A Jornada de um Ex-Batista ao Catolicismo – Testemunho de Fábio Salgado de Carvalho


 Por F. Carvalho

CaravaggioQuando me converti ao Cristianismo no dia 25 de janeiro de 2009, prometi a algumas pessoas que descreveria neste blogue aquilo que eu costumo chamar de “o meu caminho de Damasco”. Aqueles que conhecem a experiência de conversão de Paulo, que ainda se chamava Saulo — vejam o capítulo 9 de Atos —, sabem que a sua conversão deu-se quando ele estava a caminho de Damasco para prender cristãos — a imagem acima de Caravaggio chama-se “A conversão de São Paulo”. Paulo teve uma experiência singular pessoal e intransferível. Creio que todo cristão genuíno, mesmo aqueles que nasceram e foram criados em um lar cristão, tem de ter o seu caminho de Damasco em algum momento. Tive o meu na referida data. Apesar da promessa, sempre adiei o projeto de escrever sobre a minha experiência porque acredito que deveria fazê-lo em um livro e que o espaço deste blog seria inadequado para relatar o ocorrido. A minha pretensão, entretanto, não é a de cumprir a minha antiga promessa, mas a de relatar o que chamei no título desta postagem como sendo a minha segunda conversão. Muitos já devem saber, e se não o sabiam sabem agora, que me converti ao Catolicismo. Antes, era um batista, evangélico, protestante; agora, sou um católico apostólico romano.

   Antes, devo ressaltar que não tenho pretensões de converter ninguém. O meu objetivo aqui é o de registrar uma explicação da minha conversão a fim de não ter de repeti-la sempre, poupando-me de esforços desnecessários, embora tenha de confessar que ela ainda não está organizada suficientemente para que eu possa descrevê-la de maneira concisa — por isso, peço perdão, de antemão, se esta postagem apelar a digressões de modo excessivo ou se eu acabar estendendo-me em demasia. Não é a minha intenção aqui fazer uma apologética de todas as doutrinas católicas, até porque o espaço seria totalmente inadequado para tanto: precisaria escrever um livro para isso — de fato, há uma vasta literatura que já faz isso e procurarei indicar algumas leituras no decorrer deste texto não apenas para fundamentar o que digo, mas para oferecer um apoio de leitura a quem tiver o interesse sincero de conhecer a verdade.
   Minha jornada ao Catolicismo, creio eu, iniciou-se em 2011. Como praticamente todos os protestantes que conheço — fui dar-me conta das proporções do anticatolicismo dos protestantes apenas muito recentemente —, conhecia o Catolicismo apenas por meio de chavões, caricaturas e espantalhos. Nunca tinha lido nada católico e só conhecia a Igreja Católica de segunda mão, a partir das críticas dos protestantes. Minha mãe, tomando conhecimento do meu catolicismo neste ano, perguntou-me certa feita: “Ué, você não dizia que tinha de ser muito burro pra ser católico?”. Sim! Eu já disse isso antigamente, quando não tinha a menor idéia de como os católicos continuavam adorando as imagens depois de um texto tão claro como o de Êxodo 20.4: “Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra” [Nova Versão Internacional (NVI) — uma tradução protestante!]. De maneira semelhante, cheguei a dizer quando era agnóstico, antes da minha conversão ao Cristianismo em 2009, que poderiam internar-me em um hospício se algum dia eu tornasse-me um cristão.Acompanho o programa TrueOutspeak (http://www.blogtalkradio.com/olavo) do filósofo Olavo de Carvalho desde 2010. Mesmo tendo começado apenas em 2010, ouvi todos os programas desde 2006, o que são mais de 300 programas, com média de 50min de duração. O programa, que antes era semanal, passou a ser mensal neste ano. O professor Olavo chegou a anunciar o fim do programa em dezembro do ano passado, mas resolveu retomá-lo mensalmente por conta da enorme quantidade de protestos. O professor Olavo, por quem tenho imensa consideração, respeito e admiração, sempre iniciava os seus programas dizendo o seguinte: “Começamos mais uma vez invocando a santíssima Virgem Maria e o Santo Padre Pio de Pietrelcina para que roguem a Deus que nenhuma injustiça se cometa nesse programa”. Quando percebi a erudição do professor Olavo e vi que ele era católico, logo pensei: “é… ninguém é perfeito.”. Aquilo, entretanto, intrigava-me porque sabia que a última pessoa do mundo que eu diria que não estudou um assunto seria o professor Olavo. Será que ele, simplesmente, não sabia de passagens como a de Êxodo 20? Em 2011, ouvi um de seus programas citando o padre Paulo Ricardo (http://padrepauloricardo.org/). Procurei o seu site em outubro de 2011 e deixei uma pergunta que reproduzo aqui:

“Padre Paulo Ricardo, em primeiro lugar, parabéns pelo seu trabalho. Deus, com certeza, reserva o seu galardão no céu pela edificação que o senhor traz-nos com os seus vídeos e textos. Cresci na tradição protestante tradicional, para ser específico, a tradição Batista, e sempre tive uma visão bastante distorcida sobre o Catolicismo, baseada naquele catolicismo denunciado por Lutero no medievo.

Tenho tentado despojar-me do preconceito para tentar compreender melhor a tradição católica e tenho me impressionado e me surpreendido quanto mais aprendo. Tenho quatro dúvidas que gostaria que me fossem respondidas se possível.

— A primeira pergunta refere-se à reza e às repetições. Jesus, antes de ensinar como se deve orar, disse o seguinte:

“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.” [Mateus 6:7-8]

Se logo antes de ensinar o Pai Nosso Cristo pede que não façamos uso de vãs repetições, por que se reza com repetições?

— A segunda pergunta refere-se às imagens. O segundo mandamento diz:
“Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.” [Êxodo 20:4]

Por que, então, faz-se imagens?

— A terceira refere-se às intercessões feitas aos santos ou mesmo à virgem Maria. Paulo, diz o seguinte:

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” [1 Timóteo 2:5]

Ora, se apenas Cristo é o mediador entre Deus e os homens, por que os católicos apelam a outros mediadores, além de Cristo?

— A última refere-se à salvação. Uma das cinco solas da tradição reformada defende que o homem é justificado somente pela sua fé. Eu discordo disso, crendo que a salvação é obtida pela fé, numa conjunção com as obras. Se não fosse desse modo, o texto de Hebreus 12.14 não diria que sem a santificação ninguém verá o Senhor ou não se falaria de pecados que têm por conseqüência que não se verá a Deus. Costuma-se utilizar o argumento de que o converso, certamente, seguirá o caminho da santificação, mas acho tal argumento controverso e sem justificação. Qual a visão da Igreja Católica a respeito do assunto? Sempre ouvi dizer que ela prega que a salvação vem pelas obras.

Espero que as minhas perguntas sejam respondidas assim que possível e agradeço, desde já, a atenção dispensada.

Paz de Cristo!
Fábio Salgado”

   Fiz algumas modificações na última pergunta porque na época fui impreciso, falando de “graça” em vez de fé. Não conhecia naquela época o documento assinado no dia 31 de outubro de 1999 intitulado “Declaração Conjunta Sobre a Doutrina da Justificação”.
No ponto 15 dessa declaração, luteranos e católicos afirmam: “Confessamos juntos: somente por graça, na fé na obra salvífica de Cristo, e não por causa de nosso mérito, somos aceitos por Deus e recebemos o Espírito Santo, que nos renova os corações e nos capacita e chama para as boas obras”. Esse documento é muito claro. Recentemente, um pastor disse para mim que a Igreja Católica não crê que somos salvos somente pela graça. Quando eu disse que ele estava errado, ele simplesmente disse que isso era óbvio. Quando eu mencionei esse documento, ele, simplesmente, disse que não iria ler nada. Nesse momento, tenho de deixar algo claro aqui. O professor Olavo de Carvalho, no seu já mencionado programa TrueOutspeak, certa feita, disse o seguinte:

“Se o cara não estudou, não sabe, tem é que calar a boca. Eu acho que o direito de ter opinião é proporcional ao interesse sincero que você tem pelo assunto. Se você não tem interesse pelo assunto pra você sequer ler alguma coisa, por que nós devemos ter interesse em ouvir a sua opinião?”

   Aqueles que conhecem o tom do professor nesse programa — o tom dele nas suas aulas é completamente diferente — devem saber que o professor não foi tão educado e polido como procuro ser — infelizmente ou felizmente (não saberia dizer ao certo). Aqui está a sua fala completa: http://www.youtube.com/watch?v=pzZNeBam6ZQ . Concordo com ele: as pessoas não estudam e simplesmente querem opinar sobre aquilo que não entendem.
Voltando à minha pergunta de 2011, recebi a seguinte resposta no mesmo dia:

“Salve Maria!
Caro Fábio,
Muito obrigado pela sua mensagem.
Sua pergunta já foi encaminhada e na medida do possível, será respondida pelo Pe. Paulo Ricardo durante o podcast “A Resposta Católica”.

Aconselho que assista os vídeos dos links abaixo:

http://padrepauloricardo.org/episodios/intercessao-dos-santos 

http://padrepauloricardo.org/episodios/culto-aos-santos-e-suas-imagens

Gostaria de aproveitar a oportunidade e convidá-lo a participar dos cursos online do site padrepauloricardo.org e ajudá-lo nesse projeto de formação e incentivar outros a fazê-lo. Nele encontrará um vasto conteúdo para defender e ensinar a fé católica com mais firmeza e solidez.
Ajude-nos a manter este trabalho de apostolado na internet, pela formação dos católicos, por amor a Santa Igreja e sua Sagrada Tradição.
Contamos com as suas orações.
Deus o abençoe sempre.

Ad maiorem Dei gloriam
Equipe Christo Nihil Praeponere – padrepauloricardo.org “

   Os dois vídeos indicados foram o estopim para que eu percebesse que eu sabia absolutamente nada sobre o Catolicismo e que deveria dar-me ao trabalho de estudar seriamente o assunto. Infelizmente, na época, era um mero bolsista de iniciação científica da UnB e não tinha dinheiro para pagar o acesso ao site do padre Paulo Ricardo e sabia que meus pais nunca aceitariam ajudar-me a pagar cursos sobre o Catolicismo. No dia seguinte, mandei outra mensagem, angustiado com o pouco conhecimento que percebi ter:

“Padre Paulo Ricardo, o senhor poderia indicar uma bibliografia para quem quer entender o Catolicismo? Além dos documentos da igreja, do ponto de vista da Teologia Católica, quais textos o senhor recomendaria?

Abraço e paz de Cristo!”

   Recebi a resposta, novamente, no mesmo dia:

“Salve Maria!
Caro Fábio,
Muito obrigado pela sua mensagem.
Recomendo que comece por estudar a História da Igreja.
Segue abaixo algumas indicações:

DUÉ, Andrea.  Atlas histórico do cristianismo. Aparecida-SP: Santuário; Petrópolis: Vozes, 1999.
FRÖLICH, Roland. Curso básico de história da Igreja. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 2005.
RATZINGER, Joseph. Compreender a Igreja hoje: vocação para a comunhão. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2005.
BIHLMEYER; TUECHLE, Hermann.  História da Igreja: antiguidade cristã. São Paulo: Paulinas, 1964.
DANIÉLOU, Jean; MARROU, Henri. Nova história da Igreja: dos primórdios a São Gregório Magno, v. 1. Petrópolis: Vozes, 1965.
PIERINI, Franco. A idade antiga: curso de história da Igreja, vol. 1. São Paulo: Paulus, 1998.
ROMAG, Dagoberto.  Compêndio de história da Igreja: a antiguidade cristã, v.1, 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1949.
SESBOÜÉ, Bernard; WOLINSKI, Joseph.  O Deus da Salvação. Col.: SESBOÜÉ, B. (dir.) História dos Dogmas, vol. 1. São Paulo: Loyola, 2002.
VERDETE, Carlos.  História da Igreja Católica: das origens até o cisma do Oriente (1054), v. 1. São Paulo: Paulus, 2006.
DANIEL-ROPS, Henri. História da Igreja de Cristo. Tradução de Henrique Ruas; revisão de Emérico da Gama – São Paulo: Quadrante, (10 vols.), 2006.
LLORCA, Bernardino; GARCÍA-VILLOSLADA, Ricardo e LABOA, Juan María. Historia de la Iglesia Católica. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos (5 vols.), 2005.

Contamos com as suas orações.
Deus o abençoe sempre.

Ad maiorem Dei gloriam
Equipe Christo Nihil Praeponere”

   Resolvi levar a sério a recomendação e comecei a estudar seriamente a história do Cristianismo e da Igreja Católica. Faço questão de ressaltar que fui respondido no mesmo dia porque já procurei corresponder-me com muitos pastores do meio cristão brasileiro, mas fui ignorado na maior parte das vezes. Creio que o estrelato deve ter subido às suas cabeças, pois consigo corresponder-me mais facilmente com filósofos estrangeiros extremamente produtivos de maneira muito mais fácil. Conto nos dedos das mãos os filósofos do exterior que deixaram de dar-me respostas. Não posso deixar de citar uma das poucas exceções, que foi o pastor Luiz Sayão, que respondeu inúmeros questionamentos meus por meio do seu programa “Conversando com Luiz Sayão” (http://rtm.radio.br/novo/interna/radio/conversando-com-luiz-sayao). Até hoje estou estudando a bibliografia acima que me foi indicada. Os cinco volumes de Llorca, García-Villoslada e Laboa, por exemplo, eu só comprei recentemente. Antes de ler e estudar essa bibliografia, já tinha estudado a história do Cristianismo da perspectiva de alguns protestantes como, por exemplo, a “História Ilustrada do Cristianismo” de Justo L González, quando ainda não tinha sido editada em apenas dois volumes, e “Uma História do Cristianismo”, de Kenneth Scott Latourette. Lembro-me de que algo que me impressionou ao ler González foi que ele já apontava que, na verdade, a Contrarreforma começou antes da Reforma, por mais paradoxal que seja a partir dos nomes. Já na Espanha, a Igreja Católica já tinha começado várias reformas antes de Lutero. É importante dizer aqui que Lutero, de fato, estava certo em muita coisa. Havia, realmente, muitos abusos por parte do Clero. Lutero estava vivo quando o famoso Papa Alexandre VI, o Bórgia, foi eleito. Para ter a imaginação estimulada, recomendo a série “The Borgias”.
   Por falar em Lutero, resolvi começar a lê-lo por conta própria (procurem os vários volumes de “Obras Selecionadas” lançadas pela Editora Sinodal). Fiquei horrorizado com Lutero. Descobri que, por exemplo, Lutero acrescentou o termo “alleyn”, em Romanos 3.28, para reforçar sua doutrina. Procurem os debates desse sujeito com Erasmo de Roterdã, por exemplo, e vejam como ele era grosseiro. As pessoas não têm o trabalho de, por exemplo, ler as 95 teses de Lutero e mal sabem que ele mesmo não era avesso às indulgências, mas apenas ao comércio de indulgências como se vê claramente na sua septuagésima segunda tese: “Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.”. Quem nunca se deu ao trabalho de ler todas as teses, pode fazê-lo aqui:
 
Cresci ouvindo as pessoas dizerem que a Igreja desestimulava a leitura da Bíblia, assim como a sua tradução. Se vocês consultarem o “The Cambridge History of the Bible”, especificamente o volume 2, “The West from the Fathers to the Reformation”, editado por G. W. H. Lampe, vocês verão, por exemplo, que muito antes de Lutero, 58 anos antes, já havia a primeira Bíblia impressa no Alemão e que durante esses 58 anos os católicos imprimiram 30 diferentes edições alemãs da Bíblia — procurem, também, o livro “As diferenças entre a Igreja Católica e Igrejas Evangélicas”, de autoria do ex-protestante Jaime Francisco de Moura. Isso não foi exclusividade da Língua Alemã, mas ocorre, por exemplo, com o Espanhol, o Holandês, o Francês, em Inglês, entre outros idiomas.
   Percebi que o desconhecimento era generalizado: até mesmo aqueles que se diziam ex-católicos sabiam de absolutamente nada da Doutrina Católica. O sociólogo Alberto Carlos Almeida — vejam as entrevistas dele ao Roda Viva e à Marília Gabriela — costuma apontar que os protestantes sempre foram bons na educação do povo em geral e que os católicos sempre foram bons na educação da elite — prova disso são as diferenças entre os índices educacionais de países majoritariamente protestantes e majoritariamente católicos, além do nível acadêmico das universidades católicas e das universidades protestantes. Como os protestantes baseiam-se no “Sola Scriptura”, eles estavam extremamente interessados em alfabetizar as pessoas. Foi-se, entretanto, o tempo em que os protestantes eram conhecidos pelo seu domínio das Escrituras, uma vez que há protestantes de todo tipo hoje, inclusive denominações que, incrivelmente, desaconselham a leitura da Bíblia. Ouvi recentemente um batista tradicional beirando os sessenta anos dizendo-me que nunca tinha ouvido falar do “Sola Scriptura”. Da mesma maneira, pegue uma igreja presbiteriana tradicional ou uma batista tradicional que defenda ferrenhamente que o cristão deve apenas basear-se nas Escrituras. Serão raros aqueles que terão lido a Bíblia toda durante anos de conversão. Digo isso porque os católicos são conhecidos por seu desconhecimento das Escrituras, mas creio que se levarmos em conta o conhecimento que um católico médio tem da Tradição, considerando-se que o católico não aceita a “Sola Scriptura”, e formos comparar com o conhecimento de um protestante médio acerca das Escrituras, a diferença não será tanta.

