Registro da dormição da Virgem Maria nos escritos do primeiro século confirmam dogma Católico


Os cristãos sempre sofreram intensas perseguições, matanças e saques durante o transcorrer dos séculos, principalmente no início da formação da Igreja. Por essa razão muitos dos escritos produzidos pelos primeiros cristãos foram queimados ou destruídos de outra forma. Sendo assim, a memória da Igreja, às vezes, tem dados insuficientes sobre a vida e a obra de santos e mártires do seu passado mais remoto. Para que essas poucas evidências não se perdessem, ela se valeu das fontes mais fiéis da literatura mundial, que nada mais são do que as próprias narrações das antigas tradições orais cristãs preservadas pela humanidade.

Interessante é o caso dos dois santos com o nome de Dionísio, venerados  no cristianismo. A data de 3 de outubro é consagrada ao Areopagita, enquanto o outro santo, o primeiro bispo de Paris, é festejado no dia 9 deste mês. O Dionísio homenageado ao dia  3 foi convertido pelo apóstolo Paulo (At 17,34) durante a sua pregação aos gregos no Areópago, daí ter sido agregado ao seu nome o apelido de Areopagita.

O Areópago era o tribunal supremo de Atenas, na Grécia, onde eram decididas as leis e regras gerais de conduta do povo. Só pertenciam a ele cidadãos nascidos na cidade, com posses, cultura e prestígio na comunidade. Dionísio era um desses areopagitas.

Nascido na Grécia, no seio de uma nobre família pagã, estudou filosofia e astronomia em Atenas. Em seguida, foi para o Egito finalizar os estudos da matemática. Ao regressar a Atenas, foi nomeado juiz. Até ele chegou o apóstolo Paulo, quando acusado ante o tribunal em que se encontrava Dionísio. Dionísio, ao assistir à eloqüente pregação de Paulo, foi o primeiro a converter-se. Por isso conseguiu para si inimigos poderosos entre a elite pagã que comandava a cidade. Foi então que são Paulo acolheu o areopagita entre seus primeiros discípulos.

Logo em seguida, Dionísio foi consagrado pelo próprio apóstolo como bispo de Atenas. Nessa condição, ele fez muitas viagens a terras estrangeiras, para pregar e aprender a cultura dos outros povos. Segundo se narra, nessas jornadas teria conhecido pessoalmente são Pedro, são Tiago, são Lucas e outros apóstolos. Além de os registros antigos fazerem referência sobre ele na dormição e Assunção da Virgem Maria, a mãe do Filho de Deus.

Em Atenas, seus opositores na política conseguiram sua condenação à morte pelo fogo, mas ele se salvou, viajando para encontrar-se com o papa, ou bispo de Roma. Depois, só temos a informação do Martirológio Romano, na qual consta que são Dionísio Areopagita morreu sob a perseguição contra os cristãos no ano 95.

Dionísio o Areopagita (+ 96dC), sobre a Dormição da Deípara:

 

“Pois até mesmo entre os
nossos hierarcas inspirados, quando, como tu sabes, nós juntamente com ele [um
presbítero ateniense chamado Hierotheos] e muitos de nossos santos irmãos
se reuniram para contemplar aquele corpo mortal [de Maria], Fonte da
Vida, que recebeu o Deus encarnado, e Tiago, irmão de Deus [isto é, Tiago de
Jerusalém] estava lá, e Pedro, o chefe maior dos escritores sagrados, e
então, depois de terem contemplado isso, todos os hierarcas ali presentes
celebraram, segundo o poder de cada um a bondade onipotente da fraqueza Divina
[ou seja, que Deus se fizesse homem]”.

“Naquela ocasião, eu digo,
ele [isto é, Hierotheos] ultrapassou todos os Iniciados com exceção dos
escritores divinos, sim, ele estava completamente transportado, completamente
absorto, e ficou tão emocionado através da comunhão com aqueles mistérios que
ele estava comemorando, que todos os que o ouviram, viram e conheceram (ou
melhor, não o conheceram) considerou que ele foi arrebatado por Deus e um
hinografo divino”. 
 (Dionísio o Areopagita -Sobre os Nomes Divinos 3:2)

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

11 respostas para Registro da dormição da Virgem Maria nos escritos do primeiro século confirmam dogma Católico

  1. EDMILSON disse:

    LITURGIA DO ST. Dionísio, Bispo dos atenienses 1 .
    1. A oração antes do Pax 2 .

    Pr. 3 “Ó Senhor Deus, que simplex arte, não composto, e escondido na essência sublime! Deus, o Pai, de quem tudo o que é paternidade no céu e na terra toma o nome 4 , fonte da Divindade, daqueles que participam no Divino Natureza, e Perfeccionador daqueles que alcançar a perfeição; Boa, acima de tudo bom e bonito, acima de tudo lindo; repouso calmo, paz, concórdia e união de todas as almas; compor as dissensões que nos separam uns dos outros, e levá-los de volta para uma união com a caridade, que tem uma espécie de similitude a Tua essência sublime, e como Tu és Um, acima de tudo, e nós, um, por unanimidade de um bom espírito, que pode ser encontrado diante de Ti simplex e não divididas, enquanto celebrando este mistério, e que através dos abraços de Caridade e laços de amor, podemos estar espiritualmente um, tanto com nós mesmos e com os outros, através de que a Paz Tua pacificar todos, através da Graça, compaixão e amor para com o homem do teu Filho Unigênito , através de | 188 . quem, e com quem se deve a ti, glória, honra e poder, com o Teu santíssimo Espírito ” P. “Amém”. Pr. “Pax” (para todos). P. “E com teu espírito”. D. “Que cada um dê a paz.” P. “Todos”. D. “Publicar”. P. “diante de ti, ó Senhor.” Pr. “Doador de Santidade, e distribuidor de todo o bem, ó Senhor, que sanctifiest toda criatura racional com a santificação, que é de Ti; santificar, através do Teu Espírito Santo, nós, teus servos, que se curvam diante de ti, livrar-nos de todas as paixões servis de pecado, da inveja, traição, engano, ódio, inimizades e, a partir dele, que funciona da mesma forma, para que possamos ser dignos, holily para completar o ministério destes sacramentos, dando vida, através do Pontífice celestial, Jesus Cristo, Só Tua Filho Unigênito, por quem, e com quem, é devido a ti, glória e honra. ” P. “Amém”. Pr. “Essencialmente existente, e de todas as idades, cuja natureza é incompreensível, que estás perto e presente a todos, sem qualquer alteração da Tua sublimidade; quem bondade tudo o que existe anseia por e desejos, o inteligível de fato, e as criaturas dotadas de inteligência, através de inteligência, aqueles dotados de sentido, através de seus sentidos; Who, embora Tu és Uma essencialmente, no entanto, a arte presente em nós, e entre nós, nesta hora, em que Tu tens chamado e levou-nos a estes teus santos mistérios, e fizeste -nos dignos de estar diante do trono sublime da tua majestade, e para lidar com os vasos sagrados de Tua ministério com as mãos impuras: levar para longe de nós, ó Senhor, o manto da injustiça em que | 189 estamos envolveu, a partir de Jesus, o filho de Jozadaque, o Sumo Sacerdote, Tu tirar as vestes sujas, e adornar-nos com piedade e justiça, como Tu adornar-lo com uma vestimenta de glória, que vestida de Ti só, como se fosse com uma peça de roupa, e sendo como templos coroado de glória, podemos ver-Te revelado com uma mente divinamente iluminado, podendo festa, enquanto nós, comunicando-se aí, aproveite este sacrifício diante de nós, e tornar-Te glória e louvor “. P. “Amém”. D. “Vamos ficar becomingly”. P. “As misericórdias de Deus.” Pr. “Caridade”. P. “E com teu espírito”. Pr. “Levantai os vossos corações.” P. “Nós levantá-los para o Senhor.” Pr. “Demos graças ao Senhor.” P. “É digno e justo.” Priest (curvando-se), ” Pois, na verdade a celebração dos Teus benefícios, ó Senhor, supera os poderes da mente, da fala e do pensamento;. nem é suficiente toda a boca, a mente ea língua, para glorificar a Ti dignamente Pois, por Tua palavra foram feitos os céus, e pelo sopro da tua boca todos os poderes celestiais, todos os luzeiros no firmamento, o sol ea lua, o mar ea terra seca, e tudo o que neles há que não têm voz, pelo seu silêncio, o vocal. , por suas vozes, palavras e hinos, perpetuamente Te bendizemos;. porque és essencialmente bom e além de todo o louvor, existindo em Tua essência incompreensivelmente Esta criatura visível e sensível elogia Ti, e também que intelectual, colocado acima percepção sensível o céu ea terra. glorificar-Te Mar e ar proclamar Ti O sol, em seu curso, elogia Ti;.. | 190 a Lua, em suas mudanças, venera Ti tropas dos Arcanjos, e hostes de anjos, os mais sublimes virtudes, que o mundo e mental. corpo docente, envie bênçãos para tua morada. Raios de luz, eminente e oculta, envie suas sanctus a Tua glória. Principados e Ordens Te louvamos, com a sua Jubilate. Poderes e dominações venerar Ti. Virtudes, Tronos e assentos inacessível Te exaltar. esplendores da Luz Eterna —- espelhos sem falha —- santos essências —- destinatários de sabedoria sublime —- além de tudo, os investigadores da vontade escondida de todos, em modulações de tons mais claros inimitável, e por vozes se tornar um criatura racional, muitos Querubins olhos de mais movimento sutil, Te bendizemos Séraphin, equipados com seis asas entrelaçadas, chorar Sanctus a Ti esses mesmos, que velam a face com as asas, e cobrir seus pés com asas e voando em todas.. lado, e batendo palmas com suas asas (que não pode ser devorado por Teu fogo devorador) cantam um para o outro com a mesma harmonia de tudo, cânticos doces, puro de toda coisa material, tornando a Ti, glória eterna, chorando com um hino , digno de Deus, e dizendo: “P.” Santo, santo, santo “. Priest (flexão) —- “Sagrado és tu, ó Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador e Criador de todas as criaturas —- invisível e visível e sensível, Santo és Tu, ó Deus, o Filho Unigênito, . Energia e Sabedoria do Pai, Senhor e nosso Salvador Jesus Cristo; Sagrado és tu, ó Deus, o Espírito Santo, Perfeccionador e Santificador dos Santos Triad, Santa e indivisível: —- co-essencial e de | 191 glória igual De quem compaixão para com a nossa raça é mais efusivo. Tu és santo, e fazendo todas as coisas santas. Quem não deixaste que, a nossa própria raça, no exílio do Paraíso, embora, entretanto envolvido em todo tipo de pecado, mas estavas manifestou para pelo Verbo, que, na presença do “mundo, sofreu a extrema pobreza, mas em verdade, Ele, o Verbo, tomou, sendo feito como para que em todas as coisas, exceto o pecado, que poderia torná-lo preparado de antemão para santificação, e disposto para esta festa que dá vida. (levantando a voz) que, sendo concebido, formado e configurado pelo Espírito Santo e do sangue virgem da Virgem Maria, santa genitrix de Deus, nasceu realmente homem, e de o corpo puro e mais santo do mesmo, e receber Divindade em carne, ao passo que a lei e as propriedades da natureza foram preservadas, mas de uma forma além da natureza, e foi reconhecido Deus em Espírito, eo homem em carne e osso, e na medida em que a Palavra já existia antes dos tempos, de Ti, como era digno de Deus, nasceu, e por poder e milagres, como se tornou o Criador de tudo, foi testemunhado que Ele era, a partir do fato de que Ele livremente transmitida a completar a cura e uma perfeita salvação para todo o gênero humano. Da mesma forma, no final e consumação de Sua providência em nosso favor, e antes de Sua Cruz salvadora, Ele tomou o pão em suas mãos puras e santas, e olhei para ti, ó Deus, o Pai, dando graças, abençoou, santificado, freio e deu a seus discípulos, os santos apóstolos, dizendo: “Tomai e comei dele e | 192acreditar que é o meu corpo, o mesmo que, para você e para muitos está quebrado e dado, para a expiação das faltas, a remissão dos pecados ea vida eterna. ” P. “Amém”. Pr. “Da mesma forma, da mesma forma, sobre o copo também, que ele misturado com vinho e água, deu graças, abençoou, santificados, e deu aos mesmos discípulos e apóstolos santos, dizendo: ‘Tomai, bebei, todos você, e acredito que este é o meu sangue da nova aliança, que é derramado e dado por vós e por muitos, para a expiação das faltas, a remissão dos pecados ea vida eterna. ” “P. “Amém”.

    Pr. “Ele mesmo também, através dos mesmos santos Apóstolos, deu um preceito de toda a empresa e congregação dos fiéis, dizendo: ‘Fazei isto à memória de mim, e todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o commixture que está em este cálice, e deve celebrar esta festa, sereis realizar uma comemoração da minha morte até que eu venha. “P.” da tua morte, Senhor, nós executamos um memorial. ” Pr. “Obedecer, então, Teu preceito soberano, e celebrar a comemoração da Tua morte e ressurreição, por meio desse sacrifício em mistério perpétuo, aguardamos também segundo Tua vinda, a renovação de nossa raça, ea vivificação de nossa mortalidade. Pois, não basta , mas com glória digna de Deus, em Espírito inefável, Tu terrivelmente vir, e sentado no trono sublime da tua majestade Tu exatamente o reconhecimento do Teu poder real, de todas as coisas criadas e feitas, e com justiça, Tu tomar vingança pela tua imagem sobre aqueles que | 193 . corromperam-lo através de más paixões Esse sacrifício, aqui celebrada, comemoramos a Ti, ó Senhor, e os sofrimentos qual Tu suportar na Cruz para nos ser favorável, O Bom, e. Amante dos homens, naquela hora cheia, de temor e tremor, a esta congregação daqueles Ti adorando, ea todos os filhos da Igreja santa, comprado por teu precioso sangue. Que brasas de fogo ser mantido daqueles que são tingidas com Tua sangue, e selado por teus sacramentos no teu santo nome, como anteriormente a chama da Babilônia dos jovens da casa de Hanania, pois nem sabemos os outros além de Ti, ó Deus, nem em outro temos a esperança de alcançar a salvação, uma vez que de fato Tu és o ajudante e Salvador de nossa raça, e por causa disso, nosso sábio Igreja, através de todos os nossos lábios e línguas, implora a Ti, e através de Ti, e contigo, teu pai, dizendo “—-

