O Católico que conhece a própria fé Evangeliza à todos e jamais deixa a Santa Igreja


vaticanoUm dos maiores problemas da Igreja Católica de hoje, ao contrário do que se acredita, não encontra-se nos escândalos envolvendo o clero católico e no persistente criticismo da mídia secular na divulgação sistemática desses escândalos, principalmente na Europa e EUA, mas na inegável decadência do ensino adequado da fé, no papel cada vez mais debilitado exercido pela catequese, enquanto ferramenta das mais relevantes na Evangelização católica.

Este fenômeno,  aliado à secularização das sociedades ocidentais, bem como à uma acentuada “confusão teológica” vivida pelo Ocidente Cristão e, no caso do Brasil, à  influência incontestável que o movimento Evangélico Americano teve no país nos últimos 30 anos, tem causado um processo de evasão do catolicismo, acompanhado por um ressentimento contra a Igreja Católica pelos ex-católicos convertidos tanto ao secularismo quanto ao protestantismo evangélico.

O nascimento da Evangelização subsiste na Igreja, ela é a depositária da Boa-Nova a ser proclamada e esse  Depósito Sagrado jamais pode ser separado, pois existe um elo entre a Igreja, Cristo e a Nova Evangelização. Foi pela Igreja Católica, a Heralda de Cristo, que o Ocidente tornou-se Cristão. Foi por ela que o Brasil, por exemplo, tornou-se a maior nação Católica do mundo. Por causa das missões, do engajamento pastoral e missionário da Igreja, é que os frutos do Cristianismo atravessaram as fronteiras do Velho Mundo e chegaram não apenas aqui, mas em cada continente, em cada país do globo. Na verdade, foi por essa mesma razão que o próprio Velho Mundo não sucumbiu ao barbarismo, ao paganinsmo ou ao domínio Islâmico; foi pela graça de Deus e pelo esforço de Igreja, que a Europa tornou-se e manteve-se durante séculos o centro gravitacional do Cristianismo.

Embora a vocação evangelizadora da Igreja tenha sido de certo modo “roubada” da Igreja Católica, não pela agressividade com que o meio protestante evangélico assuimiu um caráter de “embaixador” da Boa-Nova, mas principalmente pela passividade da própria Igreja em preservar sua verdadeira vocação, ou seja, anunciar o Evangelho  à toda gente, ela vive e continua a ser uma missão de todos.  Contudo, após ter conquistado para Cristo incontáveis nações e povos, a Igreja talvez tenha esquecido-se de acender o fogo do Evangelho nos coroações dos seus próprios filhos. Portanto, é importante refletirmos se a missão da Igreja consiste apenas em Evangelizar e converter à Cristo todo aquele que não O conhece, ou se ela chama-nos também à inclusão daqueles que se desviaram do caminho da Verdade.

Dentro deste contexto, torna-se inevitável o questionamento sobre a situação atual do mundo Católico. Enquanto testemunhamos um crescimento exponencial do Catolicismo na África e na Ásia,  a estagnação e, por vezes,  o declínio do número de católicos no Ocidente é uma realidade cada vez mais presente. É importante lembrar, porém, que pelo menos no que se refere à situação de Europa e EUA, os números desfavoráveis ao crescimento da fé Católica resultam muito mais do aumento do secularismo nestas partes do mundo do que, por exemplo, por causa do crescimento de outras religiões. No entanto, no Brasil essa realidade talvez não traduza um mesmo gráfico. Aqui,  a “denominação” que mais cresce é o exército de “ex-católicos”, não necessariamente por conta do talento evangelizador do Protestantismo Evangélico, mas talvez pela deficiência ou inabilidade da Igreja alcançar o católico afastado e conduzi-lo de volta à casa do Povo de Deus.