   Voltando à fala de algumas pessoas que falam sobre o desestímulo da leitura da Bíblia, reproduzo aqui um trecho do livro do Jaime de Moura que já mencionei:

“João Crisóstomo (354-407 dC), doutor da Igreja, escreveu: ‘É isto que tem destruído todas as coisas: vocês pensarem que a leitura da Escritura é tarefa apenas para os monges, quando na verdade vocês precisam dela muito mais do que eles. Aqueles que se põem no mundo e diariamente são feridos têm mais necessidade da medicina. Assim, age bem pior aquele que não lê as Escrituras, supondo que são supérfluas. Tais coisas são invenção do diabo’ (Homilia sobre Mat. 2,5).

Papa S. Gregório I (+604 dC), escreveu: ‘O Imperador dos Céus, o Senhor dos homens e dos anjos, enviou suas epístolas para vós, para que aproveiteis a vossa vida, mas vós negligenciais a lê-las devidamente. Estudai e meditai diariamente sobre as palavras do vosso Criador – eu vos imploro. Aprendei o coração de Deus nas palavras de Deus, para que possais aspirar as coisas eternas, para que vossas almas possam ser despertadas pelo desejo da alegria celestial” (Epístola V,46).

S. Bernardo de Clairvaux (1090-1153 dC), doutor e padre da Igreja, escreveu: ‘A pessoa que deseja muito a Deus estuda e medita sobre a Palavra inspirada, para conhecer o que ela diz. É assim que essa pessoa certamente encontra aquele a quem deseja’ (Comentário ao Cântico dos Cânticos, Sermão 23,3).

Papa S. Pio X (1903-1914 dC), escreveu: ‘Nada poderia nos alegrar mais do que ver nossos queridos filhos criarem o hábito de ler os Evangelhos, não apenas de tempos em tempos, mas diariamente’.

Finalmente, o Catecismo da Igreja Católica declara: ‘A Igreja ‘exorta com veemência e de modo peculiar todos os fiéis cristãos… a que, pela freqüente leitura das divinas Escrituras, aprendam «a eminente ciência de Jesus Cristo» [Fil. 3,8]. «Porquanto ignorar as Escrituras é ignorar Cristo»’ [S. Jerônimo]” (CIC 133).

A proibição de que falam os protestantes, é que o Concílio de Tolosa (França) proibiu traduções da Bíblia para o vernáculo para evitar erros, proibição retirada pelo Concílio da Tarragona (Espanha) em 1233.
O Sínodo de Oxford (1408) proibiu a publicação e a leitura de textos vernáculos da Bíblia não autorizados. O mesmo se deu no Sínodo dos Bispos alemães em Mogúncia (1485), devido a confusão doutrinária criada por John Wiclef (1320-84). O Concílio de Trento (1545-1563) declarou autêntica a Vulgata latina, tradução devida a S. Jerônimo (+420) e decretou que as traduções da Bíblia deveriam conter o visto do Bispo diocesano, para se evitar abusos de tradução.
Isso aconteceu porque a Igreja exerce seu papel de zelar pela fidelidade da doutrina conf. (2 Timóteo 4, 2); (Tito 1, 13). É o que aconteceu ao contrário com os protestantes. Lutero divulgou a Bíblia para que cada um pudesse interpretar a sua maneira.”.

   Estou mencionando alguns pontos de equívoco aqui porque a confusão dos protestantes acerca do Catolicismo é enorme! Nesta semana, um pastor perguntou-me se eu cria na Infalibilidade Papal. Após a minha resposta afirmativa, ele perguntou se eu achava que o Papa não pecava. Quando eu falei que era óbvio que não e que, inclusive, o Papa confessava-se toda semana, ele achou que eu estava contradizendo-me. O referido pastor disse-me que as encíclicas papais contradizem-se. Uma pessoa que não compreende nem ao menos a doutrina da Infalibilidade Papal e que não sabe que ela refere-se apenas a definições “ex cathedra” e que encíclicas não são declarações desse tipo, simplesmente, não entende em absoluto a Doutrina Católica. O que tenho visto em todos os textos com críticas ao Catolicismo que procurei, de Boettner a Aníbal Pereira dos Reis, são falsificações grosseiras. Pessoas que, definitivamente, não entenderam nada da doutrina católica, que, simplesmente, não estudaram. Assim diz o Catecismo da Igreja Católica, que estudo todos os dias desde março deste ano:

“891 ” ‘Goza desta infalibilidade o Pontífice Romano, chefe do colégio dos Bispos, por força de seu cargo quando, na qualidade de pastor e doutor supremo de todos os fiéis e encarregado de confirmar seus irmãos na fé, proclama, por um ato definitivo, um ponto de doutrina que concerne à fé ou aos costumes… A infalibilidade prometida à Igreja reside também no corpo episcopal quanto este exerce seu magistério supremo em união com o sucessor de Pedro’, sobretudo em um Concílio Ecumênico[1611]. Quando, por seu Magistério supremo, a Igreja propõe alguma coisa ‘a crer como sendo revelada por Deus'[1612] e como ensinamento de Cristo, ‘é preciso aderir na obediência da fé a tais definições'[1613]. Esta infalibilidade tem a mesma extensão que o próprio depósito da Revelação divina[1614].”

[1611] LG 25; Vaticano I: DS 3074.
[1612] DV 10
[1613] LG 25
[1614] Cf. LG 25″

Vejam que o texto acima é muito restrito com relação à Infalibilidade Papal — percebam, também, que ele cita documentos da Igreja e dos Concílios. Para uma visão introdutória destes, recomendo o livro “História dos concílios ecumênicos” organizado pelo Giuseppe Alberigo. Para vocês terem uma idéia, as duas únicas declarações “ex-cathedra” em 2000 anos foram os dogmas da Imaculada Conceição (1854) e da Assunção (1950). Um bom livro para quem nunca estudou nada ter uma noção bem introdutória dessas doutrinas é o livro “Catolicismo para leigos”, de John Trigilio Jr. e Kenneth Brighenti.

São muitas as barbaridades que ouço de protestantes que, comprovadamente, não estudaram. Ouvi, também nesta semana, alguém dizendo que a Teologia Católica é feita apenas do aristotelismo. Essa pessoa, simplesmente, desconhece tanto a história da Filosofia quanto do Cristianismo, pois qualquer estudante de Filosofia Medieval e Antiga sabe que Aristóteles era muito mal visto pela cristandade, que o conhecia pouco, uma vez que o movimento de tradução das suas obras deu-se no fim do século XII. Tomás de Aquino foi o grande responsável pela incorporação de Aristóteles à teologia cristã.

Um pastor afirmou para mim que as heresias da Igreja Católica começaram com Constantino, repetindo o que todo protestante fala. Quando o acusei de desconhecimento, fui acusado de ter o costume de diminuir as pessoas. Creio que ele não fazia idéia do que eu estava falando porque apostaria todos os meus livros que ele não estudou nem 1% da literatura referente à patrologia greco-latina e siríaco-oriental. Para vocês terem uma idéia do que eu estou falando, dêem uma olhada nos 221 volumes da patrologia latina (http://www.logos.com/product/28902/patrologiae-cursus-completus-series-latina), nos 167 volumes da patrologia grega (http://www.logos.com/product/28903/patrologiae-cursus-completus-series-graeca) e nos 18 volumes da siríaco-oriental que ainda não está completa
(http://www.logos.com/product/28982/patrologia-syriaca). Se alguma alma caridosa quiser comprar esse material para mim, ficaria muito grato.

Vamos voltar à minha história. No ano passado, uma colega minha perguntou-me, sabendo que gosto muito de ler, se eu já tinha lido Chesterton e o que achava dele. Vergonhosamente, disse que nada conhecia dele. Resolvi, então, comprar tudo o que havia sido lançado dele em Português, apenas por uma questão de facilidade de acesso, e não por eu ser monoglota, uma vez que ainda não tinha as condições que tenho hoje de importar livros, graças à minha bolsa de mestrado. O Chesterton, simplesmente, tornou-se um dos meus autores favoritos. Ele é um escritor realmente muito talentoso. Quando estava no meu terceiro ou quarto livro dele, descobri que ele era um ex-anglicano converso ao Catolicismo. Fiquei muito impressionado com aquilo e fui procurar livros dele tratando o assunto. Cheguei ao livro “Todos os caminhos levam a Roma”. Pesquisando sobre esse livro, cheguei ao livro “Todos os caminhos vão dar a Roma” do casal Hahn, que na edição mais nova foi traduzido com precisamente o mesmo título do livro de Chesterton. Por curiosidade, comprei os dois livros. O interessante é que o título original “Rome sweet home” é um trocadilho intraduzível com “Lar, doce lar”. Ninguém me recomendou o livro do casal Hahn, mas cheguei a ele por essa feliz “coincidência”.

Se você, leitor, quer entender um pouco sobre como se deu a minha conversão, leia o livro do casal Hahn, Scott e Kimberly. É um livro maravilhoso! Ele fez toda a diferença na minha vida. Ele conta a história de um casal que era presbiteriano e calvinista e que se converteu ao Catolicismo durante os seus anos de estudo de Teologia. É uma bela história. Virei um fã do Scott Hahn e saí comprando tudo o que havia dele em Português para depois comprar os ebooks dele que ainda não tinham sido traduzidos.

Depois que terminei a leitura desse livro, uma série de “coincidências” começou a ocorrer. Estava estudando Existencialismo em um curso ministrado pelo meu atual orientador, Julio Cabrera, e vimos uma série de autores católicos: Gabriel Marcel, Jackson de Figueiredo e Alceu Amoroso Lima. é bom dizer que o professor Cabrera não é religioso. Só não digo que ele é ateu porque creio que ele não gostaria de ser classificado assim por crer que não precisa posicionar-se acerca de uma questão que ele não aceita. Na mesma semana, minha namorada enviou-me um vídeo da Gabriela Rocha cantando a canção “Restless” (http://www.youtube.com/watch?v=ooQhH3AIu2A). Quando fui procurar quem era a cantora original, descobri a Audrey Assad, uma ex-protestante que se converteu ao Catolicismo. Por meio dela, cheguei ao Matt Maher, outro músico ex-protestante converso! Sem que eu fizesse esforço, encontrava uma série de conversos ex-protestantes. Durante a minha vida toda, nunca tinha ouvido falar dessas conversões, mas apenas de ex-católicos. O meu próprio pai é um ex-católico. Agora, desafio o leitor a procurar na rede livros e depoimentos de ex-católicos que se converteram ao Protestantismo e de ex-protestantes que se converteram ao Catolicismo. Em primeiro lugar, os últimos são inúmeros. Você encontrará muitos depoimentos. Infelizmente, o material em Português não é tão vasto como aquele de Língua Inglesa. O Jaime Francisco de Moura, que já citei, tem um livro chamado “Por que estes ex-protestantes se tornaram Católicos! Testemunhos de ex-pastores e leigos que voltaram à Igreja Mãe”. Há, também, o livro “Homens que regressaram à Igreja” do Severin Lamping. Para quem lê na Língua Inglesa, há uma série de três livros editados pelo Patrick Madrid: “Surprised by truth: 11 converts give the biblical an historical reasons for becoming catholic”; “Surprised by truth 2: 15 men and women give the biblical and historical reasons for becoming catholic”; “Surprised by truth 3: 10 more converts explain the biblical and historical reasons for becoming catholic”. Compare o nível dos argumentos dos dois lados. Para ser sincero, nunca encontrei um protestante anticatólico que demonstrasse conhecer a doutrina católica. Ainda estou à procura desse livro porque, por enquanto, só encontro argumentos falaciosos que fazem uso de espantalhos. O padre Paulo Ricardo fala num vídeo que os protestantes, em sua grande maioria, rejeitam uma completa caricatura da fé católica (http://www.youtube.com/watch?v=1Pu0AP4VvwU). Os católicos baseiam-se, também, na Tradição. Os textos da patrologia que coloquei aqui são apenas o começo dessa Tradição. Pergunto-me quantos protestantes já leram pelo menos o Catecismo da Igreja Católica. A resposta é óbvia a partir das acusações infundadas que já demonstram ignorância apenas pelo questionamento.

Discutirei agora o que um apologista católico, também ex-protestante, chamado Dave Armstrong, chama de “o calcanhar de Aquiles do Protestantismo”, que é o “Sola Scriptura”. Essa doutrina afirma que as Escrituras são tomadas como a única regra de fé e conduta. Se existe algo que aprendi com a Filosofia Analítica, especificamente, com o Paradoxo de Russell, foi que sempre temos de considerar o critério da autorreferência. Se a Escritura é a única base de fé e conduta, pergunto-me onde está isso na Bíblia. A resposta é: não está! Mostrem-me um versículo sequer que afirme isso; pelo contrário, vocês encontrarão inúmeros textos contra a “Sola Scriptura”. O próprio Dave Armstrong, que já citei, tem um livro chamado “100 biblical arguments against Sola Sciptura”. Eu concordo plenamente com o Armstrong e creio que se a “Sola Scriptura” for derrubada todo o Protestantismo desaba junto. Apenas isso já é suficiente para abandonar o Protestantismo a meu ver. Por isso, estou estudando um vasto material para eu mesmo escrever um livro chamado “O calcanhar de Aquiles do Protestantismo”. Para citar apenas alguns textos sobre o assunto, há o livro “Not by Scripture Alone: A Catholic Critique of the Protestant Doctrine of Sola Scriptura”, do Robert A. Sungenis, e a trilogia “Holy Scripture: The Ground and Pillar of Our Faith” — “Volume I: A Biblical Defense of the Reformation Principle of Sola Scriptura” (David T. King); “Volume II: An Historical Defense of the Reformation Principle of Sola Scriptura” (William Webster); “Volume III: The Writings of the Church Fathers Affirming the Reformation Principle of Sola Scriptura” (David T. King; William Webster). Como vocês podem ver, esta trilogia defende o “Sola Scriptura”. Eu vou ler e estudar essas 1107 páginas de defesa do “Sola Scriptura”, fora os outros livros que estou organizando como bibliografia. Isso não é nada mais do que a minha obrigação porque isso é ter honestidade intelectual, o que está difícil de encontrar no Brasil.