    P. “Tem misericórdia.” Pr. “Nós também”. D. “Que tremenda é esta hora.” (The Priest dobra, diz a oração da invocação do Espírito Santo.) Pr. “Eu invoco a Ti, ó Deus, o Pai, tem misericórdia de nós, e lavar, por Tua graça, a impureza das minhas maldades, destruir, através de Tua misericórdia, o que tenho feito, digno de ira, porque eu não estender minhas mãos a Ti com presunção, pois eu não sou capaz até mesmo de olhar para o céu por causa da multidão de minhas iniqüidades e da imundícia da minha maldade. Mas, fortalecendo minha mente, em Tua bondade, graça e longanimidade, Eu desejo o teu santo Espírito, para que tu poderias enviar | 194 Ele sobre mim, e sobre essas oblações, aqui estabelecido, e sobre o teu povo fiel “. Pr. “Ouvi-me, ó Senhor.” P. “Kyrie eleison”, três vezes. Pr. “Através do Seu desembarque em cima deles, e Sua ofuscando, que Ele possa fazer este pão de fato, o corpo vivo, e aquisição de vida para nossas almas; corpo salutar —- corpo celeste —- corpo salvar nossas almas e corpos —- Corpo de Nosso Senhor Deus e Salvador, Jesus Cristo —- para a remissão dos pecados ea vida eterna, para quem recebê-lo. ” P. “Amém”. Pr. “E o commixture, que é neste copo, que Ele possa fazer o sangue vivo, e aquisição de vida para todas as nossas almas, salvando sangue salutar —- sangue celestial —- sangue nossas almas e corpos —- sangue de nosso Senhor Deus e Salvador Jesus Cristo, para remissão dos pecados para aqueles que recebê-los. ” P. “Amém”. Pr. “Além disso, de acordo com a tradição, e recomendação divina daqueles que foram testemunhas oculares dos Teus mistérios, e intérpretes dos teus feitos maravilhosos, oferecemos esta Eucaristia diante de ti, ó Senhor, e por isso comemoramos Tua caridade para com nós, – ea dispensação universal da Tua Uma Unigênito, neste mundo, que tu poderias também ser lembrado por ele de Tua misericórdia, cognato e natural para ti, o qual, em todas as horas, é derramado sobre Tuas criaturas, e wouldst arrebatar-nos de a ira, reservada para os ímpios, e das punições daqueles que praticam a iniqüidade, e do ataque cruel dos demônios, que atacam as nossas almas, quando iremos, portanto, e desejas fazer-nos dignos do teu reino, e as moradas de aqueles que os teus preceitos; | 195 e vamos tornar a Ti, glória e ações de graças, & c. ” P. “Amém”. Pr. (flexão) ” pelas tuas palavras, que não pode mentir, e por Teus mais verdadeiros ensinamentos, Tu o disseste, ó Senhor, que é grande a alegria no céu por um pecador que se arrepende. Alegrai-vos, então agora, ó Senhor, no conversão de teus servos, que estão aqui diante de Ti; adicionar também, exultação sobre nós, para as almas dos piedosos e apenas Padres —- Patriarcas —- Profetas —- Apóstolos —- Preachers — – Evangelistas —- Mártires —- Confessores —- Zealots “da Divina Adoração —- Benfeitores —- doadores de esmola —- daqueles que ministram às necessidades dos pobres — e de todos, pode haver um ato de louvor a-dia, diante de Ti, neste Altar santo, e na Jerusalém celeste “. (Elevando a voz) “, e por conta destes, e outras coisas do mesmo tipo, que a Tua santa Igreja, que é a partir de uma extremidade da terra até a outra, ser estabelecida e preservada em tranquilidade e paz, em doutrinas evangélicas e apostólica, por Hierarquias Divinas, justamente dispensar a palavra da verdade, e instruindo, por os dogmas da religião verdadeira: através de sacerdotes santos, que abraçam a palavra da vida, e realizar-se ilustrativamente na distribuição Teus mistérios celestes: através Diáconos, que são modestas, e realizar o ministério puro e real, sem falha, através de verdadeiros e fiéis, que se ocupam em palavras e atos dignos de um cristão, através de coros de virgens de cada sexo, tendo sobre os seus membros, em que dá vida a mortificação do Teu Filho Unigênito. E, a partir daí, de uma tropa, que possamos todos ser enviados para que | 196 Igreja, a Jerusalém dos primogênitos, cujos nomes estão escritos nos céus, e não deixar-nos espiritualmente glorificar a Ti, ó Deus, o Pai, e Tua Only- Filho, e Teu Espírito Santo. “P.” Amen. “Pr”. Assist também, Senhor, todos aqueles que ajudam a Tua Santa Igreja, por ofertas —- por décimos —- pelo ministério —- e por oblações, e aqueles também, que pedem as orações de nossa pequenez, dar-lhes o objeto dessas suas orações, ó Senhor, amante de homens. ” (Levantando a voz) “Envie também atenção perfeito e cheio de saúde a todos aqueles que têm a seu cargo o pobre, que servem de alimento para os órfãos e as viúvas, e visitar os enfermos e aflitos. Restaurar para eles, aqui mesmo abundância e bens, há também encanta incorruptível, porque tu Senhor arte de cada idade, e distribuidor de grande recompensa. E a Ti beseems beneficência, tanto aqui como lá, e Teu Filho Unigênito. “P.” Amém “. Pr. (flexão) ” Contenha, O Rei dos Reis, a ira dos reis, mitigar a fúria dos soldados, tirar guerras e dissensões, derrubarem o orgulho dos hereges, e as sentenças pronunciadas contra nós por Justiça, may Teu amor para a humanidade superar, e se transformar em a gentileza de benignidade “;(levantando a voz) “Tranquilidade e Paz de Ti, admitir para a terra e todos os seus habitantes, visitá-lo com teus benefícios e os cuidados de Tua misericórdia, com uma condição boa e temperada de atmosfera, copiousness de frutas e abundância de colheitas, e uma variedade de flores; preservá-lo de todas as pragas de fúria, e todos os ataques injustos dos inimigos, tanto espiritual e sensível, que | 197 sem qualquer prejuízo da paixão, podemos cantar hinos de louvor perpétuo, a ti ea teu Filho Unigénito “p” Amém “Pr… (flexão} “Neste altar, e em que uma mais exaltada no céu, pode haver uma boa lembrança de todos aqueles que, fora do mundo, ter agradado Ti —- principalmente fato do Santo genitrix de Deus, de João, o Messenger, Batista e Precursor, de Pedro e Paulo, e da sociedade santa dos Apóstolos, de Stephen também, e de toda a multidão dos Mártires, e de todos aqueles que, antes deles, com eles e depois deles , tem o prazer, e não por favor ti. “(Levantando a voz) “E uma vez que na verdade Tu Onipotente arte, à companhia dos entes queridos e à tua família, junte-se a nossa fraqueza, ó Senhor, para que abençoada congregação, a esta divina parte, que, por meio deles pode ser recebido nossas oferendas e orações, diante do trono elevado de Tua Majestade, na medida em que somos fracos e enfermos, e querendo na confiança diante de ti. Forsooth, o nosso pecado e da nossa justiça são nada em comparação com o mar, amplo e imenso, de Tua misericórdia. Olhando então, nos corações de cada um, enviar a cada um bons retornos para as suas petições, que em todos e em cada um pode ser adorado e elogiado, Tua Majestade, e que de Só Tua Unigênito Filho. “P.” Amém “. Pr. (flexão) ” Lembra-te, ó Senhor, todos os bispos, doutores e prelados da Tua santa Igreja, aqueles que, de Tiago, apóstolo, bispo e mártir, para o dia de hoje, tem o prazer, e não por favor ti “. (levantando a voz) “Enxerte em nós, Senhor, a sua verdadeira fé, | 198 e seu zelo para a verdadeira religião, a sua chanty sincero, sem defeito, seus costumes, sem mancha, a fim de que , aderindo aos seus passos, podemos ser participantes da sua recompensa, e das coroas de vitória que são preparados por eles no teu reino celestial, e lá, junto com eles, podemos cantar a Ti, Glória incessante, e somente Tua Unigênito Filho. “P.” Amém “. Pr. (flexão) “Lembra-te, Senhor, todos aqueles que estão dormindo, que se deitaram na Tua esperança, na fé verdadeira. Mais especificamente, e por nome, nossos pais, irmãos e mestres, e aqueles, em nome de quem, e por favor de quem, com esta oferta, santo é oferecido “, (levantando a voz) “juntar-se, ó Senhor, os seus nomes, com os nomes dos Teus Santos no abençoado habitação daqueles que, festa e alegrar-se em ti;. recordando não contra eles a memória de seus pecados, nem trazer à sua memória as coisas que fizeram tolamente Porque ninguém está ligada à carne, e, ao mesmo tempo, . inocente em teus olhos por um só foi visto na terra sem pecado, Jesus Cristo, Vosso Filho Unigénito; Simplex 5 ., que veio para a composição, por meio do qual nós também temos esperança de obter misericórdia “P.” Fique quieto. “Pr. (flexão) “remitente nosso e de seus pecados voluntários, consciente ou ignorantemente cometido. Sê propício, ó Senhor, amante dos homens.” (Levantando a voz) “, e conceder-nos um fim pacífico da partida, com a misericórdia, que pode ficar sem culpa na mão direita, e, | 199 com rosto descoberto, e confiança, corre ao encontro do surgimento da Tua Filho Unigênito, e sua segunda e gloriosa manifestação do céu, e pode ouvi-Lo, que abençoou a voz , que ele deve pronunciar no último dia à Santíssima “.” benditos de meu Pai receber a herança do reino celestial “,” que neste, como em tudo, seja glorificado e louvado, Teu Nome mais venerado. “P . “Isso, & c.” Pr. “Paz”. P. “E com teu espírito.” O sacerdote parte a hóstia, e diz que a oração, antes de “Pai Nosso”. Pr, “Pai de todos, e de início, o que está acima de todas as coisas —– luz eterna, ea Fonte da luz, que ilumina todas as naturezas dotados de razão; Quem chamas o pobre do pó, e sobes o mendigo do monturo, e nos tens chamado, perdido, rejeitado, e enfermos, para a liberdade e dignidade casa de teus filhos, por meio de Teu Filho amado, conceder a nós, para que possa parecer aos teus olhos, filhos santos, e não indignos do nome, e também pode realizar todo o nosso ministério, após uma irrepreensível forma, e com a pureza de alma e pureza de intelecto, e com uma mente divina, sempre invocamos a Ti, Deus, o Onipotente Pai, santo e divino, nós oramos e dizei: Pai nosso, que estás nos céus “P.”. Santificado seja o Teu Nome, & c “Pr”. Livre nós, teus servos e filhos, a partir de todas as tentações, mais difíceis, e superando as nossas forças;.. e de todos os pesares, o que pode trazer perda para o nosso corpo ou alma Guarda-nos, em ao mesmo tempo, do mal, e do seu poder universal, e de seus dispositivos mais perniciosa Para. | 200 . Tu Rei arte de todos, e para Ti rendemos glória “P.” Amém “Pr.” Paz “. P. “E com teu espírito”. D. “Antes” (Ante). P. “diante de ti, ó Senhor.” (Coram.) Pr. “Olha, Senhor, sobre o teu povo fiel, que se dobram diante de Ti, e aguardar a tua oferta, e contemplar o depósito dos Sacramentos da Tua Unigênito, ó Deus, o Pai. Tome não afasta a Tua graça de nós, e não lançar-nos fora do ministério Thy, e da participação em teus sacramentos, mas preparar-nos , que pode ser pura e sem defeito, e digno desta festa, e que, com um irrepreensível consciência, podemos gozar o Seu precioso corpo e sangue, e em uma vida, glorioso e sem fim, pode reclinar em morada espiritual, e maio de festa na mesa do teu reino, e pode tornar-Te glória e louvor. “P.” Amém “. Pr.” Paz “. P.” E com teu espírito “. D.” Com o medo. “Pr. “As coisas Santo para pessoas santas.” p “Um padre santo.” D. “Vamos ficar becomingly.” P. “diante de ti.” Pr. “Damos graças a ti, Senhor, e com a mente grato reconhecemos a tua benignidade, porque, a partir do nada, Tu nos levou para trás para o que somos, e fizeste-nos membros de tua casa, e filhos de teus sacramentos, e tens confiado este ministério religioso para nós, e fizeste-nos dignos desta tabela espiritual Preserve-nos, Senhor, o depósito dos Teus Mistérios Divinos, para que possamos enquadrar e completar a nossa vida aos teus olhos, depois da moda dos anjos, que pode ser fixado e. | 201 inseparáveis ​​através da recepção da Tua santa (mistérios); realizar Tua grande e perfeita vontade, e pode ser encontrado pronto para a última consumação, e diante de Tua Majestade, e pode ser feito digno do prazer de teu reino, através da graça, misericórdia e amor para o homem, de Teu Filho Unigênito, por quem, e com quem, é devido a ti, glória, honra, & c. “P.” Amém “. Pr.” Paz “. P.” E com teu espírito “. D. “After” (Post), P. “diante de ti, ó Senhor.” Pr “O Cristo, o Rei da Glória e Pai da Idade de vir,. Santo Sacrifício; Hierarca celeste, Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo, perdoai os pecados do teu povo, e descartar a loucura do teu rebanho Preserve nós, através, a comunicação de teus sacramentos, de todo pecado, seja ele cometido por palavra, ou pensamento, ou ação.; . e de tudo o que nos torna muito longe da familiaridade da tua casa, que nossos corpos podem ser guardados por Teu corpo e nossa alma renovada através de teus sacramentos E que a Tua bênção, ó Senhor, seja em todo o nosso homem, dentro e fora, e Tu pode ser glorificado em nós e por nós, e que a Tua resto mão direita sobre nós, e que de Teu Pai abençoado, e do teu santíssimo Espírito. “P.” Amém “. D.” Abençoa, ó Senhor. ”

    CANNES,
    Natal, 1896.

    [As notas de rodapé se mudou para acabar e numeradas]

    1. uma Liturgiarum Orien. Collectio E. Renaudoti. Par. 1847. T, ii. p. 201.

    2. b DN, C. 1. § 4; C. II. § 11.

    3. c Pr. = Priest. D. = Deacon. P. = Populus.

    4. d C. II. § 5.

    5. e DN, CI § 4.

    Curtir

  2. EDMILSON disse:

    A Autenticidade de Dionísio Escritos do Areopagita

    [Seguem-se dois textos clássicos pelo Rev. John Parker que defendeu a autenticidade do corpus Areopagita como textos do primeiro século, com autoridade apostólica. Embora escrito há pouco mais de cem anos atrás, os argumentos ainda não foram refutadas pelos seus muitos críticos que se deleitam em ridicularizar ele. A questão interessante que ele pede é se São Dionísio foi influenciado pela Escola de Alexandria e os neoplatônicos ou era na verdade o contrário. O Rev. Parker traduzido São Dionísio no final do século 19, o que significa em Inglês, tanto de forma muito precisa e, literalmente, que muitas vezes é unintelligable, mas o benefício dessa tradução é que ele mantém o primeiro século terminologia que todas as traduções posteriores ignorar. Isso é curioso, porque, mesmo se os escritos são o trabalho de “Pseudo-Dionísio”, esses termos devem ter sido estilisticamente importante como arcaísmos destinado a aumentar a sensação de autenticidade e, portanto, digno de nota. Apesar de seus argumentos precisam ser um pouco mais refinada e expandida para atender bolsa contemporay, considero ainda ser um argumento credível, pelo menos, vale a pena considerar, como também defende a maioria das opiniões dos Padres da Igreja. – JS]
    //

    Dionísio Areopagita
    E A ESCOLA ALEXANDRINE

    ALEXANDRIA tornou-se a casa da filosofia cristã, mas Atenas era sua terra natal. Pantaenus e Amônio-Saccus foram principais fundadores da Escola Alexandrina. Ambos eram cristãos. Ambos chamou a ensinamento da Palavra de Deus “, a fonte da sabedoria”, e dos escritos de Hierotheus, e Dionísio, o Areopagita-Bispos de Atenas.Durante vários séculos houve uma preparação grega para a Escola Alexandrina. Como o Antigo Testamento era um professor, levando a Cristo, de modo a Septuaginta, Pitágoras, Platão, Aristóbulo, Philo, e Apolo eram anuncia que preparou as mentes dos homens para que a plenitude da luz e da verdade em Jesus Cristo, o qual, em Alexandria, se vestiu com as vestes brilhantes de Filosofia Divina. Pantaenus nasceu em Atenas, 120 dC, e morreu em Alexandria, 213 AD. Ele era grego por nacionalidade, e Presbítero da Igreja em Alexandria por vocação.

    //
    Primeiro estóico depois de Pitágoras, ele se tornou cristão algum tempo antes de 186 dC, data em que foi nomeado instrutor-chefe do Didaskeleion de Demétrio, Bispo de Alexandria. Pantaenus reconheceu a preparação para a fé cristã na filosofia grega. Anastácio do Sinai, descreve-o como “um dos primeiros expositores que concordaram uns com os outros no tratamento dos primeiros seis dias da Criação como profético de Cristo e de toda a Igreja.” Eusébio diz que “Pantænus expôs os tesouros dos dogmas divinos preservados direta, como de pai para filho, de São Paulo e outros apóstolos.Registros Fócio que Pantaenus foi aluno de quem tinha visto os Apóstolos, mas que certamente não tinha escutado nenhum deles mesmos. Agora, se Pantaenus foi aluno de quem tinha visto os Apóstolos, e ainda não tinha escutado seu ensino oral, é natural inferir que ele era aluno através de seus escritos. Eu sou um aluno de Dr. Pusey, mas eu nunca ouviu seu ensinamento oral, eu sou aluno através de seus escritos. Agora, existem, até hoje, os escritos de dois presbíteros que tinham visto os Apóstolos-tanto, converte à fé através de São Paulo
    //
    Cujos escritos contêm os tesouros dos dogmas divinos, recebeu de São Paulo e do outros Apóstolos. Esses dois presbíteros são Hierotheus e Dionísio, o Areopagita, tanto ordenado bispo de Atenas por São Paulo. Dionísio, o Areopagita chama expressamente St. Paul o seu “iniciador chefe”, e como tal, dá a sua doutrina sobre os Santos Anjos, no sexto capítulo da Hierarquia Celestial ; “.
    //
    instrutor chefe” e freqüentemente descreve São Paulo como sua Se então, podemos provar que os escritos de Dionísio já existia antes e eram conhecidos em Alexandria, quando Pantaenus entregue suas palestras na cidade, podemos razoavelmente concluir que Pantaenus saberia, e sabendo, usaria, os escritos escritas pelo Chefe de sua . próprios Areópago, e bispo de sua própria Atenas crítica histórica não nos permitem rejeitar probabilidades, simplesmente porque eles confirmam a fé cristã.

