Católicos são justificados pela fé, não pela fé somente!


São Paulo escrevendo suas Epístolas

Em 1521, Martinho Lutero declarou na Audiência Imperial de Worms, à qual fora convocado para ser questionado sobre suas opiniões controversas a respeito da Doutrina Cristã da Salvação, ensinada pela Igreja Católica:

 “Se eu não for convencido pelas Escrituras e pela clara razão – eu não aceito a autoridade dos papas e dos concílios, pois eles se contradizem uns aos outros – a minha consciência está cativa à Palavra de Deus. Eu não posso e não vou me retratar de nada para ir contra a consciência, pois isso não é nem correto nem seguro. Deus me ajude. Amém.”

E assim foi criada a Doutrina da Sola Fide ou Fé Somente. No entanto, ironicamente na própria Bíblia a expressão “Fé Somente”  só aparece nos ensinamentos de São Tiago 2: 24, onde o Apóstolo afirma claramente que o homem “NÃO é justificado pela fé somente”.  Além disso, existem outras importantes objeções que podem ser feitas contra a visão de Lutero, como por exemplo, o fato de que São Paulo, em quem ele se baseou para formular sua doutrina,  estevisse de acordo com a afirmação de São Tiago, como pretendo demonstrar aqui.

Pois bem, Lutero baseou-se em parte nos escritos de São Paulo para fundamentar sua doutrina da salvação, e talvez por essa razão, ao traduzir a obra de São Paulo, tenha acrescentado em sua versão em alemão a palavra “somente” (Romanos 3:28): “Nós sustentamos que o homem é justificado pela fé “somente”.

Assim, constatamos que Lutero corrompeu o texto da Sagrada Escritura para sustentar seu ponto de vista e sua interpretação, pois em uma tradução limpa a partir do original grego, São Paulo escreve:

“Poderemos então gabarmo-nos de ter feito alguma coisa para ganhar essa salvação? Com certeza que não. E por quê? Porque a nossa absolvição não se baseia nas nossas obras, mas na fé Nele. É assim pois que somos salvos pela fé em Cristo e não por obediência à lei. E será que são apenas os judeus que Deus salva desta maneira? Não, os outros povos também. Há um só Deus e uma única maneira de ser aceite (o) por ele. Deus faz as pessoas justas consigo próprio apenas pela fé, quer sejam judeus quer sejam gentios. Pois bem, então se somos salvos pela fé, quer isso dizer que já não precisamos de obedecer às leis de Deus? É justamente o contrário! Com efeito, somente quando temos fé estamos a confirmar o valor da lei.” (Rm 3:28-32)

Lutero tinha os ensinamentos de São Paulo em alta estima, tanto que certa vez declarou: “São Paulo ensinou um evangelho simples, que depende do cristão acreditar na pessoa e as obras de Jesus Cristo para ser justificado.”

A grosso modo, esta afirmativa institutiu a doutrina da  Retidão Imputada, ou seja, uma retidão alienígena – que provém de fora do indivíduo – que é imputada a ele no momento que passa a acreditar em Jesus. De acordo com Lutero, essa retidão, e por conseguinte a própria salvação da pessoa, está assegurada para o resto de sua vida, independentemente dos seus atos. Infelizmente, essa visão equivocada dos ensinamentos de S. Paulo é mantida até hoje pela maioria das denominações protestantes.

Por outro lado, a Igreja Católica ensina que somos justificados pela fé, mas não somente pela fé. Ou seja, o Cristão  deve ter confiança e fé em Cristo, e ao receber o Sacramento da Fé – ou Batismo –  a Retidão ou Justiça de Cristo é infundida em sua alma, e torna-se assim a retidão do próprio Cristão. Entretanto, a Igreja nos ensina também que é necessário que  ele viva sua fé por meio da caridade Cristã, para que ocorra a santificação e a salvação da alma.

Como dito, São Paulo estava de pleno acordo com os ensinamentos de São Tiago  quanto a doutrina da ‘justificação não somente pela fé.” Apesar de São Paulo ter afirmado que o homem é justificado pela “fé sem as obras da lei”, ele jamais afirmou que a Justificação se dê pela somente fé, como ensinava Lutero. Porém, para entendermos este conceito é importante explicar o que São Paulo entendia por obras da lei:

Obras da lei:

O debate dentro da Igreja Católica sobre a definição de “obras da lei” se remete até São Jerônimo, que definiu  “obras da lei” como sendo os preceitos “cerimoniais do Antigo Testamento”, que são os preceitos que Moisés deu a o povo de Israel para os distingui-los dos gentios.  Esses preceitos seriam leis, tais  como a proibição de comer-se certos alimentos, a circuncisão ou qualquer outra lei disciplinatória mantida pelos judeus. São Jerônimo não incluiu os preceitos judiciários nem os preceitos morais, ou o Decálogo – os Dez Mandamentos – em sua definição de “obras da lei.”

