Memorize apenas três passagens bíblicas e refute a “doutrina” Evangélica da Sola Fide


O post de hoje traz de modo curto e objetivo um exercício de apologética que todo católico, conhecedor ou não da Bíblia deveria propor-se a fazer. Como sabemos, 99% das Igrejas protestantes pregam a “doutrina” da Sola Scriputura. Ou seja, aquela “doutrina” que rejeita a autoridade da Igreja dada à Pedro e seus sucessores pelo próprio Cristo ( Mateus 16,18)  e que prega que a Bíblia seja a única regra da fé Cristã.

Como veremos, esta “doutrina” contradiz o que ela mesmo prega, pois em parte alguma da Bíblia lemos que as Escrituras sejam a única autoridade da fé cristã. De fato, a própria Bíblia diz que a Igreja, não a Escrituras, é a “coluna e sustentáculo” da Verdade ( Tim 3,15)! Portanto, para combater fogo, usemos o próprio fogo, ou seja, se para o protestante e evangélicos a Bíblia é a única autoridade, contestemos com a própria Bíblia os argumentos não Bíblicos dos adeptos da Sola Scriptura!

Refutando a Sola Fide Bíblicamente:

A Sola Fide é uma das “doutrinas” mais protestantes que existem. Praticamente 99% das denominações cristãs não-católicas pregam essa doutrina. Para eles o simples ato de crer em Jesus Cristo como Salvador é a garantia permanente da Salvação. Já a Igreja católica prega que somos salvos pela graça de Deus, que nos incita à Fé Justificante em Cristo. Vejamos o que diz a Bíblia nos três versículos abaixo:

Nele, e por seu sangue, obtemos a redenção e recebemos o perdão de nossas faltas, segundo a riqueza da graça. (Efésios 2,7)

Ninguém pode vir a Mim se o Pai que Me enviou não o atrai, e Eu ressuscitá-lo-ei no último dia.  (Jo 6,44)

E acrescentou: «É por isso que Eu disse: “Ninguém pode vir a Mim, se isso não lhe é concedido pelo Pai“». (Jo 6,65)

Em efésios São Paulo diz-nos que fomos redimidos pela Graça de Deus, não pela fé somente, uma explícita contestação da Sola Fide.
Em João 6, 44 e 65, vemos que é pela Graça de Deus que recebemos o dom da fé, e por conseguinte, nos tornamos seguidores de Cristo. Ou seja, é impossível crer em Cristo sem antes receber a graça do dom da fé! Dessa forma, não é a fé somente, mas pela graça de Deus e pela fé em nosso Senhor Jesus Cristo que somos salvos, tal e qual ensina a Santa Igreja Católica, Ap0stólica Romana.

About these ads

6 comentários sobre “Memorize apenas três passagens bíblicas e refute a “doutrina” Evangélica da Sola Fide

  1. Muitos protestantes diriam, “tradição apostólica seria vinculativa para nós se pudéssemos identificar quais tradições são apostólicas e quais não são. Obviamente queremos obedecer e aceitar tudo o que os apóstolos ordenou e ensinou em nome de Deus”.
    Isso é bom. Os protestantes que dizem que este reconhecer a autoridade dos apóstolos ensino, eles simplesmente precisam de ver o mecanismo pelo qual podemos reconhecer os apóstolos ensinamentos.

    1. O Princípio da Canon

    Como podemos fazer isso? A resposta é que nós reconhecemos tradição apostólica da mesma maneira que reconheceu escritura apostólica. Hoje somos confrontados com uma variedade de tradições, algumas apostólica e alguns meramente humana. Da mesma forma a Igreja primitiva foi confrontado com um corpo de escrituras, alguns apostólica e alguns meramente humana.

    A Igreja primitiva tinha de resolver através desses documentos e descobrir quais eram autenticamente apostólica escritos-os por um apóstolo ou um associado de um apóstolo e que foram escritos: aqueles meramente humanos apenas afirmando ser por um apóstolo. A maneira como eles fizeram isso foi através da aplicação de determinados testes.

    2. É a Palavra de Deus Auto-Atestando?

    Alguns anti-católicos, como James White, gostam de afirmar que o autor do Salmo 119 sabia o que a palavra de Deus foi embora a Igreja Católica não estava por perto para lhe dizer o que era. Mas a menos que ele era um profeta ou teve acesso a um profeta, o salmista não tinha um cânone infalivelmente conhecido em seu dia. O cânon ainda não está finalizado, muito menos resolvido.

    Anti-católicos, como a reivindicação Branca que a palavra de Deus é auto-autenticação, que não precisa de testemunha. Esta afirmação é simplesmente anti-bíblica. Na escritura pessoas regularmente teve de testar revelação para ver se ele transmitiu a palavra de Deus. Isto não foi sempre evidente, mesmo para as pessoas a quem a revelação foi dada.

    Por exemplo, em 1 Samuel 3, quando Deus falou com Samuel, o menino profeta não reconhecer a palavra de Deus. Ele pensou que era o velho sacerdote Eli chamá-lo, então ele se levantou, foi até onde Eli estava descansando, e disse: “Aqui estou eu, para você me chamou!” Mas Eli disse: “Eu não te chamei; ir e deitar de novo.” Isso acontece três vezes: Deus chama Samuel eo jovem profeta, pensando que é Eli, pula para cima e corre para ver o que ele quer. Finalmente amanhece em o sacerdote ímpio velho que o chamado de Deus para o rapaz, para que ele lhe diz o que fazer da próxima vez a voz se dirige a ele. Acontece que o jovem profeta não foi capaz de reconhecer a voz de Deus, e os ímpios sacerdote Eli tinha que ajudá-lo a reconhecer a palavra de Deus. Obviamente, a palavra de Deus não era auto-atestando Samuel!

    Da mesma forma, em 1 Reis 13 um homem de Deus é enviado de Judá para Betel a profecia. Deus diz para ele não comer nem beber até ele voltar. Mas, como ele volta, um velho profeta de Deus lhe diz o Senhor rescindiu o comando de comer e beber. O homem de Deus, em seguida vai para casa com o velho profeta para jantar. Mas enquanto eles estão comendo, uma revelação vem que a ordem de não comer ou beber ainda está em vigor, o profeta velho estava mentindo. Isso mostra outro exemplo onde um profeta não é imediatamente capaz de discernir entre a voz de Deus ea voz de erro. O homem que Deus enviou a Betel não detectou o fato de que o que o profeta velho lhe disse que não era a palavra de Deus. Esta revelação pretendia não era auto-atestando como uma palavra falso de Deus.

    Em Deuteronômio 13 e 18, Deus dá dois testes para saber se um profeta é falar a palavra de Deus. Se o profeta faz uma falsa previsão ou diz para adorar outros deuses, ele não está falando para o Senhor. O fato de Deus dá a estes testes mostram revelações deve ser testada, porque não é sempre óbvio o que é e não é a palavra de Deus.

    É por isso que Paulo diz em 1 Tessalonicenses 5:20-21: “Pare de desprezar as profecias! Examinai tudo e retende para o que é bom!” A Bíblia assim nos diz explicitamente que devemos testar o que é a palavra de Deus eo que não é, assim como 1 João 4:01 diz: “testar os espíritos para ver se eles são de Deus.”

    Assim, a palavra de Deus não é auto-autenticação no caminho alguns apologistas protestantes alegam. Deus convida e ordena-nos para testar qualquer revelação de vir dele. Isso inclui a escritura. Se alguém lhe oferecer um livro que pretende ser escritura, tem que ser testado para ver se é escrita apostólica ou escrita meramente humana.

    3. A chave para Canonicity

    Como sabemos quais livros pertencem à Bíblia? A resposta da Igreja primitiva era: Os livros que são apostólica pertence ao cânon das Escrituras. Se um livro havia sido transmitida pelos apóstolos como escritura (como os livros do Antigo Testamento) de se ele foi escrito por um dos apóstolos ou os seus aliados (como os livros do Novo Testamento), que pertencia na Bíblia. Apostolicity foi, assim, o teste de canonicidade.

    Protestante Igreja primitiva historiador JND Kelly escreve:

    “A menos que um livro poderia ser mostrado para vir da pena de um apóstolo, ou pelo menos ter a autoridade de um apóstolo por trás dele, que foi peremptoriamente rejeitada, porém edificante ou popular com os fiéis que poderia ser” 60).

    Mas como poderia saber quais eram os livros apostólica? Certamente não por reivindicação de um livro de ser apostólico, já que havia muitos falsos evangelhos e epístolas que circulam sob os nomes de apóstolos. Nem a promessa Espírito Santo uma revelação para cada indivíduo cristão do que livros pertenciam a Bíblia. Mas como foi o teste para a apostolicidade realizado na Igreja primitiva? Basicamente, há dois ensaios, ambos envolvendo tradição.

    Primeiro, os livros foram reconhecidos como apostólica que concordou com os ensinamentos dos apóstolos transmitiram à Igreja. Escrituras gnósticas e outros escritos que não estavam de acordo com a tradição apostólica foram rejeitadas fora de mão. Isso é algo que os estudiosos evangélicos admitir.

