uma simples abreviação é o mesmo Edmilson que me chama de “leitor de fábulas”, “decorador de textos”, “pesquisador de google” “celulite no cérebro” “herege”, etc

            Voce nao consegue ter respeito por quem diverge dos seus pensamentos, opinioes e ideias. Faz-me lembrar dos seus irmaos católicos do passado da “santa inquisição” que torturaram e lançaram na foqueira milhoes e milhoes de almas humanas que discordaram da “infalivel” Igreja Catolica Apostolica Romana. Ali vimos uma doutrina diabólica que ordenava matança, derramamento de sangue inocente “em nome de Deus”!

            Se dependesse de voce eu seria mais um a ser lançado na fogueira nao é mesmo?

            Mas tais planos hoje são frustrados porque graças ao meu Deus vivemos numa Democracia livre da tirania religiosa que outrora existiu.

            Deixe um pouco de lado os milhoes e milhoes de livros que voce diz ter, deixe um pouco de lado seu dogma intolerante e viva a Biblia Sagrada, meu irmao, e aprenda os ensinos do Nosso Senhor Jesus acerca do amor ao próximo!

            Curtir

            • Helen disse:

              Caro Tiago,

              Desculpe-me a falta de atenção, sinto-me um pouco negligente em não lhe dar muito atenção, mas tenho tentado freneticamente responder aos inúmeros comentário que parecem chegar ao mesmo tempo em vários posts…

              Alegro-me que o sr e o Edimilson ainda estejam “travando” este diálogo e intercambio tão salutar. Isso nos edifica a todos, tenho certeza!

              Agora, só por curiosidade, não foi para o sr que eu enviei uma resposta sobre a inquisição? Achei que tinha ficado claro que na verdade a Igreja nunca foi responsável por executar ninguém, mas sim por conduzir os julgamentos nos ditos tribunais inquisitivos!

              Pax Domini!

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Tiago,

              Sobre a inquisição, Tiago filho das trevas eu peço a você ou ti desafio a me que mostra um só documento do século XIII ao século XV ondem um Cristão diz que o tribunal do Santo Oficio condenou alguém a morte, aliás, peço a você que encontre nos escritos de Lutero algo sobre a Igreja mandar matar alguém, no dia que um protestante me mostrar um só documento Tiago, ai eu e você debatermos sobre inquisição. No mais,Tiago o tribunal do santo oficio que existe até hoje nunca condenou ninguém a morte, a única coisa que ele fez foi excomungar hereges como fez com Lutero, ou você acredita Tiago que se a igreja matasse seus adversários teria deixado Lutero e Calvino vivo?

              Só para termina, Tiago de qual o nome da plaqueta que você segue ? ou você é adepto da famosa igreja wikpediana?

              no Brasil já passa as 50 mil seitas Tiago tem igrejas de homossexuais igreja da maconha Mórmons adventista

              Cai na real Tiago vibrador me mostre autores e documentos de escritores da época da inquisição me mostre padres da igreja ou escritores eclesiásticos falando que a igreja matou seu vagabundo

              tenho tudo sobre inquisição

              se você vier com qual quer falsificação ti chamarei de satanás e de mentiroso sem alma

              aguardo você piadista

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              TIAGO me poupe fala eu de suas papagaiadas

              Eu ti digo Tiago tem a Bíblia um índice de Livros inspirados? Ou contém a Bíblia uma lista que declara autoritariamente quais livros devem fazer parte dela?

              Não, não tem Tiago. A lista dos livros que compõem o Cânon do Novo Testamento foi discutida durante os primeiros quatro séculos da história cristã.Por isso Tiago esse assunto cabe na época dos fatos.

              O Apocalipse, Hebreus, Tiago, 2Pedro e Judas são alguns dos livros cuja canonicidade foi controvertida. Em adição, alguns cristãos primitivos julgaram que obras como a Didaqué, a Epístola de Barnabé, o Pastor de Hermas e a Epístola de Clemente eram inspiradas. Não foi senão quase no século V (Concílio de Cartago, ano 397) que o Cânon oficial foi definido. Isto quanto ao Novo Testamento, mas quanto ao Antigo Testamento? Foi também tema de discussões definir quais os livros pertenciam ao Cânon do Antigo Testamento. [O próprio Concílio de Cartago tratou do assunto]. Santo Agostinho sustentou que os Apócrifos (Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, 1-2Macabeus e adições gregas a Ester e Daniel) eram canônicos, enquanto que São Jerônimo não os considerava como canônicos. De fato, o nome “Apócrifos” foi dado por São Jerônimo quando se empenhava no trabalho da Vulgata (tradução latina das Escrituras). Na versão hebraica das Escrituras, os Apócrifos eram comumente deixados de lado, enquanto que na versão grega (a Septuaginta) os Apócrifos foram incluídos.

              Desde aproximadamente o século V, os Apócrifos foram considerados Escrituras, embora não tivesse havido uma declaração que pusesse um ponto final.

              Tudo isso mudou quando os Reformadores determinaram o seu Cânon das Escrituras e rejeitaram os Apócrifos. Como resposta, a Igreja Católica, no Concílio de Trento, declarou a canonicidade dos livros Apócrifos, chamando-os “Deuterocanônicos”, ou seja, do Segundo Cânon.

              Por fim, sabemos que o eminente teólogo protestante Dr. RC Sproul os denomina “uma coleção falível de livros infalíveis”. Atualmente, os Luteranos não têm um Cânon estabelecido das Escrituras. São livres para considerar Hebreus, Tiago, 2 Pedro e São Judas (Epístolas) como não canônicos, e estão, também, livres para aceitar alguns livros Deuterocanônicos do Antigo Testamento como canônicos. Lutero originalmente chamou o livro de Tiago uma “epístola de palha” e não a aceitou como canônica. Quando os Reformadores Presbiterianos surgiram com sua lista canônica, usaram dois critérios: autoria apostólica e testemunho interior do Espírito.

              Desde que bons cristãos através dos tempos (Jerônimo e Agostinho, justamente esses dois) discordaram sobre quais livros eram inspirados, “o testemunho interior” de canonicidade não parece ser uma boa medida para determinar a canonicidade. Para a Cristandade histórica, o ensinamento da Igreja, que é “a coluna e o fundamento da Verdade”, é considerado como a autoridade para determinar quais dos escritos primitivos fazem parte do Cânon das Escrituras.

              A menos que você tenha uma fonte infalível para determinar quais livros compõem a Bíblia, que autoridade ela pode ter?

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              TIAGO VOCÊ NÃO ME RESPONDEU? POR QUE JESUS E OS APÓSTOLOS FAZEM VÁRIAS REFERÊNCIAS DOS 7 LIVROS QUE VOCÊS SAFADAMENTE DIZEM SER APÓCRIFOS? SE SÃO APÓCRIFOS POR QUE ELES SÃO REFERÊNCIAS EM VÁRIAS CARTAS BÍBLICAS?

              OLHA TIAGO PIADISTA

              Para refutar de vez esses seus argumentos chulos e falsos basta eu avaliar dois fatos
              As referências e citações dos Patriacas da Igreja aos livros deuterocanônicos – não vou me alongar muito seria humilhação demais, vou citare apenas três Patriacas, haja visto que são muitos os registros de citações Patrísticas aos deuteroncanônicos.

              A Carta de Barnabé
              “Desde que, portanto, [Cristo] estava prestes a se manifestar e sofrer na carne, seu sofrimento era prefigurado. Pois o profeta fala contra o mal,” Ai deles, porque causam dano a si mesmos.” [Is . 3:9], dizendo: “Cerquemos o justo, porque ele nos incomoda; é contrário às nossas ações; ele nos censura por violar a lei e nos acusa de contrariar a nossa educação.” [Sabedoria 2:12.] “(Carta de Barnabé 06:07 [AD 74]). As referências à tais livros contidas dentro do próprio Novo Testamento.

              Clemente de Roma nascido no ano 30 da era cristã foi o quarto papa da igreja
              E ELE DIZ
              “Pela palavra do seu poder [de Deus] estabeleceu todas as coisas, e por sua palavra ele pode derrubá-los.” Quem dirá a ele: ” Que fizeste tu? E quem se oporá a vosso julgamento? … Ou quem se levantará contra vós para defender os culpados? “[Sabedoria . 12:12] “(Carta aos Coríntios 27:5 [AD ca. 80]).

              Hipólito
              “O que é narrado aqui [na história de Susana] aconteceu em um momento posterior, embora seja colocada na frente do livro [de Daniel], pois era um costume com os escritores para narrar muitas coisas em uma ordem invertida em seus escritos …. [N] ós devemos dar atenção, amados, temendo que alguém seja surpreendido em alguma transgressão e arisque a perda de sua alma, sabendo como nós que Deus é o juiz de todos e da Palavra é o próprio olho, que nada do que é feito nos escape do mundo, portanto, sempre vigilante no coração e puro na vida, imitemos Susannah “(Comentário sobre Daniel [AD 204];. [. Dan 13] a história de Susana não está na protestante Bíblia)

              Veja mais uma vez Tiago as referências aos Deuterocanônicos contidas no Novo Testamento. – A maioria das referências ao Antigo Testamento contidas no Novo Testamento vêm da Bíblia Septuaginta, que como visto, continha os livros Deuterocanônicos. O que, por si só, comprova que esses livros eram sim considerados inspirados, tanto por Cristo como pelos Santos Apóstolos. Além disso, O historiador judeu Josefo, em sua Obra Contra Apion, fala de haver 22 livros no cânon da Bíblia hebraica, essa tradição judaica é relatada também pelo bispo cristão Atanásio.

              Olha Tiago há pelo menos uma centena delas no NT, mas farei apenas uma apanhado para manter-me breve:
              Heb 11:35 – Paulo ensina sobre o martírio da mãe e seus filhos descrito no livro Macabeus II 7:1-42.
              Mat. 6: 19-20 – A afirmação de Jesus sobre construir-se para si um tesouro no Céu é uma referência direta à Baruc 29:11.
              Mat 7:12 – Jesus expõe a “regra de ouro” que fala sobre não fazermos aos outros aquilo que não desejamos à nós mesmos. A regra de ouro saiu do livro de Tobias 4,15.
              Mat. 9:36 – A referência ao povo ser tal e qual “ovelhas sem um pastor” encontra-se no livro Judite 11,19
              Mar. 4: 15; 16-17 – A descrição sobre as sementes que caem em terreno rochoso encontra-se em Baruc 40,15.
              Mar. 9:8 – A descrição do Inferno danatorio, onde os vermes não morrem e o fogo não se extingue ou sacia saiu de Judite 16:17
              Lucas 1:42 – A declaração de Isabel à Maria como bem-aventuranç acima de todas as mulheres segue a declaração de Uzias em Judite 13:18.
              Lucas 1:52 – O Magnificat de Maria onde ela falando do poderosos caidos de seus tronos e substituídos pelo humilde segue de Baruc 10:14.
              Lucas 2:29 – A declaração de Simeão que diz estar pronto para morrer depois de ver o Menino Jesus segue Tobias 11:9.
              Lucas 13:29 – descrição do Senhor de homens vindos de leste e oeste a alegria de Deus segue Baruc 4:37.
              Lucas 21:24 – Utilização de Jesus da expressão “queda pelo fio da espada” saiu de Baruc 28:18.
              Lucas 24:4 e Atos 1:10 – A descrição de Lucas sobre os dois homens com vestes resplandecentes lembra-nos de 2 Macc. 3:26.
              João 10:22 – A descrição da festa da dedicação é tomada a partir de 1 Macc. 4:59.
              João 10:36 – Jesus aceita a inspiração dos Macabeus quanto faz uma analogia da consagração Hanukkah à sua própria consagração ao Pai em 1 Macc. 4:36.
              João 15:6 – Galhos que não dão fruto e são cortadas segue Sabedoria 4:5, onde galhos são quebrados.
              Desta forma, podemos ver que o processo de Canonização dos Deuterocanônicos foi uma necessidade percebida pela Igreja em oficializar aquilo que já era considerado Sagrada Escritura pela Igreja primitiva, e de modo algum foi uma mera reação à rejeição Reforma Luterana. O Cânon de Trento apenas confirmou as declarações do anterior e menos autoritários conselhos regionais que incluíam também os livros deuterocanônicos, como o Sínodo de Hipona (393) , e os Conselhos de Cartago de 397. Muito mais tarde (século 15), o Concílio de Florença ensinou a inspiração divina destes livros, mas “não formalmente declarou sua canonicidade”.

              TIAGO você acredita que Jesus edificou um livro, e mandou escrever seu evangelho e após a ressurreição se transformou em bíblia sagrada,e depois acabou os profetas, acabou as revelações, acabou Deus com sua Criação.

              OLHA TIAGO eu acredito que Cristo edificou a sua Igreja, mandou anunciar seu evangelho e voltou ao Pai, está conosco todos os dias, atuando e revelando a sua igreja pelo menos é isso que prega todos os padres da igreja em suas obras sermões epístolas cartas livros apologéticas estudos etc…

              TIAGO veja como você alterou as ordens dos valores, desde quando a Igreja tem que se basear apenas no que está escrito na bíblia?

              Sendo que a mesma precisou da autoridade dessa igreja para nascer e existir!

              Não foi a bíblia que edificou a igreja e sim a igreja quem edificou a bíblia, é a bíblia que tem que ser baseada nos fundamentos doutrinais da igreja, por isso a igreja definiu um cânon, os livros que não estavam de acordo com a doutrina da igreja

              TIAGO a igreja pode pregar qualquer coisa que não esteja escrito, pois São Paulo mandou a igreja guardar tudo o que foi ensinado (SEJA ESCRITO OU SEJA ORAL), já a bíblia não, a bíblia tem que conter apenas o que a igreja tem como doutrina, por isso mais de 500 livros foram expurgados se você quiser TIAGO TI PASSO TODOS ESSES LIVROS UM POR UM.

              APRENDA UMA COISA TIAGO que a igreja se baseia em Deus e no que Deus revela a ela, a igreja não se baseia apenas em alguma coisa que foi escrita, nós somos a religião da palavra (Jesus Cristo) e não a religião do livro, religião do livro se chama agnosticismo.

              Por isso São Paulo diz que A LETRA MARA.

              II COR 3
              6. Ele é que nos fez aptos para ser ministros da Nova Aliança, não a da letra, e sim a do Espírito. Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica.

              TIAGO agora observe as palavras de São Paulo, a nova aliança foi constituída pelo espírito e não pela LETRA, a antiga aliança morreu porque se baseava apenas na LETRA e isso os levou a matar o Filho de Deus.

              Veja que São Paulo diz que nós somos a CARTA DE CRISTO.

              II COR 3
              2. Vós mesmos sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens.
              3. Não há dúvida de que vós sois uma carta de Cristo, redigida por nosso ministério e escrita, não com tinta, mas com o Espírito de Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, em vossos corações.

              EU TI PERGUNTO TIAGO você sabe por que São Paulo diz que nós somos a carta de Cristo?

              A carta dele São Paulo? Isso é simples, por que ele sabia que a LETRA mata, se basear apenas na LETRA levou os fariseu as matarem Jesus Cristo, e São Paulo sabia que o ministério do Espírito seria anunciado a todas as gerações seja ESCRITO OU ORALMENTE, nada iria se perder. Por isso ele mesmo diz.

              “Assim, pois, irmãos, estai firmes e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.” (II Tessalonicenses capítulo 2 verso 15, Bíblia versão João Ferreira de Almeida)

              AGORA TIAGO sabe por que ele pede para se guardar tudo o que foi ESCRITO E O QUE FOI DITO ORALMENTE?

              Porque ele sabia que a LETRA penas matava, pois matou o judaísmo e está matando o protestantismo com suas 50 milhões de seitas, todas com suas verdades pessoais e ninguém fala a mesma língua, observação, todas com a mesma LETRA DEBAIXO DOS BRAÇOS.

              TIAGO vocês ainda querem justificar a heresia da sola scripture, ainda mais, sola scripture mutilada e adulterada.

              A nossa igreja é uma carta de cristo, ela guardou tudo, não ficou apenas com a Letra e a Letra precisou de sua autoridade para existir.

              TIAGO reveja seus conceitos meu rapaz, a bíblia não está acima da igreja e não é um Deus.

              Agora sobre as tradição poder se basear em tradições ou não, é simples, tente descobrir de qual livro do AT Mateus retirou a profecia de que Jesus seria chamado Nazareno, ou de onde Judas retirou a idéia de que um anjo e o demônio disputaram o corpo de Moises, e de onde ele retirou as profecias de Henoc sendo que na época de Henoc nem escrita existia,

              Meu caro TIAGO, os Apóstolos nunca foram adeptos da sola scripture, pois se basear apenas na LETRA MATA, sabe por que Jesus foi condenado? Porque ele trabalhou no sábado, ao fariseu procuraram na LETRA se tinha algo sobre trabalhar no sábado, com não tinha condenaram Jesus a morte, esse fariseus são os protestantes de hoje.

              Agora sobre o porque muitas seita nascem por ai, isso é simples, não tem nada a ver com se basear ou não na bíblia, até porque todas são adeptos da sola sacripture mutilada e adultera, essas seitas nascem por CAUSA DA AUTO INTERPRETAÇÃO, fora da Igreja coluna da verdade.

              Todas essas seitas, TJs, Adventistas, Mormons, seguem a mesma bíblia e sola scripture e todas usam o seu argumento para defender a sua ideologia.

              Sobre a igreja sustentáculo da verdade tem que ter fundamento bíblico, meu caro, TIAGO veja a besteria que você falou,saibas que até o ano 60 D.C nada do NT tinha sido escrito, mas o evangelho estava sendo pregado, até o século IV não existia cânon bíblico, cada comunidade lia o que bem queria, eram 500 livros espalhados pelas comunidade cristã, agora você me vem com essa de que uma Igreja tem que ter apenas princípios bíblicos?

              Pelo contrario meu rapaz, é a bíblia que tem que ter princípios da Igreja se assim não fosse você estaria lendo que Judas Scariotes era o Discípulo Amado e não traiu Jesus, apenas o libertou desse mundo a pedido do próprio Cristo.

              GILMAR MENESES você diz que a bíblia é a palavra de Deus, você comete mais um pecado, a palavra de Deus é o verbo encarnado, ou seja, Jesus Cristo, você chamar a bíblia de palavra de Deus se chama bibliolatria.

              TIAGO olha quem é a palavra de Deus.

              Apocalipse 19
              11. Vi ainda o céu aberto: eis que aparece um cavalo branco. Seu cavaleiro chama-se Fiel e Verdadeiro, e é com justiça que ele julga e guerreia.
              12. Tem olhos flamejantes. Há em sua cabeça muitos diademas e traz escrito um nome que ninguém conhece, senão ele.
              13. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome é Verbo de Deus.

              TIAGO você diz seguir apenas a bíblia, porém tudo o que você falou até agora é anti bíblico.

              Quem falou para você que só na bíblia se encontra as palavras de Jesus? Ele edificou uma Igreja ou um Livro?

              As palavra de São Paulo estão vivas, todas as que foram escritas como as que foram apenas transmitidas, por isso NÓS SOMOS A CARTA DELE, se São Paulo quisesse que todos seu ensinamento tivesse em um livro, ele teria escrito o livro de São Paulo e enviado esse mesmo livro a todas comunidade, ao invés de enviar alguma cartas diferentes para regiões diferentes, fora muitas cartas que foram perdidas.

              Como a carta de Laodiceia, São Paulo sabia disso, que nem tudo seria escrito e muitas coisas seriam perdidas, por isso ele diz NÓS SOMOS A CARTA DELE, e ordena que se guarde tudo o que foi escrito e o que foi dito oralmente.

              VAI POR MIM TIAGO essa de ler a bíblia e pedir a iluminação do senhor para entende-la, é a furada do milênio, vc só conseguir isso em comunhão com sua igreja, fora dele acontece o que aconteceu com o protestantismo 50 milhões de seitas, você diz ter iluminação para entender a bíblia, os TJs, os Adventistas, os Mormosn dizem o mesmo e ninguém fala a mesma língua.

              Ou seja que existe 50 milhões de Espírito Santo? O que te faz ter a certeza que a sua iluminação é melhor do que a dos TJs? Ou dos Judaizantes? Ele tb dizem seguir os principio bíblicos!

              AGORA TIAGO eu sigo as interpretações dos padres da igreja, pois eles conviveram com os apóstolos e sabiam o que ali estava escrito, e não deixaram o que não fora escrito morrer.

              No dia que você entender que Jesus enviou a sua igreja e mandou anunciar o evangelho ao invés de edificar seu livro e escrever seu evangelho, ai seu olhos serão abertos.

              TIAGO a bíblia é um livro sagrado e inspirado por Deus, mas é apenas mais uma das fontes de fé Cristã, não é a única, Deus não se calou com a humanidade depois que João morreu, e muito menos deixou de enviar seus profetas e suas revelações. O cristianismo nasceu com os apóstolos e não morreu com a morte dos apóstolos.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Pois é Tiago herege vocês protestantes jogam palavras na boca dos padres da Igreja e nem sequer citam fontes documentais, é muito fácil dizer que Jerônimo, Agostinho, Atanásio, Július não aceitaram tais livros, o impossível é provar com documentos verdadeiros coisa até agora não mostrada só adulterações baratas.

              Primeiro: Tiago herege o dever dos padres da Igreja era de questionar mesmo, questionar tudo, só assim eles conseguiram examinar tudo e reter o que é bom.

              Não extingais o Espírito. 20. Não desprezeis as profecias. 21.Examinai tudo: abraçai o que é bom. 22. Guardai-vos de toda a espécie de mal” (I Tessalonicenses capítulo 5)

              Agora Tiago se todos os livros que passaram por algum tipo de exame ou foram questionados pela patristíca fossem retirados do cânon protestante, jamais o cânon protestante teria livros como: Tiago, II Pedro, III João, Judas e Apocalipse.Eu fico imaginando o que seria de vocês protestantes sem o livro do Apocalipse, o que vocês usariam para aliciar seus fieis?

              Mas Euzébio diz em História Eclesiástica que esses livros por mim mencionados, não eram aceitos como canônicos até o IV século.

              De Pedro reconhecemos uma única carta, a chamada I de Pedro. Os próprios presbíteros antigos utilizaram-na como algo indiscutível em seus próprios escritos. Por outro lado, sobre a chamada II carta, a tradição nos diz que não é testamentária; ainda assim, por parecer proveitosa a muitos, é tomada em consideração junto com as outras Escrituras.

              Pois bem, os escritos que levam o nome de Pedro, dos quais somente uma única carta conhecemos como autêntica e admitida pelos presbíteros antigos, são os já referidos” (Historia Eclesiástica III Livro III Euzébio de Cesaréia)

              Estes são os ditos admitidos. Dos livros discutidos, por outro lado, mas que são conhecidos da grande maioria, temos a Carta dita de Tiago, a de Judas e a segunda de Pedro, assim como as que se diz serem segunda e terceira de João, sejam do próprio evangelista, seja de outro com o mesmo nome” (Historia Eclesiástica XXV Livro III Euzébio de Cesaréia)

              Quanto aos Atos que levam seu nome e o Evangelho dito como seu, assim como a Pregação que se diz ser sua e o chamado Apocalipse, sabemos que de modo algum foram transmitidos entre os escritos católicos, pois nenhum autor eclesiástico, nem antigo nem moderno, utilizou testemunho tirado deles” (Historia Eclesiástica III Livro III Euzébio de Cesaréia)

              Entre os espúrios sejam listados: o escrito dos Atos de Paulo, o chamado Pastor e o Apocalipse de Pedro, e além destes, a que se diz Carta de Barnabé e a obra chamada Ensinamento dos Apóstolos, e ainda, como já disse, talvez, o Apocalipse de João: alguns, como disse, rechaçam-no, enquanto outros o contam entre os livros admitidos” (Historia Eclesiástica III Livro XXV Euzébio de Cesaréia).

              Tiago se for retirar qualquer livro contestado pelos padres da Igreja, a Bíblia protestante ficará mais fina do que já é.

              Sobre os padres citados, vou começar com Jerônimo, onde ele mesmo(Jerônimo) diz que a não aceitação dos livros deuterocânonicos (falando sobre as adições de Daniel) não era pensamento dele próprio e sim ele(Jerônimo) estava apenas expondo os pensamentos Judaicos.

              “Mas quando eu repeti o que os judeus dizem contra história de Susana, o hino dos 3 Jovens, e a estória de Bel e o Dragão, que não estão contidos na bíblia hebraica, o homem que fez esta acusação contra mim prova que ele mesmo é um tolo e um caluniador. Pois eu expliquei não o que eu pensava, mas o que eles comumente diziam contra nós. Eu não refutei a opinião deles no prefácio por que eu sendo breve, e cuidadoso para não parecer que eu não estava escrevendo um prefácio e sim um livro. Eu disse, portanto, ‘aqui não agora não é o momento para entrar em discussão sobre isto” (Apologia contra Rufino, Livro 2, 33)

              O próprio Jerônimo, diz estar submetido ao concílio de Nicéia e a inclusão dos deuterocânonicos nesse concílio.

              “Entre os judeus, o livro é chamado de apócrifo; […]. Além disso, desde que foi escrito em língua Caldéia, é encontrado entre os livros históricos. Mas desde o Concílio de Nicéia é contato junto ao número das Escrituras Sagradas, eu tenho me submetido à sua decisão (ou deveria dizer obrigação!)” (JERONIMO, 430)

              Aqui Tiago fica claro que Jerônimo aceitava a decisão do concilio de Nicéia e os deuterocânonicos como Escrituras Sagradas.

              No 170 D.C,Existia a chamada (VETUS LATINA) e para sua infelicidade Tiago, nela contem todos os deuterocânonicos.

              Se você quiser saber sobre a (VETUS LATINA), entre nesse link:

              http://www.vetuslatina.org/

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Tiago mentiro só você não me trouxe não um só documento do século IV e V onde comprova as suas fabulas satânicas protestantes,

              Olha Tiago funesto livros e historiadores não são fontes, ELE TEM QUE TE FORNECER UMA FONTE DA ÉPOCA, tanto tempo de debate e não aprendeu isso? Pois se um historiador lhe trouxer um livro onde ele diz que seu pai é assassino e traficante, seu pai passará a ser assassino e traficante porque o desgraçado escreveu isso em seu livro? Tiago é muito fácil para tais (supostos historiadores) meterem o pau em pessoas que hoje não podem mais se defenderem, Tiago herege TENHA CARÁTER e me traga os documentos históricos da época que ele usaram SOBRE PAPAS E SOBRE OS 7 LIVROS FORA DAS BÍBLIAS PROTESTANTES! Seja mais do que a papagaia que você está sendo até agora. É TÃO ENGRAÇADO ESSE SOFISMA protestante, pedimos uma fonte documental e o infeliz me vem com nome de historiador, isso quando não vem com as barbáries do Wikpedia.

              Eu ti peço herege Tiago
              Sobre as lendas e fabulas em cima da inquisição, me traga 5 nomes de pessoas que foram condenadas a morte pelo tribunal do santo oficio.

              MEU DEUS, COMO O PROTESTANTISMO É UMA DESGRAÇA, não tem como se defender inventam históricas, TIAGO OLHA, FALSO TESTEMUNHO TAMBÉM É PECADO MORTAL.

              Tiago o que interessa é o conteúdo, até porque se você não sabe a bíblia só foi dividida em capitulo e versículo no século XIV pela mesma igreja que você persegue.

              Você pode posta o que você quiser aqui no site da Helen pois se esse blog fosse meu você a muito tempo já seria humilhado e escrachado pois só fala fala , mais documentos autores e época nada só me vem com falsificações mentiras e contradições barata agora Tiago o duro será você me provar que isso existiu. FALAR ATÉ papagaio fala, E VOCÊ É UM EM FORMA DE GENTE.

              Curtir

            • JAIME disse:

              POBRE TIAGO!VOCÊ SE ENROLOU POIS EU ESTAVA VENDO AQUI! O SEU DEBATE COM O EDMILSON, E VOCÊ ESTÁ SENDO HUMILHADO

              TIAGO VOCÊ NÃO TEM VERGONHA NA CARA MESMO EM KKKKKKK

              UM PROTESTANTE DISCUTIR PATRÍSTICA E HISTÓRIA COM O EDMILSON
              É O MESMO QUE UM PROTESTANTE QUERER VOAR E NÃO TER ASAS

              E VOCÊ DANÇOU, CAIU NUMA CILADA VAI POR MIM TIAGO!
              VOCÊ É RIDÍCULO OLHA VOU TI DA UM SIMPLES CONSELHO PARA VOCÊ PODER DEBATER COM O EDMILSON É PRECISO VOCÊ TRAZER AUTORES E ESCRITOS DA ÉPOCA DOS FATOS OCORRIDOS

              VAI OUTRO CONSELHO TIAGO TRAGA ALGO AUTENTICO
              POIS FALSIFICAÇÃO DA CADEIA.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Tiago vocês protestantes capricharam nas mentiras de um modo geral atacando a IGREJA CATÓLICA, mas principalmente o papado.

              Tiago que Deus tenha piedade de suas almas tuteladas pelo demônio!

              No ultimo debate que tive com um vibrador como você ele me citou um documento inexistente chamado “DECRETAL TRANSL. APISC.”.

              Mais quando pedi o nome pra ele você sabe é sempre a mesma lorota Tiago ele foi incapaz de me informar a origem e o nome do autor.

              Interessante notar é que você Tiago e todas as seitas protestantes descaradamente seguem o mesmo esquema.

              O nome do documento vem sempre escrito, em todas as páginas, da mesma forma denunciando assim que os ditos “evangélicos” não estão coisíssima nenhuma preocupados com a veracidade da informação.

              Tiago se você Tiago se você tiver peito para contestar o que escrevi, por favor não passe vontade. É só transcrever para nós o documento original INFORMANDO O NOME DO AUTOR e outros dados tais como data e local onde foi escrito.

              Tiago me dá até pena ver que gente até alfabetizada seja capaz de acreditar numa mentira como esta: “…

              Tiago também, convenhamos: pessoalmente poderiam até ser corruptos para Cristo não garantiu que os apóstolos e seus sucessores não poderiam pecar.

              Tanto assim Tiago que pecados os hereges até podem encontrar, porém vocês jamais encontrarão qualquer ensino de um papa que contenha erro doutrinal.

              E OUTRA TIAGO
              Existem mais de 50 milhões de Cristo sendo cultuado por ai, tenho certeza que nem você sabe qual o Cristo que você cultua.
              Porem como eu te falei Tiago
              Se para você a igreja deixou de ser igreja por que alguns decaíram, então DEUS NÃO É DEUS, pois no reino dos céus, 1/3 de seus anjos também decaíram.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              TIAGO AGORA EU TI PERGUNTO! VOCÊ sabe quem foram os nicolaidas citado por João?

              Os nicolaidas eram da seita de Nicolau, esse Nicolau foi um dos 7 diáconos escolhidos a dedo pelos apóstolos EM ATOS, junto de Santo Estevão.

              Pois bem, Nicolau um dos 7 diáconos decaiu e formou uma seita política dentro da apostasia, E POR ACASO EU TI PERGUNTO TIAGO? OS APOSTOLOS desistiram da Igreja? Largaram mão de tudo por causa dos decaídos?

              QUE PENA MESMO TIAGO!QUE A SUA CASA FOI CONSTRUÍDA NA AREIA E NÃO NA ROCHA QUE É SÃO PEDRO!

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Tiago veja os graves Erros da Bíblia protestante King James.
              No link: http://www.topnoticias.org/igreja-da-inglaterra-descobre-exemplar-raro-da-biblia-king-james/ lemos que a pequena igreja anglicana de St. Laurence, em Hilmarton, uma aldeia inglesa, acaba de fazer uma descoberta notável.

              Trata-se de uma peça original da Bíblia King James, impressa em 1611, e das quais apenas 200 unidades, mais ou menos, sobreviveram.

              A Bíblia tem 400 anos e é o livro mais importante já impresso na Inglaterra. A sua relevância foi tema do filme “O Livro de Eli”, com Denzel Washington, Gary Oldman, Mila Kunis e Jennifer Beals.

              Na Igreja de St. Laurence, a Bíblia estava depositada numa mesa, perto da última fila de bancos, há muitos anos.

              Ela sempre esteve ali, ninguém se lembra desde quando. Junto com o livro, uma placa, escrita à mão, dizia que o exemplar era original, fazia parte da segunda impressão, datada de 1611, e que havia sido encontrada na igreja, em 1857. Mas ninguém acreditava no aviso, disse à CNN, Geoff Procter, membro do Conselho Paroquial.

              Porém, como o aniversário da publicação da Bíblia King James se aproximava, o Conselho decidiu investigar a veracidade da informação.

              A Bíblia foi levada ao Reverendo David Smith, especialista no Museu do Livro, em Londres.

              David Smith abriu o livro e o identificou como original imediatamente, graças a um erro de impressão.

              A Bíblia King James teve duas edições e há algumas diferenças de impressão entre elas. Na primeira edição está escrito no Livro de Ruth 3:15: “Ele entrou na cidade”, enquanto a segunda edição traz: “Ela entrou na cidade”.

              Na segunda edição, no Evangelho de Mateus, onde deveria estar escrito que “Jesus entrou no Jardim do Getsêmani e disse aos seus discípulos”, estava escrito que “Judas, que traiu Jesus, entrou no jardim”, e foi este erro que permitiu que Smith determinasse exatamente o ano da impressão da Bíblia, disse Procter.

              ————–

              Corrigindo o autor do texto acima: isso não é “erro de impressão”, mas gravíssimo de tradução. Onde já se viu confundir homem com uma mulher e o Filho de Deus com o seu traidor? O pior de tudo é que festejam isso e ainda fazem cineminha.

              Para conhecer outras graves CORRUPÇÕES E MUTILAÇÕES DAS BÍBLIAS PROTESTANTES, acesse: http://caiafarsa.wordpress.com/corrupcao-e-mutilacao-das-biblias-protestantes/

              Curtir

        • EDMILSON disse:

          Volto a repetir herege Tiago que o nome apócrifos, na verdade, são diversos livros excluídos pela Igreja como não inspirados e dentre estes não entram os 7 livros a que os evangélicos se referem falsamente como sendo apócrifos. São eles os livros DEUTEROCANÔNICOS, constantes da versão grega, a SEPTUAGINTA.
          E suas referências se encontram, inclusive, nas Bíblia protestantes:

          Vejamos

          1 – Bíblia hebraica, Texto Massorético (TM): “toque os pilares”
          Septuaginta (LXX) e Almeida: “apalpe os pilares”. “(José 16,:26)

          2 – TM: “que Josafá FEZ DEZ NAVIOS de Társis para
          ir para Ofir”
          LXX e Almeida:“Josafá FEZ NAVIOS de Társis para ir para
          Ofir“ (1 Reis 22:48)

          3 – TM: “da cidade”“
          LXX e Almeida: “do pátio” (2 Reis 20:4);

          4 – TM: “o monte da casa de Sião”
          LXX e Almeida: “o monte da filha de Sião”. “(Isaias 10:32);

          5 – TM: “pedaços de”
          LXX e Almeida: “caldo de”. “(Isaias 60:4)

          Agora Tiago uma divergência importante:

          6 – TM: “Eis que uma jovem conceberá”
          LXX e Almeida: “Eis que a virgem conceberá”

          O Novo Testamento, neste caso, segue a LXX, quando se refere a essa profecia: “Eis que uma virgem conceberá” (São Mateus 1,23)

          7 – O próprio Jesus fez a leitura dos LXX na sinagoga de Nazaré:

          TM e ALMEIDA: “O Espírito do SENHOR DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos MANSOS; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a ABERTURA DA PRISÃO AOS PRESOS”(Is.61:1-2,

          LXX e N. TESTAMENTO:“O Espírito do SENHOR é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar OS POBRES, enviou-me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, a DAR VISTA AOS CEGOS” “(Is.61:1-2; Lc 4,18-19

          E seguem-se muitos outros exemplos que, se houver interesse se pode ver em http://www.mail-archive.com/debate_biblico@yahoogrupos.com.br/msg16701.html

          AGORA TIAGO EU PASSO A COLOCAR AS REFERÊNCIA AOS DEUTEROCANÔNICOS QUE VOCÊS OS CONHECIDOS ARTICULISTAS DIZEM NÃO TER TER SIDO CITADOS POR JESUS OU PELOS APÓSTOLOS.

          Comecemos por São Paulo:

          “Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados, movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa” (Hebreus 11,35).

          Clara referência ao martírio dos sete irmãos pelo cruel Antíoco:

          “Chegado já ao último alento, disse: ‘Tu, celerado, nos tiras desta vida presente. Mas o Rei do mundo nos fará ressurgir para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis’” (2 Macabeus 7,9).

          Tiago aprenda mas uma coisa saibas que em toda a Bíblia não há só episódio parecido com isso a não ser em 2 Macabeus..

          Há alusões a livros deuterocanônicos:

          1 – Sb (Rm 1,19ss; Hb 8,14),

          2 – Tb (Ap 8,2),

          3 – 2Mc (Hb 11,34s),

          4 – Eclo (Tg 1,19),

          5 – Jt (1Cor 2,10)1

          1 – SABEDORIA: “Porquanto o que se pode conhecer de Deus eles o lêem em si mesmos, pois Deus lho revelou com evidência. Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, o seu sempiterno poder e divindade, se tornam visíveis à inteligência, por suas obras; de modo que não se podem escusar. Porque, conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, extraviaram-se em seus vãos pensamentos, e se lhes obscureceu o coração insensato…”” (Romanos 1, 19ss);

          – TOBIAS: “Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombeta” (Apocalipse 8,2) – Tobias : – “Eu sou Rafael, um dos sete que estão sempre presentes e têm acesso junto à Glória do Senhor” (Tobias 12,15)

          – 2MACABEUS – “… extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio de espada, triunfaram de enfermidades, foram corajosos na guerra e puseram em debandada exércitos estrangeiros. Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados, movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa. Outros sofreram escárnio e açoites, cadeias e prisões. Foram apedrejados, massacrados, serrados ao meio, mortos a fio de espada. Andaram errantes, vestidos de pele de ovelha e de cabra, necessitados de tudo, perseguidos e maltratados… ” Hebreus 11,34 ss)

          – 2MACABEUS – “Chegado já ao último alento, disse: ‘Tu, celerado, nos tiras desta vida presente. Mas o Rei do mundo nos fará ressurgir para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis” (2Macabeus 7,9)

          – ECLESIÁSTICO – “Já o sabeis, meus diletíssimos irmãos: todo homem deve ser pronto para ouvir, porém tardo para falar e tardo para se irar” (São Tiago 1,19)

          – ECLESIÁSTICO – “Sê pronto para escutar, mas lento para dizer a resposta” (Eclo 5,11)

          – JUDITE – “Todavia, Deus no-las revelou pelo seu Espírito, porque o Espírito penetra tudo, mesmo as profundezas de Deus” (1Coríntios 2,10)

          Tiago criança inocente Se “não ser citado por Jesus ou pelos apóstolos” fosse critério para designar um livro como “APÓCRIFO”, então os evangélicos deveriam igualmente ter tirado de suas Bíblias os seguintes livros: Esdras, Neemias, Rute, Eclesiastes, Cânticos, Abdias, Naum e Provérbios.

          Por justiça deveriam ter acrescentado “canônicos” os seguintes livros: Salmos de Salomão, 1 e 2 Esdras, 4 Macabeus, Assunção de Moisés e o livro de Enoc.dos quais são feitas alusões no Novo Testamento e o livro e Enoc é citado por São Judas.

          Tiago novamente apresento uma exaustiva lista de referências do Novo Testamento aos livros deuterocanônicos do Antigo Testamento (aqueles que os protestantes retiraram de suas Bíblias).

          REFERÊNCIAS POR ORDEM DO NOVO TESTAMENTO[/]i]

          • Evangelho segundo Mateus
          Mt 4,4 = Deut 8,3;
          Mt 4,15 = 1Mc 5,15;
          Mt 5,18 = Br 4,1;
          Mt 5,28 = Eclo 9,8;
          Mt 5,2-4 = Eclo 25,7-12;
          Mt 5,4 = Eclo 48,24;
          Mt 6,7 = Eclo 7,14;
          Mt 6,9 = Eclo 23,1.4;
          Mt 6,10 = 1Mc 3,60;
          Mt 6,12 = Eclo 28,2;
          Mt 6,13 = Eclo 33,1;
          Mt 6,20 = Eclo 29,10-11;
          Mt 6,23 = Eclo 14,10;
          Mt 6,33 = Sb 7,11;
          Mt 7,12 = Tb 4,15 / Eclo 31,15;
          Mt 7,16 = Eclo 27,6;
          Mt 8,11 = Br 4,37;
          Mt 8,21 = Tb 4,3;
          Mt 9,36 = Jdt 11,19;
          Mt 9,38 = 1Mc 12,17;
          Mt 10,16 = Eclo 13,17;
          Mt 11,14 = Eclo 48,10;
          Mt 11,22 = Jdt 16,17;
          Mt 11,25 = Tb 7,17 / Eclo 51,1;
          Mt 11,28 = Eclo 24,19 / Eclo 51,23;
          Mt 11,29 = Eclo 6,24-25 / Eclo 6,28-29 / Eclo 51,26-27;
          Mt 12,4 = 2Mc 10,3 ;
          Mt 12,5 = Eclo 40,15;
          Mt 13,44 = Eclo 20,30-31;
          Mt 16,18 = Sb 16,13;
          Mt 16,22 = 1Mc 2,21;

          Mt 16,27 = Eclo 35,22;
          Mt 17,1 = Eclo 48,10;
          Mt 18,10 = Tb 12,15;
          Mt 20,2 = Tb 5,15;
          Mt 22,13 = Sb 17,2;
          Mt 23,38 = Tb 14,4;
          Mt 24,15 = 1Mc 1,54 / 2Mc 8,17;
          Mt 24,16 = 1Mc 2,28;
          Mt 25,35 = Tb 4,17;
          Mt 25,36 = Eclo 7,32-35;
          Mt 26-38 = Eclo 37,2;
          Mt 27,24 = Dn 13,46;
          Mt 27,43 = Sb 2,13 / Sb 18-20.
          • Evangelho segundo Marcos
          Mc 1,15 = Tb 14,5;
          Mc 4,5 = Eclo 40,15;
          Mc 4,11 = Sb 2,22;
          Mc 5,34 = Jdt 8,35;
          Mc 6,49 = Sb 17,15;
          Mc 8,37 = Eclo 26,14;
          Mc 9,31 = Eclo 2,18;
          Mc 9,48 = Jdt 16,17;
          Mc 10,18 = Eclo 4,1;
          Mc 14,34 = Eclo 37,2;
          Mc 15,29 = Sb 2,17.
          • Evangelho segundo Lucas
          Lc 1,17 = Eclo 48,10;
          Lc 1,19 = Tb 12,15;
          Lc 1,19 = Tb 12,15;
          Lc 1,42 = Jdt 13,18;
          Lc 1,52 = Eclo 10,14;
          Lc 2,29 = Tb 11,9;
          Lc 2,37 = Jdt 8,6;
          Lc 6,35 = Sb 15,1;
          Lc 7,22 = Eclo 48,5;
          Lc 9,8 = Eclo 48,10;
          Lc 10,17 = Tb 7,17;
          Lc 10,19 = Eclo 11,19;
          Lc 10,21 = Eclo 51,1;
          Lc 12,19 = Tb 7,10;
          Lc 12,20 = Sb 15,8;
          Lc 13,25 = Tb 14,4;
          Lc 13,27 = 1Mc 3,6;
          Lc 13,29 = Br 4,37;
          Lc 14,13 = Tb 2,2;
          Lc 15,12 = 1Mc 10,29[30] / Tb 3,17;
          Lc 18,7 = Eclo 35,22;
          Lc 19,44 = Sb 3,7;
          Lc 21,24 = Tb 14,5;
          Lc 21,24 = Eclo 28,18;
          Lc 21,25 = Sb 5,22;

          Lc 24,4 = 2Mc 3,26;
          Lc 24,31 = 2Mc 3,34;
          Lc 24,50 = Eclo 50,20-21;
          Lc 24,53 = Eclo 50,22-23.
          • Evangelho segundo João
          Jo 1,3 = Sb 9,1;
          Jo 3,8 = Eclo 16,21;
          Jo 3,12 = Sb 9,16 / Sb 18,15-16;
          Jo 3,13 = Br 3,29;
          Jo 3,28 = 1Mc 9,39;
          Jo 3,32 = Tb 4,6;
          Jo 4,9 = Eclo 50,25-26;
          Jo 4,48 = Sb 8,8;
          Jo 5,18 = Sb 2,16;
          Jo 6,35 = Eclo 24,21;
          Jo 7,38 = Eclo 24,40 / Eclo 43,30-31;
          Jo 8,44 = Sb 2,24;
          Jo 8,53 = Eclo 44,19;
          Jo 10,20 = Sb 5,4;
          Jo 10,22 = 1Mc 4,59;
          Jo 14,15 = Sb 6,18;
          Jo 15,9-10 = Sb 3,9;
          Jo 17,3 = Sb 15,3;
          Jo 20,22 = Sb 15,11.
          • Atos dos Apóstolos
          At 1,10 = 2Mc 3,26;
          At 1,18 = Sb 4,19;
          At 2,4 = Eclo 48,12;
          At 2,11 = Eclo 36,7;
          At 2,39 = Eclo 24,32;
          At 4,24 = Jdt 9,12;
          At 5,2 = 2Mc 4,32;
          At 5,12 = 1Mc 12,6;
          At 5,21 = 2Mc 1,10;
          At 5,39 = 2Mc 7,19;
          At 9,1-29 = 2Mc 3,24-40;
          At 9,2 = 1Mc 15,21;
          At 9,7 = Sb 18,1;
          At 10,2 = Tb 12,8;
          At 10,22 = 1Mc 10,25 / 1Mc 11,30.33 etc.;
          At 10,26 = Sb 7,1;
          At 10,30 = 2Mc 11,8;
          At 10,34 = Eclo 35,12-13;
          At 10,36 = Sb 6,7 / Sb 8,3 etc.;
          At 11,18 = Sb 12,19;
          At 12,5 = Jdt 4,9;
          At 12,10 = Eclo 19,26;
          At 12,23 = Jdt 16,17;
          At 12,23 = Eclo 48,21 / 1Mc 7,41 / 2Mc 9,9;
          At 13,10 = Eclo 1,30;
          At 13,17 = Sb 19,10;

          At 14,14 = Jdt 14,16-17;
          At 14,15 = Sb 7,3;
          At 15,4 = Jdt 8,26;
          At 16,14 = 2Mc 1,4;
          At 17,23 = Sb 14,20 / Sb 15,17;
          At 17,24 = Tb 7,17 / Sb 9,9;
          At 17,24-25 = Sb 9,1;
          At 17,26 = Sb 7,18;
          At 17,27 = Sb 13,6;
          At 17,29 = Sb 13,10;
          At 17,30 = Eclo 28,7;
          At 19,7 = Sb 3,17;
          At 19,28 = Dn 14,18.41;
          At 20,26 = Dn 13,46;
          At 20,32 = Sb 5,5;
          At 20,35 = Eclo 4,31;
          At 21,26 = 1Mc 3,49;
          At 22,9 = Sb 18,1;
          At 24,2 = 2Mc 4,6;
          At 26,18 = Sb 5,5;
          At 26,25 = Jdt 10,13.
          • Epístola aos Romanos
          Rm 1,19-32 = Sb 13-15;
          Rm 1,21 = Sb 13,1;
          Rm 1,23 = Sb 11,15 / Sb 12,24;
          Rm 1,28 = 2Mc 6,4;
          Rm 2,4 = Sb 11,23;
          Rm 2,11 = Eclo 35,12-13;
          Rm 2,15 = Sb 17,11;
          Rm 4,13 = Eclo 44,21;
          Rm 4,17 = Eclo 44,19;
          Rm 5,5 = Eclo 18,11;
          Rm 5,12 = Sb 2,24;
          Rm 9,4 = Eclo 44,12 / 2Mc 6,23;
          Rm 9,19 = Sb 12,12;
          Rm 9,21 = Sb 15,7;
          Rm 9,31 = Eclo 27,8 / Sb 2,11;
          Rm 10,7 = Sb 16,13;
          Rm 10,6 = Br 3,29;
          Rm 11,4 = 2Mc 2,4;
          Rm 11,15 = Eclo 10,20-21;
          Rm 11,33 = Sb 17,1;
          Rm 12,15 = Eclo 7,34;
          Rm 13,1 = Eclo 4,27;
          Rm 13,1 = Sb 6,3-4;
          Rm 13,10 = Sb 6,18;
          Rm 15,4 = 1Mc 12,9;
          Rm 15,8 = Eclo 36,20.
          • 1ª Epístola aos Coríntios
          1Cor 1,24 = Sb 7,24-25;
          1Cor 2,9 = Eclo 1,10;

          1Cor 2,16 = Sb 9,13;
          1Cor 4,13 = Tb 5,19;
          1Cor 4,14 = Sb 11,10;
          1Cor 6,2 = Sb 3,8;
          1Cor 6,12 = Eclo 37,28;
          1Cor 6,13 = Eclo 36,18;
          1Cor 6,18 = Eclo 23,17;
          1Cor 7,19 = Eclo 32,23;
          1Cor 9,19 = Eclo 6,19;
          1Cor 9,25 = Sb 4,2;
          1Cor 10,1 = Sb 19,7-8;
          1Cor 10,20 = Br 4,7;
          1Cor 10,23 = Eclo 37,28;
          1Cor 11,7 = Eclo 17,3 / Sb 2,23;
          1Cor 11,24 = Sb 16,6;
          1Cor 15,29 = 2Mc 12,43-44;
          1Cor 15,32 = Sb 2,5-6;
          1Cor 15,34 = Sb 13,1.
          • 2º Epístola aos Coríntios
          2Cor 5,1.4 = Sb 9,15;
          2Cor 12,12 = Sb 10,16.
          • Epístola aos Gálatas
          Gl 2,6 = Eclo 35,13;
          Gl 4,4 = Tb 14,5;
          Gl 6,1 = Sb 17,17.
          • Epístola aos Efésios
          Ef 1,6 = Eclo 45,1 / Eclo 46,13;
          Ef 1,17 = Sb 7,7;
          Ef 4,14 = Eclo 5,9;
          Ef 4,24 = Sb 9,3;
          Ef 6,12 = Sb 5,17;
          Ef 6,14 = Sb 5,18;
          Ef 6,16 = Sb 5,19.21.
          • Epístola aos Filipenses
          Fl 4,5 = Sb 2,19;
          Fl 4,13 = Sb 7,23;
          Fl 4,18 = Eclo 35,6.
          • Epístola aos Colossenses
          Cl 2,3 = Eclo 1,24-25.
          • 1ª Epístola aos Tessalonicenses
          1Ts 3,11 = Jdt 12,8;
          1Ts 4,6 = Eclo 5,3;
          1Ts 4,13 = Sb 3,18;
          1Ts 5,1 = Sb 8,8;
          1Ts 5,2 = Sb 18,14-15;
          1Ts 5,3 = Sb 17,14;
          1Ts 5,8 = Sb 5,18.
          • 2ª Epístola aos Tessalonicenses
          2Ts 2,1 = 2Mc 2,7.
          • 1ª Epístola a Timóteo
          1Tm 1,17 = Tb 13,7.11;

          1Tm 2,2 = 2Mc 3,11 / Br 1,11-12;
          1Tm 6,15 = Eclo 46,5 / 2Mc 12,15 / 2Mc 13,4.
          • 2ª Epístola a Timóteo
          2Tm 2,19 = Eclo 17,26 / Eclo 23,10 (vl) / Eclo 35,3;
          2Tm 4,8 = Sb 5,16;
          2Tm 4,17 = 1Mc 2,60.
          • Epístola a Tito
          Tt 2,11 = 2Mc 3,30;
          Tt 3,4 = Sb 1,6.
          • Epístola aos Hebreus
          Hb 1,3 = Sb 7,25-26;
          Hb 2,5 = Eclo 17,17;
          Hb 4,12 = Sb 18,15-16 / Sb 7,22-30;
          Hb 5,6 = 1Mc 14,41;
          Hb 7,22 = Eclo 29,14-16;
          Hb 11,5 = Eclo 44,16 / Sb 4,10;
          Hb 11,6 = Sb 10,17;
          Hb 11,10 = Sb 13,1 / 2Mc 4,1;
          Hb 11,17 = 1Mc 2,52 / Eclo 44,20;
          Hb 11,27 = Eclo 2,2;
          Hb 11,28 = Sb 18,25;
          Hb 11,35 = 2Mc 6,18-7,42;
          Hb 12,4 = 2Mc 13,14;
          Hb 12,9 = 2Mc 3,24;
          Hb 12,12 = Eclo 25,23;
          Hb 12,17 = Sb 12,10;
          Hb 12,21 = 1Mc 13,2;
          Hb 13,7 = Eclo 33,19 / Sb 2,17.
          • Epístola de Tiago
          Tg 1,1 = 2Mc 1,27;
          Tg 1,2 = Eclo 2,1 / Sb 3,4-5;
          Tg 1,13 = Eclo 15,11-20;
          Tg 1,19 = Eclo 5,11;
          Tg 1,21 = Eclo 3,17;
          Tg 2,13 = Tb 4,10;
          Tg 2,23 = Sb 7,27;
          Tg 3,2 = Eclo 14,1;
          Tg 3,6 = Eclo 5,13;
          Tg 3,9 = Eclo 23,1.4;
          Tg 3,10 = Eclo 5,13 / Eclo 28,12;
          Tg 3,13 = Eclo 3,17;
          Tg 4,2 = 1Mc 8,16;
          Tg 4,11 = Sb 1,11;
          Tg 5,3 = Jdt 16,17 / Eclo 29,10;
          Tg 5,4 = Tb 4,14;
          Tg 5,6 = Sb 2,10 / Sb 2,12 / Sb 2,19.
          • 1ª Epístola de Pedro
          1Pd 1,3 = Eclo 16,12;
          1Pd 1,7 = Eclo 2,5;
          1Pd 2,25 = Sb 1,6;

          1Pd 4,19 = 2Mc 1,24 etc.;
          1Pd 5,7 = Sb 12,13.
          • 2ª Epístola de Pedro
          2Pd 2,2 = Sb 5,6;
          2Pd 2,7 = Sb 10,6;
          2Pd 3,9 = Eclo 35,19;
          2Pd 3,18 = Eclo 18,10.
          • 1ª Epístola de João
          1Jo 5,21 = Br 5,72.
          • Epístola de Judas
          Jd 1,13 = Sb 14,1.
          • Livro do Apocalipse
          Ap 1,18 = Eclo 18,1;
          Ap 2,10 = 2Mc 13,14;
          Ap 2,12 = Sb 18,16[15];
          Ap 2,17 = 2Mc 2,4-8;
          Ap 4,11 = Eclo 18,1 / Sb 1,14;
          Ap 5,7 = Eclo 1,8;
          Ap 7,9 = 2Mc 10,7;
          Ap 8,1 = Sb 18,14;
          Ap 8,2 = Tb 12,15;
          Ap 8,3 = Tb 12,12;
          Ap 8,7 = Eclo 39,29 / Sb 16,22;
          Ap 9,3 = Sb 16,9;
          Ap 9,4 = Eclo 44,18 etc.;
          Ap 11,19 = 2Mc 2,4-8;
          Ap 17,14 = 2Mc 13,4;
          Ap 18,2 = Br 4,35;
          Ap 19,1 = Tb 13,18;
          Ap 19,11 = 2Mc 3,25 / 2Mc 11,8;
          Ap 19,16 = 2Mc 13,4;
          Ap 20,12-13 = Eclo 16,12;
          Ap 21,19-20 = Tb 13,17.

