O Católico que conhece a Santa Fé jamais muda de religião


É muito comum na Web encontrarmos textos de católicos e protestantes justificando porque aderiram ou repudiaram ao catolicismo ou ao protestantismo. Qualquer pessoa que esteja com dúvidas sobre sua fé por certo terá dificuldades em entender todos os contextos. E mesmo que esta pessoa possa compreender a maioria dos apontamentos, não saberá definir para si próprio o caminho que deve abraçar. Católicos escrevem razões porque alguém não deve ser protestante. Protestantes dizem porque deixaram de ser católicos e vice-versa.

Basicamente, os protestantes acusam os católicos de práticas antibíblicas. Os católicos por sua vez, comprovam que os protestantes não seguem a Bíblia quando adotam ou eliminam dogmas e credos previstos nas sagradas escrituras.

Mas quem está com a razão ? Provaremos que são os católicos que estão certos. Mas como ? Ora, o protestante parte de um critério de homens para contestar o catolicismo. Como assim ?

O critério “Só a Bíblia” ou Sola Scriptura é um critério meramente humano. Tal critério não está previsto na Bíblia. Também sabemos que Jesus nunca disse: “Só a Bíblia”. E tampouco os apóstolos que lhe sucederam o disseram. Como surgiu o critério “Só a Bíblia” ou “Sola Scriptura” ? Partiu de Lutero. Lutero homem e pecador.

Lutero fundador do protestantismo:

“Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?”, depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer.” (Martinho Lutero: Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)”.

Quando um protestante diz “Só a Bíblia”, deveria usar para si o critério que pretende estabelecer para os demais. É no mínimo repugnante que alguém cobre de outro aquilo que ele próprio não faz. E como sabemos que os protestantes não seguem a Bíblia ? Porque deixam de observar regras fundamentais estabelecidas pelo livro sagrado.

Podemos destacar duas destas regras:

1)A Bíblia diz que interpretação alguma é de caráter individual. O protestante faz o contrário. Ele diz que todo e qualquer homem pode interpretar a Bíblia com o auxílio do Espírito Santo.

Diz o protestante que a Bíblia é de fácil interpretação. No entanto, para justificar seus desvios e teorias desconhece o aramaico, hebraico e grego, o que por si só invalida a dita “facilidade” na interpretação da Bíblia.

Perguntamos se todo e qualquer protestante conhece os idiomas aqui citados ? Então como o protestante pode dizer que é fácil interpretar a Bíblia ? E se todos são assistidos pelo Espírito Santo, por que cada um tem sua própria doutrina, se sabemos que o Espírito Santo nunca se divide ?

2)A Bíblia diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. O que isto significa ? Significa que sem a igreja a verdade não se sustenta. O protestante, fazendo o contrário, diz que igreja não serve para nada.

Por outro lado, além das regras não observadas pelos protestantes, outras disposições bíblicas são totalmente ignoradas por eles em conseqüência da não observância dos critérios iniciais.

Podemos citar a não observância da Bem Aventurança de Maria, a recitação do Pai Nosso e a confissão dos pecados. Ora, os apóstolos receberam poder para reter e perdoar pecados. Como alguém pode reter pecados ou perdoá-los se ninguém irá confessá-los ? Teria Jesus Cristo dado uma ordem sem sentido aos seus apóstolos ?

Portanto, temos três principais erros que levam o protestante a cometer todos os demais desvios.

Primeiro: A Bíblia não diz ser a única fonte de revelação. Nem Jesus o disse. Nem os apóstolos. Pelo contrário, São Paulo nos ensinou que guardássemos as tradições de tudo que nos foi ensinado. E a própria Bíblia ensina que muitas outras coisas foram feitas e ditas por Jesus, as quais não foram escritas.

Segundo: O protestante ignora que a Bíblia não pode ser interpretada privadamente. Ou seja, nem todos podem ser intérpretes. No protestantismo todos se julgam intérpretes.

Terceiro: O protestante ignora que somente a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. A Bíblia não fala de si mesma como sendo coluna e sustentáculo da verdade.

A partir das deficiências protestantes em entender o papel da Igreja e da Bíblia, todos os demais enganos são consequências de interpretações bíblicas à margem do magistério da Igreja.

Além disto, existe o ranço contra o catolicismo, que parece ser prioridade entre os protestantes, e que faz surgir uma animosidade, que elimina qualquer gesto de boa vontade para compreensão dos dogmas de fé e doutrinas católicas.

Onde está a solução da questão ?

Ora, os católicos não estão obrigados ao “Sola Scriptura ou Só a Bíblia”. Este é um critério meramente humano. Não foi criado por Jesus, nem pela Bíblia e nem pela Igreja, mas somente por Lutero. E Lutero é ídolo dos protestantes e não dos católicos. Quem escolheu Lutero e rejeitou a Igreja foi o protestante.

Os católicos não estão obrigados a provarem suas crenças e costumes pela Bíblia. Os católicos seguem corretamente o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade(Timóteo). Os católicos corretamente ouvem a interpretação da Igreja, pois sabemos que interpretação alguma é de caráter particular. O que escrevo aqui não ouvi de mim mesmo.

Ora, uma vez que nem todas as coisas que foram feitas e ditas por Jesus estão escritas (Evangelho de João), como poderiam estar todas estas mesmas coisas na Bíblia ?

Ora, se São Paulo nos ensina que devemos guardar a tradição, por que deveríamos ignorar a transmissão oral que é a tradição viva ?

Ora, se os cristãos dos 367 primeiros anos não dispunham de Bíblia e por certo eram melhores do que nós e seguramente foram mais provados, como é possível tornar a Bíblia maior do que Cristo e sua Igreja ? Ora, não é a Igreja anterior à Bíblia ?

Foi a Igreja que criou a Bíblia ou a Bíblia que criou a Igreja ?

Não é DEUS antes de todas as coisas ? Como é possível ao protestante criar um DEUS que está restrito a tinta, ao papel e a interpretação de cada homem ?

Sem Bíblia, como foi possível transmitir o cristianismo nos quase 400 primeiros anos, exceto pela tradição oral ? Quem está obrigado ao critério “Só a Bíblia” é quem dele se utiliza para julgar aos demais.

É o protestante e somente ele que precisa provar pela Bíblia suas teses, teologias e doutrinas. É pela Bíblia que devem provar Lutero, Calvino, o protestantismo, o Canon, a Bíblia protestante, as traduções que usam e também o tradutor “insuspeito” dos protestante João Ferreira de Almeida.

Não fosse tudo o que já dissemos acima, bastaria verificar que um protestante não concorda com o outro em matéria de fé e doutrina.

Metodologia Protestante: Tão logo surge uma discordância já surge uma nova “igreja”.

Uns batizam e outros não. Uns acatam o divórcio e outros tantos o repudiam. Tem quem case pessoas do mesmo sexo e tem quem se recuse a fazê-lo. Tem quem condene e quem aprove o sacerdócio feminino. As diferenças são tantas que já podemos contar somente no Brasil mais de 50.000 seitas. Tem até quem defenda o aborto ou o evangelho judaizante.

Como podem estar todos certos ao mesmo tempo ? Como podem todos ter interpretado corretamente a Bíblia se a Bíblia de todos é a mesma e se as doutrinas de cada um não correspondem às doutrinas de outro ?

Quem procurar na internet não terá dificuldades em encontrar protestantes chamando outros protestantes de hereges. Uns condenando as doutrinas dos outros. Não há protestante que não tenha chamado outro protestante de herege. E quem chamou outro de herege provavelmente também já foi chamado ou ainda será.

Quando um protestante lista suas razões para não ser católico, reparem sempre meus amigos que as razões fazem referências a textos bíblicos soltos.
É sempre um tal de “biblicamente correto ou porque a palavra diz isso ou aquilo ou ainda porque isto não está na Bíblia…”

Além de interpretações equivocadas, já que ao contrário do que diz a Bíblia, cada protestante sente-se um intérprete e acaba interpretando do seu jeito, o critério usado “Só a Bíblia” nunca é provado. O protestante parte de uma premissa falsa para contestar o catolicismo e esquece-se de provar para si mesmo que o critério que ele utiliza é o critério adequado.

Tudo isto engana os mais inocentes, que chegam ingenuamente a acreditar que a Igreja que compilou e traduziu a Bíblia não dispõe de homens que lêem a Bíblia ou que já leram.
Imaginem se seria possível que nos últimos 2000 anos todos os católicos, vivos e mortos, incluindo mais de 260 papas, jamais tivessem tido a idéia da consultar as Sagradas Escrituras ?

Por outro lado, quando um católico lista suas razões para não ser protestante ou para deixar o protestantismo, sempre são provados os enganos e erros protestantes a partir da não observância dos critérios bíblicos que evidenciamos acima.

Reparem que um protestante, contestando textos católicos, nunca esgota um tema. Vencido em um argumento, ele parte imediatamente para outro tema sem esgotar o primeiro. Confrontado, um protestante nunca responde objetivamente o que lhe é perguntado, mas antes faz outras duas perguntas para desviar seu oponente do tema para o qual não tem resposta. E isto acontece rapidamente, tão logo um católico pergunte a um protestante onde está escrito que a Bíblia ensina “Só a Bíblia”.

Antes mesmo de um protestante listar suas razões para não ser católico, deveria enumerar os motivos pelos quais ele integra uma determinada denominação protestante e não as outras 49.999 denominações. Desejando ser honesto, o protestante deveria mencionar uma a uma e as razões porque não adere a cada uma das quase 50.000 outras seitas.

Afinal de contas, todo protestante parece conhecer todas as seitas e todos os crentes do mundo inteiro em todos os tempos. Como assim ?

Porque ele mesmo, sem conhecer todas as 50.000 seitas e todos os seus crentes, entende que todos estão salvos a partir do “aceitar Jesus” e porque todos se consideram “irmãos em Cristo”, ainda que cada um pregue um Cristo diferente ou ainda que ele protestante não conheça o tipo de cristianismo que é praticado ou apresentado em outras denominações.

O que “garante” salvação é o rótulo protestante adquirido a partir do momento que alguém levantou o dedo em uma denominação protestante e fez o favor de “aceitar” Jesus.

Para finalizar citamos uma outra contradição que prova a debilidade da doutrina protestante: O protestante que desconhece a diferença entre infalibilidade e impecabilidade, contesta a igreja e o papado.

O papa é infalível quando se pronuncia em matéria de fé e doutrina. Não se ensina no catolicismo que o papa não é pecador.

Diz o protestante que todos os homens são pecadores e portanto falhos em suas interpretações. O protestante que contesta a infalibilidade papal pretende impor aos seus pares e aos católicos sua particular doutrina.

Onde está a contradição ?

O protestante, antes mesmo de convencer os demais que sua doutrina é a doutrina correta, necessita convencer os demais que homem algum é confiável. Ora, se o protestante antes mesmo de defender sua doutrina tem que convencer a todos que o homem algum é digno de confiança em matéria de fé e doutrina, por que acha que quem lhe ouve deveria com ele concordar ? Como pretende o protestante impor seus conceitos ao católico, se antes de qualquer outra coisa pretende negar-se a si próprio como intérprete infalível ?
São os próprios pregadores protestantes que negando a si mesmo dizem: “…não é o que o pastor está falando, mas é ao que diz a palavra.”

Como pretendem unidade aqueles que contestam o dogma da infalibilidade ?

É de fato impossível ao protestante defender a infalibilidade de um eventual protestante, seita ou conselho protestante se todos negam o dom da infalibilidade. Como admitir a infalibilidade entre protestantes e negar a infalibilidade da igreja peregrina que deu origem a tudo que está relacionado ao cristianismo ?

Como pretendem fazer discípulos aqueles que negam a si próprios ? Como pretendem eliminar do meio protestantes todas as heresias, se todo e qualquer homem pode ser um intérprete da Bíblia “infalível” para si mesmo ?

O processo que dá origem a uma denominação protestante séria é o mesmo que dá origem a uma denominação protestante repleta de heresias. Se todos podem fundar denominações e dizer-se inspirados pelo Espírito Santo, como deter os maus e ignorantes ? Como saber previamente se aquele que diz ter tido uma visão para fundar uma nova denominação é um homem temente a DEUS ou se é um abutre ?

Ora meus amigos, o protestante crê apenas na sua própria “infalibilidade”. Julgando-se sábios aos seus próprios olhos, ele acaba sendo infalível apenas para si mesmo.
Concluímos que os filhos de Lutero, mesmo que não queiram, acabam fazendo exatamente as obras de seu pai:

“Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma. Meu juízo é o juízo de Deus(Martinho Lutero – Weimar, X, 2 Abt, 107)”

Católicos, provem como sempre seus credos pelo magistério da Igreja, pela Bíblia e pela transmissão oral. Desta forma, jamais serão vencidos.

Protestantes: Façam um teste. Tentem provar todos os seus credos e costumes pela Bíblia.
Nem mesmo a rebeldia protestante pode ser provada pela Bíblia.

Agora pense meu amigo que me lê, seja católico ou protestante: Em tudo na vida, quando temos dúvidas sobre a seriedade e luminosidade das propostas que nos apresentam, devemos lembrar de algumas regras que podem fazer cair por terra as doutrinas e ideologias que nos remetem aos erros. Uma destas regras é a unidade.

Ora, a verdade não se divide. A verdade é una. Quando te apresentam uma doutrina que mais divide do que agrega, pode acreditar sem medo de errar que seus defensores estão longe da verdade. Não existe meia verdade. Meia verdade também é meia mentira.

No caso específico do debate entre protestantes e católicos, além da regra da unidade, quando alguém estiver com dúvidas sobre os textos que descrevem as razões para não ser católico e as razões para não ser protestante, lembre-se de pedir a cada parte que prove suas teorias, teologias, doutrinas e costumes pelos critérios que pretendem impor aos outros.

Você pode perguntar sem receio de se deparar com um protestante que eventualmente viva exatamente de modo correto todo o contexto da Bíblia. Se isto fosse possível, o tal seria católico e não protestante. Os católicos vivem exatamente o que pregam para os protestantes. Ninguém pode nos acusar do contrário. Atendemos ao magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade e por isto nos chamam de papistas.

Confiamos na transmissão oral e portanto, para nós nem todas as coisas precisam estar na Bíblia e por via de consequência nos acusam em alto e bom som: “Católicos leiam a Bíblia”!

Pregamos a veneração a Virgem Maria e aos santos e nossos acusadores protestantes nos dizem: “Mariólatras, idólatras !”.

Pregamos a Eucaristia e a vivemos intensamente. O que dizem os nossos opositores ? “A hóstia católica é só uma bolachinha.” Dizem ainda os protestantes sobre a Eucaristia Católica: “Os católicos crucifixam a Cristo em cada Missa”.

Então Cristo está de fato vivo na Eucaristia Católica ? Então Cristo está verdadeiramente presente na Santa Missa ?
Enfim, Pregamos ainda o purgatório e a confissão e por isto somos repudiados.

Pregamos o batismo de crianças e disto nos acusam os protestantes aos gritos: “As crianças não possuem capacidade de entendimento.”

Ora, no passado alguns perguntaram a Jesus: “Então, tu és o Filho de Deus?” O que lhe respondeu o Senhor da Glória ? Respondeu ele: “Vós o dizeis: eu o sou!”

São os protestantes com suas críticas e apontamentos que dão testemunho de nós e da doutrina da Santa Igreja que pregamos e e vivemos.

Por outro lado, se vivemos tudo que pregamos aos protestantes, provamos também que os defensores do “Só a Bíblia” não vivem o que a Bíblia ensina e portanto não vivem pelo conceito que pretendem impor a nós católicos. Se ainda você tiver dúvidas, pergunte ainda a cada católico e a cada protestante quais são as suas fontes de revelação.

E uma vez que cada parte respondeu, peça provas de que tais fontes de revelações são divinas e não apenas meras doutrinas de homens. E sendo você católico, nunca se esqueça, que não estamos obrigados a provar tudo pela Bíblia. Foram os protestantes que se obrigaram ao “Só a Bíblia”.

Não estamos dizendo que católicos são melhores do que protestantes. Não duvidamos que existem protestantes que levam vidas mais saudáveis do que católicos.

Reconhecemos o direito de todos homens e mulheres aderirem e professarem a fé que lhes pareçam mais convenientes. Limitamos nossas questões aos aspectos de fé e doutrina.
O que não aceitamos é o velho “pulo do gato” protestante de exigir de um católico que prove tudo pela Bíblia antes mesmo do protestante provar para si próprio e para os demais que o critério por ele escolhido vem de DEUS e não dos homens.

E todos nós sabemos que o critério protestante “Só a Bíblia” veio da árvore má que é Lutero. Quem cobra de mim deve ser o primeiro a fazer o que me pede.

Quem diz “Só a Bíblia” deve de fato considerar a Bíblia e assim não pode ignorar que interpretação alguma é de caráter pessoal e tampouco que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade.

Quem diz “Só a Bíblia” deve provar todos os seus conceitos pela Bíblia que jura defender, inclusive que todas as coisas estão na Bíblia e que a Bíblia é a única fonte de revelação.

Autor: A.Silva/V.de Carvalho
Livre divulgação mencionando-se o autor

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Nota | Esse post foi publicado em Apologética Católica, Autoridade Eclesial, Sucessão Apostólica, Tradição Católica e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

141 respostas para O Católico que conhece a Santa Fé jamais muda de religião

  1. Leandro disse:

    O imbecil que escreveu e merda não conhece Jesus e o acusa sem base alguma na palavra de Deus pra defender suas práticas diabolicas

    Curtir

    • Hellen disse:

      Sr Leandro,

      Lamentamos que o Sr discorde do que foi exposto no texto.
      Lastimamos também, que tantos dentre os ditos cristãos estejam tão longe da caridade cristã, e se disponham ao uso de uma linguagem tão repreensível.

      Pax Domini

      Hellen

      Curtir

      • Rafael disse:

        A religião é o ópio do povo… cobras falantes, árvores de sabedoria, virgens grávidas, gente morta que ressurge… tudo faz muita lógica… seja católico ou evangélico me parece perda de tempo e uma competição pra ver quem consegue convencer ao outro de coisas sem lógica…

        Curtir

  2. Rafael disse:

    Para finalizar minha participação neste blog que já está me tomando tempo além de não estar sendo produtivo. Diálogo sadio é uma coisa, prepotencia e perseguição é outra.
    O que conclui com minha participação aqui, é que Jesus foi muito misericordioso e um dia me tirou deste meio no qual vocês estão, eu era mais fanático e idolatra que qualquer um aqui. Glória a Deus porque sai…

    Conclui também, que se algum dia eu descobrisse que realmente a ICAR fosse a igreja detentora de toda verdade como se acha ser, então o Cristianismo para mim não valeria de nada, pois fala uma coisa e pratica outra… deixou marcas históricas das piores possíveis… vendeu o perdão de Deus, é a mestre na prepotência, muitas vezes superior a sua irmã gemea Ortodoxa (que também é unica e una)
    Cristo ensina a humildade, e se lermos todas as linhas deste blog, não vejo onde pode estar escondida esta tal humildade…

    Se ser cristão fosse sinônimo de ser Católico, então preferiria ser ateu!!!!

    Sei que virão os comentários do tipo “só lamento por você”… Por favor, se pensar em escrever isso, lamente-se por você, pois algum dia, cedo ou tarde, seremos colocados todos diante do pai para sermos julgados. Eu lamento por você que pensa em se lamentar por mim. Eu conheço Cristo e só a ele dou meu louvor e minha vida. Você tem muitos com quem dividir sua devoção…

    Alguns vão dizer, vencemos o herege… Nem pense nisso, que o fato de eu não ficar perdendo meu tempo no blog não quer dizer nem vitória e nem derrota, que dizer que tenho coisas mais importantes para fazer… só isso!

    Abraços e obrigado Helen pela sua honestidade em não editar nem deixar de publicar o que eu disse.

    Curtir

    • EDMILSON disse:

      vai em paz Rafael que um dia você encontre a verdade e outra você fala fala de Constantino mais não mostra documentos provas e fontes vai um conselho Rafael se você um dia tiver duvidas me procure que ti mostro a história e a patrística com escritores de dentro e de fora da igreja tenho e outra Rafael a Igreja Católica não foi fundada por Constantino.

      VEJA

      O imperador Constantino, também conhecido como Constantino Magno (O Grande) ou Constantino I, nasceu em 274 e faleceu em 337, foi imperador durante 31 anos: de 306 a 337. Era filho de Constâncio Cloro e Helena, uma cristã que se tornou Santa Helena. Casou-se com Faustina, filha de Maximiliano Hércules.

      No início século quarto, o cristianismo já estava espalhado por quase todo o mundo, penetrando até na classe nobre e era muito perseguido pelos imperadores que tentavam a todo custo, com o poder das armas destruir o poder da fé, mas não conseguiam.

      Após a morte do imperador Galério o poder ficou dividido entre Maxênico que se intitulou imperador; e Constantino, aclamado como imperador pelos soldados. Os dois ambicionavam pelo poder absoluto, tal luta se encerrou no dia 28 de outubro de 312, com a vitória de Constantino junto à Ponte Mílvia. Ocorre que Constantino viu no céu uma cruz com a inscrição “In hoc signo vinces” – “Com este sinal vencerás” – este foi um marco para sua conversão, que não se deu de uma hora para outra, foi batizado somente em 337, no fim de sua vida.

      Em 313 deu liberdade de culto aos cristãos com o chamado Edito de Milão : “Havemos por bem anular por completo todas as retrições contidas em decretos anteriores, acerca dos cristãos – restrições odiosas e indignas de nossa clemência – e de dar total liberdade aos que quiserem praticar a religião cristã”. Era Papa Melcíades, que se tornou São Melcíades, o 32º Papa, tendo Pedro como o 1º. Assim não há que se falar que Constantino é o fundador da Igreja de Cristo, ele apenas deu liberdade aos cristãos, acabando com dois séculos e meio de perseguição e martírio.

      Então quem fundou a Igreja Católica?

      Foi o próprio Senhor Jesus Cristo.

      A palavra igreja deriva de outra palavra grega que significa assembléia convocada. Neste sentido a Igreja é a reunião de todos os que respondem ao chamado de Jesus:

      “…ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor” (Jo 10,16).

      Jesus Cristo tinha intenção de fundar uma Igreja, a prova bíblica de sua intenção, encontramos em (Mt 16,18): “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

      Outras passagens são também importantes para constatarmos o propósito de Jesus em fundar a Igreja:

      A escolha dos doze apóstolos:

      – Depois subiu ao monte e chamou os que ele quis. E foram a Ele. Designou doze entre eles para ficar em sua companhia”. (Mc 3,13-14).

      – A escolha precisa de doze apóstolos tem um significado muito importante. O Senhor lança os fundamentos do novo povo de Deus. Doze eram as tribos de Israel, surgidas dos doze filhos de Jacá; doze foram os apóstolos para testemunhar a continuidade do Plano de Deus por meio da Igreja.

      A Última Ceia

      – “Tomou em seguida o pão e, depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: Este é o cálice da nova aliança em meu sangue, que é derramado por vós…” (Lc 22,19-20).

      – Assim como era costume para os judeus, Jesus também reuniu os seus apóstolos para celebrar a páscoa. Durante esta cerimônia foi celebrada a última ceia. Jesus se apresenta como o novo e verdadeiro cordeiro, dá aos seus seguidores o alimento do Seu corpo e sangue.

      – As palavras “fazei isto em memória de mim” apresentam o distintivo do novo povo de Deus. Deste modo, a última ceia passou a ser o alicerce e o centro da vida da Igreja que estava nascendo. Afinal, por meio da ceia o Senhor se torna de um modo mais forte presente entre o seu povo.

      – E, finalmente, segundo Santo Agostinho, a Igreja começou “onde o Espírito Santo desceu do céu e encheu 120 pessoas que se encontravam na sala do Cenáculo”. O derramar do Espírito, em Pentecostes, foi como a inauguração oficial da Igreja para o mundo.

      Estamos vivendo um momento do cristianismo onde muitas igrejas são criadas a cada momento :

      Os luteranos foram fundados por Martinho Lutero em 1524.

      Os anglicanos pelo rei Henrique VIII em 1534, porque o Papa não havia permitido seu divórcio para se casar com Ana Bolena.

      Os presbiterianos por John Knox em 1560.

      Os batistas por John Smith em 1609.

      Os metodistas por John wesley em 1739 quando decidiu separar-se dos anglicanos.

      Os adventistas do sétimo dia começaram com Guilherme Miller e Helen White no século passado.

      A congregação cristã do Brasil fundada por Luigi Francescom em 1910.

      As assembléias de Deus têm sua origem no despertar pentecostal de 1900 nos EUA. Muitas pessoas saíram de diferentes igrejas evangélicas para formar novas congregações pentecostais. Em 1914 mais de cem destas novas igrejas se juntaram para formar esta nova organização religiosa.

      A igreja do evangelho quadrangular foi fundada na década de 20 pela missionária canadense Aimeé Semple McPathersom, que passou da igreja batista para a pentecostal.

      A igreja Deus é amor foi fundada por David Miranda em 1962.

      A renascer em Cristo surgiu a alguns anos, fundada po Estevan Hernandez.

      A igreja universal do reino de Deus surgiu em 1977, fundada por Edir Macedo.

      Isto além de outras denominações menores que foram surgindo a partir dessa, cada uma delas sendo fundadas por homens, com diferenças em suas doutrinas e cultos. A pergunta é simples:Como o Espírito Santo poderia animar tantas divisões, Ele que é fonte de unidade? Como identificar a Igreja de Cristo?

      No credo do Primeiro Concílio de Constantinopla (ano 381), são apresentados os traços que permitem reconhecer os sinais da Igreja de Cristo:

      “Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica”

      UNA : A Igreja deve ser UMA do mesmo modo como existe “um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Ef 4,5). A intenção de Jesus Cristo foi fundar uma só Igreja.

      SANTA : em virtude do seu fundador: Jesus Cristo. Foi ela que recebeu uma promessa fundamental:

      “…as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18).

      Deste modo, a razão da própria existência da Igreja está em ser um instrumento de santificação dos homens: “Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade” (Jo 17,19).

      CATÓLICA : porque foi estabelecida para reunir os homens de todos os povos, para formar o único povo de Deus: “Ide, pois, ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

      APOSTÓLICA : porque está construída sobre o “fundamento dos Apóstolos…” (Ef 2,20). A garantia da legitimidade da Igreja está na continuidade da obra de Jesus por meio da sucessão apostólica. Tudo o que Jesus queria para a sua Igreja foi entregue aos cuidados dos apóstolos: a doutrina, os meios para santificação e a hierarquia. Quando surgiu a “expressão” Igreja católica?

      A palavra católica em relação à Igreja foi usada pela primeira vez no segundo século da era cristã por Santo Inácio bispo de Antioquia, na carta dirigida aos esmirnenses: “Onde quer que se apresente o bispo, ali também esteja a comunidade, assim como a presença de Jesus nos assegura a presença da Igreja católica”(8,2).

      Foi empregada para destacar o sentido universal da Igreja de Cristo. Aos poucos a palavra católica foi sendo usada para definir aqueles que estavam de fato seguindo a doutrina de Jesus. No final do século II, a igreja cristã já era conhecida como Igreja católica.

      Qual é a única Igreja de Cristo?

      Encontramos a resposta em uma afirmação do Concílio Vaticano II: “A única Igreja de Cristo(…) é aquela que nosso Salvador, depois da sua Ressurreição, entregou a Pedro para apascentar (Jo 21,17) e confiou a ele e aos demais apóstolos para propagá-la e regê-la (Mt 28,l8ss), levantando-a para sempre como coluna da verdade (1Tm 3,15)… Esta Igreja(…) subsiste na Igreja católica governada pelo sucessor de Pedro e pelos bispos em comunhão com ele” (LG 8).

      Examinando os textos bíblicos já apresentados, somos levados a concluir que Jesus fundou somente uma Igreja.

      A Pedro disse: “…sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18); apresentou-se como o bom pastor dizendo: “…haverá um só rebanho e um só pastor” (Jo 1016); na sua oração sacerdotal orou ao Pai: “…para que sejam um, como nós somos um… para que sejam perfeitos na unidade…” (Jo 17,22.23).

      Jesus só pode ser a cabeça de um corpo, do mesmo modo como somente pode desposar uma noiva, assim como Deus teve somente um povo entre os vários povos.

      Entretanto, a Igreja católica reconhece que nestes quase 2000 anos de cristianismo os homens, por causa de seus pecados, arranharam a unidade do Corpo de Cristo. Essas divisões fizeram surgir novas denominações. Observa a Igreja que em muitas delas existem “elementos de santificação e de verdade” (LG 8).

      Curtir

    • A.Silva disse:

      É sempre assim. Sem argumentos e com ódio a verdade, o protestante sai mais furioso e ainda mais cheio de dúvidas. Uma pena. Pois DEUS não abandona um coração sincero. Reze Rafael. Reze como protestante mesmo. Peça tudo ao final em nome de Jesus. Mas peça para conhecer a verdade. Não peça para vencer o debate bíblico, peça para ser salvo. Os méritos de sermos católicos não é nosso. Pois o Senhor da Glória mesmo disse: “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu escolhi a vós.” Desconfie, portanto, daqueles que dizem que temos que “aceitar” Jesus.

      Curtir

      • Rafael disse:

        Boa tarde A. Silva
        Primeiramente, não odeio a verdade, para mim a verdade é a Bíblia e a tenho como regra de fé… o que homens falam ou deixam de falar, seja ele pastor ou padre, se não estiver com base na Bíblia não serve. Pra mim, todo argumento está na Bíblia, mas talvez ela não seja tão suficiente para você como é para mim, pois como bem disse a Helen, o católico não está obrigado a seguir só a Bíblia, pois contam também com a tradição, os dogmas e o magistério.
        Vou ponderar sobre suas colocações, e se houver base Bíblica sólida nelas certamente as aceitarei…
        Quanto às dúvidas, não tenho absolutamente nenhuma dúvida, você julga que eu as tenha…
        Um abraço e fica com Deus.

        Curtir

        • Helen disse:

          Caro Rafael,

          A Bíblia de fato é Verdade. Contudo, caro Irmão em Cristo, faz-me muito curiosa o seguinte fato:

          Quem determina o que é a Bíblia ou Sagrada Escritura? Explico melhor: Quem disse Isso é um texto inspirado, isso não? Foi a própria Bíblia que se auto definiu ou foram homens de Deus, membros da Igreja, que o fizeram?

          Por que os evangélicos desprezam tanto a autoridade de Igreja se foi ela que nos deu a Bíblia e não o contrário?

          O próprio Lutero – fundador da Sola Scriptura – afirmou sobre a Escritura:

          É o berço que detém Cristo, e não adoramos o berço, mas Cristo.

          Ele também nos advertiu contra fazermos da Bíblia o nosso “papa de papel”. Literalismo bíblico não é o mesmo que conhecer a Bíblia como um livro da fé e para a vida dos fiéis em Cristo e de Cristo, não apenas palavras sobre Cristo.

          Quando os senhores evangélicos argumentam “se não há base sólida bíblia então deve ser rejeitado”, Ora, sempre que ouço isso eu me pergunto: mas quem determina que o que é a “base sólida” tão falada?

          Vejamos um simples exemplo discutido aqui no Blog em outras ocasiões: A doutrina do Purgatório pode ser demonstrada em algumas passagens do AT bem como do NT. Contudo, na “interpretação” livre, que está a mercê do discernimento de cada indivíduo, cada um sendo o seu próprio juiz – os ensinamentos Bíblicos estão sujeitos ao subjetivismo de cada situação, à influência da experiência e vivência de cada um, por mais que se alegue que estejam guiados pelo Espírito, sabemos que isso não pode ser suportado pelo testemunho dos fatos, uma vez que vivemos nessa anarquia doutrinária no mundo protestante, que o sr nem ninguém pode negar, pois é fato e ai está para qualquer um ver…

          A despeito disso, Rafael, seria muito bom se o sr não abandonasse sua busca. Se abrisse os olhos para os horizontes que vão além da Santa Bíblia – que é a totalidade de Revelação que Deus desejou e permitiu que Seu povo conhecesse, não há dúvida, mas entretanto não é a ÚNICA fonte dessa Revelação.

          Antes que algo fosse criado, antes que houvesse a Luz, o Céu e as Estrela, houve o Verbo que estava com Deus e era Deus. O Verbo fez-se Homem, Encarnou e Habitou entre nós, O Verbo é JESUS CRISTO. Ele e mais ninguém é a TOTALIDADE da incomensurável e impenetrável Revelação da Face de Deus.

          Quando a Bíblia fala na Palavra de Deus como, por exemplo, em Efésios 6 – “Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus Efésios 6:17” – imediatamente nossos irmãos evangélicos pensam que se referem à Bíblia – e talvez o faça num sentido restrito – mas a profundidade dos ensinamentos divinos seguramente nos levam a crer que a Palavra de Deus na referida passagem é o Cristo, por Deus ungido. Ele é a nossa Espada…

          Enfim, sinceramente aconselho a qualquer Cristão, católico ou não, a buscar na fonte onde beberam os grandes homens de Deus, e expandir suas leituras e ouvir o testemunho dos Santos Discípulos dos Santos Apóstolos, e se curvar ao testemunho da Sagrada Tradição com T maiúsculo, pois lá também está a Palavra de Deus.

          Pax Domini, Que Deus o abençoe e o ilumine abundantemente..

          Curtir

    • Lhkuch disse:

      Sei que o post é antigo mas mesmo assim lhe pergunto: Onde está a sua humildade Rafael? Ao dizer “Eu conheço Cristo” está se colocando num pedestal, típico do protestantismo e ainda vem cobrar humildade da Igreja?

      Curtir

      • Rafael disse:

        Olá Kuch
        Você é feliz sendo católico? Acha que não precisa nada mais que sua igreja? Pois seja feliz…
        Eu também estou muito satisfeito como protestante herege… a hora que não estiver mais, procurarei o padre mais próximo. Abraço!!!

        Curtir

        • Denilson disse:

          Rafael, infelizmente a falta de humildade é comum a grande parte dos protestantes. Mesmo diante das disparidades existentes entre as inumeras denominações, todas afirmam serem guiadas pelo Espirito Santo. Grande parte acredita serem todos os protestantes santos, mas desprezam e ridicularizam a vida e obra de muitos santos. Menosprezam e diminuem o papado e a sucessão apostólica da Igreja Católica, mas permitem-se ter inumeros pseudos papas como Silas Malafaia, Valdomiro Santiago, RR Soares, Edir Macedo, Reverendo Hernandes e tantos outros.

          Curtir

        • Lhkuch disse:

          Olá.
          Será muito bem vindo.
          Duas observações: primeiro, não se é católico com o objetivo de “ser feliz”.
          Segundo: como católico eu não tenho igreja, sou membro da Igreja de Cristo.
          Abraço.

          Curtir

          • Hellen disse:

            Perfeito Luiz Henrique,

            O católico sabe que a felicidade só se alcança no céu. Também, como vc disse, não temos denominação. Somos parte do Corpo místico. E esse é Único, não precisa de uma denominação para ser idenficado.

            Pax Domini

            Curtir

            • Rafael disse:

              Respeito sua opinião. Fico feliz por ter encontrado algo que te preenche de esperança e fé… e se isso te completa, faço sinceros votos que não abandone mesmo àquilo que te trás paz e esperança neste mundo tão perverso!
              Paz

              Curtir

          • Rafael disse:

            Obrigado pelas boas vindas!!! Sério!! Se um dia sentir a necessidade de voltar a ICAR certamente o farei sem qualquer resquício de orgulho ferido, porem não é o caso no momento… mas fico feliz de haverem pessoas com os braços abertos!
            Só acho que ser feliz é objetivo de todos, se não aqui, no porvir, católico ou não católico… Se não for também tudo bem… o importante é não ficarmos de picuinhas, pois a guerra aqui não nos trará paz nem no presente nem no futuro, assim como no passado não trouxe.
            Grande abraço!
            Paz

            Curtir

            • Hellen disse:

              Rafael,

              Bem-vindo ao Blog.
              Há algo de bom em cada Igreja, mesmo nas mais imperfeitas. O dom da fé provém de Deus, e isso em si já é uma graça. Assim, seja católico ou não, aquele que crê foi indiscutívelmente tocado por Deus. (Cf João 6).
              A objeção maior que se faz ao catolicismo é que somos a única Igreja a afirmar ser a Igreja de Cristo. Aquela que possui a PLENITUDE da verdade.

              Não somos a mais entusiasmante no ponto de vista protestante. Não somos a mais receptiva. Pode-se entrar e sair dela sem que ninguém perceba. Não somos a mais calorosa. Mas a reivindicação de ser aquela fundada por Cristo não depende ou requer qualquer um desses atributos. Somos apostólicos e católicos. Infelizmente 99% dos ex-católicos saem de sua igreja pelos motivos errados. Nessss anos todos de blog não encontrei nenhum ex-católico que tenha deixado a Igreja por questões genuinamente doutrinárias. Saem por inúmeras razões e somente depois bicam dentro da nova denominação as “explicações” por sua saída. Uns dizem que é porque a Bíblia diz que não se confessa a um padre, ou não se adora imagens, não se faz isso ou aquilo… A vasta maioria deles nunca se dedica a estudar a fé católica; assim abandonam algo que não conhecem profundamente, tampouco sabem explicar. Portanto formam sua opinião com base na suas circunstâncias pessoais e não em algum motivo verdadeiramente externo à suas próprias conveniências. Espero que isso não seja o seu caso.
              De qualquer modo, que Deus o abençoe abundantemente em sua caminhada.
              A missão deste blog é defender a fé das acusações falsas. JAMAIS pretendi converter ninguém. O meu desejo é ensinar ao católico porque ele dever permanecer católico. Ao não católico que não conhece a Igreja mas ainda a ataca, que seus ataques não são justiçáveis, Qdo não o são.

              Pax Domini

              Curtir

              • Rafael disse:

                Sim Helen, qualquer que crê tem o dom da fé! concordo contigo! Digo isso porque se nos basearmos em razão e lógica simplesmente, como cristãos seriamos desmontados por qual ateu que sequer conheça o que ataca, por seus fundamentos que seriam muito lógicos não fosse a nossa fé. A exemplo, eu só consigo dizer pra um ateu que compreender Deus é um ato de fé, pois quando dizem que: “Deus mandou seu filho, que era ele mesmo, filho de uma virgem com uma pomba, pra morrer por mim pra que eu seja livre da condenação da ira dele mesmo, por alguma coisa que os primeiros representantes da raça humana criados pelo ser mais perfeito que existe, iludidos por uma cobra falante incorporada pelo anjo perfeito que se revoltou contra o criador, comeram de um fruto proibido, pois embora perfeito e amoroso não queria dividir a sabedoria e o conhecimento com suas criaturas! ”
                Essa é uma lógica que não dá pra discutir pois realmente não tem lógica alguma pois só é admissível pela fé… mas ter fé é crer que mesmo que o Big bang tenha sido a origem do universo, para que alguma coisa exploda ela deve primeiro existir e que sem Deus nada pôde existir. A ciência explica até uma altura, depois não dá pra fugir da existência de Deus.
                Sim… discordo do catolicismo, caso contrario seria ou frequentaria a igreja Católica até hoje.
                Há questões doutrinárias sim em minha saída, mas não são tão relevantes quando percebo numa breve conversa com um ateu que realmente não consigo viver sem acreditar em Deus e que sequer eu seria Cristão se colocasse fé e lógica em uma balança. A fé é um dom… eu tenho e vc tem!
                No mundo temos mais de 4 mil religiões entre cristãos e não cristãos, entre novas e antigas, e cada uma delas diz ser a verdadeira ou a mais próxima da verdade. Acho que todas sem exceção são pretensiosas demais nesse sentido, inclusive a minha e a sua. A exemplo, veja que sorte tem o muçulmano, num universo de mais de quatro mil religiões ser aquela que detém a verdade! É como ganhar na loteria…
                O que não acho saudável para qualquer delas é o fanatismo, nos seus conceitos mais nobres e mais pejorativos também. Ninguem tem que matar em nome da sua fé, ninguem tem que queimar em fogueiras, decapitar ou se revestir de bombas em nome de sua fé!! Se isso fosse a regra, pense no inferno que seria se tivéssemos 4 mil religiões vivendo assim. Pregando e difundindo isso na tentativa de ser a única…
                Pensa você também que o conceito de condenação que temos vem da idade média, onde acrditava-se que o inferno seria cheio de dor e sofrimento. Sabemos hoje que a dor é oriunda de estímulos sobre o sistema nervoso… se espírito não tem sistema nervoso, vai sentir qual dor, se até mesmo um corpo anestesiado em uma mesa de cirurgia não sente dor! A ausência eterna de Deus? O ateu diz viver muito bem sem o criador e portanto viver a eternidade sem ele não seria sacrifício nem castigo algum para ele… isso é castigo para nós que cremos!!!
                A fé é inexplicável, Deus é inexplicável… e como diz uma canção que gosto muito:
                “antes que o haja houvesse, ele já era Deus… do crente ao ateu… do gentil ao judeu… ninguém explica Deus!!”
                Paz querida!

                Curtido por 1 pessoa

    • Wagner Paulo disse:

      Rafael
      Só lamento por vc!

      Curtir

  3. JAIME FRANCISCO disse:

    Posts tagged Jaime Francisco de Moura
    Lavagem Cerebral e Hipnose nos Cultos Protestantes

    Por Jaime Francisco de Moura
    109 páginas.

    O livro relata práticas de lavagem cerebral, hipnose e transe coletivo que estão sendo empregadas explicitamente em Igrejas, faculdades e escolas de teologia protestante. Milhares e milhares de pastores estão usando técnicas, bem conhecidas dentro da psicologia para enganar as pessoas e, ao mesmo tempo, acumular fortunas para si próprios.