    Protestante escritura estudioso FF Bruce escreve que,

    “[Os primeiros Padres] recorreu ao critério de ortodoxia …. Este recurso para o testemunho das Igrejas de fundação apostólica foi desenvolvido especialmente por Irineu …. Quando Evangelhos anteriormente desconhecidos ou Atos começaram a circular … o pergunta mais importante a fazer sobre qualquer um deles era: O que ensinar sobre a pessoa e obra de Cristo o faz manter o testemunho apostólico para ele … “? 260).

    Segundo, esses livros foram considerados como apostólica, que foram pregados em várias igrejas como sendo da pena de um apóstolo ou o associado de um apóstolo, e não apenas as suas doutrinas, mas o livro em si. Se uma determinada obra não foi considerada como apostólica e não foi pregado, como tal, nas igrejas, em seguida, ele foi rejeitado. Este foi também um apelo à tradição, porque olhou para a tradição das igrejas como um guia para a apostolicidade. Se a tradição das Igrejas não reconhecer um livro como apostólica, não foi canonizado.

    O fato de que este também foi usado pela Igreja primitiva para estabelecer a apostolicidade é também algo admitido por protestantes. FF Bruce escreve:

    “É notável, quando se trata de pensar sobre isso, que os quatro evangelhos canônicos são anônimos, enquanto que os” Evangelhos “que proliferaram no final do século segundo e depois afirmam ter sido escritos por apóstolos e outras testemunhas oculares. Católica clérigos encontrado necessário, portanto, defender a autenticidade apostólica dos Evangelhos …. A autoria apostólica de Mateus e João, bem estabelecida na tradição. Mas o que de Marcos e Lucas? Sua autoria também foi bem estabelecida na tradição ” 257).

    Mas é claro que nem todas as Igrejas concordou. Alguns apologistas protestantes gostam de apontar que o fragmento de Muratori, de uma lista cânone início datando de 170s AD, inclui a maior parte do Novo Testamento. Mas eles não conseguem apontar que o fragmento de Muratori também omitido certas obras de seu cânone. Não incluía Hebreus, 1 e 2 Pedro e 3 João.. Além disso, incluiu trabalhos que os apologistas protestantes não consideram como canônicos: o Apocalipse de Pedro ea Sabedoria de Salomão. Então, houve evidente desacordo sobre a extensão do cânon.

    Eventualmente, o cânon do Novo Testamento foi estabelecido no Concílio de Roma, no ano 382, ​​sob o Papa Dâmaso I. Até este ponto, os seus livros específicos não foram firmemente estabelecida.

    Agora, um apologista protestante terá que concordar que os homens no Concílio de Roma incluiu todos os livros de direito e apenas os livros de direito no cânone ou ele tem que discordar. Se ele não concorda, então ele vai ter que discordar com o cânon do Novo Testamento na Bíblia que ele usa muito, porque foi o Concílio de Roma, que estabeleceu que a Canon.

    Mas se ele concorda que o Conselho de Roma incluiu todos os livros de direito e apenas os livros de direito no cânon do Novo Testamento, em seguida, ele vai ter que dizer que a Igreja primitiva tomou uma decisão infalível (infalível porque eles incluíram todos o direito e só os livros de direito, fazendo assim uma decisão inerrante sob orientação providencial de Deus, que é guia infalível). Eles fizeram esta decisão infalível 300 anos após a morte do último apóstolo. Mas se concílios da Igreja são capazes de chegar a decisões infalíveis 300 anos após a morte do último apóstolo, o apologista protestante não tem motivos para reclamar, são incapazes de esta tarde na história da Igreja.

    4. O cânone da tradição

    O fato de que quando a Igreja fez a sua decisão o fez centenas de anos após a morte do último apóstolo é significativo, mas não menos importante é o fato de que, quando se tomou a decisão, fê-lo com base na tradição.

    Como observamos, a Igreja foi confrontado por tradições conflitantes sobre quais livros devem ser incluídos na escritura. Algumas tradições, por exemplo, disse que o livro de Hebreus pertencia no cânon, outros disseram que não. Uma destas tradições (a inclusão um indicando no cânon) era apostólica, o outro (o que indica uma exclusão) era meramente humano. A fim de decidir se o livro de Hebreus pertence a escritura, a Igreja teve de decidir em favor de uma tradição sobre o outro. Assim, a fim de resolver a apostolicidade de uma escritura, ele teve que se contentar a apostolicidade de uma tradição.

    Como resultado, a Igreja não só pode fazer decisões sobre o que é apostólica eo que não é centenas de anos após a morte do último apóstolo, ele também pode decidir sobre quais tradições são apostólicas e quais não são, e fazê-lo de séculos nas Igreja idade.

    Portanto, a Igreja pode decidir sobre o cânone da tradição da mesma forma se pronunciou sobre o cânon das Escrituras. A Igreja é a Noiva de Cristo vivendo, e ela reconhece a voz de seu marido. Ela é capaz de apontar as escrituras propostas e dizer: “Isso é uma apostólica; que não é.” E ela é capaz de apontar as tradições propostas e dizer: “Isso é uma apostólica; que não é neste que eu reconheci a voz de meu marido;. No que se eu não faço.”

    O mecanismo pelo qual vamos estabelecer o cânone da tradição é, assim, o mesmo que o caminho que estabeleceu o cânon das Escrituras. O mesmo princípio funciona em ambos os contextos. A Igreja é as testemunhas de ambos os cânones.

    5. Testes para o cânone da tradição

    É claro que a Igreja tem provas que ela usa para descobrir o que as tradições são apostólicas, assim como ela teve testes para estabelecer o que as escrituras foram apostólica.

    Um teste é saber se uma determinada tradição contradiz o que já havia sido revelado. Como anti-católicos geralmente apontam, tradições propostas devem ser testados contra as escrituras. Se uma tradição proposta contradiz algo que Deus tem dito nas escrituras (ou algo dito na já conhecida tradição apostólica), então, que mostra que é simplesmente uma tradição de homens e podem ser ignoradas. A Igreja é, portanto, mais do que feliz em testar tradições propostas contra escritura.

    É claro que a Igreja também aplicado o outro lado de este teste: Nos primeiros séculos qualquer escritura proposta que não condiz com a tradição apostólica foi rejeitado do cânon das Escrituras. Assim, quando, no segundo e terceiro séculos, os escritos dos gnósticos ensinavam que Jesus não era Deus, ou que o Deus do Velho Testamento não era o Deus de Jesus Cristo, estes livros foram sumariamente rejeitados com base na não correspondência até a tradição apostólica.

    Naturalmente, uma vez que uma escritura foi testado e aprovado para ser canônico não é mais sujeito a testes. Uma vez que a escritura foi mostrado a pertencer ao cânon da Escritura, não é mais motivo de debate. Da mesma forma, uma vez que a tradição tem sido testado e aprovado para ser canônico não é mais o assunto para debate também. Uma vez que a tradição tem sido demonstrado que pertencem ao cânone da tradição, já não é mais se sujeita a testes.

    Um apologista protestante não iria questionar se um determinado livro do Novo Testamento pertence ao cânon com base em se ele faz uma declaração que é difícil de conciliar com algo dito em outro livro. Depois de ter sido encontrado para ser canônico, podemos ter confiança de que é a Palavra de Deus infalível e as dificuldades aparentes que possam surgir entre ele qualquer que Deus tem dito em outros lugares pode ser resolvido. Da mesma forma, uma vez que a tradição tem sido testado e canônica, podemos ter confiança de que é inerrante Palavra de Deus e que nenhuma dificuldade aparente decorrente entre ele e qualquer coisa que Deus disse em outro lugar tem uma solução. Se nós podemos ter confiança em desarmonias superficiais no cânon das Escrituras, podemos com o cânone da tradição também.

    Nós sabemos que quando Deus fala na Escritura existem aparentes dificuldades que surgem. Liberais usá-las para atacar a inerrância das Escrituras, e assim os conservadores produzir livros que mostram por que essas discrepâncias são supostos nada do tipo. Mas se Deus fala na Escritura de tal forma que as discrepâncias surgem então devemos esperar a mesma coisa para acontecer quando Deus fala em outros lugares também. Isso não nos dá motivo para alarme.

    6. O Problema da Canon

    Mas, o apologista protestante tem um problema ainda mais fundamental, pois, a fim de justificar o seu princípio de ou a “teoria da Bíblia só”, ele teria que afirmar que sabemos que livros pertencem à Bíblia sem reconhecer o papel de autoridade tradição apostólica e da Igreja em encontrar isso. Se, como na teoria protestante, temos de provar tudo de escritura sozinho, então temos de ser capazes de mostrar o que pertence ao cânon das Escrituras das Escrituras sozinho.

    Na verdade, não podemos sequer começar a usar scriptura> <sola ele vai ter que identificar o que as escrituras são, e como ele é incapaz de fazer isso a partir de escritura sozinho, ele vai ter que apelar para coisas fora da escritura para fazer o seu caso, ou seja, que no ato de fazer isso, ele prejudica este caso. Não há nenhuma maneira para ele escapar do cânone da tradição.