O Concílio de Trento da Igreja Católica, por outro lado, incluiu todo o corpo da Lei Mosaica como “obras da Lei ‘, o que, à primeira vista, parece estar de acordo com o argumento de Martinho Lutero, a não ser pelo fato de que a Igreja católica não trenha excluído o papel das boas ações do processo de santificação do fiel.

Portanto, a Santa Igreja ensina que chegamos a Deus pela fé, mas a fé nos prepara para produzir as boas ações. Estas boa ações são parte integrante da justificação não são apenas os frutos da fé, porque elas cooperam com a fé.

No livro de Tiago, o apóstolo cita o versículo Gn 22, onde Abraão se justifica quando ele tenta sacrificar seu filho. Essa passagem nos mostra Abrão ser declarado justificado porque sua fé estava a cooperar com suas obras. O livro de Gênesis demonstra que a justificação não se dá num evento único no tempo, mas  que é um processo e que ela continua a ser desenvolvida ao longo da nossa caminhada com Deus.  No Antigo Testamento o próprio Abraão ser justificado pelo menos em duas outras ocasiões (Gn 12, 15) além desta mencionada em Gn 22.

Portanto, quando São Paulo fala de “obras da lei” sabemos que ele está a se referir aos 613 preceitos da lei judaica, mas ao mesmo tempo ele igualmente recrimina qualquer um que tentar impressionar a Deus por suas obras somente, ou que ele tenha ensinado que os 10 mandamentos já não se aplicam aos cristãos. Em Romanos 3:31 escreve São Paulo:

Destruímos então a lei pela fé? De modo algum. Pelo contrário, damos-lhe toda a sua força.

Muitos protestantes errôneamente crêem que os católicos acreditam que somos justificados pelas obras, ou por nossos próprios méritos. Isso é falso, pois a salvação é um dom gratuito de Deus que independe de nossa vontade, é uma Graça de Deus. A Igreja ensina  ainda que obras sem fé são vazias! Ou seja, católicos são justificados pela Graça de Deus somente, mas sua fé deve atuar através da caridade (amor)! Esta opinião é confirmada por São Paulo em sua Epístola 1 Coríntios 13: 1-3

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. [..] Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse TODA a FÉ, a ponto de transportar montanhas, SE NÃO tiver caridade, não sou nada.

São Paulo está nos dizendo que a fé deve ser formada com amor, e como sabemos, amar a Jesus é guardar os seus ensinamentos (Jo 14:15). Sendo assim, uma fé formada pela caridade obedece os mandamentos, bem como boas ações e obras.  Esse tem sido o ensinamento da Igreja Católica por 2 mil anos: A Justificação não ocorre somente pela fé, mas pela fé através das obras de amor. Amém!

Estar circuncidado ou incircunciso de nada vale em Cristo Jesus, mas sim a fé que opera pela caridade. (Gl 5:6)

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Doutrinas & Dogmas e marcado , , , . Guardar link permanente.

38 respostas para Católicos são justificados pela fé, não pela fé somente!

  1. Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

    Prezada Helen,

    corrigida a ambiguidade na questão das boas obras contribuírem para a santificação, e não para a salvação de nossas almas, como foi mostrado em nossos comentários anteriores, quero ratificar seu texto, e parabenizá-la pelo empenho na propagação da palavra de Deus. Quisera eu ver aqui apenas debates amistosos entre irmãos, e não ofensas trocadas, como outras pessoas fizeram, porque somos unidos por Jesus Cristo, e Ele é muito maior que qualquer pequena divergência doutrinária e diferenças menores.

    Pax Domini, um abraço fraternal.

    Jesus Cristo nos abençoe.

    Curtir

  2. Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

    Bom dia a todos,

    Primeiramente, ao ver cristãos se injuriando, percebo que a admoestação é sem amor, portanto de nada aproveita.

    Agora pensem a respeito disto: o ladrão da cruz se converteu naquele momento ao falar que entendia e aceitava que Jesus Cristo era o filho de Deus. Mesmo que ele tenha praticado boas obras antes, elas não tem valor salvífico. Boas obras sem a fé em Jesus Cristo como nosso salvador, não salvam. Espíritas também praticam boas obras, pessoas de religiões não cristãs fazem boas obras até mais que os que se denominam cristão. Onde estão as boas obras do ladrão da cruz após sua conversão? Todos nós sabemos que Jesus Cristo garantiu que ele iria para o Reino de Deus. “Arnaldo César Coelho, boas obras antes da conversão valem? E se uma pessoa se converter como todo seu espírito, com todo o seu coração e expirar sem boas obras, para onde ela vai?”