    São abordados vários temas como:

    a) O que é a lavagem cerebral,
    b) Como os protestantes fazem a lavagem cerebral
    c) Técnicas comuns no uso da lavagem cerebral
    d) Quando começou às técnicas de lavagem cerebral
    e) As mesmas técnicas usadas também em seitas
    f) Escritores que contribuem para a lavagem cerebral
    g) Depoimento de pessoas que sofreram lavagem cerebral
    h) Desprogramando a lavagem cerebral etc…

    Comprando o livro. Existem 03 formas para a compra:

    01) Depósito Bancário
    02) Depósito em Casas Lotéricas
    03) Depósito nos Correios

    Para pedir o livro basta fazer um depósito bancário no valor de R$ 20,00 para:

    Jaime Francisco de Moura
    Banco do Brasil
    Agência: 2500-3
    Conta Poupança: 21.771-9

    Ou:

    Jaime Francisco de Moura
    Caixa Econômica Federal
    Agência: 1040
    Operação: 013
    Conta Poupança: 7404 – Dígito 0

    Ou ainda:

    Jaime Francisco de Moura
    BRB (Banco de Brasília)
    Agência: 025
    Conta Corrente: 133504-6

    Depósito em casas lotéricas

    Basta ir a uma casa lotérica e depositar o valor de R$ 20,00 para:

    Jaime Francisco de Moura
    Agência: 1040
    Operação: 013
    Conta Poupança: 7404 – Dígito 0

    Obs: O cliente deverá mandar uma xerox do comprovante de depósito, e também todos os dados por escrito, como: Nome completo, endereço, CEP, e-mail, telefone, etc. para jaime.francisco@bol.com.br Só assim teremos condições de identificar quem foi o depositante, para que possamos enviar o livro no endereço correto.

    Depósito por Vale Postal nos correios

    Se em sua cidade não possui nenhuma destas formas apresentadas, basta ir a uma agência dos correios e enviar por Vale Postal, o valor de R$ 20,00 endereçado a:

    Jaime Francisco de Moura
    Endereço: Chácara 01 Sul Setor Tradicional
    Cidade: Brazlândia
    Estado: DF
    CEP: 72715-700

    Obs: Ao chegar a uma agência dos Correios, o atendente preencherá o vale postal com o nome completo do comprador, endereço, CEP, telefone, e o e-mail. Através deste processo nós identificamos quem efetuou a compra. Somente então, enviaremos o pedido.
    Comprando por Vale Postal, não é necessário enviar xerox do mesmo, nem de nenhum documento.

    Maiores informações:

    jaime.francisco@bol.com.br ou pelo fone: (0xx61) 9933-6192 / 3391-5024

    Curtir

    • Rafael disse:

      Eu gostaria de saber qual é a tecnica dos padres, pois se os pastores são mestres nisso, muitos padres são pHD. Isso sem falar a técnica do papa,que é de caráter massal e mundial… Isso sim e tecnica!!!!

      A técnica deve ser muito boa, para dizer ao povo que a Biblia é a palavra de Deus e que devemos segui-la, mas ao ensinarmos tudo ao contrário, o povo ainda obedece…
      Como fazer para alguém ouvir ou ler: Nao farás imagens de escultura… De forma que entendam e pratiquem: Façam imagens de quase tudo o que puder, anjos, santos, marias das mais variadas e até de Deus.
      A técnica e ótima….
      Como fazer alguem que lê: Porque ha um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo… Entenda: Temos muitos mediadores, maria, santo antonio, sao pedro, são jorge, sao raimundo, santa luzia, são bartolomeu, sao gabriel, são mateus, sao lázaro, são benedito, …e etc (infindavel lista)….
      Eu queria saber qual e essa técnica… a técnica dos pastores e café pequeno….

      Curtir

  4. Rafael disse:

    Estes dias eu olhava a doutrina da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa… sabe que eles tem o mesmo discurso prepotente? Eles também são a una e única igreja, fundada por Jesus Cristo, detentores de toda a verdade. Eles são ao menos mais coerentes, pois quando dizem que são a mesma desde o inicio, é porque mantém o mesmo rito e tradição há mais de 1500 anos, em contrapartida, a Romana, muda sua celebração a todo instante, sejam os textos, sejam os dogmas, e até uma pseudo-neopentecostalização que os hereges dos evangélicos praticam (os carismáticos, se vc não entendeu até aqui).

    Inclusive, eles dizem que a Romana é uma discidência da verdadeira igreja de Cristo, pois eles são a Igreja dos 7 Concílios. E também não há nas escrituras, nenhuma profecia que se remeta a eles, mas tem, inclusive mais de uma, que remetem a romana, e acredite não de forma muito agradável!

    A hora que vocês chegarem a um consenso de quem realmente é a una igreja fundada por Cristo, me avise que repensarei os meus conceitos.

    Curtir

    • Helen disse:

      Rafael,

      Pesquise sobre o significado de “comunhão com Roma”.
      A Igreja Católica “muda sua celebração” a todo o instante? De onde saiu isso? O sr mostra mais e mais, com seus comentários estapafúrdios que nunca estudou o catolicismo. Seu testemunho é típico daquele internauta que faz uma “colcha de retalhos” das informações aleatórias que coleta da internet. Ai faz um julgamento incorreto e, lamentavelmente, em sua ignorância, acredita possuir a verdade dos fatos.

      Desde sempre houve Ritos diferentes da Celebração da Missa. Entretanto, não é isso que determina se a Igreja é a Verdadeira Igreja de Cristo ou não. Sempre houveram ritos distintos, como o Bizantino, o Tridentino, o Romano. Isso explica-se, caro sabichão, pelo fato da Igreja ser chamada CATÓLICA, que quer dizer universal. Ou seja, a ela pertente todo o universo de culturas e povos deste mundo!

      Pesquise também pra aproveitar o ensejo, o significado da palavra Católica.

      Curtir

      • Rafael disse:

        Católico quer dizer universal, não obstante a isso, o fato de alguém se autodenominar universal e detentor de toda a verdade, não significa que isso o seja de fato. Argumentar com vocês é pura perda de tempo, assim como o é com o Espírita ou muçulmano.

        Usar a Bíblia não é suficiente para nenhum de vocês que se dizem Cristãos… a história não é suficiente para vocês… o testemunho de quem abandonou tudo isso, não é o suficiente para vocês… nem mesmo Jesus é suficiente para vocês… apenas o “santo padre” e o que determinaram seus concílios.

        A conversa de vocês, prepotentes como já era na idade média, é uma prova mais do que clara, que a história conta exatamente o que aconteceu… a Bíblia conta sobre vocês, exatamente como são e exatamente o que fazem…

        Hoje, vocês só não fazem uma nova inquisição, não porque não crêem nisso, mas sim porque as autoridades civis já não se rendem mais ao soberano “Santo Padre”. A mentalidade dos medievais era exatamente esta. E isso não é um julgamento, basta ler tudo que está escrito anteriormente, a este post.

        Se seus sacerdotes pudessem, continuariam a proibir a leitura da Biblia, mas não podem!!! Eu a leio todo dia!!!

        Se pudessem me torturar até que eu aceitasse a sua santa verdade, assim o fariam… mas não podem!!! Por isso não aceito a doutrina Católica…

        Se pudessem me queimar na fogueira, certamente já teriam me queimado há muito tempo, mas não podem!!! Que pena!!!

        Uma vez uma católica me disse que um dia eu iria precisar muito de Vossa Senhora, e que se eu não fosse para ela por amor, iria pela dor…
        E eu concordo que esse pensamento é o de muitos de vocês, e bastante característico de quem acredita na força, ou em meros argumentos humanos…

        Eu ao contrário te digo, ou você vai a Cristo por amor, ou por amor… Qualquer um que for a Cristo obrigado, não chegou nem perto de ser chamado cristão… Esse coração duro e incrédulo e desculpe-me o termo, mas não acho outro… papólatra, só pode ser moldado pelo amor de Jesus… não há outra forma…

        A paz seja com vocês….
        Salve constantino!!!

        Curtir

        • Manuel da Costa disse:

          Ahhh Salve Constantino? quem lhe disse que constantino existiu?? claro que foi a santa Igreja Católica quem viveu a realidade .Voce não estuda mesmo ,Se queres saber melhor sobre Constantino le a história de Eclesiástica de Eusebio de Cesareia Bispo de Cesareia quem participou no concilio de Niceia no ano 325 DC.

          Até aquí não dizeste o nome da sua seita….qual é mesmo a sua seita e quando foi fundada?

          Pax domini.

          Curtir

          • EDMILSON disse:

            MANUEL MANDA ESSE HEREGE ESTUDAR VITA CONSTANTINO
            ESCRITO POR EUSÉBIO QUE FOI O ÚNICO HISTORIADOR DE CONSTANTINO EM VIDA

            MANOEL FALA PARA ESSE PIADISTA QUE CONSTANTINO SÓ TEVE UM HISTORIADOR EM VIDA

            E QUE DO ANO DO NASCIMENTO DE CONSTANTINO ATÉ O ANO 1480 NÃO EXISTE NADA NÃO EXISTE NENHUM ESCRITOR OU HISTORIADOR DE DENTRO OU DE FORA DA IGREJA QUE AFIRMOU OU DISSE QUE CONSTANTINO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA

            FALA PARA ESSE RAFAEL QUE ESSAS LOROTAS DE CONSTANTINO TER FUNDADO A IGREJA CATÓLICA NASCERAM DAS SEITAS PROTESTANTES QUE PREGAM PARA ESSES VIBRADORES COMO ESSE TAL RAFAEL QUE NEM ESCREVER SABE

            MUITO MENOS VAI CONHECER O QUE É PATRÍSTICA COM ESCRITORES TESTEMUNHAS OCULARES FATOS VERÍDICOS

            ESSE RAFAEL MANOEL É UM MAL DO SÉCULO

            Curtir

            • Rafael disse:

              Caro Edmilson
              Sei que talvez não publique mais minhas respostas, mais do que esperado!!!!. Mas, reflita que os meus comentários foram todos discordando sim, mas nunca desrespeitoso com quem quer que seja. Ao contrário, eu fui tachado de burro, herege, mal do século, ignorante, estapafurdio, presepeiro e etc. Qualificativos pouco louváveis, principalmente vindos dos cristaos que se dizem da única igreja de cristo. Caso não publique mais meus comentários, o que penso que ate demorou para acontecer, isso mostra ainda mais o carater repressivo do CAR, e ajuda a confirmar o que a historia nos conta nos livros de autorias nao cléricas.
              Quando vc fala que isso ou aquilo nao aconteceu na historia, usa o que? O livro do Padre Fulano, do Monge Beltrano da Santa Ciclana, ou a Santa Inquisição by Vaticano? A historia da Igreja by Diacono Fulano…. Eu tentei fazer um debate sem utilizar muito a Bíblia, pois vocês nos acusam de não saber falar em outras coisas. Nem tampouco utilizei opiniões de autores evangélicos que sao muitos e alguns chegam a serem brilhantes… Minha vontade era colocar metade da Bíblia para você terem a oportunidade de ler alguma coisa dela. Mas para nao sofrer tal acusação, fui para outros argumentos tao humanos quantos os que vocês utilizam.
              Concordo plenamente com vocês que a Biblia nao deve ser interpretada ao bel prazer das pessoas, mas existem coisas nela que nao precisa interpretar. Consegue por exemplo me dar uma outra interpretação para: Não matarás… Eu nao consigo enxergar outra… Ou ainda, Amarás a Deus sobre todas as coisas e o teu próximo como a ti mesmo …. Consegue ver outra interpretação? Não farás para ti imagem de escultura… Conhece outra interpretação para isso? E tudo dentro de contexto!!!
              Como disse antes, a Biblia, a historia, o testemunho, e nem mesmo Jesus é o suficiente para que entendam que enganam-se aquels que acham ser o único centro da vontade de Deus, ou aqueles que se dizem a unica igreja (Romanos e Ortodoxos – temos duas únicas igrejas). Monopólio nao e bom nem para coisas humanas, quanto mais para as coisas de Deus. Existem igreja evangélicas que tem um ministerio de libertação mais pronunciado, existem outras que o ministério mais forte no ensino, existem outras fortes no ministério de louvor, outras são mais fortes na intercessão e etc…. Só que isso par vocês não é ser una…. Para nós o corpo de cristo é feito em partes… Como assim? Num corpo, temos braços, que tem função diferente do olho, que tem função diferente da boca e etc… mas se num corpo faltar algum órgão, não será completo…. Cada parte do corpo tem uma função… Para nós a santa Igreja é UNA sim, mas esta unidade nao e uma instituição terrena e muito menos está sob a direção de um unico humano, mas sim de Cristo.
              Será que ser una é então ser repetitivo, errar todos na mesma coisa, usar o cérebro do papa em vez do seu para fazer julgamentos?. Aquela história de: Analisai todas as coisas e retendes oque é bom, só é válido se for julgado pelo papa? Todo aquele que pensar com seu próprio cérebro é herege!!! Deus deveria agraciar com cérebro somente o papa então!!! E ainda deveria excluir algumas partes da Bíblia como a que diz: Medita nessa palavra dia e noite para terdes o cuidado de fazer tudo o que nela está escrita… Tira fora!!!

              Ja tive alguns comentários nao publicados, e sei perfeitamente porque….
              Certamente um dia vamos ter reveladas todas as verdades. Mas eu ainda estou na vantagem, se vcs estiverem certos, eu apenas irei ao purgatório e ficarei la muitos e muitos anos para me purificar, mas irei para o céu….. Mas se eu estiver certo, vocês nao terão o purgatório para se purificar, e entao o destino será segundo a sua vida em conformidade ou não com a palavra de Deus…
              A questao aqui nao e somente o orgulho de defender algo, como se defende um time de futebol.. A questao vai mais além, é sobre a eternidade que falamos, mas trata-se dela como se fosse um jogo de queda de braços… No minimo pouco inteligente, mas como o magistério esta pouco se importando com seu futuro, mas sim com o que pode proporcionar no presente… É simplesmente lamentável…

              Curtir

              • Helen disse:

                Rafael,

                Por que o sr afirma ser ‘mais que esperado’ que sua resposta não seja publicada? Por acaso alguma vez deixou de ser divulgado algum comentário seu?
                Lembro que o blog não é obrigado a publicar a opinião de ninguém. Mesmo assim o faz e sem receber qualquer agradecimento. Portanto, não seja injusto.

                Curtir

            • Manuel da Costa disse:

              Rafael;

              Quem fundou a sua seita? e qual é o nome da sua seita,porque todo protestante se esconde por traz do nome ,mesmo sabendo todos são contraditórios.

              Pax Domini

              Curtir

          • Rafael disse:

            O nome da minha seita é Cristianismo e foi fundada mais ou menos em 33 d.C

            Curtir

            • Manuel da Costa disse:

              Então sr Rafael,você é Católico Apostólico Romano;
              A única fundada pelo Nosso Senhor Jesus neste ano 33 DC.

              Escolheu S.Pedro como Pastor universal da Igreja.

              E disse ao S.Pedro “Sobre ti edificarei a minha Igreja é as portas do Inferno não prevaleceram contra ela”

              Pax domini

              Curtir

            • Rose disse:

              Rafael você é um cara frustante você fala de Constantino fala da sua seita mais provas

              não provou nada Rafael você nunca fez faculdade na sua vida
              e outra qual quer protestante inteligente assume e reconhece que a igreja católica tem 2000 mil anos e que Constantino não a fundou você não passa de um cara prepotente mentiroso se não tem argumentos seu vagabundo suma daqui e vai com seus pontos de vistas para os quintos dos inferno com Lutero e seu bando

              Curtir

              • Rafael disse:

                Obrigado Rose pelas suas palavras, elas são bem caracteristicas de pessoas como vc. Não esperava que fossem mais lisongeir

                Curtir

                • Helen disse:

                  Caros amigos;

                  Como moderadora, sinto pela primeira vez a necessidade de “intervir” e alertar sobre o perigo da…
                  Queridos, não estamos no jardim de infância. Portemo-nos como adultos. Vamos todos admitir que o debate já se desgastou e que as partes – ambos os lados- estão demasiadamente frustradas com o tema. Não adiante insistir. Que Deus nos ajude a pôr nossas diferenças atrás do amor ao próximo e da caridade cristã. Esse sim é o grande desafio da nossa fé.

                  Se alguém tiver algum dado “novo” a acrescentar, estejam à vontade para fazê-lo, mas sem isso acho improdutivo prosseguir.

                  Infelizmente, o debate entre Católicos e protestantes sempre volta para um ponto, o qual, sem consenso, jamais concordaremos.

                  O Protestante acha que tudo deve ser provado e demonstrado através da bíblia somente. O Católico, enquanto a religião que é o cumprimento do Judaísmo bíblico em Cristo, tal e qual o judaísmo, aceita a Sagrada Tradição como parte da Revelação Divina, e portanto, acata o testemunho dos patriarcas da Fé para substanciar aquilo em que acredita. Ou seja, o católico crê que nesses testemunhos estão relevadas verdades não necessariamente explícitas na Bíblia, embora a Igreja afirme que a Sagrada Tradição NUNCA contradiz a Revelação Escrita, se o fizer não pode ser considerada Sagrada.

                  Sendo assim, penso que sem esgotarmos a discussão sobre a autoridade da Igreja e a doutrina Luterana da Sola Scriptura, TUDO que o católico disser cairá em ouvidos surdos, porque o evangélico não ouve não aquilo que não esteja explicitamente escrito na bíblia – digo explicitamente porque há exemplos implícitos, passíveis de interpretação, e ai por uns são negados, por outros aceitos, etc… Isso, a meu ver só prova a necessidade de um intérprete nomeado como autoridade intérprete. Para o católico, essa autoridade é o Magistério da Igreja. Para o protestante depende da denominação, mas via de regra, é a bíblia somente, interpretada por ele mesmo ou seu pastor. Portanto, em última instância, a autoridade do evangélico é ele mesmo! – Mesmo que afirmem que seja o Espírito Santo a autoridade que os auxilia na sua interpretação, isso é questionável, haja visto o imenso numero de discordâncias doutrinarias entre eles mesmos…

                  Uma lástima para todos nós, mas é a realidade.

                  Pax Domini!