    //
    Dexter, em sua Crônica , coletados nos arquivos de Toledo e de outras igrejas na Espanha, dá este testemunho: “UC 851 (98 dC). Dionísio Areopagita dicat Eugenio Marcello, dicto, propter ingenii excellentiam, Timotheo, libros de Divinis Nominibus “. Dionísio de Alexandria, escrevendo ao Papa Sisto II, c. 250, respeitando os escritos de Dionísio, o Areopagita, afirma “que ninguém pode contestar sua paternidade de forma inteligente, que ninguém penetrou mais profundamente do que Dionísio nas misteriosas profundezas da Sagrada Escritura, que Dionísio era discípulo de São Paulo, e piedosamente governou o Igreja de Atenas.
    //
    “Se, então, os bispos de Alexandria e Roma trocaram cartas apenas alguns anos após a morte de Pantaenus, e apenas sete anos depois da morte de Amônio, e nessas cartas afirmaram os escritos de ser, sem dúvida, escrito por Dionísio Areopagita, seria o cúmulo do absurdo afirmar que tais escritos eram desconhecidos Pantaenus e Amônio. Mas não precisamos basear nossa prova em mera suposição. Routh dá dois fragmentos de Pantaenus. O segundo é um eco distinto de Dionísio. Em Nomes Divinos (c. 7), Dionísio discute como Deus Todo-Poderoso sabe das coisas existentes, e explica o texto:
    //
    “Ele, conhecendo todas as coisas antes de seu nascimento”, como prova de que “não como aprender coisas existentes a partir de coisas existentes, mas a partir de si mesmo, e em si mesmo, como causa, o Ser Divino pré-reserva e pré-compreende as noções e a essência de todas as coisas, não se aproximando cada vários coisa, segundo a sua espécie, mas sabendo e contendo todas as coisas dentro de uma compreensão da causa.Assim, Deus Todo-Poderoso sabe das coisas existentes, e não por um conhecimento das coisas existentes, mas por que de si mesmo. “Dionísio (c. V. s. 8) falando da criação, declara que as vontades divinas e boa de Deus Todo-Poderoso definir e produzir existentes . coisas Pantaenus ensina a mesma: “Nem ele sabe coisas sensíveis forma sensata (αἰσθητῶς), nem as coisas inteligíveis intelectualmente.
    //
    Pois não é possível que ele, que está acima de todas as coisas, deve compreender as coisas que são, depois as coisas são (κατὰ τα ὄντα), mas afirmamos que Ele sabe que as coisas são “, conforme suas próprias vontades. . . sim, como suas próprias vontades, Deus Todo-Poderoso sabe as coisas que são, uma vez que pelo disposto (θέλων), Ele fez todas as coisas são. ” Em Teologia Mística (c. V.) Dionísio diz: “Deus Todo-Poderoso não sabe as coisas existentes, que já existente . “O ensino de Amônio-Saccus é o mesmo;. Amônio usa a palavra βούλημα, Dionísio e Pantaenus θελήματα, de Deus, como fonte de criação Mas, embora os fragmentos conhecidos de Pantaenus são poucos, que possuem escritos abundantes de dois alunos, Clemente de Alexandria e Orígenes, a partir do qual podemos nos reunir o ensinamento de seu mestre.
    //
    Clemente fala de Panteno como seu “grande instrutor e colaborador.” Essa é a semelhança entre os escritos de Clemente e Dionísio, que alguns já arriscou a conjectura de que Clemente o filósofo, mencionado por Dionísio, foi Clemente de Alexandria! Dou apenas um exemplo familiar. Clemente escreve: “Como, então, aqueles que montam a âncora no mar, arraste a âncora, mas não arrastá-lo para si, mas se à âncora, assim, aqueles que são atraídos para Deus na vida gnóstica, encontram-se, inconscientemente, levado a Deus . “Dionísio nos Nomes Divinos (c. III. s. 1) diz: “Ou, como se depois de ter embarcado em navio, e estão segurando o cabo, ligado a alguma rocha, não tiramos a rocha nós, mas nós mesmos, e no navio, para o rock.
    //
    Portanto, antes de tudo, e especialmente da teologia, devemos começar com a oração, não como se nós mesmos estavam chegando do poder, que está em toda parte, e em nenhum momento, mas, pelas nossas lembranças piedosas e invocações, conduzindo-nos a, e fazendo-nos um com Ele “. Orígenes confessou que Pantaenus era seu superior na filosofia das escolas, e que ele moldou o seu ensinamento sobre o modelo de Pantaenus. Será que os escritos de Orígenes contem o carimbo de Dionísio e Hierotheus? E mais Orígenes, na ressurreição do corpo, diz: “Porque como ele não parece absurdo que este corpo que sofreu cicatrizes de Cristo, e, igualmente com a alma, tem suportado o selvagem tormentos das perseguições, e também suportou o sofrimento de cadeias, e varas, e tem sido torturado com fogo, batido com a espada, e tem mais sofreu os dentes cruéis de animais selvagens, a forca da cruz, e diversos tipos de punições, que este deve ser privado dos prêmios de tais concursos.
    //
    Se em verdade, só a alma, que não só sustentou, deve receber a coroa, e seu companheiro o corpo, que serviu com muito trabalho, deve atingir nenhuma recompensa, por sua agonia e vitória, como é que não parece contrário a toda razão , que a carne, resistindo a Cristo seus vícios naturais, e seu desejo inato, e guardando a sua virgindade com o trabalho imenso, aquele, quando o tempo de recompensas veio, deve ser rejeitado como indigno e o outro deve receber a sua coroa?
    //
    Tal fato, sem dúvida, argumentar por parte de Deus, ou a falta de justiça ou a falta de poder “. Dionísio (EH, c. VII.), Diz:” Agora, os corpos puros das almas santas, matriculados em conjunto, como jugo companheiros, e companheiros de viagem, que juntos se esforçaram durante as competições divinas, ao longo da vida divina, na firmeza inabalável das almas, irão receber a sua própria ressurreição. Pois, tendo sido feito um com as almas santas, para que eles se uniram durante a vida presente, por ter se tornado membros de Cristo, eles receberão, em troca da imortalidade divina e incorruptível e herança bendita “. Dionísio (DN, c. VI . s. 2), diz: “O que é ainda mais divino, que promete transferir todo o nosso ser (quero dizer, almas e corpos, o seu jugo companheiros), para uma vida perfeita e imortalidade.
    //
    Outros ainda fazem essa injustiça aos corpos, que, depois de ter trabalhado com as almas santas, eles injustamente privá-los das retribuições santos, quando eles vieram para o objetivo do seu curso mais divino. “E” Porque, se o homem passou a . querida vida a Deus na alma e no corpo, o corpo que se sustentou ao longo das lutas divinas serão homenageados juntamente com a alma devota ” Para mostrar que Orígenes conhecia as obras de Hierotheus, damos um trecho de sua carta de Gregory: “Será que que você pode tanto participar e aumentar continuamente a esta parte, de modo que você não pode apenas dizer: ‘nós somos participantes de Cristo “, mas também participantes de Deus”
    //
    . Papias , bispo de Hierápolis (fragmento V.), c.140, diz: “Os presbíteros, os discípulos dos Apóstolos, diz que esta é a gradação eo método daqueles que são salvos, e que avançar por etapas dessa natureza, e que, além disso, eles ascendem através do Espírito para o Filho e através do Filho para o Pai, e que, no devido tempo, o Filho dará o seu trabalho para o Pai “Quem são os presbíteros, os discípulos dos Apóstolos, podemos reunir a partir dos três últimos capítulos da. “Book of Hierotheus” Br. Mus. (Ad. Rich. 7.189), no qual a mesma doutrina é ensinada. não é, então, uma inferência legítima, que, quando Fócio diz que “Pantaenus foi aluno dos presbíteros que tinha visto os Apóstolos “, ele designou Hierotheus e Dionísio, o Areopagita, geralmente conhecido sob esse título?
    //
    Amônio Saccus nasceu de pais cristãos em Alexandria e morreu nessa cidade, 242 AD. Anastácio do Sinai, o chama de “o Sábio”, e Hierocles “o ensinados por Deus.” Além de ser famoso por suas exposições da Sagrada Escritura, ele escreveu o Diatesseron , ouHarmonia dos Evangelhos , contida na Bib. Patrum. Em 236 ele escreveu o acordo entre Moisés e Jesus. Ele era o grande conciliador, que buscou o bem em cada sistema, e fazer todos um em Cristo.
    //
    Pressensé lindamente descreve-o como um homem que desejava acreditar e conhecer, adorar e compreender, para conciliar a filosofia grega com os Mistérios do Médio. Ele escreveu um comentário sobre os versos de ouro de Pitágoras, que Hiérocles publicado, bem como reproduzido seus outros trabalhos. Os títulos dos seus livros, mencionados por Fócio, como Providência e Livre Arbítrio , lembre-se daqueles dos livros perdidos de Dionísio , da qual temos apenas um resumo de suas obras conhecidas. (Cód. 251-214). Amônio foi apelidado Saccus de ter sido um portador de milho.
    //
    Virgílio, Shakespere, Milton, foram grandes gênios em si, mas quando sabemos que as fontes a partir do qual eles chamaram, podemos entender melhor as suas realizações. Dionísio estava em débito com Hierotheus-Amônio chamou de Dionísio. Isso veremos, não como poderíamos por suas obras, como descrito por Fócio, mas a partir de Plotino, seu discípulo, a fim de que podemos ter a prova em vigor, para algumas mentes, não necessariamente do testemunho cristão.Plotino nasceu em Lycopolis, 205 dC, e morreu em Campagna, 270 AD. Na idade de 29, ele começou a procurar a verdade nas escolas de Alexandria. Ele vagou de professor para professor, mas não conseguiu encontrar nenhum descanso até que ele foi persuadido a ir e ouvir Amônio-Saccus. Após ouvi-lo, ele exclamou: “Isto é o que eu buscava.” Plotino permaneceu com ele 11 anos, até a morte de Amônio, 242 AD. Em 244 dC, Plotino começou a ensinar em Roma.
    Plotino não era um estudioso refinado. Porfírio, portanto, cometeu seu ensino à escrita. Porfírio foi considerado como o maior inimigo da fé cristã no início da década séculos. Perseguidores queimado os corpos dos cristãos, mas Porfírio procurou minar a sua fé nas Sagradas Escrituras, por sofismas da incredulidade, que foram revividas a-dia como “New Criticism”.
    //
    Porfírio escreveu contra as Sagradas Escrituras com uma amargura gerada pela a convicção de sua verdade. Agora, é um fato surpreendente que, embora o ensino de Plotino chega até nós através Porfírio, não há uma palavra nos Enneades , em que o ensino de Plotino é dado contra a fé cristã. É verdade que Eutochius publicada outra versão do ensinamento de Plotino, sobre o fundamento de que o seu ensinamento era colorido por Porfírio, mas nós preferimos descansar nossa prova Porfírio, como não está sendo prejudicado em favor da verdade.
    //
    Vamos, então, ver primeiro o que Plotino ensina a respeito da Santíssima Trindade. Ele diz: “Não precisamos ir além dos três hypostaseis” (Pessoas). É verdade que Plotino apresenta o Trindade como “One”, “mente” e “alma”, enquanto Dionísio dá a fórmula “Pai, o Filho eo Espírito.” Às vezes Plotino usa “Logos” em vez de “mente”. Mas mesmo essa substituição de “One” para “Pai” pode ser atribuída a Dionísio, que fala da Tríade, ἐναρχικὴ e até mesmo ἐναρχικῶν ὑποστὰσεων “Uma surgindo.” O “One” representa o Padre. Plotino diz: “Podemos representar o primeiro princípio, ‘One’, como fonte, que não tem outra origem do que ele, e que derrama-se em uma infinidade de córregos sem sendo reduzido pelo que ele dá. “Dionísio fala do” Pai “, como única fonte de Deus, e diz que” a divindade é irredutível pelos dons transmitidos. “no cap. XII de Nomes Divinos , Dionísio trata de “One” e “Perfeito”, quando aplicado a Deus Todo-Poderoso.
    //
    Vamos agora ouvir Plotino sobre as “bonitas” Enneades (I. 6-7). Plotino diz: “Os avanços alma em sua ascensão em direção a Deus, até ser levantada acima de tudo alienígena, que vê face a face, em sua simplicidade, e em toda a sua pureza, Aquele em quem todas as paradas, a quem todos aspiram, de quem todos consideram a existência, vida e pensamento O transporte de amor não deve ele sentir que vê-Lo com o ardor.! ! deveria ele não deseja ser unidos a Ele. Ele, que não tenha visto, deseja-Lo como o Bom, e quem o viu, admira-Lo como a beleza soberana, e atingiu de uma vez com espanto e prazer, desdenha as coisas que até então ele chamou pelo nome de beleza Isso é o que acontece com aqueles a quem surgiram as formas de deuses e demônios;.. que não se importa mais para a beleza de outros órgãos O que você acha, então, que ele deveria experimentar um que tenha visto the Beautiful próprio-the Beautiful superando a terra eo céu A miserável não é ele, que não tem nem cor fresca nem forma graciosa, nem poder, nem realeza;! é só ele, que se vê excluído da posse de Beleza-a posse em comparação com a qual ele deve desdenhar realeza, a regra de toda a terra, sobre o mar, eo próprio céu, se ele deve ser capaz, por abandono, por desprezar tudo isso, para subir para a contemplação do belo, face a face.
    //
    “Plotino também reconheceu” que os olhos sujos de impureza nunca poderia suportar a visão, ou alcançar a visão de que a Beleza. Devemos tornar os órgãos de visão semelhante e gostaria de o objeto que eles iriam contemplar. Todo homem deve começar , tornando-se bela e divina para obter uma visão do belo e da Divindade. “Bem podia Santo Agostinho diz, que,” com a mudança de algumas palavras, Plotino, tornou-se concordante com a religião de Cristo. “Não é à toa que Gregory e Basil citado . assim, em grande parte de Plotino Vamos agora ouvir o que diz Dionísio do “bom e belo”: “. Bondade transforma todas as coisas para si, todas as coisas aspiram a ele, como fonte e títulos e final a partir desta bela vem a ser a todas as coisas existentes . Todas as coisas aspiram ao belo e bom, e não há nenhuma coisa existente, que não participa no belo e bom. “Ler o quarto capítulo dos Nomes Divinos .
    //
    registros Porfírio que Plotino atingido a essa visão das bonitas três vezes durante . sua vida Como a visão do belo é para ser atingido, Dionísio descreve na Teologia Mística : “Mas tu, ó querida Timóteo, pelo teu comércio persistente com as visões místicas, deixar para trás as duas percepções sensíveis e esforços intelectuais, e todos os objetos de bom senso e inteligência, e todas as coisas e não ser estar e ser levantado no alto agnostically ao sindicato, como atingível, com Aquele que está acima de toda a essência e conhecimento. Porque por ecstasy desmarcada e absoluto, com toda a pureza, a partir de ti mesmo, e tudo, tu serás levado ao alto para o supra-Ray of the Darkness Divino, quando tu jogar fora tudo e tornar-se livre de todos “.
    //
    Amônio teve como ecstasy durante suas palestras, em que ele parecia ter visões divinas. Plotino difere Dionísio em relação a criação como um ato de necessidade, enquanto que Dionísio considera como um ato de amor. Plotino trata mal como “um alongamento da parte de Deus.” Dionísio fala de Deus Todo-Poderoso como imanente à matéria o mais alongado do espírito. Plotino traça mal matéria;. Dionísio para a escolha falaciosa de um agente livre pode não ser para que a coloração pagão Porfírio nestes aspectos levou Eutochius para dar um relato mais fiel e consistente do ensino de Plotino.
    //
    Mas a prova suprema de que Dionísio era a fonte a partir do qual a Escola Alexandrina atraiu grande parte da sua sabedoria, é Proclus (450-485). Suidas afirmou há muito tempo que Proclo passagens inteiras plagiou Dionísio. Professor Stiglmayr enche sete páginas com passagens paralelas. Vacherot descreve certos capítulos dos Nomes Divinos como extratos de Proclus, palavra por palavra, e diz que toda a doutrina de Dionísio parece ser um comentário sobre a Teologia da Alexandria. Barthélémy St. Hilaire diz que Dionísio e Escoto Erígena quase totalmente implantado, na Idade Média, a doutrina do neoplatonismo . matéria é mais profunda; Professor Langen encontra em Dionísio as “características de especulação neo-platônico.” A semelhança entre a doutrina é negada por ninguém Que escritos apareceu pela primeira vez Essa é a questão.?.
    //
    Dexter comemora os Nomes Divinos de Tabularia de Toledo, citações Policarpo 98 AD. Dionísio verbatim como “um certo um”. Jerome cita ele como “quidam Graecorum”. Dionísio de Alexandria (250 dC), escrevendo para Sisto II, declara que ninguém pode duvidar inteligente que os escritos são os de Dionísio , a conversão de São Paulo, o bispo de Atenas. Tertuliano expressa a Agnosia “nihil scire omnia scire”, e Orígenes cita-o pelo nome. Theodore (420 AD)
    //
    respostas objeções, quem Fócio aprovados. Gregory chama Dionísio “uma antigo e venerável pai. “O Concílio de Nicéia cita as próprias palavras, contidas na hierarquia eclesiástica (c. I. s. 4) como aqueles das grandes Dionísio. Bispo Pearson prova que os melhores juízes em sexto, quinto, quarto e terceiro séculos considerados os escritos como escrito por Dionísio, o Areopagita estudiosos alemães hoje admitem que o testemunho externo é a favor de sua autenticidade.
    //
    .Mas críticos excêntricos, por conta da teologia precisa, não posso acreditar que as obras foram escritas por um grego aprendido, – Chefe do Areópago, que deixaram tudo para seguir a Cristo, o convertido e discípulo de São Paulo, o amigo íntimo de São João e outros Apóstolos, a quem o nosso Salvador revelou os mistérios do Pai, mas os críticos posso acreditar que um homem desconhecido, cujo século ninguém pode corrigir, e, possivelmente, um sírio, pode ter adquirida a partir de escritores dos primeiros quatro séculos estas pérolas teológicos expressos em grego em um estilo único e sempre gosto próprio.
    //
    Eles podem acreditar que o autor desses escritos Divinas iria incorporar alusões fictícios para pessoas e acontecimentos da era apostólica, para acrescentar brilho às obras incomparáveis, e imputar-los para outro. Eles podem acreditar que os escritos, de modo composto, foram impingido um crédulo cristandade, de modo que Dionísio de Alexandria, Maximus , São João Damasceno, e o Concílio de Nicéia, aceito-as como verdadeiras obras de Dionísio.
    //
    Eu não pertenço a essa escola. Só incredulidade podia acreditar que algo tão incrível. homens racionais não vai arriscar a suposição que funciona conhecido no primeiro século foram recolhidos a partir de escritos compostos 400 anos depois. O tom da Escola Alexandrina pode ser ainda ilustrado de Amelius e Dionísio, o Sublime. Amelius participaram Plotino 24 anos como companheiro e aluno. Eusébio dá um extrato de seus escritos, nos quais Amélio diz, “Isto claramente era o Verbo, por quem, sendo eterno, as coisas tornar-se tornou-se, como diria Heráclito.” Provavelmente foi ele que disse: “O Prólogo do Evangelho de São João deve ser escrito em ouro, e colocados no lugar mais visível em cada igreja “(De Civ. Dei, LX. c. 29). Dionísio, o famoso secretário de Zenobia, participaram das palestras de Amônio-Saccus.
    //
    Ele foi o” árbitro “de todas as questões literárias. Ele expressa sua admiração (De sub. L. 9) da dicção de Moisés na descrição da criação dos seis dias, e os números de São Paulo entre as mais brilhantes oradores gregos, como um homem que propôs um “dogma além de demonstração.” Afirmamos que o testemunho destes homens ilustres, e os extractos de Pantaenus, Amônio, e os seus discípulos, para justificar a conclusão de que a Escola Alexandrina era bíblica, cristã e filosófica, que a sua filosofia era uma filosofia divina da fé, e não um filosofia pagã contra a Fé, e que as principais fontes de sua Filosofia Divino foram os escritos de Hierotheus e Dionísio, os Bispos de Atenas. JOHN PARKER Cannes, Epifania de 1899. Para um esboço da vida, Evidence Interna de Data, e testemunho externo para Genuineness durante os primeiros nove séculos, consulte Celestial ehierarquia eclesiástica (Skeffington, 2s. 6d.).
    //

