Provas arqueológicas confirmam que o Apóstolo Pedro viveu e morreu em Roma


Testemunhos literários e prova arqueológica confirmam a Apologética Católica e refutam os argumentos contra o primado Petrino

 
Por Mons. Vitaliano Mattioli*

Resolver essa pergunta é importante porque este “morrer de Pedro em Roma e ser enterrado em Roma”, capital do Império Romano, sempre foi interpretado pela Igreja como uma vontade implícita de Cristo, fundador da Igreja, que o Bispo de Roma deve ser considerado o sucessor de Pedro e o seu Vigário na terra.

Temos testemunhos literários que confirmam tudo isso:

1- A carta do Papa Clemente de Roma aos Coríntios (ano 96). Falando da perseguição de Nero, ano 64, escreve: “Lancemos os olhos sobre os excelentes apóstolos: Pedro foi para a glória que lhe era devida… A esses homens … juntou-se grande multidão de eleitos que, em consequência da inveja, padeceram muitos ultrajes e torturas, deixando entre nós magnífico exemplo” (5,3-7; 6,1).

2- Ireneu (140-203),  Bispo de Lião-França, escreveu uma obra importante “Contra as Heresias”. Nesta nos confirma a chegada de Pedro a Roma: “À maior e mais antiga e conhecida por todos, à Igreja  fundada e constituída em Roma, pelos dois gloriosíssimos apóstolos  Pedro e Paulo” (III, 3, 2); “Os bem-aventurados apóstolos que fundaram e edificaram a Igreja romana transmitiram o governo episcopal a Lino” (III, 3, 3).

3- Tertuliano (160-250), no escrito “Sobre o Batimo”: Não há nenhuma diferença entre aqueles que João batizou no Jordão e aqueles que Pedro batizou no Tibre” (IV, 3).  O Tibre é o rio que atravessa Roma; de tal forma que Tertuliano confirma a presença de Pedro em Roma.

4- Eusébio de Cesaréia  (260-340), na sua “História Eclesiástica”: “O  apostolo Pedro  na Judéia, empreendeu uma longa viagem além-mar… para o Ocidente, veio para Roma” (História , II, 14, 4-5).  “Nero foi também o primeiro de todos os inimigos de Deus, que teve a presunção  de matar os apóstolos. Com efeito conta-se  que sob o seu reinado Paulo foi decapitado em Roma.  E ali igualmente Pedro  foi crucificado. Confirmam tal asserção os nomes de Pedro e  de Paulo, até hoje atribuidos aos cemitérios da cidade” (História, II, 25, 5).

5- Ainda Eusébio  refere o testemunho do Presbítero Gaio (ano 199)  que viveu durante o pontificado do Papa Zefirino (199-217), no seu escrito contra Proclo, chefe da seita dos Montanistas: “Nós aqui em Roma temos algo melhor do que o túmulo de São Filipe. Possuímos os troféus dos apóstolos fundadores desta Igreja local. Vai à via Óstia e lá encontrareis o troféu de Paulo; vai ao Vaticano e lá vereis o troféu de Pedro” (História, II, 25, 6).

6- O mesmo Eusébio nos refere outros testemunhos. No livro II refere o testemunho de Dionísio bispo de Corinto (ano 170): “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina evangélica. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio na mesma ocasião” (História, II,25,8).

7- Orígenes, (185-253),  na obra Comentários ao Gênesis, terceiro livro  (conservado na História  de Eusébio, III,1, 2):  “Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo, conforme ele mesmo desejara sofrer”.

Além desses testemunhos, foram encontrados e decifrados grafites anônimos dos séculos II e III escritos sobre o túmulo de São Pedro localizado durante as escavações arqueológicas realizada debaixo da Basílica do Vaticano nas décadas de 50 e 60 (do séc. XX) que confirmam a sepultura do Apóstolo Pedro em Roma: “Pedro está aqui.” (=Petros Eni) , “Pedro, pede a Cristo Jesus pelas almas dos santos cristãos sepultados junto do teu corpo”, “Salve, Apóstolo!”,  “Cristo e Pedro” , “Viva em Cristo e em Pedro”,  “Vitória a Cristo, a Maria e a Pedro”.

Em 1953 foi achado um antigo túmulo hebraico com a inscrição “Simão filho de Jonas”.

Provas arqueológicas.

Em 1939, o Papa Pio XII iniciou uma série de escavações debaixo da basílica de São Pedro. Nessas buscas descobriu-se, entre outros restos, o que se julga ser o túmulo de São Pedro.   A descoberta foi anunciada pelo Papa Pio XII no Ano Santo,  Radiomensagem de natal, 23 de dezembro de 1950:

“As escavações debaixo da Confissão mesma, pelo menos enquanto se relacionam com a tumba do Apóstolo … e seu exame científico, foram, durante este Ano jubilar, concluídas muito bem. Este resultado foi de suma riqueza e importância. Mas a questão essencial é esta: A tumba de São Pedro foi realmente achada? A tal pergunta a conclusão final dos trabalhos e dos estudos responde com um claríssimo Sim. A tumba do Príncipe dos Apóstolos foi encontrada. Uma segunda questão, subordinada à primeira, diz respeito às relíquias do Santo. Estas já foram descobertas? Na beira do túmulo foram encontrados restos de ossos humanos, que no entanto não é possível provar com certeza que pertencem aos restos mortais do Apóstolo. Isto deixa, portanto, intacta a realidade histórica da tumba. A cúpula gigantesca foi erguida justamente sobre o sepulcro do primeiro Bispo de Roma, do primeiro Papa; sepulcro originalmente muito humilde, mas sobre o qual a veneração dos séculos posteriores com maravilhosa sucessão de obras ergueu o maior templo do Cristandade”.

Paulo VI continuou as escavações. A resposta positiva a apresentou na Audiência Geral da Quarta-feira, 26 de junho de 1968: “Uma segunda questão, subordinada à primeira, diz respeito às relíquias do Santo. Elas foram encontradas? A resposta então dada pelo venerável Pontífice foi duvidosa. Novas investigações pacientíssimas e precisas foram feitas mais tarde com resultados que Nós, confortados pelo juízo de prudentes e valiosas pessoas competentes, acreditamos que seja positivo: também as relíquias de São Pedro foram identificadas… Temos razão para acreditar que foram encontrados os poucos, mas sacrosantos restos mortais do Príncipe dos Apóstolos, de Simão, filho de Jonas, do Pescador chamado Pedro por Cristo, daquele que foi eleito pelo Senhor como fundamento da sua Igreja, e ao qual o Senhor confiou  as chaves supremas do seu reino, com a missão de apascentar e de reunir o seu rebanho, a humanidade redimida, até a sua última vinda gloriosa”.

Os estudos continuaram. O mesmo Paulo VI, na Audiência Geral da quarta-feira, 28 de junho de 1978, voltou ao assunto: “Sim, a prova histórica, não somente da tumba, mas também dos seus veneradíssimos restos mortais, foi encontrada. Pedro está aqui, onde a análise documentária, arqueológica, cheia de indícios e lógica finalmente nos indica… Nós temos assim o consolo de ter um contato direto com a fonte da tradição apostólica romana mais segura, aquela que nos garante a presença física do Chefe do Colégio dos primeiros discípulos de Jesus Cristo em Roma”.

* Mons. Vitaliano Mattioli, nasceu em Roma em 1938, realizou estudos clássicos, filosóficos e jurídicos. Foi professor na Universidade Urbaniana e na Escola Clássica Apollinaire de Roma e Redator da revista “Palestra del Clero”. Atualmente é missionário Fidei Donum na diocese de Crato, no Brasil.

Se gostou do artigo acima, ajude-nos a divulgar os conteúdos do Blog. Compartilhe nossos textos em sua rede social favorita! Curta nosso blog no botão FaceBook abaixo

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica, História de Igreja, Papado & Primazia de Pedro e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

37 respostas para Provas arqueológicas confirmam que o Apóstolo Pedro viveu e morreu em Roma

  1. Antonio Mário disse:

    Cara Hellen, vejo que há distorções em seu comentário em relação ao meu. Em que parte do meu comentário fui preconceituoso para com o Catolicismo? Apenas não me vejo obrigado a concordar com certas colocações que não tem referências bíblicas ou com interpretações bíblicas que acho ser incorretas. Por favor não exagere! Dizendo estar eu mal-intencionado. É apenas liberdade de expressão e de pensamento. Será que o preconceituoso sou eu?
    Em momento nenhum eu disse que Paulo era o líder dos apóstolos. Mas confirmo que Pedro, e não Paulo, era líder entre os apóstolos e não superior a eles. Falei de liderança compartilhada pois o que faziam eram de comum acordo. Jesus passou três anos preparando 12 líderes para que continuassem sua missão após sua partida. Apenas um se perdeu! Judas.
    Quando a senhora fala que Deus não nos deixou apenas um livro, eu concordo. Deixou vários livros ou inscritos que foram introduzidos, séculos mais tarde, em um só livro (Bíblia Sagrada).
    Talvez este meu comentário não seja postado, pois só seja publicado o que lhe convém. Ainda percebo que quando não tem como rebater um comentário meu, nem publica.
    Publicações de pessoas parceiras de suas opiniões e convicções, rebatendo em tons de ofensas o comentário de outras pessoas, principalmente de protestantes, a senhora libera a publicação.
    Se a senhora quiser que só os católicos apostólicos romanos participem de suas publicações, faça então em redes privativas e não aquelas de acesso livre o todo o público que usa a internet. É penas uma sugestão.

    Paz

    Curtir

    • Hellen disse:

      Prezado,

      Sobre esse seu comentário vou mencionar apenas uma coisa: Sabe, qdo os evangélicos nos chamam de Católicos Romano (com letra minúscula, ainda por cima), parece-me pejorativo, mas mais do que isso, é um grande erro.

      Católico quer dizer UNIVERSAL. A Igreja tem sede em Roma, mas sua alçada é UNIVERSAL. Não somos uma denominação. Somos A IGreja, a única. Essa coisa de ter que usar Denominação surgiu apenas com a reforma, porque pouco depois do grande rompimento, surgiram tantas, mas tantas vertentes divergentes entre si, que o “protestante”, então já não mais em consonância um com o outro, sentiu a necessidade de denominar. Ou seja, eu Sou Luterano, eu sou Calvinista, Eu so isso, eu sou aquilo… E ai, imagaine só, tinham também que entre eles garantir que ficasse bem claro, que são tudo menos Católicos Romanos. Foi daí que se difundiu a necessidade de tal expressão.

      Apesar de a Santa Igreja ter seus ritos latinos (aqueles praticados pela Igreja do antigo Império Romano) e os Orientais (aqueles praticados nas regiões abrangidas pela então Constantinopla), a Igreja permaneceu Católica. Hj chamada de Católica Ocidental – com as suas peculiaridades caracteristicas de lá, e Romana, com as Caracterisiticas do Rito e tradições Latinos.

      A Igreja Católica Armenia e outras tantas que estão em comunhão com Roma são simplesmente Católicas, mas por infelicidade e convenção histórica, hoje elas mesmos se denominam Católica Isso ou Aquilo… Uma lástima, mal-hábito herdado sem razão de ser.

      Mas isso é assunto longo pra tratar aqui. Basta que no futuro o sr SAIBA que chamar o Igreja de ROMANA é um erro que mostra desdém. Se essa não é sua intenção. Aconselho humildimente que pare com isso.

      Pax Domini
      Hellen

      Curtir

  2. Elinael Oliveira de Araujo disse:

    O Grande problema destas discussões é sobre Pedro e o inicio da Igreja. Primeiro quem a fundou, como todos falam e o sabem, foi Cristo e ponto final, não há necessidade de impor a qualquer apóstolo esta cruz, ela já é de Jesus. Segundo, que a Igreja começou em Roma, a Bíblia relata que foi em Jerusalém, e depois se espalhou pelo mundo, e Jesus não fundou uma Igreja, ele fundou o Reino de Deus, o que passar disso, é procedência maligna.

    Curtir

    • Hellen disse:

      Se Elinael

      Obrigada pela participação. Mas o Sr está mal informado.

      Nem a Igreja nem os historiadores afirmam que a igreja tennha nascido em Roma!

      A Igreja Católica alega, na minha opinião com razão, que ela é a legítima igreja fundada por Cristo em Seu ministério durante sua breve passagem pela terra, mas precisamente Jerusalém.

      A igreja afirma que Cristo designou a Pedro o ofício vitalício de pastorear Suas ovelhas.

      Ao fundar o OFÍCIO (cargo) de Bispo chefe, Cristo sinalizava que ao findar-se a vida terren do Bispo – no caso Pedro – o OFÍCIO (cargo) não se findaria. Devendo o mesmo ser passado a outro por sucessão.

      Pax Domini

      H.

      Curtir

  3. Natan disse:

    Com relação ao texto de Mt 16:18 é perda de tempo discutir o fundamento da “igreja”. Penso que é simples assim:
    – Pedro é o fundamento da igreja católica? Que seja! E que Cristo continue sendo o fundamento da igreja protestante.

    Curtir

  4. Bruno Mendonça disse:

    – Ireneu (140-203), Bispo de Lião-França, escreveu uma obra importante “Contra as Heresias”. Nesta nos confirma a chegada de Pedro a Roma: “À maior e mais antiga e conhecida por todos, à Igreja fundada e constituída em Roma, pelos dois gloriosíssimos apóstolos Pedro e Paulo” (III, 3, 2); “Os bem-aventurados apóstolos que fundaram e edificaram a Igreja romana transmitiram o governo episcopal a Lino.

    Resposta: “Eu li esse texto de Irineu, e entendi que ele explica a fundação da Igreja de Cristo em Roma, justamente por Pedro e Paulo. A existência da Igreja do Senhor em Roma, começou justamente pela evangelização de Paulo e Pedro aos romanos, e quando eles já formaram uma congregação em Roma, deixaram por responsabilidade uma pessoa e provavelmente alguns homens para lidera a Igreja em Roma.
    Mas analisando as Escrituras, vemos que a primeira Igreja do Senhor edificou de fato e foi formada, foi a Igreja de Jerusalém em Israel (Mateus 16:18), não em Roma, com o derramar do Espírito Santo (Atos 2:1-13), com a instituição dos primeiros diáconos (Atos 6:1-7), a primeira reunião, ou seja, o primeiro concilio da igreja com tomadas de decisões acerca da doutrina cristã (Atos15:1-35) e etc.

    – O mesmo Eusébio nos refere outros testemunhos. No livro II refere o testemunho de Dionísio bispo de Corinto (ano 170): “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina evangélica. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio na mesma ocasião” (História, II,25,8).

    Resposta: Olhe bem do Eusébio diz: “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina EVANGÉLICA.” Ou seja, isso significa que a doutrina que eles pregavam, era a doutrina do Evangelho de Cristo, e não do Catolicismo Romano que existe hoje com suas regras de fé religiosas, mas sim, nos ensinamentos de simplicidade do Evangelho do Senhor e sua luz.

    Resumindo! A morte de Pedro e Paulo não significa que a Igreja Católica Romana, seja uma a primeira Igreja fundada e única do Senhor, pois isso é uma alegação exclusivista. Pedro e Paulo foram perseguidos e morreram em Roma, porque viveram piamente em Cristo Jesus (2 Timóteo 3:12).

    Curtir

    • Bruno

      O nome Católico foi documentado pela primeira vez – aos cristãos – em Antioquia, por volta de 100 d.C. Carta essa redigida pelo bispo de Antioquia, Santo Inácio, discípulo de Pedro, o apostolo. Entenda que no comecinho da era cristã, os discípulos de Jesus eram chamados de nazarenos, e por volta dos anos 50 d.c, na mesma Antioquia – comunidade fundada por Pedro -, foram chamados de Cristãos – Logo depois, na mesma Antioquia, os mesmos cristãos foram chamados: Católicos.

      Doutrina Evangélica é pq veio do Evangelho de Cristo. Saiba meu caro que a nomenclatura: ” evangélicos” só surgiu pos-reforma protestante, isso depois de mais de 1700 d.C.

      Os documentos que o irmão estudou se refere a CATÓLICOS.

      Paz e Graça.

      Curtir

    • Sebastião Carlos de Freitas disse:

      Pedro e Paulo são os verdadeiros fundados da Igreja,e a igreja que Jesus fundou em toda Jerualem,Samatia,Judéia com ajuda de Pedro,Paulo,e os outros apostolos não vale nada?

      Curtir

      • Hellen disse:

        Isso é uma contradição à Palavra de Deus. Nao foi isso que Cristo disse em Mateus 16,18

        Curtir

        • Antonio Mário disse:

          O apostolo Pedro, que por sinal era casado (Marcos 1:30), nunca foi o primeiro papa. A incumbência que ele recebeu, os outros apóstolos também igualmente receberam. Estudando o Novo Testamento observamos que há mais relatos dos feitos do apóstolo Paulo do que de Pedro que, pelo que me parece, se restringiu a pregação da palavra, apenas, nas regiões de Israel, principalmente em Jerusalém, enquanto Paulo, além de líder da igreja, foi um missionário, levando a pregação da palavra em locais mais longínquos, fora do território de Israel.
          Segundo alguns teólogos Paulo foi o maior dos apóstolos de Cristo, aquele que possuía todos os dons espirituais e com certeza se Paulo estivesse aqui na terra, ainda vivo, não iria se considerar o maior e sim o menor. Se alguém tivesse que ser o primeiro Papa este alguém seria Paulo.
          O texto de Mateus 16:18 diz: ‘Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. ’ O nosso Senhor usou várias vezes este símbolo da pedra referindo-se a Si mesmo (Mat. 21:42; Lucas 20:17-18). Jesus também se referiu à Pedra como sendo a Sua Palavra, à qual é o único alicerce seguro para o homem (Mateus 7:24-25)
          Paulo claramente afirma que Cristo é o único fundamento da Igreja (I Cor. 3:11). Pedro também diz que Cristo é o fundamento (a Rocha) sobre o qual construímos o templo espiritual como pedras vivas ou tijolos? (Ver Efésios 2:21; I Pedro 2:4-8).
          O Novo Testamento foi escrito, originalmente, todo em grego.
          Como então se deve interpretar a passagem de Mateus 16:18? Na língua grega existem dois termos para pedra: 1º – ‘petra’ que significa uma enorme massa de rocha, a qual além de ser grande, é fixa ou imóvel; 2º – ‘petros’ que significa uma pequena pedra, ou um pedregulho.
          Assim podemos dizer, segundo os originais grego, que Cristo se dirigiu a Pedro desta forma: Tu és ‘petros’ (pedregulho) e sobre esta ‘petra’ (rocha, se referindo a Si mesmo), construirei a minha Igreja. Na parábola registrada em Mateus 7:24-27, Cristo diz que o homem sábio constrói sua casa sobre a Rocha, e que qualquer edifício construído sobre…Pedro? Sobre um homem falho como este discípulo, que negou Cristo por três vezes, era mesma coisa que construir sua casa sobre a areia.

          Grato.

          Curtir

          • Hellen disse:

            Bastante equivocado o seu comentário e suas conclusões, infelizmente.

            O sr. recusa-se a ver aspectos tão óbvios do Cristianismo que chega a doer a alma, pois sei que não se trata de “cegueira” causada por uma venda que obscuresse a vista, mas pela infeliz existência do preconceito contra o Catolicismo.

            O Apóstolo Pedro era o líder apontado pelo próprio Cristo em Pessoa! O Cristão que não vê isso, na minha opinião, está perigosamente mal-intencionado. Não é só no texto de Mateus 16,18 que isso é expresso, não. Mas por todo o Novo Testamento vemos e comprovamos o lugar de liderança Paternal (daí a palavra Papa, que em Latim quer dizer PAI) do apóstolo Pedro, que não apenas por ser o mais velho dos apóstolos, ponto muito importanta na sociedade judaica do tempo bíblico, mas por sua personalidade claramente de lider, foi escolhido para apascentar as Ovelhas do Rebanho Cristão.

            Como sei disso? Note em todas a passagens onde há relatos de interação de Cristo com Seus Apóstolos, é sempre Pedro aquele a tomar a palavra ou a agir na condição de líder. Mas não apenas por isso, mas porque esse é o Modo Operandi divino. Vejamos:

            Na verdadeira Igreja de Deus, a forma de governo utilizada é a mesma estrutura ou método que Deus sempre usou. É uma forma hierárquica de governo, de cima para baixo. Há sempre uma pessoa à frente de qualquer unidade a ser governada. Considere o seguinte:

            Na família de Deus, o pai sempre foi supremo em autoridade. Sob o Pai, o Verbo fez a obra da criação (João 1, 1-3). Foi o Verbo que foi imolado desde a fundação do mundo (Apocalipse 13, 8). Foi Ele quem se tornou Melquisedeque, Sumo Sacerdote de Deus, e foi Ele que se tornou o Filho de Deus. E Ele claramente declarou que o Pai era maior do que Si mesmo (João 14,28).

            Em uma família humana piedosa, o marido, que está sob Cristo, tem autoridade sobre a esposa (Gênesis 3,16; Efésios 5,23, 1 Pedro 3, 1).

            A congregação de Israel foi chamada de a “Igreja no Deserto” (Atos 7,38). Nesta igreja do Antigo Testamento, o padrão de governo era o mesmo. Moisés era o líder Patriacal, designado por Deus, e quem, por sua vez nomeou outros sob si (Êxodo 18, 21-22).

            Na Igreja do Novo Testamento que Cristo fundou, Este foi o padrão consistente de governo. Vamos provar isso agora.

            O apóstolo maior

            Quando Cristo fundou a Igreja, Ele escolheu 12 discípulos. Mateus diz-nos quem eram. “Agora, os nomes dos doze apóstolos são estes: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão … “(Mateus 10, 2). Será que a palavra “primeira”, como usada aqui implica ordem cronológica? Não! O Evangelho de João mostra o apóstolo André conheceu Cristo antes de seu irmão Pedro! (João 1, 35-42). Andre foi quem disse a Pedro que tinha encontrado o Messias, então Andre era “primeiro” nesse sentido. Contudo, por que Mateu chamaria Pedro “o primeiro” (protos, em grego)?

            Obviamente, Pedro não era “o primeiro” em ordem cronológica. Em vez disso, eu era o primeiro no sentido de primasia, o líder, ou chefe, dos apóstolos. Isso é o que Mateus precisamente declare em 10,2. E, não é coincidência que os historiadores cristãos sempre se referiam à Pedro especificamente como o apóstolo “chefe”!

            A preeminência de Pedro

            Além de declaração explícita de Mateus que o principal apóstolo foi Pedro, há muitas outras Escrituras que mostram que Peter era o líder da Igreja primitiva. Observe o seguinte:

            Mateus 16, 16-19- À Pedro somente são dadas as “chaves” do reino dos céus! Mais tarde, a autoridade de “ligar” e “desligar” foi dado aos outros apóstolos também (ver Mateus 18,18), mas somente Pedro recebeu as “chaves” (autoridade e significando poder, ver Apocalipse 1,18 e também prefigurada no antigo testamento, no gesto do Rei Davi, que deu as chaves do seu reino ao seu PRIMEIRO ministro. Mas Cristo as deu ao Seu PRIMEIRO apóstolo).

            Marcos 3, 16 Jesus deu à Simão outro nome: Pedro, que significa “pedra” (João 1,42). Visto que Cristo era A ROCHA, deu ao seu apóstolo-chefe o nome apropriadamente condizente com sua condição para simbolizar a missão de Pedro. Isso significaria sua posição e autoridade Diretamente SOB Cristo.

            João 21, 15-17-A nomeação para alimentar o rebanho de Cristo é dada três vezes a Pedro.

            Atos 2, 14-41- No Pentecostes, foi Pedro quem deu o primeiro sermão, e cerca de 3.000 foram convertidos. Além disso, foi Pedro quem deu as instruções sobre o batismo.

            Atos 5, 3-10- Foi Pedro que falou com Ananias e Safira, e percebendo a fraude, os levou a caírem mortos!

            Atos 5, 15- Apenas a sombra de Pedro passando sobre o doente poderia curá-los!

            Atos 8, 18-23- Foi Pedro quem censurou Simão Magus, o feiticeiro.

            Atos 9, 38-41- Pedro levantou Tabitha (Dorcas) dentre os mortos.

            Atos 11, 1-18-Foi Pedro que declarou aos outros apóstolos como Deus havia concedido o arrependimento e a salvaçãoaos gentios.

            Atos 15, 7 Apesar de Paulo ter recebido, em última análise, a missão de evangelizar os gentios, Cristo escolheu primeiro a Pedro para levar o evangelho a eles!

            1 Coríntios 15, 5-7 Depois de Sua ressurreição, Jesus apareceu para Pedro antes de qualquer dos outros apóstolos.

            Gálatas 2, 7- O evangelho da circuncisão foi entregue à Pedro.

            Quando examinamos as Escrituras, é claro que Pedro teve primazia sobre todos os outros apóstolos. Então nós vimos que o padrão de governo na família de Deus, na família humana piedosa, na Igreja do Antigo Testamento e na Igreja primitiva do Novo Testamento é tudo a mesma coisa. Mesmo quando dois Seres estão perfeitamente unidos como um só, como na família de Deus, esse padrão é verdadeiro, Deus-Pai é supremo sobre Cristo! O governo de Deus, quando adequadamente administrado, tem sempre uma pessoa responsável encarregada! Cristo é “o mesmo ontem, e hoje, e eternamente” (Hebreus 13, 8).

            A Conferência ou Concílio de Jerusalém

            Alguns acreditam que a conferência de Jerusalém em Atos 15 mostra os apóstolos chegaram a um consenso antes de chegar a uma decisão se os gentios deviam ou não serem circuncidados. Eles presumem que a decisão foi tomada após todos estarem de acordo. Se for verdade, isso seria defender a noção de que os apóstolos tinham a mesma autoridade.

            Armstrong disse: “Este capítulo, cerne fundamental [Atos 15], tem sido mal interpretado, torcido e distorcido” (Worldwide News, 19 de fevereiro, 1979). Também tenho afirmado, “A conferência de Jerusalém (Atos 15) mostrou que Pedro foi predominante mesmo sobre Paulo ….” Lembrando ainda que Paulo, depois de discernir seu chamado para conversão a Cristo e heraldo do Evangelho, foi antes de tudo pedir a benção dos apóstolos (Gálatas 1, 18-19), dentre os quais CEPHAS, Pedro, foi aquela a a quem Paulo escolheu passar 15 dias discutindo e discernindo seu chamado para ser o heraldo do Evangelho aos gentios.

            18. Depois, passados três anos, subi a Jerusalém para visitar a Cefas, e demorei com ele quinze dias. 19. Mas não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.
            (Gálatas 1:18,19)

            Numa segunda visita à Jerusalém, 14 anos mais tarde, Paulo mesmo declara ter submetido seu evangelho aos apostolos por medo de “… subi outra vez à Jerusalém com Barnabé, levando também Tito comigo. 2.E subi em conseqüência de uma revelação. Expus-lhes o Evangelho que prego entre os pagãos, e isso particularmente aos que eram de maior consideração, a fim de não correr ou de não ter corrido em vão.” Isso mostra que Paulo próprio não se considerava o líder, pois foi compartilhar seu Evangelho para receber a benção daqueles que ele, Paulo, julgava, de “maior consideração”.

            Em Atos 15, encontramos que esta questão da circuncisão dos gentios engendrava “muita disputa”, “longa discussão” ou “controvérsia afiada”, com diferentes traduções ao verso 7. Após o debate e após ouvir todos os lados, levantou-se Pedro para resolver a disputa. Aviso depois que eu falei, que “toda a multidão se calou”, “não houve mais discussão” e que “este silenciado todo o conjunto”, como diferentes versões traduzem o verso 12. Como visto o historiador Armstrong colocou, “Os outros apóstolos e Ministros foram todos em confusão, argumentando e discutindo. Mas Cristo silenciou-os, falando por meio de Seu Escolhido apóstolo chefe, Pedro! “(Ibid.).

            Paulo e Barnabé, apena continuaram o concílio prosseguindo com “a notícia de que Deus operou através de seu ministério” (ibid.). Armstrong afirmou: “Eles não estavam dando o seu contributo para a questão em disputa, a questão já tinha sido encerrada e resolvida: por Pedro!” Como pastor da igreja de Jerusalém, “Tiago apenas confirmou a decisão de Pedro, tornando-a oficial” (ibid.). Então nós vemos ministério em torno da decisão porque apoiaram o escritório de Pedro como apóstolo chefe. A Bíblia não diz que houve um consenso antes da decisão ter sido tomada!

            Governo de Deus é de cima para baixo, essa é a maneira como funciona a família de Deus e na família humana criada por Deus. Esta abordagem foi usada no Antigo Testamento e igrejas do Novo Testamento. E vai ser implementada no Mundo Amanhã sobre toda a terra!

            Pax Domini!
            Hellen Walker

            Curtir

            • Antonio Mário disse:

              O seu ponto de vista em dizer que é bastante equivocado ao meu comentário e conclusão é o mesmo ponto de vista que faço ao seu.
              Não vejo nenhuma referência bíblica que Pedro era um líder acima de qualquer outro apóstolo. Havia entre eles uma liderança compartilhada.
              Além disso, se Pedro fosse a maior liderança cristã da época, Atos 24:5 estaria certamente com o seu nome ali, e não com o de Paulo: “Temos achado que este homem é uma peste, e promotor de sedições entre todos os judeus, por todo o mundo, e chefe da seita dos nazarenos” (Atos 24:5). Pelo contexto, vemos que esse que é considerado “o chefe da seita dos nazarenos” (cristãos) é Paulo (v.2), e não Pedro, que sequer é mencionado em qualquer lugar da segunda parte do livro de Atos (nos capítulos 16 a 28).
              Essa declaração registrada por Lucas no livro de Atos foi feita por um famoso advogado chamado Tértulo, que estava tentando incriminar Paulo (v.1). Pedro já se fazia presente em Roma exercendo toda a autoridade de seu “primado” naquela época, mas quem é que Tértulo aponta como sendo esse chefe? Paulo! Isso nos leva a concluir que não existia uma primazia de Pedro, o que o tornaria um reconhecido líder dos cristãos, mas vários nomes proeminentes, dentre os quais se destacava o do apóstolo Paulo.Era Paulo o que mais se destacava dentre todas as lideranças cristãs da época. A palavra empregada no original grego neste texto de Atos 24:5 foi protostates, que, de acordo com a Concordância de Strong, significa:um que se encontra na liderança; líder, chefe, campeão.

              Curtir

              • Hellen disse:

                Se não vê “nenhuma referência bíblica” depois de tudo que eu mostrei e refutei no meu comentário anterior e no próprio artigo acima, quer dizer então que não é apenas uma questão de interpretação equivocada, mas infelizmente, como eu disse antes, trata-se do anti-catolicismo obsessivo. Vocês querem tanto refutar a Igreja Católica, que com isso põe em risco a própria doutrina cristã. Acham que em reconhecendo-se o fato de que Deus, em sua Divina sabedoria, não nos deixou um livro apenas – que aliás só veio a existir como nós o conhecemos hoje após a invenção da imprensa escrita, por volta de 1400 – mas que Deus também nos deixou, assim como havia feito com os Judeus, um líder para ser a sua Voz na terra, estarão validando aquilo que ensina a Santa Igreja. Verdade, estariam mesmo validando a Doutrina Católica, mas se a verdade é o que importa, seja ela contra ou a favor de suas convicções atuais, então que o Cristão bem-intencionado deve tentar encontrá-la!

                Encerro minha discussão com o sr., pois terei mais sucesso tentando convencer um muro de concreto do que um protestante.

                Pax Domini,
                H

                Ps- Pela sua lógica, como é que o sr consegue chegar à conclusão de que Paulo, e não Pedro, era o Líder dos Apóstolos? Onde está a tal “referência Bíblica” que o senhor demanda pra Pedro, mas releva para Paulo? E, o que signfica “referência Bíblica” pro senhor? Certamente não é possível que signifique Citação explícita afirmando que Pedro é o líder dos apóstolos, porque se for isso, seu argumento a respeito da Primazia de Paulo, cai por terra abaixo! Pois não há passagem explicita em nenhum dos casos. Porém, a respeito de Pedro há inúmeras inferências plausíveis para apoiar o meu argumento!

