Saiba explicar porque a Biblia Católica e Protestante são diferentes


Mais um post e  um apelo: Se gostar do que esta prestes a ler, por favor compartilhe com amigos e/ou em sua Rede Social preferida. Nosso ministerio agradece!
 

A Igreja Cristã nasceu no  Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos e a Virgem Maria, preparando-os então para a missão de pregar o evangelho a todos as nações, como lhes havia sido ordenada por Cristo.

Muitos Judeus e gentios converteram-se ao Cristianismo, que naquela época não tinha esse nome, pois se tratava na verdade do cumprimento do Judaísmo em Cristo, pois os convertidos aceitavam Jesus como o Messias e Salvador.

Sendo assim, muitos dos Judeus – assim como  gentios – recém convertidos continuavam a praticar sua fé nas congregações ou Igrejas, onde liam as Sagradas Escrituras Judias,  o que os Cristãos atuais chamam de  Antigo Testamento.  Entretanto, grande parte dos Judeus não acreditaram que Cristo fosse o Messias,  sendo assim, o fato de que os Judeus convertidos a Cristo continuavam a usar as Escrituras Judias incomodava aos chefes religiosos Judeus; que encaravam os Judeus cristianizados como seguidores de uma ‘seita judia’, membros de uma apostasia a ser eliminada a todo custo.

Com isso em mente, os religiosos Judeus convocaram um concilio para definir o cânon da Escritura Judia, com o objetivo de determinar quais escrituras eram autenticamente  inspiradas por Deus. Entretanto, havia um problema pratico; na Palestina as escrituras Judias haviam sido escritas e documentas em Hebraico, a língua mãe do Povo Judeu, enquanto que no território Alexandrino, as Escrituras eram documentadas em Grego, a língua franca da época, que a propósito, era a versão mais predominantemente usada pelos Judeus, haja visto que grande numero deles se encontravam naquele território e tinham o Grego como primeira língua.

A despeito disso, os chefes religiosos Judeus, em sua empreitada para definir os livros autênticos, consideraram apenas as escrituras que haviam sido originalmente documentas ou em Hebraico. Portanto, qualquer livro que não houvesse sido escrito em Hebraico era descartado, tal como, 1 e 2 Maccabeus, O livro da Sabedoria de Salomão, etc… Contudo, a Igreja primitiva ao longo dos séculos nunca descartou os livros escritos no  idioma Grego e continuou a usa-los em suas assembléias, precisamente como era feito pelos proprios Judeus antes da morte e Ressurreição de Cristo. Mais tarde,  quando a Igreja Primitiva iniciou sua própria documentação, por exemplo  com o registro das espistolas e evangelhos, ela  fazia referencias também as Escrituras Judias em Grego, ou  Antigo /Velho Testamento.

Pintura: Concilio de Nicea - Capela SistinaNos anos de 393 dC e 397 dC, os Bispos Católicos convocaram um concilio para finalmente determinarem quais  entre os escritos correntes entre os Cristãos eram verdadeiramente inspirados pelo Espírito Santo; especialmente o que hoje chamamos de Novo Testamento. Até então a Igreja Primitiva não tinha um Canon da Escritura que incluísse o Novo Testamento.  Com o advento do canon, a Igreja descartou os livros não-inspirados pelo Espírito Santo e manteve aqueles divinamente inspirados. Por isso toda bíblia usada atualmente, tanto por  Católicos como por Protestantes,  foi determinada pelo Canon do Novo Testamento estipulado pelo concilio de Bispos Católicos.

Com isso em mente podemos concluir que, qualquer pessoa que põe sua fé na Bíblia como a Palavra de Deus, especialmente o Novo Testamento,  automaticamente põe sua fé na ação do Espírito Santo como guia dos  Bispos da Igreja Católica, conduzindo-os a Verdade ao determinarem o Canon da Bíblia. Embora o referido Canon não ter sido  dogmaticamente proclamado como Canon da Escritura, ele foi aceito e exclusivamente reconhecido como tal por mais de 1500 anos, até a chamada Reforma Protestante. Durante os 1542 anos que precederam a ‘Reforma’  a Igreja utilizou e operou sob a guia da Sagrada Escritura tal e qual determinada pelo Canon de 397 dC.

Com o advento da Reforma, Martinho Lutero começou a mudar não apenas alguns dos ensinamentos dogmáticos e doutrinas cristãs, mas ele decidiu também mudar o Canon da Escritura. Nesse ponto a Igreja viu a necessidade de determinar dogmaticamente que o Canon de 397 dC era verdadeiramente o autentico Canon da Sagrada Escritura, dada a todos por Deus.

 Martinho Lutero, por outro lado, justamente porque alguns dos livros constantes desse Canon contradiziam as mudanças dogmáticas que ele queria propor, resolveu mudar o Canon. Durante o processo de escolha dos livros inspirados, Lutero queira livrar-se do livro de S. Tiago, por exemplo, pois nele consta que a salvação nao se obtém pela Fé Somente , como prega a doutrina Luterana da Sola Fide; mas foi persuadido por seus conselheiros a não excluir esse e outros tantos livros do Novo Testamento.  Mais adiante, a sua convicção em formular novas doutrinas o levou a fazer ‘ajustes’ nas escrituras, de modo que ficassem condizentes com suas conviccoes doutrinarias. Assim, Lutero alterou  um detalhe do texto em Romanos para que a expressão ‘Fé somente’ constasse na Escritura. Ele adicionou a palavra ‘somente’ na sua tradução da Bíblia para o Alemão; sustentando assim sua doutrina de que Somente a Fé é necessaria para a Salvação. Felizmente, as Bíblias atuais não constam mais a palavra ‘somente’, pois ela não existe no texto original. Apesar disso, a teologia Protestante se baseia predominantemente na doutrina Luterana da ‘Sola Fide’ ou Fé Somente. Do mesmo modo, os Livros dos Maccabeus foram eliminados porque atestam a doutrina do Purgatório. Com base nessas crenças, Lutero optou por adotar o Canon Judeu do Antigo Testamento, que também não incluía os livros registrados em Grego.

Contraditoriamente, Lutero reconheceu e aceitou parte do Canon Católico das Sagradas Escrituras, e manteve todos os livros do Novo Testamento.  Com isso Lutero reconheceu a autoridade do concilio Católica para determinar o que deveria ser considerado Sagrada Escritura  –  ao menos no que se refere ao Novo Testamento – e que o Canon fora de fato guiado pelo Espirito Santo.  Essa conduta leva-nos a uma pergunta obvia e bastante pertinente:  Se o Espírito Santo guiou a Igreja corretamente na determinação do Novo Testamento, porque haveria da permitir que ela errasse quanto ao Canon do Antigo Testamento? Mais adiante, é importantíssimo salientar que no Novo Testamento ha diversas citaçoes dos livros excluídos por Lutero, tornando ainda mais evidente que eles de fato devem ser considerados como Livros Inspirados e contraditoria a decisao de rejeita-los.

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Apologética Católica e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Saiba explicar porque a Biblia Católica e Protestante são diferentes

  1. É se vc tão militante assim ,quero ver se vc conseguiria sentir na pele ,o que era pegar na BiBlia naquele tempo ?certamente uma morte agonizante ,até vcs continuam com isso.

    Curtir

    • Lucas Ferreira da Silva disse:

      Pegar a bíblia naquele tempo era pegar centenas de pergaminhos de uma biblioteca inteira 😉 dando provavelmente até um tamanho maior que você mesmo, caso não saiba, a bíblia prontinha surgiu com a invenção da imprensa lá no século 15, antes disso amigo…

