Mais uma resposta católica à um equívoco grave dos evangélicos contra a Nossa Senhora


murillo_immaculate_conception

Maria pecou, porque Romanos 3:23 diz:  “Todos pecaram e carecem da glória de Deus.”  A primeira carta de  João 1:8 acrescenta:

“Se alguém diz que não tem pecado é mentiroso e a verdade não está nele”. Estes textos não poderiam ser mais clarospara milhões de protestantes, será que os Católicos não percebem isso? Como alguém poderia acreditar que Maria estava livre de todo pecado à luz dessas passagens da Escritura, ainda mais quando a própria Maria disse: “A minha alma se alegra em Deus, meu Salvador em Lucas 1:47 . Maria compreendia claramente ser uma pecadora e admite precisar de um salvador!!

A resposta católica

Muitos protestantes ficariam surpresos ao descobrirem que a Igreja Católica, na verdade, afirma que Maria foi “salva”. De fato, Maria precisava de um salvador como qualquer outro mortal! No entanto, Maria foi “salva” do pecado de uma forma mais sublime. Ela foi dada a graça de ser “salva” completamente do pecado, para que nunca cometesse a menor transgressão. Os evengélicos tendem a enfatizar a “salvação”  quase que exclusivamente como o perdão dos pecados já cometidos. No entanto, a Sagrada Escritura indica que a salvação também pode se referir ao homem  no sentido de protegê-lo do pecado antes do fato :

Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis diante da presença de sua glória, com alegria, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade , domínio e poder, antes de todos os tempos e agora e para sempre. (Judas 24-25)

Seiscentos anos atrás, o grande teólogo franciscano Duns Scotus explicou que a queda em pecado poderia ser comparada a um homem se aproximando inadvertidamente à uma vala profunda. Se ele cai na vala, ele precisa de alguém para baixar uma corda e salvá-lo. Mas se alguém avisá-lo do perigo à frente, impedindo-o de cair na vala, ele seria salvo de cair em primeiro lugar. Da mesma forma, Maria foi salva do pecado, recebendo a graça de ser preservada dele. Mas ainda assim, foi salva.

Todos pecaram, exceto . . .

Mas o que dizer das passagens “todos pecaram ” ( Rom. 3:23 ), e “se alguém diz que não tem pecado é mentiroso e a verdade não está nele ” (1 João 1:8 ) ? Não seria “todo” e “qualquer homem” incluindo Maria? Em princípio, isso soa razoável e parece lógico. Mas esta maneira de pensar, levada à sua conclusão lógica, significaria incluir TODOS, inclusive um recém-nascido inocente, como parte desse “todos”. Nenhum cristão fiel ousaria dizer isso. No entanto, nenhum cristão pode negar a clareza dos textos da Escritura afirmando a plena humanidade de Cristo. Assim, tomar 1 João 1:8 em um sentido estrito, literal, seria aplicar “qualquer homem” também a Jesus, porque o texto diz TODOS, não diz: TODOS, exceto Jesus.

A verdade é que Jesus Cristo foi uma exceção a Romanos 3,23 e 1 João 1,8. E a Bíblia nos diz isso em Hebreus 4,15 – “Cristo foi tentado em todos os pontos como nós somos e ainda assim ele estava sem pecado”. A questão agora é: Existem outras exceções a esta regra? Sim, provavelmente muitas delas.

Tanto Romanos 3,23 e 1 João 1,8 lidam com pecado pessoal ao invés de pecado original. (Romanos 5 trata de pecado original). E há duas exceções a essa norma bíblica em geral. Mas, por agora, vamos simplesmente lidar com Romanos 3,23 e 1 João 1,8. Primeiro a Carta de João 1,8, obviamente, refere-se ao pecado pessoal porque, no próximo verso, João nos diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados … “Nós não confessamos o pecado original; confessamos os pecados pessoais.

O contexto de Romanos 3,23 deixa também deixa claro que ele se refere a pecado pessoal:

Não há justo, nem sequer um, ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram de errado, ninguém faz o bem, nem um sequer. As suas garganta são um sepulcro aberto. Eles usam suas línguas para enganar. O veneno  está nos seus lábios. Suas bocas estão cheia de maldição e amargura. (Romanos 3,10-14 )

O pecado original não é algo que fazemos, é algo que herdamos. Romanos capítulo 3 lida com o pecado pessoal, porque fala de pecados cometidos pelo pecador. Com isso em mente, considere o seguinte: Um bebê no útero ou uma criança de dois anos já cometeu um pecado pessoal? Não. Porque para pecar a pessoa tem que saber que o ato que ele está prestes a realizar é pecaminoso, e ao mesmo tempo,  livremente engajar a sua vontade em realizá-lo.  Portanto, sem as faculdades adequadas que lhes permitam o pecado, as crianças antes de alcançarem a idade da responsabilidade  e da razão, bem como quem não tem o uso de seu intelecto, e não pode pecar. Assim, existem e existiram milhões de exceções a Romanos 3,23 e 1 João 1,8!!!

Mas então podemos com isso concluir que a Bíblia mentiu ou errou? Claro que não, o mais provável é que a interpretação protestante, essa sim esteja em erro!! Para negar isso o protestante deve necessariamente afirmar que um bebezinho recém-nascido está incluído na palavra TODOS pecaram!

Mesmo assim, como sabemos que Maria é uma exceção à norma do “todos pecaram” ? E mais importante, há apoio bíblico para essa afirmação? Sim, há muito apoio bíblico!

O nome já diz tudo

E [o anjo Gabriel ] veio à [ Maria ] e disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo ! ” Mas ela ficou perturbada com a palavra, e considerado-as em sua mente que tipo de saudação seria essa. E o anjo disse-lhe: “Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus.” (Lucas 1:28-30 )

Muitos protestantes insistirão que este texto não passa de uma saudação comum do Arcanjo Gabriel a Maria.” O que isso tem a ver com Maria não ter pecado? “No entanto, a verdade é que, de acordo com a própria Maria , esta não era uma saudação comum. O texto revela que Maria ficou “muito perturbada com o dito e considerou em sua mente que tipo de saudação seria essa” (Lucas 1:29 , ênfase adicionada) . O que havia nesta saudação que era tão incomum para Maria reagir desta maneira? Podemos considerar pelo menos dois aspectos chaves:

Primeiro, de acordo com os estudiosos bíblicos (bem como o Papa João Paulo II) , o anjo fez mais do que simplesmente cumprimentar Maria. O anjo realmente comunicou um novo nome ou título a ela. ( cf. Redemptoris Mater, 8, 9). Em grego, a saudação foi Kaire, kekaritomene, ou seja, “Ave, cheia de graça”. Geralmente, quando alguém é saudado com Kaire (Salve), um nome ou título é adicionado no contexto imediato. “Salve, rei dos judeus” em João 19,03 e “Claudias Lysias, a Sua Excelência o governador Felix, Salve” (Atos 23,26 ) são dois exemplos bíblicos deste fato. O fato de que o anjo substitui o nome de Maria na saudação por “Kekaritomene” ou “cheia de graça” não foi nada comum. Isso seria análogo a alguém, por exemplo,  ao falar a um técnico em computação, por exemplo, dizer: “Olá, Aquele Que Conserta Computadores.” Na cultura hebraica, nomes e mudanças de nome nos dizem algo permanente sobre o caráter e a vocação e do chamado daquele indivíduo.

Apenas para ilustrar a importância deste ponto, vamos recordar as mudanças de nome de Abrão para Abraão ( de “pai ” para ” pai das multidões”) em Gênesis 17,05, de Saray para Sara ( “minha princesa” para “princesa” ), em Gênesis 17,15 e Jacó para Israel (“suplantador” para “ele que prevalece com Deus” ) em Gênesis 32,28. O nome na era Bíblica, principalmente na cultura Hebraica, era algo seríssimo, escolhido com critério e grande seriedade. Portanto, não se deixe levar pela frivolidade dos nossos tempos ao olhar para temas da Bíblia, isso é um grande erro cometido por amadores ao estudarem as escrituras.

Em cada caso, os nomes revelam algo permanente sobre o nomeado. Abraão e Sara transição de ser um “pai” e “princesa” de uma família para serem “pai” e “princesa” ou ” mãe” de todo o povo de Deus (cf. Rom 4:1-18 , é 51. . : 1-2). Eles se tornam patriarca e matriarca do povo de Deus para sempre. Jacó para Israel se torna patriarca cujo nome, “ele que prevalece com Deus”, continua para sempre na Igreja, que é chamada de “o Israel de Deus” (Gl 6:16) . O povo de Deus sempre vai ” mprevalecer com Deus” na figura do patriarca Jacó. Pedro, antes Simão, recebeu um nome Cephas (Petrus – Pedro), tornando-se a pedra. etc…

O que há em um nome ? Segundo as Escrituras, muito.

São Lucas usa o particípio passivo perfeito, kekaritomene, como o seu “nome” para Maria. Esta palavra significa literalmente “aquela que foi agraciada” em um sentido completo.  Este adjetivo verbal, “agraciada “, não está apenas descrevendo uma ação simples passada. O Grego tem outra conjugação para convir esse sentido. O tempo perfeito é usado para indicar que uma ação foi concluída no passado, resultando em um estado atual de ser. “Cheia de graça” é o nome de Maria. Então, o que isso nos diz sobre Maria ?  Bem, o cristão comum não é pleno em graça e em um sentido permanente (ver Phil 3,8-12). Mas de acordo com o anjo, Maria é. Você e eu pecamos , não por causa da graça, mas por causa de uma falta de graça, ou a falta de nossa cooperação com a graça, em nossas vidas.  Esta saudação do anjo é uma indicação para o caráter e o chamado único da Mãe de Deus. Só à Maria é dado o nome de “cheia de graça” e no tempo verbal perfeito, indicando que este estado permanente de Maria foi concluído.

Arca da (Nova) Aliança

A Arca do Antigo Testamento da Aliança era um verdadeiro ícone do sagrado. Porque continha a presença de Deus simbolizada por três ‘tipos’ (ou tipologia) da vinda do Messias – o maná, os Dez Mandamentos, o cajado de Aarão, que tinha que ser pura e intocada pelo homem pecador (ver 2 Sam. 6,1-9 e Ex. 25,10 ss; Num 4,15).

