É correto chamar de “santa” a uma igreja repleta de padres pedófilos?


Família com crianças na Praça São Pedro – Cidade do Vaticano.

De acordo com a Constituição dogmática da Igreja, todo membro da Igreja de Cristo é convocado à santidade por meio de uma vida santa, pois a santificação é a vontade de Deus para todos os Seus filhos (cf  1 Tes. 4,3 e Ef. 1, 4).

Cristo,  Filho de Deus, o qual juntamente com o Pai e o Espírito Santo é louvado como unicamente Santo, amou a Igreja como Sua Noiva a ponto de morrer por ela.  Ele fez isso para que ela pudesse ser santificada ( cf Efésios 5, 25.26), Ele uniu-a a Si mesmo tornando-a perfeita pelos dons do Espírito Santo, para a glória de Deus. Sendo assim, essa santidade deve ser manifestada nos frutos da Graça que o Espírito de Deus produz na vida de cada indivíduo, na sua forma de vida, no aumento da caridade e das virtudes que levam à perfeição cristã e à edificação dos outros.

A Igreja, assim como uma mãe amorosa, acompanha seus filhos desde o berço até o túmulo, fornecendo a cada passo através dos Sacramentos, como o batismo, confissão, etc,  a ajuda necessária para que cada um dos seus filhos não se desviem do caminho da Salvação. Não se pode imaginar, entretanto, que em afirmar a santidade da Igreja estejamos a proclamar a santidade de todo católico. Contudo, não se pode esperar que tanto Deus como Sua Igreja forcem a consciencia do homem. Por isso ouvimos do Profeta: Assim diz o Senhor: Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte. ( Jer. 21,8).

A Igreja é animada pelo Espirito de seu fundador: Jesus Cristo.  Ele veio ao mundo para salvar os pecadores ( cf 1 Tim. 1,15). Ele veio para chamar não os justos mas os pecadores ao arrependimento. Ele era amigo dos publicanos e pecadores para que Ele pudesse fazer deles novos amigos de Deus. Os pecadores, por sua vez, sabendo da compaixão de Cristo, se agarravam a Ele.

A Igreja segue as pegadas do seu Esposo Divino e nunca repudia os pecadores, nunca os corta de seu rebanho, porque ela deseja trazê-los de volta à Cristo. Ela os convida a jamais se deseperarem, e tenta sempre, pelo menos enfraquecer suas paixões, tendo em vista que não pode reformar suas vidas.

Os escândalos ocasionais existentes entre os membros da igreja não invalidam ou prejudicam a sua pretensão ao título de santa. As manchas no sol não estragam o seu brilho. Nem as manchas morais de alguns membros sujam o brilho dela que sairá como a estrela da manhã, formosa como a lua, brilhante como o sol. O berbigão, que cresce no meio do trigo não destrói a beleza da colheita madura. A santidade de Jesus não foi manchada pela presença de Judas no Colégio Apostólico. Nem pode a corrupção moral de uns poucos discípulos manchar a santidade da Igreja. São Paulo chamou a congregação de Corintio de uma congregação de santos, mas ele reprovava alguns membros causadores de escândalo entre eles.

Do mesmo modo, sempre que escândalos morais ou de corrupção aconteceram deu-se a necessidade de uma reforma. Mas como esta reforma da moral deve acontecer? Por uma força operando dentro ou fora da Igreja? Ao longo de sua história, a Igreja tem visto e conhecido grandes reformadores que lutaram contra a iniqüidade dentro da Igreja, pois não havia uma única arma que os homens poderiam usar na guerra contra as vicitudes de fora da Igreja, que não podiam exercer com mais poder eficácia ao lutar sob a autoridade da Igreja! Assim, podemos seguramente afirmar que reformadores tais e quais Bartolomeu, arcebispo de Braga em Portugal, St Ignácio de Loyola, St Filipe de Neri e tantos outros verdadeiros apóstolos católicos que pregavam tanto pelas palavras como pelo exemplo, são fizeram mais pelo Reino de Deus do que os chamados “Reformadores Protestantes”, responsáveis pela criação de incontáveis “denominações” cristãs, dividindo o rebanho de Cristo e o seu corpo que é a Igreja, enquanto hoje poderíamos olhar para uma Cristandade unificada, espalhando-se irresistivelmente de nação à nação, levando a todo reino da terra o conhecimento de Cristo Jesus.

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para É correto chamar de “santa” a uma igreja repleta de padres pedófilos?

  1. Rita disse:

    Eu acabo de me desligar de uma igreja EVANGELICA na Floria nao porque um “padre” molestou uma crianca e sim porque um PASTOR (homem sagrado para os evangelicos) molestou nao so uma, mas tres adolescente e saiu até nos jornais Americanos???? E ai??? quem é mesmo pedófilo???? me poupem de comentários tao ridiculos!!!

    Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s