      Curtir

  2. EDMILSON disse:

    Para todos os meus irmãos e irmãs em Cristo,

    A Refutação da Sola Scriptura

    Vou usar a frase sola scriptura ao longo desta apresentação para referir-se a posição de reformadores sobre a bíblia. JI Packer, um teólogo forte Evangélica diz que “O entendimento reformadores do cristianismo depende do princípio da sola scriptura. Que sola scriptura significa? Que a Bíblia é a única palavra de Deus, o único guia para a consciência na igreja. Ele é a única fonte do verdadeiro conhecimento e da graça de Deus. Ele é o único juiz qualificado do testemunho da Igreja e de ensino. ” Desde que é reconhecidamente a base para toda a teologia protestante, a sola scriptura deve ser conclusivamente provada a partir da Bíblia. Se ele não pode ser comprovada a partir da Bíblia, é uma doutrina auto-refutada que não tem validade. Concordamos que a Bíblia faz todas essas coisas, mas não concorda que a regra de fé é a Bíblia sozinho. A Bíblia é efetivada pela igreja de estar com uma tradição infalível cuja igreja foi fundada por Jesus. A Igreja confessa a tradição viva para a qual ele está vinculado, por obediência à Bíblia.
    Existem muitas razões pelas quais rejeitamos Sola Scriptura: A primeira e mais importante é que ela não é bíblica. Outras razões são que é a-histórico, ilógico, incoerente, pouco prático e improvável.
    1 – Sola Scriptura não é bíblica. Em nenhum lugar a Bíblia ensina que somente a Bíblia é a nossa única autoridade. Muitos tentam dizer 2 Tim 3:16-17 ensina. Ela diz que a Escritura é inspirada e proveitosa. Isso é exatamente o que a Igreja ensina. No entanto, em nenhum lugar se diz que é suficiente, ou que contém toda a verdade inspirada necessário saber, ou que a escritura só é rentável. Na verdade, se você tentar usar esses versículos para provar escritura é tudo que você precisa, então, se você olhar para o versículo 15, você vai ver que Paulo está falando sobre escritura que Timóteo conhecia desde a infância, o Antigo Testamento. Você terá apenas provou que você não precisa do Novo Testamento.
    A verdade de Deus é revelada, tanto o Novo Testamento e Velho. Não há um exemplo em qualquer o Antigo Testamento ou Nova, onde sola scriptura é praticado ou pregado. Por exemplo, Moisés escreveu milhares gênese de anos após os eventos de Gênesis ocorreu. O argumento contra a tradição oral é que ela não é confiável, e as coisas ficam distorcidas. Bem, se você acredita que Moisés escreveu o Pentateuco, e que é inspirada por Deus das escrituras, você está baseando o fato na tradição oral. Esta informação foi passada desde Adão até Moisés. Adão, Noé, Abraão, Isaac, Jacó, José, etc de algum modo chegou sem por escritura ainda existente. Em Gênesis um exemplo deste trabalho tradição oral é olhando capítulos 17 e 26. No capítulo 17, Deus faz aliança com Abraão. Como no capítulo 26 que duas gerações mais tarde irá Jacob sabe como manter a aliança? Abraão anotá-la e dizer que você ler isso, interpretá-lo e pedir ao Espírito Santo para dar-lhe a interpretação correta? Não, foi por via oral e autoritariamente transmitido duas gerações depois de Jacob. Na terceira geração de Abraão, Jacó será o dever de guardar os mandamentos, estatutos e leis. É este tipo de transmissão fiel da verdade que eventualmente atinge Moisés que permite que Moisés finalmente enscripturate-lo.
    Agora, vamos ver quando finalmente Moisés escreveu a autêntica tradição oral, que nós conhecemos como o Pentateuco. Quando a lei foi dada a Moisés, uma cópia da lei é dada na arca da aliança. Apenas Moisés poderia aproximar a arca da aliança. O livro de Deuteronômio foi escrito por Moisés e confiada aos sacerdotes levíticos. Se sola scriptura estava a ser praticado, Moisés teria a certeza que ele publicou Gideon Pentateuchs e Gideon Torahs para todos a interpretar por conta própria. No entanto, Aaron é dada esta autoridade, por exemplo, em Deuteronômio 10:3. Em Levítico 10:2-11 só os levitas é dada a autoridade por Deus para levar a arca da aliança. Os sacerdotes interpretar a palavra e ligar as pessoas. As pessoas não dizem: “Ah, não, você está apenas levitas, você não pode me dizer como interpretar as Escrituras”. Aqui temos autoridade magisterial dos sacerdotes, quando eles fazem uma proclamação oral de Deuteronômio. Além disso, todo o livro de Deuteronômio é como um Moisés Papa encíclica. É tudo da escrita Moisés. Não é apenas Moisés escrevendo um mandamento de Deus, por si só, mas é Moisés escrever um infalível oráculo.
    Em 2 Reis 22:8-17 rei Josias, que é mostrado para ser um homem de Deus, é dado o livro da lei. Se Deus queria que ele para trabalhar da maneira bíblica sola em determinar a verdade, ele diria: “Peça ao Espírito Santo e ele vai me orientar na interpretação da verdade.” Não, ele diz à Safã sacerdotes e Hilquias, “Ide, consultai ao Senhor por mim.” A mensagem de Deus é mostrado para ser confiada à interpretação dos sacerdotes, e Josias tem a obrigação de prestar atenção a essa interpretação. Há uma ligação magistério no trabalho, não sola scriptura.
    Em Neemias 8:1-8 vemos Esdras, o escriba e sacerdote trazer a Lei perante a congregação. Eles lê-lo em voz alta. Esdras, o sacerdote principal com outros levitas e ajudou as pessoas a entender a lei. Ele diz no versículo 8 que Esdras e os levitas “deram o sentido, e ajudou-os a compreender a leitura.” Não israelita um disse “me dá a lei diretamente e eu vou interpretá-lo para mim mesmo.”
    Elias e Eliseu são grandes profetas que ensinam autoridade. Isso é o que significa magistério em latim. Elias foi um grande profeta, mas ele não escreveu uma coisa para baixo. Obadias era um profeta. No entanto, devemos acreditar que a única palavra desse profeta que teve a bênção de Deus é um capítulo? Profetas não são apenas ler, eles são ouvidas, oralmente, e que a mensagem é transmitida por tradição. Jeremias escreve “Vou escrever a lei em seus corações”, e não em suas páginas.
    A palavra de Deus no Antigo Testamento, portanto, mostra-nos que a sua revelação veio para o seu povo, por via oral e autoritariamente pelas autoridades de ensino, e quando escritura foi escrito, ele precisava ser devidamente traduzidos por sacerdotes e profetas. Ninguém deu interpretações privadas da Torá.
    No Novo Testamento, como é que a função da igreja? A doutrina sola bíblica diz que o cristianismo é apenas guiado pela Bíblia. Você pode me mostrar em qualquer lugar onde Jesus disse que seus discípulos devem escrever o Novo Testamento? Você vê em qualquer lugar onde Jesus disse a seus discípulos para escrever alguma coisa? Não! Jesus não diz nada sobre apóstolos ou não-apóstolos (como Marcos e Lucas) de escrever qualquer coisa ou ligando a igreja exclusivamente a ele. O que lemos? Jesus diz em Mateus 28:19-20: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo: ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado : e eis que eu estou convosco todos os dias, até o fim do mundo, Amém “..Nada sobre a escrita de um livro. Se Jesus significava o cristianismo para ser apenas baseado em um livro, ele quer ter escrito ele próprio ou pelo menos comissionado seus discípulos a escrevê-lo. Ele não diz anotá-la, então cabe a todos para interpretá-la por si mesmo para descobrir a verdade por conta própria, pedindo ao Espírito Santo para guiá-lo.
    Jesus disse a Pedro: “Sobre esta pedra edificarei a minha igreja …” Ele dá a Pedro sozinho as chaves. Ele diz a Pedro para se alimentar, ou levar as suas ovelhas três vezes em João 21:15-17. Jesus mostra esta autoridade da igreja em Mateus 18:17-18 também, onde ele dá para o resto dos apóstolos a autoridade de ligar e desligar. Em Mateus 18:17 Jesus disse que, se um irmão pecados contra outro, levá-la para a igreja. “Mas se ele se recusa até mesmo a ouvir a igreja, considera-lo como um gentio e publicano.” Esta igreja tem autoridade de Cristo, que deu a ele autoridade para ligar na terra, assim como o céu. Esta igreja é visível.
    Vamos examinar como a igreja funcionava no Novo Testamento. Em Atos 2:42, depois que o papa Pedro deu um sermão em que muitos foram levados para a salvação, que diz que eles perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. “Segundo a doutrina sola scriptura, a igreja visível não tem autoridade em doutrina. acordo com esta passagem no entanto, a doutrina já existia através de Jesus, mas através da igreja que Jesus estabeleceu. Naquele tempo não havia sequer um indício de uma carta do Novo Testamento existentes. Segundo a sola scriptura não teria havido nenhuma doutrina de perseverar pol se encaixa perfeitamente com a abordagem católica.
    Como foi a disputa sobre a circuncisão tratado em Atos dos Apóstolos, capítulo 15? Vejamos como foi resolvido. Apóstolos Paulo e Barnabé estavam disputando com os cristãos que vieram de Judéia, que queria obrigar os novos crentes para ser circuncidado. A questão é que tomou essa decisão e como foi feito? De acordo com a sola scriptura eles teriam que decidir em uma de duas maneiras: Eles teriam que procurar alguma escritura do Velho Testamento e provar que vista a partir da escritura: ou os apóstolos teriam escrito a resposta a essa pergunta, e depois foi determinado agora era escritura do Novo Testamento, que teria dito a circuncisão é agora necessário ou não necessário com base nesta nova escritura. É assim que foi determinado? A Bíblia mostra que nem um desses métodos Sola Scriptura foram utilizados. Papa Peter resolvido da maneira católica. Afinal disputando o Papa Pedro saiu com um decreto infalível que une todos os cristãos desde então. Ele disse que a circuncisão não é necessária para a salvação em Atos 15:7-11. Qual foi a reação dessas pessoas que estavam em tal disputa? Disseram como você faria “Quem é você, um simples homem, para me dizer o que fazer? Sigo nenhum Papa!” Não! Leia Atos 15:12. Lembre-se, antes de falar de Pedro, havia muita divisão.
    Uma vez que Pedro falou: “Então toda a multidão se calou …” As pessoas reconheceram sua autoridade, como eles sabiam que ele recebeu sua autoridade de Jesus.A circuncisão não é necessário. Além disso, em nenhum lugar Pedro diz “Este deve ser escrito.”
    Mais tarde, atuando como local bispo James coloca em diretrizes para a sua comunidade local. Suas diretrizes assumir toda a força de decreto de Pedro. Atos 15:13-20 mostra que, para que o tempo, de modo a não ofender os judeus, eles estavam a abster-se de carne estrangulado, e do sangue. Agora que era vinculativa para as pessoas naquela época. Ele foi escrito para baixo. Um teria pecado se essas pessoas teriam comido carne com sangue, porque era um decreto do apóstolo.No entanto, é hoje um pecado comer carne com sangue? Eu comer carne com sangue o tempo todo e tenho certeza que você também se você é um vegetariano.Nós não pecamos por fazer isso. O que isso mostra passagem? Primeiro, de que Pedro era a autoridade final que decidiu a questão da circuncisão. Este decreto foi obrigatórias para todos os cristãos desde então. e isto não foi escrito para baixo até cerca de 25 anos após o fato. A igreja não esperar até que Lucas escreveu isso para fazer esse decreto autoritário. Essa é a tradição oral no trabalho. Escritura não tinha nada a ver com essa decisão. Em segundo lugar, o decreto que James tinha escrito era algo que poderia ser alterado mais tarde. Ele não tentar ajustar decreto Pedro. Se você observar, que é exatamente a mesma coisa que a igreja católica fez com comer peixe na sexta-feira. No passado, a comer carne às sextas-feiras, por respeito a Jesus morrendo na sexta-feira, foi um pequeno sacrifício para trazer à lembrança de sua morte por nós (semelhante ao de Daniel em Daniel 10:2-3). Isso paralelos James dizendo às pessoas para não comer carne com sangue. Mais tarde, o decreto de não comer carne às sextas-feiras foi alterado, assim como os cristãos já não são obrigados a se abster de comer carne com sangue.