Outro ponto com relação à “Sola Scriptura” é que foi a Igreja quem compilou as Escrituras. Por que os protestantes aceitam a Bíblia como ela está? Que arbitrariedade é essa? Simplesmente, não tem lógica crer que Deus inspirou quem escreveu, mas não inspirou quem ouviria a mensagem e identificá-la-ia como inspirada, como costuma dizer o padre Paulo Ricardo. Por que os protestantes aceitam a autoridade da Igreja Católica para escolher o Novo Testamento, mas não aceitam a autoridade da Igreja para escolher o cânone do Antigo Testamento? Se você quer jogar fora a autoridade da Igreja, jogue fora junto as Escrituras que a própria Igreja escolheu. Tenhamos em mente, agora, a seguinte situação: suponha que alguém me deu uma série de jornais antigos e que eu estou fazendo uma seleção apenas dos noticiários sobre assassinatos, jogando fora todo o resto. Digamos que eu tenha compilado um livro com esse material. Você não encontraria nele, pelo menos em princípio, nada que falasse de eventos que nada tivessem a ver com um assassinato. Da mesma maneira, a Igreja Católica compilou as Escrituras de acordo com a Tradição, com aquilo que ela tinha na oralidade — os métodos foram muitos, mas nos detenhamos apenas nesse quesito a título de argumentação. Vocês acreditam mesmo que haveria algo nas Escrituras que seria contraditório à Tradição e à Doutrina Católica? É muita ingenuidade pensar isso. Alguém pode questionar-me, dizendo que a Igreja Católica perverteu-se com o tempo; no entanto, sinto informá-lo de que o reconhecimento de dogmas no decorrer da história da Igreja, como a Imaculada Conceição ou a Assunção, já mencionadas neste texto, foram apenas reconhecimentos de algo que já estava presente na Igreja. Os diversos textos dos padres apostólicos, por exemplo, comprovam todas as doutrinas católicas. Depois que me convenci de que a “Sola Scriptura” estava, realmente, equivocada, fui procurar os argumentos católicos para as suas doutrinas e fui vendo que todas têm base bíblica. Um outro apologeta ex-protestante que posso recomendar é o filósofo Peter Kreeft. Que princípio é esse que não existiu durante mais de duzentos anos enquanto os cristãos não tinham uma Bíblia compilada e que seria impossível de ser aplicado na Idade Média quando não havia imprensa, as Bíblias eram copiadas à mão e a maior parte das pessoas nem sabia ler? Teria Cristo abandonado a sua Igreja, em vez de estar com ela “todos os dias” como prometeu em Mateus 28.20, resolvendo reaparecer apenas com Lutero e os reformadores depois no século XVI?

Sempre gostei de interpretação de texto. Uma das áreas que mais estudei em Teologia foi Hermenêutica. Estudando autores como Grant R. Osborne, Kevin Vanhoozer, Uwe Wegner, Gordon Fee, Douglas Stuart, entre outros, você dá-se conta de que a metodologia para interpretar-se a Bíblia, simplesmente, não está na Bíblia. Isso é externo a ela. Envolvi-me durante muito tempo com discussões com calvinistas, uma vez que era arminiano. Percebi, em um dado momento, que, simplesmente, o embate nunca seria resolvido por meio das Escrituras: os dois lados faziam uso delas, mas tinham pressupostos de leitura distintos. Quando li pela primeira vez a Bíblia após ter estudado Descartes, fazendo uso do seu método da dúvida hiperbólica, cheguei à conclusão de que a Bíblia não poderia ser a Palavra de Deus de modo algum, pois achava que a Bíblia não poderia ter nenhum erro de nenhuma estirpe. Ainda não conhecia aos 15 anos as discussões sobre infalibilidade bíblica, inerrância etc. . Acreditei, durante um tempo, que a Ciência seria a norteadora da interpretação bíblica. Com o tempo, percebi que aquilo não daria certo e acreditei que a Lógica seria a condutora; no entanto, vi fracassar esse critério também depois de estudar a fundo. É importante ressaltar que levei a sério o estudo do Trivium medieval — Lógica, Gramática e Retórica. No medievo, era imprescindível que um teólogo estudasse isso; hoje, infelizmente, os teólogos não sabem nem escrever e compreender um texto, quanto mais saber Lógica e Filosofia — creio sinceramente que não se faz Teologia sem Filosofia. No ano passado, usando recursos de Lógica Modal em discussões com um pastor, ele disse que Matemática tinha nada a ver com aquilo. Ele, simplesmente, desconhecia toda a literatura de Filosofia Analítica da Religião. Autores como William Lane Craig, Plantinga ou Swinburne, que qualquer estudante de graduação que estude uma introdução de Filosofia da Religião conhece, usam e abusam de ferramentas lógicas. Quando você denuncia essa inaptidão, ainda por cima, é tido por arrogante, em vez de essas pessoas serem tidas por picaretas. Enfim, o que quero dizer aqui é que percebi que se não apelássemos à Tradição da Igreja, cairíamos num vale-tudo, como de fato o Protestantismo caiu, com suas mais de 30 mil denominações, com outras mil surgindo diariamente, como indicam as estatísticas — não me lembro de onde li isso para indicar os números precisos e a fonte exata. É importante ressaltar que toda vez que se fala de “Tradição” as pessoas falam de “tradições humanas”. A própria Igreja Católica faz essa distinção. A Tradição da Igreja são “as verdades transmitidas através dos tempos pela viva Voz de Cristo na sua Igreja”. Tradições humanas “são leis feitas por homens e que podem ser modificadas.”.

O próprio Lutero, com o tempo, percebeu o seu erro:

“Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças.”. [Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547; De Wett III, 61)

“Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm.”. (Carta de Lutero a Zwinglio. In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p.289)

Retirei as duas citações acima de outro livro que indico: “Em defesa da Fé Católica nas questões mais difíceis”, do Alessandro Lima.

Outro ponto do qual discordo há tempos é o “Sola Fide”, como vocês podem ver na pergunta de 2011 que fiz ao padre Paulo Ricardo. Leiam Tiago. O livro é muito claro e só não enxerga quem não quer. Lutero sabia disso e por isso dizia: “A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico” (“Preface to the New Testament’, ed. Dillenberger, p. 19). Todo o Novo Testamento, com as suas advertências para o cristão, simplesmente, não faz sentido se as obras são conseqüências necessárias da fé. Aqui, é importante ressaltar que o católico não crê que as obras salvam. Ouvi o absurdo por parte de um pastor que os sete sacramentos serviam para a salvação. Ele, simplesmente, não sabia nem a definição de um sacramento: “um sinal sensível e eficaz da graça, instituído por Jesus Cristo para santificar as nossas almas”. Aproveito aqui para recomendar o excelente livro do Leo J. Trese chamado “A fé explicada”. Para quem quer ter uma visão panorâmica do Catolicismo, é um ótimo livro. O Sungenis, que já citei aqui, tem um livro de 773 páginas chamado “Not by faith alone: a biblical study of the catholic doctrine of justification” sobre o assunto. O livro do Trese diz o seguinte:

“Certa vez, li na secção de pequenas notícias de um jornal que um homem construiu uma casa para a sua família. Ele mesmo executou quase todas as obras, investindo todas as suas economias nos materiais. Quando a terminou, verificou com horror que se tinha enganado de propriedade e que a tinha construído no terreno de um vizinho. Este, tranqüilamente, apossou-se da casa, enquanto o construtor não pôde fazer outra coisa senão chorar o dinheiro e o tempo perdidos.
Por lamentável que nos pareça a história deste homem, não chega a ter importância se a compararmos com a da pessoa que vive sem a graça santificante. Por nobres e heróicas que sejam as suas ações, não têm valor aos olhos de Deus.”.

Vejam que as obras isoladamente, sem a Graça, não servem para nada! Agora, quantos de vocês já ouviram pessoas repetindo que a Igreja Católica crê que as pessoas são salvas pelas obras? Leiam o documento que mencionei neste texto sobre a justificação para vocês entenderem melhor o que a Igreja Católica entende sobre a questão.

Estudando cada vez mais a Doutrina da Igreja Católica, senti-me extremamente solitário: afinal, estava chegando a várias conclusões apenas por meio do estudo, sem interagir com ninguém que pudesse ajudar-me. Comecei a orar a Deus pedindo ajuda. No dia 24 de maio, fui participar de uma reunião com um grupo de Brasília que pretendia iniciar estudos sobre o Conservadorismo. Quando apareci na reunião, estava lá apenas o Felipe Melo, autor do blog “Juventude Conservadora da UnB”
(http://unbconservadora.blogspot.com.br/).

Sabia que o Felipe tinha se tornado católico, se não me engano, em 2011. Como estávamos só nós dois, acabamos conversando e disse a ele que estava em uma jornada de conversão ao Catolicismo. Ele disse-me que logo depois da reunião ele iria ao CEAC (http://www.ceacdf.org.br/), um centro católico da Opus Dei. Fiquei meio assustado e disse a ele que o que eu conhecia da Opus Dei vinha dos livros do Dan Brown. Ele logo tranqüilizou-me, dizendo que não encontraria pessoas mutilando-se lá e nem sangue espalhado pelo chão. Fiquei, também, mais tranqüilo porque sabia que o próprio Scott Hahn é da Opus Dei, por meio do seu livro sobre o assunto chamado “Trabalho ordinário, graça extraordinária”. Chegando lá, gostei bastante do ambiente. Fui muito bem recebido e acolhido. Ele falou-me do padre Rafael Stanziona de Moraes, cujo livro “Por que confessar-se” recomendo fortemente: o meu entendimento da confissão mudou completamente depois dessa leitura. O Felipe disse-me que o padre Rafael era formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP, em Física pela mesma Universidade, que tinha sido professor do IME aos 21 anos, que havia feito mestrado em Matemática e que tinha se doutorado em Teologia Moral pela Universidade de Navarra. Fiquei muito empolgado ao saber disso porque eu mesmo iniciei minha vida acadêmica na Física, fui para a Matemática e terminei na Filosofia. Ainda por cima, estava estudando uma série de textos sobre Teologia Moral. O Felipe disse-me que ele tinha um acompanhamento com o padre Rafael e eu disse que gostaria de fazer o mesmo. Isso ocorreu em uma sexta-feira. Marquei, então, um encontro com o padre Rafael para a terça seguinte.

Antes de continuar a história, outra razão que me levou ao Catolicismo foi a questão da Moral. No ano passado, por meio de discussões com o professor Julio Cabrera sobre a sua Ética Negativa, após uma série de conferências que fui na UnB, comecei a interessar-me por Ética. Sempre fui uma pessoa mais teórica, meu principal interesse na época era Lógica e Filosofia da Linguagem. Nunca achei que fosse ter interesse em estudar Ética, o que hoje me parece absurdo. Só fui ter aulas pela primeira vez com o professor Cabrera, por quem já tinha admiração desde 2007 — cito ele no meu antigo flog:  (http://www.fotolog.com.br/fabiosal/23552538/) —  no primeiro semestre de 2011. O professor Cabrera, embora eu tivesse dito a ele que nunca tinha estudado nada de Ética e nem feito a disciplina, que fui fazer no meu último semestre na graduação, nunca me desprezou. Pelo contrário, chegou a escrever um texto respondendo questões que tinha feito a ele http://pt.scribd.com/doc/98045319/ACERCA-DO-CARATER-CONTINGENTE-DA-ETICA-NEGATIVA-Julio-Cabrera . Ainda estou devendo uma resposta a ele. Digo isso porque já tive a experiência de pessoas acreditarem que o seu diploma é uma razão suficiente para que se tenha alguma autoridade, desprezando quem não tenha um. O filósofo Olavo de Carvalho, que mencionei aqui, não tem diploma e é, simplesmente, a pessoa mais culta que já conheci. O professor Cabrera sempre me tratou com igualdade em todas as discussões que já tive com ele — e olha que não foram poucas. Meus argumentos sempre foram tratados enquanto argumentos a despeito do fato de eu ter um diploma na época ou não, do fato de ele ter muitos mais anos de estudo que eu, ser muito mais culto ou pelo fato de eu nunca ter estudado Ética. Curiosamente, quando fui fazer oficialmente o curso de Ética, que infelizmente não fiz com o professor Cabrera, dei-me conta de que aprenderia nada nele porque tinha aprendido muito mais por meio das discussões com o professor Cabrera.

Na época, fui convencido de que a procriação seria imoral, como o professor Cabrera defende a partir da sua Ética Negativa, mas o interessante é que os seus argumentos não dependem do seu sistema ético particular. Durante muito tempo, defendi que a procriação seria imoral e cheguei a convencer outras pessoas, incluindo a minha própria namorada. Um argumento do padre Paulo Ricardo, entretanto, foi crucial para mudar o meu pensamento. Ele dizia que uma pessoa que se questiona sobre o número de filhos já não está pensando a partir de uma cosmovisão cristã, uma vez que toda a Bíblia mostra os filhos como sendo bênçãos, e uma questão que sempre me incomodou a partir daquilo que vejo em outras pessoas sempre foi a questão de elas dizerem-se cristãs defendendo pontos completamente absurdos quando se tem em vista o Cristianismo. Enfim, comecei a buscar literaturas que discutissem a Ética Cristã. Para a minha surpresa, encontrei quase nada produzido entre os protestantes e uma vasta discussão entre os católicos. Tomás de Aquino, Santo Afonso de Ligório, Dietrich von Hildebrand, Bernhard Häring, Servais Pinckaers, Martin Rhonheimer, o próprio Alasdair MacIntyre, que é um filósofo bastante conhecido, Jacques Maritain, entre muitos outros. Todos eles católicos! Fiquei impressionado com toda a discussão moral desses autores. O que me impressionou também foi que várias conclusões a que cheguei em termos de Ética pensando sozinho já eram defendidas pela Igreja Católica. Não foi apenas a Teologia Moral católica que me impressionou, mas a sua Teologia de modo geral. Teólogos como Henri de Lubac, Bernard Lonergan, Hans Urs von Balthasar, Reginald Garrigou-Lagrange, Jean Daniélou, o próprio Ratzinger, o Papa João Paulo II, com a sua Teologia do Corpo maravilhosa, entre muitos outros são de um nível altíssimo. Quando você estuda esses teólogos e passa para um teólogo protestante, a diferença de nível é realmente gritante.

O Scott Hahn já tinha apontado para uma questão no “Todos os caminhos levam a Roma” que me fizeram ter cuidado com a questão litúrgica. Li dois livros dele sobre o assunto: “O Banquete do Cordeiro” e “A Sagrada Escritura no Mistério da Santa Missa”, organizado junto com o Flaherty. O Scott relata no seu livro sobre a sua conversão, as diferença entre a missa e um culto evangélico. Eu sabia que não encontraria um coro todos os domingos com várias vozes como eu tinha na minha igreja antiga. Sabia que não teria um órgão imponente como havia na minha igreja batista. Sabia, entretanto, que os católicos criam na transubstanciação, presença real de Cristo na Missa, e que ela toda tinha uma razão de ser que o Scott Hahn explica muito bem. Depois da explicação dele, não vejo, por exemplo, como entender o Apocalipse sem a Missa — na verdade, é Apocalipse que explica a Missa. Só fui à minha primeira Missa depois de ter certeza de que eu entenderia o que está acontecendo nela em termos litúrgicos. No dia 16 de junho, fui à minha primeira missa na Paróquia São Pedro de Alcântara. Tinha dito ao padre Rafael que a minha antiga Igreja costumava ter um culto muito cuidadoso e que gostaria de freqüentar uma paróquia que tivesse cuidado com a liturgia. Dentre as duas que ele indicou-me, essa era a que ficava mais perto de casa. Foi emocionante ver na Missa tudo aquilo que eu tinha estudado. Vi com os meus próprios olhos como os católicos respeitavam as Escrituras —  o Scott Hahn já tinha explicado que se você for às missas todos os dias durante três anos você escutaria toda a Escritura na Missa, diferentemente dos cultos evangélicos nos quais o pastor prega o que quiser. Já tinha ouvido falar dos milagres eucarísticos, mas tive a oportunidade de presenciar um milagre durante uma Missa no dia 16 de junho na minha própria vida. Isso eu contarei algum dia quando escrever melhor sobre a minha conversão em algum livro. Como dizia Tomás de Aquino, “contra fatos, não há argumentos”.