    Tradição apostólica era a chave para o cânone de duas formas-por nos dizer que doutrinas livros apostólicos devem ensinar (ou não ensinar) e dizendo-nos quais os livros que eles mesmos foram escritos pelos apóstolos e seus associados.

    Ironicamente protestantes, que normalmente zombam tradição em favor da Bíblia, eles mesmos estão usando uma Bíblia com base na tradição. Na verdade, os protestantes mais honestos que admitem que segure para os livros que eles fazem, porque quando eles se tornaram cristãos alguém entregou-los ("traditioned" ou "mão na") cópias da Bíblia que continham os livros!

  2. Dentro da bíblia não existe uma só referência que apóie há defesa do “livre exame”, que consiste em uma interpretação pessoal da Sagrada Escritura.
    Agora eu desafio a qual quer pastor protestante e mais eu desafio qual quer protestante metido a teólogo que refute esses trecho da Bíblia que diz que nenhuma interpretação particular da bíblia fora da igreja é valida .
    Vamos lá
    A) “Nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal” (2Pd, 1,20).
    B) “Assim vos escreveu também o nosso caríssimo irmão Paulo, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando-vos dessas coisas, como faz também em todas as suas cartas. Nelas há, porém, alguma coisa difícil de compreender, que as pessoas pouco instruídas ou pouco firmes deturpam, como fazem também com as outras escrituras, para sua própria ruína” (2Pd 3, 15-16).
    C) “Muitas são as opiniões dos homens, e as más imaginações levam ao engano” (Eclo 3,24).
    Ora, está clara a proibição do “livre exame”.
    Protestantes me mostrem um versículo bíblico apenas onde está escrito que qualquer um pode interpretar ‘livremente’ o texto Sagrado? Desde os primeiros tempos, a igreja sempre teve os seus profetas anciões e doutores da leia.
    Veja o que diz as escrituras contra o livre exame bíblico.
    Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos anunciamos, seja anátema.” Gálatas 1.8
    Ou seja, não há liberdade de modificar, ainda que com interpretações diversas, o que está escrito e foi transmitido pela Igreja.
    Se houvesse o Livre Exame, cada um poderia interpretar segundo sua ‘inspiração’ ou ‘iluminação’ pessoal, subjetiva, quebrando a unidade e colocando em perigo sua própria salvação.
    Vou da só um exemplo veja o protestantismo do seu nascimento em 1517 ao ano de 2013 já passa de 50 mil denominações só no Brasil e nem vou citar seus erros de doutrinas e contradições.
    Lembre-se do que disse S. Pedro: “Assim vos escreveu também o nosso caríssimo irmão Paulo, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando-vos dessas coisas, como faz também em todas as suas cartas. Nelas há, porém, alguma coisa difícil de compreender, que as pessoas pouco instruídas ou pouco firmes deturpam, como fazem também com as outras escrituras, para sua própria ruína” (2Pd 3, 15-16).
    Como pode a Bíblia ser “suficiente para instrução” se ela mesma nega isso!
    A missa Católica, está na Sagrada Escritura, interpretada, é claro, pela autoridade do Padre: “Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a Igreja de Deus a qual santificou pelo seu próprio sangue” (At 20, 28).
    Agora vou usar a frase sola scriptura ao longo desta apresentação para referir-se a posição de reformadores sobre a bíblia. JI Packer, um teólogo forte Evangélica diz que “O entendimento reformadores do cristianismo depende do princípio da sola scriptura. Que sola scriptura significa? Que a Bíblia é a única palavra de Deus, o único guia para a consciência na igreja. Ele é a única fonte do verdadeiro conhecimento e da graça de Deus. Ele é o único juiz qualificado do testemunho da Igreja e de ensino. ” Desde que é reconhecidamente a base para toda a teologia protestante, a sola scriptura deve ser conclusivamente provada a partir da Bíblia. Se ele não pode ser comprovada a partir da Bíblia, é uma doutrina auto-refutada que não tem validade. Concordamos que a Bíblia faz todas essas coisas, mas não concorda que a regra de fé é a Bíblia sozinho. A Bíblia é efetivada pela igreja de estar com uma tradição infalível cuja igreja foi fundada por Jesus. A Igreja confessa a tradição viva para a qual ele está vinculado, por obediência à Bíblia.
    Existem muitas razões pelas quais rejeitamos Sola Scriptura: A primeira e mais importante é que ela não é bíblica. Outras razões são que é a-histórico, ilógico, incoerente, pouco prático e improvável.
    1 – Sola Scriptura não é bíblica. Em nenhum lugar a Bíblia ensina que somente a Bíblia é a nossa única autoridade. Muitos tentam dizer 2 Tim 3:16-17 ensina. Ela diz que a Escritura é inspirada e proveitosa. Isso é exatamente o que a Igreja ensina. No entanto, em nenhum lugar se diz que é suficiente, ou que contém toda a verdade inspirada necessário saber, ou que a escritura só é rentável. Na verdade, se você tentar usar esses versículos para provar escritura é tudo que você precisa, então, se você olhar para o versículo 15, você vai ver que Paulo está falando sobre escritura que Timóteo conhecia desde a infância, o Antigo Testamento. Você terá apenas provou que você não precisa do Novo Testamento.
    A verdade de Deus é revelada, tanto o Novo Testamento e Velho. Não há um exemplo em qualquer o Antigo Testamento ou Nova, onde sola scriptura é praticado ou pregado. Por exemplo, Moisés escreveu milhares gênese de anos após os eventos de Gênesis ocorreu. O argumento contra a tradição oral é que ela não é confiável, e as coisas ficam distorcidas. Bem, se você acredita que Moisés escreveu o Pentateuco, e que é inspirada por Deus das escrituras, você está baseando o fato na tradição oral. Esta informação foi passada desde Adão até Moisés. Adão, Noé, Abraão, Isaac, Jacó, José, etc de algum modo chegou sem por escritura ainda existente. Em Gênesis um exemplo deste trabalho tradição oral é olhando capítulos 17 e 26. No capítulo 17, Deus faz aliança com Abraão. Como no capítulo 26 que duas gerações mais tarde irá Jacob sabe como manter a aliança? Abraão anotá-la e dizer que você ler isso, interpretá-lo e pedir ao Espírito Santo para dar-lhe a interpretação correta? Não, foi por via oral e autoritariamente transmitido duas gerações depois de Jacob. Na terceira geração de Abraão, Jacó será o dever de guardar os mandamentos, estatutos e leis. É este tipo de transmissão fiel da verdade que eventualmente atinge Moisés que permite que Moisés finalmente enscripturate-lo.
    Agora, vamos ver quando finalmente Moisés escreveu a autêntica tradição oral, que nós conhecemos como o Pentateuco. Quando a lei foi dada a Moisés, uma cópia da lei é dada na arca da aliança. Apenas Moisés poderia aproximar a arca da aliança. O livro de Deuteronômio foi escrito por Moisés e confiada aos sacerdotes levíticos.
    Se sola scriptura estava a ser praticado, Moisés teria a certeza que ele publicou Gideon Pentateuchs e Gideon Torahs para todos a interpretar por conta própria. No entanto, Aaron é dada esta autoridade, por exemplo, em Deuteronômio 10:3. Em Levítico 10:2-11 só os levitas é dada a autoridade por Deus para levar a arca da aliança. Os sacerdotes interpretar a palavra e ligar as pessoas. As pessoas não dizem: “Ah, não, você está apenas levitas, você não pode me dizer como interpretar as Escrituras”. Aqui temos autoridade magisterial dos sacerdotes, quando eles fazem uma proclamação oral de Deuteronômio. Além disso, todo o livro de Deuteronômio é como um Moisés Papa encíclica. É tudo da escrita Moisés. Não é apenas Moisés escrevendo um mandamento de Deus, por si só, mas é Moisés escrever um infalível oráculo.
    Em 2 Reis 22:8-17 rei Josias, que é mostrado para ser um homem de Deus, é dado o livro da lei. Se Deus queria que ele para trabalhar da maneira bíblica sola em determinar a verdade, ele diria: “Peça ao Espírito Santo e ele vai me orientar na interpretação da verdade.” Não, ele diz à Safã sacerdotes e Hilquias, “Ide, consultai ao Senhor por mim.” A mensagem de Deus é mostrado para ser confiada à interpretação dos sacerdotes, e Josias tem a obrigação de prestar atenção a essa interpretação. Há uma ligação magistério no trabalho, não sola scriptura.
    Em Neemias 8:1-8 vemos Esdras, o escriba e sacerdote trazer a Lei perante a congregação. Eles lê-lo em voz alta. Esdras, o sacerdote principal com outros levitas e ajudou as pessoas a entender a lei. Ele diz no versículo 8 que Esdras e os levitas “deram o sentido, e ajudou-os a compreender a leitura.” Não israelita um disse “me dá a lei diretamente e eu vou interpretá-lo para mim mesmo.”
    Elias e Eliseu são grandes profetas que ensinam autoridade. Isso é o que significa magistério em latim. Elias foi um grande profeta, mas ele não escreveu uma coisa para baixo. Obadias era um profeta. No entanto, devemos acreditar que a única palavra desse profeta que teve a bênção de Deus é um capítulo? Profetas não são apenas ler, eles são ouvidas, oralmente, e que a mensagem é transmitida por tradição. Jeremias escreve “Vou escrever a lei em seus corações”, e não em suas páginas.
    A palavra de Deus no Antigo Testamento, portanto, mostra-nos que a sua revelação veio para o seu povo, por via oral e autoritariamente pelas autoridades de ensino, e quando escritura foi escrito, ele precisava ser devidamente traduzidos por sacerdotes e profetas. Ninguém deu interpretações privadas da Torá.