                Curtir

  5. EDMILSON disse:
    Primado Papal – Pensamentos patrísticos VAMOS LÁ: “Apesar de arte Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” – Mateus 16:18 Palavras dos Padres da Igreja Primitiva, Santos, Conselhos etc que confirmam que Pedro é a pedra de que fala Mateus 16:18 Tertuliano [AD 200] Era nada retido a partir do conhecimento de Pedro, que é chamado de “a rocha sobre a qual a Igreja seria construída” [Matt. 16:18] com o poder de “ligar e desligar no céu e na terra” [Matt. 16:19] “(_Demurrer Contra o Heretics_ 22). // Tertuliano [AD 220] Eu agora investigar a sua opinião, para ver onde você usurpar esse direito para a Igreja. Você presumo, porque o Senhor disse a Pedro: “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, eu lhe dei as chaves do reino dos céus” [Mateus 16:18-19a] que o poder de ligar e desligar tem, assim, foi entregue a você, isto é, para cada igreja semelhante a Pedro? Que tipo de homem é você, subvertendo e mudando o que era a intenção manifesta do Senhor, quando ele conferiu isso pessoalmente a Pedro? Sobre vós, diz ele, eu edificarei a minha Igreja, e eu te darei as chaves, não para a Igreja, e tudo o que você deve ter ligado ou que você tenha desligado, não o que deve ter ligado ou que tenha desligado “( _on Modesty_ 21:09-10_). // ORIGENES [AD 249] Olhe para [Pedro], a grande fundação da Igreja, que a mais sólida das rochas, sobre a qual Cristo edificou a Igreja [Matt. 16:18]. E o que nosso Senhor disse a ele? “Oh gente de pouca fé”, diz ele, “por que duvidaste?” [Matt. 14:31] (Homilias sobre Êxodo 05:04). // ST. Cipriano [AD 251] O Senhor diz a Pedro: “Eu digo a você”, diz ele, “que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela E a ti darei as chaves. do reino dos céus, e tudo o que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, que será desligado também no céu “[Matt.16:18-19] …. Por que ele constrói a sua Igreja, e para ele, ele dá o comando para alimentar as ovelhas [João 21:17], e embora ele atribui um poder como a todos os apóstolos, ainda que ele fundou uma única cadeira, e ele estabeleceu pela sua própria autoridade de uma fonte e uma razão intrínseca para que a unidade. Na verdade, os outros estavam também o que Pedro foi, mas a primazia foi dada a Pedro, em que fica claro que não há senão uma Igreja e uma cadeira. Assim, também, todos são pastores, o rebanho é mostrado para ser um, alimentado por todos os apóstolos em single-minded acordo. Se alguém não se apegam a essa unidade de Pedro, ele pode imaginar que ele ainda mantém a fé? Se ele abandonar a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi construída, ele ainda pode ter a certeza de que ele está na Igreja? (A Unidade da Igreja Católica). // “Com um falso bispo nomeado por si mesmos, os hereges, eles se atrevem sequer a zarpar e levar cartas de cismáticos e blasfemos à Cátedra de Pedro e com a Igreja diretor [em Roma], em que a unidade sacerdotal tem a sua fonte, nem eles ter pensado que estes são romanos, cuja fé foi elogiado pelo apóstolo pregação, e entre os quais não é possível a perfídia ter entrada. ” (Cipriano, Carta 59 (55), 14 a Cornélio de Roma, c. AD 252) // “[Depois de citar Mateus 16:18 f, João 21:15 ff] … Sobre ele [Pedro] Ele edifica a Igreja, e para ele, Ele dá o comando para alimentar as ovelhas, e embora Ele atribuiu um poder como a todos os Apóstolos , no entanto, ele fundou uma única cadeira, e Ele estabeleceu pela sua própria autoridade de uma fonte e uma razão intrínseca para que a unidade De fato, os outros estavam também o que Pedro era;., mas a primazia é dada a Pedro, pelo que é claro que há apenas uma Igreja e uma cadeira. Assim também, todos são pastores, o rebanho é mostrado para ser um, alimentado por todos os Apóstolos em single-minded acordo. Se alguém não se apegam a essa unidade de Pedro, ele pode imaginar que ele ainda mantém a fé? Se ele abandonar a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi construída, ele ainda pode ter a certeza de que ele está na Igreja? ” (Cipriano, A Unidade da Igreja Católica [primeira edição] 4, c. 251 dC) // “Não há um só batismo e um só Espírito Santo, e uma Igreja fundada por Cristo, nosso Senhor a Pedro, como fonte e princípio da unidade» (Epístola 60, Anúncio Januar). Firmilian [AD 255] Mas o que é o seu erro, e como é grande a sua cegueira, que diz que a remissão dos pecados pode ser dada nas sinagogas dos hereges e que não permanecem na base da única Igreja que foi fundada sobre a rocha por Cristo [Mateus . 16:18], pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse Peter sozinho para: “Tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, que será desligado nos céus” [Matt. 16:19] (_Letter para Cyprian_ 74 [75], 16). // E nesse sentido eu sou justamente indignado com essa loucura tão aberto e manifesto de [Papa] Stephen [i], que aquele que assim se orgulha do lugar de seu episcopado, e afirma que ele segura a sucessão de Pedro, a quem os fundamentos da Igreja foram estabelecidas [Mateus 16:18], deve introduzir muitas outras rochas e estabelecer novos edifícios de muitas igrejas, sustentando que não há batismo neles por sua autoridade … [o Papa] Stephen, que anuncia que ele tem por sucessão o trono de Pedro é agitada sem zelo contra [donatista] hereges, quando ele admite a eles, não a moderado, mas a muito maior poder de graça, tão longe para dizer e afirmar que, pelo sacramento do batismo, a sujeira do velho homem é lavado por eles, para que perdoe os pecados mortais formais, que tornam filhos de Deus pela regeneração celeste, e renovar a vida eterna pela santificação da pia divina [Tito 3:04] (ibid., 74 [75]: 17). // ST. IRENEU SÉCULO 2 “Todas as outras igrejas estão eram obrigados a estar unidos na fé com a Igreja (de Roma) por conta de sua maior principado” – Contra as Heresias, Livro III, cap.III). // Efrém, o Sírio [AD 350] [Jesus disse:] Simon meu seguidor, eu fiz-lhe a fundação da Santa Igreja [Mateus 16:18] Eu cedo chamá-lo de Pedro, porque você vai apoiar todos os seus edifícios. Você é o inspetor de quem vai construir na terra uma igreja para mim. Se eles desejam construir o que é falso, você, a fundação, irá condená-los. Você é o chefe da fonte da qual brota a minha palavra, você é o chefe dos meus discípulos. (Homilias 4:1). // ST. Optatus DE MILEVIS (AD 370) “Para o bem da unidade bem-aventurado Pedro, por quem teria sido o suficiente, se depois de sua negação tinha obtido pardone só, merecia ser colocado antes de todos os apóstolos, e só recebeu as chaves do reino dos céus, deve ser comunicada à o resto. ” (De Schismate Donatistorum, 7:3). “Você não pode negar, mas você sabe que, na cidade de Roma, a cadeira episcopal foi conferida pela primeira vez em Peter, onde pode sentar-se de todos os Apóstolos a cabeça, Peter, de onde ele foi chamado Cefas, que naquela cadeira unidade pode ser preservada por todos, nem os outros apóstolos cada disputar uma cadeira diferente para si mesmo, e que quem deveria criar outra cadeira contra a cadeira só pode ao mesmo tempo ser um cismático e um pecador ….. por isso Peter ocupado pela primeira vez que cadeira preeminente, que é a primeira das marcas [da Igreja], para o sucedeu Linus, para Linus Clement conseguiu, etc .. Você que desejam reclamar para si mesmos a santa Igreja, diga-nos a origem do seu. cadeira “- De Cisma. Donat. Lib. 2. // São Pedro, bispo de Alexandria (306-311 dC): Chefe da escola catequética em Alexandria, tornou-se bispo em torno de 300 dC, reinando por cerca de 11 anos, e morrendo uma morte de mártir. Peter, situado acima dos Apóstolos. (Peter de Alexandria, Canon. Ix, Galland, iv. P. 98) Santo Antônio do Egito (330 dC): Pedro, o Príncipe dos Apóstolos (Anthony, Epist. Xvii. Galland, iv p. 687). // Santo Atanásio (362 dC): Roma é chamado o trono Apostólica. (Atanásio, Hist. Arian, ad Monach. N. 35). O chefe, Peter. (Athan, In Ps. Xv. 8, tom. Iii. P. 106, Migne) // São Macário do Egito (371 dC): O chefe, Peter. (Macário, De patientia, n. 3, p. 180) Moisés foi sucedido por Pedro, que havia se comprometido a suas mãos a nova Igreja de Cristo, eo verdadeiro sacerdócio. (Macário, Hom. Xxvi. N. 23, p. 101) Dâmaso I [AD 382] Da mesma forma está decretado … [W] e ter sido considerado que deveria ser anunciado que, apesar de todas as Igrejas católicas espalhadas no exterior através do mundo incluem uma câmara nupcial de Cristo, no entanto, a Santa Igreja Romana foi colocado na vanguarda não por decisões conciliares de outras igrejas, mas recebeu a primazia pela voz evangélica de nosso Senhor e Salvador, que diz: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra -lo, e eu vou dar-lhe as chaves do reino dos céus, e tudo o que você deve ter ligado na terra será ligado nos céus, e tudo o que você deve ter desligado na terra será desligado nos céus “[Matt. 16:18-19]. O primeiro ver, portanto, é o de Pedro, o apóstolo, o da Igreja Romana, que não tem mancha nem defeito nem nada parecido (_O Decreto de Damasus_ 3). //////////////// Santo Epifânio, o arcebispo de Salamina (385): . “Em Roma, os primeiros apóstolos e bispos eram Pedro e Paulo e, depois, Linus, em seguida, Cletus, então Clement, o contemporâneo de Pedro e Paulo, a quem Paulo lembra em sua Epístola aos Romanos …. A sucessão dos bispos de Roma é a seguinte: Pedro e Paulo, Lino e Cleto, Clemente, Evaristo, Alexandre, Sisto, Telephorus, Higino, Pio, Aniceto, que eu já mencionei acima, em minha enumeração dos bispos (a panacéia contra todas as heresias 27,6. ) “Os homens santos são, portanto, chamado o templo de Deus, porque o Espírito Santo habita neles;. Que como chefe dos Apóstolos testemunha, ele que foi encontrado para ser abençoado pelo Senhor, porque o Pai havia revelado a ele Para ele, em seguida, fez o Pai revelar seu verdadeiro Filho, eo mesmo (Peter), além disso, revela que o Espírito Santo Este foi condizente no primeiro dos Apóstolos, que a rocha firme sobre a qual a Igreja de Deus é edificada e as portas do inferno não prevalecerão contra. que As portas do inferno são hereges e heresiarcas Pois em todos os sentidos foi a fé confirmada naquele que recebeu as chaves do céu,…. quem perde na Terra e liga nos céus Pois nele se encontram todas as questões sutis de fé Ele era . auxiliado pelo Pai, a fim de ser (ou seculares) da Fundação da segurança (firmeza) da fé Ele (Pedro) ouviu do mesmo Deus: ‘Apascenta os meus cordeiros “, que lhe confiou o rebanho, ele lidera o maneira admirável no poder de seu próprio Mestre “. (Epifânio, T. II. Na Anchor). Epiphanaius não só afirma o fato histórico de que Pedro foi bispo de Roma, que ele usa em sua refutação dos hereges. ////////////// JEROME [AD 393] “Eu falo com o sucessor do pescador, e que o discípulo da cruz. Seguindo nenhum chefe, mas Cristo, eu sou. Unidos em comunhão com vossa Santidade, isto é, em comunhão com a Cátedra de Pedro. Sei que é sobre que o rock que a Igreja foi construída. Quem come o cordeiro fora desta casa é profano. Se alguma não estar na arca de Noé, ele perecerá enquanto o dilúvio prevalece …. Quem não se reúne com você, espalha. ” – Carta ao Papa Dâmaso, Ep. xv. Damas pap. “Mas”, você [Jovinian] vai dizer, “era sobre Pedro que a Igreja foi fundada” [Matt. 16:18]. Bem … um entre os doze é escolhido para ser sua cabeça, a fim de remover qualquer ocasião de divisão. Mas por que não foi John [o discípulo amado] escolhido? (Contra Jovinian 1:26). ////////// AMBROSE [AD 380] [Cristo] fez resposta: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja …” Ele não poderia, então, fortalecer a fé do homem a quem, agindo por sua própria autoridade, ele deu o reino, a quem ele chamou de rocha, declarando assim que ele é o fundamento da Igreja [Matt. 16:18]? (Da fé cristã 04:05). “Pois eles não têm a herança de Pedro, que não têm a cadeira de Pedro, que, com a discórdia ímpio, eles rasgam em pedaços” – De Poen. Tom 2. Lib. 5. AMBROSE [AD 394] É a Pedro que ele diz: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” [Matt. 16:18]. Onde está Pedro, aí está a Igreja. E onde a Igreja, a morte não existe, mas a vida eterna (_on Doze Psalms_ 40:30). ///// São Júlio I (337-52) O Eusebianos acreditava que desde Roma reservava o direito de depor sem Novation Oriente do Oriente devem ter a liberdade para depor Atanásio sem a interferência do Ocidente. Julius respondeu a eles em uma carta que foi preservado por Atanásio: Convinha vós, amados, para vir para cá [a Roma], e não recusar, a fim de que este negócio poderá ser rescindido, por esta razão requer … Ó amado! … Pois mesmo que as infracções foram cometidas por estes homens, como você diz, o julgamento deveria ter sido, de acordo com a regra da igreja, e não assim … E por que nós não escrito especialmente no que diz respeito à igreja de Alexandria? Ou você é ignorante que este tem sido o costume, o primeiro a escrever para nós, e que, portanto, o que é apenas ser decretada a partir daqui? Se, portanto, qualquer suspeita caiu sobre o bispo lá [em Alexandria], era condizente para escrever a esta igreja. Não, portanto, eram as ordenanças de Paul, não têm assim os Padres entregou até nós. Este é um novo decreto, e uma nova instituição. Tenha paciência comigo, exorto-vos, pois o que eu escrevo é para o bem comum. Para o que temos recebido do bendito apóstolo Pedro, o mesmo que eu manifestarei a você.[Apol., 35. PG 25: 305-8] /// São Cirilo de Jerusalém, Patriarca (363) Nosso Senhor Jesus Cristo, então, tornou-se um homem, mas por muitos Ele não era conhecido. Mas querer ensinar o que não era conhecido, de ter reunido os discípulos, Ele perguntou: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem é?” … E tudo ficar em silêncio (pois foi além do homem de aprender) Pedro, o primeiro dos Apóstolos, o Chefe Arauto da Igreja, não usando a linguagem de sua própria descoberta, nem convenceu pelo raciocínio humano, mas com a mente iluminado pelo Pai, disse-lhe: ‘Tu és o Cristo, não apenas isso, mas’ o Filho do Deus vivo. ” (Cyril, Catech. Xi. N. 3) Para Pedro estava ali, que a traz as chaves do céu. (Cyril, Palestras Catequético AD 350). / Pedro, o líder principal e mais importante dos apóstolos, antes, uma menina três vezes negou o Senhor, mas mudou-se para a penitência, ele chorou amargamente.(Cyril, Catech ii. N. 15) / Em poder do mesmo Espírito Santo, Pedro, também o lugar dos Apóstolos ea chave portador do Reino dos Céus, curou o paralítico Enéias, em nome de Cristo.(Cyril, Catech. Xviii. N. 27) //////////////////////// São João Crisóstomo, Patriarca de Constantinopla (c. 387): “O próprio Chefe ou coroa dos Apóstolos, o primeiro na Igreja, o amigo de Cristo, que recebeu uma revelação, não do homem, mas da parte do Pai, como o Senhor dá testemunho dele, Pedro, dizendo:” Bendito és tu , & c. ‘ Esta mesma Peter, – e quando eu citar Pedro, nome que ininterrupta Rock, que firma Foundation, o grande apóstolo, o primeiro dos discípulos “- Homilia 3, On Penitência. //////// “E, no entanto, após um mal tão grande [negação de Nosso Senhor de São Pedro], ele voltou a levantar-lhe a sua antiga honra, e confiou ao seu lado, o primado sobre a Igreja universal”. – Homilia 5, sobre a penitência. / Pedro, o líder do coro dos Apóstolos, a boca dos discípulos, a Coluna da Igreja, o contraforte da fé, a Fundação da confissão, o Pescador do universo.(Crisóstomo, Hom T. iii). / Peter, que líder do coro, que a boca do resto dos Apóstolos, que o chefe da fraternidade, que um conjunto ao longo de todo o universo, que a Fundação da Igreja.(Chrys. Em illud hoc Scitote) / (Peter), a fundação da Igreja, os Corifeu do coro dos Apóstolos, o amante veemente de Cristo … que corriam por todo o mundo, que pescou o mundo inteiro, este Corifeu sagrados do coral abençoado, o ardoroso discípulo, que foi confiada com as chaves do céu, que recebeu a revelação espiritual. Peter, a boca de todos os Apóstolos, o chefe dessa empresa, o governante de todo o mundo. (De Eleemos, iii 4;… Hom de Dezem mille tal 3) / Naqueles dias levantou-se Pedro no meio dos discípulos (Atos 15), tanto como sendo ardente, e como confiada por Cristo com o rebanho … ele primeiro age com autoridade na matéria, como ter todos colocados em suas mãos; pois para ele, Cristo disse: “E tu, que está sendo convertido, confirma os teus irmãos. (Crisóstomo, Hom. Iii Act Apost. Tom. Ix). / Ele passou por cima de sua queda, e nomeou-o primeiro dos Apóstolos, por isso Ele disse: “Simão, Simão”, etc (em Ps CXXIX 2..). Deus permitiu que ele cair, porque Ele queria fazê-lo governador de todo o mundo, que, recordando a sua própria queda, ele poderia perdoar aqueles que deveriam escorregar no futuro. E isso o que eu disse não é adivinhar, ouvir o próprio Cristo dizendo: “Simão, Simão, etc ‘ (Chrys, Hom. Quod frequentador conveniendum sit 5, cf. Hom 73 em Joan 5). / E por que, então, passando pelos outros, que Ele conversa com Pedro sobre essas coisas? (João 21:15). Ele era o escolhido dos Apóstolos, ea boca dos discípulos, eo líder do coro. Por conta disso, Paulo também subiu em um tempo de vê-lo em vez do que os outros (Gálatas 1:18). E, além disto, para mostrar a ele que ele deve thenceforward ter confiança, como a negação foi feito com a distância, Ele coloca em suas mãos a presidência ao longo dos irmãos. E Ele não antecipa a negação, nem reproches-lo com o que tinha passado, mas diz: ‘Se você me ama, presidir os irmãos, … e pela terceira vez, Ele dá-lhe a mesma liminar, mostrando o que é um preço que define Presidência sobre suas ovelhas. E se alguém disser: “Como, então, James receber o trono de Jerusalém? ‘, Isso eu responderia que Ele nomeou este homem (Peter) professor, não de que o trono, mas de todo o mundo. (Crisóstomo, In Joan. Hom. 1xxxviii. N. 1, tom. Viii) / “Com que propósito que Ele derramou o Seu sangue? Foi para que pudesse vencer estas ovelhas que ele confiou a Pedro e seus sucessores.” (De sacerdotio, 53) “O próprio chefe dos Apóstolos, o primeiro na Igreja, o amigo de Cristo, que recebeu uma revelação não do homem, mas da parte do Pai, como o Senhor dá testemunho a Pedro, dizendo:” Bem-aventurado és tu, Simão Bar -Jona, porque carne e osso não revelou a ti, mas o meu Pai que está no céu “, o que muito Peter, – e quando eu nome de Pedro, os grandes Apóstolos, nome que o rock ininterrupta, que a fundação da empresa, o grande Apóstolo, o primeiro dos discípulos, a primeira chamada ea primeira que obedecia “. (Homilia 3 de poenit. 4) ///// // São Cirilo de Alexandria (c. 424): Ele sofre ele não deve mais ser chamado Simon, autoridade e domínio sobre ele já ter se tornado o seu próprio exercício. Por um título adequado para a coisa, Ele mudou seu nome para Pedro, a partir da palavra “petra” (rock), pois nele Foi depois para fundar a Sua Igreja. (Cyril, T. iv. Comm. Na Joan., P. 131) Ele (Cristo) promete fundar a Igreja, atribuindo immovableness a ele, como Ele é o Senhor da força, e sobre isto ele define Pedro como pastor. (Cyril, Comm. Sobre Matt., Ad loc.) Portanto, quando o Senhor tinha insinuado negação do discípulo, nas palavras que ele usou: “Eu roguei por ti para que a tua fé não desfaleça” Ele imediatamente introduziu uma palavra de consolo, e disse (a Pedro): “E fazer tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. ” Ou seja, ‘Sê um apoio e um professor daqueles que pela fé veio a mim.’ Mais uma vez, a Marvel também na percepção de que a dizer e no integralidade da mansidão divina do espírito. Por isso que Ele não deve reduzir o discípulo ao desespero ao pensar que depois de sua negação, ele teria que ser excluído da gloriosa distinção de ser um apóstolo, ele enche de boa esperança, que ele alcançará as coisas boas prometeu. … O bondade amorosa! O pecado ainda não foi cometido, e ele já estende o Seu perdão e define ele (Peter) novamente em seu escritório Apostólica. (Cyril Comm. Sobre o Evangelho de Lucas) Para o Peter wonderous, vencer pelo medo incontrolável, negou o Senhor três vezes. Cristo cura o erro feito, e as demandas de várias maneiras a confissão tríplice … Pois, embora todos os discípulos fugiram santos, … ainda falta de Pedro na negação tríplice foi, além disso, especial e peculiar a si mesmo. Portanto, com a tríplice confissão de S. Pedro, a culpa da tríplice negação foi aniquilado. Além disso, ao dizer do Senhor: Apascenta os meus cordeiros, devemos entender uma renovação como se fosse do Apostolado já dado a ele, lavando a desgraça intervenção de sua queda, e da pequenez de enfermidade humana. (Cyril, Comm. Sobre o Evangelho de João). Eles (os apóstolos) se esforçou para aprender através de um, que um proeminente, Peter. (Cyril, Ib. 1. Ix. P. 736). E mesmo abençoado Pedro, apesar de definir sobre os discípulos santos, diz: “Senhor, seja longe de ti, este deve ser feito para ti. (Cyril, Ibid. 924). Se o próprio Pedro, aquele príncipe dos discípulos sagrados, era, em cima de uma ocasião, escandalizados, assim como de repente a exclamar: “Senhor, seja longe de ti”, não admira que a mente do concurso de mulher deve ser levado? (Cyril, Ibid, p. 1.064) Que o Espírito é Deus devemos também aprender daí. Que o príncipe dos Apóstolos, a quem “carne e sangue”, como diz o Salvador, “não revelar” o mistério divino, diz a Ananias: “Por que tem Satanás tentou o teu coração, & c. ‘ (Cyril, T. v Par. 1. Thesaur. P. 340) Além de tudo isso, vamos lá avançar que o líder dos discípulos santos, Pedro, que, quando o Senhor, em uma determinada ocasião, perguntou-lhe: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem é?” gritou instantaneamente, ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo’. (Cyril, T. v P.2, Hom. Viii. De Fest. Pasch. P. 105) ‘Se eu não te lavar, não terás parte comigo. ” Quando o Corifeu (Peter) ouviu estas palavras, ele começou a mudar. (Cyril, Ib. Hom.) Este homem ousado (Julian), além de tudo isso, cavils em Pedro, o escolhido dos Santos Apóstolos. (Cyril, T. vi.l. ix. Contr. Julian. P. 325). // São Proclus, patriarca de Constantinopla (434): Um discípulo de São João Crisóstomo, … Peter, o corifeu dos discípulos, e um conjunto mais (ou chefe de) dos Apóstolos. Não és tu que disseste: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo “? Tu Bar-Jonas (filho da pomba) tens visto tantos milagres, e Tu és ainda, mas Simon (ouvinte)? Ele nomeou-te a chave portador do Céu, e embora ainda não deitou de lado roupas de teu pescador? (Proclus, Or. Viii Em Dom. Transfig. T. Ix. Galland) /// LEO I [AD 442] [T] O Senhor diz: “Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque carne e sangue não revelaram isso a você, mas meu Pai, que está nos céus E eu vos digo, que tu és Pedro, e sobre. esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela … ” [Matt. 16:18] A dispensação da verdade, portanto, permanece, eo bem-aventurado Pedro perseverante na força da rocha, que recebeu, não abandonou o comando da Igreja, que ele entendeu. Para ele foi ordenado antes do resto de tal forma que a partir de seu ser chamado de rocha, a partir de seu ser pronunciada a fundação, a partir de seu ser constituído o porteiro do reino dos céus, a partir de seu ser definido como o árbitro para ligar e desligar, julgamentos cujos mantêm a sua validade nos céus, de todos esses títulos místicos podemos conhecer a natureza de sua associação com Cristo (Sermões 3:2-3). // Nosso Senhor Jesus Cristo … colocou o principal responsável no bem-aventurado Pedro, chefe de todos os apóstolos, e com ele a partir da cabeça deseja que seus presentes a fluir para todo o corpo, de modo que quem se atreve a separar Peter sólida do rocha pode entender que ele não tem parte ou lote no mistério divino. Ele desejou-lhe que tinha sido recebido em parceria em sua unidade indivisível de ser chamado o que ele era, quando ele disse: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” [Matt. 16:18], que a construção do templo eterno pode descansar sobre a rocha de Pedro, fortalecendo sua Igreja, assim, certamente que nem poderia imprudência humana assaltar ele nem as portas do inferno prevalecerão contra ela (Letters 10:01). // Uma vez que, portanto, a Igreja universal tornou-se uma pedra na edificação do que o rock original eo primeiro dos apóstolos, o mais bem-aventurado Pedro, ouvi a voz do Senhor, dizendo: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja “[Matt. 16:18], que há que se atrevem a atacar tal força inexpugnável, a menos que ser o Anticristo ou o diabo, que, respeitando não convertido na sua maldade, está ansioso para semear mentiras pelos vasos da ira, que são adequados para a sua traição, enquanto sob o nome falso de diligência ele finge estar em busca da verdade? (_Letters_ 156:2). // Teodoreto, bispo de Ciro na Síria (450): Um nativo de Antioquia, Teodoreto governou sob o Patriarca de Antioquia. A grande fundação da Igreja foi abalada, e confirmada pela graça divina. E o Senhor lhe ordenou que se aplicar a mesma atenção para com os irmãos. “E tu,” Ele diz: ‘convertido, confirma os teus irmãos “. (Teodoreto, Tom. Iv. Haeret. Fab. Lib. Vc 28) “Porque, assim como eu”, Ele diz: “não te despreze quando jogou, então sê um suporte para os teus irmãos em dificuldade, e com a ajuda por que tu foi salvo fazer tu mesmo transmitir aos outros, e exortá-los, enquanto eles não são cambaleante, mas que o ressuscite em sua conta e risco. Por esta razão sofro também a ti a escorregar, mas não permitem a ti a cair, assim, por ti ganhando firmeza para aqueles que são atiradas. Portanto, este grande pilar apoiou a jogar e mundo afundando, e permitiu que ele não cair totalmente e deu-lhe de volta a estabilidade, tendo sido condenada a apascentar as ovelhas de Deus. (Teodoreto, Oratio de Caritate em JP Minge, ed, Partrologiae Curses Completus:. Series Graeca). Por isso peço a vossa santidade para persuadir o mais sagrado e abençoado bispo (Papa Leão) para usar seu poder apostólico, e para mim a fim de apressar a seu Conselho. Para que o trono santíssimo (Roma) tem a soberania sobre as igrejas em todo o universo de muitos motivos. (Teodoreto, Tom. Iv. Epist. CXVI. Renato, p. 1.197). Se Paulo, o arauto da verdade, a trombeta do Espírito Santo, apressou-se a grande Peter, para transmitir-lhe a solução para os de Antioquia, que estavam em questão de viver sob a lei, quanto mais nós, pobres e humilde, corra para o Trono Apostólica (Roma) para receber de você (o Papa Leão) a cura para as feridas das Igrejas. Para que se refere a você ter a primazia em todas as coisas, para o seu trono é adornada com muitas prerrogativas. (Teodoreto Ibid, Epístola Leoni) // Teodoreto, bispo de Ciro na Síria (450): Um nativo de Antioquia, Teodoreto governou sob o Patriarca de Antioquia. A grande fundação da Igreja foi abalada, e confirmada pela graça divina. E o Senhor lhe ordenou que se aplicar a mesma atenção para com os irmãos. “E tu,” Ele diz: ‘convertido, confirma os teus irmãos “. (Teodoreto, Tom. Iv. Haeret. Fab. Lib. Vc 28) “Porque, assim como eu”, Ele diz: “não te despreze quando jogou, então sê um suporte para os teus irmãos em dificuldade, e com a ajuda por que tu foi salvo fazer tu mesmo transmitir aos outros, e exortá-los, enquanto eles não são cambaleante, mas que o ressuscite em sua conta e risco. Por esta razão sofro também a ti a escorregar, mas não permitem a ti a cair, assim, por ti ganhando firmeza para aqueles que são atiradas. Portanto, este grande pilar apoiou a jogar e mundo afundando, e permitiu que ele não cair totalmente e deu-lhe de volta a estabilidade, tendo sido condenada a apascentar as ovelhas de Deus. (Teodoreto, Oratio de Caritate em JP Minge, ed, Partrologiae Curses Completus:. Series Graeca). Por isso peço a vossa santidade para persuadir o mais sagrado e abençoado bispo (Papa Leão) para usar seu poder apostólico, e para mim a fim de apressar a seu Conselho. Para que o trono santíssimo (Roma) tem a soberania sobre as igrejas em todo o universo de muitos motivos. (Teodoreto, Tom. Iv. Epist. CXVI. Renato, p. 1.197). Se Paulo, o arauto da verdade, a trombeta do Espírito Santo, apressou-se a grande Peter, para transmitir-lhe a solução para os de Antioquia, que estavam em questão de viver sob a lei, quanto mais nós, pobres e humilde, corra para o Trono Apostólica (Roma) para receber de você (o Papa Leão) a cura para as feridas das Igrejas. Para que se refere a você ter a primazia em todas as coisas, para o seu trono é adornada com muitas prerrogativas. (Teodoreto Ibid, Epístola Leoni) “Este é o mais santo Veja preservou a supremacia sobre todas as Igrejas na Terra, por uma razão especial, entre muitos outros, a saber, que se manteve intacto da contaminação de heresia Ninguém jamais se sentou na cadeira, que tem ensinado. doutrina herética, mas sim que vê tem sempre preservada imaculada a graça Apostólica “. (Epístola 116 a Renatus). // São João Cassiano, Monk (c. 430): Esse grande homem, o discípulo de discípulos, que o mestre entre os mestres, que empunhando o governo da Igreja Romana possuía a autoridade princípio na fé e no sacerdócio. Diga-nos, portanto, imploro, Pedro, príncipe dos Apóstolos, diga-nos como as Igrejas devem acreditar em Deus (Cassiano, Contra Nestorium, III, 12). São Nilo de Constantinopla (448): Um discípulo de São João Crisóstomo, …. Peter, chefe do coro dos Apóstolos. (Nilo, Lib. Ii Epistl). Peter, que estava em primeiro lugar no coro dos Apóstolos e sempre governou entre eles. (Nilo, Tract. Anúncio. Magnam). Concílio de Calcedônia, 451 Extratos dos Atos. SESSÃO I. Paschasinus, o mais reverendo bispo e legado da Sé Apostólica, levantou-se no meio com a maioria dos seus colegas reverendos e disse: Recebemos orientações para as mãos do bispo mais abençoado e apostólico da cidade romana, que é a cabeça de todo as igrejas, que as direções dizem que Dióscoro não deve ser permitido um assento nessa assembléia, mas que, se ele deve tentar tomar o seu lugar, ele deve ser expulso. Esta instrução devemos realizar, se agora a sua santidade para os comandos que ele seja expulso ou então deixamos. / Lucentius, o mais reverendo bispo ter o lugar da Sé Apostólica, disse: … E ele [Dióscoro] ousou realizar um sínodo sem a autoridade da Sé Apostólica, uma coisa que nunca tinha acontecido, nem pode ter lugar. Paschasinus o mais reverendo bispo, segurando o lugar da Sé Apostólica, disse: Nós não podemos ir contra os decretos do bispo mais abençoado e apostólico [“Papa” para “bispo” em latim], que governa a Sé Apostólica, nem contra os cânones eclesiásticos, nem as tradições patrísticos. / Lucentius, o mais reverendo bispo e legado da Sé Apostólica, disse: Uma vez que a fé de Flaviano de abençoada memória concorda com a Sé Apostólica e da tradição dos pais, é justo que a sentença pela qual ele foi condenado pelos hereges deveriam se voltou a eles por este sínodo santíssimo. / continuação Eulógio de Alexandria (581 dC): Nascido na Síria, ele se tornou o abade do mosteiro Mãe de Deus em Antioquia. Em 579, ele foi nomeado Patriarca de Alexandria, e tornou-se um associado de São Gregório Magno, enquanto visitava Constantinopla. Grande parte de sua correspondência posterior ainda existe. Nem João, nem a qualquer outro dos discípulos, que o nosso Salvador diz: “Eu te darei as chaves do Reino dos Céus”, mas apenas a Pedro. (Eulógio, Lib. Ii. Cont. Novaciano. Ap. Photium, Biblioth, bacalhau. 280) Hilário de Potiers “Bem-aventurados Simon, que depois de sua confissão do mistério foi criado para ser a pedra fundamental da Igreja, e recebeu as chaves do reino dos céus.”