É interessante como a tradição evangelizadora católica parece, ao longo dos séculos, ter-se concentrado em converter o ateu, o pagão, e todos aqueles que não conhecem à Cristo, enquanto a tradição protestante, principalmente no meio dito “evangélico”, nos mostra que sua “base de militância” é justamente alcançar não apenas ao católico batizado e não-praticante da fé, mas àquele que pratica e vive a fé, porém desconhece suas origens e mal pode explicá-la a quem quer que seja. Enquanto as missões Católicas deixaram-nos incontáveis mártires que derramaram o próprio sangue para levar a luz de Cristo à toda gente, algumas denominações protestantes de hoje sequer consideram o Católico como Cristão!

Deus deve ser adorado com fé, esperança e amor. . . sem dúvida, saberás todas estas coisas que estás a procurar, se  tomares cuidado para saber o que deve ser acreditado, esperado e amado. Estas são as coisas mais importantes, ou melhor, as únicas coisas. . ‘. – Santo Agostinho, O Enchiridion de Fé, Esperança e Amor 3 e 4)

Quantas vezes nos deparamos com o ressentimento do ex-católico que, ao justificar sua “conversão” à Cristo fora da Santa Igreja, recita-nos uma série de argumentos notoriamente equivocados e até preconceituosos contra a fé da qual um dia compartilharam. Para muitos desses ex-católicos ressentidos, a Igreja Católica é a única responsável pelo  fracasso pessoal de cada católico que deixou de seguir a Cristo, de ler e conhecer a Bíblia e, por fim, deixou de viver uma vida santa. Esse ressentimento se extende também ao âmbito teológico, causando o questionamento até mesmo a legitimidade bíblica dos sacramentos da Igreja, como a confissão, o batismo infantil, ou os dogmas Marianos, a devoção aos Santos, etc, e tornam-se, muitas vezes, os maiores críticos e perseguidores da Igreja de Cristo.

Missão do Povo de Deus

No passado (e ainda hoje), para a maioria  dos católicos, evangelização era vista como um trabalho de um grupo especial dentro da Igreja, por exemplo, aqueles com uma vocação especial, missionários ou padres. Na nova evangelização, no entanto, fica claro que o chamado é para todo o povo de Deus. Assim, o papel da comunidade leiga católica será imprescindível nessa missão, pois, como declarado na Exortação Apostólica Evangelli Nuntiandi do Papa Paulo VI, a Evangelização é o maior ato de amor e o  chamado para o testemunho ao amor que se pode dar.

O exemplo de Cristo deve ser a inspiração da vida de todo Católico, pois é a imitação a Cristo que nos qualifica para sermos proclamadores do Evangelho. Por outro lado, o mau católico causa mal a si, porque priva-se do crescimento espiritual e da santidade desejada  por Deus, além de causar dano à Igreja, porque propaga uma impressão errada daquilo que ela ensina.

“… Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.16.Tende uma consciência reta a fim de que, mesmo naquilo em que dizem mal de vós, sejam confundidos os que desacreditam o vosso santo procedimento em Cristo.” (1 Pd 3, 15-16)

O conhecimendo da Palavra de Deus e da própria fé é um aspecto imprescíndivel dessa Nova Evangelização, pois não é possível viver o Evangelho sem conhecê-lo. Ainda, é somente pelo conhecimento da Palavra de Deus que se pode perceber aquilo o que Ele realmente espera de nós. A vida de Oração é outro aspecto importante do crescimento espiritual em Cristo. Imitemos os exemplos dos santos, e saibamos dialogar e ouvir a Deus em oração, diariamente. O melhor modo de Evangelizar é viver uma vida santa; o exemplo vale mais que muitas palavras. E finalmente, é de muita relevância, principalmente para o  Católico praticante o conhecimento da própria fé, para que assim, na caridade cristã, com mansidão e sereniade, sempre que desafiado e humilhado ele saibar defender sua fé, com  clareza e sobreidae, pois não é possível amar aquilo que não se conhece, bem como, não é possível defender aquilo que não se ama. “A nova evangelização”, segundo João Paulo II, “Não é uma questão meramente de passagem na doutrina mas sim de um encontro pessoal e profundo com o Salvador. “