Uma pessoa que também me ajudou bastante foi um professor meu com quem, também, tive a primeira aula no primeiro semestre de 2011, chamado Scott Randall Paine. Coincidentemente, o professor Scott, que é outra das pessoas mais cultas que já conheci, é um especialista na obra de Chesterton. Ele fez o seu doutorado sobre Chesterton — “Chesterton e o universo”. No ano passado, fiz dois cursos com o professor Scott sobre Filosofia Oriental. No segundo semestre, o professor emprestou-me um livro que estava carimbado como “Rev. Scott Randall Paine”. Eu perguntei a ele sobre o “Reverendo” e ele disse-me que era padre. Até então, eu não sabia. Contei várias das minhas dúvidas sobre o Catolicismo ao professor Scott e ele ajudou-me com várias delas. Outra coisa que me impressionou muito no Catolicismo é algo que já tinha me impressionado nos meus estudos de religiões orientais: todas elas tinham costumes que envolviam toda a dimensão humana, seja física ou mental. O Protestantismo era muito abstrato quando comparado às grandes religiões — nunca achei que fosse reclamar de excesso de abstração. O Catolicismo possui toda uma dimensão ascética e mística — não confundam com esoterismo! Recomendo o excelente “Compêndio de Teologia Ascética e Mística” do pe. Tanquerey — que não existe no Protestantismo. A minha vida de santificação tem se tornado mais fácil e, por incrível que pareça, o próprio entendimento de várias doutrinas católicas ajudam na sua vida espiritual. Eu seguiria o Catolicismo mesmo que me fizesse mal porque sei que é verdadeiro, mas nunca me senti tão bem na minha vida. Sempre ouvi falar de uma felicidade que o Cristianismo deveria produzir, mas só tenho descoberto essa felicidade depois da minha descoberta do Catolicismo. Deus tem colocado na minha vida pessoas realmente comprometidas com a Sua Palavra e que são extremamente piedosas e, como se já não bastasse a sua piedade, além do mais, conhecem bastante as Escrituras e a Tradição da Igreja Católica.

Não posso deixar de citar um grande amigo que conheci pelo Facebook, que é o Arthur Olinto, que está passando por uma experiência bem parecida com a minha. Temos planos de escrever um livro sobre a nossa conversão ao Catolicismo. Na semana passada, conheci o padre da paróquia que estou freqüentando: tinha marcado um dia para conversar com ele. Expliquei ao padre Givanildo sobre a minha conversão e, para a minha alegria, soube que a paróquia tinha um coral. No mesmo dia, em uma quarta-feira, fui ao ensaio e reconheci a lindíssima “Cantique de jean Racine” de Fauré no ensaio. Gosto muito de música e temia que não tivesse a oportunidade de usar o meu dom na Igreja. Até nisso Deus foi bondoso comigo. Ouvi, um dia desses, um comentário malicioso de que as missas são sem graça quando comparadas ao cultos protestantes. Penso que a pirotecnia, o espetáculo e a pompa costumam ser inversamente proporcionais àquilo que realmente tem importância. Quando, por exemplo, um artista precisa de mil bailarinos, fogos de artifício e efeitos especiais, é porque o seu talento não é suficiente para despertar o interesse do ouvinte. Não trocaria, sinceramente, qualquer show da Beyoncé, por exemplo, por um show do Caetano Veloso. Qualquer semelhança com a diferença entre o minimalismo das missas católicas e a grandiloqüência dos cultos protestantes não é mera coincidência.

Para terminar, tenho sofrido uma perseguição e uma incompreensão por parte dos protestantes que nunca cheguei a sofrer quando me declarava ser um agnóstico. Creio que a razão principal deve ser porque a maior parte das pessoas nem sabia do que se tratava ser um agnóstico, enquanto o espantalho do Catolicismo está pronto para ser queimado: afinal, não é todo mundo que vai dar-se ao trabalho de estudar os documentos eclesiásticos, a patrologia e a patrística, os textos dos doutores da Igreja etc. Tenho tentado não reagir ao anticatolicismo dos Protestantes com um antiprotestantismo; no entanto, tem sido difícil. Já cheguei a ouvir que “o Diabo está batendo palmas” diante da notícia da minha conversão. Não tinha a noção de que as pessoas fossem tão intolerantes. Sinto-me confortado pelas palavras de Tomás de Kempis:

“Cristo teve adversários e difamadores; e você quer ter todos os homens por amigos e benfeitores seus? […] Viver pacificamente com pessoas difíceis, e perversas, ou indisciplinadas, é uma grande graça e um feito muitíssimo louvável e corajoso. Não obstante, toda nossa paz nessa vida miserável consiste mais em sofrimento humilde do que em não sentir as adversidades. Seja forte com Cristo, e por Cristo, se você deseja Reinar com Cristo.”.

Tenho constatado na prática o que disse certa feita Pio XII:

“os homens […] facilmente procuram persuadir-se de que seja falso ou ao menos duvidoso aquilo que não desejam que seja verdadeiro.”.

As pessoas, infelizmente, estão pouco interessadas na verdade, por mais que saibam que no Cristianismo a verdade é Cristo. Conheço, ainda, muito pouco do Catolicismo se eu for comparar a outras coisas que já estudei: afinal, descobri todo um mundo que nunca havia explorado. Quanto mais estudo, no entanto, mais tenho a certeza de que a Igreja Católica tem sido desde sempre o depósito da fé cristã e que Cristo nunca abandonou a Sua Igreja, mas sempre esteve com ela.

 

http://www.fabiosalgado.blogspot.com.br — Baseado na postagem intitulada “Minha Segunda Conversão
— Como um ex-protestante abraçou o Catolicismo”.

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica, Testemunhos. Bookmark o link permanente.

30 respostas para A Jornada de um Ex-Batista ao Catolicismo – Testemunho de Fábio Salgado de Carvalho

  1. Daurianny Medeiros disse:

    Lamento tanto empenho em tentar provar quem está certo ou errado enquanto Cristão, desviando assim a humanidade do Evangelho genuíno pregado por Jesus Cristo o Salvador!

    Curtir

  2. EDMILSON disse:

    A BÍBLIA REVELA QUE MARIA É A MÃE DE DEUS
    Maria guardava todas estas coisas, meditando-as no seu coração
    Lucas 2:51 – “E desceu com eles e foi para Nazaré, e era-lhes submisso.
    Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração . ”
    ////////////////////////

    Veja que a bíblia mostra que a alma singular de Maria também recebe uma menção especial na Escritura …
    EM LUCAS DIZ:
    Lucas 02:35 – ” E a si mesmo uma espada traspassará a tua alma , que os pensamentos de muitos corações sejam revelados. ”

    /
    NOTAS:
    É surpreendente que tantos não católicos perturbado em ‘Maria, Mãe de Deus.
    /
    Eles admitem que Maria é a mãe de Jesus, mas dizem que não deve ser considerado como “a mãe de Deus.”
    /
    Os Protestantes que argumentam que Maria não é a mãe de Deus parece não perceber que não é logicamente consistente para acreditar que Jesus é Deus, apesar de negar que Maria é a Mãe de Deus.
    /
    Tal posição nega a divindade de Jesus Cristo, uma pessoa divina com duas naturezas.
    ///////////////////////////
    Primeiro Fato: Jesus Cristo é Deus .
    E a Bíblia ensina isso em muitos lugares COMO EM (João 1: 1, João 20:28, João 8:58, Isaías 9: 6, etc).
    /
    SEGUNDO FATO: Maria é a mãe de Jesus .
    E A Bíblia ensina em muitos lugares como em (Lucas 1:31, Mateus 1:25, etc) Conclusão indiscutível: MARIA É A MÃE DE DEUS.
    EM LUCAS 1: 31-32 ESTÁ ESCRITO:
    Lucas 1: 31-32- “Eis que [Maria] conceberá, e dará à luz um filho , ao qual porás o nome de Jesus.
    /
    Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo , e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai. ”

    ////////////////////////////
    EM ISAÍAS 7:14 ESTÁ ESCRITO:
    Isaías 7:14 – “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que a moça [virgem] conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel [DEUS CONOSCO] . ”

    /////////////////////////////////////////////
    NOTA: A ‘ menina é virgem.
    Apesar do fato de que a King James Version usa a primeira redução do prazo, outras quatro Bíblias protestantes, Martin , Darby , King James e King James usa a palavra “VIRGEM “para traduzir a palavra hebraica original para ‘ almah ‘significa também’ virgem .

    //////////////////////////////////////////
    E MAIS…
    A BÍBLIA DIZ QUE MARIA É A MÃE DE EMMANUEL
    (QUE SIGNIFICA DEUS CONOSCO).
    VAMOS AGORA PARA LUCAS 1:43 QUE DIZ:
    VEJA:
    Lucas 1:43 – “[Elizabeth disse:]? Como estou tão favorecido, que a mãe do meu Senhor venha me visitar …” Elizabeth também disse explicitamente que Maria é a Mãe do Senhor. Este é o único Senhor Jesus Cristo, que é Deus.

    //////////////////////////////
    EM EFÉSIOS DIZ:
    Efésios 4: 5 – “. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo”
    /
    EM JOÃO 20:28 JEUS É CHAMADO MEU SENHOR E MEU DEUS.
    João 20:28 – “Respondeu-lhe Tomé Meu Senhor e meu Deus ! ”

    ///////////////////////////////////////////
    NOTAS:
    Não deve causar problemas. … Mas, infelizmente, ainda não é o suficiente para alguns.
    O erro protestante neste ponto são os destinatários e refutou com mais profundidade.
    /////////////////////////////////////////
    Protestantes enfatizar que a natureza divina de Deus é eterno, sem princípio.
    Isto é muito verdadeiro.
    Mas eles dizem que desde que a natureza de Deus é eterna e, portanto, não é um nativo de Maria, então Maria não pode ser chamada de “mãe” de Deus .
    /
    Este é o principal argumento que os protestantes estão no ponto … bem, que é muito imperfeita.
    /////////////////////////////////////////////////////////////
    POIS…
    O erro protestante neste ponto é a ação de atribuir apenas à pessoa do Filho de Deus, que pertence à sua natureza divina , porque ele está ficando sem atribuir o que pertence ou está também relacionado com a Sua natureza humana .

    /
    Pois o Filho de Deus se fez verdadeiro homem, ao não atribuir o que também pertence à sua natureza humana , eles negam que Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
    /
    Filho de Deus, Jesus Cristo , é uma pessoa divina (a segunda pessoa da Santíssima Trindade), com duas naturezas.
    E ao mesmo tempo verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
    /
    Jesus Cristo é não um homem que entrou ou foi inspirado por Deus.
    É Deus verdadeiro, que realmente se fez homem.
    /////////////
    UMAS DAS MUITAS PROVAS SE ENCONTRA EM JOÃO 1:14 QUE DIZ:
    João 1:14 – “E o Verbo se fez carne , e habitou entre nós …. ”

    ////////////////////////////////////
    VEJA QUE:
    Jesus não era apenas um homem especial para a inspiração e relação única com a Palavra de Deus (o Filho de Deus).
    Não, Ele é o Verbo de Deus feito carne. Portanto, atribuir apenas o que pertence especificamente à Sua natureza divina , não como ele se aplica à Sua natureza humana assumida – como fazem os protestantes quando negam que Maria é a Mãe de Deus – por isso estão dividindo Jesus em duas pessoas diferentes .
    //////////////////////////////////////////////////////////
    No século 5, um herege chamado Nestório tinha as mesmas protestantes sobre sobre este assunto.
    /
    Sentia-se que Maria não era para ser chamado de ” Theotokos “(mãe / transportadora de Deus), mas apenas chamado ‘ Christotokos “(portador de Cristo).
    /
    A Igreja reconheceu imediatamente a heresia de Nestório e condenado em 431, no Concílio de Éfeso.
    A falsa visão de Nestório foi reconhecido pela Igreja como a heresia de que a Bíblia condena a seguinte: a ” destruição de Jesus e o anticristo .
    Este equívoco “destruído” pela separação Cristo, seu único, que está relacionado com sua natureza humana.
    /
    Isso resulta na divisão de Jesus em duas pessoas, e na posição que Jesus era apenas um homem com (ou foi inspirado por) a pessoa de Deus; em vez de uma pessoa divina que se tornou verdadeiramente homem.
    Esta heresia está enraizada na adoração de um homem e da adoração de dois filhos. A Igreja claramente sabia o que tinha que fazer … ela condenados.
    ///////////////////////////////////
    Concílio de Constantinopla 2; Ap-553 AD : ” O sagrado Concílio de Éfeso Entregue a sua sentença contra a heresia de Nestório … e contra todos os que possam mais tarde … adotar as mesmas opiniões, assim como ele queria … Eles expressam essas mentiras contra os dogmas da igreja verdadeira, ADORAÇÃO COM DOIS FILHO ; tentando dividir o que não pode ser dividido, e ter que O CÉU EA TERRA DA OFENSA DE ADORAÇÃO DO HOMEM .
    /
    Mas a banda sagrada dos espíritos celestiais adoram conosco um Senhor Jesus Cristo. ”
    ///////////////////////////////////////////////////////
    Concílio de Éfeso, 431, Can. 5: ” Se alguém se atreve a dizer que Cristo é um homem de suporte de Deus [portador de Deus] e não em vez de Deus, na verdade, como Filho único por natureza e, como o Verbo se fez carne e participou da mesma forma que nós, sangue e carne, seja anátema “.
    /

    Jesus não é duas pessoas diferentes. É DIVINA UMA PESSOA com duas naturezas.
    Consequentemente, o que acontece à sua natureza humana, e também passa a realmente sua pessoa única . Sua pessoa foi concebido e nasceu em sua humanidade, em Maria. Ela é verdadeiramente a mãe, e mãe de Deus.

    //////////////////////////////
    O significado contido em que a verdade é impressionante. À medida que a Igreja sempre ensinou, o Filho de Deus, eterno e igual ao Pai, teve dois nascimentos:
    /
     Ele nasceu antes do tempo, por toda a eternidade, Deus, o Pai (João 16:28; João 8:42).
    Ele nasceu no tempo, como um homem, por Maria, sua mãe.
    Só Maria tem este vínculo impenetrável com Deus; com uma pessoa da Trindade. Essa é a verdade, é verdadeiramente a Mãe de Deus, vêm todas as suas prerrogativas e outros privilégios exclusivos.
    CONCLUSÃO SOBRE O ENSINO BÍBLICO DE MARIA
    Estas razões bíblicas por que a Igreja Católica sempre reconheceu a importância e a necessidade da devoção à Santíssima Virgem Maria.
    /
    Ela é a nova Eva, a nova Arca, o vaso puro, a porta selada, e à Mãe de Deus. Recusando-se a se dedicar a ele é equivalente a um homem no Antigo Testamento, que se recusaram a adorar a Arca da Aliança ou se recusaram a andar atrás dela durante uma batalha.
    Esse homem deve cair para os inimigos de Deus e seria separado do acampamento do povo de Deus.
    1 Samuel 4: 22 – “… se a glória de Israel, porquanto a arca de Deus é tomada!”