                  Curtir

        • EDMILSON disse:
          VEJA AQUI NESSE ESTUDO SOBRE INQUISIÇÃO MEU AMIGO CRIS MACABEUS REFUTANDO PASTORES LADRÕES FALSIFICADORES E FRAUDULENTOS VEJA AQUI RAFAEL REFUTANDO PASTOR AIRTON SOBRE INQUISIÇÃO. 1- Eis o Documentário da BBC que foi transmitido pela TV Escola, ele mostra as mentiras criadas pelos protestantes a cerca da inquisição espanhola. Tudo está bem documentado pelos historiadores que desmascaram de uma vez por todas os engodos protestantes sobre o uso daqueles instrumentos de torturas imaginários que evangélico adora publicar. Toda lenda foi montada por um canalha protestante que usava o pseudônimo de “Montanus”. Ele mesmo falsamente se dizia vítima da inquisição. A máquina mentirosa de propaganda diabólica dos filhos de Lutero superou a dos nazistas. Este é 1º de quatro vídeos que estão no Youtube. 2- A Igreja nunca fez uso das mediocridades do livro, “Malleus Maleficarum” este livro nunca foi aprovado pela Igreja e acabou sendo inserido no Index Librorum Prohibitorum pelo Tribunal Católico. Confirma-se isso, lendo a biografia dos autores: Heinrich Kraemer (também conhecido na versão latina por Heinrich Institoris nascido por volta de 1430 e falecido em 1505) foi um religioso alemão e Inquisidor. Nasceu em Schlettstadt, Alsácia, tendo entrado na Ordem dos Pregadores muito novo, tendo vindo a ser superior do Convento da sua cidade natal. Em data anterior a 1474 foi indicado como Inquisidor para o Tirol, Salzburgo, Boémia e Morávia. A sua eloquência no púlpito e grande actividade foram motivo de reconhecimento em Roma e era o braço-direito do Arcebispo de Salzburgo. Por altura da Bula Summis desiderantes do Papa Inocêncio VIII em 1484 trabalhava juntamente com James Sprenger para formar uma inquisição dedicada a bruxas e feiticeiras. Em 1485 escreveu um tratado sobre feitiçaria e bruxaria que foi publicado conjuntamente com o seu livro mais famoso Malleus Maleficarum. Kramer falhou a sua intenção de obter apoio junto dos principais teólogos da Faculdade de Colónia os quais vieram mesmo a condenar o seu livro, como violando a ética e os procedimentos legais, bem como tendo inconsistências com a doutrina Católica. Kramer alegou que o testemunho de 4 dos professores teria sido forjado. O livro foi denunciado pela Inquisição em 1490 e colocado no Index Librorum Prohibitorum (Indice dos Livros Proibidos). Apesar disso, Malleus Maleficarum tornou-se de facto o guia dos perseguidores de bruxas e feiticeiras na tardia Idade Média. Entre os anos de 1487 e 1520, teve 13 edições, e entre 1574 e 1669 dezesseis. Em 1495 Kramer foi transferido para Veneza, realizando sermões populares muito apreciados. Em 1500 obteve autorização para pregar contra os Valdenses e outros heréticos. Morreu na Boémia em 1505. Inquirir, quer dizer indagar, investigar, consultar pessoas e não matar pessoas. A todo custo tentam mudar o significado da palavra “inquisição”, a confundindo com a crueldade dos tribunais civis. Sobre a crueldade dos tribunais civis, H. C. Lea cita 47 bulas nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos. Alertam para não cair na violência e injustiças freqüentes dos juízes leigos. Uma instrução da Câmara Apostólica, de 1657 — então os processos de bruxaria somente se realizavam nos tribunais civis —, apresenta a advertência da Inquisição: “A Santa Inquisição confessa que os processos são longos para serem instruídos regularmente; ela censura os juízes pelas vexações, encarceramentos injustos, torturas. Muitos têm-se mostrado demasiado cruéis encarcerando pela mínima suspeita e têm aplicado a tortura apesar do malefício não ter sido provado”. (Hansen, Zauberwahn…, op. cit., pp. 24s.) 3- Inquisição refutada: Por muito tempo instaurou-se na sociedade a idéia fantasiosa de que a Igreja cometeu atos abomináveis em nome da justiça divina, torturas, fogueiras, etc etc. Em 1998 João Paulo II autoriza a abertura dos arquivos secretos da Congregatio pro Doctrina Fide (antigo Santo Oficio) onde se encontra a maior base documental sobre a Inquisição (fonte primária). O estudo desses documentos culminou com um Simpósio Internacional de Historiadores chamado “A Inquisição”, presidido por ninguém menos que Rino Camillieri. Em discurso do Papa aos cientistas participantes no simpósio sobre “a Inquisição” João Paulo II afirma: “O argumento sobre o qual vos detivestes requer, como é fácil intuir, atento discernimento e notável conhecimento da história.” Nesse sentido devemos portanto desconstruir a idéia errada de considerar todos os tribunais medievais simplesmente como “Inquisição”. Devemos distinguir que havia na verdade Tribunal Civil, Tribunal Eclesiástico e Tribunal Protestante. Somente o Tribunal Eclesiástico respondia pela Igreja Católica. De principio vou me ater ao tribunal Eclesiástico e Civil para depois expor o que se passou pelos Tribunais Protestantes. Parte I – Posicionamento da Igreja Católica frente as praticas comuns ao Direito Civil: No livro “A Inquisição em seu mundo” de João Bernardino Gonzaga. Lemos o seguinte: Conforme atestam inúmeros documentos, a antiga Igreja sempre foi radicalmente hostil à utilização de violências nas investigações criminais. Muito citada é a carta que o papa Nicolau I escreveu, no ano. 866, a Bóris, príncipe da Bulgária: “Eu sei que, após haver capturado um ladrão, vós o exasperais com torturas, até que ele confesse, mas nenhuma lei divina ou humana poderia permiti-lo. A confissão deve ser espontânea, não arrancada”; e advertiu: “Se o paciente se confessa culpado sem o ser, sobre quem recairá o pecado?” Eis portanto a repulsa da Igreja – acusada injustamente – frente a tortura. Continuando, se fosse usado algum artifício e tortura temos que ela não deveria pôr em perigo a vida e a integridade fisica do paciente; vedada era a efusão de sangue; um médico devia estar presente; somente podia ser aplicada uma vez, jamais reiterada; a confissão por meio dela obtida apenas valeria se depois livremente confirmada. Condições muito mais suaves, portanto, do que as vigorantes na Justiça secular. Ainda nesse sentido, uma distinção clara entre os tribunais civis e eclesiástico é vista em relação ao ordálio. O ordálio era uma prática comum empregada pelo tribunal civil. Na época vigorava o chamado “sistema acusatório”, reduzindo-se o julgamento a um confronto, em termos de rigorosa igualdade, entre dois particulares, nobres ou homens livres. Não se formara a noção do interesse público em punir os crimes. Conseguintemente, o direito de acusação somente pertencia à pessoa lesada, ou, se esta houvesse morrido, à sua linhagem. Sem a presença de uma vítima, queixando-se, não era possível instaurar o pleito. Parte I – Posicionamento da Igreja Católica frente as praticas comuns ao Direito Civil: No livro “A Inquisição em seu mundo” de João Bernardino Gonzaga. Lemos o seguinte: Conforme atestam inúmeros documentos, a antiga Igreja sempre foi radicalmente hostil à utilização de violências nas investigações criminais. Muito citada é a carta que o papa Nicolau I escreveu, no ano. 866, a Bóris, príncipe da Bulgária: “Eu sei que, após haver capturado um ladrão, vós o exasperais com torturas, até que ele confesse, mas nenhuma lei divina ou humana poderia permiti-lo. A confissão deve ser espontânea, não arrancada”; e advertiu: “Se o paciente se confessa culpado sem o ser, sobre quem recairá o pecado?” Eis portanto a repulsa da Igreja – acusada injustamente – frente a tortura. Continuando, se fosse usado algum artifício e tortura temos que ela não deveria pôr em perigo a vida e a integridade fisica do paciente; vedada era a efusão de sangue; um médico devia estar presente; somente podia ser aplicada uma vez, jamais reiterada; a confissão por meio dela obtida apenas valeria se depois livremente confirmada. Condições muito mais suaves, portanto, do que as vigorantes na Justiça secular. Ainda nesse sentido, uma distinção clara entre os tribunais civis e eclesiástico é vista em relação ao ordálio. O ordálio era uma prática comum empregada pelo tribunal civil. Na época vigorava o chamado “sistema acusatório”, reduzindo-se o julgamento a um confronto, em termos de rigorosa igualdade, entre dois particulares, nobres ou homens livres. Não se formara a noção do interesse público em punir os crimes. Conseguintemente, o direito de acusação somente pertencia à pessoa lesada, ou, se esta houvesse morrido, à sua linhagem. Sem a presença de uma vítima, queixando-se, não era possível instaurar o pleito. O procedimento era público, oral e formalista. No dia fixado, as partes compareciam pessoalmente perante a assembléia formada pelos seus pares, sob a presidência do senhor feudal ou de um seu representante. O autor apresentava sua queixa de viva voz, através de rígidas fórmulas tradicionais, sem cometer nenhuma falha que permitisse ao adversário proclamar nula a demanda. Em seguida, competia ao acusado responder de imediato, uma vez que o silêncio equivalia a uma confissão. A defesa tinha de consistir em negações exatamente ajustadas aos termos da acusação, refutando-a palavra por palavra, de verbo ad verbum. Os litigantes deviam também prestar o juramento de que diziam a verdade, sempre que possível acompanhados de pessoas de bem, que endossassem suas posições. Eram os conjuratores. A prova testemunhal, caso existisse, era igualmente formalista: as testemunhas depunham oralmente, diante das partes e da assembléia, limitando-se a pronunciar certas fórmulas indicativas de que a razão estava com este ou aquele contendor. Mais do que o conteúdo das suas declarações, o que importava era apenas o número de testemunhas concordes. As regras indicavam quantos depoimentos bastavam para que se desse como provado certo fato. Na hipótese de os juramentos não serem aceitos e de inexistirem testemunhas suficientes, restavam dois outros expedientes, oriundos do antigo Direito germânico: o duelo e os “Juízos de Deus” ou ordálios. Ambos se baseavam na mesma crença, de um Deus sempre presente no mundo, a interferir nos negócios humanos. Provocava-se pois a intervenção divina, para que apontasse o culpado e não permitisse a condenação de um inocente. No duelo, batiam-se acusador e acusado, reconhecendo-se razão àquele que vencesse. Não deixava de haver aí alguma perspicácia: esperava-se que o mentiroso, sabedor da própria culpa, que Deus também conhecia, lutasse com menor ardor, mais facilmente sendo derrotado. Finalmente, se por qualquer motivo não conviesse o duelo, recorria-se aos ordálios. Se o acusado insistisse na sua inocência, era ele (e às vezes também suas testemunhas) submetido a alguma prova que ensejasse a Deus a revelação da verdade. Os métodos variaram muito, mas em regra consistiram na “prova do fogo” ou na “prova da água”.Por exemplo, o réu devia transportar com as mãos nuas, por determinada distância, uma barra de ferro incandescente. Enfaixavam depois as feridas e deixavam transcorrer certo número de dias. Findo o prazo, se as queimaduras houvessem desaparecido, considerava-se inocente o acusado; se se apresentassem infeccionadas, isso demonstrava a sua culpa. Equivalentemente ocorria na “prova da água”, em que o réu devia por exemplo submergir, durante o tempo fixado, seu braço numa caldeira cheia de água fervente. A expectativa dos julgadores era de que o culpado, acreditando no ordálio e por temor a suas conseqüências, preferisse desde logo confessar a própria responsabilidade, dispensando o doloroso teste. Se o imputado fosse nobre de muito alto nível, um príncipe, um conde, era-lhe permitido indicar algum subordinado seu para participar dessas provas. Graças todavia à firme oposição da Igreja, a utilização dos ordálios foi declinando, para praticamente desaparecer no século XIV. Parte II – Por que a Igreja perseguia os hereges? Como advertira São Tomás de Aquino, os hereges são como os delinqüentes que passam moeda falsa. O herege procura ser sempre astuto, não revela o seu desvio, e este se torna geralmente difícil de descobrir, porque escondido no íntimo da pessoa. Imperioso era pois a Justiça obter a confissão. Difícil se torna para nós hoje decidir retroativamente, dentro da formação mental daquela época, como caberia ao dever de caridade resolver este dilema: deixar o herege impune, para que continuasse a disseminar o mal, e, com essa omissão, arriscar-se a perder incontáveis cristãos; ou extorquir-lhe pela força o reconhecimento do seu crime, a fim de tentar corrigi-lo, e, se isso não fosse possível, eliminá-lo para o bem do povo. Somente a Igreja, jamais o juiz leigo, possui competência para dizer se determinada doutrina é ou não herética. De conseguinte, o julgamento do caso lhe havia forçosamente de caber. Afirmada então por ela a existência do crime, o culpado passava ao tribunal comum, para receber os castigos previstos na legislação estatal. A Igreja também reivindicou sempre a sua autoridade exclusiva para conhecer de acusações envolvendo clérigos, tanto nos crimes religiosos como nos comuns. Referem os historiadores que muitos bandidos, por isso, se faziam tonsurar, a fim de escaparem da Justiça laica, muito mais severa, e passarem à alçada da religiosa, de maior brandura. Sempre que pôde, a Justiça canônica pretendeu também que fossem deixados a seu cargo vários crimes praticados por leigos, principalmente aqueles que atingiam a Igreja ou a fé e alguns de natureza mista, que a interessavam maiormente; ou seja, certos atos que, ademais de ilícitos, constituíam grave pecado: delitos carnais em geral, usura, etc. Muito encontradiça foi também esta solução: o tribunal eclesiástico fazia o processo e proferia a condenação, impondo ao réu uma sanção espiritual; e o transferia a seguir à Justiça do Estado, para que esta aplicasse, em acréscimo, as próprias penas. Tal sucedia, por exemplo, nas hipóteses em que o crime merecia a pena de morte, inexistente no arsenal repressivo da Igreja. Sendo o réu um clérigo, podia-se recorrer a fácil artifício: primeiro, a Justiça eclesiástica lhe impunha a degradação, fazendo-o retornar à condição de leigo, com o que se via livre para encaminhá-lo depois às autoridades civis. Em Portugal, as Ordenações Filipinas foram explícitas nesse sentido, dizendo no Livro V, Título I: “O conhecimento do crime de heresia pertence principalmente aos Juizes Ecclesiasticos. E porque elles não podem fazer as execuções nos condenados no dito crime, por serem de sangue, quando condenarem alguns herejes,os devem remetter a Nós com as sentenças que contra elles derem, para os nossos Desembargadores as verem; aos quaes mandamos, que as cumpram, punindo os herejes condenados, como per Direito devem”. Parte III – Os cátaros – hereges: Não se pode falar de Inquisição sem mencionar o maior povo herético da idade média… Os cátaros impugnavam o casamento, e para eles o fruto proibido, no paraíso terrestre, fora justamente o seu uso. A propagação do gênero humano constitui obra diabólica, ou seja, do deus mau, a mulher grávida possui o demônio no corpo. Pregava-se, em conseqüência, a abstenção da convivência entre os sexos, para as pessoas chegarem ao estado de perfeita pureza; mas, sendo evidentemente difícil a perseverança na perfeição, preveniam-se as defecções por meio de freqüentes assassínios, a chamada “endura”. Há quem calcule que essa prática haja vitimado mais cátaros do que toda a repressão inquisitorial contra eles exercida. As novas crenças passaram assim a minar a Igreja e o Estado, mormente a do catarismo, que muito se expandia, investindo contra os Poderes civil e religioso. A Igreja, durante bastante tempo e fiel à sua tradição, procurou manter-se à margem das violências, restringindo-se aos meios suasórios, de catequese, e recomendava compaixão para com os culpados, enquanto as autoridades leigas se mostravam crescentemente inquietas. Na Inglaterra, não houve meias medidas: quando um grupo de cátaros lá desembarcou em 1160, foram todos logo presos, marcados a ferro incandescente e expulsos da ilha. Sumariamente afastou-se pois o problema, de tal sorte que, nesse país, inexistiram tribunais de Inquisição durante toda a Idade Média. Parte IV – Erros comuns. A importância do revisionismo histórico: Essa parte visa instigar-lhes o espírito crítico pois grande parte dos absurdos que se acredita hoje em dia nasce da propaganda feita pelos maus professores de historia. Imparciais e cultivadores do ódio em relação a Santa Sé. Crise da idade média: Vamos começar pela “Pasteurella pestis” – Uma bactéria que matava em pouco tempo e que se espalhou rapidamente. Principais sintomas – Febre, mal-estar e bulbos (bolhas) de sangue e pus espalhavam-se pelo corpo do doente, principalmente nas axilas e virilhas. Como os conhecimentos médicos eram pouco desenvolvidos, a morte era certa. A doença que ela provocava logo levou a uma pandemia e recebeu o nome de Peste Negra. A conseqüência de sua entrada na Europa foi simplesmente devastadora: a morte de cerca de 34 milhões de pessoas, ou seja, um terço da população do continente.Como poderia então a Inquisição ter matado 75-100 milhões de pessoas? Alguns historiadores afirmam que estes números são estimados e acreditam veementemente neles. – inclusive na época de escola fui instruído assim. Vejamos… Matemática simples: 1/3 = 34 milhões logo 3/3 (ou seja, o total) = 102 milhões Teoricamente Peste e Inquisição teriam matado juntas 34+(75+100)/2 (para se calcular a média) = 121,5 milhões de pessoas! Sem contar a fome e os demais problemas decorrentes da crise medieval!!! Ou seja, uma mentira sem tamanho já que, repito, a população européia era estimada em 102 milhões nesses séculos. Continuam os erros matemáticos… 1186 – A “Santa Inquisição” é estabelecida no Concílio de Verona” – muitos afirmam isso. ERRADO! Inquisição foi estabelecida pelo Papa Gregório IX no ano de 1231 e durou no máximo até o século XVI quando foi substituída pelo Santo Ofício. Só ai já são 45 anos de erro. Não vou nem comentar aqueles que falam sobre a Inquisição ter durado 1200 anos afinal de contas, eles estariam fazendo a conta das mortes que a Inquisição fará até o ano de 2386!!!! (1186+1200=2386). Agora supondo que a Inquisição tenha matado de fato 75-100 milhões de pessoas: Tendo em vista ela ter durado corretamente do ano de sua fundação (1231) até o século XVI, aproximados 400 anos (jogando pra cima para não se dizer estar sendo reduzido o tempo de sua duração) temos exatos 146 mil dias (365×400). São, portanto 146 mil dias para se matar um total de 100 milhões de pessoas. Façamos essa conta: 100000000/146000 = 684,93151Exato, a Inquisição matava em média 684,93151 pessoas por dia!!!! Usando-se agora a média de mortes (100000000+75000000/2 = 87500000): 87500000/146000 = 599,31507!!! Ainda assim um número Absurdo!!!! Não? Parte V – O Tribunal eclesiástico e os tribunais protestantes e civis: Muita calúnia se espalhou pelos protestantes a troco de uma falsa evangelização, objetos de torturas imaginários, que hoje sabe-se, nunca foram usados, como a “iron maiden”, eram citados dramaticamente pelos embusteiros da fé, como ferramentas da Igreja. Hoje sabemos que eram apenas calúnias de quem queria esconder algo terrível. É muito fácil, mas injusto, condenar com os critérios de hoje os acontecimentos de então, diante da ignorância da época, da superstição, da carga psicológica e do influxo bíblico. Enquanto o tribunal católico e os juízes civis, absolveram muitos dos acusados de bruxaria, tome-se como exemplo: Galileu e Casanova, o protestantismo em muitos países, não deixou viver um suspeito sequer, ensandecidos e ávidos por verem as labaredas devorarem a carne trêmula de seus condenados sem julgamento, bradavam versículos bíblicos ensandecidos, como de preferência o Êxodo (22,17), “Não deixarás viver a feiticeira”. Já no início, as posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de milhares de pessoas… Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar (médico descobridor da circulação do sangue); Um só perseguidor protestante, de bruxas na Alemanha, Nichólas Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900 pessoas. Diferente dos tribunais católicos e civis – já expostos mais acima – entre os protestantes parecia haver uma disputa por ceifar mais vidas. Benedict Carpzov perdia a compostura contra a bruxaria, que considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte, luterano fanático, num record, assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas. Carpzov, entre outros textos bíblicos (Lv 19,31; 20,6.27; Dt 12,1-5; I Sm 27…), citava também o Êxodo (22,17); “Não deixarás viver a feiticeira”. A soberba era tamanha, o protestante Teodoro Bessa, em 1554, pediu o uso da força pública contra os católicos pelo simples ódio da Igreja. A perseguição contra os católicos, na Inglaterra e na Irlanda, foi dominada pela mais escancarada intolerância religiosa. Ainda a pouco tempo as falsas perseguições que terminaram por causar o domingo sangrento foram reveladas. João Calvino, governou com mão-de-ferro, transformou Genebra numa oligarquia religiosa, proibiu os moradores de praticar hábitos como dançar, jogar, ir ao teatro etc. Durante os quatro primeiros anos de governo houve nada menos, nada mais do que cinqüenta e oito execuções. Segundo Preserved Smith, houve mais casos de vício em Genebra depois da reforma do que antes. A frase abaixo de Bommberg, indica as linhas gerais dos procedimentos civis e protestantes: “Um juiz francês (poder civil) alardeava de ter queimado oitocentas mulheres em 16 anos de magistratura. Queimaram-se 600 pessoas, durante a administração de um bispo protestante em Bamberga. A caça as bruxas liderada pelas igrejas protestantes tomaram a Grã-Bretanha e a Alemanha. Na Genebra protestante foram queimadas 500 pessoas no ano 1615. Em Tréveris (quase exclusivamente poder civil) se informou da queima de umas 7.000 pessoas durante um período de vários anos”. Na Grenoble católica, o poder civil — não o tribunal católico — condenou à morte 167 pessoas acusadas de bruxaria, entre os anos 1427 e 1447. Mas na Saxônia protestante só num dia do ano de mil quinhentos e oitenta e nove se queimaram 133 bruxos. No pequeno cantão suíço de Vaud, os protestantes, em 10 anos — de 1591 a 1600 —, mataram 311 bruxos, e na Baviera uns 2.000 do ano 1500 ao 1756. Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas a severidade dos castigos dependiam geralmente dos respectivos senhores de cada região, que governavam com muita independência e poder quase absoluto. Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas das crônicas e processos regionais que chegaram até nós cabe deduzir que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula nove milhões. Morrow simplesmente diz que foram milhões. É deveras dificultoso termos acesso aos documentos ocultos pelos próprios protestantes. W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles (numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas 300 bruxas; em total nesta região as atas apresentam l.200 condenações à morte. Em 20 anos, de 1615 à 1635, em Estrasburgo, houve 5.000 queimas de bruxas. Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos, segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas. Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas descritos nas crônicas conservadas chegam a 5.417. Nos Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000. Na Inglaterra destacava-se o protestante Mathew Hopkins que se autodenominava “descobridor geral de bruxas”. Parece que era um sádico encoberto. Quando encontrava uma mulher que excitava seus instintos sexuais anormais, obrigava-a a despir-se na sua presença e começava a fincar, com uma agulha, as diversas partes do corpo dela (assim se procuravam áreas insensíveis, o que seria sinal de possessão demoníaca). Mas… ele mesmo diante de outros fanáticos protestantes, foi acusado de possuir estranhos poderes. Submetido às provas de bruxaria que empregara, foi condenado e morto. Na Inglaterra não era necessário aplicar torturas — às vezes se deram! — porque a condenação freqüentemente era sentenciada sem necessidade de confissão por parte do acusado. Em 1562 a rainha Elizabeth, e a versão definitiva do Witch Act ou lei contra os bruxos de Jacques I em 1604, condenavam à morte a pessoa que tivesse feito qualquer malefício pretendendo acabar com a vida ou danar o corpo de alguém. Mesmo que não se percebesse efeito nenhum do malefício! Esta lei se manteve em vigor na Constituição até 1736. No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como conseqüência das declarações, arrancadas pelas interrogações feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres, açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas. E pensar que são esses hoje, que acusam a Igreja de ter “matado inocentes”. Na Alemanha protestante, o poder civil condenou Anna Maria Schwugelin. Foi decapitada como bruxa em 1759. No dia dezoito de junho de mil setecentos e oitenta e dois, o governo protestante ainda decapitou uma bruxa na Suíça. Após assomar-nos à realidade espantosa da bruxomania entre os civis e protestantes, é de todo ridículo que se inflamem os ânimos de protestantes surpresos, de certos “historiadores” e de falsos “professores” mal intencionados, contra a transparência da Igreja Católica, a única a reconhecer a ignorância e os erros de alguns filhos seus no passado. E em Roma, onde evidentemente o influxo da Igreja Católica era maior, só se deram duas mortes pelo delito de bruxaria. Essa condenação à morte foi pedida pelo papa João XXII (1316-1334). E não por motivos religiosos. Antes do nascimento da revolta protestante. Mandou queimar o bispo da sua cidade, Cahors, e enforcar seu médico porque supunha que estes dois homens tentaram tirar-lhe a vida por meio da magia. Naquele ambiente da época, o próprio papa viveu toda a sua vida escravizado pelo pânico supersticioso dos feitiços.Após o nascimento da revolta protestante, enquanto em outras cidades morriam queimadas ou enforcadas milhares e até milhões de “bruxas” pelos protestantes, nenhuma execução por este motivo se realizou em Roma. Uma instrução da Câmara Apostólica, de 1657 — então os processos de bruxaria somente se realizavam nos tribunais civis —, apresenta a advertência da Inquisição: “A Santa Inquisição confessa que os processos são longos para serem instruídos regularmente; ela censura os juizes pelas vexações, encarceramentos injustos, torturas. Muitos têm-se mostrado demasiado cruéis encarcerando pela mínima suspeita e têm aplicado a tortura apesar do malefício não ter sido provado”. Parte VI – A Inquisição Protestante por localidade: Foi demonstrado de principio a postura da Igreja com o tribunal eclesiástico. Seu posicionamento brando e piedoso. Em seguida foi exposta a gritante diferença existente entre o primeiro e o tribunal civil e protestante. Agora seguem alguns casos que merecem destaque. Demostrar-se-á a Inquisição Protestante por localidade: 1- Alemanha: Em Augsburgo, em 1528, cerca de 170 anabatistas foram aprisionados por ordem do Poder Público. Muitos foram queimados vivos; outros foram marcados com ferro em brasa nas bochechas ou tiveram a língua cortada. Em 1537, o Conselho Municipal publicou um decreto que proibia o culto católico e estabelecia o prazo de oito dias para que os católicos abandonassem a cidade. Ao término desse prazo, soldados passaram a perseguir os que não aceitaram a nova fé. Igrejas e mosteiros foram profanados, imagens foram derrubadas, altares e o patrimônio artístico e cultural foram saqueados, queimados e destruídos. Também em Frankfurt, a lei determinou a total suspensão do culto católico e a estendeu a todos os estados alemães. O teólogo protestante Meyfart descreveu uma tortura que ele mesmo presenciou: ‘Um espanhol e um italiano foram os que sofreram esta bestialidade e brutalidade. Nos países católicos não se condena um assassino, um incestuoso ou um adúltero a mais de uma hora de tortura (sic). Porém, na Alemanha a tortura é mantida por um dia e uma noite inteira; às vezes, até por dois dias; outras vezes, até por quatro dias e, após isto, é novamente iniciada. Esta é uma história exata e horrível, que não pude presenciar sem também me estremecer”. 2- Inglaterra: Seis monges Cartuxos e o bispo de Rochester foram sumariamente enforcados. Na época da imperadora Isabel, cerca de 800 católicos eram assassinados por ano e Jesuítas também foram assassinados ou torturados. Um ato do Parlamento inglês, em 1562, decretou que “cada sacerdote romano deve ser pendurado, decapitado e esquartejado; a seguir, deve ser queimado e sua cabeça exposta em um poste em local público”. 3- Irlanda: Quando Henrique VIII iniciou a perseguição protestante contra os católicos, existiam mais de mil monges dominicanos no país, dos quais apenas dois sobreviveram. 4- Suíça: O descobridor da circulação do sangue foi queimado em Genebra, por ordem de Calvino. No distrito de Thorgau, um missionário zwingliano liderou um bando protestante que saqueou, massacrou e destruiu o mosteiro local, inclusive a biblioteca e o acervo artístico e cultural. Em Zurique, foi ordenada a retirada de todas as imagens religiosas, relíquias e enfeites das igrejas; até mesmo os órgãos foram proibidos. A catedral ficou vazia, como continua até hoje. Os católicos foram proibidos de ocupar cargos públicos; o comparecimento aos sermões católicos implicava em penas e castigos físicos e, sob a ordem de “severas penas”, era proibido ao povo possuir imagens e quadros religiosos em suas casas. Ainda em Zurique, a Missa foi prescrita em 1525. A isto, seguiu-se a queima dos mosteiros e a destruição em massa de templos. Os bispos de Constança, Basiléia, Lausana e Genebra foram obrigados a abandonar suas cidades e o território. Um observador contemporâneo, Willian Farel, escreveu: “Ao sermão de João Calvino na antiga igreja de São Pedro seguiu-se desordens em que se destruíram imagens, quadros e tesouros antigos das igrejas”. 5- Escócia: John Knox, pai do presbiterianismo, mandou queimar na fogueira cerca de 1.000 mulheres, acusadas de bruxaria. A inquisição suspendeu sistematicamente o Catolicismo nas áreas protestantes. 6- Roma: O Saque de Roma foi um dos episódios mais sangrentos da Reforma Protestante. No dia 6 de maio de 1527, legiões luteranas do exército imperial de Carlos V invadiram a cidade. Um texto veneziano, daquela época, afirma que: “o inferno não é nada quando comparado com a visão da Roma atual”. Os soldados luteranos nomearam Lutero “papa de Roma”. Todos os doentes do Hospital do Espírito Santo foram massacrados em seus leitos. Os palácios foram destruídos por tiros de canhões, com os seus habitantes dentro. Os crânios dos Apóstolos São João e Santo André serviram para os jogos esportivos das tropas. Centenas de cadáveres de religiosas, leigas e crianças violentadas – muitas com lanças incrustadas em seu sexo – foram atirados no rio Tibre. As igrejas, inclusive a Basílica de São Pedro, foram convertidas em estábulos e foram celebradas missas “profanas”. Gregório afirma a respeito: “Alguns soldados embriagados colocaram ornamentos sacerdotais em um asno e obrigaram um sacerdote a conferir-lhe a comunhão. O sacerdote engoliu a forma e seus algozes o mataram mediante terríveis tormentos”. Conta o Padre. Mexia: “Depois disso, sem diferenciar o sagrado e o profano, toda a cidade foi roubada e saqueada, inexistindo qualquer casa ou templo que não foi roubado ou algum homem que não foi preso e solto apenas após o resgate”. O butim foi de 10 milhões de ducados, uma soma astronômica para a época. Dos 55.000 habitantes de Roma, apenas 19.000 sobreviveram. Parte VII – Os Reformadores Protestantes. Ódio perpetuo: 1- Lutero: Em 1520, escreveu em seu “Epítome”: “(…) francamente declaro que o verdadeiro anticristo encontra-se entronizado no templo de Deus e governa em Roma (a empurpurada Babilônia), sendo a Cúria a sinagoga de Satanás (…) Se a fúria dos romanistas não cessar, não restará outro remédio senão os imperadores, reis e príncipes reunidos com forças e armas atacarem a essa praga mundial, resolvendo o assunto não mais com palavras, mas com a espada (…) Se castigamos os ladrões com a forca, os assaltantes com a espada, os hereges com a fogueira, por que não atacamos com armas, com maior razão, a esses mestres da perdição, a esses cardeais, a esses papas, a todo esse ápice da Sodoma romana, que tem perpetuamente corrompido a Igreja de Deus, lavando assim as nossas mãos em seu sangue?” Em um folheto intitulado “Contra a Falsamente Chamada Ordem Espiritual do Papa e dos Bispos”, de julho de 1522, ele declarou: “Seria melhor que se assassinassem todos os bispos e se arrasassem todas as fundações e claustros para que não se destruísse uma só alma, para não falar já de todas as almas perdidas para salvar os seus indignos fraudadores e idólatras. Que utilidade tem os que assim vivem na luxúria, alimentando-se com o suor e o sangue dos demais?” Em outro folheto, “Contra a Horda dos Camponeses que Roubam e Assassinam”, ele dizia aos príncipes: “Empunhai rapidamente a espada, pois um príncipe ou senhor deve lembrar neste caso que é ministro de Deus e servidor da Sua ira (Romanos 13) e que recebeu a espada para empregá-la contra tais homens (…) Se pode castigar e não o faz – mesmo que o castigo consista em tirar a vida e derramar sangue – é culpável de todos os assassinatos e todo o mal que esses homens cometerem”. Em julho de 1525, Lutero escrevia em sua “Carta Aberta sobre o Livro contra os Camponeses”: “Se acreditam que esta resposta é demasiadamente dura e que seu único fim e fazer-vos calar pela violência, respondo que isto é verdade. Um rebelde não merece ser contestado pela razão porque não a aceita. Aquele que não quer escutar a Palavra de Deus, que lhe fala com bondade, deve ouvir o algoz quando este chega com o seu machado (…) Não quero ouvir nem saber nada sobre misericórdia”. Sobre os judeus, assim dizia em suas famosas “Cartas sobre a Mesa”: “Quem puder que atire-lhes enxofre e alcatrão; se alguém puder lançá-los no fogo do inferno, tanto que melhor (…) E isto deve ser feito em honra de Nosso Senhor e do Cristianismo. Sejam suas casas despedaçadas e destruídas (…) Sejam-lhes confiscados seus livros de orações e talmudes, bem como toda a sua Bíblia. Proíba-se seus rabinos de ensinar, sob pena de morte, de agora em diante. E se tudo isso for pouco, que sejam expulsos do país como cães raivosos”. Em seus “Comentários ao Salmo 80?, Lutero aconselhava aos governantes que aplicassem a pena de morte a todos os hereges. Melanchton, o teólogo luterano da Reforma, aceitou ser o presidente da inquisição protestante, com sede na Saxônia. Ele apresentou um documento, em 1530, no qual defendia o direito de repressão à espada contra os anabatistas. Lutero acrescentou de próprio punho uma nota em que dizia: “Isto é de meu agrado”. Convencido de que os anabatistas arderiam no fogo do Melanchton os perseguia com a justificativa de que “por que precisamos ter mais piedade com essas pessoas do que Deus?” 2- Calvino: Em seus “Institutos”, declarou: “Pessoas que persistem nas superstições do anticristo romano devem ser reprimidas pela espada”. Em 1547, James Gruet publicou uma nota criticando Calvino e foi preso, torturado no potro duas vezes por dia durante um mês e, finalmente, sentenciado à morte por blasfêmia. Seus pés foram pregados a uma estaca e sua cabeça foi cortada. Em 1555, os irmãos Comparet foram acusados de libertinagem, executados e esquartejados. Seus restos mortais foram exibidos em diferentes partes de Genebra. 3- Zwínglio: Em 1525, começou a perseguir os anabatistas de Zurique. As penas iam desde o afogamento no lago ou em rios até a fogueira. Diante tanto ódio vemos a sabedoria na pessoa do Papa Alexandre III que escreveu: “Mais vale absolver culpados do que, por excessiva severidade, atacar a vida de inocentes… A mansidão mais convém aos homens da Igreja do que a dureza”. Como se não bastasse, a violência não foi exercida apenas contra os católicos. Os reformadores foram violentos entre si. Lutero disse: “Ecolampaio, Calvino e outros hereges semelhantes possuem demônios sobre demônios, têm corações corrompidos e bocas mentirosas”. Por ocasião da morte de Zwínglio afirmou: “Que bom que Zwínglio morreu em campo de batalha! A que classe de triunfo e a que bem Deus conduziu os seus negócios!”, e também: “Zwínglio está morto e condenado por ser ladrão, rebelde e levar outros a seguir os seus erros”. Zwínglio também atacava Lutero: “O demônio apoderou-se de Lutero de tal modo que até nos faz crer que o possui por completo. Quando é visto entre os seus seguidores, parece realmente que uma legião o possui”. ROSSEAU em sua obra “Filosofia Positiva”, escreveu: “A intolerância do Protestantismo certamente não foi menor do que a do Catolicismo e, com certeza, mais reprovável”. Parte VIII – Esclarecendo alguns episódios distorcidos ao longo da historia:1º – Em 1208 exterminaram os cristãos Albaneses: Nenhuma bula papal pregou a violência, nem a morte de hereges. A história registra: “Foram numerosos os cânones dos concílios que, excomungando os hereges e proibindo os cristãos de lhes darem asilo, não admitiam que se utilizassem contra eles a pena de morte. Deviam bastar as penas espirituais ou, quando muito, as penas temporais moderadas.” (Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606). O Papa Alexandre III escreveu: “Mais vale absolver culpados do que, por excessiva severidade, atacar a vida de inocentes… A mansidão mais convém aos homens da Igreja do que a dureza”. H. C. Lea – historiador protestante e possuidor do maior acervo a respeito da Inquisição – cita 47 bulas nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos. Alertam para não cair na violência e injustiças freqüentes dos juizes leigos. (Hansen, Zauberwahn…, op. cit., pp. 24s). É sabido que, alguns cristãos, enviados para convertê-los, longe do controle do Papa desentenderam-se em lamentável confronto com estes maus católicos apostatas, os Albigenses, que pregavam que satã era outro deus, rejeitavam os sacramentos, declaravam ser pecado casar, eram sexualmente permissivos, evitavam a gravidez e encorajavam o aborto. É uma heresia chamarestes de “cristãos Albigenses” pois estes eram dualistas, tinham também Satã, como deus. (Enciclopédia Encarta 99). É também uma falsidade, querer atribuir isso a Igreja. Seria o mesmo que condená-la por causa de Judas Scariotes. 2º – O FRADE TORQUEMADA, anos 1420-98, comandou por 8 anos a morte de 10.200 protestantes e intelectuais queimados vivos, foi horrível! – o bispo Hooper foi queimado com fogo insuficientemente e gritada: “Mais lenha, aumente o fogo!” Ao seu lado numa caixa estava o papel de perdão, bastava retratar-se, mas não o fez!: O monge TORQUEMADA morreu em 1498, o protestantismo é de 1517. Em 1483, este monge foi dispensado à trabalhar para os reis Isabel e Fernando, que o usaram politicamente, sem vínculo com a Igreja. E para a surpresa do fantasioso “pastor”, que deu gritinhos de “foi horrível!”, e inventava a morte de “10.200”, desmoralizamo-lo: o grande historiador Agostino Borromeu, constatou que dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 pessoas, longe do aval do Papa. Ou seja, condenou-se apenas 1,8% e destes, 1,7% eram bonecos queimados em lugar dos ausentes. Os tribunais eclesiásticos foram muito mais indulgentes, que os civis e protestantes que mataram 25.000 só na Alemanha, sendo o matador recordista o luterano Benedict Carpzov que matou 20.000 mulheres, Fontes: (Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM), (Benedict Carpzov, Practica Nova Rer. Criminalium Imperialis Saxonica in 3 Partes Div., Wittenberg, 1635.), Como vemos, o embusteiro andou contabilizando bonecos queimados como “protestantes”. Agora ele sabe porquê nunca pediram indenização por terem parentes mortos pela Igreja. Tem mais, seu citado “bispo Hopper” foi morto pela rainha Maria I, filha do protestante rei Henrique VIII. Não pela Igreja Católica. 4º – Carlos V anos 1500-58, eliminou por ordem do papa 50 mil cristãos alemães: Carlos V, era imperador germânico, reconheceu a divisão religiosa do Império, legalizando, pela primeira vez, o luteranismo na Alemanha. Embora não tenha permitido uma satisfação completa, garantiu 50 anos de paz religiosa na Alemanha. Nunca recebeu “ordem” de algum Papa. Na batalha de Mühlberg, em 1547, repeliu e venceu um insurgente e armadíssimo exército protestante, chamado de Liga Esmalcalda. Que fique claro, esta batalha foi política e não religiosa. 5º – O Papa Pio V anos 1566-72, exterminou 100.000 Anabatistas: Aos 25/6/1535, o povo da cidade alemã de Münster, exterminou os invasores e POLÍGAMOS anabatistas, outros 30 mil e seu líder Thomas Munzer, foram exterminados pela vontade de Lutero, conforme registro oficial da história. (VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Ed, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-249). (Revista Pergunte & Responderemos. 03/97). 6º – O Papa Gregório XIII anos 1572-85, organizou com os jesuítas o extermínio dos protestantes franceses e na noite de 24 de agosto de 1572 mataram 70 mil deles! – Esse papa comemorou mandando que as Igrejas cantassem o TE DEUN, trocassem presentes e cunhou moedas comemorativas as massacre: Este fato envolvendo disputas políticas entre a Rainha Catharina de Medici e o protestante almirante Coligny, aconteceu na França, quando o Papa estava em Roma e os Jesuítas ausentes àquele casamento da filha da rainha com um protestante. Uma falsa notícia, sem outros meios de comunicação na época, chegou a Roma dando conta que os huguenotes haviam atentado contra o rei e a rainha, que teriam vencido os huguenotes bravamente escapando ilesos. Sendo todos em Roma amigos do rei e da rainha franceses, festejaram sua resistência, ocasião em que o Papa Gregório XIII, sem maldade e diplomaticamente, solicitou em ação de graças que se cumprissem todas as cerimônias de praxe. Diz um documento da época: “Mesmo em Paris, muita gente se enganou; e o próprio Parlamento condenou retrospectivamente o almirante Coligny (líder protestante) a ser queimado em effigie por causa do criminoso atentado.” (DEVIVIER, Pe. W., SJ. Curso de Apologetica Christã, 3ª ed., São Paulo: Melhoramentos, 1925, pp. 426-429). A conclusão que se tira é de uma mera questão política entre a rainha Catharina e o político protestante Coligny. 7º – Em 1590 o catolicismo eliminou uns 200 mil cristãos Huguenotes: Em 1593, o novo líder dos protestantes huguenotes, Henrique IV, que escapou do citado massacre da rainha, converteu-se voluntariamente e definitivamente ao Catolicismo, este proclamou o Edito de Nantes, que trouxe a paz. Se fosse a Igreja que tivesse exterminado os protestantes huguenotes, como iría seu líder se converter ao Catolicismo??? Em 1572, Catarina de Médicis, mãe do Rei Carlos IX, temendo que o almirante Gaspard de Coligny influenciasse seu filho a fazer guerra à Espanha ordena um atentado contra a vida do almirante, que sobrevive. Poucos dias antes, numa tentativa de apaziguar os ânimos entre as partes, a irmã do rei, Margarida de Valois, havia se casado com o líder protestante Henrique de Navarra (na verdade ele”se converteu”apenas para que pudesse se casar). A tensão entre os huguenotes (liderados por Coligny) e a família real aumenta depois do atentado e descamba em conflitos de rua que se tornam um verdadeiro massacre. Gaspar de Coligny é assassinado a mando de Henrique de Guise, prefeito de Paris, numa vingança familiar (havia fortes suspeitas de que Coligny fosse o mandante do assassinato do pai de Henrique de Guise, nove anos antes). Quando Carlos IX morre Henrique III, seu irmão, assume o trono; Henrique de Guise inicia uma guerra contra o rei por sua política favorável aos huguenotes; Henrique de Navarra, cunhado do rei também entra na guerra, como líder do exército huguenote. Henrique III celebra a paz com o cunhado e os dois se unem contra o prefeito de Paris. A mando do Rei, Henrique de Guise é assassinado.O Rei morre no dia seguinte pelas mãos de um partidário de Guise. Na falta de filhos ou irmãos o nome levantado para assumir o trono é o de Henrique de Navarra, cunhado do falecido rei, que se torna Henrique IV A população de Paris não aceita um Rei protestante e Henrique não consegue entrar na cidade com suas tropas. Nessa ocasião ele proclama a célebre frase: “Paris vaut bien une messe” (“Paris vale bem uma missa”) e se “converte” novamente, dessa vez em caráter definitivo ao catolicismo para assim ganhar a simpatia da população e dos líderes políticos da cidade de Paris e poder tornar-se rei de fato. Repetindo… “Paris vaut bien une messe” cunho totalmente politico. 8º – O Monarca alemão Fernando II anos 1578-1637 instigado pelos jesuítas começou uma guerra de extermínio aos protestantes; essa guerra religiosa terminou em guerra política e tirou a vida de 15 milhões de pessoas: Omitindo que os luteranos promoveram o maior massacre da história da humanidade, segundo Maurice Andrieux, no dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma. Nunca os Jesuítas se juntaram a este imperador. Parte IX – Referências: A Inquisição em seu Mundo – João Brenardino Gonzaga – professor da USP Heresias Medievais – Nachman Falbel Manual do Inquisidor – Bernard Guy Histoire de l´ Inquisition au Moyen Âge – Jean Guiraud L´Épóppée Cathare – Michel Roquebert Les Cathares – Arno Borst Histoire des Cathares – Jean Duvernoy El Tribunal de la Inquisición – Fernando Ayllon Personajes de la Inquisición – William T. Walsh L’Inquisition – Henri Maisonneuve La Vera Storia dell Inquisizione – Rino Camilleri Procure também a respeito de Agostino Borromeo. Segundo ele: na Espanha, apenas 1,8% dos investigados pela Inquisição espanhola foram mortos. Henry Charles Lea – vasta obra nesse sentido. Alguns afirmam sobre sua obra (a respeito da Inquisição Espanhola): ” The subject is an interesting one, and we know of no other English book which throws so much light (SO MUCH LIGHT!) upon it. … It should be understood that this book is the outcome of independent, first-hand investigation of the materials stored in the immense Spanish Archives.” M. W. H. in The Sunday Sun, New York. Até a BBC: Agora, também a insuspeita emissora BBC de Londres vem refutar o mito da Inquisição como paradigma de terror. A notícia nos vem através do diário madrilenho “El Pais” (8-11-94), em artigo de Lola Galán, intitulado “A falsa história da Inquisição espanhola”. Diz ela: “As sinistras salas de tortura dotadas de rodas dentadas, engrenagens quebra-ossos, grilhões e demais mecanismos aterradores só existiram na imaginação de seus detratores. O Santo Oficio (nome do Tribunal da Inquisição) viu-se frente a uma gigantesca máquina propagandística.” 4- O mentiroso livro “BABILÔNIA: A RELIGIÃO DOS MISTÉRIOS” de Ralph Woodrow, de onde o pastor tirou essas asneiras foi desmascarado pelo mesmo autor Ralph Woodrow. Baseando-se nas lorotas do aleivoso pastor Hislop, o protestante, Ralph E. Woodrow escreveu outro livro, o “Babilônia, a Religião de Mistério”, e logo todos os embustes dos dois livros foram levados para dentro das seitas protestantes para enganar os indoutos protestantes, ávidos por razões para odiarem a Santa Igreja Católica. Acontece que Ralph E. Woodrow fez um estudo e concluiu que tudo o que estava no livro de Alexander Hislop é ficção sensacionalista, mentira fraudulenta, relacionamentos falsos. Então Ralph E. Woodrow para corrigir os erros cometidos no seu livro, escreve um outro livro com o nome de “A Babylon Connection?”. Woodrow tornou-se agora um crítico das fantasiosas teorias “pagãs” do mentiroso pastor Hislop. Confirme: Eu n 1858 um ministro escocês chamado Alexander Hislop, publicou um livro chamado “The Two Babylons ‘. Ensino básico do livro é que o cristianismo moderno, em sua forma mais ritualística (como evidenciado dentro do Catolicismo Romano e Ortodoxia Oriental), é totalmente pagã e pode ser rastreada até a adoração de Nimrod e Semiramis e para o pior dos antigas práticas pagãs. Eu mesmo ler este livro, quando ele foi emprestado a mim por um amigo por volta de 1981. O livro foi certamente fascinante, mas eu lembro de ter sido perturbado que quase nenhuma das reivindicações de Hislop poderiam realmente ser fundamentada por qualquer fonte respeitável, embora tenha sido certamente “carne e beber” para os ingênuos. Eu não rejeito inteiramente a tese de Hislop, mas criaram em segundo plano por alguns anos com a sensação de que os pontos de Hislop não foram apoiadas por evidências conclusivas (algo que se Hislop foi aparentemente cego). Basicamente, cheguei à conclusão de que a acusação ultrajante não é a mesma coisa como evidência cuidadosamente compilada e decisivo. Hoje, naturalmente, o livro é profundamente rejeitada por causa da falha e, principalmente, infundadas miscelânea que é. Note, por exemplo, o que a Enciclopédia Wikipedia diz sobre este livro, O livro tem sido severamente criticado por sua falta de provas, e em muitos casos a sua contradição com as provas existentes: por exemplo, a religião do estado romano antes do cristianismo não adoravam uma Deusa-Mãe central, e Júpiter nunca foi chamado de “Jupiter-Puer. ” Da mesma forma, Semiramis viveu séculos depois de Nimrod, e poderia nem ter sido a sua mãe, nem se casou com ele. Hislop também torna inaceitável conexões lingüísticas e jogos de palavras fantasiosas, por exemplo, as letras IHS em wafers Católica Sagrada Comunhão, alegadamente, representam divindades egípcias Ísis, Horus e Seth, mas na realidade eles são uma abreviatura para Ihsous, a grafia latina do nome de Jesus em grego (Ιησους), embora popularmente, eles defendem a Iesus Latina hominum significado Salvator Jesus, Salvador da Humanidade (que também se encaixa o ensino da transubstanciação, onde o pão eo vinho são ditas para se tornar o corpo eo sangue de Cristo). ” (Fonte:. Wikipedia artigo, Alexander Hislop http://en.wikipedia.org/wiki/Alexander_Hislop) Eu acreditava que – tão tarde quanto 1998 – sem auto-respeito evangélicos gostaria de tocar neste livro, imagine minha surpresa, então, quando um dia – circa 1998 – Eu encontrei este livro continua à venda em uma livraria evangélica altamente respeitável! Na verdade, talvez ingenuamente, até agora muitos ainda se apegam a cada palavra (geralmente errada) de Hislop. Originalmente influenciada por este livro, repleto de erros, Ralph Woodrow escreveu Babylon Religião Mistério. Mas este homem honesto já retirou este livro (uma ação que causou-lhe muito a perda financeira) por causa de sua posterior aceitação honesta de falhas de Hislop. Ver frank Woodrow e admissão honesto sobre seu livro Hislop de inspiração e sobre os erros de Hislop AQUI. Aqui é apenas uma breve citação do artigo de Woodrow para nos ajudar a observar o raciocínio falho que Hislop tantas vezes utilizado e que se espalhou para os cultos e seitas: “Alguns afirmam que objetos redondos, como wafers rodada comunhão, são símbolos do deus-Sol. Mas eles não mencionam que o maná muito dada por Deus era redondo! (Êx 16:14). Alguns estão prontos para condenar todos os . pilares e monumentos históricos como pagão Mas eles não levam em conta que o próprio Senhor apareceu como um pilar de fogo e, na frente do seu templo, havia dois grandes pilares (Ex 13:21,22; 2 Cr. 3:17) “. Eu não vou aprofundar os erros de Hislop aqui, mas recomendaria artigo Woodrow a todos, mais o livro que ele já escreveu, A Conexão Babilônia?, Para ajudar a corrigir livremente admitiu erros anteriores (veja o link anterior) . Como se preocupar, então, que mesmo agora, em novembro de 2005, quando eu fiz uma busca no Google por “The Two Babylons” e “Alexander Hislop, as primeiras 15 páginas, que veio acima foram esmagadoramente a favor da posição de Hislop (a maioria dessas páginas eram de os sites dos cultos e seitas fundamentalistas extremistas, mas alguns também foram representadas). Eu finalmente encontrado apenas cerca de 3 referências de algumas centenas que produziu Google, que entendeu que os argumentos de Hislop estão agora desacreditados! Esteja ciente de que ao rejeitar alegações selvagens Hislop sobre o Catolicismo Romano eu estou em nenhuma maneira defender de erro em que está presente no âmago da doutrina romanista, de fato, o meu ministério internet inteira é baseada em expor erro teológico (onde quer que seja encontrado), mas eu acredito que é vital para Christian Apologetics e ministérios Countercult para garantir que eles cuidadosamente substanciar todas as reivindicações. Robin A. Brace, 2005. (Além da ligação anterior, aqui estão outros links sobre Hislop que posso recomendar: Babylon Boom Box Duas Babylons / A Conexão Babilônia? Crítica introdutória do Hislop “The Two Babylons ‘ (Isso vem de uma fonte católica romana ainda suas críticas são justificadas Hislop). UK APOLOGÉTICA 5- Há somente mentiras no texto do pastor, sobre Bernardo Guy. Essa é a verdade sobre a atividade de Bernardo Guy que atuava só contra católicos heréticos: [Em 930 sentenças que o Inquisidor Bernardo Guy pronunciou em 15 anos, houve 139 absolvições, 132 penitências canônicas, 152 obrigações de peregrinações, 307 prisões e 42 “entregas ao braço secular] ([citado em] AQUINO, Felipe. Para entender a Inquisição. 1 ed. Cleofas. Lorena. 2009, p. 23). Bernardo Guy jamais matou alguém. 6- Desmarcando as lorotas sobre Galileu: Pura ignorância deste que se diz “pastor”. A Ciência Moderna só confirma as verdades da Igreja. Veja isso adiante, neste texto, nos relatos dos pais da Teoria da Relatividade: Max Planck e Albert Einstein, que acabam por corrigir a precipitação de Galileu, que alguns retrógrados, “medievais” e ultrapassados, erroneamente propalam hoje, com leviano intuito de insultar a Igreja Católica, mãe das universidades. Seus filhos são detentores dos maiores projetos científicos da humanidade, entre eles o que provou matematicamente, pela primeira vez, O Sistema Geocêntrico, O Projeto Genoma, e também ganhadores do maior prêmio científico já pago pela ciência moderna, O prêmio Templeton. As quimeras lançadas contra a Igreja cairão todas por terra, ao final da leitura deste artigo. Consta na biografia do padre Copérnico: http://www.euniverso.com.br/Cult/Mestres_e_artistas/Copernico.htm Que em 1529, (mais de trinta anos antes de Galileu nascer), circulava entre os astrônomos um manuscrito Nic. Copernici de Hypothesibus Motuum Coelestium a se Constitutis Commentariolus (“Pequenos Comentários de Nicolau Copérnico em Torno de Suas Hipóteses sobre os Movimentos Celestes”), onde o religioso Copérnico, apresentava o sistema heliocêntrico como uma hipótese. Em 1533, o Papa Clemente VII solicitou a exposição da teoria em Roma (Galileu só nasceria em 1564), e em 1536 o Cardeal Schönberg pediu sua publicação, mas Copérnico achava que deveria primeiro elaborar uma teoria completa, que fosse nitidamente superior ao sistema de Ptolomeu. Passado o tempo, e tendo concluído seus estudos, o cônego Copérnico, muito antes de Galileu pensar em ser cientista, já havia presenteado o Papado com a dedicatória de sua obra que mostra o sistema geocêntrico e a terra redonda, provado matematicamente. Coisa que nem naquele tempo, terra redonda era novidade. O dito “pastor” Afonso, parece desconhecer isto, e que o cônego Nicolau Copérnico, membro da Igreja, já havia dedicado sua famosa obra “De Revolutionibus (“As Revoluções”)” ao Papa Paulo III . Mas, eis que no tempo de Copérnico, um “pastor” luterano, chamado Andrea Osiander, na gráfica sabotou a obra, na dedicatória ao Papa e em seu título, a reduzindo à “caráter hipotético”. Veja no texto abaixo, retirado da Biografia de Copérnico, que a desonestidade protestante não vem de hoje: <> Fonte: http://www.euniverso.com.br/Cult/Mestres_e_artistas/Copernico.htm Observe acima, que já era do conhecimento Igreja, que a terra cumpria “uma Revolução em torno do sol”. O Papa nunca questionou se a terra era redonda ou não, todos sabiam que a terra era redonda muito antes de Galileu nascer. Santo Alberto Magno, que viveu entre 1193 e 1280, e que foi mestre de São Tomás de Aquino, defendeu as idéias geográficas de Aristóteles, inclusive a esfericidade da Terra. São Tomás de Aquino – o maior gênio medieval – tratou da questão em pauta na Suma Teológica (I., q.1, a.1, ad2). A imagem de Nossa Senhora de Montserrat, padroeira da Catalunha, do século XI, é de madeira pintada, de estilo romântico, até hoje venerada em Montserrat. Tanto ela como o menino Jesus, têm nas mãos o globo representativo da Terra, da qual a Virgem Maria é Rainha e da qual Cristo é Criador e Senhor. Se a Igreja representava a Terra por um globo, séculos antes de Galileu nascer, é porque sabia que ela é redonda. Crates de Malus (145 A.C.) foi o primeiro a construir um globo para representar a Terra, (Enciclopédia Espasa Calpe, Barcelona, verbete Mapa, vol. XXXII, pág.1132). O problema de Galileu não foi defender o heliocentrismo, como caluniam alguns desinformados hoje, pois outros cientistas já defendiam esta teoria já conhecida da Igreja, mas colocar à prova as Escrituras Sagradas. Galileu afirmava que as Escrituras estavam erradas, pois em Josué (10,12-13), o Sol jamais poderia parar, mas a Terra, e queria que as Escrituras fossem alteradas. Na verdade, o que questionou-se no julgamento de Galileu, foi o modo como ele afrontou às Sagradas Escrituras. As Escrituras afirmam que “o sol se deteve … quase um dia inteiro (Josué 10,13), demonstrando um excepcional milagre divino, alheio ao que já se conhecia há muito do universo. Galileu contra argumentava que o sol sempre foi fixo, e só os planetas e astros se moviam. Hoje sabe-se que não é bem assim, até as galáxias viajam em movimentos circulares. Sua punição foi apenas uma curta reclusão domiciliar em 1633, por contradizer as Escrituras. Galileu era católico e tinha uma filha freira, este viveu e morreu católico, em avançada idade. O túmulo de Galileu que, por sinal, situa-se de frente ao de Leonardo da Vinci, está localizado na atual Catedral Católica de Florença, Itália, por consentimento de seus parentes que nada tinham contra a Igreja, para estrebucho do caluniador “pastor” Afonso. O Papa do tempo de Galileu foi Urbano VIII. Era, há muitos anos, um admirador de Galileu, a quem inclusive havia dedicado uma poesia latina em que louvava seus descobrimentos astronômicos. Além disso, desde o primeiro momento, teve em postos muita confiança em vários amigos e partidários de Galileu. Em 1624 Galileu foi a Roma e o Papa o recebeu seis vezes, com grande cordialidade. (Antonio Favaro: Le Opere di Galileo Galilei, 20 volumes, reimpressão, G. Barbèra Editore, Firenze 1968). As desculpas que coube a Galileu foi apenas por sua rápida reclusão domiciliar, não por Galileu estar certo e a Igreja errada. Isto é falso! Hoje sabemos que a Igreja fez muito bem, defendendo a palavra de Deus como está na Bíblia, em Josué 10,13, a menos que alguém queira discutir com Max Planck e Albert Einstein (da Teoria da Relatividade): “Se tomarmos, por exemplo, um sistema de referências fixamente ligado com a nossa Terra, teremos de afirmar que o Sol se move no céu; se, inversamente, deslocarmos o sistema de referência para uma estrela fixa, o Sol encontra-se em repouso. Na oposição entre estas duas formulações não existe contradição nem obscuridade: trata-se somente de duas maneiras diferentes de considerar as coisas. Segundo a teoria física da relatividade, que atualmente pode ser considerada como aquisição científica assegurada, ambos os sistemas de referência e os modos de consideração que lhes correspondem são igualmente corretos e igualmente justificados, e é fundamentalmente impossível, sem arbitrariedade, decidir entre eles através de quaisquer medições ou cálculos”. (Max Planck, in Vorträge und Erinnerungen, Stuttgart, 1949, p. 311). Isto claramente prova que a Igreja, não estava “errada”, como pregam certos indoutos linguareiros, para rapinar na ignorância. Note que o eminente Max Planck fala em “sistema de referência”. Realmente, não podemos afirmar que o universo possui um ponto fixo (seja o sol, a terra ou qualquer outro astro). Não estamos falando de um carrossel com cavalinhos girando em torno de uma base! Portanto, Galileu precipitava-se. Assim o Papado acertava pela cautela, e pela fé na palavra de Deus, que não foi mudada nem mudará. Já do memorável Galileu, a Enciclopédia Encarta 99, diz o seguinte: [a última obra de Galileu, Discursos e demonstrações matemáticas sobre duas novas ciências, publicada em Leiden em 1638, revisa e aprimora seus primeiros estudos sobre o movimento e os princípios da mecânica em geral.]. Disso os inimigos da Igreja não falam. Como vemos, foi um padre, chamado Copérnico, muito antes de Galileu, que apresentou as revoluções da terra provadas matematicamente. Enquanto a Igreja Católica se esforçava para publicar a obra científica, que tinha dedicatória dada ao Papa, os protestantes inimigos da ciência a sabotaram pelas mãos de um pastor. O desprezo protestante à Copérnico e à ciência, ficou documentado nas palavras de Lutero, que dizia: “O abade Copérnico surgiu, pretendendo que a terra girasse em torno do Sol”. Lutero deu de ombros. “Lê-se na Bíblia que Josué deteve o Sol; não foi a Terra que ele deteve. Copérnico é um tolo.” (Funck-Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi, 1956, 2a. ed. Pág. 145). “A razão é a prostituta, sustentáculo do diabo, uma prostituta perversa, má, roída de sarna e de lepra, feia de rosto (sic), joguemos-lhe imundícies na face para torná-la mais feia ainda.” (Funck-Brentano, Martim Lutero, Casa Editora Vecchi, 1956, 2a. ed. Pág. 217). Hoje o que vemos, são alguns caluniadores protestantes e outros inimigos da Igreja de Cristo, desonestamente querendo inverter os papéis, caluniando que a Igreja é “inimiga da ciência”. Rodney Stark, professor de Sociologia e de Religiões Comparadas de Washington, em seu livro “For the Glory of God” mostra que a Igreja Católica, além de ter sido a primeira a se opor à escravatura, foi a força motriz por trás da emergênci CurtirCurtir
          • Rafael disse:

            Em primeiro lugar, não sei porque vcs se apegam tanto a Lutero, ele é fruto da ICAR, veio da ICAR, não é santo, não é perfeito, não é infalível, não é justo, não vale mais do que qualquer um de nós, não é detentor de toda a verdade do universo, mas, foi apenas um artifice dentro de um propósito de Deus. Se Deus usou um jumento para falar com Balaão, porque não usaria Lutero para uma causa nobre como foi a reforma… enganam-se vocês que acham que veneramos Lutero, pelo contrário…

            Sobre a inquisição, eu tenho acesso a fontes de todos os tipos, e são poucas que contradizem-se. Se a inquisição não teve a ação direta da Igreja Católica,isso não a redime de nada, pois era matriarca e altamente influente em se tratando de matéria de fé.
            Talvez não tenha “acendido o fósforo” das fogueiras, talvez não afiou a lâmina das guilhotinas, talvez nãolustrou os mastros do empalamento, talvez não esticou ninguém nas grandes rodas, nem arrancou as unhas de ninguém… Porém, julgou, condenou e entregou para o poder público “sujar as mãos com sangue”… E caso tudo isso seja só intriga dos protestantes, então, como representante legal de Cristo na terra, o que fez para impedir tamanha barbaridade??? Nada!!!! Por medo???? Por conivência??? Ou pelo prazer de ver feito o que queriam fazer com as próprias mãos???? Desculpe, mas a ICAR não é inocente da Inquisição, nem das cruzadas, nem da caça as bruxas.
            Não vêm que não tem!!!! Todo réu tem direito a defesa, mas nem por isso é inocente…

            Só falta você me dizer que nem existiu inquisição, cruzadas e caça as bruxas. Perdi anos na escola estudando lendas???

            Se você me dissese, que crê no que crê, simplesmente porque não conhece nada melhor, eu acho muito mais digno do que tentar inocentar o que não é inocente, santificar o que não é santo, e iluminar o que não é luz, venerar o que não é venerável e assim por diante.

            E desculpe, não li tudo o que escreveu porque além de extenso já sei bem o conteúdo que deve dizer que a ICAR é santa e inocente e os protestantes os culpados de tudo!!!!

            Paquis domini procê tb.

            Curtir

  5. Rafael disse:

    Eu acho algumas colocações do nosso amigo católico um tanto quanto equivocadas.
    Sem muitas delongas, o que eu posso dizer é que, se não temos outra fonte de revelação além da Bíblia, é porque nela temos a fonte de vida e as regras de fé. Claro que onde tiver seres humanos haverá também discordância em alguns pontos, mas a afirmação de que há outras fontes de revelação divina seria no mínimo endossar toda e qualquer seita. Sendo assim, até mesmo o espiritismo e o sincretismo religioso das religiões afro estariam mais do que corretas, pois sua tradição é passada de boca em boca há muitos séculos. Eles não negam os santos, as imagens, as velas, a reza aos mortos e nem mesmo o papa. Desculpe-me, mas a tradição oral não é suficiente para mim, pois se estando escrito, já tem muita gente que deturpa, imagine se houvesse somente a tradição oral.

    Eu não sou católico, pois, o curriculum vitae da santa e amada igreja não é dos melhores… e a “Sola Scriptura” diz que “Não pode a arvore boa produzir maus frutos e nem a árvore má produzir bons frutos, é pelos frutos que conhecemos a árvore (Mt 7:18) como exemplo eu cito apenas algumas atrocidades da UNA igreja:
    – As santa inquisição que matou inumeras pessoas em nome da fé católica.
    – A noite de São Bartolomeu, onde Catarina de Médici ordenou a matança de inúmeros protestantes. (Discordar sim, matar, jamais)…
    – O caso de Joana D’arc que foi condenada a fogueira, na caça as bruxas, por ser herege e bruxa. Algum tempo depois, o infalível papa reconheceu seu erro e canonizou-a. De bruxa e herege, passou as ser Santa Joana D’arc
    – A venda de indulgências, que o “louco e herege” Lutero se revoltou, pois não havia pecado ou culpa que uma boa quantia em dinheiro não pudesse ser suficiente para absolvição.
    (Neste contexto, embora eu não seja e não acredite na doutrina da Igreja Universal e nem quera defendê-la, pelo menos não vendem o perdão de pecados. Alguns que a atacam deveriam lavar a boca com sabão antes de falar que eles só pensam em dinheiro).

    As Igrejas Evangélicas de um modo geral (há excessões) mas tem como unico foco: Jesus Cristo. São falhas, com certeza, mas o foco é Jesus Cristo, podem errar, mas o foco é Jesus Cristo e o seu sacrificio, podem interpretar errado, sim, podem, mas o foco continua sendo Jesus Cristo…

    Tudo que venha a nos desviar desse foco, como exemplo, os Santos, o culto a Maria, a doutrina do purgatório e etc… é realmente.

    Se tivéssemos os santos, pra que Jesus Cristo?
    Se tivessemos Maria, para que Jesus Cristo?
    Se existesse purgatório, pra que que eu iria me esforçar em seguir para o alvo que é Jesus, se eu tenho a oportunidade de me purificar antes de entrar no céu?

    Essas doutrinas que desviam o nosso foco, é que eu mero interprete errôneo das escrituras condeno.

    Outras coisas como: alguns acham que Jesus foi casado, outros acham que não… e o que isso importa, se a sua missão de dar a sua vida foi cumprida?

    Se Maria permaneceu virgem até o resto de sua vida, ou se teve relação com seu marido José depois que Jesus nasceu… o que isso importa, se ela foi cumpriu o propósito de Deus? (isso não significa que ela é mãe de Deus, ela mesma se intitulou serva).