    Agora a objeções à genuinidade

    A objeção mais plausível para a autenticidade destes Areopagita [escritos] é, portanto, expressa por Dupin: “Eusébio e Jerônimo escreveu um catálogo exato de cada autor conhecido por eles, com algumas exceções obscuras, e nunca mencionar os escritos de o Areopagita. ” Grande é a alegria na Casa dos Anti-Areopagites sobre esta prova, mas o que são os fatos? Eusébio reconhece que inúmeras obras não chegaram a ele, Jerome exime quer saber ou dar um catálogo preciso tanto de autores ou obras.
    //
    E mais.. A biblioteca de Cesaréia continha trezentos mil volumes, de acordo com o modesto cálculo de Doublet, e de acordo com Schneider, e muitos mais. Jerônimo diz que há alguns escritos, tão ilustres em si mesmos, que eles não vão sofrer de não ser mencionado por ele. Jerome segue Dionísio na hierarquia celestial . Jerome Catálogo dos Homens Ilustres contém 135 nomes. Josephus é mencionado por seu testemunho a Cristo. Seneca para sua correspondência com São Paulo.
    //
    Philo para sua descrição da Therapeutse de Alexandria. No entanto, Dupin teria a inferir incautos que Jerome dá um catálogo completo de cada autor conhecido por ele, com algumas exceções obscuros. A História Eclesiástica de Eusébio trata da natureza de Cristo, os companheiros dos Apóstolos, o martirológio, a sucessão de Bispos, as perseguições, ea folk-lore da Igreja do século IV. O livro iria encher cerca de 125 páginas, ainda Dupin nos querem fazer crer que ele dá um catálogo completo. Ele não dá os escritos de Hymenseus e Narciso, de Atenágoras e Pantænus, nem uma lista completa de Clemente, Orígenes e Dionísio de Alexandria.
    //
    Seu silêncio, na minha opinião, é devido ao “ódio theologicum”. De acordo com Eusébio, Jesus é διττός, de acordo com Dionísio, Jesus é ἁπλοῦς; ambas verdadeiras quando bem compreendido, mas quando mal interpretado “, Hinc Lachrymae illae”. Dupin formou sua premissa para a sua conclusão, e não de fatos. (1) Falácia de nomes Pearson, Daille, Blundellum, Erasmus, Valla, Westcott, Lupton, pronunciar contra a genuinidade. Quem é você? Mas Pearson destrói Daille; Vossius pulveriza Blundellum; Erasmus repudia Valla. Dr. Westcott, seguindo Dupin, assume a não-autenticidade, mas seu instinto literário coloca seu artigo em Dionísio antes que em Orígenes. Dean Colet solavancos da escala contra o Sr. Lupton. Pearson, no 10 º capítulo de Ignatii Vindiciae , dá o resumo mais curto e melhor em favor da autenticidade. Falando dos estudiosos de sua época, ele diz: “Ninguém é tão ignorante que não sabe que esses escritos foram reconhecidos como verdadeira pelos melhores juízes em sexto, quinto, quarto e terceiro séculos.
    //
    “Infelizmente, ele também disse, cada pessoa erudita considera em seu dia como está escrito no século IV, e ele assumiu a data da morte de Eusébio, como a data das obras, para explicar seu silêncio.Por isso, cada pessoa inerudite, que desejavam passar por erudito, sustentou que parecer por sua própria reputação. Mas quando Pearson tinha pesquisado novamente as provas, ele confessou, com vergonha, que se tivesse dado, o que lhe parecia uma verdadeira opinião, ele deixou a decisão de toda a questão para o julgamento de uma pessoa mais erudito. Erasmus, em sua Institutio de um príncipe cristão , escreve assim: “Divus ille Dionísio qui fecit tres Hierarchias”.
    //
    Em sua obra principal, Rácio Verae Religionis , Erasmus, não só enumera os nomes divinos e da teologia mística e simbólica , mas os chama, não estóico, não platônico, não aristotélica, mas a filosofia “celestial”. Ele então moldes de Dionísio em seu livro, que se torna Dionísio escrita elegante Latina. A única razão pela qual superou com ele todo testemunho externo era que Erasmus não poderia imaginar que um homem, vivendo em tempos apostólicos, e tão distante da idade de Erasmus, poderia ter escrito como um espelho da doutrina apostólica. Como poderia o Areopagita, embora discípulo de Paulo, e familiar amigo de João, o Teólogo, possivelmente aprendeu como o autor desses escritos? Tal é o testemunho dos dois teólogos que tenham sido autorizados a estar em dúvida da autenticidade.
    //
    Gregório de Tours (2) Gregory é a grande autoridade daqueles que pensam que o St. Denis da França não é idêntica à Dionísio, o Areopagita. A autoridade é digno de sua perspicácia crítica. Gregory recolhe os martírios mais obscuros, na Gália, sob Nero e os imperadores subsequentes. Ele dá vários martírios sob Nero, e, assim, comprova a evangelização apostólica da Gália. Cotações de Gregory, e cita erroneamente, e desconhece o documento antigo (3), “Sobre sete homens enviados por São Pedro para a Gália, para pregar.” (4) “Under Claudius-sub-CLDIO Pedro Apóstolo enviou alguns discípulos para a Gália para pregar, eles eram Trófimo, Paulus, Martial, Austremonius, Gatianus, Saturnino, Valerius, e muitos companheiros. ” Estes homens foram enviados 42-43 AD. Gregory omite Valerius, e insere Dionísio, que não foi convertido à fé cristã, até 44 ou 49 AD.
    //
    Então Gregory erros de leitura “Claudio” para “consulibus Decio”, e acrescenta: “Grato” como o companheiro de cônsul. Assim, um discípulo dos apóstolos, enviados por Clemente, sucessor de Pedro, chega na Gália em 250, e os nomes idênticos de seus companheiros repitam milagrosamente no terceiro século. Ao mesmo tempo em que Trófimo (5) é, portanto, deveria ter chegado em Áries, temos uma carta de Cipriano, 254 AD, pedindo Papa Stephen depor Marcião, Bispo 15 ou 18 de Áries de Trófimo. Essa é a base sobre a qual nossos amigos críticos construir a sua casa sobre a areia. Bolandistes O Pères
    //

    Os Bolandistes Pères são uma maravilha na cristandade. Eles são críticos, e ainda seguir o erro grosseiro de Gregório de Tours. Eles pertencem à obediência papal, e ainda preferem Gregório de Tours, quando errado Gregório XIII, quando a direita. Eles pronunciar a declaração solene do Papa João XIX, “que Martial de Limoges era um homem apostólico (6)”, como de nenhum valor histórico. Eles pensam que São João Damasceno não possuem o mesmo aparato crítico para provar a autenticidade dos escritos de Dionísio, que possuímos no século 19. Sua “Actes authentiques” (7) de Dionísio reconhecer que ele foi enviado para a Gália por Clemente, sucessor de Pedro, e ainda afirmam que ele chegou na Gália em 250. Depois Clemente I, que sucedeu a Pedro e Paulo, não havia outro bispo Clemente de Roma por mil anos (8). Felizmente, Les petits Bolandistes são mais racional e crítico do que seus Peres.
    //
    objeção geral

    “O estilo, a ciência teológica, a linguagem e alusões, provam os escritos escritos após a era apostólica.” é o estilo epistolar a prova? São Paulo, São João, São Pedro, São Lucas, e quase todo o Novo Testamento foi escrito sob a forma de epístolas. A Epístola de St. James, o primeiro escrito no Cânone do Novo Testamento, vai ter comparação com o livro de Jó para ornamentado dicção. Consulte as referências marginais à Epístola de São Pedro para ver o conhecimento bíblico dos Apóstolos. Os homens usam o testemunho de sumos sacerdotes, que os apóstolos eram homens iletrados e incultos, mas omitir o seu testemunho de que eles tomaram conhecimento deles, que eles haviam estado com Jesus, e a mais um testemunho de que Jesus abriu o entendimento, para que eles devem entender o testemunho das Escrituras respeitando a si mesmo, e, ainda, que o Espírito Santo deve recordar-lhes tudo o que Ele lhes dissera.
    //
    Aqueles que preferem assumir vinte milagres, do que reconhecer um fato natural, supor que a Síria, no século IV, pode ter escrito grego permeada de expressões técnicas de Platão e Aristóteles. Não há uma única alusão a pessoas ou acontecimentos após o primeiro século, a menos que se supor que a Epístola de Inácio, 108 AD, é citado. As obras abundam em nomes registrados no Novo Testamento. As Epístolas Apostólica alusão ao fermento da heresia que já trabalham. A edição de Antuérpia dá cerca de quinhentas referências à Sagrada Escritura nos escritos de Dionísio.
    //
    Ele cita todos os livros da Bíblia, exceto as duas últimas Epístolas particulares de São João, ou João, o Presbítero. Dionísio escreveu quatro cartas para Gaio, a quem João escreveu sua terceira epístola. Temos, portanto, nos escritos deste homem apostólico, uma prova de que as Escrituras canônicas foram citados como os oráculos de Deus, no primeiro século, e um testemunho triunfante que a fé é mais confiável do que as críticas.
    //
    REFERÊNCIAS
    —————————– 1.Vidieu, página 107. 2. L’Abbé Darras. St. Denys 1’Areopagite , p. 34.3. Ibid., P. 51. 4. Veja Monumentos Inédits de M. Faillon , t. ii. p. 375.5. Darras, p. 14. 6. Veja Surius. 7. Darras, 293-300. 8. Clemente I., AD 67, Cl. II. 1046. vida de São Dionísio, o Areopagita
    Este Santo foi de Atenas, um homem culto, e um membro do famoso tribunal judicial de Mars Hill (em grego Aeros Pagos, daí o nome Areopagita (veja Atos 17:19 . -34) Quando São Paulo pregou em Atenas, ele foi um dos primeiros a acreditar que há em Cristo, e, segundo alguns, tornou-se o primeiro bispo daquela cidade Outros dizem -. e isso pode ser mais provável – que ele foi o segundo bispo de Atenas, depois de São Hierotheus, quem Dionísio chama seu amigo e professor “,
    //
    depois de Paul” ( Sobre os Nomes Divinos , 03:02) Com São Hierotheus ele também esteve presente na Dormição da Santíssima Mãe de Deus.; o Doxasticon do Aposticha para o serviço da Dormição é parcialmente tirado de uma passagem no capítulo III do Sobre os Nomes Divinos. Segundo a tradição antiga, ele recebeu fim de um mártir (segundo alguns, em Atenas em si) por volta do ano 96. Apolytikion na Quarta Tone
    //
    Desde que tu tivesses sido instruído em retidão bem e foste vigilante em todas as coisas, tu eras vestido de uma boa consciência, como era digno de um santo Tu tirar o navio mistérios inefáveis Escolhido;. e ter mantido a fé, tu terminar um curso como, ó Dionysios Hieromártir. Interceda com Cristo Deus que nossas almas sejam salvas. Kontakion no Plagal da Quarta Tone
    //
    Em espírito, tu passagem dist pelos portões do céu, instruído pelo grande Apóstolo que alcançou as alturas do terceiro céu, e foste feito rico em todo o conhecimento de coisas além do discurso, e então tu, ó Dionísio, fizeste iluminar os que adormeceram na escuridão da sua ignorância Por isso todos nós gritar: Alegra-te, ó Pai universal.. Life of St. Hierotheus de Atenas (
    //
    Segundo alguns, Hierotheus, como São Dionísio, foi membro do Tribunal de Mars Hill. tendo sido instruído na fé de Cristo por Paulo, ele se tornou bispo de Atenas. Ele, por sua vez, iniciou a divina Dionísio, mais perfeitamente nos mistérios de Cristo, este último, por sua vez, elaborada de forma mais clara e distintamente concisa Hierotheus ‘e os ensinamentos de síntese sobre a fé que ele também foi levado milagrosamente pelo poder do Espírito Santo para estar presente no Dormição. a Theotokos, quando, juntamente com os Apóstolos sagrados, ele se tornou um líder da hymnody divina.
    //
    “Ele estava totalmente transportado, totalmente fora de si mesmo e ficou tão profundamente absorto em comunhão com as coisas sagradas ele celebrados em hymnology, que, para todos os que ouviram ele e viu-o e sabia-o, e ainda não o conhecia, ele parecia estar inspirado por Deus, um Hymnographer divina “, como diz Dionísio ( Sobre os Nomes Divinos , 3:2). Tendo vivido em uma maneira que agrada a Deus, . ele repousou no Senhor Apolytikion na Quarta Tone //
    Desde que tu tivesses sido instruído em retidão bem e foste vigilante em todas as coisas, foste vestida com uma boa consciência, como era digno de um santo Tu tirar o navio mistérios inefáveis Escolhido;. e ter guardei a fé, tu terminar um curso como, ó Hierotheos Hieromártir. Interceda com Cristo Deus que nossas almas sejam salvas. Kontakion no Plagal da Quarta Tone Como Hierarca de Atenas, que aclamar-te, pois por ti temos recebido formação coisas impressionantes e inefável, pois foste um escritor inspirado por Deus de hinos divinos O Hierotheus bem-aventurado, não te peço a Deus, para que possamos ser resgatados a partir de todas as calamidades, que, assim, possamos chorar: Alegra-te, ó Pai sábio. nas coisas divinas.
    //
    COMO EU ME ORGUHO DE SER CATÓLICO

    Curtir

  3. ROBERTHA disse:

    MINHA ADMIRADA HELEN SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA DO PRIMEIRO SÉCULO FOI REALMENTE ESCRITOR? SE FOI ME MOSTRE AS TESTEMUNHAS OCULARES DE SUAS OBRAS? E
    ME MOSTRE AS FONTES QUE FALAM DO SEU NOME NOS TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS?

    ME RESPONDAS ? NÃO FOI O PSEUDO DIONÍSIO DO SÉCULO V
    QUE FOI ESCRITOR E ESCREVEU ESSAS OBRAS REFERIDAS A SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA?

    Curtir

    • Helen disse:

      Cara Roberta,

      São Dionísio Aeropagita é um Critão dos Primeiros Séculos. Dioníso era parente do Juiz AEROPAGITA, que como relatado em Actos 17;34, foi convertido ao Cristianismo.

      As primeiras citações confiáveis ​​dos escritos de Dionísio são do final do quinto e do início do século VI. A primeira é por Severo, o chefe de um grupo de Monofisitas moderados em homenagem a ele, e Patriarca de Antioquia (512-518). Em uma carta endereçada a um certo abade, João (Mai, Script. Vett. Novembro coll., VII, i, 71), ele cita como prova de sua doutrina da minha synthetos physis em Cristo, o Ep dionisíaco. iv (PG, III, 1072 C), onde um kaine theandrike energeia é mencionado. Mais uma vez, no tratado “Adversus Anathem. Juliani Halicarn.” (… Cód. Syr Vat 140, fol 100 b), Severo cita uma passagem do DDN, ii, 9, PG, III, 648A (abba kai para pases – thesmo dieplatteto), e retorna mais uma vez ao Ep. iv. Na “História da Igreja” sírio de Zacharias (e. Ahrens-Kruger, 134-5) é relatado que Severo, um homem bem versado nos escritos de Dionísio (Areop.), esteve presente no Sínodo de Tiro (513). Andreas, Bispo de Cesaréia na Capadócia, escreveu (cerca de 520) um comentário sobre o Apocalipse no qual ele cita o Areopagita quatro vezes e faz uso de pelo menos três de suas obras (Migne, PG, CVI, 257, 305, 356, 780; cf. Diekamp em “Hist. Jahrb”, XVIII, 1897, pp 1-36). Como Severo, Zacharias Rhetor e, com toda probabilidade, também Andreas de Cappodocia, inclinado a monofisismo (Diekamp, ​​um “Livro de Hierotheus” — Hierotheus passou a ser considerado como o professor de Dionísio — existia na literatura da Síria da época e exerceu considerável influência na propagação de doutrinas dionisíacos. Frothingham (Stephen Bar Sudaili, p. 63 m²) considera o panteísta Stephen Bar Sudaili como seu autor. Jobius Monachus, um contemporâneo dos escritores que acabamos de mencionar, publicado contra Severo um tratado polêmico que já foi perdido, mas afirma que o Areopagita como autoridade para o ensino ortodoxo (PG, CIII, 765). Assim também Efrém, o Arcebispo de Antioquia (527-545), interpreta em um certo sentido a conhecida passagem do DDN, i, 4, PG, III, 529 A:. haplous ho Iesous synetethe, distinguindo entre synthetos hipóstase e synthetos ousia Entre os anos 532-548, se não antes, John de Scythopolis na Palestina, escreveu uma interpretação de Dionísio (Pitra, IV, Proleg, p XXIII “Analect sacr.”.;.. cf Loof é “, Leôncio de Bizâncio” (p. 270 m²) a partir de um ponto de vista anti-Severa Em Leôncio de Bizâncio (485-543.. ), temos outra testemunha importante Esta campeão eminente da doutrina católica em pelo menos quatro trechos de suas obras baseia-se na megas Dionysios (PG, LXXXVI, 1213 A;. 1.288 C; 1304 D;.. Canisius-Basnage “, Thesaur monum Eccles . “, Antuérpia, 1725, I, 571). Sergius de Resaina na Mesopotâmia, archiater e presbítero (m. 536), em uma data próxima traduziu as obras de Dionísio em siríaco. Ele admitiu sua autenticidade, e por sua defesa também traduzido em siríaco os já atuais “Desculpas”. (Brit. Mus bacalhau adicionar 1251 e 22370;….. cf Zacharias Rhetor em Ahrens-Kruger, p 208) Ele próprio era um monofisita.

      Há mais, mas sugiro que pesquise nas fontes disponíveis na internet.

      Grata,
      H.