(Sobre a Trindade, 20, NPNF2, 9:105) Stephen Ray comentários sobre o livro de James White, a controvérsia católica romana, e uso de Branca de Hilary:? “Por que não Branco informar seus leitores que Hilary, no mesmo tratado, refere-se a Pedro como a pedra fundamental da Igreja é Hilary confuso? É Pedro ou a sua fé? Será que Hilary ver duas aplicações da passagem como mutuamente exclusivas, como protestantes, como Branca estão acostumados a fazer, forçando-os em dois compartimentos, separados, estanques? Por que é tão difícil para os adversários do papado para ver, não há conflito aqui? Até o Papa João Paulo II, no seu livro “Cruzando o Limiar da Esperança” refere-se a pedra de Mateus 16 como Pedro e como Cristo. ” AGOSTINHO “[In] da Igreja Católica, há muitas outras coisas que a maioria justamente me manter em seu seio o consentimento dos povos e nações me mantém na Igreja;. Assim faz a sua autoridade, inaugurada por meio de milagres, alimentada pela esperança, ampliado pelo amor , instituído pela idade. A sucessão de sacerdotes me mantém, a partir da própria sede do Apóstolo Pedro, a quem o Senhor, depois de sua ressurreição, deu-lhe no comando para alimentar suas ovelhas, até o presente episcopado. Então, por último , será que o próprio nome de Católica, que, não sem razão, em meio a tantas heresias, a Igreja tem, assim, manteve, de modo que, embora todos os hereges desejam ser chamados católicos, mas quando um estranho pergunta onde a Igreja Católica se encontra, não herege vai se aventurar para apontar para sua própria capela ou casa. Tal então em número e importância são os laços preciosos pertencentes ao nome cristão que manter um crente na Igreja Católica, pois é certo que deveriam …. Com você, onde não não é nenhuma dessas coisas para atrair ou manter-me …. Ninguém deve mover-me da fé que liga a minha mente com laços tantos e tão forte à religião cristã …. De minha parte, eu não deveria acreditar no evangelho exceto quando movido pela autoridade da Igreja Católica. ” (Contra a Epístola de Manichaeus [Contra Epistolam Manichaei Quam Fundamenti vagos). “Eu deveria sim ó medo de ser contumelious para Peter. Para quem não sabe que esse primado (ou principado) do Apostolado é preferível antes de qualquer episcopado qualquer? … A posse de que o primado é declarado ter sido a causa de Peter está com as chaves. ” – Ennar. em Ps. 108 Basílio, o Grande “Quando ouvimos o nome de Pedro, que o nome não faz com que nossas mentes para morar em sua substância, mas descobrir a nossa mente as propriedades que estão conectados com ele. Pois nós de uma só vez, ao ouvir esse nome, acho que do filho daquele que veio de Betsaida, irmão de André, ele que foi chamado de pescadores entre até o ministério do Apostolado;. aquele que por conta da preeminência de sua fé recebeu sobre si a edificação da Igreja ” (Adv. Eunom 4.) “Uma dessas montanhas foi Pedro, rocha sobre a qual o Senhor prometeu construir a Sua Igreja (Com. em Esai 2,66) “Pareceu-me ser desejável para enviar uma carta ao bispo de Roma, pedindo-lhe para examinar a nossa condição, e uma vez que existem dificuldades no caminho de representantes a ser enviados a partir do Ocidente por um decreto synodial geral, para assessorá-lo ( o bispo de Roma) para exercer a sua autoridade pessoal na matéria, escolher as pessoas adequadas para manter os trabalhos de uma viagem, -. adequados, também, com brandura e firmeza de caráter, para corrigir o rebelde entre nós, aqui ” (Carta 69 a Anathasius). O Vicariato de Tessalônica Desde o final do século IV ao tempo do Papa Leão Magno, o bispo de Tessalônica atuou como vigário do Bispo de Roma. O Vicariato sob o Papa Bonifácio (418-422) foi chefiada por Rufus. Boniface havia escrito aos bispos da Tessália: A instituição da Igreja universal em seu nascimento teve o seu início a partir do escritório do bem-aventurado Pedro, em cuja pessoa o seu governo e cúpula consiste. Para a partir de sua fonte a corrente da disciplina eclesiástica fluiu adiante em todas as Igrejas, como a cultura da religião progressivamente avançado. Os preceitos do Concílio de Nicéia testemunham nada mais: para que ele não se atrevia a nomear qualquer coisa sobre ele, vendo que nada poderia ser conferido acima de seu escritório: além disso, ele sabia que tudo tinha sido concedido a ele pela palavra do Senhor … certos bispos … estão se esforçando para separar-se da comunhão da Sé Apostólica, ou se eu posso falar com mais precisão, a sua autoridade, pedindo ajuda a quem de regras eclesiásticas não sancionou nenhuma autoridade maior … [PL 20: 777-79] Com o Vicariato sob Celestine tinha escrito a vários bispos da Ilíria durante um certo incidente envolvendo um bispo e disse: Especialmente são obrigados a ter o cuidado de todos, a quem Cristo impôs a necessidade de lidar com tudo, no santo apóstolo Pedro, quando ele lhe deu as chaves para abrir e fechar … [PL 50: 427-8] O Vicariato sob o Papa São Leão viu um incidente de abuso de autoridade e esta em uma reprimenda ao vigário Anastatius Leo escreveu: … Tenho delegado o lugar da minha autoridade para que, à imitação da minha humildade, que você pode ajudar no cuidado que devemos a todas as igrejas e principalmente por instituição divina, e em certo sentido ampliar a presença da nossa visita às províncias distante de nós … Pois temos confiado o nosso lugar para sua caridade, de tal maneira que você é chamado para uma participação em nossa solicitude, e não a plenitude da autoridade. [PL 54: 668-671] Cyril e Celestine Celestine instrui St. Cyril que Nestório tem que retirar em dez dias ou cara excomunhão: Por isso, depois de ter assumido para si mesmo a autoridade de nossa Sé, e usar o nosso lugar e do nosso lugar, com autoridade, você deve executar essa frase com o máximo rigor … Nós escrevemos as mesmas coisas para os nossos irmãos e companheiros bispos John, Rufus, Juvenal e Flaviano, para que a nossa frase, ou melhor, a sentença divina de Cristo, nosso Deus, a respeito dele, pode ser conhecido. [PL 50: 463] Macedônio, patriarca de Constantinopla (466-516) Macedonius declarou, quando desejado pelo imperador Anastácio para condenar o Concílio de Calcedônia, de que “tal passo sem um Sínodo Ecumênico presidido pelo Papa de Roma é impossível. ‘ . (Macedonius, Patr Graec 108:. 360A (Theophan. Chronogr pp. 234-346 seq.). Imperador Justiniano (520-533) Escrevendo para o Papa, … Rendendo homenagem à Sé Apostólica e à Sua Santidade, e honrando a sua santidade, como se deve honrar um pai, temos apressou-se a submeter todos os sacerdotes de todo o distrito oriental, e uni-las à Sé de Vossa Santidade, por nós não permitimos que de qualquer ponto, no entanto manifesto e incontestável que seja, que se relaciona com o estado das Igrejas, não sendo levado ao conhecimento de Vossa Santidade, já que você é o chefe de todas as Igrejas sagrados.(Justiniano Epist. Anúncio. Pap. Joan. Ii. Cod. Justin. Lib. I. tit. 1). Deixe seu Apostolado mostrar que tem dignamente sucedeu ao apóstolo Pedro, já que o Senhor irá trabalhar através de você, como Surpreme Pastor, a salvação de todos. (Coll. Avell. Ep. 196 de 09 de julho, 520, Justiniano ao papa Hormisdas). São Hormisdas (514-23) A fórmula do Papa Hormisdas diz, em parte: … O ensino de nosso Senhor Jesus Cristo não pode ser esquecido, que diz: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja”, essas coisas que foram ditas são comprovados pelos acontecimentos, pois na Sé Apostólica a religião católica sempre foi preservada imaculada … nós anatemizar todas as heresias … nós Eutiques anatemizar e Dioscorus de Alexandria, que foram condenados no Conselho de Calcedônia santo … Consequentemente, receber e aprovar todas as letras do Beato Papa Leo, que ele escreveu sobre a verdadeira fé. Portanto, como já dissemos, seguindo todas as coisas a Sé Apostólica e pregação o que foi decretado por ele, espero que eu mereço estar em uma comunhão com você, que a Sé Apostólica prega, em que é a completa e verdadeira solidez da religião cristã. [CSEL 35: 520-22] Perseguições no Oriente resultou em derramamento de sangue. Hormisdas recebeu um apelo de vários archimandrites e monges da Segunda Síria ter quase 200 centenas de assinaturas: Ministrado pela graça de nosso Salvador para recorrer a Vossa Beatitude como a um porto tranquilo em uma tempestade, acreditamos que já foram entregues dos males que pesam sobre nós … Como Cristo, nosso Deus constituiu-lhe o príncipe dos pastores … Nós te peço, nós pedimos que você, ó bem-aventurado Pai, levantar-se cheio de zelo e ardor, tem compaixão de o corpo despedaçado, já que você é o chefe de todos; vingar a fé que tem sido desprezado, os cânones pisado, os pais blasfemado, o conselho santo atingiu com anátema. Deus lhe deu o poder ea autoridade de ligar e desligar. [CSEL 35: 565 m²] Os armênios estavam perdendo fiéis Monofisita. John, o patriarca de Jerusalém, escreveu aos Catholicos de Caucasiano Albânia: Quanto a nós, que é a santa Igreja, temos o seguinte pronunciamento dominical, o que ele falou a Pedro, chefe dos apóstolos, dando-lhe a superintendência da fé imóveis das igrejas, [dizendo]: “Tu és pedra e sobre essa pedra edificarei a minha Igreja, e as portas [do inferno] não prevalecerão contra ela “. Ele também deu a Pedro as chaves do céu e da terra, de modo que até hoje os seus discípulos e os doutores da igreja católica seguir sua fé … especialmente os herdeiros de seu santo e venerável Veja [que isso] com fé som, infalivelmente [anskhal], de acordo com o pronunciamento dominical … [Ararat, 9 (1896), 253] Quinto Concílio Ecumênico: Constantinopla II, 553 Extratos dos Atos. SESSÃO VII. Mas nós, bispos, respondeu-lhe [o Papa Virgílio]: “Se o seu bem-aventurança está disposto a se reunir com a gente e os Patriarcas santíssimo, e os bispos mais religiosos, e para tratar dos três capítulos e dar, em uníssono com a gente de tudo, uma forma adequada de a fé ortodoxa, como os Santos Apóstolos e dos santos Padres e os quatro Conselhos ter feito, vamos realizar ti como nossa cabeça, como [o pai] e primatas …. ” São Gregório Magno (590-604) EPÍSTOLA XLI. A CASTORIUS, bispo. Gregory para Castorius, Bispo de Ariminum (Rimini). Nós, portanto, interditar, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, e por proibir a autoridade do bem-aventurado Pedro, príncipe dos apóstolos, em cujo lugar que presidir esta Igreja Romana, que qualquer bispo ou pessoa secular seguir presumem de qualquer forma de conceber ocasiões de interferir no que diz respeito às receitas, a propriedade ou escritos dos mosteiros, ou das células ou vills pertencentes aos mesmos, ou recorrer a quaisquer truques ou extorsões, mas, se houver caso deve por acaso surgir como a terra disputada entre suas igrejas e qualquer mosteiros, e não podem ser organizadas de forma amigável, que seja encerrado sem atraso intencional antes abades selecionados e outros pais que temem a Deus, que jurou sobre os Evangelhos santíssimas. EPÍSTOLA XLVIII. De Colombo, Bispo. Gregory para Columbus, & c. Sabe-se, mais querido irmão em Cristo, que o antigo inimigo, que por persuasão astúcia deposto o primeiro homem a partir das delícias do Paraíso para esta vida de cuidado, e nele mesmo, em seguida, infligiu a pena de morte sobre a raça humana, não agora com a mesma astúcia, assim como mais facilmente para aproveitar o rebanho, se esforçar para infectar os pastores de ovelhas do Senhor com venenos infundido, e já para reclamá-los como sua por direito. Mas nós, que, embora indigno, assumiram o governo da Sé Apostólica no lugar de Pedro, o príncipe dos apóstolos, são obrigados pelo próprio escritório do nosso pontificado para resistir ao inimigo geral por todos os esforços em nosso poder. EPÍSTOLA CXXVII. DE S. COLUMBANUS ao Papa Gregório. Para o Santo Senhor, e meu pai em Cristo, o Roman [papa], enfeite mais justa da Igreja, uma certa mais flor agosto, por assim dizer, de toda a Europa murchando, distinto especulador, como desfrutar de uma contemplação divina de pureza . I, Bargoma, pobre pomba em Cristo, envia saudação. … Nem se convir nosso lugar ou posição que nada deve ser sugerida na forma de discussão para o teu grande autoridade, e que as minhas cartas ocidentais deveriam ridiculamente solicitar-te, que te sentas legitimamente na sede do apóstolo e key-portador Pedro, no tema da Páscoa. São Sofrônio, Patriarca de Jerusalém (c. 638): Transverse rapidamente por todo o mundo a partir de uma extremidade à outra, até chegar à Sé Apostólica (Roma), onde estão as bases da doutrina ortodoxa.Faça claramente conhecido pelos personagens mais santos do que o trono das questões agitadas entre nós. Não cesso de orar e pedir-lhes até que sua sabedoria apostólica e Divino deve ter pronunciado o julgamento vitorioso e destruiu desde a fundação … a nova heresia. (Sofrônio, [citado por Stephen Bishop de Dora ao Papa Martinho I, no Concílio de Latrão]). Concílio de Latrão (649) Chamado pelo Papa Martinho da abertura dos atos chamá-lo: … sínodo santa e apostólica, que ocorreu na Roma antiga o mais comemorado, de acordo com o comando sagrado e aquisição canônica do santíssimo e três vezes o Beato Papa Martin, que presidiu toda a hierarquia divina sob o sol, para o estabelecimento e defesa dos os dogmas dos pais e sínodos da igreja católica e apostólica, de acordo com o Evangelho. [Mansi X, 863-64] Stephon de Dora, bispo em São Sofrônio de Jerusalém, aborda o conselho: E por isso, às vezes, pediu … as asas de uma pomba … para que possamos voar para longe e anunciar estas coisas para que presidente que governa e preside sobre tudo, que é a sua, a cabeça e mais alto … Para isso, está acostumado a fazer desde os tempos antigos e, desde o início com o poder de sua autoridade canônica ou espiritual, porque o verdadeiramente grande Peter, o líder dos apóstolos, claramente foi considerado digno não só para ser confiada com as chaves do céu, sozinho [e] à parte do resto … [Mansi X, 893] Stephen tinha sido instruído por Sofrônio: Atravessar rapidamente, portanto, de um fim do mundo para o outro, até chegar à Sé Apostólica, onde estão as bases das doutrinas sagradas … Não cesso de orar e pedir-lhes até que sua sabedoria apostólica e divina tenha pronunciado o julgamento vitorioso e destruiu a nova heresia desde a sua fundação. [Mansi X, 895] Monges gregos e armênios liderados por John, abade de São Sabas, seguido Stephen descrevendo o conselho como reunião: … por ordem do um divinamente presidir você, sacerdote de sacerdotes e pai de pais de pré-eminentes acima de tudo, nosso senhor Martin, a três vezes o Beato Papa … Os corações de todos olham para você, depois de Deus, sabendo que você foi estabelecida por Cristo, nosso Deus, como líder e cabeça das igrejas.[Mansi X, 903-8] Depois do Concílio o Papa nomeou John Martin, bispo de Filadélfia, como um vigário especial, a leste com a autoridade de largura. Martin disse a João para: … Corrigir as coisas que ainda restam, e nomear bispos, padres e diáconos em cada cidade daqueles que estão sujeitos ao ver de Jerusalém e de Antioquia, com a gente cobrando para fazer isso em todos os sentidos, em virtude da autoridade apostólica que nos foi dada pelo Senhor, na pessoa da Santíssima Pedro, príncipe dos apóstolos, por conta das necessidades do nosso tempo, ea pressão das nações. [Mansi X, 806 m²] São Máximo, o Confessor (c. 650) Ele considerou o Concílio de Latrão como o sexto ecumênico. Ele escreveu Roma, dizendo: … como foram explicadas piedosamente e com toda a pureza dos seis conselhos santos [os cinco concílios ecumênicos, além do Concílio de Latrão], que foram inspiradas e ditadas por Deus para proclamar de forma muito clara o Símbolo da Fé. Porque, desde que a Palavra de Deus condescendeu a nós e tornou-se o homem, todas as Igrejas cristãs em todos os lugares têm realizado, e mantenha a grande Igreja existe como única base e fundamento, porque, segundo as próprias promessas do Senhor, as portas do inferno não prevaleceram sobre ela … [PG 91: 137-40] Maximus foi preso e levado a julgamento por traição. Quando perguntado por que ele não se comunicar com a Igreja de Constantinopla, ele disse: Eles estão condenados por sua própria ação, e … pelos romanos … e pelo [de Latrão] Conselho. [PG 90: 120] “As extremidades da terra, e todos em cada parte dela quem puramente e justamente confessam o Senhor, olha diretamente para a Santíssima Igreja Romana ea sua confissão e fé, como um sol de luz infalível espera dela o brilhante esplendor de os dogmas sagrados de nossos pais, de acordo com o que os conselhos inspirados e santos têm stainlessly e piedosamente decretada. Pois, a partir da descida do Verbo encarnado entre nós, todas as igrejas em todas as partes do mundo têm mantido a maior Igreja sozinha para ser sua base e fundamento, visto que, de acordo com a promessa de Cristo, nosso Salvador, as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela, que tem as chaves da confissão ortodoxa e fé verdadeira nele, que ela abre a verdadeira e exclusiva religião para homens como aproximação com a piedade, e ela cala e tranca toda boca herética que fala contra o Altíssimo “. (Maximus, Opuscula theologica et polemica, Migne, Patr. Graec. Vol. 90) “Quanto mais no caso do clero e da Igreja dos romanos, que a partir de idade até agora preside todas as igrejas que estão debaixo do sol? Tendo certamente recebeu esta canonicamente, bem como de conselhos e dos apóstolos, a partir da príncipes deste último (Peter & Paul), e sendo contados em sua companhia, ela está sujeita a nenhum escrito ou questões em documentos sinodais, por causa da eminência de seu pontificado ….. mesmo que em todas estas coisas todas são igualmente sujeitos a ela (a Igreja de Roma), de acordo com a lei sacerodotal. E assim, quando, sem medo, mas com todos os santos e tornando-se confiança, aqueles ministros (os Papas) são da rocha realmente firme e imóvel, que é da mais grande e Apostólica Igreja de Roma. ” (Maximus, em JB Mansi, ed. Amplissima Collectio Conciliorum, vol. 10) “Se a Sé Romana reconhece Pirro a ser não só um reprovado mas um herético, é certamente claro que todo mundo que anatematiza aqueles que rejeitaram Pirro também anatematiza a Sé de Roma, isto é, ele anatematiza da Igreja Católica. Que eu preciso acrescentar que excomunga-se também, se de fato ele está em comunhão com a Sé Romana ea Igreja Católica de Deus … Deixe-o apressar antes de todas as coisas para satisfazer a Sé Romana, pois se ele está satisfeito, todos concordam em chamá-lo piedoso e ortodoxa. Pois ele só fala em vão quem pensa que ele deveria pursuade ou aprisionam as pessoas como eu, e não satisfaz e implorar o bem-aventurado Papa da Igreja Católica mais sagrado dos romanos, isto é, a Sé Apostólica, que é de a encarnação do Filho de Deus, e também de todos os sínodos sagrados, accodring ao cânones e definições santo recebeu universal e Surpreme domínio, autoridade e poder de ligar e desligar sobre todas as santas igrejas de Deus em todo o mundo. ” (Maximus, Carta de Pedro, em Mansi x, 692). Stephen, Bispo de Dora na Palestina (645): [Dirigida ao Papa Martinho I] E por isso, às vezes, pedimos para que a água nossa cabeça e aos nossos olhos numa fonte de lágrimas, por vezes, as asas de uma pomba, segundo o santo David, para que possamos voar para longe e anunciar essas coisas ao presidente [da Cátedra de São Pedro em Roma] que governa e preside sobre tudo, eu quero dizer para vocês, da cabeça e mais alto, para a cura de toda a ferida. Para isso, está acostumado a fazer a partir de idade e desde o início, com o poder de sua autoridade canônica ou apostólica, pois o verdadeiramente grande Pedro, chefe dos apóstolos, foi claramente considerado digno não só de confiança com as chaves do céu, sozinho além do resto, para abri-lo dignamente aos crentes, ou para fechá-la justamente para aqueles que não crêem no evangelho da graça, mas porque ele também foi contratado para alimentar as ovelhas de toda a Igreja Católica, por ‘Peter’, diz ele, ‘Amas-me? Apascenta as minhas ovelhas “. E mais uma vez, porque ele tinha de uma maneira peculiar e especial, a fé no Senhor, mais forte do que tudo e imutável, a ser convertido e para confirmar os seus companheiros e irmãos espirituais quando agitada, como tendo sido adornado pelo próprio Deus encarnado para nós com poder e autoridade sacerdotal ….. E Sofrônio de abençoada memória, que era Patriarca da cidade sagrada de Cristo, nosso Deus, e com quem eu era bispo, conferindo não com a carne eo sangue, mas apenas para cuidar das coisas de Cristo com respeito à sua Santidade, apressou-se a enviar o meu nada sem demora sobre este assunto só para esta Sé Apostólica, onde estão os fundamentos da doutrina sagrada. Sérgio, Metropolitain de Chipre (649 AD) [Escrevendo ao Papa Theodore] O chefe Santo, Cristo, nosso Deus destinado a tua Sé Apostólica ser uma fundação imóveis e um dos pilares da fé. Pois tu és, como o Verbo Divino verdadeiramente diz, Pedro, e sobre ti como uma pedra fundamental ter as colunas da Igreja foi corrigido. (Sérgio Ep. Anúncio Theod. Lecta em Sess. Ii. Concil. Lat. Anno 649) St. Maximos, o Confessor (c. 650) As extremidades da terra, e todos em cada parte dela quem puramente e justamente confessam o Senhor, olha diretamente para a Santíssima Igreja Romana ea sua confissão e fé, como um sol de luz infalível espera dela o brilhante esplendor do dogmas sagrados de nossos pais, de acordo com o que os conselhos inspirados e santos têm stainlessly e piedosamente decretou. Pois, a partir da descida do Verbo encarnado entre nós, todas as igrejas em todas as partes do mundo têm mantido a maior Igreja sozinha para ser sua base e fundamento, visto que, de acordo com a promessa de Cristo, nosso Salvador, as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela, que tem as chaves da confissão ortodoxa e fé verdadeira nele, que ela abre a religião verdadeira e exclusiva a tais homens como aproximação com a piedade, e ela cala e tranca toda boca herética que fala contra o Altíssimo. (Maximus, Opuscula theologica et polemica, Migne, Patr. Graec. Vol. 90) Quanto mais no caso do clero e da Igreja dos romanos, que a partir de idade até agora preside todas as igrejas que estão debaixo do sol? … E assim, quando, sem medo, mas com todos os santos e tornando-se confiança, aqueles ministros [os papas] são da rocha realmente firme e imóvel, que é da mais grande e Apostólica Igreja de Roma. (Maximus, em JB Mansi, ed. Amplissima Collectio Conciliorum, vol. 10) Se a Sé Romana reconhece Pirro a ser não só um reprovado mas um herético, é certamente claro que todo mundo que anatematiza aqueles que rejeitaram Pirro também anatematiza a Sé de Roma, isto é, ele anatematiza da Igreja Católica. Não preciso acrescentar que ele excomunga-se também, se de fato ele está em comunhão com a Sé Romana ea Igreja Católica de Deus … Deixe-o apressar antes de todas as coisas para satisfazer a Sé Romana, pois se ele está satisfeito, todos concordarão em chamá-lo piedosa e ortodoxa. Para ele só fala em vão quem pensa que ele deveria persuadir ou aprisionam as pessoas como eu, e não satisfaz e implorar o bem-aventurado Papa da Igreja Católica santíssima dos romanos, isto é, a Sé Apostólica, que é a partir da encarnação de o próprio Filho de Deus, e também de todos os sínodos sagrados, segundo os cânones e definições santo recebeu universal e supremo domínio, autoridade e poder de ligar e desligar sobre todas as santas igrejas de Deus em todo o mundo. (Maximus, Carta de Pedro, em Mansi x, 692). João VI, Patriarca de Constantinopla: O Papa de Roma, a cabeça do sacerdócio cristão, quem em Pedro, o Senhor ordenou para confirmar os seus irmãos. (João VI, Epist. Anúncio Constantin. Pap. Anúncio. Combefis, Auctuar. Bibl. PP Graec.tom. Ii. P. 211, seq.) São Nicéforo, Patriarca de Constantinopla Sem os quais [os romanos presidente no Conselho sétimo] uma doutrina apresentadas na Igreja não poderia, embora confirmada por decretos canônicos e pelo uso eclesiástico, alguma vez obter a aprovação total ou moeda. Por que é que eles [os Papas de Roma] que tinha atribuído a eles a regra em coisas sagradas, e que receberam em suas mãos a dignidade da liderança entre os Apóstolos. (Nicéforo, Niceph. Cpl. Profissional. S. Imag. C 25 [Mai N. Bibl. Pp ii. 30]). St. Bede (673-731) – O Grande Inglês Doutor da Igreja “E, portanto, se S. Pedro, depois de ter confessado a Cristo com uma fé verdadeira e seguiu-o com um amor verdadeiro, receber de uma maneira especial as chaves do Reino dos céus e da soberania do poder judicial, que todos os fiéis de todo o mundo possam entender que todo aquele que separar-se da unidade da fé ou da sua comunhão não pode ser liberado das cadeias de seus pecados, nem entrar no portão do Reino celestial. ” – Hom. Lib. 16. Sexto Concílio Ecumênico: Constantinopla III, 680-681 A CARTA DO PAPA Agatho ao imperador. E que ninguém pode ser ignorante dessa intenção piedosa de vocês, ou suspeitar que temos sido obrigados pela força, e não ter consentido livremente ao exercício em vigor do decreto imperial tocando a pregação da fé evangélica, que foi dirigida a nossa Donus antecessor, um pontífice de memória Apostólica, eles têm através do nosso ministério foram enviados ao e totalmente aprovado por todas as nações e povos … Portanto, senhores mais cristãos e filhos, de acordo com o jussio mais piedoso de sua clemência protegida por Deus, tivemos um cuidado de enviar, com a devoção de um coração orante (a partir da obediência que lhe devo, não porque contamos com o [superabundante] conhecimento daqueles a quem enviamos para você), os nossos companheiros de servidores aqui presentes, Abundantius, John, e John, a maioria dos nossos irmãos bispos reverendos, Theodore e George nossos mais queridos filhos e presbíteros, com o nosso mais amado filho João , um diácono e, com Constantino, um subdiácono desta mãe espiritual santo, a Sé Apostólica, bem como Theodore, o legado presbítero da Igreja santa de Ravenna e os servos de Deus religiosas dos monges. Pois, entre os homens colocados no meio dos gentios, e ganhando o seu pão de cada dia através do trabalho corporal com distração considerável, como poderia um conhecimento das Escrituras, em sua plenitude, ser encontrado a menos que o que foi canonicamente definido pelos nossos antecessores santa e apostólica, e por os veneráveis cinco conselhos, preservamos em singeleza de coração, e sem qualquer distorção manter a fé chegou até nós desde os Padres, sempre desejoso e esforçando-se por possuir um só eo chiefest bom, a saber:. que nada ser diminuída das coisas canonicamente definidos e, para que nada se alterou nem adicionado à mesma, mas que essas mesmas coisas, tanto em palavras e sentidos, ser guardado intocado? Para esses mesmos comissários também deram o testemunho de alguns dos santos Padres, a quem esta Igreja Apostólica de Cristo [ie Roma] recebe, juntamente com os seus livros, de modo que, tendo obtido a partir do poder de seu cristianismo mais benigna o privilégio de sugerindo, talvez, destes se esforçar para dar satisfação (quando a sua mansidão imperial tenha assim ordenara), como o que esta Igreja Apostólica de Cristo [Roma], sua mãe espiritual e mãe de seu império de Deus surgiram, acredita e prega , não com palavras de eloqüência mundana, que não estão sob o comando de homens comuns, mas na integridade da fé apostólica, em que, tendo sido ensinado desde o berço, oramos para que possamos servir e obedecer ao Senhor do céu, o propagador de seu império cristão, até o fim. Consequentemente, nós lhes concedeu faculdade ou autoridade com o seu poderio mais tranquilo, para permitir a satisfação com a simplicidade sempre que sua clemência deve comandar, sendo intimados sobre eles como uma limitação que eles presumem não acrescentar, tirar ou mudar nada; mas que eles estabelecida essa tradição da Sé Apostólica, com toda a sinceridade, tal como foi ensinada pelos pontífices apostólicas, que eram os nossos predecessores. E brevemente vamos insinuar para o seu Piedade divinamente instruído, o que a força da nossa fé apostólica contém, o que temos recebido através da tradição apostólica e pela tradição dos pontífices Apostólicas, e que dos cinco santos sínodos gerais, através das quais os fundamentos da Igreja Católica de Cristo foram reforçadas e estabelecido; Esta é a tradição apostólica e evangélica, que a mãe espiritual de seu império mais feliz, a Igreja Apostólica de Cristo, se mantém. Esta é a pura expressão de piedade. Esta é a verdadeira profissão e imaculada da religião cristã, não foi inventado pela astúcia humana, mas que foi ensinada pelo Espírito Santo através dos príncipes dos Apóstolos. [O “príncipes dos Apóstolos” referem-se Papas, uma vez que são os sucessores de Pedro, e Pedro é muitas vezes chamado de o “Príncipe dos Apóstolos”? Ou, talvez, Pedro e Paulo?] E, portanto, peço-vos, com um coração contrito e rios de lágrimas, com a mente prostrada, dignai-vos estender a sua mão mais clemente direito à doutrina apostólica, que o colega de trabalho de seus trabalhos piedosos, o bem-aventurado apóstolo Pedro [o Papa está se referindo Agatho para si mesmo aqui], foi entregue, para que não seja escondido debaixo do alqueire, mas que ser pregado em toda a terra mais estridente do que uma corneta:? porque os verdadeiros mesma confissão de que Pedro foi pronunciado abençoado pelo Senhor de todas as coisas , foi revelado pelo Pai do céu, pois ele recebeu o Redentor de toda a si mesmo, por três comendas, o dever de alimentar as ovelhas espiritual da Igreja, sob cuja proteção escudo, esta Igreja Apostólica da sua [ie Roma] nunca afastou-se do caminho da verdade em qualquer direção do erro, cuja autoridade, como a do príncipe de todos os Apóstolos, toda a Igreja Católica e os Concílios Ecumênicos fielmente abraçou, e seguiu em todas as coisas, e todos os veneráveis Padres adotaram sua doutrina Apostólica, através do qual, como as luminárias mais aprovados da Igreja de Cristo ter brilhado, e os médicos ortodoxos santos veneraram e seguiram, enquanto os hereges têm prosseguido com falsas criminations e com ódio depreciativo. Pois esta é a regra da verdadeira fé, que esta mãe espiritual de seu império mais tranquila, a Igreja Apostólica de Cristo, tem tanto na prosperidade e na adversidade sempre realizada e defendeu com energia, o que, será provado, pela graça de Deus Todo-Poderoso, nunca desviaram do caminho da tradição apostólica, nem tem ela sido depravado cedendo às inovações heréticas, mas desde o início ela recebeu a fé cristã de seus fundadores, os príncipes dos Apóstolos de Cristo, e permanece imaculada até ao fim, de acordo com a promessa divina do Senhor e do próprio Salvador, que ele proferiu no Santos Evangelhos, o príncipe de seus discípulos, dizendo: “Pedro, Pedro, eis que Satanás vos pediu para tê-lo, para que pudesse cirandar como trigo, mas eu roguei por ti, para que a (tua) fé não desfaleça E tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. “. Vamos, portanto, sua Clemência tranquilo considerar, uma vez que é o Senhor e Salvador de todos, cuja fé é, que prometeu que a fé de Pedro não deve falhar e exortou-o a fortalecer seus irmãos, como é sabido de todos que os pontífices Apostólicos, o predecessores da minha pequenez, sempre fizeram com confiança esta mesma coisa: de quem também nossa pequenez, uma vez que recebi este ministério por designação divina, quer ser o seguidor, embora desigual para eles e o menor de todos. [O que se segue descreve o que Honório foi condenado por (incumprimento do dever de “pregar a verdade”), que não é algo que é impedido pela infalibilidade Papal.] E ai de mim, se eu deixar de pregar a verdade do meu Senhor , que eles sinceramente pregada. Ai de mim, se cobrir com o silêncio sobre a verdade que eu sou convidado para dar aos banqueiros, ou seja, para ensinar ao povo cristão e imbuir-lo com isso. O que devo dizer no futuro exame pelo próprio Cristo, se eu coro (que Deus nos livre!) Para pregar aqui a verdade de suas palavras? Que satisfação serei capaz de dar para mim mesmo, para que as almas comprometidas com a mim, quando ele exige estrita conta do escritório que recebi? … Portanto o CurtirCurtir
  6. EDMILSON disse:

    OLHA MEU AMIGO PABLO VOU TI DA AQUI SÓ ALGUNS EXEMPLOS DE SUAS POBRES CONTRADIÇÕES:
    VAMOS LÁ:

    SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA PODE TER CERTEZA QUE NÃO EXISTIRIA UM SÓ BISPO DE ROMA NA SUCESSÃO APOSTÓLICA QUE VAI DO PRIMEIRO SÉCULO ATÉ AOS NOSSOS DIAS ATUAIS E MAIS SE SÃO PEDRO REALMENTE NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA NÃO EXISTIRIA BISPOS E TODA UMA ORGANIZAÇÃO DENTRO DA IGREJA E ENTÃO SERIA PREGADO QUE CADA CRISTÃO SERIA SALVO SOMENTE CRENDO EM CRISTO.
    //

    PABLO AS SUAS CONTRADIÇÕES SÃO TANTA QUE SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA DENTRO DA BÍBLIA NÃO TERIA E NÃO FARIA REFERÊNCIAS AOS BISPOS E PRESBÍTEROS E DIÁCONOS PERTENCENTES A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA!
    //
    PABLO A SUA CONTRADIÇÃO É TANTA QUE O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA FOI E É CONFIRMADO POR TODOS OS PADRES DA IGREJA!