    Isso mostra que há dois tipos de tradição que são estabelecidas pela igreja. A tradição que nunca vai mudar e é apostólica, como o decreto sobre a circuncisão que dizemos é uma tradição T capital. Isto inclui as crenças e costumes que nunca vai mudar. Tradições pequenos de t, como o decreto feito por James, modos de batismo, comer carne na sexta-feira, o celibato sacerdotal, é obrigatório e pode ser mudado, mas não são a doutrina apostólica.
    Vejamos Mateus 23:2-3. Aqui Jesus ordenou aos seus seguidores para observar as tradições baseadas no assento de Moisés. Cadeira de Moisés é mencionado no Antigo Testamento. Fontes rabínicas nos mostrar que lugar de Moisés foi baseado na tradição oral que remonta a Moisés. O mesmo Jesus que condenou a tradição humana no Capítulo 15, valida tradições autênticas no Capítulo 23. Ele diz que os mestres da lei e os fariseus se sentar na cadeira de Moisés. Portanto, você deve obedecer a eles e fazer tudo o que lhe dizer.
    Convido você a ler Judas 14-16. Qual foi a fonte de Judas para este informações sobre Enoque? Não há absolutamente nada de escritura. Jude está usando esta informação para nos ensinar profeticamente e com autoridade. Novamente, é a tradição oral. O Livro de Enoque foi um livro apócrifo que foi escrito cerca de 100 aC. Jude desenhou a partir deste Livro de Enoque para nos ensinar. Como ele era o sétimo de Adão, para que isso seja informação de confiança, era a tradição oral que passou este para baixo a partir do momento do evento, até que foi escrita há milhares de anos após o evento. Judas está usando isso para nos ensinar, e é, portanto, obrigatória para nós. No entanto, mostrando um outro de falsidade da sola scriptura.
    Não há dúvida de que a palavra de Deus deve ser obrigatória para os cristãos. A Igreja Católica ensina isso. No entanto, não há nenhuma indicação na Bíblia de que a palavra de Deus é apenas contida na forma escrita. A Igreja Católica ensina que a palavra de Deus é a oral, bem como a escrita. Há muitos versículos para apoiar isso, mas um casal deve ser suficiente. 1 Pedro 1:25 diz: “Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que o evangelho é pregado a você”. Note, não diz a palavra que o evangelho está escrito para você, e depois pregou. Ele diz que, pelo evangelho que é pregado para você. É oral, e é tão inspirado quanto o que foi escrito. Quanto tempo que Deus diz a palavra de Deus vai durar? Mais uma vez, que o verso diz que vai durar para sempre. Em Atos do Apóstolo vemos em muitos lugares os Apóstolos pregando a palavra de Deus, sem o conteúdo de sua pregação a ser escrito. Por exemplo, em Atos 13:05, depois de ter sido encomendado pela igreja, Paulo e Barnabé pregaram a palavra de Deus em Salamina aos judeus. No entanto, nada está escrito em nenhum lugar que os conteúdos eram. Em Atos 20:27, 31-32, Paulo diz que ele ensinou 3 dias anos e noite todo o conselho de Deus aos Efésios. Devemos acreditar que a carta aos Efésios, apenas 6 capítulos curtos esgota tudo o que Paulo ensinou? De jeito nenhum! Em seguida, ele elogiou o povo a palavra de Deus – a maioria do que ele ensinou oralmente. Leia Isaías 59:21 e a profecia da nova aliança. Ele diz que como a nova aliança será transmitido de geração em geração, por via oral. Nada sobre a escrita. Romanos 10:17 diz: a fé vem pelo ouvir, eo ouvir pela palavra de Deus. A palavra de Deus é oral. Isso é o que a bíblia diz. Sola scriptura diria que vem pela leitura. Não há um versículo na Bíblia que diz a palavra de Deus escrita é a única palavra de Deus. Tradição é o meio pelo qual nós sabemos o que essa palavra oral de Deus é.
    E sobre os apóstolos que foram comissionados para pregar? Apenas João, Mateus e Pedro realmente escreveu tudo o que aparece no Novo Testamento. Você está me dizendo que os outros não fazem o seu trabalho? Todos fizeram o seu trabalho, que era de pregar o evangelho, assim como Jesus havia comissionado para fazer. Por exemplo, Thomas foi para a Índia e estabeleceu uma igreja lá. A igreja que traça-se a Thomas tem todas as crenças católicas que estão constantemente a lixeira pelos protestantes. O que Thomas e os outros apóstolos ensinaram foi a palavra de Deus, mesmo que não foi escrito. Tradição é o meio pelo qual nós sabemos que os apóstolos ensinaram oralmente. Todas as crenças católicas são baseados neste. Todas as crenças católicas pode ser rastreada até os primeiros séculos, bem antes de existir um imperador Constantino. Os fatos são conclusivos para quem estuda a sério a história da igreja. O trato que foi dado a nós era tanto uma má caricatura do que acreditamos, e uma deturpação dos fatos. Se estamos realmente interessados na verdade, vamos olhar para o que a Igreja ensinou nos primeiros séculos através dos próprios cristãos, e não por pessoas que estão vivendo no século 20 que têm eixos para moer e distorcer a Igreja Católica.
    O que a Bíblia diz é a coluna eo fundamento da verdade? Qualquer que seja a Bíblia diz, que é o que você diz que passar. 1 Tm 3:15 diz que a igreja do Deus vivo é a coluna eo fundamento da verdade. Ela não diz coluna e baluarte da verdade, desde que a escritura leva-lo. Se a Bíblia diz que a escritura era a coluna eo fundamento da verdade, os evangélicos usaria isso como um texto de prova para sola scriptura. Você diz que a igreja é qualquer um que aceita Jesus como Senhor e Salvador. Eu fiz isso, então tem Joe, muitos pentecostais, luteranos, presbiterianos, batistas, não-confessionais pessoas como você, etc Agora você teria de dizer que todas essas pessoas, uma vez que constituem a igreja, são o pilar e fundamento da verdade. Você tem que estar brincando, eles discordam em muitas coisas importantes. Uma vez que eles discordam em tantas coisas, não há nenhuma maneira que eles podem ser uma coluna e baluarte da verdade. O engraçado é que todos vão por sola scriptura! Coluna e baluarte da verdade é um baluarte que não desmoronar e não deixa espaço para erro doutrinário. Você precisa de uma igreja visível, a fim de 1 Tm 3:15 para fazer qualquer sentido razoável. Isso, claro, é a Igreja Católica, a única igreja que traça-se de volta a Jesus.
    Em João 20:30 e João 21:25 diz que muitas coisas que Jesus fez que não estão escritos no evangelho. Em 2 e 3 João 12 João 13, João diz que as coisas lá muitos que iria escrever, mas ele preferia vê-lo face a face. A tradição oral no trabalho. Em meio a grande comissão de Jesus disse em Mateus 28:20 ensiná-los a observar todas as coisas, e não apenas as coisas que eles vão escrever. Mais uma vez, Jesus disse-lhes para não escrever nada.
    Tradição no Novo Testamento está no paradosis grego, que significa transmitir (ou seja, um preceito), na mão. Ele pode ser negativo, pode ser positivo. Na Bíblia, o homem-made tradição que contradiz a palavra de Deus é condenado, mas a tradição da igreja é sempre afirmou. Na semana passada, Rev. Payne disse que não queria nada com a tradição. Se isso for verdade, então ele não deve ter nada a ver com a bíblia. 2 Tessalonicenses 2:14-15 diz: “Ele os chamou para isso por meio de nosso evangelho, a fim de compartilhar da glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, irmãos, sede firmes e conservai as tradições que foram ensinadas, seja por palavra da boca ou por carta. ” O evangelho, portanto, consiste de tradições orais e escritas. Observe que a Bíblia é chamado de tradição escrita. Se você é contra a tradição, de acordo com esta passagem que são contra a bíblia. Observe que a tradição oral é colocado no mesmo plano, e é de fato mencionado em primeiro lugar em 2 Tessalonicenses 2:15. Não há menção da tradição oral apenas explicando o que é a tradição escrita. A Igreja confessa a tradição de vida a que estamos obrigados por obediência à Bíblia. Aqui Paulo importa tradição estados de naturalidade. Ele não sente a necessidade de defender uma tradição viva, ele assumiu. O Tessalonicenses sabia o que ele estava falando. Onde é que a tradição de estar? Na Igreja Católica, diferente de interpretações particulares da Bíblia.Nesse trato das heresias supostos ele disse que o Concílio de Trento fez tradições em pé de igualdade com a Bíblia. O trato foi desligado por cerca de 1500 anos.Paulo fez, ele próprio, esse versículo. Na verdade, de acordo com Paulo, se você deixar de fora a tradição oral que você está deixando de fora a metade do evangelho.
    Como Paulo diz a Timóteo para espalhar a fé? Será que ele dizer copiar o que eu escrevo, e distribuir essas cópias para que todos possam ler, interpretar por si próprios, e apenas tê-los pedir ao Espírito Santo para guiá-los? Não, em vez disso, ele diz em 2 Timóteo 2:02 “E a coisa que você me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam capazes de ensinar a outros.” Note que ele diz o que você ouviu de Paulo. Essa é a palavra oral de Deus através de tradição de trabalho. Não, Timóteo, que foi ordenado como Paulo menciona em 1 Tm 4:14 e 2 Tm 1:6, é dito para proclamar o que Paulo ensinou-lhe por via oral. Aqueles Timothy-se a fazer a mesma coisa. Isso é exatamente o que a Igreja Católica tem feito por 2000 anos.
    Em 1 Coríntios 11:02 Paulo elogia os Coríntios que possuem com as tradições. Em 2 Tessalonicenses 3:6, ele comanda os crentes a ficar longe daqueles que não vivem de acordo com as tradições. Em outras palavras, se você não anda de acordo com a tradição viva da Igreja, você não está andando na plenitude da fé.
    A Bíblia não condena as tradições humanas em Mateus 15:3-9, Marcos 7, e Colossenses 2:8-9? Sim, Jesus e Paulo condenam tradições humanas que contradizem a palavra de Deus. A regra korban que Jesus condenou violado o mandamento de honrar os pais. Jesus dá ao povo a tradição, autêntica correta em Mateus 15 e Marcos 7. A Igreja Católica condena as tradições humanas que contradizem a palavra de Deus, assim como Jesus fez. A igreja está baseada na tradição apostólica, não é humano. Ataques à igreja com base nesses versos são superficiais ou não entender o que as tradições da igreja realmente ensinar. O trato que foi dado a nós foi um caso perfeito no ponto. Na verdade sola scriptura é um ser humano, tradição homem.
    Em 2 Pedro 1:20, Pedro condena interpretação particular, que é o coração da sola scriptura. Você vai notar que na esteira deste verso, você vê Peter destruindo falsos profetas e heresias em 2 Pedro 2. Em outras palavras, a interpretação privada, que está no centro da sola scriptura, leva diretamente a heresias. A doutrina da sola scriptura diz, de acordo com a Christian Research Journal, uma revista líder evangélico, que “a Bíblia tem clareza para além de quaisquer tradições para nos ajudar a entendê-lo. Todas as doutrinas essenciais para a salvação e viver de acordo com a vontade de Deus são suficientemente limpar. ” O que a Bíblia diz sobre como claro é? Ao falar sobre a escrita de Paulo, Pedro diz em 2 Pedro 3:16, “em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, nas quais há pontos difíceis de entender, que aqueles que são ignorantes e instáveis torcer para sua própria destruição, como fazem também o resto das escrituras. ” Pedro está nos mostrando que a interpretação privada em 2 Pedro 1:20 está diretamente ligada às heresias de 2 Pedro 2, e os torcedores dos escritura de 2 Pedro 3.