No Novo Testamento, a nova Arca não é um objeto inanimado, mas uma pessoa: a Mãe de Deus. Quão mais pura seria a nova Arca, quando consideramos que a velha arca era uma mera “sombra ou prefiguração” em relação à nova (ver Hb 10, 01 )? Esta imagem de Maria como a Arca da Aliança é um indicador de que Maria seria oportunamente livre de todo contágio do pecado para ser um vaso digno de levar Deus em seu ventre. E o mais importante , assim como a Arca da Antiga Aliança foi preservada desde o momento em que foi construída, com instruções divinas explícitas em Êxodo 25 , do mesmo modo Maria foi pura a partir do momento de sua concepção. Deus, em certo sentido, preparou sua própria moradia, tanto no Antigo como no Novo Testamento .

A Arca da Aliança continha três “tipologias” de Jesus dentro de si: o maná , o cajado de Arão, e os Dez Mandamentos. Em hebraico, mandamento (dabar ) pode ser traduzido como “palavra”. Compare: Maria carregou a realização de todos esses tipos em seu corpo. Jesus é o “verdadeiro [ maná ] que vem do céu ” (João 6,32) , o verdadeiro “sumo sacerdote” (Hb 3,1) , e ” a palavra que se fez carne ” (João 1:14) .

A nuvem de glória (hebraico Anan) foi representativa do Espírito Santo, e ” ofuscou ” a Arca quando Moisés a consagrou em Ex . 40, 32-33. A palavra grega para “ofuscar ou encobrir” encontrada na Septuaginta é uma forma do termo episkiasei. Compare: “O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te encobrirá, por isso a criança que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus” (Lucas 1:35 ) . A palavra grega para “ofuscar ou encobrir” é episkiasei.  David “pulou e dançou” perante a Arca quando estava sendo levada para Jerusalém em procissão em 2 Sam . 6,14-16. Compare: Assim que Isabel ouviu o som de saudação de Maria, João Batista “pulou de alegria” em seu ventre (cf. Lc 1,41-44 ) .

Após a manifestação do poder de Deus trabalhando através da Arca, David exclama: “Como é que a Arca do Senhor, vem a mim ? ” Compare: Depois da revelação de Isabel sobre a verdadeira vocação de Maria, que estava carregando Deus em seu ventre, Isabel exclama: “Por que me é dado, que a mãe do meu Senhor venha me visitar ? ” (Lucas 1:43)

A Arca do Senhor “permaneceu na casa de Obede-Edom … por três meses “em 2 Samuel 6,11 . Compare: “Maria permaneceu com [ Isabel ] por cerca de três meses” ( Lucas 1:56 ) .

O Novo

É importante para nos lembrarmos que as realizações da Nova Aliança são sempre mais gloriosas e mais perfeitas do que as ‘tipologias’ do Antigo Testamento, que são ” apenas uma sombra das boas coisas por vir” na Nova Aliança (Hb 10,1). Com isto em mente , vamos considerar a revelação de Maria como a “Nova Eva “. Após a queda de Adão e Eva em Gênesis 3 , Deus prometeu o advento de uma outra “mulher ” em Gênesis 3:15 , ou uma “Nova Eva” que iria se opor à Lúcifer, e cuja “semente” iria esmagar a cabeça dele. Esta “mulher” e “a semente” iriam reverter a maldição, por assim dizer, que o “homem” original e “mulher” trouxeram à humanidade através de sua desobediência.

É mais importante aqui notar “Adão” e “Eva ” são revelados simplesmente como “homem ” e “mulher” antes do nome da mulher ser mudado para “Eva” ( hebraico, “mãe dos viventes ” ) depois da queda ( veja Gn 2,21 ss). Quando, em seguida, olhamos para a Nova Aliança, Jesus é explicitamente chamado de co “último Adão”, ou o “Novo Adão” em 1 Coríntios. 15,45. E o próprio Jesus indica que Maria é a profética “mulher ” ou ” Nova Eva” de Gênesis 3,15 , quando ele se refere à sua mãe como “mulher” em João 2,4 e 19,26. Além disso, São João refere-se à Maria como “mulher ” oito vezes em Apocalipse 12. Assim

como a primeira Eva trouxe a morte a todos os seus filhos através da desobediência ao ouvir as palavras da antiga serpente, o diabo, a “Nova Eva” do Apocalipse 12 traz vida e salvação a todos os seus filhos através de sua obediência. A mesma “serpente” que enganou a mulher original do Genesis é revelada, em Apocalipse 12, ao falhar em sua tentativa de superar esta nova mulher. A Nova Eva vence a serpente e, como resultado , “A serpente zanga-se com a mulher, e faz guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus, e dão testemunho de Jesus” (Ap . 12:17) .

Se Maria é a nova Eva e as realizações do Novo Testamento são sempre mais gloriosas do que as que as antecedem no Antigo Testamento, seria impensável que Maria fosse concebida em pecado. Se não o fosse assim, ela seria inferior a Eva, a qual foi criada em um estado perfeito, livre de todo pecado.

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica, Idolatria & Santos e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

36 respostas para Mais uma resposta católica à um equívoco grave dos evangélicos contra a Nossa Senhora

  1. Alexandre disse:

    Por favor, me corrijam se eu estiver errado, mas até onde eu sei, o catolicismo ensina que Maria foi concebida sem pecados, inclusive sem o pecado original, que é o pecado herdado de Adão e Eva (que passa de geração a geração por natureza humana). Com este ensino, o catolicismo parece querer equiparar Maria com Jesus. No Novo Testamento há diversos textos provando que o único ser humano que foi concebido sem pecados é o Senhor Jesus Cristo, veja Hebreus 4:15; 7:26; 9:14; 1ª Pedro 1:19; 2:22; 1ª João 3:5. Porém, não há um único versículo alegando que Maria tenha sido igualmente concebida sem pecados. Isto não significa de modo algum, que Maria era uma pecadora, nem que era uma mulher qualquer, pois tal pensamento é tão errado quanto acreditar que ela já nasceu sem pecados. Em Lucas 1:28 o anjo Gabriel anuncia a Maria dizendo: “Alegre-te CHEIA DE GRAÇA, o Senhor está contigo”. Todos sabem que a palavra “graça” (do grego charis e do latim gratia) significa “FAVOR IMERECIDO”. Portanto, ao chamar Maria de “cheia de graça” o anjo estava dizendo que Maria não era digna de tal favor, mas que mesmo assim, o Senhor era com ela. Assim, subintende-se que ela foi santificada e preparada para tão sublime missão de ser a mãe de Jesus. De acordo com todo o contexto bíblico, a graça só opera onde há pecado, pois a graça funciona como uma espécie de antidoto contra o pecado. Em Romanos 5:20, diz que “onde abundou o pecado, superabundou a graça”. Portanto, se Maria foi cheia de graça, então é falsa a ideia de que ela foi concebida sem pecados, pois a graça só poderia operar na vida dela havendo pecado. Em concordância com as Escrituras, até creio que Maria pela graça de Deus e com a ajuda do Espírito Santo, vivia em perfeita santidade se preservando do pecado, assim como procura fazer qualquer cristão verdadeiro, mas dizer que ela já nasceu sem pecados, aí já é demais, né? De fato a Bíblia diz que todos pecaram, mas ao mesmo tempo ela afirma também que o único concebido sem pecados foi Jesus Cristo. Se todos pecaram e se a única exceção é Jesus Cristo, então o que dizer de Maria? A única resposta cabível é que ela também pecou, ou melhor, ela também herdou a natureza pecaminosa de Adão e Eva, mas pela graça de Deus ela foi santificada, daí a razão da saudação do anjo Gabriel “Alegra-te cheia de graça”. Veja que Maria era de fato tão humilde que ela mesma reconheceu as suas fraquezas, quando disse: “…e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque atentou na humildade de sua serva…” (Lucas 1:47,48). Para encerrar, qual apóstolo ou servo de Jesus Cristo fez alguma analogia relacionando Maria e a Arca da Aliança, tal como foi apresentada neste post? De igual modo, qual apóstolo ensinou que Maria é a nova Eva? Portanto, essas comparações extra bíblicas, parecem ser na verdade, uma tentativa de equiparar Maria com Jesus, mas isto não encontra nenhum respaldo na doutrina verdadeiramente apostólica.

    Curtir

    • Hellen disse:

      Como o sr pediu, sim vou corrigi-lo, pôs está errado. Maria foi preservada do pecado mas é criatura. Salva por Deus, pois Ele desejou e permitiu que ela fosse preservada.
      Sendo assim, infinitamente inferior a Cristo. Esse sim, UM com Deus por quem é para quem tudo foi criado.

      Paz Domini
      H.

      Curtir

    • Hellen disse:

      A Bíblia tb diz que Jesus era cheio de graça. Mas sabemos que ele não pecou.
      Seu argumento é falso.

      Curtir

      • Alexandre disse:

        De fato em João 1:14 o evangelista se refere a Cristo como “cheio de graça e de verdade”. Porém, a relação Jesus – Maria, é que diversos textos bíblicos afirmam que Jesus foi o único humano concebido sem pecados, mas não há nenhuma referência afirmando o mesmo a respeito de Maria, sua mãe. Portanto, Jesus é cheio de graça porque ele é a fonte da graça, ou seja, ele é a fonte dos favores imerecidos de Deus. Por outro lado, Maria é apenas uma agente passiva, que mesmo sendo indigna, mas foi agraciada, ou seja, foi escolhida, alcançada e santificada pela fonte da graça – Jesus. Essa mesma graça se estende a toda a humanidade perdida no pecado, pois a maravilhosa graça de Jesus se manifesta aniquilando todo pecado.

        Curtir

        • Hellen disse:

          CAro Alexandre,

          Na Minha resposta anterior quis apenas refutar o seu argumento que ser “cheio de graça” necessariamente implica que a pessoa pecou. Essa contenda gsnho eu, pois mostrei que Cristo tbm é Cheio de Graça.

          Agora os demais argumentos são interpretações.

          O texto acima mostra exatamente o por quê da interpretação da Igreja. Ela não inventou isso, ela entendeu ser assim. Ponto final.

          O seu argumento também parece equivocado aos olhos católicos. Porém suas evidências não são tão convincentes.

          Pax Domini

          Curtir

          • Alexandre disse:

            Muito legal, cada um tem as suas convicções e eu respeito a todos. O mais importante nesse tipo de diálogo, não é convencer o outro daquilo que se acredita ser a verdade, mas sim a troca de ideias, pois por meio de uma troca de ideias saudável e respeitosa, é possível entender melhor o que o outro pensa. Um abraço e até a próxima questão.