    //
    AGORA O CERTO PABLO É QUE VOCÊS PROTESTANTES E HISTORIADORES PROTESTANTES FAZEM É SÓ ADULTERAR FONTES PARA ENGANAR ATRAVÉS DA MENTIRA PESSOAS SIMPLES E DE BOA ÍNDOLE.
    //
    VAI UM CONSELHO MEU AMIGO PABLO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O BISPO DE ROMA NENHUM EU TI DIGO NENHUM BISPO DE ROMA TERIA AUTORIDADE SOBRE TODAS AS OUTRAS IGREJA ?
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO O PRÓPRIO DISCÍPULO DE SÃO JOÃO EVANGELISTA DE NOME SÃO POLICARPO DE ESMIRNA TEVE UM ATRITO COM O PAPA ANICETO DA SÍRIA NASCIDO NO ANO 110 E MORTO NO ANO 166 DA ERA CRISTÃ
    //

    AGORA SE REALMENTE O BISPO DE ROMA NÃO TIVESSE AUTORIDADE SOBRE OS DEMAIS BISPOS SÃO POLICARPO NÃO SAIRIA DO SEU PAÍS PARA SE ENCONTRAR COM O PAPA BISPO DE ROMA
    SOBRE A QUESTÃO DA PÁSCOA SÓ AQUI DEMONSTRA MEU CARO PABLO QUE O BISPO DE ROMA ERA O CHEFE DA IGREJA.
    E OUTRA EXISTEM MUITOS PADRES APOSTÓLICOS E MAS SÃO JOÃO EVANGELISTAS PAULO E MUITOS OUTROS ESTAVAM VIVOS QUANDO O PAPA LINO SÃO CLEMENTE ETC… ESTAVAM VIVOS SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSO O PRIMEIRO BISPO DE ROMA TERIA MILHARES DE BRIGAS E CONTESTAÇÕES E PAULO COMO TODOS OS OUTROS PADRES APOSTÓLICOS TERIA AGIDO CONTRA O PAPA BISPO DE ROMA?
    ACORDA PRA VIDA PABLO O BISPO DE ROMA É REFERÊNCIA E NARRADO POR TODOS ELES CRIATURA LEIGA.
    //
    VEJA AQUI PABLO UMA REFUTAÇÃO CONTRA AS SEITAS PROTESTANTES QUE CONTESTAM O PRIMADO DE SÃO PEDRO E NEM UMA SÓ FONTE PARA APOIAR SUAS DOUTRINAS SATÂNICAS POSSUEM
    //
    SAIBA QUE NOS TEMPOS DA IGREJA CATÓLICA DO PRIMEIRO AO SEGUNDO SÉCULO

    A Igreja católica lutou contra a heresia do Gnosticismo, e contra o racionalismo cristão, uma supervalorização do conhecimento, onde bastava isso para a Salvação.
    Mais a igreja católica Contou muito com a ajuda do filósofo cristão São Justino e do bispo Policarpo. Auxiliado por esses doutores, combateram esse racionalismo e venceram.
    //
    E MAIS…
    Policarpo visitou Roma para discutir as diferenças que existiam entre as práticas asiáticas e romanas “com relação a certas coisas” e especialmente sobre a data da Páscoa.
    //
    Agora o Santo Ireneu do segundo século afirma que sobre “certas coisas” os dois bispos rapidamente chegaram num acordo, enquanto que sobre a Páscoa, cada um continuou aderindo às suas próprias tradições, sem contudo quebrar com a comunhão entre as igrejas.

    E MAIS …
    Policarpo seguia a prática oriental de celebrar a Páscoa no 14 de Nisan, o dia da Pessach judaica, sem se preocupar em qual dia da semana ele caía, enquanto que em Roma a Páscoa era celebrada sempre aos domingos (vide quarto decimanismo).
    //
    OLHA PABLO
    Aniceto – as fontes romanas concedem este ponto como sendo uma honraria especial – permitiu que Policarpo celebrasse a Eucaristia em sua própria igreja.
    //
    E MAIS..
    Ainda estando em Roma, Policarpo conheceu alguns hereges gnósticos valentianos (inclusive Valentim), e encontrou-se com Marcião, a quem Policarpo chamava de “primogênito de Satanás
    //
    E MAIS…
    Policarpo, foi discípulo do apóstolo João e por ele ordenado bispo de Esmirna ele era o chefe de toda a Ásia, onde ele viu e teve como professores alguns dos apóstolos e dos que tinham visto o Senhor.
    Ele, por conta de algumas questões relativas ao dia da Páscoa, foi para Roma, no tempo do imperador Antoninus Pinos enquanto Anicetus governou a igreja naquela cidade.
    //
    Lá, ele levou de volta para a fé de muitos crentes que tinham sido enganados pela persuasão de Marcião e Valentino, e quando. Marcião conheci por acaso e disse: “Você nos conhece”, ele respondeu: “Eu sei o primogênito do diabo.
    //
    ” Posteriormente, durante o reinado de Marco Antonino e Lúcio Aurelius Commodus na quarta perseguição depois de Nero, na presença do procônsul segurando tribunal de Esmirna e todas as pessoas que clamavam contra ele no Anfiteatro, ele foi queimado.
    São Policarpo de Esmirna escreveu uma epístola muito valiosa aos Filipenses que é lido até os dias atuais nas reuniões na Ásia.

    //
    MEU CARO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA A HISTÓRIA SERIA OUTRA É RIDÍCULO CONTRADITÓRIO CONTESTAR ISSO POIS VOCÊ E NENHUM OUTRO ACHARIA UMA SÓ FONTE QUE DIGA O CONTRARIO
    //
    ACORDA PRA VIDA PABLO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA NENHUM PAPA DEPOIS DE SÃO PEDRO NÃO TERIA AUTORIDADE SOBRE NENHUMA IGREJA DO MUNDO.
    //
    E TODA A DOUTRINA DOS PADRES DA IGREJA NÃO SERIA ESCRITA E TESTIFICADA NO ALICERCE DA IGREJA TENDO SÃO PEDRO COMO O PRIMEIRO BISPO DE ROMA.
    //
    E Mas meu caro Pablo não podemos esquecer que certos nomes mencionados nesses documentos estão também narrados no Novo Testamento.
    //
    É o caso de Lino citado em (2 Timóteo 4,21), o primeiro sucessor de Pedro.
    //
    AGORA PABLO O…
    Outro nome mencionado no Novo Testamento é o de São Clemente, terceiro sucessor, onde conheceu Pedro pessoalmente em Roma, pontificando entre os anos 92 e 101.
    São Clemente é citado por São Paulo em (Filipenses. 4,3).
    VEJA:
    Durante o seu governo, surgiu, na distante igreja de Corinto, uma dissensão interna, que culminou na deposição irregular dos presbíteros consagrados. Informado dos fatos, Clemente resolveu intervir, onde exortava com autoridade, os fiéis daquela comunidade a se manterem unidos na fé e na caridade.
    //
    E MAIS PABLO SÃO CLEMENTE ROMANO FOI UM GRANDE ESCRITOR E ELE RELATA ISSO EM SUA CARTA ALÉM DE ELE TER MAIS DE 40 TESTEMUNHAS OCULARES SOBRE SEU PRIMADO E SUA OBRA
    ISSO SÓ 3 TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO

    Sobre a carta do quarto papa da igreja católica São Clemente Romano , Eusébio nos informa que “foi lida para benefício comum na maioria das igrejas, tanto em tempos antigos como em nossos dias”.
    //
    COLOCA NA SUA CABEÇA PABLO ROMA ERA A RESIDÊNCIA DO CHEFE DA IGREJA.
    E MAISSSSSSSSSSSSSSS…
    Nas primeiras comunidades Cristãs, já no século I Santo Inácio de Antioquia, teve uma grande experiência e conviveu longos anos com os Apóstolos.
    VEJA O QUE ELE ESCREVEU:

    Onde estiver o bispo, que lá deixe o povo estar, assim como onde Jesus houver de estar, aí está a Igreja Católica.” Santo Inácio, Bispo de Antioquia e Discípulo do Apóstolo João (c. 110 dC)
    //

    VEJA

    No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).
    //
    São Policarpo discípulo de São João Evangelista escreveu escreveu :
    BIOGRAFIA:
    SÃO POLICARPO NASCEU NO ANO 69 DA ERA CRISTÃ E FALECEU NO ANO 156 DA ERA CRISTÃ
    VEJA O QUE ELE DIZ EM UMA DE SUAS OBRAS
    “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”.
    “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra”
    //
    Santo Irineu carta contra heresias:
    “Mas visto que seria coisa bastante longa elencar, numa obra como esta, as sucessões de todas as igrejas, limitar-nos-emos à maior e mais antiga e conhecida por todos, à igreja fundada e constituída em Roma, pelos dois gloriosíssimos apóstolos, Pedro e Paulo,
    //
    São Clemente:
    NASCIDO NO ANO 30 E FALECIDO NO ANO 102 DA ERA CRISTÃ
    “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA. Das heresias, umas se chamam pelo nome de um homem, como as que são chamadas por Valentino, Marcião e Basílides; outras, pelo lugar donde vieram, como os Peráticos; outras do povo, como a heresia dos Frígios; outras, de alguma operação, como os Encratistas; outras, de seus próprios ensino, como os Docetas e Hematistas“.(Stromata 1.7. c. 15).
    ///

    //
    São Cipriano em 249, isso é muito antes de Constantino nascer, e antes do Concílio de Nicéia, já testemunhava:
    Cipriano (NASCIDO NO ANO 200 E MORTO NO ANO 258 DA ERA CRISTÃ)
    vejam
    “atrevem-se estes a dirigir-se à cátedra de Pedro, a esta igreja principal de onde se origina o sacerdócio… esquecidos de que OS ROMANOS NÃO PODEM ERRAR NA FÉ”
    (Epist. 59,n.14, Hartel, 683)
    “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.”
    (Epist. 55, n.1, Hartel, 614);
    “E não há para os fiéis outra casa senão a Igreja Católica.”
    (Sobre a unidade da Igreja, cap. 4);
    “Roma é a matriz e o trono da Igreja Católica.”
    (Epist. 48, n.3, Hartel, 607).
    //
    Cânon de Muratori
    SECULO 2
    “Recentemente, em nossos dias, Hermas escreveu em Roma “O Pastor”, sendo que o seuirmão, Pio, ocupa a cátedra de bispo da Igreja de Roma. É, então, conveniente que seja lido, ainda que não publicamente ao povo da Igreja, nem aos Profetas – cujo número já está completo -, nem aos Apóstolos – por ter terminado o seu tempo. De Arsênio, Valentino e Melcíades não recebemos absolutamente nada; estes também escreveram um novo livro de Salmos para Marcião, juntamente com Basíledes da Ásia…”
    //

    LEIGO PABLO EU APOSTARIA 2000 MIL REAIS COM VOCÊ QUE OS ARGUMENTOS PROTESTANTES CONTRA O PRIMADO DE SÃO PEDRO É MUITO FRACO ADULTERADO CHULO E AMADOR
    POIS PABLO VOCÊS NEM ALMENOS POSSUEM VERDADEIRAS FONTES PARA CONTESTAR POR ISSO O QUE VEJO EM SITES SATÂNICOS PROTESTANTES SÃO SOMENTE UM RACIONALISMO DOENTE E POBRE DE ARGUMENTOS ISSO É O CÚMULO.
    //
    OLHA PABLO ISSO AQUI EM BAIXO É UM POUQUINHO DOS DOCUMENTOS QUE MOSTRAM A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA
    E mais a própria Bíblia, confirma tudo isso veja: “Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituiu Bispos, para apascentardes a Igreja de Deus a qual santificou pelo seu próprio sangue” (Atos 20,28).
    //
    “Em cada igreja instituíram anciãos e, após orações com jejuns, encomendaram-nos ao Senhor, em quem tinham confiado” (At 14,23).
    //
    “Nas cidades pelas quais passavam, ensinavam que observassem as decisões que haviam sido tomadas pelos apóstolos e anciãos em Jerusalém. Assim as igrejas eram confirmadas na fé, e cresciam em número dia a dia” (At 16, 4-5).
    //

    AMIGO ISSO É A IGREJA CATÓLICA E MAIS NÃO EXISTE UMA SÓ CONTESTAÇÃO DO PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA ANTES DE SURGIR AS SEITAS PROTESTANTES AO MUNDO.
    //
    OLHA PABLO VOCÊ VAI PASSAR A SUA VIDA INTEIRA TENTANDO ENCONTRAR UMA SÓ FONTE QUE CONTESTE O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA E COM CERTEZA VOCÊ NUNCA VI ENCONTRAR.
    //
    VEJA PABLO QUE JÁ…
    Pelo ano de 160, Hegesipo apresenta, como critério da Fé Ortodoxa, a conformidade com a “doutrina” dos Apóstolos “transmitida” por meio dos Bispos, e por esse motivo redige a lista dos Bispos.
    //
    E JÁ:
    No século II Santo Irineu de Lypn escreve na sua grande obra: Contra as heresias: “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e fundavam a Igreja” (L.3, C. 1, n. 1, v. 4)
    //
    E MAIS
    Taciano o Sirio nasceu no ano 120 da era cristã e morreu no ano 180 da era cristã)
    “Mas o que é o seu erro … que não permanecem na base da única Igreja que foi fundada sobre a rocha por Cristo, pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse Peter sozinho para [Mateus 16:18.]: ‘ Todas as coisas que você deve ligar na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, que será desligado nos céus “[Mateus 16:19].” (coletado em de Cipriano Letters 74 [75]: 16 [AD 253 ]).
    “[O Papa] Stephen [I] … orgulha do lugar de seu episcopado, e afirma que ele segura a sucessão de Pedro, a quem os alicerces da Igreja foram estabelecidas [Matt. 16:18] …. [ Papa] Stephen … anuncia que ele tem por sucessão ao trono de Pedro “(ibid., 74 [75], 17).
    //
    VEJA AGORA um poema Contra o marcionitas “Neste cadeira em que ele próprio tinha sentado, Pedro, em Roma ordenou poderoso Linus, o eleito em primeiro lugar, para se sentar. Depois dele, Cletus também aceitou o rebanho da dobra. Como seu sucessor, Anacleto foi eleito por sorteio. Clemente segue ele, bem conhecido para os homens apostólicos. Depois dele Evaristo governou o rebanho, sem crime. Alexander, sexto em sucessão, elogia a dobra de Sisto. Após seus tempos ilustres foram concluídas, ele passou para Telesphorus. Ele foi excelente, um fiel mártir … “( Poema Contra o marcionitas 276-284 [AD 267])
    //
    São Firmiliano (morto no ano 269 da era cristã
    VEJA O QUE ELE ESCREVE SOBRE SÃO PEDRO “Mas o que é o seu erro … que não permanece na fundação da Igreja um que foi fundada sobre a rocha de Cristo, pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse a Pedro sozinho [Mateus 16:18.]: ‘ tudo o que o que ligares na terra será ligado também no céu, e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu “[Mateus 16:19].” (coletados em Cipriano Cartas 74 [75]: 16 [AD 253 ]).
    //
    “[Papa] Stephen [I] … se orgulha de o lugar do seu episcopado, e sustenta que ele segura a sucessão de Pedro, de quem os fundamentos da Igreja foram postos [Matt. 16:18] …. [ Papa] Stephen … anuncia que ele tem pela sucessão do trono de Pedro “(ibid., 74 [75], 17).
    //
    A Carta de Clemente 4 papa para Tiago “Seja conhecido para você, meu senhor, que Simão [Pedro], que, por causa da verdadeira fé, eo fundamento mais seguro de sua doutrina, foi designado para ser o alicerce da Igreja, e para este fim foi pelo próprio Jesus, com a boca verdadeira, chamado Pedro “( Carta de Clemente para Tiago 2 [AD 221]).
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO SAIBA QUE O…
    Papa São Clemente (88-97) escreveu à Igreja de Corinto no ano 96, para dizer-lhes para fazer mudanças em suas atitudes e práticas. A Igreja Primitiva: “Esta carta é importante porque indica que o autor tem a cabeça da Igreja Cristã e que foi centrado em Roma “.
    //
    E MAIS

    Papa Vítor (189-199) ordenou Páscoa a ser comemorado em todo o mundo no domingo, em vez de no 14 º Nisan, qualquer dia da semana isso acontecer a cair.
    Por isso todas as igrejas tinham adotado o Domingo de Páscoa, exceto aqueles na Ásia Menor. Por isso o Papa Victor então tinha excomungado todos os bispos da Ásia Menor. Enquanto o Papa finalmente cedeu na excomunhão, ninguém jamais sugeriu que ele não tinha autoridade.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO:

    O Papa Calisto (217-222) rejeitou os bispos que excomungados para a vida todos os apóstatas, os adúlteros, os homicidas, independentemente do seu arrependimento. O Papa decretou que todos os pecadores com contrição poderia ser absolvido e recebeu de volta para a Igreja Católica.
    //
    E MAIS MEU CARO LEIGO PABLO

    Depois o Papa Cornélio (251-253) foi eleito, ele se deparou com um antipapa, Novaciano, que prontamente foi sobre a tentativa de consagrar bispos em todo o mundo, que seria fiel a ele.
    //
    Naturalmente, isso criou uma enorme incerteza e confusão onde quer que Novaciano tentou criar falsos bispos sobre as cabeças dos bispos legítimos. Isto demonstra de forma inequívoca o poder do Papa como o líder reconhecido da Igreja Católica em todo o mundo.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO

    O Papa Estêvão (254-257) removeu alguns bispos em África por heresia. Mais tarde, ele anulou um sínodo de bispos africanos que queria rebatizar os católicos caducas retornando à fé.
    O Papa deixou muito claro que ele estava no comando e, eventualmente, prevaleceu nesta matéria.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO:

    O Papa Dionísio (260-268) repreendeu o bispo Dionísio de Alexandria para distorções na Trindade. O bispo então seguiu a orientação do Papa.
    //
    E MAIS
    AMIGO ESTOU TI PASSANDO A DOUTRINA DOS BISPOS DA IGREJA SENDO O BISPO DE ROMA COMO O LÍDER ISSO É COM DOCUMENTOS MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO .
    //

    POIS É PABLO NO MEU DE VOCÊS PROTESTANTES EXISTE UM BURACO ENORME DE MENTIRAS E FALSIFICAÇÕES E ADULTERAÇÕES ISSO É COISA FEIA SE DUVIDA MEU CARO PABLO TRAGA SUAS FONTES PRA GENTE DEBATER
    //
    AS FONTES DOS PRIMEIROS PAPAS VIERAM DA ARQUEOLOGIA E DOS PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA DOS FATOS JUNTO COM OS DOCUMENTOS DAS IGREJAS EXISTENTES
    //
    OLHA PABLO VOU TI DA A LISTA E OS REGISTROS DOS PRIMEIROS 10 PAPAS
    VAMOS LÁ:
    1. O Papa São Pedro (32-67)
    São Pedro realizou uma primazia entre os doze discípulos que lhe valeu o título Este primado de São Pedro foi solidificada, quando foi nomeado por Jesus para o Gabinete do Vigário “Príncipe dos Apóstolos.” – Demonstrada por Cristo dando St. Peter as chaves do reino. Para entender St. Peter, é preciso primeiro entender Cristo e da Igreja Cristo veio estabelecer. Jesus é o “Filho de David”, e sua vida e ministério cumpriu as profecias do Antigo Testamento sobre o Novo Davi Unido e Nova Jerusalém, portanto, temos de olhar para o reino histórico do Rei David como um guia para o Novo Reino de Davi. O rei Davi tinha um vigário que governou seu reino quando David estava ausente e o sinal de autoridade para esta vigário era as chaves do reino. No Novo Reino de Davi, Cristo, o Filho de Davi, deu as chaves ao seu Vigário para orientar o Reino até a volta de Cristo – que agora se referem a isso como vigário
    //
    PABLO VEJA AGORA

    10 Razões Bíblicas que Cristo fundou o Papado

    2. Papa São Lino (67-76)
    Todos os registros antigos dos bispos romanos que foram transmitidas a nós por Santo Irineu, Julius Africanus, Santo Hipólito, Eusébio, também o catálogo da Libéria de 354, coloque o nome do Linus logo após a do Príncipe dos Apóstolos , São Pedro. Esses registros são rastreada até uma lista dos bispos romanos que existiam no tempo do Papa Eleutério (cerca de 174-189), quando Irineu escreveu seu livro “Adversus haereses”. Em oposição a este testemunho, não podemos aceitar a afirmação como mais confiável de Tertuliano, o que, sem dúvida, coloca St. Clement (De Praescriptione, XXII), após o Apóstolo Pedro, como também foi feito mais tarde por outros estudiosos latino (Jerome, Homens Ilustres 15). A lista romana em Irineu, sem dúvida, tem maiores pretensões de autoridade histórica. Este autor afirma que o Papa Linus é o Linus mencionado por São Paulo em sua 2 Timóteo 4:21. A passagem por Irineu (Contra as Heresias III.3.3) lê-se:
    Depois dos Santos Apóstolos (Pedro e Paulo) havia fundado e definir a Igreja em ordem (em Roma) deram sobre o exercício do múnus episcopal de Linus. O mesmo Linus é mencionado por São Paulo em sua epístola a Timóteo. Seu sucessor foi Anacleto.
    //

    3. Papa São Anacleto (Cleto) (76-88)
    O segundo sucessor de São Pedro. Se ele era o mesmo que Cletus, que também é chamado Anencletus bem como Anacleto, tem sido objecto de discussão interminável. Irineu, Eusébio, Agostinho, Optatus, use os dois nomes indiferentemente como de uma pessoa. Tertuliano omite-lo completamente. Para aumentar a confusão, a ordem é diferente. Assim, Irineu tem Linus, Anacleto, Clemente, ao passo que Agostinho e Optatus colocar Clement antes Anacleto.Por outro lado, o “Catalogus Liberianus”, o “contra-Carmen Marcionem” e “Liber Pontificalis”, tudo mais respeitável pela sua antiguidade, fazer Cletus Anacleto e distintas umas das outras, enquanto que as “Felicianus catalogus” mesmo define o último para baixo como um grego, o primeiro como um romano.
    //

    4. Papa São Clemente I (88-97)
    Papa Clemente I (chamado CLEMENS ROMANUS para distingui-lo do alexandrino), é o primeiro dos sucessores de São Pedro dos quais nada de concreto se sabe, e ele é o primeiro dos “Padres Apostólicos”. Sua festa é celebrada 23 de novembro. Ele deixou uma escrita genuína, uma carta à Igreja de Corinto, e muitos outros foram atribuídos a ele.
    //

    De acordo com Tertuliano, escrevendo c. 199, a Igreja Romana declarou que Clemente foi ordenado por São Pedro (De praescript., XXXII), e São Jerônimo nos diz que em seu tempo “a maioria dos latinos”, realizada que Clemente foi o sucessor imediato do Apóstolo (Ilustre Homens 15). Se em vários outros lugares St. Jerome segue esta opinião, mas aqui ele corretamente afirma que Clemente foi o quarto papa.

    //

    5. Papa São Evaristus (97-105)
    Data de nascimento desconhecida, morreu por volta de 107. No Catálogo liberiano seu nome é dado como Aristus. Nos catálogos papais do século II usado por Irineu e Hipólito, ele aparece como o quarto sucessor de São Pedro, logo após São Clemente.
    As mesmas listas de permitir que ele oito anos de reinado, que cobre a extremidade do primeiro e o começo do século segundo (a partir de cerca de 98 ou 99 até cerca de 106 ou 107). As primeiras fontes históricas não oferecem dados autênticos sobre ele. Em sua “História Eclesiástica” Eusébio diz apenas que ele conseguiu Clement no episcopado da Igreja Romana fato que já era conhecido de Santo Ireneu de Lyon. Esta ordem de sucessão é, sem dúvida correta.
    //

    6. Papa St. Alexander I (105-115)
    Santo Ireneu de Lyon, escrevendo no último trimestre do segundo século, avalia-o como o quinto papa em sucessão dos Apóstolos, embora ele não diz nada de seu martírio.
    Seu pontificado é variadamente datado pelos críticos, por exemplo, 106-115 (Duchesne) ou 109-116 (Lightfoot).
    Na antiguidade cristã, ele foi creditado com um pontificado de cerca de dez anos (Eusébio, História da Igreja IV.1) e não há nenhuma razão para duvidar de que ele estava no “catálogo dos bispos”, redigido em Roma por Hegésipo (Eusébio, IV, xxii, 3), antes da morte do Papa Eleutério (c. 189).
    De acordo com uma tradição existente na Igreja Romana no final do século V, e registrada no Liber Pontificalis sofreu uma morte de mártir por decapitação na Via Nomentana em Roma, 3 de Maio

    7. Papa São Sisto I (115-125)
    Papa São Sisto I (nos documentos mais antigos, Xystus é a grafia usada para os três primeiros papas com esse nome), conseguiu St. Alexander e foi seguido por São Telesphorus. De acordo com o “Catálogo liberiano” dos papas, ele governou a Igreja durante o reinado de Adrian “um conulatu Nigri et Aproniani usque Vero III et Ambibulo”, ou seja, 117-126. Eusébio, que em seu “Chronicon” fez uso de um catálogo dos papas diferente da que ele usou em seu livro “Historia ecclesiastica”, afirma em seu “Chronicon”, que foi o Papa Sisto I 114-124, enquanto na sua “História” ele faz com que ele governar 114-128. Todas as autoridades concordam que reinou cerca de dez anos. Ele era romano de nascimento, e o nome de seu pai era pastor.
    //

    8. Papa São Telesphorus (125-136)
    St. Telesphorus foi o sétimo bispo romano em sucessão dos Apóstolos, e, de acordo com o testemunho de Santo Ireneu de Lyon (Contra as Heresias III.3.3), sofreu um martírio glorioso.Eusébio (História da Igreja IV.7, IV.14) coloca o início de seu pontificado, no duodécimo do reinado de Adriano (128-129), a sua morte no primeiro ano do reinado de Antonino Pio (138-139).
    //

    9. Papa São Higino (136-140)
    Reinou sobre 138-142; sucedeu o Papa Telesphorus, que, de acordo com Eusébio (História da Igreja IV.15), morreu durante o primeiro ano do reinado do imperador Antonius Pius – em 138 ou 139, portanto.

    //
    10. Papa São Pio I (140-155)
    Data de nascimento desconhecido; papa de cerca de 140 para cerca de 154. De acordo com a lista mais antiga dos papas, dado por Irineu (Contra as Heresias II.31;. Cf Eusébio, História da Igreja V.6), Pio foi o nono sucessor de São Pedro. Agora o único dado cronológico que possuímos é fornecido pelo ano de São Policarpo da morte de Esmirna, que pode ser referido com grande certeza para 155-6.
    Durante o pontificado de Pio Igreja Romana foi visitada por vários hereges, que procuravam propagar sua falsa doutrina entre os fiéis da capital. O gnóstico Valentino, que fez a sua aparição, sob o Papa Higino, continuou a semear a sua heresia, aparentemente, não sem sucesso. O Cerdon gnóstico também foi muito ativo em Roma neste período, durante o qual Marcião chegou à capital (ver Marcionitas).
    //
    Excluídos da comunhão por Pio, este último fundado seu corpo herética (Irineu, Contra as Heresias III.3). Mas os professores católicos também visitou a Igreja Romana, o mais importante é St. Justin, que expôs os ensinamentos cristãos durante o pontificado de Pio e de seu sucessor. A grande atividade marca, assim, a comunidade cristã de Roma, que está claramente visível como o centro da Igreja.
    //
    PABLO ISSO É A PATRÍSTICA COLOCA NA SUA CABEÇA QUE OS PRÓPRIOS PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA FORAM OS QUE FIZERAM REFERÊNCIA AO BISPO DE ROMA E AINDA FORAM ELES QUE ESCREVERAM AS PRIMEIRA LISTAS DOS PAPAS AGORA

    SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA VOCÊ ACHA QUE A HISTÓRIA NÃO SERIA OUTRA ACORDA PRA VIDA RAPAZ.

    Curtir

    • Solrac disse:

      Deu pena de vc..ao ler seu segundo parágrafo. Vc kis dizer q mais importante do q crer em Jesus p ser salvo..antes eu tenho ki crer em Papa como um bispo? Kkkk . E kem disse q tem ki ter bispo dos bispos? Foste enganado na invencionices de “papa” foi?
      .
      Lembrando q vc cópia e cola.

      Curtir

    • ROSELI disse:

      O PAPA É UM HOMEM COMO QUALQUER OUTRO E NÃO DEUS NA TERRA. SIGA O QUE FALA A BIBLIA E NÃO O QUE DIZ O PAPA.

      Curtir

      • Hellen disse:

        Quanta sabedoria!! Nossa, obrigada por vir aqui nos avisar que o papa não é Deus!
        Obrigada Irmã!!

        Curtir

      • Luiz disse:

        Olá Roseli

        Bom dia

        A Igreja Católica Apostólica Romana sabe muito bem que o Papa nunca foi, não é e nunca será Deus pois os cristãos evangélicos católicos evangélicos romanos seguem a correta interpretação da Bíblia pois não basta seguir a Bìblia como se a mesma fosse um deus mas deve-se compreender corretamente o que a própria Bíblia quer ensinar.