    2 – Sola Scriptura é a-histórico. Quando Jesus subiu ao céu, o que ele deixou para trás, um livro ou uma igreja? A propagação da Igreja durante décadas, muito antes dos livros do Novo Testamento foram escritos e reunidos. O primeiro livro do Novo Testamento não foi escrito até mais de 20 anos depois que ele subiu. O último livro não foi escrito antes de 50 ou 60 anos depois que Jesus deixou. Levou 350 anos para qualquer pessoa para dar uma lista de escritura definida, a bíblia.Como esses últimos cristãos de todos esses anos, mesmo sem uma lista de escritura se Jesus quis dizer que eles seguem a Bíblia sozinho? Quando Jesus subiu ao céu, ele deixou para trás uma igreja que foi liderada por Pedro e os apóstolos. A Bíblia veio dessa igreja, não a igreja da Bíblia. Já havia uma coluna e baluarte da verdade: a igreja que, desde então, durou 2000 anos, a Igreja Católica.
    A igreja que Jesus estabeleceu formalmente definido que a escritura foi nos anos 393 e 397. Até que ponto houve muito debate sobre o que foi escrituras. A maioria dos livros da Bíblia não chegam a afirmar inspiração. Há muitos livros que se alegou ter sido escrito pelos apóstolos, que foram rejeitados pela Igreja Católica.Havia outros, como a carta escrita pelo Papa Clemente de Roma, no século primeiro para o Corinthians, que foram lidos como se fossem Escritura nos primeiros séculos. Você já leu a Didaqué, Carta de Barnabé, Pastor de Hermas? Nos primeiros séculos cristãos, alguns desses escritos considerados como escritura. Você sabe que também houve muita disputa nos primeiros séculos sobre se o livro do Apocalipse, Hebreus, Tiago, Judas, 2 Pedro, eram de fato escritura? Que finalmente decidiu? Agora, se há uma igreja infalível, que pode infalivelmente decidir as coisas com base na autoridade que lhe foi dada por Deus, então eu poderia saber que os 27 livros do Novo Testamento são realmente inspirada por Deus, e eu tenho plena certeza de que o que eu tenho é Deus. Se você rejeitar a igreja católica, você não tem essa garantia. Se você tem certeza de que a igreja entrou em erro sobre Maria, os sacramentos, a tradição, e assim por diante, então por que você aceitar o Novo Testamento, que a Igreja declarou para ser verdade. Que base você tem? Deus fala diretamente para você e dizer “a carta de Filemon é inspirada por Deus?”É assim que você sabe que é a palavra de Deus? Se você usar esse argumento, você está falando como os mórmons, que dizem que, a fim de verificar o Livro de Mórmon, você pedir ao Espírito Santo, e ele vai te mostrar. Por favor, mostre-nos nas escrituras como que é a maneira bíblica de descobrir o que é escritura.
    Como você sabe que Mateus escreveu o evangelho de Mateus, Marcos escreveu Mark? Nos manuscritos originais, nenhum dos evangelhos dizem que escreveu estes livros. Eu sei que por causa da tradição oral da Igreja Católica. Essa é a igreja que fez para ele. Temos de ser capazes de provar que Mateus escreveu Mateus, porque ele é um apóstolo de Jesus. Se ele não foi escrito por ele, não há nenhuma base para acreditar. Sua sola scriptura doutrina lhe dá absolutamente nenhuma base para saber que o evangelho de Mateus é apostólica. Será que você também sabe que houve um outro livro que foi reivindicado ter sido escrito pelo apóstolo Mateus? Como você sabe que este livro não pertence a bíblia? Você não tem absolutamente nenhuma razão para rejeitá-la, porque você rejeitar a Igreja Católica, que declarou a um evangelho de Mateus como autêntico, eo outro livro uma falsificação. Historicamente, sola scriptura não tem fundamentos.
    3 – Sola Scriptura é ilógico – Dentro da escritura não existe uma lista de livros que afirmam o cânone. Na verdade, no Novo Testamento, o único livro que verifica a sua própria canonicidade é o Livro do Apocalipse. No entanto, como disse antes, houve muita disputa por séculos se mesmo o Livro do Apocalipse foi escritura, até a Igreja afirmou a sua autenticidade nos Conselhos de Cartago e Hipona, no final do século IV. Como você pode confiar em uma doutrina que nem mesmo afirmar que os livros constituem escritura?
    Mesmo se fez escritura nos dizer o que era escritura, como você sabe se a acreditar nisso? Eu acredito que o Corão eo Livro de Mórmon inspiração reivindicação.Talvez nós temos as escrituras erradas?
    Se você concorda que a igreja era infalivelmente correta em que as escrituras foram o Novo Testamento, então como você pode dizer que eles eram heréticos sobre os sacramentos, Maria, purgatório, tradição, etc? Se eles tem essas áreas desarrumada, como você pode acreditar neles sobre o que constitui a bíblia?
    Os sola scriptura argumento pressupõe o cânon como ele levanta a questão sobre a autoridade. Sola Scriptura é, portanto, ilógico.
    4 – Sola Scriptura é inconsistente – Todos nós temos uma tradição, se queremos admiti-lo ou não. A tradição das quais tiramos é autoritária. Por exemplo, se você permitir que alguém em sua igreja a pregar com sua bênção para que o batismo é necessário para a salvação? O que se procurou a escritura duro e eles pensam que João 3:5 significa batismo? Você permitiria que ser pregado em sua igreja? Eu sei que há muitas pessoas como BB Warfield que sustentam que os carismáticos, os dons espirituais saiu com a morte do último apóstolo. Alguns acham que não há milagres mais ordenada por Deus, e falar em línguas é do diabo. Essas pessoas afirmam vir para estas posições pela Bíblia sozinho. Se você saiu de férias para um par de semanas, você permitir que alguém da laia de Warfield a pregar com sua bênção que os dons de cura e espiritual não são mais válidas. Não, sua tradição é muito autoritário para permitir isso. E se enquanto você estava de férias que você visitou igreja BB Warfield, e você queria pregar especificamente sobre os dons espirituais e ao fato de que ainda existem apóstolos. BB Warfield seria permitir que você pregar sobre isso? Não, sua tradição seria muito autoritário para permitir isso.
    A Bíblia foi escrita em hebraico e grego. Ambos estão confiantes de outra pessoa conhecimento do hebraico e grego, e da cultura bíblica, a fim de moldar a sua opinião. Estamos todos confiando em seres humanos de alguma maneira nas traduções para Inglês do hebraico e grego. Ambos estão confiantes de outra pessoa conhecimento do hebraico e grego, e da cultura bíblica, a fim de moldar a sua opinião. Estamos todos confiando em seres humanos em alguém de alguma maneira nas traduções para Inglês do hebraico e grego.
    Você tem uma grande seleção de livros no escritório, que ajudou a formar a sua teologia atual que você tem, portanto, desenhado a partir de tradições, embora você não pode querer chamá-lo assim. Sola Scriptura é uma tradição que começou no século 16. A salvação pela fé sem a obediência a Deus é uma tradição que foi iniciada em que século também. Todo o espectro de questões teológicas têm uma tradição que começou em um momento ou outro. Há pessoas como Gerry Matatics, que já foi um mal-informado anti-católico, que encontrou a plenitude da verdade na Igreja Católica através da Bíblia. Ele foi excomungado pela Igreja Presbiteriana, embora ele passou a Bíblia, ea Igreja Presbiteriana supostamente honra a Bíblia sozinho. Sola Scriptura é, portanto, inconsistente.
    Então, a questão é outra vez, não se segue uma tradição autoritária um, mas é a tradição que pode ser atribuída a Jesus e os apóstolos? Se a sua tradição não pode ser atribuída aos apóstolos, é uma tradição feita pelo homem. Como a verdade de Deus não pode mudar, a nossa teologia tem que ter sido encontrado no primeiro, terceiro, sétimo, séculos 13, 15, 17 e 20. Se ele não pode ser encontrado durante todo esse tempo, então não pode ser apostólico, com base em promessas de Jesus em Mateus 16:18-19, 28:20, 16:13 e John.
    5 – Sola Scriptura é impraticável – Como resultado da Sola Scriptura, houve milhares de denominações e grupos dissidentes. A maioria das dissoluções foram com base na interpretação privada, ou sola scriptura no trabalho. O que a Bíblia ensina sobre o batismo, o modo de batismo, como você está salvo, você pode perdê-la quando você chegar, dons carismáticos, sacramentos, o tipo de milênio, comunhão, da liderança da igreja, etc Esses são apenas alguns dos questões que as igrejas têm se separaram em, com base em como as pessoas privadas interpretar as Escrituras. É assim que Deus quer que seus filhos sejam? Por todas as contas que tem levado a denominacional, e até mesmo o caos não-confessional.
    Em comparação, a olhar para a Constituição dos EUA. Se o governo estava dom da mesma forma como foi praticado sola scriptura, teríamos 240 milhões interpretar a Constituição dos EUA sua própria maneira privada. Pediam o espírito de Thomas Jefferson para orientá-los para a sua correta interpretação da Constituição. O que temos? Anarquia total. Os autores da Constituição achou por bem ter um Poder Judiciário que pode interpretar a Constituição. Você pode dizer, bem, nós temos o Espírito Santo e ele é sobrenatural, e ele nos guiará até a verdade. Isso é o que todas as denominações dizer como vão para fora em suas interpretações variadas. O Espírito Santo apenas guias para a verdade, e é blasfêmia perto de dizer que o Espírito Santo vai causar confusão. São os autores da constituição mais prático do que Deus?
    Como é a impraticabilidade de sola scriptura comparar com o objectivo de o evangelho. João 16:13 – No entanto, quando ele, o Espírito da verdade vier, ele vos guiará a toda a verdade para ele lhe dirá que está para vir, Efésios 4:4 – Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; 1 Coríntios 1:10 – Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos falam a mesma coisa, e que não haja divisões entre vós, mas para que você ser perfeitamente unidos em um mesmo pensamento e No mesmo acórdão. Sola Scriptura é, portanto, impraticável e leva a ser anti-bíblica de outro modo.
    6 – Sola Scriptura é improvável – Gostaríamos de dizer que esta doutrina fundamental do cristianismo, pelo menos de acordo com Lutero, Calvino e todos os protestantes, foi perdida durante 1500 anos. Não havia dúvida de que os adversários da Igreja Católica nos primeiros séculos se seletivamente citar as Escrituras.No entanto, ninguém, dentro ou fora da igreja colocar-se como uma plataforma a doutrina da Bíblia sozinho como a única autoridade. Gostaríamos de dizer que há 1500 anos os cristãos em todos os lugares errados. Todos os médicos da igreja, todos os santos entendeu errado. no final do século 14 surgiu pela primeira vez com ele apenas quando discordava com o papa. Os teólogos em sua própria faculdade condenaram como absurda.
    Todos os cristãos falavam de uma tradição viva ao lado da Bíblia, para fazer a Bíblia infalível na realidade, não apenas na teoria. Jesus teria de ter adormecido ao volante por 15 séculos, até Lutero finalmente acertou. Sola Scriptura é, portanto, improvável.
    Há muitos pontos a mais bíblicas e históricas que eu possa apontar como eu mostrar a inadequação da sola scriptura. No entanto, se os pontos deste artigo que eu escrevi não pode ser refutada, em seguida, a teologia protestante, seja Batista, Luterana, Anglicana, não-confessional, presbiteriana, metodista, etc, que tem como fundamento a sola scriptura, é falsa. A maioria dos protestantes apenas supor que somente a Bíblia é a maneira correta de encontrar a verdade, mas como tenho mostrado esta visão é falsa.