      Curtir

  4. EDMILSON disse:

    O reconhecimento da virgindade de Nossa Senhora sempre foi professado e repetido pelos Padres da Igreja, não obstante os protestantes querem nos fazer crer, com citações fora de exatidão, que muitos admitiam que ela tivesse perdido o que de miraculoso se preservou nela. Chegam nas afirmações mais extremas e enfatuadas dizer que isso foi muito disputado entre os Pais primitivos. Esse trabalho, então, tem o intuito de transcrever o verdadeiro pensamento dos preservadores da Tradição e de refutar as menções indevidas feitas por nossos irmãos evangélicos.

    Santo Irineu (130 — 203):

    “Como por uma virgem desobediente foi o homem ferido, caiu e morreu, assim também por meio de uma virgem obediente à palavra de Deus, o homem recobrou a vida. Era justo e necessário que Adão fosse restaurado em Cristo, e que Eva fosse restaurada em Maria, a fim de que uma virgem feita advogada de uma virgem, apagasse e abolisse por sua obediência virginal a desobediência de uma virgem.” (Contra Heresias L. 5, 19.1)

    Santo Hipólito de Roma (170 — 236):

    “…corpo de Maria toda santa, sempre virgem, por uma concepção imaculada, sem conversão, e se fez homem na natureza, mas em separado da maldade: o mesmo era Deus perfeito, e o mesmo era o homem perfeito, o mesmo foi na natureza em Deus, uma vez perfeito e homem.” (As obras e fragmentos. Fragmento VII)

    Orígenes de Alexandria (185 — 253):

    “Mas, seguindo a tradição que está registrado no Evangelho segundo São Pedro ou no livro de Tiago, eles dizem que há alguns irmãos de Jesus, os filhos de José por uma ex-mulher, que vivia com ele antes de Maria. Agora aqueles que dizem por assim desejarem preservar a honra de Maria na virgindade até o fim, de modo que o organismo dela, que foi designada para ministrar a Palavra que diz: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e o poder do altíssimo deve ofuscar a ti “, pode não ter tido relação sexual com um homem depois que o Espírito Santo veio ela e o poder do alto a tivesse ofuscado. E eu acho que em harmonia com a razão que Jesus era o fruto primeiro entre os homens da pureza, que consiste na castidade, e Maria entre as mulheres, pois não foram piedosos atribuir a qualquer outro do que o seu fruto primeiro da virgindade.”(Comentário ao Evangelho de Mateus x. 17)

    “Pois, se Maria, como aqueles que declaram, com exaltar sua mente sã, não tinha outro filho, mas Jesus, e ainda Jesus diz para sua mãe, ‘Mulher, eis aí teu filho’, e não ‘Eis que você tem esse filho também'” (Comentário ao Evangelho de João, Livro 1, 6)

    “Sobre este assunto, eu encontrei uma observação muito bem em uma carta do mártir Inácio, segundo bispo de Antioquia depois de Pedro, que lutou com as feras, durante a perseguição em Roma. A virgindade de Maria estava escondida do príncipe deste mundo, graças a José e escondido seu casamento com ele. Sua virgindade foi mantida escondida porque ela foi pensada para ser casada.” (Homilias sobre Lucas, 6, 3-4.)

    São Gregório de Neucaesarea (213 — 270):

    “Para a santa Virgem guardado cuidadosamente a tocha da virgindade, e deu ouvidos diligentemente que não deveria ser extinta ou contaminada.” (The Second Homily. On the Annunciation to the Holy Virgin Mary)

    São Pedro de Alexandria (+ 311):

    “…que tem o nome de Leucado, eles vieram para a igreja da mãe mais abençoada de Deus e sempre Virgem Maria, que, como se começou a dizer, ele tinha construído no oeste…” (Episolæ)

    Santo Atanásio de Alexandria (295 — 373)

    “Portanto, que aqueles que negam que o Filho do Pai, por natureza, e é adequado a esta essência, negam também que Ele se tornou verdadeiro humano da Sempre Virgem Maria…” (Contra Arianos, cap 21)

    Hilário de Poitiers (300 — 368):

    “Se eles [os irmãos do Senhor] foram filhos de Maria e não tomados de casamento anterior de José, ele nunca teria sido entregue no momento da paixão [crucificação] para o apóstolo João, sua mãe, o Senhor dizendo: a cada um, ‘Mulher, eis aí teu filho’, e João, “Eis a tua mãe ‘[João 19:26-27), como ele legou o amor filial a um discípulo como um consolo para a desolação” (Comentário sobre Mateus 1 : 4 )

    Santo Efrem da Síria (306 — 373):

    “Em sua virgindade Eva colocou as folhas de vergonha: Sua mãe colocou na sua virgindade a roupa da Glória que é suficiente para todos.” (Hino da Natividade, hino 12)

    “O que teria sido possível que aquela que foi a residência do Espírito, que foi ofuscada pelo poder de Deus, tornou-se uma mulher mortal, e ela suportou a dor, de acordo com a maldição em primeiro lugar? […] A mulher que dá à luz na dor não poderia ser chamado abençoado. O Senhor, que veio com as portas fechadas, e fora do seio virginal, porque isso realmente virgem deu à luz sem sentir dor ” (Efren, Diatessaron, 2,6: SC 121,69-70, cf. . ID, Hímni de Nativitate, 19,6-9: CSCO 187,59)

    Santo Epifânio (310 — 403):

    “De onde vem esta perversidade? De onde é que irrompeu tamanha audácia? Porventura o próprio nome não é suficiente atestado? Quem jamais houve, em tempo algum, que ousasse proferir o nome de Maria e espontaneamente não lhe acrescentasse a palavra virgem? O nome de Virgem foi dado a Santa Maria, nem se mudará nunca, ela sempre permaneceu ilibada” (Panarion, Contra os hereges).

    Dídimo, o cego (313 — 398):

    “Nada fez Maria, que é honrada e louvada acima de todas as outras: não se relacionou com ninguém, nem jamais foi Mãe de qualquer outro filho; mas, mesmo após o nascimento do seu filho [único], ela permaneceu sempre e para sempre uma virgem imaculada”. (A Trindade 3,4)

    São Cirilo de Jerusalém (315 — 386):

    “o Unigênito do Único, Jesus Cristo, nosso Senhor, a produção, segundo a carne, do ventre da Santa Maria, Virgem perpétua, em cuja santa casa somos nós reunidos neste dia para comemorar o dia de sua morte. ” (Homilias sobre a Dormição)

    São Basílio de Cesareia (329 — 379):

    “Os amigos de Cristo não toleram ouvir que a Mãe de Deus deixou de ser virgem num determinado momento” (Homilia Em Sanctum Christigenerationem, 5)

    São Gregório de Nissa (330 — 395):

    “Pois se José a tomou como sua esposa com o proposito de ter filhos, por que ela ficou pensando sobre o anuncio de sua maternidade, se ela mesma aceitou o fato de se tornar mãe de acordo com a lei da natureza? Mas assim como era necessário Guardar o corpo da consagrada a Deus como oferenda intocada e Espírito Santo, por esta mesma razão, ela afirma, mesmo se você é um anjo que desceu do céu e mesmo que este fenômeno está além da capacidade dos homens, no entanto, impossível para mim conhecer homem. Como devo tornar-me mãe sem conhecer homem? Pois, embora considere um José para ser meu marido, ainda assim não conhecerei homem” (Sobre a Geração de Santo Cristo, 5)

    Santo Ambrósio de Milão (340 — 397):

    “Hove quem negasse que Maria tivesse permanecido virgem. Desde muito temos preferido não falar sobre este tão grande sacrilégio. Maria (…) que é mestra da virgindade, (…) não podia acontecer que aquela que em si tinha trazido Deus , resolvesse andar às voltas com um homem. Nem José, varão justo, cairia nessa loucura de querer misturar-se com a mãe do Senhor, em relação carnal”.( De Inst. Virg. I , 3).

    Rufino de Aquileia (340 — 410):

    “A porta que estava fechada (Ezech. 44,2) foi a sua virgindade, través dela o Senhor Deus de Israel entrou, por isso Ele avançou a este mundo através do ventre da virgem. E, porque a sua virgindade foi preservada intacta, portão da Virgem permaneceu fechado para sempre “. (Comentário do Credo dos Apóstolos, 9)

    Santo Agostinho (354 — 430):

    “Virgem que concebe, virgem que dá à luz, virgem grávida, virgem que traz o feto, Virgem perpétua”(Sermão CLXXXVI, 1, 1)

    “Concebeu-O [a Cristo Jesus] sem concupiscência, uma Virgem; como Virgem deu-lhe à luz, Virgem permaneceu” (Sermão sobre a Ressurreição de Cristo, segundo São Marcos, PL XXXVIII, 1104-1107).

    São Jerônimo (347 — 420):

    “Rogo também a Deus Pai para que demonstre que a mãe de Seu Filho – que se tornou mãe antes de se casar – permaneceu Virgem ainda após o nascimento de seu Filho.” (Contra Helvídeo, sobre a virgindade perpétua de Maria, cap II)

    São João Cassiano (360 — 435):

    “Por isso, confesso que o nosso Deus e Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, que por sua própria causa foi gerado do Pai antes de todos os mundos, quando ao tempo ele por nossa causa se fez homem através do Espírito Santo e da sempre Virgem Maria, era Deus em Seu nascimento, e enquanto confessamos as duas substâncias, da carne e da Palavra.” (Sobre a Encarnação de Cristo contra Nestório, L. VII, 5)

    São Cirilo de Alexandria (375 — 444):

    “Salve, vaso puríssimo da temperança, a ti virgem, confiou, na cruz, nosso Senhor Jesus Cristo a Mãe de Deus, sempre virgem!” (Discurso em Concílio de Éfeso)

    São Máximo, o Confessor (580 — 662):

    “O nascimento e a adolescência daquela que concebeu e deu à luz – evento impensável, incompreensível, inefável! – ao Filho de Deus, o Verbo, Rei e Deus do Universo, já haviam sido mais maravilhosos que tudo o que se pode ver na natureza. Desde então, todos os dias de sua inteira existência, mostrou um estilo de vida superior à natureza […] Logo, no caminho de sua fatigosa tarefa, sofreu e suportou muitas tribulações, provas, aflições e lamentos durante a Crucifixão do Senhor, alcançando uma completa vitória e obtendo coroas de triunfo, até ao ponto de ser constituída a Rainha de todas as criaturas[…] A Virgem não só animava e ensinava aos santos apóstolos e aos demais fiéis a ser pacientes e suportar as provas, senão que era solidária com eles em suas fadigas, lhes sustentava na pregação, estava em união espiritual com os discípulos do Senhor em suas privações e suplícios, em suas prisões[…] Depois da partida de João, o Evangelista, São Tiago, o filho de José, também chamado «irmão do Senhor», tomou a seu cuidado a santa Mãe de Cristo […]” (Vida da Virgem)

    Santo Ildefonso de Toledo (606 — 667):

    “Tua pureza fica salva no anúncio sobre tua prole; tua virgindade encontra segurança no nome de teu filho, e assim permaneces honesta e íntegra depois do parto” (A virgindade perpétua de Santa Maria)

    São João Damasceno (676 — 749):

    “Tendo levado uma vida casta e santa, engendrastes a jóia da virgindade, aquela que deveria permanecer Virgem antes, durante e depois do parto, a única sempre Virgem de espírito, de alma e de corpo.” (Homilia sobre a Natividade de Maria, 5)

    Poderia acrescer com os santos Papas que defenderam o mesmo nesse período, mas não o farei, dando esse gostinho aos protestantes, evito que venham com mais desculpas.

    Os protestantes também têm sua própria lista, é melhor chamá-la de pretensa lista, de citações de Pais da Igreja. Os citados quando não têm seus textos falseados são os hereges que só, por isso, não merecem nenhuma atenção. Os mencionados são: Santo Irineu, Tertuliano, Santo Eusébio, Santo Epifânio, Hegesipo, Helvídeo, Vigilâncio, Joviniano e Nestório. Conheçamos cada um deles.

    Comecemos com Sto Irineu. Sua citação que encabeça os Pais citados por mim derruba qualquer interpretação contrária a sua virgindade.

    Tertuliano é um caso particular, primeiramente defensor assíduo da fé cristã, depois no fim da vida acaba por se tornar um herege montanista. Santo Agostinho nos informa que Tertuliano, por fim, acaba por fundar uma seita própria, o próprio Santo Agostinho diz ter trazido de volta ao seio da Igreja seus últimos adeptos. [Os Padres da Igreja (séc I – IV) Jacques Liébaert]

    Leiamos, antes, algumas de suas afirmações claramente hereges:

    “O conhecimento e a defesa do Paráclito nos (nós montanistas) separam dos psíquicos (isto é, dos membros da Igreja Oficial)”

    “A Igreja é propriamente e sobretudo o Espírito mesmo, em que reside a Trindade da única divindade, Pai, Filho e Espírito Santo. É ele que reúne essa Igreja que o Senhor estabeleceu nos três. Por isso, desde então, todo grupo de pessoas reunidas nessa fé constitui uma Igreja para o Autor e Consagrador” (Sobre a Castidade XXI,17)

    Agora, sobre a virgindade o texto em questão é o seguinte:

    “Uma Virgem deu à luz Cristo, e casou-se unicamente depois do nascimento deste. Para que fosse possível louvar no nascimento de Cristo os dois tipos de castidade: ser filho de uma mãe virgem que apenas conheceu um homem” (De Monogamia 8)

    Mas pasmem! O mesmo acreditava que Maria perdeu a virgindade ao dar a luz, o que destrói a fé cristã e não passa de uma repetição da desculpa dos judeus para não aceitarem Jesus Cristo:

    “Pariu porque deu à luz um descendente da própria carne; não o deu enquanto não o fez por intervenção humana. Foi virgem com respeito ao marido, mas não com relação ao parto. (…) A mesma que deu à luz o fez verdadeiramente. Foi virgem quanto à concepção, não quanto ao parto. (…) O seio da Virgem abriu-se de modo especial, porque de modo especial havia sido selado” (De Carne Christi 23)

    Definitivamente Tertuliano não é uma boa fonte contra a Igreja e chega ser desonesto usá-lo. Sobre ele São Jerônimo nem perdeu tempo, apenas disse: “De Tertuliano não direi senão que não pertenceu à Igreja.” (A Virgindade Perpétua virgindade de Maria IV, 19)

    Com relação a Santo Eusébio não passa de uma falta de atenção de seus leitores. Não leram sua obra completamente, pegaram trechos isolados e já tiraram a conclusão. Citam as partes onde ele chama Tiago, primo de Jesus ou um dos filhos de José, de irmão do Senhor. Ora, isto não é novo, assim é chamado na própria Bíblia. Na verdade os Pais da Igreja continuaram a identificá-lo como irmão do Senhor, mesmo sabendo que não eram filhos de Maria, preservaram o semitismo que remonta as próprias traduções dos apóstolos. São vários os concílios da Igreja que continuaram a identificar Tiago assim, mesmo já promulgado o dogma da virgindade de Maria. No próprio Concílio de Trento isso é feito. (Cf. 14ª sessão – unção dos enfermos, cap 1). E como prova do que estou falando vejamos o que em outros capítulos de Santo Eusébio é explicado:

    “Então Tiago, a quem os antigos sobrenome o Justo por conta da excelência da sua virtude, é lembrado por ter sido o primeiro a ser feito bispo da igreja de Jerusalém. Este Tiago foi chamado de irmão do Senhor, porque ele era conhecido como um filho de José, e José era suposto ser o pai de Cristo, porque a Virgem, sendo prometida a ele, foi encontrada com o filho pelo Espírito Santo antes de chegarem juntos, Mateus 1:18 como a conta dos shows santos Evangelhos”. (HE III 1,2)

    Vemos aí que Sto. Eusébio relata que Tiago era conhecido como um filho de José, só José. Se achasse que fosse filho de Maria seria inútil sua explicação. Ele segue uma antiga tradição que encontramos, inclusive, no Proto-Evangelho de Tiago do ano 150.

    Eusébio citando Clemente escreve:

    “Clemente, no livro VI das Hypotyposeis, adiciona o seguinte: “Porque -dizem – depois da ascensão do Salvador, Pedro, Tiago e João, mesmo tendo sido os preferidos do Salvador, não tomaram para si esta honra, mas elegeram como bispo de Jerusalém Tiago o Justo.”

    E o mesmo autor, no livro VII da mesma obra, diz ainda sobre ele o que segue:

    “O Senhor, depois de sua ascensão, fez entrega do conhecimento a Tiago o Justo, a João e a Pedro, e estes o transmitiram aos demais apóstolos, e os apóstolos aos setenta, um dos quais era Barnabé.

    Houve dois Tiagos: um, o Justo, que foi lançado do pináculo do templo e morto a golpes com um bastão; e o outro, o que foi decapitado.” Também Paulo menciona Tiago o Justo quando escreve: Outro apóstolo não vi além de Tiago, o irmão do Senhor.” (HE II, 1)

    Nesta, cita um Pai da Igreja, que identifica Tiago como irmão do Senhor, mesmo deixando claro que esse é um dos apóstolos. Os dois apóstolos chamados Tiago na Bíblia não são filhos de Maria, mãe de Jesus, um é filho de Zebedeu, o Tiago maior, enquanto o outro de Alfeu, o Tiago menor, que provavelmente era filho de Maria de Cléofas.

    Então, ao contrário do que uma leitura superficial e isolada de seus escritos pode deixar parecer, ele acreditava na virgindade perpétua de Maria.

    Santo Epifânio, é mais um em que as citações acima não deixam dúvidas.

    Seguindo para Hegésipo, o trecho em questão é este:

    “Da família do Senhor ainda estão vivos os netos de Judas, que acredita-se que tenha sido irmão do Senhor pela carne..”

    Podemos tirar disso apenas que Judas era dito irmão do Senhor pela carne, nada mais.

    Ao trecho as seguintes formas de respostas seriam satisfatórias:

    1. Os que acreditavam nisso eram os acusadores. Nada impede que os acusadores de Judas, que pelo o que parece não eram cristãos, acreditassem que Jesus era filho de José e de Maria, pois se não eram cristãos não tinham porque crer em sua virgindade mesmo no parto.