        Luiz

        Curtir

  7. EDMILSON disse:

    AMIGO ME DIGA O QUE VC ACHOU DA MINHA RESPOSTA SOBRE O PRIMADO DE SÃO PEDRO
    /
    OLHA MEU AMIGO PABLO VOU TI DA AQUI SÓ ALGUNS EXEMPLOS DE SUAS POBRES CONTRADIÇÕES:
    VAMOS LÁ:

    SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA PODE TER CERTEZA QUE NÃO EXISTIRIA UM SÓ BISPO DE ROMA NA SUCESSÃO APOSTÓLICA QUE VAI DO PRIMEIRO SÉCULO ATÉ AOS NOSSOS DIAS ATUAIS E MAIS SE SÃO PEDRO REALMENTE NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA NÃO EXISTIRIA BISPOS E TODA UMA ORGANIZAÇÃO DENTRO DA IGREJA E ENTÃO SERIA PREGADO QUE CADA CRISTÃO SERIA SALVO SOMENTE CRENDO EM CRISTO.
    //

    PABLO AS SUAS CONTRADIÇÕES SÃO TANTA QUE SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA DENTRO DA BÍBLIA NÃO TERIA E NÃO FARIA REFERÊNCIAS AOS BISPOS E PRESBÍTEROS E DIÁCONOS PERTENCENTES A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA!
    //
    PABLO A SUA CONTRADIÇÃO É TANTA QUE O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA FOI E É CONFIRMADO POR TODOS OS PADRES DA IGREJA!

    //
    AGORA O CERTO PABLO É QUE VOCÊS PROTESTANTES E HISTORIADORES PROTESTANTES FAZEM É SÓ ADULTERAR FONTES PARA ENGANAR ATRAVÉS DA MENTIRA PESSOAS SIMPLES E DE BOA ÍNDOLE.
    //
    VAI UM CONSELHO MEU AMIGO PABLO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O BISPO DE ROMA NENHUM EU TI DIGO NENHUM BISPO DE ROMA TERIA AUTORIDADE SOBRE TODAS AS OUTRAS IGREJA ?
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO O PRÓPRIO DISCÍPULO DE SÃO JOÃO EVANGELISTA DE NOME SÃO POLICARPO DE ESMIRNA TEVE UM ATRITO COM O PAPA ANICETO DA SÍRIA NASCIDO NO ANO 110 E MORTO NO ANO 166 DA ERA CRISTÃ
    //

    AGORA SE REALMENTE O BISPO DE ROMA NÃO TIVESSE AUTORIDADE SOBRE OS DEMAIS BISPOS SÃO POLICARPO NÃO SAIRIA DO SEU PAÍS PARA SE ENCONTRAR COM O PAPA BISPO DE ROMA
    SOBRE A QUESTÃO DA PÁSCOA SÓ AQUI DEMONSTRA MEU CARO PABLO QUE O BISPO DE ROMA ERA O CHEFE DA IGREJA.
    E OUTRA EXISTEM MUITOS PADRES APOSTÓLICOS E MAS SÃO JOÃO EVANGELISTAS PAULO E MUITOS OUTROS ESTAVAM VIVOS QUANDO O PAPA LINO SÃO CLEMENTE ETC… ESTAVAM VIVOS SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSO O PRIMEIRO BISPO DE ROMA TERIA MILHARES DE BRIGAS E CONTESTAÇÕES E PAULO COMO TODOS OS OUTROS PADRES APOSTÓLICOS TERIA AGIDO CONTRA O PAPA BISPO DE ROMA?
    ACORDA PRA VIDA PABLO O BISPO DE ROMA É REFERÊNCIA E NARRADO POR TODOS ELES CRIATURA LEIGA.
    //
    VEJA AQUI PABLO UMA REFUTAÇÃO CONTRA AS SEITAS PROTESTANTES QUE CONTESTAM O PRIMADO DE SÃO PEDRO E NEM UMA SÓ FONTE PARA APOIAR SUAS DOUTRINAS SATÂNICAS POSSUEM
    //
    SAIBA QUE NOS TEMPOS DA IGREJA CATÓLICA DO PRIMEIRO AO SEGUNDO SÉCULO

    A Igreja católica lutou contra a heresia do Gnosticismo, e contra o racionalismo cristão, uma supervalorização do conhecimento, onde bastava isso para a Salvação.
    Mais a igreja católica Contou muito com a ajuda do filósofo cristão São Justino e do bispo Policarpo. Auxiliado por esses doutores, combateram esse racionalismo e venceram.
    //
    E MAIS…
    Policarpo visitou Roma para discutir as diferenças que existiam entre as práticas asiáticas e romanas “com relação a certas coisas” e especialmente sobre a data da Páscoa.
    //
    Agora o Santo Ireneu do segundo século afirma que sobre “certas coisas” os dois bispos rapidamente chegaram num acordo, enquanto que sobre a Páscoa, cada um continuou aderindo às suas próprias tradições, sem contudo quebrar com a comunhão entre as igrejas.

    E MAIS …
    Policarpo seguia a prática oriental de celebrar a Páscoa no 14 de Nisan, o dia da Pessach judaica, sem se preocupar em qual dia da semana ele caía, enquanto que em Roma a Páscoa era celebrada sempre aos domingos (vide quarto decimanismo).
    //
    OLHA PABLO
    Aniceto – as fontes romanas concedem este ponto como sendo uma honraria especial – permitiu que Policarpo celebrasse a Eucaristia em sua própria igreja.
    //
    E MAIS..
    Ainda estando em Roma, Policarpo conheceu alguns hereges gnósticos valentianos (inclusive Valentim), e encontrou-se com Marcião, a quem Policarpo chamava de “primogênito de Satanás
    //
    E MAIS…
    Policarpo, foi discípulo do apóstolo João e por ele ordenado bispo de Esmirna ele era o chefe de toda a Ásia, onde ele viu e teve como professores alguns dos apóstolos e dos que tinham visto o Senhor.
    Ele, por conta de algumas questões relativas ao dia da Páscoa, foi para Roma, no tempo do imperador Antoninus Pinos enquanto Anicetus governou a igreja naquela cidade.
    //
    Lá, ele levou de volta para a fé de muitos crentes que tinham sido enganados pela persuasão de Marcião e Valentino, e quando. Marcião conheci por acaso e disse: “Você nos conhece”, ele respondeu: “Eu sei o primogênito do diabo.
    //
    ” Posteriormente, durante o reinado de Marco Antonino e Lúcio Aurelius Commodus na quarta perseguição depois de Nero, na presença do procônsul segurando tribunal de Esmirna e todas as pessoas que clamavam contra ele no Anfiteatro, ele foi queimado.
    São Policarpo de Esmirna escreveu uma epístola muito valiosa aos Filipenses que é lido até os dias atuais nas reuniões na Ásia.

    //
    MEU CARO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA A HISTÓRIA SERIA OUTRA É RIDÍCULO CONTRADITÓRIO CONTESTAR ISSO POIS VOCÊ E NENHUM OUTRO ACHARIA UMA SÓ FONTE QUE DIGA O CONTRARIO
    //
    ACORDA PRA VIDA PABLO SE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA NENHUM PAPA DEPOIS DE SÃO PEDRO NÃO TERIA AUTORIDADE SOBRE NENHUMA IGREJA DO MUNDO.
    //
    E TODA A DOUTRINA DOS PADRES DA IGREJA NÃO SERIA ESCRITA E TESTIFICADA NO ALICERCE DA IGREJA TENDO SÃO PEDRO COMO O PRIMEIRO BISPO DE ROMA.
    //
    E Mas meu caro Pablo não podemos esquecer que certos nomes mencionados nesses documentos estão também narrados no Novo Testamento.
    //
    É o caso de Lino citado em (2 Timóteo 4,21), o primeiro sucessor de Pedro.
    //
    AGORA PABLO O…
    Outro nome mencionado no Novo Testamento é o de São Clemente, terceiro sucessor, onde conheceu Pedro pessoalmente em Roma, pontificando entre os anos 92 e 101.
    São Clemente é citado por São Paulo em (Filipenses. 4,3).
    VEJA:
    Durante o seu governo, surgiu, na distante igreja de Corinto, uma dissensão interna, que culminou na deposição irregular dos presbíteros consagrados. Informado dos fatos, Clemente resolveu intervir, onde exortava com autoridade, os fiéis daquela comunidade a se manterem unidos na fé e na caridade.
    //
    E MAIS PABLO SÃO CLEMENTE ROMANO FOI UM GRANDE ESCRITOR E ELE RELATA ISSO EM SUA CARTA ALÉM DE ELE TER MAIS DE 40 TESTEMUNHAS OCULARES SOBRE SEU PRIMADO E SUA OBRA
    ISSO SÓ 3 TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO

    Sobre a carta do quarto papa da igreja católica São Clemente Romano , Eusébio nos informa que “foi lida para benefício comum na maioria das igrejas, tanto em tempos antigos como em nossos dias”.
    //
    COLOCA NA SUA CABEÇA PABLO ROMA ERA A RESIDÊNCIA DO CHEFE DA IGREJA.
    E MAISSSSSSSSSSSSSSS…
    Nas primeiras comunidades Cristãs, já no século I Santo Inácio de Antioquia, teve uma grande experiência e conviveu longos anos com os Apóstolos.
    VEJA O QUE ELE ESCREVEU:

    Onde estiver o bispo, que lá deixe o povo estar, assim como onde Jesus houver de estar, aí está a Igreja Católica.” Santo Inácio, Bispo de Antioquia e Discípulo do Apóstolo João (c. 110 dC)
    //

    VEJA

    No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).
    //
    São Policarpo discípulo de São João Evangelista escreveu escreveu :
    BIOGRAFIA:
    SÃO POLICARPO NASCEU NO ANO 69 DA ERA CRISTÃ E FALECEU NO ANO 156 DA ERA CRISTÃ
    VEJA O QUE ELE DIZ EM UMA DE SUAS OBRAS
    “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”.
    “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra”
    //
    Santo Irineu carta contra heresias:
    “Mas visto que seria coisa bastante longa elencar, numa obra como esta, as sucessões de todas as igrejas, limitar-nos-emos à maior e mais antiga e conhecida por todos, à igreja fundada e constituída em Roma, pelos dois gloriosíssimos apóstolos, Pedro e Paulo,
    //
    São Clemente:
    NASCIDO NO ANO 30 E FALECIDO NO ANO 102 DA ERA CRISTÃ
    “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA. Das heresias, umas se chamam pelo nome de um homem, como as que são chamadas por Valentino, Marcião e Basílides; outras, pelo lugar donde vieram, como os Peráticos; outras do povo, como a heresia dos Frígios; outras, de alguma operação, como os Encratistas; outras, de seus próprios ensino, como os Docetas e Hematistas“.(Stromata 1.7. c. 15).
    ///

    //
    São Cipriano em 249, isso é muito antes de Constantino nascer, e antes do Concílio de Nicéia, já testemunhava:
    Cipriano (NASCIDO NO ANO 200 E MORTO NO ANO 258 DA ERA CRISTÃ)
    vejam
    “atrevem-se estes a dirigir-se à cátedra de Pedro, a esta igreja principal de onde se origina o sacerdócio… esquecidos de que OS ROMANOS NÃO PODEM ERRAR NA FÉ”
    (Epist. 59,n.14, Hartel, 683)
    “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.”
    (Epist. 55, n.1, Hartel, 614);
    “E não há para os fiéis outra casa senão a Igreja Católica.”
    (Sobre a unidade da Igreja, cap. 4);
    “Roma é a matriz e o trono da Igreja Católica.”
    (Epist. 48, n.3, Hartel, 607).
    //
    Cânon de Muratori
    SECULO 2
    “Recentemente, em nossos dias, Hermas escreveu em Roma “O Pastor”, sendo que o seuirmão, Pio, ocupa a cátedra de bispo da Igreja de Roma. É, então, conveniente que seja lido, ainda que não publicamente ao povo da Igreja, nem aos Profetas – cujo número já está completo -, nem aos Apóstolos – por ter terminado o seu tempo. De Arsênio, Valentino e Melcíades não recebemos absolutamente nada; estes também escreveram um novo livro de Salmos para Marcião, juntamente com Basíledes da Ásia…”
    //

    LEIGO PABLO EU APOSTARIA 2000 MIL REAIS COM VOCÊ QUE OS ARGUMENTOS PROTESTANTES CONTRA O PRIMADO DE SÃO PEDRO É MUITO FRACO ADULTERADO CHULO E AMADOR
    POIS PABLO VOCÊS NEM ALMENOS POSSUEM VERDADEIRAS FONTES PARA CONTESTAR POR ISSO O QUE VEJO EM SITES SATÂNICOS PROTESTANTES SÃO SOMENTE UM RACIONALISMO DOENTE E POBRE DE ARGUMENTOS ISSO É O CÚMULO.
    //
    OLHA PABLO ISSO AQUI EM BAIXO É UM POUQUINHO DOS DOCUMENTOS QUE MOSTRAM A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA
    E mais a própria Bíblia, confirma tudo isso veja: “Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituiu Bispos, para apascentardes a Igreja de Deus a qual santificou pelo seu próprio sangue” (Atos 20,28).
    //
    “Em cada igreja instituíram anciãos e, após orações com jejuns, encomendaram-nos ao Senhor, em quem tinham confiado” (At 14,23).
    //
    “Nas cidades pelas quais passavam, ensinavam que observassem as decisões que haviam sido tomadas pelos apóstolos e anciãos em Jerusalém. Assim as igrejas eram confirmadas na fé, e cresciam em número dia a dia” (At 16, 4-5).
    //

    AMIGO ISSO É A IGREJA CATÓLICA E MAIS NÃO EXISTE UMA SÓ CONTESTAÇÃO DO PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA ANTES DE SURGIR AS SEITAS PROTESTANTES AO MUNDO.
    //
    OLHA PABLO VOCÊ VAI PASSAR A SUA VIDA INTEIRA TENTANDO ENCONTRAR UMA SÓ FONTE QUE CONTESTE O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA E COM CERTEZA VOCÊ NUNCA VI ENCONTRAR.
    //
    VEJA PABLO QUE JÁ…
    Pelo ano de 160, Hegesipo apresenta, como critério da Fé Ortodoxa, a conformidade com a “doutrina” dos Apóstolos “transmitida” por meio dos Bispos, e por esse motivo redige a lista dos Bispos.
    //
    E JÁ:
    No século II Santo Irineu de Lypn escreve na sua grande obra: Contra as heresias: “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e fundavam a Igreja” (L.3, C. 1, n. 1, v. 4)
    //
    E MAIS
    Taciano o Sirio nasceu no ano 120 da era cristã e morreu no ano 180 da era cristã)
    “Mas o que é o seu erro … que não permanecem na base da única Igreja que foi fundada sobre a rocha por Cristo, pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse Peter sozinho para [Mateus 16:18.]: ‘ Todas as coisas que você deve ligar na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, que será desligado nos céus “[Mateus 16:19].” (coletado em de Cipriano Letters 74 [75]: 16 [AD 253 ]).
    “[O Papa] Stephen [I] … orgulha do lugar de seu episcopado, e afirma que ele segura a sucessão de Pedro, a quem os alicerces da Igreja foram estabelecidas [Matt. 16:18] …. [ Papa] Stephen … anuncia que ele tem por sucessão ao trono de Pedro “(ibid., 74 [75], 17).
    //
    VEJA AGORA um poema Contra o marcionitas “Neste cadeira em que ele próprio tinha sentado, Pedro, em Roma ordenou poderoso Linus, o eleito em primeiro lugar, para se sentar. Depois dele, Cletus também aceitou o rebanho da dobra. Como seu sucessor, Anacleto foi eleito por sorteio. Clemente segue ele, bem conhecido para os homens apostólicos. Depois dele Evaristo governou o rebanho, sem crime. Alexander, sexto em sucessão, elogia a dobra de Sisto. Após seus tempos ilustres foram concluídas, ele passou para Telesphorus. Ele foi excelente, um fiel mártir … “( Poema Contra o marcionitas 276-284 [AD 267])
    //
    São Firmiliano (morto no ano 269 da era cristã
    VEJA O QUE ELE ESCREVE SOBRE SÃO PEDRO “Mas o que é o seu erro … que não permanece na fundação da Igreja um que foi fundada sobre a rocha de Cristo, pode ser aprendido com isso, o que Cristo disse a Pedro sozinho [Mateus 16:18.]: ‘ tudo o que o que ligares na terra será ligado também no céu, e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu “[Mateus 16:19].” (coletados em Cipriano Cartas 74 [75]: 16 [AD 253 ]).
    //
    “[Papa] Stephen [I] … se orgulha de o lugar do seu episcopado, e sustenta que ele segura a sucessão de Pedro, de quem os fundamentos da Igreja foram postos [Matt. 16:18] …. [ Papa] Stephen … anuncia que ele tem pela sucessão do trono de Pedro “(ibid., 74 [75], 17).
    //
    A Carta de Clemente 4 papa para Tiago “Seja conhecido para você, meu senhor, que Simão [Pedro], que, por causa da verdadeira fé, eo fundamento mais seguro de sua doutrina, foi designado para ser o alicerce da Igreja, e para este fim foi pelo próprio Jesus, com a boca verdadeira, chamado Pedro “( Carta de Clemente para Tiago 2 [AD 221]).
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO SAIBA QUE O…
    Papa São Clemente (88-97) escreveu à Igreja de Corinto no ano 96, para dizer-lhes para fazer mudanças em suas atitudes e práticas. A Igreja Primitiva: “Esta carta é importante porque indica que o autor tem a cabeça da Igreja Cristã e que foi centrado em Roma “.
    //
    E MAIS

    Papa Vítor (189-199) ordenou Páscoa a ser comemorado em todo o mundo no domingo, em vez de no 14 º Nisan, qualquer dia da semana isso acontecer a cair.
    Por isso todas as igrejas tinham adotado o Domingo de Páscoa, exceto aqueles na Ásia Menor. Por isso o Papa Victor então tinha excomungado todos os bispos da Ásia Menor. Enquanto o Papa finalmente cedeu na excomunhão, ninguém jamais sugeriu que ele não tinha autoridade.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO:

    O Papa Calisto (217-222) rejeitou os bispos que excomungados para a vida todos os apóstatas, os adúlteros, os homicidas, independentemente do seu arrependimento. O Papa decretou que todos os pecadores com contrição poderia ser absolvido e recebeu de volta para a Igreja Católica.
    //
    E MAIS MEU CARO LEIGO PABLO

    Depois o Papa Cornélio (251-253) foi eleito, ele se deparou com um antipapa, Novaciano, que prontamente foi sobre a tentativa de consagrar bispos em todo o mundo, que seria fiel a ele.
    //
    Naturalmente, isso criou uma enorme incerteza e confusão onde quer que Novaciano tentou criar falsos bispos sobre as cabeças dos bispos legítimos. Isto demonstra de forma inequívoca o poder do Papa como o líder reconhecido da Igreja Católica em todo o mundo.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO

    O Papa Estêvão (254-257) removeu alguns bispos em África por heresia. Mais tarde, ele anulou um sínodo de bispos africanos que queria rebatizar os católicos caducas retornando à fé.
    O Papa deixou muito claro que ele estava no comando e, eventualmente, prevaleceu nesta matéria.
    //
    E MAIS MEU CARO PABLO:

    O Papa Dionísio (260-268) repreendeu o bispo Dionísio de Alexandria para distorções na Trindade. O bispo então seguiu a orientação do Papa.
    //
    E MAIS
    AMIGO ESTOU TI PASSANDO A DOUTRINA DOS BISPOS DA IGREJA SENDO O BISPO DE ROMA COMO O LÍDER ISSO É COM DOCUMENTOS MUITO ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO .
    //

    POIS É PABLO NO MEU DE VOCÊS PROTESTANTES EXISTE UM BURACO ENORME DE MENTIRAS E FALSIFICAÇÕES E ADULTERAÇÕES ISSO É COISA FEIA SE DUVIDA MEU CARO PABLO TRAGA SUAS FONTES PRA GENTE DEBATER
    //
    AS FONTES DOS PRIMEIROS PAPAS VIERAM DA ARQUEOLOGIA E DOS PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA DOS FATOS JUNTO COM OS DOCUMENTOS DAS IGREJAS EXISTENTES
    //
    OLHA PABLO VOU TI DA A LISTA E OS REGISTROS DOS PRIMEIROS 10 PAPAS
    VAMOS LÁ:
    1. O Papa São Pedro (32-67)
    São Pedro realizou uma primazia entre os doze discípulos que lhe valeu o título Este primado de São Pedro foi solidificada, quando foi nomeado por Jesus para o Gabinete do Vigário “Príncipe dos Apóstolos.” – Demonstrada por Cristo dando St. Peter as chaves do reino. Para entender St. Peter, é preciso primeiro entender Cristo e da Igreja Cristo veio estabelecer. Jesus é o “Filho de David”, e sua vida e ministério cumpriu as profecias do Antigo Testamento sobre o Novo Davi Unido e Nova Jerusalém, portanto, temos de olhar para o reino histórico do Rei David como um guia para o Novo Reino de Davi. O rei Davi tinha um vigário que governou seu reino quando David estava ausente e o sinal de autoridade para esta vigário era as chaves do reino. No Novo Reino de Davi, Cristo, o Filho de Davi, deu as chaves ao seu Vigário para orientar o Reino até a volta de Cristo – que agora se referem a isso como vigário
    //
    PABLO VEJA AGORA

    10 Razões Bíblicas que Cristo fundou o Papado

    2. Papa São Lino (67-76)
    Todos os registros antigos dos bispos romanos que foram transmitidas a nós por Santo Irineu, Julius Africanus, Santo Hipólito, Eusébio, também o catálogo da Libéria de 354, coloque o nome do Linus logo após a do Príncipe dos Apóstolos , São Pedro. Esses registros são rastreada até uma lista dos bispos romanos que existiam no tempo do Papa Eleutério (cerca de 174-189), quando Irineu escreveu seu livro “Adversus haereses”. Em oposição a este testemunho, não podemos aceitar a afirmação como mais confiável de Tertuliano, o que, sem dúvida, coloca St. Clement (De Praescriptione, XXII), após o Apóstolo Pedro, como também foi feito mais tarde por outros estudiosos latino (Jerome, Homens Ilustres 15). A lista romana em Irineu, sem dúvida, tem maiores pretensões de autoridade histórica. Este autor afirma que o Papa Linus é o Linus mencionado por São Paulo em sua 2 Timóteo 4:21. A passagem por Irineu (Contra as Heresias III.3.3) lê-se:
    Depois dos Santos Apóstolos (Pedro e Paulo) havia fundado e definir a Igreja em ordem (em Roma) deram sobre o exercício do múnus episcopal de Linus. O mesmo Linus é mencionado por São Paulo em sua epístola a Timóteo. Seu sucessor foi Anacleto.
    //

    3. Papa São Anacleto (Cleto) (76-88)
    O segundo sucessor de São Pedro. Se ele era o mesmo que Cletus, que também é chamado Anencletus bem como Anacleto, tem sido objecto de discussão interminável. Irineu, Eusébio, Agostinho, Optatus, use os dois nomes indiferentemente como de uma pessoa. Tertuliano omite-lo completamente. Para aumentar a confusão, a ordem é diferente. Assim, Irineu tem Linus, Anacleto, Clemente, ao passo que Agostinho e Optatus colocar Clement antes Anacleto.Por outro lado, o “Catalogus Liberianus”, o “contra-Carmen Marcionem” e “Liber Pontificalis”, tudo mais respeitável pela sua antiguidade, fazer Cletus Anacleto e distintas umas das outras, enquanto que as “Felicianus catalogus” mesmo define o último para baixo como um grego, o primeiro como um romano.
    //

    4. Papa São Clemente I (88-97)
    Papa Clemente I (chamado CLEMENS ROMANUS para distingui-lo do alexandrino), é o primeiro dos sucessores de São Pedro dos quais nada de concreto se sabe, e ele é o primeiro dos “Padres Apostólicos”. Sua festa é celebrada 23 de novembro. Ele deixou uma escrita genuína, uma carta à Igreja de Corinto, e muitos outros foram atribuídos a ele.
    //

    De acordo com Tertuliano, escrevendo c. 199, a Igreja Romana declarou que Clemente foi ordenado por São Pedro (De praescript., XXXII), e São Jerônimo nos diz que em seu tempo “a maioria dos latinos”, realizada que Clemente foi o sucessor imediato do Apóstolo (Ilustre Homens 15). Se em vários outros lugares St. Jerome segue esta opinião, mas aqui ele corretamente afirma que Clemente foi o quarto papa.

    //

    5. Papa São Evaristus (97-105)
    Data de nascimento desconhecida, morreu por volta de 107. No Catálogo liberiano seu nome é dado como Aristus. Nos catálogos papais do século II usado por Irineu e Hipólito, ele aparece como o quarto sucessor de São Pedro, logo após São Clemente.
    As mesmas listas de permitir que ele oito anos de reinado, que cobre a extremidade do primeiro e o começo do século segundo (a partir de cerca de 98 ou 99 até cerca de 106 ou 107). As primeiras fontes históricas não oferecem dados autênticos sobre ele. Em sua “História Eclesiástica” Eusébio diz apenas que ele conseguiu Clement no episcopado da Igreja Romana fato que já era conhecido de Santo Ireneu de Lyon. Esta ordem de sucessão é, sem dúvida correta.
    //

    6. Papa St. Alexander I (105-115)
    Santo Ireneu de Lyon, escrevendo no último trimestre do segundo século, avalia-o como o quinto papa em sucessão dos Apóstolos, embora ele não diz nada de seu martírio.
    Seu pontificado é variadamente datado pelos críticos, por exemplo, 106-115 (Duchesne) ou 109-116 (Lightfoot).
    Na antiguidade cristã, ele foi creditado com um pontificado de cerca de dez anos (Eusébio, História da Igreja IV.1) e não há nenhuma razão para duvidar de que ele estava no “catálogo dos bispos”, redigido em Roma por Hegésipo (Eusébio, IV, xxii, 3), antes da morte do Papa Eleutério (c. 189).
    De acordo com uma tradição existente na Igreja Romana no final do século V, e registrada no Liber Pontificalis sofreu uma morte de mártir por decapitação na Via Nomentana em Roma, 3 de Maio

    7. Papa São Sisto I (115-125)
    Papa São Sisto I (nos documentos mais antigos, Xystus é a grafia usada para os três primeiros papas com esse nome), conseguiu St. Alexander e foi seguido por São Telesphorus. De acordo com o “Catálogo liberiano” dos papas, ele governou a Igreja durante o reinado de Adrian “um conulatu Nigri et Aproniani usque Vero III et Ambibulo”, ou seja, 117-126. Eusébio, que em seu “Chronicon” fez uso de um catálogo dos papas diferente da que ele usou em seu livro “Historia ecclesiastica”, afirma em seu “Chronicon”, que foi o Papa Sisto I 114-124, enquanto na sua “História” ele faz com que ele governar 114-128. Todas as autoridades concordam que reinou cerca de dez anos. Ele era romano de nascimento, e o nome de seu pai era pastor.
    //

    8. Papa São Telesphorus (125-136)
    St. Telesphorus foi o sétimo bispo romano em sucessão dos Apóstolos, e, de acordo com o testemunho de Santo Ireneu de Lyon (Contra as Heresias III.3.3), sofreu um martírio glorioso.Eusébio (História da Igreja IV.7, IV.14) coloca o início de seu pontificado, no duodécimo do reinado de Adriano (128-129), a sua morte no primeiro ano do reinado de Antonino Pio (138-139).
    //

    9. Papa São Higino (136-140)
    Reinou sobre 138-142; sucedeu o Papa Telesphorus, que, de acordo com Eusébio (História da Igreja IV.15), morreu durante o primeiro ano do reinado do imperador Antonius Pius – em 138 ou 139, portanto.

    //
    10. Papa São Pio I (140-155)
    Data de nascimento desconhecido; papa de cerca de 140 para cerca de 154. De acordo com a lista mais antiga dos papas, dado por Irineu (Contra as Heresias II.31;. Cf Eusébio, História da Igreja V.6), Pio foi o nono sucessor de São Pedro. Agora o único dado cronológico que possuímos é fornecido pelo ano de São Policarpo da morte de Esmirna, que pode ser referido com grande certeza para 155-6.
    Durante o pontificado de Pio Igreja Romana foi visitada por vários hereges, que procuravam propagar sua falsa doutrina entre os fiéis da capital. O gnóstico Valentino, que fez a sua aparição, sob o Papa Higino, continuou a semear a sua heresia, aparentemente, não sem sucesso. O Cerdon gnóstico também foi muito ativo em Roma neste período, durante o qual Marcião chegou à capital (ver Marcionitas).
    //
    Excluídos da comunhão por Pio, este último fundado seu corpo herética (Irineu, Contra as Heresias III.3). Mas os professores católicos também visitou a Igreja Romana, o mais importante é St. Justin, que expôs os ensinamentos cristãos durante o pontificado de Pio e de seu sucessor. A grande atividade marca, assim, a comunidade cristã de Roma, que está claramente visível como o centro da Igreja.
    //
    PABLO ISSO É A PATRÍSTICA COLOCA NA SUA CABEÇA QUE OS PRÓPRIOS PADRES APOSTÓLICOS E PADRES DA IGREJA FORAM OS QUE FIZERAM REFERÊNCIA AO BISPO DE ROMA E AINDA FORAM ELES QUE ESCREVERAM AS PRIMEIRA LISTAS DOS PAPAS AGORA

    SE REALMENTE SÃO PEDRO NÃO FOSSE O PRIMEIRO BISPO DE ROMA VOCÊ ACHA QUE A HISTÓRIA NÃO SERIA OUTRA ACORDA PRA VIDA RAPAZ.

    Curtir

  8. EDMILSON disse:

    AS TESTEMUNHAS OCULARES DE SÃO PEDRO EM ROMA POR RELATOS NÃO CRISTÃO.
    //

    Nero tinha um grande amigo de nome Lúcio Aneu Sêneca Data de nascimento 4 a.C. — Roma, 65).Sêneca foi um dos mais célebres advogados, escritores e intelectuais do Império Romano.
    //
    Agora um dos amigos de Nero, de nome Sêneca que foi um grande escritor, e deixou em seus registros uma carta em que ele viu criminosos sendo crucificado de cabeça para baixo em torno da época da suposta execução de São Pedro.
    //
    E MAIS…
    Uma geração mais tarde, como o Evangelho de São João continha uma passagem em que Cristo profetizou a morte de São Pedro :
    QUE DIZ:
    Quando você é velho, você estenderá as mãos e outro te ligar e te levará para onde você não quer ir.
    //
    A frase “para esticar as mão é encontrado na literatura da época referindo-se a crucificação.
    //
    Certamente a igreja cristã em Roma, afirmou São Pedro como um mártir e fundador, juntamente com São Paulo, logo no final do primeiro século dC .
    //
    E outra não existe um só escritor ou historiador que contestou a alegação de que São Pedro tinha morrido em Roma do período que vai do primeiro século ao ano 1320 agora qual quer afirmação contra isso é fantasiosa e refutado.
    //
    SÃO PEDRO O PRIMEIRO PAPA MORREU EM ROMA

    E asseguro que não existe outra cidade país etc… Que reivindicou os ossos do apóstolo São Pedro? Sabe por quê? Porque não existiu um só país que afirmasse que São Pedro morreu nela.
    VAMOS AO FATO:

    “Estrabão, Foi um geógrafo romano data (60BC-21ad) ele disse que a nação judaica era uma força para todo o mundo habitado …. Eles tinham sido em Roma, por 200 anos e, agora, ele formou uma colônia substancial ali, e de Roma que havia se espalhado por toda a cidade na Itália, e, em seguida, para a Gália e na Espanha e em todo o mar, a noroeste da África.
    //
    Irmão a influência dos judeus em Roma foi tão forte, que um escritor de nome
    Caio Suetónio Tranquilo Data Roma, 69 — ca. 141) diz: “Porque os judeus continuaram a fazer barulho sobre a influência do” Cresto .
    //
    E MAIS…

    Claudius (41-57) expulsou os judeus de Roma. Os historiadores estimam que, em cerca de 49 anos, houve a expulsão dos judeus, em que os governantes romanos naquela época achava que São Pedro era “(CRESTO) “, que fundou a religião cristã.
    //
    AGORA VAMOS A PROVAS DOS FATOS COM TESTEMUNHAS OCULARES DA ÉPOCA DOS FATOS.
    EU DIGO E ASSEGURO E PROVO FÁCILMENTE QUE…

    Acidade de babilônia citada por São Pedro é a cidade de Roma.
    VEJA:
    1 Pedro 5, 13. A igreja escolhida de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.
    Com certeza esta é uma das principais provas de que Pedro esteve em Roma, visto que Roma era tida como a babilônia na época pela semelhança que tinha com a babilônia (Ap 17,5; 18, 10).
    //
    Assim, na mente de Pedro, a Roma dos seus dias lembrava a antiga Babilônia em riqueza, luxúria e licenciosidade isso é incontestável pois existem livros de historiadores contemporâneos com testemunhas oculares e com fatos verídicos e com fontes históricas da época que afirmam que na época de são Pedro a cidade de babilônia estava em ruína.
    //
    VEJA AQUI ALGUMAS GRANDES PROVAS

    E para quem não sabe ‘Babel’ pode significar a cidade de Babilônia, que estava na Mesopotâmia …. mas no reinado de Cláudio, a comunidade judaica tinha deixado a Babilônia para ir para Selêucia ( historiadorFlávio Josefo, 37 — ca. 100 ). Antiguidades dos Judeus. 18.9.8-9),Veja que é aproximadamente o mesmo tempo quando Pedro saiu de Jerusalém após a perseguição realizada por ordem do imperador Herodes Agripa I.
    //
    Além disso, a Babilônia tornou-se extinto ,guerras disputas e general declínio no primeiro século para que no ano de 115 nações se reúnem Trajano como uma cidade fantasma obra escrita pelo historiador (Dio Cassius,Data (ca. 155 – 229 Roman History 68.30).
    //
    E MAIS OUTRA REFUTAÇÃO INCONTESTÁVEL

    Não existe tradição na Síria, que dizem que o apóstolo Pedro teve que viajar para lá ou viveu por lá/ ou que viveu em deareh na Mesopotâmia.