          Curtir

          • Tiago disse:

            Edmilson,

            O unico filho das trevas aqui é você que nao tem os frutos do Espirito Santo (amor, mansidão) e fica a todo custo me ofendendo e me desrespeitando.

            Com relação a sua fala “No mais,Tiago o tribunal do santo oficio que existe até hoje nunca condenou ninguém a morte”

            Chego à conclusão de que, alem de ser ignorante na história da sua igreja, voce tambem nao ler jornais nem sites de notícias.

            Para refutar sua mentira a respeito da inquisição católica, veja o que disse a folha de Sao Paulo:

            João Paulo 2º pede desculpas pela Inquisição

            “o papa João Paulo 2º pedia perdão pela Inquisição, quando a Igreja Católica torturou e matou pessoas consideradas heréticas.
            O papa fez seu apelo em uma carta lida durante uma entrevista coletiva convocada para o lançamento de um livro sobre a Inquisição.

            Ele repetiu uma frase de um documento de 2000, no qual pela primeira vez o papa pediu perdão pelos “erros cometidos a serviço da verdade por meio do uso de métodos que não têm relação com a palavra do Senhor”.

            Na Alemanha, cerca de 25 mil pessoas da população de 16 milhões foram mortas.

            O seu papa joao paulo pediu perdão ao mundo pelos atos da inquisição.

            fonte:http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u73742.shtml

            Pra nao ter nenhuma duvida sobre a fonte de informação, leia aqui também e mantenha-se bem informado sobre a sua igreja:

            Papa pede perdão pelos crimes cometidos pela Inquisição

            Época Online, com informações de agências internacionais

            “O Papa João Paulo II pediu perdão, nesta terça-feira, pela Inquisição que torturou e matou pessoas consideradas heréticas. Ele se desculpou pelos “erros cometidos a serviço da verdade por meio do uso de métodos que não têm relação com a palavra do Senhor”.

            Note que nos dois sites a transcrição exata das palavras do Papa.

            fonte:http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG64866-6014,00-PAPA+PEDE+PERDAO+PELOS+CRIMES+COMETIDOS+PELA+INQUISICAO.html

            Agora, se voce põe em dúvida a credibilidade do wikipédia, eu desafio voce a tambem duvidar da crediblidade da FOLHA DE SAO PAULO e da REVISTA ÉPOCA!

            A VERDADE SEMPRE VEM A TONA!

            Curtir

            • EDMILSON disse:

              TIAGO VOCÊ FALA SOBRE A INQUISIÇÃO QUE A IGREJA MATOU
              AGORA ME PROVE COM DOCUMENTOS VERÍDICOS COM FONTE HISTÓRICA DA ÉPOCA QUE MOSTRE A LOROTA QUE VOCÊ E FALA BASEADOS NAS FABULAS DE HISTORIADORES ATEUS E DE HISTORIADORES PROTESTANTES.

              AGORA TIAGO SE VOCÊ FALA CONTRA OS 7 LIVROS QUE SÃO JERONIMO REJEITOU OU QUASE REJEITOU
              OLHA TIAGO NOS LIVROS DA ÉPOCA CONSTAM APENAS QUE ELE DEBATIA COM OS PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA E COM OS BISPOS DA ÉPOCA SOBRE ESSE ASSUNTO

              AGORA TIAGO VOU TI DA UM OUTRO EXEMPLO SOBRE SÃO JERONIMO SE ELE MESMO QUE QUISESSE TER REJEITADO OU NÃO OS 7 LIVROS A DECISÃO FINAL ERA DO PAPA E NÃO DELE

              AGORA DISCUTIR E DEBATER ESCREVER SOBRE ISSO É NORMAL PARA O CRESCIMENTO E DOUTRINAL

              TIAGO VOU TI FAZER UM CONVITE VAMOS NA MAIOR BIBLIOTECA DA AMERICA LATINA QUE FICA NO RIO DE JANEIRO

              LÁ TEM MILHARES DE MILHARES DE OBRAS PATRÍSTICAS

              LÁ TEM OS GRANDES HISTORIADORES E ESCRITORES DA AFRICA DOS PRIMEIROS SECULO LÁ TEM OS 40 ESCRITORES E HISTORIADORES FORA DA IGREJA DOS 2 PRIMEIRO SÉCULO DE ROMA E ASSIM POR DIANTE

              LÁ TAMBÉM TEM TODOS OS ESCRITOS E OBRAS DE SÃO JERONIMO EM LIVROS ORIGINAIS EU TAMBÉM TENHO TODOS ELES MAIS PRA NÃO TER DUVIDAS VAMOS LÁ

              OLHA TIAGO EU APOSTO 50 MIL REAIS COM VOCÊ COM ASSINATURA EM CARTÓRIO QUE PIADAS COMO PAPISA, PIADAS DE CONSTANTINO FOI QUEM FUNDOU A IGREJA CATÓLICA E OUTRAS PIADAS QUE VEJO EM SITES PROTESTANTES SOBRE SÃO PEDRO NUNCA TER SIDO PAPA
              E QUE A IGREJA PRIMITIVA DOS 4 PRIMEIROS SÉCULOS NÃO ERA CATÓLICA

              EU TI PROVO HISTORICAMENTE QUE ISSO TUDO É PIADA E QUE NÃO EXISTE NA HISTÓRIA

              OLHA MEU CARO A IGREJA É PURA E VERDADEIRA
              AGORA COM CERTEZA EXISTIU SIM ERROS DENTRO DA IGREJA
              POIS OS HOMENS SÃO FALHOS

              VOU TI DA UNS EXEMPLOS CLAROS
              SÃO PEDRO NEGOU JESUS

              E MUITOS ANJOS DO CÉU SE REVOLTOU CONTRA DEUS

              MOISÉS MATOU E AINDA DUVIDOU DE DEUS E TEVE A CONSEQUÊNCIA DO SEU PECADO

              DAVI MATOU E COMETEU ADULTÉRIO

              SALOMÃO COMETEU IDOLATRIA E TANTOS PECADOS

              E ASSIM POR DIANTE

              AGORA TIAGO EM QUESTÕES DOUTRINAIS A IGREJA NÃO TEM ERROS EU APOSTO COM QUAL QUER UM

              AGORA TIAGO VOU TI DA UM EXEMPLO TERTULIANO ERA UM PADRE DA IGREJA E SE TORNOU HEREGE NO FINAL DA VIDA POR QUERER MUDAR A DOUTRINA DA IGREJA NUM SÓ QUESITO

              EU PODERIA COLOCAR OUTROS NOMES AQUI MAIS PARA FINALIZAR MESMO DEPOIS DE TERTULIANO FICAR FORA DA IGREJA ELE NUNCA CONTESTOU O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA.

              Curtir

            • OLIVEIRA disse:

              VEJA TIAGO AS SEITAS PROTESTANTES MATARAM MILHÕES LIDERADO POR LUTERO

              Cai a farsa

              Just another WordPress.com weblog
              INQUISIÇÃO CATÓLICA! E A PROTESTANTE?

              CONHEÇA MUITO MAIS SOBRE A INQUISIÇÃO PROTESTANTE
              01 – INQUISIÇÃO PROTESTANTE
              02 – INQUISIÇÃO PROTESTANTE
              03 – MORTE DE INOCENTES NO MAIOR PAIS PROTESTANTE

              Autor: Fernando Nascimento
              Introdução

              O artigo que segue, revela em rica bibliografia, os números de mortos, e requintes de crueldade dos incomparáveis tribunais eclesiásticos protestantes. E deixará claro que as levianas acusações protestantes contra a Igreja Católica sorrateiramente mudaram a palavra “inquisição”, que quer dizer apenas: “sindicância”, “investigação”, em sinônimo de “matança de pessoas”. Ainda hoje, esse erro circula no meio protestante. Tal quimera caiu por terra, quando o renomado historiador Agostino Borromeo, após demorado estudo sobre a inquisição, concluiu que não chegaram a cem, o número de mortes, cometidas por católicos que em desobediência ao Papa, empregaram pena de morte contra os inquiridos.

              Antes, abramos um parêntese, para de fato mostrarmos conforme os historiadores, que muita calúnia se lançou contra a Igreja Católica, no que concerne a falsa acusação de matança de “centenas”, “milhares” e até “milhões” de pessoas. Pura lenda, que na verdade não passava de mentira estratégica protestante, fomentada por anticatólicos como: Russel Hope Robbins, o apostata Doelling, Jules Baissac, Jean Français e Reinach.

              O próprio Rui Barbosa quando principiante inexperiente, traduziu “O Papa e o Concílio” uma obra de um deles, do Doelling, e se arrependeu mais tarde, proibindo no prefácio a publicação da mesma, pelas calúnias apaixonadas. Dizia mais tarde Rui Barbosa, quando maduro e experiente: “Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, Carlos Mariano de M. Santos (1998-2004) artigo 5º).

              Publicou a Agência européia de notícias Zenit: [CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 16 de junho de 2004 (ZENIT.org).- Atualmente, os pesquisadores têm os elementos necessários para fazer uma história da Inquisição sem cair em preconceitos negativos ou na apologética propagandista, afirma o coordenador do livro «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».

              No volume, Agostino Borromeo, historiador, recolhe as palestras do congresso que reuniu ao final de outubro de 1998, no Vaticano, historiadores universalmente reconhecidos especializados nestes tribunais eclesiásticos.

              «Hoje em dia –afirmou essa terça-feira, em uma coletiva de imprensa de apresentação do livro, o professor da Universidade «La Sapienza» de Roma– os historiadores já não utilizam o tema da Inquisição como instrumento para defender ou atacar a Igreja».

              Diferentemente do que antes sucedia, acrescentou o presidente do Instituto Italiano de Estudos Ibéricos, «o debate se encaminhou para o ambiente histórico, com estatísticas sérias».

              O especialista constatou que, à «lenda negra» criada contra a Inquisição em países protestantes, opôs uma apologética católica propagandista que, em nenhum dos casos, ajudava a conseguir uma visão objetiva.

              Isto se deve, entre outras coisas –indicou–, ao «grande passo adiante» dado pela abertura dos arquivos secretos da Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício), ordenada por João Paulo II em 1998, onde se encontra uma base documental amplíssima.

              Borromeu ilustrou alguns dos dados possibilitados pelas «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».

              Revela o historiador sobre os processos e condenação referentes ao tribunal católico: “dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 «bruxas». Na Itália, acrescentou, foram 36 e em Portugal 4. Se somarmos estes dados –comentou o historiador– não se chega nem sequer a cem casos…”
              A Inquisição na Espanha, afirmou o historiador, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 julgamentos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos].(1) Até aqui a notícia de ZENIT.org.

              Outro historiador, o protestante, Henry Charles Léa, cita 47 bulas, nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos católicos. Alertam para não cair na violência e injustiças freqüentes dos juizes leigos. Basta folhear a monumental obra do próprio Léa, para convencer-se que na realidade as bruxas foram perseguidas e condenadas mais pelos detentores do poder civil e pelos protestantes do que pelo tribunal católico. (2)

              Também o historiador Daniel Roups, é categórico nos seus registros: ”Foram numerosos os cânones dos concílios que, excomungando os hereges e proibindo os cristãos de lhes darem asilo, não admitiam que se utilizassem contra eles a pena de morte. Deviam bastar as penas espirituais ou, quando muito, as penas temporais moderadas”. (3)

              João Paulo II enviou uma mensagem com motivo da apresentação das «Atas» do Simpósio Internacional sobre a Inquisição, na qual sublinha a necessidade de que a Igreja peça perdão pelos pecados cometidos por seus filhos através da história. Ao mesmo tempo, declarava, «antes de pedir perdão é necessário conhecer exatamente os fatos e reconhecer as carências ante as exigências cristãs».

              Pelos filhos da Igreja Católica, que em desobediência cometeram alguns crimes, o Papa João Paulo II pediu perdão. Mas, quando o protestantismo parará de deturpar, omitir e caluniar, reconhecendo finalmente os extermínios que cometeu e atribui maldosamente aos católicos? Fecha parêntese.

              VEJAMOS ENTÃO, A VERDADE DOCUMENTAL, E A CRUELDADE SEM PRECEDENTES DOS TRIBUNAIS PROTESTANTES.
              A quantidade de registros literários dos próprios protestantes é vasta, porém, estranhamente ocultada pelos livros escolares, pela imprensa e mídia em geral. Muitas vezes vemos o que é omitido pelo lado protestante sendo por esses veículos, atribuídos maldosamente à Igreja Católica.

              – O próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de lançar-se em revolta aberta, dizia: “(…) os hereges não são bem acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).

              Uma vez no protestantismo, já ensinava Lutero aos protestantes: “Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira por uma causa meritória e para o bem da igreja (luterana).” (Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work, The Newman Press, 1960- pág 522).

              Logo a mentira, a omissão e o falso testemunho se tornaram a coluna da doutrina dos pseudos “reformadores” protestantes.

              A crueldade foi especialmente severa na Alemanha protestante. As posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de pelo menos 30.000 camponeses. (4)

              Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar, médico descobridor da circulação sanguínea. Acusado de heresia, Servet foi preso e julgado em Lyon, na França. Conseguiu evadir-se da prisão e quando se dirigia para a Itália, através da Suíça, foi novamente preso em Genebra, julgado e condenado a morrer na fogueira, por decisão de um tribunal eclesiástico sob direção do próprio Calvino. A sentença foi cumprida em Champel, nas proximidades de Genebra, no dia 27 de outubro de 1553. Puseram-lhe na cabeça uma coroa de juncos impregnada de enxofre e foi queimado vivo em fogo lento com requintes de sadismo e crueldade. (5)

              O luterano Benedict Carpzov, foi legista brilhante e figura esclarecida, até hoje ocupando lugar destacado na história do Direito Penal. Mas perdia a compostura contra a bruxaria, que considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte. Protestante fanático, afirmava, quando velho, ter lido a Bíblia inteira 53 vezes. Assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas, apoiando-se principalmente na “Lei” do Antigo Testamento. Não compreendendo o verdadeiro significado da Bíblia, considerava o Pentateuco como lei promulgada pelo próprio Deus, Supremo Legislador. Carpzov, para condenar a morte, usava (Lv 19,31; 20,6.27; Dt 12,1-5), citava de preferência o Êxodo (22,18); “Não deixarás viver a feiticeira”. (6)

              Outro famoso perseguidor de bruxas na Alemanha, foi Nicholas Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900 pessoas. (7)

              Já Froehligh, reitor da Universidade de Innsbruck e catedrático de Direito, que chegou a ser chanceler da Alta Áustria, insistia em que não só as supostas bruxas fossem condenadas, senão também seus filhos! E não se precisava muito para ser considerada bruxa, pois o seria qualquer pessoa que não tivesse um olhar franco.(8)

              Naquele ambiente de superstição, crueldade e pânico perante as bruxas, foi possível o aparecimento de um Franz Buirmann, pervertido magistrado protestante e degenerado inimigo da bruxaria. Era um juiz itinerante. Referindo-se a ele dizia seu contemporâneo Hermann Loher: “Preferiria mil vezes ser julgado por animais selvagens, cair numa fossa cheia de leões, de lobos e ursos, do que cair em suas mãos”.

              Deste impiedoso juiz se afirma que somente em duas incursões que realizou por pequeninas aldeias ao redor de Bonn, que perfaziam um total de 300 pessoas contando-se crianças e velhos, queimou vivas nada menos que 150 pessoas! Consta que ao menos em duas oportunidades (da viúva Boffgen e do Alcaide de Rheinbach), o juiz se apoderou de todos os bens dos condenados à fogueira (o Alcaide de Rheinbach era seu inimigo político. . .).(9)

              Em Bamberga, sob a administração de um bispo protestante, queimou-se 600 pessoas. Na Genebra protestante, foram queimadas 500 pessoas na gestão de Calvino (10).

              Se os protestantes do passado nenhum valor davam a essas muitíssimas vidas ceifadas no fogo, muito menos valor dão os protestantes de hoje, que por ignorância, orgulho ou omissão, se escusam de um simples pedido de perdão, para não ter que admitir as iniqüidades que falaciosamente atribuem aos outros.

              A técnica, é a mesma do gatuno que bate uma carteira e grita: “pega ladrão!!!” Baseados no grito do gatuno, as mal informadas e ou mal intencionadas editoras de livros didáticos, a imprensa e a mídia fazem o resto do trabalho sujo. Tudo contribui para a perdição do que não busca conhecer a verdade.

              Dizia Marcus Moreira Lassance Pimenta: “Ao ignorante, basta uma mentira bem contada para que a tenha como verdade. E ao sábio, não há mentira que o impeça de buscar a verdade”.

              Bibliografia:

              1. Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM.

              2. Henry Charles Léa, A History of the inquisition of the Middle Ages, 3 vols. Nova Yorque, Happer, 1888, principalmente vol. I, pp. 137ss; tradução de Salomon Reinach, Historie de L’Inquisition au Moyen-Áge. Ouvrage traduit sur l’exemplaire revu et corrigé de l’auter, 3 vols., Paris, 1900-2 vol. 3.

              3. Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606.

              4.. VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Editoras, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-249.

              5. http://www.adventistas.com/marco2003/miguel_servetus.htm

              6. Benedict Carpzov, Practica Nova Rerum Criminalium Imperialis Saxonica in Tres
              Partes Divisão, Wittenberg, 1635.

              7. Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.

              8. Johan Christopher Froehlich von Froehlichsberg, De sorcelleria, Innsbruck, 1696;
              tradução: Animismes, Paris, Orent, 1964, pp. 62ss.

              9. Cf.. Jacques Finné, Erotismo et sorcellerie, Verviers (Bélgica), Gerard, 1972; tradução de Charles Marie Antoine Bouéry, Erotismo e feitiçaria, São Paulo, Mundo Musical, 1973, p. 41.

              10. W. Bommbeg, The mind of man: the history of man’s conquest of mental illness, 2ª ed., Nova Yorque, Harpel, 1959; tradução: La mente del hombre, Buenos Aires, 1940.

              ===========================================
              A SEVERIDADE DOS TRIBUNAIS PROTESTANTES
              ===========================================

              Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas e a severidade dos castigos, dependiam geralmente dos respectivos senhores de cada região, que governavam com muita independência e poder quase absoluto.

              Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas, das crônicas e processos regionais que chegaram até nós, cabe deduzir, que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula 9 milhões (1). Morrow simplesmente diz que foram milhões (2).

              W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles (numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas 300 bruxas (3); em total nesta região, as atas apresentam l.200 condenações à morte (4).

              Em 20 anos, de 1615 à 1635, em Estrasburgo, houve 5.000 queimas de bruxas (5).

              Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos, segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas (6).

              Segundo o VERITY MURPHY em 16/6/2004, da BBC de Londres, o novo e mais completo relatório da inquisição, indica que, no auge da Inquisição, a Alemanha protestante matou mais bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar.

              Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas descritos nas crônicas conservadas, chegam a 5.417 (7). Nos Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000 (8).

              Era absolutamente falsa a afirmação de muitos autores protestantes ingleses, de que a Inglaterra foi uma exceção dentro da bruxomania geral.
              Segundo Ewen, (9), que cita documentos oficiais, o número de condenados à pena de morte por bruxaria, na Inglaterra protestante, exatamente de 1541 a 1736, teria sido menos de mil. As condenações à morte teriam sido menos de 30% das acusações. Mesmo assim, o comportamento inglês não fugiu ao ditado de que não há regras sem exceções.

              Na Inglaterra destacava-se o protestante Mathew Hopkins que se autodenominava “descobridor geral de bruxas”. Parece que era um sádico encoberto. Quando encontrava uma mulher que excitava seus instintos sexuais anormais, obrigava-a a despir-se na sua presença e começava a fincar com uma agulha, as diversas partes do corpo dela (assim se procuravam áreas insensíveis, o que seria sinal de possessão demoníaca).
              Mas… ele mesmo diante de outros protestantes, foi acusado de possuir estranhos poderes. Submetido às provas de bruxaria que empregara, foi condenado e morto (10).

              Na Inglaterra não era necessário aplicar torturas — às vezes se deram! — porque a condenação freqüentemente era sentenciada sem necessidade de confissão por parte do acusado (11).
              Em 1562 a rainha Elizabeth, e a versão definitiva do Witch Act ou “lei contra os bruxos”, de Jacques I em 1604, condenavam à morte a pessoa que tivesse feito qualquer malefício pretendendo acabar com a vida ou danar o corpo de alguém. Mesmo que não se percebesse efeito nenhum do malefício! Esta lei se manteve em vigor na Constituição até 1736.

              Os protestantes do Reino Unido foram lentos. Na Inglaterra do século XVII, na área da interpretação dos fenômenos misteriosos ainda grassava a superstição demonológica, e houve várias condenações. O último juízo por bruxaria foi já entrado o século XVIII, em 1717, (12). E ainda demorariam mais vinte anos para abolir o estatuto inglês contra as bruxas, em 1736 (13).

              A última morte por condenação como bruxa, na Escócia, foi em 1738. Na Irlanda, a lei contra bruxaria não foi abolida até 1821!
              Em 1863, segunda metade do século XIX!, o povo inglês ainda linchou um velho por considerá-lo bruxo.

              As perseguições protestantes atravessaram o Atlântico, e chegaram aos EUA. O primeiro corpo de estatutos — The Body of Liberties — que houve em Massachusetts, é de 1641 (14). Nele se diz: “Se algum homem ou mulher é bruxo que manifesta ou consulta um espírito familiar(?), será enviado à morte” (15).

              A revisão de 1649 reiterava a mesma lei com pena capital (16). De sua vigência é um exemplo famoso, “o processo das bruxas de Salem,” em 1692. Como resquício, ainda hoje em alguns estados americanos, a pena de morte é vista com naturalidade, aos condenados gravemente pela justiça. Mudaram apenas os réus e a forma de exterminar.

              O pânico da população perante as bruxas e a ira contra elas, refletem-se no caso de Ann Hibbins. Parece que foi acusada por motivos meramente socioeconômicos. Era irmã de um rico comerciante e antigo assistente da colônia, Richard Beilingham, que fora governador da Baía de Massachusetts. O júri a condenou. Os juizes não aceitaram o veredicto. O caso foi levado à Corte Geral. Foi fácil incitar a opinião pública. Tanto pressionaram a Corte que Ann Hibbins foi condenada à morte (17).

              ATÉ CRIANÇAS ERAM QUEIMADAS PELOS PROTESTANTES

              No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como conseqüência das declarações, arrancadas pelas interrogações feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres, açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas (18).

              Na Alemanha protestante, o poder civil condenou Anna Maria Schwugelin. Foi decapitada como bruxa em 1759.

              No dia 18 de junho de 1782, o governo protestante ainda decapitou uma bruxa na Suíça (19).

              Agora os protestantes têem aqui reunidos, grande parte dos números de mortes, nomes e documentos, para a própria cruel “inquisição” de seus tribunais, que tanto omitem. E isso não é tudo.

              Atacado por um diabólico ódio racial, Lutero antes de sua morte, lançou o panfleto “Contra os judeus e as suas mentiras.” onde pregava aos alemães, toda sorte de desumanidade contra os judeus, culminando no holocausto nazista. Esta obra, está reproduzida na “História do anti-semitismo”, de Leon Poliakov.
              Dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma, cerca de quarenta mil homens espalharam na Cidade Eterna o terror, a violência e a morte. Eram seis mil espanhóis, quatorze mil italianos e vinte mil alemães, quase todos luteranos, esses últimos, indivíduos perversos, gananciosos, desprovidos de qualquer escrúpulo. Gritavam: ”Viva Lutero, nosso papa!!!” Ávidos, incansáveis na busca das riquezas, dos despojos do inimigo, os lanquenetes luteranos e os outros invasores assaltaram, estupraram, saquearam, incendiaram, trucidaram, arrebentaram as suas vítimas, jogaram crianças pelas janelas ou as esmagaram contra as paredes. Grande parte da população foi dizimada. Conforme disse Maurice Andrieux, esse ataque a Roma “superou em atrocidade todas as tragédias da História”, até mesmo a destruição de Jerusalém e a tomada de Constantinopla.

              Todo esse genocídio com requintes de crueldade, parece encontrar doce justificativa nas palavras de Lutero, pai do protestantismo do “somente a fé”:

              “… Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 (American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).

              Esta “fé”, de Lutero, apesar de dirigida pela vontade, é um simples ato do intelecto. Apesar de necessária à salvação, não é suficiente. Tiago diz que até mesmo os demônios têm esta fé (Tg 2,19). É por este motivo que ele diz: “Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé?” (Tg 2,24). Infelizmente, Lutero designou esta carta do Apóstolo de [i/”Carta de Palha”. Ele não entendeu o que Tiago esta querendo dizer (sobre a fé de Abraão): “Vês como a fé cooperava com as suas obras e era completada por elas” (Tg 2,22). Sob o erro do pai do protestantismo, as seitas evangélicas ainda hoje, pregam que seus seguidores já estão “salvos”, só porque simplesmente “crêem” em Jesus. Se assim fosse, iriam encontrar Lúcifer no céu.

              Bibliografia:

              1. Gerald B. Gardner, Ursprung und Wirklichkeít der Hexen, Weilheim, 1965, pp. 30s.

              2. F. Morrow, no prólogo e Montagne Summers, The history of wttchcraft and
              demonology, 2a ed., Nova Iorque, 1956.

              3. Citado por Merzbacher, Die Hexenprozesse in Franken, Munique, 1975, p. 43.

              4. Kurt Baschwitz, Hexen und Hexenprozesse. Die Geschichte eines Massenwalms und Bekampfung, Munique, 1963; uso a tradução de Ana Grossman, Brujas y proceso de brujeria, Barcelona, Luiz de Caralt, 1968, p. 261.

              5. Cf. Wilhelm Gottieb Soldan, Geschichte der Hexenprozesse aus der Quellen dargestellt, Stutgard, 1843; 2º edição revisasda: Soldan-Ludwig Julius Heppe, Geschichte der Hexenprozesse, 2 vols. Stuttgard, 1880; 3º edição revisada: Soldan –Heppe-Max Bauer, com o mesmo título, Munique, 1012, tomo I, p. 530.

              6. Idem, Soldan –Heppe-Max Bauer, ibidem, p. 251.

              7. Na tese doutoral de G. Bader, Die Hexenprozesse in der Schweiz, Zurique, 1945, p. 219.

              8. Fritz Byloff, “Hexenglaube und Hexenverfolgung in der õsterreichischen Alpenlander” in Quellen zur deutschen Volkskunde, 1934, caderno 6, p. 159.

              9. C. L. Ewen, Witccraft and demonianism, Londres, Muller, 1970; Witch hunting witch trial, Londres, 1062; Nova Iorque, Harper, 1971.t.

              10. Ramiro A. Calle, La magia negra y el ocultismo (técnicas para el conocimento de si mismo y de los demás), Barcelona, Cedel, 1968, p. 271s.
              11. Cf. Ronald Seth, Children against witches, Londres, Robert Hale, 1969, p. 14; Davies, Four centuries…, op. cit.

              12. Mair, La brujería…, op. cif, p. 216.

              13. Fox, Science…, op. cit., p. 25; sobre a Bruxaria na Inglaterra, Peter Haining, A circie of witches – An anthology of victorian witchcraft stories, Londres, Robert Hale, 1971; idem, The anatomy o f witchcraft, Londres, Souvenir, 1972; tradução deRené Cárdenas Barrios, La anatomia deIa brujería, México, Diana, 1976.

              14. The body of liberties é reproduzido por William Witmore (ed.), The Colonial Laws of Massachusetts. Reprinted from the edition of 1660, with suplements to 1672. Containing also the Body of Liberties of 1641, Boston, City Council, 1889.

              15. Ibidem, Liberty, 94, Capital Lawa, p. 55.

              16. Cf. Winfield S. Nevins, Witchcraft in Salem Village in 1692, Salem-Massachusetts, Salem-Press, 1916, pp. 29s.

              17. Thomas Hutchinson, History of the Colony of Massachusetts Bay, Londres, Thomas and John Fleet, 1764, p. 187; William F. Poole, “Witchcraft in Boston” in Justin Windsor (ed.), Memorial history of Boston, Boston, Tickner, 1881, tomo 2, p. 130.

              18. B. Bekker, De betoverde wereld, Amsterdã, p. 576-587; trad.: Le monde enchaté, 6 vols. Paris, 1964.

              19. Mair, La brujería…, op. cif, p. 216.

              Curtir

            • Helen disse:

              Caro Tiago,

              Ao re-ler esse seu comentário, senti-me na obrigação de corrigir sua afirmação:

              Meu caro, o Papa não pediu perdão pelos pecados da Igreja, como afirma o jornal. Pediu perdão pelos pecados dos filhos da Igreja, cometido em nome dela!! É diferente!

              A Igreja JAMAIS torturou ou matou ninguém. Já expliquei isso e o sr recusa-se a me ouvir. A Igreja julgava as causas doutrinais e determinava se algum ensinamento era herege ou não. Os Reis e seu subordinados, em seu poder monárquico e soberano, condenavam e executavam. Faziam isso sim em nome da fé católica, mas não a mando da Igreja!!

              Reflita:

              Se o um dos seus amigos matasse alguém porque pensou estar com isso lhe prestando um bem, o criminoso é o senhor ou o seu amigo?
              Claro, o assassino é aquele que matou!
              Mas e se aquele que matou atestar no tribunal que fez isso em nome de seu amado amigo Tiago, porque julgava que assim o amigo Tiago desejava? Sua culpa fica isenta? Não. Ele continua a ser um criminoso.
              Mas e se o amigo Tiago antes houvesse dito que a tal pessoa ( a que foi morta) fosse um mal em sua vida, espalhando mentiras sobre o Tiago. Isso justifica a morte dele? Justifica o amigo tomar a iniciativa de matar para defender os interesses do Tiago? Não. Não justifica.

              O único modo pelo qual Tiago teria culpa é se o Tiago formalmente pedisse ao executor que executasse tal pessoa.
              Neste caso o juri teria que ver provas da que Tiago realmente fez isso. Ou seja, que encomendou ou ordenou a execução do seu adversário.

              No caso da Igreja, meu caro Tiago, ela enquanto autoridade nas questões da doutrina da fé, apenas comandava o Tribunal Inquisitivo e determinava o que era Doutrina Sã e o que era erro.

              Os reis, como dito, em sua autoridade, executavam penas e mortes.

              O crime foi dos filhos da Igreja, Tiago. Feitos por católicos, sim. Mas não pela Igreja como Instituição!!

              Veja o que outro Jornal Publicou sobre o tema:

              PAPA PEDE PERDÃO PELOS CRIMES DA IGREJA
              Data: [12/03/2010]

              HOJE NA HISTÓRIA DE12 DE MARCO DE 2000

              12/03/2000
              Em um gesto inédito, o Papa João Paulo II pede o perdão de Deus pelos pecados da Igreja Católica cometidos através dos anos contra judeus, mulheres e minorias.

              João Paulo II pede perdão pelos pecados da Igreja Católica … Era a missa de um Domingo, no 12/03/2000. João Paulo II celebra o Dia do Perdão, no Vaticano. Ao pedir desculpas pelos pecados cometidos em nome da Igreja Católica.

              Este tema foi motivo de uma grande projeção na mídia no mundo inteiro e de um grande debate na igreja e entre os cristãos.

              No domingo 12 de março de 2000 realizou-se cerimônia inédita em toda a história da Igreja. Dotada de repercussão mundial, “O Papa pediu perdão!”. Três observações prévias se impõem:

              O Papa pediu perdão pelas faltas dos filhos da Igreja, e não por faltas da Igreja.
              O Papa pediu perdão diretamente a Deus, reconhecendo todas as falhas cometidas na história da Igreja por cristãos que se afastaram do Evangelho (muitas vezes de boa fé, julgando até estar servindo a Deus num zelo fervoroso).
              O Papa concede o perdão a todos os que têm infligido perseguição aos filhos da Igreja, muitas vezes vítimas do ódio de seus semelhantes. O século XX, em particular, foi um período de numerosos mártires devidos ao comunismo, ao nacional-socialismo de Hitler e a outras ideologias, que atuaram na Europa, na Ásia, na África e na América.

              Como podemos ver, a manchete declara uma coisa, mas o corpo do texto, fala de outra. Ai constatamos o compromisso dos jornais: com a vendas e não pura e simplesmente com a informação.

              Se quer saber REALMENTE o que disse o Papa leia os documento oficiais da Igreja. Manchete de jornal, infelizmente para o sr, não serve de prova para o seu argumento.

              Pax

              Curtir

            • Tiago disse:

              Helen,

              A sra se apega tanto a seus dogmas e se esquece de ler o que está nas Escrituras Sagradas.

              A Igreja é o Corpo de Cristo, portanto NÓS SOMOS A IGREJA! Veja como isto está bem clarificado na Biblia:

              “E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, QUE É O SEU CORPO, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos” (Efésios 1:22,23)

              “Pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, QUE É O SEU CORPO, do qual ele é o Salvador” (Efésios 5:23)

              Colossenses 1:24 é ainda mais claro:

              “Pois o que eu sofro no meu corpo pela Igreja, QUE É O CORPO DE CRISTO, está ajudando a completar os sofrimentos de Cristo em favor dela” (Colossenses 1:24)

              E Paulo é muito claro ao afirmar que DEUS NAO HABITA EM TEMPLOS CONSTRUIDOS POR MÃOS HUMANAS:

              “O ALTÍSSIMO, porém, NÃO HABITA EM TEMPLOS CONSTRUIDOS POR MÃOS HUMANAS Como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés. Que casa me edificareis vós?, diz o Senhor. Qual é o lugar do meu repouso? Acaso não foi minha mão que fez tudo isto?” (Atos 7:48-50)

              Portanto, Helen, Deus nao habita no templo constuido pela Igreja Catolica nem no templo Protestante. ELE HABITA SIM, EM NÓS QUE SOMOS O CORPO DE CRISTO, A VERDADEIRA IGREJA DO SENHOR!

              Com isso, eu refuto sua afirmação de que nao foi a Igreja que cometeu crimes e sim os “filhos da Igreja”. Não existe essa nomeclatura “filhos da igreja”. Somos a própria Igreja do Senhor!

              Agora seus dogmas sao tão antibíblicos que inventaram que voces sao “filhos da igreja”, “filhos de Maria” quando a Biblia que só temos UMA FILIAÇÃO. As Sagradas Escrituras dizem que apenas quem recebe Jesus Cristo em sua vida e crê no Seu nome, pode ser declarado FILHO DE DEUS:

              “Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, DEU-LHES O PODER DE SE TORNAREM FILHOS DE DEUS” (João 1:12)

              Só quem recebeu Jesus Cristo em sua vida e creu no seu nome pode ser chamado de FILHO DE DEUS!

              Só temos uma filiação, Helen, a filiação do Deus Altissimo Todo Poderoso!

              Portanto, Helen, esqueça seus dogmas. Leia e, sobretudo, VIVA a Palavra de Deus!

              Curtir

              • Helen disse:

                Olá Tiago,

                Obrigada mais uma vez pela participação.
                Como dito, dogmas são verdades comprovadas na fé. São ensinamentos que devem ser aceitos por aqueles que professam a fé em questão.
                Por exemplo, a fé católica estabelece que a Ressurreição de Cristo é uma Verdade básica. Não pode, portanto, ser rejeitada por qualquer um que desejar seguir a fé cristã. Como esse, há outros dogmas.

                Agora, antes mesmo que eu posso ler o restante do seu comentário, pergunto-lhe:

                Senhor Tiago, o Sr não aceita o dogma da Ressurreição? Se sim, por que o sr me aconselha a rejeitar os dogmas da minha fé cristã, se o sr mesmo submete-se a um dogma?

                Deus abençoe

                Ps. Eu creio que preciso esclarecer para o sr, apesar de todos os meus comentários sobre o tema, que tanto a Igreja Católica quanto este blog JAMAIS negaram que o Corpo de Cristo seja a Igreja!! A Igreja, por sua vez, são aqueles que seguem a Cristo. Não estou entendo, portanto, porque o sr parece desejar me ensinar isso. Foi, com certeza, um mal entendido!

                Leia apenas um pequeno parágrafo do Catecismo onde a Igreja afirma ser o corpo de Cristo. Neste parágrafo o tema é a missão da Igreja e não especificamente uma definição sobre o que vem a ser a Igreja, mas já dá para constatar que de fato ela ensina que nós, a Igreja, somos o corpo de Cristo:

                737. A missão de Cristo e do Espírito Santo completa-se na Igreja, corpo de Cristo e templo do Espírito Santo. Esta missão conjunta associa, doravante, os fiéis de Cristo à sua comunhão com o Pai no Espírito Santo: o Espírito prepara os homens e adianta-se-lhes com a sua graça para os atrair a Cristo. Manifesta-lhes o Senhor ressuscitado, lembra-lhes a sua Palavra e abre-lhes o espírito à inteligência da sua morte e da sua ressurreição. Torna-lhes presente o mistério de Cristo, principalmente na Eucaristia, com o fim de os reconciliar, de os pôr em comunhão com Deus, para os fazer dar «muito fruto» (116).

                738. Assim, a missão da Igreja não se acrescenta à de Cristo e do Espírito Santo, mas é o sacramento dela: por todo o seu ser e em todos os seus membros, é enviada para anunciar e testemunhar, actualizar e derramar o mistério da comunhão da Santíssima Trindade (será este o objecto do próximo artigo):

                «Nós todos, que recebemos o único e mesmo Espírito, quer dizer, o Espírito Santo, fundimo-nos entre nós e com Deus. Porque, embora sejamos numerosos separadamente, e Cristo faça com que o Espírito do Pai e seu habite em cada um de nós, este Espírito único e indivisível reconduz pessoalmente à unidade os que são distintos entre si […] e faz com que todos apareçam n’Ele como sendo um só. E assim como o poder da santa humanidade de Cristo faz com que todos aqueles em quem ela se encontra formem um só corpo, penso que, do mesmo modo, o Espírito de Deus, que habita em todos, único e indivisível, os leva todos à unidade espiritual» (117).

                739. Uma vez que o Espírito Santo é a unção de Cristo, é Cristo, a Cabeça do corpo, quem O derrama nos seus membros para os alimentar, os curar, os organizar nas suas mútuas funções, os vivificar, os enviar a dar testemunho, os associar à sua oferta ao Pai e à sua intercessão pelo mundo inteiro. É pelos sacramentos da Igreja que Cristo comunica aos membros do seu corpo o seu Espírito Santo e santificador (será este o objecto da segunda parte do Catecismo).

                Curtir

            • OLIVEIRA disse:

              Tiago analfabeto em patrística e história saibas que,
              João Paulo não pediu perdão pela Inquisição, ele pediu perdão pelos possíveis erros humanos cometidos.
              Ele não pediu perdão pela existência do Tribunal. O Papa nunca pediu perdão pelas culpas da Igreja, afinal, pra isso, teria de admitir a culpa da Igreja.
              Tiago a Inquisição foi uma instituição criada pela Igreja e não acho que tenha sido uma instituição ignorante, muito pelo contrário, devemos dar graças a Deus que existiu a Inquisição. Tente responder a pergunta: e se a Igreja nunca tivesse instaurado a Inquisição? Historicamente, como seria o Ocidente? Essa é apenas uma suposição histórica, como seria o Ocidente se os Cátaros tivessem vingado?

              agora você vim com piadas de sites de revistas isso é piada
              fonte:http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG64866-6014,00-PAPA+PEDE+PERDAO+PELOS+CRIMES+COMETIDOS+PELA+INQUISICAO.html

              acorda pra vida Tiago vai estudar herege

              você vim com sites de revistas de racionalistas consumistas isso é a piada do século
              fonte:http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u73742.shtml

              TIAGO VOCÊ CONTINUA BURRO LEIGO E INOCENTE

              POBRE COITADO SE A SEITA PROTESTANTE NÃO TEM MAIS CREDIBILIDADES NOS PAÍSES DA EUROPA É POR CAUSAS DE VIBRADORES COMO VOCÊ

              AGORA TIAGO A INQUISIÇÃO PROTESTANTE FOI TERRÍVEL MATOU MILHÕES ISSO EU TI PROVO COM TESTEMUNHAS OCULARES E ESCRITORES E HISTORIADORES DA ÉPOCA QUE CONFIRMAM AS DESGRAÇAS QUE LUTERO FEZ

              Curtir

            • AMANDA disse:

              Tiago, vocês protestantes não tem vergonha na cara mesmo!

              como você distorce as coisas, tenho pena de homens como você.

              Helen hoje tenho muito mais orgulho de ser católica por conhecer sites católicos ondem tem católicos que lutam a todo custo a mostrar a verdade!

              Tiago é fichinha perto de você Helen do Edmilson, do Jaime, do Oliveira e também do Manuel parabéns continuem assim.

              Defendendo a fé católica desses hereges racionalistas!

              Curtir

    • JAIME disse:

      Isso aqui é a igreja com 2000 mil anos.

      Tiago

      Testemunhos primitivos sobre o cânon bíblico

      Quantas vezes você já ouviu de algum protestante a afirmação de que a Igreja Católica teria acrescentado vários livros apócrifos à Bíblia durante o Concílio de Trento, no séc. XVI? Quando eles falam isso, estão querendo se referir a sete livros do Antigo Testamento que não se encontram em suas bíblias: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc e os dois livros dos Macabeus (além de alguns trechos dos livros de Daniel e Ester). Porém, a própria História – que é imutável – desmente tal argumento, vistos os testemunhos abaixo:

      “Cânon 36 – Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão3, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12” (Concílio de Hipona, 08.Out.393).
      “Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão, doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João12. Isto se fará saber também ao nosso santo irmão e sacerdote, Bonifácio, bispo da cidade de Roma, ou a outros bispos daquela região, para que este cânon seja confirmado, pois foi isto que recebemos dos Padres como lícito para ler na Igreja” (Concílio de Cartago III (397) e Concílio de Cartago IV (419)).
      “Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras: um livro do Gênese, um livro do Êxodo, um livro do Levítico, um livro dos números, um livro do Deuteronômio; um livro de Josué, um livro dos Juízes, um livro de Rute; quatro livros dos Reis13, dois dos Paralipômenos; um livro do Saltério; três livros de Salomão: um dos Provérbios, um do Eclesiastes e um do Cântico dos Cânticos; outros: um da Sabedoria, um do Eclesiástico. Um de Isaías, um de Jeremias com um de Baruc e mais suas Lamentações, um de Ezequiel, um de Daniel; um de Joel, um de Abdias, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias, um de Malaquias. Um de Jó, um de Tobias, um de Judite, um de Ester, dois de Esdras, dois dos Macabeus. Um evangelho segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas, um segundo João. [Epístolas:] a dos Romanos, uma; a dos Coríntios, duas; a dos Efésios, uma; a dos Tessalonicenses, duas; a dos Gálatas, uma; a dos Filipenses, uma; a dos Colossences, uma; a Timóteo, duas; a Tito, uma; a Filemon, uma; aos Hebreus, uma. Apocalipse de João apóstolo; um, Atos dos Apóstolos, um. [Outras epístolas:] de Pedro apóstolo, duas; de Tiago apóstolo, uma; de João apóstolo, uma; do outro João presbítero, duas14; de Judas, o zelota, uma. (Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [366-384], no Concílio de Roma de 382)
      “Quais os livros aceitos no cânon das Escrituras, o breve apêndice o mostra: Cinco livros de Moisés, isto é, Gênese, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Um livro de Josué, filho de Num; um livro dos Juízes; quatro livros dos Reinos; e Rute. Dezesseis livros dos Profetas; cinco livros de Salomão; o Saltério. Livros históricos: um de Jó, um de Tobias, um de Ester, um de Judite, dois dos Macabeus, dois de Esdras, dois dos Paralipômenos. Do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos; quatorze epístolas do apóstolo Paulo, três de João, duas de Pedro, uma de Judas, uma de Tiago; os Atos dos Apóstolos; e o Apocalipse de João” (papa Inocêncio I, 20.02.405; Carta “Consulenti Tibi” a Exupério, bispo de Tolosa).
      “Devemos agora tratar das Escrituras Divinas. Vejamos o que a Igreja Católica universalmente aceita e o que deve ser evitado: (1) Começa a ordem do Antigo Testamento: um livro da Gênese, um do Êxodo, um do Levítico, um dos Números, um do Deuteronômio, um de Josué (filho de Nun), um dos Juízes, um de Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, um livro de 150 Salmos, três livros de Salomão (um dos Provérbios, um do Eclesiastes, e um do Cântico dos Cânticos). Ainda um livro da Sabedoria e um do Eclesiástico. (2) A ordem dos Profetas: um livro de Isaías, um de Jeremias com Cinoth (isto é, as suas Lamentações), um livro de Ezequiel, um de Daniel, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Joel, um de Abdias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias e um de Malaquias. (3) A ordem dos livros históricos: um de Jó, um de Tobias, dois de Esdras, um de Ester, um de Judite e dois dos Macabeus. (4)A ordem das escrituras do Novo Testamento, que a Santa e Católica Igreja Romana aceita e venera são: quatro livros dos Evangelhos (um segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas e um segundo João). Ainda um livro dos Atos dos Apóstolos. As 14 epístolas de Paulo Apóstolo: uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Efésios, duas aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon e uma aos Hebreus. Ainda um livro do Apocalipse de João. Ainda sete epístolas canônicas: duas do Apóstolo Pedro, uma do Apóstolo Tiago, uma de João Apóstolo, duas epístolas do outro João (presbítero) e uma de Judas Apóstolo (o zelota)” (papa S. Gelásio, ~495; Decreto Gelasiano; repetido em 520 pelo papa S. Hormisdas. Seguido também pelo Concílio Ecumênico de Florença15 [1438-1445], e novamente ratificado pelos Concílio de Trento16 [1546-1563] e Vaticano I [1870])).
      Outras Fontes:

      Concílio Regional de Trulos, realizado no ano 692.
      1Trata-se dos dois livros de Samuel (1Rs/2Rs) e os dois livros de Reis (3Rs/4Rs).
      2Isto é, os dois livros das Crônicas (1Cr/2Cr).
      3Ou seja: Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria e Eclesiástico.
      4A saber: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.
      5Incluindo as “Lamentações” e “Baruc”, segundo a Septuaginta.
      6Isto é, o livro de Esdras e o livro de Neemias.
      7Mateus, Marcos, Lucas e João.
      8Aos Romanos, duas aos Coríntios, aos Gálatas, aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses, duas aos Tessalonicenses, duas a Timóteo, a Tito e a Filemon.
      9Curiosa distinção resultada, provavelmente, dos escrúpulos que a Igreja Africana tinha a respeito da autenticidade literária paulina dessa epístola.
      10Percebe-se, assim, que o cânon coincide perfeitamente com o cânon definido pelo Concílio de Trento.
      11Trata-se da Igreja de Roma.
      12Alusão ao culto dos santos mártires.
      13Os Concílios regionais de Cartago simplesmente repetem, com as mesmas palavras, o conteúdo do cânon 36 do Concílio regional de Hipona. A diferença está somente na conclusão.
      14Interessante distinção, já que antiquíssima tradição de Éfeso distinguia o João Apóstolo de um João Presbítero, da mesma região.
      15cf. Decreto “Pro Iacobitis” (da Bula “Cantate Domino”, de 04.02.1441): “…O Sacrossanto Concílio professa que um e o mesmo Deus é o autor do Antigo e do Novo Testamento, isto é, da Lei, dos Profetas e do Evangelho, pois os santos de ambos os Testamentos falaram sob a inspiração do mesmo Espírito Santo. Este Concílio aceita e venera os seus livros que vêm indicados pelos títulos seguintes: Cinco livros de Moisés (isto é, Gênese, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio), Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester, Jó, o Saltério de Davi, as Parábolas (Provérbios), Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico, Isaías, Jeremias, Baruc, Ezequiel, Daniel, os Doze Profetas menores (isto é, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias) e dois livros dos Macabeus. Quatro Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João), catorze epístolas de Paulo (uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Gálatas, uma aos Efésios, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas aos Tessalonicenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon, uma aos Hebreus), duas epístolas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas, os Atos dos Apóstolos e o Apocalipse de João”.
      16cf. Decreto sobre o Cânon (sessão IV, de 08.04.1546).