    2. É dito irmão do Senhor pela carne não de Maria, mas de Davi. Eusébio, realmente, diz que acusavam Judas “com base em sua linhagem vinda de Davi e sua relação com o próprio Cristo” (HE III, 19) E Hegésipo no mesmo registro acrescenta: “Foram passadas informações de que eles seriam da família de Davi e eles foram levados até o imperador Domiciano pelo Evocatus…”

    3. O uso de irmão deve ser levado em conta segundo o semitismo usado, e a ênfase “em carne”, para mostrar que não era irmão do Senhor segundo o espírito apenas. Como foi dito: “E se deve ver um estranho, que o levou sob o seu teto e se alegram por ele como mais um irmão de verdade, porque lhes chamar irmãos, não segundo a carne, mas segundo a alma.” (Aristides, desculpa 15,6, escrevendo aos cristãos). Um exemplo do uso é quando Jesus é dito filho de Davi ou descendente segundo a carne, isto não quer dizer que seja direto, mas segundo a carne de Maria. Assim como nos explica Tertuliano:

    “Sed et Paulus, eiusdem utpote evangelii et discipulus et al magister testículo quia apostolus eiusdem Christi, confirmat Christum ex Semine secundum carnem David, ipsius Utique. ergo ex Semine David caro Christi. sed secundum carnem Mariae ex Semine David, ergo est Mariae ex carne dum est Semine ex Davi.” (Na carne de Cristo 22,3)

    O fato do acréscimo “da carne” não significa muito. O próprio Concílio Quinissexto de 692 identifica Tiago, outro irmão apontado pelos protestantes, de forma parecida: “Pois também Tiago, o irmão, segundo a carne, de Cristo nosso Deus, a quem o trono da igreja de Jerusalém primeira foi confiada, e Basílio, o arcebispo da Igreja de Cesaréia, cuja glória se espalhou por todo o mundo, quando nos deu instruções para o sacrifício místico, por escrito, declarou que o Santo Cálice está consagrado na Divina Liturgia com água e vinho.” (CÂNON XXXII) Só como curiosidade, esta é a mais antiga referência explícita à liturgia de Tiago que diz: “Fazemos memória de nossa Santíssima, Imaculada, e gloriosíssima Senhora Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem”. A terceira alternativa me parece mais óbvia.

    O próximo é Helvídeo, que fundamentado num herege, Tertuliano, numa interpretação literal da Bíblia e por mal interpretar outro Pai da Igreja, negou a virgindade de Maria. São Jerônimo fez uma bela refutação às suas tentativas frustradas. Vale a pena a leitura, que dispensa meus comentários.

    Sigo para Vigilâncio, que também não tinha um bom currículo. É outro que foi refutado por S. Jerônimo. Entre suas heresias, além da de negar a virgindade perpétua de Maria, cita-se:

    1. Era contra o culto aos mortos.

    2. Pensava que os mortos dormiam ao que levou S. Jerônimo a chamá-lo de “Dormilâncio” (cF. Contra Vigilâncio CAP II)

    3. Chamava as velas de insignificantes.

    4. Sobre as relíquias dos mártires diz: “um pouco de pó miserável, envolto em panos caros”

    5. Usava como fonte doutrinal um livro apócrifo, que não era recebido, obviamente, pela Igreja.

    Enfim, é outro que não merece nenhuma consideração.

    O Outro é Joviniano, que não por coincidência era outro herege. Entre suas crenças podemos trazer:

    1. Uma virgem não é melhor aos olhos de Deus do que uma mulher casada.

    2. Uma pessoa batizada com o Espírito Santo não pode cair no pecado. Sobre isso diz: “os que com plena certeza de fé que nasceram de novo no batismo, não pode ser derrubado pelo diabo.”

    3. Todos os pecados são iguais.

    4. Há apenas um grau de punição e recompensa no futuro estado.

    Esse herege foi condenado pelo sínodo de Roma, sob Papa Sirício e pelo sínodo de Milão, convocado por Santo Ambrósio.

    Tempos depois ele ainda é lembrado por Santo Ildefonso de Toledo: “Não quero ver-te [Joviniano] questionar sobre o pudor de nossa Virgem no parto, não quero ver-te corromper a sua integridade na geração; não quero saber violada sua virgindade no momento em que deu à luz. Não lhe negues a maternidade porque foi virgem; não a prives da plena glória da virgindade, porque foi mãe. Se uma dessas coisas tu confundes, em tudo erraste. Desconhecer a harmonia que as une é ignorar por completa a verdade que encerram. Se não pensas assim estas errado, pecas contra a justiça. Se negas à Virgem sua maternidade ou sua virgindade, injurias grandemente a Deus.” (Patrologia Latina 96,58, 617-667 d. C.).

    O próximo é Bonoso, herege, que teve suas obras condenadas pelo Decreto Gelasiano e foi condenado por um sínodo de Sto. Ambrósio. Suspeita-se ainda que o mesmo negava a divindade de Cristo, pois seus seguidores negavam esse dogma. Sobre ele, Anísio, bispo de Tessalônica, escreve ao Papa Sirício, indignado por sua descrença na virgindade de Maria, ao que o Papa responde:

    “É natural que tenha sentido horror ao ouvir dizer que do ventre de Maria, do qual nasceu Cristo segundo a carne, tenham nascido outros filhos. Jesus Cristo não teria escolhido nascer de uma virgem se soubesse que ela se contaminaria por meio da união com um homem, manchando o lugar onde Ele havia repousado, a corte do Rei Eterno. Esta afirmação nada mais é do que a aceitação da falsa doutrina judia, segundo a qual Cristo não nasceu de uma virgem”.

    Resta-nos Nestório. Ele além de negar sua virgindade perpétua, negava sua maternidade divina. Acreditava que em Cristo havia duas pessoas distintas, uma humana e outra divina, completamente independentes uma da outra. Ele foi condenado como herege pelo concílio de Éfeso em 431. O primeiro a acusá-lo de heresia foi um leigo, Eusébio de Doriléia, mas seu combatente mais assíduo foi São Cirilo.

    Vemos que os apontados pelos protestantes dos ortodoxos tira-se todos, obviamente, sobrando os hereges condenados pela santa Igreja pela negação da virgindade de Maria e por outras heresias. Notamos que quando esses se pronunciaram foram duramente repreendidos pelos bispos em sua época e condenados. Nenhum deles diz estar falando o que os antigos Pais criam, ao contrário, do que Sto. Ambrósio, Sto. Agostinho, etc. faziam como referência. E não há de se comparar o número de Pais da Igreja que defendiam sua virgindade com algumas vozes hereges que de tempos em tempos foram aparecendo de forma isolada. Os hereges que faziam tal injúria sabiam que eram vozes a ermo na Igreja. Fundamentavam-se apenas numa leitura fundamentalista da Bíblia e, por vezes, por outros hereges. Essa cadeia de acusações nunca terá fim com a existência de heresias, mas nunca poderá ser embasada pela Sagrada Tradição. Lembrem-se os protestantes que todas essas seitas com suas heresias foram aos poucos caindo, só quem ficou foi a Igreja Católica e a integridade de sua doutrina, a que ficará “até o fim dos tempos.” (Mt 28, 20)

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      OLHA ROBERTHA EU VOU MOSTRAR AQUI NESTE ESTUDO REGISTROS E DOCUMENTOSS DE ALGUMAS TESTEMUNHAS OCULARES QUE FAZEM REFERÊNCIAS AS OBRAS DE SÃO DIONÍSIO O AREOPAGITA MORTO NO ANO 96 DA ERA CRISTÃ MUITO ANTES DO PSEUDO DIONÍSIO DE AREOPAGITA NASCER NO FINAL DO SÉCULO 5!
      //////
      POR ISSO ROBERTHA NÃO O CONFUNDA COM O PSEUDO-DIONÍSIO O AREOPAGOITA DO FINAL DO SÉCULO V.

      VOU TI AQUI ALGUMAS TESTEMUNHAS OCULARES QUE FAZEM REFERÊNCIAS AS OBRAS DE SÃO DIONÍSIO O AREOPAGITA DO PRIMEIRO SÉCULO BEM ANTES DO PSEUDO DIONÍSIO SURGIR NO SÉCULO 5.
      RESUMINDO ROBERTHA AS OBRAS DE SÃO DIONÍSIO DO SÉCULO 1
      JÁ ERA TESTIFICADA POR VÁRIOS PADRES DE IGREJA COMO POR TODOS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS MUITO ANTES DE NASCER O PSEUDO DIONÍSIO DO SÉCULO 5.
      /
      VAMOS LÁ
      Flávio Lúcio Dextro (em latim: Flavius Lucius Dexter) foi um historiador do século IV d.C. e amigo de São Jerônimo .Ele era filho de São Paciano, um servidor do Império Romano.
      A ele foi dedicada a obra De Viris Illustribus, de Jerônimo.
      E mais Dexter era um amigo de são Jerônimo. Como o mesmo São Jerônimo se dirige a ele como “amicus filius”, e descreve-o como “clarus apud saeculum et Christi fidei deditus”.
      /
      E MAIS ROBERTHA SAIBA QUE SÃO JERÔNIMO NASCEU EM 347 E MORREU EM 420 COM 73 ANOS
      AGORA ELE É UMA TESTEMUNHA OCULAR DAS OBRAS DE SÃO DIONÍSIO POIS
      QUANDO ELE CITA AS OBRAS DE SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA DO SÉCULO 1.
      AINDA NÃO EXISTIA O AUTOR QUE USAVA O PSEUDO DO NOME DE SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA DO QUE SURGIU NO FINAL DO SÉCULO 5.
      //////////////
      AGORA ROBERTHA
      VAMOS AOS FATOS OCORRIDOS ANTES DO PSEUDO DIONÍSIO APARECER AO MUNDO:
      Dexter se tornou prefeito da Oriental Guardas Pretorian, e foi um dos estadistas mais ilustres do seu tempo. Ele residiu dois anos em Toledo. Dos arquivos da Igreja de Toledo e outras cidades, ele compilou uma crônica a partir do 1 dC a 430 dC, dando um breve resumo dos acontecimentos da Igreja na Espanha.
      //
      E mais essa crônica dedicou a Jerônimo, que, inscrita tanto Chronicle e autor, entre seus “homens ilustres.” E outra foi a pedido de Dexter que Jerome escreveu seu livro sobre escritores eclesiásticos. Entre os primeiros bispos de Toledo, saiba também que Dexter descreve um homem notável, Marcellus —-, —- sobrenome Eugênio, por conta de sua origem nobre.
      //
      E outra ROBERTHA está nas testemunhas oculares e nos livros de patrística e história que Mar-cellus foi consagrado Bispo por Dionísio, o Areo-pagite em Áries, e foi enviado para Toledo. Agora existem os registros de Dexter que mostra que Dionísio dedicou os livros dos Nomes Divinos para ele, uc 851, AD 98.
      //
      AGORA POLÍCRATES FOI UM BISPO DE ÉFESO NASCIDO NO ANO 125 DA ERA CRISTÃ E MORTO EM 196 AOS 71 ANOS
      diz que Timóteo, bispo de Éfeso, para quem as obras de Dionísio foram originalmente dedicada, foi martirizado durante o reinado de Nerva, AD 96-97.
      //
      Agora vamos encontrá-lo chamando o amigo Marcelo, Timóteo, e apresentar os livros dos “Nomes Divinos” para ele, AD 98, a fim de que ele pode ainda ter uma Timothy na terra, —- “em vivis” —- embora sua primeira Timóteo, “migravit ad Christum,” AD 97.
      Este é toque da natureza, que está preservada em uma crônica, escrito há mais de 1.400 anos atrás, por um estadista ilustre, por isso existem milhares de prova de que a obra “Divina Nomes “foram escritos anterior a 98 dC.
      //////////////////////
      VAMOS LÁ:
      Jerome nos informa (Scr. Eclesiastes 46). Que Pantaenus morto no ano 200 da era cristã , foi um dos mais célebres filósofos cristãos de Alexandria, e que foi enviado, AD 193, por Demétrio, bispo daquela cidade, para a Índia, a pedido de um | xiii delegação Índia para essa finalidade.
      //
      E está registrado na história e na patrística dos padres da igreja de que Pantaenus encontrou uma cópia do hebraico do Evangelho de São Mateus, na Índia. Agora, pelo extrato, contida no Scholia de Maximus, do Scholia de Dionísio de Alexandria morto no ano 265 da era cristã que possuem os nomes divinos da obra de São Dionísio de areopagita morto no ano 96 da era cristã.
      E MAIS ROBERTHA
      É também pelo extracto de uma carta do mesmo Dionísio, descobertos recentemente no Museu Britânico 6 (n º s . 12.151-2),em que sabemos que os escritos de Dionísio, o Areopagita eram conhecidos e apreciados em Alexandria alguns anos após a morte de Pantaenus no ano 200 da era cristã. Então podemos razoavelmente duvidar de que Pantaenus levou os escritos de Dionísio, e as obras mais abstratas de Hierotheus, para a Índia?
      ///////////////////
      AGORA ROBERTHA VAMOS A ALGUMAS FONTES

      Prefácio à “nomes divinos”. XV

      Bivarius diz que ele era da casa e família de
      César, sendo tio do Imperador Adriano. Mar-
      cellus foi consagrado Bispo por Dionísio, o Areo-
      pagite em Áries, e enviado para Toledo. Os registros de Dexter mostram que Dionísio dedicou o livros dos Nomes Divinos para ele, UC 851, AD 98.
      //

      VEJA MINHA AMIGA ROBERTHA ISSO É PATRÍSTICA E HISTÓRIA COM TESTEMUNHAS OCULARES…

      São Polícrates de Éfeso FOI UM Bispo de Éfeso Nascimentoca. 125Morteca. 196 (morreu com 71 anos
      VEJA
      ROBERTHA

      Que Polícrates, bispo de Éfeso, diz
      que Timóteo, bispo de Éfeso, a quem as
      obras de Dionísio foram originalmente dedicado, foi
      martirizado durante o reinado de Nerva, AD 96-97.
      //
      Agora a partir de Patmos, vamos encontrá-lo chamando
      seu amigo Marcelo, Timóteo, e apresentar o
      livros dos “Nomes Divinos” para ele, AD 98,
      “ad migravit
      Christum, “AD 97. Prefácio à “nomes divinos. Xlll
      ///////////
      AGORA ROBERTHA EXISTEM NOS REGISTROS CRONOLÓGICOS QUE..
      Quando a delegação saiu para a Índia.
      Pantaenus viu em sua chegada, que São Bartolomeu (um
      dos doze) pregou a vinda de Jesus Cristo, naquele país.
      Emais ROBERTHA… Pantaenus encontrou uma cópia do
      hebraico do Evangelho de São Mateus, na Índia. Agora,
      pelo extrato, contida no Scholia de Maximus,
      do Scholia de Dionísio de Alexandria (250)
      sobre os nomes divinos, e é também pelo extrato
      a partir de uma carta do mesmo Dionísio, que recentemente diz
      coberto no British Museum f (n º s 12151-2),
      //
      EU TI ASSEGURO ROBERTHA
      Que os escritos de Dionísio, o Areopagita eram conhecidos e apreciados em Alexandria
      poucos anos depois da morte de Pantsenus no ano 200 da era cristã.
      //////////
      AGORA ROBERTHA VEJA
      MAIS REFERÊNCIAS

      Só no Museu Britânico há cerca de 30 edições, e 40 tratados, com várias testemunhas oculares com fatos verídicos da época dos fatos que testemunham as obras de São Dionísio de Areopagita e do Hierotheus todos do primeiro século da era cristã.
      //
      REFERÊNCIAS
      Bibliothèque Nationale, Paris, Edições 12. Avignon, 16 edições,entre 1498 e 1600. Leyden, superb MSS. scholia, 15

      /////////

      SAIBA TAMBÉM ROBERTHA QUE…
      O Hieromártir Hierotheus, Foi primeiro Bispo de Atenas, era um membro dos Areópago ateniense e foi convertido a Cristo pelo apóstolo Paulo, juntamente com São Dionísio, o Areopagita
      /////////
      SAIBA ROBERTHA QUE
      Existem três passagens importantes na obra “De divinis nominibus”, onde Dionísio fala de Hierotheus como seu mestre e guia,
      /////////
      E MAIS… ROBERTHA
      Saiba que os escritos de Hierotheus são quase tão autoritário como os livros inspirados da Bíblia. Duas de suas obras ostenta o título (bastante estranho à Era Apostólica) “Esboços de Teologia” ( Theologikai stoicheioseis ) e “Hinos de Amor” (erotikoi umnoi ). É um trecho de vinte e sete linhas do trabalho anterior.
      E MAIS… ROBERTHA
      São Lucas registra a conversão em Atenas
      de certos homens ilustres, e escolhe um deles pelo nome –
      Dionísio, o Areopagita. Assim, ele marca Dionísio como pré eminentemente distinguidos.
      //

      Agora Hierotheus foi, provavelmente, um dos homens ilustres. Ele era um Areopagita, como Dionísio. E como
      Dionísio foi enviado para a Gália, Hierotheus foi enviado para a Espanha. Ele se estabeleceu definitivamente em Segovia, ad 69.
      1 E ^ c. Hier., Cv, s. 5, c. vi., Mysterion. ^ Eclesiastes. Hier., C vii, Mysterion.
      <Episcopus aplica-se a ^ Hierarches govemamentais externos à administração espiritual.

      <Halloix Life of Hierotheus.