    E MAIS…
    Sabemos da evidência histórica de que ela ocorre em um mal-entendido do imperador romano (Claudius) de que há ruído causado por um “(CRESTO)nome dado a São Pedro por muitos historiador escritores e imperadores de fora da igreja que viviam em seu tempo “, e que provavelmente se refere a Cristo, sendo São Pedro o líder, e que era considerado uma seita judaica do reino de Cristo aos líderes de Roma.
    //
    Esta situação também está escrito em Atos 18:12.[11] Não era um cristão, que quer expor Pedro aos outros líderes desta pena, tornando-se um alvo para o império romano.

    E MAIS…
    TODAS ESSAS OBRAS AQUI DE BAIXO SÃO DO PRIMEIRO E DO SEGUNDO SÉCULO E TODAS ELAS FAZEM REFERÊNCIAS DE SÃO PEDRO EM ROMA
    //
    A IGREJA AS TEM COMO APÓCRIFOS MAS ELAS SERVEM COMO PROVAS E COMO DOCUMENTOS HISTÓRICO POIS TODAS ELAS FORAM CRIADAS NA ÉPOCA DOS FATOS E SÃO TESTEMUNHAS OCULARES.DE SÃO PEDRO EM ROMA

    //
    ANOTE AÍ:

    ( A Vida dos Apóstolos , Oxford 1840).
    //
    ( As Contendas dos Apóstolos , Londres 1901. P. 137).
    //
    Ensino de Simão, o Mago, na cidade de Roma
    //
    “( Os Padres Ante-Nicéia , p. 656).
    //
    O Ensino dos Apóstolos
    //
    Babilônia Religião de Mistério: Antiga e Moderna . Ralph Woodrow Associação Evangelística, Inc. Riverside, CA. 1992. P. 73.
    //
    The Search for dos Doze Apóstolos
    //
    A Pregação de Pedro
    //
    Praedicatio Pauli
    //
    Atos de Pedro

    Curtir

  9. Marcelo Vitor disse:

    Olá Edmilson, estou gostando MUITO dos seus comentários e queria estabelecer um contato com você para aprender mais sobre esses assuntos. Meu e mai l é: marcelo vitor @ y mail .com. Eu escrevi meu email desse jeito para evitar spans, mas escreve-se tudo junto sem espaços, por favor me mande uma mensagem ou me diga seu e-mail… meu facebook é: http://www.facebook.com/marcelowitor. Abraços e a Paz no nosso Senhor Jesus Cristo!

    Curtir

  10. EDMILSON disse:

    Sábado e Domingo na Igreja primitiva
    “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados.”(Colossenses 2,16)

    1- INTRODUÇÃO
    Algumas denominações protestantes de origens adventistas sustentam que a Igreja cristã apostatou ao substituir como dia do Senhor o Sábado pelo Domingo. Segundo eles, os primeiros cristãos guardavam o sábado, mas após a conversão do imperador Constantino no século IV, este mudou o dia de repouso do Sábado para o Domingo para fazer o cristianismo mais aceitável para os pagãos, que no dito dia adoravam ao deus sol.
    Um exemplo, deste tipo de argumentação, encontramos em vários sites da web tal como no site espanhol “sábado bíblico” em seu artigo “Como foi mudado o sábado para o domingo”. Nele afirmam:
    “Tanto no Antigo quanto no novo testamento não existe um sombra de variação na doutrina do sábado… Jesus não só foi um exemplo perfeito em observar o sétimo dia de repouso, também todos os seus discípulos seguiram o mesmo padrão depois que Jesus regressou ao céu.”
    Posteriormente também afirmam:
    “Para que fosse mais conveniente faze-los [os pagãos] mudar para a nova religião, Constantino aceitou o seu dia de adoração, o domingo, ao invés de sábado dos cristãos, que havia sido observado por Jesus e seus discípulos… Portanto, é mais fácil entender como a mudança foi imposta sobre o cristianismo através de uma lei civil forte, emitida por Constantino como Imperador de Roma.”

    2 – A OBSERVÂNCIA DO SÁBADO NO NOVO TESTAMENTO
    O dia da ressurreição de Cristo (o domingo) foi para os primeiros cristãos o cumprimento da palavra profética do Antigo Testamento, onde o Messias, depois de ser rejeitado por seu próprio povo, se converteu em uma pedra angular da Igreja e nos traria a libertação do pecado e da morte:
    “A pedra rejeitada pelos arquitetos tornou-se a pedra angular. Isto foi obra do Senhor, é um prodígio aos nossos olhos. Este é o dia que o Senhor fez: seja para nós dia de alegria e de felicidade.” (Salmo 128, 22-24)
    A raiz disso vemos como os primeiros cristãos começaram a reunir-se e celebrar a Eucaristia no Domingo, primeiro dia da semana, tal como se observa em Atos 20, 7; I Coríntios 10, 2. Não se menciona uma só vez em todo o Novo Testamento que os primeiros Cristãos logo depois da ressurreição de Cristo guardavam o Sábado.
    Outro fato importante é encontrado no capítulo 15 dos Atos dos Apóstolos, que narra o primeiro conflito importante que enfrentou a Igreja primitiva. Isso ocorre quando os crentes judeus chegaram à comunidade de Antioquia, e ficaram chocados ao ver que os membros convertidos não tinham sido circuncidados ou cumpriam outros preceitos da lei judaica. Essas pessoas começaram a pregar que a circuncisão era necessária e a observncia de toda a Torá, causando grande espanto entre os primeiros crentes gregos. Por esta razão, se realizou o que é conhecido como o Concílio de Jerusalém, onde os apóstolos se reuniram para discutir o assunto e, em seguida, tomar a seguinte decisão disciplinar:
    “Com efeito, pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor outro peso além do seguinte indispensável: que vos abstenhais das carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, da carne sufocada e da impureza. Dessas coisas fareis bem de vos guardar conscienciosamente. Adeus!” (Atos 15, 28-29)
    Não houve menção de manter o sábado como um dia de descanso, nem encontramos qualquer outra ordem em todo o Novo Testamento que reitere que é necessário seguir guardando-o, ao invés disso ocorre o oposto, uma vez que, aparentemente, a insistência do judeu cristão conversos não desapareceu imediatamente e Paulo teve que insistir:
    “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados.” (Colossenses 2,16)
    “Um faz distinção entre dia e dia; outro, porém, considera iguais todos os dias. Cada um proceda segundo sua convicção.” (Romanos 14, 5)

    3 – A OBSERVANCIA DO SÁBADO NA IGREJA PRIMITIVA
    A EPÍSTOLA DE BERNABÉ (96 – 98 D.C.)
    A epístola de Barnabé é um tratado cristão de 22 capítulos, escrito em grego, com algumas características de epístolas. Tradicionalmente é atribuída a São Barnabé, que aparece no livro de Atos dos apóstolos como colaborador e companheiro de São Paulo de Tarso. Foi conservada em um códice do Antigo e Novo Testamento (o Sináitico), o que faz notar que foi muito apreciada na antiguidade cristã da mesma forma que escritos como a Didaqué ou o Pastor de Hermas, chegando a estar no grupo dos livros que rondaram o cânon dos livros divinamente inspirados antes que fosse divinamente fixado. A datação varia entre os anos 96-98 e o 130-134.
    Na epístola encontramos uma explicação detalhada da visão cristã primitiva de como para os cristãos o dia do Senhor era Domingo, por ser o dia da ressurreição de Cristo.
    “Ele finalmente lhes disse: “Não suporto vossas neomênias e vossos sábados”. Vede como ele diz: não são os sábados atuais que me agradam, mas aquele que eu fiz e no qual, depois de ter levado todas as coisas ao repouso, farei o início do oitavo dia, isto é, o começo de outro mundo. Eis por que celebramos como festa alegre o oitavo dia, no qual Jesus ressuscitou dos mortos e, depois de se manifestar, subiu aos céus.”(Barnabás 15, 6-8).
    A DIDAQUÉ OU DOTRINA DOS DOZE APÓSTOLOS (65 – 80 D.C.)
    É um dos mais antigos escritos cristãos não canônicos do grupo dos padres apostólicos, considerado anterior a muitos escritos do Novo Testamento. Foi Escrito entre o ano 65 e 80 da era cristã. Encontramos nele uma breve menção a celebração contínua da Eucaristia durante cara dia do Senhor, como o sacrifício perpétuo agradável a Deus profetizado pelo profeta Malaquias:
    “Reúna-se no dia do Senhor para partir o pão e agradecer após ter confessado seus pecados, para que o sacrifício seja puro.
    Aquele que está brigado com seu companheiro não pode juntar-se antes de se reconciliar, para que o sacrifício oferecido não seja profanado [Cf Mt 5,23-25].
    Esse é o sacrifício do qual o Senhor disse: “Em todo lugar e em todo tempo, seja oferecido um sacrifício puro porque sou um grande rei – diz o Senhor – e o meu nome é admirável entre as nações”.(Malaquías 1,11)” (Didaqué XIV 1-3)
    INÁCIO DE ANTIOQUÍA (107 D.C.)
    Discípulo de Pedro e Paulo, segundo bispo de Antioquia e mártir durante o reinado de Trajano por volta de 107 d.C. Quando ele foi condenado à morte foi ordenado ir da Síria para Roma para ser martirizado. No caminho de Roma escreveu sete epístolas às igrejas de Éfeso, Magnésia, Trália, Filadélfia, Esmirna, Roma e uma carta a São Policarpo. Ao escrever para aos Magnésios testemunha como cristãos não guardam o sábado, mas no domingo:
    “Se, então, aqueles que eram educados na antiga ordem das coisas se apossaram da nova esperança, não mais observando o sábado [μηκέτι σαββατίζοντες], mas observando o Dia do Senhor, no qual também a nossa vida foi libertada por Ele e por Sua morte – alguns negam que por tal mistério obtemos a fé e nele perseveramos para que ser contados como discípulos de Jesus Cristo, nosso único Mestre – 2como seremos capazes de viver longe Dele, cujos discípulos e os próprios profetas esperaram no Espírito para que Ele fosse o Instrutor deles? Era Ele que certamente esperavam, pois vindo, os libertou da morte.” (Inácio de Antioquia – Carta aos Magnésios IX)
    JUSTINO MÁRTIR (100 – 165 D.C.)
    Mártir da fé cristã, morreu no ano 165 d.C decapitado, é considerado o maior apologista do Século II.
    Com São Justino foi também firmemente atestado como para os cristãos primitivos, o domingo era o dia em que se reuniam os cristãos para celebrar a eucaristia. Um desses testemunhos se encontra em sua primeira apologia, que foi uma carta dirigida ao imperador romano do seu tempo, em defesa dos cristãos que eram perseguidos.
    “No dia que se chama do sol [domingo] se celebra uma reunião de todos os que moram nas cidades e nos campos, e ali é lido, enquanto o tempo o permite, as recordações dos apóstolos ou os escritos dos profetas. Depois, quando o leitor termina, o presidente, fala, e faz uma exortação e convite a que imitemos estes belos exemplos. Em seguida nos levantamos todos e elevamos nossas preces, e quando terminamos, como já dissemos, se oferece pão, vinho e água, e o presidente, segundo suas forças, faz igualmente subir a Deus suas preces e ações de graças, e todo o povo exclama dizendo: “amém”. Agora vem a distribuição e participação, que se faz a cada um, dos alimentos consagrados pela ação de graças e seu envio por meio dos diáconos aos ausentes. ” (Justino Mártir, Apología I, 67)
    Outra de suas obras, Diálogo com Trifão, recompila um de seus debates como um dos mais sábios judeus da época, e neste, ele acusa-o de que os cristãos não guardarem o sábado nem a circuncisão: “nem guarda as festas e sábados, nem pratica a circuncisão” (Justino Mártir, Apología I, 10,3), e aconselha em seguida a obedecer a lei judaica:
    “Se queres, pois, escutar meu conselho, pois já que o tenho por meu amigo, em primeiro lugar circunda-te, depois observa, como é nosso costume, o sábado, as festas e as luas novas de Deus e cumpre numa só palavra tudo o que está escrito na leu, e então, tal vez, alcance misericórdia da parte de Deus.” (Justino Mártir, Diálogo com Trifão, 8,4)
    São Justino reconhece que os cristãos não guardam o sábado e explica o por quê:
    “Há alguma coisa mais que nos reprova, amigo, ou só se trata de que não vivemos segundo a vossa lei, nem circuncidamos nossa carne, como vossos antepassados, nem guardamos os sábados como vocês?”(Justino Mártir, Diálogo com Trifão, 10,1)
    “Você precisa agora da segunda circuncisão, e você continua com vosso orgulho da carne, A Nova Lei quer que guardeis o sábado perpétuo, e você passa um dia sem fazer nada, já acha que parece religioso…” (Justino Mártir, Diálogo com Trifão, 12,3)
    “Porque também nós observaríamos essa circuncisão carnal e guardaríamos o sábado e absolutamente todas as vossas festas, se não soubéssemos a causa pela qual elas foram ordenadas […] Não a observamos por que essa circuncisão não é necessária a todos, senão para vocês… e se o sábado também agradou a Deus todos os justos anteriormente mencionados, e depois deles Abraão e os filhos dele até Moisés […] também, pois, o sábado os foi ordenado por Deus para que fizessem memória Dele.” (Diálogo com Trifão, 18,2; 19,2.4)
    “Por que se antes de Abrão não havia necessidade de circuncisão, nem antes de Moisés o sábado, das festas nem dos sacrifícios, tampouco há agora, depois de Jesus Cristo, Filho de Deus, Nascido sem pecado da virgem Maria da linhagem de Abraão.” (Diálogo com Trifão, 23,4)
    Não há, pois, dúvida com base neste antigo dialogo entre um cristão e um judeu do século II, como já naquele tempo, os judeus estavam perfeitamente conscientes que os cristãos não guardavam o sábado e os reconheciam realmente que não.
    TERTULIANO (160 – 220 D.C.)
    Tertuliano não é considerado um pai da Igreja, mas sim um escritor e apologista eclesiástico, já que no final da sua vida caiu em heresia abraçando o montanismo. Contudo foi muito lido antes de seu abandono da Igreja Católica. Menciona expressamente o descanso dominical:
    “Nós, porém, (segundo nos há ensinado a tradição) no dia da ressurreição do Senhor devemos tratar não só de nos ajoelhar, mas também devemos deixar todos os afazeres e preocupações, adiando também nossos negócios, a menos que queiramos dar lugar ao diabo.”. ( De orat., XXIII; cf. “Ad nation.”, I, XIII; “apology.”, XVI)
    CIPRIANO DE CARTAGO (200-? D.C.)
    São Cipriano nasceu em torno do ano 200, provavelmente em Cartago, de família rica e culta. Dedicou-se em sua juventude à retórica. O desgosto que sentia diante da imoralidade dos ambientes pagãos contrastado com a pureza de costumes dos cristãos, o induziu a abraçar o Cristianismo por volta do ano 246. Pouco depois, em 248, foi eleito bispo de Cartago.
    Em uma carta dirigida a Fido na qual trata sobre o batismo das crianças, menciona o domingo como dia do Senhor, por ser o dia em que ressuscitou Cristo:
    “Como o oitavo dia, isto é, o dia imediatamente após o Sábado era o dia em que havia de ressuscitar o Senhor, e nos havia de dar a vida com a circuncisão, por isso na lei antiga se observou este dia.” (Carta LVIII, A Fido sobre o batismo das crianças).
    Além desses e outros se soma o Concílio local de Elvira realizado no ano de 300 que em seu cânon 21 demonstra que o dia em que a Igreja se reunia era o domingo: “Se alguém na cidade deixa de vir a Igreja por três domingos, seja excomungado por um curto tempo para que se corrija”.
    CONCLUSÃO
    O imperador Constantino decretou a liberdade de culto no Edito de Milão no ano de 313 d.C, mas já havia testemunhos de mais de 250 anos antes de que os cristãos celebravam a Eucaristia no domingo e não guardavam o sábado. Os adventistas e outras comunidades protestantes similares simplesmente omitem esta informação a seus leitores apresentando-lhes assim uma informação tendenciosa. Poderia se supor que eles a desconhecem, mas no caso do artigo analisado do site protestante, podemos observar que não é o caso, pois citam a Enciclopédia Católica que não só menciona isto, mas que afirma que “O domingo era o primeiro da semana segundo o método de contagem dos judeus, mas os cristãos observavam o Sábado judeu nos tempos apostólicos como o dia separado para o culto público e solene a Deus”. Essa citação atribuída a Enciclopédia Católica foi impossível ser encontrada.
    Trata-se novamente deste caso de uma história alternativa fabricada por essas denominações protestantes para justificar suas próprias doutrinas. O problema que trás para o cristianismo é evidente. O mais doloso é o problema moral que incorre, usando informações falsas para justificar suas próprias doutrinas. Em segundo lugar a história alternativa apresenta a aquilo que não é cristã um panorama de desacordo e confusão que não favorece sua aceitação do evangelho. Com o tempo, os diversos revisionismos tem difundido essa versão errônea da história que tem promovido as divisões entre os crentes e escândalo entre os que não são crentes, resultando na ruina de muitas almas. O cristão deve “permanecer na verdade” tal como nos ordenou Jesus como condição indispensável para a salvação por que “Que união pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunidade entre a luz e as trevas?” (I Coríntios 6, 14), quem se serve da história alternativa para afirmar doutrinas próprias ou para derrubar as doutrinas originais da fé, deixa em evidência seu próprio erro pondo em perigo sua própria salvação e a dos outros.

    Curtir

  11. William disse:

    A Igreja Católica é ( Universal), e Apostólica( pelos santos apóstolos Pedro e Paulo) e Romana( pois A Igreja venceu o império romano pelo sangue dos mártires).
    Veja que essa Pedra Fundamental é Pedro, meu amigo Edmilson e logo, o Senhor Jesus Disse: “Pedro, tu és Pedra, e nessa Pedra eu Edificarei a minha Igreja). O termo “Igreja” é diferente do termo “igreja” com letra minúscula. A “Igreja” que somente é uma, a Católica, é a matéria verdadeira de Fé e Moral Cristã. Essa é a ÚnicaIgreja de Jesus Cristo. E o Senhor Jesus, deu as chaves para São Pedro e seus santos Sucessores para que “Tudo o que ligares na Terra, ligarás no Céu”. Então minha cara, a Igreja é a Sã Doutrina ministrada pelos Apóstolos e seus sucessores( os atuais Papa, e Bispos somente da Igreja Católica) pois a linhagem sucessória não foi quebrada desde de o momento que o Senhor soprou o Seu Espírito Santo sobre os discípulos. Esse sopro é o “Sacramento da Ordem”. logo a “Igreja” com letra maiúscula é a Católica Apostólica Romana. A Única Igreja de Jesus Cristo. Agora a “igreja” com letra minúscula, concordo com você, somos “nós”, realmente. Coloco o “nós” entre aspas, pois nem todos querem ser “igreja”. A grande maioria prefere as coisas do mundo. A “igreja” são as pessoas que permitem que Deus habite dentro delas. E como se dá essa permissão? Vivendo a Fé.
    Recebendo os 7 Sacramentos ministrados somente pelos Sacerdotes Católicos que são: Batismo, Eucaristia, Crisma, Confissão, Matrimonio, Ordem e Unção dos Enfermos. Além disso, a “igreja” é quem pratica a Caridade, Santidade e Penitencia. É a “igreja” com letra minúscula, o que o catecismo da Igreja Católica(feito pelo Beato Papa João Paulo II) chama de “igreja domestica”. Então meu amigo Edmilson, a “igreja doméstica” deve sempre seguir o que determina a Igreja Católica Apostólica Romana.
    A diferença entre a as duas é que Uma é a Sã Doutrina deixada por Cristo e ministrada por seus Sacerdotes e a outra somos nós que devemos seguir essa São Doutrina por amor.
    Abraços Edmilson.

    Curtir

    • Bruno Mendonça disse:

      Meu caro William, para usar uma passagem bíblica, você deve usá-la na maneira que ela está escrita na Bíblia e não deturbá-la, está bem?
      Você usa o termo de Mateus 16:18 dizendo: “Pedro, tú és Pedra, e nessa Pedra eu Edificarei a minha Igreja.”. Mas só que na verdade, a versão original do grego bíblico está escrita: “… tú és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja…”. Quando o Senhor Jesus diz que Simão filho de Jonas ou Barjonas, és Pedro, ele apelida esse nome a ele, no substantivo masculino “Petros” que significa: pequenos blocos rochos ou fragmentos de rocha. Depois, o Senhor diz: “e sobre esta pedra” e não “e nessa Pedra”, ele se refere a ele mesmo no substantivo feminino “Petra” que significa: Grande Rocha, Bloco Rochoso Irremovível, eu (Jesus) edificarei a minha igreja.

      Na questão dos sucessores de Cristo, Pedro e seus sucessores não são somente que deixaram o legado de Cristo na terra, pois creio que todos os membros do corpo ou seja a Igreja, deixam a obra do Evangelho na terra.
      Pois o Senhor ordena a todos que o recebem em suas vidas dizendo: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a todo criatura.”
      O senhor diz que que ICAR, mostra seu cristianismo verdadeiro ao mundo por suas obras de caridade aos pobres e moribundos, mas a ICAR esqueceu da proclamação do Evangelho ao mundo, preparando os povos aos caminhos salvificos de Cristo e resplandecendo a luz do Senhor as nações, o Papa e o magistério da igreja viajam para as nações pedindo paz entre os povos, mas parece que a ICAR não tem mais a mente de Cristo, pois se esqueceram de que Jesus falou: “Não cuideis que vim trazer paz á terra; não vim trazer paz, mas espada.” A espada da palavra trazendo salvação aos povos.
      Não digo isso criticando as obras e os projetos sociais em benefício dos órfãos e das viúvas, eu incentivo isso claro é óbvio como nós mesmos evangélicos fazemos também, como Tiago nos ensina dizendo: “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações …” (Tiago 1:27). Mas a prioridade da Igreja de Cristo é o anúncio das boas novas do Senhor ao mundo.

      Curtir

  12. EDMILSON disse:

    SÃO PEDRO O NOSSO PRIMEIRO PAPA!

    Eu asseguro com toda certeza do mundo! E digo convincente que qual quer pastor ou historiador protestante deixa de ser protestante se ele deixar de lado a ignorância e o racionalismo e começar a estudar a sério a patrística nas suas fontes verdadeiras.
    Contra Proclo
    Caio (séc I)

    E eu posso mostrar os troféus dos apóstolos. Se você for para o Vaticano ou para a Via Óstia, encontrará os troféus daqueles que fundaram esta igreja (Preservado em História Eclesiástica 2,25, de Eusébio 264-339).

    Veja como é claro a Perpetuidade do primado de S. Pedro.
    O Evangelho; a razão; a história e o primado do Pontífice romano.

    Agora abramos o Evangelho e ouçamos as palavras divinas desta investidura perpétua: “Ide, pregai a todos os povos… ensinando-os a observar tudo o que vos mandei; e eu estarei convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Math., XXVIII, 19-20). Que explendor de evidência!

    Os enviados de Cristo deverão ensinar e pregar a todos os povos; Cristo os acompanhará com a sua assistência até a consumação dos séculos.

    Logo os apóstolos, não como pessoas físicas, mas como corpo moral que se perpetua nos seus sucessores, hão de durar até o fim dos tempos.

    O Evangelho diz-nos que Pedro é o fundamento sobre o qual Jesus construiu a sua Igreja, sociedade visível, que há de durar até o fim dos tempos e contra a qual não hão de prevalecer as portas do inferno. A fórmula evangélica é aqui de um relevo empolgante. De um lado afirma a perenidade da Igreja, do outros constitui a Pedro sua pedra fundamental. Ora, a perpetuidade de um edifício é essencialmente condicionada pela estabilidade de seus alicerces. Repudiando esta pedra fundamental que é a sua autoridade de governo, a Igreja apartar-se-ia das intenções de Cristo, destruiria a própria organização constitucional que lhe impôs a vontade do seu divino fundador.

    No dia em que viesse a faltar o principado hierárquico de Simão, a pedra escolhida pelo Salvador, as portass do inferno teriam prevalecido: sem base, o edifício aluiria em inevitável ruína.

    Esse dia não despontará nunca. Há vinte séculos que todos os poderes da terra coligados arremetem contra essa rocha firmada pela mão de Deus. Há vinte séculos que a dinastia dos sucessores de Pedro continua na história como um milagre vivo, sem exemplo na ordem moral. Digitus Dei est hic.
    Protestantes saibas que o relógio do tempo não soará nunca a hora em que “o ídolo do Vaticano será precipitado no seio da história com o ímpeto de uma pedra, arremessada no fundo do mar a audácia da metáfora não logra disfarçar o quixotesco da profecia.

    Diz-nos ainda o Evangelho que Pedro é sem restrições de tempo nem de lugar o pastor do rebanho de Cristo. O rebanho existe? Não há de faltar quem o pastoreie. Nunca será que as ovelhas do redil de Cristo tresmalhem, desgarradas pelo mundo, sem pastor que as apascente, guie e defenda.
    Ora, Jesus Cristo fundou a sua Igreja como uma grande sociedade. Poderíamos por um só instante persuadir-nos que não tivesse dado um chefe em torno do qual se reunissem os crentes: Fora lícito aventurar que a Providência se mostrara menos solícita com a sociedade cristã do que o foi com a sinagoga, para cuja conservação instituíra e mantivera a autoridade espiritual do supremo

    E o governo é permanente como a necessidade social que exige. Admitir em Pedro um poder de jurisdição como privilégio pessoal e intransmissível é contra-senso jurídico. A autoridade é função pública cuja única razão de ser é o bem social.
    Pedro preferido por sua fé aos demais apóstolos para primeiro chefe da Igreja, entende-se; o cargo de supremo pastor da sociedade cristã criado para prêmio individual de um homem fora sem razão inadmissível. É, pois, a natureza orgânica da instituição divina que exige a perpetuidade do primado. Cristo, estabelecendo uma sociedade visível qui-la una como uma só coisa são as divinas pessoas, ut sint sicut et nos unum sumus. Ora, pondera S. TOMÁS, “não há unidade da Igreja sem unidade de fé… não há unidade de fé sem um chefe supremo”.4

    Deve ser bem evidente a necessidade perene da monarquia espiritual do Pontífice para que a confessem os mais ilustres protestantes que não fecham obstinadamente os olhos à luz da verdade. LEIBNIZ e GRÓCIO são talvez os mais profundos talentos de que na filosofia e na jurisprudência se podem gloriar as letras protestantes; ambos concordam em reconhecer essa necessidade fundamental. Memoremos apenas as palavras do célebre jurista holandês: “A ordem, assim nas partes como no todo, cifra-se no primado ou unidade do chefe. Foi o que em Pedro nos ensinou Cristo. Foi o que de Cristo aprendeu Cipriano, o que com Cipriano repete Jerônimo…

    Pg.101
    este chefe é entre os sacerdotes o bispo… entre os bispos o metropolita… entre todos, o bispo romano… Esta ordem deve ser permanente na Igreja porque contínua é a sua razão de ser: o perigo do cisma”.5

    Nada mais claro. Concluamos. A razão exige um primado perpétuo? Cristo instituiu-o. Tudo na obra divina é coerente. O edifício da Igreja foi levantado sobre a firmeza de uma autoridade que, como rocha inabalável, lhe há de sustentar a divina estrutura até a consumação dos tempos. “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela”.

    A palavra onipotente do Verbo humanado prometeu naquele instante ao humilde pescador da Galiléia uma investidura imortal. Pedro viverá nos seus sucessores até o fim dos tempos. “Episcopalis dignitas Petri indeficiens obtinet cum aeterno sacerdotio consortium”.6 Estas palavras de S. LEÃO MAGNO recolhem na sua concisão a voz de todas as gerações cristãs, que, neste sentido, entenderam sempre a instituição do divino Fundador. Não é dos lábios profanados e indignos dum sacerdote fedífrago, perjuro e rebelde que iremos ouvir após mil e quinhentos anos a interpretação genuína da magna carta que constitui o princípio de estabilidade, desenvolvimento e perfeição da sociedade cristã.

    A Igreja fundou-se, organizou-se, desenvolveu, segundo o ideal preestabelecido pela Providência. Não podia falhar o plano de Cristo à espera de LUTERO que o viesse emendar. A constituição social do cristianismo e a sua vida no curso dos séculos são necessariamente a realização do plano divino. Ora, desde os seus primórdios a Igreja reconheceu sempre o pontífice romano como o legítimo sucessor de S. Pedro no governo supremo e universal da sociedade dos fiéis. É este concerto admirável da consciência cristã que passamos a ouvir. Depois dos oráculos do Evangelho, depois dos ensinamentos da razão, escute-se a lição da história. Pois Cristo, deu as chaves a São Pedro e isso é largamente demonstrado, e ainda deu-lhe em Pedro e em seus sucessores uma autoridade suprema e indefectível, guarda da sua doutrina, baluarte inconcusso da sua unidade.

    Ora, a autoridade, de sua natureza, é o elemento mais visível, mais conspícuo, mais saliente no organismo social. Se ignoro onde reside o poder, como lhe posso prestar submissão? Como posso apelar para as suas decisões nas minhas dúvidas? Como conhecer a legitimidade dos seus decretos? Logo, fechando o silogismo, na verdadeira Igreja de Jesus Cristo deve existir sempre uma autoridade suprema, visível, evidentemente reconhecível às inteligências retas e aos corações sinceros.

    Lançai agora um olhar sobre o universo cristão. Onde está o grande centro da unidade católica, a grande força moral que afirma serenamente a supremacia da sua jurisdição baseada na herança legítima da supremacia de Pedro? Todos os olhos se voltam espontaneamente para a cidade eterna: ei-lo; o bispo de Roma é o soberano Pontífice da cristandade.

    Agora fora da comunhão católica encontrareis mil seitas que se dizem cristãs, a definharem na estagnação da morte, sem unidade de fé, sem unidade de regime, sem unidade de culto. Outrora eram ramos florescentes da grande árvore. O orgulho separou-as num momento de desvario; a ignorância e os preconceitos continuaram a obra cismática das paixões em revolta. Foram-se, desditosas igrejas! Mas nenhuma, ainda nos dias de sua maior enfatuação, pretendeu a hegemonia universal na sociedade dos crentes.

    As velhas igrejas do Oriente proclamaram-se espontaneamente autocéfalas. Cada patriarca não estende a sua jurisdição além da limitada esfera territorial que lhe assinaram as conveniências políticas, os acordos diplomáticos ou as transações financeiras. Sofia e Atenas, Moscou e Bizâncio tratam-se como potências políticas autônomas, nem sempre aliadas mas sempre no mesmo pé de igualdade.

    Agora o protestantismo, outra fração separada da unidade católica, introduziu na hierarquia eclesiástica, como em tudo o mais, um confusão inextricável. HENRIQUE VIII disse: “Não quero papa porque o supremo poder espiritual sou eu; a tiara, e a coroa devem cingir a mesma fronte. Mas haja bispos, independentes entre si e dependentes do cetro, sem nenhuma autoridade fora da Inglaterra.

    LUTERO amputou mais profundamente: não quero bispos, mas só sacerdotes. CALVINO mais radical ainda: nem bispos nem sacerdotes, só ministros predicantes. Uma multidão de seitas inferiores: fora também os ministros predicantes; cada cristão é o seu doutor e o seu profeta. Toda a reforma, portanto, nas suas infinitas modalidade renuncia à posse do governo supremo das almas. E eis-nos chegados às pontas do dilema: ou a Igreja de Cristo, por ele fundada sobre Pedro pereceu, ou é a Igreja Católica, Apostólica, Romana.