    O que nós hereges evangélicos pregamos, é que o alvo é Jesus, o objetivo é Jesus, o mestre e senhor é Jesus.

    E para finalizar gostaria de deixar um texto bíblico para reflexão… Apocalipse 17

    Graça e paz a todos os evangélicos e católicos do blog.

    Curtir

    • Helen disse:

      Rafael,

      Caro amigo, não julgue a fé católica por meio do que diz um católico. Ele pode estar equivocado. Leia o que diz a Igreja, ela sim é a autoridade para atestar o que ensina e o que NÃO ensina!

      A santa inquisição… Tem certeza que quer tocar nesse assunto? Qual é o seu conhecimento sobre o assunto. Algo que ouvi por alto da boca de terceiros, ou num programa do discovery channel?

      Que tal falarmos da ” Caça ã Bruxas” empreendida no mundo protestante na Idade média? Os católicos não fizeram isso, sabia? Foi coisa Protestante?

      Vamos discutir o contexto dos dois eventos? Já leu C. S. Lewis? Ele tem faz observações brilhantes sobre o tema. Vale à pena.

      Há de se definir e discernir a diferença entre “Mundança de opinião – tanto no caso da inquisição como na caça às bruxas – e mudança de sistema de crença.

      Os protestantes nem os católicos mudaram de opinião sobre nem um nem outro tema. O que mudou foi a crença vigente. Imagine a hipótese: Se no mundo de hoje nós ainda acreditássemos que há pessoas entre nós que praticam a magia negra para trazer o mal, tanto à indivíduos como á toda sociciedade, e que estas pessoas estivessem sorrateiramente infiltradas no nosso meio, usurpando de suas posições e poderes, no caso de ocuparem até cargos públicos, e assim, tendo amplo acesso ao portal que os levaria a causar grande danos, imagine, se tais pessoas realmente existissem e se a elas convencionássemos dar o nome de bruxas, seria justificável que tal crime fosse passível até de pena de morte? E se suas atividades interferissem na vida comum, do homem comum, seria justificável que o homem comum denunciasse a existencia de tais pessoas em seu meio às autoridades?

      Pois bem, se nós ainda cressemos nisso, seria exatamente essa nossa postura. Denunciar e exterminar tal escória. Mas não cremos. Portanto, não o fazemos. Na idade média, acreditava-se. Portanto, a caça às bruxas!

      Qual seria o contexto da Inquisição?

      Sugiro uma isenta pesquisa!!

      Pax

      Curtir

      • Rafael disse:

        Olá Helen

        Eu não gosto de bater boca, sabe…. já deixei minha opinião e alguns exemplos dos inúmeros disponíveis na história…

        É fácil falar que somos detentores da verdade e usarmos meros argumentos, e colocar os costumes e tradições acima do que realmente não é abstrato.

        Sim, você fala muito bem, e se um dia eu precisasse de um advogado para me defender de algo, certamente gostaria muito que fosse você.

        Quanto a inquisição, a história está ai para dizer tudo o que aconteceu, não fui eu nem mesmo Lutero, Calvino, ou qualquer outro que criou isso… foi a ICAR que escreveu seu curriculum vitae.

        Se tivesse uma bruxa infiltrada em seu meio, bastaria excomungá-la… não pertence ao homem o direito de tirar a vida de ninguém, por mais bruxa que seja…

        Quanto a leitura, eu aceito a sua sugestão e irei ler com certeza… mas gostaria de deixar uma recomendação para você também. Além da Bíblia, é claro, existe um livro que compila muitos acontecimentos históricos que podem ser de seu interesse ” O Livro Negro do Cristianismo, 2000 anos de crimes em nome de Deus”. Acho que irá gostar da leitura.

        E só para finalizar, com o exemplo de Joana D’arc… Como pode ser canonizada uma Santa que durante a sua vida foi inteira foi protestante e foi morta justamente pela sua fé? Mais uma das inúmeras incoerências que me fazem ter certeza de tudo o que acredito, e principalmente, daquilo que não acredito.

        “Pelos frutos conhecereis a árvore”, embora a tradição não concorde com isso!!!

        Graça e paz.

        Curtir

        • Helen disse:

          Olá Rafael,

          Tampouco gosto de “bater-boca”. O que faço aqui é debater, e sim, defender a fé católica de ataques infundados, sem com isso, admitir que membros da Igreja – ou seja, homens pecadores, cometeram erros ao longo de sua história – mas nem por isso foi diminuída ou invalidada a missão a ela conferida pelo próprio Cristo de levar a Luz do Evangelho à todas a Nações.

          A Igreja é Santa, pois seu fundador e Cabeça é Santo. O corpo ligado à Cristo não pode ser outra coisa a não ser Santo, pois Cristo é Santo! A missão da Igreja é santa. Nós, contudo, seus membros, individualmente, somos pecadores e fazemos parte da Igreja Militante, tal e qual soldados de Cristo, na luta contra o pecado e o Inimigo de Deus. Nossa missão é alcançar, por Cristo e em Cristo, a Salvação e a vida Eterna por Ele prometida àqueles que Nele crerem e viverem até o fim da carreira!

          Agora, sobre a Inquisição, o sr parece não ter percebido o intuito do meu comentário. Na verdade, queria apenas salientar que o mundo de hoje mudou, não se pode julgar a inquisição tendo em vista os valores e crenças do ano 2013, seria um absurdo. Tentei lembrar a questão da caça às bruxas pelo mesmo motivo, para provar meu ponto.

          Veja bem, há menos de um século atrás um homem no brasil podia desposar-se de uma menina de 12,13, 14… e com ela ter intimidade e constituir família. Hoje, entretanto, um homem maduro seria considerado um pedófilo se expressasse desejo sexual por uma “criança de 13, 14 anos”. Percebe a mudança de pensamento. O que ha 80 anos atras era norma hoje é crime em muitos países. Veja a Inquisição com os olhos dos homens e mulheres que viviam em sua contemporaneidade, somente assim seu julgamento será preciso.

          Aproveito para esclarecer que Joana D-arc era católica. Nasceu antes mesmo da “reforma protestante, em 1412.

          Pax DOmini

          Curtir

          • EDMILSON disse:

            A ÚNICA IGREJA VERDADEIRA

            Cristo só fundou uma única Igreja

            Diz Cristo: “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18). “Se não escutar a Igreja, seja ele para ti como gentio e publicano” (Mt 18,17). Cristo fala de um único rebanho e de um só pastor (Jo 10,16), de uma única videira (Jo 15), do reino dos céus na terra (Mt 13,24.47).

            Os Apóstolos falam de uma única Igreja, que Cristo amou e pela qual se entregou (Ef 5, 25.27.32), de um único corpo de Cristo (l Cor 12,20; Cl 1,18), de uma só esposa (Ap 21,9). Os coríntios se tinham dividido em partidos. São Paulo exclama: “Estará porventura Cristo dividido?” (l Cor 1,13).

            Comenta Clemente de Alexandria: “Há um só Pai de todos, um único Verbo para todos e um só Espírito Santo que está em toda parte. E há, outrossim, uma só e única virgem mãe que eu chamo a Igreja”.

            A Igreja de Cristo é a Igreja Católica

            Jesus Cristo, Nosso Salvador, fundou apenas uma Igreja, não várias, como é desejo dos hereges. Ele fundou a Igreja Católica Apostólica Romana:

            “Cabe ao Filho realizar, na plenitude dos tempos, o plano de salvação de seu Pai. este é o motivo de sua missão. O Senhor Jesus iniciou sua Igreja pregando a Boa Nova, isto e, o advento do Reino de Deus prometido nas Escrituras havia séculos” (Catecismo da Igreja Católica, 763).

            Os pastores evangélicos, em geral, costumam apontar o dedo para o próprio peito dizendo serem eles a “pedra” sobre a qual Cristo Jesus fundou a Sua Igreja; outros bem mais “cultos” e “místicos”, dizem que a “Igreja” está dentro do coração, e aquele que “aceitar” Jesus, pertence à Igreja de Nosso Senhor.

            São Cipriano que não era herege, ambicioso nem enganador diz: “Cristo edifica a Igreja sobre Pedro. Encarrega-o de apascentar-lhe as ovelhas. A Pedro é entregue o primado para que seja uma Igreja e uma cátedra de Cristo. Quem abandona a cátedra de Pedro, sobre a qual foi fundada a Igreja, não pode pensar em pertencer à Igreja de Cristo” (De un. Eccl. cap. IV), e: “Pedro é o vértice, o chefe dos Apóstolos” (I Concílio de Nicéia).

            Por mais que os hereges gritem, apontem o dedo e mentem, não dá para enganar aquele católico bem instruído; só escorregam em suas salivas, aqueles que se dizem católicos e que vivem às margens da Igreja: “Quando Jesus Cristo diz: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei A MINHA IGREJA, e as portas do inferno não prevalecerão contra ELA” (Mt 16, 18) a que Igreja se refere? Não é ao Protestantismo, nem a nenhuma Igreja protestante em particular, porque as Igrejas protestantes só começaram a existir no século XVI.

            Refere-se, sem dúvida alguma, à IGREJA CATÓLICA; é fácil demonstrá-lo.
            Logo nos inícios da Igreja, os seguidores de Cristo foram designados com o nome de cristãos. Assim podiam distinguir-se dos filósofos pagãos e dos judeus ou seguidores da sinagoga.

            Este nome de cristãos como se sabe, já vem na própria Bíblia, e tal denominação começou em Antioquia: “em Antioquia é que foram os discípulos denominados CRISTÃOS, pela primeira vez” (At 11, 26), “Então Agripa disse a Paulo: Por pouco me não persuade a fazer-me CRISTÃO” (At 26, 28). “Se padece como CRISTÃO, não se envergonhe; mas glorifique a Deus neste nome” (1Pd 4, 16).

            Aconteceu, porém que, tão logo a Igreja começou a propagar-se, começaram a aparecer os hereges, seguindo doutrinas diversas daquela que tinha sido recebida dos Apóstolos, mas tomando o nome de cristãos, pois também criam em Cristo e d’Ele se diziam discípulos. Era preciso, portanto, um novo nome para designar a verdadeira Igreja, distinguindo-a dos hereges.

            E desde tempos antiquíssimos, desde os tempos dos Apóstolos, a Igreja começou a ser designada como IGREJA CATÓLICA, isto é, UNIVERSAL, a Igreja que está espalhada por toda a parte, para diferençá-la dos hereges, pertencentes à igrejinhas isoladas que existiam aqui e acolá. Assim é que já Santo Inácio de Antioquia, que foi contemporâneo dos Apóstolos, pois nasceu mais ou menos no ano 35 da era cristã e, segundo Eusébio de Cesaréia no seu Chrónicon, foi bispo de Antioquia, entre os anos 70 e 107,

            Já Santo Inácio nos fala abertamente da Igreja Católica, na sua Epístola aos Esmirnenses: “Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA” (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2).

            Outro contemporâneo dos Apóstolos foi São Policarpo, bispo de Esmirna, que nasceu no ano 69 e foi discípulo de São João Evangelista. Quando São Policarpo recebeu a palma do martírio, a Igreja de Esmirna escreveu uma carta que é assim endereçada: “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”.

            Nessa mesma Epístola se fala de uma oração feita por São Policarpo, na qual ele “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra” (c. 8).

            O Fragmento Muratoriano que é uma lista feita no segundo século, dos livros do Cânon do Novo Testamento fala em livros apócrifos que “não podem ser recebidos na IGREJA CATÓLICA”.

            São Clemente de Alexandria (também do século segundo) responde à objeção dos infiéis que perguntam: “como se pode crer, se há tanta divergência de heresias, e assim a própria verdade nos distrai e fatiga, pois outros estabelecem outros dogmas?”

            Depois de mostrar vários sinais pelos quais se distingue das heresias a verdadeira Igreja, assim conclui São Clemente: “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA.

            Das heresias, umas se chamam pelo nome de um homem, como as que são chamadas por Valentino, Marcião e Basílides; outras, pelo lugar donde vieram, como os Peráticos; outras do povo, como a heresia dos Frígios; outras, de alguma operação, como os Encratistas; outras, de seus próprios ensino, como os Docetas e Hematistas”. (Stromata 1.7. c. 15).

            O mesmo argumento podemos formular hoje. Há uma só Igreja que vem do princípio: é a IGREJA CATÓLICA. As seitas protestantes, umas são chamadas pelos nomes dos homens que as fundaram, ou cujas opiniões seguem, como: Luteranos (de Lutero), Calvinistas (de Calvino), Zuinglianos (de Zuínglio), etc.

            Outras, do lugar donde vieram: Igreja Livre Evangélica Sueca, Irmão de Plymouth;
            Outras, de um povo: Anglicanos (da Inglaterra), Irmãos Moravos (da Morávia);

            No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).
            Na história do martírio de São Piônio (morto em 251) se lê que Polemon o interroga:
            — Como és chamado?
            — Cristão.
            — De que igreja?
            — Católica (Ruinart. Acta martyrum pág. 122 nº 9).
            São Frutuoso, martirizado no ano 259, diz: é necessário que eu tenha em mente a IGREJA CATÓLICA, difundida desde o Oriente até o Ocidente” (Ruinart. Acta martyrum pág 192 nº 3).

            Lactâncio, convertido ao cristianismo no ano 300, diz: “Só a IGREJA CATÓLICA é que conserva o verdadeiro culto. Esta é a fonte da verdade; do qual se alguém sair, está privado da esperança de vida e salvação eterna” (Livro 4º cap. III).

            São Paciano de Barcelona (morto no ano 392) escreve na sua epístola a Simprônio: “Como, depois dos Apóstolos, apareceram as heresias e com nomes diversos procuram cindir e dilacerar em partes aquela que é a rainha, a pomba de Deus, não exigia um sobrenome o povo apostólico, para que se distinguisse a unidade do povo que não se corrompeu pelo erro?…

            Portanto, entrando por acaso hoje numa cidade populosa e encontrando marcionistas, apolinarianos, catafrígios, novacianos e outros deste gênero, que se chamam cristãos, com que sobrenome eu reconheceria a congregação de meu povo, se não se chamasse CATÓLICA?

            (Epísola a Simprônio nº 3). E mais adiante, na mesma epístola: “Cristão é o meu nome; CATÓLICO, o sobrenome” (idem nº 4).
            São Cirilo de Jerusalém (do mesmo século IV) assim instruiu os catecúmenos “Se algum dia peregrinares pelas cidades, não indagues simplesmente onde está a casa do Senhor, porque também as outras seitas de ímpios e as heresias querem coonestar com o nome de casa do Senhor, as suas espeluncas; nem perguntes simplesmente onde está a igreja, mas onde está a IGREJA CATÓLICA;

            Este é o NOME PRÓPRIO desta SANTA MÃE de todos nós, que é também a ESPOSA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO” (Instrução Catequética c. 18; nº 26).

            Santo Agostinho (do séc V) dizia: “Deve ser seguida por nós aquela religião cristã, a comunhão daquela Igreja que é a CATÓLICA, e CATÓLICA, é chamada não só pelos seus, mas também por todos os seus inimigos” (Verdadeira religião c 7; nº 12).

            E quando o Concílio de Constantinopla, no ano de 381, colocou, no seu Símbolo estas palavras: “Cremos na Igreja Una, Santa, CATÓLICA e Apostólica”, isto não constituía novidade alguma, pois já desde tempo antiquíssimo, se vinha recitando no Credo ou Símbolo dos Apóstolos: creio na Santa Igreja CATÓLICA.

            Vemos, portanto, na história do Cristianismo, o contraste evidente entre aquela igreja que veio desde o princípio e logo se espalhou por toda a parte (Ide, pois, e ensinais todas as gentes – Mt 28, 19) e que desde o começo foi chamada CATÓLICA,

            segundo o que acabamos de demonstrar, e as heresias que foram aparecendo no decorrer dos séculos, discordando deste ou daquele ponto, inventadas por um homem qualquer, mas todas levadas de vencida pela Igreja, pois ou desapareceram por completo ou ficaram reduzidas em número de adeptos que logo mergulharam no esquecimento.

            Chega esta Igreja ao séc. XVI. Aparece então Martinho Lutero, pretendendo afirmar que esta Igreja está completamente afogada no erro e é preciso fazer uma reforma doutrinária. Queremos aqui fazer apenas uma pergunta ao “inspirado” e “esclarecido” Lutero: “Como é que Cristo deixou durante tantos séculos a sua Igreja mergulhada completamente no erro, e só no séc. XVI fez aparecerem os “inspirados” e “esclarecidos” doutrinários da verdade: Onde está a Providência Divina com relação à obra de Deus que é a sua Igreja?

            Se tal desastre se tivesse verificado, então teria falhado completamente a promessa de Cristo: “E as portas do inferno não prevalecerão CONTRA ELA” (Mt 16, 18).
            “Nem toda a água do rio Elba daria lágrimas bastante para chorar a desgraça da Reforma” (Melanchton, amigo de Lutero)” (Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia).

            Católico, tampe os ouvidos diante dos uivos dos lobos que trabalham furiosamente para arrancar-te do seio da Verdadeira Igreja, não lhes dê ouvidos, mas lembre-se com freqüência de que Cristo Jesus é o Santo Fundador da Única Igreja, e por mais que lancem pedras sobre ela, jamais a destruirão: “Cristo é o único Senhor da Igreja. Ela lhe pertence, pois é ele quem a edifica. É Pedro, porém, quem lhe guarda as chaves – para abrir – fechar – cerrar – excluir. Inimigos ardilosos, que a não conseguiram suplantar em campo aberto – tentarão – introduzir-se à socapa em seu seio, procurando combatê-la e destruí-la pelo interno” (Alfred Barth, Enciclopédia Catequética, Vol. II).

            Ame, sirva e defenda a Igreja Católica, Cristo Jesus deu a vida por ela: “Com a vitória da cruz, ele adquiriu para si o poder e o domínio sobre todas as gentes” (Santo Tomás de Aquino, Summa Theol., III, 42, 1), e: “Aquele que, feito homem, se tornara cabeça e senhor da humanidade, ora resgatou seu povo com seu Sangue – libertou-o – remiu-o – fê-lo seu. O véu do templo – a antiga aliança – rasgou-se” (Leão I, Serm., 68, 3), e também: “Amem esta Igreja, sejam essa Igreja, fiquem na Igreja! E amem o Esposo!” (Santo Agostinho).

            Curtir

        • SAMUEL disse:

          RAFAEL ESTUDE O QUE FOI A INQUISIÇÃO OS HOMENS DA IGREJA NÃO MATOU NINGUÉM ISSO É MAS DO QUE FATO SE VOCÊ DUVIDAR EU TI DOU OS ESCRITORES DA ÉPOCA DOS FATOS OCORRIDOS

          Curtir

        • Manuel da Costa disse:

          “E só para finalizar, com o exemplo de Joana D’arc… Como pode ser canonizada uma Santa que durante a sua vida foi inteira foi protestante e foi morta justamente pela sua fé”
          Caro Rafel,Joan Darc erá protestante???? ahhh não me faça rir……….

          EU acho que voce nem mesmo conhece o protestantismo.

          Curtir

          • Rafael disse:

            Protestante, não é seguidor de Lutero, e sim quem não concorda com a doutrina do “Santo Padre”.
            Mas enfim, se Joana D’arc era católica, então a situação é mais caótica ainda…
            O que gostaria que eu pensasse então sobre uma igreja que condena a fogueira uma própria seguidora?
            Lamento, mas nessa história não há coerência…

            Curtir

            • Helen disse:

              Caro Rafael,

              Para sua informação, meu amado irmão em Cristo, a Igreja Católica nunca condenou ninguém à morte na Santa inquisição. Eram os Reis, chefes de Estado, em sua condição de autoridade máxima em seus respectivos países, que o faziam. Eu sei que este assunto é bastante complexo e não seria possível tratar dele de modo extenso nesta resposta mas vou, muito brevemente, explicar o que foi o tribunal inquisitório.

              Pois bem, no contexto histórico em que se passou a inquisição, especialmente em países como Portugal e Espanha, era um crime ensinar doutrinas erradas. O Cristianismo era a religião oficial destes Estados, que como o sr bem deve saber, já haviam travado lutas sangrentas por séculos contra os Muçulmanos Mouros que ali se estabeleceram e tentaram dominar os mencionados países e impor a sua religião, o Islão. Ora, se os Reis Cristãos – que como sabemos eram católicos, pois não havia o protestantismo ainda – lutaram contra a fé de Maomé a custa do sangue de milhares e milhares de soldados cristãos, não seria de se espantar que esses mesmos chefes de Estado Cristãos quisessem punir e erradicar qualquer ameaça à Santa Fé, mesmo que ela se apresentasse sob a veste de uma ´reforma` cristã. Ora, não é da alçada do Rei, que é apenas um monarca, ser conhecedor profundo da sã doutrina Cristã. Ele, como sabemos, era o poder executivo e legislativo em uma só pessoa. A ele cabia executar mas não determinar o que era uma heresia ou não. Essa autoridade cabia somente à Igreja. E foi justamente a Igreja quem dirigiu os tribunais inquisitivos. Ou seja, como no caso da Santa Católica Teresa de Ávila, por exemplo, que teve seus escritos confiscados e minuciosamente analisados para que a Igreja pudesse ter certeza de que ela estava a ensinar e pregar a verdadeira fé Apostólica, a Igreja avaliava o que era correto e o que não era. Quando encontrava problemas, o ´herege´ era interrogado e a sentença da Igreja era sempre baseada em dois princípios: 1-Determinar que a pessoa se confessasse e se arrependesse de ensinar ou propagar ensinamentos hereges. 2- Estipular um penitência, que dependendo do caso, variava em gravidade.

              Porém, estamos falando de uma sistema totalitário onde o Rei, por ser muito poderoso também podia levar quem quer que fosse ao seu próprio tribunal. E foi justamente assim que o processo se deu. Muitos dos ditos hereges questionados pela Igreja era, na verdade, sentenciados pelo Estado, que por sua vez, mantinha a pena de morte contra o crime da Heresia. Deste modo, sr Rafael, a Igreja apenas determinava quem era herege, e exigia o arrependimento. O Estado, esse sim, executava legitimante, com a pena de morte, seja por enforcamento ou qualquer outro método, aqueles que ele julgava irrecuperáveis. E sim, foram muitos os que morreram dessa forma, não podemos negar. O crime da Igreja, talvez tenha sido o de entregar ao Estado esses ditos hereges, mas não o de matá-los.

              Aconselho que o Sr leia o livro do Prof e Historiar Felipe Aquino sobre este tema.

              A Paz do Senhor

              Curtir

              • Rafael disse:

                Eu sei que é muito difícil ver alguém descordando tão veementemente daquilo que acreditamos.
                Eu já fui católico, já fiz comunhão, tinha muitas, não uma, mas muitas imagens em minha casa, rezava o terço constantemente. Talvez você diga que eu não conheço direito a Santa Fé e por isso me afastei. Pois pode dizer… não me importo!
                Te digo com toda certeza, que não conheço tudo, e talvez nem você conheça. E é tanta coisa que ocorre por debaixo dos panos que vc mesma não deve conhcecer!!
                Mas o que eu conheço, e talvez seja pouco, já me basta para saber que não quero isso para mim.
                Dai, alguns me dizem que Santo Agostinho disse isso, Santa Tereza disse aquilo, que Thomás de Aquino fez aquilo, ou os documentos do Vaticano dizem isso…. Não vale referência bibliográfica tendenciosa né… pois dai eu poderia citar um monte também…
                Sei que vocês colocam as tradições no mesmo patamar de autoridade da Bíblia, e dai, acreditando nisso, é realmente muito dificil mudar de conceito, pois na tradição quem manda é povo e o “Santo Padre”, muito embora Jesus questione: Porque quebrais vós também o mandamento de Deus por causa da Vossa tradição? Mt15.
                Concordo que tradição é algo muito bom, desde que não vá contra o que está escrito.
                Vocês católicos, são a concretização de profecias, se o discurso de vocês fosse diferente do que apresentam inclusive nesse blog, a Bíblia não seria verdadeira. Vocês devem sim existir até o final dos tempos e o discurso não irá mudar, caso contrário a biblia seria mentirosa!!!
                Vocês não acreditarem que a igreja teve grande influência na inquisição, é Bíblico….
                Vocês não acreditarem que Roma é a cidade das Sete colinas, é Biblico….
                O fato do “Santo Padre” reunir multidões de todas nações por onde passa, é Bíblico… não poderia ser diferente.
                O fato de vocês terem em qualquer lugarejo pelo menos uma capelinha que seja, é Bíblico…. não poderia ser diferente…
                O fato do Vaticano ser uma das maiores reservas de ouro do mundo, é Bíblico, não poderia ser diferente…
                O fato de se intitularem cristãos, mas não terem somente Cristo como único centro de suas vidas é biblico, não poderia ser diferente….
                Eu já tive a oportunidade de falar para alguns católicos que acabaram aceitando só Jesus em suas vidas e abandonaram as práticas católicas…
                Mas é certo que vocês serão muitos ainda até o final dos tempos, pois é bíblico!!!!
                É certo que muitos ouvirão o Evangelho puro e não aceitarão, e isso é bíblico…
                Então, não me assusta tamanhas aberrações que vocês pragam, e talvez nem sabem porque!!! Porque o pai e a mãe falaram pra você desde criança, ou porque a catecista falou que vc devia adoração veneração e respeito a isso ou aquilo!!!
                Eu quando fiz catequese, o que menos ouvi foi sobre a Bíblia, e eu até acreditava que o Papa tinha mais credibilidade que a Bíblia… claro, a lavagem cerebral começou quando eu ainda não tinha a capacidade de analisar as coisas e rejeitar o que estivesse errado. O que você ensina a uma criança, é dificil retirar depois. Até aquelas crianças que apendem a ser guerrilheiras, elas matam, brigam e não sabem porque, só sabem que alguém falou que o outro era inimigo…. assim acontece com o catolicismo… acredita-se em Santos, porque ouvimos desde criança, aceitam Maria como intercessora, porque aprendem desde criancinhas a pedir “Rogai por nós os pecadores…”, rezam aos anjos, porque assim aprendem desde criancinhas…
                Mas tudo isso tem que acontecer antes que chegue o fim… tudo isso é biblico e se naõ acontecesse a Biblia seria mentirosa.

                Abraços

                Curtir

                • Helen disse:

                  Rafael,

                  Muito obrigada pela participação! Deus o abençoe e o ajude em sua caminhada.

                  Já pensou em sair pelo mundo evangelizando os que não conhecem a Cristo? A china e a Índia são um terreno fértil para missionários! Os católicos já conhecem a Cristo, sr Rafael! Pois então, segundo sua doutrina protestante estamos todos salvos, pois vocês creem e ensinam a SOla Fide. A salvação pela fé somente, não é assim? Pois bem, não gaste seu verbo com aqueles que já se salvaram, já confessaram fé no Cristo Redentor. Converta e evangelize os hindus, budistas, ateus pelo mundo a fora. Prestará um grande serviço a Deus desse modo. Garanto-lhe!

                  Pax Domini!

                  Curtir

            • EDMILSON disse:

              RAFAEL SOBRE A HISTÓRIA DA INQUISIÇÃO SOBRE PAPISA SOBRE JOANA D’ARC VAI UM CONSELHO ESTUDE NAS FONTES DA ÉPOCA E DOS FATOS OCORRIDOS E VOCÊ VAI VÊ QUE A HISTÓRIA É OUTRA!

              RAFAEL VOU TI DA SÓ UM SIMPLES EXEMPLO EU POSSO FALAR QUE CAMÕES NÃO EXISTIU

              QUE FERNANDO PESSOA ERA PLAGIADOR

              E INVENTAR E ESCREVER MIL LIVROS SOBRE ISSO

              AGORA SE ALGUÉM QUE COMPRAR ESSES MEUS LIVROS

              E SE ELE FOR NA ÉPOCA DOS FATOS OCORRIDOS DE CAMÕES E FERNANDO PESSOA VAI VÊ QUE EU NÃO PASSO DE UM MENTIROSO

              ASSIM É QUEM DIZ QUE A IGREJA QUEIMOU E MATOU

              ISSO É LENDA POIS FORAM FABULAS ESCRITAS POR HISTORIADORES PROTESTANTES PAGO PELA MÍDIA PROTESTANTE PARA VENDER HERESIAS E FAZER LAVAGEM CEREBRAL EM LEIGOS COMO VOCÊ

              VEJA AGORA RAFAEL A VERDADEIRA HISTÓRIA DE JOANA D’ARC UM PEDAÇO DA SUA BIOGRAFIA

              Em francês Jeanne d’Arc, por seus contemporâneos comumente conhecida como La Pucelle (a empregada).

              Nascido em Domremy em Champagne, provavelmente, em 6 de janeiro de 1412, morreu em Rouen, 30 de maio de 1431. A aldeia de Domrémy deitou-se sobre os limites do território que reconheceu a suserania do duque de Borgonha, mas no longo conflito entre os Armagnacs (o partido de Carlos VII, rei da França), por um lado, e os burgúndios em aliança com o Inglês, por outro lado, Domrémy sempre se manteve fiel ao Charles.

              Jacques d’Arc, pai de Joana, era um camponês pequeno, pobre, mas não necessitados. Joan parece ter sido o mais jovem de uma família de cinco. Ela nunca aprendeu a ler ou escrever, mas era hábil na costura e girando, e a idéia popular de que ela passou os dias de sua infância nas pastagens, sozinho com as ovelhas e gado, é totalmente improcedente. Todas as testemunhas no processo de reabilitação falou dela como uma criança singularmente piedosa, grave além de seus anos, que muitas vezes se ajoelhou na igreja absorto em oração, e amou os pobres com ternura. Grandes tentativas foram feitas no julgamento de Joana para conectar-la com algumas práticas supersticiosas supostamente foram realizados em torno de uma certa árvore, popularmente conhecida como a “Árvore da Fada” (L’Arbre des Dames), mas a sinceridade de suas respostas confundiu os seus juízes. Ela tinha cantado e dançado lá com as outras crianças, e havia tecido grinaldas para estátua de Nossa Senhora, mas desde que ela tinha 12 anos de idade, ela tinha realizado distante de tais desvios.

              Foi com a idade de treze anos e meio, no verão de 1425, que Joan se tornou consciente de que a manifestação, cujo caráter sobrenatural agora seria precipitado questão, que ela depois veio a chamar suas “vozes” ou ela ” conselho “. A princípio, foi apenas uma voz, como se alguém tivesse falado muito perto dela, mas parece claro também que uma chama de luz o acompanhava, e que mais tarde ela nitidamente discernida de alguma forma a aparência de quem falava com ela, reconhecê-los individualmente como St. Michael (que estava acompanhado de outros anjos), Margaret St., Santa Catarina e outros. Joan era sempre relutante em falar de suas vozes. Ela não disse nada sobre eles ao seu confessor, e constantemente se recusou, em seu julgamento, a ser induziu em descrições da aparência dos santos e para explicar como ela os reconheceu. No entanto, ela disse aos juízes: “Eu os vi com estes olhos, assim como eu vejo você.”

              Grandes esforços têm sido feitos por historiadores racionalistas, como M. Anatole France, para explicar essas vozes como o resultado de uma condição de exaltação religiosa e histérica que tinha sido promovida em Joan por influência sacerdotal, combinadas com certas profecias atuais no campo da uma donzela da chesnu bois (madeira de carvalho), perto da qual a árvore de fada estava situado, que era para salvar a França por um milagre. Mas a falta de bases da análise dos fenômenos foi totalmente exposta por muitos não-católicos escritores. Não há uma sombra de evidência para apoiar esta teoria da sacerdotal conselheiros treinador Joan em uma parte, mas muito o que contradiz isso. Além disso, a menos que acusam a empregada doméstica de falsidade deliberada, que ninguém está preparado para fazer, que era as vozes que criou o estado de exaltação patriótica, e não a exaltação que precedeu as vozes. Seu evidências sobre esses pontos é clara.

              Embora nunca Joan fez qualquer declaração quanto à data em que as vozes revelou sua missão, parece certo que o chamado de Deus só foi dado a conhecer a sua gradualmente. Mas em maio de 1428, ela já não tinha dúvidas de que ela foi mandado para ir para a ajuda do rei, e as vozes se tornou insistente, exortando-a a apresentar-se a Robert Baudricourt, que comandou por Carlos VII, na cidade vizinha de Vaucouleurs. Esta viagem ela finalmente realizado um mês depois, mas Baudricourt, um soldado rude e dissoluto, tratada ela e sua missão com pouco respeito, dizendo para o primo, que a acompanhava: “Leve-a para a casa de seu pai e dar-lhe uma boa surra.”

              Enquanto isso, a situação militar do rei Carlos e seus partidários foi ficando cada vez mais desesperado. Orléans foi investido (12 de outubro de 1428), e até o final do ano completa derrota parecia iminente. Vozes de Joana tornou-se urgente, e até mesmo ameaçando. Foi em vão que ela resistiu, dizendo-lhes: “Eu sou uma menina má, eu não sei como andar ou lutar.” As vozes só reiterou: “É Deus quem o comanda.” Cedendo finalmente, ela deixou Domremy em janeiro de 1429, e visitou novamente Vaucouleurs.

              Baudricourt ainda estava cético, mas, como ela ficou na cidade, sua persistência gradualmente fez uma impressão sobre ele. Em 17 de fevereiro, ela anunciou uma grande derrota que se abatera sobre os braços franceses fora Orléans (Batalha dos Arenques). Como esta declaração foi confirmada oficialmente, alguns dias depois, sua causa ganhou terreno. Finalmente, ela foi sofrido para buscar o rei em Chinon, e ela fez seu caminho até lá com uma escolta delgado de três homens-de-armas, sendo ela vestida, em seu próprio pedido, em traje masculino -, sem dúvida, como uma proteção para sua modéstia em a vida dura do campo. Ela sempre dormiu totalmente vestido, e todos aqueles que eram íntimos com ela declarou que não havia algo sobre ela que reprimiu cada pensamento impróprio em seu respeito.

              Ela chegou a Chinon em 6 de março, e dois dias depois foi admitido na presença de Charles VII. Para testá-la, o rei disfarçou-se, mas ela imediatamente saudaram sem hesitação no meio de um grupo de atendentes. Desde o início de um partido forte na corte – La Trémoille, o favorito real, tudo entre eles – em oposição a ela como um visionário louco, mas um sinal secreto, comunicada a ela por suas vozes, que deu a conhecer a Charles, levou o rei , um pouco sem entusiasmo, a acreditar em sua missão. O que este sinal foi, nunca Joan revelado, mas agora é mais comumente acreditavam que este “segredo do rei” foi uma dúvida Charles tinha concebido da legitimidade de seu nascimento, e que Joan tinha sido sobrenaturalmente autorizada a definir em repouso.

              Ainda assim, antes de Joan poderia ser empregado em operações militares, ela foi enviada a Poitiers para ser examinada por uma comissão numerosa de bispos e doutores. O exame foi dos mais minucioso e de caráter formal. É lamentável ao extremo de que as atas do processo, para que Joan freqüentemente apelaram mais tarde, em seu julgamento, já completamente perdidos. Tudo o que sabemos é que sua fé ardente, simplicidade, honestidade e causou uma impressão favorável. Os teólogos não encontraram nada herético em suas reivindicações à orientação sobrenatural, e, sem se pronunciar sobre a realidade da sua missão, eles pensavam que ela poderia ser empregada com segurança e mais testado.

              Voltando a Chinon, Joana fez seus preparativos para a campanha. Em vez da espada do rei lhe ofereceu, ela pediu que a pesquisa pode ser feita por uma antiga espada enterrada, como ela asseverou, atrás do altar da capela de Ste-Catherine-de-Fierbois. Verificou-se no mesmo lugar suas vozes indicado. Não foi feito para ela, ao mesmo tempo um rolamento padrão as palavras de Jesus, Maria, com a imagem de Deus, o Pai, e anjos ajoelhados apresentando uma flor-de-lis.

              Mas talvez o fato mais interessante relacionada com esta fase inicial de sua missão é uma carta de um senhor de Rotslaer escrita de Lyon em 22 de Abril de 1429, que foi entregue em Bruxelas e devidamente registrados, como o manuscrito para o dia de hoje atesta, antes de qualquer dos eventos referidos recebeu seu cumprimento. A empregada doméstica, relata ele, disse “que iria salvar Orléans e obrigaria o Inglês para levantar o cerco, que ela mesma em uma batalha antes de Orléans seria ferido por um raio, mas não morrem da doença, e que o Rei, em o curso do próximo verão, seria coroado em Reims, juntamente com outras coisas que o rei mantém segredo. ”

              Antes de entrar em sua campanha, Joan chamou o rei da Inglaterra, a retirar suas tropas do solo francês. Os comandantes ingleses ficaram furiosos com a audácia da demanda, mas Joan por um movimento rápido entrou Orléans em 30 de abril. Sua presença ali de uma só vez trabalhou maravilhas. Ao 08 de maio os fortes ingleses que cercavam a cidade haviam sido capturados, e levantou o cerco, embora na Joan 7 foi ferido no peito por uma flecha. Medida em que a empregada doméstica foi ela queria acompanhar esses sucessos com toda a velocidade, em parte de um instinto guerreiro de som, em parte porque suas vozes já havia dito que ela tinha apenas um ano para durar. Mas o rei e os seus conselheiros, especialmente La Tremoille e do Arcebispo de Reims, demoraram a se mover. No entanto, em fervoroso apelo de Joan uma campanha curta foi iniciada sobre o Loire, o qual, depois de uma série de sucessos, terminou em 18 de junho com uma grande vitória em Patay, onde os reforços ingleses enviados de Paris, sob Sir John Fastolf foram completamente derrotados. O caminho para Reims era agora praticamente aberto, mas a empregada doméstica teve a maior dificuldade em persuadir os comandantes não se aposentar antes de Troyes, que foi a primeira fechada contra eles. Eles capturaram a cidade e, em seguida, ainda relutante, seguiu para Reims, onde, no domingo, 17 de julho, 1429, Carlos VII foi solenemente coroada, a empregada doméstica de pé junto com seu padrão, pois – como explicou – “como ele tinha compartilhado na labuta, era apenas que ele deve compartilhar a vitória. ”

              O principal objectivo da missão de Joana foi assim atingido, e algumas autoridades afirmam que já era o seu desejo de voltar para casa, mas que ela foi detida com o exército contra a sua vontade. A prova é de certa forma conflitantes, e é provável que Joan mesma não falar sempre no mesmo tom. Provavelmente ela viu claramente o quanto poderia ter sido feito para provocar a expulsão rápida do Inglês do solo francês, mas por outro lado ela era constantemente oprimido pela apatia do rei e de seus conselheiros, e pela política suicida que arrancou em cada isca diplomático expulso pelo duque de Borgonha.

              Uma tentativa abortada em Paris foi feita no final de agosto. Apesar de St-Denis foi ocupada sem oposição, o assalto que foi feito na cidade em 08 de setembro não foi seriamente apoiado, e Joan, enquanto heroicamente torcendo por seus homens para preencher o fosso, foi baleado na coxa com um parafuso de uma besta . O duque d’Alençon tirou quase à força, eo assalto foi abandonado. O inverso, sem dúvida, prejudicada prestígio de Joan, e pouco depois, quando, através de conselheiros políticos de Charles, uma trégua foi assinada com o duque de Borgonha, ela tristemente previsto braços sobre o altar de St-Denis.

              A inatividade do inverno seguinte, a maioria passou em meio ao mundanismo e do ciúme do Tribunal, deve ter sido uma experiência terrível para Joan. Pode ter sido com a idéia de consolá-la de que Charles, em 29 de Dezembro de 1429, a empregada doméstica enobrecido e toda a sua família, que, doravante, dos lírios em seu brasão de armas, eram conhecidos pelo nome de Du Lis. Era abril antes de Joan foi capaz de entrar em campo novamente no final da trégua, e em Melun suas vozes a conhecer-lhe que ela seria preso antes do Dia de Verão. Nem foi o cumprimento da profecia demorou. Parece que ela tinha se jogado em Compiègne em 24 de Maio ao nascer do sol para defender a cidade contra o ataque da Borgonha. À noite, ela resolveu tentar uma manobra, mas sua pequena tropa de algum 500 encontrou uma força muito superior. Seus seguidores foram expulsos e se aposentou lutando desesperadamente. Por algum erro ou pânico de Guillaume de Flavy, que comandou em Compiègne, a ponte levadiça foi levantado ainda muitos dos que tinham feito a surtida permaneceu fora, Joan entre o número. Ela foi puxada para baixo de seu cavalo e se tornou prisioneiro de um seguidor de João de Luxemburgo. Guillaume de Flavy foi acusado de traição deliberada, mas não parece haver razão suficiente para supor isso. Ele continuou a segurar Compiègne resolutamente para o seu rei, enquanto o pensamento constante de Joana durante os primeiros meses de seu cativeiro era escapar e vir a ajudá-lo na tarefa de defender a cidade.

              Não há palavras para descrever adequadamente a ingratidão vergonhosa e apatia de Charles e seus assessores em deixar a empregada doméstica ao seu destino. Se a força militar não tinha aproveitado, eles tinham prisioneiros como o Conde de Suffolk em suas mãos, para quem ela poderia ter sido trocado. Joana foi vendida por João de Luxemburgo para o Inglês por uma soma que equivaleria a centenas de milhares de dólares em dinheiro moderno. Não pode haver dúvida de que o Inglês, em parte porque temiam seu prisioneiro com um terror supersticioso, em parte porque eles tinham vergonha do medo que ela inspirou, foram determinadas a todo custo tirar a própria vida. Eles não podiam colocá-la à morte por ter vencido, mas eles poderiam levá-la condenado como uma bruxa e herege.

              Além disso, eles tinham uma ferramenta pronta para a sua mão em Pierre Cauchon, bispo de Beauvais, um homem inescrupuloso e ambicioso que era a criatura do partido da Borgonha. Um pretexto para invocar sua autoridade foi encontrada no fato de que a Compiègne, onde Joana foi capturado, estava na diocese de Beauvais. Ainda assim, como Beauvais estava nas mãos dos franceses, o julgamento teve lugar em Rouen – este último sendo ver naquele tempo vago. Isso levantou muitos pontos de legalidade técnica, que foram sumariamente liquidados pelas partes interessadas.