    Curtir

  3. EDMILSON disse:

    Conheça aqui quais foram os Apócrifos e os Escritos de Qumran

    E o que são os livros apócrifos?

    Vamos lá saibam que existem alguns livros escritos antes ou pouco depois de Cristo que tinham como intenção figurar como Escritura Sagrada. Mas, pelo Magistério da Igreja e assistência do Espírito Santo, esses livros espúrios foram definitivamente afastados, restando apenas o cânon bíblico que guardamos até hoje.
    A palavra apócrifo deriva do grego apocryphos. A princípio, significava algo oculto, secreto ou escondido, mas com o passar do tempo, passou a ter sentido de heresia ou de autênticidade duvidosa.
    Ao contrário, a palavra canônico origina-se do grego kanon, significando regra ou medida. É a palavra que indica a lista dos livros inspirados por Deus, que compõem a Bíblia e são aceitos sem contestações pela Igreja.
    A maioria dos livros apócrifos foram escritos por volta de 200 a.C. até 350 d.C, nos mais diversos locais: Palestina, Síria, Arábia, Egito… Em contraste com os livros canônicos, os apócrifos não eram lidos nas igrejas (e sinagogas), pois a grande maioria apresentava ensinamentos heréticos e doutrinas falsas; tinham a finalidade de defender idéias de certos grupos isolados como os gnósticos, os docetas e os judaizantes. Principalmente por não receberem crédito da Igreja oficial, os apócrifos foram desaparecendo juntamente com as seitas que os usavam e defendiam.
    A seguir, apresentamos uma lista exaustiva de livros apócrifos do Antigo e do Novo Testamento que, embora longa, provavelmente não esgota todos os livros escritos ou existentes, porém, bem demonstra a quantidade de livros escritos com a intenção de “completar” a Bíblia.
    Incluímos também, ao final, os manuscritos encontrados em Qumran, nas grutas do Mar Morto, que foram escritos ou preservados por uma comunidade que vivia nesse deserto separada dos grupos religiosos da Palestina do tempo de Jesus (Saduceus, Fariseus, Samaritanos, etc.). Esse grupo, denominado Essênio, como podemos ver, considerava o Antigo Testamento como Escritura Sagrada (inclusive os deuterocanônicos), mas tinha como característica própria seguir ainda outros “livros sagrados”.
    Portanto, temos como apócrifos as seguintes obras: (ATENÇÃO: os livros abaixo NÃO são Escrituras Sagradas e, portanto, NÃO são inspirados por Deus. Eles estão sendo listados aqui apenas com o objetivo de referência)

    ANTIGO TESTAMENTO
    Apocalipse de Adão
    Apocalipse de Baruc
    Apocalipse de Moisés
    Apocalipse de Sidrac
    As Três Estelas de Seth
    Ascensão de Isaías
    Assunção de Moisés
    Caverna dos Tesouros
    Epístola de Aristéas
    Livro dos Jubileus
    Martírio de Isaías
    Oráculos Sibilinos
    Prece de Manassés
    Primeiro Livro de Adão e Eva
    Primeiro Livro de Enoque
    Primeiro Livro de Esdras
    Quarto Livro dos Macabeus
    Revelação de Esdras
    Salmo 151
    Salmos de Salomão (ou Odes de Salomão)
    Segundo Livro de Adão e Eva
    Segundo Livro de Enoque (ou Livro dos Segredos de Enoque)
    Segundo Livro de Esdras (ou Quarto Livro de Esdras)
    Segundo Tratado do Grande Seth
    Terceiro Livro dos Macabeus
    Testamento de Abraão
    Testamento dos Doze Patriarcas
    Vida de Adão e Eva

    NOVO TESTAMENTO
    A Hipostase dos Arcontes
    (Ágrafos Extra-Evangelhos)
    (Ágrafos de Origens Diversas)
    Apocalipse da Virgem
    Apocalipse de João o Teólogo
    Apocalipse de Paulo
    Apocalipse de Pedro
    Apocalipse de Tomé
    Atos de André
    Atos de André e Mateus
    Atos de Barnabé
    Atos de Filipe
    Atos de João
    Atos de João o Teólogo
    Atos de Paulo
    Atos de Paulo e Tecla
    Atos de Pedro
    Atos de Pedro e André
    Atos de Pedro e Paulo
    Atos de Pedro e os Doze Apóstolos
    Atos de Tadeu
    Atos de Tomé
    Atos e Martírio de André
    Atos e Martírio de Mateus
    Consumação de Tomé
    Correspondência entre Paulo e Sêneca
    Declaração de José de Arimatéia
    Descida de Cristo ao Inferno
    Desistência de Pôncio Pilatos
    Discurso de Domingo
    Ditos de Jesus ao rei Abgaro
    Ensinamentos de Silvano
    Ensinamentos do Apóstolo [T]adeu
    Ensinamentos dos Apóstolos
    Epístola aos Laodicenses
    Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos
    Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões)
    Epístola de Pedro a Filipe
    Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes
    Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador
    Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos
    Epístola do rei Abgaro a Jesus
    Epístola dos Apóstolos
    Eugnostos, o Bem-Aventurado
    Evangelho Apócrifo de João
    Evangelho Apócrifo de Tiago
    Evangelho Árabe de Infância
    Evangelho Armênio de Infância (fragmentos)
    Evangelho da Verdade
    Evangelho de Bartolomeu
    Evangelho de Filipe
    Evangelho de Marcião
    Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia)
    Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias)
    Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos)
    Evangelho de Pedro
    Evangelho de Tome o Dídimo
    Evangelho do Pseudo-Mateus
    Evangelho do Pseudo-Tomé
    Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos)
    Evangelho dos Egípcios
    Evangelho dos Hebreus
    Evangelho Secreto de Marcos
    Exegese sobre a Alma
    Exposições Valentinianas
    (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros)
    (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas)
    História de José o Carpinteiro
    Infância do Salvador
    Julgamento de Pôncio Pilatos
    Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria
    Livro de Tomé o Contendor
    Martírio de André
    Martírio de Bartolomeu
    Martírio de Mateus
    Morte de Pôncio Pilatos
    Natividade de Maria
    O Pensamento de Norea
    O Testemunho da Verdade
    O Trovão, Mente Perfeita
    Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria
    “Pistris Sophia” (fragmentos)
    Prece de Ação de Graças
    Prece do Apóstolo Paulo
    Primeiro Apocalipse de Tiago
    Proto-Evangelho de Tiago
    Retrato de Jesus
    Retrato do Salvador
    Revelação de Estevão
    Revelação de Paulo
    Revelação de Pedro
    Sabedoria de Jesus Cristo
    Segundo Apocalipse de Tiago
    Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus
    Sobre a Origem do Mundo
    Testemunho sobre o Oitavo e o Nono
    Tratado sobre a Ressurreição
    Vingança do Salvador
    Visão de Paulo