    Para justificar ante a consciência cristã a existência do papado não é mister acumular outras provas, cerrar mais argumentos, ou multiplicar novas deduções. A infalibilidade da palavra de Cristo que prometeu a indefectibilidade à sua Igreja edificada sobre Pedro é o título divino da existência do papado, o penhor seguro da sua perene dedução.

    Agora vou mostrar um pouco de histórica. Para os protestantes, aprendam meus caros que o Papado não é instituição do cristianismo primitivo, é “o elo último de uma evolução secular, a expressão suprema de uma concentração sucessiva do poder”: “instituição essencialmente humana, o Papado é a suprema mistificação do Cristianismo legada aos tempos modernos pela superstição caliginosa dos tempos medievais”.8 – Nunca se levantou mais flagrante testemunho contra a história

    Eu poderia escreve e mostrar milhares de milhares centenas de centenas de volumes se eu quisesse recolher todos os testemunhos e fatos históricos da antiguidade que atestam irregrafavelmente a supremacia espiritual do papa.

    Mais creio eu que só esses daqui são bem convincentes.

    Estamos na idade apostólica. O espírito turbulento de alguns jovens suscita em Corinto distúrbios e desavenças. A paz dos fiéis é seriamente ameaçada. Quem a restabelece? O bispo de Roma. S. CLEMENTE, terceiro sucessor de S. Pedro, escreve aos coríntios palavras afetuosas e paternas sim, como convém ao pastor comum, mas, ao mesmo tempo, repassadas de força e autoridade como só as pudera escrever um superior. Com a carta envia também o papa
    ___

    9. “Os que não obedecem ao que ele [Cristo] por nosso órgão diz, saibam que hão de incorrer em falta e envolver-se em não pequeno perigo; nós seremos inocentes deste pecado”. Epíst. ad Corinth., c. 59 (F. 12, 135). Abertamente declara S. CLEMENTE: 1.º que Cristo fala pelos seus lábios; 2.º que os renitentes serão réus de grave culpa. Haverá modo de afirmar menos ambiguamente a própria autoridade? S. IRINEU referindo-se a esta epístola chama-a “potentissimas litteras, ad pacem eos [coríntios] congregans et reparans fidem eorum”. Adv. Haeses., III, 3, 3, (MG, vii, 850).___

    No segundo século, por vontade de S. VÍCTOR (189-199) papa em todo o orbe cristão se reúnem sínodos a fim de uniformizar a celebração da Páscoa.
    AGORA NO ANO (154-257) S. ESTÊVÃO (dirige com a sua autoridade a célebre controvérsia agitada na Ásia e na África sobre a repetição do batismo conferido pelos hereges. ISSO AQUI MEUS IRMÃOS SÃO RELATOS É A PATRÍSTICA VIVA QUE SÓ ESTOU MOSTRANDO FRASES FAMOSAS DOS NOSSOS PAPAS QUE MORREU PELA IGREJA.

    Agora no século IV, JÚLIO I (337-352) recebe a apelação do S. Atanásio, patriarca de Alexandria, de Marcelo de Ancira, de Paulo, patriarca de Constantinopla, e a alguns bispos que precipitadamente se haviam imiscuído nessas igrejas escreve:

    “Ignoraisser costume que primeiro se nos escreva e daqui se decrete o que for justo? Certo, se alguma suspeita podia pairar sobre estes bispos, a esta Igreja [Roma] se devera ter comunida”. Dos bispos, assim ilegitimamente depostos, vários foram, em seguida, por ordem pontifícia, reintegrados nas suas sedes. Que melhor argumento da primazia de Roma que este antigo costume de lhe obedecerem os bispos e patriarcas assim do Ocidente como do Oriente?
    S. SIRÍCIO (334-398) declara pesar-lhe sobre os ombros, como sucessor de Pedro, a solicitude de toda a Igreja; para toda a Igreja legisla e dirime controvérsias: “A regra acima [sobre a administração do batismo], escreve ele, deve ser observada por todos os bispos que se não quiserem separar da solidez da pedra sobre a qual Cristo edificou sua Igreja”.13

    À medida que a literatura eclesiástica se vai opulentando de mais copioso cabedal de documentos, os testemunhos da primazia pontifícia se vão multiplicando prodigiosamente.

    Agora entremos no século V, INOCÊNIO I (402-417). ZÓZIMO (417-428), BONIFÁCIO I (412-422), CELESTINO I (422-432), LEÃO MAGNO (440-461), SIMPLÍCIO (468-483), FÉLIX II (483-4923) E GELÁSIO I (492-496), isto é, quase todos os papas do século deixaram-nmos tnatos, tão conepícuos, tão incotnratáveis documentos de sua autoridade jurisdicional que a dificuldade está só em os escolher.

    Ao Concílio de Cartago escreve INOCÊNCIO I que o julgamento dos bispos não é definitivo “se o não confirma a autoridade da sede apostólica”. Assim o ensinam “a antiga tradição e a disciplina esclesiástica” estribadas não em disposições humanas, mas na “sentença divina”. ZÓZIMO, numa epístola aos bispos africanos, recorda outrossim “a tradição dos Padres”, consoante a qual a ninguém é lícito discutir as sentença da Sé apostólica; a Pedro e a seus sucessores ” por promessa de Cristo e por lei divina” foi confiada a solicitude da Igreja universal.Escreve BONIFÁCIO I a todos os bispos da Tessália: é certo por palavra divina que a Igreja romana é a cabeça de todas as igrejas disseminadas no mundo: “quem dela se aparta

    desmembra-se da religião cristã porque já lhe não pertense à constituição orgânica”.1A S. CIRILO de Alexandria ordena S. CELESTINO que, em seu nome e por autoridade da Sé apostólica, excomungue e deponha a NESTÓRIO, patriarca de Constantinopla, caso não retrate os seus erros; confere-lhe ao mesmo tempo a faculdade de nomear outro bispo e lhe comunica haver já escrito no mesmo sentido a outros membros do episcopado a fim de que “a todos conste a sua sentença que é a sentença divina de Cristo”.18

    E a Igreja? Levanta-se, porventura contra essa autoridade como usurpação humana que vem desfigurar e desnaturar a obra divina de Cristo? Insurge-se, talvez contra esta força moral, superior à de todos os bispos, de todos os patriarcas, de todas as igrejas particulares? Muito longe disso. Não há um brado de protesto. Na consciência da Igreja, assistida sempre pela divina Providência, vive o espírito de fé, de submissão, de confiança no governo divinamente constituído do papa.

    Quereis ouvir a voz dos Padres e dos grandes doutores?

    Agora é INÁCIO (morto 107 ou 117), foi bispo de Antioquia, contemporâneo dos Apóstolos, que, saudando aos Romanos, parece não encontrar no entusiasmo do seu fervor termos bastante expressivos para exaltar a grandeza singular desta Igreja que de Roma preside à comunhão universal dos fiéis e a cuja solicitude confia os cuidados da igreja de Esmirna, que, com o seu martírio, ficaria em breve viúva do seu pastor. 19 E qual é a missão desta Igreja “que preside a toda

    E a cristandade”? Continua o santo mártir: “Vós ensinastes às outras igrejas. E eu quero que permaneçam firmes as coisas que vós prescrevestes nos vossos ensinamentos”.

    Agora é IRINEU (morto no ano 202), oriundo da Ásia Menor, bispo nas Gálias, discípulo de S. Policarpo e de outros anciãos da idade apostólica, Irineu em cujo testemunho falam o Oriente e o Ocidente e que proclama sem rebuços nem equívocos a necessidade para todas as igrejas de se conformarem na fé com a Igreja romana em razão de sua primazia de poder.21

    Agora veja o que diz CIPRIANO (200-258), que, comunicando ao papa Cornélio a partida para Roma de Felicíssimo e outros cismáticos, diz: “Atrevem-se estes a dirigir-se à cátedra de Pedro, a esta igreja principal de onde se origina o sacedócio… esquecidos de que os romanos não podem errar na fé”.Para O bispo de Cartago, Roma é “a matriz e o tronco da Igreja católica”estar em comunhão com o papa é estar em comunhão com a Igreja católica”.

    Agora veja o que diz AGOSTINHO (354-430), que em mil lugares, atesta inequivocamente a supremacia do Pontífice romano. Roma é a igreja “in qua

    sempre apostolicae viguit principatus”. A sede de Pedro, pelo sucessão ininterrupta de seus bispos, “culmen auctoritatis obliunt, cui nolle primas dare vel summae profecto imietatis est vel praecipitis arrogtantiae”.

    Agora veja o testemunho de JERÔNIMO (340-420) que das longínquas paragens do Oriente, ao ver que Melécio, Vital e Paulino pleiteavam a sede de Antioquia, se dirige ao Papa em demanda de luz e conselho: “estar em comunhão com o romano Pontífice é estar unido à cátedra de Pedro, é sequir a Cristo, que sobre essa pedra edificou a sua Igreja. Quem sair desta arca perecerá no naufrágio”.

    Agora veja o harmonia dos doutores historiadores e padres da igreja da época como ,OPTATO DE MILÉVIO, AMBÓSIO, GREGÓRIO DE NAZIANZO, MARCELO DE ANCIRA, VICENTE DE LERINS, PEDRO CRISÓLOGO, TEODORO, LEÔNCIO DE ARLES, isso é o coro universal da Igreja, do Oriente e do Ocidente, a cantar harmoniosamente as glórias de prerrogativas de Pedro sempre vivo nos seus sucessores.

    Tal a voz dos Padres. Ouvi agora a dos Concílios. É a Igreja toda que fala nas suas assembléias ecomênicas.

    Agora abre-se em 431 o concílio de Êfeso. FILIPE, legado do Sumo pontífice assim se apresenta ao venerável consenso: “Ninguém duvida, a todos os séculos o confessam, que S. Pedro, príncipe e chefe dos apóstolos coluna da fé e fundamento da Igreja católica, recebeu de N. S. J. C., Salvador e Redentor do gênero humano, as chaves do reino e o poder de ligar e desligar os pecados.

    Pedro vive e julga até aos nossos dias e sempre viverá e julgará na pessoa de seus sucessores. S. CELESTINO, seu sucessor e substituto legítimo, nosso santo e bem-aventurado Papa, a este sínodo me envia como seu representante, etc.”29 E todos os padres do concílio expressamente aprovaram as palavras do enviado pontifício.

    Agora Vinte anos depois, no concílio ecumênico reune-se em Calcedônia. Logo na priemira sessão levanta-se o representante do Soberano Pontífice e, sem que se ouvisse uma só voz de protesto,

    Muito alongaríamos estas páginas se eu quisesse referir, um por um, todos os lugares destes e de outros doutores dos cinco primeiros séculos da Igreja, que preconizam e exaltam a primazia do Papa

    Irmãos e minhas irmãos
    É o Papa quem convoca, preside e confirma todos os concílios gerais desde o de Nicéia até ao do Vaticano. Seu poder sobre estas assembléias ecumênicas é universalmente reconhecido.

    É o Papa quem confirma, remove, demite, reintegra bispos no Oriente e no Ocidente. CIPRIANO escreve a S. ESTÊVÃO para que substitua MARCIANO, bispo de Arles. S. DÂMASO depõe FLAVIANO, patriarca de Alexandria. S. AGAPITO exautora ANTIMO, patriarca de constantinopla, apesar da oposição da imperatriz. NICOLAU I enumera oito patriarcas constantiopolitanos depostos pelos Romanos Pontífices.

    É o Papa quem acredita, nos centros mais importantes da cristandade, legados e embaixadores seus, investido de plenos poderes para decidir as causas mais urgentes. LEÃO I nomeia um apocrisiário em Constantinopla, AGAPITO um representante junto ao imperador JUSTINIANO. Em Tessalônica desde o século IV residia um vigário apostólico cuja jurisdição se estendia a todos os bispos da Ilíria.

    Ao Papa, de todo o orbe católico apela, sem distinção, sacerdotes, bispos, patriarcas, ortodoxos e hereges. Roma é o tribunal de última instância. Sua sentença pode reformar todas as outras e por nenhuma e reformável.

    Em 142 MARCIÃO, excomungado pelo seu bispo no Ponto; em 251, PRIVATO, bispo condenado pelo concílio de Cartago; em 252 FORTUNATO e FÉLIX, julgados por CIPRIANO, apelam para Roma. Para Roma apelou o grande ATANÁZIO, patriarca de Alexandria, apelaram CRISÓSTOMO, GREGÓRIO DE NAZIANZO, e FLAVIANO, EUTIQUES, AÉCIO, todos orientais. Que melhor prova da supremacia do papa?

    É na comunhão com o papa, necessária a todos os fiéis, que a Igreja põe a pedra de toque da verdadeira ortodoxia. Afirmam-no declaradamente S. CIPRIANO, S. OPTATO DE MILÉVIO, S. AMBRÓSIO, S. JERÔNIMO. Afirmam-no, com os fatos, quase todos os hereges que, ainda condenados por bispos ou sínodos particulares procuraram com todas as artes da fraude, da dissimulação e da astúcia conservar a comunhão com a Igreja romana.

    Basta lembrar os nomes de MARCIÃO, CELESTINO, amigo de PELÁGIO, MONTANO, etc.

    Ao papa enfim reconhecem a soberania espiritual os supremos poderes políticos do império. GRACIANO no século IV ordena que não se entreguem as igrejas senão aos bispos em comunhão com papa DÂMASO. O edito de TEODÓSIO MAGNO que institui o cristianismo, religião do império, declara ser vontade do imperador que os seus súditos “sigam a religião pregada por S. Pedro aos romanos e que até hoje se conserva e é seguida pelo papa DÂMASO”.

    JUSTINIANO escreve a JOÃO II: “Apressamo-nos em levar ao vosso conhecimento tudo quanto concerne o estado das igrejas… Nem sofremos que coisa alguma seja desconhecida por Vossa Santidadequia caput est omnium sanctarum ecclesiaram”.
    São imperadores cristãos? Pois não nos falta em testemunmho de imperador pagão.
    VEJA:

    Chegou AURELIANO em 272 a Antioquia. PAULO DE SAMOSATA, já condenado por dois sínodos, recusava entregar a residência episcopal. A causa é levada ao tribunal supremo. A sentença de AURELIANO, que EUSÉBIO chama “retíssima”, foi que se entregasse o edifício a quem determinasse o bispo romano e os outros antístites da Itália. Bem notória devia ser no século III a primazia do Papa sobre toda a Igreja para que não a ignorassem os próprios imperadores gentios.

    Irmãos e minhas irmãs católicas e aos amantes por história primitiva com testemunhas oculares da época . Após esta rápida excursão pelos primeiros séculos do cristianismo podemos legitimamente concluir com DE MAISTRE: “Rian dans toute l’histoire ecclésiastique n’est ausse invinciblement démontré, pour la conscience, surtout, que ne dispute jamais, que la suprématie monarchique du souverain Pontife”.

    Muito de caso pensado restringimo-nos quase exclusivamente aos testemunhos dos 5 primeiros séculos. Aqui é impossível falar de eclipse medieval, de obscurecimentos, de superstição.
    Diante destes documentos e de mas de mil outros que eu poderia facilmente produzir, pergunto sinceramente a todo leitor desprevenido: havia ou não na Igreja primitiva a consciência clara, luminosa, serena da soberania espiritual do bispo de Roma?

    A ESTADIA DE SÃO PEDRO EM ROMA É MAIS DO QUE CLARA
    VOU DA EXEMPLOS DESSAS VERDADES SAIBAS QUE TODOS OS PADRES DA IGREJA E TODOS OS PADRES APOSTÓLICOS COMO TODOS OS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS COMO TODOS OS HISTÓRIADORES DE DENTRO E DE FORA DA IGREJA TESTIFICAM A PRIMAZIA DE SÃO PEDRO EM ROMA SEM UMA ÚNICA VOZ DISCORDE.

    VEJA AQUI MAIS ALGUNS RELATOS E TESTEMUNHOS SOBRE
    O PRIMADO DE S. PEDRO NA ANTIGUIDADE CRISTÃ

    I. TESTEMUNHO DOS SS. PADRES, DOS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS E DA LITURGIA ANTIGA.

    A) Igreja latina.

    TERTULlANO (c. 160-223) “Latuit aliquid Petrum aedificandae Ecclesiae petram dictum, claves regni coelorum consecutum, et solvendí et alligandi in coelis et terris potestatem?” De Praescriptione, c. 22 (ML,II, 34).

    S. CIPRIANO (200-258) : “Petro primum Dominus, super quem aedificavit Ecclesiam, et unde unitatis originem instituit et ostendit, potestatem istam dedit, ut id solveretur (in tcrris ), quod ille solvisset”. Epist. 73, ad Jubaianum, n. 7 (ML, III, 1114) – “Nec Petrus quem primus Dominus elegit et super quem aedificavit Ecclesiam suam, cum secum Paulus de circumcisione postmodum disceptaret vindicavit sibi insolenter aut arroganter assumpsit ut diceret se primatum tenere, et obtemperari a novellis et posteris sibi potius oportere”. Epist. 71 ad Quintum, n. 3 (ML, IV, 410).

    S. MÁXIMO (c. 460): “Quanti ergo meriti apud Dominam suum Petrus erat, ut ei post naviculae parvae remigium totius Ecclesiae gubernacula tradantur?” Sermo 3, de Apost.

    S. OPTATO DE MILÉVIO (c. 370): “Igitur negare non potes scíre te in urbe Roma Petro primum cathedram essa collatam, in qua sederit omnium apostolorum caput Petrus, inde Cephas appellatus”. De schisma Donati, 1. 2, n. 2 (ML, XI, 947).

    S. AMBRÓSIO (340-3D7) “Ipse est Petrus cui dixit: Tu es Petrus et super hanc petram aedificabo Ecclesiam meam . Ubi ergo Petrus, ibi Ecclesia. Ubi Ecclesia, ibi nulla mors'”,In Ps. XL, n. 30 (ML, XIV, 1082). – “Cui
    ________________________________________
    APÊNDICE Pg.464
    ________________________________________
    [Petro] propria auctoritate regnum dabat [Chrístus], hujus fidem firmare non poterat ?Quem cum petram dixit, firmamentum Ecclesiae indicavit”. De fide, I, 4. c. 5., n. 56 (ML, XVI, 628).

    S. JERÔNlMO (331 ou 340-420): “Inter duodecim unus eligitur, ut capite constituto, schismatis tolleretur occasío” In Jovin., lib. I, n. 26 (ML, XXIII, 247). – “Christus Petri largitus est nomen, ac secundum metaphoram petrae recte dicitur ei: aedificabo Ecclesiam meam saper te. In evang. Math., c. 16 (ML, XXVI, 117). – “Quid Platoni et Petro? Ut ille enim princeps philosophorum ita hic apostolorum fuit, super quem Ecclesía… fundata”. Adv. Pelag. l. I, n. 14 (ML, XXIII, 506).

    S. AGOSTINHO (354-430): “Quid ergo incongruum si Petrus post hoc peccatum factus est Pastor Ecclesiae, sicut Moyses post percussum. aegyptum factus est rector illius Synagogae?”. Contr. Faustum, 1.22, c. 70 (ML, XLII, 445). – A Sé de .Roma “ípsa est petra quam non vincunt superbae inferorum portae” . Psalm. contr. partem Donati (ML, XLIII, 30) – “Petrus qui Paulo ante eum confessus erat Filium Dei et ín illa confessíone appelatus erat petra supra quam fabricaretur Ecclesia”. Enarrat. in Ps, 69, n. 4 (ML, XXXVI, 869).

    S. LEÃO MAGNO (RN. 461): “De toto mundo unus eligitur Petrus qui et universarum gentium vocationi, et omnibus apostolís cunctisque. Ecclesiae partibus praeponatur ; ut quamvis in populo Dei multi sacerdotes sint, multique pastores, omnes tamenproprie regat Petrus quos principaliter regit et Chrístus”. Serm. 4 de assumpt. sua ad Pontificatum (ML, 149-150).

    S. HILÁRIO (m. 366): “Petrus cui superiores claves regni coelorum dederat [Christus],super quem Ecclesiam aedificaturus erat adversum quam portae inferni nil praevalerent, qui quae ín terris solvisset vel ligasset, ea in coelo, vel soluta persisterent vel ligata” Tract, in. Ps. 131, n. 4 (ML, IX, 730).

    S. ZENÃO DE VERONA (séc, IV): “Simoni, super quem aedificavit Ecclesiam, Petrus nomen ímposuít”. L. I, Tract, 13, n. 8 (ML, XI, 351).

    S. PRÓSPERO DE AQUITÂNIA (m. 463): “Quis vero ambigat quis ignorat hanc fortissimam petram, quae ab ípsa principali petra communionem et virtutes sumpsit et nominis, hoc desiderium semper habuisse ut ei moriendi pro Christo constantía donaretur?”. De vocatione omnium gentium, 2, 28 ( ML, LI, 714).

    B) Igreja grega.

    ORÍGENES (c. 185-254): “Vide magno illi Ecclesiae fundamento et petrae solídissimae super quam Christus fundavit Ecclesiam quid dicatur a Domino…” Hom. 5 in exodo n. 4 (MG, XIII, 329) – “Cui” [Petro] tamquam fundamento superstructa est Ecclesia adversus quam nec ipsae inferorum portae praevaliturae sunt”. In Joan. t. 5, n. 3 (MG, XIV, 188).

    S. BASÍLIO (331-379); “Jonae filium, qui fuit ex Bethsaida, Andreae fratrem, qui ex piscatore ad apostolatus ministerium vocatus est, qui, quoniam fide praestabat,Ecclesiae aedificationem in se ipsum recepit'”, Ad. Eunomium, 1. 2, n. 4 (MG, XXIX, 580).
    ________________________________________
    APÊNDICE Pg.465
    ________________________________________
    S. GREGÓRIO NAZIANZENO (c. 330-390): “Vides quemadmodum ex Christi discipulis magnis utique omnibus et excelsis atque electione dignis, hic petra vocetur atque Ecclesiae fundamenta fidei credita habeat’. Orat. 32, n. 18 ‘(MG, XXXVI, 193).

    S. GREGÓRIO NISSENO (m. c. 394): “Celebratur Petri memória qui apostolorum est caputet una cum ipso cetera membra Ecclesiae glorificantur, Dei vero Ecclesia (in ipso ) solidatur. Hic juxta praerogativam sibi a Domino concessam firma ac solidissima petraest super quam Salvator Ecclesiam fundavit”. Orat. 2 de S. Steph, (MG. XLVI, 733).

    S. CIRILO ALEXANDRINO (m. 344): “Et Simonem eum (Christus) non jam vocari patitur, eum sibi pro sua potestate jam tunc ut suum vindicans, sed congrua similitudine Petrum a petra vocari placuit puta super quam fundaturus erat suam Eoclesiam”, In Ioan. evang., l. 2, 42 (MG, LXXIII, 220).

    S. JOÃO CRISÓSTOMO (c. 344-405): “Petrus itaque chori illius coryphaeus, Apostolorum omnium, caput illius familiae, orbis totius praefectus, fundamentum Ecclesiae”, Hom.in illud : “Hoc scitote”, n. 4 (MG, LVI, 275).

    S. NILO (m. 430): “Qui vero praeses in apostolorum choro et semper ín hís dux praestantior fuit”. Tract. de voluntaTia paupertate, c. 8 (MG, LXXIX, 979) – “VídensEcclesiae primum lapidem, chori apostolici verticem, post poenitentiam factam”. Epist. 2, 261 (MG, LXXIX, 333).

    THEOPHILATUS: “Tu vero conversus confirma fratres tuos. Planus hujus intellectus is est: Quia te habeo ut principem apostolorum, postquam, negato me, fleveris et ad poenitentiam veneris, confirma coeteros. Hoc enim et decet qui, post me, Ecclesiae petra es et confirmamentum”. ln c. XXI Lucae.
    Na liturgia grega lê-se “beatum te ac proprio te nomine dixit Petrum quasi petram et basem Ecclesiae frangi nesciam”. – “Tamquam in petra solida in te Petro, Ecclesiam fírmans Christus, in fide immotam eam stabiliat tuis precibus ín aevum mansuram'”, PITRA, Hymnographie de l’Eglise grecque, Roma, 1867, pp. XLII, XLIX.

    C) Igreja siríaca.

    S. AFRAATES (m. c. 344): “Suscepit eum Petrum Dominus, posuit eum in fundamentum, vocavitque eum petram, Ecclesiae aedificationem”. Demonst. 7 de poenitentibus n. 15Patrologia syriaca ed. R. GRAFFIER, Paris, 1904, P. I., t. I, p. 335.

    S. EFRÉM (m, 373): “Simon, discipule mi, ego te constituo fundamentum ecclesiae sanctae, Petram vocavi te antea quia tu sustinebis totum meum aedificium; tu es inspector eorum qui aedificant mim ecclesiíam in terris'”, Serm. 4 in hebdomad. sancta, n. I, ed. de TH. LAMY, Mechliniae, 1882, t. I, 412. ”

    Nos livros litúrgicos dos sírios, no ofício dos SS. Apóstolos: “Simon, caput, apostolorum, rector, pastor et gubérnator Ecclesiae”. – Na mesma liturgia Siríaca: “Beatus es, Simon Barjona, cui os vivens affirmavit dicens: beatus es quia super te aedificabo et stabiliam firmiter Ecclesiam sanctam”. E. G. KHAY-YATH, Syri orientales, 4.
    ________________________________________
    APÊNDICE Pg.466
    ________________________________________
    No Sínodo de Dadiesu, convocado em 424, o bispo Agapito, demonstrando a necessidade da obediência dos bispos ao patriarca, assim se expríme: “Unus sit ejus [Spíritus Sancti] thesauri dispensator, Simon Barjona, qui cognominatus fuit Petra et cui prormisit : “Super hanc petram aedificabo ecclesiam meam”, et iterurn: tibi dabo claves regni coelorum. Non dixit Christus omnibus discipulis : “super vos aedificabo” et “vobis dabo”. E. G. KHAYYATH. Syri orlentales, 5, 121.

    D) Igreja eslavo-russa.

    Nos livros litúrgicos dos russos lêem-se estas palavras: “[Petrus] fundamentum Ecclesiae, pastor dominicus omnium apostolorum, dux apostolorum”. Num hino de quinta-feira na, oitava da festa dos apóstolos canta a Igreja russa: “Oh! S. Pedro, príncipe dos apóstolos! Primado apostólico, pedra inamovível da fé, em recompensa da tua confissão, fundamento eterno da Igreja. ” clavígero dos céus, eleito entre os apóstolos para ser depois de Jesus Cristo o pri-
    meiro fundamento da Santa Igreja, alegra-te; alegra-te, coluna inabalável da fé ortodoxa, chefe do colégio apostólico!”. 1

    II. TESTEMUNHO DOS CONCÍLIOS ECUMÊNICOS

    O Concílio de Éfeso (431, 3.0 ecumênico) ouve e aprova as seguintes palavras do legado do papa S. Celestino: “Nulli dubium, imo saeculis omnibus notum est quod sanctus beatissimusque Petrus, apostolorum prínceps et caput, fideique columna etEcclesiae catholicae fundamentum a N. D, J . C. claves regni accepit”. MANSI, IV, 1295 B.
    O Concílio de Calcedônia (451, 4.° ecumênico) chama Pedro “Petram et cupidinem Ecclesiae catholicae”.

    0 3.° Concilio de Nicéia (787, 7.° ecumênico) afirma: “Beatus Petrus… ubique principatum obtinuit et obttnet”.

    O 2.° Concilio de Lião (1274, 14.º ecumênico) declara que a Igreja romana recebeu “in beato Petro, apostolorum príncipe sive vertice primatum cum potestatis plenitudine” MANSI, XXIV, 70 A. sg.

    O Concílio de Constança (1414-1415, 16.º ecumênico) condenou a seguinte proposição de João Hus, ascendente próximo de Lutero: “Petrus non est nec fuit caput Ecclesia”, MANSI, XXVII, 1290 C.

    O Concílio de Florença (1442, 17.º ecumênico): “Definimus ipsum Romanum Pontificem esse successorem beati Petri principis Apostolorum… et ipsi in beato Petro pascendi, regendit et gubrnandi universalem Ecclesiam a D. N. J. C. plenam potestatem traditam esse”. MANSI, XXXI. 1030 D. sg.

    Agora conheça a obra Philosophumena, que muito provavelmente é S. HIPÓLITO e que certamente floresceu no primeiro quartel do terceiro século, não destoa da voz comum. “S. Pedro, diz-nos ele, resistiu em Roma aos artifícios de Simão Magno que, com os seus prestígios, tentara ilaquear a fé dos romanos”.

    Por último TERTULIANO (m. c. 222), que, pelos fins do segundo século, viveu longos anos na capital do Império, mais de uma vez faz menção da estada de S. Pedro em Roma. “Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro, então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na cruz”. – “Oh! Igreja feliz [Roma], à qual deram os apóstolos com o seu sangue o tesouro de sua doutrina, onde Pedro se assemelhou ao mestre no gênero de morte, etc.”. Em outra obra diz-nos ainda que Pedro batizou no Tibre como o Batista no Jordão.

    Agora nas fronteiras do III com o II século depara-nos a história o testemunho de CAIO,presbítero que floresceu no tempo do papa Zeferino e compôs um livro contra o catafrígio Proclo. Desta obra, hoje perdida, conservou-nos Eusébio o seguinte fragmento: “Posso mostrar-te os troféus dos apóstolos. Quer vás ao Vaticano, quer à via Ostiense, encontrarás os troféus (memórias) dos fundadores desta Igreja [Roma]”.98

    Existiam, pois, em Roma nos fins do séc. II dois monumentos que lembravam aos fiéis o lugar do martírio dos dois apóstolos. A quando remontavam? Diz-nos o Liber Pontificalis que Anacleto (ou Cleto), segundo sucessor de S. Pedro, “memoriam beati Petri construxit et composuit”; De fato, as recentes escavações arqueológicas permitem determinar com suficiente rigor a situação destes antigos monumentos. O sepulcro de S. Pedro achava-se juntamente com outras sepulturas e com um columbário pagão à direita da Via Cornélia que margeava o circo de Nero, no Vaticano.99

    Agora no Século II. – Entre os autores desta época merece especial atenção S. IRINEU (M. 202). Educado na escola de POLICARPO, que, por sua vez, fora imediatamente formado pelo discípulo predileto, só uma geração o separa da era apostólica. Passou a juventude no Oriente; criado mais tarde bispo de Lião conheceu a tradição das Gálias; durante o seu episcopado empreendeu uma viagem a Roma para estudar as origens e doutrinas da grande Igreja. O Oriente e o OcIdente falam, pois, pela boca autorizada de Irineu. Ora, na sua grande obra Contra as heresias, repetidas vezes fala-nos ele da presença de S. Pedro em Roma. Lembremos um só texto: “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua
    ___
    deles enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.
    Agora pelo ano 170 temos uma outra prova no fragmento de uma carta escrita por DIONÍSIO ao papa Sotero (166-174). O bispo de Corinto, um dos homens mais célebres do seu tempo, recorda a viagem a Roma de Pedro e Paulo e compara as igrejas de Corinto e de Roma a uma seara plantada pelos dois apóstolos: “[Pedro e Paulo] assim como vieram à cidade de Corinto plantando a nossa Igreja com os seus ensinamentos, assim igualmente se foram a Itália onde vos doutrinaram e sofreram o martírio no mesmo tempo”

    A referência à perseguição de Nero, em que juntamente com Pedro e Paulo foi martirizado grande número de cristãos, é manifesta. Então São Clemente o quarto papa da igreja católica abrira a sua epístola com estas palavras: “as repentinas desgraças e calamidades que nos saltearam impediram-me de acudir mais cedo às vossas divergências” suprimindo-lhe o primeiro e o último período e depois conclui ovante: isso é a patrística com fonte histórica e com fatos verídicos com testemunhas oculares sem nenhuma sombra de duvida.
    Agora veja o testemunho de S. Pedro. –Então fechemos a série destas provas com o testemunho do próprio S. Pedro, que remata a sua primeira epístola com estas palavras: “sauda-vos a igreja eleita que está em Babilônia e Marcos meu filho”,
    Irmãos e irmãs católicas saibas que a expressão metafórica de Babilônia mostra ser a realmente a cidade de Roma, pois todos historiadores de fora da igreja da época sãoe que são testemunhas oculares afirmam unânimes que Babilônia era também chamado de Roma.
    VEJA O NOME DE CADA UM DELES
    ESTRABÃO, PLÍNIO, DEODORO SÍCULO, LUCIANO e PAUSÂNIAS,
    E mais a os historiadores de fundo de quintal para tentar esconder a verdade diz que Babilônia não designa a capital corrupta do império, mas outra cidade; E eu lhes pergunto qual? Não no-la sabem dizer ao certo. Pois quem aventou Babilônia do Egito; foram os piadistas historiadores protestantes mais esta não passava então de um simples presídio militar cuja população se reduzia a um manípulo de legionários. Como atestam os próprios historiadores da época dos fatos no qual eu mostrei.