      Fonte: Veritatis Splendor

      Curtir

      • DIEGO disse:

        Católico, seja sábio! Jamais abandone a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, ÚNICA Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, para seguir uma ….. fundada por homens e mulheres ambiciosos, que têm como único objetivo te explorar.

        A ÚNICA IGREJA VERDADEIRA

        Cristo só fundou uma única Igreja

        Diz Cristo: “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18). “Se não escutar a Igreja, seja ele para ti como gentio e publicano” (Mt 18,17). Cristo fala de um único rebanho e de um só pastor (Jo 10,16), de uma única videira (Jo 15), do reino dos céus na terra (Mt 13,24.47).
        Os Apóstolos falam de uma única Igreja, que Cristo amou e pela qual se entregou (Ef 5, 25.27.32), de um único corpo de Cristo (l Cor 12,20; Cl 1,18), de uma só esposa (Ap 21,9). Os coríntios se tinham dividido em partidos. São Paulo exclama: “Estará porventura Cristo dividido?” (l Cor 1,13).
        Comenta Clemente de Alexandria: “Há um só Pai de todos, um único Verbo para todos e um só Espírito Santo que está em toda parte. E há, outrossim, uma só e única virgem mãe que eu chamo a Igreja”.

        A Igreja de Cristo é a Igreja Católica

        Jesus Cristo, Nosso Salvador, fundou apenas uma Igreja, não várias, como é desejo dos hereges. Ele fundou a Igreja Católica Apostólica Romana: “Cabe ao Filho realizar, na plenitude dos tempos, o plano de salvação de seu Pai. este é o motivo de sua missão. O Senhor Jesus iniciou sua Igreja pregando a Boa Nova, isto e, o advento do Reino de Deus prometido nas Escrituras havia séculos” (Catecismo da Igreja Católica, 763).
        Os pastores evangélicos, em geral, costumam apontar o dedo para o próprio peito dizendo serem eles a “pedra” sobre a qual Cristo Jesus fundou a Sua Igreja; outros bem mais “cultos” e “místicos”, dizem que a “Igreja” está dentro do coração, e aquele que “aceitar” Jesus, pertence à Igreja de Nosso Senhor.
        São Cipriano que não era herege, ambicioso nem enganador diz: “Cristo edifica a Igreja sobre Pedro. Encarrega-o de apascentar-lhe as ovelhas. A Pedro é entregue o primado para que seja uma Igreja e uma cátedra de Cristo. Quem abandona a cátedra de Pedro, sobre a qual foi fundada a Igreja, não pode pensar em pertencer à Igreja de Cristo” (De un. Eccl. cap. IV), e: “Pedro é o vértice, o chefe dos Apóstolos” (I Concílio de Nicéia).
        Por mais que os hereges gritem, apontem o dedo e mentem, não dá para enganar aquele católico bem instruído; só escorregam em suas salivas, aqueles que se dizem católicos e que vivem às margens da Igreja: “Quando Jesus Cristo diz: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei A MINHA IGREJA, e as portas do inferno não prevalecerão contra ELA” (Mt 16, 18) a que Igreja se refere? Não é ao Protestantismo, nem a nenhuma Igreja protestante em particular, porque as Igrejas protestantes só começaram a existir no século XVI.
        Refere-se, sem dúvida alguma, à IGREJA CATÓLICA; é fácil demonstrá-lo.
        Logo nos inícios da Igreja, os seguidores de Cristo foram designados com o nome de cristãos. Assim podiam distinguir-se dos filósofos pagãos e dos judeus ou seguidores da sinagoga. Este nome de cristãos como se sabe, já vem na própria Bíblia, e tal denominação começou em Antioquia: “em Antioquia é que foram os discípulos denominados CRISTÃOS, pela primeira vez” (At 11, 26), “Então Agripa disse a Paulo: Por pouco me não persuade a fazer-me CRISTÃO” (At 26, 28). “Se padece como CRISTÃO, não se envergonhe; mas glorifique a Deus neste nome” (1Pd 4, 16).
        Aconteceu, porém que, tão logo a Igreja começou a propagar-se, começaram a aparecer os hereges, seguindo doutrinas diversas daquela que tinha sido recebida dos Apóstolos, mas tomando o nome de cristãos, pois também criam em Cristo e d’Ele se diziam discípulos. Era preciso, portanto, um novo nome para designar a verdadeira Igreja, distinguindo-a dos hereges. E desde tempos antiquíssimos, desde os tempos dos Apóstolos, a Igreja começou a ser designada como IGREJA CATÓLICA, isto é, UNIVERSAL, a Igreja que está espalhada por toda a parte, para diferençá-la dos hereges, pertencentes à igrejinhas isoladas que existiam aqui e acolá. Assim é que já Santo Inácio de Antioquia, que foi contemporâneo dos Apóstolos, pois nasceu mais ou menos no ano 35 da era cristã e, segundo Eusébio de Cesaréia no seu Chrónicon, foi bispo de Antioquia, entre os anos 70 e 107, já Santo Inácio nos fala abertamente da Igreja Católica, na sua Epístola aos Esmirnenses: “Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA” (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2).
        Outro contemporâneo dos Apóstolos foi São Policarpo, bispo de Esmirna, que nasceu no ano 69 e foi discípulo de São João Evangelista. Quando São Policarpo recebeu a palma do martírio, a Igreja de Esmirna escreveu uma carta que é assim endereçada: “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”. Nessa mesma Epístola se fala de uma oração feita por São Policarpo, na qual ele “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra” (c. 8).
        O Fragmento Muratoriano que é uma lista feita no segundo século, dos livros do Cânon do Novo Testamento fala em livros apócrifos que “não podem ser recebidos na IGREJA CATÓLICA”.
        São Clemente de Alexandria (também do século segundo) responde à objeção dos infiéis que perguntam: “como se pode crer, se há tanta divergência de heresias, e assim a própria verdade nos distrai e fatiga, pois outros estabelecem outros dogmas?” Depois de mostrar vários sinais pelos quais se distingue das heresias a verdadeira Igreja, assim conclui São Clemente: “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA. Das heresias, umas se chamam pelo nome de um homem, como as que são chamadas por Valentino, Marcião e Basílides; outras, pelo lugar donde vieram, como os Peráticos; outras do povo, como a heresia dos Frígios; outras, de alguma operação, como os Encratistas; outras, de seus próprios ensino, como os Docetas e Hematistas”. (Stromata 1.7. c. 15). O mesmo argumento podemos formular hoje. Há uma só Igreja que vem do princípio: é a IGREJA CATÓLICA. As seitas protestantes, umas são chamadas pelos nomes dos homens que as fundaram, ou cujas opiniões seguem, como: Luteranos (de Lutero), Calvinistas (de Calvino), Zuinglianos (de Zuínglio), etc.
        Outras, do lugar donde vieram: Igreja Livre Evangélica Sueca, Irmão de Plymouth;
        Outras, de um povo: Anglicanos (da Inglaterra), Irmãos Moravos (da Morávia);
        No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).
        Na história do martírio de São Piônio (morto em 251) se lê que Polemon o interroga:
        — Como és chamado?
        — Cristão.
        — De que igreja?
        — Católica (Ruinart. Acta martyrum pág. 122 nº 9).
        São Frutuoso, martirizado no ano 259, diz: é necessário que eu tenha em mente a IGREJA CATÓLICA, difundida desde o Oriente até o Ocidente” (Ruinart. Acta martyrum pág 192 nº 3).
        Lactâncio, convertido ao cristianismo no ano 300, diz: “Só a IGREJA CATÓLICA é que conserva o verdadeiro culto. Esta é a fonte da verdade; do qual se alguém sair, está privado da esperança de vida e salvação eterna” (Livro 4º cap. III).
        São Paciano de Barcelona (morto no ano 392) escreve na sua epístola a Simprônio: “Como, depois dos Apóstolos, apareceram as heresias e com nomes diversos procuram cindir e dilacerar em partes aquela que é a rainha, a pomba de Deus, não exigia um sobrenome o povo apostólico, para que se distinguisse a unidade do povo que não se corrompeu pelo erro?… Portanto, entrando por acaso hoje numa cidade populosa e encontrando marcionistas, apolinarianos, catafrígios, novacianos e outros deste gênero, que se chamam cristãos, com que sobrenome eu reconheceria a congregação de meu povo, se não se chamasse CATÓLICA? (Epísola a Simprônio nº 3). E mais adiante, na mesma epístola: “Cristão é o meu nome; CATÓLICO, o sobrenome” (idem nº 4).
        São Cirilo de Jerusalém (do mesmo século IV) assim instruiu os catecúmenos “Se algum dia peregrinares pelas cidades, não indagues simplesmente onde está a casa do Senhor, porque também as outras seitas de ímpios e as heresias querem coonestar com o nome de casa do Senhor, as suas espeluncas; nem perguntes simplesmente onde está a igreja, mas onde está a IGREJA CATÓLICA; este é o NOME PRÓPRIO desta SANTA MÃE de todos nós, que é também a ESPOSA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO” (Instrução Catequética c. 18; nº 26).
        Santo Agostinho (do séc V) dizia: “Deve ser seguida por nós aquela religião cristã, a comunhão daquela Igreja que é a CATÓLICA, e CATÓLICA, é chamada não só pelos seus, mas também por todos os seus inimigos” (Verdadeira religião c 7; nº 12).
        E quando o Concílio de Constantinopla, no ano de 381, colocou, no seu Símbolo estas palavras: “Cremos na Igreja Una, Santa, CATÓLICA e Apostólica”, isto não constituía novidade alguma, pois já desde tempo antiquíssimo, se vinha recitando no Credo ou Símbolo dos Apóstolos: creio na Santa Igreja CATÓLICA.
        Vemos, portanto, na história do Cristianismo, o contraste evidente entre aquela igreja que veio desde o princípio e logo se espalhou por toda a parte (Ide, pois, e ensinais todas as gentes – Mt 28, 19) e que desde o começo foi chamada CATÓLICA, segundo o que acabamos de demonstrar, e as heresias que foram aparecendo no decorrer dos séculos, discordando deste ou daquele ponto, inventadas por um homem qualquer, mas todas levadas de vencida pela Igreja, pois ou desapareceram por completo ou ficaram reduzidas em número de adeptos que logo mergulharam no esquecimento.
        Chega esta Igreja ao séc. XVI. Aparece então Martinho Lutero, pretendendo afirmar que esta Igreja está completamente afogada no erro e é preciso fazer uma reforma doutrinária. Queremos aqui fazer apenas uma pergunta ao “inspirado” e “esclarecido” Lutero: “Como é que Cristo deixou durante tantos séculos a sua Igreja mergulhada completamente no erro, e só no séc. XVI fez aparecerem os “inspirados” e “esclarecidos” doutrinários da verdade: Onde está a Providência Divina com relação à obra de Deus que é a sua Igreja?
        Se tal desastre se tivesse verificado, então teria falhado completamente a promessa de Cristo: “E as portas do inferno não prevalecerão CONTRA ELA” (Mt 16, 18).
        “Nem toda a água do rio Elba daria lágrimas bastante para chorar a desgraça da Reforma” (Melanchton, amigo de Lutero)” (Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia).
        Católico, tampe os ouvidos diante dos uivos dos lobos que trabalham furiosamente para arrancar-te do seio da Verdadeira Igreja, não lhes dê ouvidos, mas lembre-se com freqüência de que Cristo Jesus é o Santo Fundador da Única Igreja, e por mais que lancem pedras sobre ela, jamais a destruirão: “Cristo é o único Senhor da Igreja. Ela lhe pertence, pois é ele quem a edifica. É Pedro, porém, quem lhe guarda as chaves – para abrir – fechar – cerrar – excluir. Inimigos ardilosos, que a não conseguiram suplantar em campo aberto – tentarão – introduzir-se à socapa em seu seio, procurando combatê-la e destruí-la pelo interno” (Alfred Barth, Enciclopédia Catequética, Vol. II). Ame, sirva e defenda a Igreja Católica, Cristo Jesus deu a vida por ela: “Com a vitória da cruz, ele adquiriu para si o poder e o domínio sobre todas as gentes” (Santo Tomás de Aquino, Summa Theol., III, 42, 1), e: “Aquele que, feito homem, se tornara cabeça e senhor da humanidade, ora resgatou seu povo com seu Sangue – libertou-o – remiu-o – fê-lo seu. O véu do templo – a antiga aliança – rasgou-se” (Leão I, Serm., 68, 3), e também: “Amem esta Igreja, sejam essa Igreja, fiquem na Igreja! E amem o Esposo!” (Santo Agostinho).

        Fora da Igreja Católica não há salvação

        “Apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, (o Concílio) ensina que esta Igreja peregrina é necessária para a salvação. O único mediador e caminho da salvação é Cristo, que se nos torna presente em seu Corpo, que é a Igreja. Ele, porém, inculcando com palavras expressas a necessidade da fé e do batismo, ao mesmo tempo confirmou a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pelo Batismo, como que por uma porta. Por isso não podem salvar-se aqueles que, sabendo que a Igreja Católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, apesar disso não quiserem nela entrar ou nela perseverar” (Catecismo da Igreja Católica, 846).

        Pe. Divino Antônio Lopes FP.

        João Paulo II e as Seitas

        Como João Paulo II responde ao desafio das seitas
        Não existiu nenhum outro Pontífice que tenha falado, com tanta valentia sobre um tema que, por sua raiz complexa e urticante, não poucos preferem calar.
        Em razão da impossibilidade de incluir todas as manifestações, selecionamos os textos e parágrafos mais relevantes, razão pela qual sugerimos uma segunda leitura dos documentos por completo.
        Especial importância tem a mensagem dirigido ao terceiro grupo de bispos norte americanos, em sua visita “ad limina” em 18 de maio de 1993, onde João Paulo II alude a um tema de grave consideração, como é o da penetração de idéias e conceitos da New Age ou Nova era “na pregação, na catequese, nos congressos e retiros” , chegando a “influenciar inclusive os católicos praticantes”.
        Também é digno de ressaltar pela riqueza do conteúdo e orientações, a mensagem que o Papa por motivo da Jornada Mundial do Emigrante, deu em 25 de julho de 1990. No mesmo, o Pontífice se refere exclusivamente ao fenômeno das seitas e NMR, e menciona as diversas realidades pelas que atravessam os emigrantes, realidades estas, que muitas vezes facilitam a adesão a não poucos movimentos de características sectárias.
        O nosso país é um onde os emigrantes estão à ordem do dia: pessoas que emigram às nossas terras, provenientes de variados países; pessoas que emigram do interior às grandes cidades; e pessoas nativas das grandes cidades que não emigram, mas pelas características alienantes das megalópolis, como tais em suas próprias cidades.
        A continuação conseguimos uma recopilação de mensagens do Papa João Paulo II, onde se refere ao fenômeno das seitas e NMR.

        – Discurso de João Paulo II, aos bispos da Bolívia em sua mensagem pastoral, L’Osservatore Romano, 21 (1988), p.10.
        “…Alegra-me profundamente poder comprovar pessoalmente a religiosidade do povo boliviano, que espera e necessita de nossa guia doutrinal, para poder purificar e consolidar na verdade suas sinceras e profundas crenças religiosas, assim mesmo necessita de nossas orientações para saber como atuar e defender-se frente à atividade proselitista das seitas, que em recentemente, estão se multiplicando na Bolívia; tais seitas de corte fundamentalista estão semeando confusão no povo, e por desgraça podem logo diluir a coerência e a unidade da mensagem evangélica”.

        – Discurso de João Paulo II, aos bispos do Peru em sua visita ad limina, Vaticano, junho de 1988 – L’Osservatore Romano, 23 (1988), p. 21 e 32.
        “Vejo que nos diversos países da América Latina o problema número um é, cada vez mais, o problema das seitas; alguns Bispos manifestaram uma opinião muito pessimista frente ao futuro, eu não posso permanecer indiferente ante estas opiniões pessimistas (…)”.
        “Isto deve constituir um motivo a mais de preocupação pastoral, que nos leva a propor e planejar uma ação evangelizadora, para a qual precisa-se de agentes de pastoral convenientemente formados e imbuídos de grande espírito apostólico”.

        – Discurso de João Paulo II, aos bispos do Zaire em sua visita ad limina, L’Osservatore Romano, 48 (1988), pp. 21 e 32.
        ” Aludis à proliferação das seitas e sua ação corrosiva. As razões são sem dúvida múltiplas. O fato constitui para a Igreja uma séria interpelação, convidando a desenvolver a formação catequética dos fiéis e de comunidades eclesiais ricas, posto que os que são tentados pelas seitas, buscam provavelmente uma resposta simples ou sincretista à suas interrogações e uma sustentação calorosa, que pertence à ordem da caridade”.

        – Discurso de João Paulo II, aos bispos da Conferência Episcopal Mexicana, Lago Guadalupe, México, 12 de maio de 1990 – L’Osservatore Romano, 34 (1990), p.1.
        “Tampouco deve-se descuidar da grave problemática dos ‘novos grupos religiosos’, que semeiam confusão entre os fiéis, especialmente nos ambientes meios e marginais ou pobres. Seus métodos, seus recursos econômicos e a insistência de seu trabalho proselitista causam impacto, principalmente, entre aqueles que emigram do campo para a cidade”.

        – Mensagem de João Paulo II, na Jornada mundial do Emigrante
        Vaticano, 25 de julho de 1990 – L’Osservatore Romano, 34 (1990), p. 1 e 2.
        “Quisera refletir convosco por ocasião da Jornada mundial do Emigrante sobre um problema que está se tornando cada vez mais preocupante: o perigo a que estão expostos muitos emigrantes, de perder sua própria fé cristã por causa de seitas e de novos movimentos religiosos que proliferam sem cessar. Alguns destes grupos se reclamam cristãos; outros se inspiram em religiões orientais; e outros fazem referência às ideologias, freqüentemente revolucionárias, de nosso tempo”.
        “Ainda que seja difícil descobrir uma linha de conteúdos comuns em todos eles, é possível traçar sua tendência geral. Nestes movimentos a salvação costuma ser considerada, no geral, como algo exclusivo de um grupo minoritário, guiado por personalidades superiores, que crêem ter uma relação privilegiada com Deus cujos segredos pretendem somente eles conhecer. Também a busca do sagrado apresenta contornos ambíguos. Para alguns trata-se de um valor superior, para o qual o homem tende sem poder jamais alcançá-lo; para outros, ao contrário, está situado no mundo da magia, e buscam atraí-lo à sua própria esfera para manipulá-lo e reduzi-lo a seu próprio serviço”.
        “As seitas e os novos movimentos religiosos propõem hoje à Igreja um grande desafio pastoral tanto pelo mal-estar espiritual e social em que fundam suas raízes, como pelas instâncias religiosas das quais são instrumentos. Essas instâncias, tiradas do contexto da doutrina e da tradição católica, freqüentemente são levadas a conclusões muito distantes das originárias. O difundido milenarismo, por exemplo, evoca as temáticas da escatologia cristã e os problemas relativos ao destino do homem; querer dar respostas de caráter religioso a questões políticas ou econômicas revela a tendência a manipular o verdadeiro sentido de Deus , chegando de fato a excluir Deus da vida dos homens; o zelo quase agressivo com que alguns buscam novos adeptos indo de casa em casa ou detendo aos transeuntes nas esquinas das ruas, é uma falsificação sectária do zelo apostólico e missionário; a atenção que se presta ao indivíduo e a importância que se atribui a sua abordagem à causa e ao desenvolvimento do grupo religioso, além de responder ao desejo de valorizar a própria vida sentindo-se úteis à comunidade a que pertencem, constitui uma expressão desviada do papel ativo próprio dos fiéis, membros vivos do Corpo de Cristo, chamados a trabalhar pela difusão do reino de Deus”.
        “De fato, a expansão das seitas e dos novos movimentos religiosos concentra seus esforços em alguns setores estratégicos: entre estes estão as migrações. Pela situação de desarraigo social e cultural, e pela instabilidade em que se encontram, costumam ser presas fáceis de métodos insistentes e agressivos. Excluídos da vida social do país de origem, estranhos à sociedade em que se inserem, obrigados com freqüência a movimentar-se fora de uma ordem objetiva que defenda seus direitos, os emigrantes pagam a necessidade de ajuda e o desejo de sair da marginalização, em que estão confinados de fato, com o abandono de sua fé. É um preço que nenhum homem respeitoso dos direitos humanos deveria pedir ou aceitar. Ao emigrante não somente é ferido em sua dignidade humana, mas também em sua positiva e respeitosa colocação no ambiente social que o acolhe. E, desde então, não dão mostra de honradez e sensibilidade aqueles que, ainda tendo o dever de aliviar no emigrante o trauma e a desorientação causados pelo impacto com um mundo estranho à própria cultura, se aproximam a ele em um momento de profundo mal-estar para enganá-lo e instrumentalizá-lo”.
        “Os pontos fracos em que se apóiam os novos movimentos religiosos são a instabilidade e a incerteza. Neles baseiam sua estratégia de aproximação. Trata-se de um conjunto de atenções e de serviços prestados para fazer que o emigrante abandone sua fé se adira a uma nova proposta religiosa. Apresentando-se como os únicos possuidores da verdade, afirmam a falsidade da religião que o emigrante professa e lhe pede que dê uma mudança bruta e imediata de rota. Trata-se, evidentemente, de uma verdadeira agressão moral, da qual não é fácil escapar com boas maneiras, pois seu ardor e insistência são sufocantes”.
        “Os ensinamentos das seitas e novos movimentos religiosos, opõem-se à doutrina da Igreja Católica; por isso, a adesão a eles significa renegar a fé em que foram batizados e educados. O evangelho, ao mesmo tempo em que nos exorta a ser simples como as pombas, nos convida também a ser prudentes e astutos como as serpentes. A mesma vigilância que pondes quando estão em jogo vossos assuntos materiais, com o fim de não ser vítimas dos enganos de quem quer se aproveitar de vós, deve guiar-vos para não cair na rede das armadilhas de quem tenta contra vossa fé. ” Olhai a que ninguém vos engane -nos adverte o Senhor- Virão muitos usurpando meu nome e dizendo “eu sou”, e enganarão a muitos… Se alguém vos disser: “Olhai o Cristo aqui”. “Olhai-o ali” , não credes. Pois surgirão falsos profetas” (Mc 13, 6. 21-22). E também nos diz: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes” (Mt 7, 15-16)”.
        “Outros motivos que podem levar a acolher as proposições desses novos movimentos religiosos são a pouca coerência com que alguns batizados vivem seu compromisso cristão, e também o desejo de uma vida religiosa mais fervorosa, que se espera experimentar em uma determinada seita, quando a comunidade que se freqüenta está pouco comprometida”.
        “Mas trata-se de um engano. Do mal-estar interior antes mencionado é combatido, de fato, mediante uma verdadeira conversão, segundo o evangelho, e não afligindo-se irrefletidamente a essa classe de grupos, adotando ritos religiosos que ocultam com o ruído das palavras a apatia do coração. Por isso faz falta uma séria renovação espiritual e uma coerente adesão à vontade de Deus, ao seguimento de Cristo; é um desvio o limitar-se a cumprir algum mandamento isolado e extravagante, do que faz depender o próprio destino da vida ou da morte”.
        “(…) Os aspectos de instabilidade, nos quais se apóiam as seitas e os movimentos religiosos para tender armadilhas à fé do emigrante, devem constituir para a Igreja motivos para dar prioridade à atenção e à assistência ao emigrante. Os serviços, que freqüentemente costumam pagar com a renúncia à sua fé, devem ser prestados pela Igreja com solicitude gratuita, alegre de poder prestar um serviço ao próprio Cristo. Assim como Jesus é a imagem transparente do amor do Pai, igualmente deveria ser imagem da ternura do Redentor; por isso, deveria ser evidente que a comunidade, à que chega o emigrante, é comunidade capaz de acolher e amar. A comunidade dos que crêem em Cristo não deve mostrar nunca o rosto triste de quem sente estorvado em seus compromissos e projetos diários, mas que deve manifestar o rosto alegre de quem descobriu a Cristo, esperado e reconhecido no estrangeiro (…)”.
        “Queridos emigrantes: Mantenhais-vos firmes na fé, sede homens, sede fortes” (1Cor 16,13). A exortação do Apóstolo Paulo é um eco das palavras do Senhor que nos convida a construir nossa própria existência sobre a rocha sólida que é o próprio Jesus, Filho de Deus, nos assegura a salvação. Só quem está firmemente enraizado nele pode dar frutos que resistam ao desgaste de todas as modas, inclusive as das seitas religiosas. A gratidão para com o dom de Deus, manifestada mediante a resposta de uma vida cristã coerente, atrai sobre vós outros dons de comunhão com ele e de perseverança em vosso fiel compromisso cristão. ‘Quem me ama, será amado por meu Pai; Eu o amarei e me manifestarei a ele’ (Jo 14,21) e ‘a todo aquele que tem será dado e terá em abundância’ (Mt 25,29). Quanto mais vos adentreis no caminho da vida cristã, tanto mais estareis ao abrigo das armadilhas que atentam contra vossa fé”.

        – Discurso de João Paulo II, aos bispos argentinos em sua visita ad limina, Vaticano, 18 de janeiro de 1991 – Aica Doc 230, Aica Nº 1779 (1991), pp. 2/6.
        ” … Com paciência, com pedagogia paternal, mediante um itinerário catequético permanente, através de missões populares e outros meios de apostolado, ajudai a esses fiéis a amadurecer em sua consciência de pertencer à Igreja e a descobri-la como sua família, sua casa, o lugar privilegiado de seu encontro com Deus”.
        ” São precisamente essas multidões que conservam a fé de seu batismo, mas provavelmente debilitada pelo desconhecimento das verdades religiosas e por uma certa ‘marginalidade’ eclesial, as mais vulneráveis frente o combate do secularismo e do proselitismo das seitas (…)”.
        “A presença das seitas, que atuam especialmente sobre estes batizados insuficientemente evangelizados ou afastados da prática sacramental, mas que conservam inquietudes religiosas, deve constituir para nós um desafio pastoral ao que será necessário responder com um renovado dinamismo missionário”.

        – Mensagem de João Paulo II, em sua Segunda viagem apostólica ao Brasil, outubro de 1991 – Citado por URREA, JUAN C. ” Os NMR na América Latina”, Ed. Paulinas, Chile 1992, p. 62.
        ” Se bem a promoção destas seitas e grupos conta com fortes recursos econômicos e que sua pregação seduz ao povo com falsos espelhismos, engana com simplificações distorcidas e semeia confusão, principalmente nos mais simples que receberam escassa instrução religiosa”.
        “É importante pois, que vossa pastoral, saiba ocupar os espaços nos quais estas seitas atuam, despertando no povo a alegria e o santo orgulho de pertencer à única Igreja de Cristo, que subsiste em nossa santa Igreja Católica”.

        – Discurso de João Paulo II, ao terceiro grupo de bispos dos EUA em sua visita ad limina. Vaticano, 18 de maio de 1993 – Reprodução em ‘Palavra’, 343/4, Madri, agosto de 1993, p. 129.
        “Enquanto a secularização continua avançando sob muitos aspectos da vida, há uma nova demanda de espiritualidade, como mostra a aparição de muitos movimentos religiosos e terapêuticos, que pretendem dar uma resposta à crise dos valores da sociedade ocidental”.
        “Esta inquietude do homo religious produz alguns resultados positivos e construtivos, como a busca de um novo significado da vida, uma nova sensibilidade ecológica e o desejo de ir além de uma religiosidade fria e racionalista. Por outro lado, este despertar religioso traz consigo alguns elementos muito ambíguos, incompatíveis com a fé cristã”.
        “Muitos de vós escreveram cartas pastorais sobre os problemas que representam as seitas e movimentos pseudo-religiosos, incluído o chamado New Age. As idéias da New Age às vezes abrem caminho na pregação, a catequese, nos congressos e nos retiros, e assim chegam a influenciar inclusive aos católicos praticantes, que talvez não são conscientes da incompatibilidade dessas idéias com a fé da Igreja”.
        “Em sua perspectiva sincretista e imanente, estes movimentos pára-religiosos prestam pouca atenção na Revelação, e bem, tentam chegar a Deus através do conhecimento e da experiência, baseados em elementos que pegam emprestados da espiritualidade oriental e de técnicas psicológicas. Tendem a relativisar a doutrina religiosa em favor de uma vaga visão do mundo, que se expressa mediante um sistema de mitos e símbolos revestidos de uma linguagem religiosa. Além disso propõem freqüentemente uma concepção panteísta de Deus, incompatível com a Sagrada Escritura e a tradição cristã. Substituindo a responsabilidade pessoal de nossas ações frente a Deus com um sentido de dever frente ao cosmo, tergiversando assim o verdadeiro conceito de pecado e a necessidade da redenção por meio de Cristo”.

        – Discurso de João Paulo II, ao primeiro grupo de bispos argentinos em sua visita ad limina. Vaticano, 7 de fevereiro de 1995 -Aica Doc 328, Aica Nº 199O (1995), pp. 67/71.
        ” (…) A ignorância religiosa e a deficiente assimilação vital da fé, que deriva de uma catequese insuficiente ou imperfeita, deixariam aos batizados inermes frente aos perigos reais do secularismo ou do proselitismo das seitas fundamentalistas, com o conseguinte risco de que estes substituem as valiosas e sugestivas expressões cristãs da piedade popular (…)”.
        “Outro fenômeno de nossa cultura contemporânea é que, enquanto a secularização continua avançando sob muitos aspectos da vida, percebe-se também uma nova demanda de espiritualidade, expressão da condição religiosa do homem e sinal de sua busca de respostas à crise de valores da sociedade ocidental (…)”.
        ” Deve-se ter presente, entretanto, que não faltam desvios que deram origem a seitas e movimentos gnósticos ou pseudo-religiosos, configurando uma moda cultural de vastos alcances que, às vezes, encontra eco em amplos setores da sociedade e chega inclusive a ter influência em ambientes católicos”.
        “Por isso, alguns deles, em uma perspectiva sincretista, amalgamam elementos bíblicos e cristãos com outros extraídos de filosofia e religiões orientais, da magia e de técnicas psicológicas”.
        “Esta expansão das seitas e de novos grupos religiosos que atraem a muitos fiéis e semeia confusão e incerteza entre os católicos é motivo de inquietude pastoral”.

        Matéria extraída da internet em 03/04/2007: http://www.acidigital.com/seitas/papa.htm

        Curtir

        • EDMILSON disse:

          Nessa pagina, colocarei tópicos rápidos e curtos sobre heresias protestantes.

          Existe um livro chamado “Conversas à Mesa” onde é apresentado algumas anotações do Reformador Martinho Lutero.

          Cristo Adúltero:
          “Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte [do poço de Jacó] de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: Que fez, então, com ela? Depois, com Madalena, depois, com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim, Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer” (Lutero, Tischredden, Conversas à Mesa, N* 1472, edição de Weimar, Vol. II, p. 107, apud Franz Funck Brentano, Martim Lutero, Ed Vecchi Rio de Janeiro 1956, p. 15).

          Lutero blasfema:
          “Deus est stultissimus”( Lutero, Conversas à Mesa, ed Weimar, N* 963, Vol. I , p. 487. Apud Franz Funck Brentano op. cit. p. 147). Lutero concluia: “Deus age sempre como um louco” (Franz Funck Brentano, Martim Lutero, p. 111). Cadernos pessoais de Lutero recentemente descobertos estudados pelo Padre Theobald Beer que publicou um livro sobre o tema Lutero afirma que Cristo é, simultaneamente, Deus e satanás, o bem e o mal… Lutero exibe um dualismo gnóstico e herético. Os protestantes desconhecem os escritos de Lutero. Os poucos Pastores que conhecem esses textos buscam esconder essas tais frases. Lutero culpava Deus por todos os crimes da história, e dizia que Judas não tinha opção, não podia deixar de trair o Cristo, o mesmo com Adão. Deus determinava quem seria pecador. Anotações “esquecidas” Sobre a Missa: “Quando a missa for revirada, acho que nós teremos revirado o papado! Porque é sobre a missa, como sobre uma rocha, que o papado se apóia totalmente, com seus mosteiros, seus bispados, seus colégios, seus altares, seus ministérios e sua doutrina…Tudo isto desabará quando desabar sua missa sacrílega e abominável” (Lutero). (Père Barrielle, Avant de mourir, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi – Daniel Raffard de Brienne – 1983 – ).

          Sobre o Ofertório:
          “Segue toda esta abominação à qual se submete tudo aquilo que precede. É o que denominamos de Ofertório, e tudo, nele, exprime a oblação” (Lutero). (Henri Charlier, La messe ancienne et la nouvelle D.M.M., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi – Daniel Raffard de Brienne – 1983).

          Sobre o Cânon:
          “Este abominável cânon, que é uma coletânea de lacunas lodosas;… fez-se, da Missa, um sacrifício; acrescentaram- se os ofertórios. A Missa não é um sacrifício ou a ação de um sacrificador. Olhemo-la como sacramento ou como testamento. Chamemo-la de benção, eucaristia, ou mesa do Senhor, ou Ceia do Senhor ou Memória do Senhor”(Lutero). (Luther, Sermon du 1er dimanche de lAvent, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi Daniel Raffard de Brienne – 1983).

          Sobre a tática a seguir, para a implantação da sua nova missa:
          “Para chegar segura e felizmente ao objetivo, é preciso conservar algumas cerimônias da antiga missa, para os fracos, que poderiam se escandalizar com mudanças demasiadamente bruscas” (Lutero). (Père Barrielle, La messe catholique est-elle encore permise?, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).
          “O padre pode, muito bem, atuar de tal modo que o homem do povo ignore sempre a mudança realizada e possa assistir a missa, sem encontrar com o que se escandalizar” (Lutero). (Jacques Maritain, Trois Réformateurs, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).

          Sobre o sacerdócio:
          “Que loucura querer monopolizá-lo para alguns” (Lutero). (Para ele o sacerdócio não era restrito aos padres, mas compartilhado por todos os fiéis). (Léon Cristiani, Du luthéranisme au protestantisme, 1910, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).

          Sobre seu comportamento:
          “Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar”. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso” (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).

          “Eu tive até três esposas ao mesmo tempo” (Lutero). (Dois meses após ter dito isto, Lutero se casa com uma quarta mulher, uma freira). (Guy Le Rumeur, La révolte des hommes et lheure de Marie 1981, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi – Daniel Raffard de Brienne 1983).

          Sobre a Igreja:
          “Se nós condenamos os ladrões à fôrca, os assaltantes ao cadafalso, os hereges à fogueira, por que não recorremos, com todas as nossas armas, contra esses doutores da perdição, esses cardeais, esses papas, toda essa seqüela da Sodoma romana, que não para de corromper a Igreja de Deus? Por que não lavamos nossas mãos no seu sangue?”(Lutero). (Hartmann Grisar, Martin Luther – La vie et son oeuvre – 2ª ed. – Ed. P . Lethielleuz – Paris -1931).

          Sobre Deus: (Até sobre Deus???)
          “Certamente Deus é grande e poderoso, e bom e misericordioso, e tudo quanto se pode imaginar nesse sentido, mas é estúpido” (Lutero). (Id. Propos de Tables – no. 963, ed. De Weimar, I , 487).

          Sobre Nosso Senhor Jesus Cristo:
          “Pensais, sem dúvida que o beberrão Cristo, tendo bebido demais na última Ceia, aturdiu os discípulos com vã tagarelice?”(Lutero). (Funk Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi – 1956 – pg. 135)
          “Cristo cometeu adultério pela primeira vez, com a mulher da fonte, de que nos fala S. João. Não se murmurava em torno dele: «Que fêz, então com ela?» Depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer”(Lutero). (Funk Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi – 1956 ) “

          Curtir

        • JAIME disse:

          Essas são algumas das minhas respostas aos Protestantes Sobre Intercessão

          Os Protestantes dizem que quem intercede por nós são os que estão vivos, e os que morreram não pode interceder por nós, pois estão dormindo e esperando a ressurreição. Vejamos como isso é falso.

          De imediato, é bom lembrar que Cristo levou no mesmo instante o bom ladrão. Pois ele disse: “hoje estarás comigo no paraíso”. (Lucas 23,43). Podemos ver que o bom ladrão está bem acordadão, não é mesmo? e que Jesus não está mais sozinho no Paraíso. Na parábola do rico e de Lázaro, observamos também que não dormem.

          Os que já estão na glória de Deus pode interceder junto a Cristo por nós. É o que veremos de agora em diante

          Os Anjos e os Santos intercedem a Deus por nós

          Os Santos no céu estão na mesma condição dos Anjos, pois conservam as suas naturezas individuais e intelectuais, e possuem a mesma Luz divina na qual vêem a Deus, e em Deus e tudo que a sua mente pode conhecer “Na tua Luz veremos a Luz” – (Salmos 35,10). Por isso, a Bíblia afirma que os Santos “julgarão o mundo” (1Coríntios 6,2). Para fazerem esse julgamento devem conhecer os atos nele praticados. Portanto, os Santos conhecem as nossas precisões e intercedem por nós como nossos amigos junto de Deus.

          É o que lemos em várias passagens da Bíblia:

          a) Em Jeremias lemos: “E o Senhor me disse: ‘ainda que Moisés e Samuel se apresentassem diante de mim, o meu coração não se voltaria para esse povo” (Jeremias 15,1). Ora, Moisés e Samuel já não eram do números dos vivos, e podiam, no entanto, interceder pelo povo.

          Note-se que em (2 Macabeus 15,14), o próprio Jeremias, já falecido, é apresentado como, quem “muito ora pelo povo e pela cidade santa”.

          b) No Apocalipse São João narra a visão que teve de Jesus Cristo em seu trono de glória, e como, diante d’Ele, se apresentavam anciãos “com taças cheias de perfume, que são as orações dos santos” (Apocalipse 5,8) ( Apocalipse 8,4). Esses anciãos significam os “Santos da glória” ao apresentarem a Jesus as orações dos “santos da terra”, ou seja, os fiéis de Cristo nesse mundo. Trata-se de uma forma de mediação secundária dos Santos entre Cristo e os seus fiéis.

          c) No 1º livro dos Reis lemos que Deus prometeu a Salomão conservar para seu filho (Davi) a tribo ou reino de Judá, “em atenção” e “por amor ao seu servo Davi” (já morto) (1Reis 11,11-13). Isso significa que Deus toma em consideração os pedidos dos seus amigos também do Céu, os Santos.

          d) Igual sentido tem a oração de Moisés pedindo a Deus que poupasse o povo culpado em atenção aos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó, todos já falecidos (Êxodo 32,11-14).

          e) Ainda no 2º livro dos Reis a Bíblia narra o milagre da ressurreição de um morto, ao contato com os ossos do profeta Eliseu (2 Reis 13,21).

          Note-se que nesse texto está divinamente aprovada ainda a prática católica de se guardarem com respeito as relíquias dos Santos, pois, também através delas Deus pode nos conceder graças e favores.

          f) Na Parábola do pobre Lázaro e do rico, Jesus apresenta Abraão sendo rogado pelo mal rico que fora condenado ao inferno (Lucas 16, 27). No caso, o mal rico não podia ser atendido. Mas com esse fato Jesus significou a possibilidade de se pedir ajuda aos amigos de Deus que estão no céu, pois o mal rico pediu intercessão de Abraão.

          g) Se os santos da terra (os fiéis em Cristo) intercedem junto de Deus pelas necessidades dos irmãos, conhecidos e desconhecidos (são incontáveis os casos na Bíblia), quanto mais os Santos da glória que, na Luz divina, conhecem perfeitamente as nossas precisões (como acima ficou provado). Eles intercedem com certeza por nós junto de Deus. Ler ainda (Sabedoria 18,20-22).

          Para nós Católicos os santos já estão no Céu,e podem interceder por nós ( Apocalipse 6,9-10) (Apocalipse 5,9) (Apocalipse 14,3) e (Apocalipse 15,3)

          Por fim, um argumento de reta razão ou do bom senso:

          É conforme à natureza dos seres criados por Deus que os inferiores obtenham favores dos superiores também pela mediação de amigos de ambos. A própria mediação de Cristo tem por base este princípio. Ora, os Santos são amigos de Deus e nossos na glória (Lucas.16,9). Logo, eles não só podem, mas realmente intercedem por nós junto de Deus.

          Conclusão: aí estão alguns dos fundamentos bíblicos da prática católica da devoção ou culto dos anjos e dos Santos. A isso os evangélicos costumam apresentar que há um só Mediador, Jesus Cristo (1Timóteo 2,5).

          A isso se responde completando a citação no versículo 06 assim: “. . . o Qual Se entregou em Redenção por todos”. Cristo é, sim, o único Mediador, mas “de redenção”. O que não exclui a mediação de intercessão dos Anjos e Santos, como acima ficou provado.

          E mais: estando os “Santos da glória” na mesma condição dos Anjos, eles podem também ser venerados como os Anjos o foram por homens justos ou seja, pelos fiéis, conforme se lê na Bíblia.

          Pelo fato de os habitantes do céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a igreja. Eles não deixam de interceder por nós junto ao pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por conseguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxilio.

          Sendo os Santos amigos de Deus pela santidade, e nossos, pela sua perfeita caridade, é justo que lhes tributemos os louvores que, sob esse duplo título, merecem; e que nos recomendemos à sua intercessão junto de Deus. É justo, visto que neles também se realiza, embora em grau bem menor, mas bem verdadeiro, o que disse de Si mesma, mas cheia do Espírito Santo, a mais santa que todos os Santos, Maria Santíssima: Todas as gerações me proclamarão bem-aventurada, porque fez em mim grandes coisas o Todo-Poderoso” (Lucas 1,48-49)

          Vê-se, por essas palavras inspiradas, que o louvor dos Santos redunda em louvor e glória de Deus, pois os Santos são obras-primas da sua sabedoria, bondade e poder. Quando os louvamos, é a seu Autor que louvamos. De fato, sendo Deus admirável em seus Santos, e os Santos, obra de sua graça (à qual eles corresponderam fazendo a sua parte), Deus os ama sob esse título. Aliás, no preceito de “amar e honrar a Deus” está incluindo o de amar e honrar a tudo o que Ele ama e honra, e segundo a ordem com a qual Ele o faz. E Deus ama, de modo especial, os seus Santos: a Jesus Cristo enquanto Homem, depois a Nossa Senhora, e depois aos Anjos e todos os Santos da glória; e também às santas almas do Purgatório. E depois, aos que ainda pelejam neste mundo.