            Curtir

    • Ary Ribeiro disse:

      A Igreja nunca teve a pretensão de equiparar Maria a Jesus. Os protestantes tem insuperável dificuldade de aceitar a imaculada concepção de Maria, tal como ensinada pela Igreja. Se é verdade que os deuses dos grupos religiosos não conseguem criar ninguém sem pecado, é verdade bíblica que para o único e verdadeiro Deus nada há que seja impossível. Por isso, Deus não teve dificuldade nenhuma de criar Maria sem pecado e ela não foi a única. Fica então o desafio ao adepto de qualquer grupo religioso descobrir, na Bíblia, outras pessoas que Deus criou sem pecado.

      Curtir

  2. Maurício Irineu disse:

    Sobre Maria: O que a igreja católica fez dela é um absurdo; Maria pecou antes de gerar Jesus e pecou depois que Jesus nasceu. Só ele foi sem pecado nesta terra. Maria teve mais filhos e filhas depois de Jesus, mas a igreja católica castrou José e deixou que ele fosse marido de Maria sem consumar o casamento, como se isso fosse pecado diante de Deus.
    Eu sou de Alagoas e numa cidade do interior do Estado (Palmeira dos Índios) tem uma igreja católica numa esquina e, entalhado em seu muro, existem 55 títulos abribuídos à Maria. Nem Maria sabe que fizeram isso com ela; colocaram o Filho dela no “chulé”; coitadinho de Jesus: perdeu feio pra sua mãe… ainda bem que isso é apenas invencionice da igreja católica sobre Maria!!! A igreja católica se deu ao desfrute de criar e inventar dogmas e doutrinas anti bíblicas e “empurrar de guela abaixo” nos católicos que, a bem da verdade, não conhecem nada da Palavra de Deus. É muito fácil enganar os leigos!

    Curtir

  3. Jairo Reni Silva Visintainer disse:

    Só falta você dizer que Maria nunca dormiu com José, nunca teve relações, não teve mais filhos, etc. Creio que Maria realmente foi alguém especial, santa, no sentido bíblico, ou seja separada para o Senhor, virgem até a concepção de Jesus. A partir dali foi uma mulher normal, casada, com filhos, com esposo. Como se honra um casamento sem relacionamento? Esta tradição foi imposta pela Igreja Católica, mas não quer dizer que é verdadeira. Argumentos extrabíblicos não podem ter maior valor do que a Palavra de Deus. (verifique Gálata 1.19; Mateus 12.46, Lucas 8.19 e Marcos 3.31) Sei que a igreja católica diz que eles seriam primos de Jesus, muito conveniente para quem introduziu a ideia de que Maria se manteve virgem, não? A igreja católica simplesmente deixou de adorar a Verdade para inventar e atribuir ídolos dentro da cristandade. Começou e continua fazendo o mesmo que os judeus faziam durante o exílio, ou seja, se apegaram a ídolos e deixaram Deus de lado. Seria muito bom se a “Igreja” voltasse ao seu primeiro amor, como diz lá em Apocalípse. A mentira não deve prevalecer e a cegueira espiritual foi institucionalizada. Seria muito mais prático seguirem o que está na Bíblica, sem interpretações tendenciosas e especulativas, sem inventar purgatório, sem criar santos institucionais, pois a Bíblia deixa clara que a santidade deve ser alvo de todo o cristão. O poder corrompe. Você já pensou no quanto a igreja católica acumulou de ouro e bens ? Já pensou que a maioria das terras e propriedades, não só no Brasil, mas em vários países, pertencem a sua igreja que não abre mão de um centavo para distribuir aos pobres. Para que tanta ostentação? Porque um banco católico? Isto sem falar na atrocidades que foram cometidas no passado em nome de Deus, como a inquisição, a perseguição aos outros cristãos que não compartilhavam da mesma ideologia. Se isto é evangelho eu prefiro ficar de fora….

    Curtir

  4. Respondendo o nosso querido Sidnei. A Igreja é um Corpo visível e invisível. Em seu aspecto visível a Igreja é uma instituição religiosa com sistema de governo, forma de culto, influência política, etc., porém, em seu aspecto invisível a Igreja é o Corpo místico de Cristo na terra. É invisível, pois é constituída somente de verdadeiros cristãos, independente da instituição religiosa. Somente Deus conhece os seus verdadeiros servos e por isto, o Corpo místico de Cristo é chamado de igreja invisível. A Igreja quanto ao seu aspecto visível, jamais pode ser infalível, pois é constituída não só de cristãos verdadeiros, mas também de falsos (Mateus 13:25-30,36-43). Além do mais, está sujeita a cair em apostasia, sendo que a igreja romana foi das primeiras a cair em tal situação degradante (1ª Timóteo 4:1; 2ª Tessalonicenses 2:3) e a história está ai para provar, só não vê quem não quer. O joio e a apostasia são sementes de contaminação lançadas nas igrejas pelo Diabo. A Igreja de Cristo é, portanto, infalível tão somente em seu aspecto invisível, pois mesmo que a instituição religiosa venha sucumbir na apostasia, Deus sempre suscitará um remanescente de fiéis verdadeiros para honrar o seu nome e a sua Palavra. Sempre será assim, o Diabo lançando o joio e Deus suscitando fiéis testemunhas (Lucas 3:8). Desta forma, as portas do inferno, nunca prevalecerão contra a Igreja de Deus. Veja bem, Jesus não é mentiroso, pois em parte alguma das Escrituras ele jamais afirmou que a sua Igreja seria infalível, portanto, mente quem afirma ser a Igreja infalível. Jesus tão somente afirmou que “as portas do inferno não prevaleceriam contra ela”. Isto dá a entender que haveria resistências, mas a Igreja jamais sucumbiria completamente, sendo ininterrupta desde a sua fundação, graças ao remanescente suscitado pelo próprio Deus. Agora, se Pedro era infalível, como se explica o fato dele ter negado o Senhor Jesus por três vezes? (Lucas 22:54-62). Por que foi repreendido por Jesus em Mateus 16:23, logo após a sua memorável confissão? Como se explica também, o fato de Pedro ter recebido repreensão por parte do apóstolo Paulo ao manifestar duplo comportamento dentro da Igreja de Deus? (Gálatas 2:11-14). Em relação ao Papa, se é infalível, por que os dogmas são contraditórios em relação aos ensinos bíblicos e apostólicos? Se é infalível por que então, milhares de pessoas sofreram os horrores da inquisição? O Papa instituiu a inquisição inspirado por Deus? É preciso entender que Cristo é a razão da Igreja existir e não Pedro. No texto de Mateus 16:13-23, Jesus fez um trocadilho de palavras para dizer que a Igreja estaria edificada sobre ele mesmo, pois somente ele é a pedra angular (Atos 4:11; Efésios 2:20). Portanto, é sobre a confissão de Pedro: “tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”, que a Igreja está edificada e não sobre a sua pessoa. Note bem, que Jesus não disse “sobre ti edificarei a minha Igreja”, mas disse sim: “sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”. Quem é a pedra-rocha? A pedra é o próprio Cristo, o Filho do Deus vivo.Três figuras representam a Igreja: edifício, corpo e noiva. O Senhor Jesus é o Fundamento do edifício, a Cabeça do corpo e o Esposo da noiva. Em Mateus 16:18 é clara a figura de um edifício: “Edificarei a minha Igreja”. Cristo é o único fundamento seguro. Se a Igreja fosse edificada sobre Pedro, certamente que o seu fundamento seria muito frágil e instável. Por três vezes Pedro negou a Jesus, dizendo que não o conhecia, sendo reabilitado quando o Senhor ressuscitou (Mateus 26:69-75; João 21:15-17). Pedro nunca se declarou como sendo o fundamento ou pedra angular, mas sempre deixou claro, que Jesus Cristo é a “pedra angular” (1ª Pedro 2:4-7). Em nenhum texto bíblico, Pedro é apresentado como sendo líder absoluto sobre toda a Igreja e pelo visto, Tiago às vezes recebia maior destaque (Gálatas 2:7-9). Em relação à autoridade das “chaves do Reino”, outro texto indica que elas foram entregues não somente a Pedro, mas aos crentes de um modo geral (Mateus 18:15-20). Assim, ao afirmar que às portas do inferno não prevaleceriam contra a sua Igreja, Jesus não estava falando sobre infalibilidade papal. O catolicismo afirma que a promessa feita por Cristo em Mateus 28:20 é a garantia da preservação de todo erro. Porém, Cristo também prometeu estar com seu povo individualmente (Mateus 18:20). Isto significaria dizer que todos nós somos infalíveis? Não, inclusive desde os primeiros séculos já era possível ver erros na Igreja. Veja que em Jesus afirmou que o joio cresce junto com o trigo e somente no fim dos tempos é que serão separados pelos ceifeiros – anjos (Mateus 13:24-30). O joio representa as heresias, as falsas doutrinas, os falsos profetas e os falsos cristãos, e na parábola do trigo e do joio, Jesus estava dizendo que tudo isto sempre haverá, enquanto a Igreja existir sobre a face da terra. Graças aos muitos erros cometidos pelos papas, o catolicismo afirma hoje, que o Papa é infalível apenas em questões doutrinárias e não em questões morais e éticas. Se a Igreja Católica é infalível em doutrina, porque então através dos séculos tantas doutrinas têm sido mudadas e outras acrescentadas? Porque não são mais ensinados os poderes temporais da Igreja? Por que já não se pratica a inquisição? Por que foram acrescentadas outras coisas às doutrinas e práticas já aprovadas: a transubstanciação (1215 d.C.); a confissão auricular (1215 d.C); a do purgatório (proclamada em 1438 d.C.); a infalibilidade papal (1870 d.C.); a imaculada Conceição de Maria (1854 d.C.); e a ascensão de Maria (1950 d.C)? Por que proibiram a leitura da Bíblia em algumas épocas e em outras recomendaram sua leitura? Uma prova recente de que o Papa nunca foi infalível, é o reconhecimento da não existência do limbo, que durante muitos séculos foi uma fábula ensinada como verdade. Segundo o seu ensino o limbo era o lugar para onde iam as crianças “pagãs”, ou seja, que não eram batizadas. Hoje o Papa ensina que o limbo não existe mais, e, mesmo as crianças que morrem sem o batismo, agora vão para o céu, pois antes não iam. Engraçado, é que o que antes era uma verdade, hoje já não é mais. Portanto, é falsa a afirmação de que a igreja romana “prefere morrer com as verdades a Ela reveladas…”. Observe bem, pois quem segue certas “tradições” está sujeito ao engano. O catolicismo alega ser a única igreja de sucessão apostólica, e para sustentar sua tese apresenta uma lista de papas até Pedro. É muito fácil estabelecer-se uma lista de sucessores até Pedro. Qualquer organização religiosa pode fazer isto se quiser. Tanto é possível, que a Igreja Ortodoxa também tem a sua lista, que evidentemente não é reconhecida pela Igreja Romana e vice-versa. Já entre as primeiras comunidades cristãs, ainda nos tempos bíblicos, havia divisões e partidarismo entre os cristãos, de modo que cada um queria ter mais autoridade que o outro e sendo assim, uns diziam: “Eu sou de Paulo” e outros: “Eu sou de Apolo” e ainda outros diziam: “Eu sou de Cefas” (1ª Coríntios 1:10-13; 3:1-23). O partidarismo era de tal maneira, que o apóstolo Paulo chegou a chamá-los de carnais (vers. 2-4). No mesmo contexto, Paulo explica que o importante não é ser de Apolo, nem de Pedro, mas sim de Cristo, pois ninguém deve gloriar-se nos homens, mas somente em Jesus Cristo, pois ele é o verdadeiro fundamento da Igreja e não Pedro, nem qualquer outro apóstolo (1ª Coríntios 3:11,21-23). Do mesmo modo que acontecia entre aqueles cristãos carnais, que queriam ter uma “sucessão apostólica”, assim acontece hoje entre a Igreja Romana e outras semelhantes, que reivindicam para si, tal autoridade. Esquecem que toda a autoridade vem diretamente de Cristo, que é o cabeça e o chefe supremo da Igreja e não de homem algum, nem mesmo dos apóstolos. De nada adianta ter sucessão apostólica, se o evangelho que prega é distorcido e falso. Toda autoridade de Cristo se encontra no meio daqueles que vivem o verdadeiro evangelho, independente de lideres como o Papa, de instituições religiosas, de hierarquias e de templos, pois a verdadeira Igreja é onde duas ou mais pessoas se reúnem em nome de Jesus, leia Mateus 18:18-20. Em Apocalipse, capítulos dois e três, o texto fala sobre sete igrejas, que representam a Igreja de um modo geral, em todos os tempos e lugares. Jesus passeia no meio delas e tem domínio sobre elas. Cada uma tinha o seu próprio líder (anjo da igreja) e características distintas umas das outras, pois a unidade entre elas era espiritual e não física. Elas eram unidas por Cristo e não por Pedro e muito menos ainda pelo Papa. Igualmente são as igrejas hoje, apesar das diferenças, estão unidas espiritualmente em Cristo, constituindo um só rebanho. Se a Igreja estivesse fundamentada em Pedro a muito tempo teria ruído, pois Pedro era cheio de falhas e ainda tinha um caráter duplo, digno de repreensão (Gálatas 2:11-14). Observe ainda, que das sete igrejas quase todas sofreram a repreensão de Jesus e se sofreram repreensão, é porque realmente não existe infalibilidade.