    Curtir

  3. EDMILSON disse:

    NOSSA SENHORA MÃE DE DEUS

    A BÍBLIA MOSTRA CLARAMENTE QUE:
    Deus honrou Maria mais do que todas as outras criaturas, tornando-a a mãe de Seu Filho.
    /
    AGORA:
    Ao homenagear Maria, a Igreja Católica está apenas seguindo o exemplo do próprio Deus.
    /

    POIS…
    Os privilégios especiais de Maria foram dadas a ela por Deus, não pelos homens.
    UMA DAS PROVAS ESTÁ EM LUCAS 1.26-56 VEJA:

    Lucas 1, 26-56 , Notas: A saudação do Arcanjo Gabriel mostra grande respeito e honra a Maria.
    E MAIS…
    Elizabeth ” cheio do Espírito Santo “disse a Maria que ela é abençoada duas vezes em quatro versos.
    /
    Guiados pelo Espírito Santo, Elizabeth homenageia Maria, dizendo: ” Como devo ser honrado com uma visita a mim a mãe do meu Senhor ? ”

    ////////////////////////////
    JÁ:
    No versículo 48, Maria profetiza que todas as idades a chamarão abençoada.
    E é por isso que não basta chamar a Virgem Maria, mas a Virgem Maria.
    A razão exige que Maria é a Mãe de Deus
    ////////////////////////////////////////////////////////

    POR ISSO:
    Todos os cristãos acreditam que Jesus nasceu da Virgem Maria.
    /
    Eles também acreditam que, apesar de Jesus ter duas naturezas (humana e divina), Ele é uma Pessoa divina.
    /
    Uma vez que este alguém não nascer de Maria, ela é realmente a mãe da pessoa divina, em suma, a Mãe de Deus.
    ////////////////

    AGORA:
    Se alguém negar que Maria é a Mãe de Deus,
    se eles sabem disso ou não, ao mesmo tempo, nega a Encarnação.
    /
    Em seguida, ele implica que ou Jesus não é Deus, ou que Jesus é duas pessoas: um homem e um deus.
    /

    AGORA INOCENTEMENTE:
    Protestantes pergunta? “Como Maria, uma criatura, ela pode ser a mãe do Criador? “.
    /
    A RESPOSTA:
    É que, quando o Filho eterno de Deus se fez homem, Ele assumiu a natureza humana.
    Foi, portanto, nascido de uma MULHER, assim como nós.
    /
    E OUTRA:
    Escritura ensina que Maria é “MÃE DE DEUS.

    VAI AQUI ALGUMAS PROVAS BÍBLIAS DISSO:
    Em Lucas 1: 43 : Elizabeth chama Maria ” mãe do meu Senhor . ”
    /

    NOTAS:
    No Novo Testamento, a palavra “SENHOR” é reservado a Deus.

    ////////////////
    AGORA UMA OUTRA PROVA ESTÁ EM…
    Mateus 1, 23 : Que diz: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e porás o nome de Emanuel, que significa ” DEUS CONOSCO”.
    /
    TERCEIRA PROVA BÍBLIA ESTÁ EM
    Lucas 1, 35 : Que diz assim: o ente santo que há de nascer será chamado FILHO DE DEUS ”

    /
    AGORA EM GALATAS SÃO PAULO USA O TÍTULO MULHER QUE SE REFERE A MARIA.
    VEJA:
    Gl 4, 4 : ” Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu FILHO, NASCIDO DE MULHER, nascido sob a lei ”

    NOTAS: DEUS ENVIA QUEM QUE SERÁ NASCIDO DE MULHER? JESUS CRISTO É CLARO:
    E COMO SE CHAMA A MULHER QUE DARÁ A LUZ ESSE FILHO?
    MARIA É CLARO:

    /////////////////////////////
    AGORA:
    Os Padres da Igreja confirma a maternidade divina de Maria
    Santo Inácio de Antioquia (110): “Porque o nosso Deus, Jesus Cristo, foi concebido por Maria de acordo com o plano de Deus ‘
    /
    Santo Ireneu de Lião (180-199): “A Virgem Maria (…) ser obediente à Sua palavra, recebeu de um anjo a boa nova de que Deus iria ”
    /

    É por isso que Maria é a maior das criaturas de Deus e honramos.
    Aliás, quando os pais da Igreja, como Inácio de Antioquia e Irineu chama Maria, Mãe de Deus,
    Os Padres Apostólicos como São Justino e Santo Irineu ensinou que Maria é a nova Eva.
    Desde Eva é a mãe da raça humana na ordem da natureza, os Padres viram Maria como a mãe da raça humana na ordem da graça.
    Oração Sub Tuum Praesidium (datada de cerca de 250) ilustra como a igreja primitiva considerava Maria como mãe espiritual
    Sob o abrigo de Tua misericórdia,
    nós procuramos refúgio, Santa Mãe de Deus.
    não desprezeis as nossas orações
    quando estamos na corrida,
    mas de todos os perigos
    livrai-nos sempre,
    Virgem gloriosa e bendita Virgem.
    /
    Maria mãe espiritual como no Novo Testamento
    João 19, 26-27 : ” Quando Jesus viu sua mãe, de pé ao lado dela, o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí o teu filho. “Então ele disse ao discípulo:” Eis a tua mãe. “A partir daquela hora, o discípulo recebeu-a em sua casa. “. Jesus entregou sete frases na cruz. Aqui, ele faz mais do que resolver um problema doméstico (embora isso também faz parte do significado literal do texto).
    A Igreja sempre entendeu que Jesus revelou, neste exato momento, todos os seus amados discípulos, representados por João, Maria é nossa mãe espiritual e que nós somos seus filhos espirituais. No momento mais solene da história da salvação, as palavras de Jesus fazer uma importante revelação.
    É interessante notar que, quando Jesus se refere a Maria como a mãe de João, a mãe biológica do último é o seguinte: ” Havia muitas mulheres a observar de longe, os que (…), incluindo Maria Madalena, Maria, mãe de Jacques e Joseph, e a mãe do filho de Zebedeu “( Mt 27, 55-56 ) Esse detalhe reforça a importância eo alcance das palavras de Jesus.
    Em 1 Coríntios 12 Paulo ensina que os membros da igreja são o corpo de Cristo.
    /
    Os cristãos não são, literalmente, parte do corpo físico de Cristo. Paulo diz que pela graça somos espiritualmente unidos a Jesus.
    Se Maria é a mãe da pessoa concreta de Jesus, e os membros da igreja são membros de Cristo, então Maria é nossa mãe espiritual.
    /
    EM HEBREUS 2,11 LEMOS:
    Hebreus 2, 11 : ” Porque o que santifica como os que são santificados, todos têm a mesma origem. É por isso que ele não se envergonha de lhes chamar irmãos “. Se Jesus não se envergonha de nos chamar de “irmãos”, não devemos ter vergonha de chamar sua mãe nossa mãe.
    Afinal de contas, nós chamamos de Seu Pai, nosso Pai. Pela graça, temos uma nova família, incluindo a nossa mãe espiritual de Maria.

    Curtir

    • Aldobrandina Rodrigues disse:

      Edmilson

      Sempre que tenho oportunidade, busco leituras que possam trazer informações acerca do que pretendo conhecer ou que venha acrescentar maiores esclarecimentos. Para tanto, dou preferência a autores que tenham um posicionamento universalista, ou seja, que não estejam na defesa de uma linha de pensamento sectarista, onde somente eles estão com a razão. Principalmente quando se trata de assuntos relacionados a religião. Cada ser tem o direito de seguir a religião que quiser. Ninguém deve impor as suas convicções religiosas a outrem, como também, dirigir palavras ofensivas a quem não acate seus pontos de vista. Pode-se muito bem contestar algo sem termos pejorativos, afinal de contas as religiões, creio eu, tem como princípio seguir o evangelho de jesus, e dentro deste princípio, passar adiante seus ensinamentos. Não havendo, então, motivos para o emprego de palavras ferinas, como o termo “descaramento” em seu comentário resposta, referindo-se a… Nos tornamos um só Espírito com o Cristo, quando praticamos os seus ensinamentos. Quando temos o nosso Eu interno em comunhão com o Alto, amando a Deus e ao nosso próximo. Quem atinge este estágio de vida, jamais praticará qualquer ato danoso contra o seu semelhante. É um ser justo, generoso, é humilde e consciente seguidor de Jesus, o Cristo do Planeta Terra.

      O batismo é um ato que segue o rito da religião que se professa, tornando a pessoa batizada membro “sacramentado” daquela religião. Porém esta situação não produz nenhum efeito milagroso no individuo. não o transforma em “Co- Herdeiro de Cristo e participante da Natureza Divina”. No entanto o homem reto, , probo, que ver o outro como a si próprio, constrói conscientemente o seu Caminho em busca da Verdade, para alcançar a Vida Eterna, que lhe será uma conquista exitosa, fruto dos seus atos benéficos. Edmilson, não sou católica, não sou protestante, sou apenas uma pessoa que procura seguir a Doutrina Espírita, aprendendo a cada dia o Amor e a Magnitude de Deus e do Mestre Jesus. Paz para todos nós.

      Curtir

  4. EDMILSON disse:

    VEJA COMO ESSES VERSÍCULOS DO SALMO 45:6,9 SÃO PROFECIAS DA MULHER DO APOCALIPSE 12

    QUE SE CUMPRE EM MARIA A MULHER DO APOCALIPSE 12:

    /

    VAMOS AS PROVAS:
    EM SALMO 45:6,9 LEMOS:

    Salmo 45: 6,9 – “O teu trono, ó Deus, é para sempre;
    O CETRO do teu reino é um CETRO de justiça. …
    A rainha está à sua direita, adornada com ouro …

    ///////////////////////////

    NOTAS:
    AQUI DIZ: QUE O TRONO É DE DEUS PARA SEMPRE!
    E AINDA DIZ QUE A RAINHA ESTÁ A SUA DIREITA NO CÉU.

    ////////////////

    E MAIS…

    DAVI FALA DO CÉU DO TEMPLO DE DEUS
    E NÃO DESSE MUNDO NO QUAL OS SERES VIVOS ABITAM.

    ////////////////////////////////////
    AGORA VAMOS A PROFECIA DO SALMO 45: 6,9
    PARA SABER QUEM É ESSA RAINHA:

    /

    NOTAS:
    O SALMO 45:6,9 SE PROFETIZA NA MULHER DO APOCALIPSE 12
    VEJA A PROVA:
    LEMOS EM APOCALIPSE 12: 1-5: Que diz: Um grande e maravilhoso (SINAL) apareceu no céu: uma (MULHER) vestida do (SOL), tendo a (LUA) debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.

    /////////////////
    E MAIS…

    ELA deu à luz uma criança do sexo masculino, aquele que há de reger todas as nações com VARA DE FERRO, mas seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu TRONO [APOCALIPSE. 12:1, 5].

    SEM DUVIDAS ESSE FILHO QUE SUBIU AO CÉU E SENTOU NO SEU TRONO SE CHAMA JESUS.
    MAIS QUEM DEU A LUZ JESUS?
    É CLARO QUE É MARIA.
    /
    E PARA NÃO RESTAR NENHUMA DÚVIDA?

    NOTE: Que essa (MULHER) que dá à luz uma criança do sexo masculino que há de reger as nações com VARA DE FERRO E MARIA.
    NO QUAL SÃO JOÃO NO LIVRO DO APOCALIPSE SÓ RELATA ESSE ACONTECIMENTO PASSADO
    NO TEMPO EM QUE O REI HERODES MANDOU MATAR TODOS OS RECEN NASCIDOS.
    E QUE MARIA FICOU ESCONDIDA COM SEU FILHO JESUS.

    ///////////////
    POR ISSO ESTÁ ESCRITO NO LIVRO DO APOCALIPSE 12 : 17
    Que o Dragão, enfurecido com a (MULHER) e foi lutar o resto de sua descendência , contra os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.´
    /////////////////////////
    RESUMINDO:
    A RAINHA DO SALMO 45:6,9
    É MARIA DO LIVRO DO APOCALIPSE 12
    POIS ELA SURGE DO CÉU AO LADO DA ARCA DA ALIANÇA
    COM UMA COROA DE 12 ESTRELAS
    ////////////////////////

    Curtir

  5. EDMILSON disse:

    PURGATÓRIO ONDE ESTÁ NA BÍBLIA?

    RESPONDENDO:
    ///

    MOTAS:
    Uma das doutrinas mais incompreendidas de grupos não católicos.
    De fato, em grupos não católicos, que têm opiniões diferentes sobre o que este purgatório doutrina.
    /
    Alguns dizem que esta é uma segunda chance por que as almas para o inferno ter uma nova oportunidade de ser aceito no céu.
    /
    Outros vão dizer que os católicos acreditam que há uma necessidade de almas para completar a graça de Cristo e as nossas boas obras.
    /
    Outros, não mais inteligente, você diz que esta doutrina era desconhecida na época de Cristo; que não existe na Bíblia e que foi inventado pelos católicos.
    //////////////
    RESPOSTA:
    Todos esses preconceitos são errados!

    A PROVA:
    A palavra “PURGATÓRIO” vem do latim “PURGATIO”, que significa “PURIFICAÇÃO”.

    /

    Uma pessoa que se submete a PURGAÇÃO se há de purificar, lavado.
    VEJA QUE O:
    Salmo 58: 9-11 nos dá uma espécie de definição do Purgatório; ele diz: Tire os meus pontos com hissopo, ficarei limpo; lava-me, ficarei mais alvo do que a neve.
    Dê-me o som de alegria e celebração: dançam, os ossos que broyas! Esconder a tua face dos meus pecados e todas as minhas iniqüidades apagar.

    //////////////////
    ASSIM ESTÁ ESCRITONO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA QUE DIZ:
    Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas ainda imperfeitamente purificados, embora tenham garantida a sua salvação eterna, mas após a morte passam por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do céu . (Catecismo # 1030)

    /////////////////////////////
    Agora que temos uma idéia do que o Purgatório refute aqueles que, em sua ignorância (desculpem-me o termo) afirmam que esta doutrina é uma invenção da Idade Média!

    ///////////

    É realmente infeliz e lamentável ver como as pessoas pensam assim.

    /
    Mesmo nas escolas, essa falsa idéia se espalhou.
    Então, vamos refutar essa idéia em duas fases:
    /
    Primeiro por uma visita rápida da história, e no final do artigo, a prova irrefutável de que a oração pelos mortos não foi inventada na Idade Média (…)
    Por muito tempo, muito antes das catedrais foram construídas; bem antes de Constantino, os católicos rezaram pelos mortos .

    /
    Os primeiros cristãos rezavam pelos mortos, incluindo os Padres da Igreja, como Tertuliano, Clemente de Alexandria, Orígenes, Cipriano, Jerônimo, Ambrósio, Agostinho (entre 200 e 500 Ap. AD).

    /
    E nós sabemos das Escrituras que, se alguém está no inferno, não há nada que nossas orações podem fazer por ele.
    /
    AGORA:
    O Purgatório foi só mais tarde que definimos este lugar como “Purgatório”, mas não se inventou!

    /
    Ao contrário da crença de muitas pessoas ignorantes, o purgatório não foi inventada no Concílio de Trento, que definimos como uma doutrina porque foi desafiado pela primeira vez.

    /

    É como a doutrina da Trindade, como são aqueles que acreditam que nós inventamos, no Concílio de Nicéia?

    /
    No entanto, os primeiros pais da Igreja já acreditava na divindade de Yeshua antes deste Conselho.

    /
    Nós definimos a doutrina da Trindade no Concílio de Nicéia se opor as heresias e os que negam esta doutrina.
    /
    Para o purgatório, é semelhante, foi definido como havia aqueles que duvidaram.
    /
    Mas não foi inventada na Idade Média, esqueça seus contos de fadas!

    ////////////////////////////////////////////////
    NOTAS:
    Depois de mostrar isso para dizer o Purgatório é uma invenção é pura ignorância,
    Agora vemos nas Escrituras SANTOS, que fala de oração para os mortos …
    Nós lemos o contrário, que beneficiaria aqueles que se batizam pelos mortos ? Se os mortos não ressuscitam, por que se batizam por eles? [i Coríntios 15, 29] Para aqueles que não entendem este versículo, Paulo está se referindo a pessoas que se batizam pelos mortos para a expiação de seus pecados .