          Curtir

    • JAIME disse:
      VEJA TIAGO ESSE PASTOR PROTESTANTE SENDO REFUTADO POR CRIS MACABEUS ELE É COMO VOCÊ UM VIBRADOR COLECIONADOR DE VERSÍCULOS BÍBLICOS FORA DO CONTEXTO DESAFIO: MACABEUS X PR. AIRTON COSTA. Em seu site particular, o auto intitulado pastor (Airton Evangelista da Costa) escreveu um artigo sobre: cânon Bíblico; na verdade, esse artigo não passa de mais uma cópia barata de fábulas protestantes referentes à mutilação satânica promovida ao longo do tempo. Nesse artigo, cheio de achismos baratos e sofismas protestantes, o pastor afirma categoricamente que os sete livros deuterocânonicos foram acrescentados na Bíblia Sagrada pelo concílio de Trento no século XVI; o mais engraçado na história comovente desse pastor, foi a sua audácia de escrever um artigo sobre cânon Bíblico sem nos fornecer um documento histórico a respeito desse assunto, sua única fonte foi: Fonte: A Bíblia Através dos Séculos, Antonio Gilberto, 2ª Edição, 1987, pgs. 63-65: Alguém em plena sã consciência, usaria como fontes histórias de fatos ocorridos dois mil anos atrás, um livro escrito em 1987? Observem que ao logo do artigo, ele citar alguns padres da Igreja, porém, o pastor coloca palavras na boca desses padres e não cita as obras escritas por eles, assim fica fácil enganar o povo. O que eu farei nesse artigo é refutar tais absurdos usando fontes documentais sobre o assunto, sendo assim, deixarei um desafio a esse pastor: Desafio lançado. Se eu refutá-lo, eu desafio-o a retirar o artigo mentiroso de seu site e colocar o meu artigo no lugar. Com tanta sabedoria, dificilmente ele não aceitará. Nota: Até o fechamento desse artigo, o pastor não respondeu nossos E-mails. Pastor Airton diz: “LIVROS APÓCRIFOS – Nas Bíblias de edição da Igreja Romana, o total de livros é 73, porque essa igreja, desde o concílio de Trento, em 1546, incluiu no cânon do Antigo Testamento 7 livros apócrifos, além de 4 acréscimos ou apêndices a livros canônicos, acrescentando, assim, ao todo 11 escritos apócrifos” Refutação: primeiro embuste no artigo desse pastor é referente à velha fábula protestante sobre: “A Igreja Católica incluiu sete livros Apócrifos na Bíblia durante o concilio de Trento” Bem, tal alegação seria validada, se o mesmo colocasse em seu artigo provas documentais de que o concilio de Trento estaria incluindo no cânon Bíblico mais sete livros não canônicos; porém, não é isso que vemos, em seu artigo, o pastor apenas faz citações de achismos e fábulas protestantes. O que eu chamo de: (Mentiras inventadas ao logo dos 500 anos de protestantismo). Colocarei agora, a Ata do concílio de Trento na sessão sobre cânon Bíblico. “O sacrossanto Concílio Ecumênico e Geral de Trento, reunido legitimamente no Espírito Santo, e com a presidência dos mesmo três legados da Sé Apostólica, tendo sempre isto diante dos olhos que, rejeitados os erros, seja na Igreja conservada a pureza do Evangelho, prometido antes nas Escrituras Santas pelos profetas, o qual Nosso Senhor Jesus Cristo Filho de Deus, primeiramente com sua própria palavra o promulgou e depois, por meio de seus Apóstolos, mandou pregá-lo a toda criatura (Mt 18, 19 s; Mc 16, 15), como fonte de toda a verdade salutar e disciplina dos costumes. Vendo que esta verdade e disciplina estão contidos nos livros escritos e nas tradições orais, que – recebidas ou pelos Apóstolos dos lábios do próprio Cristo, ou dos próprios Apóstolos sob a inspiração do Espírito Santo – chegaram até nós como que entregues de mão em mão, fiéis aos exemplos dos Padres ortodoxos, com igual sentimento de piedade e reverência aceita e venera todos os livros, tanto os do Antigo, como os do Novo Testamento, visto terem ambos o mesmo Deus por autor, bem como as mesmas tradições que se referem tanto à fé como aos costumes, quer sejam só oralmente recebidas de Cristo, quer sejam ditadas pelo Espírito Santo e conservadas por sucessão contínua na Igreja Católica. E para que não surja dúvida a alguém a respeito dos livros que são aceitos pelo mesmo Concílio, resolveu ele ajuntar a este decreto o índice dos Livros Sagrados. São portanto os que a seguir vão enumerados: Do Antigo Testamento: os 5 de Moisés, a saber: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio; Josué, Juizes, Rute, os quatro dos Reis, os dois do Paralipômenos, o primeiro de Esdras e o segundo, que se chama Neemias; Tobias, Judite, Ester, Job, o Saltério de David com 150 salmos, os Provérbios, o Eclesiastes, o Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico, Isaías, Jeremias, com Baruque, Ezequiel, Daniel; os 12 profetas menores, isto é: Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Nahum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias; o primeiro e o segundo dos Macabeus.(continua com o NT )Se alguém não aceitar como sacros e canônicos esses livros na íntegra com todas as suas partes, como era costume serem lidos na Igreja Católica e como se encontram na edição antiga da Vulgata Latina; e desprezar ciente e premeditadamente as preditas tradições: – seja excomungado”. (Ata do concílio de Trento 1945-1563 Sessão IV realizado em 8-4-1546, parágrafo 783) Lendo a Ata do concílio de Trento, observamos o seguinte: Nos grifos de cor escura – a ordenação para venerar todas as Escrituras citadas, em nenhum momento a Ata diz estar acrescentando algo as Escritura ou no cânon. Nos grifos de cor azul – encontramos as citações de todos os livros do (AT), sendo que os deuterocânonicos encontram-se entre eles e não a parte deles. Nos grifos de cor vermelha – A Ata diz: TODOS esses livros são aceitos e lidos pela igreja assim como ERA DE COSTUME (tais livros) serem lidos desde a edição antiga da vulgata latina. Resumindo: a própria Ata do concílio de Trento afirma que não estava incluindo livro algum no cânon Bíblico, muito pelo contrario, estava re-confirmando a canonicidade de todos os livros contidos na antiga vulgata latina, ou seja, os sete livros deuterocânonicos faziam parte do cânon Bíblico desde os primeiros concílios. Peço ao leitor que observem com atenção as Atas dos concílios de Roma em 382 D.C realizado pelo Papa Damaso (o mesmo que enviou São Jerônimo a Jerusalém), concílio de Hipona em 393 D.C (tudo indica a participação de Santo Agostinho nesse concílio) e os dois concílios de Cartago 393-419 D.C. Observem como o cânon Bíblico é o mesmo cânon do concílio de Trento. “Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras: um livro do Gênese, um livro do Êxodo, um livro do Levítico, um livro dos números, um livro do Deuteronômio; um livro de Josué, um livro dos Juízes, um livro de Rute; quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos; um livro do Saltério; três livros de Salomão: um dos Provérbios, um do Eclesiastes e um do Cântico dos Cânticos; outros: um da Sabedoria, um do Eclesiástico. Um de Isaías, um de Jeremias com um de Baruc e mais suas Lamentações, um de Ezequiel, um de Daniel; um de Joel, um de Abdias, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias, um de Malaquias. Um de Jó, um de Tobias, um de Judite, um de Ester, dois de Esdras, dois dos Macabeus. Um evangelho segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas, um segundo João. [Epístolas:] a dos Romanos, uma; a dos Coríntios, duas; a dos Efésios, uma; a dos Tessalonicenses, duas; a dos Gálatas, uma; a dos Filipenses, uma; a dos Colossences, uma; a Timóteo, duas; a Tito, uma; a Filemon, uma; aos Hebreus, uma. Apocalipse de João apóstolo; um, Atos dos Apóstolos, um. [Outras epístolas:] de Pedro apóstolo, duas; de Tiago apóstolo, uma; de João apóstolo, uma; do outro João presbítero, duas; de Judas, o zelota, uma”. (Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [366-384], no Concílio de Roma de 382) “Cânon 36 – Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão[1], doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias[2], Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João. Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários” (Concílio de Hipona, 08.Out.393) “Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão[1], doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias[2], Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João. Isto se fará saber também ao nosso santo irmão e sacerdote, Bonifácio, bispo da cidade de Roma, ou a outros bispos daquela região, para que este cânon seja confirmado, pois foi isto que recebemos dos Padres como lícito para ler na Igreja” (Concílio de Cartago III 397 e Concílio de Cartago IV 419) Notas: [1] Jeremias, Lamentações e a carta de Baruc, eram consideradas um único livro. [2] Cinco livros de Salomão: eram relacionados Cânticos, Eclesiastes, Provérbios além de Sabedoria e Eclesiásticos somados cinco livros. Fazendo uma análise criteriosa dos três concílios onde foram estabelecidos os livros canônicos e o concílio de Trento no século XVI, concluímos que nada foi alterado no cânon, desde o quarto século, o cânon possui (73) livros canônicos, o que o concílio de Trento fez, foi apenas re-confirmar o cânon de Roma, Hipona e Cartago, assim como fez todos os outros concílios anteriores ao de Trento; cito aqui o concílio de Florença realizado um século antes do concílio de Trento. Observem: “Devemos agora tratar das Escrituras Divinas. Vejamos o que a Igreja Católica universalmente aceita e o que deve ser evitado: Começa a ordem do Antigo Testamento: um livro da Gênese, um do Êxodo, um do Levítico, um dos Números, um do Deuteronômio, um de Josué (filho de Nun), um dos Juízes, um de Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, um livro de 150 Salmos, três livros de Salomão (um dos Provérbios, um do Eclesiastes, e um do Cântico dos Cânticos). Ainda um livro da Sabedoria e um do Eclesiástico. A ordem dos Profetas: um livro de Isaías, um de Jeremias com Cinoth (isto é, as suas Lamentações), um livro de Ezequiel, um de Daniel, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Joel, um de Abdias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias e um de Malaquias. A ordem dos livros históricos: um de Jó, um de Tobias, dois de Esdras, um de Ester, um de Judite e dois dos Macabeus. A ordem das escrituras do Novo Testamento, que a Santa e Católica Igreja Romana aceita e venera são: quatro livros dos Evangelhos (um segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas e um segundo João). Ainda um livro dos Atos dos Apóstolos. As epístolas de Paulo Apóstolo: uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Efésios, duas aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon e uma aos Hebreus. Ainda um livro do Apocalipse de João. Ainda sete epístolas canônicas: duas do Apóstolo Pedro, uma do Apóstolo Tiago, uma de João Apóstolo, duas epístolas do outro João (presbítero) e uma de Judas Apóstolo (o zelota)” (Concílio Ecumênico de Florença 1438-1445). O pastor Airton poderia responder em seu artigo a seguinte questão: Como que um concílio realizado um século antes do concílio de Trento, cita como canônicos e inspirados livros que só foram incluídos um século depois? (segundo as fábulas protestantes). “3. Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. 4. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas” (II Timótio capítulo 4) Pastor Airton diz: “A palavra “apócrifo” significa, literalmente, “escondido, “oculto”, isto em referência a livros que tratavam de coisas secretas, misteriosas, ocultas. No sentido religioso, o termo significa “não genuíno”, “espúrio, desde sua aplicação por Jerônimo. Os apócrifos foram escritos entre Malaquias e Mateus, ou seja, entre o Antigo e o Novo Testamento, numa época em que cessara por completo a revelação divina; isto basta para tirar-lhes qualquer pretensão de canonicidade. Josefo rejeitou-os totalmente. Nunca foram reconhecidos pelos judeus como parte do cânon hebraico. Jamais foram citados por Jesus nem foram reconhecidos pela igreja primitiva” Refutação: Duas questões a serem refutadas nessa parte do artigo: 1º) O real significado do termo Apócrifo. 2º) A fábula protestante do suposto período inter-bíblicos. Bem, lendo o artigo do pastor Airton, fica evidente que o mesmo não possui o mínimo de conhecimento sobre o termo Apócrifo, segundo o pastor, o termo Apócrifo é referente a livros heréticos e espúrios, ou seja, livros inadequados para doutrina Cristã. Pois bem, o que esse pastor não sabe é que o termo Apócrifo foi dado pela própria Igreja Católica a livros fora do cânon reconhecido pela própria Igreja, ou seja, só são considerados livros Apócrifos, aquele nos quais os Bispos da Igreja Católica não os catalogaram dentro do cânon Bíblico, assim fica a pergunta: Todos os livros Apócrifos são heréticos? A resposta simples: lógico que NÃO. Todos os livros heréticos são Apócrifos, porém, nem todos os livros Apócrifos são heréticos, ou seja, existem livros Apócrifos não catalogados no cânon Bíblico que são de estrema importância para Igreja, como por ex: Evangelho de São Tiago, As Epistolas de São Clemente, Epistola de São Barnabé etc. Porém, vale lembrar, que nenhum dos sete livros deuterocânonicos foram catalogados como Apócrifos por algum concílio da Igreja, seja ele universal ou regional. Na realidade o termo Apócrifo tem o significado ao contrario de livros públicos, ou seja, existem os livros públicos (canônicos) que eram lidos na liturgia diária da Igreja e os Livros não públicos (Apócrifos) que eram apenas usados e lidos pelo Clero. Em nenhum momento, o termo Apócrifo foi usado para expurgar livros, ele foi usado para diferencias os livros que eram lidos na liturgia da Igreja dentro do Missal e os livros que eram apenas usados pelo Clero; não quer dizer que tais livros eram inadequados para o Cristianismo. Sobre isso o Dr. Mark Bonocore tem a dizer: “Quando alguns Pais falam de um determinado livro como (não canônico), eles não necessariamente entendem que não é inspirado ou autorizado. Pelo contrário, em muitos casos, eles simplesmente falam que ele não é usado na liturgia de sua igreja particular […], portanto, é um (apócrifos), que pode ser lido em particular para a edificação, mas não na Liturgia em si (o culto público da Igreja – Lex Orendi, lex credendi). Por exemplo, hoje, na Igreja Ortodoxa Grega, o livro do Apocalipse não é lido na Liturgia. Você nunca vai ouvi-lo na Missa deles (ou como eles chamam Liturgia). No entanto, a Igreja Ortodoxa Grega nunca diria que o Apocalipse não é a Sagrada Escritura ou que é sem inspiração. Porém, eles às vezes falam dele como (não canônico) porque não tem lugar no (cânone) de sua liturgia (por exemplo, um santo canonizado é assim chamado porque lhes foram concedidos dias de festa dentro dos nossos calendários litúrgicos). Assim, ao longo da história da Igreja, a palavra (canônico) tem sido usada de várias maneiras.” (BONOCORE, 2001) Realmente o pastor Airton questionou algo que ele não possui conhecimento. Agora falando sobre o tal período inter-bíblico, ou o suposto período entre Malaquias e Mateus no qual o protestantismo julga não ter existido revelações divinas. Parece-me que Jesus Cristo e seus Apóstolos não possuíam conhecimento desse tal período! Infelizmente tal período inter-bíblico só foi revelado no século XVI especialmente para o protestantismo, sendo assim, Jesus Cristo e os Apóstolos ficaram na mão com essa revelação. Mas graças a Deus que o protestantismo foi levantado para colocar em ordem o erro e falta de espiritualidade tanto de Jesus Cristo quanto de seus Apóstolos (não é senhor pastor?). Eu lanço outro desafio: eu retiro todos os sete livros deuterocânonicos da minha Bíblia se o pastor Airton me trouxer qualquer escrito Cristão do primeiro século, seja ele canônico ou Apócrifo, dizendo que existiu esse suposto período inter-bíblico. (espero que o pastor aceite esse desafio) Segundo o pastor Airton, Flávio Josefo rejeitou completamente esses livros, ainda insinua que entre Malaquias e Mateus não existiram mais revelações divinas. Bem, eu duvido que esse senhor tenha lido algum livro escrito por Flávio Josefo, pois se tivesse lido não iria falar uma besteira dessas. Primeiro: Flávio Joséfo nunca disse que as revelações divinas haviam acabado e sim que depois de Malaquias eles não tinham a sucessão exata de profetas. Euzébio de Cesaréia, falando sobre o cânon do (AT) e usando os livros de Flavio Joséfo diz: “4. Desde Artaxerxes até nossos dias tudo foi escrito, mas nem tudo merece a mesma confiança que o anterior, por não apresentar sucessão exata dos profetas. 5. Mas os fatos manifestam como nós nos sentimos próximos a nossas escrituras. Assim é que, transcorrido já tanto tempo, ninguém se atreveu a acrescentar, nem tirar, nem mudar nada nelas, antes, é natural a todos os judeus, já desde seu nascimento, crer que estes escritos são decretos de Deus, e aferrar-se a eles e prazerosamente morrer por eles caso seja necessário. 6. Estas palavras do autor aqui apresentadas não deixarão de ser úteis. Há também outra obra escrita por ele, não sem nobreza, Sobre a supremacia da razão, que alguns intitularam Macabeus, porque contém as lutas dos hebreus valentemente sustentadas em defesa da piedade para com Deus e referidas nos escritos assim chamados Dos Macabeus”. (Historia Eclesiástica X Livro III Euzébio de Cesaréia) Observem o que Euzébio diz: Depois de Malaquias tudo foi escrito, (MAS NEM TUDO) merece a mesma confiança, ou seja, existem sim livros inspirados escritos depois de Malaquias, e ainda cita um deles, o chamado, livros dos Macabeus. Obs. Flávio Josefo não era Cristão, ele como Judeus Fariseu, jamais aceitou o NT, sendo assim, ele não diz que a sucessão de profetas voltou depois de Mateus. Segundo: Flávio Josefo jamais citou quais livros faziam parte de seu cânon além dos cinco livros de Moises. “Não pode haver, de resto, nada de mais certo do que os escritores autorizados entre nós, pios que eles não poderiam estar sujeitos a controvérsia alguma, porque só se aprova o que os profetas escreveram há vários séculos, segundo a verdade pura, por inspiração e por movimento do Espírito de Deus. Não temos, pois, receio de ver entre nós um grande número de livros que se contradizem. Temos somente vinte e dois que compreendem tudo o que se passou, e que se referem a nós, desde o começo do mundo até agora, e aos quais somos obrigados a prestar fé. Cinco são de Moisés, que refere tudo o que aconteceu até sua morte, durante perto de três mil anos e a seqüência dos descendentes de Adão. Os profetas que sucederam a esse admirável legislador escreveram, em treze outros livros, tudo o que se passou depois de sua morte até o reinado de Artaxerxes, filho de Xerxes, rei dos persas, e os quatro outros livros contêm hinos e cânticos feitos em louvor de Deus e preceitos para os costumes” (Flavio Josefo, resposta a Ápia primeiro livros capítulo II) Observem que Flávio Josefo cita vinte e dois livros, sendo cinco de Moises e trezes livros dos profetas que sucederam a Moises, cita outros livros de Hinos e Louvores além de preceitos e costumes. Agora eu pergunto: quem são os trezes profetas? Quais eram esses livros? De que hinos e louvores ele se referia? A falta de conhecimento protestante é o que leva a ruína deles próprio, entre os vinte e dois livros de Flávio Josefo, ele incluía vario livros como sendo um livro apenas, por ex: ele cita trezes profetas, sendo que temos dezesseis profetas na Bíblia, ele incluía entre esses livros dos trezes profetas, livros como Reis, Crônicas, Samuel etc. Quem pode afirmar que os deuterocânonicos não estavam relacionados entre esses livros? Se o pastor Airton tivesse realmente perdido um pouco do seu tempo para ler os livros de Flávio Josefo, saberia que um dos livros mais usados por Flávio Joséfo era o próprio livro dos Macabeus. “Pois que tendes, meus filhos, a mesma fé, mostrai a mesma resolução. Como tendo diante dos olhos tais objetos, vossa piedade poderia não sair vitoriosa dos tormentos que vos são preparados? Tais as palavras dessa mulher forte que ninguém jamais poderia deixar de louvar; e elas (palavras) fizeram tal impressão no espírito desses sete irmãos, tão dignos de tê-la por mãe, que, tendo todos morrido para não faltar ao que deviam a Deus, vivem agora com ele, na companhia de Abraão, de Isaque, de jacó e dos outros patriarcas” (Flavio Josefo História dos Hebreus, Livro único capítulo 14) Nesse texto, Flávio Josefo cita a velha história dos sete irmãos Macabeus martirizados juntos de sua mãe, o mesmo livro citado pelo autor de Hebreus. “35. Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados, movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa” (Hebreus capítulo 11) Obs. Tais referencias fazem parte do segundo livros dos Macabeus capítulo 7. Agora eu pergunto: Como Flávio Josefo e os Hebreus rejeitaram tais livros se eles mesmos usavam esses livros para escreverem suas obras? Para terminar os embustes sobre Flávio Josefo, o mesmo diz em história das antiguidades que Deus permitia (Joao hircano) a prever o futuro através dos dom de profecias. “Foi considerado por Deus digno de três dos maiores privilégios, o governo da nação, o cargo de sumo sacerdote e o dom da profecia, pois a Divindade estava com ele e lhe permitiu prever e predizer o futuro […]” (Antiguidades 13, 299 – 300) João Hircano viveu no suposto período inter-biblico revelado aos protestantes no século XVI. “10. O sumo sacerdote fez-lhe ver que se tratava do depósito das viúvas e dos órfãos; 11. que somente um dos depósitos pertencia a Hircano, filho de Tobias, varão muito eminente; que não era como o pretendiam as calúnias do ímpio Simão, mas que tudo se reduzia a uma soma de quatrocentos talentos de prata e duzentos talentos de ouro” (II Macabeus capítulo 3) Assim fica evidente que tal período inter-bíblico só existe na cabeça protestante. Ainda falando sobre o suposto período inter-bíblico, segundo o pastor Airton e o fantástico mundo protestantes, entre Malaquias e Mateus não existiram revelações divinas para seu povo, então ele poderia nos explicar quem revelava a Simeão no templo e a profetisa Ana? “25. Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Este homem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele. 26. Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não morreria sem primeiro ver o Cristo do Senhor” (Lucas capítulo 2) “36. Havia também uma profetisa chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser; era de idade avançada. 37. Depois de ter vivido sete anos com seu marido desde a sua virgindade, ficara viúva, e agora com oitenta e quatro anos não se apartava do templo, servindo a Deus noite e dia em jejuns e orações. 38. Chegando ela à mesma hora, louvava a Deus e falava de Jesus a todos aqueles que em Jerusalém esperavam a libertação” (Lucas capítulo 2) Realmente pastor Airton, parece-me que São Lucas não tinha conhecimento desse tal período inter-bíblico, pena não ter um protestante na época para não permitir que Lucas cometesse essa heresia. Para termina essa parte do artigo, o pastor Airton diz que os livros deuterocânonicos jamais foram aceitos pelos Judeus, mas ele diz isso com uma convicção tão grande, parece até que ele convivia com esse Judeus na época. Infelizmente tem mais um abacaxi para o pastor Airton descascar, pois eu gostaria de saber, de qual livro os Judeus retiraram a Festa da Dedicação para institucionalizar como uma festa no seu calendário religioso? “22. Celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação. Era inverno. 23. Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão” (João capítulo 10) Esse será um dever de casa para o pastor Airton, sugiro ao pastor, ler I Macabeus capítulo 4 versículo 59. Parece-me que São João não tinha o conhecimento desse tal período inter-bíblico. Pastor Airton diz: ”Jerônimo, Agostinho, Atanásio, Júlio Africano e outros homens de valor dos primitivos cristãos, opuseram-se a eles na qualidade de livros inspirados. Apareceram a primeira vez na Septuaginta, a tradução do Antigo testamento, feita do hebraico para o grego. Quando a Bíblia foi traduzida para o latim, em 170 d.C., seu Antigo Testamento foi traduzido do grego da Septuaginta e não do hebraico. Quando Jerônimo traduziu a Vulgata, no início do século V (405 d.C.), incluiu os apócrifos oriundos da Septuaginta, através da antiga Versão Latina, de 170, porque isso lhe foi ordenado, mas recomendou que esses livros não poderiam servir como base doutrinária” Refutação: Agora sim, chegou o momento esperado, aquele em que os protestantes jogam palavras na boca dos padres da Igreja e nem sequer citam fontes documentais, é muito fácil dizer que Jerônimo, Agostinho, Atanásio, Július não aceitaram tais livros, o difícil será esse pastor provar esse embuste provando isso documentalmente e desconsiderando as minhas fontes documentais. Primeiro: O dever dos padres da Igreja era de questionar mesmo, questionar tudo, só assim eles conseguiram examinar tudo e reter o que é bom. “19. Não extingais o Espírito. 20. Não desprezeis as profecias. 21. Examinai tudo: abraçai o que é bom. 22. Guardai-vos de toda a espécie de mal” (I Tessalonicenses capítulo 5) Se todos os livros que passaram por algum tipo de exame ou foram questionados pela patristíca fossem retirados do cânon protestante, jamais o cânon protestante teria livros como: Tiago, II Pedro, III João, Judas e Apocalipse. Fico imaginando o que seria dos protestantes sem o livro do Apocalipse, o que eles usariam para aliciar seus fieis? Mas Euzébio diz em História Eclesiástica que esses livros por mim mencionados, não eram aceitos como canônicos até o IV século. “1. De Pedro reconhecemos uma única carta, a chamada I de Pedro. Os próprios presbíteros antigos utilizaram-na como algo indiscutível em seus próprios escritos. Por outro lado, sobre a chamada II carta, a tradição nos diz que não é testamentária; ainda assim, por parecer proveitosa a muitos, é tomada em consideração junto com as outras Escrituras. 4. Pois bem, os escritos que levam o nome de Pedro, dos quais somente uma única carta conhecemos como autêntica e admitida pelos presbíteros antigos, são os já referidos” (Historia Eclesiástica III Livro III Euzébio de Cesaréia) “3. Estes são os ditos admitidos. Dos livros discutidos, por outro lado, mas que são conhecidos da grande maioria, temos a Carta dita de Tiago, a de Judas e a segunda de Pedro, assim como as que se diz serem segunda e terceira de João, sejam do próprio evangelista, seja de outro com o mesmo nome” (Historia Eclesiástica XXV Livro III Euzébio de Cesaréia) “2. Quanto aos Atos que levam seu nome e o Evangelho dito como seu, assim como a Pregação que se diz ser sua e o chamado Apocalipse, sabemos que de modo algum foram transmitidos entre os escritos católicos, pois nenhum autor eclesiástico, nem antigo nem moderno, utilizou testemunho tirado deles” (Historia Eclesiástica III Livro III Euzébio de Cesaréia) “4. Entre os espúrios sejam listados: o escrito dos Atos de Paulo, o chamado Pastor e o Apocalipse de Pedro, e além destes, a que se diz Carta de Barnabé e a obra chamada Ensinamento dos Apóstolos, e ainda, como já disse, talvez, o Apocalipse de João: alguns, como disse, rechaçam-no, enquanto outros o contam entre os livros admitidos” (Historia Eclesiástica III Livro XXV Euzébio de Cesaréia). Como eu falei anteriormente, se for retirar qualquer livro contestado pelos padres da Igreja, a Bíblia protestante ficará mais fina do que já é. Sobre os padres citados, vou começar com Jerônimo, onde ele mesmo (Jerônimo) diz que a não aceitação dos livros deuterocânonicos (falando sobre as adições de Daniel) não era pensamento dele próprio e sim ele (Jerônimo) estava apenas expondo os pensamentos Judaicos. “Mas quando eu repeti o que os judeus dizem contra história de Susana, o hino dos 3 Jovens, e a estória de Bel e o Dragão, que não estão contidos na bíblia hebraica, o homem que fez esta acusação contra mim prova que ele mesmo é um tolo e um caluniador. Pois eu expliquei não o que eu pensava, mas o que eles comumente diziam contra nós. Eu não refutei a opinião deles no prefácio por que eu sendo breve, e cuidadoso para não parecer que eu não estava escrevendo um prefácio e sim um livro. Eu disse, portanto, ‘aqui não agora não é o momento para entrar em discussão sobre isto” (Apologia contra Rufino, Livro 2, 33) O próprio Jerônimo, diz estar submetido ao concílio de Nicéia e a inclusão dos deuterocânonicos nesse concílio. “Entre os judeus, o livro é chamado de apócrifo; […]. Além disso, desde que foi escrito em língua Caldéia, é encontrado entre os livros históricos. Mas desde o Concílio de Nicéia é contato junto ao número das Escrituras Sagradas, eu tenho me submetido à sua decisão (ou deveria dizer obrigação!)” (JERONIMO, 430) Fica claro que Jerônimo aceitava a decisão do concilio de Nicéia e os deuterocânonicos como Escrituras Sagradas. Falando sobre a suposta Vulgata de 170 D.C, o pastor Airton diz que nela não se encontravam os deuterocânonicos, porém, o que existia em 170 D.C, era a chamada (VETUS LATINA) e para infelicidade do pastor, nela contem todos os deuterocânonicos. Quem quiser saber mais sobre a (VETUS LATINA), entre nesse link: http://www.vetuslatina.org/ Agora vamos falar sobre Santo Agostinho: É uma verdadeira piada o pastor Airton dizer que Agostinho não aceitava os setes livros como canônicos, sendo que o concílio de Hipona foi elaborado em cima dos livros aceitos por Santo Agostinho. “… O cânon inteiro da Bíblia é o seguinte: os cinco livros de Moisés, ou seja, Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio,… Tobias, Éster e Judite, e os dois livros de Macabeus,… Para dois livros, Sabedoria e Eclesiástico, é designado Salomão como autor, mas nossa provável opinião é que foram escritos por Jesus, o filho de Sirac,… Baruque,…” (Santo Agostinho, Sobre a Doutrina Cristã, livro 2, cap. 8, 13 ano 397) Agora vamos falar de Atanásio: Na Epistola (39) de Atanásio no IV século ele diz: (Citando o cânon palestino pós-concílio de Jamnia) “4. Há, portanto, 22 Livros do Antigo Testamento, número que, pelo que ouvi, nos foram transmitidos, sendo este o número citado nas cartas entre os Hebreus, sendo sua ordem e nomes respectivamente, como se segue: Primeiro, o Gênesis. Depois, o Êxodo. Depois, o Levítico. Em seguida, Números e, por fim, o Deuteronômio. Após esses, Josué, o filho de Nun. Depois, os Juízes e Rute. Em seguida, os quatro Livros dos Reis, sendo o primeiro e o segundo listados como um livro, o terceiro e o quarto também, como um só livro. Em seguida, o primeiro e o segundo Livros das Crônicas, listados como um só livro. Depois, Esdras, sendo o primeiro e o segundo igualmente listados num só livro. Depois desses, há o Livro dos Salmos, os Provérbios, o Eclesiastes e o Cântico dos Cânticos. O Livro de Jó. Os doze Profetas são listados como um livro. Depois Isaías, um livro. Depois, Jeremias com Baruc, Lamentações e a Carta [de Jeremias], num só livro. Ezequiel e Daniel, um livro cada. Assim se constitui o Antigo Testamento” Observem que Atanásio cita o cânon palestino sem os deuterocânonicos, mas com a carta de Baruc (pois os Judeus haviam retirado), mas logo em seguida ele inclui cinco livros deuterocânonicos no cânon. “7. Mas, para uma maior exatidão, acrescento também, escrevendo para não me omitir, que há outros livros, além desses, de fato não incluídos no Cânon [Hebraico], indicados pelos Padres para leitura por aqueles recém-admitidos entre nós e que desejam receber instrução sobre a Palavra de Deus: a Sabedoria de Salomão, a Sabedoria de Sirac, Ester e Judite, Tobias, bem como aqueles chamados Ensinamento dos Apóstolos e o Pastor. Quanto aos primeiros, meus irmãos, foram incluídos no Cânon; mas os últimos são [apenas] para leitura, não havendo em lugar nenhum menção a eles como sendo escritos apócrifos. Mas aqueles que são criação de heréticos, que os escreveram quando quiseram, aprovando-os eles próprios, datando-os de modo a usarem-nos como escrituras antigas, aqueles sim, se encontram em condições de desviarem as pessoas simples” No parágrafo (7) da epistola (39) ele diz que existiam outros livros que não constavam no cânon palestino, são eles: Sabedoria, Eclesiástico de Sirac, Ester, Judite e Tobias. Depois diz existir outros dois livros: Didaque e o Pastor de Hermas. No entanto ele diz: Os primeiros (Sabedoria, Eclesiástico de Sirac, Ester, Judite e Tobias) FORAM incluídos no cânon. Como pastor, você me fala que Atanásio não aceitava os deuterocânonicos? Sobre Julius Africanus, se o pastor Airton estiver se referindo a mesma pessoa, ele deu um tiro no pé novamente. “Históricos: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, filho de Nun, juízes, Ruth, Reis de I a IV, a esses acrescentam-se 2 de Crônicas, Jó, Tobias, Ester, Judite, 2 de Macabeus, 2 de Esdras. Profetas: 150 Salmos de Davi, Oséias, Isaías, Joel , Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Jeremias[1], Daniel, Ezequiel, Ageu, Zacarias, Malaquias. Provérbios : Provérbios de Salomão, Sabedoria de Jesus filho e Sirac, Junto destes Cântico dos Cânticos, a Sabedoria. Dogmáticos : Eclesiastes” ( Relatório De Junílio + 550 D.C) Notas: [1] O livro de Jeremias é composto com Lamentações e a carta de Baruc. Difícil meus irmãos, veja em que situação se encontra o protestantismo de hoje! É fácil colocar palavras na boca dos padres da Igreja, sendo que os mesmo não podem se defender. Mas graças a Deus, eles deixaram as suas obras e hoje nós fazemos esse papel. Lamentável. Volto a lembrar que todas as acusações desse artigo, carecem de fontes documentais. Uma acusação sem fontes e provas, torna-se uma calunia e um falso testemunho, pecado mortal condenado Biblicamente. Pastor Airton diz: “São 14 os escritos apócrifos: 10 livros e 4 acréscimos a livros. Antes do Concílio de Trento, a Igreja Romana aceitava todo, mas depois passou a aceitar apenas 11: 7 livros e os 4 acréscimos. A Igreja Ortodoxa Grega mantém os 14 até hoje. Os 7 livros apócrifos constantes das Bíblias de edição católico-romana são: Tobias (após o livro canônico de Esdras); Judite (após o livro de Tobias); Sabedoria de Salomão (após o livro canônico de Cantares); Eclesiástico (após o livro de Sabedoria; Baruque (após o livro canônico de Jeremias); I Macabeu e 2 Macabeu (ambos, após o livro canônico de Malaquias). Os 4 acréscimos ou apêndices são: Ester (acrescido a Ester, 10.4 – 16.24); Cântico dos Três Santos Filhos (a Daniel, 3.24-90); História de Suzana (a Daniel, cap. 13) e Bel e o Dragão (a Daniel, cap. 14). Como já foi dito, dos 14 apócrifos, a Igreja Romana aceita 11 e rejeita 3, isto, após 1546 d.C. Os livros rejeitados são: 3 Esdras; 4 Esdras, e A Oração de Manasses. Os livros apócrifos de 3 e 4 Esdras são assim chamados porque nas Bíblias de edição católico-romana o livro de Esdras é chamado 1 Esdras; o de Neemias, de 2 Esdras.” Refutação: Isso foi mais uma piada do que um comentário, pois não são nem (14) e nem (20) Apócrifo na Bíblia Sagrada, pois se estão na Bíblia são canônicos, o termo Apócrifo é referente à livros não catalogados pelos Bispos da Igreja Católica, como vimos na primeira refutação, os sete livros foram catalogados no cânon Bíblico desde os três principais concílios de definição do cânon, Roma, Hipona e Cartago. Assim fica evidente mais uma vez a falta de conhecimento desse pastor. Sobre os três livros no qual ele diz que a Igreja os rejeitou no concílio de Trento, na realidade tais livros nunca foram catalogados no cânon Bíblico da Igreja, (vide a primeira refutação). É mais uma falácia protestante. A Igreja nunca pegou cânon pronto de lugar algum, ela mesma, pela autoridade recebida do Senhor Jesus Cristo estabeleceu para si o seu próprio cânon nos três concílios por mim citado, aliás, antes desses três concílios, nunca existiu um cânon definido e fechado, seja na Palestina, seja em Alexandria; entre os Judeus, cada seita possuía seu próprio cânon, sendo que os Fariseus aceitavam todos os livros do AT e todas as literaturas da biblioteca Judaica, já os Saduceus, só aceitavam os cinco livros de Moises, em contra partida, os Essênios (seita de João Batista) além de aceitar todos os livros da LXX, não aceitava o livro de Esther mais incluía algumas obras particulares em seu cânon como os chamados salmos sectares. Por esse motivo, nunca existiu um cânon definido por seita alguma. Na palestina, foi definido um cânon no fim do primeiro século e início do segundo século, tal cânon foi definido pelo concilio de Jamnia realizado pelos Fariseus. Esse concilio tinha por meta, redefinir a citação Judaica após a destruição do Templo e se defender do aparecimento do (NT), uma da leis humanas usadas por tais fariseus (matadores de Cristo), foi rejeitar qualquer livro escrito fora da língua Hebraica e fora da palestina, ou seja, isso são leis nacionalistas e não leis divinas, ainda, estabeleceram para si o direito de rejeitar qualquer revelação divina proferia depois do profeta Malaquias, em nenhum momento, tais fariseus afirmaram (segundo eles) que tais revelações voltaram depois de Mateus (como sugerem alguns protestantes). Obs. O cânon Palestino, definido pelos Fariseus entre 99 a 100 D.C, fora uma obra totalmente demoníaca, definida por intenções relativistas, ou seja, contra a própria Igreja de Cristo, o Cristão que se utiliza desse cânon, está andando na contra mão, sendo que Jesus Cristo havia retirado o Reino dos Fariseus, sendo assim, tais Fariseus, não possuíam nenhum tipo de inspiração divina para realizar tal concílio. “43. Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele. 44. [Aquele que tropeçar nesta pedra, far-se-á em pedaços; e aquele sobre quem ela cair será esmagado.] 45. Ouvindo isto, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que era deles que Jesus falava” (Mateus capítulo 21) Por esse motivo, nós Católicos, usamos o cânon do (AT) e (NT) definido pelos Bispos da Igreja nos concílios de Roma, Hipona e Cartago. Agora eu pergunto? Quem definiu o cânon protestante? Qual autoridade o protestantismo recebeu para definir algum cânon? Qual inspiração o protestantismo possui para seguir algo definido pelos mesmos que condenaram Jesus Cristo a morte? Pastor Airton diz: ”A Igreja Romana aprovou os apócrifos em 18 de abril de 1546, para combater o movimento da Reforma Protestante, então recente. Nessa época, os protestantes combatiam violentamente as novas doutrinas romanistas: do Purgatório, da oração pelos mortos, da salvação mediante obras, etc. A Igreja Romana via nos apócrifos bases para essas doutrinas, e, apelou para eles, aprovando-os como canônicos” Refutação: Mais uma vez o artigo faz uma acusação no qual carece de fontes documentais, já que é mais prático inventar uma fábula de que a Igreja acrescentou livros no cânon depois da reforminha e rebelião protestante, do que eles assumirem que mutilaram a Bíblia Sagrada ao bel prazer protestante (vide a primeira refutação), mas podemos ver que a opinião do pastor foi mudada no meio do artigo, no início do artigo, o pastor dizia que a Igreja Católica havia acrescentado sete livros apócrifos na Bíblia Sagrada, agora a história mudou da água para o vinho, ele diz que a Igreja apenas aprovou sete livros no concílio de Trento, agora fica a pergunta: pode-se acreditar em um artigo que contradiz a si mesmo? Para contraria um pouco mais, eu vou colocar aqui dois LINKs. Codec Sinaiticus (Século IV) = http://codexsinaiticus.org/en/manuscript.aspx Bíblia de Gutenberg (Século XIV) = http://www.hrc.utexas.edu/exhibitions/permanent/gutenberg/web/pgstns/12.html Se o pastor Airton souber contar até (73), verá que o codec do IV século possuía todos os deuterocânonicos assim como a famosa Bíblia de Gutenberg impressa um século antes do concílio de Trento. Peço ao leitor, que analise criteriosamente os três concílios por mim citados Roma, Hipona e Cartago, também analise o concílio de Florença um século antes do concílio de Trento e por fim, analise o codec Sinaiticus e a Bíblia de Gutenberg, depois desse analise, faça uma reflexão usando o bom senso que um Cristão tem que ter, assim conclua por si mesmo se o protestantismo diz a verdade ou tenta ludibriar seus fieis e admiradores com seus embustes e sofismas, sem contar as fábulas criadas ao longo do tempo. Falando agora sobre as supostas (novas doutrinas) que a Igreja teria inventado e que os santinhos protestantes queriam combater, segundo esse pastor, tais doutrinas eram: (1) Purgatório. (2) Orações pela Alma dos falecidos. (3) Justificação pela Obras. Agora esse pastor pegou mais um abacaxi para descascar, ele está se referindo aos fatos ocorridos entre os séculos XV e XVI, segundo ele, tais doutrinas teriam sido inventadas apenas nessa época, mas será que isso é verdade? Como podemos notar, a doutrina do purgatório é uma crença provinda do Judaísmo, se no próprio livro dos Macabeus é mencionado a purificação da Alma após a morte, sinal de que a crença não foi inventada no século XVI; mas para provar que essa doutrina foi acolhida pelos Cristãos já nos primeiros séculos, eu vou colocar aqui, um trecho do livro (O Pastor) escrito por Hermas, nesse livro, Hermas têm a visão da construção espiritual da Igreja, onde cada pedra colocada nessa construção era um fiel, observem o que ele diz: “Eu lhe perguntei se todas essas pedras rejeitadas e impróprias para a construção podiam fazer penitência e encontrar lugar na torre. Ela me respondeu: Elas podem fazer penitência, mas não podem se encaixar nessa torre. Elas se encaixarão em OUTRO lugar muito menor e só DEPOIS que tiverem passado pelas provações da penitência e cumprido os dias necessários para expiar os seus pecados. São transportadas para outro lugar, porque participaram da palavra de justiça. Se refletirem sobre as obras perversas que cometeram, serão transportados das provações; se não refletirem, não serão salvos, e isso devido à dureza de seus corações” (O Pastor escrito por Hermas capítulo XV versos V e VI) Nesse texto, podemos observar a construção da Igreja Espiritual, no texto diz que algumas pedras seriam rejeitadas inicialmente, seriam levadas para um outro lugar, onde seriam expiados seus pecados e depois de cumprir os dias da purificação, essas pedras seriam usadas na novamente. Sobre as orações pela Alma dos falecidos, eu realmente não creio que esse pastor teve a coragem de dizer uma barbaridade dessas! Dizer que as orações pela Alma dos falecidos fora inventada no século XVI é o mesmo que dizer que Jesus Cristo nunca existiu, já que os próprios Judeus antes de Cristo já faziam suas orações pelas Almas dos falecidos (Vide Livro dos Macabeus), mesmo assim, eu irei provar documentalmente que a doutrina das orações pela Alma de que faleceu já era crença entre os Cristãos dos primeiros séculos. Santo Agostinho assim dizia: “Como me dizes, achais que não é coisa vã o sentimento que leva pessoas fiéis e religiosas a tomarem tal cuidados com os seus falecidos. Adiantas, ainda, que não é sem motivo que a Igreja universal mantém o costume de orar pelos mortos. Assim, pode-se concluir que é útil para o homem, após sua morte, ter uma sepultura desse gênero, providenciada pela piedade [de seus familiares], onde possa contar a proteção dos santos” (Cuidados devidos com os mortos, Santo Agostinho capítulo I) “Já que o sepultamento é, por si mesmo, uma obra religiosa, a escolha do local não poderia ser estranha ao ato religioso. É consolo para os vivos, uma forma de testemunhar sua ternura para com os familiares desaparecidos. Não enxergo, porém, como os mortos podem encontrar aí alguma ajuda, a não ser quando o lugar onde descansam é visitado e são encomendados, pela oração [dos visitantes], à proteção dos santos junto ao Senhor. Contudo, isso pode ser feito ainda quando não é possível sepultá-los em tais lugares santos… A Igreja tomou para si o encargo de orar por todos aqueles que morreram dentro da comunhão cristã e católica. Ainda que não conheça todos os nomes [de seus fiéis defuntos], ela os inclui numa comemoração geral19. Dessa forma, aqueles que não possuem mais pais, filhos ou outros parentes e amigos para auxiliá-los, são amparados pelo sufrágio dessa piedosa Mãe comum” (Cuidados devidos com os mortos, Santo Agostinho capítulo IV) Bem, creio que esse pastor tenha se perdido em espaço e tempo, os texto de Santo Agostinho foram escritos pelos menos mil e duzentos anos antes da rebelião protestante. Sobre a justificação pela obras, creio que o pastor deveria questionar São Tiago, foi ele mesmo, o Bispo de Jerusalém que escreveu em sua epistola que: (FÉ SEM OBRAS É MORTA). “26. Assim como o corpo sem a alma é morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago capítulo 2) Dou-me o direito de não citar o Apocalipse onde diz que seremos julgados pelas nossas obras e não apenas pela nossa FÈ. Pelo menos Lutero foi coerente com suas heresias, ele retirou Tiago e Apocalipse de seu suposto cânon. Em 1522, no prefácio, de sua tradução alemã, às Epístolas de S. Tiago e S. Judas, nega a inspiração de Ambos, e assume que a Epistola de Tiago contradiz a epístola de Paulo aos romanos: “Embora esta epístola de São Tiago fosse rejeitada pelos anciãos, eu elogio-a e considero-a um bom livro, porque estabelece não doutrinas de homens, mas vigorosamente promulga a lei de Deus. No entanto, afirmo a minha própria opinião sobre isso, embora sem prejuízo para ninguém, eu não considero como uma escrita de um apóstolo, e as minhas razões seguem. Em primeiro lugar, é terminantemente contra São Paulo e todo o resto da Escritura em atribuir a justificação às obras” No prefácio ao Apocalipse nega a inspiração deste mesmo livro. E diz que não pode detectar a presença do Espírito Santo nele: “Sobre o livro do Apocalipse de João, deixo todos livres para terem suas próprias opiniões. Eu não obrigo ninguém a seguir minha opinião ou julgamento. Eu digo o que sinto. Eu sinto a falta de mais de uma coisa neste livro, e isso me não faz considerá-lo nem apostólico nem profético” Assim, fica evidente que o protestantismo é incoerente com suas próprias ideologias, séculos depois da rebelião de Lutero, a carta de Tiago e Apocalipse foram recolocados no cânon, mesmo assim, há quem acredite que tais livros não seguem como fontes doutrinarias, já que os protestantes não crêem na justificação pelas Obras. Pastor Airton diz? “Houve prós e contras dentro da própria Igreja de Roma. Nesse tempo os jesuítas exerciam muita influência no clero. Os debates sobre os apócrifos motivarem ataques dos dominicanos contra os franciscanos. O cardeal Pallavacini, em sua “História Eclesiástica”, declara que em pleno concílio, 40 bispos, dos 49 presentes, travaram luta corporal, agarrados ás barbas e batinas uns dos outros… Foi nesse ambiente “espiritual” que os apócrifos foram aprovados! A primeira edição da Bíblia romana com os apócrifos deu-se em 1592, com autorização do papa Clemente VIII” Refutação: Realmente isso não é um argumento e sim um verdadeiro show de Stand UP, segundo a calunia: (Bispos de pegaram pelas barbas no concílio de Trento), ao menos que esse pastor tenha sido testemunha ocular dos fatos por ele narrados, O MUNDO CRISTÃO, necessita pelo menos uma prova documental da época onde um dos Bispos narram tais fatos. Ficarei esperando ansioso. O protestantismo está em um declínio tão grande, mais tão grande, que seus adeptos e lideres perderam a noção do bem e do mal, certo e errado, verdade e mentira, para eles, sendo contra a Igreja Católica, qualquer calúnia ou fábula se torna doutrina e é pregada em suas seitas como verdade absoluta. Qualquer criança com o mínimo de bom senso, ao ler tal (PIADA), pediria no mínimo, uma carta onde um dos Bispos presentes ao concílio tenha narrado tais fatos. Lamentável. Sobre a tal primeira edição da Bíblia Católica com os supostos Apócrifos, já foi provada que não passa de um embuste protestante, (Vide primeira refutação). No próprio artigo do pastor, uma hora ele diz que os livros foram acrescentados no concílio de Trento, outra hora ele diz que foram apenas aprovados no concílio de Trento. Para que ele sustente essa mentira, ele terá que fazer desaparecer da face da terra as Atas dos concílios de Roma, Hipona, Cartago e Florença, além do codec Sinaiticus e a Bíblia de Gutenberg, “44. Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque a verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (João capítulo 8) Pastor Airton diz: ”Os reformadores protestantes publicaram a Bíblia com os apócrifos colocando-se entre o Antigo e o Novo Testamento; não como livros inspirados, mas bons para a leitura e de valor literário e histórico. Isto continuou até 1629. A famosa versão inglesa de King James, de 1611, ainda os conservou. Após 1629, os evangélicos os omitiram de vez nas Bíblias editadas, para evitar confusão entre o povo simples que nem sempre sabe discernir entre um livro canônico e um apócrifo [grifo acrescentado].” Refutação: Só o fato da versão King James possuir os sete livros deuterocânonicos, já mostra a contradição entre as milhares de seitas protestantes, até então, segundo o artigo desse pastor, nem a Bíblia Católica possuía esses livros (Fábula), agora até uma das versões protestantes (no caso Anglicana) possui tais livros. Vai entender a cabeça dessas seitas. Pastor Airton diz: “A aprovação dos apócrifos pela Igreja Romana foi uma intromissão dos católicos em assuntos judaicos, porque, quanto ao cânon do Antigo testamento, o direito é dos judeus e não de outros. Além disso, o cânon do Antigo Testamento estava completo e fixado há muitos séculos” Refutação: Desde quando os Judeus receberam ordens de alguém ou de Deus para definir algum cânon? Até hoje, os Judeus possuem dúvidas sobre o livro de Cânticos, Ezequiel e Eclesiastes. O Talmud referenda isso na famosa passagem de Yaddym III, 05: “Foi dito na assembléia dos sábios: Todas as escrituras sagradas contaminam as mãos, logo Cantares e Eclesiastes contaminam as mãos (ou seja são inspirados)Rabi Judas no entanto respondeu: Cantares certamente contamina as mãos mas Eclesiastes é disputado… Rabi Akiba respondeu: Não pode haver duvida alguma sobre Cantares, é indubitável que ele contamina as mãos… portanto se há alguma dúvida é sobre o Eclesiastes.” Também sobre Ezequiel o Talmud em Shabbat XIII relata: “Hananias b. Ezequias impediu que Ezequiel fosse retirado.” Observem quanta inspiração os Judeus possuíam para definir um cânon? Mesmo assim, sabemos que cada seita judaica possuía um cânon diferente do outro, os Fariseus possuíam o seu cânon, os Saduceus possuíam o seu cânon, os Essênios da mesma forma, fora outra seita menores pouco mencionadas. Mesmo assim, desafio ao pastor nos mostra uma fonte documental antes do chamado concílio de Jamnia citando um cânon Judaico, livro por livro. Pastor Airton diz: “Entre os católicos corre a versão de que as Bíblias de edição protestante são falsas. Quem, contudo, comparar a Bíblia editada pelos evangélicos com a editada pelos católicos há de concordar em que as duas são iguais, exceto na linguagem e estilo, que são peculiares a cada tradução. O que alegam contra a nossa Bíblia é que lhe faltam livros e partes de outros, mas essa falta é de livros e de parte de livros apócrifos, como mencionamos” Fonte: A Bíblia Através dos Séculos, Antonio Gilberto, 2ª Edição, 1987, pgs. 63-65: Refutação: Realmente não há o que refutar nesse tipo de comentário, para ele, livros Bíblicos se tornam apócrifos por que um livro chamado (A Bíblia Através dos Séculos), escrito em 1987 diz tal coisa. Fica evidente a falta de argumentação desse pastor. Pastor Airton diz: “Conclusão – O cânon do Antigo Testamento até a época de Neemias compreendia 22 (ou 24) livros em hebraico, que, nas Bíblias dos cristãos, seriam 39, como já se verificara por volta do século IV a.C. As objeções de menor monta a partir dessa época não mudaram o conteúdo do cânon. Foram nos livros chamados apócrifos, escritos depois dessa época, que obtiveram grande circulação entre os cristãos, por causa da influência da tradução grega de Alexandria. Visto que alguns dos primeiros pais da igreja, de modo especial no Ocidente, mencionaram esses livros em seus escritos, a igreja (em grande parte por influência de Agostinho) deu-lhes uso mais amplo e eclesiástico. No entanto, até a época da Reforma esses livros não eram considerados canônicos. A canonização que receberam no Concilio de Trento não recebeu o apoio da história. A decisão desse concilio foi polêmica e eivada de preconceito, como já o demonstramos” Refutação: Observem quantas contradições existentes nessa chamada (conclusão do autor), primeiro ele diz que o (AT) possui (22) livros ou (24), que inconstância é essa? Ou é um ou é outro, estamos falando de quantidade de livros e não de achismos. Depois ele diz que se refere aos (39) livros na Bíblia Cristã, ou seja, eles adulteraram a forma cronológica e o fator numérico de divisão de livros no cânon Judaico, no mesmo artigo, ele diz que o (AT) são assuntos Judaicos (apenas) e os Cristãos não podem alterar nada do que fora definido pelos Judeus. Ai tem mais um outro abacaxi para o pastor Airton descascar, eles usam o (AT) definido pelos Judeus Farisaicos e a forma cronológica e divisória definido pelos Bispos da Igreja Católica. Bem, ele diz que o cânon estava completo na época de Neemias, mais um embuste, pois na época de Neemias não exista os próprio livro de Neemias e de Esdras, tais livros foram escrito por cronistas posteriormente aos dois mencionados. Como se não bastasse, o mesmo artigo que diz que Santo Agostinho não aceitava os sete livros deuterocânonicos, agora diz que Santo Agostinho influenciou o uso dos mesmos. Para termina, o autor novamente insinua que os sete livros só foram considerado canônicos no concílio de Trento, recolocarei mais uma vez a Ata do concílio de Roma em 382 D.C, onde diz que todos os (73) livros eram Sagrados e Inspirados por Deus. “Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras: um livro do Gênese, um livro do Êxodo, um livro do Levítico, um livro dos números, um livro do Deuteronômio; um livro de Josué, um livro dos Juízes, um livro de Rute; quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos; um livro do Saltério; três livros de Salomão: um dos Provérbios, um do Eclesiastes e um do Cântico dos Cânticos; outros: um da Sabedoria, um do Eclesiástico. Um de Isaías, um de Jeremias com um de Baruc e mais suas Lamentações, um de Ezequiel, um de Daniel; um de Joel, um de Abdias, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias, um de Malaquias. Um de Jó, um de Tobias, um de Judite, um de Ester, dois de Esdras, dois dos Macabeus. Um evangelho segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas, um segundo João. [Epístolas:] a dos Romanos, uma; a dos Coríntios, duas; a dos Efésios, uma; a dos Tessalonicenses, duas; a dos Gálatas, uma; a dos Filipenses, uma; a dos Colossences, uma; a Timóteo, duas; a Tito, uma; a Filemon, uma; aos Hebreus, uma. Apocalipse de João apóstolo; um, Atos dos Apóstolos, um. [Outras epístolas:] de Pedro apóstolo, duas; de Tiago apóstolo, uma; de João apóstolo, uma; do outro João presbítero, duas; de Judas, o zelota, uma”. (Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [366-384], no Concílio de Roma de 382) Mentiras em cima de mentiras, essa é a saga protestante, e olha que esse pastor Airton já é um senhor de idade, ele deveria estar dando exemplos para os mais novos, pelo visto, nós que somos mais novos que ele, temos que fazer esse papel. Lamentável. Pastor Airton diz: “Que os livros apócrifos, seja qual for o valor devocional ou eclesiástico que tiverem, não são canônicos, comprova-se pelos seguintes fatos:” 1. A comunidade judaica jamais os aceitou como canônicos. Refutação: Mentira! Como vimos, até uma festa no calendário religioso foi institucionalizada através dos livros dos Macabeus, a chamada FESTA da Dedicação. 2. Não foram aceitos por Jesus, nem pelos autores do Novo Testamento. Refutação: Eu desafio esse pastor a me mostra um relato Bíblico onde Jesus e os Apostolo dizem que tais livros não são inspirador por Deus, no mais, sugiro ao pastor a ler o artigo (300 citações dos deuterocânonicos no NT) onde mostramos que existem mais de 300 citações dos sete livros no (NT), o mesmo não ocorre com Esther, Cânticos, Eclesiástico etc. Parece que eles (protestante) que decidem quais os livros que Jesus Cristo e os Apóstolos deveriam usar, durma com um barulho desses. 300 citações (7 livros no NT) http://www.crismacabeus.com/index.php?pagina=1622826863_06 3.A maior parte dos primeiros grandes pais da igreja rejeitou sua Canonicidade. Refutação: Como vimos ao longo da refutação, só os amigos imaginários protestantes que rejeitaram tais livros, e esses amigos, não eram padres da Igreja com certeza. 4. Nenhum concilio da igreja os considerou canônicos senão no final do século IV. Refutação: Mais uma vez o artigo afirmando algo que não pode provar, pois como eu já mostrei, os concílios de Roma, Hipona e Cartago, todos catalogaram os sete livros como canônicos (Vide a primeira refutação). 5. Jerônimo, o grande especialista bíblico e tradutor da Vulgata, rejeitou fortemente os livros apócrifos. Refutação: Com certeza ele rejeitou os Apócrifos, assim como toda a Igreja, porém, os sete livros não foram catalogados como Apócrifos, ele rejeitou tanto os deuterocânonicos que até usou-os em suas obras citando como Escrituras Sagradas. “Como nas boas obras é Deus quem lhes traz a perfeição, pois não é do que quer, nem do que corre, mas de Deus que se compadece e dá-nos ajuda para que possamos ser capazes de alcançar a meta: então em coisas ímpias e pecadoras, as sementes dentro de nós dão o impulso, e estes são trazidos à maturidade pelo demônio. Quando ele vê que estamos construindo sobre o fundamento de Cristo com feno, madeira, palha, então ele se aplica no jogo. Vamos, então, construir com ouro, prata, pedras preciosas, e ele não vai se aventurar a tentar-nos: apesar de mesmo assim não há certeza e posse segura. Pois o leão espreita a emboscada para matar os inocentes. ‘ Os vasos do oleiro são provados pela fornalha, e os homens justos, pelo julgamento da tribulação’ (Ecleciástico 27, 5). E em outro lugar está escrito: ‘Meu filho, quando tu vires a servir ao Senhor, prepara-te para a tentação.’ (Eclesiástico 2, 1) Novamente, o mesmo Tiago diz: ‘Sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla seu rosto natural no espelho, pois ele contempla a si mesmo, e vai embora, e logo se esquece que tipo de homem ele era’ .(Tiago 3, 22). Seria inútil avisá-los para adicionar obras a fé, se não podessem pecar depois do batismo.” (Contra Joviniano, Livro 2, 3) Como vimos, “Está escrito” é uma frase que ambos os autores das Escrituras, e os Padres da Igreja usam apenas em referência às Escrituras. Jerônimo usa a frase identificando a citação como Escritura. A citação que ele usa vem do livro do Eclesiástico. Assim, Eclesiástico é Escritura. Ele então cita Tiago alternadamente apenas como uma outra Escritura, do mesmo nível de autoridade do Eclesiástico. “No entanto, o Espírito Santo no trigésimo nono Salmo, enquanto lamentando que todo homem anda numa vã aparência, e que eles estão sujeitos aos pecados, fala assim: ‘Porque todo homem anda à imagem’ (Salmo 39, 6). Também após o tempo de Davi, no reinado de seu filho Salomão, lemos uma referência um tanto similar à semelhança divina. Pois no livro da Sabedoria, que está inscrito com o nome dele, Salomão diz:. ‘Deus criou o homem para ser imortal, e o fez ser uma imagem de sua própria eternidade.’ (Sabedoria 2, 23) e mais uma vez, cerca de mil cento e onze anos depois, lemos no Novo Testamento que os homens não perderam a imagem de Deus. Pois Tiago, um apóstolo e irmão do Senhor, que eu mencionei acima – que não podemos ser enredado nas armadilhas de Orígenes – nos ensina que o homem possui a imagem e semelhança de Deus. Pois, depois de um breve discurso sobre a língua humana, ele passou a dizer dela: ‘É um mal incontrolável … Com ela bendizemos a Deus, o Pai e com ela amaldiçoamos os homens, que são feitos à semelhança de Deus.’ (Tiago 3, 8-9) Paulo, também, o ‘vaso escolhido’ (Atos 9, 15), que em sua pregação foi totalmente mantida a doutrina do evangelho, nos instrui que o homem é feito à imagem e à semelhança de Deus. ‘Um homem’, diz ele, ‘não devem usar cabelos longos, porquanto ele é a imagem e glória de Deus.’ (I Cor. 11, 7). Ele fala da ‘imagem simplesmente’, mas explica a natureza da semelhança com a palavra ‘glória’. Em vez de três provas da Sagrada Escritura que você disse que iria satisfazê-lo se eu pudesse dá-las, eis que eu te dei sete …” (Carta LI, 6-7). Aqui em um contexto mais amplo falando de como somos feitos à imagem de Deus, prova uma doutrina e usa especificamente o Livro da Sabedoria para estabele CurtirCurtir
    • EDMILSON disse:

      TIAGO ESSA SIM É A VERDADE DOCUMENTAL:

      Pois Vocês protestantes é que arrancaram 7 livros da Bíblia, que contrariavam a doutrina humana de Lutero, em 1517. O próprio Lutero traduziu esses livros para o alemão.