              O vigário da Inquisição em primeiro lugar, em algum escrúpulo de jurisdição, se recusou a participar, mas esta dificuldade foi superada antes do julgamento terminou. Durante o julgamento assessores Cauchon consistia quase inteiramente de franceses, para os teólogos mais parte e doutores da Universidade de Paris. Reuniões preliminares do tribunal ocorreu em janeiro, mas foi só em 21 de Fevereiro, 1431, que Joan apareceu pela primeira vez diante de seus juízes. Ela não era permitido um advogado, e, apesar de acusado em um tribunal eclesiástico, ela era toda ilegalmente confinado no castelo de Rouen, uma prisão secular, onde ela era guardada por soldados ingleses dissolutos. Joan se queixou amargamente disto. Ela pediu para estar na prisão igreja, onde ela teria atendentes. Foi, sem dúvida, para melhor protecção da sua modéstia sob tais condições que ela insistiu em reter seu vestuário masculino. Antes ela havia sido entregue ao Inglês, ela tinha tentado escapar desesperadamente atirando-se da janela da torre de Beaurevoir, um ato de presunção parecendo para o qual ela foi muito intimidado por seus juízes. Isso também serviu de pretexto para a dureza demonstrada em relação ao seu confinamento em Rouen, onde ela foi a primeira mantido em uma gaiola de ferro, acorrentados pelo pescoço, mãos e pés. Por outro lado, ela foi autorizada sem privilégios espirituais – por exemplo, a participação em massa – por conta da acusação de heresia e do vestido monstruosa (difformitate habitus) que ela estava usando.

              Quanto ao registro oficial do julgamento, que, tanto quanto a versão latina vai, parece ser preservado inteiro, nós podemos provavelmente confiar sua precisão em tudo o que se relaciona com as perguntas e as respostas retornadas pelo prisioneiro. Essas respostas são de todo favoráveis ​​para Joan. Sua simplicidade, piedade e bom senso aparecem em cada turno, apesar das tentativas dos juízes para confundir ela. Eles pressionaram ela a respeito de suas visões, mas sobre muitos pontos ela se recusou a responder. Sua atitude foi sempre destemido, e, após 01 de março, Joan anunciou corajosamente que “no espaço de sete anos do Inglês teria que perder um prêmio maior do que Orléans”. Na verdade Paris foi perdida para Henrique VI em 12 de novembro de 1437 – seis anos e oito meses depois. Foi, provavelmente, porque as respostas da empregada perceptivelmente ganhou simpatizantes para ela em uma grande assembléia que Cauchon decidiu realizar o resto do inquérito antes de um pequeno comitê de juízes da própria prisão. Podemos observar que a única questão em que qualquer acusação de prevaricação pode ser razoavelmente feita contra a respostas de Joan ocorre especialmente nesta fase do inquérito. Joan, pressionado sobre o sinal secreto dado ao rei, declarou que um anjo trouxe-lhe uma coroa de ouro, mas ainda questionando ela parece ter crescido confuso e ter contradito a si mesma. A maioria das autoridades (como, por exemplo, M. Petit de Julleville e Andrew Lang) estão de acordo que ela estava tentando guardar segredo do rei atrás de uma alegoria, ela própria ser o anjo, mas outros – por exemplo, P. Ayroles e Dunand Canon – insinuar que a precisão do procès-verbal não pode ser confiável. Em outro momento, ela foi prejudicada por sua falta de educação. Os juízes pediu-lhe para submeter-se a “Igreja militante”. Joan claramente não entendeu a frase e, embora dispostos e ansiosos para apelar ao papa, cresceu perplexo e confuso. Foi afirmado depois que a relutância de Joana para prometer-se a uma simples aceitação das decisões da Igreja foi devido a alguns conselhos insidiosa traição comunicada a ela para trabalhar sua ruína. Mas as contas desta alegada perfídia são contraditórias e improvável.

              Os exames encerrado em 17 de março. Setenta proposições foram então elaborados, formando uma apresentação muito desordenada e injusta de Joan “crimes”, mas, depois de ter sido permitido ouvir e responder a estes, um outro conjunto de 12 foram elaborados, melhor organizado e menos extravagante formulada. Com este resumo de seus crimes antes deles, a grande maioria dos juízes 22 que tomaram parte nas deliberações declarou visões de Joan e vozes de ser “falso e diabólico”, e eles decidiram que se ela se recusasse a retratar ela era para ser entregue ao braço secular – que era o mesmo que dizer que ela era para ser queimado. Certas advertências formais, no primeiro privada, e depois pública, foram administradas a pobre vítima (18 de Abril e 2 de Maio), mas ela se recusou a fazer qualquer apresentação que os juízes poderiam ter considerado satisfatório. Em 09 de maio, ela foi ameaçada de tortura, mas ela ainda se manteve firme. Enquanto isso, as 12 proposições foram apresentadas à Universidade de Paris, que, por ser extravagante Inglês em simpatia, denunciou a empregada doméstica em termos violentos. Forte nesta aprovação, os juízes, 47 em número, procedeu a uma deliberação final, e 42 reafirmou que Joan deve ser declarado herético e entregues ao poder civil, se ela ainda se recusou a retratar. Outra advertência seguido na prisão em 22 de maio, mas Joan permaneceu inabalável. No dia seguinte, uma estaca foi erigido no cemitério de St-Ouen, e na presença de uma grande multidão, ela foi solenemente advertiu para a última hora. Depois de um corajoso protesto contra reflexões insultar o pregador em seu rei, Carlos VII, os acessórios da cena parece finalmente ter trabalhado sobre a mente eo corpo desgastado por tantas lutas. Sua coragem, por uma vez falhou. Ela consentiu em assinar algum tipo de retração, mas o que os termos precisos do que a retração foram nunca será conhecido. No registro oficial do processo de uma forma de retração é inserido no que é mais humilhante em cada detalhe. É um documento longo que levaria meia hora para ler. O que foi lido em voz alta para Joan e foi assinado por ela deve ter sido algo muito diferente, por cinco testemunhas no julgamento de reabilitação, incluindo Jean Massieu, o funcionário que tinha se lê-lo em voz alta, declarou que era apenas uma questão de algumas linhas . Mesmo assim, a pobre vítima não assinar incondicionalmente, mas claramente declarou que ela só retraído, na medida em que era a vontade de Deus. No entanto, em virtude desta concessão, Joan não foi então queimado, mas conduzido de volta para a prisão.

              O Inglês e burgúndios estavam furiosos, mas Cauchon, ao que parece, aplacado-los, dizendo: “Vamos ter ela ainda.” Sem dúvida, sua posição seria agora, em caso de reincidência, ser pior do que antes, sem retratação segundo poderia salvá-la das chamas. Além disso, como um dos pontos sobre os quais ela havia sido condenado era o uso de vestuário masculino, a retomada do traje que se constituem por si só uma recaída em heresia, e isso dentro de alguns dias aconteceu, devido, que foi posteriormente alegado, a um armadilha deliberadamente colocada por seus carcereiros com a conivência de Cauchon. Joan, seja para defender sua modéstia de indignação, ou porque vestes suas mulheres foram levados a ela, ou, talvez, simplesmente porque ela estava cansado da luta e estava convencido de que seus inimigos estavam determinados a ter seu sangue em cima de algum pretexto, mais uma vez colocar no vestido do homem que havia sido deixado propositadamente no seu caminho. O fim agora veio logo. Em 29 de maio, um tribunal de 37 juízes decidiram por unanimidade que a empregada doméstica deve ser tratado como um herege reincidente, e esta frase foi realmente realizado no dia seguinte (30 de maio de 1431) em meio a circunstâncias de pathos intenso. Ela disse que, quando os juízes a visitou no início da manhã, o primeiro a ter cobrado Cauchon com a responsabilidade de sua morte, solenemente apelando dele a Deus, e depois de ter declarado que “suas vozes a enganou.” Sobre este último discurso dúvida deve sempre ser sentida. Nós não podemos ter certeza se essas palavras nunca foram usados, e, mesmo que fosse, o significado não é claro. Ela foi, no entanto, autorizado a fazer a sua confissão e receber a comunhão. Seu comportamento no jogo era como se mover até mesmo seus inimigos ferrenhos às lágrimas. Ela pediu uma cruz, que, depois de ela ter abraçado, foi realizada antes de ela enquanto ela chamado continuamente invocam o nome de Jesus. “Até o último”, disse Manchon, o gravador no julgamento “, ela declarou que suas vozes veio de Deus e não tinha enganado ela”. Após a morte de suas cinzas foram jogadas no rio Sena.

              Vinte e quatro anos depois de uma revisão de seu julgamento, a reabilitação de procès, foi aberta em Paris, com o consentimento da Santa Sé. O sentimento popular era então muito diferente, e, com raras exceções, mas as, todas as testemunhas estavam ansiosos para tornar a sua homenagem às virtudes e dons sobrenaturais da empregada doméstica. O primeiro teste foi efectuado sem referência ao papa, na verdade, foi realizado em desafio de recurso Santa Joana para o chefe da Igreja. Agora, um tribunal de apelação constituído pelo papa, após longa investigação eo interrogatório de testemunhas, inverteu e anulou a sentença proferida por um tribunal local, sob a presidência do Cauchon. A ilegalidade dos processos antigos foi claro, e fala bem para a sinceridade deste novo inquérito que não poderia ser feito sem causar algum grau de reprovação sobre o Rei da França e da Igreja em geral, visto que uma tão grande injustiça tinha sido feito e por tanto tempo foi sofrido para continuar unredressed. Mesmo antes do julgamento de reabilitação, observadores argutos, como Eneas Sylvius Piccolomini (mais tarde Papa Pio II), embora ainda em dúvida quanto à sua missão, tinha algo discernido do caráter celeste da empregada doméstica. Na época de Shakespeare, ela ainda era vista na Inglaterra como uma bruxa em conluio com os demônios do inferno, mas uma estimativa mais justa tinha começado a prevalecer até mesmo nas páginas de “História da Britaine Grande” Speed ​​(1611). Até o início do século XIX, a simpatia por ela, mesmo na Inglaterra, foi geral. Escritores como Southey, Hallam, Turner Sharon, Carlyle, Landor, e, acima de tudo, De Quincey cumprimentou a empregada doméstica com uma homenagem de respeito que não foi superada até mesmo em sua própria terra natal. Entre seus compatriotas católicos ela tinha sido considerada, até mesmo em sua vida, como divinamente inspirada.

              Por fim, a causa da sua beatificação foi introduzido em ocasião de um apelo dirigido à Santa Sé, em 1869, por Dom Dupanloup, bispo de Orléans, e, depois de passar por todas as suas etapas e devidamente confirmados pelos milagres necessários, o processo terminou no decreto a ser publicado por Pio X em 11 de Abril de 1909. Uma missa e Escritório de Santa Joana, a partir da “Comuna Virginum”, com “bom” orações, foram aprovados pela Santa Sé para uso na Diocese de Orléans.

              Curtir

            • Manuel da Costa disse:

              A igreja Católica condenou pessoas a fogueira????? ahhhh o irmão Rafael estava presente??? ahhh.
              vai estudar a história meu irmão ,quem colocou pessoas a fogueira foi o estado porque na época era crime de estado ensinar erros de doutrina.

              Pax domini

              Curtir

        • EDMILSON disse:

          RAFAEL EU SÓ DISSE QUE NÃO IRIA MAIS RESPONDER E NEM PUBLICAR AS SUAS LOROTAS E FANTASIAS COM AS MINHAS RESPOSTAS

          E OUTRA RAFAEL ESSE BLOG PERTENCE A HELEN E NÃO A MIM

          E MAIS MEU CARO RAFAEL

          SAIBAS QUE TODOS OS MEUS ESTUDOS SÃO BASEADOS NA TEOLOGIA E NA FILOSOFIA JUNTO COM A HERMENÊUTICA ASSOCIADO COM ELEMENTOS DE EXEGESE E APOLOGÉTICA BÍBLICA

          EM LINGUAGEM QUE VAI DO HEBRAICO PRIMITIVO COM SEUS COSTUMES E TRADIÇÕES QUE GERARAM OS SEUS FONEMAS E SUAS ORIGENS

          JUNTO COM O IDIOMA DO ARAMAICO E SUAS RAÍZES
          COMO TAMBÉM NA LÍNGUA GREGA QUE VAI DO GREGO CLÁSSICO AO GREGO KOINÉ

          E MAIS MEU CARO RAFAEL APRENDA QUE TODOS OS ESTUDOS HISTÓRICOS

          TEM QUE NOS FORNECER ELEMENTOS COMO FONTE HISTÓRICA E TESTEMUNHAS OCULARES DOS FATOS VERÍDICOS DE SUA ÉPOCA

          COMPROVADOS PELA ARQUEOLOGIA PELA GEOLOGIA E PELA GEOGRAFIA

          E TAMBÉM PELA CIÊNCIA PROFUNDA DA HISTÓRIA EM TODA UMA HARMONIA SEM CONTRADIÇÕES

          AGORA RAFAEL NOS MEUS DADOS DE ESTUDOS TENHO UMA LISTA COM MAIS DE 40 MIL VOLUMES QUE VAI DO ANO 700 ANTES DE CRISTO AO ANO 1480

          QUE VAI DE ESCRITORES E HISTORIADORES DE DENTRO E DE FORA DA IGREJA

          E SAIBAS RAFAEL QUE NENHUM DELES NEGOU O PRIMADO DE SÃO PEDRO EM ROMA

          OU QUE AFIRMOU QUE CONSTANTINO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA

          OU QUE A IGREJA MATOU NA INQUISIÇÃO
          MEU CARO RAFAEL ISSO É FABULA A IGREJA NÃO MATOU NINGUÉM

          AGORA RAFAEL SE VOCÊ É INTELIGENTE SIGA MEU CONSELHO

          SE VOCÊ SOUBESSE QUEM SÃO OS HISTORIADORES PROTESTANTES
          OLHA ELES SÃO PAGOS PELA MÍDIA PROTESTANTE

          PARA ESCREVER HERESIAS E MENTIRAS PARA ASSIM FAZER E VENDER LIVROS COM CALUNIAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA

          OLHA RAFAEL ESSES HISTORIADORES DE FUNDO DE QUINTAL ADULTERAM FRASES DOS PADRES DA IGREJA

          TEM UNS PIADISTAS QUE ESCREVERAM QUE A IGREJA QUEIMOU A JOANA D’ARC E O PIOR É QUE ESSA FARSA COLOU EM MUITOS

          E MAIS RAFAEL ELES INVENTARAM QUE EXISTIU UMA PAPISA
          E OUTROS INVENTARAM QUE CONSTANTINO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA COM HISTORIAS SEM NENHUMA FONTE HISTÓRICA QUE CHEGO A RIR

          RAFAEL VOU TI DA SÓ UMA DICA EU POSSO INVENTAR UM LIVRO E DIZER QUE PLATÃO NUNCA EXISTIU QUE SEUS LIVROS FORAM PLAGIADOS E QUE PLATÃO ERA MITO E QUE NUNCA EXISTIU

          AGORA RAFAEL SE EU VENDESSE 1 BILHÃO DE LIVROS AFIRMANDO ESSA TAL CALUNIA CONTRA PLATÃO

          SAIBAS QUE AINDA ACREDITARIA EM MIM QUEM COMPRASSE ESSE LIVRO E QUEM NÃO ENTENDE NADA DE PATRÍSTICA E HISTORIA

          AGORA RAFAEL SE VOCÊ FOR NA FONTE DOS FATOS DA VIDA E OBRA DE PLATÃO QUAL QUER UM SABERIA QUE ISSO QUE EU AFIRMEI ERA MENTIRA E CONTRADIÇÃO

          ASSIM É A INQUISIÇÃO MEU CARO RAFAEL QUE ELES PREGAM CONTRA A IGREJA DE TER MATADO MILHÕES ISSO É UMA PIADA PARA TI PROVAR RAFAEL

          EU SÓ TI PEÇO UMA FONTE HISTÓRICA DA ÉPOCA NÃO EXISTE RAFAEL

          O QUE EXISTE COMO TI FALEI É LIVROS DE ESTORIA COM PONTOS DE VISTA ISSO É FABULA

          VAI UM CONSELHO RAFAEL

          ICAR NÃO EXISTE POIS É FABULAS DAS SATÂNICAS SEITAS PROTESTANTES AO SE REFERIR A IGREJA DE CRISTO

          OLHA RAFAEL EU TI DOU UNS 200 LIVROS SOBRE A INQUISIÇÃO EM QUE FORAM TODOS REFUTADOS POIS NÃO PASSAM DE AMADORISMO E FALSIFICAÇÕES BARATAS

          VEJA AQUI ALGUMAS

          A VERDADE DOCUMENTAL:

          O autor deste embuste é o “pastor” Lauro de Barros Campos, que vende apostilas contendo essas lorotas, também espalhadas por outros malandros que as difundem pela Internet para rapinar na ignorância dos incautos.
          .

          DESMASCAREMOS ENTÃO, AS FANTASIOSAS “MATANÇAS” DA IGREJA:

          1º – Ele calunia que: “Em 1208 exterminaram os cristãos Albigenses”.
          – Resposta: nenhuma bula papal pregou a violência, nem a morte de hereges. A história registra: <> (Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606).

          O Papa Alexandre III escreveu: “Mais vale absolver culpados do que, por excessiva severidade, atacar a vida de inocentes… A mansidão mais convém aos homens da Igreja do que a dureza”. H. C. Lea cita 47 bulas nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos. Alertam para não cair na violência e injustiças freqüentes dos juizes leigos. (Hansen, Zauberwahn…, op. cit., pp. 24s).

          É sabido que, alguns cristãos, enviados para convertê-los, longe do controle do Papa desentenderam-se em lamentável confronto com estes maus católicos apostatas, os Albigenses, que pregavam que satã era outro deus, rejeitavam os sacramentos, declaravam ser pecado casar, eram sexualmente permissivos, evitavam a gravidez e encorajavam o aborto. É uma heresia chamar estes de “cristãos Albigenses” pois estes eram dualistas, tinham também Satã, como deus. (Enciclopédia Encarta 99). É também uma falsidade, querer atribuir isso a Igreja. Seria o mesmo que condená-la por causa de Judas Scariotes.

          2º – O fantasioso “pastor”, alega que o “frade” TORQUEMADA anos 1420-98, “comandou 8 anos, a morte de 10.200 protestantes e intelectuais queimados vivos”. E exclama o caluniador: “foi horrível!”

          – Resposta: PURA FANTASIA!!! O monge TORQUEMADA morreu em 1498, o protestantismo é de 1517. Em 1483, este monge foi dispensado à trabalhar para os reis Isabel e Fernando, que o usaram politicamente, sem vínculo com a Igreja. E para a surpresa do fantasioso “pastor”, que deu gritinhos de “foi horrível!”, e inventava a morte de “10.200″, desmoralizamo-lo: o grande historiador Agostino Borromeu, constatou que dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 pessoas, longe do aval do Papa. Ou seja, condenou-se apenas 1,8% e destes, 1,7% eram bonecos queimados em lugar dos ausentes. Os tribunais eclesiásticos foram muito mais indulgentes, que os civis e protestantes que mataram 25.000 só na Alemanha, sendo o matador recordista o luterano Benedict Carpzov que matou 20.000 mulheres, Fontes: (Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM), (Benedict Carpzov, Practica Nova Rer. Criminalium Imperialis Saxonica in 3 Partes Div., Wittenberg, 1635.).

          Como vemos, o embusteiro andou contabilizando bonecos queimados como “protestantes”. Agora ele sabe porquê nunca pediram indenização por terem parentes mortos pela Igreja. Tem mais, seu citado “bispo Hopper” foi morto pela rainha Maria I, filha do protestante rei Henrique VIII. Não pela Igreja Católica.

          3º – Omitindo as 900 mortes documentadas, que cometeu o protestante inquisidor Nichólas Romy*, o “pastor” solta uma nuvem de fumaça, inventando números falsos de “mortos pela Igreja” na Espanha, sem nenhuma base documental e desmascarados pelos conclusivos estudos acima, apresentado pelo historiador Borromeu à Agência Zenit, justamente sobre a Espanha que ele tanto adora caluniar. (*Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.).

          4º – O embusteiro “pastor” alega que Carlos V, anos 1500-58, teria “eliminado” por ordem de um suposto papa(?) “50 mil cristãos alemãs”.
          – Resposta: PURA CALÚNIA! Carlos V, era imperador germânico, reconheceu a divisão religiosa do Império, legalizando, pela primeira vez, o luteranismo na Alemanha. Embora não tenha permitido uma satisfação completa, garantiu 50 anos de paz religiosa na Alemanha. Nunca recebeu “ordem” de algum Papa. Na batalha de Mühlberg, em 1547, repeliu e venceu um insurgente e armadíssimo exército protestante, chamado de Liga Esmalcalda. Que fique claro, esta batalha foi política e não religiosa. (Enciclopédia Microsoft Encarta 99).

          5º – Aqui o velhaco “pastor” inventa que: “o Papa Pio V, exterminou 100 mil anabatistas”.
          – PURA CALÚNIA! Aos 25/6/1535, o povo da cidade alemã de Münster, exterminou os invasores e POLÍGAMOS anabatistas, outros 30 mil e seu líder Thomas Munzer, foram exterminados pela vontade de Lutero, conforme registro oficial da história. (VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Ed, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-249). (Revista Pergunte & Responderemos. 03/97)./

          6º – O desleal “pastor” querendo ridiculamente atribuir a morte dos huguenotes ao Papa Gregório XIII e aos Jesuítas, alega falsamente que estes “organizaram” a morte de 70 mil huguenotes.
          – PURA CALÚNIA! Este fato envolvendo disputas políticas entre a Rainha Catharina de Medici e o protestante almirante Coligny, aconteceu na França, quando o Papa estava em Roma e os Jesuítas ausentes àquele casamento da filha da rainha com um protestante. Uma falsa notícia, sem outros meios de comunicação na época, chegou a Roma dando conta que os huguenotes haviam atentado contra o rei e a rainha, que teriam vencido os huguenotes bravamente escapando ilesos. Sendo todos em Roma amigos do rei e da rainha franceses, festejaram sua resistência, ocasião em que o Papa Gregório XIII, sem maldade e diplomaticamente, solicitou em ação de graças que se cumprissem todas as cerimônias de praxe. Diz um documento da época: <> (DEVIVIER, Pe. W., SJ. Curso de Apologetica Christã, 3ª ed., São Paulo: Melhoramentos, 1925, pp. 426-429). A conclusão que se tira é de uma mera questão política entre a rainha Catharina e o político protestante Coligny.

          Teve muita parte na vulgarização desta lenda do “pastor” a mal intencionada ‘ópera dos Huguenots’, em que colocam o cardeal de Lorena, que nesta ocasião estava em Roma, a abençoar em Paris os punhais destinados a morte dos huguenotes. Pura manobra protestante, Calunia desfeita.

          7º – A alegação do hilário “pastor”, de que: “Em 1590 o catolicismo eliminou 200 mil cristãos huguenotes”. É uma farsa gratuita, que desafia o pai da mentira. Pois, pela graça de Deus, em 1593, o novo líder dos protestantes huguenotes, Henrique IV, que escapou do citado massacre da rainha, converteu-se voluntariamente e definitivamente ao Catolicismo, este proclamou o Edito de Nantes, que trouxe a paz. (Enc. Microsoft Encarta 99). Se fosse a Igreja que tivesse exterminado os protestantes huguenotes, como iría seu líder se converter ao Catolicismo???

          8º – Omitindo que os luteranos promoveram o maior massacre da história da humanidade, segundo Maurice Andrieux, no dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma. O velhaco “pastor” calunia, querendo sem fundamento algum, juntar os odiados por ele jesuítas, ao imperador alemão Fernando II, que venceu todas as guerras contra os afoitos protestantes. Nunca os Jesuítas se juntaram a este imperador. (Enciclopédia Microsoft Encarta 99).

          Está desmantelada a farsa protestante, que tentava colocar a Igreja Católica, fundada por Jesus Cristo, como instituição criminosa.

          Este foi o modo que encontraram para abafar os massacres do protestante Benedict Carpzov, que tendo se vangloriado de ter lido a bíblia 56 vezes, assinou sentença de morte para 20.000 mulheres. (Benedict Carpzov, Practica Nova Rer. Criminalium Imperialis Saxonica in 3 Partes Div., Wittenberg, 1635.).

          Curtir

    • OLIVEIRA disse:

      RAFAEL E SUAS IDEOLOGIAS BARATAS E HERÉTICAS

      CARA VOCÊ ESTÁ CONTAMINADO PELA BURRICE E IGNORÂNCIA
      VOCÊ NÃO VAI ENTENDER NUNCA A VERDADE

      E POR ISSO VAI CONTINUAR NAS BLASFÊMIAS E HERESIAS SÓ LAMENTO POR VC

      Curtir

      • Rafael disse:

        Respeito a opinião de vocês, embora não concorde com elas.
        Salve Constantino!!!

        Curtir

        • Helen disse:

          Rafael,

          Faz-nos rir! Não estamos a discutir opiniões, mas fatos. “Salve Constantino?” Quer dizer que “na sua opinião”, mesmo que completamente errada, constantino fundou a Igreja? Depois de tanto verbo o sr ainda bate nesta tecla? Isso não é opinião, sr Rafael. É fato. Constantino oficializou o cristianismo no Império Romano. Ou seja, legalizou a adoração ao Senhor, dispensando os cristãos do absurdo de adorar ao Imperador. Isso consolidou o estabelecimento da fé cristã e da Igreja Católica, fundada por Cristo. Isto, não “opinião”, é fato. Portanto, o sr não tem que “respeitá-la”. Tem sim que aceitá-la, se não quiser fazer papel de tolo e ignorante, claro!

          Pax

          Curtir

        • PAULO disse:

          RAFAEL VOCÊ É UM COITADO NÃO SABE NADA DE HISTÓRIA

          VOU TI DA UMA AULA CONSTANTINO SÓ TEVE UM HISTORIADOR EM VIDA QUE SE CHAMA EUSÉBIO DE CESAREIA

          E MAIS RAFAEL CONVERSADOR

          NÃO EXISTE NADA NENHUM ESCRITOR OU HISTORIADOR DE FORA OU DENTRO DA IGREJA QUE ESCREVEU OU AFIRMOU QUE CONSTANTINO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA

          RAFAEL ESSA LENDA DE CONSTANTINO SURGIU QUANDO A SATÂNICA SEITA PROTESTANTE SURGIU AO MUNDO COM LUTERO

          TI FAÇO UM DESAFIO RAFAEL ME MOSTRE UM ESCRITOR OU HISTORIADOR QUE AFIRME ESSA DOENÇA MENTAL DE CONSTANTINO TER FUNDADO A IGREJA ME MOSTRE SEU LIXO

          OLHA DO ANO 300 DA ERA CRISTÃ AO ANO 1400 NÃO EXISTE NADA DESSAS FABULAS SÓ DEPOIS DA VINDA DO DEMÔNIO LUTERO QUE ISSO COMEÇOU A SER ESCRITO PARA ILUDIR DOENTES ANALFABETOS COMO VOCÊ RAFAEL

          Curtir

          • Rafael disse:

            Querido Paulo, em momento algum falei que Constantino fundou a ICAR, leia tudo novamente, e verá que isso foi um julgamento teu e da Helen. Julgar, é um ato próprio de muitos de vocês. Salve Constantino! Qual o problema nessa afirmação?
            Vc não salva maria, santos e anjos? Eu fiz um salve a Constantino…. o resto foram vocês que imaginaram. Eu sou responsável apenas pelo que eu disse, não pelas coisas que você entendeu!
            Quanto a História, tenho muito acesso a ela, mas de fontes menos tendenciosas do que os autores que vocês citam, mais que vocês até, mais deixando-a parte, não é necessário eu recorrer a ela para ver do que um CAR é capaz.
            Vejam, só aqui nesse blog, já vi vocês se refererirem a mim como com inúmeros qualificativos que um Cristão verdadeiro não usaria. Supondo que eu fosse o mais herege dos seres humanos, o que será que Cristo falaria? ou será que ele usaria os qualificativos que vocês, tão Cristãos usaram? Não sei… Eu imagino que se um de vocês estivesse na presença dele quando disse: Aquele que não tem pecado que jogue a primeira pedra. Talvez desfecho da história não fosse o mesmo….

            Eu sei que vc não acredita muito na Bíblia, mas ela chama essa prepotência tua de “consciencia cauterizada”. Eu acredito que vc realmente acredita em tudo o que fala, e talvez seja muito sincero naquilo que você acredita, mas a sinceridade do teu coração não basta… Se você pegar a estrada que vai do Rio de Janeiro para Salvador, por mais sincero que vc seja e por mais que acredite que está na estrada correta, você jamais chegará a Porto Alegre, entende?

            E talvez, andando nessa estrada que acredita ser a correta, não para em momento algum para consultar o mapa, ou para perguntar a alguém se realmente estava no caminho certo. Talvez quem te deu as informações que vc acredita tanto te levarem onde quer chegar, talvez seja o ultimo interessado em que vc chegue lá!!!

            Abraços Paulo.

            Curtir

            • EDMILSON disse:

              RAFAEL PIADISTA EU TI FAÇO UM DESAFIO PARA VOCÊ OU PRA QUAL QUER HISTORIADOR PROTESTANTE DE FUNDO DE QUINTAL

              Olha RAFAEL sobre a inquisição, TI FAÇO UM DESAFIO A VOCÊ OU A QUAL QUER HISTORIADOR PROTESTANTE DE FUNDO DE QUINTAL a me que mostra um só documento do século XIII ao século XV ondem um Cristão diz que o tribunal do Santo Oficio condenou alguém a morte, aliás, RAFAEL eu peço a você como QUAL QUER HISTORIADOR PROTESTANTE DE FUNDO DE QUINTAL

              Que encontre nos escritos de Lutero algo sobre a Igreja mandar matar alguém, RAFAEL HEREGE OLHA no dia que um protestante me mostrar um só documento, ai debatermos sobre inquisição.

              No mais, RAFAEL o tribunal do santo oficio que existe até hoje nunca condenou ninguém a morte, a única coisa que ele fez foi excomungar hereges como fez com Lutero, ou você acredita que se a igreja matasse seus adversários teria deixado Lutero e Calvino vivo?

              RAFAEL HEREGE com toda a certeza sua língua será cortada no momento que você entrar no inferno por caluniar a Santa Igreja.

              SEUS COMENTARIO NÃO SERÃO MAIS PUBLICADOS, motivo, papagaiadas.

              Curtir

  6. Andre disse:

    Bom dia Helen. Parece claro para você. Você faz exatamente o trabalho que todos os católicos deveriam fazer. A maior parte dos católicos desconhece os conceitos básicos da fé católica. Para os ex católicos ou que se diziam católicos que abraçaram o protestantismo teremos de fato mais trabalho. Mas temos que começar a evangelizar desde já os que ainda estão na Igreja. Católico ignorante, futuro protestante. O problema todo começa pelas premissas falsas do protestantismo. A premissa maior que demanda os demais equívocos é o “Só a Bíblia”. Se você reparar, todo debate com um protestante começa pela Bíblia. Muitas vezes os católicos não se dão conta disto. É uma nítida vantagem para eles. Imagina um time de futebol com 15 jogadores e 2 goleiros jogando contra outro com a metade dos jogadores e sem goleiro ?
    O conceito “Sola Scriptura” foi criado por Lutero. Não foi criado por Jesus ou pelos apóstolos. Nem está na Bíblia e muito menos foi a Igreja Católica que o definiu. Não há um só concílio que ensine esta doutrina. No entanto, grande parte dos católicos aceita iniciar o debate com um protestante a partir do critério que deveria valer só para eles. Antes de se começar um debate é preciso definir regras. É assim em qualquer lugar. Duas crianças jogando botões definem previamente o que vale e o que não vale. O protestante sutilmente inicia o debate a partir da Bíblia e ensinando um critério para o qual não estamos obrigados. Ele se prevalece da ignorância dos católicos. Primeiro o protestante teria que provar para nós que o critério “Sola Scriptura” é o critério que deve ser entendido como critério correto, divino, adequado. E tal ele não pode provar e sabe disto. E nós que fomos ensinados pela Igreja Católica que devemos crer na Bíblia, somos incapazes de contestar este critério protestante, pois nos soa como se tivessemos desacreditando da Bíblia. É algo muito sutil que poucos percebem. Temos que ensinar aos católicos os critérios definidos por Jesus e pelos seus reais sucessores para que ninguém cai na armadilha protestante de debater a partir dos conceitos ensinados pelo filho de lúcifer Marinho Lutero.

    Curtir

  7. Lilian disse:

    PROTESTANTE ACEITA A IGREJA CATÓLICA E NEM DESCONFIA

    O protestante não tem nem condições de saber por ele mesmo se a Bíblia é ou não a palavra de DEUS.
    Também posso escrever um livro e dizer que se trata da palavra de DEUS e posso eu mesmo me proclamar o messias.
    Os judeus dizem que a Torah é palavra de DEUS.
    Os mulçumanos dizem que é o Corão.
    Todo livro precisa de uma autoridade que lhe de credibilidade. No caso da Bíblia é a igreja. O protestante faz o contrário. Ele faz da Bíblia coluna e sustentáculo da verdade quando a própria Bíblia define a igreja como coluna e sustentáculo(Timóteo). A Bíblia é filha da igreja e não sua mãe. Os cristãos dos 03 primeiros séculos não dispunham da Bíblia. E como eram eles ensinados e como ensinavam ? Graças a tradição oral. Assim o apóstolo Paulo disse muito bem: “Guardai tudo que vos foi transmitido quer por espístola ou nao.” Transmissão escrita e oral.
    Como pode o protestante saber que a Bíblia é a palavra de DEUS ?
    Ele não crê na Igreja Católica. Nós católicos cremos na igreja e a igreja nos diz que devemos crer na Bíblia.
    Jesus não apareceu a qualquer protestante para dizer que a Bíblia é a palavra de DEUS e que deve ser entendida como tal.
    E nem a Bíblia explica-se por si só. Pelo contrário. A Bíblia diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade.
    E se a Bíblia dissesse de si própria ser a única regra de fé, pelas palavras de Jesus sabemos que todo testemunho de si próprio deve ser tomado por inválido. Recordemos as palavras de Jesus: “Eu dou testemuho do pai e o pai dá testemunho de mim.”
    O protestante crê na Bíblia porque foi ensinado pela Igreja Católica. A maioria dos evangélicos são ex católicos. Quando alguém se dirige a um destes com uma Bíblia, automaticamente se dá crédito ao palestrante porque se aprendeu neste país a se confiar na Bíblia.
    Do contrário, o protestante só pode crer na Bíblia pela informação do homem.
    Lutero disse para crer e muitos creram. Macedo diz para crer e outros crêem.
    A prova de que o protestante pratica sua fé com base nas informações dos homens está na própria escolha que ele faz da Bíblia que pretende seguir.
    A Bíblia não informa quais são os livros inspirados.
    A Biblia não define qual é a Bíblia correta. Católica ou protestante ?
    A Bíblia não diz quantos livros devem dela fazer parte.
    A Bíblia não define o tradutor Lutero como alguém em que pode confiar ou João Ferreira de Almeida como tal.
    Ora, sabemos que Jesus não veio do céu para explicar tudo isto ao protestante.
    Nem foi a igreja católica que lhe ensinou a respeito disto. Até porque se fosse o caso, ele naturalmente rejeitaria a explicação.
    De onde o protestante conclui que sua Bíblia é a Bíblia que deve ser sua regra de fé se não pela informação que ele tem outros homens ?
    A única fonte não humana para dar credibilidade a Bíblia é a Igreja. E esta igreja é Católica e não Universal ou Bola de Neve ou Cuspe de Cristo.
    Se o protestante rejeita a Igreja Católica como fonte não humana, automaticamente está assumindo que suas fontes são meramente os homens pecadores e falíveis.
    O protestante faz como sempre tudo ao contrário. Parte de critérios humanos para definir o que é divino.
    O católico parte dos critérios divinos para reconhecer o que é de DEUS e o que é do homem.
    O protestante inão sabe porque se deve crer na Bíblia e nem tem condições de provar ser a Bíblia a palavra de DEUS se não aceitar o testemunho da Igreja.
    E pior, dizendo ser a Igreja Católica obra de Constantino, acaba por admitir que sua Bíblia é obra do homem Lutero, ex sacerdote da suposta Igreja de Constantino.
    Não por acaso a Bíblia diz: “Igreja Coluna e Sustentáculo da Verdade.”. O protestante como de costume, escolhe o texto que pretende seguir da Bíblia e este é um texto que ele prefere ignorar. Como disse Santo Agostinho, se você crê apenas no que deseja da Bíblia, não é na Bíblia que você crê, mas apenas em você mesmo.
    Autor: A.Silva – Livre divulgação mencionando-se o autor

    Curtir

    • Helen disse:

      Lilian,
      A citação de Sto Agostinho: “se vc crê apenas no que deseja da Bíblia, não é na Bíblia que crê, mas em si mesmo” revela o âmago do problema da protestantismo, onde cada um é o próprio “papa”!

      Curtir

      • Andre disse:

        Reproduzindo: A.Silva/V.De Carvalho

        Cada protestante é uma espécie de super Papa infalível para si mesmo. Sua leitura bíblica é sempre superior à leitura bíblica alheia. Apenas os mais acomodados que não desenvolvem o hábito da leitura bíblica é que irão permanecer seguindo pregadores e denominações. E isto é desastroso, pois muitas vezes nos deparamos com ignorantes guiando ignorantes. .

        Por outro lado, aqueles mais preparados e mais estudiosos logo descobrirão que “sabem mais” do que seus mestres e professores. Estes mesmos farão críticas aos seus próprios pares e definirão por conta própria quem pratica ou não heresias.

        O dedicado e comprometido protestante não compreende que ele vive um ciclo vicioso e viciado. Vicioso porque se repete. Viciado porque todos cometem os mesmos erros. Se o protestante defende a livre interpretação da Bíblia terá que conviver com os ignorantes e os maus que se utilizam da Palavra de DEUS para proveito próprio.

        Pensa este protestante que o meio de evitar as heresias e deformações seja o estudo bíblico mais aprofundado. Tem gente clamando por um vigoroso e generalizado estudo bíblico no meio protestante como forma de combater as heresias.

        Engana-se este evangélico de boa-fé. Quanto mais estudo e teologia sem o alicerce de um magistério confiável, mais e mais a cada dia surgirão novos pseudo mestres e “sábios” que eventualmente condenarão até mesmo os bons professores e estes novos “sábios” fundarão novas seitas que produzirão novos “estudiosos” que, seguindo os passos dos primeiros também se dividirão e introduzirão novas heresias. E o ciclo se repete ininterruptamente.

        Todo aquele que estuda a Bíblia fora da orientação das autoridades legítimas constituídas pelo Senhor Jesus acaba pensando saber mais do que os outros. Quanto mais “sábio”, mais se pretende ensinar e menos se pretende aprender.

        Um aluno de escola regular estuda história sob a tutela do professor. Ele não pode mudar a seu bel prazer os fatos ocorridos e alterar a ordem dos acontecimentos ou as personagens envolvidas. O professor está presente para lhe corrigir e restabelecer a verdade para que os demais não sejam contaminados pelos enganos daquele aluno.

        Sem magistério confiável que define todas as coisas, cada qual está por conta própria e tudo fica ainda pior quando todos se dizem inspirados pelo Espírito Santo, o que dá “certeza” a cada intérprete de que sua doutrina é a doutrina correta.

        Por outro lado, constituir um magistério que defina todas as coisas aniquilaria o próprio protestantismo que pretendia, segundo seus adeptos, promover a liberdade na interpretação da Bíblia e o rompimento com submissão de qualquer espécie, em especial a submissão à Igreja de Roma e ao Santo Padre.

        O protestantismo não tem saída. Não há como evitar o progresso em larga escala de maus pregadores, hereges e seitas de toda ordem.

        Comentário:

        Não por acaso assistimos por aí toda a sorte de doutrinas espúrias. Unção da galinha, unção do boi, unção do leão, teologia da prosperidade, unção da lama, unção do chifre, unção da vassoura, benção do aeroporto, unção do zoológico, regeressão ao útero materno, evangelho judaízante, pregação pelo divórcio, cultos das princesas, batismo em parque de diversões, pregação pelo aborto, pregador dizendo que Jesus Cristo não é DEUS(Valdemiro Santiago), pregador dizendo que ajudar os pobres é desvio de recursos(RR Soares), descarrego, fogueiras santas, desafios financeiros, etc…

        Curtir

  8. Isayas disse:

    ELOS ENTRE O PROTESTANTISMO, MAÇONARIA-OCULTISMO, SOCIALISMO-COMUNISMO, NAZISMO E ANEXOS
    O protestantismo – historicamente todas as denominações cristãs fora da Igreja Católica Apostólica Romana – em seus primórdios, teve em seu idealizador o dissenso Lutero vários princípios gnósticos, incluindo-se tendências igualitaristas e deístas subjetivistas, dentre outras, como: aversão a poderes superiores, no caso, ao poder hierárquico ortodoxo-doutrinário exercido pela Igreja àquela época.
    Note-se que as religiões orientais holísticas, panteístas e meditacionais, como a Yoga, seicho-no-ie, etc., têem conteúdo aproximado no que tange ao subjetivismo ao se enquadrarem em suas práticas religiosas semelhanças às de auto realização pessoal, por ex., como no independenticionismo protestante às hierarquias.
    Lutero evidenciou suas ações por suprimir o poder eclesial católico e sua rígida doutrina tradicional bíblico-patrística por um sistema mais flexível e individual, em que pessoas e comunidades possuíssem autodeterminação de se instituirem como próprios pastores, os quais ensinariam a seu modo particular; o resultado prático de suas ideias foi o espoucar de milhares de seitas humano-fundamentadas em que cada uma doutrina a seu modo ou conveniência que se batem umas contra as outras, daí surgiu um Evangelho e igrejas conversíveis a situações, interesses e muitos contrastes entre facções que, apesar dos paradoxos, afirmam e se consideram inspirados pelo Espírito Santo(?)… A qual deles? E há seitas que aprovam aborto, outras adultério, ordenação feminina, umas admitem a Eucaristia outra não, umas, batismo de crianças, outras não, etc., etc., e ou até de anuência ao homossexualismo e quase todas têem culto e procedimentos semelhantes a centros espíritas: expulsão de supostos maus espíritos ou para curas, passes, gritarias, pessoas caindo ao chão, outras em aparentes transes… E as homilias de pastores são também submetidas ao crivo de cada um para aprovação pessoal ou não, ou seja, tudo ali funciona à base mais absoluto relativismo doutrinário-hermenêutico.