    No Novo Testamento, como é que a função da igreja? A doutrina sola bíblica diz que o cristianismo é apenas guiado pela Bíblia. Você pode me mostrar em qualquer lugar onde Jesus disse que seus discípulos devem escrever o Novo Testamento? Você vê em qualquer lugar onde Jesus disse a seus discípulos para escrever alguma coisa? Não! Jesus não diz nada sobre apóstolos ou não-apóstolos (como Marcos e Lucas) de escrever qualquer coisa ou ligando a igreja exclusivamente a ele. O que lemos? Jesus diz em Mateus 28:19-20: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo: ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado : e eis que eu estou convosco todos os dias, até o fim do mundo, Amém “..Nada sobre a escrita de um livro. Se Jesus significava o cristianismo para ser apenas baseado em um livro, ele quer ter escrito ele próprio ou pelo menos comissionado seus discípulos a escrevê-lo. Ele não diz anotá-la, então cabe a todos para interpretá-la por si mesmo para descobrir a verdade por conta própria, pedindo ao Espírito Santo para guiá-lo.
    Jesus disse a Pedro: “Sobre esta pedra edificarei a minha igreja …” Ele dá a Pedro sozinho as chaves. Ele diz a Pedro para se alimentar, ou levar as suas ovelhas três vezes em João 21:15-17. Jesus mostra esta autoridade da igreja em Mateus 18:17-18 também, onde ele dá para o resto dos apóstolos a autoridade de ligar e desligar. Em Mateus 18:17 Jesus disse que, se um irmão pecados contra outro, levá-la para a igreja. “Mas se ele se recusa até mesmo a ouvir a igreja, considera-lo como um gentio e publicano.” Esta igreja tem autoridade de Cristo, que deu a ele autoridade para ligar na terra, assim como o céu. Esta igreja é visível.
    Vamos examinar como a igreja funcionava no Novo Testamento. Em Atos 2:42, depois que o papa Pedro deu um sermão em que muitos foram levados para a salvação, que diz que eles perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. “Segundo a doutrina sola scriptura, a igreja visível não tem autoridade em doutrina. acordo com esta passagem no entanto, a doutrina já existia através de Jesus, mas através da igreja que Jesus estabeleceu. Naquele tempo não havia sequer um indício de uma carta do Novo Testamento existentes. Segundo a sola scriptura não teria havido nenhuma doutrina de perseverar pol se encaixa perfeitamente com a abordagem católica.
    Como foi a disputa sobre a circuncisão tratado em Atos dos Apóstolos, capítulo 15? Vejamos como foi resolvido. Apóstolos Paulo e Barnabé estavam disputando com os cristãos que vieram de Judéia, que queria obrigar os novos crentes para ser circuncidado. A questão é que tomou essa decisão e como foi feito? De acordo com a sola scriptura eles teriam que decidir em uma de duas maneiras: Eles teriam que procurar alguma escritura do Velho Testamento e provar que vista a partir da escritura: ou os apóstolos teriam escrito a resposta a essa pergunta, e depois foi determinado agora era escritura do Novo Testamento, que teria dito a circuncisão é agora necessário ou não necessário com base nesta nova escritura. É assim que foi determinado? A Bíblia mostra que nem um desses métodos Sola Scriptura foram utilizados. Papa Peter resolvido da maneira católica. Afinal disputando o Papa Pedro saiu com um decreto infalível que une todos os cristãos desde então. Ele disse que a circuncisão não é necessária para a salvação em Atos 15:7-11. Qual foi a reação dessas pessoas que estavam em tal disputa? Disseram como você faria “Quem é você, um simples homem, para me dizer o que fazer? Sigo nenhum Papa!” Não! Leia Atos 15:12. Lembre-se, antes de falar de Pedro, havia muita divisão.
    Uma vez que Pedro falou: “Então toda a multidão se calou …” As pessoas reconheceram sua autoridade, como eles sabiam que ele recebeu sua autoridade de Jesus.A circuncisão não é necessário. Além disso, em nenhum lugar Pedro diz “Este deve ser escrito.”
    Mais tarde, atuando como local bispo James coloca em diretrizes para a sua comunidade local. Suas diretrizes assumir toda a força de decreto de Pedro. Atos 15:13-20 mostra que, para que o tempo, de modo a não ofender os judeus, eles estavam a abster-se de carne estrangulado, e do sangue. Agora que era vinculativa para as pessoas naquela época. Ele foi escrito para baixo. Um teria pecado se essas pessoas teriam comido carne com sangue, porque era um decreto do apóstolo.No entanto, é hoje um pecado comer carne com sangue? Eu comer carne com sangue o tempo todo e tenho certeza que você também se você é um vegetariano.Nós não pecamos por fazer isso. O que isso mostra passagem? Primeiro, de que Pedro era a autoridade final que decidiu a questão da circuncisão. Este decreto foi obrigatórias para todos os cristãos desde então. e isto não foi escrito para baixo até cerca de 25 anos após o fato. A igreja não esperar até que Lucas escreveu isso para fazer esse decreto autoritário. Essa é a tradição oral no trabalho. Escritura não tinha nada a ver com essa decisão. Em segundo lugar, o decreto que James tinha escrito era algo que poderia ser alterado mais tarde. Ele não tentar ajustar decreto Pedro. Se você observar, que é exatamente a mesma coisa que a igreja católica fez com comer peixe na sexta-feira. No passado, a comer carne às sextas-feiras, por respeito a Jesus morrendo na sexta-feira, foi um pequeno sacrifício para trazer à lembrança de sua morte por nós (semelhante ao de Daniel em Daniel 10:2-3). Isso paralelos James dizendo às pessoas para não comer carne com sangue. Mais tarde, o decreto de não comer carne às sextas-feiras foi alterado, assim como os cristãos já não são obrigados a se abster de comer carne com sangue.
    Isso mostra que há dois tipos de tradição que são estabelecidas pela igreja. A tradição que nunca vai mudar e é apostólica, como o decreto sobre a circuncisão que dizemos é uma tradição T capital. Isto inclui as crenças e costumes que nunca vai mudar. Tradições pequenos de t, como o decreto feito por James, modos de batismo, comer carne na sexta-feira, o celibato sacerdotal, é obrigatório e pode ser mudado, mas não são a doutrina apostólica.
    Vejamos Mateus 23:2-3. Aqui Jesus ordenou aos seus seguidores para observar as tradições baseadas no assento de Moisés. Cadeira de Moisés é mencionado no Antigo Testamento. Fontes rabínicas nos mostrar que lugar de Moisés foi baseado na tradição oral que remonta a Moisés. O mesmo Jesus que condenou a tradição humana no Capítulo 15, valida tradições autênticas no Capítulo 23. Ele diz que os mestres da lei e os fariseus se sentar na cadeira de Moisés. Portanto, você deve obedecer a eles e fazer tudo o que lhe dizer.
    Convido você a ler Judas 14-16. Qual foi a fonte de Judas para este informações sobre Enoque? Não há absolutamente nada de escritura. Jude está usando esta informação para nos ensinar profeticamente e com autoridade. Novamente, é a tradição oral. O Livro de Enoque foi um livro apócrifo que foi escrito cerca de 100 aC. Jude desenhou a partir deste Livro de Enoque para nos ensinar. Como ele era o sétimo de Adão, para que isso seja informação de confiança, era a tradição oral que passou este para baixo a partir do momento do evento, até que foi escrita há milhares de anos após o evento. Judas está usando isso para nos ensinar, e é, portanto, obrigatória para nós. No entanto, mostrando um outro de falsidade da sola scriptura.
    Não há dúvida de que a palavra de Deus deve ser obrigatória para os cristãos. A Igreja Católica ensina isso. No entanto, não há nenhuma indicação na Bíblia de que a palavra de Deus é apenas contida na forma escrita. A Igreja Católica ensina que a palavra de Deus é a oral, bem como a escrita. Há muitos versículos para apoiar isso, mas um casal deve ser suficiente. 1 Pedro 1:25 diz: “Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que o evangelho é pregado a você”. Note, não diz a palavra que o evangelho está escrito para você, e depois pregou. Ele diz que, pelo evangelho que é pregado para você. É oral, e é tão inspirado quanto o que foi escrito. Quanto tempo que Deus diz a palavra de Deus vai durar? Mais uma vez, que o verso diz que vai durar para sempre. Em Atos do Apóstolo vemos em muitos lugares os Apóstolos pregando a palavra de Deus, sem o conteúdo de sua pregação a ser escrito. Por exemplo, em Atos 13:05, depois de ter sido encomendado pela igreja, Paulo e Barnabé pregaram a palavra de Deus em Salamina aos judeus. No entanto, nada está escrito em nenhum lugar que os conteúdos eram. Em Atos 20:27, 31-32, Paulo diz que ele ensinou 3 dias anos e noite todo o conselho de Deus aos Efésios. Devemos acreditar que a carta aos Efésios, apenas 6 capítulos curtos esgota tudo o que Paulo ensinou? De jeito nenhum! Em seguida, ele elogiou o povo a palavra de Deus – a maioria do que ele ensinou oralmente. Leia Isaías 59:21 e a profecia da nova aliança. Ele diz que como a nova aliança será transmitido de geração em geração, por via oral. Nada sobre a escrita. Romanos 10:17 diz: a fé vem pelo ouvir, eo ouvir pela palavra de Deus. A palavra de Deus é oral. Isso é o que a bíblia diz. Sola scriptura diria que vem pela leitura. Não há um versículo na Bíblia que diz a palavra de Deus escrita é a única palavra de Deus. Tradição é o meio pelo qual nós sabemos o que essa palavra oral de Deus é.