    ESCRITOS DE QUMRAN
    A Nova Jerusalém (5Q15)
    A Sedutora (4Q184)
    Antologia Messiânica (4Q175)
    Bênção de Jacó (4QPBl)
    Bênçãos (1QSb)
    Cânticos do Sábio (4Q510-4Q511)
    Cânticos para o Holocausto do Sábado (4Q400-4Q407/11Q5-11Q6)
    Comentários sobre a Lei (4Q159/4Q513-4Q514)
    Comentários sobre Habacuc (1QpHab)
    Comentários sobre Isaías (4Q161-4Q164)
    Comentários sobre Miquéias (1Q14)
    Comentários sobre Naum (4Q169)
    Comentários sobre Oséias (4Q166-4Q167)
    Comentários sobre Salmos (4Q171/4Q173)
    Consolações (4Q176)
    Eras da Criação (4Q180)
    Escritos do Pseudo-Daniel (4QpsDan/4Q246)
    Exortação para Busca da Sabedoria (4Q185)
    Gênese Apócrifo (1QapGen)
    Hinos de Ação de Graças (1QH)
    Horóscopos (4Q186/4QMessAr)
    Lamentações (4Q179/4Q501)
    Maldições de Satanás e seus Partidários (4Q286-4Q287/4Q280-4Q282)
    Melquisedec, o Príncipe Celeste (11QMelq)
    O Triunfo da Retidão (1Q27)
    Oração Litúrgica (1Q34/1Q34bis)
    Orações Diárias (4Q503)
    Orações para as Festividades (4Q507-4Q509)
    Os Iníqüos e os Santos (4Q181)
    Os Últimos Dias (4Q174)
    Palavras das Luzes Celestes (4Q504)
    Palavras de Moisés (1Q22)
    Pergaminho de Cobre (3Q15)
    Pergaminho do Templo (11QT)
    Prece de Nabonidus (4QprNab)
    Preceito da Guerra (1QM/4QM)
    Preceito de Damasco (CD)
    Preceito do Messianismo (1QSa)
    Regra da Comunidade (1QS)
    Rito de Purificação (4Q512)
    Salmos Apócrifos (11QPsa)
    Samuel Apócrifo (4Q160)
    Testamento de Amran (4QAm)

    OUTROS ESCRITOS
    História do Sábio Ahicar
    Livro do Pseudo-Filon
    Relembramos que esses livros não possuem qualquer valor doutrinário, podendo, no máximo, esclarecer alguns aspectos históricos da época em que foram escritos ou refletir as idéias defendidas pelos grupos heréticos que os usavam.

    Curtir

  4. EDMILSON disse:

    A VERDADE SOBRE A BÍBLIA !!!!

    CATÓLICOS LEIAM TODA ESSA POSTAGEM E COMPREENDA A VERDADE!
    Pois tem um ditado muito popular e certo que diz que uma mentira repetida mil vezes torna-se uma verdade”.

    Esta afirmação foi proferida pelo ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels, nunca foi tão verdadeira e perigosa como nos dias de hoje, tempos de internet e redes sociais. Ninguém mais checa fatos, os falsos pastores ensinam mentiras, divulgam mentiras, apagam a história, e falam de si mesmo, assim isso passa a virar verdade absoluta.