    Estarei citando abaixo e explicando o raciocínio de passagens que facilitam o entendimento do que está sendo discutido aqui.

    “De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo?
    Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano,
    e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará?
    Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma.”
    Tiago 2:14-17

    A fé sem obras é morta, porque as obras são a exteriorização da nossa fé. Mas Deus conhece nosso coração, ele não precisa que exteriorizemos nada. Podemos ver também que através das boas obras estamos cumprindo o segundo mandamento: amai ao próximo como a ti mesmo. Quando Tiago pergunta: “De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo?”, ele pergunta duvidando que a pessoa realmente tenha fé, por isso ele diz “a alguém dizer que tem fé”, e não “a alguém ter fé”. Como ele duvida da fé que a pessoa diz ter, ele a pede que prove por meio de obras. Portanto, tal passagem NÃO SERVE como embasamento bíblico para colocar obras humanas como necessárias para a salvação. Se existir outra passagem que confirme que dependemos de obras para ser salvo, eu peço que as cite.

    “Porque é gratuitamente que fostes salvos mediante a fé. Isto não provém de vossos méritos, mas é puro dom de Deus.
    Não provém das obras, para que ninguém se glorie.
    Somos obra sua, criados em Jesus Cristo para as boas ações, que Deus de antemão preparou para que nós as praticássemos.”
    Efésios 2:8-10

    Paulo na carta aos efésios deixa claro que que somos salvos mediante a fé, e que isto não provém de nossos méritos, mas é puro dom de Deus. Os cristão salvos são, inlcusive, obras de Deus, criados em Jesus Cristo para as boas ações. As boas obras, daqueles que são salvos, são de ANTEMÃO preparadas por Deus, para que eles as pratiquem.

    A graça e a paz do nosso Senhor Jesus Cristo estejam convosco.

    Curtir

    • Hellen disse:

      Caro Ivo,

      A Igreja Católica não ensina que as boas-obras tenham valor salvífico, mas SANTIFICADOR.
      A graça vem primeiro, antes mesmo da fé, pois não somos capazes da fé sem a graça. Depois da fé vêm as obras para nos santificar.

      Assim conteceu com os judeus conversos no primeiro século. Assim continua a ser até hoje.

      Pax Domini,

      Hellen

      Curtir

      • Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

        Prezada Helen,

        Primeiramente meus votos de estima, paz e amor fraternal em Jesus Cristo. Lembrando sempre que Jesus Cristo nos une como irmãos, e que eu não levantarei placa de nenhuma denominação cristã, pois me importa realmente exaltar o nome de Jesus Cristo.

        Venho responder seu comentário acima citando seu texto, onde temos: “Por outro lado, a Igreja Católica ensina que somos justificados pela fé, mas não somente pela fé. Ou seja, o Cristão deve ter confiança e fé em Cristo, e ao receber o Sacramento da Fé – ou Batismo – a Retidão ou Justiça de Cristo é infundida em sua alma, e torna-se assim a retidão do próprio Cristão. Entretanto, a Igreja nos ensina também que é necessário que ele viva sua fé por meio da caridade Cristã, para que ocorra a santificação e a salvação da alma.”

        Observe, no final afirma-se que é necessário que o cristão viva sua fé por meio da caridade Cristã, para que ocorra a santificação E A SALVAÇÃO DA ALMA. Então a salvação da alma está condicionada a caridade cristã, é pré-requisito, como a querida irmã afirma no texto acima citado. Espero sinceramente estar enriquecendo o estudo desta página.

        Deus te abençoe em nome de Jesus. Um abraço fraternal.

        Curtir

        • Hellen disse:

          Caro Ivo,

          As boas-obras não são pré-requisitos para a Salvação, mas para a santificação. Não se apegue ao literalismo para construir o seu argumento. Se quer mesmo conhecer o que ensina a Igreja, vá à fonte. Busque os escuros oficias católicos. Eu não estou imune a cometer erros. A igreja, por sua vez, não comete erros sobre aquilo que ensina.

          A frase salientada por si na verdade tenta transmitir que a fé salva e as boas obras santificam. A leitura ficou ambígua, admito. Mas a igreja é inequívoca, não há nada que se possa fazer por si mesmo que pra que se obtenha a salvação. Logo posto a fonte desta citação.

          Pax Domini,
          Hellen

          Curtir

          • Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

            Prezada Hellen,

            concordo e ratifico esta sua última resposta, uma vez afastada a ambiguidade que se verificou no texto. Parabenizo pelo site, pela dedicação com assuntos bíblicos, os quais infelizmente são deixados de lado pela maioria das pessoas. Agradeço sua polidez e educação nas respostas,

            Deus te abençoe neste seu trabalho, em nome de Jesus Cristo.

