Imagens Sagradas versus Idolatria. O que diz a Igreja?


Leia também: A Igreja Católica pratica idolatria?

A riqueza da Igreja Católica transpõe as barreiras culturais e seu tesouro artístico convida os sentidos à verdadeira adoração do Cristo, Deus revelado na figura humana de Jesus. O culto Católico, portanto, jamais pode ser considerado profano, porque tem Cristo com centro, seja pela música ou iconografia sacra.

AS SANTAS IMAGENS

1159. A imagem sagrada, o «ícone» litúrgico, representa principalmente Cristo. Não pode representar o Deus invisível e incompreensível: foi a Encarnação do Filho de Deus que inaugurou uma nova «economia» das imagens:

«Outrora Deus, que não tem nem corpo nem figura, não podia de modo algum, ser representado por uma imagem. Mas agora, que Ele se fez ver na carne e viveu no meio dos homens, eu posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus [...] Contemplamos a glória do Senhor com o rosto descoberto» (São João Damasceno, De sacris imaginibus oratio 1, 16: PTS 17, 89 e 92 (PG 94, 1245 e 1248).

1160. A iconografia cristã transpõe para a imagem a mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite pela palavra. Imagem e palavra esclarecem-se mutuamente:

«Para dizer brevemente a nossa profissão de fé, nós conservamos todas as tradições da Igreja, escritas ou não, que nos foram transmitidas intactas. Uma delas é a representação pictórica das imagens, que está de acordo com a pregação da história evangélica, acreditando que, de verdade e não só de modo aparente, o Deus Verbo Se fez homem, o que é tão útil como proveitoso, pois as coisas que mutuamente se esclarecem têm indubitavelmente uma significação recíproca» (II Concílio de Niceia (em 787) Terminus: COD p. 135).

1161. Todos os sinais da celebração litúrgica fazem referência a Cristo: também as imagens sagradas da Mãe de Deus e dos santos. De facto, elas significam Cristo que nelas é glorificado; manifestam «a nuvem de testemunhas» (Heb 12, 1) que continuam a participar na salvação do mundo e às quais estamos unidos, sobretudo na celebração sacramental. Através dos seus ícones, é o homem «à imagem de Deus», finalmente transfigurado «à sua semelhança» (Cf. Rm 8, 29; 1 Jo 3, 2), que se revela à nossa fé – como ainda os anjos, também eles recapitulados em Cristo:

«Seguindo a doutrina divinamente inspirada dos nossos santos Padres e a tradição da Igreja Católica, que nós sabemos ser a tradição do Espírito Santo que nela habita, definimos com toda a certeza e cuidado que as veneráveis e santas imagens, bem como as representações da Cruz preciosa e vivificante, pintadas, representadas em mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre as alfaias e vestes sagradas, nos muros e em quadros, nas casas e nos caminhos: e tanto a imagem de nosso Senhor, Deus e Salvador, Jesus Cristo, como a de nossa Senhora, a puríssima e santa Mãe de Deus, a dos santos anjos e de todos os santos e justos» (II Concílio de Niceia, Definitio de sacris imaginibus: DS 600).

1162. «A beleza e a cor das imagens estimulam a minha oração. É uma festa para os meus olhos, e, tal como o espectáculo do campo, impele o meu coração a dar glória a Deus» (São João Damasceno, De sacris imaginibus oratio 1, 47: PTS 17. 151 (PG 94, 1268). A contemplação dos sagrados ícones, unida à meditação da Palavra de Deus e ao canto dos hinos litúrgicos, entra na harmonia dos sinais da celebração, para que o mistério celebrado se imprima na memória do coração e se exprima depois na vida nova dos fiéis.

About these ads

5 thoughts on “Imagens Sagradas versus Idolatria. O que diz a Igreja?

  1. O cavalo de batalha dos Protestantes é acusar os católicos de adorar imagens. Muitas vezes conseguem confundir os mais simples dizendo que Deus proibiu fazer imagens, etc.

    Vamos demonstrar aqui que Deus não proibiu fazer imagens, mas aliás mandou fazer.

    Esclarecimento:

    Imagem: é a representação de um ser em seu aspecto físico. Assim imagem é uma fotografia, uma estátua, um quadro, etc.

    Ídolo: é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.).

    Adorar: é o ato de considerar Deus como o único criador e senhor do mundo.

    Idolatria: é o ato de adorar o falso deus, ou seja, é considerar o falso deus como criador e senhor do universo.