    Curtir

  5. Conheci este site a pouco tempo e compreendo que seja um espaço para debates. Mas vejo que a questão do debate, sempre mantendo o respeito pessoal caso opositor faça o mesmo, que as idéias debatidas não sejam relativizadas, assim, se ouve que cada um tem as suas próprias convicções justificando que ninguém é dono da verdade. A verdade não depende o que tal pessoa pensa, mas é o “objeto” que se conhece. O pertinente é que existe uma só religião verdadeira, pois Cristo determinou aos Apóstolos que se ensinasse a verdade e se sucede que a igreja é apostólica, vêm de Jesus Cristo através de São Pedro e dos demais apóstolos e de seus sucessores. Logo, um bom senso me fez entender isto, pela graça de Deus, que a Igreja Católica é guardiã da verdade.

    Compreendo, Helen, quanto a questão do site não é converter, mas expor a verdade católica, pois a conversão não é imposta, é uma graça. Rogo a Nossa Senhora para aqueles que não tem a verdadeira fé – virtude “intelectual” que faz aceitar o que Deus revelou- que Deus os iluminem.

    Em Jesus e Maria

    Curtir

  6. Leonardo S disse:

    Esses filhotes da serpente adoram cuspir as heresias e sofismas deles na face Santíssima da mãe de Deus.

    Protestante não é e nunca vai ser cristão, tudo que sai desses filhos da serpente é veneno contra tudo que é puro e santo.

    Jesus Cristo odeia os hereges é só ler apocalipse e verá como ele odeia os hereges nicolaítas.

    Nosso Senhor nos deu a Virgem Santíssima Maria como mãe no alto da cruz, e vem esses malditos filhos da serpente protestante e cospe suas heresias e sofismas na mãe de Deus e nossa mãe.

    Isso é para os católicos aprenderem que somos filhos da Mulher e os hereges filhos da serpente não tem ecumenismo com os filhos da serpente.O ecumenismo que tem com essa viboras venenosas é apenas apologética e rezar o Terço para fazer esses hereges se livrarem da heresia que Cristo odeia.

    In Corde jesu, semper.

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      LEONARDO S
      MAIS É A PURA REALIDADE MAIS ESTOU MUITO FELIZ A NAÇÃO CATÓLICA NOS DIAS DE HOJE ESTÁ CADA VEZ MAS FORTE E OS NOSSOS APOLOGISTAS CATÓLICOS ESTÃO MUITO BEM INFORMADO COM ESTUDOS PATRÍSTICOS COM ESTUDOS PROFUNDO SOBRE A BÍBLIA ETC…
      NOS DIAS DE HOJE CATÓLICOS NÃO CAI MAIS EM PAPAGAIADAS PROTESTANTES.

      Curtir

    • M disse:

      Sou eu quem oro por voces , porém , estão cegos da verdade , a Bíblia fala não tereis outros deuses diante de mim e fala que os Idolatras serão queimados no lago de fogo e enxofre . COMO é que voces explicam isso , sendo que a Bíblia proibe a Idolatria /, então vamos ver no julgamento quem está creto .Deus abençoe abraços.

      Curtir

  7. Helen, quando comecei a participar do seu blog a algum tempo atrás, o que mais me chamou a atenção foi o fato de que é bastante democrático e aberto a diálogos e opiniões diversas. A princípio até achei que seria publicado somente o lhe interessava, mas rapidamente percebi que não, e que de fato era democrático mesmo. Mesmo discordando, ainda assim todos aprendem alguma coisa uns com os outros quando há respeito, apesar das diferenças. Eu acredito que a fé tem que ser discutida e questionada mesmo, afinal a nossa fé não pode ser cega, pois é a vida na eternidade que está em jogo e não apenas crenças religiosas e além do mais, ninguém pode dizer que é o dono da verdade, mas todos podem dizer que são defensores dela e aperfeiçoá-la procurando não somente falar, mas principalmente ouvindo. É importante entender a visão do outro, pois assim passamos a julgar menos as pessoas. Cada um tem suas próprias convicções e só nos resta respeitar sem imposições.

    Curtir

  8. Parabéns Sidnei, sinceramente gostei do seu argumento de defesa, mesmo sabendo que algumas de suas citações criticam respeitosamente às minhas, e assim sou obrigado a reconhecer algumas das suas afirmações. Gostaria a princípio de corrigir alguns possíveis equívocos. Não intenciono com minha participação neste blog defender a fé protestante em detrimento da romana. Particularmente acredito que todas as instituições religiosas são passíveis de erros, e ainda que muitos não admitam, seja lá por qual motivo, a história se encarrega de provar o erro em todas elas, seja romana, grega, ortodoxa, protestante, etc. Iniciei minha carreira cristã no catolicismo romano, mas já passei por diversas igrejas no protestantismo, como: pentecostais, neopentecostais, tradicionais, e históricas. Cheguei a conclusão de que é necessário procurar seguir o verdadeiro cristianismo bíblico, ao invés de denominações e de segmentos religiosos, pois todas as igrejas sem exceção alguma, sem dúvida tem os seus acertos, mas também tem as suas controvérsias, contradições e heresias. Acho importante diálogos assim, pois a troca de ideias ajuda a entender melhor o ponto de vista e a fé do outro, desde que os diálogos sejam construtivos e respeitosos, afinal, não há nada pessoal e a divergência se restringe apenas no aspecto das ideias. Cada um tem as suas próprias convicções e acredito que ninguém vai convencer ninguém, mas podemos pelo menos por meio do respeito e do diálogo, procurar entender melhor o que o outro acredita em relação à determinado assunto. De fato as igrejas protestantes são bastante desunidas, mas isto se dá não tanto por divergência doutrinária, pois basicamente os princípios de fé são os mesmos em todas (Bíblia única regra de fé, Jesus Cristo único Senhor, salvação pela graça, etc), mas são desunidas principalmente por invejas e ciúmes de seus próprios líderes, o que é uma vergonha mesmo. Contudo, essa realidade não se restringe unicamente ao protestantismo, mas a todo o cristianismo mundo a fora, aja visto, que internamente no catolicismo também existe ciúmes, invejas e partidarismos. As igrejas protestantes tem a Palavra, mas não se unem e o catolicismo acredita ser o fiel depositário da verdade e não abre mão de dogmas extra bíblicos para se unir com outros cristãos, mas quer que todos se sujeitem ao seu domínio. Isto para o mundo é escândalo, pois o Reino de Deus está dividido. Assim, é preciso seguir não instituições religiosas partidárias, mas sim o verdadeiro cristianismo, conforme era entre os primeiros cristãos nos tempos apostólicos e este se encontra somente nas Escrituras Sagradas. O Cabeça da Igreja é Cristo e portanto, devemos estar unidos não por homem algum, nem por instituições religiosas, mas devemos estar unidos em Cristo, por Cristo e com Cristo, pois ele é o chefe supremo da Igreja. Somente em Cristo e não na instituição religiosa, é que é possível estarmos unidos pela fé no mesmo Corpo místico, professando a mesma fé e um só batismo. Professar a mesma fé, não significa que todos tem que ter a mesma fé engessada em um padrão único, pois assim como um corpo físico possui vários membros e órgãos com funções distintas, assim também é a Igreja na terra, vários ministérios com funções distintas no Corpo que é a Igreja, mas todos com o mesmo propósito que é o Reino de Deus. Portanto, divergências até certo ponto é normal, pois a graça de Deus é multiforme, a fim de alcançar a todos os homens, além do mais, as igrejas do primeiro século também tinham lá suas divergências e não havia um líder visível e absoluto que ditavam-lhes as ordens, mas mesmo assim estavam unidas em Cristo, veja os exemplos das igrejas do Apocalipse e em Atos dos Apóstolos. Voltando agora para o assunto da imaculada conceição, não acredito de forma alguma que Maria era pecadora e penso que todo crente que segue seriamente as Escrituras, também não acredita. O que é inadmissível é aceitar que ela foi concebida sem pecados, uma vez que não foi concebida do Espírito Santo tal qual foi Jesus. A Bíblia é muito clara em afirmar que ela era cheia de graça e que esta graça a capacitou por meio da fé para ser a mãe de Jesus, justificando e santificando-a para tal missão. Portanto, afirmar que ela era pecadora é tão errado quanto afirmar que ela foi concebida sem o pecado original. Veja que ater-se à Palavra de Deus, é a melhor maneira de se evitar equívocos doutrinários, pois ela sim é infalível e invariável. A competência de interpretar as Escrituras não é pessoal, nem institucional, conforme o seguinte texto bíblico que diz: ” Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo” (Colossenses 2:8), mas todos que sinceramente buscam a verdade, certamente encontram.