            Curtir

          • Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

            Prezada Helen,

            concordo com o que foi explicado na sua resposta. Acredito que o problema realmente foi a ambiguidade. Parabéns pelo site, porque onde o nome de Jesus Cristo é pregado, aí está Deus. Hoje vemos um desrespeito mútuo entre católicos e protestantes, o que me entristece muito, pois temos muito mais pontos em comum do que discordâncias. Infelizmente muitos ficam presos em minúcias e esquecem de pregar a graça salvadora de Jesus Cristo.

            Parabéns pelo empenho e zelo pela palavra de Deus e pelo evangelismo, continue postando neste site. Continue com seu empenho em espalhar a palavra de Deus.
            Et cognoscetis veritas, et veritas liberabit vos.

            Pax Domini,

            Ivo Veríssimo.

            Curtir

        • Hellen disse:

          Eis a citação: 811. Cân. 1.

          Se alguém disser que o homem pode ser justificado perante Deus pelas suas obras, feitas ou segundo as forças da natureza, ou segundo a doutrina da Lei, sem a graça divina [merecida] por Jesus Cristo — seja excomungado. [cfr. n° 793 s]. ( Concílio de Trento, Sessão VI)

          Curtir

    • Luiz disse:

      Olá Ivo Veríssimo

      Biblicamente fé e boas obras devem andar juntas sempre que possível ou seja tendo oportunidade e condições devem sim. A questão de Lucas 23:43 sobre o crente no Senhor que aceitou Jesus foi que não dava mais tempo para ele fazer santas obras visto que ele já estava bem próximo da morte e isso está bem claro no relato de Lucas 23:43 porém se ele tivesse tempo e oportunidade e condições logicamente que ele deveria sim praticar boas e santas obras. Tomemos por exemplo a visão protestante quando uma pessoa aceita Jesus ele tendo tempo e condições se batizar e participar da Santa Ceia a pessoa deve sim fazer isso e seguindo mesmo raciocínio o crente deve participar do culto e sempre que possível evangelizar e evangelizar é uma boa obra agora que adianta uma pessoa dizer que aceitou Jesus e não se batizar, não participar da santa ceia, não evangelizar, não ir ao culto, não visitar os necessitados?

      Existe um raciocínio assim : que não somos salvos porque fazemos obras mas fazemos obras porque somos salvos porém isso só reforça o entendimento que as boas obras são necessárias pois se um salvo produz boas obras então se o mesmo não produz boas obras logo não está salvo então concluímos que as boas obras obrigatoriamente participam do processo de salvação. Bem, se Deus não precisa que exteriorizemos nada então não deveríamos nem orar, e nem em pensamento. O próprio conceito de Igreja enquanto Corpo de Cristo é um exteriorização dos crentes enquanto pessoas vivas que tem uma forma em um mundo visível e real a santa ceia com os elementos é uma exteriorização o batismo com seu elemento a água se torna visível a todos.
      A fé só salva quando o ser humano adere a vontade de Deus, a verdadeira fé produz boas obras pela Graça de Deus no homem então na verdade negar o valor das boas obras seria como negar a ação da Providência Divina no ser humano pois a fé vem da Graça e as obras seguem a fé. Os crentes no Senhor vivem no mundo portanto devem sim exteriorizar está fé e quando se diz que isso não provem dos homens é porque a Graça não é produzida no homem pelo homem mas por Deus e é gratuito mas temos que ver e entender como essa fé deve agir no homem a fé não é algo estático deve ter ação humana em resposta a ação. Deus não age só pois ele age em um ser humano que é dotado de livre-arbítrio e capacidade de agir conscientemente cooperando com Deus.
      As obras para serem postas em prática precisam sim da ação humana reparem na frase que você escreveu “As boas obras, daqueles que são salvos, são de ANTEMÃO preparadas por Deus, para que eles as pratiquem” repare para que a idéia é para que os crentes pratiquem e observe aí a ação humana e as boas obras são tão essenciais para a salvação que é o próprio Deus que coloca, se as boas obras não tivessem importância para salvação Deus ao colocar a fé não precisaria preparar as boas obras então veja de acordo como seu raciociono até as obras são preparadas por Deus e aí mesmo que as obras tem participação efetiva na salvação pois vem de Deus. E para que essas obras efetivamente e sejam realizadas se faz necessário a ação daquele que recebe isso que é o ser humano.
      Então, se um crente faz boas obras por que está salvo então essas obras devem obrigatoriamente aparecer pois se não aparecem então o crente não está salvo pois se um crente não gera boas obras aí pode-se argumentar que ele não está salvo.

      Um abraço

      Luiz

      Curtir

      • Hellen disse:

        Luiz,

        Há um ponto de vista teológico que afirma que o bom ladrão praticou sim uma boa obra antes da morte: a de corrigir fraternalmente o mau ladrão e alertá-lo ao arrependimento com o seu próprio exemplo de conversão e arrependimento.