    Venerar: é imitar, honrar, louvar, homenagear, saudar, etc.

    Deus proíbe a fabricação de ídolos, não de imagens. Lendo na Bíblia (Ex 20,1-5), percebemos que Deus proíbe severamente a fabricação de ídolos (falsos deuses) para serem colocados no lugar do Deus verdadeiro (criador do universo).

    Quando as imagens não são para serem colocadas no lugar de Deus, isto é, quando as imagens não são para serem adoradas, então o mesmo Deus as manda fazer, e muitas. Exemplo das imagens que mandou fazer. Ler (Êxodo 25,18-20) (26,1-2; 37,7-9) (1 Reis 6,23-29) (1 Reis 6,32; 7,36; 8,7) (2 Crônicas3,10-14; 5,8) (Ezequiel 41,17-21) (Números 21,8-9) (1 Crônicas 28,18-19) (Números 7,89) (1 Samuel 4,4) (2 Samuel 6,2) (Hebreus 9,5)

    O templo de Deus, construído ricamente pelo rei Salomão, estava cheio de imagens de escultura e Deus se manifestou nesse templo e o encheu de sua glória: (Ezequiel 41,17-20 – 43,4-6). Nesse templo havia até imagens gigantes: (1 Reis 6,23-35) (2 Crônicas 3,10-14) tinha “a serpente de bronze, querubins de ouro, grinaldas de flores, frutos, árvores, leões”, etc. (Números. 21,9) (Êxodo 25,13) (Ezequiel 1,5; 10,20) (1 Reis 6,18,23; 7,36) (Números 8,4).

    É bom lembrar que os primeiros Cristãos usavam imagens nos lugares de culto, nos cemitérios e nas catacumbas. Perseguidos, para auxiliar sua fé tão posta à prova, pintavam e esculpiam naqueles subterrâneos figuras representando Cristo e Sua Mãe Santíssima. O que mostra de passagem que o culto também à Mãe de Cristo é tão antigo quanto o próprio Cristianismo.

    Ademais o fato de que Deus apareceu sob forma visível no mistério da encarnação parece um convite a reproduzir a face humana do Senhor e dos seus amigos. As primeiras imagens eram inspiradas pelo texto bíblico (cordeiro,bom pastor, peixe,Daniel, Moisés); mas podiam também representar o Senhor, a virgem Maria, os Santos Apóstolos e Mártires. Desde os inícios da arquitetura sacra as Igrejas foram enriquecidas com imagens tanto a título de instrução dos iletrados.

    Então para que servem as imagens?

    Elas contribuem para dar aos lugares de culto um aspecto sagrado, e convidam ao recolhimento e à oração (Êxodo 25,22) (1 Reis 6,23-28). Por isso, os querubins da Arca da Aliança não eram simples adornos. Lembravam ainda a mediação secundária dos Anjos (Hebreus 1,14), e integravam os objetos do culto.

    Além desses casos, a Bíblia está cheia de “imagens” e “quadros” que o Artista Divino “pintou” com letras Divinas. Esses quadros inspiraram os artistas humanos e escultores em seus lindos painéis esculturas ou imagens.

    Nós Católicos, adoramos as imagens?

    Não, quem o afirma ou não entende nada de Catolicismo, ou está mentindo e agindo contra a Bíblia. Que é então, que a Bíblia condena como Deuses mudos (Salmos 113,13) e imagens e esculturas de coisas do céu, da terra e das águas? (Êxodo 20,3-5). São os ídolos que os pagãos faziam para representar os seus falsos deuses (Romanos 1,23). De fato os gentios antigos adoravam como “deuses” do céu a certos astros (Júpiter, Vênus, etc). E da terra a certas aves e quadrúpedes, e das águas a certos anfíbios (Êxodo 32,1-6), (Romanos 1,23).

    Os Protestantes precisam entender que nossas imagens não são ídolos, mas recordações dos nossos irmãos na fé. Ídolo é tudo aquilo que toma o lugar de Deus. Assim, os maiores ídolos de hoje são: o poder, o prazer, as riquezas… Quando causam injustiça, exploração, corrupção, morte, etc.

    É bom que fique bem claro que nós católicos, não adoramos a nenhuma imagem, nenhum objeto e nenhuma pessoa humana, pois a Igreja nunca ensinou nem mandou adorar a quem quer que seja; mas sempre ensinou em sua doutrina que devemos adorar unicamente Deus, que é o Pai, o Filho e Espírito Santo.