    Católicos cuidado com o que você aprende ou lê. Cuidado com o que você tem visto. Cuidado no que você acredita. E, principalmente, cuidado com o que assiste na televisão. A Biblia verdadeira possui 73 livros e não 66, visitem a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro e comprovem essa verdade na primeira versão impressa da Bíblia Cristã no Mundo. (1454 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA NO MUNDO) – Um católico chamado Gutenberg causou grande excitação quando no outono daquele ano exibiu uma amostra na feira do comércio de Frankfurt. Gutenberg rapidamente vendeu todas as 180 cópias da Bíblia da Vulgata latina até mesmo antes da impressão estar acabada. NA BIBLIOTECA NACIONAL DO RIO DE JANEIRO TEMOS UMA DESSAS VERSÕES EXPOSTAS. BUSQUE NA INTERNET: http://www.bn.br/portal/arquivos/pdf/boletimbbn37.pdf OBS: ESSA BÍBLIA POSSUI O CANÔN COMPLETO DE 73 LIVROS, SENDO IMPRESSA 63 ANOS ANTES DA REFORMA PROTESTANTE, OU SEJA 29 ANOS ANTES DO NASCIMENTO DE MARTINHO LUTERO (10 de Novembro de 1483). Outra obs: Martinho Lutero não retirou esses livros do canôn da bíblia, os manteve em apêndice. Com a Reforma Protestante, Lutero volta a questionar o caráter canônico dos Deuterocanônicos do Antigo e trechos e livros Novo Testamento como a carta de Tiago – II Pedro – II João – III João – Judas – Apocalipse de João, negando inclusive seu caráter eclesiástico, pois para ele estes livros eram contrários à Fé. Em 1545, é convocado o Concílio de Trento, que novamente reafirma o caráter canônico do Cânon Alexandrino. No início não houve consenso entre os Protestantes sobre o Cânon do AT e do NT. O rei Jaime I da Inglaterra, responsável pela famosa tradução KJV (King James Version), defendia que os Deuterocanônicos deveriam continuar constando nas Bíblias Protestantes. Logo depois a Igreja Ortodoxa Russa resolve deixar como facultativa a aceitação ou não do Cânon Alexandrino. Em suma, diante de todas as verdades apresentadas percebemos verdadeiramente que a Igreja Católica é a verdadeira guardia do canôn biblico completo (73 livros). O próprio Lutero disse: “foi um efeito do poder de Deus que o papado preservou, em primeiro lugar, o santo batismo; em segundo, o texto dos Santos Evangelhos, que era costume ler no púlpito na língua vernácula de cada nação…” (14). Muitos católicos e protestantes não percebem quanto devem a Igreja católica por terem a Bíblia como nós temos hoje. Por exemplo, antes que Lutero fizesse sua tradução em alemão em setembro de 1522, já havia dezessete traduções alemãs (todas antes de1518) já impressas, doze destas no dialeto do baixo-alemão. (7) OBS: acréscimo meu – Os livros deuterocaninocos rejeitados pelos protestantes: É importante destacar que mesmo em meio às denominações protestantes muitos mantiveram um contato com os livros deuterocanonicos, o proprio herege Martinho Lutero os incluiu como apêndice em sua tradução; a Confissão Galicana (1559), a Confissão Anglicana (1562), a Confissão Belga (1562) e a segunda Confissão Helvética (1564) também mantiveram estes livros no final de suas respectivas traduções (ainda que incluísse uma observação de que a validade era apenas histórica e não inspirada). SOMENTE Em 03 de maio de 1816, depois de um longo e exaustivo debate, a Sociedade Bíblica Inglesa deixou de incorporar estes livros em suas bíblias impressas. O que tem sido seguida pela grande maioria dos protestantes. Uma decisão tomada por uma sociedade bíblica protestante no ano de 1816, não tem poder para decidir sobre a mudança do cânon da Bíblia. Ou ficamos com a tradição verdadeira e bi milenar da Igreja Católica ou aceitamos a decisão equivocada e mentirosa de uma sociedade protestante pós-reforma que teve o atrevimento de mutilar o cânon da Bíblia de 73 para 66 livros. TODO CRISTÃO DEVE BUSCAR NA HISTÓRIA DO CRISTIANISMO UMA BASE PARA SUA FÉ. VEJA A VERDADE ABAIXO E AS DATAS: • “Cânon 36 – Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12” (Concílio de Hipona, 08 de outubro do ano de 393). “Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão, doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João12. Isto se fará saber também ao nosso santo irmão e sacerdote, Bonifácio, bispo da cidade de Roma, ou a outros bispos daquela região, para que este cânon seja confirmado, pois foi isto que recebemos dos Padres como lícito para ler na Igreja” (Concílio de Cartago III, ano de 397 e Concílio de Cartago IV ano de 419). • “Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras: um livro do Gênese, um livro do Êxodo, um livro do Levítico, um livro dos números, um livro do Deuteronômio; um livro de Josué, um livro dos Juízes, um livro de Rute; quatro livros dos Reis13, dois dos Paralipômenos; um livro do Saltério; três livros de Salomão: um dos Provérbios, um do Eclesiastes e um do Cântico dos Cânticos; outros: um da Sabedoria, um do Eclesiástico. Um de Isaías, um de Jeremias com um de Baruc e mais suas Lamentações, um de Ezequiel, um de Daniel; um de Joel, um de Abdias, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias, um de Malaquias. Um de Jó, um de Tobias, um de Judite, um de Ester, dois de Esdras, dois dos Macabeus. Um evangelho segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas, um segundo João. [Epístolas:] a dos Romanos, uma; a dos Coríntios, duas; a dos Efésios, uma; a dos Tessalonicenses, duas; a dos Gálatas, uma; a dos Filipenses, uma; a dos Colossences, uma; a Timóteo, duas; a Tito, uma; a Filemon, uma; aos Hebreus, uma. Apocalipse de João apóstolo; um, Atos dos Apóstolos, um. [Outras epístolas:] de Pedro apóstolo, duas; de Tiago apóstolo, uma; de João apóstolo, uma; do outro João presbítero, duas14; de Judas, o zelota, uma. (Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [ano de 366-384], no Concílio de Roma do ano de 382) • “Quais os livros aceitos no cânon das Escrituras, o breve apêndice o mostra: Cinco livros de Moisés, isto é, Gênese, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Um livro de Josué, filho de Num; um livro dos Juízes; quatro livros dos Reinos; e Rute. Dezesseis livros dos Profetas; cinco livros de Salomão; o Saltério. Livros históricos: um de Jó, um de Tobias, um de Ester, um de Judite, dois dos Macabeus, dois de Esdras, dois dos Paralipômenos. Do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos; quatorze epístolas do apóstolo Paulo, três de João, duas de Pedro, uma de Judas, uma de Tiago; os Atos dos Apóstolos; e o Apocalipse de João” (papa Inocêncio I, em 20 de fevereiro do ano de 405; Carta “Consulenti Tibi” a Exupério, bispo de Tolosa). • “Devemos agora tratar das Escrituras Divinas. Vejamos o que a Igreja Católica universalmente aceita e o que deve ser evitado: (1) Começa a ordem do Antigo Testamento: um livro da Gênese, um do Êxodo, um do Levítico, um dos Números, um do Deuteronômio, um de Josué (filho de Nun), um dos Juízes, um de Rute, quatro livros dos Reis, dois dos Paralipômenos, um livro de 150 Salmos, três livros de Salomão (um dos Provérbios, um do Eclesiastes, e um do Cântico dos Cânticos). Ainda um livro da Sabedoria e um do Eclesiástico. (2) A ordem dos Profetas: um livro de Isaías, um de Jeremias com Cinoth (isto é, as suas Lamentações), um livro de Ezequiel, um de Daniel, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Joel, um de Abdias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias e um de Malaquias. (3) A ordem dos livros históricos: um de Jó, um de Tobias, dois de Esdras, um de Ester, um de Judite e dois dos Macabeus. (4) A ordem das escrituras do Novo Testamento, que a Santa e Católica Igreja Romana aceita e venera são: quatro livros dos Evangelhos (um segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas e um segundo João). Ainda um livro dos Atos dos Apóstolos. As 14 epístolas de Paulo Apóstolo: uma aos Romanos, duas aos Coríntios, uma aos Efésios, duas aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas a Timóteo, uma a Tito, uma a Filemon e uma aos Hebreus. Ainda um livro do Apocalipse de João. Ainda sete epístolas canônicas: duas do Apóstolo Pedro, uma do Apóstolo Tiago, uma de João Apóstolo, duas epístolas do outro João (presbítero) e uma de Judas Apóstolo (o zelota)” (Papa S. Gelásio, no ano de 495; Decreto Gelasiano; repetido em 520 pelo Papa S. Hormisdas. Seguido também pelo Concílio Ecumênico de Florença no ano de 1438-1445, e novamente ratificado pelos Concílio de Trento no ano 1546-1563 e Vaticano I 1870). ________________________________________________
    OUTRAS VERDADES HISTÓRICAS SOBRE A BÍBLIA: COMO AS CONTRIBUIÇÕES DA IGREJA CATÓLICA PARA A BÍBLIA: 38-61 d.C. O PRIMEIRO EVANGELHO FOI ESCRITO: S. Mateus, um dos doze apóstolos de Cristo, bispo católico e mártir da fé, escreve o primeiro evangelho da vida de Cristo em hebraico. Este evangelho seria seguido por três outros evangelhos escritos em grego. Estes foram o evangelho de s. Marcos (64 d.C.), o evangelho de s. Lucas (63 ou 64 d.C.) e o evangelho de s. João (97 d.C.). 52 d.C. A PRIMEIRA EPÍSTOLA FOI ESCRITA: S. Paulo, apóstolo de Cristo, bispo católico e mártir da fé, escreve a primeira epístola a uma parte da Igreja. Esta é conhecida hoje como “Primeira aos Thessalonicenses”. Este escrito seria seguido de 21 outras epístolas apostólicas por vários autores católicos, sendo o último escrito pelo apóstolo s. João, em 69 d.C. 64 d.C. FOI ESCRITO OS ATOS DOS APÓSTOLOS: S. Lucas, discípulo de s. Paulo, bispo da Igreja católica e mártir da fé, escreve “Atos dos Apóstolos”, uma história da igreja católica da Páscoa até a morte de s. Paulo. Atos e o Evangelho Segundo São Lucas, fez s. Lucas o autor da maior parte do NT, ou seja, 28%. 98-99 d.C. O ÚLTIMO LIVRO DIVINAMENTE INSPIRADO DOS APÓSTOLOS É FEITO: S. João, apóstolo de Cristo e bispo da Igreja católica, escreve o último livro divinamente inspirado dos apóstolos. Isto é conhecido hoje como “Apocalipse” 153-170 d.C. O PRIMEIRO TRATADO EM “A HARMONIA DOS EVANGELHOS”. : A mais antiga tentativa de fazer uma harmonia foi por Taciano (morreu em 172) e seu título, Diatessaron, dá abundante evidência da primitiva aceitação na Igreja católica de nossos quatro Evangelhos canônicos. A próxima Harmonia foi feita por Amônio de Alexandria, professor de Orígenes, que apareceu em 220 d.C., mas se perdeu. (17) 2º – 3º SÉCULO d.C. A PRIMEIRA ESCOLA DA BÍBLIA: Os antigos católicos começaram uma escola em Alexandria para a aprendizagem dos Evangelhos e outros escritos católicos antigos. (6) 250 d.C. A PRIMEIRA BÍBLIA EM IDIOMA PARALELA: O católico Orígenes cria a edição da Hexapla do VT, que continha o hebraico paralelo com versões gregas. (5) 250 d.C. A PRIMEIRA BIBLIOTECA CATÓLICA: O católico Orígenes cria uma bem equipada biblioteca na Cesaréia, com a finalidade de estudar os Evangelhos e outros escritos católicos antigos. (19) 250-300 d.C. A PRIMEIRA BÍBLIA EM FORMA DE LIVRO: Os judeus usaram o rolo de papiro, os primitivos católicos foram os primeiros ao usar a forma de livro (códice) para Escrituras. (10) SÉCULO IV – O PRIMEIRO USO DA PALAVRA “BÍBLIA”: Veio da palvra grega “biblos”, que significa o lado interno do papiro, papel-cana de onde eram feitos os primeiros papéis, no Egito. A forma latina “Biblia”, escrita com uma letra maiúscula, veio a significar “O Livro dos Livros”, “O Livro” por excelência. As Santas Escrituras foram chamadas de Bíblia pela primeira vez por s. Crisóstomo, arcebispo católico de Constantinopla, no séc. IV. (12) SÉCULO IV – AS MAIS ANTIGAS BÍBLIAS EXISTENTES: As duas mais antigas Bíblias existentes, que contém o Velho e a maioria (mas não completo) do Novo Testamento, chamam-se hoje de Códice Vaticanus (325-350 d.C.), o Códice Sinaiticus (340-350 d.C.), o Códice Ephraemi (345 d.C.) e o Códice Alexandrinus (450), que foram copiados à mão por monges católicos. (6) 367 D.C. O PRIMEIRO USO DO PALAVRA “CÂNON”: S. Atanásio, bispo católico de Alexandria, é o primeiro em aplicar o