    E sobre os apóstolos que foram comissionados para pregar? Apenas João, Mateus e Pedro realmente escreveu tudo o que aparece no Novo Testamento. Você está me dizendo que os outros não fazem o seu trabalho? Todos fizeram o seu trabalho, que era de pregar o evangelho, assim como Jesus havia comissionado para fazer. Por exemplo, Thomas foi para a Índia e estabeleceu uma igreja lá. A igreja que traça-se a Thomas tem todas as crenças católicas que estão constantemente a lixeira pelos protestantes. O que Thomas e os outros apóstolos ensinaram foi a palavra de Deus, mesmo que não foi escrito. Tradição é o meio pelo qual nós sabemos que os apóstolos ensinaram oralmente. Todas as crenças católicas são baseados neste. Todas as crenças católicas pode ser rastreada até os primeiros séculos, bem antes de existir um imperador Constantino. Os fatos são conclusivos para quem estuda a sério a história da igreja. O trato que foi dado a nós era tanto uma má caricatura do que acreditamos, e uma deturpação dos fatos. Se estamos realmente interessados na verdade, vamos olhar para o que a Igreja ensinou nos primeiros séculos através dos próprios cristãos, e não por pessoas que estão vivendo no século 20 que têm eixos para moer e distorcer a Igreja Católica.
    O que a Bíblia diz é a coluna eo fundamento da verdade? Qualquer que seja a Bíblia diz, que é o que você diz que passar. 1 Tm 3:15 diz que a igreja do Deus vivo é a coluna eo fundamento da verdade. Ela não diz coluna e baluarte da verdade, desde que a escritura leva-lo. Se a Bíblia diz que a escritura era a coluna eo fundamento da verdade, os evangélicos usaria isso como um texto de prova para sola scriptura. Você diz que a igreja é qualquer um que aceita Jesus como Senhor e Salvador. Eu fiz isso, então tem Joe, muitos pentecostais, luteranos, presbiterianos, batistas, não-confessionais pessoas como você, etc Agora você teria de dizer que todas essas pessoas, uma vez que constituem a igreja, são o pilar e fundamento da verdade. Você tem que estar brincando, eles discordam em muitas coisas importantes. Uma vez que eles discordam em tantas coisas, não há nenhuma maneira que eles podem ser uma coluna e baluarte da verdade. O engraçado é que todos vão por sola scriptura! Coluna e baluarte da verdade é um baluarte que não desmoronar e não deixa espaço para erro doutrinário. Você precisa de uma igreja visível, a fim de 1 Tm 3:15 para fazer qualquer sentido razoável. Isso, claro, é a Igreja Católica, a única igreja que traça-se de volta a Jesus.
    Em João 20:30 e João 21:25 diz que muitas coisas que Jesus fez que não estão escritos no evangelho. Em 2 e 3 João 12 João 13, João diz que as coisas lá muitos que iria escrever, mas ele preferia vê-lo face a face. A tradição oral no trabalho. Em meio a grande comissão de Jesus disse em Mateus 28:20 ensiná-los a observar todas as coisas, e não apenas as coisas que eles vão escrever. Mais uma vez, Jesus disse-lhes para não escrever nada.
    Tradição no Novo Testamento está no paradosis grego, que significa transmitir (ou seja, um preceito), na mão. Ele pode ser negativo, pode ser positivo. Na Bíblia, o homem-made tradição que contradiz a palavra de Deus é condenado, mas a tradição da igreja é sempre afirmou. Na semana passada, Rev. Payne disse que não queria nada com a tradição. Se isso for verdade, então ele não deve ter nada a ver com a bíblia. 2 Tessalonicenses 2:14-15 diz: “Ele os chamou para isso por meio de nosso evangelho, a fim de compartilhar da glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, irmãos, sede firmes e conservai as tradições que foram ensinadas, seja por palavra da boca ou por carta. ” O evangelho, portanto, consiste de tradições orais e escritas. Observe que a Bíblia é chamado de tradição escrita. Se você é contra a tradição, de acordo com esta passagem que são contra a bíblia. Observe que a tradição oral é colocado no mesmo plano, e é de fato mencionado em primeiro lugar em 2 Tessalonicenses 2:15. Não há menção da tradição oral apenas explicando o que é a tradição escrita. A Igreja confessa a tradição de vida a que estamos obrigados por obediência à Bíblia. Aqui Paulo importa tradição estados de naturalidade. Ele não sente a necessidade de defender uma tradição viva, ele assumiu. O Tessalonicenses sabia o que ele estava falando. Onde é que a tradição de estar? Na Igreja Católica, diferente de interpretações particulares da Bíblia.Nesse trato das heresias supostos ele disse que o Concílio de Trento fez tradições em pé de igualdade com a Bíblia. O trato foi desligado por cerca de 1500 anos.Paulo fez, ele próprio, esse versículo. Na verdade, de acordo com Paulo, se você deixar de fora a tradição oral que você está deixando de fora a metade do evangelho.
    Como Paulo diz a Timóteo para espalhar a fé? Será que ele dizer copiar o que eu escrevo, e distribuir essas cópias para que todos possam ler, interpretar por si próprios, e apenas tê-los pedir ao Espírito Santo para guiá-los? Não, em vez disso, ele diz em 2 Timóteo 2:02 “E a coisa que você me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam capazes de ensinar a outros.” Note que ele diz o que você ouviu de Paulo. Essa é a palavra oral de Deus através de tradição de trabalho. Não, Timóteo, que foi ordenado como Paulo menciona em 1 Tm 4:14 e 2 Tm 1:6, é dito para proclamar o que Paulo ensinou-lhe por via oral. Aqueles Timothy-se a fazer a mesma coisa. Isso é exatamente o que a Igreja Católica tem feito por 2000 anos.
    Em 1 Coríntios 11:02 Paulo elogia os Coríntios que possuem com as tradições. Em 2 Tessalonicenses 3:6, ele comanda os crentes a ficar longe daqueles que não vivem de acordo com as tradições. Em outras palavras, se você não anda de acordo com a tradição viva da Igreja, você não está andando na plenitude da fé.
    A Bíblia não condena as tradições humanas em Mateus 15:3-9, Marcos 7, e Colossenses 2:8-9? Sim, Jesus e Paulo condenam tradições humanas que contradizem a palavra de Deus. A regra korban que Jesus condenou violado o mandamento de honrar os pais. Jesus dá ao povo a tradição, autêntica correta em Mateus 15 e Marcos 7. A Igreja Católica condena as tradições humanas que contradizem a palavra de Deus, assim como Jesus fez. A igreja está baseada na tradição apostólica, não é humano. Ataques à igreja com base nesses versos são superficiais ou não entender o que as tradições da igreja realmente ensinar. O trato que foi dado a nós foi um caso perfeito no ponto. Na verdade sola scriptura é um ser humano, tradição homem.
    Em 2 Pedro 1:20, Pedro condena interpretação particular, que é o coração da sola scriptura. Você vai notar que na esteira deste verso, você vê Peter destruindo falsos profetas e heresias em 2 Pedro 2. Em outras palavras, a interpretação privada, que está no centro da sola scriptura, leva diretamente a heresias. A doutrina da sola scriptura diz, de acordo com a Christian Research Journal, uma revista líder evangélico, que “a Bíblia tem clareza para além de quaisquer tradições para nos ajudar a entendê-lo. Todas as doutrinas essenciais para a salvação e viver de acordo com a vontade de Deus são suficientemente limpar. ” O que a Bíblia diz sobre como claro é? Ao falar sobre a escrita de Paulo, Pedro diz em 2 Pedro 3:16, “em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, nas quais há pontos difíceis de entender, que aqueles que são ignorantes e instáveis torcer para sua própria destruição, como fazem também o resto das escrituras. ” Pedro está nos mostrando que a interpretação privada em 2 Pedro 1:20 está diretamente ligada às heresias de 2 Pedro 2, e os torcedores dos escritura de 2 Pedro 3.
    2 – Sola Scriptura é a-histórico. Quando Jesus subiu ao céu, o que ele deixou para trás, um livro ou uma igreja? A propagação da Igreja durante décadas, muito antes dos livros do Novo Testamento foram escritos e reunidos. O primeiro livro do Novo Testamento não foi escrito até mais de 20 anos depois que ele subiu. O último livro não foi escrito antes de 50 ou 60 anos depois que Jesus deixou. Levou 350 anos para qualquer pessoa para dar uma lista de escritura definida, a bíblia.Como esses últimos cristãos de todos esses anos, mesmo sem uma lista de escritura se Jesus quis dizer que eles seguem a Bíblia sozinho? Quando Jesus subiu ao céu, ele deixou para trás uma igreja que foi liderada por Pedro e os apóstolos. A Bíblia veio dessa igreja, não a igreja da Bíblia. Já havia uma coluna e baluarte da verdade: a igreja que, desde então, durou 2000 anos, a Igreja Católica.
    A igreja que Jesus estabeleceu formalmente definido que a escritura foi nos anos 393 e 397. Até que ponto houve muito debate sobre o que foi escrituras. A maioria dos livros da Bíblia não chegam a afirmar inspiração. Há muitos livros que se alegou ter sido escrito pelos apóstolos, que foram rejeitados pela Igreja Católica.Havia outros, como a carta escrita pelo Papa Clemente de Roma, no século primeiro para o Corinthians, que foram lidos como se fossem Escritura nos primeiros séculos. Você já leu a Didaqué, Carta de Barnabé, Pastor de Hermas? Nos primeiros séculos cristãos, alguns desses escritos considerados como escritura. Você sabe que também houve muita disputa nos primeiros séculos sobre se o livro do Apocalipse, Hebreus, Tiago, Judas, 2 Pedro, eram de fato escritura? Que finalmente decidiu? Agora, se há uma igreja infalível, que pode infalivelmente decidir as coisas com base na autoridade que lhe foi dada por Deus, então eu poderia saber que os 27 livros do Novo Testamento são realmente inspirada por Deus, e eu tenho plena certeza de que o que eu tenho é Deus. Se você rejeitar a igreja católica, você não tem essa garantia. Se você tem certeza de que a igreja entrou em erro sobre Maria, os sacramentos, a tradição, e assim por diante, então por que você aceitar o Novo Testamento, que a Igreja declarou para ser verdade. Que base você tem? Deus fala diretamente para você e dizer “a carta de Filemon é inspirada por Deus?”É assim que você sabe que é a palavra de Deus? Se você usar esse argumento, você está falando como os mórmons, que dizem que, a fim de verificar o Livro de Mórmon, você pedir ao Espírito Santo, e ele vai te mostrar. Por favor, mostre-nos nas escrituras como que é a maneira bíblica de descobrir o que é escritura.