  2. IRMÃOS CATÓLICOS E MINHAS IRMÃS CATÓLICAS ENTENDAM QUE AS IMAGENS – SÃO NECESSÁRIAS, ÚTEIS E BENÉFICAS PARA OS TEMPLOS

    VEJAM

    Com efeito:
    Tanto em Êxodo 20,4, quanto em Deuteronômio 5,8 consta o seguinte
    “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ ”
    A quarta palavra da direita para a esquerda encontramos a palavra “פסל” que se lê “FESEL” que, no hebraico, significa ÍDOLO. Nas traduções bíblicas encontramos quase sempre “IMAGENS DE ESCULTURA” ou “IMAGENS ESCULPIDAS”. Não está errado. Apenas devemos entender que não se trata de qualquer imagem e sim apenas como imagens de ídolos. É o que se entende quando lemos com cuidado todo o início do Decálogo em que podemos verificar facilmente que se trata de ídolos.
    De forma alguma devemos aí incluir toda e qualquer imagem que Deus considera como necessárias, úteis e benéficas. Fosse o contrário, então Deus não teria:

    1 – mandado fazê-las (Êxodo 25,18; Números 21,8)

    2 – dado suas ordens ao povo falando do meio dos querubins de ouro (Êxodo 25,22);

    3 – operado milagres através delas (Números 21,9; Êxodo 25,22);

    4 – aprovado tais imagens, quando encheu com sua glória o templo de Salomão (que estava repleto delas “por dentro e por fora”) (Números 21,9; 1 Reis 8, 10-11; Êxodo 25,22);

    5 – permitido que seus amigos o adorassem prostrados à frente delas (Josué 7,6)

  3. OS EVANGÉLICOS MISTURAM IMAGENS DE ÍDOLOS, (que é proibido),

    COM IMAGENS SACRAS, (que é permitido por Deus)!

    A idolatria é uma palavra formada por dois radicais, ido, que provém de ídolo e latria, que significa culto a uma divindade

    Veja aqui nesse versículo umas das piadas e contradições protestantes!

    E ainda:”Me prostro voltado para o teu sagrado templo” (Sl 138(137),2

    ]…E lá (no teu santuário), ó Senhor, possamos cantar com o Salmista: “Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
    (Sl 65(64),5).

    PROTESTANTES CHAME ESSE VERSÍCULO DE IDOLATRIA POIS É ISSO QUE A IGREJA FAZ NOS SEUS TEMPLOS.CONTRADIÇÕES PROTESTANTES

    VEJA

    Por outro lado, eu teria – se possível fosse – um enorme prazer em visitar o Templo de Deus, que Salomão mandou edificar; e no qual a glória de Deus pousou.

    Lugar Sacro em que abundavam inúmeras imagens de animais (touros e leões) – imagens que participavam do Verdadeiro Culto a Deus. Aliás, imagens sagradas e abençoadas e que, portanto, conjuntamente com todo o Templo do Altíssimo, eram reverenciadas. Está escrito: “Reverenciareis meu santuário” (Lv 19,30).

    E AGORA PARA REFUTAR OS PROTESTANTES DE UMA VEZ POR TODAS

    SAIBAS QUE era neste mesmo templo que os apóstolos e Jesus iam para orar:

    VEJA

    “Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão.” (João 10,23)

    “Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios.

    Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão.”(Atos 5, 12)

    AGORA EU PEREGUNTO?

    Estariam Jesus e os apóstolos sendo idólatras ao frequentar um templo repletos de imagens de escultura?Clao que não!

    OLHA AQUI MAIS UMA VEZ

    Fica provado, portanto, que Deus nunca proibiu a fabricação de imagens e sim de ídolos para a adoração, colocando-os no lugar do próprio Deus. Desmascaramos assim mais uma falsa interpretação protestante.

    A própria Bíblia as diferenciam, mais são os protestantes que misturam tudo!

    Vou mostrar uma prova bíblica sobre esse tema.

    No livro de Ezequiel, ele próprio cita de que tipo de imagens são ídolos, e os que são proibidos!

    Veja

    Ezequiel 8

    6 E ele me disse: Filho do homem, vês tu o que eles estão fazendo? as grandes abominações que a casa de Israel faz aqui, para que me afaste do meu santuário; Mas verás ainda outras grandes abominações.7 E levou-me à porta do átrio; então olhei, e eis que havia um buraco na parede.8 Então ele me disse: Filho do homem, cava agora na parede. E quando eu tinha cavado na parede, eis que havia uma porta.9 Disse-me ainda: Entra, e vê as ímpias abominações que eles fazem aqui.10 Entrei, pois, e olhei: E eis que toda a forma de répteis, e de animais abomináveis, e todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor.