    Curtir

    • Helen disse:

      Parabéns Alexandre!!! Esta é a primeira vez que isso acontece nos três anos do Blog, Fato inédito!! Realmente estou feliz em saber que do outro lado há alguém que discorda, mas que também ouve! Parabéns!

      Curtir

    • Sidnei. disse:

      Com relação as diversas doutrinas protestantes cabe dizer que somente afirmar que o principal todos os protestantes estão unidos, no quesito, sola fide, sola escriptura, sola gratia, estando o restante o protestante livre para seguir o que quer, se quer crer na imortalidade da alma OK, se não quer OK, se quer batizar crianças OK, se não quer OK, se quer crer no arrebatamento OK se não que OK, isto para nós não pode acontecer dentro da Igreja Católica, todos nós temos que seguir uma doutrina unica, pois não terá sentido dizer que a Igreja deva haver unidade, quando o corpo de sua fé está tão dividida quanto um espelhos estilhaçado. JESUS quis que houvesse um só pastor e uma só ovelha (João 10,16). São Paulo falando sobre a unidade dos cristãos dirá: “Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1º Cor. 1,10); “completai a minha alegria, permanecendo unidos. Tende um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos.” (Fil. 2,2), “Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.” (Ef. 4, 4-5) então o apelo de São Paulo Apóstolo a unidade em torno da fé, do mesmo pensamento, é uma das marcas deste Santo Apóstolo, portanto, é inconcebível para nós católicos concordar com apenas alguns pontos de fé e o restante cada um escolhe o que quer, ou todos seguimos uma só fé, todos devemos ter um só pensamento, ou então se fragmentaremos em inúmeras seitas como no protestantismo, o fato de haver católicos com tendencia mais liberal como os seguidores da TL ou mais conservadores como os sede vacantistas, não são estes que devemos seguir e dar ouvidos, é ao Papa e ao magistério da Igreja com tudo o que foi crido até hoje é que devemos seguir, pois estes são cismáticos ou semi cismáticos, porém, correm a margem das verdades reveladas por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO e pelo ESPIRITO SANTO e confiadas a Igreja para guardá-las e proclamá-las. A cabeça da IGREJA é CRISTO, mas CRISTO quer queira quer não confiou a homens o governo terreno de sua Igreja e o envio do evangelho, ELE não confiou a Anjos e nem ELE ficou aqui para fazer tudo sozinho, portanto, não seguimos a qualquer homens, mas, os sucessores daqueles que CRISTO chamou e enviou por primeiro, e a estes devemos dar ouvidos, pois bem como disse JESUS aos Apóstolos: “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.” (Lucas 10,16). E quanto a instituições religiosas que são passiveis de erros, não se deve incluir a Igreja no que tangem as revelações divinas trazidas por JESUS e confiadas a Igreja, veja, não estou falando de pecados cometidos por homens da Igreja, mas, da própria Igreja, pois se a Igreja ensina alguma coisa errada, CRISTO foi um mentiroso em afirmar que as portas do inferno jamais iriam prevalecer contra sua Igreja (Mateus 16, 18b) e o ESPIRITO SANTO seria um incompetente já que não ensinou toda a verdade (João 16, 12-13), mas não CRISTO é Verdadeiro, suas Palavras e seus decretos são irrevogáveis, ELE não permitira que o erro entrasse em sua Igreja e nem ESPIRITO SANTO iria permitir que a mentira se instalasse nela, por isto São Paulo diz com toda probidade: “É a Igreja coluna e sustentáculo da Verdade” (1º Tim. 3,15b), portanto não é a Bíblia, não é nenhum protestantes individual com suas prerrogativas infalíveis o qual poderá interpretar a Bíblia sem errar pois tem o ESPIRITO SANTO que o torna apto a ler e interpretar a Bíblia infalivelmente, não, é a Igreja que tem e traz a Verdade, pois foi do agrade de CRISTO confiar na Igreja as mensagens trazidas por ELE, Igreja constituída por seu povo, tendo os seus lideres a frente formado dentro do colégio apostólico, o magistério da Igreja que recebeu do ESPIRITO SANTO o encargo de ensinar a todos as verdade reveladas e trazidas por JESUS. O fato de ela não ter sido concebida pelo ESPIRITO SANTO como fora JESUS, isto não impede que ela tenha sido subtraída do pecado original por graça divina, nunca, em momento algum, a Igreja Católica ensinou algum dia que Maria fora concebida pelo ESPIRITO SANTO, pode ser que o poder do ESPIRITO SANTO agiu no momento da concepção de Maria, operando antecipadamente os méritos da paixão do SENHOR em Maria. É claro que eta concepção de Maria foi tao natural como a concepção de qualquer um de nós, a unica concepção extraordinária que houve foi a de JESUS, que este sim, foi concebido pelo poder do ESPIRITO SANTO, pois deveria nascer de uma virgem, porém, em Maria, o ESPIRITO SANTO não a concebeu, mas, pelo seu poder divino evitou que Maria fosse tocada pelo pecado original e depois os pessoais tendo em meta somente que ela serviria de morada e abrigo por nove meses a ninguém mais e a ninguém menos ao próprio DEUS encarnado, JESUS NOSSO SENHOR. E quanto se voltar somente a Bíblia para buscar a Verdade, como foi escrito acima, a Verdade é uma só, pois DEUS é um só, e a Verdade deverá ser buscada a quem a ela foi confiada, isto é na Igreja, pois por leituras bíblicas por leituras bíblicas o cristianismo mais parece um concha de retalhos, e foi para evitar isto que CRISTO criou sua Igreja e um corpo de Apóstolos para transmitir suas verdades, se não ELE mesmo teria escrito os evangelhos e daria para que todos lessem, e não confiaria a homens, que mesmo sujeitos a pecados, mas, assistidos pelo ESPIRITO SANTO, jamais iriam ensinar um erro doutrinário sequer.

      Curtir

    • Sidnei disse:

      Ponto 01: O fato de algumas igrejas, seitas ou religiões possuir erros doutrinários,a princípio para alguns não tem problema algum, eis que estamos colocando erros doutrinários e não os pecados doa homens que compõe estas igrejas, seitas ou religiões, porém, devemos lembrar que CRISTO prometeu a sua Igreja que as portas do inferno não iriam prevalecer sobre contra ela (Mat. 16, 18b) e que ELE enviaria o ESPIRITO SANTO, para ensinar toda a Verdade (João 16, 13), sendo assim, dizer que algumas igrejas, seitas e religiões trazem erros em suas doutrinas, é taxar CRISTO de mentiroso e o ESPIRITO SANTO de incompetente, pois afirmar tal coisa, é mesmo que dizer que CRISTO deixou que as portas do inferno prevaleceram contra sua Igreja permitindo que a mentira entrasse nela através de falsos ensinamentos e os ESPIRITO SANTO de incompetente, haja vista que não ensinou toda a verdade, e ainda, também permitiu que a mentira entrasse na Igreja de CRISTO através de erros doutrinários, para nós católicos isto é inconcebível, haja vista que as palavras de JESUS CRISTO como a do PAI são irrevogáveis, CRISTO jamais deixaria o erro adentrar em sua Igreja e os ESPIRITO SANTO jamais iria ensinar algo errado ou deixaria que alguma mentira tomasse corpo na Igreja de JESUS CRISTO, por isto, diante de tal afirmativa, devemos ter em mente o seguinte raciocínio: CRISTO e o ESPIRITO SANTO não erram, a Igreja corpo de CRISTO (Col. 1, 18; Ef. 1, 22-23), não poderá conter o erros, já que fora prometida por CRISTO que o inferno não prevaleceriam contra ela adentrando nela a mentira, o erro e o engano, e o ESPIRITO SANTO iria ensinar toda a verdade a Ela que por isto Ela, a Igreja iria permanece infalível ante os ataques do demônio quanto este viesse a querer introduzir Nela o erro, a mentira e o engano, porém, tendo a Igreja a promessa de CRISTO citado em Mat. 16, 18b e a orientação do ESPIRITO SANTO citado em João 16, 13, ela esta em paz e ainda se torna nos dizeres de São Paulo Apóstolo, coluna e sustentáculo de Verdade, (1º Tim. 3, 15b).

      Ponto 02: A questão não é colocar que as igrejas protestante estão unidas em alguns pontos de doutrinas como a Bíblia como a única regra de fé (embora como fora citado no ponto 01 a única regra de fé o qual tem a verdade como coluna e sustentáculo é a Igreja e não a Bíblia), tendo como JESUS CRISTO como único Salvador e salvação ela graça, etc, não, pois para nós católicos é inconcebível acreditar de na Igreja de CRISTO que possa crer em alguns pontos e outros não, em alguns se pode estar de acordo e outros nãos, sendo que alguns podem crer na pré destinação e outros nãos, que alguns podem crer que batizar

      criança é válido e outros nãos, que alguns possam crer na imortalidade da alma e outros não, horas, se DEUS PAI é um Só, se JESUS quem disse, que era o Caminho, a Verdade e a Vida era um Só e que o ESPIRITO SANTO que ira ensinar toda a verdade era um Só então como poderá haver inúmeras verdades e doutrinas conflitantes umas com as outras através de inúmeras igrejas e pastores todos se dizendo iluminados pelo ESPIRITO SANTO e portanto trazendo a Verdade em seus ensinos?, horas, se todos tivessem o mesmo ESPIRITO todos chegariam as mesmas verdades, mas não é isto que vemos, um ou outro esta com a verdade e um ou outro terá que colocar o rabinho entre as pernas e sair de fininho, o que demonstra que as sola escriptura não funciona, isto é de uma contradição absolutamente escandalosa. Para nós católicos temos em mente as Palavras de CRISTO que disse que haveria um só pastor e um só rebanho (João 10, 16b) e as palavras de São Paulo Apóstolo que também escreveu: “Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1º Cor. 1,10) ; “completai a minha alegria, permanecendo unidos. Tende um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos.” (Fil. 2,2); “Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.” (Ef. 4, 4-5), portanto, para nós católicos, não é apenas alguns pontos de doutrinas que dever ser incomum, mas, todo os corpo de doutrina devem ser único, pois como diz São Paulo, todos devemos ter os mesmos pensamentos, a mesma fé, e isto inclui não só a fé me JESUS como verdadeiro Salvador, mas, toda a profissão de fé que DELE deriva, toda a Verdade que ELE ensinou e confiou a Igreja que transmitisse ao longo dos séculos até que ELE volte outra vez, sob a assistência do ESPIRITO SANTO que iria ensinar toda a Verdade, isto inclui um só batismo e uma só esperança, enfim uma unidade de entendimento o qual não se vê, infelizmente nas igrejas protestantes.

