A arte de aproveitar-se das próprias falhas


Errar é humano. Contudo, isso não equivale dizer que permanecer em erro seja necessário, tampouco que deles nos desesperemos… Afinal, o santo não faz-se num dia e das imperfeições não nos livramos de uma hora para outra, Mas sim, é um trabalho para toda a vida… É possível aprender com os próprios erros e falhas. Eis no link abaixo uma belíssima obra do tesouro da Fé Católica; o PDF do livro escrito pelo Pe José Tissot, que bebeu da fonte de São Francisco de Sales. A obra trata-se de uma verdadeira benção recomendada pelo amigo Fábio Salgado de Carvalho.

Eterno Pai, bendito seja o vosso nome, hoje e sempre. A vós dou graças por minha vida, por me sustentar em minha caminhada, por amar-me profundamente e por ter-me feito católica!  Obrigada pelos livros e escritos dos Santos, os quais, por vossa graça, perserveraram-se no desejo de imitar a Cristo Jesus. Amém.

 

a-arte-de-aproveitar-se-das-proprias-faltas-pe-josc3a9-tissot

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica. Bookmark o link permanente.

4 respostas para A arte de aproveitar-se das próprias falhas

  1. Aldobrandina Rodrigues disse:

    Helen Tenho convicção do que escrevi acerca do” errar é humano…”, não me fixei em vicissitude, nem tão pouco em falhas, porque não é o que transmite o seu comentário. Acredito que na “belíssima obra escrita pelo padre .José Tissot” o sentido deve ser em torno de escolhas ” incorretas” mudanças,incertezas… e pode até ser entendido como algo de natureza não deliberada que venha trazer um resultado não desejado, no caso falha humana. Não me isento de erros, de cometimentos deliberados e não deliberados, tenho plena consciência disso. Mas quanto a minha reflexão sobre determinados fatos e atos narrados na Bíblia, que não podem e não devem ser contestados, infelizmente tenho a dizer que não se enquadra nem em erros, nem falhas que devam sofrer mudanças para que me torne uma cristã. Afirmo, sem medo, de que a cada dia me conscientizo de que a Fé em Deus, em Jesus, em Maria, e absorver os ensinamentos do evangelho, independem de religião. Mas depende muito e muito de humildade, firmeza, serenidade, confiança… e acima de tudo do AMOR CRÍSTICO. Quem sabe se um dia poderei ter esta dádiva? Ler, analisar, entende, ponderar, acatar ou não…, o que for importante na nossa vida, deve ser feito sem nenhum constrangimento. Aldobrandina

    Curtir

    • Helen disse:

      Aldobrandina,

      O livro trata mesmo das falhas ou defeitos humanos. Trata, porém, de trazer luz àqueles que vivem em busca do aprimoramento espiritual. Nele há uma analogia muito interessante sobre dois tipos de pessoas – de um lado usa o exemplo dos santos católicos (com base naquilo que os próprios santos escreveram de si) – do outro faz referencia aos tipos de pessoas que se julgam livre de defeitos. Assim temos: o santo, que se acha sempre o maior pecador do mundo (um exemplo disso na Bíblia é Sao Paulo, que se auto proclamas o menor dos apóstolos e maior dos pecadores) e o homen soberbo que acha que nao tem falhas.
      O santo é como a pessoa que, num quarto escuro onde de repende entra réstia de luz do sol, consegue ver toda a poeira flutuando no ar. Essas partículas de poeira representam seus defeitos. O soberbo, que vive na escuridao do próprio auto desconhecimento, nao ve a poira porque nao tem a luz para lhe revelar aquilo que a olhos nus, no escuro, é impossível de se ver. O santo, ve a poira e ao invés de se desanimar, trabalha arduamente com fé em Cristo para limpar sua casa: ou seja, para limpar sua alma dos defeitos que consegue ver. O outro, porque náo ve seus defeitos, porque os ignora, nao dá os passos necessários para livrar-se deles. Há ainda aqueles que, tendo conhecimentos de alguns desses defeitos, sao incapazes de buscar o aperfeiçoamento da própria alma, porque nao aprenderam que sozinhos, sem Deus, ninguém é capaz de ser bom, de melhorar….

      Na minha mente a luz da qual o autor fala é uma analogia à Jesus. Digo isso com o respaldo, por exemplo, da seguinte passagem:

      Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
      Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

      João 3:20-22

      OU seja, quem vem à luz tem revelado a si os próprios pecados. Em Deus, pode entao obrar para fazer aquilo o que a Ele é aprazível.

      Finalizando, eu ainda nao recebi comentario vosso sobre o dogma da divindade de Deus. Recordo-me que em comentários anteriores náo reconhecia esse dogma.
      Minha pergunta para alguem da religiao espírita, que normalmente aceita Jesus como um bom homem é a seguinte: como pode um homem ser moralmente bom e mentir? Se mente, náo é moral. E se náo é uma pessoa moral, como pode ser bom?

      Ora, Jesus afirmava ser o filho de Deus. Em metáforas afirmou ser o Próprio Deus (por exemplo na passagem usada pelo Pe P. Ricardo, onde é feita a analogia com aquilo que diz Deus a Moises sobre quem Ele era: EU SOU.) Jesus disse aos judeus: EU SOU.

      Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

      João 8:58

      Agora leia o diálogo de Deus e Moises:

      Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?
      E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.

      Êxodo 3:13-14

      Deus diz que Moises deivia dizer a seu povo sobre a identidade de Deus: Eu Sou me enviou.
      Jesus quase foi apedrejado quando, em falando aos Judeus – que conheciam profundamente as escrituras e entendiam o significado do nome EU SOU, dise-lhes: EU SOU. Pois os judues entenderam isso como uma heresia, ou seja, Jesus dizendo de Si mesmo, levar o nome de Deus e assim, proclamar-Se Deus.

      Assim, me pergunto: o que é a explicaçao espirita sobre a pessoa de Cristo?

      Curtir

  2. Aldobrandina Rodrigues disse:

    Cara Helen

    Acredito que este antiquíssimo dito popular é do conhecimento de quase todos nós seres humanos.Aproveitando o ensejo acrescento: o indivíduo que comete erros e tem consciência de que estes são prejudiciais a si próprio e a outrem, se ele permanecer na prática desses mesmos atos, com certeza é um ser que merece compaixão, é um inconsequente, ou um infrator, conforme sejam os seus erros praticados.
    Mas, aquele que tem a crença em sua religião, querer rotular de errado quem segue outras religiões, é muita pretensão.
    Com o mesmo empenho que você defende a sua Fé Católica, outros que seguem a religião que professam com mente e coração abertos, com a convicção de sua Fé em Deus, em Jesus e nos seus ensinamentos, têm a mesma certeza de vocês católicos, de que estão no caminho certo.
    Quem de nós pode dizer categoricamente, a minha religião é a verdadeira e quem a contradiz é um herege?
    “A revelação de Deus a humanidade fora transmitida durante muitos e mutos anos por via oral. Muitos séculos antes de Cristo, o povo hebreu, através dos escribas,sacerdotes,profetas … já mantinham registros desses acontecimentos, por acharem importantes em suas vidas. Estes escritos foram copiados muitas e muitas vezes, passando de geração em geração, tendo sido finalizados por volta do ano 95 d,C.
    Desta forma, o que se coloca em dúvida no Antigo Testamento, não é a Divindade, não é a Deus, mas À LETRA, ao uso das palavras que são atribuídas ao Criador. transformando-O em um ente cheio de ira, …impondo sempre o temor. Às palavras e termos oriundos de quem procedeu ao longo de anos e anos, cópias e traduções.

    Mais uma vez digo que creio em Deus, em Jesus, em Maria Santíssima, independente de qualquer seguimento religioso.. Que leio a Bíblia da qual absorvo os ensinamentos que elevam, esclarecem e alimentam o nosso Eu interno, o nosso ESPÍRITO, a nossa ALMA, que representa a centelha divina em cada um de nós..
    Mas não buscando apologia específica a uma religião.

    Obrigado pelo texto acerca do Antigo Testamento, achei-o muito bom.
    Aldobrandina

    Curtir

    • Helen disse:

      Cara Aldobrandina,

      O texto sobre os ‘erros’ quer tratar de vicissitudes ou defeitos humanos e nãoo de erros doutrinários. Não sei se teve a oportunidade, mas o link que acompanha o post leva o leitor ao Livro “Aproveite-se das próprias falhas”, ou seja, das falhas humanas,e o induz à tirar proveito dos próprios defeitos como o egoísmo, a inveja, etc., para crescer espiritualmente… ao invés de se compadecer de si mesmo e achar que nunca será uma pessoa melhor.

      é uma obra católica para católicos. ou seja, para quem aceita as práticas da fé e seus ensinamentos. Mas isso nao impede uma pessoa de outra crença de aprender com o livro, que por sinal é muito bom.

      Pra finalizar, comento sobre sua afirmaçáo:

      A revelação de Deus a humanidade fora transmitida durante muitos e mutos anos por via oral. Muitos séculos antes de Cristo, o povo hebreu, através dos escribas,sacerdotes,profetas … já mantinham registros desses acontecimentos, por acharem importantes em suas vidas. Estes escritos foram copiados muitas e muitas vezes, passando de geração em geração, tendo sido finalizados por volta do ano 95 d,C.

      Desta forma, o que se coloca em dúvida no Antigo Testamento, não é a Divindade, não é a Deus, mas À LETRA, ao uso das palavras que são atribuídas ao Criador. transformando-O em um ente cheio de ira, …impondo sempre o temor. Às palavras e termos oriundos de quem procedeu ao longo de anos e anos, cópias e traduções.

      O seu pensamento acima usa de um argumento muito comum entre os teologos liberais que, por sua vez, afirmam que as escrituras nao sao reputáveis porque, como vc diz, sáo o resultado de um processo histórico de cópia que as corromperam. Bom, a Igreja já refutou isso ha seculos atrás… Há muitos escritos sobre o tema. O seu comentário parece sugerir que os cristáos afirmem que nas Escrituras lemos os relatos por Deus. Mas o fato é que a Biblia eh uma colecao de escritos feitos por homens que, por inspiraçao de Deus – de forma sobrenatural, ungidos pelo Espiro Santo de Deus, escreveram aquilo que Deus nos quiz revelar…

      Sugiro que veja o video abaixo:

      Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s