    No livro de Ezequiel, ídolos são figuras de répteis!

    Agora eu pergunto as seitas protestantes o que as figuras de répteis tem a ver com o catolicismo???

    Agora, vejam no mesmo livro de Ezequiel ele citando as imagens permitidas dentro do templo, e detalhe, TEM ROSTO HUMANO!

    Ezequiel 41

    1 ENTÃO me levou ao templo, e mediu os pilares, seis côvados de largura de um lado, e seis côvados de largura do outro, que era a largura da tenda.(…)17 No espaço em cima da porta, e até na casa, no seu interior e na parte de fora, e até toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo por medida.

    18 E foi feito com querubins e palmeiras, de maneira que cada palmeira estava entre querubim e querubim, e cada querubim tinha dois rostos,

    19 A saber: um rosto de homem olhava para a palmeira de um lado, e um rosto de leãozinho para a palmeira do outro lado; assim foi feito por toda a casa em redor.

    Agora vejam essas outras passagens bíblicas que vai contra toda tese do protestantismo

    Salomão mandou colocar no Santo templo imagens de

    – 2 QUERUBINS no Oráculo (III Reis 6,23-28),

    -mandou colocar no templo

    12 BOIS na bacia de bronze! (III Reis 7,25);

    Mandou colocar no templo

    BOIS e LEOES e QUERUBINS! (III Reis 7,28-29) e

    E ainda “como que figuras de HOMENS EM PÉ”, e

    Mais QUERUBINS e LEÕES (III Reis 7,36);

    Há ainda a estátua que ficou – por um bom período de tempo – na Casa de Deus em Silo: “Eles instalaram para seu uso a imagem que Micas havia esculpido, e ela permaneceu lá todo o tempo em que subsistira a casa de Deus em Silo” (Jz 18,31).

    Haja vista existirem estátuas aceitas no templo (querubins, leões, touros: 1Rs 7,29; além de escultura de guirlandas e palmas: 2 Cron 3,5),afora a estátua da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9) ou dos ratos e tumores (cf. 1Sm 6,11).

    Agora eu me pergunto? Não seria contradição se realmente fosse proibido fazer imagens

    Pois quem abomina quem faz imagens jamais em hipótese alguma daria ordens para fazê-las vocês não acham?

    Pode ter certeza que se fosse proibido fazer imagens

    COMO AS SEITAS PROTESTANTES AFIRMAM A PRÓPRIA BÍBLIA jamais faria referências a imagens

    POIS SE DEUS DIZ NÃO COMETERÁS ADULTÉRIO E NA MESMA BÍBLIA TIVESSE PASSAGENS QUE SE PODE COMETER ADULTÉRIO NÃO SERIA UMA GRANDE CONTRADIÇÃO?

    POR ISSO SE FOSSE PROÍBIDO FAZER IMAGENS OS VERSÍCULOS BÍBLICOS NÃO NOS DARIA MILHARES DE MILHARES DE REFERÊNCIAS SOBRE O TEMA IMAGENS.

    Vamos AGORA ler em Atos 28 Veja o que fez o Católico São Paulo quando embarcou em um Navio indo Para ROMA

    “Ao termo de três meses, embarcamos num navio de Alexandria, que havia passado o inverno na ilha. Este navio levava por INSÍGNIAS* os DIÓSCUROS*”. (At 28,11)

    O NOME INSÍGNIAS : É EMBLEMAS, IMAGENS

    E O NOME DIÓSCUROS: REPRESENTA A IMAGEM DE CASTOR E PÓLUX, ORNANDO A PROA DO NAVIO

    Agora São Paulo, ao embarcar nesse navio cheio de imagens ele não aproveitou a ocasião para condenar aquelas imagens, porque São Paulo era Católico e não um protestante pois ele sabia muito bem distinguir Imagem de Ídolo.

    Agora vamos pensar e raciocinar.

    tanto em Êxodo 20,4, quanto em Deuteronômio 5,8 consta o seguinte

    “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ ”

    A quarta palavra da direita para a esquerda encontramos a palavra “פסל” que se lê “FESEL” que, no hebraico, significa ÍDOLO.

    E mais nas traduções bíblicas encontramos quase sempre “IMAGENS DE ESCULTURA” ou “IMAGENS ESCULPIDAS”.