      No ano de 397, o III Concílio de Cartago (no canon 36, parágrafo 47, segundo o Denzinger – Enchiridion Symbolorum), declara o cânon da Bíblia cristã com todos os livros que os protestantes arrancariam MAIS TARDE e diriam malandramente hoje, terem sido incluídos pela Igreja em 1546.

      Agora Tiago Confirmando a má fé protestante, já escrevia Santo Agostinho, no ano 397:

      “… O cânon inteiro da Bíblia é o seguinte: os cinco livros de Moisés, ou seja, Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio,… Tobias, Éster e Judite, e OS DOIS LIVROS DE MACABEUS,… Para dois livros, Sabedoria e Eclesiástico, é designado Salomão como autor, mas nossa provável opinião é que foram escritos por Jesus, o filho de Sirac,… Baruque,…” (Santo Agostinho, Sobre a Doutrina Cristã, livro 2, cap. 8, 13 ano 397).

      Agora Tiago abaixo está o link direto, onde você pode ver escaneados todos os livros da Bíblia de Gutenberg.

      Veja no catálogo que, todos os 73 livros já constavam na primeira Bíblia impressa em 1460, quase um século antes do Concílio de Trento, em 1546. Acesse:
      http://prodigi.bl.uk/treasures/gutenberg/search.asp e ou ainda ::http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_obrasraras/or_moguncia1.pdf

      Tiago você poderá também, visitar a Biblioteca Nacional – Sede: Av. Rio Branco, 219 – Rio de Janeiro – CEP 20040-008 – Tel 55 21 3095 3879 – Fax
      55 21 3095.

      VAI UM CONSELHO PRA VOCÊ TIAGO! FILHO DA SERPENTE.

      NÃO CONVERSE ASNEIRAS, TENHO MAIS DE 50 MIL VOLUMES DE LIVROS QUE VAI DO ANO 700 ANTES DE CRISTO, AO ANO 1480 E TI AFIRMO COM TODA CERTEZA DO MUNDO.

      VOCÊS PROTESTANTES EM MATÉRIA DE PATRÍSTICA E DE HISTÓRIA SÓ TEM PONTOS DE VISTAS E FALSIFICAÇÕES BARATA DEIXA DE SER RIDÍCULO

      Curtir

    • DIDA disse:

      Tiago a doutrina do Purgatório de forma alguma aniquila a obra de Cristo; muito pelo contrário… Sabemos muito bem que nada de impuro pode entrar no céu (Mt 5,8); por outro lado sabemos que aquele que disser que não tem pecados é um mentiroso (1Jo 1,10). No entanto, o Senhor é justo juiz (2Tim 4,8) e recompensa até um copo d’água que é dado em seu nome (Mt 9,41). Logo, embora o purgatório não seja mencionado com este nome na Escritura (a Santíssima Trindade também não é e todos os cristãos a professam como verdade revelada!), a sua realidade é incontestável. Observe-se, ainda, que o purgatório é somente para os que estão salvos mas ainda possuem pecados não expiados, tornando necessária a purificação para ver a Deus. Quem for julgado para a perdição, não tem como passar pelo purgatório para expiar seus pecados…

      Curtir

    • DIDA disse:

      Muitos protestantes dizem que os livros deuterocanônicos são apócrifos. Em outras palavras, para eles esses livros não são Escritura e inspirados por Deus. Uma das razões para isso, é que dizem que não haviam profetas em qualquer um desses livros, eis alguns exemplos:

      Ron Rhodes, em seu livro, “Reasoning from the Scriptures with Catholics”, p. 33 escreve:

      “Além disso, nenhum livro apócrifo foi escrito por um verdadeiro profeta ou apóstolo de Deus … Além disso, nenhum livro apócrifo contém profecia preditiva, que teria servido para confirmar a inspiração divina.”

      Norman Geisler e Ralph E. em “Roman Catholics and Evangelicals: Agreements and Differences” p. 167, escreve:

      “Há fortes evidências de que os livros apócrifos não são proféticos. Mas desde que profecia é o teste para canonicidade, isso elimina os apocrifos do cânon”

      É bem dificil acreditar que qualquer um deles tenha estabelecido o cânon das escrituras, usando o teste de que para que um livro fosse inspirado, tivesse que conter uma profecia, primeiro eles teriam que provar que profecia o livro de Ester, Rute e etc.. contém.

      No entanto, apesar da alegaçào protestante no Livro da Sabedoria capítulo 2 versículos de 12-20 é uma das mais claras passagens que contem uma profecia e apontam para uma pessoa que iria chamar-se Filho de Deus, que seria condenado à morte por pessoas invejosas. O texto diz:

      “12. Cerquemos o justo, porque nos incomodai e se opõe às nossas ações, nos censura as faltas contra a Lei, nos acusa de faltas contra a nossa educação. 13. Declara ter o conhecimento de Deus e se diz filho do Senhor;14. ele se tornou acusador de nossos pensamentos, basta vê-lo para nos importunarmos; 15. sua vida se distingue da dos demais e seus caminhos são todos diferentes.16. Ele nos tem em conta de bastardos; de nossas vias se afasta, como se contaminassem. Proclama feliz o destino dos justos e se gloria de ter a Deus por pai. 17. Vejamos se suas palavras são verdadeiras, experimentemos o que será do seu fim.18. Pois se o justo é filho de Deus, Ele o assistirá e o libertará das mãos de seus adversários. 19. Experimentemo-lo pelo ultraje e pela tortura para apreciar a sua serenidade e examinar a sua resignação. 20. Condenemo-lo a uma morte vergonhosa, pois diz que há quem o visite.” (Sabedoria 2, 12 – 20)
      Estas profecias acima só são encontradas no capítulo 2 da Sabedoria. Vamos verso a verso, cameçando pelo versículo 12:

      “Cerquemos o justo, porque nos incomodai e se opõe às nossas ações, nos censura as faltas contra a Lei, nos acusa de faltas contra a nossa educação.” (Sabedoria 2, 12)
      Um homem justo que censurar os líderes e sua educação. Vejamos como isso se cumpre em Jesus:

      “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, que pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas omitis as coisas mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Importava praticar estas coisas, mas sem omitir aquelas […] Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Sois semelhantes a sepulcros caiados, que por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de toda podridão. Assim também vós: por fora pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.” (Mateus23, 23.27-28)
      “Moisés não vos deu a Lei? No entanto, nenhum de vós pratica a Lei. Por que procurais matar-me?” A multidão respondeu: “‘Tens um demônio. Quem procura matar-te?’” (João 7, 19-20)
      Jesus, como em Sabedoria 2, 12, é um homem justo, na verdade, perfeitamente justo. Ele condena os escribas como infratores da lei, os chama de hipocritas e ‘repreendeu-os por suas faltas conta a lei’ como em Mateus 23, 27-28. Ele os chama de infratores, e ele diz que tentarão matá-lo… Sabedoria 2, 12, fala também de homens à espreita para pegar o justo e em Mateus 26, 3 – 4 vemos os sumos sacerdotes e os anciãos fazendo o seguinte:

      “Então os chefes dos sacerdotes e os anciãos do povo congregaram-se no pátio do Sumo Sacerdote, que se chamava Caifás, e decidiram juntos que prenderiam a Jesus por um ardil e o matariam.” (Mateus 26, 3-4)
      Ele foi recebido como um rei pelo povo (João 12, 12-15) e por isso os governantes não poderiam fazer isso durante o dia. Jesus repreendeu-os pela quebra da lei, e os acusou de hipocrisia, então os líderes religiosos se ofenderam. O que Jesus faz para os deixarem assim? Ele expôs a sua hipocrisia. Ele os chama de infratores da lei, e que não mantem o coração da lei, como as passagens acima mostram.

      Vejamos o versículo seguinte, Sabedoria 2, 13:

      “Declara ter o conhecimento de Deus e se diz filho do Senhor;” (Sabedoria 2, 13)
      O homem justo afirma ter conhecimento de Deus, e de fato ele tem o conhecimento exclusivo de Deus. Ele professa ser um filho de Deus. Vejamos o que diz o evangelho:

      “e vós não o conheceis, mas eu o conheço; e se eu dissesse ‘Não o conheço’, seria mentiroso, como vós. Mas eu o conheço e guardo sua palavra” (João 8, 55)
      Jesus conhece o Pai, de uma maneira única, o conhece melhor do que seus adversários, e também os chama de seguidores do diabo (Jo 8, 44).

      Como mostra a Sabedoria 2, 13, ele diz ser filho de Deus, como ele se refere a Seu Pai. Jesus se refere a seu Pai, muitas vezes, como “Meu Pai” (Ver João 8, 38, 49, 54, 10, 19, 25, 29, etc), significando uma relação especial com Deus, o Pai. Ele chama a si mesmo de Filho de Deus , João 3, 18:

      “Quem nele crê não é julgado; quem não crê, já está julgado, porque não creu no Nome do Filho único de Deus.” (João 3, 18)
      Vejamos também como ele se refere a si mesmo como o Filho de Deus em João 5, 25

      “Em verdade, em verdade, vos digo: vem a hora — e é agora — em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que o ouvirem, viverão.” (João 5, 25)
      Ele se auto denomina Filho de Deus, justamente como a Sabedoria 2, 13 predisse.

      Vamos ao próximo versículo em Sabedoria 2, 14:

      “ele se tornou acusador de nossos pensamentos…”(Sabedoria 2, 14)
      O novo testamento relata:

      “Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse: ‘Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações?’” (Mateus 9, 4)
      “Os escribas e os fariseus observavam-no para ver se ele o curaria no sábado, e assim encontrar com que o acusar. Ele, porém, percebeu seus pensamentos e disse ao homem da mão atrofiada: ‘Levanta-te e fica de pé no meio de todos’. Ele se levantou e ficou de pé. Jesus lhes disse: ‘Eu vos pergunto se, no sábado, é permitido fazer o bem ou o mal, salvar uma vida ou arruiná-la’. Correndo os olhos por todos eles, disse ao homem: ‘Estende a mão’. Ele o fez, e a mão voltou ao estado normal. Eles, porém, se enfureceram e combinavam o que fariam a Jesus.” (Lucas 6, 7-11)
      Jesus leu os pensamentos de seus acusadores, repreendeu-os por esses pensamentos, e eles reagiram conspirarando para destruir Jesus.
      Vamos dar uma olhada no próximo versículo Sabedoria 2, 15:

      “… basta vê-lo para nos importunarmos; sua vida se distingue da dos demais e seus caminhos são todos diferentes.”
      O homem justo não fará como outros líderes “religiosos” fizeram. Vejamos o evangelho:

      “Nesse tempo, chegaram-se a Jesus fariseus e escribas vindos de Jerusalém e disseram: “Por que os teus discípulos violam a tradição dos antigos? Pois que não lavam as mãos quando comem”. Ele respondeu-lhes: ‘E vós, por que violais o mandamento de Deus por causa da vossa tradição? Com efeito, Deus disse: Honra pai e mãe e Aquele que maldisser pai ou mãe certamente deve morrer. Vós, porém, dizeis: Aquele que disser ao pai ou à mãe ‘Aquilo que de mim poderias receber foi consagrado a Deus’, esse não está obrigado a honrar pai ou mãe. E assim invalidastes a Palavra de Deus por causa da vossa tradição.”
      Como a Sabedoria 2 previa, ele não seguiu a falsa tradição dos fariseus, e eles viram suas ações como estranhas. Ele curou no sábado, e que foi ‘estranho’ a eles:

      “E entrou de novo na sinagoga, e estava ali um homem com uma das mãos atrofiada. E o observavam para ver se o curaria no sábado, para o acusarem. Ele disse ao homem da mão atrofiada: “Levanta-te e vem aqui para o meio”. E perguntou-lhes: “É permitido, no sábado, fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou matar?” Eles, porém, se calavam. Repassando estão sobre eles um olhar de indignação. E entristecido pela dureza do coração deles, disse ao homem: “Estende a mão”. Ele a estendeu, e sua mão estava curada. Ao se retirarem, os fariseus com os herodianos imediatamente conspiraram contra ele sobre como o destruiriam.” (Marcos 3, 1-6)
      Novamente, eles procuram destruí-lo, como mencionado em Sabedoria 2, 12, e consideraram como “estranho” ele curar no sábado.

      “Os escribas e os fariseus começaram a raciocinar: ‘Quem é este que diz blasfêmias? Não é só Deus que pode perdoar pecados?’ Jesus, porém, percebeu seus raciocínios e respondeu-lhes: ‘Por que raciocinais em vossos corações? Que é mais fácil dizer: Teus pecados estão perdoados, ou: Levanta-te e anda? Pois bem! Para que saibais que o Filho do Homem tem o poder de perdoar pecados na terra, eu te ordeno — disse ao paralítico — levanta-te, toma tua maca e vai para tua casa’. E no mesmo instante, levantando-se diante deles, tomou a maca onde estivera deitado e foi para casa, glorificando a Deus. O espanto apoderou-se de todos e glorificavam a Deus. Ficaram cheios de medo e diziam: ‘Hoje vimos coisas estranhas!’” (Lucas 5, 21-26)
      Foi estranho para os fariseus Jesus ter alegado a autoridade para perdoar pecados. E o que o povo assistiu foi ‘estranho’, ‘diferentr’. Esta é uma realização da Sabedoria 2, 15.

      Vamos ao próximo versículo Sabedoria 2, 16:

      “Ele nos tem em conta de bastardos; (1) de nossos caminhos se afasta, como se contaminassem. (2) Proclama feliz o destino dos justos e se gloria de (3) ter a Deus por pai.”
      Vamos analisar cada uma destas três características neste verso: Então, o justo irá considerar seus adversários maus, e evitará o seus caminhos. Ele se chamará o o caminho do justo de feliz, e chamará a Deus por Pai. Foram destacas essas 3 coisas específicas. Ele evita os seus caminhos como impuros, ele chama feliz o caminho do justo, e chama a Deus por Pai.

      “O Senhor, porém, lhe disse: ‘Agora vós, ó fariseus! Purificais o exterior do copo e do prato, e por dentro estais cheios de rapina e de perversidade! Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior? Antes, dai o que tendes em esmola e tudo ficará puro para vós!’” (Lucas 11, 39-41)
      1) Vemos nesta passagem que Jesus se refere o caminho dos fariseus como imundos, e como eles são hipócritas. Estão cheio de rapina e perversidade, eles são impuros. Jesus nos diz para sermos limpo, dando esmolas e sendo justos. Então Jesus diz às pessoas para evitarem os seus caminhos, porque eles são hipocritas. Isso se encaixa com a profecia da Sabedoria 2.

      Vejamos a parte 2 da realização da Sabedoria 2, 16, Mateus 5, 10:

      “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.” (Mateus 5, 10)
      2) Jesus ensina que aqueles que os que buscam a justiça serão felizes, e como eles estarão no reino de Deus, como previsto em Sabedoria 2, 16.

      “Tudo me foi entregue por meu Pai e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, e quem é o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. (Lucas 10, 22)
      3) Jesus chama a Deus como seu Pai, assim como Sabedoria 2, 16 preveu. Assim, vemos três idéias neste versículo, cumpridas na vida de Cristo nos evangelhos.

      Vejamos as passagens finais desta seção, Sabedoria 2, 17-20.

      “Vejamos se suas palavras são verdadeiras, experimentemos o que será do seu fim. Pois se o justo é filho de Deus, Ele o assistirá e o libertará das mãos de seus adversários. Experimentemo-lo pelo ultraje e pela tortura para apreciar a sua serenidade e examinar a sua resignação. Condenemo-lo a uma morte vergonhosa, pois diz que há quem o visite.” (Sabedoria 2, 17-20)
      Agora, vamos comparar com o evangelho. Agora, em Mateus 27, 41-43, vemos o seguinte:

      “Do mesmo modo, também os chefes dos sacerdotes, juntamente com os escribas e anciãos, caçoavam dele: ‘A outros salvou, a si mesmo não pode salvar! Rei de Israel que é, que desça agora da cruz e creremos nele! Confiou em Deus: pois que o livre agora, se é que se interessa por ele! Já que ele disse: Eu sou filho de Deus’”. (Mateus 27, 41-43)
      Sabedoria 2, 17 diz que eles verão se suas palavras são verdadeiras, no final de sua vida. Os adversários de Jesus tiveram a idéia que se ele estivesse dizendo a verdade, ele desceria da cruz e Mt. 27, 42 diz: “desça agora da cruz e nós creremos nele!”

      Sabedoria 2, 18 diz que se ele realmente é o Filho de Deus, Deus vai livrá-lo,e Mateus. 27, 43 diz que se ele é o Filho de Deus, ele vai livra-lo:

      “Confiou em Deus, Deus o livre agora, se o ama, porque ele disse: Eu sou o Filho de Deus!”(Mateus 27, 43)
      Agora, nesta passagem, alguém verá em uma Bíblia protestante, uma referência de Mateus 27:43 ao Salmo 22, 8. Isso é porque há uma menção de “bem, se Deus está com ele, ele vai livrá-lo”(Salmo. 22, 8). Não há dúvida que também é uma referência a este Salmo, no entanto, não é uma referência completa. Apenas em Sabedoria 2, 18, vemos onde, especificamente, disse que “Pois se o justo é filho de Deus, Ele o assistirá e o libertará das mãos de seus adversários.”. Essa é uma referência muito mais completa.

      Sabedoria 2, 19 relata que ele será insultado, eles zombam dele, já em Mateus 27, 43 e em verso semelhante em Lucas 23, 35-37, lemos:

      “O povo permanecia lá, a olhar. Os chefes, porém, zombavam e diziam: ‘A outros salvou, que salve a si mesmo, se é o Cristo de Deus, o Eleito!’. Os soldados também caçoavam dele; aproximando-se, traziam-lhe vinagre, e diziam: ‘Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo’.” (Lucas 23, 35-37)
      Eles insultam e zombam dele, tal como previsto em Sabedoria 2, 19.

      Finalmente, Sabedoria 2, 20 indica que ele será condenado à morte. Ele é condenado à morte na cruz, como se fosse um criminoso comum. Dois criminosos morrem com ele, um à esquerda e um à sua direita.

      Podemos ver nessa passagem de Sabedoria 2, 12-20, uma das razões por que os judeus decidiram, em Jâmnia em 90 d.C, não permitir os livros deuterocanônicos. Esta passagem em Sabedoria 2 tem muitas facetas que são cumpridas em Jesus Cristo. Ele era um homem justo. Ele conhecia Deus de uma maneira especial. Ele foi um dos que condenou os líderes religiosos da época, que procuraram em segredo prender Jesus. Ele chamou a Deus por Pai. Chamou os fariseus de hipocritas. Seus caminhos eram “estranhos”. Ele leu seus pensamentos. Ele afirmava ser filho de Deus. Ele foi ridicularizado e torturado, e foi condenado à morte como um criminoso comum, e hostilizado por seus adversários. Esta passagem é cumprida de muitas maneiras em Jesus Cristo. E somente em Jesus Cristo.

      Sabedoria 13 é também usada por Paulo em seus escritos em Romanos 1, 18-23. Existem outras alusões à Sabedoria em outras partes do Novo Testamento. No entanto, esta profecia de Sabedoria 2 da vida e morte de Jesus é um testemunho mais poderoso da verdade de quem é Jesus. Isso é muita coisa para qualquer idéia de que não há profecias contidas nos livros deuterocanônicos.

      Curtir

  9. Tiago disse:

    Gostaria de saber porque meu ultimo comentário nao foi publicado no site. Acho que voces temem a VERDADE por isso querem ocultá-la para o povo católico continuar na doutrina enganosa…

    Este é um ato lamentável e aqui deixo o meu protestro!

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Tiago,

      Todos os comentários enviados nos dois últimos dias estão sendo moderados agora neste momento.
      Em breve todos serão publicados.

      Grata pela participação.

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      É meu caro, Tiago como cresceu os tais (TEOLOGOS SEM IGREJAS) será que na era apostólica era assim? Pois é Tiago hoje, vocês estão vendo a desgraça que é o protestantismo, por isso assim,vocês ficam com vergonha de se denominarem protestantes!
      Excelente meu rapaz, agora você é o teólogo sem Igreja. Que falta faz a patrística na vida de pessoas como você!

      O engraçado disso tudo Tiago é que Cristo formou um colégio Apostólico e enviou essa Igreja ao mundo para ser seguido, ele não falou nada para alguém pegar a bíblia coloca-la debaixo dos Braços e se tornar o teólogo sem Igreja, aliás, ele nunca mandou edificar um cânon bíblico, isso foi feito pela própria igreja que ele enviou.

      Agora Tiago é muito estranho essa de (Teólogo mas sem Igreja).
      Pois a Helen insiste em perguntar qual a sua denominação protestante ENTRE AS MAIS DE 50 MIL AQUI NO BRASIL e você não responde a ela?

      Infelizmente os teólogos protestantes são como você Tiago, inventam uma mentira, pregam essa mentira que você mesmo inventou e ainda acredita nessa mentira mesmo sabendo que e mentira.

      Meu rapaz, segure o rojão do protestantismo com vocês, não compactuamos com essa heresia na humanidade, não temos partes com á santa divisão satânica ok.
      A Igreja foi bem clara quando excomungou o herege Lutero. A igreja sabia muito bem no que se transformaria tudo aquilo que Lutero começou, agora, vocês que admiram esse herege, segurem o rojão.

      Curtir

  10. Fernanda disse:

    Boa tarde desculpa falar de um assunto q não tem nada a ver

    mais achei mais um versiculo provando o sono da alma

    E muitos dos que DORMEM no pó da terra RESSUSCISTARÃO, uns para a VIDA ETERNA e outros para a vergonha e desprezo eterno.”

    essa passagem é claro ressuscitarão na volta de Jesus pois se não fosse isso seria ressuscitaram assim sim poderia dizer q seria a alma que sairia do corpo depois da morte

    Curtir

    • Helen disse:

      Cara Fernanda,

      Para explicar o seu comentário em cima de Daniel 12,2, amanha postarei um artigo sobre o tema. fique atenta.

      Obrigada pela participação.

      Curtir

    • JAIME disse:

      Veja Fernanda

      O Erro Protestante em Dividir Corpo, Alma e Espírito

      Na linguagem comum, costumamos usar estas duas palavras com sinônimas, designando, através delas, o elemento espiritual, imortal, de cada um de nós, assim como lemos no cântico de Maria (Lc 1,46-47): “A minha alma glorifica o senhor, o meu espírito exulta em Deus meu salvador”.

      Citamos, algumas passagens Bíblicas em que a palavra “espírito” é também, empregada como sinônima de “alma”: “o pó volta à terra como o era, e o espírito volta a Deus, que o deu” (Ec 12,7) “no qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão” (1 Pe 3,19); “E apedrejaram a Estevão, que orava e dizia: senhor Jesus, recebe o meu espírito” (At 7,59).

      E agora citamos outras passagens em que, ao contrário, a palavra “alma” é usada como sinônimo de “espírito”. “Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma” (que não é o sangue) (Mt 10,28) “porque não deixarás a minha alma no Hades nem permitirás que aquele que te é leal veja a corrupção” (At 13,35) (Salmos 15,10). “E quando abriu o quinto selo, vi por baixo do altar (junto de Deus) as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus” (Ap 6,9); “e vi as almas (que não é o sangue) daqueles que foram executados com o machado pelo testemunho de Jesus” (Ap. 20,4).

      Alma e espírito visto serem de uma só substância e natureza, formam um único elemento, uma entidade (indivíduo) única, imortal.

      Quando o corpo morre, esta entidade, alma (que não é o sangue) e espírito num só e único elemento, porque imortal, volta para Deus onde terá julgamento (Romanos 14,10) (2Cor 5,10) na esperança da ressurreição da carne (manifestação pública de todos).

      Outras passagens Bíblicas parecem estabelecer distinção entre o corpo e o elemento que compõe espírito e alma, como se lê na carta aos Tessalonicenses (1Ts 5,23).

      Neste conjunto, corpo alma e espírito, não aparece o sangue que é substância integrante do corpo, e que perece unido ao corpo.

      Podemos ver na Bíblia que alma tem o mesmo sentido de espírito. Ler (1 Reis 17,21-22) (Jó 14,22) (Mateus 10,28) (Hebreus 12,9) e (Sabedoria 15,11). É errado dividir o ser humano em corpo, alma e espírito. O ser humano é corpo e alma. Ler (Gênesis 2,7) e compare com (Eclesiastes 12,7) ler (Mateus 10,28) e compare com ( 1 Coríntios 5,3) ler (Gênesis 25,7-8) e compare com (1 Coríntios 7,34) ler ainda (Gênesis 25,17) e compare com (Atos 7,59).

      Como vimos, a Bíblia em certas passagens, fala só de espírito e em outras fala só de alma.

      Curtir

      • Fernanda disse:

        sim e sobre essa passagem q é bem clara q eu postei?

        naum tem nada a tiver?

        ela diz sobre a volta de Jesus quando vamos despertar do sono

        isso eh claro

        Curtir

        • Helen disse:

          Cara Fernanda,

          Poderia explicar por favor, o que a sra está tentando provar? Não está claro!
          Quer demonstrar por A mais B que quando o Cristão desencarna – deixa a carne – sua alma entra num estado de sono e inconsciência? Seria isto?

          Se for isso, poderia me explicar por que e como Moisés e Elias vieram orar em espírito com Jesus no monte Tabor em Mateus 17?
          Ou por que Deus disse em Mateus 22 e Lucas 20 que Ele é o Deus de Abrão, Isaque e Jaco, portanto é o Deus dos Vivo e não dos Mortos?
          E por que Jesus em João 8.56 disse que o pai Abraão regojizou ao ver Seu dia e ficou Feliz, se Abrão, conforme sua “doutrina” estava inconsciente, uma vez que a alma dorme?

          Cara Fernanda, como eu havia dito, este tema merece outro post devido sua complexidade. Porém, visite o que já foi publicado aqui. A sr parece tentar provar sua “doutrina” com base em expressões metafóricas, ou seja, na bíblia, muitas vezes a expressão adormecer, não quer dizer que o indivíduo adormeceu ( e com ele, sua alma) no sentido literal, mas que a pessoa morreu. Foi isso que Jesus disse em João 11, 21 ao 26, isso sim é claro!

          Curtir

          • Fernanda disse:

            pois bem helen o mal do catolico é responder uma pergunta com outra

            mais fazer o q ja sabia q vcs não teriam respostas para esse versiculo assim como varios

            Curtir

            • Fernanda disse:

              continuo esperando a resposta sobre ESSE VERSICULO

              Curtir

            • Helen disse:

              Cara Fernanda,

              A sra disse: “o mal do catolico é responder uma pergunta com outra”… mais fazer o q ja sabia q vcs não teriam respostas para esse versiculo assim como varios

              No seu rancor, a sra parece ter julgado mal à todos os católicos simplesmente porque eu, devido às atribulações de minha vida – sou mãe de 2 crianças pequenas – não pude lhe responder imediatamente…
              Cultive a virtude da paciência, minha cara. Sua resposta foi postada hoje aqui

              Pax Domini

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Fernanda você continua com a mesma heresia Protestante
              Olha Fernanda na linguagem comum, costumamos usar estas duas palavras com sinônimas, designando, através delas, o elemento espiritual, imortal, de cada um de nós, assim como lemos no cântico de Maria (Lc 1,46-47): “A minha alma glorifica o senhor, o meu espírito exulta em Deus meu salvador”.
              Citamos, algumas passagens Bíblicas em que a palavra “espírito” é também, empregada como sinônima de “alma”: “o pó volta à terra como o era, e o espírito volta a Deus, que o deu” (Ec 12,7) “no qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão” (1 Pe 3,19); “E apedrejaram a Estevão, que orava e dizia: senhor Jesus, recebe o meu espírito” (At 7,59). em Dividir Corpo, Alma e Espírito

              E agora Fernanda vou citar outras passagens em que, ao contrário, a palavra “alma” é usada como sinônimo de“espírito”. “Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma” (que não é o sangue) (Mt 10,28)“porque não deixarás a minha alma no Hades nem permitirás que aquele que te é leal veja a corrupção” (At 13,35) (Salmos 15,10). “E quando abriu o quinto selo, vi por baixo do altar (junto de Deus) as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus” (Ap 6,9); “e vi as almas (que não é o sangue) daqueles que foram executados com o machado pelo testemunho de Jesus” (Ap. 20,4).
              Fernanda coloca na sua cabeça que a alma e espírito visto serem de uma só substância e natureza, formam um único elemento, uma entidade (indivíduo) única, imortal.
              Pois quando o corpo morre, esta entidade, alma (que não é o sangue) e espírito num só e único elemento, porque imortal, volta para Deus onde terá julgamento (Romanos 14,10) (2Cor 5,10) na esperança da ressurreição da carne (manifestação pública de todos).
              Por isso Fernanda existem passagens Bíblicas que parecem estabelecer distinção entre o corpo e o elemento que compõe espírito e alma, como se lê na carta aos Tessalonicenses (1Ts 5,23).
              Neste conjunto, corpo alma e espírito, não aparece o sangue que é substância integrante do corpo, e que perece unido ao corpo.
              Podemos ver na Bíblia que alma tem o mesmo sentido de espírito. Ler (1 Reis 17,21-22) (Jó 14,22) (Mateus 10,28) (Hebreus 12,9) e (Sabedoria 15,11). É errado dividir o ser humano em corpo, alma e espírito. O ser humano é corpo e alma. Ler (Gênesis 2,7) e compare com (Eclesiastes 12,7) ler (Mateus 10,28) e compare com ( 1Coríntios 5,3) ler (Gênesis 25,7-8) e compare com (1 Coríntios 7,34) ler ainda (Gênesis 25,17) e compare com(Atos 7,59).
              Pode ter certeza Fernanda , que a Bíblia em certas passagens, fala só de espírito e em outras fala só de alma.

              Curtir

  11. Helen disse:

    Tiago,

    Já que o sr parece defender que somente aquilo que está explicitamente ensinado na bíblia pode ser aceito, poderia dizer onde está na escrito na bíblia que SOMENTE a bíblia é a norma de fé, doutrina e conduta do cristão?

    Grata

    Curtir

    • Tiago disse:

      Helen,

      Essa pergunta é muito interessante e irei respondê-la, mesmo com um certo tempo de atraso.

      Você perguntou: “poderia dizer onde está na escrito na bíblia que SOMENTE a bíblia é a norma de fé, doutrina e conduta do cristão?”

      Essa pergunta tem a ver com a doutrina da Sola Scriptura adotada pelo protestantismo. E a Sola scriputa encontra-se na Biblia Sagrada na seguinte passagem:

      “TODA A ESCRITURA é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça. A fim de que o homem de Deus SEJA PERFEITO E PERFEITAMENTE HABILITADO para TODA BOA OBRA.” (2. Timóteo 3.16,17)

      Eis, a SOLA SCRIPTURA. O Ap. Paulo disse que TODA A ESCRITURA, ou seja toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e útil para o ensino, repreensão, correção, e educação na justiça.

      No verso 17, Paulo diz qual é a finalidade das Sagradas Palavras: TORNAR O HOMEM PERFEITO E HABILITADO PARA TODA BOA OBRA.

      Ou seja, a Palavra de Deus é tão maravilhosa e perfeita que ela torna o homem de Deus também perfeito e perfeitamente habilitado para TODA BOA OBRA. Não é perfeito apenas para uma ou duas obras, mas para TODA boa obra.

      E se a Palavra de Deus é perfeita, OBVIAMENTE, a palavra de Deus é suficiente para a SALVAÇÃO. A Palavra do Senhor, é SUFICIENTE COMO REGRA DE FÉ, DOUTRINA E CONDUTA DO HOMEM DE DEUS. Portanto aqui está a SOLA ESCRITURA, ou seja, a Palavra de Deus é perfeita e consequentemente, SUFICIENTE para TODA BOA OBRA E PARA A NOSSA SALVAÇÃO.

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Tiago,

        Muito obrigada pela resposta.

        Segue minha réplica:

        1. Em 2 Timóteo 3: 16-17 NÃO está escrito que SOMENTE a bíblia é a norma de Fé, Doutrina e Conduta do Cristão. Absolutamente!!!
        Está escrito que ela TODA escritura é INSPIRADA e é útil para repreensão, correção e educação. Isso não significa que porque é ÚTIL para ensinar, corrigir e educar, seja a única e somente única forma de fazê-lo.

        Quer uma prova? Eis um bom exemplo.

        O livro de gramática é um bom instrumento, aliás, é um instrumento muito útil para ensinar a língua Portuguesa. Entretanto, não é o único MEIO ou veículo pelo qual o aluno pode aprender a gramática da Língua. Na verdade, poucos são os alunos que aprendem apenas pelo uso de um bom livro. A grande maioria precisa de um professor. É por isso que temos escolas e professores. Do contrário bastava aos governos distribuírem livros e todo o país seria educado nos mais diversos assuntos.

        Assim, um bom livro é um instrumento maravilhoso e importante. Porém, o professor é aquele que ao se utilizar do Livro pode trazer o aluno ao conhecimento do que nele está contido, com menor risco de que o aluno aprenda mal ou não aprenda.

        (Fique claro aqui que não estou com esse exemplo sugerindo que o valor de um livro qualquer seja comparado como a Palavra de Deus. Estou apenas demonstrando que a Bíblia – o Livro que contém a Palavra de Deus – é um instrumento para o conhecimento de Deus, mas não o único, pois não é auto-explanatória. Ou seja, ela, como qualquer outro livro, requer estudo e aprofundamento e mesmo assim, pode ser mal-interpretada. Não preciso provar que alguns interpretam mal a Bíblia, preciso? Basta citar os Testemunhas de Jeová, por exemplo, que não aceitam Jesus Divino, para citar apenas UM EXEMPLO).

        Enfim, voltando ao tema da autoridade de Igreja, assim era no Judaísmo bíblico. Haviam as escrituras sagradas. Mas haviam também os doutores da Lei. Os homens com quem Jesus, já aos 12 anos de Idade sentou-se para discutir a Palavra de Deus no Templo em Jerusalém. Os rabinos – mestres/professores – e os escribas ensinavam a sã doutrina, mesmo que não a pusessem em prática em sua vida pessoal. Daí o motivo pelo qual Nosso Senhor advertiu os seus contemporâneos judeus que OUVISSEM aquilo que ensinavam os doutores da Lei, mesmo que eles próprios não fizessem aquilo que ensinavam.

        Então falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos, Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus.
        Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e
        fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;
        Mateus 23:1-3

        Ou seja, em Mateus 23:1-3 Cristo diz Obedecei aos Fariseus – independentemente do mal exemplo que eles dão – porque não fazem o ensinam, mas ensinam o que é certo! Jesus reconhecia a autoridade de Moisés, e afirmou que os Escribas e Fariseus e doutores da Lei eram SUCESSORES de Moisés ” Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus”

        Assim é a Igreja. Ela é o sinal visível do plano de Salvação de Deus ao homem. Jesus Cristo estabeleceu a Cátedra de Pedro – o líder dos 12. Não instituiu apenas um líder, mas um ofício, uma cátedra!! Sabia que Pedro passaria, mas seu posto ficaria.

        A Igreja Católica é, queira ou não, pois a História documentada afirma isso, Apostólica. A sucessão de Pedro está legitimamente preservada na Santa Igreja Católica.

        Portanto, lamento muito ter que refutá-lo, mas 2 Timóteo 3: 16-17 NÃO afirma de MANEIRA ALGUMA que a bíblia é a ÚNICA regra da Fé.
        Porém, São Paulo diz ao mesmo Timóteo que a IGREJA é a coluna e fundamento da VERDADE. A verdade não erra, senão seria mentira! Assim, a Igreja – não os membros dela, não os padres, etc – A IGREJA em seu magistério, a cátedra de Pedro é INFALÍVEL.

        Explicado o entendimento católico, solicito que o sr, por favor explique-nos o seguinte:

        Se a Bíblia é SUFICIENTE ( Veja que aqui a discussão já não é mais se ela é a ÚNICA regra da fé, como na minha primeira pergunta, mas sim se ela é SUFICIENTE). Como é possível explicara a INCONTESTÁVEL discrepância entre os adeptos da Livre interpretação ou Sola Scriptura?

        Por que há tanta divergência entre as denominações protestantes? Se a Bíblia é suficiente para ensinar tudo certinho, sem o erro de mal-entendido e mal-interpretação. (o que contradiz as palavras de Pedro em 1 Pedro 3,16)

        Curtir

  12. Tiago disse:

    Para sra. Helen

    Nao se trata de conselho meu e sim da palavra de Deus: “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Joao 8:32)

    Paz do Senhor.

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Tiago,

      Claro, a Palavra é de Deus, conheço bem a bíblia, mas a citação em forma de conselho é sua.

      Curtir

    • RAFAEL disse:

      Tiago vocês protestantes são hereges e por isso vivem em uma total escuridão onde muitos de vocês vivem mentindo para si mesmo, outros vivem sendo enganados pelos falsos profetas, pois vocês inventaram a doutrina herética chamada “SOLA SCRIPTURA”, ou seja, eles acreditam apenas no que está escrita na Bíblia;

      Aí eu ti digo! até que seria uma doutrina válida desde que nossos amigos da santa rebelião de Lutero não tivessem mutilado e adulterado a sua Bíblia.

      Tiago no meio da seita protestante é só podridã e muito maior do que vocês imaginam, o pior é que essa podridão alicia muitas pessoas simples e humildes que por sua ignorância as vezes se deixam levarem pela astucia de satanás.

      Quantas vezes vocês eu esculto de vocês protestante mentiras como:

      Existem sete livros apócrifos na Bíblia Católica.

      A igreja Católica adicionou sete livros apócrifos no concilio de Trento.

      Os judeus não aceitavam os sete livros Deuterocânonicos.

      O Cânon hebraico é o mesmo que o Cânon protestante e não contêm os 7 livros.

      Os sete livros não são inspirados por Deus.

      Os sete livros contem erros doutrinários e cronológicos.

      Tiago, essas historinhas são tudo mentiras, mentiras de satanás por sinal, o mesmo satanás que coloca heresias na boca desses rebelados filhos de Lutero para tentar justificar a sua fé sem fundamentos baseada em mentiras satânicas.

      Olha Tiago nessa página eu colocarei vários tópicos onde eu desmascaro cada uma dessas mentiras, uma por uma, mostrando a verdade sobre o Cânon Bíblico e assim provarei que a Bíblia sagrada é um livro Católico,

      feito e edificado pela Igreja Católica, para ser usado na liturgia Católica.

      Assim poderei mostrar que esse cânon possui 73 livros e não 66 como pensam os hereges rebelados, alias, Tiago tem uma questão numérica muito importante a ser exposta, Deus nos manda sinais mostrando o que é certo e o que é errado.

      Vocês protestantes retiraram 7 livros da Bíblia (numero 7 é um numero de perfeição) isso quer dizer que eles retiraram a perfeição da Bíblia deles.

      Assim a sua Bíblia protestante Tiago ficou com 66 livros (agora o 6 sempre foi um numero imperfeito na simbologia Hebraica) tanto que o nome da besta tem essa contagem numérica de (666) por ser exatamente um numero imperfeito, o real significado é que a Bíblia protestante está totalmente imperfeita.

      Podemos entender que Deus deixou todos os sinais para a humanidade entender seus erros, mas os protestantes não conseguiram até esse momento enxergar o sacrilégio que cometeram.

      Mas vamos descobrir como surgiu a Bíblia sagrada.

      Bíblia sagrada.

      Antigo Testamento: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, 1Samuel, 2Samuel, 1Reis, 2Reis, 1Crônicas, 2Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester, 1Macabeus, 2Macabeus, Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes (ou Coélet), Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico (ou Sirácida), Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

      Novo Testamento: Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos dos Apóstolos, Romanos, 1Coríntios, 2Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1Tessalonicenses, 2Tessalonicenses, 1Timóteo, 2Timóteo, Tito, Filêmon, Hebreus, Tiago, 1Pedro, 2Pedro, 1João, 2João, 3João, Judas e Apocalipse.

      Tiago você é só mais um decorador de textos a verdade ti libertarás!
      mais para isso acontecer se converta.

      Curtir

    • Tiago disse:

      Helen,

      minha tréplica:

      suas palavras: “Isso não significa que porque é ÚTIL para ensinar, corrigir e educar, seja a única e somente única forma de fazê-lo.”

      Você esqueceu de ler a continuação. A palavra de Deus é útil para ensinar, corrigir e educar. No verso 17, Paulo diz qual é a finalidade das Sagradas Palavras: TORNAR O HOMEM PERFEITO E HABILITADO PARA TODA BOA OBRA.

      Ora, raciocine comigo: Se a Escritura torna o homem PERFEITO E HABILITADO para toda boa obra, chegamos à conclusão que a Palavra de Deus é PERFEITA. Nada torna um homem perfeito se não tiver o mesmo atributo de Perfeição.

      Então, se a Palavra de Deus torna o homem perfeito é porque a Palavra de Deus também é perfeita. Isso não é interpretação: é raciocínio lógico. E se ela é PERFEITA, obviamente ela é SUFICIENTE para o homem ser salvo.

      E se a Palavra de Deus habilita o homem para toda boa obra, ela é igualmente suficiente para tanto.

      Quando você afirma que a Palavra de Deus nao é suficiente, está a dizer que ela é o que diz o dicionário:

      Insuficiente: Incapaz, incompetente, inepto.

      Ao afirmar que a Biblia é insuficiente, estas a dizer que ela é incapaz, incompetente ou inepta para atingir seu objetivo que é torna o homem perfeito e habilitado para toda boa obra. E isso chega a ser uma heresia sem tamanho.

      A discrepância a que se refere quanto as várias interpretações das diversas denominações, tem a ver com pequenas divergências a questões menores. Mas, no principal todas as denominações protestantes são homogêneas no que diz respeito à servir um Unico Deus, ter Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, não ter nenhum Cristo pregado na cruz até hoje porque ele já ressucitou há milênios,e ,por este motivo, a cruz do protestantismo é vazia a qual simboliza a nossa vitória, etc…

      Todas as denominações evangélicas são unânimes em nao levantar altar para imagens de escultura, não prestar culto a essas imagens e tão pouco pedir qualquer coisa às imagens que não ouvem nem falam, assim como os deus de pau e pedra do paganismo.

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Tiago,

        Não esqueci de ler nada, não. Não se preocupe, sou bem familiarizada com essa passagem.

        Meu caro amigo, eu lhe pedi que o sr me mostrasse um verso da bíblia onde esteja escrito que a SOMENTE bíblia é a ÚNICA regra de conduta, doutrina e moral Cristã, uma vez que o sr veementemente rejeita a autoridade Apostólica da Igreja. Aí o sr me vem com um versículo em 2 Timóteo onde está escrito que a Bíblia é ÚTIL para corrigir, etc, etc…

        Ora sr Tiago, onde foi parar o seu zelo pela interpretação Literal e fundamentalista da Palavra? É o sr o adepto da SOLA SCRIPTURA, não eu!!! Mostra pela Bíblia que a bíblia é a ÙNICA regra de fé. Mostra, por favor. Estamos todos aguardando!!!

        Pax Domini

        Curtir

  13. Tiago disse:

    “Em Latim, Hades PODERIA ser traduzido como Purgatorium (Purgatório em uso em português) depois de cerca de 1200 dC [Católico por uma Razão, editado por Scott Hahn & Leon Suprenant, copyright 1998 por Emmaus Road Publishing, Inc., capítulo por Curtis Martin, pg 294-295]], mas NENHUMA TRADUÇÃO MODERNA RELACIONA Hades explicitamente com o termo Purgatório.”

    Como assim…. o titulo diz que Lucas 16 confirma a doutrina catolica e a conclusao do texto usa termos PODERIA e NENHUMA TRADUCAO MODERNA relaciona inferno com sendo o purgatorio que o catolicismo inventou…

    Ou seja o texto é completamente SEM CONCLUSAO. E a razao é uma só: o purgatório nao existe. E Lucas 16 mostra que não há “lugar de purificaçao” e que o inferno descrito em Lucas 16:24 é um lugar tormento e dor. Tanto que o rico suplicou misericordia ao Pai e lhe pediu agua para amenizar seu ardor em chamas. Essa agua simboliza a Palavra de Deus e nosso Senhor Jesus Cristo.

    E Deus respondendo a suplica do rico disse:”Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado.
    (Lucas 16:25)

    Ou seja, não há segunda chance pra quem está no inferno, porque Deus nos dá APENAS AQUI NA TERRA oportunidade para seguir o caminho da salvacao. O rico teve todas as oportunidades para ser salvo e nao foi e Lazaro mesmo padecendo nesta terra seguiu os caminhos do Senhor e foi salvo.

    A evidencia maior que o purgatório nao existe vem nos versiculos seguintes quando Deus afirma que quem está no paraíso nao atravessa para o inferno e vice-versa:

    “E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá.

    Lucas 16:26-27

    Biblia nao se interpreta implicitamente ou se faz interpretaçoes hipotéticas. Biblia se lê e se entende.

    “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará!”

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Sr Teologo Tiago,

      Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará! Ouça ao próprio conselho!

      Pax.

      Curtir

      • Tiago disse:

        Ao Edmilson

        Meu caro, quando voce expor seus pensamentos, favor, tente fazê-lo de forma objetiva para nao causar canseira ao leitor. Tente resumir; não consegui ler todo o seu texto, mas pelo que eu vi voce citou passagens da Biblia completamente fora de contexto com a doutrina do purgatório.

        Vamos lá.

        Nao vou replicar todos os textos Biblicos, mas citarei as principais e replicarei.

        Voce disse: “PRIMEIRO O NOME PURGATÓRIO NÃO EXISTE NA BÍBLIA
        POR QUE ESSE NOME FOI A IGREJA CATÓLICA QUE COLOCOU NA SUA DOUTRINA”.

        Pois bem, como voce mesmo reconhece, o purgatório não existe de FATO na Biblia, como vc tambem reconheceu, é uma doutrina da seita católica que não tem nenhum RESPALDO BIBLICO.

        Quanto às doutrinas a palavra de Deus nos adverte:

        “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (1Timoteo 4:16)

        O próprio SENHOR nos alerta acerca das doutrinas que estabelecem ensinos antibíblicos como a doutrina do purgatório e tantas outras doutrinas da seita católica que são totalmente anti-biblicas.

        Como voce admitiu o purgatório nao existe na Biblia e o que não está na Biblia, eu nao sigo. Não sigo doutrinas dos homens e tenho muito cuidado com elas como o Senhor nos adverte. Eu sigo tao somente a PALAVRA DE DEUS.

        O que a doutrina da seita católica chama de purgatório, a palavra de Deus chama de INFERNO. E quem está no inferno não pode passar para o paraíso nem que está no paraíso pode atravessar para o inferno porque assim diz o SENHOR:
        “E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá.”(Lucas 16:26-27)

        Foi o que Deus para o rico que estava no inferno que clamou para enviar o mendigo salvo Lázaro até ele aliviar a sua dor em chamas.

        Logo, a doutrina da seita católica sobre o purgatório nao tem respaldo Biblico, portanto, é HERESIA.

        Voce disse:“Mas aquele que não as possui [as boas obras] é um cego, um míope: está esquecido DA (PURIFICAÇÃO) DOS SEUS PECADOS DE OUTRORA” (2Pd 1,9)”

        Antes de vc citar uma passagem Biblica, leia antes o contexto dele, ou seja, leia tambem os versiculos que antecedem a sua citaçao. Jesus nos ensinou a sermos DILIGENTES e termos FÉ, VIRTUDE, CONHECIMENTO, DOMINIO PROPRIO, PERSEVERANÇA, PIEDADE, FRATERNIDADE E AMOR.(2Pedro1:5-7)

        Essas qualidades são os FRUTOS do nosso Senhor Jesus e Ele nos alerta para nao sermos inativos, nem INFRUTUOSOS no pleno conhecimento (2Pedro1:8). Ou seja, não basta termos esses frutos, temos que utiliza-los, pô-los em prática para nao ficarmos inativos nem infrutuosos.

        Concuindo o ensinamento de Jesus, vem o versiculo que voce citou: “pois aquele a quem estas coisas nao estao presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da PURIFICAÇÃO dos seus pecados de outrora” (2Pedro 1:9). Ou seja aquele que nao tem os frutos citados, Jesus compara-o a um cego que só vê o que está perto, porque tornou-se inativo e infrutifero e se esqueceu da PURIFICAÇÃO DOS SEUS PECADOS DO PASSADO.

        Chegamos ao X da questão: PURIFICAÇÃO. Esta purificação, nao se refere ao purgatório da seita católica e sim do perdão dos pecados AINDA EM VIDA, OU SEJA AQUI NESTE MUNDO. E o unico que nos purifica de todo o pecado é JESUS CRISTO conforme as seguintes passagens sagradas:

        “Jesus sendo sem pecado, foi o sacrifício perfeito pelo pecado, e jamais será necessário outro sacrifício”. (Hebreus 10: 12-14).

        “Se o homem arrepender-se dos seus pecados, eles lhe serão perdoados e lavados pelo sangue de Jesus Cristo. Através do sangue de Jesus há remissão de pecados” (Efésios 1:7; Colossenses 1:14).

        “Deus lhe predestinou antes da fundação do mundo para ser o sacrifício perfeito, sem mácula, por nossos pecados” (1 Pedro 1:18-21)

        Ou seja, não é mais necessário nenhum sacrificio humano para obter o perdao dos seus pecados. A alma humana não precisa ir para um tal de “purgatório” e lá sofrer para se “purificar” de seus pecados. JESUS FOI O SACRIFÍCIO PERFEITO E NÃO SERÁ NECESSÁRIO OUTRO SACRIFÍCIO (Hebreus 10: 12-14).

        Jesus Cristo, através da sua morte na cruz, nos remiu (PURIFICOU) dos nossos pecados. Portanto, todo aquele que se arrependeu dos seus pecados, foi lavado e purificado com o sangue de Jesus e nao pratica os frutos descritos em 1 Pedro 1:6-7 torna-se um cego e se esqueceu da remissao ou purificação dos seus pecados do passado.