    Outro fato é o elo com o nazismo: Hitler subiu ao poder graças à votação dos estados protestantes, media favorável de 47%, enquanto nos católicos 21%, ou seja, se fosse a Alemanha católica, ele não subiria ao poder.
    Também desse conjunto ideário relativista existia a antiga e esoterista maçonaria de antes do cristianismo, de Babilônia, do antigo Egito, etc., e sua legislação atual foi formalizada por James Anderson, pastor presbiteriano; por sinal nos EUA e Europa os vínculos são bastantes próximos com o protestantismo – muitos expoentes delas são maçons – e influenciaram a Revolução Francesa nos princípios – igualdade, liberdade e fraternidade – idem o kardecismo e o comunismo, o qual é por sinal apenas a transposição de idéias de Lutero-maçonaria para a práxis socialista-comunista, supostamente igualitarista, fraternal em meio a contrastes marcantes e com o modernismo atual, cuja doutrinação vigente é igual a um homem acima de tudo e todos, pelo menos na sua proposta; de fato, uma tremenda farsa.
    Há vídeos na Net e em literatura específica em que pastores se acusam reciprocamente de pertença à maçonaria; praticamente é inexistente oposição maçônica às diversas denominações evangélico-protestantes; porém, para a Igreja Católica é o adverso.
    Não há dúvidas que o orgulho e soberba e estão sutilmente camuflados sob esses comportamentos e que o progresso, a ciência e o modernismo tecnológico, cada vez mais aparentando resolver os problemas humanos estão a serviço de um reino luciferino que poderá eclodir, de um homem auto realizador e neo deificista, mas tão cego não percebendo sua submissão a nova tutela, e logo a quem…
    Não há diferença entre o acima e o pecado inicial do homem no Éden, ou se preferir, aliar-se e tornar-se súdito de Satanás em sua soberba e no orgulho de querer ser igual a Deus, aceito por nossos pais iniciais e muitos atualmente o vivenciam no protestantismo.

    E que logicamente é o ideal itinerário para se chegar ao absoluto relativismo; se preferir: “self service” doutrinário, com menu balanceado para cada paladar da imensa clientela.

    Curtir

  9. Lilian disse:

    Muito bom humor Geraldão. Mas é assim mesmo que a coisa acontece. Vem um novo “iluminado” diz que teve uma “visão” e todos aceitam sem maiores questionamentos. Instantâneamente o novo líder de seita passa a ser “ungido” e “profeta” e uma espécie de “Super Papa” “infalível” para si mesmo. Logo todo mundo vai atrás dele. Até que alguém discorda de alguma coisa porque leu na Bíblia entendeu diferente do novo “Super Papa”. E aí começa tudo de novo. Abre-se uma nova “Igreja” que sempre está certa e que detém a “Verdade”. Eu vivi tudo isso no protestantismo e posso te assegurar que é assim mesmo.

    Curtir

  10. Geraldão o Galão disse:

    Bom dia a todos. Eu sou Geraldão o Galão e acabo de fundar uma nova igreja evangélica, que se chama igreja evangélica batista episcopal e pentecostal. Eu me ordenei pastor, após de me batizar por imersão – há na história um caso deste com John Smith -, e me proclamei doutor em teologia após ter lido a Bíblia toda. Tudo porque sou escolhido pelo Senhor para fundar uma igreja nova e verdadeira.

    Curtir

    • Helen disse:

      Geraldão,
      Nada como um pouco de humor para aliviar o espírito… De fato, esse problema da proliferação das denominações seria comico, se não fosse trágico.

      Pax Domini

      Curtir

  11. Moreira disse:

    Prossegue o protestante: “O senhor poderia me mostrar pela Bíblia onde está escrito que Maria é medianeira ?”
    Ou então: “O senhor poderia me mostrar na Bíblia onde está escrito que Maria foi assunta ao céu ?”
    O católico não instruído e que concordou com o protestante começa a se enrolar.

    A resposta católica à pergunta protestante deveria ser:

    Católico: “Creio sim na Bíblia. Creio tanto que sigo o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade. E dessa forma, não questiono seus dogmas e confissões de fé. Não duvido, não divido e não careço de provas. Creio de todo o meu coração.”
    E o católico deveria perguntar ao protestante:
    “Onde está na sua Bíblia que própria Bíblia é a única fonte de revelação ?

    Para a confissão de fé do católico o protestante diria o seguinte:
    A Bíblia diz que o mundo jaz no maligno (1 João 5:19-Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do maligno) portanto quando deixamos de observar a Palavra de Deus pra dar ouvidos a outros, estamos fadados a cair inevitavelmente nas armadilhas de satanás.

    Para a pergunta do católico sobre a Bíblia ser a única fonte de revelação, o protestante diria:
    Gálatas 1:8 – Mas ainda que nós ou um anjo dos céus pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado!
    Gálatas 1:9 – Como já dissemos, agora repito: Se alguém lhes anuncia um evangelho diferente daquele que já receberam, que seja amaldiçoado!
    Mateus 5:19 – Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus.
    1 Coríntios 3:11 – Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo.
    2 Coríntios 11:3 – O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo.
    2 Coríntios 11:4 – Pois, se alguém lhes vem pregando um Jesus que não é aquele que pregamos, ou se vocês acolhem um espírito diferente do que acolheram ou um evangelho diferente do que aceitaram, vocês o toleram com facilidade.
    Apocalipse 22:18 – Declaro a todos os que ouvem as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhe acrescentar algo, Deus lhe acrescentará as pragas descritas neste livro.
    Apocalipse 22:19 – Se alguém tirar alguma palavra deste livro de profecia, Deus tirará dele a sua parte na árvore da vida e na cidade santa, que são descritas neste livro.

    O protestante continuaria:
    Creio que os versículos bíblicos citados nos dão garantias suficientes pra crermos que a Bíblia é a única fonte de revelação deixada por Deus aos homens. Você não concorda comigo?

    Curtir

    • Helen disse:

      Moreira,

      Se o Sr busca sinceramente refletrir sobre as coisas de Deus, eu o desafio a ler esse artigo que eu acabei de produzir em responsta a seu comentário – ainda aguardando aprovação.
      Agora, se o motivo de suas visitas a este blog é apenas criar polemica e acusar sem ouvir…. Ai sabemos com certeza que não está preocupado com as coisas de Deus, mas sim com sua própria “Gloria” , ou seja, em “ganhar” o debate!

      Leia aqui

      https://igrejamilitante.wordpress.com/2012/04/14/derrotando-os-argumentos-evangelicos-contra-os-dogmas-sobre-maria/

      Curtir

      • Moreira disse:

        Eu não estou anunciando o meu nome, eu estou anunciando o nome de Jesus, coisa que este blog deveria estar fazendo, em vez de anunciar magistério, dogmas, igreja, santos, etc. O “IDE” de Jesus não é nada disso que você estampa neste blog.
        Eu vou continuar a trazer artigos que tenham base integralmente bíblica. Caso você não aceite, basta não publicar.

        Curtir

        • Helen disse:

          Moreira,
          Base Bíblica? Qual base Bíblica? Cuidado, meu caro. pois até o diabo sabe recitar a Bíblia… Mas como bem disse S. Pedro em sua carta sobre as escrituras:

          …mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes TORCEM, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria PERDIÇÃO. 2Pedro 3,16

          Curtir

        • Manuel disse:

          Moreira;
          Bases bíblicas? de qual bíblia? feita pelo Lutero?

          Curtir

  12. Anderson disse:

    O Pulo do Gato
    CATÓLICO ATENTO AO “PULO DO GATO” PROTESTANTE E AO ASSÉDIO DAS SEITAS

    O contexto abaixo destina-se aos católicos para que estejam preparados para os ataques constantes de maus protestantes aos dogmas e confissões de fé da Santa Igreja.
    Lembramos que nem todos os protestantes observam o catolicismo com hostilidade e não poucos fiéis e pregadores realizam boas obras e assumem compromissos sólidos com a palavra de DEUS.

    Abaixo, conforme já disse, apresento uma espécie de sugestões que visam afugentar membros de denominações que se dizem protestantes, as quais insistem em polêmicas e que visam atacar dogmas de fé e preceitos católicos.

    Reconheço que é direito de todo e qualquer cidadão exercer livremente sua fé e até mesmo propaga-la, desde que tal empenho não venha demandar qualquer ato de violência ou grave ameaça. Repudio toda e qualquer forma de discriminação religiosa.

    Comecemos:

    A abordagem de um protestante a um católico desinformado sobre a Santa Igreja inicia-se geralmente da seguinte maneira:

    Protestante: “Posso falar um minutinho com o senhor ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O Senhor crê em DEUS ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor crê na Bíblia ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor concorda que a Bíblia é a verdade ?”

    Nesse ponto o católico será doutrinado e muitas vezes convencido.
    A resposta do católico a pergunta do protestante naturalmente é sim. Lógico que o católico crê na Bíblia.
    Então o protestante diz, por exemplo:

    “O senhor diz crer na bíblia. Portanto, o senhor concorda que tudo aquilo que está fora da Bíblia não deve merecer crédito ?”
    Resposta de um católico sem instrução: “Sim. O que está fora da Bíblia tem que ser rejeitado.”
    O católico está pronto para questionar a fé católica e o magistério da Santa Igreja.
    Prossegue o protestante: “O senhor poderia me mostrar pela Bíblia onde está escrito que Maria é medianeira ?”
    Ou então: “O senhor poderia me mostrar na Bíblia onde está escrito que Maria foi assunta ao céu ?”
    O católico não instruído e que concordou com o protestante começa a se enrolar.

    A resposta católica à pergunta protestante deveria ser:

    Católico: “Creio sim na Bíblia. Creio tanto que sigo o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade. E dessa forma, não questiono seus dogmas e confissões de fé. Não duvido, não divido e não careço de provas. Creio de todo o meu coração.”
    E o católico deveria perguntar ao protestante:
    “Onde está na sua Bíblia que própria Bíblia é a única fonte de revelação ?

    Infelizmente, grande parte dos católicos desconhece que o depósito integral da fé católica constitui-se de Sagradas Escrituras,Tradição Apostólica e o magistério da Igreja. Por isso o católico acaba por aceitar os argumentos protestantes.

    Não estamos obrigados a provar nada pela Bíblia. São os protestantes que estão obrigados. Foram eles que acataram as heresias de Lutero homem.

    O fato é que sempre que se parte de premissas falsas, chega-se a conclusões igualmente falsas.
    A Bíblia não se auto define como única fonte de revelação. Este é um questionamento que o protestante não faz a si mesmo.
    Quem lhe dá certeza de que a Bíblia é a única fonte de revelação se ela nada fala a respeito de si própria como tal ?
    Em verdade, o protestante copia a doutrina de Lutero. Lutero homem, portanto, falho.

    Outra pergunta que um católico poderia fazer ao protestante é:
    “Onde está na sua Bíblia a relação dos livros inspirados ?”
    Ora, se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados, só é possível ao protestante crer na Bíblia se vier aceitar a autoridade católica, já que foi a Santa Igreja que compilou e definiu todos os textos e livros.
    O que Lutero homem, adúltero e bêbado fez, foi retirar livros e distorcer tantos outros. Eis a Bíblia protestante !

    Como o protestante pode ter certeza se os livros que consulta são aqueles que foram inspirados se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados ?
    Para provar que sua Bíblia é a Bíblia correta, o protestante necessariamente terá que sair da Bíblia e crer em homens.
    Na prática, quando o protestante “provar” que a sua Bíblia é a Bíblia correta, estará em verdade dizendo que nem tudo está na Bíblia, pois a sua “veracidade” só poderá ser demonstrada fora da Bíblia que nada diz respeito sobre ser única fonte de revelação ou sobre os livros inspirados.
    O protestantismo é contraditório em si mesmo.

    Algumas sugestões práticas podem ajudar aos católicos a inibirem o proselitismo protestante.
    Vejamos alguns exemplos:

    Sabemos que a Bíblia não é contraditória em ponto algum e portanto, não seria possível que a mesma se auto definisse como única fonte de revelação e ao mesmo tempo instruísse os cristãos a seguirem o magistério da Igreja.
    Faça como eles. Peça o texto bíblico que define a Bíblia como única fonte de revelação.

    Certamente eles não encontrarão o texto e então o católico poderá dizer-lhe:
    “A Igreja e somente a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. Sem a Igreja a verdade não se sustenta.”

    Quando um protestante disser, por exemplo, que crianças não devem ser batizadas, pergunte onde está escrito na Bíblia que não se deve batizar crianças e que todos só devem ser batizados quando tiverem “entendimento” ou quando decidirem levantar o dedo e “aceitar Jesus” em algum templo protestante?

    Pergunte logo a seguir por que ele não recita o pai nosso que está na bíblia e que Jesus professou ? E peça sempre os textos bíblicos.

    Quando o protestante começar a citar dogmas católicos que ele julga que não encontram referências bíblicas, pergunte outra vez: “você crê na bíblia ? “

    Pergunte ainda: “você crê de fato que a bíblia é 100% verdadeira ? “ Ele responderá sim. Não terá outra saída.
    Então diga: “A Igreja é coluna e sustentáculo da verdade”.
    Conclua: “Eu sigo o magistério da Igreja.”
    E pergunte: “você faz o mesmo ou crê em sua interpretação pessoal ? “ E logo a seguir afirme. “A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter individual.”

    Se ele disser que segue o magistério da Igreja, pergunte de que Igreja ele está falando se nenhuma das igrejas protestantes existiam quando da compilação que deu origem a Bíblia.
    O protestante poderá alegar que pertence a Igreja Invisível. Eles utilizam muito tal expressão para justificarem sua rebeldia contra a Santa Igreja.
    Aproveite e pergunte onde está na Bíblia que existe uma igreja invisível ? Peça o texto bíblico que fala claramente sobre a Igreja invisível.
    Nós é que podemos falar em Igreja invisível. A Igreja nos ensina que igreja é muito mais do que construções.

    Em algum momento ele dirá que a palavra de Deus manda examinar as escrituras. Eles confundem examinar com interpretar.
    Você pergunta mais uma vez: “O senhor já leu na bíblia que nenhuma interpretação é de caráter individual ? “
    Quando não possuem respostas eles fazem duas outras perguntas fora do contexto inicial. Fique atento. Só se deve passar para outro tema havendo a conclusão do tema anterior.
    Ele tentará dizer: “a bíblia manda ir a todo lugar e pregar.”
    Então lhe diga: “Ora, se a cada protestante pode ler a Bíblia e interpreta-la, ao invés de dízimos, por que não a impressão de Bíblias para todos ? “
    E acrescente também: “Se você é inspirado pelo Espírito Santo quando lê a Bíblia, basta você entregar uma Bíblia para o seu irmão que ainda não crê que o próprio Espírito Santo irá iluminá-lo e orienta-lo também.
    O protestante poderá então dizer que a fé vem pelo ouvir. Então diga que se a fé vem pelo ouvir, e de fato vem, é melhor escutar o que a Santa Igreja ensina do que confronta-la a partir de um leitura meramente privada.

    E se todos que são protestantes já estão salvos pelo Sola Fide (basta crer), por que eles continuam pregando para quem já está salvo a partir de cultos e reuniões que celebram?
    Pergunte, por exemplo, onde está escrito que Lutero é santo ?
    Ele dirá que Lutero não é santo ou que não existe amparo bíblico para considera-lo como tal. Então emende:
    “Lutero não é santo ? Você está me dizendo que ele é pecador como eu ou você ?”
    Eles gostam de jogar com palavras e estão prontos para usar tudo que você disser contra você mesmo. Ele terá que dizer que Lutero era pecador.
    Então pergunte por que ele segue a teoria de Lutero sobre o Sola Scritpura (Só a Bíblia) se sabe que Lutero era pecador ?
    Antes que ele responda, pergunte se ele já leu na bíblia: “maldito o homem que confia em outro homem” ?

    Se você fosse protestante debochado diria que se ele permanecer confiando em outro homem, no caso Lutero, estará afrontando a bíblia e andando fora da Palavra. Essas são expressões que eles gostam. Mas não use de escárnio. Isto não nos fica bem.
    Se você fosse protestante ainda poderia dizer-lhe para olhar somente para Jesus. Eles sempre dizem isso para nós.
    Por certo ele ficaria irritado e já não seguiria a doutrinação mental que recebeu. Mas nesta hipótese, usando deboche e presunção, que méritos teríamos ? Concentremo-nos nos ensinamentos da Santa Igreja e deixemos de lado os chavões comuns aos protestantes.

    Talvez nem seja necessário esse grande número de questionamentos que apontei para um católico se ver livre do assédio de um mau protestante.
    Talvez você não tenha experiência ou eloquência para sustentar um debate tão prolongado e tão cheio de nuances.
    Alguns doutrinadores protestantes dizem que eles não devem insistir com alguém resistente. Segundo um destes doutrinadores, se um não quer, tem 8 ou 9 que são frágeis e, portanto não se deve perder tempo com aqueles que oferecem resistência.
    Você só não pode esperar que ele facilmente concorde com você e se converta. O objetivo é dispersá-lo.
    A conversão de um protestante ao catolicismo raramente se dá por exercício intelectual.
    O protestante é filho de Lutero. E quando falamos filho e não seguidor, é porque até mesmo Lutero é seguido apenas parcialmente.
    Apenas quando lhes interessa, em especial no Sola Scriptura para afrontar o catolicismo.
    Portanto, sendo filhos de Lutero, são necessariamente auto suficientes e apologistas de suas próprias doutrinas particulares.
    Cada protestante é uma espécie de dono da Bíblia. Professor, mestre, teólogo, rei, sacerdote, profeta e sempre julgará conhecer mais de catolicismo do que o próprio católico. Se consideram superiores ao Papa e mesmo ao Magistério da Igreja de 2000 anos.
    Não aceitam nem mesmo os seus pares, razão pela qual fundam milhares de denominações.
    Se chamado atenção, o protestante muda de denominação, faz beicinho, nega fala, rompe relacionamentos, sai de casa, larga família, deixa a denominação e vai para outra, quando não funda a sua própria seita.
    Mesmo apontando alguns de seus pares como hereges, estes mesmos, quando o adversário é o catolicismo ou quando a questão é meramente estatística, rapidamente voltam a ser irmãos em Cristo e todos estão salvos e todos são bênçãos.
    É comum ouvir um crente dizendo: “Já somamos 20% da população brasileira.” É como se este crente conhecesse todos os demais crentes, todas as denominações e ao mesmo tempo fosse possível a todos pregarem o Cristo verdadeiro ao mesmo tempo que cada um prega um Cristo diferente do outro.

    O MAU protestante é um divisor por excelência. Por onde passa divide, questiona e jamais agrega. Só protesta e nada atesta. O protestante é ávido por falar e nunca está pronto para ouvir. Tudo quer ensinar e nada quer aprender. E como sabemos, quem sabe de tudo não carece de instrução.
    Nós católicos, por nada sabermos é que seguimos o magistério da Igreja. Por isso nenhum de nós tem seguidores, mas todos seguimos a voz do pastor.
    Eles costumam dizer que “tomaram posição diante de DEUS.” Eles gostam desse chavão, entre tantos que criaram. Judas também tomou posição diante de DEUS. O Resultado todos já conhecem.
    Estivemos muito tempo adormecidos e a nossa mansidão aprendida na Igreja foi tratada como covardia pelos nossos “juízes”. Está na hora de reagirmos com sabedoria, rejeitando sempre qualquer tipo de violência, difamação, ofensas e preconceitos, mas jamais esquecendo que devemos combater a heresia, até mesmo por amor ao próximo, e, sempre, sempre, sempre, defender a Santa Igreja e a honra e dignidade da Santíssima Virgem. Combatamos o bom combate e não recusemos a perseguição.

    Conclusão:

    Lembrem-se católicos que não estamos obrigados a responder ou provar nada pelo Sola Scriptura(Só a Bíblia).
    Nós seguimos o magistério da Igreja. Seguimos a Bíblia e a Tradição. É o protestante que está obrigado pelo princípio criado por Lutero homem.
    Nossa fé pode ser explicada pela tradição e pelo Magistério da Igreja.
    A fé protestante não pode ser explicada pela Bíblia.
    Este é o “pulo do gato” mencionado no título do texto.

    Imaginem que eu cobre de um ateu a guarda do domingo..
    Seria estúpido da minha parte, sabendo que ele não é cristão, fazer-lhe tal cobrança.
    Agora imaginem que eu faça esta mesma cobrança, sendo que eu mesmo não guardo o domingo.
    Pois é. O protestante que escolheu para si o critério antibíblico “Só a Bíblia”, estabelece para nós o mesmo critério. Critério para o qual não estamos obrigados.
    E ele mesmo, que criou para si e para os demais o critério “Só a Bíblia”, é o primeiro a ignorá-lo quando, entre muitas situações, não observa a proibição da interpretação privada e a consagração da igreja como coluna e sustentáculo da verdade.

    Poderíamos citar uma série de inobservâncias às disposições bíblicas cometidas pelos protestantes. Mas nem precisamos. Se um protestante não é igual ao outro em matéria de fé e doutrina, e, se todos utilizam a mesma Bíblia, é óbvio que, não havendo concordância, tem alguém andando fora da Bíblia
    Não estamos dizendo que católicos são melhores do que protestantes ou que podemos julgar a fé que reside no coração de cada ser humano.
    Estamos apenas defendendo a fé católica contra os ignorantes e os maus. Reconhecemos até mesmo que é direito de qualquer homem ou mulher permanecer no erro doutrinário se assim desejarem.
    Respeito o direito de qualquer homem ou mulher aderirem à fé, crença ou religião que mais lhe agradam.
    Paz em Cristo e Salve Maria.

    Autor: A. Silva/V. De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor.

    Curtir

  13. (Anderson) disse:

    AS SEITAS QUE MILITAM CONTRA O CATOLICISMO
    Alguns grupos que se auto intitulam como protestantes demonstram comportamentos típicos de seitas e entre seus objetivos destaca-se o ódio e preconceito contra o catolicismo que, sendo sua principal vítima é constantemente atacado com calúnias e fatos não registrados pela história.
    Na verdade ninguém sabe se de fato são protestantes porquanto suas doutrinas misturam uma série de crenças e práticas de outras religiões e a grande maioria ignora o contexto da reforma protestante do século XVI. Uns atacam os outros de hereges e todos ao mesmo tempo se dizem salvos, eleitos e inspirados pelo Espírito Santo.
    Espero que fique claro que a grande parte dos protestantes, especialmente os históricos, não assumem tais comportamentos e um bom número deles nutre sentimentos de carinho e respeito em relação a doutrina católica e ao povo católico.
    Estas seitas desenvolvem um doutrinamento que torna o fiel, normalmente chamado de crente, como uma espécie de soldado pronto para repetir frases feitas e espalhar toda a sorte de inverdades contra o catolicismo.
    O contexto a seguir destina-se especialmente aos católicos, mas serviria também para os protestantes que buscam com sinceridade a verdade e a observâncias ao preceitos divinos e que de certa forma também são vítimas ou confundidos com estas seitas agressivas.
    COMO SE DÁ O DOUTRINAMENTO ?
    O crente é retirado do contexto social. Nada de família, amigos ou lazer. Sem futebol, praia, cinema ou reuniões sociais com pessoas não protestantes. Quanto mais trabalhos na denominação melhor. Tudo que é de fora é considerado obra do diabo ou do “mundo”.
    Ele recebe o nome obreiro e perde o contato com o mundo e já não pode confrontar idéias ou conceitos.
    Ele é levado a acreditar que está fazendo a Obra de DEUS. Mas não está. Está fazendo tão e somente a obra do doutrinador de sua seita.
    Ele se fecha para o mundo e passa a viver apenas o que a denominação lhe ensina e seu isolamento é amparado por textos bíblicos pinçados do contexto, tais como: “A Bíblia ensina que não podemos nos tornar cúmplices das obras más”, “Não podemos nos por a mesa com os escarnecedores”.
    Ora, Jesus Cristo comia com os pecadores e por isto causava escândalos. É ele mesmo quem disse: “Acaso não são os doentes que precisam de médico ?” A caridade católica não faz acepção de pessoas. O católico deve estar pronto para ir a qualquer lugar e prestar assistência a quem precisa. E ao contrário destes sectários, não perguntamos o famoso “você aceita Jesus”, mas acolhemos quem está em dificuldades, sem indagarmos de que religião é o nosso próximo.
    Alguns líderes mais audaciosos costumam dizer que assistência aos mais necessitados é problema dos governos. E outros, sem quaisquer escrúpulos, chegam a dizer que a Bíblia não dá autorização a ninguém para suprir materialmente os mais desfavorecidos. Cuidado com os lobos !
    Todos conhecemos o conselho de Jesus: “A verdadeira religião é visitar órfãos e viúvas.” Trazendo para os atuais dias, podemos dizer que a verdadeira religião é visitar os mais carentes e necessitados. Prestar-lhes assistência. O próprio senhor nos disse: “Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber…”
    Contudo, o crente que não pode assistir materialmente os mais necessitados, deve adquirir livros, DVDs e CDs de seus líderes ou de outros que são produzidos pelas gráficas e gravadoras dos próprios doutrinadores.
    Outro dia um destes pregadores da prosperidade condenou quem faz dívidas para adquirir bens domésticos. Disse ele que “cristão” não faz dívida. Logo a seguir ofereceu seus produtos em parcelas no cartão de crédito.
    O doutrinamento funciona ainda com as repetições de certos chavões, os quais proferidos e escutados por milhares de vezes tornam-se “verdades” absolutas para os frequentadores destas denominações.
    Vários deles são conhecidos: “Nós somos o povo de DEUS….”, “Porque os mariólatras…”, “A idolatria da Igreja Católica…..”, “Não devemos nos submeter aos homens como fazem os papistas, mas apenas a Jesus……”, “O catolicismo ensina que se deve adorar Maria e os santos”, “Não aceito julgamento de homens. É DEUS quem vai me julgar.”
    Este último jargão esconde um enorme orgulho disfarçado de pretensa humildade e que na verdade permite ao crente esquivar-se da confissão dos pecados ao sacerdote. Ora, se os apóstolos receberam poder para reter ou perdoar pecados, é lógico que para tal é preciso que alguém lhes confesse os pecados.
    O fato é que depois de escutar tais expressões por tantas vezes, o mau protestante acredita que apenas ele e seus pares pertencem ao povo de DEUS. Ora, Jesus foi muito claro. “…sua mãe e seus irmãos são todos aqueles que lhe dão ouvidos e praticam…” Ou seja, pertencem a sua família aqueles que lhe escutam e agem. E nós, católicos em grande parte, escutamos e agimos. E o que será daqueles que não deram de comer ou beber a Jesus Cristo ?
    Creio que a maioria dos protestantes age com sinceridade, e ainda imagino que um bom número de denominações não se enquadra nesta vertente. Também creio que grande parte dos pregadores, talvez a maioria, não se encaixa no contexto que propus.
    Por questão de justiça, me vejo obrigado a dizer que se nem todo aquele que concorda conosco é bom, também é verdade que nem todos os que discordam de nós são maus. O fato de alguém aderir ao protestantismo ou discordar da doutrina católica não lhe torna alguém que mereça nossa repugnância. Discordar ou concordar são direitos legítimos.
    Retomando: O doutrinamento de um membro de seita ainda se dá da seguinte maneira:
    Quando vai iniciar uma campanha financeira para arrecadar fundos, o doutrinador antecipa em “ato profético”, por exemplo, que será vítima de calúnias, difamações, intrigas e fofocas na internet ou na mídia. Naturalmente, quando o crente se depara com as críticas da sociedade em relação ao seu líder já está convencido de que aquilo é obra do diabo. Diz o doutrinador que o diabo está incomodado porque eles estão fazendo a “obra de DEUS.” E desta forma, o mesmo doutrinador conclama seus seguidores aos mais espúrios desafios para “afrontar” o diabo.
    Para finalizar e com o objetivo de alertar os católicos, destaco aqui as principais características destas seitas:
    1)RELIGIÃO – Quando acuados, os doutrinadores que passam a vida dizendo que religião não serve para nada, gritam que estão sendo vítimas de perseguição religiosa. Isto mesmo. Perseguição religiosa para alguém que não crê em religião;
    2)MARIA – João Batista estremeceu de alegria quando ouviu a saudação de Maria. Estes maus protestantes se enfurecem. Isabel ficou cheia do Espírito Santo quando ouviu a vóz de Maria. O mau protestante chega a espumar de raiva. O anjo do Senhor disse a Maria que ela era plena de graça. O mau protestante diz que Maria foi barriga de aluguel. Alguns sectários promovem ataques às imagens de Maria e dos santos. Não raras vezes nos deparamos com o noticiário que dá conta de ataques às Igrejas Católicas ou mesmo templos de outras religiões;
    3)PROFECIAS – Estas seitas costumam fazer profecias que não se cumprem e seus “profetas” permanecem gozando de prestígio e respeito nas suas denominações e afins. É o caso daqueles que disseram ser o Papa João Paulo II a besta do apocalipse e o caso daqueles que disseram que Jesus retornaria no ano de 2007;
    4)FIM DO MUNDO – Constantemente estas seitas e seus membros enfatizam que o fim do mundo está próximo e assim conseguem que seus fiéis fiquem indiferentes as questões sociais para mergulharem com profundidade nos projetos de “salvação” das denominações e que normalmente envolvem doações financeiras;
    5)ESTATÍSTICAS E MÍDIA – Embora acusem uns aos outros de hereges, quando o assunto é estatística estas seitas dão pouca importância ao Cristo que se prega em outras denominações. Para fins de pressão e propaganda, costumam repetir que o “Povo de DEUS” já representa determinado percentual da população brasileira ou que tantas milhões de pessoas no Brasil já estão salvas porquanto “aceitaram” Jesus em templo protestante. É como se as pessoas fossem salvas pelo rótulo e não pelo cristianismo que praticam;
    6)TÍTULOS – Os líderes destas seitas costumam atribuir a si próprios títulos pomposos como apóstolos, patriarcas, missionários ou bispos, entre outros. Não estamos dizendo que todos que desfilam com tais títulos são membros ou donos de seitas, mas todos donos ou membros de seitas utilizam-se destes títulos para exercerem controle, liderança e submissão de seus súditos.
    7)OBRAS – Estas seitas costumam desprezar as obras, especialmente aquelas que visam assistir aos mais desfavorecidos. Lógico. Se alguém supre a necessidade alheia com seus recursos, evidentemente que estes mesmos recursos faltarão aos projetos dos doutrinadores.
    Para desistimular o crente a assistir quem quer que seja, estes líderes espalham acusações mentirosas contra o catolicismo, especialmente a máxima de que se ensina na Igreja Católica que Jesus não é necessário para a salvação, mas apenas a realização de boas obras;
    8)EXPRESSÕES – Estas seitas e seus sectários tem expressões que lhes são próprias. Em debates contra católicos e mesmo entre afins, expressões como “biblicamente correto”, “De acordo com a palavra” e “Porque a palavra diz…”, são mais do que conhecidas e repetidas aos quatro ventos.
    Contra os católicos as expressões mais repetidas são: “Católicos leiam a Bíblia” ou “Falta conhecimento bíblico ao povo católico” ;
    9)JARGÕES – Estes protestantes costumam decorar capítulos e versículos da Bíblia e cita-los fora de contexto. Isto não só impressiona os mais débeis, bem como parece ser uma sentença terminativa para quem lhes dá atenção.
    Os textos mais citados são: “Tudo posso naquele que me fortalece”, “Em todas as coisas somos mais do que vencedores”, “DEUS vai me restituir tudo que me foi tomado”, “Só me calo diante de DEUS”, “DEUS É FIÉL”, e, talvez o principal que é dirigido aos católicos: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.”
    10)ESCÂNDALOS – Uma das principais características das seitas é utilizar dois pesos e duas medidas em seus julgamentos . Quando há um escândalo ou uma notícia sobre homens católicos, toda a sorte de acusações é lançada sobre a Santa Igreja. Expressões como pedófilos, assassinos, antro, romanistas, sistema podre, idólatras, mariólatras, entre tantas outras, são repetidas exaustivamente.
    Registra-se o fato de que estatísticamente existem mais casos de pedofilia entre pastores protestantes do que no clero católico. Nem por isto iremos dizer que o protestantismo é uma religião que favorece a pedofilia. Pelo contrário. Por certo o protestantismo combate a pedofilia. Não temos dúvida disto. Os pedófilos são doentes e religião para estes por certo é apenas um meio de acessar crianças indefesas. Os pedófilos devem ser tratados com o rigor da lei, sejam católicos ou não.
    Entretanto, quando um homem evangélico se vê envolvido em qualquer confusão, os julgamentos proferidos por seus membros e sectários encontram outros tipos de confissões:
    “Ai de quem toca no ungido do Senhor” ,“Deixa que ele está fazendo a obra de DEUS”, “Não toca no escolhido por DEUS”, “A emissora de TV tal tem ódio dos evangélicos”, “O diabo está com raiva porque estamos fazendo a obra de DEUS.”
    11)PROTESTANTISMO HISTÓRICO – Estas seitas pouco sabem ou nada sabem de Lutero, Calvino e cia. Estas seitas se dizem protestante, mas desconhecem todo o contexto da reforma. Elas se caracterizam por misturar várias doutrinas. Usam parte de Lutero, em especial o “Só a Bíblia “ e o “Só a fé” , partes da doutrina de Calvino, ignorando este reformador quanto a necessidade de igreja para a salvação e quanto a virgindade perpétua de Maria, e, agregam ainda doutrinas orientais, tais como a confissão positiva ou a teoria da determinação, elementos das religiões africanas desenvolvidos em seus cultos evangélicos de cura interior, libertação e descarrego, elementos do judaísmo com a ênfase no velho testamento e algumas denominações com a prática do evangelho judaizante, e ainda, as doutrinas humanas de seus falsos mestres e/ou as doutrinas pessoais de cada crente que julga poder interpretar a Bíblia pessoalmente com a assistência do Espírito Santo, muito embora a mesma Bíblia o proíba de faze-lo(Pedro);
    12)CONSTANTINO – Uma das características destas seitas é a ênfase de que teria sido Constantino fundador da Igreja Católica. Nota-se que os protestantes históricos não fazem tal afirmação e por isto mesmo se consideram católicos reformados.
    O que não consegue explicar o mau protestante é como ele abraça as teses de Lutero que seria tão e somente um sacerdote da igreja de Constantino. Este mau protestante toma a igreja Católica por criação humana e sua pretensa reforma por criação divina. É o ápice da contradição.
    Como é possível a estas seitas abraçarem o Sola Scriptura e o Sola Fide de Lutero que seria membro da Igreja de Constantino ?
    Pior ainda fazem os que alegam pertencer a Igreja primitiva ou que dizem que antes de Lutero já havia outros grupos. Estes desconhecem que Lutero desaprovava tais grupos e não se dão conta não ser possível a Igreja Primitiva gritar “Só a Bíblia” em uma época que não existia Bíblia.
    13)PASSADO CATÓLICO – Chama a atenção de qualquer pessoa de bom senso que os crimes praticados por homens católicos parecem alcançar efeitos perpétuos no tempo e no espaço. Uma situação ocorrida 500 anos atrás parece aproveitar os homens católicos de hoje.
    Os inimigos da igreja continuam espumando de raiva e literalmente babando quando falam da inquisição ou de outras situações.
    Estas seitas e seus membros engrossam o coro constituído por outros inimigos da Igreja Católica e fazem parecer que os crimes atribuídos a um determinado sacerdote séculos atrás, são delitos praticados pelo clero atual e por todos fiéis católicos espalhados mundo afora.
    É como se todos aqueles criminosos que se diziam católicos ainda estivessem por aqui ou como se todos os católicos atuais, incluindo o clero, apoiassem os crimes por eles cometidos e de alguma forma todos nós devêssemos pagar pelos pecados e delitos alheios.
    Os crimes praticados por outras religiões na atualidade não recebem tanta indignação quanto os crimes praticados por católicos cinco séculos atrás.
    Os crimes praticados no passado pelos sistemas totalitários e outros praticados por sistemas de governos na atualidade parecem não ter a menor importância quando se sabe que nos anos de 1418 ou 1523 um determinado sacerdote católico cometeu adultério ou praticou algum ato de corrupção.
    Se nos dias atuais um ditador qualquer ordenar a execução de um ativista de direitos humanos ou um adversário político isto parece não afetar a atual sociedade. Repetidas vezes assistimos a indiferença até mesmo dos governantes atuais e pseudo religiosos com as perseguições políticas ou religiosas em países de regimes totalitários.
    Os próprios crimes dos principais reformadores e mesmo as citações de Lutero contra Cristo são ignoradas por estes maus protestantes.
    No caso da pedofilia, percebe-se nitidamente pessoas quase que torcendo por novas ocorrências tão e somente para poderem atacar o catolicismo. Estes “indignados” pouco se importam com os sofrimentos das crianças ou de suas famílias.
    Estes sectários que gostam de esconder os erros atuais de seus líderes dizendo: “Olha para Jesus”, quando fazem referência aos sacerdotes católicos costumam não agir com a mesma complacência.
    É curioso que os crimes atuais praticados por membros ou dirigentes vivos destas seitas são rapidamente minimizados ou mesmo esquecidos.
    Registra-se o fato de que a Santa Igreja é inerrante. Nunca erra. Nunca ensina errado. Nunca comete crimes de qualquer espécie. Quem comete crimes são os homens que podem ou não ser ou se dizerem ser católicos.
    Diferente dos maus protestantes que varrem suas sujeiras para debaixo do tapete, dizemos em bom som: “O perdão não substitui a justiça.”
    Em minha modesta opinião, a pedofilia deve ser combatida como uma praga e uma doença nojenta, sendo irrelevante a religião do criminoso e deve causar indignação em toda a sociedade e não apenas quando os autores deste crime abominável forem sacerdotes católicos.
    14)DÍZIMOS E OFERTAS – Estas seitas dão ênfase às contribuições financeiras e desafios que envolvem sempre campanhas de arrecadações. Como seus líderes estão sempre dando destaque a proximidade do fim do mundo, os fiéis são convocados para adesão aos projetos que teriam por objetivo “pregar” o palavra de DEUS mundo afora. Os doutrinadores costumam definir o engajamento dos fiéis nos projetos das seitas como uma espécie de Ministério para o qual cada um é chamado de forma particular a participar da “obra de DEUS”.
    15)SALVAÇÃO – Utilizando expressões que são repetidas rotineiramente e que acabam sendo cristalizadas nas mentes dos fiéis como verdades absolutas, os líderes costumam fazer referências aos membros das próprias seitas que lideram como “POVO DE DEUS”, “POVO ELEITO”, “RAÇA ELEITA”, entre outras expressões.
    16)CRÍTICAS AO CATOLICISMO – As seitas não se entendem. Isto é fato. Uns acusam outros de hereges e qualquer divergência em uma das denominações já sugere o início de uma nova seita. Mesmo nas críticas ao catolicismo as seitas divergem entre si e opinam de formas diferentes dependendo do momento ou conjuntura. Por vezes atacam a Igreja Católica como arcaica, dogmática e ultrapassada. Em outras situações, lhe acusam de ter deturpado o evangelho e introduzido profissões de fé e costumes não praticados nos tempos remotos do cristianismo. Uma hora a Igreja Católica é taxada de moderna pela suposta introdução de novidades e outra hora é chamada de arcaica pela manutenção de credos e hábitos que não se modificam.
    17)PATRULHAMENTO – Os sectários controlam uns aos outros. Um líquido amarelado no copo pode sugerir consumo de álcool e merecer a repreensão do líder ou de outro membro da seita. Constantemente estes sectários referem-se aos católicos como aqueles que “bebem, fumam e dançam.” Assumem a postura de que o desapego a estas coisas indica certeza de salvação.
    18)APELIDOS – Os santos católicos são constantemente ignorados até mesmo como exemplo de bons cristãos. Pelo contrário, recebem destes sectários apelidos de toda ordem. São Sebastião é tião, São Jorge é jorginho e a Santíssima Virgem é chamada de deusa do catolicismo ou deusa pagã. Estes sectários que gostam de dar nomes bíblicos aos filhos jamais usam Pedro para os filhos homens ou Maria para as filhas mulheres. Já vi quem dissesse que um determinado pregador da prosperidade fez mais pelo ser humano do que Madre Teresa de Calcutá.
    19)POLÊMICAS – As seitas polemizam sobre “rezar” ou “orar”. Polemizam sobre “adorar” ou “venerar”. Vivem basicamente do anti catolicismo. Se temos papa eles contestam. Se temos santos eles condenam. Se há celibato eles gritam. Se temos a Eucaristia eles dizem tratar-se de uma mera “bolachinha”. Se recitamos o Pai Nosso eles protestam. Se não batemos palmas somos frios. E se sairmos em procissão somos idólatras. O essencial é a guerra contra o catolicismo. Não importa o que façamos pois sempre seremos os maus.
    20)IGREJA – Os membros destas seitas repetem constantemente: “Placa de Igreja não salva ninguém.” Menosprezam a Igreja, muito embora a Bíblia indique justamente o contrário. Em Timóteo é possível percebermos que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. Ou seja, sem a Igreja a verdade não se sustenta. Estas seitas ignoram até mesmo os reformadores, entre os quais Calvino que dizia ser a Igreja essencial a salvação do homem. Diga-se de passagem, Calvino só não soube dizer que igreja seria esta. Talvez não pudesse dizer. Talvez não quisesse. E estes protestantes que condenam a Igreja, tudo que mais sabem fazer é fundar mais e mais “igrejas” a cada dia.
    21)INTERPRETAÇÕES – Estas seitas costumam usar a interpretação literal para cobrar doutrinas católicas. Seriam, por exemplo, os casos do purgatório e da Assunção de Maria. Quando confrontadas, procuram esquivar-se da mesma interpretação literal que antes lhes servia. Seriam os casos da edificação da Igreja sobre Pedro e da Bem Aventurança de Maria, por exemplo, onde o que está escrito repentinamente deixa ser o que está escrito.
    Se verifica o mesmo em relação as tradições que foram recomendadas por São Paulo e a orientação explícita de que a fé sem obras é morta no evangelho de Tiago.
    A mesma interpretação literal antes usada para interrogar os católicos, deixa de ser aplicada ao Pai Nosso e também na Eucaristia onde Jesus diz que a sua carne é verdadeiramente comida e seu sangue verdadeiramente bebida. Para estes protestantes o verdadeiramente de Jesus é o “relativamente” de seus líderes.
    Em determinadas ocasiões usam Lutero e dele fazem um “enviado” e um grande “reformador”. Indagados por que não permaneceram com Lutero e por que permanecem reformando o que DEUS já teria “reformado”, esquivam-se apontando defeitos no “escolhido” por DEUS. Pelo jeito DEUS enganou-se ou será que Lutero não foi levantado por DEUS ?
    Acatam Lutero no Sola Scriptura e no Sola Fide, mas o ignoram na devoção a Virgem Maria e nos sacramentos, por exemplo.
    O mesmo fazem em relação a Calvino e a outros reformadores. E quando necessário, utilizam-se do grego, aramaico ou hebraico para justificarem suas práticas ou para condenarem o catolicismo e mesmo os seus pares.
    Além disto, promovem a constante substituição da Bíblia por literaturas diversas escritas por líderes carismáticos. É grande a profusão de livros produzidos pelos líderes destas seitas e DVDs ou CDs com “pregações” e “estudos”.
    E depois de toda esta salada doutrinária, dizem ainda a Bíblia é de fácil compreensão. Dizem seus líderes que qualquer um pode ler a Bíblia.
    É como se todos os sectários e membros destas seitas fossem conhecedores de grego, aramaico, hebraico, Lutero, Calvino, Wesley e ainda lhes fosse possível de quebra aplicar uma regra por eles criadas e por eles seguidas de quando usar ou descartar a interpretação literal.
    Contudo, quaisquer que sejam os critérios adotados para cada momento, nada é provado pela Bíblia que juram defender.
    Em resumo, estas seitas usam quaisquer critérios para justificarem seus costumes e hábitos desprezando qualquer ordenamento lógico ou histórico. Na direção oposta, não necessariamente usarão os mesmos critérios para classificar seus opositores como hereges.
    Vale sempre o que cada seita, líder ou sectário quiser que seja aceito como doutrina.
    22)ASSÉDIO – Um aspecto muito importante é o assédio das seitas aos católicos. É como se não fossemos cristãos. Mesmo que digamos a um deles bem alto que Jesus Cristo é o Senhor, ainda assim estes sectários irão tentar nos convencer de que devemos aderir ao protestantismo e “aceitar” Jesus. O católico deve ficar atento com o assédio sutil destas seitas que normalmente se dá da seguinte maneira:
    Protestante: “Posso falar um minutinho com o senhor ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O Senhor crê em DEUS ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor crê na Bíblia ?”
    Católico: “Sim”
    Protestante: “O senhor concorda que a Bíblia é a verdade ?” Nesse ponto o católico será doutrinado e muitas vezes convencido.