      ///////////////
      VOU TI MOSTRAR ROBERTHA ALGUMAS REFERÊNCIAS HISTÓRICAS:
      Dionísio acrescenta três breves citações da segunda obra da Hierotheus. Eles tratam da definição do amor e das gradações dos poderes do amor (erotes) e sua redução a um princípio supremo do amor.
      Idéias neo-platônicas, tomadas, por exemplo, a partir de Proclus (Cousin ed. de 1864; cf "Instit theol..", Passim;. "Eu Aleib.", P 325;. "… Theol Plat", p 132) e outros, aparecem ao longo e fundir-se com outros pensamentos desenvolvidos pelo próprio Dionísio.
      Há, portanto, uma forte suspeita de que os referidos dois trabalhos não existem, e que o seu suposto autor, Hierotheus, é idêntica à Dionísio.
      ///////////
      OUTRAS REFERÊNCIAS
      Existe um episódio marcante da vida de Hierotheus, que está relacionado em "De div. Nom.", Iii, 2 que nos mostra Hierotheus, com os Apóstolos Pedro e Tiago e "muitos irmãos abençoados", reunidos em torno do corpo sagrado da Mãe de Deus.
      //
      E MAIS… ROBERTHA
      Há, no Vaticano, uma carta em latim de Dionísio a São Paulo, no qual ele fala da beleza da bem-aventurada Virgem, sem dúvida, como pode ser visto na morte.
      ////////////
      E MAIS… Há uma outra na Bibliothèque Nationale, Paris, onde existe uma autobiografia em Sírio, na qual é afirmado que quando St. Paul descreveu a crucificação em seu discurso em Atenas, Dionísio enviado para buscar suas notas, é feito no Egito, a qual foi lida publicamente e encontra-se de acordo com St Paulo, tanto quanto a dia e hora. Ele diz, a visita de São Paulo a Atenas foi 14 anos depois da escuridão no Egito, o que colocaria a conversão de Dionísio em AD 44.
      ///////////////////
      MAIS PATRÍSTICA ROBERTHA APRENDA QUE A ESCOLA ALEXANDRINE.tornou-se a casa da filosofia cristã, mas Atenas era sualocal de nascimento. Pantaenus e Amônio-Saccus foram principais fundadores da
      Escola Alexandrina. Ambos eram cristãos. Ambos chamou o ensino da Palavra de Deus ", a fonte da sabedoria", e dos
      escritos de Hierotheus, e Dionísio, o Areopagita – Bispos
      Atenas.
      /////////
      E MAIS ROBERTHA SAIBA QUE…
      Pantaenus nasceu em Atenas, ad 120, e morreu em Alexandria, ad 213. Ele era grego por nacionalidade, e Presbítero da Igreja,Alexandria por vocação. Primeiro, estóico, depois de Pitágoras, ele se tornou cristão algum tempo antes de ad 186, data em que foi nomeado instrutor-chefe do Didaskeleion, por Demétrio, Bispo de Alexandria.
      ////////
      E MAIS ROBERTHA
      Eusébio diz que "Pantænus expôs os tesouros do Divino dogma preservada direta, como de pai para filho, de São Paulo e outros Apóstolos.
      //

      Phptius registros que Pantaenus foi aluno de quem teve visto os Apóstolos, agora, se Pantaenus foi aluno de quem tinha visto os Apóstolos, e ainda, não ouviu seu ensino oral,
      É natural inferir que ele era aluno através de seus escritos. Eu sou um aluno.
      //

      Agora existem , até hoje, muitos dos escritos de dois presbíteros que tinham visto os Apóstolos – É através de St. Paul, — cujos escritos contêm os tesouros do Divino dogmas, que recebeu de São Paulo e dos outros apóstolos.
      //
      Enfim aqueles dois são os presbíteros Hierotheus e Dionísio, o Areopagita, ambos ordenados Bispo de Atenas por São Paulo. Dionísio, o Areopagita chama expressamente,
      São Paulo de seu "iniciador chefe", e como tal, dá seu ensinamento sobre os Santos Anjos, no sexto capítulo da Hierarquia Celestial, e freqüentemente descreve São Paulo como seu "instrutor-chefe."
      //
      ROBERTHA EU TI DIGO SEGURAMENTE:
      Que podemos provar que os escritos de Dionísio já existia antes DO PSEUDO AREOPAGITA DO SÉCULO 5 e mais eles eram conhecidos em Alexandria, quando Pantaenus fazia as suas palestras naquela cidade,
      //////////
      ROBERTHA Eu posso razoavelmente e facilmente concluir que Pantaenus saberia, e sabendo, usaria, os escritos de são Dionísio de Areopagita como referências como ele seguramente fez.
      ////////////
      POIS…
      Dionísio foi discípulo de São Paulo, e piedosamente
      governou a Igreja de Atenas. "
      E outra prova é certa pois Roma trocara cartas alguns anos após a morte de Pantaenus no ano 200 da era cristã,
      e apenas sete anos depois da morte de Amônio, e nessas cartas
      afirmam claramente que os escritos é sem dúvida, escrito por Dionísio, o Areopagita, por isso para qual quer racionalista seria o cúmulo do absurdo afirmar que tais escritos eram desconhecidos de Pantaenus e Amônio isso seria uma piada ou inveja e descontento.
      //

      E mas nós não precisamos basear nossa prova em mera suposição. Pois Routh dá dois fragmentos de Pantaenus.
      O segundo é um eco distinto de Dionísio. Em Nomes Divinos Dionísio discute como Deus Todo-Poderoso sabe coisas existentes, e explica o texto: "Ele, conhecendo todas as coisas antes seu nascimento.
      //

      Como prova de que" não como aprender coisas existentes de
      coisas existentes, mas a partir de si mesmo, e em si mesmo, como causa, o Divino ser pré-reserva e pré-compreende as noções e essência de todas as coisas, não se aproximando cada várias coisas de acordo com sua espécie, mas conhecer e contendo todas as coisas dentro de uma compreensão da causa.
      ///
      Assim Deus Todo-Poderoso sabe das coisas existentes, e não por um conhecimento de existir coisas, mas por que de si mesmo. "Dionísio, falando de criação, declara que as vontades divinas e boa de Deus Todo-Poderoso definir e produzir coisas existentes.
      ///
      Agora em Teologia Mística, c. V., Dionísio diz: "Deus Todo-Poderoso não sabe coisas existentes, que já existentes. "O ensino de Amônio-Saccus é o mesmo; Amônio usa a palavra boulema, Dionísio e Pantaenus, thelemata, de Deus, como fonte de criação.
      ///////////////////////
      OLHA ROBERTHA
      Embora os fragmentos conhecidos de Pantenus são poucos
      Possuímos escritos abundantes de dois alunos dele, que são Clemente de Alexandria nascido no ano 150 da era cristã.
      //
      E de Orígenes nascido no ano 185 da era cristã.
      De que possamos reunir o ensino de seu mestre. Clemente fala de Pantaenus como seu "grande instrutor e colaborador". Tal é a semelhança entre os escritos de Clemente e Dionísio, que alguns se arriscou a conjectura de que o filósofo Clemente, citado por Dionísio, foi o Clemente de Alexandria nascido no ano 150 em Atenas e morto no ano 215 na Palestina

      Vou da apenas umas familiarizadas ilustrações.
      //
      Clemente escreve: "Como, então, aqueles que montam a âncora no mar, arraste a âncora, mas não arrastá-lo para si, mas se a âncora, assim, aqueles que são atraídos para Deus na vida gnóstico, encontrar-se, inconscientemente, levado a Deus ". Dionísio, DN, c. III. s. 1,
      diz ", ou, como se depois de ter embarcado em navio, e estão segurando o cabo, ligado a alguma rocha, nós não chamar a rocha para nós mesmos, e o navio, para o rock.
      ///
      E MAIS… ROBERTHA
      Orígenes confessou que Pantaenus era seu superior na filosofia das escolas, e que ele moldou o seu ensinamento sobre o modelo de Pantaenus.
      //
      Agora eu ti pergunto ROBERTHA ? Será que os escritos de Orígenes contem o carimbo de Dionísio e Hierotheus?
      CLARO QUE SIM.
      //
      AGORA…
      Para mostrar que Orígenes conhecia as obras de Hierotheus, damos um extrato a partir de sua carta aos Gregory: "Será que você pode tanto participar e aumentar continuamente a esta parte, de modo que você não possa apenas dizer que somos
      participantes de Cristo ", mas também participantes de Deus."
      //
      ROBERTHA saiba que Papias nasceu no ano 70 da era cristã e foi Bispo de Hierápolis (fragmento V.) Ele diz, que os presbíteros, e os discípulos dos Apóstolos, que gradação e o método daqueles que são salvos, e que eles avançam através de passos dessa natureza e que, além disso, eles sobem pelo Espírito ao Filho, e através do Filho para o Pai, e que, no devido tempo, o Filho dará o Seu trabalhar para o Pai.
      E que os presbíteros, e os discípulos dos Apóstolos foram, aqui podemos reunir a partir dos três últimos capítulos do "Livro de Hierotheus [149] ", em que a mesma doutrina é ensinada.
      //
      VEJA: ROBERTHA
      Aqui é, uma inferência legítima, que, quando Fócio diz que "
      Pantaenus foi aluno dos presbíteros que tinham visto os Apóstolos ", ele designado Hierotheus e Dionísio, o Areopagita, geralmente conhecido com esse título?
      //

      Amônio Sacas, (lat: Ammonius Saccas), (175 — 242) foi um grande filósofo grego deAlexandria, considerado como o fundador da escola neoplatônica. De origem simples, ele ganhava a vida como carregador; seu apelido era "carregador de sacos", em gregos akkas ou sakkoforos.
      E ele morreu naquela mesma cidade.
      //
      Anastácio Sinaita o chama de "o Sábio", e Hierocles ", o ensinado de Deus. "Além de ser famoso por suas exposições da Sagrada Escritura, ele escreveu o "Diatesseron", ou "Harmonia dos Evangelhos", contida no Bib. Patrum. Em ad 236, ele escreveu o acordo entre Moisés e Jesus.
      //
      Pressensé lindamente descreve como um homem que desejava acreditar e saber – para adorar e compreender – conciliar a filosofia grega com os Mistérios do Oriente. Ele escreveu um comentário sobre os versos de ouro de Pitágoras,que Hiérocles publicado, bem como as suas outras obras reproduzida.
      //////
      RESUMINDO ROBERTHA
      Os títulos de seus livros, mencionados por Fócio, como "Providence" e"Livre Arbítrio",que lembram as dos livros perdidos de Dionísio, do qual nós temos apenas um resumo de suas obras mais conhecidas. (Cód. 251-214).
      ///////////////////
      E MAIS ROBERTHA DIZEM AS TESTEMUNHAS OCULARES QUE
      Dionísio estava em débito com Hierotheus – E Amônio chamou de Dionísio. Isso nós farão, não como poderíamos, por suas obras, como descrito por Fócio, mas a partir de Plotino, seu discípulo, isso é para que possamos ter a prova vigente.
      //
      Plotino (em grego: Πλωτῖνος; Licopólis, 205 – Egito, 270) foi um filósofo neoplatônico, autor de Enéadas, discípulo de Amônio Sacas por onze anos e mestre de Porfírio.
      morreu em Campagna, ele começou a procurar a verdade, nas escolas de Alexandria. Ele vagou de professor para professor, mas não conseguiu encontrar nenhum descanso até que ele foi persuadido a ir e ouvir Amônio-Saccus. Depois de ouvir ele, ele exclamou: "Isto é o que eu buscava."
      //

      "Dionísio fala de o "Pai", como única fonte de Deus, e diz que "a divindade seja inalterada pelos dons transmitidos. "no cap. XII. dos Nomes Divinos,Dionísio trata de "One" e "Perfect", quando aplicado a Deus Todo-Poderoso.
      //
      Mas a grande prova suprema de que Dionísio era a fonte a partir da qual a Escola Alexandrine atraiu grande parte da sua sabedoria, é Proclus (450-485).
      //

      Suidas afirmou há muito tempo que Proclo por passagens inteiras plagiou Dionísio. Professor Stiglmayr enche sete páginas com paralelas passagens.
      //

      EU TI PERGUNTO ROBERTHA
      Quais os escritos que apareceram pela primeira vez? essa é a questão. Pois Dexter comemora o "Nomes Divinos" ad 98 [150]. Agora São Jeronimo em citações citam eles como "quidam Graecorum". Agora Dionísio de Alexandria (250 dC), escrevendo para Sisto II., declara que ninguém pode duvidar de que a inteligência dos escritos são os de Dionísio, o convertido de St. Paul, Bispo de Atenas.

      //
      E MAIS ROBERTHA

      Tertuliano, expressa a Agnosia "nihil scire omnia scire"
      //
      Orígenes cita-o pelo nome. Theodore respostas (ad 420) objeções, – a quem Photius aprovado.
      //

      Gregory chama Dionísio "um antigo Pai e venerável. "Agora o Concílio de Nicéia, cita muito as palavras, contidas na "hierarquia eclesiástica", c. I. s. 4, com a aqueles dos grandes Dionísio.
      //
      O Bispo Pearson prova que o melhor juízes em sexto, quinto, quarto e terceiro séculos, considerado os escritos como está escrito: por Dionísio, o Areopagita.
      //
      E MAIS ROBERTHA Estudiosos alemães admitem que o testemunho externo é em favor de sua genuinidade das obras de São Dionísio o Areopagita pois é burrice ou racionalismo contestar o que se prova .
      ///
      E MAIS… ROBERTHA JÁ NO TERCEIRO SÉCULO MUITO ANTES DE SURGIR O PSEUDO DE DIONÍSIO.
      – Anastácio de Antioquia e Maximus o mártir, ambos afirmam que Dionísio, o famoso bispo de Alexandria, escreveu scholia sobre as obras de Dionísio, o Areopagita.
      SÓ COM ESSA AFIRMAÇÃO JÁ CAI POR TERRA TODAS AS BABOSEIRAS DE QUAL QUER RACIONALISTA QUE AFIRMA QUE SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA NÃO FOI ESCRITOR.
      /////////////
      E VAMOS PARA MAIS REFUTAÇÕES VAMOS LÁ:
      Maximus, em seu comentário sobre o quinto capítulo Hierarquia Celestial ", ao falar sobre a palavra ova-iat ^
      aplicada nesse capítulo ao Santos Anjos, diz: "Ao grande
      Dionísio, o bispo de Alexandria, que tinha sido um retórico,
      no scholia que ele fez sobre o abençoado Dionísio.
      //
      1 Dionysiiis era descendente de Jónico príncipe que primeiro plantou a vinha – em Zante – e ensinou o uso do vinho. Daí o nome Dionísio. – Doublet.

      * Ler Ant Ed., Vol 3, 390-6 e p. 45a * p. 452. <I VOL, p. 70.

      AGORA ROBERTHA
      Dionísio de Alexandria no final do século 2, e Maximus do século 3 como o Concílio de Nicéia, aceitam-os como verdadeiras obras de Dipnysius.

      ROBERTHA ISSO SÃO FATOS VERÍDICOS
      OLHA AGORA VOU COLOCAR AGORA ALGUMAS NOTAS

      Amelius foi um( do grego : Ἀμέλιος ), cujo nome de família era Gentilianus, ele foi um neoplatônico filósofo e escritor da segunda metade do século 3. Ele era um nativo da Toscana . Ele foi um estudioso das obras de Numênio de Apamea
      Ele também testemunha a mesma coisa!
      //
      Agora afirmamos que o testemunho destes homens ilustres, e os extratos de Pantaenus, e do Amônio de Alexandria do terceiro século. E dos seus discípulos, justificam a conclusão de que a Escola Alexandrina era bíblica, cristã e filosófica, e que sua filosofia era uma filosofia divina da fé, e que as principais fontes do Divino Filosofia de seus escritos foram os de Hierotheus e Dionísio, os Bispos de Atenas.
      ////////////
      AGORA ALGUMAS NOTAS
      Para esboço da Vida, e Evidencia Interna da data e externo Testemunho a autenticidade durante os primeiros nove séculos, consulte "Celestial e
      Hierarquia eclesiástica. "(Skeffington, 2s. 6d).
      ________________________________________________________
      OLHA ROBERTHA ESSE ESTUDO QUE AQUI
      FIZ É SÓ UM PEDACINHO DOS ESTUDOS QUE PROVA FACILMENTE QUE SÃO DIONÍSIO O AREOPAGITA REALMENTE FOI ESCRITOR E QUE O PSEUDO DIONÍSIO FOI UM CHARLATÃO
      [148] c. 140.

      [149] Br. Mus. (Ad. Rich. 7.189)

      [150] De Tabularia de Toledo, ad 98.

      Curtir

  5. EDMILSON disse:

    Para se conhecer bem quem é Maria, precisamos ver quem foi Eva, a primeira mulher.

    Que a Virgem Maria é a segunda Eva, nos é revelado pelos apóstolos João e Paulo. Basta comprovarmos as seguintes passagens: (Gênesis 3,15) (João 2,4) (Gálatas 4,4) e (Apocalipse 12,1). Vamos agora mostrar que a Virgem Maria, é a segunda Eva. A primeira mulher ouvindo ao demônio (anjo caído), disse não a Deus, trazendo o pecado e a morte a humanidade. A Virgem Maria ouvindo ao anjo de Deus, disse sim a Deus, concebeu e deu a luz a Cristo, vencendo o demônio, trazendo para nós a graça e a vida.

    Eva foi desobediente, não teve fé em Deus. A Virgem Maria foi obediente, cheia de fé. Eva é a mãe da nossa natureza pecaminosa, e a Virgem Santíssima, é a mãe da vida na graça. Nossa Senhora restituiu-nos o que Eva perdeu. Portanto Eva á a mulher vencida e a Virgem Maria, é a mulher vencedora (Gênesis 3,15) comparado com Apocalipse 12). Como Eva estava sujeita a Adão, a Virgem Maria está sujeita a Cristo.

    E assim como por uma virgem caiu o gênero humano no cativeiro da morte, assim também foi salvo por uma virgem; porque a desobediência virginal, foi compensada em contrapartida por uma obediência virginal.

    Reparemos bem que a palavra “mulher” em (João 2,4; 19,26) (Gálatas 4,4) e (Apocalipse 12,1), simboliza a mulher de (Gênesis 3,15). A palavra mulher refere-se à Virgem Maria, a mãe do Messias. A palavra mulher é um título bíblico da Virgem Maria, assim como Jesus foi chamado o Filho do Homem pelo profeta Daniel.