    /
    Essas pessoas mortas não pode estar no céu, porque você não pode expiar pecados no Paraíso; essas pessoas não podem estar no inferno também, porque não há pecado não pode ser perdoado! pessoas que não apresentar no paraíso ou no inferno, onde estão eles? Sim …
    Você adivinhou: eles estão em uma área de transição: Purgatory!
    Como se por serendipity, a transição – a de uma Corenthiens 15, 29 – refere-se diretamente a II Macabeus 12, 44-45, Incrível não é?

    /
    Nesta passagem, vamos voltar mais tarde em nossa apresentação.
    Mas continue …
    Novamente lemos: Que o Senhor conceda misericórdia à casa de Onesíforo, porque muitas vezes ele me revigorado, e não se envergonhou das minhas cadeias; em vez disso, na sua chegada a Roma, ele ativamente me procurou e encontrou-me. Que o Senhor conceda a ele para encontrar a misericórdia do Senhor naquele dia . Quanto aos serviços que ele prestou para mim em Éfeso, você sabe melhor do que ninguém.

    //////////////////////

    [II Timóteo I, 16-18] Onésiphore é certamente morto.
    No entanto, Paulo pede ao Senhor que tenha misericórdia dele naquele dia (o último dia assim!).

    /
    AGORA:
    Se Onesíforo estava no céu, ele não haveria necessidade de misericórdia;
    Inferno, não podemos obter a misericórdia; Mas então, onde está Onesíforo?

    NOTAS:
    Considere também a seguinte passagem: Que se construir sobre este fundamento com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; Dia, de fato, irá declarar, como deve ser no fogo, e c é o fogo provará a qualidade da obra de cada um (…) Se o seu trabalho se queimar, sofrerá ele dano; Enquanto isso, ele será salvo, mas como que através do fogo [I Coríntios III, 12-15];

    /
    Mais uma vez, é necessário que nós dar uma explicação, mesmo que este versículo é tão claro que uma explicação não foi ainda relevante.

    Vimos que o Purgatório tem o sentido de purificação, e aqui somos informados de purificação pelo fogo …
    /
    Na verdade, encontramos essa idéia, para a surpresa daqueles que negam Purgatório no Livro dos Salmos
    * Você nos testada, ó Deus, purificado como o dinheiro é purificada; fez-nos cair na rede, você coloca em nossas costas um abraço; tu montar nossa cabeça mortal, passamos pelo fogo e pela água , então você fez-nos tomar fôlego *. [Salmos 66, 10-12];

    /////////
    Interessante, não é? Mesmo o Antigo Testamento fala! E o que é importante é que estamos falando de um fogo purificador …
    Isso é o Purgatório certo!

    //////////////////////////

    A partir desta passagem (o que eu Coríntios III, 12-15), conclui-se que o purgatório é o processo pelo qual remover os últimos obstáculos …
    /

    E como eu disse, o purgatório não foi inventada na Idade Média, este prática existia antes do nascimento de Jesus, de modo que no livro de Macabeus, lemos:

    E vai uma coleção de cerca de 2.000 dracmas, que enviou a Jerusalém para que deve oferecer um sacrifício pelo pecado, agindo bem e nobremente de acordo com o conceito de ressurreição. Pois se ele não esperava que a queda dussent ressuscitar era supérfluo e tolo rezar pelos mortos, e se ele estava considerando um grande recompensa é para aqueles que adormecem na piedade, era um pensamento santo e piedoso. “É por isso que ele fez esta expiação pelos mortos, para que pudessem ser entregues a partir de seu pecado . ” [II Macabeus 12, 43-45];

    //////////////////
    E como dissemos anteriormente, esta passagem se refere Macabeus bem do que eu Coríntios 15,29.
    Ha … eu esqueci alguma coisa!
    Os protestantes podem argumentar aqui que o Livro dos Macabeus é um livro apócrifo e, portanto, não devemos considerá-lo! Para essa objeção,

    /

    respondemos o seguinte: o Livro dos Macabeus sempre fez parte do cânon da Bíblia.
    /
    Este é Martinho Lutero quando ele prometeu sua reforma negou a autenticidade do deuterocanônicos, e foi excluído do cânone bíblico.

    /
    Você sabe que o Sr. Lutero também negou a autenticidade do Apocalipse de João, a Epístola de Tiago, a Carta de Judas …
    /
    Só vamos lembrar que este livro é de fato autêntico e que Lutero banido sem motivo na Bíblia …
    Ele levanta a questão que direito é que ele fez? E o mais importante, e como discutido anteriormente, este não foi o único livro que ele excluiu do cânon bíblico …
    /////////////////////////////////////
    REFUTAÇÃO PESADA AOS PROTESTANTES:
    Para revigorar o nosso argumento, podemos informar aqueles que não sabem que essa prática (a que se refere o II Macabeus 12, 43-45) é conhecido como o “Kadish”, e continua até hoje no judaísmo …

    ////////////////////////////////

    Temos de parar de martelar por isso inventou esse dogma que irrompe maravilhas nas Escrituras !
    Além disso, é nele que ele [Jesus] foi ainda pregar aos espíritos em prisão, aqueles que tiveram uma vez se recusou a acreditar quando procrastinado longanimidade de Deus, nos dias em que Noé construiu a arca em na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram através da água [I Pedro III, 19-20]

    /////////////////////////////////////////////
    E Cristo? Será que ele mesmo sugerir um lugar como existe o purgatório?
    Nós respondemos afirmativamente! De fato, Cristo tinha dito, * Então, quando você vai com seu acusador perante o magistrado, tarefa, aliás, para acabar com ele, para que ele não arrastá-lo ao juiz, e o juiz lado você reservar ao executor, e o executor será jogado na cadeia. Eu lhe digo, você não sair até ter feito mesmo o último centavo *. [Lucas 12, 58-59];

    /
    aqui, eu não acho que alguma coisa precisa ser adicionado! este versículo apresenta certo e claro existência do Purgatório.

    /
    A prisão em questão aqui é diferente do que a que se refere o Pedro 3: 19-20; mentes que Jesus foi pregar as boas novas.

    /
    O termo “cada centavo” obviamente você entender o significado: pode ser entendido como: Você não vai sair do purgatório (PRISÃO) até que você não foram totalmente purificados! Mas é tão simples e lógico …
    Tal imagem – a do verso Lucas 12,58-59 – não é no céu, porque ele não tem uma prisão; não é adequado ou para o inferno, onde não há arrependimento ou saídas; Há apenas uma possibilidade: o lugar em questão é o Purgatório …! É óbvio …

    /////////////////////

    Finalmente, para aqueles ignorantes da história do cristianismo e do catolicismo ainda mais que dizem que a oração pelos mortos ou Purgatório foi inventado na Idade Média,
    /
    Veja o que escreveu Tertuliano (nascido por volta de 150 dC, c ou seja, 40 anos após o fim da escrita do Evangelho segundo São João) honra para silenciar equívocos generalizados:
    Finalmente, peço a própria mulher. Diga-me, minha irmã, que mandou seu marido em paz antes de você? O que ele respondeu? Em meio às divergências de discórdia? Mas isso é mais intimamente ligados: ainda é o único com quem ele terá que defender seu caso diante de Deus. Ponto de separação aqui ou links permanecem. Nós nos separamos em paz, ela diz (…) Na verdade, ela reza para o descanso de sua alma; ela pede a ele para se refrescar; que evoca Deus de se juntar a ele no Dia da Ressurreição, ea cada ano celebra o aniversário de sua morte por meio da oferta de sacrifício. Se ele falhar nestes deveres piedosos, ela realmente repudiou o marido, como ele está na mesma, e que, com muito mais injustiça que não pode repudiá-la, ela fez isso da única maneira que podia; e tudo mais indignidade, seu marido não merecia (…)
    //////////////////////////////////////////////////////////////////////////
    Incrédulos e ignorantes (na história) diz que o purgatório não existe na Bíblia;
    Jesus nunca falou de um lugar, nem os apóstolos; o conceito de “purgatório” surgiu na Idade Média;
    Catolicismo inventou essa doutrina que é anti bíblico…
    Mas … tudo o que está na Bíblia! não só ela, mas também a tradição dos Padres da Igreja (citamos Tertuliano para breve, poderiam ser citados outros textos de São Jerônimo, Santo Agostinho, São Cipriano, etc).
    Estranhamente, até mesmo intrigante: ao conversar com os protestantes, que muitas vezes elogiar seus pais (Lutero, Calvino, Zwinglio), como haviam provado a “falsidade” das doutrinas católicas … O que me intriga mesmo Além disso, porque o Pai do protestantismo Martinho Lutero, tendo lançado a sua reforma, confessou:
    Para mim, que acredito fortemente, ouso dizer mais, eu sei que o purgatório existe, eu sou fácil de me convencer de que a Escritura faz menção. Tudo o que sei do purgatório é que as almas estão sofrendo e pode ser aliviada por nossas obras e orações .
    ///////////////////////////
    Com isso, não temos nada mais a acrescentar! O Incrédulo lamentando, dizendo que esta doutrina não é bíblica e é uma invenção, ou a prova de que temos apresentado evidências em contrário …
    Que todo mundo toma como ele quer! Em qualquer caso, em relação a mim e a todos os católicos em outros lugares, e até mesmo Martin Luther, está claro que o lugar chamado Purgatório existe …
    Vamos esquecer todos esses contos de fadas sobre a invenção do Purgatório na idade média!
    _______________________________

    Curtir

  6. EDMILSON disse:

    VIVOS OU MORTOS NADA PODE NOS SEPARAR DE CRISTO

    /

    7. Ninguém dentre nós vive para si mesmo ou morre para si mesmo.
    8. Se estamos vivos, é para o Senhor que VIVEMOS, e se MORREMOS, é para o Senhor que MORREMOS.

    Portanto, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor.
    9. Cristo morreu e ressuscitou para ser o Senhor dos mortos e dos vivos.

    /
    NOTAS: A BÍBLIA É CLARA EM AFIRMAR QUE QUANDO SAMOS BATIZADOS PERTENCEMOS AO CORPO MÍSTICO DE CRISTO POR ISSO NEM MESMO A MORTE NOS SEPARA DESSA UNIÃO.

    /

    POR ISSO A BÍBLIA DIZ:

    Gálatas 3:27
    Para todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo.

    POR ISSO A BÍBLIA AFIRMA QUE QUANDO MORREMOS EM COMUNHÃO COM CRISTO ESTAREMOS EM TEMPO REAL NA IGREJA CELESTIAL.

    A PROVA:

    Hebreus 12:22 Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos, 12:23 Para a assembléia geral a igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos ((((ESPIRÍTOS))))dos justos aperfeiçoados;
    /
    18:20 Exulta sobre ela, [tu] CÉU, e [vos] SANTOS apóstolos e profetas;
    /
    AGORA: VEJA A HARMONIA DE PERTENCER AO CORPO DE CRISTO QUE É MAGISTRAL E INTRADUZIVEL.
    POR ISSO SÃO PAULO DIZ EM:

    /

    1 Coríntios 10: 16-17
    Não é o cálice de bênção que abençoamos a comunhão do sangue de Cristo? Não é o pão que partimos a comunhão do corpo de Cristo? Uma vez que há um só pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo; porque todos participamos do mesmo pão.
    /
    E CONTINUA…

    1 Coríntios 6: 15-17
    Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo e torná-los membros de uma prostituta?
    Nunca! Ou não sabeis que o que se une a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Pois, como está escrito: ”
    Os dois serão uma só carne.”
    Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele.
    /
    NOTAS:
    NOS TORNAMOS UM SÓ ESPÍRITO COM CRISTO
    QUANDO SOMOS BATIZADOS E PARTICIPAMOS DA EUCARISTIA.
    /
    E MAIS A BÍBLIA AFIRMA QUE SOMOS
    Membros da sua família (Rm 8:14-17), Com a vida divina nos concedeu através do Batismo (Jo . 3:3-5).

    //////////
    E MAIS…

    Os apóstolos nos ensinam que pelo Batismo nos tornamos “co-herdeiros de Cristo” (Rm 8:17) e “participantes da natureza divina” (2 Ped. 1:4).

    ////////////////

    E MAIS…

    São Paulo afirma que essa união dos fiéis, provocada pelo Espírito Santo no Batismo, é tão completa que somos realmente membros de um só corpo, o próprio corpo de Cristo (cf. 1 Cor. 12:12-27).

    ///////////////

    POR ISSO NADA PODE NOS SEPARAR DESSA MARAVILHOSA E INFINITA COMUNHÃO:
    1 Coríntios 00:27 Ora, vós sois corpo de Cristo, e cada um de vocês é um parte dela.
    /
    Efésios 5:30 Pois nós somos membros do seu corpo.

    NÓS CATÓLICOS APÓSTOLICOS ROMANOS PERTENCEMOS A IGREJA QUE É O CORPO DE CRISTO.
    /
    PARA FORTALECER ESSAS BEM AVENTURANÇAS SÃO PAULO REFORÇA ISSO EM

    /

    Efésios 1:22Assim ele diz:
    E Ele colocou todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés, e deu-o como cabeça sobre todas as coisas para a igreja,

    PARA FORTALECER ISSO VEJA O QUE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO DIZ:
    /
    João 2: 19-22
    Respondeu-lhes Jesus: “Destruí este templo, e em três dias eu o levantarei”. Os judeus, em seguida, disse: “Demorou 46 anos para construir este templo, e tu o levantarás em três dias?” Mas ele falava do TEMPLO do seu CORPO.

    /

    POR ISSO VIVOS OU MORTOS NOS TORNAMOS SANTOS QUANDO NOS TORNAMOS MEMBROS DA IGREJA ISSO É INCONTESTÁVEL:

    /
    VEJA O QUE SÃO PAULO DIZ SOBRE ISSO:

    /////////////////
    Efésios 2: 19-22
    Então você sois estrangeiros e peregrinos já não, mas sois concidadãos dos SANTOS, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, o próprio Jesus Cristo sendo a pedra angular, no qual todo edifício , bem ajustado, cresce para TEMPLO SANTO no Senhor,
    /
    POR ISSO CONFESSAMOS OS NOSSOS PECADOS E PARTICIPEMOS DA EUCARISTIA
    POIS A BÍBLIA DIZ:
    1 Coríntios 12:13
    Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres, e todos nós foi dado beber de um só ESPÍRITO.

    /////////////////////////////
    COMO EU ME ORGULHO DE SER CATÓLICO

    Curtir

  7. Aldobrandina Rodrigues disse:

    Sr. Edmilson

    Foi uma grata surpresa encontrar no meu e mail este novo comentário acerca do apóstolo Pedro, apos ter havido divergentes pontos de vista em alguns comentários, há mais ou menos uns dois meses atrás.

    Admiro a sua tenacidade e fé na defesa dos postulados alicerces da Igreja Católica, apesar de ter entendimento diverso do seu. No entanto, creio que comungamos no mais importante princípio que norteia uma Religião, que é a fé em Deus, o Supremo Criador, a fé em Jesus e em seus ensinamentos e em Maria Santíssima, a sublime mulher escolhida por Deus para ser a Mãe Terrena do Mestre Jesus.

    Bem, como já disse em outras vezes, não acato todo o conteúdo da Bíblia. não somente pelas traduções de que fora alvo, como também do grande espaço de tempo em que ocorreu até a sua compilação, e desta até à atualidade. Por mais que se queira atestar todo seu conteúdo como sagrado e verdadeiro, torna-se quase impossível, se tivermos em nosso interior o acolhimento de que Deus é Justiça, Amor, Bondade, Perfeição… Se na Bíblia, principalmente no Antigo Testamento, em muitas situações, demonstra o contrário.