        A Bíblia nos chama à correção fraterna. Isso é um fruto do Espirito, ao que a Igreja chama de obras de misericórdia espirituais, em contra-ponto às obras de misericórdia corporais.

        Pax Domini,
        H

        Curtir

      • Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

        Prezado Luiz,

        As boas obras são parte do processo de santificação, como já respondeu com sabedoria a prezada Helen (acima). Para que fique mais fácil o entendimento colocarei da seguinte forma: o que nos separa de Deus é o pecado.

        Deus preparou um mundo sem pecado para o homem, onde ele gozava permanentemente da comunhão com Deus (Jardim do Éden), nem existiam doenças, nem morte, nem dor, nem lágrimas. Mas o homem cometeu o pecado da desobediência e perdeu sua comunhão com Deus (veja, o que nos separa de Deus é o pecado). Pela graça de Deus, Jesus se dispôs a pagar o preço do nosso pecado com o sacrifício da cruz, restabelecendo nossa comunhão com Ele.

        O preço dos pecados de quem aceita Jesus Cristo como seu salvador foi pago na cruz, portanto já não existe mais impedimento para a salvação desta pessoa. Consequentemente esta pessoa vai para o céu, pois se encontra pura aos olhos de Deus.

        Realmente “A fé só salva quando o ser humano adere a vontade de Deus, a verdadeira fé produz boas obras pela Graça de Deus no homem então na verdade negar o valor das boas obras seria como negar a ação da Providência Divina no ser humano pois a fé vem da Graça e as obras seguem a fé.” É o curso espiritual da vida do cristão. Não estou negando o valor das boas obras, estou negando que elas sejam necessárias para a salvação. Elas simplesmente mostram que existe uma fé verdadeira dentro do cristão e contribuem para a santificação, que será completada no céu.

        Aliás as boas obras não serão apresentadas diante de Deus, diferentemente com o que acontece com nossas orações, como esta escrito em Apocalipse 5:8: “e, quando tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos”.

        Graça e paz, Jesus te abençoe.

        Curtir

  3. Pingback: Resumo das principais doutrinas protestantes e sua refutação | Ecclesia Militans

  4. Gilson disse:

    Moreira, a igreja católica em sua doutrina, ensina que a correção do erro faz parte da caridade. Outra coisa que também faz parte da caridade é ter humildade. Então Moreira a partir desta esplanação, o BOM ladão praticou sim boas obras.

    Curtir

  5. Helen disse:

    Ricardo,

    O Post no link abaixo é uma boa leitura para o senhor que subscreve à Doutrina da Fé Somente, inventada por Lutero.

    Leia-o com o coração e a mente abertos!

    http://wp.me/p1bsdn-Dd

    Pax Domini

    Curtir

    • Marcelo disse:

      Helen por favor me tire uma grande duvida sobre o ladrão na cruz

      Jesus falou que HOJE o ladrão iria estar no paraiso ou Jesus disse HOJE TE DIGO que voce vai estar no paraiso

      os protestantes falam da parte que Jesus falou para maria madalena que ainda não subiu ao Pai então como ele esteve com o ladrão no paraiso?

      e outra olha esse texto aki tem fundamento?

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/index.php?pagina=1079387638

      aguardo sua resposta ou de qualquer um catolico

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Marcelo,

        O link do artigo que vc enviou é um absurdo! Heresia pura!
        Antes de mais nada, antes de falarmos sobre o Bom Ladrão, esclareço:

        Qualquer igreja que nega a IMORTALIDADE da alma não pode ser considerada Cristã, pois esse é um DOGMA da Fé Cristã!
        A tradição judeo-cristã diz que fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Isso equivale dizer que não no aspecto físico, mas no corpo espiritual, porque temos uma alma e um espírito, somos como Deus. Assim, tal e qual Deus é Espirito, e vive para sempre, nosso espírito, criado à semelhança Dele, é imortal.

        Volto, por exemplo à sua pergunta sobre os versículos 25 e 26 do Evangelho de João, onde Cristo afirma com todas as letras:

        Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem acredita em mim, mesmo que morra, viverá.

        26. E todo aquele que VIVE e acredita em mim, não morrerá para sempre. Você acredita nisso?”

        Ora, se é possível viver para sempre, só pode ser em Espírito, porque como já dito antes, até os mais santos crentes sofrem a morte do corpo!!

        Agora vamos ao Bom Ladrão.

        O artigo que você enviou menciona a frase original do Evangelho de S. Lucas “Em verdade e digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (cf. Lc.23:43). que claro é em Grego ““Kai eipen autw amhn soi legw shmeron met emou esh en tw paradeisw” (cf. Lc.23,43).”