        Ressalte-se que o perdão, purificação ou remissão dos pecados acontecem AQUI NESTE MUNDO e nao após a morte em um tal de “purgatório” que não existe!

        Repito, quando citar uma passagem Biblia, leia o contexto dela para nao incorrer em heresias como a ceita católia acerca da doutrina humana do purgatório que é ANTI-BIBLICA.

        Curtir

        • Helen disse:

          Caro Tiago,

          Antes de mais nada, se for possível, o sr poderia nos dizer a qual denominação o sr pertence? A qual igreja o sr vai qdo deseja adorar a Deus em cumprimento do mandamento de guardar o Dia do Senhor?

          Mais adiante, não me intrometerei em sua discussão com o Edimilson, mas peço que o sr antes de supor que o purgatório seja uma invensão da Igreja, volte ao judaísmo e constate através de uma investigação séria que esse conceito saiu de lá, e não da invenção da Igreja.

          Sobre a sua conclusão: “Pois bem, como voce mesmo reconhece, o purgatório não existe de FATO na Biblia, como vc tambem reconheceu, é uma doutrina da seita católica que não tem nenhum RESPALDO BIBLICO.”

          Ora, se o nome o purgatório não existe porque esse nome não aparece na bíblia, devemos também concluir que a Santa Trindade é lorota? Pela sua lógica, sim, deveríamos.

          Pergunto, se o sr, protestante como é, acetia a autoridade da Igreja para definir a doutrina da Santa Trindade – uma vez que esse mistério NÃO ESTÁ EXPLICITAMENTE DESCRITO OU REVELADO na bíblia, e portanto, coube à Igreja primitiva interpretá-lo e definí-lo, por que o sr acha que a igreja não tem autoridade para definir outras doutrinas, como a do purgatório? Qual é a sua lógica!?

          Mais adiante, o sr afirma que o conceito de purgatório não está na Bíblia… Ora, com isso mostra que sofre do mal inflingido pelo mutilamento Luterano. Se o sr consultar o livro dos 2 Maccabeus, saberá que lá está uma das passagens mais explícitas sobre o purgatório!

          Se isso não for suficiente, que tal ler os seguintes textos

          Como demonstrar a doutrina do Purgatório ao Irmão Protestante

          O purgatório demonstrado biblicamente

          Purgatório? Onde está isso na Biblia? Saiba onde…

          Os Judeus acreditam no Purgatório?

          Meu blog é citado neste vídeo. Leia tudo com atenção!

          Curtir

          • EDMILSON disse:

            AMIGA HELEN EU NÃO VOU PERDER MEU TEMPO COM O TIAGO ESSE CARA É UMA PIADA

            E OUTRA OS PROTESTANTES VEM COM OS MESMOS TEXTOS DECORADOS

            SE EU DEBATER COM ELE VOU VAI SER O MESMO QUE FURAR CONCRETO COM BORRACHA KKKKKKKKKKKKK

            Curtir

          • Tiago disse:

            sra. Helen

            Suas palavras:”Pergunto, se o sr, protestante como é, acetia a autoridade da Igreja para definir a doutrina da Santa Trindade – uma vez que esse mistério NÃO ESTÁ EXPLICITAMENTE DESCRITO OU REVELADO na bíblia…”

            Respondendo a primeira pergunta, eu sou Cristão Protestante SIM. Antes era católico igual você, mas um dia eu conheci a verdade e ela me libertou da religiosidade, da mesma forma que libertou milhões de católicos que conheceram a verdade da Palavra de Deus e largaram a religião católica quando descobriram que na verdade ela é uma seita. E prova disso está no IBGE: ” Número de evangélicos aumenta 61% em 10 anos, aponta IBGE. Os católicos diminuíram 1,3% entre 2000 e 2010, segundo o Censo” Fonte:http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/06/numero-de-evangelicos-aumenta-61-em-10-anos-aponta-ibge.html

            Quanto a segunda pergunta, a trindade PAI FILHO E ESPIRITO SANTO está sim explicitamente na Biblia. Leia:
            “Ide então, e ensine todas as nações, batizando-os no nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Mateus 28:19).

            A trindade nao é uma doutrina é um FATO Bíblico. E desse fato Biblico a seita católica criou a doutrina da trindade pela qual existiriam o Deus-Pai, Deus-filho e Deus-Espirito Santo. O protestantismo que se baseia tao somente na Bíblia Sagrada, diante de um fato Bíblico, crê na Trindade que sao o Pai, o Filho e Espírito Santo que são UM SÓ, ao passo que na doutrina catolica da “santissima trindade” ,há um Deus na forma de tres pessoas diferentes: Pai, Filho e Espirito Santo o que eu contesto.

            Concordo com o Moreira que disse anteriormente: “A trindade (Unidade de Deus) não tem ligação com nenhum dogma, é fato bíblico:
            Mateus 28:19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;”

            Com relação a sua afirmação: “Mais adiante, o sr afirma que o conceito de purgatório não está na Bíblia…Ora, com isso mostra que sofre do mal inflingido pelo mutilamento Luterano.”

            Ora, nao só eu digo que o conceito de purgatório nao está na Biblia. O proprio Edmilson reconheceu que o “purgatório” é uma criação doutrinaria da sua igreja católica. Veja as palavras dele sobre isso:”PRIMEIRO O NOME PURGATÓRIO NÃO EXISTE NA BÍBLIA POR QUE ESSE NOME FOI A IGREJA CATÓLICA QUE COLOCOU NA SUA DOUTRINA”.

            E eu nao sofro de nenhum “mal Luterano”, pelo contrário, vivo a verdade da Palavra de Deus através da Reforma Protestante que mudou a história do Cristianismo na humanidade.

            Quanto a sua afirmação: “Se o sr consultar o livro dos 2 Maccabeus, saberá que lá está uma das passagens mais explícitas sobre o purgatório!”, tenho a dizer o seguinte:

            os livros de Macabeus não constam na Bíblia Hebraica e são considerados apócrifos pelos judeus e pelas Igrejas protestantes, veja em:
            http://pt.wikipedia.org/wiki/I_Macabeus

            Alem de apócrifos, os livros de macabeus contém algumas heresias, que sao as seguintes:

            1)Orações, Culto e Missa pelos mortos
            2)Contradição com os livros canônicos
            3)O próprio autor não se julga inspirado

            Atenção para este terceito item porque “O autor afirma que foi ele quem procurou resumir os acontecimentos e pede desculpas se o que colocou foi apontado de maneira imperfeita, justificando que não pôde fazer melhor.”
            disponivel em:http://cursoteologico.quadrangularbarueri.com.br/2011/08/30/livros-apocrifos-ii-macabeus/

            Portanto, estre livro de Macabeus é apócrifo porque não foi canonizado pelos Judeus, nao está na presente na Biblia Hebraica e nem na minha Biblia, portanto, nao irei jamais consultar tais livros apócrifos.

            Paz do Senhor Jesus.

            Curtir

            • Helen disse:

              Caro Sr Tiago,

              Em primeiro lugar, muito obrigada por sua resposta.
              Eu gostaria de esclarecer que estava claro desde o princípio que o sr é protestante. Minha pergunta era a respeito de sua denominação. Seria o sr Pentescostal, Batista, Adventista, Quandrangular, etc.. Poderia esclarecer, por favor?

              Antes de prosseguir com o debate, pois ainda não tive a oportunidade de saber qual é sua denominação, o sr poderia também me explicar algo:

              O que é Doutrina? O sr afirma que a Santa Trindade é um fato e não uma doutrina. Mas esta afirmação é a mesma coisa que dizer: a água não é um fluido, mas um líquido! Ora, sr Tiago, por favor, consulte o significado da palavra doutrina. Se o sr demonstra ter um nível tão rudimentar no entendimento de vocábulos tão elementares nesta disciplina, fica até inviável prosseguirmos com o debate.

              Vencido esse entrave, passemos para sua ‘prova’ da doutrina da Santa Trindade:

              “Ide então, e ensine todas as nações, batizando-os no nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Mateus 28:19).

              O sr tem certeza que esta passagem mostra e afirma claramente, explicitamente, sem sombra de dúvida, que as três pessoas mencionadas nela são uma? Onde?

              Antes de prosseguir, esclareço que professo fé e confesso a Santa Trindade. Claro! Mas como católica faço isso porque a Igreja me ensinou essa verdade, não a Bíblia! A bíblia descreveu de muitas formas implícitas esse mistério. Coube à Igreja desvendá-lo e formulá-lo.

              O sr quer uma prova de que esse “FATO”, o qual o sr afirma com tanta convicção estar claríssimo na bíblia foi, na verdade, uma das grandes controvérsias e heresias vencidas pela Igreja Primitiva? Basta pesquisar os livros de história para descubrir quantas seitas “cristãs” durante esses 2 mil anos de fé cristã NEGARAM a Santa Trindade.

              Ora, eu pergunto, se é um “fato” assim tão evidente, como pode ter havido tanta controvérsia? Será que não sabiam ler a bíblia? Pergunta a um Testemunha de Jeová se ele acredita na Santa Trindade e por que não! Ele, que também diz acreditar SÓ NA BÍBLIA vai responder: Porque na Bíblia não diz que Jesus, Deus e o ES são um só! Isso foi doutrina estabelecida pelos católicos!

              Nesse sentido, sr Tiago, os Testemunhas de Jeová são mais consistentes do que os Evangélicos! Porque não aceitam NENHUMA doutrina Católica. Enquanto o sr aceita e NEM SABE!!!

              Agora, mais adiante o sr toca num outro ponto de grande importância e diz: “os livros de Macabeus não constam na Bíblia Hebraica e são considerados apócrifos pelos judeus e pelas Igrejas protestantes”

              Lamento muito sr Tiago, mas o que eu estou prestes a lhe dizer fará desmoronar seu mundinho de cristal:

              O senhor certamente conhece esta passagem que vou citar, provavelmente já usou-a para debater com muitos católicos e “provar” a doutrina da Bíblia somente como norma de fé, conduta e doutrina… Pois bem:

              16. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. 2 Tim 3,16

              Ora, Paulo afirma que TODA escritura é inspirada por Deus. TODA ESCRITURA. Agora, pergunto: Quando Paulo escreveu o referido versículo, por acaso já existia o Novo Testamento? Não, sr Tiago, não existia, porque ainda não havia sido escrito e compelido. Então de qual Escritura Paulo falava? Das escrituras JUDAICAS, o Antigo Testamento vigente na época.

              Aqui vem a ” Primeira bomba”, sr Tiago sabichão: As Sagradas Escrituras Judaicas, ou seja, aquelas do judaísmo bíblico – não do judaísmo rabínico da era moderna – sobre os judeus os quais o sr lê na sua bíblia, tinha sim os textos DEUTEROCANÔNICOS como parte integrante do seu conteúdo!!! Portanto, o protestantismo está aleijado já em sua fundação, pois não possui os SETE livros que Lutero excluiu da Bíblia porque decidiu ir atrás do cânon do judaísmo rabínico, que só aceitava os textos em hebraico, abandonando 1500 anos de história dos cristãos que viveram antes dele!!!! Saiba que a bíblia judaica incluía, sr Tiago, os textos em grego, a Septuaginta! Não acredita? Dá uma pesquisada e descubra em que ano os Judeus resolveram excluir os Deuterocanônicos e por que! Por volta do ano de 70–90, ou seja, meu caro, quase UM Século depois da morte de Cristo, é que os Judeus decidiram excluir os livros apócrifas.

              Faz isso, sr Tiago, e deixa a Verdade o libertar!!!!

              Quando o Paulo pregava pelo mundo, meu amigo, os judeus liam as escrituras em grego e hebraico, que como dito, incluíam os textos deuterocanônicos e portanto, Macabeus, que o sr rejeita. Onde, aliás, está evidenciado o conceito do lugar ou estado de purificação, onde nossas culpas são purgadas para que estejamos sem mácula diante de Deus ao entrarmos no Céu!! No estado de purgação a alma já está salva, mas porque é ainda imperfeita, impura, deve ser limpa, purificada. Já ouviu a parábola do homem que quis entrar no banquete de bodas sem vestir as vestes apropriadas?

              Agora, sr Tiago, se Paulo disse que TODA escritura é INSPIRADA por Deus, ele incluía nesse palavra “TODA” os 7 livros que você e todo protestante rejeita. Então os senhores não têm credibilidade para vir querer tirar o argueiro dos olhos de ninguém. Primeiro precisam tirar a tábua que se encontra nos seus, já que nem aceitar a Palavra de Deus em sua integra aceitam!

              Sendo assim, a sua verdade meu amigo, está mutilada em 7 livros! E ai daquele que tirar um pingo da Palavra de Deus!!!

              Agora a Segunda “bomba”:

              Não só Paulo aceitava a Septuaginta como INSPIRADA, como também o Próprio Jesus Cristo, a Quem o sr diz seguir, citou essas escrituras!!! Não acredita? Aqui vai um par de exemplos: Em Marcos 7:6–7, Jesus cita a septuaginta de Isaias 29:13, Ou em Lucas, 4,18 citando Isaías 61

              Pax Domini,

              Curtir

            • RAFAEL disse:

              Tiago olha meu caro irmão separado saibas que DESDE OS primórdios a Igreja, Assistida Pelo Espírito Santo (cf. Mt 28,20; Jo 14,15.25; 16,12-13), acredita na Purificação das Almas APÓS A Morte, e Chama Este Estado, Nao Lugar, de Purgatório. Ao ensinar sobre ESTA Materia, Diz O Nosso Catecismo: “Aqueles Que morrem na Graça e amizade de Deus, mas imperfeitamente purificados, certos estão da SUA Salvação eterna, todavia sofrem UMA Purificação APOS A Morte, afim de obter uma santidade necessaria parágrafo Entrar na alegria do Céu “(CIC, § 1030). Logo, como Almas fazer Purgatório “estao certas da SUA Salvação eterna”, Isto É lhes Dá grande paz e alegria.

              Falando sobre ISSO, Disse o Papa João Paulo II: “MESMO Que uma alma tenha de sujeitar-se, Naquela Passagem Para O Céu, à Purificação das Ultimas escórias, Mediante o Purgatório, ELA JÁ ESTA Cheia de luz, de Certeza, de alegria , porqué SABE Que Pertence parágrafo Semper AO Seu Deus “(alocução de 03 de julho de 1991;. LR n º 27 de 07/7/91)..

              Meu irmão separado olha o Catecismo da Igreja Ensina Que:
              “A Igreja Chama de purgatório ESTA Purificação último dos eleitos, Purificação ESTA Que é totalmente diversa da punição dos Condenados.

              A Igreja formulou a doutrina da Fé Relativa aoPurgatório principalmente nn Concílios de Florença (1438-1445) e de Trento (1545-1563) “(§ 1031). “Este ensinamento baseia-se also sobre a Prática da Oração pelos defundos de Que JÁ Fala Sagrada Escritura um: ‘Eis porqué Judas Macabeus Mandou oferecer Este Sacrifício expiatório los prol dos Mortos, um Fim de Que fossem purificados de Seu Pecado” (2 Mac 12,46). DESDE OS Primeiros tempos a Igreja honrou à memória dos Defuntos e ofereceu sufrágios los a favor dos mesmos, particularmente o Sacrifício Eucarístico, afim de Que, purificados, possam chegar à Visão beatificação de Deus.

              A Igreja recomenda also como esmolas, como indulgências e como Obras de Penitência em favor dos Defuntos “(§ 1032). Devemos Notar Que o ensinamento sobre o Purgatório TEM raízes JÁ NA crença dos próprios judeus, Cerca de 200 Anos Antes de Cristo, QUANDO ocorreu o Episódio de Judas Macabeus. Narra-se AÍ Que alguns soldados judeus FORAM encontrados Mortos Num campo de Batalha, tendão debaixo de roupas SUAS alguns Objetos consagrados AOS ídolos, o Que era proibido Pela Lei de Moisés. Entao Judas Macabeus Mandou Fazer UMA Coleta parágrafo Que Fosse oferecido los Jerusalém hum Sacrifício pelos Pecados desses soldados. O autor sagrado, inspirado Pelo Espírito Santo, Louva uma Ação de Judas: “Se esperasse Que elementos NAO OS Mortos Que haviam sucumbido iriam ressuscitar, séria supérfluo e tolo Rezar pelos Mortos. Mas, se considerasse Que UMA belíssima Recompensa ESTA Reservada parágrafo OS Que adormeceram piedosamente, entao era santo e Piedoso o Seu MoDo de Pensar. Eis porqué elementos Mandou oferecer ESSE Sacrifício expiatório pelos Que haviam morrido, afim de Que fossem absolvidos DO Seu Pecado “. (2 Mac 12,44 s) Neste Caso, vemos PESSOAS Que morreram na amizade de Deus, mas com a UMA incoerência, Que NAO FOI uma negação da Fé, Ja Que estavam combatendo sem Exército confere do Povo de Deus contra OS Inimigos da fé. Todo Homem FOI CRIADO parágrafo Participar da Felicidade Plena de Deus (cf. CIC, § 1), e gozar de SUA Visão face-a-face. Mas, Como Deus é “Três Vezes Santo”, Como Disse o Papa Paulo VI, e Como VIU o Profeta Isaías (Is 6,8), NAO PODE Entrar los Comunhão Perfeita com QUEM TEM marca Ele ainda resquícios de Pecado nd alma. A Carta Aos Hebreus Diz Que: “sem a santidade ninguem PODE ver a Deus” (Hb 12, 14).Entao, uma Misericórdia de Deus Da-nn uma Oportunidade de Purificação MESMO APOS A Morte. Entenda, entao, Que o Purgatório, Longe de Ser castigo de Deus, E SUA Graça da Misericórdia paterna.
              O SER HUMANO Carrega Consigo UMA Certa Desordem interior, Que Deveria extirpar Nesta Vida; QUANDO NAO mas consegue, IstoÉ lev-o um CAIR NAS Novamente mesmas Faltas. Ao confessar recebemos o Perdão dos Pecados; mas, infelizmente, par uma maioria, um contrição ainda Encontra Resistência los Seu íntimo, de MoDo Que uma Desordem, uma Verdadeira Raíz do Pecado, NAO E Totalmente extirpada. Não. Purgatório ESSA Desordem interior E Totalmente destruída, ea alma Chega à santidade Perfeita, podendo Entrar nd Comunhão Plena com Deus, POIs, Com Amor Intenso uma Ele, rejeita TODO Pecado Com base de n º s ensinamentos de São Paulo, a Igreja entendeu also Realidade fazer um Purgatório. Em 1Cor 3,10, elementos Fala de Pessoas Que construíram sobre o Fundamento Que E Jesus Cristo, utilizando uns, material precioso, Resistente AO fogo (ouro, prata, Pedras Preciosas) e, other, materiais Que Nao resistem AO fogo (palha, madeira). Todos São Fiéis a Cristo, mas uns com fervor Muito zelo e, e other com tibieza e relutância. E Paulo apresenta o Juízo de Deus soluçar a Imagem do Fogo uma PROVAR como Obras de CADA UM. Se uma obra Resistir, o Seu autor “receberá UMA Recompensa”, mas, se NAO Resistir, o Seu autor “sofrerá detrimento”, IstoÉ, Uma pena; Que Nao Sera uma condenação; POIs Texto Diz explicitamente o Que o Trabalhador “se salvará, MAS COMO QUE ATRAVES do Fogo “, Isto É, COM sofrimentos. O fogo Neste Texto TEM SENTIDO metafórico e representação o Juízo de Deus (cf. Sl 78, 5, 88, 47; 96,3). O purgatório NAO E de fogo terreno, Ja Que um. Alma, Sendo Espiritual, NAO PODE POR ESSE Ser atingida fogo No purgatório a alma Vê com clareza Toda uma SUA Vida tíbia na Terra, o Seu Amor insuficiente a Deus, e rejeita ágora Toda uma incoerência um ESSE amor, vencendo ASSIM como Paixões Que Neste Mundo se opuseram à Vontade Santa de Deus. Neste Estado, a alma se arrepende ATÉ o extremo de SUAS negligências Durante ESTA Vida; EO Amor a Deus extingue Nela OS afetos desregrados, de MoDo Que ELA se purifica. DESTA forma, a alma sofre POR ter Sido negligente, e atrasar POR ASSIM, POR culpa própria, o Seu Encontro com Deus definitivo. E hum Sofrimento nobre e espontâneo, inspirado Pelo amor de Deus e horror AO Pecado.
              Pensamentos Consoladores sobre o Purgatório
              O grande doutor da Igreja, São Francisco de vendas (1567-1655), TEM UM ensinamento Maravilhoso sobre o purgatório. Elementos ensinava, JA NA idade media, Que “E Preciso tirar Mais Consolação fazer Que Temor DO Pensamento DO Purgatório”. Eis o Que elementos nn Diz:
              1 – Como Almas alí Vivem UMA Contínua União com Deus.
              2 – estao perfeitamente conformadas com a Vontade de Deus. Só querem o Que Deus Quer. Se lhes fossa Aberto o Paraíso, prefeririam precipitar-se no inferno a apresentar-se manchadas Diante de Deus.
              3-Purificam-se voluntariamente, amorosamente, porqué o ASSIM Quer Deus.
              4 – Querem permanecer nd forma Que agradar a Deus e POR TODO O Que ritmo para da Vontade Dele.
              5 – São invencíveis nd Prova e NAO PODEM ter hum Movimento Sequer de impaciência, NEM cometer QUALQUÉR imperfeição.
              6 – Mais uma Amam Deus DO Que a si proprias, simples Com Amor puro e desinteressado,.
              7 – São consoladas pelos anjos.
              8 – estao certas da SUA Salvação, com UMA Esperança inigualável.
              9 – Como SUAS amarguras São aliviadas POR UMA paz profunda.
              10 – Sé e infernal a dor Que sofrem, um Caridade derrama-lhes no Coração inefável ternura, um Caridade Que E Mais Forte do Que a Morte e Mais Poderosa Que inferno o.
              11 – O Purgatório E hum feliz Estado,

              CONVIDO VOCÊ TIAGO A ESTUDAR A PATRÍSTICA E QUE VOCÊ SAIA DA SUA INGNORÂNCIA

              Curtir

            • RAFAEL disse:

              Tiago veja essa pagina será totalmente dedicado às adulterações Bíblicas que vocês das seitas protestantes fizeram ao longo do tempo.

              Olha Tiago se você quiser lê todos os dias eu posso colocar aqui uma Adulteração Satânica que voês protestantes fizeram nas inúmeras traduções do (falso padre João Ferreira de Almeida),

              Alias o falsário fez uma tradução apenas enquanto estava vivo e centenas depois de morto.

              1ª) Adulteração Satânica.

              (I Corintos 15-6)

              epeita ôphthê epanô pentakosiois (adelphois) ephapax ex ôn oi a=pleiones tsb=pleious menousin eôs arti tines de tsb=kai ekoimêthêsan

              Tradução Correta.

              6. Depois apareceu a mais de quinhentos (irmãos) de uma vez, dos quais a maior parte ainda vive e alguns já são mortos;

              Podemos observar nesse versículo que São Paulo usa o termo (Irmão) para os discípulos de Jesus Cristo que segundo ele eram mais de 500 pessoas, esse versículo demonstra claramente que a palavra Irmão mesmo no (Grego Koine) não se referia apenas para Irmãos biológicos, porém nossos amigos hereges trocaram a palavra original que é (adelphois) que significa irmãos para (seguidores) e assim camuflar a verdade.

              Essa é a Tradução Satânica da João Ferreira de Almeida (Falso Padre).

              Depois apareceu, de uma só vez, a mais de quinhentos (seguidores), dos quais a maior parte ainda vive, mas alguns já morreram.

              2ª) Adulteração Satânica.

              (I Corintos 9-5)

              mê ouk echomen exousian (adelphên gunaika) periagein ôs kai oi loipoi apostoloi kai oi adelphoi tou kuriou kai kêphas

              Tradução Correta.

              5. Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma (mulher irmã), a exemplo dos outros apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas?

              Podermos observar nesse versículo que São Paulo estava fazendo uma referencias as (Mulheres Irmãs) que hoje chamamos de (freiras) e sua missão junto do ministério Apostólico, nesse caso ele diz que essas (Mulheres Irmãs) acompanhavam os Apóstolos e Discípulos (era o caso de Maria Madalena, Maria de Cleofas, Salomé, Joana entre outra), porém nossos amigos hereges trocaram a palavra (Adelphen gunaika) que significa (Mulher Irmã) para (Esposa Crente) insinuando que os Apóstolos não eram Celibatários.

              Essa é a Tradução Satânica da João Ferreira de Almeida (Falso Padre).

              Não temos nós direito de levar conosco uma (esposa crente), como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?

              3ª) Adulteração Satânica.

              (Lucas 1-36)

              kai idou elisabet ê a=(suggenis tsb=suggenês) sou kai autê a=suneilêphen tsb=suneilêphuia uion en ab=gêrei ts=gêra autês kai outos mên ektos estin autê tê kaloumenê steira

              Tradução Correta.

              36. Também Isabel, (tua parenta), até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril.

              Podemos observar nesse versículo que São Lucas mesmo escrevendo em Grego e sendo o Grego sua língua materna, usa o termo (Parenta) entre Isabel e Virgem Maria, pois ele mesmo não conhecia o verdadeiro gral de parentesco entre elas, apenas pela tradição oral da Igreja Católica conseguimos a informação de que Isabel na verdade era prima de Virgem Maria.

              Porém isso não é uma informação bíblica, pois a palavra usada por São Lucas é (suggenis) seu significado é (Parente) já os nossos amigos hereges trocaram a palavra (Parenta) por (Primo) insinuando que o termo primo era usado constantemente pelos Apóstolos e Pelos discípulos, sendo assim eles querem negar o uso da palavra Irmão para (Primos, Tios e Discípulos).

              Essa é a Tradução Satânica da João Ferreira de Almeida (Falso Padre).

              E eis que também Isabel, (tua prima), concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril;

              4ª) Adulteração Satânica.

              (Lucas 1-28)

              kai eiselthôn tsb=o tsb=aggelos pros autên eipen chaire (kecharitômenê) o kurios meta sou tsb=eulogêmenê tsb=su tsb=en tsb=gunaixin

              Tradução Correta.

              28. Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, (cheia de graça), o Senhor é contigo.

              Podemos observar nesse versículo a saudação do Anjo a Virgem Maria, no qual ele usa o termo (Cheia de Graça) traduzido maravilhosamente por São Jerônimo como (Gracia Plena) demonstrando toda a pureza de Virgem Maria, para uma pessoa Cheia de Graça não há mais nada em seu ser do que Graça, ou seja, o pecado não habita na Graça.

              Porém Tiago saibas que vocês os nossos amigos hereges tentaram diminuir a plenitude da Graça de Maria adulterando o termo (Cheia de Graça) para (Agraciada) ou (Favorecia) isso não passa de uma astúcia da serpente contra a Mulher.

              Essa é a Tradução Satânica da João Ferreira de Almeida (Falso Padre).

              E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, (muito favorecida)! O Senhor é contigo.

              E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, (agraciada); o Senhor é contigo.

              Curtir

            • RAFAEL disse:

              Tiago eu ti peço herege quenão ultrapasse o que está escrito.
              Por causa dessa heresia das seitas protestantes Tiago,
              tem no meio de vocês igrejas de todos os naipes protestantismo hoje tiago é sinônimo de bel prazer teorias da prosperidade neoliberalismo e racionalismo

              Veja suas contradições Tiago

              Se apliquei tudo isso a mim e a Apolo foi por vossa causa, para que, por meio de nós, aprendais a não ultrapassar o que está escrito e para que vos não ensoberbeçais tomando partido a favor de um e com prejuízo de outrem.” (I Coríntios capítulo 4)

              Tiago esse é o versículo Bíblico mais usado por hereges protestantes para tentar defender a heresia da sola scripture, pois nele São Paulo diz para não ultrapassar o que está escrito, mas será que São Paulo estava defendendo mesmo a sola scripture nesse texto?

              Olha Tiago eu vou mostrar pra você e para todos aqui leitores do site que além de São Paulo não estar defendendo nada de sola scripture, nem das escrituras ele estava falando! Para entender isso dever-se ler toda a carta de I Corintos. Vejam meus irmãos que São Paulo escreve essa carta por um motivo de divisão dentro da comunidade onde se criou o boato de que São Paulo, São Pedro e Apolo haviam entrado em contenda e assim haviam gerado uma divisão no Cristianismo.

              “11. Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós. 12. Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: Eu sou discípulo de Paulo; eu, de Apolo; eu, de Cefas; eu, de Cristo.” (I Coríntios capítulo 1)

              Agora Tiago perceba que São Paulo já começa a carta dando uma bronca na comunidade por ter criado e acreditado nesses boatos.

              Agora nesses versículos São Paulo começa a esclarecer que entre ele e Apolo não existe nenhum tipo de divisão e que todos são de Cristo.

              “4. Quando, entre vós, um diz: Eu sou de Paulo, e outro: Eu, de Apolo, não é isto modo de pensar totalmente humano? 5. Pois que é Apolo? E que é Paulo? Simples servos, por cujo intermédio abraçastes a fé, e isto conforme a medida que o Senhor repartiu a cada um deles: 6. eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer. 7. Assim, nem o que planta é alguma coisa nem o que rega, mas só Deus, que faz crescer.” (I Coríntios capítulo 3)

              Assim São Paulo esclarecer que esse boato (fofoca) de que ele e Apolo estariam divididos um dia seria totalmente colocado as claras o que estava escondido.

              “5. Por isso, não julgueis antes do tempo; esperai que venha o Senhor. Ele porá às claras o que se acha escondido nas trevas. Ele manifestará as intenções dos corações. Então cada um receberá de Deus o louvor que merece.” (I Coríntios capítulo 4)

              Depois São Paulo esclarece que nada existe entre ele e Apolo, Então vem o famoso versículo usado pelos protestantes, infelizmente além deles usarem esse versículo isoladamente são obrigados a corta-lo pela metade deixando só a parte onde são Paulo diz “não ultrapasseis o que está escrito”.

              Mas o que acontece é que São Paulo não estava falando de escrituras ou doutrinas religiosas, ele estava se referindo ao boato que inventaram sobre ele e Apolo dizendo que os dois haviam brigado e se dividido.

              “6. Se apliquei tudo isso a mim e a Apolo foi por vossa causa, para que, por meio de nós, aprendais a não ultrapassar o que está escrito e para que vos não ensoberbeçais tomando partido a favor de um e com prejuízo de outrem.” (I Coríntios capítulo 4)

              O que São Paulo escreve nesse versículo era justamente para que a comunidade de Corintos não ultrapassasse o que estava escrito sobre ele e Apolo, ou seja, para não acreditarem nos boatos que inventaram de que os dois haviam se divididos. E assim não ficar um grupo a favor de São Paulo e outro a favor de Apolo.

              Só isso e mais nada.

              Por isso eu ti digo Tiago que infelizmente alguns pastores safados, sem vergonha, mau caráter, filhos do demônio e esquizofrênicos usam metade de um versículo isoladamente para tentar defender essa doutrina maligna da sola scripiture.

              E mais Tiago tem trouxa que cai nessa.

              Observe:

              “6 Se apliquei tudo isso a mim e a Apolo foi por vossa causa, para que, por meio de nós, aprendais a não ultrapassar o que está escrito” (I Coríntios capítulo 4)

              1º Ai não fala nada das Escrituras

              2º Paulo não está exortando ninguém a ler a Bíblia

              3º Paulo está falando para eles não crêem em nada que não estivesse escrito sobre ele, Apolo e Pedro na carta que ele já tinha previamente Escrito.

              “6. Se apliquei tudo isso a mim e a Apolo foi por vossa causa, para que, por meio de nós, aprendais a não ultrapassar o que está escrito, para que vos não ensoberbeçais tomando partido a favor de um e com prejuízo de outrem.” (I Coríntios capítulo 4)

              E o que é que estava escrito a respeito de Paulo e de Apolo?

              Justamente o conteúdo de uma carta que ele tinha mandados aos Coríntios previamente:

              Observe:

              “Na minha carta vos escrevi que não tivésseis familiaridade com os impudicos. Porém, não me referia de um modo absoluto a todos os impudicos deste mundo, os avarentos, os ladrões ou os idólatras, pois neste caso deveríeis sair deste mundo.” (1 Cor 5, 9-10)

              Tiago agora eu ti pergunto? Onde está esta carta?

              E o conteúdo dela?

              Por que ela não foi considerada um livro inspirado?

              Saibas Tiago que ela é uma carta chamada de “pré canônica” que não foi conservada e logo após depois de Paulo ter recebido a noticia na casa de Cloé (1 Cor 1, 11) resolveu escrever esta outra carta que para nós é 1ª Coríntios.

              São João Crisostomo: “Mas qual é o significado de não ser sábio acima do que está escrito?”

              Veja que há uma variação nas palavras de São João Crisostomo em relação a está passagem que também é uma tradução válida “não ser sábio além do que está escrito” por causa de variações nos manuscritos (Koiné e Bizantino) que contém uma palavra φρονεῖν (phronein ) que ao pé da letra é traduzida como “saber”, “pensar”, “ter uma opinião” e está no particípio passado.

              Se formos traduzir ao pé da letra seria “não ter uma opnião além do que está escrito”.

              Além do que, está palavra ULTRAPASSAR que está presente na João Almeida não está presente no Grego!

              Vejamos a tradução correta se assim formos levar em conta tudo o que vimos aqui:

              “Ταῦτα δέ, ἀδελφοί, μετεσχημάτισα εἰς ἐμαυτὸν καὶ Ἀπολλὼ δι᾽ ὑμᾶς, ἵνα ἐν ἡμῖν μάθητε τὸ μὴ ὑπὲρ ὃ γέγραπται φρονεῖν, ἵνα μὴ εἷς ὑπὲρ τοῦ ἑνὸς φυσιοῦσθε κατὰ τοῦ ἑτέρου.”

              “para que, sobre nós (ou em nós), não tenham uma opnião além do que está escrito, para que vos não ensoberbeçais tomando partido a favor de um e com prejuízo de outrem. ” (1 Cor 4, 6)

              Não falar nada de Paulo e de Apolo além do que eles mesmos souberam por uma carta previamente escrita (por Paulo) é uma coisa, e insentivar a Sola Scriptura é outra totalmente diferente.

              Acorde Tiago esta interpretação protestante está a léguas de distancia da exegese correta da passagem.

              O entendimento correto da passagem vendo direto do grego é este ai…

              Check Mate!

              Curtir

            • JAIME disse:

              Veja suas contradições Tiago sobre os Protestantes e os Livros Deuterocanônicos

              Convém fazer algumas distinções primeiras quanto aos nomes

              1) Cânon, do Grego Kanón = Regra, medida e catalogado

              2) Canônico = Livro catalogado – o que significa que também é inspirado por Deus

              3) Protacanônico = Livro catalogado próton, isto é, em primeiro lugar ou sempre catalogado

              4) Deuterocanônico = Livro catalogado, deuteron ou em segunda instância, posteriormente (após sido Controvertido)

              5) Apócrifo = Do grego apókryphon = Livro oculto, isto é, não lido nas Assembléias públicas de culto. Reservado a leitura particular.

              Os livros Deuterocanônicos (Judite, Tobias, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, 1 Macabeus e 2Macabeus, os capítulos 13 e 14 e os versículos 24 a 90 do capítulo 3 de Daniel, os capítulos 11 a 16 de Éster, estão na Tradição chamada Septuaginta, que foi traduzida do Hebraico por setenta sábios em setenta dias, cada um trabalhando isoladamente e chegando todos ao mesmo texto.

              No ano 100 d.C, aproximadamente, os sábios Fariseus se reuniram em Yavné (Jâmnia) na Galiléia, e começaram a trabalhar em uma re-centralização da religião, que era antes centrada no templo.

              Os Fariseus procuraram estabelecer regras mais rígidas de vida, ampliando ainda mais a “cerca em torno da lei”. Nesse período, é bom lembrar que, Saduceus e Essênios já tinham desaparecidos ou assimilados a outras crenças, sobrando os Fariseus.

              Entre as decisões tomadas pelos Fariseus, que não aceitaram a Cristo, fixaram um Cânon Bíblico que propositadamente impediria o Novo Testamento como palavra de Deus. Evidentemente esses critérios não eram seguidos pelos Cristãos, que não tinham mais nada a ver com os Fariseus que não aceitaram a Jesus Cristo.

              Os Critérios dos Fariseus eram os Seguintes:
              1) O Cânon deveria estar disponível em Hebraico, não em Aramaico ou Grego

              2) Não poderia ser escrito fora da terra de Israel

              3) Não depois de Esdras (458 – 428 a.C)
              Comentário:

              1) Se a palavra de Deus fosse para ser escrita somente no Hebraico, isso já colocaria de fora todo o Novo Testamento.

              2) Acontece, porém, que em Alexandria, no Egito, havia Judeus, que traduziram os livros Sagrados, do Hebraico para o Grego entre 250 e 100 a.C

              3) Ao escrever o Novo Testamento, os Apóstolos e Evangelistas usaram a tradução Grega feita entre 250 e 100 a.C, pelos próprios Judeus de Alexandria.

              Quando a tradução foi feita por São. Jerônimo, ela continha a íntegra dos textos confiados por Deus à sua Igreja, incluindo no AT, os sete livros que Lutero depois arrancou.

              Todas as Bíblias desde então continham estes livros; uma prova disso é a Bíblia de Gutemberg e outras Bíblias mais antigas. Lutero, porém, ao fazer a sua revolta,resolveu traduzir a Bíblia para o Alemão. Ora, ao contrário de S. Jerônimo , que usou manuscritos muitos antigos, Lutero tinha à sua disposição apenas manuscritos recentes dos Judeus de Jâmnia ou Yavné, que evidentemente não continham os livros que os Fariseus arrancaram do Cânon Bíblico muito depois de Cristo.

              Basta ver qualquer Edição ou exemplar manuscrito da Bíblia antes de Lutero a importância da Tradição e do Magistério, a verdadeira doutrina sobre a Graça, enfim, vários pontos da Doutrina ensinada por Cristo e pelos Apóstolos que estavam sendo negados pelos Protestantes.

              Não é razoável a interpretação Protestante, visto que esta acaba dizendo que a Bíblia se prova pela Bíblia. Ora, isso é uma temeridade. A Bíblia se prova pela Igreja que a compôs !

              A Igreja Católica adotou o cânon Grego.

              Os Protestantes adotaram o cânon dos Fariseus.

              ________________________________________________

              OBSERVAÇÃO DO BLOG

              Obrigada pela excelente contribuição, irmão Jaime. Gostaria apenas de acrescentar à sua frase “Os livros Deuterocanônicos … estão na Tradição chamada Septuaginta, que foi traduzida do Hebraico por setenta sábios em setenta dias, cada um trabalhando isoladamente e chegando todos ao mesmo texto.” a seguinte informação:

              A tradução chamada Septuaginta, como bem lembrado pelo Jaime, foi uma necessidade dos Judeus e não uma decisão supérflua. De fato, foi feita do Hebraico para o Grego em apenas 70 dias por 70 fariseus distintos, porque o idioma grego era, na verdade, a língua franca do mundo naquela época. Assim, os judeus helenísticos, entre outros, utilizavam correntemente esse idioma. Como vemos no NT até o Apóstolo Paulo era fluente no idioma grego. Assim, os Fariseus decidiram traduzir as escrituras hebraicas para o Grego. Novamente, como já disse o Jaime, os primeiros judeus convertidos à Cristo, principalmente aqueles a viver fora da Terra Santa continuaram a usar as Escrituras em Grego, pois sempre guardaram-nas como Sagradas e inspiradas por Deus.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Meu caro irmão Tiago você comete um erro grave ao dizer que o livro dos Macabeus não é inspirado?

              Olha segundo os Fariseus de Jamnia décadas depois de Cristo ou segundo a sociedade Bíblica internacional no século XIX?

              É Tiago vejo que você não estuda história e patrística primitiva saibas você Que os Judeus possuíam uma festa chamada “festa da dedicação” em seu calendário religioso, festa essa instituída por Judas Macabeus (I Macabeus 4-59) e que não estava de acordo com as Sagradas Escrituras, lembrando que Jesus Cristo participava dessa festa em (João 10-22,23).

              Tiago São essas coisas que não entendo no protestantismo, alias Tiago a única coisa não inspirada foram às adulterações Bíblicas que vocês fizeram ao longo do tempo.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Os Livros dos Macabeus
              Olha Tiago o nome dos Livros surgiu do apelido de“Macabeus”
              (martelo) dado a
              Judas, filho mais
              famoso de Matatias.
              O texto foi escrito em Hebraico no início do 1º século a.C.

              Os livros descrevem as lutas de Matatias e seus filhos(5)
              contra os reis da Síria e os judeus que se aliaram aos reis.
              O objetivo da luta era a libertação religiosa e política,
              buscando conservar a identidade religiosa e cultural do
              povo judaico.

              A guerra dos Macabeus contra o domínio dos seleucidas levou à
              independência do país, com uma série de reis da família dos
              Macabeus, chamados asmoneus. Esse período, no entanto, durou
              pouco. Em 63 a.C., as tropas romanas do general Pompeu impõem
              um novo domínio sobre Israel.
              Começa a era do
              Império Romano.,
              implacável, terrível,
              que vem para ficar. Foi
              o maior exército da
              terra, na época. Além
              de muito grande era
              bem organizado e
              tinha uma disciplina
              rígida e forte.
              O primeiro livro descreve os acontecimentos que se dão no
              período que vai de 175 a 134 a.C.

              Mostra como o rei sírio
              Antíoco Epífanes quis
              introduzir os costumes e
              a cultura grega na
              Judéia. E fazia isso com
              violência.
              Matatias chefiava a
              resistência e a revolta,
              continuadas depois, por
              Judas Macabeu, Jônatas
              e finalmente Simão.
              O autor identifica religião e patriotismo e descreve a luta como
              uma verdadeira “guerra santa” abençoada pelo próprio Deus,
              que não abandona os que lutam por serem fieis a Ele.

              Agora o Tiago o 2º Livro dos
              Macabeus não é
              continuação do
              primeiro, mas, uma
              narrativa paralela.
              Ele é o resumo de uma
              obra de 5 volumes,
              escrita por Jasão de
              Cirene(2,19-32).
              Nela o autor não identifica a religião com o patriotismo,
              mas escreve mais dentro de um conteúdo ético.
              Ele relê os fatos, para mostrar que a luta em defesa do
              povo tem a base na FÉ, que confia plenamente no auxílio
              de Deus. O interessante é que seu elogio não é para
              os defensores armados, mas para os mártires.
              O autor do 1º livro tinha uma visão mais política e o autor do 2º
              tem um enfoque mais religioso, embora os dois não se separem.
              Para o 2º autor, a história é um pano de fundo para apresentação
              dos costumes e das crenças religiosas do judaísmo desse período.
              Fala da importância
              do Templo, das
              festas, da oração, da
              providência divina,
              da misericórdia com
              o pecador, da crença
              em outra vida após a
              morte e da
              ressurreição dos
              corpos.
              OLHA TIAGO
              É neste livro que a
              Igreja se baseia para
              dar sentido às orações
              pelos mortos. (7,9-29;
              12,39-45).
              É clara no livro a
              crença na imortalidade
              da alma.
              A resistência contra o opressor deve ser a fé e ação, mística e
              prática. Para o autor é
              “lutar com as mãos e rezar com o coração”.
              O autor faz a releitura por dentro do movimento
              revolucionário, cuja eficácia está na força de Deus presente
              na ação do povo.
              Nesta visão de fé, nem mesmo a morte se apresenta como
              derrota. Pelo contrário, o testemunho dos mártires mostra
              que não há limites para a luta.
              Deus gera a vida e os opressores
              produzem a morte.

              Curtir

            • LEANDRO disse:

              Tiago vocês protestantes perderam valores e virtudes O PROTESTANTISMO NA EUROPA SE RUIU

              Tiago as seitas protestantes! não tem credibilidade
              no Brasil o IBGE diz que tem 22 por cento eu discordo acho que existe menos

              mais, entre 22 por cento de protestantes Tiago

              tem seitas de homossexuais tem seitas dos mórmons

              tem seitas, do Edir Macedo

              tem seitas das testemunhas de Jeová

              tem seitas da igreja da maconha

              Tiago e não adianta correr ou se justificar
              pois essas seitas, nasceram por causa de homens como você

              que prega a sola scriptura o conhecido livre exame bíblico.

              Tiago a seita protestante é um poço sem fundo de mentiras adulterações
              sou doutor em patrística e dou aulas de professor de história primitiva

              se você quiser conhecer a verdadeira história Tiago me procure

              Curtir

        • EDMILSON disse:

          TIAGO JÁ VI QUE VOCÊ É OUTRO PIADISTA DECORADOR DE TEXTO
          KKKKKKKKKKKKK

          VOCÊ NÃO SABE COMO ME DIVIRTO COM VOCÊS DAS SEITAS SATÂNICAS PROTESTANTES

          POIS TODOS OS DIAS APARECEM DOUTORES E TEÓLOGOS DE TODOS OS NAIPES

          OLHA TIAGO VEJA OS ARTIGOS SOBRE O PURGATÓRIO AQUI NO BLOG

          TEM UM PIADISTA QUE VEIO COM OS MESMO TEXTOS DECORADOS COMO ESSES SEUS E JÁ FORAM REFUTADOS

          E OUTRA TIAGO, SEITA É A PROTESTANTE QUE NEM 500 ANOS TEM
          ACORDA PRA VIDA, TIAGO

          Curtir

          • Tiago disse:

            Leandro

            Os dados sao do IBGE e pouco importa o que voce pensa a respeito porque querendo voce ou nao, houve um crescimento enorme de evangélicos no Brasil. E esses numeros sao de 2010, atualmente esses numeros estão ainda maiores.

            E uma pesquisa americana revelou que no Brasil 60% dos evangélicos vieram do catolicismo e eu sou um deles. E conclui que em 20 anos o catolicismo deixará de ser a maioria neste país.

            Quanto a sua afirmação: “tem seitas de homossexuais tem seitas dos mórmons

            tem seitas, do Edir Macedo tem seitas das testemunhas de Jeová

            tem seitas da igreja da maconha”

            Ignorando a sua ironia quando a “igreja da maconha” que nao existe, as seitas de homosexuais não pode ser considerado evangélico porque a doutrina é antibiblia. As testemunhas de jeová tbm nao sao considerados evangélicos porque eles próprios assim nao se intitulam.

            Agora com relação as varias doutrinas que voce citou que estariam dentre do protestantismo tenho a dizer que voce infelizmente nao conhece a infinidade de Igrejas Catolicas com outras denominações. Segundo o censo veja pra voce aprender um pouco sobre as igrejas catolicas que existem com tantos disparates de denominações:

            Rito latino: Igreja Católica de Rito Latino

            Ritos orientais: Igreja Católica Bizantina Albanesa
            Igreja Católica Ítalo-Albanesa
            Igreja Católica Bizantina Bielorrussa
            Igreja Católica Búlgara
            Igreja Católica Bizantina Eslovaca
            Igreja Católica Bizantina Georgiana
            Igreja Católica Bizantina Grega
            Igreja Católica Bizantina Húngara
            Igreja Greco-Católica Melquita
            Igreja Greco-Católica Romena unida com Roma
            Igreja Católica Bizantina Russa
            Igreja Católica Bizantina Rutena
            Igreja Católica Bizantina Sérvia
            Igreja Greco-Católica Ucraniana
            Igreja Maronita
            Igreja Católica Siro-Malancar
            Igreja Católica Síria
            Igreja Caldeia
            Igreja Católica Siro-Malabar
            Igreja Católica Arménia
            Igreja Católica Copta
            Igreja Católica Etíope

            Catolicismo Independente (Igrejas Latinas que não aceitam o primado do bispo de Roma): Antiga Igreja Católica
            Igreja Católica Apostólica Brasileira
            Igreja Episcopal Latina do Brasil
            Igreja Católica Liberal
            Igreja Anglicana do Brasil

            Sem falar das denominações da Igreja Católica Ortodoxa:

            Igreja Ortodoxa
            Igrejas não-Calcedonianas:
            Igreja Apostólica Armênia
            Igreja Ortodoxa Copta
            Igreja Ortodoxa Síria
            Igreja Ortodoxa Tewahido da Etiópia
            Igreja Ortodoxa Tewahido da Eritreia
            Igreja Ortodoxa Indiana

            fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_denomina%C3%A7%C3%B5es_crist%C3%A3s

            Portanto, meu caro nao me venha falar de denominações diversificadas no protestantismo porque voces católicos nao tem autoridade para isso. Há que se destacar a RCC (Renovação Carismática Catolica) que copiou descaradamente a doutrina Pentecostal em especial o dom de linguas.
            Essa nova denominação nasceu com o objetivo da Igreja Católica evitar a evasão de católicos tentatica esta que fracassou.

            Curtir

            • Helen disse:

              Tiago,

              Não confunda tipo de Ritos com denominação.
              Lembre-se também da resposta que eu postei aqui sobre a católica ortodoxa, as quais o sr havia atribuído a discordância sobre a doutrina do purgatório como razão para a sua ruptura com Roma. lembre-se tb que as igrejas católicas do oriente confessam comunhão com Roma, assim, preservam o nome da sua REGIÃO mas não deixam de ser CATÓLICAS.

              Curtir

            • Tiago disse:

              Helen

              Ta mais do que claro que todas as igrejas católicas que eu citei sao de denominações diferentes da Igreja Romana e se os ritos mudam OBVIAMENTE a doutrina ritualística também muda.

              Além do mais, eu citei o CATOLICISMO INDEPENDENTE (IGREJAS LATINAS QUE NAO ACEITAM O PRIMADO DO BISPO DE ROMA):
              Antiga Igreja Católica
              Igreja Católica Apostólica Brasileira
              Igreja Episcopal Latina do Brasil
              Igreja Católica Liberal
              Igreja Anglicana do Brasil

              Ou seja a raiz da doutrina delas é completamente diferente da Igreja Romana uma vez que elas nao aceitam o primado do Papa.

              Mais do que obvio portanto, que se trata de demoninações diferentes.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              TIAGO AS IGREJAS DE HOMOSSEXUAIS SÃO SIM IGREJAS PROTESTANTES
              A IGREJA DA MACONHA É PROTESTANTE A IGREJA DE MULHERES BI TAMBÉM SÃO IGREJAS PROTESTANTES POIS TODAS ELAS NASCERAM POR EXISTIR DOENTES CONTRADITÓRIOS E FALASTRÕES COMO VOCÊ QUE LÊ A BÍBLIA E DECORA 50 MIL VERSÍCULOS ISSO É FRUTO DA HERESIA PROTESTANTE! TIAGO NÃO FALE DE DOUTRINA SEU VAGABUNDO MENTIROSO SAIBAS QUE O SEU LUGAR É NUM HOSPÍCIO

              TIAGO AS SEITAS PROTESTANTES ESTÃO CAINDO E PERDENDO CREDIBILIDADE NO BRASIL POIS NOS ESTADOS UNIDOS ESTÁ ACABANDO E NA EUROPA JÁ SE FOI

              NÃO CONVERSE ASNEIRAS PIADISTA

              Curtir

        • EDMILSON disse:

          TIAGO, DÊ UMA CONFERIDA NESSE ESTUDO SOBRE O PURGATÓRIO MAIS LEIA COM CALMA E CARINHO E SEM PRESSA. VAMOS LÁ TIAGO!

