Fundo de População da ONU utiliza a ‘Teologia’ para Promover o Aborto


Se gostar do artigo e, possuindo uma conta no Facebook, Twitter ou outra mídia social, o blog solicita que por favor divulguem esta matéria. Use o botão do Facebook, etc, no fim da página.

NOVA IORQUE, EUA, 26 de setembro (C-Fam) O Fundo de População da ONU está mergulhando de cabeça na teologia, exegese e práticas espirituais num novo manual sobre religiões, sexualidade e questões reprodutivas para diplomatas e funcionários da ONU.

“Estamos aqui!” Azza Karam, do Fundo de População, disse a 40 líderes de religiões e organizações religiosas na sede da ONU na semana passada. Há “muitos cantos de iluminação,” disse ela, embora lamentasse uma “oposição conservadora muito organizada.”

Karam, uma cientista política educada na Holanda, apresentou um esboço do manual que está atualmente sendo preparado pela agência da ONU. O propósito do manual é apresentar as posturas das grandes religiões sobre o aborto e a contracepção junto com assuntos não polêmicos que se enquadram na definição de saúde sexual e reprodutiva como acabar com casamento com meninas e casamentos forçados e com a mutilação genital feminina.

“Não foi feito para uma audiência religiosa,” mas para delegados e funcionários da ONU que discutem essas questões em negociações intergovernamentais, disse ela.

O manual se aprofundará em interpretações e exegese de textos religiosos, posturas doutrinárias e outros debates intra-religiosos tanto contra quanto a favor da contracepção e aborto a partir de uma perspectiva de ciência social.

Karam revelará a “discrepância entre teologia e prática” e incluirá leituras religiosas que “apoiam os direitos humanos em questão.” Apresentará interpretações de “leitores sensíveis a gênero que desafiam a ortodoxia,” por exemplo, teólogas que ganham recursos para propor interpretações religiosas que apoiam a contracepção.

“É na questão do aborto que temos mais sofrimento,” Karam disse antes de repetir a ressalva muitas vezes citada, mas ambígua, de que o Fundo de População da ONU não faz lobby em favor de mudanças em leis de aborto, mas promove abortos “seguros.”

Representantes de várias denominações cristãs estavam presentes junto com líderes bahai, budistas, hindus, judeus e muçulmanos. O grupo fez uma declaração de apoio à saúde e direitos sexuais e reprodutivos nas políticas da ONU.

A Igreja Católica não tinha uma representação oficial na reunião e não ajudou a preparar a declaração. A Igreja Católica rejeita sistematicamente o termo saúde sexual e reprodutiva nas políticas da ONU porque sua definição, que é ambígua, inclui o aborto onde é legal.

“Será que erramos numa perspectiva importante?” Karam perguntou aos líderes religiosos, buscando opiniões sobre o projeto por causa de seu “conhecimento teológico.” Nem todos receberam a versão preliminar do manual antes da reunião, e estávamos ouvindo a respeito dele pela primeira vez.

Karam explicou que o manual não poderia lidar com “toda questão polêmica particular,” mas só questões que aparecem no contexto de negociações intergovernamentais.

Alguns dos participantes argumentaram que pessoas “misóginas” estão em posição de autoridade em religiões, tornando perigoso fazer parceria com elas para campanhas de desenvolvimento.

Um dos membros do painel os convidou para “encontrar a próxima geração de pessoas que estendam os limites.” Katherine Marshall da Universidade Georgetown disse aos que estavam presentes que “fossem além das estruturas formais” das religiões e se envolvessem em debate “intra-religioso” em oposição a “inter-religioso.”

Marshall disse que as religiões eram possivelmente a melhor rede para avançar campanhas de desenvolvimento, principalmente no setor de saúde.

Tradução: Julio Severo

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Aborto, Autoridade Eclesial e marcado , , , . Guardar link permanente.

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s