    Como você sabe que Mateus escreveu o evangelho de Mateus, Marcos escreveu Mark? Nos manuscritos originais, nenhum dos evangelhos dizem que escreveu estes livros. Eu sei que por causa da tradição oral da Igreja Católica. Essa é a igreja que fez para ele. Temos de ser capazes de provar que Mateus escreveu Mateus, porque ele é um apóstolo de Jesus. Se ele não foi escrito por ele, não há nenhuma base para acreditar. Sua sola scriptura doutrina lhe dá absolutamente nenhuma base para saber que o evangelho de Mateus é apostólica. Será que você também sabe que houve um outro livro que foi reivindicado ter sido escrito pelo apóstolo Mateus? Como você sabe que este livro não pertence a bíblia? Você não tem absolutamente nenhuma razão para rejeitá-la, porque você rejeitar a Igreja Católica, que declarou a um evangelho de Mateus como autêntico, eo outro livro uma falsificação. Historicamente, sola scriptura não tem fundamentos.
    3 – Sola Scriptura é ilógico – Dentro da escritura não existe uma lista de livros que afirmam o cânone. Na verdade, no Novo Testamento, o único livro que verifica a sua própria canonicidade é o Livro do Apocalipse. No entanto, como disse antes, houve muita disputa por séculos se mesmo o Livro do Apocalipse foi escritura, até a Igreja afirmou a sua autenticidade nos Conselhos de Cartago e Hipona, no final do século IV. Como você pode confiar em uma doutrina que nem mesmo afirmar que os livros constituem escritura?
    Mesmo se fez escritura nos dizer o que era escritura, como você sabe se a acreditar nisso? Eu acredito que o Corão eo Livro de Mórmon inspiração reivindicação.Talvez nós temos as escrituras erradas?
    Se você concorda que a igreja era infalivelmente correta em que as escrituras foram o Novo Testamento, então como você pode dizer que eles eram heréticos sobre os sacramentos, Maria, purgatório, tradição, etc? Se eles tem essas áreas desarrumada, como você pode acreditar neles sobre o que constitui a bíblia?
    Os sola scriptura argumento pressupõe o cânon como ele levanta a questão sobre a autoridade. Sola Scriptura é, portanto, ilógico.
    4 – Sola Scriptura é inconsistente – Todos nós temos uma tradição, se queremos admiti-lo ou não. A tradição das quais tiramos é autoritária. Por exemplo, se você permitir que alguém em sua igreja a pregar com sua bênção para que o batismo é necessário para a salvação? O que se procurou a escritura duro e eles pensam que João 3:5 significa batismo? Você permitiria que ser pregado em sua igreja? Eu sei que há muitas pessoas como BB Warfield que sustentam que os carismáticos, os dons espirituais saiu com a morte do último apóstolo. Alguns acham que não há milagres mais ordenada por Deus, e falar em línguas é do diabo. Essas pessoas afirmam vir para estas posições pela Bíblia sozinho. Se você saiu de férias para um par de semanas, você permitir que alguém da laia de Warfield a pregar com sua bênção que os dons de cura e espiritual não são mais válidas. Não, sua tradição é muito autoritário para permitir isso. E se enquanto você estava de férias que você visitou igreja BB Warfield, e você queria pregar especificamente sobre os dons espirituais e ao fato de que ainda existem apóstolos. BB Warfield seria permitir que você pregar sobre isso? Não, sua tradição seria muito autoritário para permitir isso.
    A Bíblia foi escrita em hebraico e grego. Ambos estão confiantes de outra pessoa conhecimento do hebraico e grego, e da cultura bíblica, a fim de moldar a sua opinião. Estamos todos confiando em seres humanos de alguma maneira nas traduções para Inglês do hebraico e grego. Ambos estão confiantes de outra pessoa conhecimento do hebraico e grego, e da cultura bíblica, a fim de moldar a sua opinião. Estamos todos confiando em seres humanos em alguém de alguma maneira nas traduções para Inglês do hebraico e grego.
    Você tem uma grande seleção de livros no escritório, que ajudou a formar a sua teologia atual que você tem, portanto, desenhado a partir de tradições, embora você não pode querer chamá-lo assim. Sola Scriptura é uma tradição que começou no século 16. A salvação pela fé sem a obediência a Deus é uma tradição que foi iniciada em que século também. Todo o espectro de questões teológicas têm uma tradição que começou em um momento ou outro. Há pessoas como Gerry Matatics, que já foi um mal-informado anti-católico, que encontrou a plenitude da verdade na Igreja Católica através da Bíblia. Ele foi excomungado pela Igreja Presbiteriana, embora ele passou a Bíblia, ea Igreja Presbiteriana supostamente honra a Bíblia sozinho. Sola Scriptura é, portanto, inconsistente.
    Então, a questão é outra vez, não se segue uma tradição autoritária um, mas é a tradição que pode ser atribuída a Jesus e os apóstolos? Se a sua tradição não pode ser atribuída aos apóstolos, é uma tradição feita pelo homem. Como a verdade de Deus não pode mudar, a nossa teologia tem que ter sido encontrado no primeiro, terceiro, sétimo, séculos 13, 15, 17 e 20. Se ele não pode ser encontrado durante todo esse tempo, então não pode ser apostólico, com base em promessas de Jesus em Mateus 16:18-19, 28:20, 16:13 e John.
    5 – Sola Scriptura é impraticável – Como resultado da Sola Scriptura, houve milhares de denominações e grupos dissidentes. A maioria das dissoluções foram com base na interpretação privada, ou sola scriptura no trabalho. O que a Bíblia ensina sobre o batismo, o modo de batismo, como você está salvo, você pode perdê-la quando você chegar, dons carismáticos, sacramentos, o tipo de milênio, comunhão, da liderança da igreja, etc Esses são apenas alguns dos questões que as igrejas têm se separaram em, com base em como as pessoas privadas interpretar as Escrituras. É assim que Deus quer que seus filhos sejam? Por todas as contas que tem levado a denominacional, e até mesmo o caos não-confessional.
    Em comparação, a olhar para a Constituição dos EUA. Se o governo estava dom da mesma forma como foi praticado sola scriptura, teríamos 240 milhões interpretar a Constituição dos EUA sua própria maneira privada. Pediam o espírito de Thomas Jefferson para orientá-los para a sua correta interpretação da Constituição. O que temos? Anarquia total. Os autores da Constituição achou por bem ter um Poder Judiciário que pode interpretar a Constituição. Você pode dizer, bem, nós temos o Espírito Santo e ele é sobrenatural, e ele nos guiará até a verdade. Isso é o que todas as denominações dizer como vão para fora em suas interpretações variadas. O Espírito Santo apenas guias para a verdade, e é blasfêmia perto de dizer que o Espírito Santo vai causar confusão. São os autores da constituição mais prático do que Deus?
    Como é a impraticabilidade de sola scriptura comparar com o objectivo de o evangelho. João 16:13 – No entanto, quando ele, o Espírito da verdade vier, ele vos guiará a toda a verdade para ele lhe dirá que está para vir, Efésios 4:4 – Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; 1 Coríntios 1:10 – Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos falam a mesma coisa, e que não haja divisões entre vós, mas para que você ser perfeitamente unidos em um mesmo pensamento e No mesmo acórdão. Sola Scriptura é, portanto, impraticável e leva a ser anti-bíblica de outro modo.
    6 – Sola Scriptura é improvável – Gostaríamos de dizer que esta doutrina fundamental do cristianismo, pelo menos de acordo com Lutero, Calvino e todos os protestantes, foi perdida durante 1500 anos. Não havia dúvida de que os adversários da Igreja Católica nos primeiros séculos se seletivamente citar as Escrituras.No entanto, ninguém, dentro ou fora da igreja colocar-se como uma plataforma a doutrina da Bíblia sozinho como a única autoridade. Gostaríamos de dizer que há 1500 anos os cristãos em todos os lugares errados. Todos os médicos da igreja, todos os santos entendeu errado. Wycliff no final do século 14 surgiu pela primeira vez com ele apenas quando discordava com o papa. Os teólogos em sua própria faculdade condenaram como absurda.
    Todos os cristãos falavam de uma tradição viva ao lado da Bíblia, para fazer a Bíblia infalível na realidade, não apenas na teoria. Jesus teria de ter adormecido ao volante por 15 séculos, até Lutero finalmente acertou. Sola Scriptura é, portanto, improvável.
    Há muitos pontos a mais bíblicas e históricas que eu possa apontar como eu mostrar a inadequação da sola scriptura. No entanto, se os pontos deste artigo que eu escrevi não pode ser refutada, em seguida, a teologia protestante, seja Batista, Luterana, Anglicana, não-confessional, presbiteriana, metodista, etc, que tem como fundamento a sola scriptura, é falsa. A maioria dos protestantes apenas supor que somente a Bíblia é a maneira correta de encontrar a verdade, mas como tenho mostrado esta visão é falsa.