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para O Católico que conhece a própria fé Evangeliza à todos e jamais deixa a Santa Igreja

  1. Jair Leo disse:

    Acho que o verdadeiro católico nunca deve deixar sua religião.Uma coisa que acho errado e que vejo é muitas pessoas católicas irem para outra religião pelo fato de não terem coragem de abrir o coração próximo as pessoas da sociedade onde residem.O fato de as pessoas chegarem,pensarem em arrepender dos pecados e falar para o padre,ainda as faz ir embora para casa com o coração pesado e se sentem ilhadas e envergonhadas de abrir o coração,chorar,ajoelhar de verdade,conhecer o interior e arrepender para modificar.Por isto muitas pessoas mudam de religião pela timidez.
    Outro fato que também acho errado é as pessoas mudarem de religião porque não gostam de certos ministros(pois alguns podem ter sido ou são aqueles que perseguem os outros nas empresas,ou são pessoas muito impias que acabam virando ministros da eucaristia).
    Outro fato é que alguns ministros ou pessoas de grupos de oração frequentam centros de macumba ou espírita e mesmo participam de congados.
    È uma coisa difícil de lhe dar até mesmo para o próprio padre ter controle desta situação,onde alguns fiéis desistem ou mudam de religião.
    Eu sou católico já publiquei algumas perguntas,e creio que a igreja católica já está numa fase de rever estes tipos de problemas,pois infelismente ela vive um momento de êxodo.
    Gostaria que as pessoas tivessem mais conhecimento disto,pois o verdadeiro católico não é o que crê em Maria,nem o que foi batizado quando era bebê,mas aquele que nasce novamente em Cristo.
    Já vi pessoas que eram bêbados,serem rejeitados e tratados pelos católicos como um que amanhâ estará do mesmo jeito,mas quando ele chegou na igreja evangélica e foi tratado como irmão,instruído,restaurado e modificado,muitos questionaram,pois realmente a pessoa hoje é outra.
    Quantos eu já vi morrer na bebida.Se os católicos agissem também como os evangélicos,talvês mais almas sejam resgatadas para Deus e mais vidas deixarão de serem ceifadas pelo demônio.
    O demônio existe sim,alguns padres não gostam de tocar no assunto,pois deveriam, o mundo que vivemos hoje já mostra isto,quando Jesus estava nos dias de tribulação o próprio diabo lhe falou de coisas deste mundo que são de suas propriedades.Infelismente ele também está dentro de todas as igrejas até das evangélicas.
    Por este motivo também muitos buscam as igrejas evangélicas para livrar também da presençã espiritual do malígno.

    Curtir

  2. Isayas disse:

    POR ISSO NÃO PODEM SALVAR-SE AQUELES SABENDO QUE A IGREJA CATÓLICA… Catecismo Católico, n° 846

    A Igreja não perde fiéis, mas de quem se diz católico, de falsos membros, desconhecedores dela e sua fundamentação teológica, de Jesus, Ele mesmo, veja Cl 1, 18; Cl 1,22, Ef 1.22-23 e 1 Cor 12.,12+ etc., cujo número confiável, sabedor do porque de ser pertencer à Igreja é muito baixo. A prova disso que tantas injustiças grassam e há muita participação de supostos católicos, inclusive aliando-se a seitas, espiritismo nas mais diversas manifestações, maçonaria, partidos socialistas e comunistas e à herética Teologia da Libertação e a outras graves incompatibilidades na fé.
    Quanto ao crescimento supostamente evangélico é muito relativo; subdividem-se em milhares de seitas formais, sem contar as não formais todas humano-fundamentadas, onde nelas cada um interpreta como quer ou convém a Bíblia; até a homilia do pastor é submetida a crivo pessoal, sujeita à aprovação ou não individual. Há as que aceitam batismo de crianças, outras não; a Eucaristia para algumas é símbolo, para outros Presença Real e milhares de paradoxos e umas intitulam as outras de heresias!