    Lembrem-se de (Gênesis 3,15) e (Apocalipse 12), da grande batalha. A geração da serpente, o demônio infernal não chama a mãe de Deus de bem-aventurada, mas procura ferir o seu calcanhar, isto é, diminuir sua grandeza. Há pessoas que dizem que ela é uma mulher como outra . O diabo não combate a Cristo, pois sabe que ele é deus. Combate sua mãe, que foi o meio que o trouxe a Terra.

    A única mulher que pode olhar para seu filho, nosso Senhor Jesus Cristo e dizer: “carne da minha carne, sangue do meu sangue, ossos dos meus ossos”.

    Ela que é a filha de Deus Pai, mãe de Deus Filho e esposa de Deus

    Espírito Santo.

    Quando Deus Pai decretou a encarnação de Deus Filho, decretou também a maternidade divina de Maria. Ela é a única que pode ser chamada mãe e esposa de Deus. Maria Santíssima é o templo do Senhor, o sacrário do Espírito Santo. O tabernáculo e a arca da aliança, são figuras da Virgem Maria. Nossa Senhora é o sacrário vivo do Espírito Santo, porque pelo seu poder se tornou a mãe do verbo encarnado. Basta percorrer as páginas do antigo testamento para ver que Deus não habita no meio do pecado.

    Quando o pecado entrou no mundo, a Virgem Maria foi pensada, amada e portanto predestinada para ser esposa e templo do Espírito Santo, e mãe do Deus encarnado.

    Interessante ainda notar que, Jesus na resposta dada a sua mãe, lhe diz: “que temos nós com isso?”, não disse o que a Senhora tem com isso, ou o que eu tenho com isso, mas sim, o que nós temos com isso (João 2,2-12).

    Maria conhecia tão bem seu filho que, sem esperar nenhuma resposta de Jesus, diz aos garçons: “Fazei tudo aquilo que ele vos mandar”

    As Grandezas de Nossa Senhora na Bíblia:

    Que a Santa Mãe do Divino Salvador tenha recebido de Deus prerrogativas que Lhe são exclusivas, é verdade que se deduz de várias passagens da Bíblia, “A cheia de graça” e “A mais bendita que todas as mulheres” (Lucas 1,28;1,42).

    Para provar, vamos percorrer os vários textos sagrados da Bíblia, que a Ela se referem.

    Já de início note-se o fato de a Bíblia abrir-se (Gênesis 3,15) e fechar-se (Apocalipse 12,1) sob o signo da mulher vitoriosa e bendita.

    Eis os textos áureos do Livro Sagrado:

    a) “Porei inimizade entre ti e a Mulher, e entre a tua descendência e a d’Ela. Ela te esmagará a cabeça, e tu tentarás ferir o seu calcanhar” (Gênesis 3,15)

    Comentário: o texto acima é a profecia da vinda do Salvador feita por Deus logo após a queda de nossos primeiros pais. Nele, ao grupo dos vencidos (Adão e Eva) Deus contrapõe o grupo dos vencedores (Jesus e sua Mãe). A “descendência da mulher” (no original: sêmen, prole), é, num primeiro plano, Jesus Cristo, seu Filho; e, num segundo plano, são todos os eleitos. – O termo “Ela” se refere diretamente à “prole”, porque será através de Jesus enquanto Homem nascido da Virgem Maria, que o poder tirânico de Satã sobre a humanidade será quebrado. Indiretamente, pois, também, “Ela”, a “Mulher” quebrará a cabeça de Satã. – “Inimizade” indica a incompatibilidade absoluta entre Cristo e sua Mãe de um lado, e Satã e os seus do outro; indica ainda a vitória completa de ambos sobre o Maligno.

    b) Dois textos de Isaías: “Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um Filho, o Emanuel (Deus conosco)” (Isaías 7,14).”Nasceu-nos um menino. . . Ele será Deus forte. . .” (Isaías 9,5).

    c) Outros se S. Lucas: “Ave, ó cheia de graça. . . .” (Lucas 1,28) ; “. . . darás à luz um Filho, e lhe porás o nome de Jesus; (…) será Filho do altíssimo” (Lucas 1,32); e “Filho de Deus” (Lucas 1,36); “Bendita és tu entre as mulheres; (…) donde me vem a dita de vir a mim a Mãe de meu senhor?” (Lucas 1,43).

    Esses textos sagrados destacam as várias grandezas ou prerrogativas de Nossa Senhora:

    I – A maternidade Divina: É evidente:

    1º) no texto da letra “a”, a descendência da mulher (sêmen, prole) é no primeiro plano, Jesus Cristo. E então a “mulher singular” da profecia é a sua verdadeira Mãe. E como Cristo é de Deus, Ela pode e deve ser chamada Mãe de Deus.

    2) – Confirma-se isso com os textos da letra “b” (Isaías 7,14), pois “a Virgem” é predita aí como a verdadeira Mãe do Emanuel (Deus conosco). Portanto, Mãe de Deus.

    3) – O mesmo diz os textos da letra “c” (Lucas 1,31-32; 1,42-43), pois aí se declara que Maria Santíssima é a verdadeira Mãe “do Filho do Altíssimo”, “do Filho de Deus” e a “Mãe de meu Senhor”.

    – Maternidade Espiritual também: de fato, como no 2º plano, aquela “Mulher” é Mãe da “prole” também no sentido de “descendência”, Maria Santíssima é Mãe espiritual dos remidos. O que o próprio Jesus na Cruz confirmou na pessoa de São João ao dizer à sua Mãe: “Mulher, eis aí o teu filho”. São João então representava a todos os remidos.

    -Medianeira também: como é ofício próprio da mãe prover o alimento dos filhos, Maria alcança para os seus filhos espirituais, todas as graças necessárias à salvação; Ela é Medianeira de intercessão e secundária, entre Cristo e nós.

    -Argumento de razão: podemos e devemos chamar a Virgem Maria “Mãe de Deus” porque o termo da maternidade não é a natureza, mas a pessoa. E a Pessoa em Cristo é a 2ª da Santíssima Trindade, o Filho. Na Virgem se realiza, pois, este mistério: ser Ela “Mãe de Deus e de Deus filha”. Ela participa do mistério do seu Filho, que é Deus e Homem ao mesmo tempo.

    II – A Imaculada Conceição:

    Essa prerrogativa é conseqüência da primeira. Destinada a ser Mãe verdadeira e virginal de Cristo-Deus, não podia Ela ter contato com o pecado. Ademais, se a alguém fosse dado escolher a própria mãe, não escolheria a mais virtuosa, a mais pura, a mais santa? De fato, Jesus não só pôde escolher a Sua Mãe, mas fazê-la, pois é Deus. Ele fez, pois, imaculada a sua Mãe, isto é, isenta de toda a culpa original. É a razão de conveniência.

    Mas, essa verdade está contida no próprio texto de (Gênesis 3,15), pois aí se prediz que o futuro Salvador e a sua Santa Mãe terão uma inimizade total com Satã, e que lhe imporão derrota total. O que é incompatível com a condição de quem tivesse estado, por um momento sequer, sob o pecado e, pois, sob o Maligno. Pressupõe-se a concepção imaculada, não só de Cristo enquanto homem, mas também de sua Santa Mãe.

    III – O Ofício de Corredentora:

    Também está contida no citado texto (Gênesis 3,15) a verdade de que aquela Mulher invicta, posta por Deus em total inimizade com o Demônio, ia participar de todos os sofrimentos e lutas do futuro Redentor por nossa Redenção. Realmente a Virgem Maria participou da Paixão de Jesus no grau máximo, sofrendo em união com Ele as dores mais atrozes, e oferecendo-O a Deus Pai como Vítima por nós. Sacrificou-Lhe o seu direito natural de Mãe sobre o Filho. Ela é pois, Nossa Corredentora.

    IV – A Assunção Corpórea ao Céu:

    A vitória de Cristo sobre Satã, o pecado e a morte foi realizada na Paixão e Morte na Cruz, mas se tornou completa e patente com a sua Ressurreição e Ascensão ao Céu. Ora, o texto do Gênese associa inseparavelmente o Messias e sua Mãe na mesma luta e na mesma Vitória final e completa. Ora, a vitória de Maria Santíssima não seria completa se o seu corpo imaculado e virginal tivesse ficado sujeito à corrupção do sepulcro. Jesus Cristo não o permitiu, elevando-a ao Céu em corpo e alma no fim de sua vida. Assim cumpriu-se plenamente aquela magnífica profecia.

    V – A Perpétua Virgindade;

    – Respondendo objeções: Os Protestantes não cessam de injuriar a Jesus rebaixando a sua Santa Mãe à condição de uma mulher comum. Vejamos na Bíblia como isso é falso:

    1º) No encontro de Jesus no Templo. Jesus aí não argüiu a Sua Mãe por não saber que Ele “devia cuidar dos interesses de seu Pai” (Lucas 2,49). Não era esse o sentido primeiro das suas palavras no contexto. Era antes: “Não sabeis que devo estar no que é de meu Pai?”. Assim, era normal que sua mãe entendesse a resposta no sentido de “ficar morando no Templo”, como Samuel, por exemplo. Por isso S. Lucas afirmou: “Eles não entenderam o que Jesus lhes dissera” (Lucas 2,50).

    2º) Em Caná, a Mãe de Jesus Lhe informou ter acabado o vinho. Jesus respondeu usando a expressão semítica: Mulher, “que há entre mim e ti? “ E acrescentou: “A minha hora ainda não chegou” (João 2,4). Não se pode tomar essa expressão no sentido dos nossos idiomas. Ela tem sentido próprio do seu.

    Prova: de fato aquela expressão foi usada seis (6) vezes no Antigo Testamento. Ela espera sempre resposta negativa: “não há nada”; uma só vez, ela indica inimizade; as outras vezes, indica que “não há nada” porque estamos de acordo, ou somos amigos. (Cf., para o 1º sentido: (2 Reis 3,13); para o 2º: (2 Sam 16,10; 19, 22); (Juizes 11,12); (1 Reis 17, 18); (2 Crônicas 35,21).

    É claro que no caso de Caná, o sentido é de pleno acordo quanto ao fato da providência solicitada, com uma pequena discordância para a oportunidade do mesmo. Daí ter Jesus dito: “a minha hora ainda não chegou”. Mas Ele antecipou a hora, e fez o milagre, atendendo ao intento caritativo de sua Santa Mãe.

    Quanto ao apelativo “Mulher”, dizem os entendidos da língua aramaica, a que Jesus falava, que tem um sentido respeitoso equivalente a “Senhora”. Quanto mais na boca de Jesus ao referir-se à sua Santa Mãe! Sobretudo no contexto de Caná e da Cruz, Jesus, o melhor dos Filhos, deve ter-Se dirigido à sua verdadeira e Santa Mãe com acentuado carinho e respeito filiais.

    Esse apelativo sugere ainda a lembrança da “Mulher” da profecia de (Gênesis 3,15), não obstante Jesus não chamá-la de Mãe, pois também Jesus, sendo verdadeiro Deus, costumava chamar-Se a Si mesmo “o Filho do homem”, realçando a sua condição de “Messias” ao lado daquela “Mulher” cuja figura Ele e a sua Mãe estavam dando cumprimento.

    3ª) Jesus pregava numa casa cheia de gente. Avisam-lhe que lá fora estão sua Mãe e os seus chamados irmãos (primos). Jesus responde: “Minha Mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática” (Lucas 8,21; 11,27-28). É evidente que Jesus não está negando à sua Santa Mãe a honra de ser a primeiríssima entre os que ouvem e põem em prática a palavra de Deus, antes o supõe. É esse o seu principal título de glória. O mesmo se diga de (Lucas 11,27-28).

    Porque chamamos Maria, mãe de Deus, em vez de chamar Mãe de Jesus?

    Não seria exato dizer que Maria é simplesmente a mãe de um homem, como se sua maternidade se limitasse somente ao lado humano de Jesus.

    É preciso deixar claro que Maria gerou o Homem – Deus (Romanos 9,5) (João 1,1) e o verbo se fez carne (João 1,14)… chama-lo-ão por Emanuel (Isaías 7,14), que traduzido é Deus conosco (Mateus 1,23). “Meu senhor é meu Deus” (João 20,28). “E todos os anjos o adoram” (Hebreus 1,6).

    Maria é, realmente, mãe de Jesus Cristo, homem e Deus, conforme o testemunho da escritura: (Lucas 1,31; 2,7) (Gálatas 4,4). Diante disto, podemos seguramente, sem sombra de dúvida, rezar a Nossa Senhora, chamando-lhe: “Santa Maria, mãe de Deus”. Porque, dar a luz um filho (Mateus 1,26) (Lucas 2,7), é ser mãe; e, no caso, mãe de uma pessoa dotada de natureza humana e divina.

    Maria revestiu o verbo com a sua própria carne. Esse é todo o sentido e o cumprimento das palavras do anjo Gabriel naquele dia…

    Para Entender:

    Maria da mesma forma, dando natureza humana à natureza divina de Jesus, que é Deus, torna-se a mãe da pessoa de Jesus Cristo, na plenitude de seu ser humano e divino.

    Por exemplo: Jesus não disse ao filho da viúva: “a parte de mim que é divina te diz: Levanta-te!”, Jesus manda simplesmente “Eu te digo: Levanta-te”.

    Na cruz, Jesus não disse: “minha natureza humana tem sede”, mas exclamou: “tenho sede”.

    Para Entender Melhor Ainda:

    Nosso Senhor, morreu como homem, pois Deus não poderia morrer na Cruz. Então perguntamos: Nosso Senhor, que morreu como homem , não pagou nossos pecados como Deus? Seus méritos não eram infinitos? Portanto, as duas naturezas de Jesus Cristo não podem ser separadas, pois nunca poderíamos explicar a rendenção fazendo uma distinção tão grande. Portanto Nossa Senhora, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, é Mãe de Deus. Ou alguém poderia negar que Nosso Senhor, morrendo como homem, nos redimiu como Deus?

    Algumas pessoas ignoram que Lutero e Calvino não negaram o dogma da divina maternidade de Maria.

    • Lutero escreveu: “Não há honra, nem beatitude, que sequer se aproxime por sua elevação da incomparável prerrogativa superior a todas as outras, de ser a única pessoa humana que teve um filho em comum com o Pai Celeste”. (Deutsche Schriften, 14,250)

    • Calvino escreveu: “Não podemos reconhecer as benções que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para mãe de Deus”. (Comm. Sur I ’Harm. Evang.20).

    Curtir

  6. EDMILSON disse:

    HELEN VEJA OUTRO VERSÍCULO BÍBLICO QUE CALA E REFUTA OS PROTESTANTES SOBRE IMAGENS

    Vamos ler em Atos 28

    Olha o que fez o Católico São Paulo quando embarcou em um Navio indo Para ROMA

    “Ao termo de três meses, embarcamos num navio de Alexandria, que havia passado o inverno na ilha. Este navio levava por INSÍGNIAS* os DIÓSCUROS*”. (At 28,11)

    *INSÍGNIAS : EMBLEMAS, IMAGENS

    *DIÓSCUROS: A IMAGEM DE CASTOR E PÓLUX, ORNANDO A PROA DO NAVIO

    Paulo, não aproveitou a ocasião para condenar aquelas imagens, porque era Católico e não protestante (QUE NEM EXISTIAM AINDA) e sabia muito bem distinguir Imagem de Ídolo.

    Helen será que Protestante Lê isso?

    Curtir

  7. Lilian disse:

    Mais um artigo mentiroso protestante no endereço
    http://www.umaalmasedenta.com/2012/02/resposta-ao-pe.html

    O cara simplesmente citou o catecismo e omitiu os itens 432 e 480 que tratam da mediação única de Jesus Cristo. Impressionante como os filhos de Lutero não temem a DEUS e são capazes de tudo para difamar a Igreja.

    Curtir

  8. RODRIGO disse:

    ISSO SE CHAMA PATRÍSTICA É TÃO FANTÁSTICO ISSO TUDO QUE QUAL QUER PASTOR PROTESTANTE QUE DEIXAR DE LADO O ORGULHO A BURRICE E O RACIONALISMO SE CONVERTE AO CATOLICISMO

    A SEITA PROTESTANTE PREGAM QUE OS CATÓLICOS ADORAM SANTOS
    ISSO É UMA PIADA SANTOS DA IGREJA CATÓLICA SÓ REPRESENTAM PESSOAS QUE VENCERAM E QUE SÓ SERVEM DE MODELO PARA SEGUIRMOS SEUS PASSOS E EXEMPLOS

    QUE UM EXEMPLO EM TODAS AS FACULDADES E UNIVERSIDADES GRANDES DA EUROPA EXISTEM MILHARES DE ESTATUAS DOS MAIORES POETAS POETAS E DOS MAIORES FILÓSOFOS UNIVERSAIS E TAMBÉM DOS GRANDES HOMENS DA FÍSICA COMO ROBERT EINSTEIN

    RESUMINDO ESSAS IMAGENS DE POETAS FILÓSOFOS E MESTRES DA FÍSICA SÓ SERVEM DE INSPIRAÇÃO PARA OS ALUNOS QUE PRETENDEM SER ALGO NA ÁREA QUE ESSES GRANDES HOMENS FORAM

    ASSIM É OS SANTOS DA IGREJA CATÓLICA SÓ SERVEM DE MODELO E EXEMPLOS A SEREM SEGUIDO

    SE OS PASTORES PROTESTANTES TIVESSEM VERGONHA NA CARA E ESTUDASSEM VERDADEIRAMENTE A PATRÍSTICA DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO DA ERA CRISTÃ IRIAM CONCORDAR COMIGO

    MAIS TUDO QUE VEM DO MEIO PROTESTANTE ACUSANDO A IGREJA CATÓLICA SÃO BASEADOS EM LIVROS DE FABULAS CRIADOS POR HISTORIADORES AMERICANOS ISSO É FATO

    Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s