termo cânon para o conteúdo da Bíblia, introduzindo o verbo canonizar que significa “dar sanção oficial a um documento escrito”. (6) 367 D.C. O CÂNON DO NOVO TESTAMENTO: A 39ª carta festal de S. Atanásio, bispo católico de Alexandria, enviada para as igrejas sob sua da jurisdição em 367, terminou com toda a incerteza sobre os limites do cânon do NT. Nela, preservada em uma coleção de mensagens, listou como canônicos os 27 livros do NT, embora os organizasse em uma ordem diferente. Esses livros do NT, na ordem atual são os quatro Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas, João), Atos dos Apóstolos, Romanos, 1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 Tessalonicenses, 2 Tessalonicenses, 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito, Filemôn, Hebreus, Tiago, 1 Pedro, 2 Pedro, 1 João, 2 João, 3 João, Judas e Apocalipse. (1) 388 D.C. O PRIMEIRO GLOSSÁRIO DE NOMES DA BÍBLIA: S. Jerônimo compilou o “Livro de Nomes Hebreus, ou Glossário de Nomes Formais do Velho Testamento”. O Livro de Nomes Hebreus foi sem dúvida de muito uso na ápoca em que as pessoas quase não conheciam o hebraico, embora o arranjo seja estranho com um glossário separado para cada livro da Bíblia. (17) 388 D.C. O LIVRO DOS NOMES DE LUGARES HEBREUS: S. Jerônimo compilou o “O Livro dos Nomes de Lugares Hebreus” que foram feitos primeiro por Eusébio com adições de Jerônimo. Os nomes sob cada letra são colocados em grupos separados na ordem dos livros das Escrituras nas quais eles aparecem; por exemplo, na letra A temos os nomes de Gênesis, depois Êxodo, e assim por diante. Mas não há lugar para fantasia, e o testemunho de homens que viveram na Palestina nos séc. IV e V ainda são de grande valor ao estudante da topografia sagrada. Quando os lugares estão fora do conhecimento do escritor, ele usa de especulação, como quando o autor nos fala que a Arca pode ser encontrada nas proximidades do Ararat. (17) 390 D.C. A PRIMEIRA COMPILAÇÃO COMPLETA DO VELHO E NOVO TESTAMENTO: No Concílio de Hipona, a Igreja católica reuniu os vários livros que reivindicaram serem escrituras, revisou cada um e decidiu quais eram inspirados ou não. A Igreja católica reuniu todos os livros e epístolas inspirados em um volume chamado A Versão de Septuaginta do Velho Testamento (que foi traduzida por setenta estudiosos em Alexandria, Egito por volta de 227 a.C. e foi a versão que Cristo e os apóstolos usaram) e é a mesma Bíblia que temos hoje. A Igreja católica deu-nos então, a Bíblia. (2) 400 D.C. A MAIOR PARTE DAS ESCRITURAS SAGRADAS TRADUZIDAS: Nas línguas siríaco, cóptico, etíope, georgiano(8). Na região do Reno e Danúbio (Império romano) UMA versão gótica foi traduzida pelo bispo gótico Ulfilas (318-388), quem, depois de inventar um alfabeto, produziu uma versão das Escrituras da septuaginta do VT e do grego. (10) 406 D.C. A TRADUÇÃO ARMÊNIA: Em 406 o alfabeto armênio foi inventado por Mesrob, que cinco anos depois completou uma tradução do VT e NT da versão siría em armênio. (10) 405 D.C. A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA COMPLETA NA LINGUAGEM COMUM: A Vulgata latino, de latin editio vulgata,: “versão comum”, a Bíblia ainda usada pela Igreja católica romana, foi traduzida por S. Jerônimo (quem os tradutores da versão KJV de 1611 em seu prefácio o chamaram de “o pai mais instruído, e o melhor lingüista de sua época ou de qualquer antes dele”). Em 382, o papa Dâmaso pediu a Jerônimo, o maior estudioso bíblico de sua época, que produzisse uma versão latina aceitável da Bíblia das várias traduções que eram então usadas. Sua tradução latina revisada dos Evangelhos apareceu em 383. Usou a versão da Septuaginta grega do VT do qual ele produziu uma nova tradução latina, um processo que ele completou em 405. (3) É como tradutor das Escrituras que Jerônimo é mais conhecido. Sua Vulgata foi feita no momento certo e pelo homem certo. O latim ainda estava vivo, apesar do Império Romano estar desaparecendo. E Jerônimo era mestre em latim. (17) 450-550 A.D O BEZAE CANTABRIGIENSIS (TAMBÉM CHAMADO CÓDICE BEZAE): Este é o manuscrito bilíngüe mais antigo existente, com o grego na página esquerda, e latim à direita. O Bezae Cantabrigiensis era um texto ocidental copiado c. 450-550 e que preservou a maior parte dos quatro Evangelhos e partes de Atos. SÉCULO VII – A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA EM PARA O FRANCÊS: As versões francesas dos Salmos e o Apocalipse, e um métrico do Livro de Reis, apareceu já no sétimo século. (9) Em 1223 uma tradução completa foi feita sob o rei católico Louis, o Piedoso. Isto foi 320 anos antes da primeira versão francesa protestante. (7) Até o décimo quarto século, foram produzidas muitas histórias da Bíblia. SÉCULO VII – A PRIMEIRA VERSÃO ALEMÃ: A história da pesquisa Bíblica mostra que as numerosas versões parciais no vernáculo na Alemanha já aparecem nos séc. VII e VIII. Também há abundância dessas versões nos séc. XIII e XIV, e uma Bíblia completa no séc.XV, antes da invenção da imprensa. (9) SÉCULO VIII – A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA EM INGLÊS: Por Adelmo, bispo de Sherborne, e Bede. Uma tradução do século IX da Bíblia para o inglês (no dialeto anglo-saxão) foi feita por Alfred. Uma tradução do séc. X para inglês foi feita por Aelfric. (7) Foi feita uma tradução em 1361 da maior parte das Escrituras no dialeto inglês (anglo-normando). (3) Isto foi vinte anos antes da tradução de Wycliffe em 1381. (3) SÉCULOS VIII e IX – O USO DA FORMA DE ESCRITA CHAMADA “MINÚSCULA”: Como o bloqueio do comércio oriental de papiro fez o mercado ocidental usar o pergaminho, o fator econômico ficou potente. Para caber mais letras na página, o copista teve de usar letras menores e apertadas. Alguns, para preservar suas formas, colocavam algumas acima e outras abaixo linha. O resultado foi uma forma de escrita chamada “Minúscula”?pequenas letras, com iniciais maiúsculas para ênfase. Este sistem ainda é usado hoje. Foi uma mudança gramatical da “Maiúscula” – que consistia de ltras grandes usadas pelos gregos, romanos e judeus. (16) SÉCULO IX – A PRIMEIRA TRADUÇÃO ESLAVA DA BÍBLIA: Os santos católicos Cirilo e Metódio pregaram o Evangelho para os eslavos na segunda metade do nono século e S. Cirilo, tendo formado um alfabeto, fez para eles uma versãoVelho Eclesiástico Eslavo, ou Búlgaro, uma tradução da Bíblia do grego. No fim do décimo século esta versão entrou na Rússia e depois do décimo segundo século sofreu muitas mudanças lingüísticas e textuais. Uma Bíblia eslava completa foi feita de um códice antigo no tempo de Waldimir (m. 1008) foi publicada em ostrogodo em 1581.(9) 1170 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA PARALELA EM INGLÊS: O Psalterium Triplex de Eadwine, que continha a versão latina acompanhada por textos anglo-normandos e anglo-saxões, se tornou a base de versões anglo-normandas. (3) SÉC. XII – A PRIMEIRA DIVISÃO DE CAPÍTULOS: Foi o arcebispo católico britânico de Canterbury, St. Estêvão Langton (morreu em 1228), foi o primeiro a dividir as Escrituras em capítulos: 1.163 capítulos no VT e 260 no NT. (4) SÉC. XIII – A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA EM ESPANHOL: Sob o rei Alfonso V de Espanha. (7) 1230 D.C. A PRIMEIRA CONCORDÂNCIA: Uma concordância da Bíblia da Vulgata latina foi compilada pelo frade dominicano Hugo de São Cher. (5) 1300 D.C. A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA EM NORUEGUÊS: O mais antiga e celebrada é a tradução de Gênesis-Reis chamada Stjórn (“Direção”; i.e., de Deus) em norueguês antigo, em 1300. As versões suecas do Pentateuco e de Atos sobreviveram do décimo quarto século e um manuscrito de Josué-Juízes por Nicholaus Ragnvaldi de Vadstena de c. 1500. A versão dinamarquesa mais antiga de Genêsis-Reis deriva de 1470. (11) 1454 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA: Um católico chamado Gutenberg causou grande excitação quando no outono daquele ano exibiu uma amostra na feira do comércio de Frankfurt. Gutenberg rapidamente vendeu todas as 180 cópias da Bíblia da Vulgata latina até mesmo antes da impressão estar acabada. (6) 1466 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA EM ALEMÃ: Isto foi cinqüenta oito anos antes de Lutero fazer sua Bíblia alemã em 1524. (8) Nestes cinqüenta e oito anos os católicos imprimiram 30 diferentes edições alemãs da Bíblia. 1470 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA EM ESCANDINAVO: No décimo quarto século, foram feitas versões das Epístolas dominicas e dos Evangelhos para uso popular na Dinamarca. Grandes partes da Bíblia, se não uma versão inteira, foi publicada em 1470. (9) 1471 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA ITALIANA:(8) Muitos anos antes de Lutero fazer sua Bíblia (começou em 1522) os católicos já tinham feito 20 diferentes edições italianas da Bíblia. 1475 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA EM HOLANDÊS: A primeira Bíblia em holandês foi impressa por católicos na Holanda em Delft em 1475. Algumas foram impressas por Jacob van Leisveldt em Antwerp (9) 1478 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA EM ESPANHOL:(8 ) Muitos anos antes de Lutero fazer sua Bíblia (começou em 1522) os católicos já tinham feito 2 diferentes edições espanholas da Bíblia. 1466 D.C. O PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA EM FRANCÊS:(8) Muitos anos antes de Lutero fazer sua Bíblia (começou em 1522) os católicos já tinham feito 26 diferentes edições francesas da Bíblia. 1516 D.C. A PRIMEIRA IMPRESSÃO DO NOVO TESTAMENTO GREGO: Um católico chamado Erasmo fez a primeira impressão de seu NT grego. (8) Muitos anos antes de Lutero fazer sua Bíblia (começou em 1522) os católicos já tinham feito 22 diferentes edições gregas da Bíblia. 1534 D.C. O PRIMEIRO USO DE ITÁLICOS PARA INDICAR PALAVRAS QUE NÃO ESTAVAM NO ORIGINAL: Um católico chamado Munster foi o primeiro em usar itálicos para indicar palavrasque não estavam nos textos originais grego e hebraico, em sua versão da Vulgata latina. (13) 1548 D.C. AS PRIMEIRAS VERSÕES CHINESAS: Entre as traduções mais antigas uma versão é a de S. Mateus por Anger, um católico japonês (Goa, 1548). O jesuíta Padre de Mailla escreveu para uma explicação dos Evangelhos para domingos e festas em 1740, (9) 1551 D.C. A PRIMEIRA DIVISÃO DE VERSÍCULOS: A primeira divisão da Bíblia em versículos é vista pela primeira vez em uma edição do NT grego publicada em Paris pelo católico Robert Stephens. (10) 1555 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA IMPRESSA COMPLETA COM CAPÍTULOS E VERSÍCULOS: A primeira divisão da Bíblia em capítulos e versículos é vista pela primeira vez em uma edição do Vulgata publicada em Paris pelo católico Robert Stephens. (10) 1561 D.C. A PRIMEIRA BÍBLIA COMPLETA EM POLONÊS: Foi impressa em Cracóvia em 1561, 1574, e 1577. Jacob Wujek, S.J., fez uma nova tradução da Vulgata (Cracóvia, 1593) admirada por Clemente VIII e que foi muito reimpressa. (9) 1579 D.C. A PRIMEIRA VERSÃO MEXICANA: A primeira Bíblia conhecida no México foi uma versão dos Evangelhos e Epístolas em 1579 por Dídaco de S. Maria, O.P., e o Livro de Provérbios por Louis Rodríguez, O.S.F. Uma versão do NT foi feita em 1829, mas só o Evangelho de S. Lucas foi impresso. (9) 1836 D.C. A PRIMEIRA TRADUÇÃO DA BÍBLIA PARA O JAPONÊS: Uma versão do evangelho de S. João e dos Atos foi editada em katakana (tipo quadrado) em Cingapura (1836) por Charles Gutzlaff (9)

    Curtir

  5. kleber leonard disse:

    Fico ainda na dúvida quando dizem que foi reunido um concelho para determinar quais livros foram inspirados pelo espirito santo. Mas como souberam? Baseados em quais normais se determinou isso? Como o espirito santo pode ser medido para poder ser comparado. Acredito que tudo tenha sido feito por subjetividade dos participantes do conselho nada mais.

    Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s