        O autor do texto está muito correto em dizer que no grego bíblico não havia o uso de virgula. Como sabemos, isso foi uma invenção e contribuição católica à gramatica e ao exercício de interpretação do texto, justamente para ajudar na leitura dos textos sagrados. Os monges católicos criaram versículos, pontuaram os textos, pois sem esses recursos a leitura da escritura era de fato muito dura!

        Agora, como saber se Cristo realmente quis que pusessem ali uma virgula ou não? Não podemos!!! Infelizmente, não é possível provar, mas é possível usar o raciocínio lógico e concluir com bastante autoridade que, de fato, na fala do Salvador havia a intenção de uma pausa…

        Imagine a seguinte situação: seu filho se aproxima do pai diz “Papai, eu estou arrependido por ter sido desobediente. Por favor, não me castigue.

        O que o Pai, cheio de compaixão e amor pelo filho, responderia? 1- Eu te digo hoje, não vou te castigar. 2- Eu te digo, hoje não vou te castigar!

        Ora, o que é a mensagem importante na fala do Pai? Que o filho não será castigado hoje ou que hoje o pai fala ao filho que não vai ser castigado?

        A importância da mensagem, claro, não está no dia em Cristo que falou ao Ladrão que ele iria ao paraíso, mas sim que ele iria ao Paraíso naquele dia!
        Cristo, em sua sabedoria Divina era um exímio comunicador. Achar que ele se perderia em dificuldades linguísticas para comunicar uma verdade à quem quer que seja é dar atestado de NÃO possuir entendimento da Superioridade da Mente Divina!

        Curtir

    • Marcelo disse:

      helen outra coisa que queria falar

      na biblia evangelica tem uma parte que achei uma diferença muito grande para a biblia catolica

      e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente(biblia evangelica)

      e quem vive e crê em mim, não morrerá jamais(Catolica)

      essa tradução muda muita coisa essa tradução deles é correta?

      Curtir

      • Helen disse:

        Marcelo,

        A discrepância da qual vc trata é resultado, como vc mesmo disse, de traduções diferentes. Assim, o modo mais seguro para não correr risco de acabar comprando uma tradução ruim é buscar o selo de aprovação IMPRIMATUR, que é a garantia da Igreja Católica de que a tradução em questão é feita em conformidade com o texto original grego e/ou da tradução católica desse original, que é o Latim Vulgata.

        No texto em questão, a Bìblia católica preserva o texto como apresentado no original grego, enquanto a evangélica que você consultou ( há muitas versões) acrescenta ou reforça o sentido dado à palavra “morrerá” intencionado por Jesus quando falava com Marta. Ou seja, neste caso específico, a bíblia evangélica quis esclarecer muito bem ao leitor que Jesus estava falando de morte eterna, ou seja, a danação da alma, sua separação perpétua de Deus. Ora, isso é claro, pois sabemos que mesmo aqueles que creem em Jesus um dia morrerão (na carne, no corpo). Porém, Cristo, como sempre, não tratava do assunto sob o ponto de vista do mundo material, mas sim espiritual, por isso ele diz:

        “Quem crer em mim viverá, mesmo que morra. É-lhe dada a vida eterna por crer em mim e nunca mais morrerá. Crês nisto, Marta?” João 11,25-26 versão o protestante O Livro

        25 Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.26. E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá. Crês nisto? Versão católica Ave Maria
        Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida.

        25 Quem acredita em mim, mesmo que morra, viverá. 26. E todo aquele que vive e acredita em mim, não morrerá para sempre. Você acredita nisso?” Tradução católica CNBB

        Pax Domini,

        Curtir

  6. Pingback: O Católico deve fazer Boas-Obras para salvar-se? | Paraclitus

  7. Pingback: Católicos do Brasil » O Católico deve fazer Boas-Obras para salvar-se?

  8. Pingback: O Católico deve fazer Boas-Obras para salvar-se? | Bíblia Católica News

  9. Pingback: O Católico tem que fazer Boas-Obras para se Salvar? | Ecclesia Militans

  10. CobraMil disse:

    Quando aceitamos o sacrifício do Cordeiro, estamos salvos pela fé.
    A boa-obra é uma consequência e não a causa da salvação.
    Quando temos que fazer boas-obras para salvarmos, estamos anulando o sacrifício do Cordeiro, e comprando a salvação.