    Devemos entender que não se trata de qualquer imagem e sim apenas como imagens de ídolos.

    É o que se entende quando lemos com cuidado todo o início do Decálogo em que podemos verificar facilmente que se trata de ídolos.

    Por isso de forma alguma devemos aí incluir toda e qualquer imagem que Deus considera

    Caso Fosse o contrário, então Deus não teria:

    1 – mandado fazê-las (Êxodo 25,18; Números 21,8)

    2 – dado suas ordens ao povo falando do meio dos querubins de ouro (Êxodo 25,22);

    3 – operado milagres através delas (Números 21,9; Êxodo 25,22);

    4 – aprovado tais imagens, quando encheu com sua glória o templo de Salomão (que estava repleto delas “por dentro e por fora”) (Números 21,9; 1 Reis 8, 10-11; Êxodo 25,22);

    5 – permitido que seus amigos o adorassem prostrados à frente delas (Josué 7,6)

    Aqui fica claro que Deus proíbe ídolos se caso não fosse Deus não dirá assim para Moisés

    Veja

    Deus informa a Moisés o seguinte: Eu escolhi Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística para (desenhar) e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras, para entalhar madeira e executar todo tipo de obra artesanal

    Nesse versículo fica claro que é safadeza protestante e dos seus pastores que fazem lavagem cerebral em pessoas inocentes e leigas que são levadas e enganadas pelo livre exame bíblico

    A conhecida sola scriptura.

    Pois meus irmãos católicos e minhas irmãs católicas

    Saibas que são enormes os erros de tradução de João Ferreira de Almeida sobre a palavra Imagens.

    Saibas que em 1683, o tradutor da Bíblia protestante em língua Portuguesa, João Ferreira de Almeida, passa a adulterar as Sagradas Escrituras, colocando o termo “Imagens de Escultura” no lugar de ÍDOLO.

    Para desmascarar esse farsante é simples!

    Leia Exodo 20 verso 3 e 4, no grego e no hebraico, e pegue a palavra EIDLON e PHESEL, traduze ela e veja

    Que a Bíblia protestante está adulterada, em IMAGENS DE ESCULTURA,

    Vejamos esta frase nos escritos originais!

    “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ

    A palavra “פסל” foi escrita em hebraico e se lê “PESEL” que se traduz no grego por “ÊIDOLON” e em português por ÍDOLO. Confira então algumas falsificações, em (Êxodo 20,4) (Isaías 42, 8) (Isaías 42, 17) (Isaías 44,9) (Isaías 44, 10) (Isaías 44,15) (Isaías 44,17) onde nos originais estão as palavras “ÍDOLOS”.

    Além de enfiar a palavra“imagem de escultura”em sua tradução, João Ferreira de Almeida criminosamente enfia também a palavra “procissão” em (Is 45,20). Assim maldosamente, depois de querer condenar as imagens usa mais um pretexto para negar as procissões Católicas.

    As informações daquela época não diziam se Almeida sabia hebraico, mas há uma certeza de que nunca teve às mãos os originais da Bíblia, e sim, escritos do século XVI de Erasmo de Roterdan.

    Por isso hoje, os erros na tradução de João Ferreira de Almeida, aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe.

    Os atualizadores das edições contemporâneas são, na maioria, estrangeiros, que mal conhecem a língua portuguesa, e escrevem no nosso idioma palavras e frases tiradas do inglês, pois é comum esses revisores e atualizadores serem norte-americanos.

    Para aqueles que não sabem muito sobre a vida de João Ferreira de Almeida, eis um pequeno comentário!

    Almeida saiu do Catolicismo por volta de 1642, para ingressar no protestantismo com o objetivo de trabalhar na Igreja Reformada Holandesa, tornando-se radicalmente um anti-Católico.

    Tinha deixado Portugal para viver em Málaca na Malásia, mas em 1651 se transferiu para a Batávia e, em 1656, se ordenou pastor. Por volta de 1642 começou a traduzir para o Português uma parte do Novo Testamento e em 1683 completou a tradução do Pentateuco.

    João Ferreira de Almeida nunca foi Padre, mas usava este título para ganhar credibilidade, pois eram assim também chamados os missionários protestantes.

    O protestantismo atual não sabendo destas falsas traduções, aprendeu através de várias gerações a acusar os Católicos de adorar imagens. Muitas vezes conseguiram e ainda conseguem confundir os mais simples.