    E mais todos os antigos padres da igreja : Entre eles PAPIAS, EUSÉBIO, CLEMENTE ALEXANDRINO, S. JERÔNIMO, TESTIFICAM ESSAS VERDADES ABSOLUTAS.
    POR ISSO SÃO PEDRO ESTEVA EM ROMA
    VEJA A GRANDE PROVA
    1ª Prova, bíblica.
    1 Pedro 5, 13. A igreja escolhida de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.
    Está é a principal prova de que Pedro esteve em Roma, visto que Roma era tira como a babilônia na época pela semelhança que tinha com a babilônia (Ap 17,5; 18, 10). Assim, na mente de Pedro, a Roma dos seus dias lembrava a antiga Babilônia em riqueza, luxúria e licenciosidade
    Saúda-vos a igreja que está em Babilônia e Marcos meu filho”. Ora, Marcos nesta época (c. 1-62) não se achava em Babilônia mas em Roma. Di-lo abertamente S. Paulo em duas epístolas escritas durante o seu primeiro cativeiro na capital do império. Na epístola aos colossenses, IV, 10, “Saúda-vos Aristarco… e Marcos, primo de Barnabé; na epístola a Filemon v. 24: saúda-te Marcos, etc.”. Nem é tudo. O exame interno do nosso segundo evangelho, em admirável consonância com os mais antigos testemunhos históricos, atesta-nos que Marcos escreveu as suas páginas inspiradas em Roma, sintetizando nelas a pregação e os ensinamentos do príncipe dos apóstolos. PAPIAS, JUSTINO, IRINEU, ORÍGNES CLEMENTE ALEXANDRINO depõem contestes em favor desta verdade.

    Agora abro JOSEFO FLÁVIO no lugar indicado e que leio? Que Herodes Magno antes da era vulgar depôs a Ananel, sumo pontífice, oriundo dos judeus que haviam sido deportados em massa para Babilônia. Quem duvidou jamais deste fato? Mas que prova ele em favor da existência de uma numerosa colônia judaica em Babilônia na época em que S. Pedro escreveu a sua primeira epístola? O próprio FLAVIO, no l. XVIII, c. 9, falando dos tempos de Calígula (estamos, pois, na idade apostólica) conta-nos como os judeus, que habitavam na Mesopotâmia e em Babilônia, acossados pelos idólatras fugiram, a princípio, para Selêucia, mas também aí alcançado pelo ódio homicida dos seus perseguidores, pereceram quase todos em horrenda carnificina. Outros foram dizimados pela peste. (Cf. RENAN, L’Antichrist2 Paris 1873, p. 122, nota). O testemunho de Josefo, portanto, longe de contradizer, confirma o dos outros autores que já referi.

    etc. Conclusão: a cidade de Babilônia (Babylon-onis) não passava de uma deserto; na região babilônia não havia judeus quando S. Pedro escreveu a sua epístola. Aí está o em que dá o repetir papagaiamente o que disseram outros. A singular prerrogativa do crítico paulista de citar autores que não conhece expõe-no frequentes vezes ao desmancha-prazeres destas desagradáveis surpresas.
    Fílon de Alexandria (grego: Φίλων ο Αλεξανδρινός Fílon o Alexandrinós, hebraico פילון האלכסנדרוני,Pilon ha-Alexandroni) foi um filósofo judeo-helenista (25 a.C. — ca. 50) que viveu durante o período do helenismo.

    Diz a história nos seus livros da época e nos seus catálogos que quando Claudio subiu ao trono em 41, ele tentou resolver este conflito – ordenando representantes de ambos os grupos étnicos para comparecerem perante ele em Roma.
    A segunda delegação, mais uma vez dirigida por Fílon, fez a viagem a Roma. Quando eles chegaram, Eusébio afirma que Fílon “Disse ter lido diante do Senado inteiro dos romanos sua descrição da impiedade do [Imperador] Caio, que ele intitulou, com certas ironias, refere a suas Virtudes, e suas palavras eram tão admiradas como se pudessem ter um lugar nas bibliotecas.”
    Enquanto Fílon estava em Roma ele se encontrou com Pedro!
    Note o que Willian Cave disse:
    “Aqui [em Roma], dizem-nos, ele [Pedro] se reuniu com Filon o judeu, que recentemente veio em sua segunda embaixada até Roma, em nome de seus compatriotas em Alexandria, e contraíu uma íntima amizade e familiaridade com ele.” (A vida dos Apóstolos. Oxford 1840. Pp. 200-201.)
    E mais para confirmar e mostrar essas verdades absolutas um grande historiador de nome Eusébio de Cesaréia comenta que “a tradição diz que ele [Filon] chegou a Roma no tempo de Cláudio para falar com Pedro que estava naquele tempo a pregação os de Roma. Isso, de fato, não pode ser improvável uma vez que o tratado a que nos referimos, composto por ele [Filon] muitos anos depois, obviamente, contém as regras da igreja que ainda são observados em nosso próprio tempo”(História Eclesiástica de Eusébio. Harvard University Press, Londres. 1975. p. 145).

    vou mostrar agora algumas outras obras que surgiram no segundo século que falam que São Pedro esteve em Roma

    VAMOS LÁ
    Nos primeiros anos do século II um documento siríaco,
    chamado A Pregação de Pedro, foi escrito. Sua data é indicada pelo fato de que o gnóstico Heracleon, o utilizou em seus escritos durante o tempo do imperador Adriano (117-138 dC).

    Para quem não sabe a pregação de Pedro traz “São Pedro e São Paulo juntos em Roma, e divide os discursos e declarações que tiveram lugar lá entre os dois … é notoriamente fundado sob fato universalmente admitido de São Pedro ter trabalhado em Roma.”

    É inconcebível pensar que tal documento (alegando aceitação como um produto genuíno da era apostólica) teria apresentado uma fábula sem fundamento sobre a presença de Pedro em Roma, numa altura em que muitos que tinham visto o apóstolo ainda estavam vivos!

    Saibas também que trinta anos depois do martírio do Apóstolo São Pedro em Roma
    O papa Santo Anacleto construiu um oratório no local onde os fiéis se reuniam. Também se acha o testemunho do papa São Clemente Romano, que escreveu uma carta contemporânea do Evangelho de São João (90 d.C.), em que cita a morte gloriosa do pescador da Galiléia.
    Essa história é registrado em vários escritos primitivos sem nenhuma sombra de duvida
    E PARA REFORÇAR ESSAS VERDADES ABSOLUTAS
    MEUS IRMÃOS CATÓLICOS E CATÓLICAS
    Vou mostrar que dos relatos não-cristãos também se sobressai a crônica de Celso ao imperador Adriano (117-138), em que ele assegura que o nome de Pedro gozava de grande popularidade na capital do Império
    notem agora o que diz “Hegésipo nascido no ano 110nos da era cristã e morto no ano 180 da era cristã
    Veja o que ele nos relata – em seu quarto livro de Memórias que chegou até nós – e que nos deixou um registro completíssimo de sua constatação.
    Neles, conta que numa viagem para Roma, encontrou um grande número de bispos e que recebeu a mesma doutrina deles.
    E mais Hegésipo faz referências da Epístola do papa São Clemente aos Coríntios
    isso mostra claramente mais uma vez o que todos os padres da igreja testificam sem nenhuma voz discorde
    E mais Hegésipo ainda fala do papa Aniceto cujo o seu nascimento é do ano 110 da era cristã
    E, cujo diácono era Eleutério.
    E mas Aniceto foi sucedido por Sótero, e esse por Eleutério. Em cada sucessão, e em cada cidade se confirmou que foi pregado de acordo com a lei, os profetas e o Senhor'” essa passagem você também encontrar no livro de 10 volumes de nome história eclesiástica escrito por Eusébio de Cesaréia que nasceu no ano 265 da era cristã (em fragmento na História Eclesiástica de Eusébio 4,22; ~180 dC).

    S. INÁCIO DE ANTIOQUIA NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRiSTÃ, foi um contemporâneo dos apóstolos, fala-nos frequentemente da hierarquia eclesiástica: “Sem bispo, sem sacerdotes e sem diáconos não há igreja”.Em cada igreja local o bispo é o intérprete autorizado da doutrina apostólica, é o representante de Deus. A instituição divina do episcopado é claramente afirmada na dedicatória da epístola aos filadelfos: “O bispo, os sacerdotes e os diáconos foram designados no pensamento de Jesus Cristo, que segundo a sua vontade os estabeleceu e confirmou pelo Espírito Santo”.HERMAS, SÃO CLEMENTE ROMANO, S. DIONÍSIO DE CORINTO, S. IRINEU,

    TERTULIANO, ORÍGENES, escritores do primeiro e segundo século (e princípio do terceiro) afirmam como verdade notória e indiscutível a origem apostólica do episcopado.

    Mais. Todos os catálogos e listas episcopais organizadas por HEGÉSIPO, IRINEU, EUSÉBIO para as igrejas de Roma, Antioquia, Alexandria e Jerusalém mostram-nos uma série ininterrupta de bispos cujo primeiro termo é um apóstolo ou discípulo imediato dos apóstolos. Mas não há porque insistirmos em coisa tão evidente.

    RESUMINDO A IGREJA NASCEU CATÓLICA

    Curtir

  13. antônio disse:

    “Sob Cláudio [Imperador], Fílon [quande estoriador judeu] em Roma relacionou-se com Pedro, que então pregava aos seus habitantes.” (Eusébio de Cesaréia – HE II,17,1 – 317 d.C)

    A “Tradição Cristã” conserva, que terminado o Concílio em Jerusalém, Pedro viajou para Roma. Era um antigo ideal que zelosamente guardava no coração, de poder evangelizar o centro do Império Romano. Provavelmente se deslocou para Cesaréia e ainda no ano 49 ou 50, foi para a Itália, quando Cláudio era o Imperador Romano. Quanto ao local onde Pedro se estabeleceu e fez a sua primeira morada, há diversas suposições, quase todas baseadas em lendas, às vezes fantasiosas, sem qualquer possibilidade de comprovação, motivo porque as omitimos. Todavia, quanto ao trabalho que desenvolveu, existem muitas informações documentadas atestando a sua admirável obra, a qual dedicou-se com empenho e perseverança na divulgação do evangelho de JESUS, fundando Comunidades e dando assistência a todas elas, até o fim de sua vida. Dezenas de escritos testemunham esta verdade, dos quais citaremos alguns, dos muitos que se encontram nos Arquivos do Vaticano:

    Papia, bispo de Hierápolis, conforme carta escrita a um parente, conheceu alguns discípulos dos Apóstolos no ano 121, os quais afirmavam que Pedro predicara em Roma;

    Irineu, bispo de Lion, na França, e Dionísio, bispo de Corinto na Grécia, em seus escritos, datados do ano 180, falam da permanência e do magnífico trabalho que Pedro fez em Roma.

    A Primeira Epístola de Pedro foi escrita em Roma, conforme podemos observar pela saudação final, onde se lê: “A (Igreja) que está em Babilônia, eleita como vós, vos saúda, como também Marcos, o meu filho.” (1 Pd 5,13). Babilônia significa aqui a capital do império romano; a referência só pode ser para Roma, porque ela é a única cidade chamada de “Babilônia” em outro lugar na literatura Cristã antiga [conforme Apocalipse (Ap 17,5; 18, 10), e também Oracula Sibyl (Capitulo V, versos 143 e 159, ed. Geffcken, Leipzig, 1902, 111)].

    Tanto o Bispo Papias de Hierápolis, como o biógrafo Clemente de Alexandria, utilizaram o testemunho dos velhos Padres (i.e., dos discípulos dos Apóstolos) e testemunharam afirmando :“nós aprendemos que Marcos escreveu o 2º Evangelho de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO a pedido dos cristãos romanos que desejavam ter por escrito toda a doutrina que oralmente Pedro pregava e ensinava aos seus discípulos” (conforme Eusébio, “História Eclesiástica”, II, 15; III, 11; VI, 14); isto também é confirmado por Irineu (conf. Adv. haer., III, 1).

    Clemente de Alexandria, professor na Escola Catequética da cidade de Alexandria no Egito, em seu “Hypotyposes”, aproximadamente no ano 190, escreveu baseado na Tradição dos Velhos Padres: “Depois de Pedro ter anunciado a Palavra de Deus em Roma e ensinado o Evangelho do ESPÍRITO de DEUS, os líderes da Comunidade pediram a Marcos que tinha acompanhado Pedro em todas as suas jornadas, que escrevesse o que o Apóstolo tinha oralmente ensinado a eles.” (Eusébio, “História Eclesiástica”, IV, XIV).

    O venerável Bispo Ignácio de Antioquia, escreveu uma carta no começo do segundo século (antes do ano 117), enquanto era conduzido para Roma para ser martirizado. Na epístola, se empenhava por todos os meios para conter os cristãos romanos que se esforçavam em conseguir o perdão para ele. Então ele escreveu: “Eu não lhes peço nada, da mesma forma que Pedro e Paulo também não pediram: eles eram Apóstolos e estavam junto de vocês, enquanto eu sou apenas um cativo” (conforme Anúncio. Rom., IV). O significado desta observação é que os dois valorosos Apóstolos estando em Roma, lá ensinaram o Santo Evangelho e rezaram com os fieis, com toda autoridade Apostólica, e foram mortos sob a ordem do Imperador Nero.

    O Bispo Dionísio de Corinto, na carta em que escreveu a Igreja de Roma no tempo do Papa Soter (165-174), diz: ” Você tem a urgente exortação semeada por Pedro e Paulo em Roma e em Corinto. Pois ambos plantaram as sementes do Evangelho também em Corinto, e juntos nos instruiu, da mesma maneira que eles ensinaram igualmente no mesmo lugar da Itália (em Roma) e ao mesmo tempo sofreram o martírio” (Eusébio, “História Eclesiástica”, II, 28).

    Irineu de Lyon, nasceu na Ásia Menor e era discípulo de Polycarpo de Esmirna (que por sua vez, foi discípulo de São João), passou um tempo considerável em Roma logo após a metade do segundo século, e então, foi para Lyon, na França, onde se tornou bispo em 177; de lá descreveu a Igreja de Roma como sendo a mais proeminente e principal conservadora da Tradição Apostólica, como “a maior e mais antiga Igreja, conhecida por todos os cristãos, fundada e organizada em Roma por dois dos mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo” (conf. Adv. haer.cf. III, I). Assim ele faz uso de um acontecimento muito conhecido, reconhecendo a magnífica atividade Apostólica de Pedro e Paulo em Roma, como uma indestrutível prova da Tradição Cristã contra os hereges.

    Do mesmo modo que Irineu, Tertuliano também invoca, nos seus escritos contra os hereges, como prova da verdadeira Tradição Eclesiástica o labor Apostólico de Pedro e Paulo em Roma. Em (“De Praescriptione”, XXXV), ele diz: “Se tua arte está perto da Itália, tu apresse a chegar em Roma onde a autoridade sempre está dentro do alcance. Quão afortunada é esta Igreja para a qual os Apóstolos derramaram o ensinamento deles com o próprio sangue, onde Pedro viveu a Paixão do SENHOR e onde Paulo foi coroado com a morte igual a João Batista.” Em (“Scorpiace”, XV), ele também fala da crucificação de Pedro. “A fé que brotava em Roma, Nero transformou em sangue. Lá Pedro foi cingido por outro, desde que ele foi ligado à cruz”. Como ilustração sobre o batismo cristão, ele declara no seu livro (“De Baptismo”, Cap. V) que não há “nenhuma diferença entre o Batismo que João batizou no Jordão e o Batismo de sangue que Pedro batizou no Tiber” (ambos santificam o homem); e contra o herege Marcion ele invoca o testemunho dos cristãos romanos, “a quem Pedro e Paulo deram o Evangelho lacrado com o seu próprio sangue.” (Adv. Marc., IV, V).

    O sacerdote Caius, conhecido como o romano, morou na capital do Império ao tempo do Papa Zeferino (198-217). Escreveu no seu Diálogo com Proclus contra os Montanistas: “Mas eu posso mostrar os troféus dos Apóstolos. Se você se preocupa em ir até o Vaticano ou na estrada de Ostia, tu acharás os troféus desses que fundaram esta Igreja”. (Eusebio, “Hist. Eccl.”, II, XXVIII). Pelos troféus (tropaia) Eusebio entende os sepulcros dos Apóstolos. Eusébio também se refere que “a inscrição dos nomes de Pedro e Paulo lá foram preservados” até o dia de hoje, no lugar onde foram sepultados (i.e. em Roma).

    Os Atos apócrifos e os Atos de São Pedro e São Paulo, atribuídos a Pedro, embora não reconhecidos pela Igreja como livros canônicos, pertencem igualmente à série de testemunhos importantes sobre a obra e a morte dos dois Apóstolos em Roma. Existe uma coletânea de livros editados na França em 1870, onde se encontram diversos textos interessantes dos mencionados manuscritos, os quais testemunham a presença e a obra de Pedro e Paulo em Roma e na Ásia Menor. Também há vários fragmentos que foram preservados por Clemente de Alexandria e publicados. (cf. Dobschuts, “Das Kerygma Petri kritisch untersucht” em ” Texte u. Untersuchungen “, XI, I, Leipzig, 1893).

    DURAÇÃO DO TRABALHO

    As informações acima, tem a finalidade de suprir a ausência de elementos mais precisos sobre a atividade do Apóstolo Pedro e de sua morte em Roma. Podemos acrescentar que o trabalho de Pedro abrangeu um período razoavelmente longo. Esta conclusão é confirmada pela voz unânime da Tradição que, já na metade do segundo século, designou o Príncipe dos Apóstolos como fundador da Igreja romana. É praticamente certo que Pedro viajou para Roma depois de 49 A.D. Sobre a duração do trabalho evangelizador de Pedro em Roma, há também controvérsias e não podemos seguir integralmente os dados cronológicos de Eusébio e Jerônimo, cujas considerações foram estabelecidas sobre crônicas do terceiro século, as quais não fazem parte da Velha Tradição, mas apenas constituem o resultado de cálculos que tiveram por base uma lista episcopal datada de fins do segundo século. Conforme Eusébio, foi apresentado no terceiro século o “Chronograph 354”, que estabelece um tempo de vinte e cinco anos de pontificado para São Pedro em Roma. Entretanto, consideramos o mencionado tempo excessivamente longo, se lembrarmos que a chegada de Pedro a Roma foi em 49. De acordo com a “Crônica” de Eusébio, o décimo terceiro ou décimo quarto ano do reinado de Nero é considerado como o ano em que ocorreu a morte de Pedro e Paulo (ou seja, ano 67-68). Assim sendo, como Pedro chegou a Roma no ano 49 e morreu no ano 67, a relação apresentada pelo “Chronograph 354” que fixa o seu episcopado em vinte e cinco anos, evidentemente não está correta e assim, o tempo de 25 anos deverá ser reduzido para dezoito anos, (porque 67 – 49 = 18 anos) (cf. Bartolini, Roma, 1868). Na verdade o período de 18 anos é um tempo mais condizente com os fatos conservados pela Tradição Cristã.

    Curtir

  14. EDMILSON disse:

    O Ensino de Simão Cefas na cidade de Roma.

    No terceiro ano de Cláudio César, Simon Cefas partiu de Antioquia para ir a Roma. E como eu passei eu pregava nos clubes de vários países a palavra do nosso Senhor. E, quando eu tinha quase chegou lá, muitos tinham ouvido falar dele e saiu para encontrá-lo, e toda a igreja recebeu com grande alegria. E alguns dos príncipes da cidade, os usuários do headbands imperial, veio a ele, para que pudessem vê-lo e ouvir sua palavra. E, quando a cidade inteira estava reunida Sobre ele, levantei-me para falar com eles, e mostrar-lhes a pregação de sua doutrina, de que tipo era. E eu comecei a falar com eles assim: –

    Homens, povo de Roma, os santos de toda a Itália, ouvi o que eu digo a você. Este dia eu pregar e proclamar Jesus, o Filho de Deus, que desceu do céu, e tornou-se homem, e foi com a gente como uma de nós mesmos, e fizeram-poderoso maravilhosas obras e sinais e prodígios antes de nós, e antes de todos os judeus que estão na terra da Palestina. E vós também ouviu as coisas que eu fiz: porque vieram a ele de outros países também, por conta da fama de sua cura e o relatório da ajuda maravilhosa que ele deu, e quem se aproximou dele foi curada por Sua palavra. E, na medida em que eu era Deus, ao mesmo tempo que eu curado Eu também perdoou os pecados: por sua cura, que foi aberto para ver, deu testemunho do seu perdão escondido, que era real e confiável. Para este Jesus que os profetas anunciam Em suas palavras misteriosas, como estavam ansiosos para vê-lo e de ouvir a Sua palavra: Ele, que estava com seu pai desde a eternidade e desde a eternidade, Deus, que estava escondido na altura, e apareceu em a profundidade, o glorioso Filho, que era de seu progenitor, e é para ser glorificado, juntamente com o Pai, e de Seu Espírito divino, e o terrível poder de Seu domínio. E Ele foi crucificado de Sua própria vontade pelas mãos de pecadores, e foi levado para o Seu Pai, assim como eu e meus companheiros viram. E ele está prestes a entrar novamente, em sua própria glória e de seus santos anjos, mesmo quando nós o ouvimos dizer para nós. Pois não podemos dizer nada que não foi ouvida por nós Dele, também não escrever no livro de sua nada Evangelho si mesmo que eu não disse para nós: porque esta palavra é falada de forma que a boca de mentirosos podem ser fechados, No dia em que os homens devem dar conta de palavras ociosas no local do julgamento.

    Além disso, porque nós éramos coletores de peixes, e não qualificados em livros, isso eu também dizer-nos: Eu vou lhe enviar o Espírito Santo, o Paráclito, para que eu lhe ensinar aquilo que não sabe, pois é por seu dom Nós falamos que as coisas que você ouve. E, ainda mais, por isso que levar ajuda aos doentes, e cura para o doente: que pela pregação da Sua Palavra e com a ajuda de seu poder creiais em Cristo, que Ele é Deus, o Filho de Deus, e podem ser entregues a partir da escravidão do serviço, e pode adorá-Lo e Seu Pai, e glorificar o Seu Espírito divino. Pois, quando glorificar o Pai, glorificar o Filho também com ele, e quando adoramos o Filho, adoramos o Pai também com ele, e quando confessamos o Espírito, nós confessamos o Pai eo Filho também: porque em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito, fomos para batizar Comandado Aqueles que acreditam, que eles possam viver para sempre.

    PORTANTO fugir das palavras da sabedoria deste mundo, em que não há lucro, e aproximar-se aqueles que são fiéis e verdadeiras, e aceitável diante de Deus, de quem também recompensa está guardada na loja, e cuja recompensa está certo. Agora, também, a luz surgiu sobre a criação, e do mundo obteve os olhos da mente, que cada homem pode ver e entender que não é adequado que deve ser adorado criaturas em vez do Criador, nem juntamente com o Criador : porque tudo o que é uma criatura é feita para ser um adorador de seu Criador, e não é para ser adorado como o seu Criador. Mas este, que veio a nós é Deus, o Filho de Deus, na Sua própria natureza, que não obstante suas divindade Ele se misturaram com a nossa masculinidade, a fim de que eu poderia renovar a nossa masculinidade com a ajuda de sua divindade. E por esta razão é certo que devemos adorá-Lo, porque Ele é para ser adorado juntamente com Seu Pai, e que não devemos adorar criaturas, que foram criados para a adoração do Criador. Para Ele próprio é o Deus da verdade e na verdade, ele mesmo é de antes de todos os mundos e criaturas, Ele próprio é o verdadeiro Filho, eo fruto glorioso que é do Pai exaltado.

    Mas vós ver as obras maravilhosas que acompanham e siga estas palavras. Um não creditá-lo: o tempo que! É curto desde que eu subi para o Pai, e ver como o Seu Evangelho tem asas seu vôo através do todo-criação que pode ser Assim conhecemos, e cremos que Ele mesmo é o Criador de criaturas, e que as criaturas subsistem por seu oferecimento. E, Considerando que vos vi o sol escurecerá na sua morte Torna-se, vocês mesmos são testemunhas também. A terra, além disso, tremeu Quando Ele foi morto, e o véu foi rasgado em sua morte. E estas coisas a respeito do testemunho foi governador Pilatos também: Para que eu tenha enviado e fez-se a conhecer a César, e essas coisas, e mais do que isso, foi lida antes dele, e diante dos príncipes de sua cidade. E nessa conta César estava irritado contra Pilatos injustamente Porque ele tinha escutado a persuasão dos judeus, e por esta razão eu enviou e tirou-lhe a autoridade que ele havia dado a ele. Esta mesma coisa e foi publicada e conhecida em todo o domínio dos romanos. Isso, portanto, que Pilatos viu e fez saber ao César e ao senado honrado, o mesmo eu pregar e declarar, como fazem também os meus companheiros apóstolos. E vós Pilatos sabe que não poderia ter escrito ao governo imperial do que não aconteceu e que eu não tinha visto com os seus próprios olhos, mas não tomar o que lugar e realmente foi feito, esta que foi que eu escrevi e fez conhecido. Além disso, os observadores do sepulcro também foram testemunhas das coisas que aconteceram lá: eles ficaram como mortos, e, quando esses foram questionados observadores diante de Pilatos, eles confessaram diante dele como um grande suborno, os sacerdotes-chefes dos judeus tinha dado a eles, para que eles possam dizer que seus discípulos haviam roubado o corpo de Cristo. O quê! Então, você já ouviu falar de muitas coisas, e, além disso, se você não estar disposto a ser convencido por aquelas coisas que você já ouviu falar, pelo menos, ser persuadido pelas obras poderoso, que você vê, que são feitas pelo seu nome.

    Simon the Sorcerer Não deixe iludir por você aparências que não são realidades, que exibe para você, como para homens que não têm entendimento, que não sabem discernir o que vêem e ouvem. Envie, portanto, e trazê-lo para onde a cidade está toda montada junto, e você escolher algum sinal para nós antes de você, e, qualquer que seja vedes fazer isso mesmo sinal, será a sua parte para acreditar nela.

    Imediatamente E mandaram buscar Simão, o mágico, e os homens que estavam adeptos da sua opinião, disse-lhe: Como um homem a respeito de quem temos confiança de que há poder em você para fazer qualquer coisa, fazer algum sinal antes de todos nós, e Deixe Esta Simão, o galileu, que prega Cristo, vê-lo. E, enquanto Malthus Eles estavam falando com ele, há aconteceu de estar passando ao longo de uma pessoa morta, um filho de um dos que foram chefes e homens de nota e renome entre eles. E todos eles, como eles estavam reunidos, disse-lhe: Qualquer de vós restaurar a vida desta pessoa morta, ele é verdadeiro, e para ser acreditado e recebido, e todos nós vamos segui-lo em tudo o que eu disse para nós . E disseram-Simon the Sorcerer: Porque você estava aqui antes do Simon galileu, e nós sabíamos que antes dele, a primeira exposição que o poder acompanha-lo.
    Simão relutantemente aproximando-se para a pessoa morta, e puseram o esquife diante dele, e eu olhei para a direita e para a esquerda, e olhou para o céu, dizendo muitas palavras: alguns deles têm pronunciado em voz alta, e alguns deles secretamente e não em voz alta. E demorei um bom tempo, e nada aconteceu, e nada foi feito, ea pessoa foi morto em seu caixão.

    E Simão Cefas aproximou imediatamente corajosamente em direção ao homem morto, e gritou em voz alta perante toda a assembléia Que estava lá: Em nome de Jesus Cristo, a quem os judeus crucificado em Jerusalém, e qual nós anunciamos, levantar-se dali. E assim que a palavra foi dita de Simão, o homem morto voltou à vida e levantou-se do caixão.

    E todo o povo viu e ficou maravilhado, e disse a Simão Eles: Cristo, a quem você prega, é verdade. E muitos gritou, e disse: Vamos Simão, o mágico eo enganador de todos nós ser apedrejada. Mas Simon, pela razão que cada um estava correndo para ver o homem morto que tinha vindo para a vida, escapando aos de uma rua para outra e de casa em casa, e não caiu em suas mãos no mesmo dia.

    Mas toda a cidade pegou de Simão Cefas, e eles o receberam com alegria e carinho, e eu não cessou de fazer sinais e prodígios em nome de Cristo, e muitos creram nele. Cuprinus, além disso, o pai dele que foi restaurado à vida, Simon levou para sua casa com ele, e ele entretido de forma adequada, enquanto eu e toda a sua casa creram em Cristo, que Ele é o Filho do Deus vivo. E muitos dos judeus e dos pagãos se tornaram discípulos lá. E, havia grande alegria Quando da sua doutrina, construíram igrejas lá, em Roma e na rodada cidades aproximadamente, e em todas as aldeias do povo da Itália, e eu servido lá no posto da Superintendência de Governantes-20 cinco anos.
    E depois destes anos Nero César agarrou e calá-lo na prisão. E eu sabia que eu iria crucificá-lo, então chamei Ansus, o diácono, e fê-lo bispo em seu lugar, em Roma. E o próprio Simão falava estas coisas, e além disso também o resto, as outras coisas que eu tinha no comando, eu Comandado Ansus para ensinar ao povo, dizendo-lhe: Ao lado do Novo Testamento e do Antigo deixar não ser lido antes da qualquer outra coisa que as pessoas: o que não é certo.

    E, quando César tinha ordenado que Simon deveria ser crucificado com baixo a cabeça, como eu mesmo tinha requerido de César, e que a cabeça de Paul deve ser retirado, houve grande comoção entre as pessoas, e sofrimento amargo em toda a igreja, vendo que estavam privados da visão dos apóstolos. E os Isus guia levantou-se e levou os seus corpos, de noite, e os enterrou com grande honra, e não chegou a ser uma reunião-lugar lá por muitos.

    E naquele exato momento, como que por um julgamento justo, o Nero abandonou seu império e fugiu, e houve uma cessação por um pouco de tempo a partir da perseguição que Nero César levantou contra eles. E muitos anos depois da coroação grande dos apóstolos, que haviam deixado o mundo ordenação, o sacerdócio enquanto processo foi tudo Tanto em Roma e em toda a Itália, então aconteceu que houve uma grande fome na cidade de Roma.
    Aqui termina o ensino de Simão Cefas.

    Curtir

  15. Manuel disse:

    Belo Trabalho Helen;
    è triste que os protestantes mesmo estudando a história do cristianismo não aceitam esta realidade.

    Curtir

    • Arnaldo disse:

      MANUEL ELES CONHECEM E ACEITAM SIM É INCONTESTÁVEL A ESTADIA DE SÃO PEDRO EM ROMA

      TODO PROTESTANTE QUE ESTUDA HISTÓRIA SABE DISSO

      SÓ QUE MUITOS SÃO ESPERTOS E PROCURAM NÃO MOSTRAR VERDADES ABSOLUTAS POR QUE SE ELES MOSTRAR ESSAS VERDADES O PROTESTANTISMO COM SUAS 50 MIL CEITAS NO BRASIL IRIAM PERDER FIEIS E PRA VOCÊ OS PASTORES PROTESTANTES SÃO LUCRO PARA AS MÍDIAS E TVS ABERTAS COM PROGRAMAS DE PASTORES SÓ PRA VC SABER SÓ OS PASTORES DA REDE RECORD FINANCIAM 480 MILHÕES ANO PARA REDE RECORD E ASSIM VAI

      QUE SÓ UM EXEMPLO ESSES HISTORIADORES VAGABUNDOS HEREGES PROTESTANTES TEM A CARA DE PAU DE ADULTERAR FRASES DOS PADRES DA IGREJA TIRAR FRASE DO CONTEXTO E ASSIM VAI ENTÃO A MISSÃO DA CEITA PROTESTANTE É ESSA CONTESTAR

      QUE UM OUTRO EXEMPLO MANDE UM TEÓLOGO PROTESTANTE
      DISCUTIR PATRÍSTICA COM UM DOUTOR DE TEOLOGIA EM PATRÍSTICA CATÓLICO O PROTESTANTE NÃO VAI EU APOSTO QUE NÃO VAI

      POIS SE ELE MOSTRAR ALGUMA COISA DUVIDOSA VOCÊ VAI NA HISTÓRIA E ESSA COISA NUNCA EXISTIU COMO PAPISA ETC…

      Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s