    Curtir

    • Helen disse:

      Sr “Cobra”,

      A Salvação é um dom gratuito de Deus, e a Bíblia nos diz que a fé somente não salva ( Tiago 5:2) e que a fé sem a caridade não somos nada (1 Cor 13,2)

      23 E assim se cumpriu a Escritura [e] que diz: “Abraão creu em Deus e sua fé lhe foi creditada como justiça” [f], e ele foi chamado amigo de Deus. 24 Vejam que uma pessoa é declarada justa diante de Deus por obras e não somente por fé. ( Tiago 5:2)

      … ainda que eu tenha uma fé tão grande que possa deslocar montanhas, se não tiver amor, eu não serei nada. 3 Ainda que eu dê todos os meus bens para alimentar os pobres e ainda que eu ofereça o meu próprio corpo para ser queimado em sacrifício, se eu não tiver amor, nada disso terá significado. (1 Cor 13,2)

      Portanto, os católicos creem que sao salvos pela Graça de Deus e pela fé, não pela fé somente. Mas nossa fé não pode ser morta, por isso cumprimos o que diz S. Paulo em 1 Corintios 13, e amamos ao próximo fazendo obras de amor e caridade.

      Pax Domini

      Curtir

      • Moreira disse:

        Se você diz que a fé somente não salva, então você está dizendo que Deus é mentiroso.
        O ladrão, na cruz, ao lado de Jesus não fez nenhuma boa obra, mas pela fé somente, salvou-se.
        Clique no vídeo acima ou abra sua bíblia e você vai encontrar incontáveis passagens confirmando isso.

        Curtir

        • Helen disse:

          Moreira,
          Não, eu não estou dizendo que Deus é mentiroso, estou dizendo que a Doutrina da Sola Fide, formulada por Lutero – aquele mesmo que disse que a palavra de Deus contida na carta da Tiago era uma Escritura de palha, e que o Livro do Apocalipse não serve pra nada – é mentirosa, isso sim estou a dizer!

          O bom ladrão também não foi regenerado pelas águas do batismo, e mesmo assim recebeu a promessa do Paraíso. Mas a biblia diz que aquele que se arrepende deve ser batizado em nome do Pai, Filho e Espírito Santo (Atos 2,35) para o perdão dos pecados, e que as águas do bastismo salvam (1 Pedro3,21).

          Quer dizer que as Escrituras se contradizem? Claro que não, sr Moreira. Isso apenas nos mostra que NÃO se constrói uma doutrina com base em UM versículo. É necessária uma Autoridade, que sob a Luz do Espírito Santo, guie a todos no caminho da Verdade. É preciso uma exegese idônea, construida a partir do Novo Testamento, com pleno respaldo do Velho, como faz a Santa Igreja.

          O bom ladrão ganhou o perdão e a promessa do Céu porque Deus tem misericórdia de quem ele quer, e não tem miséricórdia de quem ele não quer! ( Romanos 9.15)

          Porém, isso não apaga o que foi dito e ensinado à todos. Aqueles que tiverem ouvidos que ouçam (Mateus 11,15) e façam como o Salvador nos esnsinou! E Ele disse com todas as palavras que a fé sozinha não salva!!

          Lucas 6, 46 – E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?

          Fazeis o que vos digo – fazeis vem do verbo fazer, indica ação. Indica, uma fé viva. As obras do Cristão contam!!

          Curtir

          • Manuel disse:

            helen;

            Parabens com a sua inteligência de derrubar os filhos de Lutero.
            e continue fiel ao magisterio da única Igreja fundada pelo Nosso Senhor é não pelo um Homem.
            Para mim o sr Moreira é um desonesto intelectual.

            Pax domini

            Curtir

        • alttbarreto disse:

          Quem disse que o ladrão na cruz não praticou nenhuma obra? Praticou sim. Ao defender um inocente(Jesus) de uma acusação injusta, praticou uma obra de misericórdia espiritual. Ao pedir a Jesus que lembrasse dele quando entrasse em seu reino, professou a sua fé em Jesus como o messias que veio salvar o seu povo. Em poucas palavras professou sua fé e praticou uma obra de misericórdia espiritual, que Jesus considerou o suficiente para levá-lo consigo para o paraiso. Dada as circunstância era tudo que o “bom ladrão” como é conhecido, a quem a tradição deu o nome de Dimas podia fazer.

          Crêr em Jesus Cristo é crer na sua Palavra e colocá-la em prática. É impossivél alguem crêr em Jesus Cristo e não pôr em prática seus mandamentos. As boas obras que praticamos, são os mandamentos que Jesus nos deixou para que praticássemos. Aliás o próprio fato de aceitar Jesus Cristo como Salvador, já é em si uma obra boa.Essa é a primeira das boas obras que devemos praticar. As outras vem como consequência da nossa adesão à Cristo.

          “somos obras sua, criados em Cristo Jesus para as BOAS OBRAS, as quais Deus preparou para que as praticássemos”(Ef 2,10).

          “Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas OBRAS”(Mt 16,27).

          “E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo as suas OBRAS”(Ap 22,12).

          “Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus;O qual recompensará cada um segundo as suas OBRAS”(Rm 2,5-6).