    Quase todas têem cultos semelhantes a centros espíritas, com gritaria, rodopios, expulsão de supostos maus espíritos e pessoas em aparentes transes… Afinal, que evangélicos dissensos são esses? Antes, não eram católicos de fato; agora uma porção de desagregados reunidos fisicamente, porém com as mentes e os corações distantes uns dos outros no contexto teológico-exegético-doutrinário, cada vez mais em quantidade aumentando, porém, em Mt 12,25 …reinos divididos contra si mesmos…”, não passando de massa religiosa disforme; tanto na Igreja ou doutro lado são os mesmos, inclusive migrando de seita em seita, sempre se batizando – um pastor de uma igreja não confia no outro – à procura de uma “igreja boa, mais ideal”… E quando saem para doutrinarem as pessoas, cada qual ensina a seu modo pessoal: uma imensa babel doutrinária, tudo dentro do mais absoluto relativismo bíblico-hermenêutico! Que vantagem e qualidade há nisso?
    Convém possuir apenas 1 amigo confiável ou nenhum mas dispensam-se 100 aparentando-o; aliás, certos supostos católicos da Igreja, por sinal, por serem infiéis, indesejosos de mudanças, talvez o lugar ideal seja-lhes nas seitas; sentir-se-ão à vontade nessas ideologias religiosas, funcionando de acordo com a mentalidade de cada fundador ou membro, assim como permanecer em qualquer seita ou montar outra para si dá no mesmo. Há-as aprovando aborto, outras adultério, ordenação feminina, marcando fim do mundo – os TJs – outras homossexualismo, outras aliando-se a socialistas-comunistas, o caso dos adeptos da sectária Teologia da Libertação que é a fé católica sob a ótica marxista e outras abominações anti cristãs.

    Há 1 para para cada gosto ou opção; são supermercados religiosos, de diversificada heterogeneidade ideológico-cristãs das várias tendências e nuances, à escolha de cada cliente.

    1 Jo 2,19: Eles saíram de entre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos teriam permanecido conosco.

    Veja no “You Tube” pastores famosos evangélicos como “se amam” em recíprocas acusações nas diversas modalidades, inclusive de pertença formal à maçonaria… E a heresia de famoso pastor V Santiago: “cruz é sinônimo de maldição, palhaçada”…

    Curtir

    • PABLO disse:

      MUITO BOM ISAYAS

      AMIGO NÓS CATÓLICOS TEMOS QUE NOS UNIR E ELEGER POLÍTICOS CATÓLICOS E VERDADEIROS HOMENS DE FIBRA

      VAMOS FAZER COMO OS PROTESTANTES VAMOS COMPRAR HORÁRIOS EM TV ABERTAS E VAMOS ENSINAR A PATRÍSTICA VAMOS MOSTRAR A GRANDEZA DA IGREJA CATÓLICA E SUA HISTÓRIA QUE O POVO NÃO CONHECE VAMOS DESMASCARÁ A CEITA PROTESTANTE
      A IGREJA PRECISA MUITO DE HOMENS FORTES INTELIGENTES PARA JUNTOS MOSTRARMOS OS VERDADEIROS ENSINOS DA NOSSA IGREJA UM ABRAÇO

      Curtir

  3. jeffeson alexandre dasilva. disse:

    Com certeza a igreja catolica vai decair para esse mundo, mas para DEUS nunca, porque so aquele que nao entende dos enigmas da igreja, das razoes, do proprio JESUS, pode acreditar nessas doutrinas de faxada que condenam o irmao por ele ser diferente, nao sabem enterpretar a leitura biblica, e dizem que: “o irmao so sera salvo se participar da igreja deles”. Que Deus abencoe a todos e vamos por nossa igreja para frente, porque senao outras pessoas vao querer fazer.

    Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s