    Quanto aos vários relatos, concernentes ao apóstolo Pedro, na justificativa de que a Igreja Católica fora fundada por Jesus, e que simbolicamente Pedro seria a Rocha para a edificação, sob o meu ponto de vista carece muito de veracidade. O que se pode comentar como real, é que: não se tem conhecimento, não existe comprovação de que Jesus ou os apóstolos tenham deixado escritos destes acontecimentos e de outros similares. E ainda que estes fatos vieram a ser compilados, salvo engano, no século IV, assim mesmo, somente aqueles que atendessem aos interesses da época. No entanto, acredito que os apóstolos foram o baluarte para o cristianismo.

    Continuo mantendo o meu pensar, que Deus, nem Jesus fundou religião alguma, mas que todas elas foram fundadas pelo homem,com intenções de encontrar uma forma adequada para render graças ao Ser Supremo, ao Mestre Jesus, a Maria e vultos outros que sobressaíram em suas vidas terrenas pela prática do amor a Deus e ao próximo. Criando, assim, um ambiente acolhedor e de recolhimento para se entrar em contato com as Forças do Alto, com a Luz Divina.

    No entanto, não tenho este pensar com as enxurradas de religiões que vem sendo criadas neste últimos anos, onde não se vislumbra a serenidade da fé e a prática do Evangelho de Jesus, do Amai- vos como vos Amei. Mas o interesse público e notório, de enriquecimentos com o mínimo esforço, e em pouco tempo.

    Desculpe por divergir.
    Que Deus ilumine a todos nós.
    Aldobrandina

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      Aldobrandina Rodrigues o primado de São Pedro em Roma jamais foi contestado por nenhum padre da igreja e por nenhum escritor eclesiástico do período patrístico são mais de 1000 doutrinas e apologéticas sobre ele e mais São Pedro em roma é confirmado também pela arqueologia e sobre fontes nas quais as seitas protestantes mutiladas adulteram descaradamente como fazem com suas bíblias incompletas. Aldobrandina Rodrigues estude cara aprenda o que é fontes e você abandonará o protestantismo fraco e contraditório.

      Curtir

  8. EDMILSON disse:

    ORIGENS DE PEDRO COMO PAPA

    NOTAS:

    O Novo Testamento contém cinco metáforas diferentes para a fundação da Igreja (Mt 16:18, 1 CORÍNTIOS 3:11, Efésios 2:20, 1 Pet. 2:.. 5-6., APOCALIPSE. 21:14).

    Uma metáfora que tem sido contestada é Jesus Cristo chamando o “rock” apóstolo Pedro: (. Mateus 16:18) “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” .

    E MAIS…
    Alguns tentaram argumentar que Jesus não quis dizer que sua Igreja seria edificada sobre Pedro, mas em outra coisa. Alguns argumentam que, nesta passagem, há uma pequena diferença entre o termo grego para Pedro (Petros ) e o prazo para a rocha ( petra ), mas eles ignoram a explicação óbvia: petra , um substantivo feminino, simplesmente foi ter um final masculina, uma vez que não se referem a um homem (Peter) como feminino. A mudança no gênero é puramente por razões estilísticas.
    /

    Esses críticos também negligenciar o fato de que Jesus falava aramaico e, como João 1:42 nos diz, na vida cotidiana, ele na verdade se refere a Pedro como Kepha ou Cefas (dependendo de como ele é transliterado). É que termo que é então traduzido para o grego como Petros . Assim, o que Jesus disse a Pedro, na verdade, em aramaico era: “Tu és Kepha e sobre esta muito kepha edificarei a minha Igreja “.

    /

    Os Padres da Igreja, os cristãos mais próximos dos apóstolos no tempo, cultura e fundo teológico, entendeu claramente que Jesus prometeu edificar a Igreja sobre Pedro, como as seguintes passagens mostram.

    //////////

    TACIANO O SÍRIO NASCEU NO ANO 120 DA ERA CRISTÃ E ASSIM ESCREVEU

    “Simão Cephas respondeu e disse:” Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo. ” Jesus respondeu, e disse-lhe: “Bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas: a carne e o sangue não revelou a ti, mas o meu Pai que está nos céus E eu te digo, também, que você é Cefas, e sobre. esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela “( O Diatesseron 23 [170 dC]).

    /

    TERTULIANO NASCIDO NO ANO 160
    ESCREVEU:
    Foi nada retido do conhecimento de Pedro, que é chamado de” a rocha sobre a qual a Igreja seria construída “com o poder de” ligar e desligar no céu e na terra “[Mt 16 [Mateus 16:18.].: 19]? ” ( Objeção contra os hereges 22 [200 dC]).
    “[O] Senhor disse a Pedro:” Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, eu lhe dei as chaves do reino dos céus [e] o que você deve ter ligado ou desligado na terra será ligado ou desligado no céu ‘[Mateus 16: 18-19.]….? Que tipo de homem é você, subvertendo e mudando o que era a intenção manifesta do Senhor, quando ele conferiu isso pessoalmente a Pedro Ao que , ele diz, eu edificarei a minha Igreja, e eu darei a você as chaves “( Modéstia 21: 9-10 [220 dC]).

    /////////////////
    A Carta de Clemente para Tiago escrita no primeiro século

    “Seja conhecido para você, meu senhor, que Simão [Pedro], que, por causa da verdadeira fé, e o fundamento mais seguro da sua doutrina, foi separado para ser o fundamento da Igreja, e para este fim foi pelo próprio Jesus, com a boca verdadeira, chamado Pedro “( Carta de Clemente para Tiago 2 [AD 221]).

    Os Clementine Homilias

    “[Simão Pedro disse a Simão, o Mago em Roma:] ‘Para você agora estão em oposição direta a mim, que sou uma rocha firme, a fundação da Igreja” [Mateus 16:18]. “( Clementine Homilias 17:19 [ AD 221]).

    //////////////////////////////////////

    ORÍGINES NASCIDO NO ANO 182
    “Olhe para [Pedro], o grande fundamento da Igreja, que mais sólida das rochas, sobre a qual Cristo edificou a Igreja [Matt. 16:18]. E o que nosso Senhor disse a ele?” Oh gente de pouca fé, ‘ele diz,’ por que duvidaste? ” [Matt 14:31.] “( Homilias sobre Êxodo 5: 4 [AD 248]).

    /

    CIPRIANO DE CARTAGO MORTO NO ANO 285
    “O Senhor diz a Pedro:” Eu digo a você “, diz ele,” que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela e lhe darei a. chaves do reino dos céus “[Mateus 16: 18-19.]… Sobre ele [Pedro] que edifica a Igreja, e para ele, ele dá o comando para alimentar as ovelhas [João 21:17], e embora. ele atribui um poder como para todos os apóstolos, ainda que ele fundou uma única cadeira [ cathedra ], e ele estabeleceu com a sua autoridade de uma fonte e uma razão intrínseca para que a unidade.

    Na verdade, os outros estavam também o que Pedro era [ e os apóstolos], mas a primazia é dada a Pedro, em que fica claro que não há senão uma Igreja e uma cadeira….
    Se alguém não se apegam a essa unidade de Pedro, ele pode imaginar que ele ainda mantém a fé ? Se ele [deve] abandonar a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi construída, pode ainda estar confiante de que ele está na Igreja? ” ( A Unidade da Igreja Católica 4; 1 ª edição [251 dC]).
    “Há um só Deus e um só Cristo, e uma Igreja, e uma cadeira fundada sobre Pedro pela palavra do Senhor. Não é possível a criação de um outro altar ou para que haja um outro sacerdócio além de que um altar e que um sacerdócio . Quem já se reuniram em outra parte vai espalhando “( Letters 43 [40]: 5 [AD 253]).
    “Não [João 6: 68-69] fala Pedro, sobre quem a Igreja seria construída, ensinando em nome da Igreja e mostrando que, mesmo que uma multidão teimoso e orgulhoso retira porque não quer obedecer, mas a Igreja não retirar de Cristo.

    As pessoas juntaram-se ao sacerdote e do rebanho agarrado ao seu pastor é da Igreja. Você deve saber, então, que o bispo está na Igreja e a Igreja no bispo, e se alguém não está com o bispo, ele não está na Igreja. Eles vão se gabam que rastejar acima, não tendo a paz com os sacerdotes de Deus, acreditando que eles são
    secretamente [isto é, de forma invisível] em comunhão com certos indivíduos. Para a Igreja, que é um e católica, não está dividido nem dividido, mas é realmente unidos e unidos pelo cimento de sacerdotes que aderem uns aos outros “(ibid, 66 [69]:. 8).

    /

    SÃO FIRMILIANO TERCEIRO SÉCULO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO ESCREVEU ASSIM SOBRE O PRIMADO DE SÃO PEDRO:

    “Mas o que é o seu erro, que não permanece na fundação da única Igreja fundada sobre a rocha, por Cristo, pode ser aprendido com isso, o que disse Cristo a Pedro sozinho… [Mateus 16:18.]: ‘ Todas as coisas que você deve ligar na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu “[. Matt 16:19]” (coletados em de Cipriano Letters 74 [75]: 16 [253 dC ]).
    “[Papa] Stephen [I]… Se orgulha de o lugar do seu episcopado, e sustenta que ele segura a sucessão de Pedro, a quem os fundamentos da Igreja foram estabelecidas [Matt. 16:18]…. [ … Papa] Stephen anuncia que ele tem por sucessão ao trono de Pedro “(ibid, 74 [75].: 17).

    //////////////////////////////
    EFRÉM O SÍRIO NASCIDO NO ANO 306
    ASSIM ESCREVEU

    “[Jesus disse:] ‘Simon, meu seguidor, eu fiz-lhe a fundação da Igreja santa eu betimes chamou Pedro, porque você vai apoiar todos os seus edifícios Você é o inspetor de quem vai construir na Terra uma Igreja.. . pra mim Se eles desejam construir o que é falso, você, a fundação, irá condená-los Você é o chefe da fonte de onde flui o meu ensino, você é o chefe dos meus discípulos “(. Homilias 4: 1 [ AD 351]).

    /

    ASSIM ESCREVEU OPTATOS DE MILEVI NASCIDO NO SÉCULO 4
    “Você não pode negar que você está ciente de que na cidade de Roma a cadeira episcopal foi dado a Pedro, a cadeira em que Pedro estava sentado, o mesmo que foi chefe-que é por isso que ele é também chamado Cefas [‘Rock’] – de todos os apóstolos, a uma cadeira em que a unidade é mantida por todos “( O Cisma dos Donatistas 2: 2 [AD 367]).

    AMBRÓSIO DE MILÃO NASCIDO NO ANO 340

    ASSIM ESCREVEU:

    “[Cristo] fez resposta:” Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja… ‘. Ele não poderia, então, fortalecer a fé do homem a quem, agindo por sua própria autoridade, ele deu o reino, a quem chamou de rock, declarando assim que ele é o fundamento da Igreja [Matt. 16:18]? ” ( A Fé 4: 5 [AD 379]).
    “É a Pedro que ele diz:” Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja “[Mateus 16:18.] Onde está Pedro, aí está a Igreja e onde está a Igreja, não é a morte.. lá, mas a vida eterna “( Commentary on Doze Salmos de David 40:30 [AD 389]).

    /////////////////////////

    ASSIM ESCREVEU O PAPA DÂMASO 1 NASCIDO NO ANO 300

    Da mesma forma está decretado… Que deveria ser anunciado isso… Santa Igreja Romana não tenha sido colocado na vanguarda [das igrejas] pelas decisões conciliares de outras igrejas, mas recebeu a primazia pelo evangélico voz de nosso Senhor e Salvador, que diz:
    Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela, e eu vos darei as chaves do reino dos céus. .. ‘. [Mateus 16: 18-19.] O primeiro ver, portanto, é o de Pedro, o apóstolo, que da Igreja de Roma, que tem mancha nem defeito nem nada parecido “(. Decreto de Dâmaso 3 [ AD 382]).

    ////////////////////////////

    SÃO JERÔNIMO NASCIDO NO ANO 347 ASSIM ESCREVEU

    Mas “, você [Jovinian] vai dizer, ‘era sobre Pedro, que a Igreja foi fundada” [Matt. 16:18]. Bem… Um dentre os doze é escolhido para ser sua cabeça, a fim de eliminar qualquer ocasião para a divisão “( Contra Jovinian 01:26 [393 dC]).
    “Eu sigo nenhum líder, mas Cristo e unir em comunhão com ninguém a não ser o seu bem-aventurança [Papa Dâmaso I], ou seja, com a cátedra de Pedro. Sei que esta é a rocha sobre a qual a Igreja foi construída. Quem come o Cordeiro . fora desta casa é profano Qualquer um que não esteja na arca de Noé perecerá quando a inundação prevalecer “( Letters 15: 2 [AD 396]).
    //////////////

    AGOSTINHO NASCIDO NO ANO 364

    ASSIM ESCREVEU
    “Se a própria ordem de sucessão episcopal é considerada, quanto mais certa, verdadeira e seguramente nós numerá-los [os bispos de Roma] do próprio Pedro, a quem, como a um representando toda a Igreja, o Senhor disse: “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Peter foi sucedido por Linus, Linus por Clemente … Nesta ordem de sucessão a donatista bispo não pode ser encontrada “(. Letters 53: 1: 2 [AD 412]).

    /

    CONCÍLIO DE ÉFESO REALIZADO NO ANO 431

    ASSIM DOCUMENTOU SOBRE SÃO PEDRO
    Philip, o presbítero e o legado da Sé Apostólica [Roma], disse:” Não há dúvida, e no fato de ter sido conhecido em todas as épocas, que o santo e mais bem-aventurado Pedro, príncipe e chefe dos apóstolos, pilar da fé e fundamento da Igreja Católica, recebeu as chaves do reino de nosso Senhor Jesus Cristo, o Salvador e Redentor da raça humana, e que a ele foi dado o poder de ligar e desligar os pecados: quem para baixo, mesmo para hoje e sempre vidas e juízes em seus sucessores ‘”(Atos do Conselho , sessão 3 [431]).

    /
    SECHNALL DA IRLANDO DO 4 SÉCULO

    ASSIM ESCREVEU SOBRE SÃO PEDRO
    Constante no temor de Deus, e na fé imóvel, mediante [Patrick] como a Pedro a igreja [irlandês] é construído, e ele tem sido atribuído o seu apostolado por Deus; contra ele as portas do inferno não prevalecerão” ( Hino em Elogio da St. Patrick 3 [444 dC]).

    ///////////////

    PAPA LEÃO 1 NASCIDO NO ANO 400

    ASSIM ESCREVEU SOBRE PEDRO

    “Nosso Senhor Jesus Cristo… Colocou o cargo principal sobre o bem-aventurado Pedro, chefe de todos os apóstolos…. Ele desejou-lhe que tinha sido recebida em parceria em sua unidade indivisível de ser chamado o que ele mesmo foi, quando ele disse:
    Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja ‘, que a construção do templo eterno pode descansar sobre a rocha de Pedro, fortalecendo sua Igreja, assim, certamente que nem poderia imprudência humana assaltam [Mateus 16:18.] que nem as portas do inferno prevalecerão contra ela “( Letters 10: 1 [445 dC]).

    /

    CONCÍLIO DE CALCEDÔNIA REALIZADO NO ANO 451
    ASSIM DOCUMENTOU SOBRE SÃO PEDRO NA DOUTRINA DA IGREJA

    “Portanto, o mais santo e abençoado Leo, arcebispo do grande e velho Roma, através de nós, e através deste presente santíssima sínodo, juntamente com o três vezes abençoada e todo-glorioso Pedro, o apóstolo, que é a rocha e fundamento da Igreja Católica Igreja, e a fundação da fé ortodoxa, despojou-lo [Dióscoro] do episcopado “( Atos do Conselho , sessão 3 [451 dC]).