          Curtir

        • Dionisio disse:

          AMIGO MOREIRA, VA ESTUDAR DEIXA DE SOFISMAS
          ME DIGA, VOCÊ ESTUDA TEOLOGIA NOS LIVROS CHEIOS DE MENTIRAS FALSIFICAÇÕES E BLASFÊMIAS DOS HISTORIADORES PROTESTANTES?

          VOCÊ ESTUDA NA SOLA SCRIPTURA E NOS PONTOS DE VISTAS DAS SEITAS PROTESTANTES QUE SÓ NO BRASIL TEM MAIS DE 50 MIL SEITAS TEM ATÉ IGREJA DE GAYS E LÉSBICAS

          DEIXE DE RACIONALISMO VOCÊ NUNCA NA VIDA FOI INTELIGENTE
          PROCURA PROCURA RESPOSTAS DE ACORDO COM SEUS PONTOS DE VISTA

          Curtir

          • Ricardo Munhela disse:

            Deixem-se de picardias…
            Deus olha para o coração como fez com o ladrão, chama-se arrependimento… Eu crei no que Lutero defendeu, qualquer das formas também faço obras não para o papa ver ou o Senhor Jesus ver mas porque faz parte de um novo coração, um coração arrependido gera obras não que isso me salve. Tiago 5:2 não diz nada do que a Senhora Helen diz. Por favor lei as escrituras e não interprete á sua maneira…

            Curtir

            • Helen disse:

              Ricardo,

              Picardias? Ora, o sr prefere seguir a Lutero e rejeitar o Verdadeiro evangelho de Cristo e vem acusar o blog de velhacaria? Seu conselho é que todos abandonem a Igreja de Cristo e sejam os seus próprios papas, como fez o herege Lutero… Pergunto: pode um cego guiar a alguém?

              Leia a Bíblia e ouça a Igreja. É preciso humildade pra aceitar que está em erro!

              24 Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé. Tiago 2,24

              Curtir

            • PABLO disse:

              RICARDO DEIXE DE MARMELADA, VAI ESTUDAR HEREGE.
              SUA TESE É TÃO CHEIO DE SOFISMAS COMO AS 50 MIL SEITAS NO BRASIL. VOCÊ É DE QUAL DESSAS 50 MIL SEITAS?

              Curtir

          • Ivo Veríssimo Arantes Pereira disse:

            Prezado Dionísio,

            eu sou evangélico e minha teologia é embasada na Bíblia Sagrada. A palavra de Deus é a verdade e ela não mente. Não vou levantar bandeira denominacional, porque o que salva é o sacrifício de Jesus Cristo, que derramou seu sangue na cruz.

            Ademais, escândalo por escândalo, a Igreja Católica Apostólica Romana faliu nos Estados Unidos pagando indenizações às crianças que foram abusadas sexualmente por padres, alguns deles MENINOS. Fora os abusos ocorridos em outros países. E citaria aqui um texto enorme de outros escândalos, como a inquisição, a venda de indulgências, o apoio ao nazismo (o Vaticano foi o primeiro Estado a reconhecer a ditadura nazista na Alemanha, e os evangélicos também tem sua parcela de culpa, pois não se posicionaram), etc, etc, etc.

            Por isso, pelo fato do ser humano ser tão falho, Deus olha do céu e quer que nos tratemos como irmãos pois somos todos pecadores. Ele olha do céu e vê a igreja de Jesus Cristo, as que realmente levam o nome de de Jesus a outras pessoas, e as que pregam a aplicação do segundo mandamento deixado por Jesus Cristo. Porque Jesus Cristo falou que “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”, DEPOIS de perguntar aos discípulos quem Ele era e de Pedro responder acertadamente. MAS Pedro disse:

            Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel,
            Visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo, e do modo como foi curado,
            Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós.
            Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.
            E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.
            Atos 4:8-12

            Graça e Paz.

            Curtir

            • Denilson Guedes disse:

              Sr. Dionisio, eu como católico me envergonho quando leio reportagens sobre padres pedófilos, mas o que o Sr. sente quando lê reportagens sobre pastor que estupra a própria filha, pastor que manda matar outra pastora por perda de fiéis ou pastor associado ao tráfico de drogas ? O sr. deve conhecer algum grande historiador de renome internacional que afirme e confirme os milhares ou milhões de mortos pela inquisição. Pode me retornar o nome deste grande historiador ? Venda de indulgências ?? Então o sr. deve apoiar os diversos Silas Malafaias evangélicos distorcendo trechos bíblicos em nome da teologia da prosperidade.Pode me me ajudar a respeito ?

              Curtir

            • Denilson Guedes disse:

              corrigindo, quis dizer Sr. Ivo….

              Curtir

  11. Pingback: A doutrina católica da Salvação revelada: Salvação pela Graça de Deus Somente | Ecclesia Militans

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s