          O Purgatório nas Sagradas Escrituras

          “Todo o que tiver falado contra o Filho do homem será perdoado. Se, porém, falar contra o Espírito Santo, não alcançará perdão nem neste mundo, nem no mundo vindouro.” (Mt 12,32).

          O pecado contra o Espírito Santo, ou seja a pessoa que recusa de todas as maneiras os caminhos da salvação, não será perdoado nem neste mundo, nem no mundo futuro. Acena o Senhor Jesus neste trecho implicitamente, que há pecados que serão perdoados no mundo futuro, i.é, após a morte. Ver também Mc 3,29.

          “Mas, se o tal administrador imaginar consigo: ‘Meu senhor tardará a vir’. E começar a espancar os servos e as servas, a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele servo virá no dia em que não o esperar (…) e o mandará ao destino dos infiéis. O servo que, apesar de conhecer a vontade de seu senhor, nada preparou e lhe desobedeceu será açoitado com numerosos golpes. Mas aquele que, ignorando a vontade de seu senhor, fizer coisas repreensíveis será açoitado com poucos golpes. Porque, a quem muito se deu, muito se exigirá. Quanto mais se confiar a alguém, mais se há de exigir.” (Lc 12,45-48). Nesta parábola, o administrador é o ministro da Igreja (quatro versículos acima Pedro pergunta ao mestre: “Senhor é para nós que estás contando esta parábola?”, ao que Jesus responde: “Qual é então Pedro, o administrador fiel que o Senhor constituirá sobre todo o seu pessoal?”). Pois bem, o ministro de Deus que for infiel, receberá a visita do seu Senhor “no dia em que não o esperar” (dia de sua morte). E o Senhor o “mandará ao destino dos infiéis” (Inferno). Porém a parábola acena que haverá outros tipos de administradores, e outros tipos de destino. Aquele que conhece a vontade de Deus mas não se preparou como convinha para a sua volta, será açoitado “com numerosos golpes”. Aquele que ignora a vontade de seu Senhor e fizer coisas repreensíveis, será açoitado com “poucos golpes”. Portanto após a morte dos administradores da casa de Deus, uns serão condenados ao inferno, outros serão punidos, uns mais, outros menos, conforme o merecimento de cada um, mas não compartilharão o “destino dos infiéis”. Após a morte, portanto, haverá de haver algum lugar ou “estado” onde os administradores pouco fiéis haverão de ser purificados.

          “Ora, quando fores com o teu adversário ao magistrado, faze o possível para entrar em acordo com ele pelo caminho, a fim de que ele não te arraste ao juiz, e o juiz te entregue ao executor, e o executor te ponha na prisão. Digo-te: não sairás dali, até pagares o último centavo.” (Lc 12,58-59). Nesta parábola, o Senhor Jesus ensina que, enquanto estivermos nesta vida, devemos ter sempre uma atitude de reconciliação com os nossos irmãos de caminhada. Devemos sempre entrar “em acordo” com o próximo, pois caso contrário, ao fim da vida seremos entregues ao juiz (Deus), que por sua vez nos entregará ao executor (seu anjo) e este nos colocará na prisão (purgatório); dali não sairemos até termos pago à justiça divina toda nossa dívida, “até o último centavo”. Mas um dia haveremos de sair. A condenação neste caso não é eterna. Ver também Mt 5,21-26 e 18,23-35.

          “Eu porém vos digo: todo aquele que se encolerizar contra o seu irmão terá de responder no tribunal. Aquele que chamar a seu irmão: ‘cretino’, estará sujeito ao julgamento do Sinédrio. Aquele que lhe chamar: ‘louco’, terá de responder na geena de fogo (…) Assume logo uma atitude reconciliadora com o teu adversário, enquanto estás a caminho, para não acontecer que o adversário te entregue ao juiz e o juiz ao oficial de justiça e, assim, sejas lançado na prisão. Em verdade te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo” (Mt 5,22.25-26). Jesus nos ensina que a ira contra nossos irmãos e as ofensas que a eles fizermos, merecem toda a reprovação por parte do Pai celeste. Ao chamarmos nosso irmão de “louco” teremos de responder na geena de fogo. O fogo sempre foi, em todos os tempos, e também na Bíblia um símbolo de purificação. Evidente que ninguém é condenado ao inferno para todo o sempre, somente porque chamou o seu próximo de “louco” (senão todos estaríamos condenados). A chave deste ensinamento se encontra na conclusão deste discurso de Jesus: serás lançado na prisão (nesta “geena de fogo”), e dali não se sai “enquanto não pagar o último centavo”.

          “Quanto ao fundamento, ninguém, pode pôr outro diverso daquele que já foi posto: Jesus Cristo. Agora, se alguém edifica sobre este fundamento, com ouro, ou com prata, ou com pedras preciosas, com madeira, ou com feno, ou com palha, a obra de cada um aparecerá. O dia (do julgamento) demonstra-lo-á. Será descoberto pelo fogo; o fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa. Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo” (1Cor 3,10-15). Paulo fala dos pregadores do Evangelho, que haveriam de edificar a Igreja sobre os alicerces lançados por ele durante suas viagens missionárias. Uns edificariam com muito zêlo (com ouro, prata e pedras preciosas), outros seriam porém, pouco zelosos (edificando com madeira), outros seriam negligentes (edificando a Igreja com feno ou palha). De qualquer forma o “dia do Julgamento” demonstraria o que “vale o trabalho de cada um”. Se a construção resistir, isto é se o ministro edificou com amor, “o construtor receberá a recompensa”. Se o ministro foi pouco zeloso pela Igreja, “arcará com os danos”. Porém ele será salvo apesar de tudo. Como? Sendo purificado, ou seja, “passando de alguma maneira através do fogo”, isto é, após o dia do julgamento particular, alguns ministros de Deus deverão ser purificados devido ao pouco zêlo para com as coisas da Igreja de Deus.

          “Pois também Cristo morreu uma vez pelos nossos pecados (…) padeceu a morte em sua carne, mas foi vivificado quanto ao espírito. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos na prisão, aqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes (…) Por isto foi o Evangelho pregado também aos mortos; para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito.” (1Ped 3,18-19; 4,6). Esta “prisão” ou “limbo dos antepassados”, onde os espíritos dos antigos estavam presos, e onde Jesus Cristo foi pregar durante o Sábado Santo, é figura do purgatório. Com efeito, o texto menciona que Cristo foi pregar “àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes”. Temos, portanto, um lugar onde as almas dos antepassados aguardavam a salvação. Não é um lugar de tormento eterno, portanto não é o inferno. Não é um lugar de alegria eterna na presença de Deus, portanto ainda não é o céu. Mas é um lugar onde os espíritos aguardavam a salvação. Salvação e purificação comunicada pelo próprio Cristo. Por isto, declara o apóstolo, foi o “Evangelho pregado também aos mortos(…) para que vivam segundo Deus quanto ao espírito”.

          “Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados [dos soldados mortos em batalha]: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente, era esse um bom e religioso pensamento; eis porque ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas” (2Mac 12,43-46). O general Judas Macabeu (160 aC), herói do povo judeu, faz uma grande coleta e a envia para Jerusalém, para que os sacerdotes ofereçam um sacrifício de expiação pelos pecados de alguns soldados mortos. Fica claro no texto que os judeus oravam pelos seus mortos e por eles ofereciam sacrifícios. Fica claro também que os sacerdotes hebreus já naquele tempo aceitavam e ofereciam sacrifícios em expiação dos pecados dos falecidos e que esta prática estava apoiada sobre a crença na ressurreição dos mortos. Subentende este texto que as almas dos soldados mortos estavam em algum local ou “estado” de purificação, pois se estivessem nos céus, as oração dos vivos eram desnecessárias, e se, por outro lado estivessem no inferno, toda oração seria inútil. E como o livro dos Macabeus pertence ao cânon dos livros inspirados, aqui também está uma base bíblica para a oração em favor dos falecidos.

          “De outra maneira, que intentam aqueles que se batizam em favor dos mortos? Se os mortos realmente não ressuscitam, por que se batizam por eles?” (1Cor 15,29). Paulo cita aqui, uma prática cuja índole na verdade desconhecemos. Segundo alguns estudiosos, os primeiros cristãos preocupados com a sorte eterna de seus pais ou avós que não haviam conhecido o Evangelho e, consequentemente, não puderam ser batizados, praticavam algum rito ou oração para que seus parentes ganhassem de alguma forma a salvação, “batizando-se” no lugar deles.

          O apóstolo Paulo não condena este “batismo” pelos falecidos, antes, lança mão justamente dele como argumento precioso da fé dos cristãos na ressurreição geral dos mortos. De fato, esta prática demonstra a preocupação dos primeiros cristãos com relação à salvação de seus pais, antepassados e amigos, traduzida em algum rito ou oração pelos mortos, por nós hoje desconhecida.

          A oração pelos mortos aliás, era uma prática constante entre os primeiros cristãos, como atestam ainda hoje inscrições em numerosos túmulos e arcas funerárias cristãs daqueles primeiros tempos, bem como em textos dos primórdios que chegaram até nós. Eis alguns exemplos:

          “Oferecei também a régia Eucaristia (…) oferecei-a orando pelos mortos” (Didascalía dos Apóstolos [meados do séc. III]).

          “Caso (na Eucaristia) se faça a memória em favor daqueles que faleceram…” (Cânones de Hipólito [séc. III]).

          “Por todos os defuntos dos quais fazemos comemoração, assim oramos: Santifica estas almas …” (Serapião de Tmuis [meados do séc. IV]).

          “Oremos pelo repouso de … a fim de que Deus bom, recebendo a sua alma, lhe perdoe todas as suas faltas” (Constituições Apostólicas [séc. IV]).

          “Os apóstolos instituíram a oração pelos mortos…” (S. João Crisóstomo [+407], In Philipp. III, 4).

          “Desta afirmação (Mt 12,31), podemos deduzir que certas faltas podem ser perdoadas no século presente, ao passo que outras no século futuro” (S. Gregório Magno [séc. V], Dial. 4,39).

          “O irmão que as compreender, queira orar por Abércio” (inscrição funerária cristã [séc. II]).

          “Este túmulo, Iperéquio preparou-o para a sua benemérita esposa Albínula. Deus alivie o teu espírito” (inscrição funerária cristã [ano 268]).

          “Jejuai todos por mim, a fim de que Deus seja misericordioso para com minha alma” (inscrição funerária cristã [séc. IV]). etc… etc…

          Conclusão: o cristão, que não ora pelos seus mortos, comete pecado contra a caridade que devemos ter para com os nossos irmãos falecidos, conforme o ensino bíblico: “Dá de boa vontade a todos os vivos, e não recuses este benefício a um morto” (Eclo 7,37).

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          As seitas protestantes dizem que não existe o purgatório biblicamente. Dizem que primeiro o nome “purgatório” não existe na bíblia e porque foi a Igreja que colocou esse nome para se referir ao nome do dogma do purgatório.
          O purgatório pode ser chamado de expiação das almas ou purgação das almas. Isto pode ser encontrado em várias passagens bíblicas.
          A “expiação” e a “purgação” existentes biblicamente foram nomeados pela Igreja de “purgatório”. Nenhum padre do primeiro segundo e terceiro século da era cristã, bispo da Igreja, escritor eclesiástico nenhum da igreja nenhum e nenhum padre da igreja contestou isto. Não existem contradições. A Igreja Católica nunca errou no dogma.
          Os nomes expiação e purgação são facilmente encontrados na bíblia. Eles possuem o mesmo grau e sentido da palavra purgatório, que é pregado indiscutivelmente pela doutrina da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.
          Resumindo: purgatório, purgação ou expiação pelo pecado é um estado no qual os fiéis que morreram com pecados veniais não arrependidos em vida serão purificados depois da morte, antes de entrar no Céu.
          Esta doutrina é verdadeiramente bíblica e é muito simples e fácil de entendê-la. A palavra purgatório não é mencionada na bíblia, mas as palavras purgação e expiação nela existem. Por isso o nome purgatório foi a Igreja quem deu para esta doutrina da mesma forma que os termos ‘encarnação’, ‘santíssima trindade’ ou até mesmo a palavra bíblia também não aparecem nas escrituras.
          Estudando a bíblia você notará que a expiação é um “lugar de purgação”, que é mencionado na bíblia várias vezes. Por isso é aprovado e pregado por todos os padres apostólicos, padres da Igreja e por todos os escritores eclesiásticos do primeiro século.
          Irmãos e irmãs católicas, as contestações sobre a doutrina do purgatório só nasceram depois de surgir no mundo as seitas protestantes há menos de 500 anos atrás.
          Alguns versículos bíblicos comprovam a existência da purgação e da expiação que a Igreja deu o nome de purgatório:
          “… porém, diz o Senhor pelo profeta Zacarias, que Ele mesmo, mais que o fogo, purgará e limpará a alma eleita, ativando com seu hálito as suas chamas (Zac 3, 9).”
          Irmãos e irmãs, nesta passagem Deus afirma claramente que depois da morte Ele limpará a alma eleita. Se a alma já é eleita ela já não é mais condenada. Até mesmo uma alma eleita pode morrer com um pecado venial e por isso ela tem que passar por uma expiação para se purificar.
          Algumas outras referências que comprovam a passagem pelo fogo:
          • “… porque todo homem será salgado pelo fogo” (Mc, 9). Será que um homem é salgado vivo no fogo?
          • “… Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Cada galho em mim que não produz fruto Ele tira fora: e cada galho que produz fruto, Ele o purga para que traga mais fruto.” (João 15:1,2).
          • “… se o homem não permanece em mim, ele é lançado fora como um galho, e é murchado; e homens os ajuntam e os lançam dentro do fogo, e eles são queimados.” (verso 6). Quem entende parábolas sabe do que Jesus se refere nesta passagem.

          Irmãos e irmãs católicas, agora vejam aqui mais um exemplo bem claro desta purificação. Está em (Malaquias 3, 1-4): “vou mandar o meu mensageiro para preparar o meu caminho. E imediatamente virá ao seu templo o Senhor que buscais, o anjo da aliança que desejais. Ei-lo que vem – diz o Senhor dos exércitos. Quem estará seguro no dia de sua vinda? Quem poderá resistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do fundidor, como a lixívia dos lavadeiros. Sentar-se-á para fundir e purificar a prata; purificará os filhos de Levi e os refinará, como se refinam o ouro e a prata; então eles serão para o Senhor aqueles que apresentarão as ofertas como convêm. E a oblação de Judá e de Jerusalém será agradável ao Senhor, como nos dias antigos, como nos anos de outrora”. Esta passagem mostra claramente a doutrina do purgatório ou se as seitas protestantes preferirem: a doutrina da purgação ou a doutrina da expiação.

          IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS, O PURGATÓRIO NÃO É FABULA, É REAL! A PRÓPRIA BÍBLIA MOSTRA ISSO CLARAMENTE SEM NENHUMA CONTRADIÇÃO

          Resumindo, a Igreja poderia usar o mesmo nome que existe na bíblia – purgação ou expiação – e assim a expressão: “as almas que se encontram em expiação ou purgação”.

          Reforçando esta tese, vejam o que diz São Paulo:
          “porque ninguém pode por outro fundamento além do que já foi posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento, mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo” (1 Coríntios 3:11-15).
          São Paulo aqui mostra claramente a existência do purgatório comprovado por todos os padres da Igreja dos primeiros séculos da era cristã. Algumas seitas protestantes inocentemente afirmam que no versículo citado o apóstolo Paulo está falando sobre a sabedoria, e os coríntios estavam tentando edificar a sua Igreja por meio de sabedoria humana, que era próprio dos gregos (ICor. 1:22).
          Irmãos e irmãs, esta afirmação protestante é falsa, herética e contraditória, sem nenhuma base bíblica e muito menos histórica.
          Vou dar alguns exemplos simples. Se esta afirmação protestante fosse verdadeira, São Paulo chamaria a comunidade de coríntios de hereges por tentar mudar o fundamento da Igreja que é Jesus Cristo. As comunidades de coríntios já tinham seus bispos, diáconos, presbíteros e anciões e nada era decidido sem o parecer deles.
          Qualquer um deles que quisesse tentar mudar os ensinamentos da Igreja que é Jesus Cristo seria considerado uma grande heresia e São Paulo os advertiria duramente para o arrependimento. Mas neste versículo ocorre o contrário, pois São Paulo afirma que a obra de cada um será descoberta pelo fogo.
          A obra de cada um se manifestará; na verdade, o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Esse galardão biblicamente é chamado de a recompensa nos céus.
          Vejam estas passagens:
          • “dá de boa vontade a todos os vivos, e não recuses este benefício a um morto” (eclo 7,37 )
          • no livro II de Macabeus se afirma que “é um santo e saudável pensamento orar pelos mortos, para que sejam livres de seus pecados”(II Mac XII, 46).
          • II Macabeus 12, 43-46: “em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles”. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente, era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas.
          • 2 Tm. 1:16-18 – Onesíforo está morto, mas Paulo pede misericórdia para com ele “naquele dia”. O contexto de “naquele dia” demonstra seu uso escatológico (ver, por exemplo, Rm 2.5,16; 1 cor 1,8;.. 3,13 e 5,5; 2 cor 1,14;. Phil 1.6,10;. 2,16; 1 Tessalonicenses 5.2,4,5,8;. 2ts 2.2,3;. 2 Tm 4.8). Claro, não há necessidade de misericórdia no céu, e não há misericórdia dada no inferno. Onde está Onesíforo? Ele está no purgatório. Esta passagem desmascara todas as seitas protestantes
          • II Timoteo 1 16: “O senhor conceda sua misericórdia à casa de Onesíforo, que muitas vezes me reconfortou e não se envergonhou das minhas cadeias! 17. pelo contrário, quando veio a Roma, procurou-me com solicitude e me encontrou. 18. o Senhor lhe conceda a graça de obter misericórdia “junto do Senhor naquele dia”. Irmãos e irmãs, ao ler esse texto podemos entender claramente que São Paulo estava pedindo a misericórdia de Deus para um amigo que já havia falecido.
          • I Corintos 15 29: “de outra maneira, que intentam aqueles que se batizam em favor dos mortos? Se os mortos realmente não ressuscitam, por que se batizam por eles?”
          • II Samuel 1 17. “compôs então Davi o seguinte cântico fúnebre sobre Saul e seu filho Jônatas, 18. ordenando que fosse ensinado aos filhos de Judá. é o canto do arco, que está escrito no livro do justo: 19. tua flor, Israel, pereceu nas alturas! como tombaram os heróis?”
          • II reis 23 17:” e o rei perguntou: que monumento é esse que eu vejo? Os habitantes da cidade responderam-lhe: é o túmulo do homem de Deus que veio de Judá, e que predisse tudo o que fizeste ao altar de Betel. 18. Deixai-o, disse o rei; paz aos seus ossos. e os seus ossos ficaram intactos, assim como os ossos do profeta que tinha vindo de Samaria.
          Bem meus irmãos, nesses textos podemos observar um plano de 7 dias em favor de um falecido, uma cerimônia de 7 dias anual pela filha de Jefte, um canto para homenagear Saul escrito pelas mãos de Davi e um monumento feito para um homem de Deus. Mesmo se não existisse um texto bíblico onde pessoas faziam cerimônias pelos falecidos (o que não é verdade), também não existe um texto condenando tais cerimônias.
          Notem essa outra referência bíblica no qual os ossos de Eliseu ressuscitam um homem morto: “depois morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora, as tropas dos Moabitas invadiram a terra à entrada do ano. E sucedeu que, enterrando eles um homem, eis que viram uma tropa, e lançaram o homem na sepultura de Eliseu; e, caindo nela o homem, e tocando os ossos de Eliseu, reviveu, e se levantou sobre os seus pés”. (II Reis 13).
          Vejam na carta de São Judas: o diabo querendo possuir o corpo de Moisés já morto. (1,9): Miguel disputou com o diabo o corpo de Moisés. Isso nos leva a crer que é da responsabilidade desse anjo tudo o que se relaciona com o mundo dos mortos.

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          TIAGO VOCÊ É UM PIADISTA UM PESQUISADOR DE GOOGLE RSRS
          OLHA A DOUTRINA DO PURGATÓRIO JÁ É PREGADA DESDE O PRIMEIRO SÉCULO DA ERA CRISTA TENHO SÓ DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO UMAS 25 DOCUMENTOS

          E OUTRA DEIXA EU TER UM TEMPINHO LEGAL QUE LHE ESCREVEREI UMA MATÉRIA SOBRE O PURGATÓRIO

          E OUTRA TIAGO QUEM PEGAM TEXTO FORA DO CONTEXTO SÃO AS SEITAS PROTESTANTES

          Curtir

        • EDMILSON disse:

          POR ENQUANTO TIAGO MEDITE ESSAS PASSAGENS

          ISAÍAS 24, 21-22

          21. Naquele tempo o Senhor, lá do alto, examinará a milícia celeste e os reis do mundo, sobre a terra.

          22. Serão amontoados como prisioneiros num calabouço, serão encerrados numa prisão, e, depois de muitos dias, serão castigados.

          I CORÍNTIOS 13,15

          15. Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo.

          I PEDRO 3,19

          19. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes

          MATEUS 5, 25-26

          25. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão.

          26. Em verdade te digo: dali não sairás antes de teres pago o último centavo.

          Curtir

          • Helen disse:

            caro Edimilson,

            Muito pertinente suas citaçãoes. Espero que caiam em solo fértil e ajudem a muitos se encaminharem no entendimento da verdade!

            obrigada!
            Pax

            Curtir

            • EDMILSON disse:

              IRMÃO HELEN! VERDADE AS VEZES EU VOU PARA O LADO PESSOAL
              E POR ISSO AS VEZES ME ESTOURO PEÇO-TE DESCULPAS AS VEZES FALTA HUMILDADE EM MINHA PESSOA MAIS RECONHEÇO QUE PRECISO TER MAIS PACIÊNCIA HUMILDADE COM NOSSOS IRMÃOS PROTESTANTES!

              AGORA MUDANDO DE ASSUNTO! PEGUE AS 300 CITAÇÕES DOS 7 LIVROS DO NT E MANDE PARA O NOSSO IRMÃO TIAGO

              300 citações (7 livros no NT)

              REFERÊNCIAS POR ORDEM DO NOVO TESTAMENTO

              • Evangelho segundo Mateus

              Mt 4,4 = Deut 8,3;
              Mt 4,15 = 1Mc 5,15;
              Mt 5,18 = Br 4,1;
              Mt 5,28 = Eclo 9,8;
              Mt 5,2-4 = Eclo 25,7-12;
              Mt 5,4 = Eclo 48,24;
              Mt 6,7 = Eclo 7,14;
              Mt 6,9 = Eclo 23,1.4;
              Mt 6,10 = 1Mc 3,60;
              Mt 6,12 = Eclo 28,2;
              Mt 6,13 = Eclo 33,1;
              Mt 6,20 = Eclo 29,10-11;
              Mt 6,23 = Eclo 14,10;
              Mt 6,33 = Sb 7,11;
              Mt 7,12 = Tb 4,15 / Eclo 31,15;
              Mt 7,16 = Eclo 27,6;
              Mt 8,11 = Br 4,37;
              Mt 8,21 = Tb 4,3;
              Mt 9,36 = Jdt 11,19;
              Mt 9,38 = 1Mc 12,17;
              Mt 10,16 = Eclo 13,17;
              Mt 11,14 = Eclo 48,10;
              Mt 11,22 = Jdt 16,17;
              Mt 11,25 = Tb 7,17 / Eclo 51,1;
              Mt 11,28 = Eclo 24,19 / Eclo 51,23;
              Mt 11,29 = Eclo 6,24-25 / Eclo 6,28-29 / Eclo 51,26-27;
              Mt 12,4 = 2Mc 10,3 ;
              Mt 12,5 = Eclo 40,15;
              Mt 13,44 = Eclo 20,30-31;
              Mt 16,18 = Sb 16,13;
              Mt 16,22 = 1Mc 2,21;

              Mt 16,27 = Eclo 35,22;
              Mt 17,1 = Eclo 48,10;
              Mt 18,10 = Tb 12,15;
              Mt 20,2 = Tb 5,15;
              Mt 22,13 = Sb 17,2;
              Mt 23,38 = Tb 14,4;
              Mt 24,15 = 1Mc 1,54 / 2Mc 8,17;
              Mt 24,16 = 1Mc 2,28;
              Mt 25,35 = Tb 4,17;
              Mt 25,36 = Eclo 7,32-35;
              Mt 26-38 = Eclo 37,2;
              Mt 27,24 = Dn 13,46;
              Mt 27,43 = Sb 2,13 / Sb 18-20.

              • Evangelho segundo Marcos

              Mc 1,15 = Tb 14,5;
              Mc 4,5 = Eclo 40,15;
              Mc 4,11 = Sb 2,22;
              Mc 5,34 = Jdt 8,35;
              Mc 6,49 = Sb 17,15;
              Mc 8,37 = Eclo 26,14;
              Mc 9,31 = Eclo 2,18;
              Mc 9,48 = Jdt 16,17;
              Mc 10,18 = Eclo 4,1;
              Mc 14,34 = Eclo 37,2;
              Mc 15,29 = Sb 2,17.

              • Evangelho segundo Lucas

              Lc 1,17 = Eclo 48,10;
              Lc 1,19 = Tb 12,15;
              Lc 1,19 = Tb 12,15;
              Lc 1,42 = Jdt 13,18;
              Lc 1,52 = Eclo 10,14;
              Lc 2,29 = Tb 11,9;
              Lc 2,37 = Jdt 8,6;
              Lc 6,35 = Sb 15,1;
              Lc 7,22 = Eclo 48,5;
              Lc 9,8 = Eclo 48,10;
              Lc 10,17 = Tb 7,17;
              Lc 10,19 = Eclo 11,19;
              Lc 10,21 = Eclo 51,1;
              Lc 12,19 = Tb 7,10;
              Lc 12,20 = Sb 15,8;
              Lc 13,25 = Tb 14,4;
              Lc 13,27 = 1Mc 3,6;
              Lc 13,29 = Br 4,37;
              Lc 14,13 = Tb 2,2;
              Lc 15,12 = 1Mc 10,29[30] / Tb 3,17;
              Lc 18,7 = Eclo 35,22;
              Lc 19,44 = Sb 3,7;
              Lc 21,24 = Tb 14,5;
              Lc 21,24 = Eclo 28,18;
              Lc 21,25 = Sb 5,22;

              Lc 24,4 = 2Mc 3,26;
              Lc 24,31 = 2Mc 3,34;
              Lc 24,50 = Eclo 50,20-21;
              Lc 24,53 = Eclo 50,22-23.

              • Evangelho segundo João

              Jo 1,3 = Sb 9,1;
              Jo 3,8 = Eclo 16,21;
              Jo 3,12 = Sb 9,16 / Sb 18,15-16;
              Jo 3,13 = Br 3,29;
              Jo 3,28 = 1Mc 9,39;
              Jo 3,32 = Tb 4,6;
              Jo 4,9 = Eclo 50,25-26;
              Jo 4,48 = Sb 8,8;
              Jo 5,18 = Sb 2,16;
              Jo 6,35 = Eclo 24,21;
              Jo 7,38 = Eclo 24,40 / Eclo 43,30-31;
              Jo 8,44 = Sb 2,24;
              Jo 8,53 = Eclo 44,19;
              Jo 10,20 = Sb 5,4;
              Jo 10,22 = 1Mc 4,59;
              Jo 14,15 = Sb 6,18;
              Jo 15,9-10 = Sb 3,9;
              Jo 17,3 = Sb 15,3;
              Jo 20,22 = Sb 15,11.

              • Atos dos Apóstolos

              At 1,10 = 2Mc 3,26;
              At 1,18 = Sb 4,19;
              At 2,4 = Eclo 48,12;
              At 2,11 = Eclo 36,7;
              At 2,39 = Eclo 24,32;
              At 4,24 = Jdt 9,12;
              At 5,2 = 2Mc 4,32;
              At 5,12 = 1Mc 12,6;
              At 5,21 = 2Mc 1,10;
              At 5,39 = 2Mc 7,19;
              At 9,1-29 = 2Mc 3,24-40;
              At 9,2 = 1Mc 15,21;
              At 9,7 = Sb 18,1;
              At 10,2 = Tb 12,8;
              At 10,22 = 1Mc 10,25 / 1Mc 11,30.33 etc.;
              At 10,26 = Sb 7,1;
              At 10,30 = 2Mc 11,8;
              At 10,34 = Eclo 35,12-13;
              At 10,36 = Sb 6,7 / Sb 8,3 etc.;
              At 11,18 = Sb 12,19;
              At 12,5 = Jdt 4,9;
              At 12,10 = Eclo 19,26;
              At 12,23 = Jdt 16,17;
              At 12,23 = Eclo 48,21 / 1Mc 7,41 / 2Mc 9,9;
              At 13,10 = Eclo 1,30;
              At 13,17 = Sb 19,10;

              At 14,14 = Jdt 14,16-17;
              At 14,15 = Sb 7,3;
              At 15,4 = Jdt 8,26;
              At 16,14 = 2Mc 1,4;
              At 17,23 = Sb 14,20 / Sb 15,17;
              At 17,24 = Tb 7,17 / Sb 9,9;
              At 17,24-25 = Sb 9,1;
              At 17,26 = Sb 7,18;
              At 17,27 = Sb 13,6;
              At 17,29 = Sb 13,10;
              At 17,30 = Eclo 28,7;
              At 19,7 = Sb 3,17;
              At 19,28 = Dn 14,18.41;
              At 20,26 = Dn 13,46;
              At 20,32 = Sb 5,5;
              At 20,35 = Eclo 4,31;
              At 21,26 = 1Mc 3,49;
              At 22,9 = Sb 18,1;
              At 24,2 = 2Mc 4,6;
              At 26,18 = Sb 5,5;
              At 26,25 = Jdt 10,13.

              • Epístola aos Romanos

              Rm 1,19-32 = Sb 13-15;
              Rm 1,21 = Sb 13,1;
              Rm 1,23 = Sb 11,15 / Sb 12,24;
              Rm 1,28 = 2Mc 6,4;
              Rm 2,4 = Sb 11,23;
              Rm 2,11 = Eclo 35,12-13;
              Rm 2,15 = Sb 17,11;
              Rm 4,13 = Eclo 44,21;
              Rm 4,17 = Eclo 44,19;
              Rm 5,5 = Eclo 18,11;
              Rm 5,12 = Sb 2,24;
              Rm 9,4 = Eclo 44,12 / 2Mc 6,23;
              Rm 9,19 = Sb 12,12;
              Rm 9,21 = Sb 15,7;
              Rm 9,31 = Eclo 27,8 / Sb 2,11;
              Rm 10,7 = Sb 16,13;
              Rm 10,6 = Br 3,29;
              Rm 11,4 = 2Mc 2,4;
              Rm 11,15 = Eclo 10,20-21;
              Rm 11,33 = Sb 17,1;
              Rm 12,15 = Eclo 7,34;
              Rm 13,1 = Eclo 4,27;
              Rm 13,1 = Sb 6,3-4;
              Rm 13,10 = Sb 6,18;
              Rm 15,4 = 1Mc 12,9;
              Rm 15,8 = Eclo 36,20.

              • 1ª Epístola aos Coríntios

              1Cor 1,24 = Sb 7,24-25;
              1Cor 2,9 = Eclo 1,10;

              1Cor 2,16 = Sb 9,13;
              1Cor 4,13 = Tb 5,19;
              1Cor 4,14 = Sb 11,10;
              1Cor 6,2 = Sb 3,8;
              1Cor 6,12 = Eclo 37,28;
              1Cor 6,13 = Eclo 36,18;
              1Cor 6,18 = Eclo 23,17;
              1Cor 7,19 = Eclo 32,23;
              1Cor 9,19 = Eclo 6,19;
              1Cor 9,25 = Sb 4,2;
              1Cor 10,1 = Sb 19,7-8;
              1Cor 10,20 = Br 4,7;
              1Cor 10,23 = Eclo 37,28;
              1Cor 11,7 = Eclo 17,3 / Sb 2,23;
              1Cor 11,24 = Sb 16,6;
              1Cor 15,29 = 2Mc 12,43-44;
              1Cor 15,32 = Sb 2,5-6;
              1Cor 15,34 = Sb 13,1.

              • 2º Epístola aos Coríntios

              2Cor 5,1.4 = Sb 9,15;
              2Cor 12,12 = Sb 10,16.

              • Epístola aos Gálatas

              Gl 2,6 = Eclo 35,13;
              Gl 4,4 = Tb 14,5;
              Gl 6,1 = Sb 17,17.

              • Epístola aos Efésios

              Ef 1,6 = Eclo 45,1 / Eclo 46,13;
              Ef 1,17 = Sb 7,7;
              Ef 4,14 = Eclo 5,9;
              Ef 4,24 = Sb 9,3;
              Ef 6,12 = Sb 5,17;
              Ef 6,14 = Sb 5,18;
              Ef 6,16 = Sb 5,19.21.

              • Epístola aos Filipenses

              Fl 4,5 = Sb 2,19;
              Fl 4,13 = Sb 7,23;
              Fl 4,18 = Eclo 35,6.

              • Epístola aos Colossenses

              Cl 2,3 = Eclo 1,24-25.

              • 1ª Epístola aos Tessalonicenses

              1Ts 3,11 = Jdt 12,8;
              1Ts 4,6 = Eclo 5,3;
              1Ts 4,13 = Sb 3,18;
              1Ts 5,1 = Sb 8,8;
              1Ts 5,2 = Sb 18,14-15;
              1Ts 5,3 = Sb 17,14;
              1Ts 5,8 = Sb 5,18.

              • 2ª Epístola aos Tessalonicenses

              2Ts 2,1 = 2Mc 2,7.

              • 1ª Epístola a Timóteo

              1Tm 1,17 = Tb 13,7.11;

              1Tm 2,2 = 2Mc 3,11 / Br 1,11-12;
              1Tm 6,15 = Eclo 46,5 / 2Mc 12,15 / 2Mc 13,4.

              • 2ª Epístola a Timóteo

              2Tm 2,19 = Eclo 17,26 / Eclo 23,10 (vl) / Eclo 35,3;
              2Tm 4,8 = Sb 5,16;
              2Tm 4,17 = 1Mc 2,60.

              • Epístola a Tito

              Tt 2,11 = 2Mc 3,30;
              Tt 3,4 = Sb 1,6.

              • Epístola aos Hebreus

              Hb 1,3 = Sb 7,25-26;
              Hb 2,5 = Eclo 17,17;
              Hb 4,12 = Sb 18,15-16 / Sb 7,22-30;
              Hb 5,6 = 1Mc 14,41;
              Hb 7,22 = Eclo 29,14-16;
              Hb 11,5 = Eclo 44,16 / Sb 4,10;
              Hb 11,6 = Sb 10,17;
              Hb 11,10 = Sb 13,1 / 2Mc 4,1;
              Hb 11,17 = 1Mc 2,52 / Eclo 44,20;
              Hb 11,27 = Eclo 2,2;
              Hb 11,28 = Sb 18,25;
              Hb 11,35 = 2Mc 6,18-7,42;
              Hb 12,4 = 2Mc 13,14;
              Hb 12,9 = 2Mc 3,24;
              Hb 12,12 = Eclo 25,23;
              Hb 12,17 = Sb 12,10;
              Hb 12,21 = 1Mc 13,2;
              Hb 13,7 = Eclo 33,19 / Sb 2,17.

              • Epístola de Tiago

              Tg 1,1 = 2Mc 1,27;
              Tg 1,2 = Eclo 2,1 / Sb 3,4-5;
              Tg 1,13 = Eclo 15,11-20;
              Tg 1,19 = Eclo 5,11;
              Tg 1,21 = Eclo 3,17;
              Tg 2,13 = Tb 4,10;
              Tg 2,23 = Sb 7,27;
              Tg 3,2 = Eclo 14,1;
              Tg 3,6 = Eclo 5,13;
              Tg 3,9 = Eclo 23,1.4;
              Tg 3,10 = Eclo 5,13 / Eclo 28,12;
              Tg 3,13 = Eclo 3,17;
              Tg 4,2 = 1Mc 8,16;
              Tg 4,11 = Sb 1,11;
              Tg 5,3 = Jdt 16,17 / Eclo 29,10;
              Tg 5,4 = Tb 4,14;
              Tg 5,6 = Sb 2,10 / Sb 2,12 / Sb 2,19.

              • 1ª Epístola de Pedro

              1Pd 1,3 = Eclo 16,12;
              1Pd 1,7 = Eclo 2,5;
              1Pd 2,25 = Sb 1,6;

              1Pd 4,19 = 2Mc 1,24 etc.;
              1Pd 5,7 = Sb 12,13.

              • 2ª Epístola de Pedro

              2Pd 2,2 = Sb 5,6;
              2Pd 2,7 = Sb 10,6;
              2Pd 3,9 = Eclo 35,19;
              2Pd 3,18 = Eclo 18,10.

              • 1ª Epístola de João

              1Jo 5,21 = Br 5,72.

              • Epístola de Judas

              Jd 1,13 = Sb 14,1.

              • Livro do Apocalipse

              Ap 1,18 = Eclo 18,1;
              Ap 2,10 = 2Mc 13,14;
              Ap 2,12 = Sb 18,16[15];
              Ap 2,17 = 2Mc 2,4-8;
              Ap 4,11 = Eclo 18,1 / Sb 1,14;
              Ap 5,7 = Eclo 1,8;
              Ap 7,9 = 2Mc 10,7;
              Ap 8,1 = Sb 18,14;
              Ap 8,2 = Tb 12,15;
              Ap 8,3 = Tb 12,12;
              Ap 8,7 = Eclo 39,29 / Sb 16,22;
              Ap 9,3 = Sb 16,9;
              Ap 9,4 = Eclo 44,18 etc.;
              Ap 11,19 = 2Mc 2,4-8;
              Ap 17,14 = 2Mc 13,4;
              Ap 18,2 = Br 4,35;
              Ap 19,1 = Tb 13,18;
              Ap 19,11 = 2Mc 3,25 / 2Mc 11,8;
              Ap 19,16 = 2Mc 13,4;
              Ap 20,12-13 = Eclo 16,12;
              Ap 21,19-20 = Tb 13,17.

              Curtir

            • Tiago disse:

              Helen

              Primeiramente quero falar que o meu objetivo nesta pagina era debater o assunto em questao, ou seja, “Lucas 16 confirma doutrina católica”. Porque Lucas 16 não confirma nada sobre a doutrina do “purgatório”, pelo contrário, a desmente.

              Em segundo lugar, creio que a denominação a que pertenço é o que menos importa neste momento. Agora eu vejo que vocês são muito unidos quando se trata de defenderem sua religião coisa que mais parece uma “guerra religiosa” (agora são 3 contra um) e fica difícil responder agora a três que se opõem a mim…

              O Edmilson, faltando-lhe argumentos para debater, chama-me de “piadista” que decoro textos e que sou “pesquisador do Google”… o que demonstra ser inviável discutir com ele, uma vez que na falta de argumentos, descamba para insultos.
              Voce que parece ser a mais respeitadora, discutirei apenas com voce, se ainda desejar…

              Queria me propor a discutir Lucas 16 acerca da parábola do Lazaro e o rico, mas se não for possível irei respondendo na medida do possível ao “mar de palavras” que vocês lançam aqui como se fossem a verdade.

              Pois bem, a palavra doutrina no dicionário quer dizer: Conjunto de princípios de uma escola literária ou filosófica, de um sistema político, econômico etc., ou de dogmas de uma religião (dicionário Aurélio on line).
              Como sendo um dogma de uma religião, a doutrina serve como base de um ensinamento religioso.

              A doutrina da “trindade” foi baseada na Biblia Sagrada que no texto que citei anteriormente que contem expressamente as três figuras (Pai, Filho e Espirito Santo). Nós cremos nestas três figuras porque está na Biblia (por isso chamamos de fato Biblico), porem a diferença que há entre nossa crença e a de voces é que para nós Pai, Filho e Espirito Santo, são uma pessoa só enquanto que vocês acreditam que existem três figuras diferentes Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espirito Santo o que sugere a existência de 3 Deuses, remetendo ao velho politeísmo romano.

              Deus não proíbe o uso de doutrinas, porém ele nos adverte acerca delas:
              “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persiste nela, pois fazendo isto, te salvarás a ti mesmo e aos que te ouvem” (1 Timóteo 4:16).

              Ele nos manda ter cuidado com as doutrinas e nós mesmos, pois existem doutrinas humanas que contém heresias e devemos ter cuidado para nao nos contaminarmos com elas. E infelizmente a triste realidade é que a doutrina catolica deixa cegos todos aqueles que se prendem violentamente a ela e nao buscam a Verdade através da Palavra de Deus.

              A doutrina da “trindade” o catolicismo baseou-se na Biblia Sagrada, já a doutrina do “purgatório” não, uma vez que não está expressamente na Biblia. O que ocorre é que a católica retirou algumas passagens da Biblia totalmente fora do seu contexto e fez interpretações implícitas sobre elas e os católicos bem ensinados aprenderam a usar versículos fora do seu contexto para tentar convencer alguém de que sua religião está certa.
              Voces citam um versículo e sequer lêem o capitulo inteiro para entender o seu CONTEXTO.

              Com relação ao livro de Macabeus você disse: “Ora, Paulo afirma que TODA escritura é inspirada por Deus. TODA ESCRITURA”. Concordo. Porém o livro de Macabeus não foi inspirado por Deus. Sabe por que? agora sim vem a verdadeira BOMBA, porque o próprio autor não se julgou inspirado:

              “Se ela está felizmente concebida e ordenada, era este o meu desejo; se ela está imperfeita e medíocre, é que não pude fazer melhor. Assim como é nocivo beber somente o vinho ou somente a água, mas agradável e verdadeiramente proveitoso beber a água e o vinho misturados, assim também a disposição agradável do relato é o que causa prazer aos ouvidos do leitor. Aqui, pois, termino”. II Macabeus 15: 38-39.

              Pasmem, católicos, o livro que vocês usam como argumento-chave para defender suas ideias do tal “purgatório” foi definido pelo próprio autor como sendo uma obra MEDIOCRE e IMPERFEITA. E arremata dizendo que não pôde fazer “algo melhor” (rsrsrsrs)

              Acho que devo parar por aqui, sem maiores comentários uma vez que certamente NÃO É um texto inspirado por Deus (2° Tm 3:16) e seu autor NÃO FOI INSPIRADO PELO ESPÍRITO SANTO (2° Pe 1:20,21).
              Apenas repito, este livro de Macabeus não foi canonizado pelos Judeus, por isso, não consta na Biblia Hebraica nem na Biblia Protestante, logo é Heresia falar de tal livro.

              Curtir

              • Helen disse:

                Tiago,

                Em primeiro lugar, obrigada pela participação.

                Quanto ao debate, não há necessidade que o sr declare sua denominação. Agora, se é justo ou não fica ao seu critério. O sr sabe que eu sou católica. Eu não sei o que o sr é. Batista, adventista, etc… Sim, somos ambos cristãos, ambos seguimos à Jesus, mas, como podemos ver, não concordamos em tudo. Portanto, saber sua denominação ajudaria-me a saber um pouco mais da sua pessoa. Mas tudo bem, os srs sempre se recusam a esclarecer isso, seja lá por que razão, já estou acostumada.

                Quanto à Lucas 16. Não creio que sua conclusão esteja correta, mas não farei nenhum comentário sobre este ponto agora. Antes quero exaurir nosso debate em torno da sua afirmação: A doutrina do Purgatório não é bíblica!

                Bom, em primeiro lugar quero afirmar categoricamente que II Macabeus não é o motivo para a existência da doutrina, mas apenas uma das provas de que ela não contradiz as escrituras. Entretanto, com esta minha afirmação vem um problema: Eu, enquanto católica, aceito o livro dos Macabeus. O sr, enquanto protestante, não. Portanto, para prosseguir nosso debate é IMPERATIVO resolver este impasse.

                S. Paulo disse “TODA Escritura é inspirada”. Falta saber o que é escritura e quem determina isso.

                Eu demonstrei para o sr que Paulo e Jesus aceitavam os livros Deuterocanônicos como Escrituras Sagradas. Tanto era assim que Cristo até os citou em muitas passagens do NT. Portanto, isso deveria bastar para qualquer Cristão. Ou seja, o testemunho de Cristo haveria de dar credibilidade aos referidos livros, mas infelizmente não é tão simples assim, não é sr Tiago?

                Pois bem, ao invés de refutar o meus argumentos a cerca dos Livros Deuterocanônicos, as evidências históricas, etc… e o testemunho de Paulo em 2 Tim onde afirma que TODA Escritura é inspirada. O sr veio com um versículo de II Macabeus, que aliás o sr REJEITA como escritura, para usar como suporte para o seu ponto de vista. Isso é uma tática bastante intrigante… mas vamos lá…

                Já que o sr é um fundamentalista da bíblia, seria justo presumir que aceita tudo aquilo e somente aquilo que está escrito literalmente. Sendo assim, leia de novo o verso que citou para defender o seu ponto de vista e demonstre que o autor disse que ele não é inspirado! Francamente, ainda estou tentando recuperar o fôlego! Pois em II Macabeus 15 isto não está escrito nem implicitamente tampouco literalmente!! Esse seu argumento, sr Tiago, desculpe-me se ofendo, parece ser resultado de puro desespero e falta de resposta! Lamento, mas não é possível chegar a tal conclusão partindo do referido versículo.

                Veja bem, sr Tiago, tudo o que o autor quis comunicar com as palavras “Se ela (ela = a narrativa contada pelo autor) está felizmente concebida e ordenada, era este o meu desejo; se ela está imperfeita e medíocre, é que não pude fazer melhor” diz respeito à qualidade da narração, algo que compreende desde o estilo literário até a habilidade do autor de comunicar os fatos que propôs-se a contar de modo aprazível para o leitor. Ele demonstra, na verdade, humildade ao admitir que embora tivesse boa-intenção, não necessariamente tenha sido bem sucedido em fazê-lo de modo excelente.

                Ou seja, o autor admite talvez não ser um exímio escritor, um poeta, mas JAMAIS põe em dúvida a veracidade daquilo que relatou. Aqui vale salientar que a expressão “Escritura Inspirada” não é sinônimo de excelência literária, mas de Verdade Divina. Assim, como podemos notar muito claramente nos Evangelhos, cada autor possui o seu estilo literário, seu estilo. Uns mais atraentes e elaborados que os outros, mas nem por isso, mais ou menos verdadeiros ou inspirados!! Portanto seu argumento, Tiago, é literalmente inaceitável. Não possui força para sustentar seu ponto de vista ou fazer sua defesa!

                Do contrário, eu demonstrei que Paulo afirmou, esse sim, de modo categórico que TODA Escritura É INSPIRADA. Não disse: é inspirada somente aquela onde o autor afirma ter relatado os fatos de modo interessante e não-medíocre, de modo belo e atraente aos ouvidos, mas TODA! Contudo, como podemos saber se Paulo incluía nesse TODA também os livros Deuterocanônicos, mais especificamente II Macabeus? Ora, porque como explicado na resposta anterior, esses livros eram não apenas correntemente usados nas sinagogas, mas inclusive eram citados por Jesus Cristo próprio.

                Agora, eu gostaria de fazer um reflexão e para tanto peço apenas que, após ler este meu comentário acima, responda-me objetivamente as seguintes perguntas:

                Que TODA Escritura é inspirada, disso sabemos! A Bíblia nos diz isto. Porém:

                1- Quem nos diz o que É e o que NÃO É Escritura Sagrada? Quem Determina isso?

                2. Os Livros do Novo Testamento são Escritura Sagrada? Quem Determinou isso? A esta pergunta responderei abaixo, mas nem por isso sugiro que o sr não faça uma boa pesquise e boa meditação sobre o assunto. 😉

                3. O sr, enquanto não católico, aceita o Novo Testamento como Sagrada Escritura tal e qual foi determinado pela Igreja Católica – Por que o sr rejeita o Velho Testamento tal e qual estabelecido pela Igreja Católica? Por que também não presume que como o Velho o Novo também esteja “errado”?

                Aguardo suas respostas ansiosamente, e peço que por favor responda somente à elas num comentário separado, conforme enumeradas. Grata!!

                Pax Domini

                Curtir

        • OLIVEIRA disse:

          Tiago e suas lorotas Tiago todos os padres da igreja todos os padres apostólicos e todos os escritores e doutores da igreja desde o primeiro século pregam unanimes que Jesus cristo fundou uma igreja de nome católica apostólica romanma!

          E pra você Tiago? O que Jesus Cristo veio fundar ? Foi a Bíblia? Ou uma Igreja ??

          “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do reino dos céus e tudo que ligares na terra, será ligado nos céus, tudo o que desligares na terra, será desligado nos céus”
          Mateus 16:18

          “Aquele que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar assim aos homens, será declarado o menor no Reino dos céus. Mas aquele que os guardar e os ensinar será declarado grande no Reino dos céus.”
          Mateus 5:19

          E disse-lhes: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.”
          Marcos 16:15

          “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.”
          Lucas 10:16. Também Lucas 24:45-47

          “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.”
          2Tesalonisences 2:15

          Aonde nas Escrituras diz que Jesus Cristo ordenou que alguém escrevesse uma Epístola?
          Olha, Jesus primeiro fundou una Igreja docente, e está Igreja ‘produziu a Bíblia’.

          Reconheça! Jesus Cristo fundou uma Igreja instrutiva!

          É através da Bíblia ou da Igreja que a sabedoria de Deus é conhecida?

          “Eu me tornei servo deste Evangelho em virtude da graça que me foi dada pela onipotente ação divina. A mim, o mais insignificante dentre todos os santos, coube-me a graça de anunciar entre os pagãos a inexplorável riqueza de Cristo, e a todos manifestar o desígnio salvador de Deus, mistério oculto desde a eternidade em Deus, que tudo criou. Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, PELA IGREJA, a infinita diversidade da sabedoria divina”
          Efésios 3:7-10

          Creia! É a Igreja!

          Qual é a coluna e fundamento da verdade? Poderíamos dizer que é a Bíblia?
          Então porque a Bíblia diz que é a Igreja?

          “Estas coisas te escrevo, mas espero ir visitar-te muito em breve. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é A IGREJA de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.”
          1Timóteo 3:14-15

          Creia! É a Igreja!

          Quem possui a autoridade final? É a Bíblia? Então porque a Bíblia diz que é a Igreja?

          “Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o À IGREJA. E se recusar ouvir também A IGREJA, seja ele para ti como um pagão e um publicano.”
          Mateus 18:15-17

          Creia! É a Igreja!

          O que você crê, a quem Cristo ama, a sua Igreja ou a Bíblia?

          “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou A IGREJA e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra”
          Efesios 5:25-26

          Quem é o corpo de Cristo? A Igreja ou a Bíblia?Tiago para sua tristeza tudo que se fala na bíblia sobre a igreja e os bispos do primeiro e segundo século existem milhares de escr5itos provas documentos testemunhos que prova a igreja católica se duvida? Me mostre o contrario.

          “Ele é a Cabeça do corpo, DA IGREJA. Ele é o Princípio, o primogênito dentre os mortos e por isso tem o primeiro lugar em todas as coisas. Porque aprouve a Deus fazer habitar nele toda a plenitude e por seu intermédio reconciliar consigo todas as criaturas, por intermédio daquele que, ao preço do próprio sangue na cruz, restabeleceu a paz a tudo quanto existe na terra e nos céus. Há bem pouco tempo, sendo vós alheios a Deus e inimigos pelos vossos pensamentos e obras más, eis que agora ele vos reconciliou pela morte de seu corpo humano, para que vos possais apresentar santos, imaculados, irrepreensíveis aos olhos do Pai. Para isto, é necessário que permaneçais fundados e firmes na fé, inabaláveis na esperança do Evangelho que ouvistes, que foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, fui constituído ministro. Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é A IGREJA.”
          Colossenses 1:18,24

          Creia! É a Igreja!