      Ponto 03: O fato é que há divisões escandalosas no mundo protestante, não na Igreja Católica que tem um único corpo de doutrina e não corpos de doutrinas divergentes no mundo protestantes, se há cismáticos na Igreja Católica como os sede vacantistas ou semi cismáticos como os seguidores da TL. , deve-se lembrar que eles estão correndo as margens da Igreja e que por isto eles devem rever suas posições para voltar aos trilhos da Igreja. E a Igreja não que impor nada a ninguém, de fato, ela não irá abolir nenhum de seus dogmas pois acredita que foi JESUS e o ESPIRITO SANTO que as revelaram e por isto as seguirá até o fim, pois como fora colocado no ponto 01, JESUS não deixaria que a mentira adentrasse na sua igreja o qual as portas do inferno não prevaleceriam contra Ela e nem o ESPIRITO SANTO iria ensinar algo de errado e nem permitira que o erro, o engano e a mentira também iriam se instalar na Igreja, portanto, se a Igreja quisesse dominar a todos, seria fácil, era só ela renunciar a alguns de seus dogmas e pronto, todos iram se voltar para ela, mas não, a Igreja prefere morrer com as Verdades a Ela revelada e dadas para serem guardadas e propagadas, para renunciar a elas para ter o maior número de adeptos possíveis.

      Ponto 03: O fato é que há divisões escandalosas no mundo protestante, não na Igreja Católica que tem um único corpo de doutrina e não corpos de doutrinas divergentes no mundo protestantes, se há cismáticos na Igreja Católica como os sede vacantistas ou semi cismáticos como os seguidores da TL. , deve-se lembrar que eles estão correndo as margens da Igreja e que por isto eles devem rever suas posições para voltar aos trilhos da Igreja. E a Igreja não que impor nada a ninguém, de fato, ela não irá abolir nenhum de seus dogmas pois acredita que foi JESUS e o ESPIRITO SANTO que as revelaram e por isto as seguirá até o fim, pois como fora colocado no ponto 01, JESUS não deixaria que a mentira adentrasse na sua igreja o qual as portas do inferno não prevaleceriam contra Ela e nem o ESPIRITO SANTO iria ensinar algo de errado e nem permitira que o erro, o engano e a mentira também iriam se instalar na Igreja, portanto, se a Igreja quisesse dominar a todos, seria fácil, era só ela renunciar a alguns de seus dogmas e pronto, todos iram se voltar para ela, mas não, a Igreja prefere morrer com as Verdades a Ela revelada e dadas para serem guardadas e propagadas, para renunciar a elas para ter o maior número de adeptos possíveis.

      Ponto 04: De fato não devemos seguir a homens que não vieram da sucessão apostólica e que não foram dados ordens de fundarem igrejas com doutrinas divergentes entres si, mas quer queira quer não CRISTO deixou sim homens que levassem e guardassem seus ensinamentos e seu testemunho até os confins da terra e até quanto ele voltasse novamente (Mat. 28, 16-20), e ainda declarou que quem os ouvissem e a ELE que ouviriam (Luca 10, 16) e São Paulo tinha tanta certeza de que quando ele ensinasse algo, não era ele que ensinava mas DEUS que certa vez escreveu: “Portanto, desempenhamos o encargo de embaixadores em nome de Cristo, e é Deus mesmo que exorta por nosso intermédio. Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!”. A cabeça da Igreja é CRISTO, mas CRISTO deixou na terra os seus Apóstolos e os sucessores destes como cabeças visíveis o qual designou a serem os administradores de sua Igreja aqui na terra, tendo São Pedro e seus sucessores a primazia no governo de sua Igreja aqui na terra.

      Ponto 05: Professar a mesma fé, é seguir ela em um padrão único, voltemos ao ponto 02 para entender melhor sobre isto. Se há vários ministérios com funções distintas no Corpo de CRISTO que é a Igreja isto não está autorizado a ninguém a divergir uns com os outros e termos de doutrinas, das verdades reveladas por JESUS CRISTO e confiadas a sua Igreja tendo a frente o colégio apostólico. Poderá haver divergências em termos de administrações e organização de algumas igrejas particulares, mas, nunca de doutrina, e nas igrejas dos primeiros séculos o quais haviam divergências, é errado dizer que não havia um líder visível e absoluto para terminar as divergências por qual a igreja passava, São Pedro e os demais apóstolos estavam lá e como em Atos dos Apóstolos vimos que eles se reuniram em Concílio para corrigir tais erros, tendo São Pedro como líder neste concílio o qual quando falou e todos se calaram, somente depois São Tiago o bispo da Igreja de Jerusalém naquele momento, é que propôs uma solução o qual todos depois concordaram para terminar com a querela com os judaizantes. Quanto as Igrejas do Apocalipse, o fato de haver divergências entre si não é permissão para que ninguém a tenha, muito pelo contrário, a intervenção direta de JESUS nestas igrejas, é justamente para chamar a atenção a seus erros e voltar a unidade tão querida pelo próprio SENHOR JESUS.

      Ponto 06: Dizer que Maria não foi pecadora, é dizer que ela nunca foi tocada pelo pecado, nem mesmo o original o qual herdamos, a Igreja Católica nunca ensinou que a concepção de Maria foi feita pelo ESPIRITO SANTO tal como foi a de JESUS CRISTO, a concepção de Maria foi igual como a de todo mundo, só o que ocorreu foi o fato de os méritos da paixão de JESUS CRISTO foram aplicados antecipadamente em Maria, o que ocorreu foi o fato de o ESPIRITO SANTO ter agido de forma extraordinária, preservando Maria do pecado original, somente aí que o ESPIRITO SANTO agiu, e não na sua concepção, se como a concepção de Maria tenha sido algo igual a de JESUS CRISTO. JESUS sim foi concebido pelo poder do ESPIRITO SANTO, haja vista que ELE deveria ter sua origem humana somente por meio de Maria Virgem, e para isto é claro que o ESPIRITO SANTO teria que agir de forma mais extraordinária ainda, mas antes dito, na concepção natural de Maria já havia agido, preservando o alicerce daquela que viria a ser morada carnal DAQUELE que é Verdadeiro DEUS e Verdadeiro Homem. Se DEUS no A.T. santificou sua casa para nela morar, quanto mais no N.T. ELE não iria santificar sua nova casa desde sua fundação?, desde a concepção de Maria?. Quanto a graça que DEUS concedeu a Maria não só foi em vista de sua fé, mas foi algo anterior a isto, desde sua concepção, se o Anjo a saúde chamando Cheia de Graça, é de se levar em conta que em Maria aconteceu algo de extraordinário, por ela vir a ser a mãe do Redentor, DEUS concedeu todas as graças possíveis que ELE poderia conceder a uma criatura, e neste rol de graças, entra a imaculada conceição de Maria, por motivos muito óbvios.

      Ponto 07: A melhor maneira de se evitar equívocos doutrinários e ouvir a Igreja, é seguir os Apóstolos e seus sucessores o qual JESUS disse que se deveriam ser ouvidos pois aqueles quem os ouvisse e a ELE que seria ouvido (Lucas 10,16), a Bíblia foi uma maneira que a Igreja encontrou para deixar por escrito as verdades reveladas por JESUS CRISTO, haja vista que JESUS nunca disse para escrever nada e nem ELE também escreveu, mas, os Apóstolos iluminados pelo ESPÍRITO SANTO é que chegaram a conclusão que deveriam também deixar algo por escrito, e não transmitir o evangelhos somente pela pregação, embora a fé ainda venha pela audição (Rom. 10,17). Portanto é a Igreja que devemos ouvir e seguir e não interpretações particulares ou de instituições ditas igrejas mas que não são verdadeira igrejas, haja vista que Igreja verdadeira é aquela que vem dos Apóstolos, e que guardam a sucessão apostólica e os ensinamentos dos mesmos, sendo pelos escritos destes ou pelo que eles falaram mas não fora escrito, mas, que ambos as Sagradas Escrituras e as Sagrada Tradição são iguais e ambivalentes, nenhuma delas está acima da outra, ambas se esclarecem e se complementam, portanto não se trata de fábulas e tradições humanas mas de revelações verdadeiras, e que pertencem ao depósito da fé.

      Curtir

  9. Helen, não é opinião pessoal, mas é apenas e claramente o que as Escrituras Sagradas dizem. A Bíblia apresenta Maria tão somente como uma humilde serva de Deus, mas a igreja romana pretende colocá-la equiparada a Cristo, transferindo a ela o papel do Espírito Santo e o pior de tudo é que nega isto com esconjuros, afirmando que reconhece ser ela criatura, mas as práticas não condizem com o que ensina na teórica defesa dos dogmas. Se os apóstolos cressem conforme a igreja romana ensina, eles teriam sido claros, objetivos e direto em afirmar tudo, em pleno acordo com o que o catolicismo ensina sobre Maria e outros dogmas. Vocês defendem a ideia de Deus fala não somente através das Escrituras, mas também através da Igreja. Eu creio sim que Deus fala através da Igreja, isto é bíblico. Porém, Deus jamais se contradiz e jamais Ele vai dividir a glória e o culto devido exclusivamente a Ele mesmo com ninguém, nem mesmo com Maria e na prática romana inúmeras vezes ela recebe maior destaque, sendo mais invocada do que o próprio Deus. Deus jamais usaria os profetas e os apóstolos para ensinar algo no passado e a Igreja para ensinar outra coisa diferente no presente. Agora, será que realmente a igreja romana pode ensinar qualquer dogma ou fábula sob o falso pretexto de que somente ela é a depositária da verdade? Que verdade é essa que transfere para Maria, títulos, atributos e encargos que são exclusivos de Jesus Cristo, conforme ensinou os santos profetas e os apóstolos? Vamos respeitar Maria colocando-a em seu devido lugar que é o de humilde serva do Senhor e nunca o de “Nossa Senhora”, “Rainha dos Céus”, “Nova Eva”, etc. Reconhecendo-a apenas como humilde serva de Deus, conforme é ensinado nas Escrituras Sagradas pelos apóstolos de Cristo, aí sim, todos estarão prestando verdadeira veneração à sua pessoa, mas da maneira em que o catolicismo pratica enfatizando culto evocando Maria com toda a exaltação que fazem à sua pessoa, infelizmente isto não é cristianismo verdadeiro.