    A resposta do católico a pergunta do protestante naturalmente é sim. Lógico que o católico crê na Bíblia.

    Então o protestante diz, por exemplo: “O senhor diz crer na bíblia. Portanto, o senhor concorda que tudo aquilo que está fora da Bíblia não deve merecer crédito ?”

    Resposta de um católico sem instrução: “Sim. O que está fora da Bíblia tem que ser rejeitado.” O católico está pronto para questionar a fé católica e o magistério da Santa Igreja.

    Prossegue o protestante: “O senhor poderia me mostrar pela Bíblia onde está escrito que Maria é medianeira ?” Ou então: “O senhor poderia me mostrar na Bíblia onde está escrito que Maria foi assunta ao céu ?”

    O católico não instruído e que concordou com o protestante começa a se enrolar. A resposta católica a pergunta protestante deveria ser:

    Católico: “Creio sim na Bíblia. Creio tanto que sigo o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade. E dessa forma, não questiono seus dogmas e confissões de fé. Não duvido, não divido e não careço de provas. Creio de todo o meu coração.”

    E o católico deveria perguntar ao protestante:

    “Onde está na sua Bíblia que própria Bíblia é a única fonte de revelação ? Onde está na sua Bíblia a definição do Canon ? Onde está na sua Bíblia a definição dos livros inspirados ? Onde está na sua Bíblia a definição de Lutero como grande reformador ? Onde está na sua Bíblia que devemos praticar o “Sola Scriptura” ? Onde está na sua Bíblia a definição da Bíblia protestante como a Bíblia correta ? Onde está na sua Bíblia a definição de João Ferreira de Almeida como tradutor insuspeito ? Onde está na sua Bíblia que o senhor é infalível ou mereça ser ouvido ?”

    Infelizmente, grande parte dos católicos desconhece que o depósito integral da fé católica constitui-se de Sagradas Escrituras,Tradição Apostólica e o magistério da Igreja. Por isso alguns católicos acabam aceitando os argumentos infantis e dúbios destes maus protestantes.

    Não estamos obrigados a provar nada pela Bíblia. São os protestantes que estão obrigados. Foram eles que acataram Lutero homem. Nós católicos cremos na Igreja, coluna e sustentáculo da verdade(Timóteo).

    Creio ter contribuído para que os católicos fiquem atentos quanto aos discursos destas seitas que militam contra a Igreja Católica.
    Autor: A.Silva com a colaboração de V.De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor

    Curtir

    • Helen disse:

      Anderson,

      Bela postagem. O trabalho deste blog é justamente instruir os católicos na verdadeira fé católica, para que com isso eles não sejam presas fáceis das acusações anti-católica que seduz tantos a deixarem a Santa Igreja.

      Pax Domini

      Curtir

      • (Anderson) disse:

        O teu trabalho é maravilhoso. As conversões de protestantes ao catolicismo ocorrem no mundo inteiro e não são quaisquer protestantes. São teólogos e pastores que agora se prontificam a contribuir na defesa da única Igreja de Jesus Cristo.

        Curtir

    • Alexandre disse:

      Pelo que eu entendi você está se referindo a Alcaida (Al-Qaeda islâmica). Não é isso?

      Curtir

    • Alexandre disse:

      Citação: COMO SE DÁ O DOUTRINAMENTO ?
      Relendo direitinho, só agora eu percebi. Trata-se do endoutrinamento dos Seminaristas e não dos membros da Alcaida.
      Se não é, então fala sério!

      Curtir

  14. Fábio Cunha disse:

    Esse argumento vazio e alienado dos protestantes sobre a comunhao dos santos para eles soa forte, face ao fato de que eles desconhecem o conceito de Igreja como corpo mistico e verdadeiro de Cristo. Os santos, assim como nos, fazem parte desse corpo mistico e intercedem por nos assim como nos intercedemos uns pelos outros. Isso somente e’ possivel dentro da realidade de uma Igreja viva e verdadeira, ligada aos ceus diretamente, permitindo que ceu e terra, em Cristo, tenham comunhao.

    Amo a doutrina da comunhao dos santos, pois nos garante que o Senhor, atraves de Sua Igreja, esta presente na Terra.. e seu corpo esta vivificado de fato pelo Espirito Santo.

    Por pertencer a Igreja Catolica, tenho a certeza da presenca do corpo de Cristo, e me prosto em adora-lo na Hostia Sagrada;

    Tenho a certeza da presenca de Deus me curando, me mantendo, atraves dos Santos Sacramentos;

    Tenho a certeza do perdao de Deus, e sua misericordia, qdo seu sacerdote, devidamente ordenado e com o poder do sacerdocio – que e’ o poder real de Deus – utiliza as chaves de ligar e desligar no ceu, recebidas por S. Pedro e hoje pertencentes ao Papa, quando me confesso e recebo o perdao;

    Tenho a certeza de estar contribuindo realmente para obras da caridade e manutencao da Igreja qdo dou o meu dizimo por amor e nao por persuasao, e sei que nao ira pra bolso de nenhum pastor;

    Tenho a certeza de estar sendo guiado corretamente, pois o proprio Deus garantiu que as portas do inferno nao prevaleceriam contra a Sua Igreja, portanto tenho a certeza da retidao de sua doutrina, sem interferencia de homens;

    Tenho a certeza da presenca real do Espirito Santo, pois a Biblia somente fala da transferencia dessa influencia a uma unica Igreja, catolica e apostlica.

    Tenho a certeza que os ensinamentos dos sacerdotes sao os mesmos dos apostolos, pois estes herdaram deles em linha de sucessao direta, todo o deposito da fe, pela Sagrada Tradicao, nao dando abertura para que homens mudem ou descaracterizem o precioso evangelho de Jesus Cristo.

    Reumindo: sendo membro da unica Igreja viva e verdadeira sobre a face da Terra, declarada coluna e sustentaculo da verdade herdeira da promessa de que as portas do inferno nao prevaleceriam contra ele – ou seja, a Igreja una, santa, catolica e apostolica, tenho 100% de certezas. Pq sair e unir-me aos protestantes que, ao contrario, so’ possuem incertezas, desavencas e divisao? Acho que pelos frutos da pra saber que nao veem de Deus.

    Curtir

  15. Bebel De Carvalho disse:

    Sr.protestante, respeitosamente, convido o senhor a fazer a si próprio um desafio.
    Ore como sempre orou. Ore como protestante, colocando tudo em nome de Jesus.
    Mas em tuas orações, peça a DEUS que te mostre a verdade. Diga ao Senhor de coração aberto que você não deseja estar certo, mas deseja conhecer a verdade. Peça que ele te mostre a verdade sobre a fé católica e sobre a Virgem Maria. O senhor não abandona um coração sincero. Se o Senhor estiver certo saberá que está. Se estiver errado DEUS por certo verá a sinceridade do teu coração e te mostrará onde está a verdade. Não tema a verdade. Ela liberta de fato.
    Procure perguntar para si próprio questões que protestante algum consegue responder para si mesmo.
    O que de dá certeza de a Bíblia é confiável ?
    O que de dá certeza de que tua Bíblia está correta ?
    Por que você acredita na Bíblia ?
    Por que você a interpreta se ela própria condena a interpretação privada ?
    Que igreja é coluna e sustentáculo da verdade ?
    Por que você diz “Só a Bíblia” se a própria Bíblia não diz de si própria ser a única fonte de revelação ?
    Pergunte a si próprio quem compilou e traduziu a Bíblia ?
    De onde ela veio ?
    Pergunte a si próprio como os primeiros cristãos puderam ser cristãos por quase 4 séculos se não havia Bíblia ?
    Você acha realmente que todos os primeiros cristãos conheciam hebraico, aramaico e grego ?
    Você acha mesmo que todos os antigos cristãos eram letrados ?
    Você acha mesmo que nos quatro primeiros séculos todos faziam fotocópias dos escritos originais ?
    Você acha mesmo que as pregações dos quatro primeiros séculos se davam pela internet ou por fax ou através de cds e dvds ?
    Tudo foi transmitido pela transmissão oral. A tradição da qual fala o apóstolo Paulo.
    Lembre que você e tão somente você protestante é que está obrigado ao “Só a Bíblia”. Este critério foi criado pelos protestantes e eles é que devem cobrar-se e cobrar um dos outros a este respeito.
    E se um protestante não concorda com o outro em matéria de fé e doutrina, pense bem, é bem possível que alguém esteja errado em vosso meio.
    Por que você acha que Jesus não deixaria uma Igreja ?
    Você acha que depois de tudo que ele fez por nós estamos de fato sujeitos as nossas interpretações privadas ?
    A instituíção da Igreja é prova do amor de Jesus Cristo. Ele nos deixou a Igreja para que não nos perdessemos.
    Ele conhece a nossa natureza dúbia, vacilante e orgulhosa.
    Imagina se o Senhor Jesus deixaria a humanidade por conta própria !
    O apóstolo Paulo diz que apenas DEUS sonda corações. Acrescenta que os julgamentos humanos são parciais e duvidosos.
    Ora, se a vontade de DEUS é para que nenhum de nós se perca, como seria possível que este mesmo DEUS misericordioso nos deixasse por conta da nossa leitura individual da Bíblia ?
    Pergunte a si próprio onde está na Bíblia a doutrina do “Só a Bíblia”.
    Não temas a verdade e nem temas o amor da mãe de Jesus. Ela nos conduz ao próprio filho.
    Nem acredite na caricatura da Igreja Católica que vos é apresentada pelos lobos devoradores e falsos profetas.
    Eles os tem por clientes. Eles não te mostram a verdadeira Igreja Católica, mas uma caricatura que não existe.
    Fique em paz.
    Cordialmente, o amor de Jesus Cristo e a mediação da sempre Bem Aventurada Virgem Maria.

    Curtir

    • Alencar disse:

      Bebel De Carvalho:
      Leia novamente as três primeiras perguntas que você fez.
      Ou você está duvidando da credibilidade das Escrituras Sagradas, ou está solicitando uma resposta técnica.

      Eu estava disposto a responder a maioria das perguntas que você fez, mas logo de início, ao ler estas três primeiras perguntas, eu fiquei abismado sobre a forma de como você se relaciona com Deus.
      Se eu não tiver certeza absoluta e acreditar que a Bíblia é confiável, como eu poderia ter certeza que Deus existe e que Ele é confiável?
      De onde você acha que os Papas, os Bispos, os Padres, os Pastores, retiram o conhecimento necessário para pregar a Palavra de Deus?
      Quando Jesus disse “Ide e pregai o evangelho”, ele disse para pregar as Boas Novas, que por sinal, já estavam escritas nas Sagradas Escrituras, e que Ele (Jesus) estava apenas cumprindo-as. O evangelho de Jesus confirmou a credibilidade sobre a Palavra de Deus. A Bíblia (composta pelos livros sagrados) é o único documento deixado por Deus aos homens.
      A Bíblia nos ensina que não devemos retirar nem acrescentar nada. Jesus nos disse que os Profetas e as Profecias terminaram em João Batista (). Jesus disse que veio para cumprir as escrituras e não para alterá-las.
      Se a Bíblia é o único documento deixado por Deus aos homens, quem me garante que outros ensinamentos vem da parte de Deus?
      Não está escrito em lugar nenhum da Bíblia que ela é uma escritura privativa dos presbíteros. Ao contrário, Jesus disse que a palavra de Deus é acessível a todos os homens, principalmente aos leigos e pobres, e disse também que o Espírito Santo daria o entendimento a quem o seguisse. Quando Jesus escolheu seus Apóstolos, Ele não selecionou nenhum presbítero ou sábio da lei. Ele escolheu pessoas simples.

      Agora abra a sua Bíblia e leia em:
      Mateus 5:17-19
      17 Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.
      18 Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra.
      19 Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus.

      Pelo visto, quem empurra goela abaixo, ensinamentos adversos, não é a minha igreja, mas a sua.

      OBs do Blog:
      Irmaos, nao vamos nos exaltar e sim buscar aprender uns com os outros. O proposito de nossa ‘troca’ eh senao esse!
      Interpretacao das Escrituras nao eh coisa privada, ou seja, nao eh pra cada individuo formular suas proprias ‘doutrinas’ e crencas de acordo com o que cada um entende, isso a propria Biblia condena. O intreprete das Sagradas Escrituras eh o Espirito Santo, como ensina a Igreja Catolica, e nao esse ou aquele presbitero!!!

      A Biblia mesmo diz, que PODE ser mal interpretada, e quando isso acontece, causa a perdição daquele que o faz!

      15e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; 16como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição. 2 Pedro 3, 5-6

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Alencar,

        Sua afirmativa: “Quando Jesus disse “Ide e pregai o evangelho”, ele disse para pregar as Boas Novas, que por sinal, já estavam escritas nas Sagradas Escrituras, e que Ele (Jesus) estava apenas cumprindo-as. O evangelho de Jesus confirmou a credibilidade sobre a Palavra de Deus. A Bíblia (composta pelos livros sagrados) é o único documento deixado por Deus aos homens.”

        Eh incontestavelmente erronea, incorreta! Jesus ordenou aos Apostolos que fossem pregar o Seus evangelho, e nao o Velho Testamento!!! Porem, sabemos que os evangelhos nao foram escritos antes da morte de Cristo, isso eh fato HISTORICO, ou seja, ha como comprovar historicamente, documentalmente. Cristo disse ” Ide e pregai” justamente porque confiou aos Apostolos o conhecimento da verdade, se fosse para escrever os seus ensinamentos, Ele mesmo o faria! Racicione logicamente, e vera que seu argumento nao se confirma nem factualmente nem logicamente!!

        “Ide e pregai” eh uma confirmacao da Sucessao Apostolica que os protestantes tanto repudiam! Mas uma vez afirmo, o Canon do Novo Testamento NAO aconteceu ate o fim do terceiro Seculo, e somente ocorreu sob tutela e guia da Igreja Catolica. Isso esta documentado, portanto, dispensa-se argumentacoes!

        Curtir

        • Alencar disse:

          Em tudo isso, estamos de comum acordo, exceto que eu continuo afirmando que a Bíblia é o único documento deixado por Deus aos homens.
          Se houve outro entendimento é porque a minha dissertação foi ineficiente, até mesmo porque eu tentei resumir ao mínimo possível.
          Quando eu afirmo que a Bíblia é o único documento deixado por Deus aos homens, estou incluindo o Novo Testamento.

          Quanto a “OBs do Blog:” sobre a minha “exaltação”, foi por conta da ironia destas perguntas que me fizeram:
          Você acha mesmo que nos quatro primeiros séculos todos faziam fotocópias dos escritos originais ?
          Você acha mesmo que as pregações dos quatro primeiros séculos se davam pela internet ou por fax ou através de cds e dvds ?

          Curtir

          • Helen disse:

            Alencar,

            Vc disse “Em tudo isso, estamos de comum acordo, exceto que eu continuo afirmando que a Bíblia é o único documento deixado por Deus aos homens

            Saiba que a Igreja Catolica afirma exatamente o MESMO! Eis o que diz o catecismo:

            JÁ NÃO HAVERÁ OUTRA REVELAÇÃO

            66. «Portanto, a economia cristã, como nova e definitiva aliança, jamais passará, e já não se há-de esperar nenhuma nova revelação pública antes da gloriosa manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo»(34). No entanto, apesar de a Revelação já estar completa, ainda não está plenamente explicitada. E está reservado à fé cristã apreender gradualmente todo o seu alcance, no decorrer dos séculos.

            Curtir

            • Alencar disse:

              Helen:
              Mais uma vez estamos de comum acordo. Eu gostaria de reiterar meu argumento anterior, onde eu queria dizer que a vinda e missão de Jesus, com riqueza de detalhes, já estavam escritos no Antigo-Testamento em várias partes, entre elas, Êxodo, Salmos, Isaías.
              Quanto à “ainda não está plenamente explicitada“, é aí que entra o Espírito-Santo.
              Deus nos fez com personalidades e entendimentos individuais. Não somos feitos como numa fabricação em série. É neste ponto específico que o Espírito-Santo age e nos alimenta espiritualmente, e é este mesmo ponto que qualquer outro evangelizador não consegue alcançar, pois se conseguisse alcançar, eu próprio já teria te libertado.
              Quando o evangelho de Jesus é anunciado em espírito e em verdade, o coração do homem se torna Templo do Espírito-Santo, e este homem passa a ter fome e sede de Deus, exclusivamente. Quando o evangelho é anunciado com alterações a mais ou a menos, a comida e bebida espiritual se estraga e o homem perde o apetite. Eu faria um paralelo disso, com o maná que Israel recebeu no deserto, quem juntasse mais do que o necessário, o maná se estragava.

              Curtir

        • Alencar disse:

          Helen, o repúdio dos protestantes sobre a sucessão apostólica, é porque vocês tratam o “Ide e pregai” como uma cadeira cativa, onde vocês se sentem proprietários dos postos. Se assim fosse, teriam que ser somente 12 postos, e seria como numa academia de letras onde cada membro que morre é substituído por outro.

          Jesus disse em Mateus 28:19 – Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

          Com isso, uma possível cadeia sucessória está quebrada. Ninguém é sucessor de ninguém, mas sim, Novo-Discípulo. Nenhum Novo-Discípulo assume a continuidade do antecessor, mas sim, assume com Deus o compromisso da divulgação do Evangelho. Todos os que seguem Jesus são discípulos de Jesus, e não discípulo do educador que o antecedeu.

          Curtir

          • Helen disse:

            Caro ALencar,

            De fato, num primeiro olhar, o seu argumento ate parece estar correto. Porem, vc se esquece de um detalhe importante, o que por conseguinte, desafia sua argumentacao: A fidelidade aos ensinamentos de Cristo. Vejamos:

            1- Definicao de Sucessao Apostolica:

            Ser discipulo, ja nos tempos dos Apostolos, significava ser ‘aprendiz’ e seguidor fiel dos ensinamentos Apostolicos; como mostra-nos claramente S. Paulo em suas epistolas. Ou seja, aquele que ensina o evangelho segundo transmitido por Nosso Senhor e depois Seus apostolos, de fato eh um discipulo. Porem, aquele que muda uma virgula do que foi ensinado por Deus atraves de Seu filho, nao pode ser considerado discipulo!

            Quanto ao numero de discipulos, Jesus em momento algum quiz dizer que a transmissao oral do seu evangelho – sim, porque Ele ordenou “Ide e pregai” e nao “Ide e escrevei” tudo o que eu vos ensinei – haveria de permancer dentro do ambito limitado de 12 Apostolos. Ora, a propria ordem “fazei discipulos de todas as Nacoes” presupoe que Ele desejava que seus discipulos se multiplicassem. Entretanto, lemos tambem que Ele ordenou aos Apostolos que ensinassem TUDO de acordo com o que Ele os havia ensinado. Esse eh o pre-requisito fundamental do discipulo. Ou seja, aquele que faz como o mestre manda. Sendo assim, podemos concluir que Jesus proprio instituiu a sucessao Apostolica.

            Quando o Sr diz “Nenhum Novo-Discípulo assume a continuidade do antecessor, mas sim, assume com Deus o compromisso da divulgação do Evangelho.” O sr nao poderia estar mais longe da verdade! OU seja, a continuidade do oficio e do ensinamento eh fundamental para que o compromisso do discipulo com Deus seja correto, pois o verdadeiro discipulo ensina fielmente o que aprendeu com seus mestres, nesse caso, os Apostolos. Que por sua vez aprenderam com Jesus, a palavra ou verbo de Deus encarnado! Veja como ocorreu com Timoteo, por exemplo. Paulo era Apostolo e tambem tutor do jovem Timoteo, que por sua vez transmitiu adiante o que aprendera com Paulo…

            Esclarecido do que se trata a Sucessao Apostolica – que esta ligada com o deposito da fe – eu lhe pergunto:

            A- Se todo aquele que ensina o Evangelho eh discipulo, o Sr pode me explicar como o Sr Edir Macedo, por exemplo, prega que o Aborto eh aceitavel como planejamento familiar? Seria esse um ensinamento condizente com o Evangelho de Jesus Cristo?

            B- Quem decide se um pastor ‘discipulo’ esta a pregar o verdeiro evangelho, ou algo uma apostasia?

            C -Quem protege a transmissao do verdadeiro evangelho contra erros e apostasias dos falso ‘discipulos’?

            Para finalizar, a Igreja Catolica considera-se a fiel depositaria da Revalacao Divinao pois ela eh a unica que preserva os ensinamentos Apostolicos, e a chamado de Tradicao Sagrada, que os cristaos protestantes desprezam.

            Agora, antes de nos aprofundarmos no debate sobre o que eh a revelacao Divina, o que eh tradicao Sagrada, etc…. Por favor, visite a pagina do Blog sobre a Revelacao Divina, Intrepretacao das Escrituras e Sucessao APostolica, de acordo com a Igreja Catolica.

            Revelacao Divina, Intrepretacao das Escrituras e Sucessao APostolica

            Mais uma vez, obrigada pela contribuicao ao debate,

            Curtir

            • Alencar disse:

              Resposta a pergunta A:
              Se você me explicar o motivo de Judas ter traído Jesus, eu usarei a sua resposta para responder a sua pergunta.

              Resposta a pergunta B:
              Com ironia eu te pergunto, cadê o crachá, se é que Jesus deixou, credenciando esta ou aquela igreja a ter exclusividade na pasta ou mandato.

              Resposta a pergunta C:
              Quem protege o evangelho é o mesmo que o criou.

              Quanto a “1- Definição de Sucessão Apostólica:”, eu vi a sua auto-condenação.

              Quanto aos argumentos que você apresentou sobre a sucessão apostólica, você só confirmou tudo que eu já havia dito no comentário, sem nenhum fato concreto no sentido contrário.
              Mais uma observação: Evite escrever muito, pois dá a impressão de engodo.

              Curtir

              • Helen disse:

                Alencar,

                Apesar disso ja estar ficando um bocado enfadonho, pois percebo que o Sr nao leu os links que lhe enviei, nao eh do meu feitio deixar alguem sem uma resposta, mesmo que seja breve:

                A- Judas traiu a Jesus porque, como nos conta Joao em seu Evangelho, assim estava escrito. Para que fossem cumpridas as Escrituras. Ou seja, era parte do Plano de Deus que um dos APostolos pertenceria a Satanas.

                B – Com ironia respondo; O cracha esta em Mateus 18,16. Amem.

                C – Quem garante a sã interpretacao do Evangelho eh o Espirito Santo, com diz o Catecismo Catolico que o Sr não leu. Mas Jesus garantiu que esse mesmo Espirito Santo estaria SEMPRE com a Igreja Dele, que eh Apostolica e a guaridiã da Revelacao Divina. Nenhuma outra seita ou denominacao pode afirmar ‘possuir’ a plenitude do ensinamento apostolico. Um exemplo disso sao os Edir Macedos, Os Testemunhas de Jeova e Mormos da vida… Ou o senhor acha que eles acham que estao ensinando um falso evagelho? Nao!! Mas o Espirito Santo proteje a Igreja de Cristo ha 2 mil anos. Tantos saos os ataques, apostasias, heresias e ela continua la, viva a cada seculo!

                Curtir

            • Alencar disse:

              Pois bem, a questão “A” está resolvida.
              Judas traiu por livre arbítrio. Deus apenas direcionou Judas para o apostolado, já que Jesus poderia ter escolhido outra pessoa como discípulo. Se Judas não tivesse traído deliberadamente, Deus estaria sacrificando um inocente para que se cumprissem as escrituras.

              Eu não entendi o seu comentário “B”, pois em “Mateus 18:16” trata da contenda entre dois irmãos e a forma de como resolver a questão.

              Na questão “C”, seu comentário seria relevante se nós dois estivéssemos de comum acordo quanto à herança apostólica.
              Antes de condenar sem julgamento, “Edir Macedos, Os Testemunhas de Jeova e Mormos da vida…”, deveríamos agradecer a Deus por nossas igrejas não terem sido condenadas por erros que se comparados com os erros das igrejas que você citou, não deixariam nada a dever.
              Antes de concentrarmos o olhar para o nosso próprio umbigo, deveríamos olhar para os nossos próprios pecados, que não são poucos, e aceitar a libertação, disponível a todos (Lucas 13:29 – Muitos virão do oriente e do ocidente, do norte e do sul e tomarão lugares à mesa no reino de Deus) e que Deus nos presenteou quando deixou o sangue do seu filho Jesus escorrer pelo madeiro para lavar os nossos pecados.

              Curtir

              • Helen disse:

                Alencar,

                Muito bom seu comentario. No geral estou de acordo com quase tudo.
                Minhas desculpas pelo equivoco. A passagem era Mateus 16:18 e nao 18:16. Trata-se da confissao de Pedro e da escolha dele por Jesus para lider os apostolos…

                Paz,
                Helen

                Curtir

            • Alencar disse:

              Mais uma coisa que eu esqueci: Eu li o link, mas não precisava, pois no seu blog já consta tudo que lá está escrito.

              Curtir

      • Alencar disse:

        Caro OBs do Blog:

        Vocês citaram os versículos de 2 Pedro 3:15-16, como pretexto para manter seus membros longe da Bíblia, ou seja, na ignorância, enquanto vocês dão vossas versões, mas esqueceram de citar os versículos 17 e 18, que deixam bem claros que Pedro estava se dirigindo aos membros que não estavam mais querendo seguir a Jesus, e destorciam as cartas de Paulo assim como faziam com as escrituras do Antigo-Testamento.
        2 Pedro 3:17-18
        17 – Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza;
        18 – antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.

        Desculpem-me pela aspereza com que estou postando este comentário, mas é que eu fico indignado com estas coisas.

        Curtir

        • Manuel disse:

          Meu querido irmão Alencar;

          Lamento os teus argumentos,estas derrotado converte se na Igreja de Jesus Cristo!
          “Onde as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

          “A igreja Católica meu amigo é a coluna e sustentaculo da verdade”

          Curtir

          • Alencar disse:

            Olá Manuel!
            Eu já estava com saudades de você.

            Curtir

            • (Anderson) disse:

              Não temas Alencar. Fui protestante por 20 anos. Infelizmente, nos apresentam nas denominações protestantes não a verdadeira Igreja Católica, mas uma caricatura montada por lobos devoradores que agora estão sendo desmascarados pouco a pouco. É só você acompanhar o noticiário. E não estou falando de dízimos ou desvio de dinheiro. Estou falando de heresias que em última análise é que levam os homens para o inferno. Jesus nos advertiu que devemos temer mais a estes do que os que matam o corpo. Você tem o direito lícito de discordar e crer naquilo que te parece justo. Mas procure conhecer a doutrina católica. Até mesmo para você poder critica-la com maior eficiência. Não saia por aí repetindo as bobagens de Malafaias, Macedos ou Soares. Eu cometi este erro grave. Não desejo que você pereça na miséria e na fome como quase eu e minha família ficamos.
              Com meus respeitos,

              Anderson.

              Curtir

  16. Bebel De Carvalho disse:

    “Depois de 17 anos como protestante, descobri que o protestantismo é apenas um caminho mais doloroso para Roma.

    Quem puder que chegue a Roma o quanto antes, pois nesse caminho mais longo e incompreensível do protestantismo alguns podem se perder definitivamente.”

    Para que servem as denominações Protestantes ????

    Reconheço que é direito de todo e qualquer cidadão professar sua crença livremente, sem embaraços.

    Repudio toda e qualquer forma ou mesmo tentativa de preconceito religioso.

    Todos devem confessar seus valores sem constrangimentos e desde que as práticas decorrentes não se constituam em situações ilícitas tipificadas em legislação própria.

    Não concordo também com ataques dirigidos a honra das pessoas e que por vezes materializam situações caluniosas, difamatórias e injuriosas.

    As críticas e divergências devem ser limitadas às questões de fé e doutrina, excluindo ataques dirigidos a dignidade e honra das pessoas.

    Estou de acordo com isso.

    Nesse sentido, repudio os ataques insistentes e constantes que são dirigidos a Santa Igreja Católica, em via de regra, injustos, difamatórios, caluniadores e que partem muitas vezes de pessoas que nada conhecem da doutrina e dogmas de fé do catolicismo.

    Infelizmente, grande parte desses ataques são produzidos por pessoas que se dizem cristãs e que na verdade parecem desconhecer o significado de tolerância religiosa.

    Em especial, a maior parte das mentiras proferidas contra o catolicismo são encontradas no novo protestantismo brasileiro, entendido pelo autor como modelo religioso que é praticado por denominações separadas do protestantismo tradicional e que se auto denominam como “evangélicas”.

    Produzidas as devidas ressalvas, vamos ao tema central:

    Para que servem as denominações protestantes ?

    Os protestantes dizem que já estão salvos.

    Faria diferença se não freqüentassem mais alguma de suas milhares de denominações ?

    Eles dizem que Igreja não salva ninguém.

    Aliás, dizem também que placa de Igreja não salva ninguém.

    Dizem ainda que religião não serve para nada.

    Então para que servem os templos protestantes ?

    Se o crente já está salvo, o protestante teoricamente corre o risco de perder sua salvação freqüentando a denominação errada.

    Escutando outras pessoas, o crente que já estava “salvo” pode até mesmo comprometer sua salvação.

    Eles dizem que basta crer.

    Para o protestante basta crer.

    Correto ?

    Não.

    A teoria é uma e a prática é outra.

    Basta crer, desde que não seja católico.

    É preciso ter fé e ao mesmo tempo não ser católico.

    Portanto, o Sola Fide de Lutero é jogado no lixo, pois já não basta crer.

    Provarei que ao contrário do que dizem os protestantes, a fé parece ser
    o fator de menor importância na salvação de cada crente.

    Assim, ao contrário do que dizem de que placa de igreja não salva ninguém, o fato decisivo é ser evangélico ou protestante, ou, pelo menos parecer que é, ou ainda integrar alguma denominação pentecostal.

    O curioso é que recebendo o rótulo evangélico tanto faz a denominação ou o “cristianismo” que se prega ou que se aprende.

    Todos são irmãos em cristo, independentemente da doutrina que um ou outro professa.

    O crente da denominação que apóia o aborto ou que tem pregadores favoráveis ao aborto é “irmão em cristo” do crente que abomina o aborto.

    O crente que crê na Trindade é “irmão em cristo” do crente que não crê na Trindade.

    E ao mesmo tempo todos são contra o catolicismo.

    Apesar de todas as contradições que são fabricadas em grande escala pelo protestantismo, ainda assim eles insistem em dizer que basta ter fé.

    Mas afinal para que servem os templos protestantes se o importante é apenas crer ?

    Eles utilizam o Sola Scriputra de Lutero. “Só a Bíblia”.

    Cada crente pode ler e interpretar a Bíblia livremente.

    Eles dizem que o Espírito Santo auxilia cada crente na sua interpretação.
    Alguns dizem que antes de ler a Bíblia deve-se pedir orientação em nome de Jesus.

    Se cada crente pode interpretar livremente a Bíblia, por que são necessários pastores ?

    E se pastores são dispensáveis, por que ouvi-los se cada qual pode entender e compreender individualmente ?

    Eles mesmo dizem: “Só a palavra. Vai na palavra. Não é o que o pastor fala é o que a Bíblia ensina”

    E se pastores são descartáveis, para que servem os cultos protestantes ?

    E se os cultos protestantes são desnecessários, para que servem seus templos ?

    Alguns dirão que vão às denominações para louvar o Senhor.

    Mas e se o crente não louvar o Senhor, perde a salvação ?

    Se o crente não louvar ou não bater palmas o que acontece ?

    Crer não é suficiente ?

    Para que louvar se o crente já está salvo ?

    E por que o ato de louvar tem que ser na denominação ?

    Não pode ser em casa ?

    A pergunta que o protestante faz a todo católico e que não faz a si mesmo é “Qual a base bíblica ?”

    Onde está na Bíblia que se deve louvar em uma denominação protestante ????

    Onde está na Bíblia que para se ter salvação é indispensável louvar, bater palmas, fazer jejum, ouvir música Gospel e pagar dízimos ?

    E por que não se pode louvar sozinho ?

    Só serve louvar junto de outros crentes ?

    Qual a base bíblica ?

    Se todos podem interpretar a Bíblia individualmente com a “assistência” infalível do Espírito Santo, por que cada denominação tem doutrina própria ?

    Por que uma denominação não é igual a outra ?

    E não estou falando de permitir ou não corte de cabelos ou uso dessa ou daquela peça de vestuário.

    Falo em matéria de fé e doutrina.

    Por que alguns batizam e outros não ?

    Por que alguns casam pessoas do mesmo sexo e outros condenam esse tipo de enlace ?

    Por que algumas denominações apóiam o aborto e grande parte critica ?

    Por que alguns acreditam na Trindade e outros a renegam ?

    A freqüência na Igreja somente se justifica para o um católico.

    Por que ?

    Porque não nos consideramos salvos.

    Consideramos que devemos perseverar até o fim, tal como nos ensina a Bíblia Católica.

    A Santa Missa é uma oportunidade de recebermos graças e indulgências pelos pecados que cometemos.

    Se temos que perseverar até o fim é sinal que ainda não estamos salvos.

    Acreditamos que haverá um julgamento e este excepcional evento é primazia de Deus.

    Não nos compete definir quem está ou não salvo.

    O protestante não precisa de ensino porque ele mesmo pode interpretar a Bíblia.

    O protestante não precisa de indulgências e nem de boas obras porque ele já está salvo.

    Ele não precisa se confessar a um sacerdote porque já tem uma linha direta com Deus.

    Em algumas denominações nem mesmo há necessidade de pedir alguma graça, já que basta determinar em nome de Jesus.

    O protestante não precisa perseverar até o fim, pois ele já se encontra salvo tão e somente porque creu.

    O que é a Santa Missa para nós ?

    É a renovação incurenta(sem derramamento de sangue) do Sacrifício do Calvário. É o mesmo e único sacrifício de Jesus Cristo na cruz.

    Nessa cerimônia, Cristo é ao mesmo tempo sacerdote e vítima, oferecendo-se a DEUS para pagar as nossas dívidas.

    Seus méritos infinitos são aplicados a cada fiel.
    Por isso dissemos: “Participamos da Santa Missa ao invés de assistirmos”.

    Chamamos a Missa de Santa porque o autor de toda a santidade se oferece como vítima em um sacrifício perfeito, agradável, eficaz, perpétuo a Deus.

    Apenas para os católicos faz sentido freqüentar Igreja.

    Nós precisamos de confissão, indulgências, homilias, eucaristia, etc…

    No caso do protestante, não faz sentido algum freqüentar denominação.

    Ele já está salvo.

    E ele mesmo pode interpretar a Bíblia. Ele não precisa do magistério da Igreja ou de pregador.

    Nós precisamos da Igreja, porque a consideramos coluna e sustentáculo da verdade conforme nos ensina a Bíblia Católica.

    O protestante não precisaria de pastor se de fato acredita que pode contar com a assistência infalível do Espírito Santo.

    O pastor poderia acabar atrapalhando.

    Não é o nosso caso. Não temos a assistência infalível do Espírito Santo para interpretar a Bíblia.

    Somos chamados leigos.

    Estamos sujeitos a interpretação de Pedro e seus sucessores.

    Estamos sujeitos ao magistério da Igreja.

    Consideramos que interpretação alguma é de caráter individual, tal como nos ensina a Bíblia Católica.

    O protestante crê na interpretação individual, embora a Bíblia a proíba.

    Pelo jeito a Bíblia de Lutero deve ensinar diferente.

    Ou não ?

    Será que jogaram Lutero no lixo ?

    Mas segundo o protestantismo nacional, quem não lê a Bíblia é católico.

    Se cada crente pode interpretar a Bíblia individualmente, se cada crente
    só precisa crer, se não há base bíblica para obrigar ao crente frequentar denominação, se não há base bíblica que recomenda perda de salvação por deixar de louvar em denominação, retornamos a pergunta:

    Para que servem as denominações e templos protestantes ????

    O protestante já estando “salvo” em tese correria o sério risco de perder sua salvação freqüentando a denominação errada ou escutando o pregador que prega fora da Bíblia.

    E como o protestante pode saber qual a denominação ou pregador são os mais adequados ?

    Quem determina ?

    É pela Bíblia que ele sabe qual é a denominação séria ou pregador comprometido ?

    E quando o protestante passa a ter direito de sair de uma denominação e ir para outra ?

    Quem decide isto ?

    Quem está salvo ? O que ficou na denominação ou que saiu dela ?

    Ambos estão salvos ?

    Então aí mesmo é que pouco importa que denominação se freqüenta.

    Ou seja, para que serve uma denominação protestante se não faz qualquer diferença pertencer a esta ou àquela outra ?

    O apóstolo Paulo, o qual chamamos no catolicismo de São Paulo, nos ensina que o coração humano faz juízos duvidosos.

    Assim sendo, para nós católicos é impossível acreditarmos que Jesus nos deixaria por conta própria após tão eloqüente sacrifício e considerando sofrimento e humilhação atrozes dos quais padeceu.

    É incompreensível para nós depois de tudo que Jesus fez, ouvir por exemplo:

    “Se vira. Leia e interprete a Bíblia. Julgue o que pregador está falando a partir de tua leitura particular. Escolha por si só a igreja adequada. E se esta igreja não tiver pregando corretamente vá para outra. E vá mudando até encontrar a igreja certa. E se não encontrar funde uma nova denominação.”

    De maneira alguma.

    Jesus Cristo que amou incondicionalmente não nos deixaria sós.

    Por isto ele fundou a Igreja. Coluna e sustentáculo da verdade.

    Não temos que nos preocupar com as questões de fé e doutrina.

    A Igreja é assistida pelo Espírito Santo.

    E é o próprio Jesus Cristo que lhe dá assistência permanente “…estarei convosco até a plenitude dos tempos.”

    Ele mesmo nos garante que as portas do inferno nunca prevalecerão contra sua igreja.

    Ele confirmou Pedro.

    E Pedro não erra em matéria de fé e doutrina.

    Simão até pode cometer os erros comuns aos homens.

    Mas Jesus nos diz que devemos temer os homens que matam a alma e não o corpo.

    Ou seja, devemos temer mais os hereges do que os violentos.

    Mas eu devo escutar a Pedro e não a Simão.

    Glória a vós Senhor por tão grande amor dispensado.

    Alguns dirão que freqüentam a denominação porque o tão alegado “crer em Jesus “ é apenas força de expressão.

    Dirão que na verdade o crer em Jesus significa não apenas crer que ele morreu na cruz por nossos pecados, mas é preciso fazer tudo que ele diz.

    Sem dúvida.

    E nesse caso, nossos irmãos protestantes terão que concordar com Maria Santíssima nas Bodas de Caná: “Fazei tudo que ele vos disser”

    E se o crer em Jesus não é mais o literal “crer em Jesus”, mas também fazer e crer no que ele disser, por que o protestante não crê em Jesus quando ele diz:

    Pedro, sobre ti edificarei minha Igreja ???

    Por que o protestante não crê em Jesus quando ele diz: “Pedro, apascenta minhas ovelhas.” ?

    Por que o protestante não crê quando a Bíblia condena a divisão do corpo ?

    Por que o protestante não crê quando Jesus dá poderes aos apóstolos para perdoarem ou reterem pecados ?

    Por que o protestante crê em Lutero e adota o seu Sola Scriptura se a Bíblia diz que maldito é o homem que confia em outro homem ?

    Por que se dividem cada dia mais e mais se a Bíblia condena a divisão ???

    Por que chamam Maria de mãe de aluguel ou mulher como outra qualquer se o Anjo do Senhor disse: “Achastes Graça diante de DEUS.” ?

    Por que chamam Maria de barriga de aluguel se João Batista estremeceu de alegria no ventre de Isabel ao ouvir sua saudação ?

    Por que chamam Maria de pecadora comum se a Bíblia diz que deveria ser chamada de Bem Aventurada por todas as gerações ?

    Por que aceitam mulheres como pastoras se a Bíblia condena ?

    Por que aceitam as “visões” de seus pregadores sobre fundações de novas denominações se a Bíblia nada fala a respeito ?

    Por que interpretam a Bíblia individualmente se ela próprio condena a interpretação pessoal ?

    Por que fazem da Bíblia a verdade plena se o próprio Jesus disse que somente ele é o caminho, a verdade e a vida ?

    Por que transformam a Bíblia(criatura) em algo maior do que o Criador(Jesus) ? Afinal todas as coisas foram criadas por meio dele.

    Por que fazem da Bíblia coluna e sustentáculo da verdade se a própria escritura nos ensina que somente a Igreja o é ?

    Afinal, quem não lê a Bíblia ???

    Católico ou protestante ???