    Lendo na Bíblia (Ex 20,1-5), percebemos que Deus proíbe severamente a fabricação de ídolos(falsos deuses) para serem colocados no lugar do Deus verdadeiro (criador do universo) mas Ele não proíbe a fabricação de imagens.

    Vou aqui esclarecer melhor:

    O que é Imagem: é a representação de um ser em seu aspecto físico. Assim imagem é

    : é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos. uma fotografia, uma estátua, um quadro, etc.

    O que é Ídolo é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos.

    O que é Adorar: é o ato de considerar Deus como o único criador e senhor do mundo.

    O que é Idolatria: é o ato de adorar o ídolo, o falso deus, ou seja, é considerar o falso deus como criador e senhor do universo.

    O que é Venerar: é imitar, honrar, louvar, homenagear, saudar, etc. Por isso, nós Católicos, veneramos os Anjos, os Santos e Nossa Senhora.

    Por isso é certo que quando as imagens não são para serem colocadas no lugar de Deus, isto é, quando as imagens não são para serem adoradas, então o mesmo Deus as manda fazer, e muitas. Confira em: (Êxodo 25,18-20) (26,1-2; 37,7-9) (1 Reis 6,23-29) (1 Reis 6,32; 7,36; 8,7) (2 Crônicas3,10-14; 5,8) (Ezequiel 41,17-21) (Números 21,8-9) (1 Crônicas 28,18-19) (Números 7,89) (1 Samuel 4,4) (2 Samuel 6,2) (Hebreus 9,5)

    O templo de Deus, construído ricamente pelo rei Salomão, estava cheio de imagens de escultura e Deus se manifestou nesse templo e o encheu de sua glória: (Ezequiel 41,17-20 – 43,4-6). Nesse templo havia até imagens gigantes: (1 Reis 6,23-35) (2 Crônicas 3,10-14) tinha “a serpente de bronze, querubins de ouro, grinaldas de flores, frutos, árvores, leões”, etc. (Números. 21,9) (Êxodo 25,13) (Ezequiel 1,5; 10,20) (1 Reis 6,18,23; 7,36) (Números 8,4).

    Os primeiros Cristãos usavam imagens nos lugares de culto, nos cemitérios e nas catacumbas. Perseguidos, para auxiliar sua fé tão posta à prova, pintavam e esculpiam naqueles subterrâneos, figuras representando Cristo e Sua Mãe Santíssima. O que mostra de passagem que o culto também à Mãe de Cristo é tão antigo quanto o próprio Cristianismo. Desde os inícios da arquitetura sacra as Igrejas foram enriquecidas com imagens tanto a título de instrução dos iletrados.

    Irmãos e irmãs as imagens contribuem para dar aos lugares de culto um aspecto sagrado, e convidam ao recolhimento e à oração (Êxodo 25,22) (1 Reis 6,23-28). Por isso, os querubins da Arca da Aliança não eram simples adornos. Lembravam ainda a mediação secundária dos Anjos (Hebreus 1,14), e integravam os objetos do culto.

    OBS.: Na Vulgata, inclusive, é citada que, no Templo de Jerusalém, a presença de uma imagem de homem:

    Apresentando como que a figura de um homem de pé” (III Reis 7,36)>> [BÍBLIA SAGRADA (Traduzida da Vulgata), 15a.

    Conclusão

    A Bíblia é bem clara ao mostrar que Deus manda fabricar as imagens, e mais uma vez é fácil notar o grave erro cometido por João Ferreira de Almeida adulterando passagens das Sagradas Escrituras.

    Elevando pastores falastrões a ganhar muito dinheiro a custas de pessoas que tem suas mentes deturpadas ao engano e a mentira.

  4. Contradições protestantes sobre as imagens

    Ainda que alguns protestantes se manifestem a favor do uso de imagens, é muito comum encontrarmos posições críticas a esse respeito. Na maioria das vezes, os protestantes apresentam algumas inconsistências dignas de serm observadas.