  3. O ASSÉDIO DAS SEITAS EVANGÉLICAS AOS CATÓLICOS QUE NÃO ESTUDAM A DOUTRINA CATÓLICA

    O contexto abaixo destina-se aos católicos para que estejam preparados para os ataques constantes de maus protestantes aos dogmas e confissões de fé da Santa Igreja.
    Lembramos que nem todos os protestantes observam o catolicismo com hostilidade e não poucos fiéis e pregadores realizam boas obras e assumem compromissos sólidos com a palavra de DEUS.
    Abaixo, conforme já disse, apresento uma espécie de sugestões que visam afugentar membros de denominações que se dizem protestantes, as quais insistem em polêmicas e que visam atacar dogmas de fé e preceitos católicos.
    Reconheço que é direito de todo e qualquer cidadão exercer livremente sua fé e até mesmo propaga-la, desde que tal empenho não venha demandar qualquer ato de violência ou grave ameaça. Repudio toda e qualquer forma de discriminação religiosa.
    Comecemos:
    A abordagem de um protestante a um católico desinformado sobre a Santa Igreja inicia-se geralmente da seguinte maneira:
    Protestante: “Posso falar um minutinho com o senhor ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O Senhor crê em DEUS ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor crê na Bíblia ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor concorda que a Bíblia é a verdade ?”
    Nesse ponto o católico será doutrinado e muitas vezes convencido.
    A resposta do católico a pergunta do protestante naturalmente é sim. Lógico que o católico crê na Bíblia.
    Então o protestante diz, por exemplo:
    “O senhor diz crer na bíblia. Portanto, o senhor concorda que tudo aquilo que está fora da Bíblia não deve merecer crédito ?”
    Resposta de um católico sem instrução: “Sim. O que está fora da Bíblia tem que ser rejeitado.”
    O católico está pronto para questionar a fé católica e o magistério da Santa Igreja.
    Prossegue o protestante: “O senhor poderia me mostrar pela Bíblia onde está escrito que Maria é medianeira ?”
    Ou então: “O senhor poderia me mostrar na Bíblia onde está escrito que Maria foi assunta ao céu ?”
    O católico não instruído e que concordou com o protestante começa a se enrolar.
    A resposta católica à pergunta protestante deveria ser:
    Católico: “Creio sim na Bíblia. Creio tanto que sigo o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade. E dessa forma, não questiono seus dogmas e confissões de fé. Não duvido, não divido e não careço de provas. Creio de todo o meu coração.”
    E o católico deveria perguntar ao protestante:
    “Onde está na sua Bíblia que própria Bíblia é a única fonte de revelação ?
    Infelizmente, grande parte dos católicos desconhece que o depósito integral da fé católica constitui-se de Sagradas Escrituras,Tradição Apostólica e o magistério da Igreja. Por isso o católico acaba por aceitar os argumentos protestantes.
    Não estamos obrigados a provar nada pela Bíblia. São os protestantes que estão obrigados. Foram eles que acataram as heresias de Lutero homem.
    O fato é que sempre que se parte de premissas falsas, chega-se a conclusões igualmente falsas.
    A Bíblia não se auto define como única fonte de revelação. Este é um questionamento que o protestante não faz a si mesmo.
    Quem lhe dá certeza de que a Bíblia é a única fonte de revelação se ela nada fala a respeito de si própria como tal ?
    Em verdade, o protestante copia a doutrina de Lutero. Lutero homem, portanto, falho.
    Outra pergunta que um católico poderia fazer ao protestante é:
    “Onde está na sua Bíblia a relação dos livros inspirados ?”
    Ora, se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados, só é possível ao protestante crer na Bíblia se vier aceitar a autoridade católica, já que foi a Santa Igreja que compilou e definiu todos os textos e livros.
    O que Lutero homem, adúltero e bêbado fez, foi retirar livros e distorcer tantos outros. Eis a Bíblia protestante !
    Como o protestante pode ter certeza se os livros que consulta são aqueles que foram inspirados se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados ?
    Para provar que sua Bíblia é a Bíblia correta, o protestante necessariamente terá que sair da Bíblia e crer em homens.
    Na prática, quando o protestante “provar” que a sua Bíblia é a Bíblia correta, estará em verdade dizendo que nem tudo está na Bíblia, pois a sua “veracidade” só poderá ser demonstrada fora da Bíblia que nada diz respeito sobre ser única fonte de revelação ou sobre os livros inspirados.
    O protestantismo é contraditório em si mesmo.
    Algumas sugestões práticas podem ajudar aos católicos a inibirem o proselitismo protestante.
    Vejamos alguns exemplos:
    Sabemos que a Bíblia não é contraditória em ponto algum e portanto, não seria possível que a mesma se auto definisse como única fonte de revelação e ao mesmo tempo instruísse os cristãos a seguirem o magistério da Igreja.
    Faça como eles. Peça o texto bíblico que define a Bíblia como única fonte de revelação.
    Certamente eles não encontrarão o texto e então o católico poderá dizer-lhe:
    “A Igreja e somente a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. Sem a Igreja a verdade não se sustenta.”
    Quando um protestante disser, por exemplo, que crianças não devem ser batizadas, pergunte onde está escrito na Bíblia que não se deve batizar crianças e que todos só devem ser batizados quando tiverem “entendimento” ou quando decidirem levantar o dedo e “aceitar Jesus” em algum templo protestante?
    Pergunte logo a seguir por que ele não recita o pai nosso que está na bíblia e que Jesus professou ? E peça sempre os textos bíblicos.
    Quando o protestante começar a citar dogmas católicos que ele julga que não encontram referências bíblicas, pergunte outra vez: “você crê na bíblia ? “
    Pergunte ainda: “você crê de fato que a bíblia é 100% verdadeira ? “ Ele responderá sim. Não terá outra saída.
    Então diga: “A Igreja é coluna e sustentáculo da verdade”.
    Conclua: “Eu sigo o magistério da Igreja.”
    E pergunte: “você faz o mesmo ou crê em sua interpretação pessoal ? “ E logo a seguir afirme. “A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter individual.”
    Se ele disser que segue o magistério da Igreja, pergunte de que Igreja ele está falando se nenhuma das igrejas protestantes existiam quando da compilação que deu origem a Bíblia.
    O protestante poderá alegar que pertence a Igreja Invisível. Eles utilizam muito tal expressão para justificarem sua rebeldia contra a Santa Igreja.
    Aproveite e pergunte onde está na Bíblia que existe uma igreja invisível ? Peça o texto bíblico que fala claramente sobre a Igreja invisível.
    Nós é que podemos falar em Igreja invisível. A Igreja nos ensina que igreja é muito mais do que construções.
    Em algum momento ele dirá que a palavra de Deus manda examinar as escrituras. Eles confundem examinar com interpretar.
    Você pergunta mais uma vez: “O senhor já leu na bíblia que nenhuma interpretação é de caráter individual ? “
    Quando não possuem respostas eles fazem duas outras perguntas fora do contexto inicial. Fique atento. Só se deve passar para outro tema havendo a conclusão do tema anterior.
    Ele tentará dizer: “a bíblia manda ir a todo lugar e pregar.”
    Então lhe diga: “Ora, se a cada protestante pode ler a Bíblia e interpreta-la, ao invés de dízimos, por que não a impressão de Bíblias para todos ? “