    Curtir

    • Sidnei disse:

      A Igreja Católica, nós católicos, nunca colocamos Maira no mesmo patamar de CRISTO, isto quem diz e acusam são os protestantes, que não compreendem ou não querem compreender o nosso respeito e reverência a Maira. Por ser ela a humilde serva do SENHOR, é por isto que Ela é venerada como Rainha dos Céus e Nova Eva, por ser a mãe do Redentor, ela poderia ter se gabado, poderia ter se orgulhado, mas não, seguindo os ensinamentos de seu divino FILHO muito antes de ELE se prenunciar: “Quem se eleva será humilhado, e que se humilha será elevado”, ela que poderia se elevar muito mais que imaginasse diante dos homens, preferiu o anonimato e foi em auxilio de sua prima Izabel que necessitava de ajuda, aí se encontra a grandeza de Maria, eis que por isto nós católicos a honramos como dignamente ela deve ser honrada, e não ignorada como fazem os protestantes. Rainha do céu, por ser a mãe do Rei, e como em todo o A.T. sempre se destaca não a esposa do rei mas a rainha mãe, eis agora a mãe do verdadeiro Rei, eis aí agora a rainha mãe. DEUS não divide sua gloria com ninguém e nem poderia, pois nenhuma criatura humana ou angélica poderia receber atributos divinos, mas, DEUS honrará a cada um conforme suas obras, e dará o premio merecido para aqueles que fizeram sua vontade, e até, fará que estes, participam do governo de CRISTO no céu, e Maria não teria recebido sua recompensa de maneira mais grandiosa que qualquer outra criatura já que carregou em seu ventre o próprio DEUS, humanado?, não so gestou, como criou e cuidou como mãe amorosa, tal que diz as Sagrada Escrituras que JESUS estava crescendo em graça e estatura diante de DEUS e dos homens e em tudo era submisso a seus pais, como uma mulher desta iria receber um recompensa como receberá cada um de nós, não DEUS não se contradiz, ELE não iria fazer uma injustiça dessas, sendo ELE justo e misericordioso. Se os Santos Apóstolos e Profetas não falaram muito a respeito de Maria foi porque em 1º lugar teriam que primeiro, propagar a CRISTO, coube a Igreja mais tarde ir mais afundo a respeito de tudo que se referia a Maria, mas o pouco do que os profetas, os Santos Apóstolos e Evangelistas escreveram sobre Maria já foi muito, pois o que resta é meditar sobre as verdades implícitas que estão escritas entre as linhas que falam sobre Maria. E por último, dizer que não é cristianismo verdadeiro a honra, o respeito e reverência que prestamos a Maria como se fosse algo exagerado e contra o evangelho, acredito que seja muito pelo contrário, ignorar todas que por meio da humidade de Maria DEUS a engrandeceu de sobre maneira de a tornado a maior das meras criaturas, isto sim não é cristianismo verdadeiro, pois se olhar para o protestantismo aí sim é que estaremos lascados em encontrar em qual igreja ou pastor que esta falando a verdade ou a mentira, haja vista que diante de tantas interpretações dispares que cada igreja tem, que cada pastor pronuncia, isto é que demonstra não ser cristianismo verdadeiro, pois o cristianismo verdadeiro reside aonde impera aonde reina a concorda e a unidade de ensino e doutrina, o resto, é só confusão e desentendimento.

      Curtir

    • Caro Alexandre,

      Nosso Senhor é profetizado e exaltado no Antigo Testamento como Rei; Maria é a Rainha Mãe que aparece junto dos reis. Claro que o senhorio de Jesus está no sentido que ele é Deus; portanto chamar Maria de “Senhora” é reconhecê-la como Rainha Mãe, como explica Pio XXII, não só por sua maternidade divina, mas ainda pela parte singular que Deus quis que tivesse na obra da salvação.

      É preciso cuidado nas interpretações das palavras. Veja só. Nas cartas aos Filipenses diz ”o Senhor assumiu a forma de servo (Fl 2,7). Jesus sendo servo já não é mais Senhor?

      Portanto, Nossa Senhora quando intitula-se ”serva” é para exprimir uma de suas numerosas virtudes – a humildade. E tendo toda a PLENITUDE da graça, ela é nossa Rainha, sendo a mais sublime que todos os santos, em toda espécies de virtudes.

      Santa Isabel saudou, ao receber Nossa Senhora: “que ventura é a minha de receber a Mãe do meu Senhor! Na anunciação o Anjo o saúda, o oposto quando os homens vêem os anjos e o saúdam humildemente. E visto que no céu está acima de todas as hierarquias, se compreende este salmo: “A Rainha foi colocada à tua direita”(Sl 44,10). Sim, à direita do Filho, porque és Mãe do Nosso Deus.

      E S. João viu surgir no céu”um grande sinal” (Ap 12,1). Ela apareceu revestida de sol; a lua veio pôr-se sob seus pés, e as estrelas se ajuntaram em torno de sua cabeça, formando uma coroa em número 12, que é símbolo da plenitude, da perfeição e da graça.

      Não é de Deus não ter devoção a essa terna Mãe, já que ela é a verdadeira “árvore da vida”, pois seu fruto, Jesus, é a Vida. Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”!

      Em Jesus e Maria

      Curtir

  10. frandyarc disse:

    Importante nunca esquecer que, foi por causa da morte redentora de Cristo que Deus preservou Maria do Pecado. Os frutos da paixão de Cristo foram aplicados a ela no primeiro instante de sua existência mas por causa de Jesus. Nunca desvinculara Maria da obra da Redenção de Cristo. Pois se Deus derrogasse a lei do pecado original sem Cristo, poderia ter feito o mesmo com todos os outros homens. Maria teve o debito, ou a necessidade de que alguém pagasse por ela para se preservada do pecado. Nisto consiste o mistério de sua imaculada Conceição no ventre de Ana mãe dela.

    Curtir

  11. Caríssima Elen, embora o seu texto seja muito bem elaborado, percebo uma certa contradição, pois o catolicismo romano ensina que Maria foi concebida sem o pecado original. Sem dúvida a Graça santificadora de Deus justificou Maria, capacitando-a para ser a mãe de Jesus, mas não existe aval de nenhum apóstolo de Cristo, nem dos santos profetas de Deus, para se afirma que ela foi isenta do pecado original ou da culpa do pecado, desde a sua concepção, conforme erroneamente ensina o catolicismo. A Palavra de Deus não pode mentir jamais, e se as Escrituras diz que todos pecaram é porque todos pecaram mesmo, inclusive os bebês, embora sejam eles inocentados por Deus pela falta de uso da razão, e também pela ausência de pecados pessoais, conforme você mesma afirmou. Todos pecaram porque todos nascem com a culpa do pecado herdado desde Adão e Eva, e a única exceção de ter nascido sem pecado algum foi Jesus Cristo, pois Ele foi gerado do Espírito Santo e não da vontade da carne e a Bíblia é muito clara em afirmar isto, porém o mesmo não se diz em relação à sua bendita mãe carnal. Isto não é ensino protestante, mas é ensino bíblico mesmo. Agora, uma coisa é o que diz os profetas e os apóstolos através das Escrituras Sagradas, outra coisa é o que diz o catolicismo romano através dos dogmas papais, pois são afirmações divergentes. Maria foi concebida por obra da carne e não do Espírito Santo. Ela nasceu da vontade de seus pais biológico, através de relação sexual, e portanto, herdou dos mesmos, a natureza pecaminosa transmitida de geração à geração, desde a queda do homem no Jardim do Éden. Afirmar que ela foi isenta do pecado no momento em que sua alma uniu-se ao corpo em sua concepção, é extrapolar grosseiramente a Palavra de Deus com especulações heréticas sem nenhum fundamento bíblico-apostólico. Outro erro é afirmar que o anjo trocou o nome de Maria para cheia de graça, isto não é verdade, pois logo após a saudação, o anjo lhe chama pelo nome (Lucas 1:30). Os apóstolos chamavam Maria de Maria e não de cheia de graça, e em todo o contexto bíblico somente o anjo Gabriel lhe saudou dessa forma. A abundante graça de Deus a capacitou para ser a mãe de Jesus (santificando e justificando do pecado), por isto o anjo lhe chamou de agraciada. Contudo, esta mesma graça abundante que repousou sobre Maria, também pode encher qualquer pecador arrependido, conforme Romanos 5:20. Assim qualquer pecador arrependido pode ser cheio de graça, ou seja, cheio de favores imerecidos, pois é isto que significa graça, favor imerecido. Somos todos pecadores desde o nascimento, conscientes ou inconscientes, e verdadeiramente não merecemos absolutamente nada de Deus, mas Ele por sua infinita graça e misericórdia eterna, nos concede favores mesmo sem merecermos, isto é GRAÇA. Portanto, ser cheia de graça, implica em dizer que Maria não merecia e que não era digna nem de longe, mas mesmo assim Deus a escolheu, a justificou, a santificou e a capacitou para ser a mãe de Jesus. Ela mesma bem sabia de tudo isto, de maneira que admirou-se grandemente com as palavras do anjo que lhe anunciou. E, sendo assim, é falsa a afirmação de que ela foi concebida sem o pecado original. Não somos dignos, nem santos, mas somos dignificados e santificados pela graça, mediante a fé. Assim também aconteceu com Maria, de maneira que quem afirma que ela era pecadora, está sendo contra a Palavra de Deus do mesmo modo que quem afirma que ela foi concebida sem o pecado original. Maria era santa e pura porque foi justificada e santificada pela graça mediante a fé. É tão somente isto que a Bíblia ensina sobre a mãe de Jesus, mas o catolicismo através dos dogmas papais, insiste em inventar fábulas e mais fábulas em torno da sua pessoa, isto quando não tenta distorcer os textos bíblicos para fazê-los parecer que concordam com suas apostasias e infelizmente muitos dão ouvidos a tais fábulas heréticas, ao invés de seguirem a Palavra de Deus sem distorções. Quem esmagou a serpente foi o próprio Jesus e não a mulher, inclusive o termo “mulher”, principalmente no citado texto de Apocalipse, por várias razões lógicas, refere-se à Igreja e nunca á Maria mãe Jesus. Veja que no texto de Lucas 10:19, Jesus deu autoridade à sua Igreja (mulher) para pisar em serpentes e escorpiões. Para finalizar este comentário, a Palavra de Deus deixa a entender claramente, que se não fosse Maria a escolhida das mulheres para ser a mãe do Salvador, sem dúvida alguma seria a Antônia, a Marta, a Josefa, ou qualquer outra virgem com as mesmas qualificações de Maria, mas os planos de Deus se concretizariam de qualquer forma. Portanto, é a Deus e a Jesus Cristo que devemos recorrer sempre e nunca a Maria, pois a ela só devemos o nosso respeito e admiração.