    Antes de tudo é bom lembrar que:
    * A própria Bíblia é uma imagem: as palavras impressas sobre o papel nada mais são do que símbolos gráficos que excitam os olhos resultando na imaginação responsável pela compreensão do texto. Em verdade, a Bíblia é a imagem da Palavra de Deus

    * Imagem não é apenas escultura: muito pelo contrário, abrange também pinturas, gravuras, fotografias, desenhos, imagens em 3D e quaisquer outras formas que estimulem a visão. É, portanto, inconcebível que as mesmas igrejas que atacam as imagens sacras defendidas pelos católicos distribuam folhetos, Bíblias e estudos bíblicos ilustrados, quer para crianças, quer para adultos – pois senão também estarão afrontando o Mandamento divino de (Êxodo 20,4) , como dizem que os católicos afrontam…

    Não sei se o caro leitor já teve a oportunidade de ver em alguns panfletos protestantes, ou até mesmos livros, algumas imagens que são utilizadas por eles. Abaixo, apresento algumas delas distribuídas pelos protestantes que costumam a acusar os católicos de idólatras:

    1) Imagem do rosto de Cristo no folheto “Ele é a solução”, produzido e distribuído pelos Adventistas do 7º Dia: qualquer semelhança com as imagens católicas de Cristo não é mera coincidência.

    2) Imagem de Jesus e os discípulos em um barco no “Livro Vida discipular” da Editora LifeWay.

    3) Imagem de Jesus e as crianças na “Bíblia Sagrada” da Sociedade Bíblica do Brasil, concordando, é claro, com as mesmas ilustraçõesutilizadas pela Igreja Católica.

    4) Imagem desenhada representando a visita dos Reis Magos no “Caderno Bíblico nº 1/NT” da Sociedade Bíblica do Brasil: a cena se refere a (Mt 2,1-12), porém concorda com a tradição católica de 3 reis magos, já que esse número não é explicitamente citado pela Bíblia. Bom exemplo do uso de imagens para a catequese.

    5) Marcador de livro distribuído por um candidato membro da Assembléia de Deus de Santos, durante as Eleições de 1998: a cena apresenta Moisés e os hebreus atravessando o Mar Vermelho. Outro ótimo exemplo do uso de imagens para fins catequéticos.

    6) História em quadrinhos produzida pelo americano J.T.C. e distribuída por diversas igrejas protestantes: embora sua real intenção seja combater Maria Santíssima, acaba retratando-a de acordo com a tradição católica.

    7) Imagem de Jesus Cristo no folheto “Quem realmente governa o mundo”, produzido pela Sociedade Torre da Vigia e distribuído pelas Testemunhas de Jeová: Cristo representado com barba e cabelos longos concordam com as imagens católicas.

    8) Estátua de um anjo sobre o templo Mórmon de Salt Lake City, segundo revista “Despertai”, de 08/11/1995: exemplo de imagem em escultura no meio protestante. Falta-nos ver, então o que diz as Escrituras Sagradas e finalmente, a posição oficial da Igreja sobre as imagens.

    “Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de moda formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. (Êxodo 25,18-20) obs: Não devemos esquecer que querubins são imagens de escultura. Acima da porta, no interior e no exterior do templo, e por toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo estava coberto de figuras: querubins e palmas, uma palma entre dois querubins. Os querubins tinham duas faces: uma figura humana de um lado, voltada para a palmeira, e uma face de leão voltada para a palmeira, do outro lado, esculpidas em relevo em toda a volta do templo. Desde o piso até acima da porta, havia representações de querubins e palmeiras, assim como na parede do templo. (Ezequiel 41, 17-20)

    obs: aqui podemos ver até figura humana, face de leão, palmeiras etc. O templo de Deus, construído ricamente pelo rei Salomão, estava cheio de imagens de escultura e Deus se manifestou nesse templo e o encheu de sua glória.

    “Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário. Revestiu também de ouro os querubins. Mandou esculpir em relevo em todas as paredes da casa, ao redor, no santuário como no templo, querubins, palmas e flores abertas”. (1 Reis 6, 23-29)

    Confira mais em: (Êxodo 25,22) ( 2 Crônicas 3, 10-14) (Ezequiel 41, 17-21) (2 Samuel 6,2) (1 Reis 7, 23-26) (Êxodo 26, 1-2)

    Agora vamos a posição oficial da Igreja. Esta pode ser retirada do Catecismo da Igreja Católica

    476. Visto que o Verbo se fez carne assumindo uma verdadeira humanidade, o corpo de Cristo era delimitado. Em razão disto, o rosto humano de Jesus pode ser ‘representado’ (Gl 3,1). No VII Concílio Ecumêncio [=II Concílio de Nicéia] a Igreja reconheceu como legítimo que Ele seja representado em imagens sagradas.

    1159. A imagem sacra, o ícone litúrgico, representa principalmente Cristo. Ela não pode representar o Deus invisível e incompreensível; é a encarnação do Filho de Deus que inaugurou uma nova ‘economia’ das imagens: “Antigamente Deus, que não tem nem corpo nem aparência, não podia em absoluto ser representado por uma imagem. Mas agora, que se mostrou na carne e viveu com os homens, posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus. (…) Com o rosto descoberto, contemplamos a glória do Senhor” (São João Damasceno, Imag. 1,16).