    E acrescente também: “Se você é inspirado pelo Espírito Santo quando lê a Bíblia, basta você entregar uma Bíblia para o seu irmão que ainda não crê que o próprio Espírito Santo irá iluminá-lo e orienta-lo também.
    O protestante poderá então dizer que a fé vem pelo ouvir. Então diga que se a fé vem pelo ouvir, e de fato vem, é melhor escutar o que a Santa Igreja ensina do que confronta-la a partir de um leitura meramente privada.
    E se todos que são protestantes já estão salvos pelo Sola Fide (basta crer), por que eles continuam pregando para quem já está salvo a partir de cultos e reuniões que celebram?
    Pergunte, por exemplo, onde está escrito que Lutero é santo ?
    Ele dirá que Lutero não é santo ou que não existe amparo bíblico para considera-lo como tal. Então emende:
    “Lutero não é santo ? Você está me dizendo que ele é pecador como eu ou você ?”
    Eles gostam de jogar com palavras e estão prontos para usar tudo que você disser contra você mesmo. Ele terá que dizer que Lutero era pecador.
    Então pergunte por que ele segue a teoria de Lutero sobre o Sola Scritpura (Só a Bíblia) se sabe que Lutero era pecador ?
    Antes que ele responda, pergunte se ele já leu na bíblia: “maldito o homem que confia em outro homem” ?
    Se você fosse protestante debochado diria que se ele permanecer confiando em outro homem, no caso Lutero, estará afrontando a bíblia e andando fora da Palavra. Essas são expressões que eles gostam. Mas não use de escárnio. Isto não nos fica bem.
    Se você fosse protestante ainda poderia dizer-lhe para olhar somente para Jesus. Eles sempre dizem isso para nós.
    Por certo ele ficaria irritado e já não seguiria a doutrinação mental que recebeu. Mas nesta hipótese, usando deboche e presunção, que méritos teríamos ? Concentremo-nos nos ensinamentos da Santa Igreja e deixemos de lado os chavões comuns aos protestantes.
    Talvez nem seja necessário esse grande número de questionamentos que apontei para um católico se ver livre do assédio de um mau protestante.
    Talvez você não tenha experiência ou eloquência para sustentar um debate tão prolongado e tão cheio de nuances.
    Alguns doutrinadores protestantes dizem que eles não devem insistir com alguém resistente. Segundo um destes doutrinadores, se um não quer, tem 8 ou 9 que são frágeis e, portanto não se deve perder tempo com aqueles que oferecem resistência.
    Você só não pode esperar que ele facilmente concorde com você e se converta. O objetivo é dispersá-lo.
    A conversão de um protestante ao catolicismo raramente se dá por exercício intelectual.
    O protestante é filho de Lutero. E quando falamos filho e não seguidor, é porque até mesmo Lutero é seguido apenas parcialmente.
    Apenas quando lhes interessa, em especial no Sola Scriptura para afrontar o catolicismo.
    Portanto, sendo filhos de Lutero, são necessariamente auto suficientes e apologistas de suas próprias doutrinas particulares.
    Cada protestante é uma espécie de dono da Bíblia. Professor, mestre, teólogo, rei, sacerdote, profeta e sempre julgará conhecer mais de catolicismo do que o próprio católico. Se consideram superiores ao Papa e mesmo ao Magistério da Igreja de 2000 anos.
    Não aceitam nem mesmo os seus pares, razão pela qual fundam milhares de denominações.
    Se chamado atenção, o protestante muda de denominação, faz beicinho, nega fala, rompe relacionamentos, sai de casa, larga família, deixa a denominação e vai para outra, quando não funda a sua própria seita.
    Mesmo apontando alguns de seus pares como hereges, estes mesmos, quando o adversário é o catolicismo ou quando a questão é meramente estatística, rapidamente voltam a ser irmãos em Cristo e todos estão salvos e todos são bênçãos.
    É comum ouvir um crente dizendo: “Já somamos 20% da população brasileira.” É como se este crente conhecesse todos os demais crentes, todas as denominações e ao mesmo tempo fosse possível a todos pregarem o Cristo verdadeiro ao mesmo tempo que cada um prega um Cristo diferente do outro.
    O MAU protestante é um divisor por excelência. Por onde passa divide, questiona e jamais agrega. Só protesta e nada atesta. O protestante é ávido por falar e nunca está pronto para ouvir. Tudo quer ensinar e nada quer aprender. E como sabemos, quem sabe de tudo não carece de instrução.
    Nós católicos, por nada sabermos é que seguimos o magistério da Igreja. Por isso nenhum de nós tem seguidores, mas todos seguimos a voz do pastor.
    Eles costumam dizer que “tomaram posição diante de DEUS.” Eles gostam desse chavão, entre tantos que criaram. Judas também tomou posição diante de DEUS. O Resultado todos já conhecem.
    Estivemos muito tempo adormecidos e a nossa mansidão aprendida na Igreja foi tratada como covardia pelos nossos “juízes”. Está na hora de reagirmos com sabedoria, rejeitando sempre qualquer tipo de violência, difamação, ofensas e preconceitos, mas jamais esquecendo que devemos combater a heresia, até mesmo por amor ao próximo, e, sempre, sempre, sempre, defender a Santa Igreja e a honra e dignidade da Santíssima Virgem. Combatamos o bom combate e não recusemos a perseguição.
    Conclusão:
    Lembrem-se católicos que não estamos obrigados a responder ou provar nada pelo Sola Scriptura(Só a Bíblia).
    Nós seguimos o magistério da Igreja. Seguimos a Bíblia e a Tradição. É o protestante que está obrigado pelo princípio criado por Lutero homem.
    Nossa fé pode ser explicada pela tradição e pelo Magistério da Igreja.
    A fé protestante não pode ser explicada pela Bíblia.
    Este é o “pulo do gato” do protestante.
    Imaginem que eu cobre de um ateu a guarda do domingo..
    Seria estúpido da minha parte, sabendo que ele não é cristão, fazer-lhe tal cobrança.
    Agora imaginem que eu faça esta mesma cobrança, sendo que eu mesmo não guardo o domingo.
    Pois é. O protestante que escolheu para si o critério antibíblico “Só a Bíblia”, estabelece para nós o mesmo critério. Critério para o qual não estamos obrigados.
    E ele mesmo, que criou para si e para os demais o critério “Só a Bíblia”, é o primeiro a ignorá-lo quando, entre muitas situações, não observa a proibição da interpretação privada e a consagração da igreja como coluna e sustentáculo da verdade.
    Poderíamos citar uma série de inobservâncias às disposições bíblicas cometidas pelos protestantes. Mas nem precisamos. Se um protestante não é igual ao outro em matéria de fé e doutrina, e, se todos utilizam a mesma Bíblia, é óbvio que, não havendo concordância, tem alguém andando fora da Bíblia
    Não estamos dizendo que católicos são melhores do que protestantes ou que podemos julgar a fé que reside no coração de cada ser humano.
    Estamos apenas defendendo a fé católica contra os ignorantes e os maus. Reconhecemos até mesmo que é direito de qualquer homem ou mulher permanecer no erro doutrinário se assim desejarem.
    Respeito o direito de qualquer homem ou mulher aderirem à fé, crença ou religião que mais lhe agradam.
    Paz em Cristo e Salve Maria.
    Autor: A. Silva/V. De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor.

    • Tenho pena de quem escreveu este artigo,e te digo que você não conhece a Igreja católica, não conhece a bíblia, e não sabe nada sobre religiões, protestantes, evangélicas, nem história geral, etc…, Enfim, não conhece a Deus, nem tampouco, o seu poder salvador, te tornes para Deus e escreva alguma coisa que se tenha finalidade e leve a alguém a santa paz da Igreja e de Deus!

Os comentários estão desativados.