          Por quem morreu Jesus? Pela Bíblia ou pela sua Igreja?

          “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou A IGREJA e se entregou por ela”
          Efésios 5:25… De novo.

          Creia! É a Igreja!

          Quem é Santa e sem macula? A Igreja ou a Bíblia?

          “…para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível.”
          Efesios 5:27

          Creia! É a Igreja!

          O afeto de Cristo é por quem? Pela Igreja ou pela Bíblia?

          “Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua IGREJA…”
          Efesios 5:29

          Creia! É a Igreja!

          São Paulo refere-se à Igreja ou a Bíblia?

          “Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e À IGREJA.”
          Efesios 5:32

          Creia! É a Igreja!

          O que foi profetizada no Antigo Testamento? Foi a Bíblia ou foi a Igreja?

          A Igreja Católica é prefigurada, predita e profetizada por Deus e pelos profetas do Antigo Testamento…

          2Sam 7:12-13, “Quando chegar o fim de teus dias e repousares com os teus pais, então suscitarei depois de ti a tua posteridade, aquele que sairá de tuas entranhas, e firmarei o seu reino. Ele me construirá um templo, e firmarei para sempre o seu trono real.”
          Estes versos se referem à “prole” de David, que é Jesus Cristo. A ‘casa’ é um local de adoração. E Sua Igreja é o Reino Eterno.

          1Reis 5:19, “Por isso penso em edificar um templo em nome do Senhor, meu Deus. O Senhor, com efeito, falara disso a Davi, meu pai, nestes termos: Teu filho, que eu farei sentar em teu lugar no trono, este edificará um templo em meu nome.”

          Salmo 126(127):1, “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem.”
          A Igreja que Deus fundou é a única Igreja.

          Tobías 13:10-23, Muitos detalhes são dados sobre a Igreja de DEUS e advertências aqueles que à desprezarem.

          Oséias 2:14-24, DEUS fala de sua Igreja como sua Esposa.

          Isaías 54:1-17, A Igreja de Cristo é Nova Jerusalém, sacudida pela tempestade como a Arca de Noé. Deus colocará o fundamento. Nenhuma arma forjada contra ela terá êxito (ver Efésios 5:23 para compreender). Muitos outros detalhes são descritos aqui.

          Isaías 59:21, DEUS prometeu justiça Eterna para a Igreja que Jesus haveria de fundar.

          Isaías 62:5, Jeremias 7:34, 16:9, Jesus Cristo é o esposo e a Igreja é sua Esposa.

          Jeremias 23:1-8, Um Messias é prometido para cuidar do Seu rebanho, e colocará pastores para apascentá-los.

          Miquéias 4:1-3, Muitos povos e nações ali virão na ‘Montanha da casa do Senhor’.

          Perdão, mais não pude encontrar um versículo profético se quer para a Bíblia na Bíblia.

          Creia! É a Igreja!

          De que, Jesus Cristo é Salvador? É da Igreja ou da Bíblia?
          As Sagradas Escrituras dizem::

          “Pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador.”
          Efesios 5:23

          Você quer saber como a Igreja Católica tem sobrevivido a 2000 anos de perseguição? Bem creio que Efésios 5:23 é muito claro, você não acha?

          Quer outro exemplo? Muito bem!
          “Agora, pois, eu vos aconselho: não vos metais com estes homens. Deixai-os! Se o seu projeto ou a sua obra provém de homens, por si mesma se destruirá; mas se provier de Deus, não podereis desfazê-la. Vós vos arriscaríeis a entrar em luta contra o próprio DEUS.”
          Ato dos Apóstolos 5:38-39

          Creia! É a Igreja!

          Bem, depois destas inúmeras evidências apresentadas sobre a Igreja, o que diz a Bíblia sobre ela mesma?

          Ela diz que é muito eficaz para ensinar.
          2Timoteo 3:16
          Isto é,… Muito benéfica para ensinar na Igreja que Cristo fundou baseada nos ensinamentos dEle.

          Acredite…! É a Igreja, indiscutivelmente e irresistivelmente, isto é exegese Bíblica!

          Então como fica Tiago ?Você nos acusa de idolatrar a igreja. Nós os verdadeiros católicos AMAMOS ESSA IGREJA,não poderia ser diferente.

          Tiago que Deus abra o seu coração

          Tiago eu convido você a estudar a patrística em livros originais e deixar de lados esses sites protestantes que adulteram frases e documentos em seus sites as nem culpa de muitos protestantes pois nos estados Unidos em sites eles também adulteram e falsifica a história e frases dos padres da igreja isso é crime

          Tiago vai por mim se você duvida vamos juntos em bibliotecas como a de BRASILIA OU COMO A DO RIO DE JANEIRO FICA UM CONVITE.

          Curtir

    • EDMILSON disse:

      Tiago deixa de piada kkkkkkkkkkkkkk

      olha meu amigo o nome purgatório é apenas o nome que a igreja católica deu a sua doutrina que se chama doutrina da purgação expiação que se relaciona com fogo chamas purgar prisão brasa etc…

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      VEJA TIAGO LEIA COM CARINHO O QUE É O PURGATÓRIO OLHA ESSE NOME PURGATÓRIO NÃO SE ENCONTRA NA BÍBLIA MEU AMIGO
      POR QUE É APENAS O NOME DA DOUTRINA DA UNICA IGREJA VERDADEIRA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS OLHA AS SEITAS PROTESTANTES DIZEM DESCARADAMENTE

      QUE NÃO EXISTE O PURGATÓRIO ISSO É UMA PIADA

      PRIMEIRO O NOME PURGATÓRIO NÃO EXISTE NA BÍBLIA

      POR QUE ESSE NOME FOI A IGREJA CATÓLICA QUE COLOCOU NA SUA DOUTRINA

      QUE BÍBLICAMENTE SE CHARMA DOUTRINA DA PURGAÇÃO OU DOUTRINA DA EXPIAÇÃO

      AGORA PARA VOCÊS TIRAREM TODAS AS SUAS DUVIDAS SOBRE ESSE ASSUNTO

      VOU MOSTRAR NESSE ESTUDO

      VÁRIOS VERSÍCULOS BÍBLICOS QUE COMPROVAM A EXISTÊNCIA DA PURGAÇÃO

      COMO A DOUTRINA DA EXPIAÇÃO

      QUE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA DEU O NOME DE DOUTRINA DO PURGATÓRIO

      VEJA

      Porém, diz o Senhor pelo profeta Zacarias, que Ele mesmo, mais que o (FOGO), (PURGARÁ) e limpará a alma eleita, ativando com Seu hálito as suas (CHAMAS) (Zac 3, 9).

      AQUI NESSE VERSÍCULO MOSTRA CLARAMENTE QUE ATÉ MESMO UMA ALMA ELEITA PODE MORRER COM UM PECADO VENIAL E POR ISSO ELA TEM QUE PASSAR POR UMA ESPIAÇÃO PARA SE PURIFICAR

      VEJA UMA OUTRA REFERÊNCIA CLARA SOBRE ESSE TEMA

      “Mas aquele que não as possui [as boas obras] é um cego, um míope: está esquecido DA (PURIFICAÇÃO) DOS SEUS PECADOS DE OUTRORA” (2Pd 1,9)

      OLHA PURGARÁ OU PURGAR É UM NOME BÍBLICO COM O MESMO SENTIDO EXATO

      E ESSE NOME PURGARÁ OU PURGAR POSSUI A MESMA EXÊNCIA

      VEJA MAIS UM VERSÍCULO BÍBLICO QUE CONFIRMA A DOUTRINA DA PURGAÇÃO

      PURIFICAÇÃO PELA (BRASA) – “Ai de mim, gritava eu. Estou perdido porque sou um homem de lábios impuros, e habito com um povo (também) de lábios impuros e, entretanto, meus olhos viram o rei, o Senhor dos exércitos! Porém, um dos serafins voou em minha direção; trazia na mão uma (BRASA VIVA), que tinha tomado do altar com uma tenaz.Aplicou-a na minha boca e disse: Tendo esta brasa tocado teus lábios, teu pecado foi tirado, e tua falta, apagada. ” (Isa 6:5-7).

      NESSE VERSÍCULO MOSTRA CLARAMENTE QUE O ANJO TROUXE DO ALTAR DO CÉU UMA BRASA QUE SE REFERE AO FOGO E ESSE FOGO AO TOCAR NOS LÁBIOS DO PROFETA ISAIAS SUMIU TODOS OS SEUS PECADOS

      ISSO É A PURGAÇÃO DOUTRINA BÍBLICA QUE A IGREJA DEU O NOME DE PURGATÓRIO

      VEJA MAIS PROVAS BÍBLICAS

      “Receio que à minha chegada entre vós Deus me humilhe ainda a vosso respeito;E tenha de chorar por muitos daqueles que pecaram e não fizeram (PENITÊNCIA) da impureza, fornicação e dissolução que cometeram. ” (II Coríntios 12,21)

      VEJA NESSE OUTRO VERSÍCULO O MESMO TEMA

      O primeiro é fazermos agora, por nós mesmos, penitência dos nossos pecados, e praticar boas obras o mais que pudermos, e não pôr a nossa esperança em sufrágios futuros.

      E isto devemos fazer sem demora, antes que sejamos assaltados por algum acidente (Gál 6, 10).

      IRMÃOS E IRMÃS TOMEM MUITO CUIDADO É PRECISO ORAR E VIGIAR SEMPRE

      Pois a alma da carne está no sangue, e dei-vos esse sangue para o altar, a fim de que ele sirva de (EXPIAÇÃO) por vossas almas, porque é pela alma que o sangue expia. (Levítico 17,11)

      VEJA

      Aproximastes-vos então e estivestes ao pé do monte: e eis que o abrasava um (FOGO) que subia até as profundezas do céu, onde havia trevas, nuvens e escuridão. (Deuteronômio 4,11)

      VEJA

      Libertastes-me das profundas entranhas da morada dos mortos, da língua maculada, das palavras mentirosas, do rei iníquo e da língua injusta. (Eclesiástico 51,7)

      AGORA IRMÃOS E IRMÃS VEJA UMA OUTRA ADVERTÊNCIA CLARISSIMA NESSE VERSÍCULO

      “Usa o remédio antes de ficares doente. Interroga-te a ti mesmo antes do juízo, e acharás misericórdia diante de Deus.” (Eclesiástico 18,20)

      ALGUMAS OUTRAS REFERÊNCIAS QUE COMPROVAM A PASSAGEM PELO FOGO

      QUE BIBLICAMENTE SE CLARMA PURGAÇÃO OU PURGAR

      Porque todo homem será salgado pelo (FOGO)” (Marcos capítulo 9)

      SERÁ QUE UM HOMEM É SALGADO VIVO NO (FOGO)?

      VEJAM MAIS REFERÊNCIAS

      Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Salmos 51:7

      VEJAM MAIS REFERÊNCIAS

      Em toda a terra, diz o Senhor, as duas partes dela serão exterminadas, e expirarão; mas a terceira parte restará nela.

      E farei passar esta terceira parte pelo (FOGO}, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro.

      Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: O Senhor é meu Deus.

      AGORA NESSE VERSÍCULO BÍBLICO SE DIZ QUE É AÇOITADO PARA SAIR DA MORADA DOS MORTOS

      VEJA

      Castigando-o com a vara, salvarás sua vida da morada dos mortos. (Provérbios 23,14)

      AGORA COMPARE ESSE VERSÍCULO COM LUCAS 12

      E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será CASTIGADO com muitos açoites;

      Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será CASTIGADO.

      AGORA

      VEJAM MAIS REFERÊNCIAS CLARAS SOBRE O MESMO ASSUNTO

      “Seja esse homem entregue a Satanás, para mortificação do seu corpo, a fim de que a sua alma seja salva no dia do Senhor Jesus.

      ” (ICoríntios 5,5)

      VEJAM MAIS REFERÊNCIAS BIBLICAS SOBRE O MESMO ASSUNTO

      Debaixo da terra se agita a morada dos mortos, para receber-te à tua chegada; despertam em tua honra as sombras dos grandes, e todos os senhores da terra, e levantam-se de seus tronos todos os reis das nações. (Isaías 14,9)

      Qual é o vivo que se livra da morte, ou pode subtrair a sua alma ao poder da morada dos mortos? (Salmos 88,49)

      ISSO É FATO NINGUÉM SAI DA MORADA DOS MORTOS SEM A VONTADE DE DEUS

      COMO NINGUÉM PODE FUGIR DA SUA MORTE

      VEJA

      Sobem aos céus; descem aos abismos, e a sua alma se derrete em angústias.Salmos 107:26

      AGORA VEJA NESSE VERSÍCULO UMA OUTRA REFERÊNCIA SOBRE A PURGAÇÃO OU PURGAR

      Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador.

      Cada galho em mim que não produz fruto ele tira fora: e cada galho que produz fruto,

      Ele o (PURGA) para que traga mais fruto (João 15:1, 2).

      Se o homem não permanece em mim, ele é lançado fora como um galho, e é murchado; e homens os ajuntam e os lançam dentro do (FOGO), e eles são queimados (verso 6).

      QUEM ENTENDE PARABÓLAS FACILMENTE NESSA PASSAGEM SABE DO QUE JESUS SE REFERE

      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS

      Agora vejam aqui mais um exemplo bem claro desta purificação

      Está em (Malaquias 3, 1- 4) onde diz: “Vou mandar o meu mensageiro para preparar o meu caminho.

      E imediatamente virá ao seu templo o Senhor que buscais, o anjo da aliança que desejais.

      Ei-lo que vem – diz o Senhor dos exércitos.

      Quem estará seguro no dia de sua vinda?

      Quem poderá resistir quando ele aparecer?

      Porque ele é como o (FOGO) do fundidor, como a lixívia dos lavadeiros.

      Sentar-se-á para fundir e purificar a prata;

      Purificará os filhos de Levi e os refinará, como se refinam o ouro e a prata;

      Então eles serão para o Senhor aqueles que apresentarão as ofertas como convêm.

      E a oblação de Judá e de Jerusalém será agradável ao Senhor, como nos dias antigos, como nos anos de outrora”.

      NESSA PASSAGEM BÍBLICA MOSTRA CLARAMENTE UM FOGO ESPIRITUAL

      POIS NINGUÉM REFINA A PRATA OU O OURO A NÃO SER COM FOGO

      ESSA PASSAGEM MOSTRA CLARAMENTE A DOUTRINA DA PURGAÇÃO OU A DOUTRINA DA ESPIAÇÃO QUE A IGREJA CATÓLICA DA O NOME DE PURGATÓRIO

      AGORA VEJA UMA PASSAGEM EM LEVÍTIVO A

      Levítico 23

      26 Disse mais o Senhor a Moisés:

      27 Ora, o décimo dia desse sétimo mês será o dia da (EXPIAÇÃ); tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao Senhor

      AGORA VEJA NESSE VERSÍCULO UMA FORTE REFERÊNCIA

      Hebreus 12: 22-23 – Você, no entanto, você veio ao Monte Sião, e à cidade do Deus vivo, da Jerusalém celestial, a miríades de anjos, atendendo assembléia solene dos primogênitos inscritos nos céus,

      E a Deus, juiz universal e aos espíritos dos justos sua consumação.

      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS O PURGATÓRIO É APENAS O NOME DA DOUTRINA

      AGORA REFORÇANDO ESSA TESE VEJA O QUE DIZ SÃO PAULO

      Porque ninguém pode por outro fundamento além do que já foi posto, o qual é Jesus Cristo.

      E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará;

      Na verdade o dia a declarará, porque pelo FOGO será descoberta; e o (FOGO) provará qual seja a obra de cada um.

      Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

      Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento, mas o tal será salvo, todavia como pelo (FOGO)” (1 Coríntios 3:11-15).

      SÃO PAULO AQUI MOSTRA CLARAMENTE A EXISTÊNCIA DO PURGATÓRIO

      O QUE É COMPROVADO INDISCUVELMENTE POR TODOS PADRES DA IGREJA DOS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ

      AGORA ALGUMAS SEITAS PROTESTANTES INOCENTEMENTE AFIRMAM QUE NESSE VERSÍCULO

      O apóstolo Paulo está falando sobre a sabedoria, e os coríntios estavam tentando edificar a sua igreja por meio de sabedoria humana, que era próprio dos gregos (I Cor. 1:22),

      IRMÃOS E IRMÃS ESSA AFIRMAÇÃO PROTESTANTE É FALSA E HERÉTICA

      E CONTRADITÓRIA SEM NENHUMA BASE BÍBLIA E MUITO MENOS HISTÓRICA

      VOU DA SÓ ALGUNS EXEMPLOS SIMPLES

      SE ESSA AFIRMAÇÃO PROTESTANTE FOSSE VERDADEIRA

      SÃO PAULO CHAMARIA A COMUNIDADE DE CORINTIOS DE HERESES

      POR TENTAR MUDAR O FUNDAMENTO DA IGREJA QUE É JESUS CRISTO

      E MAIS AS COMUNIDADES DE CORINTIOS JÁ TINHA SEUS BISPOS DIÁCONOS E PRESBÍTEROS E ACIÕES

      E NADA ERA DECIDIDO SEM O OVAL DELES

      AGORA SE QUAL QUER UM DELES QUE QUERESSE TENTAR MUDAR

      OS ENSINAMENTOS DA IGREJA QUE É JESUS CRISTO

      ISSO SERIA CONSIDERADO UMA GRANDE HERESIA E SÃO PAULO OS ADVERTIRIA DURAMENTE PARA O ARREPENDIMENTO

      MAIS NESSE VERSÍCULO É O CONTRÁRIO POIS SÃO PAULO AFIRMA QUE A OBRA DE CADA UM SERÁ DESCOBERTA PELO FOGO MAIS SE QUEIMAR TODA VIA ELE AINDA SERÁ SALVO COMO TODA VIA PELO FOGO

      AÍ EU TI DIGO MEU IRMÃO VOCÊ TEM COMO DESCOBRIR

      TODAS AS OBRAS TODOS E TODOS OS DESEJOS E TODOS OS PENSAMENTOS E TODOS

      OS ATOS QUE SE ESCONDE DENTRO DA CABEÇA E DO CORAÇÃO DE UM FIEL DENTRO DA IGREJA SEJA ELE PADRE BISPO LEIGO OU UM FIEL CLARO QUE NÃO?

      ISSO SÓ SERÁ DESCOBERTO DIANTE DE DEUS NO SEU TRIBUNAL

      AGORA CONTINUANDO COM O MESMO VERSÍCULO SÃO PAULO AINDA DIZ

      Porque ninguém pode por outro fundamento além do que já foi posto, o qual é Jesus Cristo.

      AQUI SÃO PAULO DIZ QUE DENTRO DO FUNDAMENTO DO QUAL JÁ FOI POSTO QUE É JESUS CRISTO NINGUÉM PODE MUDAR

      MAIS SOBRE ESSE FUNDAMENTO DO QUAL JÁ FOI POSTO SÃO PAULO AFIRMA

      QUE NELES É QUE FICAM NOSSAS OBRAS

      ESSE FUNDAMENTO QUE SÃO PAULO SE REFERE É O DA IGREJA

      POIS JESUS CRISTO É A CABEÇA DA IGREJA

      E NÓS SAMOS OS SEUS MEMBROS

      ENTÃO ESSA UNIÃO É O FUNDAMENTO DA IGREJA

      COM TODAS AS SUAS DOUTRINAS

      AGORA MEUS IRMÃOS E IRMÃS SE ALGUM HOMEM QUERER MUDAR ESSE ENSINAMENTO

      ELE JÁ SERIA CONSIDERADO E CHAMADO DE HEREGE

      E ELE JÁ SERIA DURAMENTE ADVERTIDO POR SÃO PAULO PARA UM ARREPENDIMENTO VERDADEIRO

      AGORA VEJA NO MESMO VERSÍCULO

      SÃO PAULO FALA QUE A OBRA DE CADA UM SERÁ MOSTRADA

      A obra de cada um se manifestará;

      Na verdade o dia a declarará, porque pelo (FOGO) será descoberta; e o (FOGO) provará qual seja a obra de cada um.

      Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

      IRMÃOS E IRMÃS ESSE VERSÍCULO MOSTRA CLARAMENTE A DOUTRINA DA PURGAÇÃO QUE A IGREJA DA O NOME DE DOUTRINA DO PURGATÓRIO

      RESUMINDO

      TUDO O QUE FAZEMOS POR ATOS PALAVRAS E DESEJOS

      UM DIA SE MANIFESTARÁ

      E TODO HOMEM UM DIA VAI PRESTAR CONTAS A DEUS DOS SEUS ATOS

      É POR ISSO QUE SÃO PAULO DIZ QUE O DIA A DECLARARÁ

      E SE A OBRA PERMANECER RECEBE O SEU GALARDÃO

      E O NOME GARLADÃO BÍBLICAMENTE SE REFERE A RECOMPENSA E PRÊMIO DEPOIS DA MORTE

      POR ISSO SÃO PAULO DIZ

      Hebreus 9

      27. Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo,

      E MAIS ESSA É PARA OS PROTESTANTES QUE DIZEM QUE JÁ ESTÃO SALVOS

      VEJA

      “Se dissermos: ‘Não temos pecado’, enganamo-nos a nós mesmos… se dissermos ‘Não pecamos’ fazemos dele [Deus] um mentiroso” (1Jo 1,8.10)

      AGORA NESSA OUTRA PASSAGEM BÍBLICA

      DIZ

      Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos.” (São Lucas 16,9)

      E MAIS

      “Eu vos digo que de toda palavra inútil, que os homens disserem, DARÃO CONTA NO DIA DO JULGAMENTO” (Mt 12,36)

      gb( �C4,؋c�eht-family: Tahoma, Verdana, Arial, sans-serif; font-size: 13px; font-style: normal; font-variant: normal; font-weight: normal; letter-spacing: normal; orphans: 2; text-align: start; text-indent: 0px; text-transform: none; white-space: normal; widows: 2; word-spacing: 0px; -webkit-text-size-adjust: auto; -webkit-text-stroke-width: 0px; background-color: white;”>
      ENTÃO ESSA UNIÃO É O FUNDAMENTO DA IGREJA

      COM TODAS AS SUAS DOUTRINAS

      AGORA MEUS IRMÃOS E IRMÃS SE ALGUM HOMEM QUERER MUDAR ESSE ENSINAMENTO

      ELE JÁ SERIA CONSIDERADO E CHAMADO DE HEREGE

      E ELE JÁ SERIA DURAMENTE ADVERTIDO POR SÃO PAULO PARA UM ARREPENDIMENTO VERDADEIRO

      AGORA VEJA NO MESMO VERSÍCULO

      SÃO PAULO FALA QUE A OBRA DE CADA UM SERÁ MOSTRADA

      A obra de cada um se manifestará;

      Na verdade o dia a declarará, porque pelo (FOGO) será descoberta; e o (FOGO) provará qual seja a obra de cada um.

      Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.

      IRMÃOS E IRMÃS ESSE VERSÍCULO MOSTRA CLARAMENTE A DOUTRINA DA PURGAÇÃO QUE A IGREJA DA O NOME DE DOUTRINA DO PURGATÓRIO

      RESUMINDO

      TUDO O QUE FAZEMOS POR ATOS PALAVRAS E DESEJOS

      UM DIA SE MANIFESTARÁ

      E TODO HOMEM UM DIA VAI PRESTAR CONTAS A DEUS DOS SEUS ATOS

      É POR ISSO QUE SÃO PAULO DIZ QUE O DIA A DECLARARÁ

      E SE A OBRA PERMANECER RECEBE O SEU GALARDÃO

      E O NOME GARLADÃO BÍBLICAMENTE SE REFERE A RECOMPENSA E PRÊMIO DEPOIS DA MORTE

      POR ISSO SÃO PAULO DIZ

      Hebreus 9

      27. Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo,

      E MAIS ESSA É PARA OS PROTESTANTES QUE DIZEM QUE JÁ ESTÃO SALVOS

      VEJA

      “Se dissermos: ‘Não temos pecado’, enganamo-nos a nós mesmos… se dissermos ‘Não pecamos’ fazemos dele [Deus] um mentiroso” (1Jo 1,8.10)

      AGORA NESSA OUTRA PASSAGEM BÍBLICA

      DIZ

      Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos.” (São Lucas 16,9)

      E MAIS

      “Eu vos digo que de toda palavra inútil, que os homens disserem, DARÃO CONTA NO DIA DO JULGAMENTO” (Mt 12,36)

      Curtir

    • EDMILSON disse:

      TIAGO HEREGE ANALFABETO TODAS AS SEITAS PROTESTANTES ESSE NOME EVANGÉLICO NÃO EXISTE NÃO EXISTE!

      E OUTRAS TODAS AS SEITAS PROTESTANTES INCLUINDO AS QUE NEGAM JESUS CRISTO DEUS INCLUINDO A ADVENTISTA OS MÓRMONS INCLUINDO A IGREJA DA MACONHA INCLUINDO AS IGREJAS DE HOMOSSEXUAIS POIS VOCÊ QUEIRA OU NÃO SÃO PROTESTANTES POIS NASCERAM DO LIVRE EXAME BÍBLICO.

      VAI ESTUDAR A PATRÍSTICA ANALFABETO

      VAI ESTUDAR OS PADRES DA IGREJA VAI ESTUDAR OS DOCUMENTOS DOS PAPAS DOS 4 PRIMEIROS SÉCULOS

      VAI ESTUDAR A HERMENÊUTICA DOS DOUTORES ECLESIÁSTICOS
      QUE FALAM SOBRE IMAGENS

      PARA ASSIM VOCÊ DEPOIS VIM FALAR SOBRE A IGREJA CATÓLICA TIAGO

      VOCÊ É APENAS UMA POBRE ALMA ERRANTE POLUÍDA PELAS MENTIRAS E CALUNIAS BARATAS E SEM FUNDAMENTOS.

      Curtir

    • Tiago disse:

      Helen

      TODA A ESCRITURA é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça. A fim de que o homem de Deus SEJA PERFEITO E PERFEITAMENTE HABILITADO para TODA BOA OBRA.” (2. Timóteo 3.16,17)

      Onde está na Biblia Sagrada que a mesma é SUFICIENTE como regra de fé e igualmente SUFICIENTE PARA SERMOS SALVOS:

      No verso 17 onde diz que a Escritura inspirada por Deus torna o homem PERFEITO e PERFEITAMENTE habilitado para toda boa obra.

      A resposta está ai. A Biblia Sagrada é suficiente para nossa fé e salvação porque ela nos torna PERFEITOS! Ora, se ela nos torna PERFEITOS é porque ela também é PERFEITA.

      E se Palavra de Deus é perfeita, consequentemente, ela é SUFICIENTE para salvação.

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Tiago,

        O versículo 2 Tim 3: 16-17 não é uma confirmação da Sola Scriputra, meu caro amigo. Lá não está escrito que é somente através da Bíblia que o Cristão aprende o Evangelho e as Doutrinas Cristãs. E nem poderia, caro amigo, pois este mesmo versículo o qual o sr deseja usar para defender o seu ponto de vista, ou seja, a doutrina da Bíblia somente, nem havia sido escrito quando os primeiros cristãos – aqueles que receberam o evangelho em primeira-mão, diretamente dos apóstolos e seus discípulos – aceitaram Cristo como salvador, ou quando a Igreja primitiva começou a se formar e crescer. Use um pouco de lógica, se não for pedir muito, por favor. Se a Bíblia foi compelida somente após o Seculo III, como poderiam os Cristãos aprender a fé apartir dela somente, se ela não existia!!

        Caro Tiago, não precisa ficar re-citando o referido verso. Eu, como disse, o conheço MUITÍSSIMO BEM.

        Lá não está escrito, subentendido, ou declarado que a Bíblia é a ÚNICA regra da Fé, Conduta e Doutrina Cristã! Não está, simplesmente é um fato.

        Sendo assim, caro amigo, o sr acaba de deparar-se com a dura realidade que outros tantos protestantes tiveram que aceitar nos tempos recentes: A Sola Scriptura não é ensinada na Bíblia.

        Tire as vendas e seja honesto consigo mesmo. Não é vergonha nenhuma admitir que estava errado.

        Curtir

  14. Pingback: O purgatório demonstrado Biblicamente « Ecclesia Militans

  15. Raul Th. disse:

    Concordo plenamente com o artigo que descreve a etimologia da palavra inferno (hades[gr], sheol[hb]), até a parte que trata apenas da origem da palavra, porém quando começa a querer explicar demais o que significa É DE EXTREMA INOCÊNCIA ACREDITAR EM TAMANHA HERESIA que este Sr. coloca como sendo verdade (o que é para ele(s) que está(ão) cego(s) para o sentido indiscutivelmente original dos textos).
    É claro para todos (pelo menos para quem sabe da história, que eles tentam esconder) que desde o início a Igreja Católica Apostólica Romana despresa a pureza da Palavra de Deus, a começar por seu fundador, o Imperador Constantino, que na verdade era completamente pagão e levado pela doutrina de demônios, quando prostitui o Evangelho Puro incorporando deuses de outros povos ao “cristianismo” dele por puro cunho Político; e não o Apóstolo Pedro como tentam “enfiar guéla abaixo” do povo, afinal a Igreja Católica foi fundada no século 4 e o Apóstolo Pedro Morreu no Século 1.
    Conhecendo a pura história conhecemos mais uma mentira deslavada da Igreja Católica de que ela teria sido a primeira Igreja a ser fundada. ISSO É MENTIRA!
    A primeira Igreja a ser fundada foi a IGREJA DE JERUSALÉM, APÓS A DESCIDA DO ESPÍRITO SANTO, CONFORME RELATA ATOS 2.
    Quanto ao “inferno” (hades, sheol), conhecemos que o Hades, é um local “dividido por um abismo” (Lc 16:26), no qual de um lado estão aqueles que estão salvos, denominado Seio de Abraão conforme Lucas 16:22, e do outro lado do abismo, aqueles que estão condenados ao inferno no dia do juízo final.
    Este lugar não tem como objetivo “purgar” ou limpar o ser humano de algum pecado. É AQUI QUE VEMOS QUE A IGREJA CATÓLICA NÃO ACEITA A JESUS COMO SENHOR E SALVADOR.
    Com Jesus não precisamos de nenhum PURGATÓRIO isso é heresia, JESUS VEIO PARA ANIQUILAR O PECADO (Hb 9:26), de maneira que acreditar numa HERESIA dessa é dizer que o SACRIFÍCIO de Jesus não é suficiente para a Salvação do Homem !!!
    Porém infelizmente essa é só mais uma coisa que a Igreja Católica despreza e prostitui o Evangelho de Cristo.
    Na verdade os Católicos são muito fracos em hermeneutica e exegese, basta vermos tamanhas aberrações como um padre disse que: SOMENTE PELO NOME DE JOSÉ (esposo de Maria) OS DEMÔNIOS SÃO EXPULSOS. ESSA É SÓ MAIS UMA BOBEIRA E BLASFÊMIA QUE VOCÊS PREGAM!!! O padre disse isso em cadeia nacional ainda pela TV!!!
    Agora me conte de onde ele tirou essa besteira? Da Bíblia Sr Hermeneuta? Explique!

    Curtir

    • A História analisada pelos protestantes é sempre distorcida. Pregam tanto a Palavra e esquecem que jesus disse que o inferno não trinufaria sobre sua Igreja e que o Espírito Santo estaria sempre com ela.

      Se acreditam que o Imperador que apenas oficializou uma religião crescente, fundou e deturpou a Igreja , simplesmente negam a Palavra de Deus de que Jesus e o Espírito Santo nunca a abandonaria.

      Se a Igreja Católica se tornou pagã, inventou filososfias erradas e é a besta fera como eles dizem, então Deus fez o que nessa história?

      Deus abandonou seu povo?

      Permitiu que 1500 anos de história da Igreja Católica, fosse apenas perdição de almas?

      Deus esperou 1500 anos para fazer nascer o fundador da verdadeira religião, Lutero?

      Que Deus é esse!

      Fazem de Deus um mentiroso, negando o que Ele disse: ” AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA.” MT 16,18

      Curtir

  16. Francisco disse:

    Prezada Helen:

    Gostaria que vc explicasse porque a Igreja Católica Ortodoxa, que possui raízes tão antigas quanto a Igreja Católica Romana, não admite a Doutrina do Purgatório, como igualmente o fazem os evangélicos e protestantes.

    PAX DOMINI

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Francisco,

      As Igrejas ortodoxas do Leste que estão em comunhão com Roma – com a Santa Sé – professam a mesma fé e credo que a Igreja Católica Romana. Ou seja, o Catolicismo do Leste é, na verdade, a mesma Igreja, mas os Ritos de Celebração são diferentes, como o Bizantino, etc… Mas são parte da Igreja Católica. Agora, a Igreja Ortodoxa Católica é um cisma e não faz parte da Sucessão apostólica, portanto, não necessariamente possuem as mesmas doutrinas oficializadas. No caso da Ortodoxa, eles creem em Purgatório, mas não é uma doutrina, como na Igreja Catolica. Os protestantes são um grupo diferente, acreditam em Sola Scriptura – diferentemente dos ortodoxos, catolicos ortodoxos e catolicos romanos, que aceitam a tradição apostólica como parte da Revelação – e por isso, não aceitam quase nada que nao esteja explicitamente descrito na biblia… digo quase nada porque ainda preservam alguns dogmas Catolicos, como a Santa Trindade, por exemplo.

      Curtir

      • Moreira disse:

        Dogma é uma crença estabelecida ou doutrina de uma religião, ideologia ou qualquer tipo de organização, considerado um ponto fundamental e indiscutível de uma crença. O termo deriva do grego δόγμα, que significa “o que parece uma opinião ou crença” ou senão da palavra δοκέω (dokeo) que significa “a pensar, supor, imaginar”.

        Os evangélicos não aceitam nenhum dogma católico ou de qualquer outra denominação. A trindade (Unidade de Deus) não tem ligação com nenhum dogma, é fato bíblico:
        Mateus 28:19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
        Lucas 3:16 disse João a todos: Eu, na verdade, vos batizo com água, mas vem o que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
        Lucas 3:22 e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba; e ouviu-se uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo.
        João 14:26 mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.
        2 João 1:9 Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho.
        Gálatas 4:6 E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai!
        1 Timóteo 1:2 a Timóteo, verdadeiro filho na fé, graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.
        2 Pedro 1:17 pois ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.
        1 João 1:3 o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo.
        1 João 2:22 Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho.
        1 João 2:23 Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai.
        1 João 2:24 Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai.
        1 João 4:14 E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo.
        2 João 1:3 a graça, a misericórdia e a paz, da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor.
        João 3:34 Pois o enviado de Deus fala as palavras dele, porque Deus não dá o Espírito por medida.
        João 3:35 O Pai ama ao Filho, e todas as coisas tem confiado às suas mãos.
        João 5:19 Então, lhes falou Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz.
        João 5:20 Porque o Pai ama ao Filho, e lhe mostra tudo o que faz, e maiores obras do que estas lhe mostrará, para que vos maravilheis.
        João 5:21 Pois assim como o Pai ressuscita e vivifica os mortos, assim também o Filho vivifica aqueles a quem quer.
        João 5:22 E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento,23 a fim de que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou.
        João 5:26 Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo.
        João 6:27 Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo.
        João 6:40 De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.
        João 8:28 Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do Homem, então, sabereis que EU SOU e que nada faço por mim mesmo; mas falo como o Pai me ensinou.
        João 10:36 então, daquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, dizeis: Tu blasfemas; porque declarei: sou Filho de Deus?
        João 14:13 E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.
        João 17:1 Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti,
        Mateus 11:27 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
        Mateus 16:27 Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.
        Lucas 1:32 Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai;
        Lucas 1:33 ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim.
        Lucas 10:22 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém sabe quem é o Filho, senão o Pai; e também ninguém sabe quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
        Marcos 12:36 O próprio Davi falou, pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

        Não queiram nos empurrar vossas heresias.

        Curtir

        • Helen disse:

          Moreira,

          Ai….pausa pra respirar fundo…
          Qdo o Sr afirma que a Trindade não é um Dogma ‘da Igreja’, fica claríssimo que o Sr não sabe o que é um dogma!

          o blog

          Curtir

          • Moreira disse:

            Talvez eu não saiba o que é um dogma, mas tenho prazer em cada vez mais me firmar na Palavra de Deus. Se eu fosse você optaria pela Palavra de Deus em vez dos dogmas da sua igreja. E no dia do juízo não diga que não foi avisada.

            Curtir

            • Rubia disse:

              Tenho certeza que nao foi na Palavra de Deus que vc conseguiu tanta arrogancia. Esse moco nao sabe o que ‘e dogma nem o que ‘e heresia.

              Curtir

            • EDMILSON disse:

              Moreira deixa de tanta ignorância meu caro olha foi a igreja católica com seus bispos meu amigo que que definiu o cânone do Novo Testamento, esse que você crê não distorcidamente ?Olha herege Moreira não pense que só existiram os 27 livros.Olha havia mais, muito mais.Pra você que não conhece história e patrística saibas que alguns achavam que o livro do Apocalipse não era inspirado, mas o Pastor de Hermas era. Então, quem acabou com a discussão e definiu que esses 27 eram Palavra de Deus? foi os bispos da Igreja Católica meu amigo Moreira.

              MOREIRA VOCÊ CONHECE O PAPA SÃO DÂMASO DA IGREJA CATÓLICA.
              TENHO CERTEZA QUE NÃO E SE CONHECER SERÁ PELAS FABULAS DAS SEITAS PROTESTANTES

              MOREIRA veja “apenas alguns” exemplos de apócrifos do Novo Testamento que o Papa descartou: e que você não conhece por isso só fala asneiras!

              VAMOS LÁ

              A Hipostase dos Arcontes, (Ágrafos Extra-Evangelhos), (Ágrafos de Origens Diversas), Apocalipse da Virgem, Apocalipse de João o Teólogo, Apocalipse de Paulo, Apocalipse de Pedro, Apocalipse de Tomé, Atos de André, Atos de André e Mateus, Atos de Barnabé, Atos de Filipe, Atos de João, Atos de João o Teólogo, Atos de Paulo, Atos de Paulo e Tecla, Atos de Pedro, Atos de Pedro e André, Atos de Pedro e Paulo, Atos de Pedro e os Doze Apóstolos, Atos de Tadeu, Atos de Tomé, Consumação de Tomé, Correspondência entre Paulo e Sêneca, Declaração de José de Arimatéia, Descida de Cristo ao Inferno, Discurso de Domingo, Ditos de Jesus ao rei Abgaro, Ensinamentos de Silvano, Ensinamentos do Apóstolo [T]adeu, Ensinamentos dos Apóstolos, Epístola aos Laodicenses, Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos, Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões), Epístola de Pedro a Filipe, Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes, Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador, Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos, Epístola do rei Abgaro a Jesus, Epístola dos Apóstolos, Eugnostos, o Bem-Aventurado, Evangelho Apócrifo de João, Evangelho Apócrifo de Tiago, Evangelho Árabe de Infância, Evangelho Armênio de Infância (fragmentos), Evangelho da Verdade, Evangelho de Bartolomeu, Evangelho de Filipe, Evangelho de Marcião, Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia), 1Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias), Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos), Evangelho de Pedro, Evangelho de Tome o Dídimo, Evangelho do Pseudo-Mateus, Evangelho do Pseudo-Tomé, Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos), Evangelho dos Egípcios, Evangelho dos Hebreus, Evangelho Secreto de Marcos, Exegese sobre a Alma, Exposições Valentinianas, (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros), (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas), História de José o Carpinteiro, Infância do Salvador, Julgamento de Pôncio Pilatos, Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria, Martírio de André, Martírio de Bartolomeu, Martírio de Mateus, Morte de Pôncio Pilatos, Natividade de Maria, O Pensamento de Norea, O Testemunho da Verdade, O Trovão, Mente Perfeita, Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, “Pistris Sophia” (fragmentos), Prece de Ação de Graças, Prece do Apóstolo Paulo, Primeiro Apocalipse de Tiago, Proto-Evangelho de Tiago, Retrato de Jesus, Retrato do Salvador, Revelação de Estevão, Revelação de Paulo, Revelação de Pedro, Sabedoria de Jesus Cristo, Segundo Apocalipse de Tiago, Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus , Sobre a Origem do Mundo, Testemunho sobre o Oitavo e o Nono, Tratado sobre a Ressurreição, Vingança do Salvador, Visão de Paulo e etc.

              Portanto AMIGO MOREIRA a Igreja Católica é mãe da Bíblia e isso basta!

              Pra você que é leigo saibas que até o séc IV não havia “Bíblia”, mas havia a Igreja, coluna e fundamento da verdade (1Timóteo 3,15).

              MOREIRA Por fim, não adianta você negar, você pode falar o que for, a história não mente. A Bíblia Sagrada, foi definida por Deus, através da Santa Igreja. Ponto final!

              PODE TER CERTEZA SEMPRE DISSO MOREIRA ESTUDAR HISTÓRIA É ABDICAR DO PROTESTANTISMO.

              Curtir

            • Helen disse:

              Meu caro Moreira… Um dogma é uma verdade incontestável da Fé. Por exemplo, a Ressurreição de Cristo é um dogma, nenhum cristão questiona que Cristo Morreu, Ressuscitou e Ascendeu aos Céus. Entende o que é um dogma? Não algo inventado pela Igreja, mas estabelecido por ela para o bem daqueles que creem e querem seguir e não se desviar da fé apostólica.

              Curtir

      • Tiago disse:

        Helen

        A pergunta do Francisco é muito pertinente, uma vez que a Igreja Catolica Ortodoxa, ao contrário do que voce diz, nao crê na existência do purgatório bem como outros dogmas da católica romana. Foi por esse motivo de choque de doutrinas dentre da mesma igreja que causou o famoso “racha” onde houve a separação entre a Catolica Romana e a Catolica Ortodoxa.

        E nao para por ai, os conflitos doutrinários são tão grandes que ficou insustentável a Unidade dessas duas correntes doutrinárias dentro da mesma igreja. A tradição de uma é completamente diversa da Tradição da outra. Eis aqui as diferenças entre as duas igrejas:

        A Igreja Ortodoxa somente admite sete Concílios, enquanto a Romana adota vinte.
        · A consagração do pão e do vinho, durante a missa, no Corpo e no Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, efetua-se pelo Prefácio, Palavra do Senhor e Epíclese, e não pelas expressões proferidas por Cristo na Última Ceia, como ensina a Igreja Romana.
        · Em nenhuma circunstância, a Igreja Ortodoxa admite a infalibilidade do Bispo de Roma. Considera a infalibilidade uma prerrogativa de toda a Igreja e não de uma só pessoa.
        · A Igreja Ortodoxa entende que as decisões de um Concílio Ecumênico são superiores às decisões do Papa de Roma ou de quaisquer hierarcas eclesiásticos.
        · A Igreja Ortodoxa não concorda com a supremacia universal do direito do Bispo de Roma sobre toda a Igreja Cristã, pois considera todos os bispos iguais. Somente reconhece uma primazia de honra ou uma supremacia de fato (primus inter pares).
        · A Virgem Maria, igual às demais criaturas, foi concebida em estado de pecado original. A Igreja Romana, por definição do papa Pio IX, no ano de 1854, proclamou como “dogma” de fé a Imaculada Concepção.
        · A Igreja Ortodoxa repele a agregação do “Filioque”, aprovado pela Igreja de Roma, no Símbolo Niceno-Constantinopolitano.
        · A Igreja Ortodoxa nega a existência do limbo e do purgatório.
        · A Igreja Ortodoxa não admite a existência de um Juízo Particular para apreciar o destino das almas, imediatamente, logo após a morte, senão um só Juízo Universal.
        · O Sacramento da Santa Unção pode ser ministrado várias vezes aos fiéis em caso de enfermidade corporal ou espiritual, e não somente nos momentos de agonia ou perigo de morte, como é praticado na Igreja Romana.
        · Na Igreja Ortodoxa, o ministro comum do Sacramento do Crisma é o Padre; na Igreja Romana, o Bispo, extraordinariamente, o Padre.
        · A Igreja Ortodoxa não admite a existência de indulgências.
        · No Sacramento do Matrimônio, o Ministro é o Padre e não os contraentes.
        · Em casos excepcionais, ou por graves razões, a Igreja Ortodoxa acolhe a solução do divórcio.
        · São distintas as concepções teológicas sobre religião, Igreja, Encarnação, Graça, imagens, escatologia, Sacramentos, culto dos Santos, infalibilidade, Estado religioso, etc.

        · Na Igreja Ortodoxa, só se permitem ícones [imagens] nos templos.
        · Os sacerdotes ortodoxos podem optar livremente entre o celibato e o matrimônio.
        · O batismo é por imersão.
        · A comunhão dos fiéis é efetuada com as espécies, pão e vinho; na Romana, somente com pão.

        Isso nos leva a crer que a sua afirmação do que “o Catolicismo do Leste é, na verdade, a mesma Igreja, mas os Ritos de Celebração são diferentes…” está totalmente equivocada, uma vez que trata-se de duas Igrejas com tradições e doutrinas totalmente diferentes entre si, motivo pelo qual houve a divisão entre as igrejas.

        Curtir

        • Helen disse:

          Tiago,

          Rapidamente, sobre suas afirmações:

          1- ” …nao crê na existência do purgatório bem como outros dogmas da católica romana. Foi por esse motivo de choque de doutrinas dentre da mesma igreja que causou o famoso “racha” onde houve a separação entre a Católica Romana e a Catolica Ortodoxa.”

          Resposta: Não, o sr está equivocado. Não foi esse o motivo do cisma entre as mencionadas igrejas, mas uma questão de jurisprudência. Havia no mundo antigo uma primazia notória, o Império Romano. Todos os seus domínios, portanto, eram de bastante relevância para o poder Estabelecido, mas nada se equiparava ao Poder da Cidade de Roma, sede de todo o Império. Por outro lado, no mundo antigo, havia também a notoriedade da influência do mundo do oriente, do qual fazia parte Constantinopla, que antes do estabelecimento do Império Romano era notável por sua influência na Região, mas que durante a Tetrarquia do Império Romano era um pólo de quase tanta influência quanto a Própria Capital do Império. Quando a Tetrarquia se desfez, surgiu o problema: Quem era mais importante? Roma ou Constantinopla? Esse dilema refletiu-se no cimo da Igreja Católica estabelecida até então. O conflito de interesses acirrou-se e a Igreja, até então UNA, à vontade de Seu fundador, Jesus Cristo, por imperfeição mais uma vez do ser “homem”, rompe-se e sua Cúpula divide-se, uns permanecendo do lado de Roma, outros não.

          As que NÃO permaneceram com Roma, como é de costume àqueles que Protestam contra à autoridade Estabelecida, dividiram-se outras mais inúmeras vezes, dando origem aos seus pequenos cismas, levadas pelos mesmos motivos que ela em si, ou seja, a primeira à romper com Roma: Quem é mais importante? Como resultado temos ínumeras “Igrejas Ortodoxas”, cada uma tendo como a “Sede” de seu Poder, não Roma, não aquela da Grécia antiga, mas Russia, Ucrania, Maldova, Romenia, Líbia, Grécia, etc, etc… Ou seja, perderam a UNIDADE tão reinforçada por Cristo em sua Prece no Evangelho de João. E como consequência, deixaram de ser A Igreja de Cristo. O que explica o fato de NÃO mais terem estabelecido doutrinas, pois o Espírito de Deus é o Guia de UMA Igreja, aquela à qual Ele chama de Sua Igreja em Mateus, 16:18.

          Por esse motivo não admitem qualquer concílio estabelecido após a ruptura. Porque já não mais faziam para de CoMunhão (Com União) com Roma, assim, é natural – e lástimável – que não compartilhem de TODAS as doutrinas.

          Finalizo dizendo que a Revelação de Deus foi ENCERRADA em Cristo, o Verbo encarnado. Nada mais de NOVO será dito ( Nem na bíblia, nem pela boca profética de qualquer criatura). Porém, o ENTENDIMENTO daquilo que JÁ FOI REVELADO ainda não está completo e SOMENTE a Igreja tem autoridade para declarar INFALÍVELMENTE um dogma (= uma Verdade pertinente à Fé Cristã). Isso é consoante com a Vontade Divina, que Seu Povo seja guiado pelas Verdades Reveladas POR ELE, Deus, ensinado pela SUA Igreja, a Católica. Assim, todo dogma Católico é Bíblico. Aceite o Protestante este fato ou não.

          Volto em breve para responder ao restante de vossos comentários.

          Grata,

          Curtir

        • Helen disse:

          Oi tiago,

          Reli o seu comentário sobre as supostas disparidades entre católicos e “católicos” ortodoxos… Há muitos erros nele….mas o que me chamou mais a atenção foi a afirmação de que a igreja católica oferte apenas o pão na Eucaristia!

          Eu particularmente, comungo mais de uma vez por semana nas duas espécies, estaria a minha paróquia cometendo um erro doutrinário por ofertar pão e vinho, ou seja, o Corpo e o Sangue de Cristo? De acordo com seu texto, sim! Felizmente, o sr está equivocado.

          Consulte o catecismo quando quiser saber o que REALMENTE ensina a “igreja de Roma” . Sites não catolicos não têm autoridade para ensinar uma fé que NÃO CONHECEM. Acredita em mim!

          Curtir

          • Tiago disse:

            Helen

            Nao posso afirmar com precisão com relação a essas doutrinas dessas duas igrejas uma vez que eu so consulto documentos nao vou a campo ou seja nao adentro nesses templos para saber o que ocorre lá.

            Mas eu citei varias divergências doutrinárias alem do vinho e pão por este motivo nao se pode afirmar que as duas católicas sao a mesma porque as doutrinas das duas são diferentes.

            Curtir

          • Tiago disse:

            Helen

            relendo seu texto eu venho dizer que nao está errado ofertar pao e vinho na ceia do Senhor. Mesmo porque Jesus partiu o pao e os deu. Do mesmo modo o vinho como sendo a nova aliança.

            Agora o errado é nao partilhar o vinho como acontece na igreja romana. E falo isso com conhecimento de causa uma vez que um dia eu ja fui católico.

            Curtir

            • Helen disse:

              Tiago,

              Sua pergunta mostra que o sr. (1) não entendeu o meu texto anterior. (2) não leu o que ensina a Santa Igreja sobre o tema.
              Parece-me que o sr. acredita que, porque foi batizado como católico, já sabe tudo sobre a Igreja. Mas isso não é o caso. Se soubesse, não teria me perguntado essa questão básica.
              A Igreja ensina que a comunhão deve ser ofertada SOB DUAS ESPÉCIES, porém, PODE SER recebida sob UMA APENAS. Isso é o que pratica a maioria das Igrejas Católicas no Brasil, que é um país pobre. Fora do Brasil, em todos os países onde vivi (6 no total), distribui-se AMBAS as espécies. Recebo as duas todos os domingos!

              Leia este artigo sobre a Comunhão sob uma espécie de minha autoria, também publicado na Revista Spiritus Paraclitus

              Se tiver mais dúvida sobre o tema, peço que por favor, envie seus comentários sob o referido artigo, pois este presente post é sobre Sheol e Purgatório no contexto de Lucas 16.

              Pax Domini

              Ps. Estou na Inglaterra, de férias, à alguns cometários mais simples e objetivo posso responder ocasionalmente, mas férias são férias. Não posso comprometer-me à responder à todos os comentários no presente momento. Peço paciência. Grata!

              Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s