    1160. A iconografia cristã transcreve pela imagem a mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite pela palavra. Imagem e palavra iluminam-se mutuamente: “Para proferir sucintamente a nossa profissão de fé, conservamos todas as tradições da Igreja, escritas ou não escritas, que nos têm sido transmitidas sem alteração. Uma delas é a representação pictórica das imagens, que concorda com a pregação da história evangélica, crendo que, de verdade e não na aparência, o Verbo de Deus se fez homem, o que é também útil e proveitoso, pois as coisas que se iluminam mutuamente têm sem dúvida um significado recíproco” (II Concílio de Nicéia, DOC 111).

    1161. Todos os sinais da celebração litúrgica são relativos a Cristo: são-no também as imagens sacras da santa mãe de Deus e dos santos. Significam o Cristo que é glorificado neles. Manifestam a nuvem de testemunhas’ (Hebreus 12,1) que continuam a participar da salvação do mundo e às quais estamos unidos, sobretudo na celebração sacramental. Através dos seus ícones, revela-se à nossa fé o homem criado ‘à imagem de Deus’ e transfigurado ‘à sua semelhança’, assim como os anjos, também recapitulados por Cristo [...].

    1162. “A beleza e a cor das imagens estimulam a minha oração. É uma festa para os meus olhos, tanto quanto o espetáculo do campo estimula meu coração a dar glória a Deus” (São João Damasceno, Imag. 1,27). A contemplação dos ícones santos, associada à meditação da Palavra de Deus e ao canto dos hinos litúrgicos, entra na harmonia dos sinais da celebração para que o mistério celebrado se grave na memória do coração e se exprima em seguida na vida nova dos fiéis.

    2130. No entanto, desde o Antigo Testamento Deus ordenou ou permitiu a instituição de imagens que conduziriam simbolicamente à salvação através do Verbo encarnado, como são a serpente de bronze (Nm 21,4-9) (Sb 16,5-14) (Jo 3,14-15), a arca da aliança e os querubins (Ex 25,10-22) (1Rs 6,23-28) (7,23-26).

    2131. Foi fundamentando-se no mistério do Verbo encarnado que o sétimo Concílio Ecumênico, em Nicéia (em 787), justificou, contra os iconoclastas, o culto dos ícones: os de Cristo, mas também os da Mãe de Deus, dos anjos e de todos os santos. Ao se encarnar, o Filho de Deus inaugurou uma nova economia de imagens.

    2132. O culto cristão de imagens não é contrário ao primeiro mandamento que proíbe os ídolos. De fato, “a honra prestada a uma imagem se dirige ao modelo original” (São Basílio, Spir. 18,45), e “quem venera uma imagem, venera nela a pessoa que nela está pintada” (II Concílio de Nicéia, DS 601). A honra prestada às santas imagens é uma veneração respeitosa, e não uma adoração, que só compete a Deus: “O culto da religião não se dirige às imagens em si como realidades, mas as considera em seu aspecto próprio de imagens que nos conduzem ao Deus encarnado. Ora, o movimento que se dirige à imagem enquanto tal não termina nela, mas tende para a realidade da qual é imagem” (São Tomás de Aquino, S.Th. 2-2,81,3,ad 3).

    2691. [...] A escolha de um lugar favorável não é sem importância para a verdade da oração: para oração pessoal, pode ser um ‘recanto de oração’, com as Sagradas Escrituras e imagens sagradas, para aí estar ‘no segredo’ diante do Pai. Numa família cristã, essa espécie de pequeno oratório favorece a oração em comum; […)

    2705. A meditação é sobre tudo uma procura. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã a fim de aderir e responder ao que o Senhor pede. Para tanto é indispensável uma atenção difícil de ser disciplinada. Geralmente, utiliza-se um livro, e os cristãos dispõem de muitos: as Sagradas Escrituras, o Evangelho especialmente, as imagens sagradas, os textos litúrgicos do dia ou do tempo, os escritos dos Padres espirituais, as obras de espiritualidade, o grande livro da criação e o da história, a página do ‘Hoje’ de Deus.

  5. Pingback: Porque os Católicos são contra a retirada dos Crucifixos das repartições públicas | Ecclesia Militans

Os comentários estão desativados.