    Curtir

    • Helen disse:

      Alexandre,

      A afirmação de que “não existe aval apostólico” é bastante larga. Vcs afirmam isso sem poder provar o contrário, assim fica fácil argumentar.
      Eu provei o ensinamento católico pela disciplina da Tipologia, da Hermaneutica, o sr prova a sua afirmação de que modo: pela sua opinião? Por que eu deveria da crédito para sua opinião, qual é a sua autoridade para dizer que isso não está contido nas escrituras? Só porque o sr falhou em entender algo não quer dizer que esse algo não exista!

      Curtir

    • Sidnei disse:

      Então JESUS Verdadeiro DEUS, veio de uma pecadora, como todos nós, e aí os protestantes juram que não rebaixam nem Maria e nem a CRISTO. O problema dos protestantes é quererem ter na Bíblia respostas para tudo, mas tudo bem explicado nos seus mínimos detalhes, assim sendo, se não estiver lá escrito assim: ” Maria não foi concebido com o pecado original”, não vale, tem que está lá, e se os Santos Apóstolos nada escreveram, também não vale, mas tem uma coisa que nós católicos diante das Sagradas Escrituras temos em mente, a saber: “A letra mata o Espírito é que da a vida” (1º Cor. 3, 6b), diante disto é que para nós católicos não é somente o que está escrito é que devemos levar em conta, mas também, as entre linhas, aquilo que está implícito na Palavra, sendo assim, teríamos que ter algo neste sentido para afirmar a divindade de JESUS como: “JESUS é Verdadeiro DEUS e verdadeiro homem”, mas não há nada explicito assim, somente mensagens implícitas, que daí se concluí ser JESUS também verdadeiro DEUS e não somente criatura humana, não é por nada que há os Testemunhas de Jeovás e outras correntes cristãs protestantes que negam a divindade de JESUS justamente por não encontrarem algo mais explicito a respeito da divindade de JESUS, mas somente passagens aonde devemos fazer um esforço para entendermos que tal passagem afirma ser JESUS, DEUS e não somente homem. O mesmo que acontece com textos implícitos a respeito da divindade de JESUS, também o é com Maria, mas devemos lembrar que boa parte dos escritos apostólicos falam mais de JESUS do que Maria por um motivo obvio, os Santos Apóstolos teriam que falar antes de JESUS e de sua mensagem evangélica do que de Maria ou de qualquer outro personagem bíblico, portanto, não é de espantar que não haja nada explicito sobre Maria nos escritos apostólicos, e isto foi levado até mesmo depois da era dos apóstolos chegando até ao ano de 325 com o Concílio de Nicéia o qual foi derrotado de uma vez por todas a heresias ariana, e proclamada que de fato, como sempre vinha sendo professado pela Igreja que JESUS é verdadeiro DEUS e verdadeiro homem, e depois disto, é que a Igreja poderia estudar mais a fundo alguns e vários aspectos de Maria e dos demais personagens que conviveram com JESUS, antes disto, era sempre esparso e raro ter algum estudo mais afundo, o qual não quer dizer que não avia de maneira, mesmo que implícita, algo que levavam a meditar sobre a vida de Maria e de demais personagens santos das Sagradas Escrituras. Quanto a juízo dos protestantes com relação ao que nós católicos cremos, faço a minhas as palavras da Helen, quem são os protestantes para dizer o que nós cremos se está certo ou errado?, se nem eles se entendem com relação as interpretações bíblicas agora querem vir a nós dar aula de ensino bíblico?. Ah, tem que seguir o que esta na Bíblia e não o que o Papa diz, o que a Igreja Católica ensina… Ah é? Então qual interpretação bíblia eu devo seguir? De protestantes das igrejas luteranas, anglicanas, presbiteriana, pentecostais, batistas, metodistas, e outros istas, ou nenhuma delas, ou eu poderia extrair qualquer coisa da Bíblia, pois eu tenho o ESPIRITO SANTO comigo e a interpretações que eu der à Bíblia será infalível, do mesmo jeito que os citados acimas. Vejam a incoerência, eles (os protestantes) podem interpretar com inúmeras interpretações díspares umas das outras, desde que seja da Bíblia, pois o entendimento que os protestantes tem das coisa da Bíblia não são da Bíblia mas como eles acreditam que sejam, será como eles querem, assim se eu sou protestante de uma igreja luterana e discordar segundo a interpretação de um dado da Bíblia de um outro protestante de uma igreja Batista, já se cria animosidade entre ambos, é isto que CRISTO quer?, é sito que ensinaram os Santos Apóstolos?, JESUS não quis que houvesse um só pastor e um só rebanho?, os Santos Apóstolos não ensinaram que deveria haver concórdia e um só pensamento e um só sentimento entre todos os cristãos?, então para que tantas igrejas e interpretações bíblicas que são interpretações pessoais que se acreditam infalíveis pois todos tem o ESPIRITO SANTO mas que vemos haver inúmeras interpretações diferenciadas umas das outras, se todos tem o mesmo ESPÍRITO, então todas deveriam chegar a uma mesma interpretação e não é isto que vemos nos meios protestantes, e se estes mesmo protestantes se julgam infalíveis com suas inúmeras interpretações, então porque somente nós católicos também não podemos ter nossa interpretação igualmente infalível tal como os protestante com suas inúmeras interpretações. E quanto a Ap. 12 dizer que tal mulher é a Igreja, pelo amor de DEUS, foi a Igreja que gerou JESUS agora, ou foi JESUS quem deu a origem a Igreja?

      Curtir

  12. É fato que os protestantes confundem o modo da conceição de Jesus da conceição de Maria.

    A conceição de Jesus é operada pelo Espírito Santo no seio de uma virgem.

    A de Maria foi pelas vias comum da natureza, fruto de seus pais. Mas só que a conceição passiva de Maria, isto é, quando a alma unir-se ao corpo que deve vivificar foi por um privilégio de Deus preservando-a do pecado original, comum a todos os homens. Todos pecaram – Essa lei geral foi prerrogativa a Maria pelo fato de acolher e manifestar a dignidade do Filho. ”O Altíssimo santificou seu tabernáculo; Deus está no meio dele (Sl 45,5)

    É preciso duvidar quando Deus derroga uma lei geral?

    Deus derroga quando acha necessário e conveniente: ”Moisés estendeu a sua mão sobre o mar… e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas… com a sua direita e esquerda( Ex 14,21-22)

    Em Jesus e Maria

    Curtir

  13. PABLO DE CARVALHO disse:

    MUITO BOM COMENTÁRIO,CARA HELEN;MARIA É PERSONAGEM SIGNIFICATIVO NA VIDA DA IGREJA,PORÉM O ÚNICO QUE INTERCEDE PER NÓS É O ESPÍRITO SANTO(ROMANOS 8.26)

    Curtir

    • Helen disse:

      Pablo de Carvalho,

      Muito obrigada pela participação. Uma pergunta, entretanto: Você afirma que o Espírito Santo é o ÚNICO QUE INTERCEDE PER NÓS É(ROMANOS 8.26)

      Quando leio a passagem citada não encontro a palavra ÚNICO. Como é possível, portanto, fazer tal afirmação?

      E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.
      Romanos 8:26

      Curtir

    • Sidnei disse:

      O ESPIRITO SANTO é o nosso único intercessor?. E JESUS CRISTO?, e os demais irmãos que devem orar uns pelos outros?, como esta na Bíblia: 1Cor 12,12.20s; Ap 5,8; Ex 32,11.14; 1Sm 7,8-10; Rm 15,30; Ef 6,18s; 1Ts 5,25; Hb 13,18; Tg 5,16, e isto inclui também nossos irmãos no céus, pois em JESUS CRISTO formamos um único corpo, e por isto, temos comunhão com eles, e todos devemos velar uns pelos outros tal como diz São Paulo Apóstolo em 1º Cor. 12, 26s.

      Curtir

      • Helen disse:

        Meus parabéns Sidnei, à luz do próprio verso usado pelo Pablo (Romanos 8,26) ele já estaria errado. Aí o sr posta este comentário usando a lógica para efetivamente desbancar a proposição do Pablo, como eu já havia feito no meu comentário anterior… Infelizmente, depois que eu o respondi ele se pronunciou em dois novos comentários,, contudo, jamais mencionou ou admitiu o seu erro. Espero que reflita sobre aquilo que o dissemos, e pare de ensinar o erro.

        Curtir

  14. carlos a. disse:

    Por sua recomendação li o artigo. Isso é um parecer Católico sobre o assunto, uma interpretação católica, para católicos. É justo que defenda e tente embasar aquilo que acredita.
    Paz

    Curtir

    • Helen disse:

      Caro Carlos a.

      Pois bem, agradeço que o tenha lido.
      Agora peço que considere o seguinte: Embora o sr discorde dos nossos motivos-explicações para crermos no que que cremos, espero que de agora em diante não continue a pensar que acreditamos em algo sem motivo algum, exceto pelo fato de que fomos impostos por “um Papa” a crer no que cremos. Não, não foi assim que a fé Católica foi construída. Não é o que o Papa diz. O Papa diz o que a Fé afirma e proclama como Verdade, não o contrário!

      Pax

      Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s