    Curtir

  9. EDMILSON disse:

    VAI AQUI UM MARAVILHOSO SITE SOBRE NOSSA SENHORA NA ARQUEOLOGIA E NA PATRÍSTICA : http://www.christusrex.org/www1/ofm/san/TSnzz04.html
    Nazareth: Archaeological Excavations
    Archaeological Excavations In excavating the area around the Annunciation site the Franciscan archaeologists not only cleared the different monuments that were built atop the shrine but also had the privilege to examine attentively the uninterrupted veneration that christians treasured jealously.
    CHRISTUSREX.ORG|POR JOHN ABELA, EUGENIO ALLIATA, ENRIQUE BERMEJO

    Curtir

  10. Luiz disse:

    Olá Helen

    Tudo bem? Poderia me tirar uma dúvida por gentileza? Em 1 Coríntios 3:13 a palavra dia refere-se ao dia do juizo universal?

    um abraço

    Luiz

    Curtir

    • Hellen disse:

      Olá Luiz,

      Desculpe-me pela demora. Seu comentário tinha-se perdido…

      O Dia do Juízo . O grande dia que deverá revelar os segredos de todos os corações , e a verdade no que diz respeito ao que cada um fez . O evento vai mostrar o que edifícios na verdadeira fundação estão firmes e que são fracamente construídos. Talvez a palavra “dia” aqui possa significar tempo, em geral, como nós dizemos, ” o tempo vai mostrar” – e como o ditado diz Latino, morre docebit ; mas é mais natural para interpretá-lo como o Dia do Juízo.

      Pax Domini,
      H

      Curtir

  11. Aldobrandina Rodrigues disse:

    No comentário de Helen, em resposta a um leitor, há termos depreciativos que atingem a maioria de nós brasileiros, tais como: “no Brasil a maioria mal sabe escrever (e falar) a língua pátria, realmente é frustrante esperar que um homem comum tenha tido acesso ou curiosidade de descobrir o que escreveu Agostinho, Aquino e tantos outros”.
    Helen, não se coloque em um pedestal que ainda não está ao seu alcance. Você acha que as demais pessoas não tem inteligência suficiente para questionar fatos que dizem respeito a determinadas crenças beirando ao fanatismo, de certos seguimentos religiosos?
    Será que é somente você quem tem esta capacidade, porque é dotada de altos conhecimentos? E que os outros nada sabem, apenas dizem o que ouviu de terceiros, porque são meros “Papagaios” (termo seu).

    Você diz: “…antes deles, viveram mentes brilhantes e almas abençoadas que explicaram a fé católica…” . Isso no entanto, não quer dizer que eles eram donos da verdade. Tanto não eram, que até hoje existem muitas dúvidas sobre vários escritos encontrados dessas mentes brilhantes, principalmente os que versam sobre religiões cristãs primitivas, suas datas, seus fundadores, suas denominações; sobre a vida de Jesus dos doze aos trinta anos de idade; sobre a autenticidade dos evangelhos, quanto a autoria e data, …

    As dúvidas continuam aumentando, porque a cada dia o homem vem tomando consciência de sua posição neste orbe terrestre. Não está aceitando como verdades os que outrem dizem ou apontam como tal. Ele quer ter certeza. Ele está tentando encontrar a verdade sobre os fatos. E esta pode tardar, mas um dia virá à tona.

    Não pretendendo mais me alongar, em nome dessa “maioria de pessoas comuns, dos que mal sabem escrever e falar a nossa língua”, filhos deste querido Brasil, pergunto:
    Qual a sua nacionalidade? Se for de um outro país, aconselho a ter respeito para com a nossa Nação, e, se por acaso for brasileira, aconselho o mesmo em dobro,

    “Que Deus nos conceda:
    A Serenidade para aceitar as coisas que não podemos mudar.
    A Coragem para mudar as coisas que podemos mudar.
    E a Sabedoria para distinguir a diferença”

    Curtir

    • Helen disse:

      Aldobrandina,

      Eu creio piamente que não estou a mentir quando afirmo que no Brasil fala-se e escreve-se mal o idioma pátrio. Tampouco estou a mentir quando afirmo a um leitor que suas ditas ‘inusitadas’ perguntas não são assim tão inusitadas como ele parecer crer, pelo contrário, foram muitas vezes bem respondidas por mentes brilhantes e sábias – que aliás, afirmo serem muito mais competentes e capacitadas que a minha própria para explicar a fé em Cristo segundo o catolicismo. Contudo, afirmo que seria um tanto ingenuo da minha parte esperar que num país onde a grande maioria nunca se quer leu um livro, tenha conhecimento desses autores ( a «mentes brilhantes» que cito, como Aquino e Agostinho). Onde está a ofensa nisso? Virou crime dizer a verdade?

      Ademais, será que estamos vivendo numa ditadura, onde não se pode escrever ou dizer o que se pensa sem tem que se sujeitar ao moralismo de pessoas como voce? Não sei se já notou, mas eu sem dúvida já o fiz: a sra está sempre a criticar tudo o que eu digo, sem fazer aparente ou óbvia distinção, até o ponto de defender um ‘leitor’, como aquele a quem dirigi minha resposta, que afirma sem respaldo de nenhum argumento lógico que nós catolicos, apenas por sermos católicos, ‘comemos o próprio vómito’! … Entre outras ofensas.

      Eu, assim como a sra, como brasileira ou não, tenho direito a uma opinião!! E a minha opinião, nesse caso, está apoiada nos fatos; O brasileiro fala e escreve mal, bem como não é dado à leitura! Quer argumentar até contra isso?

      Sem mais demora, pela primeira vez em meu blog faço um apelo inédito: Por favor, poupe-me da sua presença aqui. Os seus comentários já deixaram claros que sua intenção não é e nunca foi aprender a fé católica, que é o propósito do blog, mas sim polemizar absolutamente tudo o que é dito.

      Lembre-se que eu tenho a habilidade de simplesmente bloquear os seus comentários, mas prefiro fazer o que penso ser o correto, ou seja, aviso deste já que sua presença, por não acrescentar nada ao objetivo do blog, tornou-se completamente redundante e por esse motivo esta sendo dispensada.

      Curtir

      • Aldobrandina Rodrigues disse:

        Helen
        Bom Dia
        Os comentários que fiz questionando, ou seja criticando, seus posicionamentos, foram em em respostas as críticas ostensivas aceca do meu ponto de vista sobre o que se encontrava postado. e não ao tema em si.

        Logicamente que, exercendo o direito democrático que temos, vária vezes discordei dos assuntos abordados, porém sem ofensas. Mas as respostas aos meus comentários não tinham o mesmo padrão, eram palavras ferinas e até mesmo, humilhantes, que não se coadunam com o propósito deste Blog.

        Se formos acatar tudo o que outrem diz ou escreve, sobre determinados assuntos que tenham repercussão abrangente, não seríamos seres pensantes, não teríamos o livre arbítrio para nem sequer fazer as nossas escolhas.
        Se por acaso este comentário ainda não está bloqueado, gostaria que ficasse bem claro que, nada tenho contra a sua pessoa, mas sim contra a sua forma de não aceitar que ninguém vá de encontro aos seus posicionamentos.
        Muita Paz e Sucesso.

        Curtir

  12. neomar disse:

    deve ser frustrante pra voce voltar a comer seu proprio vomito, como descreve o nosso Deus em apocalipse.

    Curtir

    • Helen disse:

      Há aqueles que lêem a Bíblia e já se julgam peritos no assunto, capazes de refutar uma religião de 2 mil anos. Não param para pensar que antes deles viveram mentes brilhantes e almas abençoadas (que alias até hoje – séculos depois são estudadas nas Univerisades pelos grandes pensadores contemporâneos) que explicaram a fé católica muito melhor do que jamais serei capaz de ensinar. Isso porque não apenas ‘leram’ a bíblia, mas leram-na sob o pano de fundo do conhecimento da sagrada tradição apostólica – que com a graça de Deus – sobreviveu o engano mor da era crista: o tal protestatismo.

      Há pessoas que querem debater o católicismo mas NUNCA se deram ao trabalho de aprender NADA (exceto a repetir feito um Papagaio) sobre o que de fato são doutrinas da igreja, a não ser aquilo que erroneamente foram “ensinados” pelos que igualmente sem estudo já decidiram que odeiam a igreja : as vezes auto entitulados pastores. Contudo, temos que lembrar que uma pessoa que vem à publico refutar o que quer que seja tem que ser capaz de demonstrar que conhece aquilo o que ele refuta.

      Agora, no Brasil, onde a maioria mal sabe escrever (e falar) a língua pátria, realmente é frustrante esperar que um homem comum tenha tido acesso ou a curiosidade de descobrir o que escreveu Agostinho, Aquinas, e tantos outros. Acha mesmo que as tais “perguntas” de que o sr fala não tem resposta? Se fosse o caso, a história teria atestado pela queda da santa dé. Mas o que acontece é o contrario! Incrível mas a Igreja Unversal do Reino de Deus, por exemplo, não envia pastores aos confins da África Muçulmana ou da China comunista para evangelizar os 4 cantos da terra, aqueles que nunca ouviram ou aprenderam quem eh Jeus, como faz a Igreja Católica. Essa sim, a cumprir ao pé da letra as ordens do Nosso Senhor (ou seja, espalhar o evangelho).

      Alguns esquecem que só são cristãos graças ao esforço da Santa Fé – que expulsou o islão da Europa impedindo que todo o Continente – a exemplo do Oriente Médio – seguisse a Maome e não a Cristo! Vejam por exemplo o que se passou na Espanha e Portugal, tomados pelos Mouros por 800 anos! Expulsos de la pelos chamados ‘Reis Catolicos’, pelo sangue de Catolicos! Imagine se os Europeus que aqui aportaram ao invés de nos trazerem o Evangelho, tivessem vindo ‘pregar’ o conhecimento de Alá. Acha que o sr teria a oportunidade de vir a blog católico – que provavelmente não existiria – insultar a outros cristãos ou estaria sentado em casa decorando o corão ou planjando o mal de que não seguisse o Islão? O protestantismo existe graças a Igreja católica que defendeu o Cristianismo! Deviam ser gratos a isso pelo menos, ao invés de gastarem tempo querendo converter a quem já professa fé No Senhor dos senhores, Cristo Jesus.

      Pergunto: quem derramou sangue por Cristo para manter a fé e a Igreja? Foi Martinho Lutero e companhia ou os Mariters Católicos? Sem o mínimo conhecimento da história fica fácil odiar até mesmo o que é bom. Basta fazer igual à uma mula, que anda sob o comando de rédias, com tapas mos lados dos olhos pra ver só aquilo que se lhes permite ser visto.

      Curtir

  13. neomar disse:

    até agora, não vi voce responder as perguntas citadas acima, apenas vi uma mera filosofia humana sem fundamentação nas escrituras.

    Curtir

  14. neomar disse:

    olá helen,

    gostaria de saber se já obteve as 04 respostas?

    poderias nos contar?

    aguardo…………..

    Curtir

  15. Aldobrandina Rodrigues disse:

    O que pude perceber neste vasto relato acerca da conversão do Historiador Protestante ao catolicismo, é que não seria necessário expor tanto o seu cabedal de literatura teológica e afins. O que realmente leva homem a uma conversão, é o despertar consciente, em seu interior, dos ensinamentos do Mestre Jesus; é reconhecer que o caminho escolhido lhe traz a serenidade que até então não tinha encontrado; que a Fé agora é plena porque lhe dá a certeza da existência de um Deus Verdadeiro; Que Maria Santíssima, tão combatida por alguns seguimentos religiosos, é uma Mãe Piedosa e Amorosa, a quem se deve respeito e veneração, tanto que foi a Mulher escolhida por Deus para ser a mãe terrena de Jesus; e que é preciso aprender e praticar com amor e humildade o Evangelho do Cristo. Tudo o mais virá por acréscimos. Se cometi alguma ofensa, peço desculpas.

    Curtir

    • Helen disse:

      Aldobrandina,

      Eu espero que o Fabio possa pessoalmente responder ao seu comentario. Enquanto isso nao acontece, eu gostaria de lembra-la que este nao eh um blog espirita, mas catolico. Aqui tratamos de teologia e doutrina catolica. Sendo assim, direciono-me para a doutrina catolica para comentar sobre sua resposta.

      Em primeiro lugar, a conversao da qual Fabio fala no seu artigo nao se trata da Conversao primeira, ou seja, daquele que se da aos que descobrem Cristo como Deus e com isso se convertem aa Doutrina Crista. Trata, entretanto da conversao aa verdade. Conversao que provem da Graca de Deus e santifica ainda mais aquele ja vivente na Luz.

      O catecismo diz:

      Como[§48] a iniciativa pertence a Deus na ordem da graça, ninguém pode merecer a graça primeira, na origem da (con)versão, do perdão e da justificação. Sob a moção do Espírito Santo e da caridade, podemos em seguida merecer para nós mesmos e para os outros as graças úteis à nossa santificação crescimento da graça e da caridade, e também para ganhar a vida eterna. Os próprios bens temporais, como a saúde, a amizade, podem ser merecidos segundo a sabedoria divina. Essas graças e esses bens são o objeto da oração cristã. Esta atende à nossa necessidade da graça para as ações meritórias.

      Sendo assim, e pela graca de Deus que o estudo e o aprofundamento na doutrina que opera como fonte importante de alimento para conversao profunda. O descobrimento da Verdade se da pelo estudo das diferentes doutrinas, e, pela Graca do Espirito Santo eh que somos equipado para chegar ao entendimento daquela que verdadeiramente reflete o plano de Deus para a humanidade.

      Deste modo, a biblia mesmo nos diz que: O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.

      Curtir

      • Helen disse:

        Se nao fui clara, escreva-me que esclareco qualquer duvida. Respondo em meio aos meus outros afazeres e assim sendo, apressadamente.

        Curtir

        • Aldobrandina Rodrigues disse:

          Helen
          Ante ao seu posicionamento, fica bem claro que os comentários devem ser feitos concordando, com o que for postado no seu blog, o que se torna impossível pois somos seres pensantes, e presumo que temos direito de expressar o nosso pensamento, desde que tenhamos uma conduta reta.Como também é importante lembrar, que toda matéria colocada na internet, torna-se pública, e assim o espaço está aberto para críticas, comentários …desde que sejam cumpridas as normas estabelecidas.
          .
          O fato de não ser a primeira conversão, mas a segunda, não torna o comentário que fiz, maledicente, nem mesmo impróprio. Para que sejamos tocados pelo amor, a fé em Deus, não é preciso ser um erudito ou douto no manancial escrito de seguimentos religiosos, mas simplesmente um conhecimento consciente de seus postulados, fundamentados nos ensinamentos de Jesus Cristo e colocados em prática, é que leva o homem a ter a convicção de se tornar um seu seguidor, convertendo-se. Conforme o seu raciocínio as pessoas que não possuem um conhecimento profundo da história de uma religião, não têm condições (ou capacidade) para se converter.

          É sabido por muitos, que a Igreja Católica é detentora de uma vasta literatura, composta por escritos antiquíssimos, na maioria traduzidos e interpretados, por grandes estudiosos, em conformidade com as normas estabelecidas. Estes documentos devem ser de grande importância para o Corpo da Igreja e de seus seguidores, por serem oriundos de uma época “remota” que versam sobre textos bíblicos, apesar da Bíblia ainda não ter sido compilada. Como é o caso da Didaché, cujos escritos antigos não estão direcionados a nenhuma denominação religiosa, mas as suas traduções e interpretações trazem termos relacionados ao novo testamento, ao Evangelho de Jesus.
          Conhecimento é importante para todo ser humano. E quanto mais se adquire, mais consciente se torna o homem e ele sente o quanto ainda precisa aprender.
          Se transgredir os princípios do Blog. mil desculpas. Deus é Único e Verdadeiro, assim como Jesus Cristo, creio que Eles não determinam que ou qual seguimento religioso seguir.
          Deus seja a Luz em nosso Caminho..

          Curtir

        • neomar disse:

          e as respostas de suas perguntas? voce as encontrou, conte-nos!

          Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s