    Ora, se tem que freqüentar denominação, se tem que ter pastor, se apenas o protestante está salvo, se tem que bater palmas e se tem que pagar o dízimo, então não basta ter fé.

    Protestante, pegue Lutero e o jogue no lixo.

    Tem que ter fé, ser protestante, freqüentar denominação, ter pastor, depois não confiar nesse mesmo pastor quando ele prega, pois o que vale é a palavra, tem pagar o dízimo, tem que bater palmas, tem que ler a Bíblia, mas não precisa que todos concordem entre si, não pode julgar o irmão em Cristo, mas deve julgar todos os demais que não são protestantes, tem que rotular os católicos de idólatras, deve criticar o celibato, deve apelidar os santos católicos, tratar a mãe de Jesus como uma mulher qualquer e pecadora ou talvez barriga de aluguel e ainda deve ouvir Música Gospel que “edifica” e que é uma “benção.”

    Pela própria teoria protestante, precisa de muita coisa para ser salvo.

    O protestante parece ter permissão apenas para duas coisas.

    Atacar o catolicismo e seguir o que desejar da Bíblia.

    Um protestante não precisa concordar com o outro. Mas ambos estão salvos, ambos pertencem ao povo de Deus E todos são bênçãos, ungidos, sacerdotes, profetas, reis, etc…”

    O fato é que Lutero estava errado.

    Não basta crer.

    É indispensável preencher uma série de requisitos e cumprir uma série de procedimentos.

    E olha que grande parte não está na Bíblia…

    Triste é que o protestante além de escolher o que deseja seguir da Bíblia ele também pode escolher o que deseja seguir de Lutero, Calvino, Wesley, entre outros.

    Lutero era devoto de Maria Santíssima. E o crente que lhe copia o “Só a fé” e o “Só a Bíblia” o ignora neste momento.

    Em que pese que não se deve dar crédito ao demônio, algumas das mais belas palavras sobre Maria foram proferidas pelo herege Lutero.

    Calvino, outro heresiarca, considerava essencial a Igreja como instituição para salvação do homem. Ele dizia que sem Igreja não há salvação. E o crente diz que Igreja não serve para nada.

    Com essa confusão toda, inúmeros mestres, todos divergentes uns dos outros, inúmeros pregadores e cada pessoa podendo interpretar a Bíblia livremente, o protestante criou uma religião impar.

    E qual seria essa religião que aqui o autor chamará de Novo Protestantismo Brasileiro ?

    Seria ela:

    .Crer em partes da Bíblia e não no todo.Crer apenas naquilo que interessar a cada protestante. Thiago deverá ser rejeitado por causa das obras. O mesmo princípio deverá ser aplicado a Pedro e seus escritos por causa do catolicismo.

    .Crer na pretensa reforma e nos seus reformadores e não crer na Igreja que seria reformada. O crente deverá tomar por falsa a Igreja(Católica) e verdadeira a reforma e seus pretensos reformadores. O crente poderá dizer que a Igreja Católica foi fundada por Constantino e ao mesmo tempo abraçar a sua reforma. Isto mesmo. O protestante nacional abraça a reforma da suposto igreja fundada por Constantino. Não precisa fazer sentido. Tudo que o protestante quiser.

    .Crer parcialmente em Lutero. Crer no seu Sola Scriptura e no seu Sola Fide e repudia-lo na devoção a Virgem Maria e nos sacramentos.

    .Crer parcialmente em Calvino. Desconsidera-lo, por exemplo, sobre a necessidade de Igreja para se chegar a salvação.

    .Crer parcialmente em outros mestres. Pegar o que interessar de cada um. Smith, Wesley, Joaquim, João, Dalva, Clotilde, etc…

    .Condenar todos os demais que se dizem cristãos mas que não são protestantes. Acusa-los de heresias, blasfêmias, idolatria, etc..

    .Ao mesmo tempo que o crente deve condenar e apontar o defeito de outro cristão não protestante, deve defender seus pares com unhas e dentes. O crente deverá usar expressões do tipo: “Não toca no ungido do Senhor ! Ai daquele que toca o ungido de Deus. Deixa que ele está fazendo a obra de Deus. Não podemos julgar. Deus sabe de todas as coisas”. O crente também poderá utilizar o famoso jargão: “Olha pra Jesus. Não olha para o homem.”

    .O crente deverá dividir e fragamentar o corpo de Cristo o máximo que for possível. Pulverizar a palavra de Deus o máximo que puder. Quando o crente tiver insatisfeito ou for contrariado deve mudar de denominação. O ideal é pular de galho em galho atrás de toda a sorte de novidades. Se possível, o crente insatisfeito deve fundar uma nova denominação acrescentando sempre que a Glória da segunda casa será maior ainda do que a Glória da primeira.

    .Quando for confrontado sobre a questão das inúmeras divisões, o crente deverá dizer que cada denominação possui parte da verdade e que todos somados correspondem a verdade plena. O crente deverá acreditar e fazer com que outros acreditem que a verdade se divide e que a verdade não é una e nem imutável, mas está sempre modificando-se conforme as necessidades e desejos do homem.

    .Confiar nas “visões” dos pregadores sobre fundações de novas denominações ou sobre empreendimentos e projetos de grande impacto.

    .Contudo, ao mesmo tempo que deve acreditar cegamente nas “visões” dos pregadores, deve desconfiar de todos eles sobre as pregações da palavra. O crente não deve olhar para o pastor. Deve consultar a Bíblia. E se discordar do pastor já sabe: Troca de denominação ou funda uma nova “Igreja”.

    .Todos devem ser diferentes entre si em matéria de doutrina e fé e ao mesmo tempo todos devem ser irmãos em Cristo, ainda que uns reconheçam nos outros heresias, blasfêmias e doutrinas anti bíblicas.

    .Todos devem ser diferentes e ao mesmo tempo cada qual deve presumir que é portador da verdade e inspirado pelo Espírito Santo. Um Espírito Santo diferente para cada crente.Cada qual pode escolher o Espírito Santo que pretende ouvir.

    .O repúdio ao catolicismo é essencial(Que lástima !). Devem criticar seus dogmas, mesmo que não conheçam. Não devem aceitar explicações de quaisquer espécie. Devem criticar tudo que for católico. O celibato, a Santa Missa, o Papa, os Santos, o Purgatório, A Virgem Maria, As freiras, o fato de católico não bater palmas e nem dar pulinhos. Tudo deve ser criticado previamente. O crente não precisa de explicação ou conhecer algo a respeito daquilo que está criticando.

    .Quando for necessário o crente deverá dizer que o catolicismo deformou a doutrina da Igreja Primitiva e Lutero foi necessário para corrigir os erros do catolicismo. Por outro lado, se necessário também, o crente deverá dizer que o catolicismo jamais se modifica. Sempre o mesmo. Não se renova. Não se atualiza. O importante é criticar o catolicismo. Uma hora o crente deverá acusar o catolicismo de mudanças e deturpações da doutrina e em outro momento deverá dizer que o catolicismo é arcaico e que precisa de mudanças urgentes.

    .O diabo deverá ser a maior celebridade no meio protestante. Tudo será culpa do diabo. Quando não for possível culpar o diabo, o crente deve acreditar que não teve fé suficiente e permanecer dependente de seu pastor e de sua denominação.

    .Pregar muito sobre o velho testamento. Preferencialmente, retornar aos costumes da lei antiga. O culto protestante deverá dar maior crédito a Elias, Davi, Abraão do que ao próprio Cristo.

    .No que se refere aos apóstolos, o crente jamais deverá citar Pedro e nem mesmo ler o seus escritos. O crente deve sempre citar Paulo. Paulo o tempo todo para se reforçar a idéia de que a Igreja primitiva é oriental e nada tem a ver com a Igreja Romana.

    .O crente jamais deverá por o nome de Maria em uma eventual filha mulher.

    .O crente jamais poderá ler uma obra de Lutero. Nunca. Em tempo algum. Seus escritos não podem ser vistos. Tudo que ele possa ter falado sobre Jesus Cristo deve ser ignorado. O crente pode criticar os católicos que confessam a cristo, mas não poderá criticar Lutero que classificou Nosso Salvador de bêbado e adúltero.

    .O crente não deverá questionar o dízimo, o bízimo, o trízimo, as ofertas e os patrocínios. Tudo deve ser feito pela denominação. Nada para os menos favorecidos. O crente deverá dizer que assistência social é problema dos governos. Assistir aos mais pobres e necessitados é coisa de católico. Nada de copiar aquele pessoal que fuma, bebe, dança, assiste futebol e acolhe os mais desfavorecidos.

    .Sempre que o crente questionar a fé católica deverá pedir referência bíblica para tudo. E sempre que for criticado deverá mudar de assunto ou tema. O crente jamais poderá responder porque não recita o Pai Nosso ou porque não chama Maria de Bem Aventurada por todas as gerações. Está na Bíblia mas não vale para o crente.
    Sempre dois pesos e duas medidas no julgamento que o crente faz para si e seus pares e para os demais.

    .Importante: Em que pese que o anjo saudou Maria, o crente protestante não deve fazer o mesmo. Isso é problema do anjo que deve ser católico.

    .E ainda, embora Maria tenha achado graça diante de Deus, conforme ensina a Bíblia Católica, diante do crente ela deve ser tratada como uma mulher pecadora ou como qualquer outra. O ideal é inventar um monte de irmãos para Jesus para “comprovar” que Maria era pecadora.

    .Sempre que confrontado o crente deve mudar de assunto. Para cada pergunta que lhe for feita ele deve fazer outras duas e sempre citando capítulos e versículos bíblicos para dar a impressão que ele é um mestre da lei, profundo conhecedor da Bíblia e uma pessoa muito espiritual.

    .O crente sempre deverá fazer-se sábio aos seus próprios olhos.

    .O crente deverá também acreditar e fazer com que outros acreditem na igreja invisível que ao contrário do que sugere o nome é totalmente visível para o crente protestante. Mesmo que a Bíblia nada fale a respeito, o crente deverá dizer que faz parte da igreja invisível. Isso é para poder descartar a Igreja que de fato é visível. A católica. A única. A verdadeira.

    .Quando algum profeta disser que Jesus voltará em 2007 ou 2020 e isso não se confirmar, o crente deverá continuar dispensando ao mesmo falso profeta o prestígio e crédito de antes. Esse profeta deverá continuar sendo uma “benção” e “ungido” do Senhor.

    .Quando algum profeta profetizar qualquer bobagem contra o catolicismo, o crente deverá acreditar que a Igreja que está de pé por mais de 2.000 anos ruirá por conta da profecia do “irmão ungido”. O crente deverá dizer: “Se Deus entregou essa profecia para o irmão é porque a coisa vai se cumprir.”

    .Quando alguém disser que o Papa João Paulo II é a besta do apocalipse e tal fato não se confirmar, esse mesmo “profeta ou profetiza” deverá continuar gozando do mesmo respeito e credibilidade no meio evangélico.

    .Quem disser que a Igreja Católica é a Igreja da Cruz invertida deverá gozar de prestígio e influência no meio evangélico, ainda que se saiba que a mesma cruz invertida é também usada por algumas denominações protestantes históricas, como lembrança da morte de Pedro que foi crucificado de cabeça para baixo por não se julgar digno de morrer como Jesus Cristo. O crente deverá acreditar e fazer que outros acreditem que a cruz invertida significa que a Igreja Católica é contra Cristo.

    .O crente deverá considerar como “Povo de Deus” apenas ele e outros que sejam do meio, igualmente crentes evangélicos, ainda que a Bíblia diga que os irmãos e mães de Jesus Cristo são aqueles que fazem a vontade do pai. Nesse caso a Bíblia não deve ser considerada. Povo de Deus é título conferido apenas para o meio evangélico, ainda que as doutrinas sejam diferentes, ainda que não se conheça que tipo de cristianismo cada denominação pratique ou professe. O crente deverá repetir insistentemente que o Povo de Deus já está em 30% da população brasileira. O crente evangélico, ao contrário do católico, tem a capacidade de prescrutar o coração humano e conhecer quem faz ou não a vontade de Deus e ainda lhe é possível também antecipar o julgamento divino, já definindo portanto quem está ou não salvo.

    .Ao contrário de Isabel que ficou cheia do Espírito Santo e de João Batista que estremeceu em seu ventre, ambas situações ocorridas após a saudação de Maria, o crente protestante deverá enfurecer-se sempre que ouvir algo semelhante.

    .Finalmente, o crente deverá dizer que religião não salva ninguém ou que religião não serve para nada, mas no momento em que se sentir criticado ou acuado deverá alegar preconceito e deve ameaçar todo mundo de processo. Ao contrário do que ensina a Bíblia, o crente deverá sempre fugir da “perseguição” e sempre se dizer perseguido, especialmente na TV e no rádio.

    O crente que ignora religião e que diz que religião não salva ninguém deverá logo dizer como de costume: “Está havendo perseguição religiosa contra o povo de Deus.”

    Não precisa fazer sentido. Alegação de perseguição religiosa por parte de quem abomina religião..

    O melhor de tudo é que nessa religião todo crente já está salvo, independentemente do que disser ou fizer.

    Conforme o próprio Lutero ensinou aos seus filhos: “Pecar, pecar, o máximo possível para que o sacrifício de Cristo faça sentido.”

    Alguém irá perguntar certamente: “E como fica o “Só a Bíblia” se cada crente tem que preencher todos estes requisitos ?”

    Afinal é a Bíblia ou é o pastor e suas visões ?

    A Biblia ou a denominação e sua doutrina e costumes ?

    Para que serve Lutero se o que ele disse ou fez já era obrigação do crente conhecer a partir da leitura da palavra com a “assistência” infalível do Espírito Santo ?

    Afinal de contas para que serve um templo protestante se ele já está salvo?

    Para que servem seus cultos se eles não crêem na presença real de Jesus Cristo ?

    Para que servem os seus dízimos se a salvação independe do pagamento desses valores ?

    Agora se vão dizer que a salvação recomenda um conjunto de boas obras, então terão que concordar com os católicos e portanto, o vosso pai Lutero e seus pregadores estão enganados.

    Se vão dizer que a salvação compreende um contexto de ações então não basta ter fé.

    Tem que ter fé e obras e assim os católicos estão certos.

    Basta ter fé significa que fé é suficiente. Nada mais é necessário.

    Portanto, templos protestantes, pastores, música Gospel, DVDs, CDs, programas nas rádios e TVs e dízimos não servem para nada.

    Nem Lutero. Nem Calvino. Nem qualquer denominação. Nem dízimos.

    Então dirão: “Temos que pregar a palavra.”

    Não precisa pregar.

    Basta entregar uma Bíblia para cada pessoa.

    Cada crente pode ler e interpretar por conta própria.

    Cada crente conta com a “assistência” do Espírito Santo” e assim não precisa de pregador.

    Afinal de contas gritam os protestantes: “Não é o que o pregador diz, mas a palavra.”

    E se todos que freqüentam as denominações já estão salvos, ainda que fosse indispensável pregar, essa pregação teria que ser feita em campo aberto, fora do templo.

    Afinal por que se pretende dar remédio a quem não está doente ???

    Não são os doentes que precisam de médico e de remédio ???

    Por que pregar para quem já está salvo ???

    E alguns outros ainda dirão que o pastor é necessário para orientação espiritual. O crente precisa crescer na fé. Precisa crescer espiritualmente.

    E o que importa o crescimento espiritual se o crente já está salvo ?

    Faz diferença crescer ou não crescer espiritualmente ?

    Não basta ter fé ?

    E se o pastor orientar errado ?

    E a propósito, quais são os pecados contra o Espírito Santo ???

    A Bíblia não diz quais são.

    Como o protestante se orienta sobre esses pecados para os quais não há perdão ???

    Nós católicos podemos evita-los, pois ouvimos o magistério da Santa Igreja.

    E o protestante poderia defini-los ?

    Poderia deles fugir ?

    E se algum protestante disser que conhece os pecados contra o espírito santo, por certo estará entrando em contradição.

    Pois se a Bíblia não os define e o protestante não pode da Bíblia sair, não adianta dizer que ouviu de alguém ou que leu em algum livro.

    Como se diz por aí, na boa, sem aquela embromação de sempre ou aqueles jargões já manjados.

    Sem essa de dizer que a Igreja é necessária para louvar ou que a Bíblia diz isso ou aquilo.

    Sem essa de dizer que o pastor disse isso ou aquilo ou que o Espírito Santo vai ensinando, vai operando, vai trabalhando, etc…

    Sem aquela tática de passar para outro tema sem esgotar o primeiro.

    OBJETIVAMENTE SEM RODEIOS E SEM DESVIAR DA QUESTÃO:

    Se para o protestante o importante é ter fé e igreja não salva ninguém, que diferença faz freqüentar ou não denominação protestante ?

    Alguém fica mais ou menos salvo ???

    A necessidade de pagar o dízimo ???

    Para pagar dízimos existem internet e sistema bancário. Não precisa de culto e nem mesmo de pregação.

    E se não pagar o dízimo o que acontece ?

    Perde a salvação ?

    Então para ser salvo tem que ter fé e pagar o dízimo ?

    Se pagando o dízimo e tendo fé já está salvo, mais uma vez permaneceria a indagação.

    Para que servem as denominações protestantes e seus pregadores ?

    E o pior de tudo que além de se dizer salvo, tem gente dizendo que uma vez salvo sempre salvo.

    Aí mesmo que nada faz sentido.

    Se a salvação obtida a partir do “aceita Jesus”, é “imperdível”, por que de templos, pastores, leitura bíblica, escola dominical, DVDs, CDs, palestras, programas de rádio e TV ???

    Sem mudar de assunto ou citar versículos bíblicos fora de contexto.

    Sem aquela mania de sempre com tudo fora de contexto: “Tudo posso naquele que me fortalece. Em toda as coisas somos mais do que vencedores. Porque Paulo disse…. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.”

    Para que servem as denominações protestantes ?

    Para que serve o protestantismo ?

    E o interessante é saber que a Igreja Católica não despreza as comunidades protestantes tal como o protestante o faz em relação as suas próprias denominações e a seus pares.

    A Igreja católica vê com respeito os cristãos que estão fora dos seus limites, se não vejamos:

    “Os que hoje em dia nascem em comunidades que surgiram de tais rupturas e estão imbuídos da fé em Cristo não podem ser arguidos de pecado de separação, e a Igreja católica os abraça com fraterna reverência e amor… Justificados pela fé recebida no Batismo, estão incorporados em Cristo, e por isso com razão são chamados com o nome de cristãos, e merecidamente reconhecidos pelos filhos da igreja católica como irmãos no Senhor” (UR,3), (CIC nº 818).

    “Muitos elementos de santificação e de verdade existem fora dos limites visíveis da Igreja Católica”: a palavra escrita de Deus, a vida da graça, a fé, a esperança e a caridade e outros dons do Espírito Santo” (UR, 3).

    “O Espírito Santo de Cristo serve-se dessas igrejas e comunidades eclesiais como meios de salvação cuja força vem da plenitude da graça e da verdade que Cristo confiou à Igreja Católica. Todos esses bens provêm de Cristo e levam a Ele e impelem à “unidade católica”(LG, 8).

    É o próprio catecismo da Igreja Católica que diz claramente que DEUS age no meio de tais comunidades.

    Grande parte dos batismos e matrimônios celebrados nestas comunidades são aceitos na Igreja Católica como válidos.

    O oposto não ocorre.

    A Bíblia diz que ninguém pode dizer que Jesus Cristo é o Senhor se não pelo Espírito Santo, mas o protestante descartando a Bíblia impõe a um católico um novo batismo quando este adere a uma denominação protestante.

    São os próprios protestantes que a partir dos seus milhares de conceitos conflitantes entre si que acabam por condenar templos, pregadores, práticas, costumes e o próprio protestantismo em si.

    Afinal de contas são eles que dizem:

    “Igreja não salva ninguém”

    “Não é o que pregador fala, mas a palavra”

    “Quem crê já está salvo”

    “Uma vez salvo, sempre salvo”

    A.Silva/Com colaboração de V.De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor

    Curtir

  17. Daniel Silva disse:

    O protestante não sai do seu erro e do ciclo vicioso que criou para si mesmo.
    Diz ele que vai consultar a Bíblia.
    Mas não se pergunta por que irá consultar a Bíblia.
    Por que ele acredita na Bíblia ?
    Esta é a questão ?
    O que lhe dá certeza de que a Bíblia é confiável ?
    O que lhe dá certeza de que a Bíblia é a única fonte de revelação ?
    O que lhe dá certeza de que a Bíblia correta é a dele ?
    E por que ele insiste em interpretar a Bíblia se a própria Bíblia lhe proíbe ?
    E como ele pode ignorar a Igreja se a Bíblia veio a confirmar que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade ?
    A única pergunta honesta que um protestante pode fazer é perguntar para si mesmo de que Igreja a Bíblia está falando.
    Ora, a Biblia não diz nem mesmo de si própria que é coluna e sustentáculo da verdade. A Bíblia produzida pela Igreja veio confirmar que a Igreja é indispensável.
    O protestante, exceto por questões sobrenaturais, jamais deixará de lado os seus erros.
    E como ele protestante não consegue enxergar os erros se sabe que outro protestante não pensa como ele, razão pela qual todos se dividem e chamans uns aos outros de hereges ?
    Eu levei 20 anos para renunciar a falsidade da doutrina protestante. Posso garantir que só com a intervenção do Senhor Jesus é possível convencer a um protestante.
    Mesmo sabendo que cada denominação tem uma doutrina diferente, todos se acham certos ao mesmo tempo. É como se fosse possível várias “verdades” ao mesmo tempo. E interessante que uns são escandalosamente divergentes dos outros. O que prega o aborto é irmão em cristo daquele que prega contra o aborto. E ambos “estão” salvos e ambos se dizem inspirados pelo Espírito Santo.
    Não tem jeito. O protestante vai até o fim com o seu erro.
    Sr.Protestante, certamente o senhor não tem a Igreja Católica e nem ao papa por infalíveis em matéria de fé e doutrina.
    Assim, como o senhor pretende convencer a um católico de sua doutrina, ou mesmo um outro protestante, se antes de tudo o senhor tem que convencer quem lhe ouve que homem algum é infalível e portanto, homem alguém é confiável ?
    Por que alguém deveria acreditar no senhor se o senhor mesmo diz que não há ninguém infalível ?
    Ah ! Devemos consultar a Bíblia ?
    E assim o protestante retoma o ciclo vicioso.
    Apenas a interpretação dele está correta.
    Eu leio a Bíblia e estou errado.
    Ele lê a Bíblia e está certo.
    Cada protestante é infalível para si próprio e ao mesmo tempo condena a infalibilidade nos demais.
    Não é por acaso que se dividem.
    Cada qual está certo para si próprio e não pode suportar a doutrina alheia.

    Curtir

    • Alencar disse:

      A Bíblia me dá munição suficiente para combater o bom combate.
      A apologética, esta tropeça nas próprias pernas.
      Quem não tem o escudo explícito na Palavra de Deus, está completamente desarmado, e o inimigo (demônios) é mais forte do que o que pensamos, e está mais presente do que podemos ver. Veja o que Jesus disse a Pedro:
      Mateus 16:23 – Jesus virou-se e disse a Pedro: “Para trás de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, e não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens”.

      Curtir

  18. Daniel Silva disse:

    CATÓLICO QUER VIRAR PROTESTANTE

    Como escolher uma denominação protestante ? Qual das 50.000 denominações protestantes ?

    Os que guardam o sábado acusam de hereges aqueles que observam o domingo. E vice-versa.
    Os que não batizam acusam de hereges aqueles que batizam e vice-versa.
    Os que aceitam divórcios e uniões homoafetivas são massacrados por aqueles que são contrários.

    Pensemos, por exemplo, em uma denominação que abraça a teologia da prosperidade. Mas então outros protestantes nos dizem que estas denominações são heréticas. Dizem outros vários protestantes que tais organizações são consideradas como seitas. Dizem ainda que a Bíblia condena tal prática e que estes pregadores arderão no fogo do inferno.
    Então deixemos as seitas e nos concentremos nas denominações mais tradicionais que condenam a mesma teologia da prosperidade.

    Mas então vem uma outra situação. Ao ligar a TV, não é difícil encontrar um pastor dizendo que aqueles que não pregam tal teologia são trouxas.
    Outros ensinam ainda que como filhos do Rei, o crente deve ter tudo do bom e do melhor e portanto aqueles que pregam um evangelho de sacrifício não estão sintonizados com a palavra de DEUS.
    Se partirmos para a denominação dita “Universal” é praticamente certo uma avalanche de críticas vinda dos outros grupos protestantes.

    Vamos imaginar então um católico desligando a TV e procurando conselho no rádio de pilhas onde existem um grande número de programas protestantes.
    No rádio é possível encontrar pastores pregando uma tal de confissão positiva. Dizia um pastor que o crente que fica doente é porque não tem fé ou está possuído pelo demônio.
    Segundo este pregador, o protestante tem que determinar em nome de Jesus e seja lá qual for a doença esta mesma tem que bater em retirada. Triunfalista demais !
    Não é difícil encontrar um bom número de protestantes que condena esta abordagem.

    Mudando o rádio de estação é possível escutar um outro pregador dizendo que o protestante tem que tomar posição diante de DEUS e assumir sua condição de rei e sacerdote.
    Mas não foi exatamente isto que Judas Iscariotes fez ? Não foi Judas que tomou posição diante do DEUS vivo ?

    Confuso com tantas informações o católico vacilante querendo ser protestante resolve sair de casa. Passando pela rua nota um templo protestante próximo de onde reside. Percebe que o culto irá começar. Todos cantam e parecem bem felizes.
    Quando começa a pregação o pastor afirma que o problema do povo evangélico é que ele não toma posse de sua benção.Como assim ? Dizia este mesmo pregador que se o crente não exige de DEUS a sua vitória e posição no reino, este mesmo DEUS não pode agir do modo que se espera.
    O católico frágil em sua fé ficará ainda mais confuso. Este católico nunca tinha ouvido que DEUS “não pode” isto ou aquilo. Pensava que DEUS podia todas as coisas. E pode mesmo.
    Mas este mesmo católico pensa: “…deve estar na Bíblia. O pregador deve saber o que está falando.”
    Contudo, a dúvida ainda persiste. Cada pregador que este católico escuta condenava as teorias dos demais pregadores.

    Sabe o que o que o católico indeciso resolve fazer ?
    Radicalizar. Decide ser um cristão primitivo. Será Luterano. “Afinal de contas, se pergunta, não foi Lutero que começou tudo ?”
    Não dizem os protestantes que ele foi um homem de coragem e indispensável ? Imagina o católico que não deve existir protestantismo mais “puro” e autêntico do que o luteranismo.
    Mas aí um grande número de crentes lhe diz que os luteranos atuais traíram Lutero incorporando muitos dos ritos e costumes católicos.
    E agora ? O que este católico deve fazer ?

    Já lhe disseram que as teologias da prosperidade e confissão positiva são demoníacas. Os tradicionais foram rotulados de bobos. Os conservadores foram acusados de dogmáticos e os modernistas são chamados pelos outros grupos de hereges. As denominações carismáticas são chamados de seitas…
    Talvez ele possa ser Calvinista! Mas então um grupo lhe ensina que Calvino era um herege por acreditar na predestinação dos eleitos. Alguns protestantes chegam a dizer que o tal do Calvino teria traído o grande escolhido por DEUS que era Lutero…

    Faço uma pausa para uma reflexão. Nunca entendi. Se DEUS levantou Lutero, por que todos se dividem e continuam reformando a reforma que DEUS já “teria feito” ?
    Ou Lutero está certo ou Lutero está errado. Se DEUS o levantou para corrigir os “erros” do catolicismo, quem é tolo suficiente para afrontar a DEUS e separar-se do “ungido” do Senhor ?
    E se não foi Lutero levantado por DEUS, e não foi mesmo, o que faz o protestante fora da Igreja Católica ??
    O que você está dizendo Sr.Católico quase protestante ???

    Já existiam outros grupos antes de Lutero que pregavam Sola Scriptura ? Quais ? E não foram estes mesmos grupos condenados e chamados de hereges pela Igreja Católica de Lutero e pelo próprio heresiarca ?
    Por vezes me esqueço que estou falando do protestantismo, onde nada é exatamente o que deveria ser e nada precisa fazer sentido.
    Então Sr.Católico protestantizado, você ouviu dizer que a Igreja Católica é uma seita ou foi fundada por Constantino ??? Então me diga como um protestante abraça as teorias de Lutero que era membro de uma seita ou talvez ex sacerdote da Igreja de Constantino ? Está vendo Sr.Católico o que é o protestantismo ? Nada faz sentido. Vale apenas o que o protestante quer.

    Pensa então o católico em ser pentecostal e quando manifesta o seu desejo, os protestantes históricos lhe dizem que estes grupos carismáticos nada tem de protestantes e que estes mesmos copiaram doutrinas oriundas da América do Norte e todos seriam traidores dos princípios defendidos pelos grandes reformadores, especialmente Lutero e Calvino.
    Nesta hora, Lutero e Calvino voltam a ser amigos e todos os protestantes os tem por Inspiração. E assim, Constantino desaparece tão rápido como apareceu. Mas deixa pra lá ! Não vamos insistir em entender aquilo que é inexplicável por si só.

    Então acrescentam os Metodistas e Episcopais que os tais pentecostais praticam heresias de toda ordem.
    E os Mórmons, Testemunhas de Jeová e Adventistas ? O que dizer deles ? Todos os demais grupos lhes condenam e por sua vez estes três grupos se condenam entre si e os três condenam os demais grupos protestantes. Que Babel este protestantismo né ?

    O católico que já entendia pouco de catolicismo, menos ainda de protestantismo, parece alguém que navega em pleno mar revolto.
    Sabe de uma coisa ? O católico faz a opção de ouvir música Gospel.Pensa ele: “Quem sabe tenho alguma inspiração louvando a DEUS ?”
    Quando julga que terá alguns momentos de reflexão que lhe viabilizem tomar uma decisão adequada, eis que lhe vem um amigo da mesma Igreja Universal e lhe diz: “Estás louco ?”
    “Como assim ?” pergunta o católico. E responde o amigo “Você não sabia que 99% dos cantores Gospel estão com demônios ? Meu líder nos disse isto”

    Declina imediatamente da música Gospel e decide que irá conhecer a igreja anglicana. Pensa ele: “Deve ser boa ! Já me disseram que é uma benção.”
    Então começa a pesquisar em sites protestantes sobre a Igreja Anglicana e encontra mais contras do que prós. Lê inclusive que tudo começou porque um rei desejava cometer adultério e não teria obtido a permissão da Igreja Católica para casar-se outra vez. E os protestantes da reforma e todos os demais que vieram depois condenavam como herética a dita Igreja Anglicana que segundo eles adota entre outras coisas muitos dos ritos do catolicismo.

    Bom, diante de tudo isto, pensa que só lhe resta ser neopentecostal. Pensa que talvez deva aderir ao pastor que usa chapéu ou àquele que trata aos seus seguidores por patrocinadores.
    Quem sabe deva ele ingressar na tal da “igreja” da Lagoinha ? Soube este católico que lá tem um avivamento forte. Parece que tem uma tal de unção do Leão ! Leão ??? Logo lhe vem a mente: “Deve ser tremendo !”
    Nem preciso te dizer Senhor Católico o que todos os outros grupos protestantes disseram a respeito destes últimos líderes citados. Ou preciso ?
    E a unção do Zoológico ? “Dizem que nesta igreja a poder de DEUS se manifesta tremendamente.”
    Mas logo veio o vizinho batista para desestimulá-lo. “Meu amigo, esta unção do Zoológico é obra de Satanás. A Bíblia não fala nada a respeito disto. Quando se viu tal manifestação entre os apóstolos ? “

    Católico, o que podemos tirar de tudo isto ? Você percebe meu caro católico vacilante e inconstante o que aconteceria com a Igreja Católica se fosse possível que ela abraçasse heresias e novidades e resolvesse optar pela “doutrina” de uma denominação protestante ?

    Ela ainda assim seria chamada de herege ou apóstata. Seria atacada por todos os lados, visto que só há concordância entre todas as denominações protestantes no que tange ao ódio e aversão ao próprio catolicismo. Abraçasse a doutrina que fosse, sempre os protestantes estariam prontos para dirigir a Santa Igreja toda a sorte de acusações e calúnias.
    Agora eu te pergunto católico contestador: A verdade misturada com a mentira torna-se o que ? Meia verdade ? E meia verdade é mais parecida com a mentira ou com a verdade ? Meia verdade é também meia mentira. A verdade católica não muda jamais e nem pode mudar. Se mudasse já não seria verdade.
    Minha mãe biológica sempre será minha mãe biológica. Mesmo que seja uma péssima mãe. Mesmo que ela não tenha me desejado. Mesmo que eu não a queira por mãe. Ela sempre será minha mãe biológica. Isto é verdade. Verdade que não envelhece e portanto é sempre atual.
    E então: Que denominação protestante um católico ignorante deveria procurar ? Que tal a Igreja das células ? Parece primitivo ! Pensa o católico: “A história da Igreja não começou assim com as comunidades reunidas em casas ?” Aliás, que igreja começou assim católico ? A Igreja de Constantino ? A de Lutero ? A de Calvino ? A Batista ? A Bola de Neve ou Cuspe de Cristo ? Deixa prá lá.

    Prossegue o católico: “Tem até patriarca esta Igreja em células !” Porém, mais uma vez, este católico perdido encontra todo o tipo de opinião sobre esta vertente no meio protestante. Encontra quem é a favor e quem é contra. Muito mais contrários do que favoráveis.
    E o evangelho judaizante ? Será que é bom ? Mais uma vez não é possível encontrar consenso entre os protestantes. Pode-se perceber partidários e opositores do evangelho judaizante em todos os cantos. O protestantismo é assim mesmo. Nada é o que parece ser. E tudo que parece ser não é.

    Finalmente, cansado de tanto procurar, o católico encontra o Movimento dos Sem Igreja.
    Trata-se de um movimento supostamente evangélico. Seriam cristãos sem templo. Eles dizem a este católico que igreja não serve para nada. Dizem ainda que todas as denominações evangélicas ou protestantes foram edificadas sobre homens. Afirmam também que estão fartos de tantas heresias no meio evangélico/protestante.
    Este grupo ensina que se deve olhar apenas para Jesus e não para o homem. Eles dizem que cada crente pode caminhar com as próprias pernas. Evidentemente que não servem pernas católicas. A máxima só vale para quem fez o favor de “aceitar” a Jesus em um templo protestante!
    Nisto os protestantes ainda que não saibam têm razão. Católico sem a Igreja não consegue caminhar mesmo.
    “Um homem Cristão é Católico enquanto vive no corpo; decepado deste, torna-se um herege. o Espírito não segue um membro amputado.(Santo Agostinho)”

    Mas pensando bem, em se tratando de protestantismo faz algum sentido. Todo mundo que levantou o dedo em um templo protestante e que disse aceitar Jesus já está “salvo”. Correto?
    Todo mundo no meio protestante/evangélico lê sua Bíblia contando com a assistência “infalível” do Espírito Santo. Correto ?
    Todos acusam uns aos outros de hereges. Correto ?
    O crente protestante deve conferir se aquilo que o pastor pregou na denominação está ou não de acordo com a palavra. Correto ?
    E de acordo com a tese da maior parte dos protestantes, uma vez salvo sempre salvo. Correto ?
    Ora, depois de se tornar protestante, se o convertido pode ser intérprete, se ele conta com a assistência do Espírito Santo, se todos são hereges, menos ele, se ele já está salvo e se a salvação não pode ser perdida, por que ele deveria se tornar membro de uma denominação evangélica ou protestante ? Por que deveria frequentá-la ?

    Mas como assim intérprete da palavra de DEUS ?
    A Bíblia não condena a interpretação particular ? Tal condenação só deve existir na Bíblia católica. Deixa pra lá.
    Como assim assistência do Espírito Santo para ler a Bíblia ? Mas não é o protestantismo que condena a infalibilidade do papa ?
    Aliás, como é possível que alguém no protestantismo seja infalível na interpretação da Bíblia se todos condenam a infalibilidade ?
    E se todos discordam uns dos outros, isto não é prova que a infalibilidade de fato não está com o protestantismo ?
    Ah ! Entendi. Cada crente é “infalível” para si mesmo. Cada crente é uma espécie de Papa.
    Então este deve ser o principal motivo de tantas divisões. Quando discordam, logo surge uma nova denominação sob a regência de um novo papa “infalível”.
    Cada crente é apto para julgar todos os demais. Ele é quem decide sobre a doutrina que ele próprio deve seguir e pregar. Ele é quem determina quem é ou não herege, quem está salvo e quem está condenado. Ele decide quem é idólatra e quem é adorador. A únicas certezas que o “infalível” protestante tem é que ele está certo e salvo e que a Igreja Católica é a Babilônia…
    Assim, o cada protestante julga possuir capacidade para seguir ou rejeitar pastores ou denominações. É tudo a partir da leitura bíblica que cada crente faz. Mas deixa prá lá. Tá amarrado !

    Eu também não entendo outra coisa. Quando um protestante tem o direito de deixar a sua denominação para aderir a outra ou fundar a sua própria ?
    E aqueles que se mantiveram com o pregador ? Qual deles está salvo ?
    Aquele que deixou a denominação porque não concordou com a pregação a partir da leitura individual que fez ? Ou aquele que se mantém fiel à denominação ? Ou ainda aquele que fundou uma nova denominação ? Todos estão salvos ? Então por que brigam ?
    Deveriam estar comemorando a salvação de todos. A salvação do que ficou na denominação, daquele que saiu da denominação e daquele que fundou uma nova denominação.
    Quantas vezes o crente pode mudar de denominação ? Naturalmente, a Bíblia explica tudo isto. Não é o protestante que diz “Só a Bíblia” ?

    Então deve estar tudo lá Bíblia. Visões dos pastores, revelações de “ungidos”, Lutero, Calvino, Macedo, Soares, as denominações, a definição do Canon, os livros inspirados e a própria definição bíblica de que a Bíblia seria a única fonte de revelação. E a Bíblia deles provavelmente deve dizer que tudo deve ser consultado na Bíblia protestante. E deve dizer ainda que só serve Bíblia protestante traduzida por João Ferreira de Almeida…
    Ou não ? O problema é que como católico eu “não” leio a Bíblia. Quando me tornar protestante tudo será diferente.
    Com 06 meses de Bíblia poderei contestar a Igreja Católica de 2000 anos, todos seus concílios, toda a sua doutrina e todos os seus duzentos e tantos papas.
    E também poderei contestar meus próprios pares protestantes. Serei teólogo de mim mesmo e poderei fundar uma nova denominação.
    Nem me importa se pregarei certo ou errado, pois possivelmente meus seguidores serão menos “sábios” do que eu. Provavelmente serei idolatrado e quando os críticos me atacarem, logo um dos meus adoradores dirá sem pesquisar:
    “Não toca no ungido do Senhor”
    “Deixa que ele está fazendo a Obra de DEUS”.
    “Ai de quem tocar no servo de DEUS !”

    E o melhor de tudo é que bastará tão e somente eu dizer que eu tive uma visão para fundar uma denominação e todos sem exceção acreditarão na minha fábula.
    Isso tem de bom no meio protestante. Justiça seja feita. Todo protestante prima pela coerência.
    Eles não aceitam o papa, mas aceitam a “visão” de qualquer pastor.
    Eles rejeitam o magistério da Igreja com seus 2000 anos e sua infalibilidade, mas creem em si próprios como mestres “infalíveis”.
    Eles não creem nos concílios católicos que ocorrem a cada 50 ou 100 anos e que são ministrados não por um só homem, mas se alimentam de literatura e mídia produzida por homens e depois é só dizer que estes mesmos são “ungidos” e cheios de “bênçãos”.
    Eles não creem nos milagres católicos comprovados pela ciência e atestados até mesmo por protestantes, mas creem nos milagres exibidos na TV ou naqueles com dia e hora marcados e que ninguém comprova.
    “PARA AQUELES QUE CRÊEM, NENHUMA EXPLICAÇÃO É NECESSÁRIA; E PARA AQUELES QUE NÃO CRÊEM, NENHUMA EXPLICAÇÃO É POSSÍVEL. (SANTO INÁCIO DE LOYOLA).”

    Pensa o católico no que deve fazer depois de tanta confusão vista na Babel protestante:

    1)Devo estudar os textos, livros e escritos de Santo Agostinho ou escutar os gritos do vendedor da Bíblia da prosperidade ?
    “A Lei foi dada para que se implore a graça; a graça foi dada para que se observe a lei(Santo Agostinho).”

    2)Devo estudar São Tomás de Aquino ou escutar o pregador do patrocínio ?
    “Enquanto o amor humano tende a apossar-se do bem que encontra no seu objeto, o amor divino cria o bem na criatura amada” (Tomás de Aquino).”

    3)São Francisco de Assis ou o pregador do trízimo ?
    “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível(São Francisco de Assis).”

    4)Santo Padre Pio ou o tal “patriarca” do evangelho judaizante ?
    “O meu passado, Senhor, à Tua misericórdia. O meu Presente, ao Teu amor. O meu futuro, à Tua Providência.” (Padre Pio)

    5)Santa Teresinha ou Leões e Lagoas ?
    “Deus não poderia me inspirar desejos irrealizáveis, portanto, posso, apesar da minha pequenez, aspirar à santidade”(Santa Teresinha).

    6)São João Maria Vianney ou quem ensina a adoração da Arca da Aliança ?
    “Com nossos instintos a luta é raramente de igual para igual: ou nossos instintos nos governam ou nós governamos nossos instintos. Como é triste se deixar levar pelos instintos! Um cristão é um nobre; ele deve, como um grande senhor, mandar em seus vassalos.(São João Maria Vianney)”

    7)Santo Irineu ou os “bispos” dos carnês e débitos automáticos ?
    Santo Ireneu (140-202): “Com efeito é à própria Igreja que foi confiado o Dom de Deus. É nela que foi depositada a comunhão com Cristo, isto é, o Espírito Santo, penhor da incorruptibilidade, confirmação da nossa fé e medida da nossa ascensão para Deus. Pois lá onde está a Igreja, ali está também o Espírito de Deus; e lá onde está o Espírito de Deus, ali está a Igreja e toda a graça.”

    8)Santo Ambrósio ou os pastores das fogueiras “santas” e campanhas financeiras ?
    “Toda verdade, dita por quem quer que seja, é do Espírito santo.(Santo Ambrósio)”

    9)O Papa Leão XIII ou os pregadores do evangelho triunfalista onde ninguém precisa carregar sua cruz ?
    ”O cristão nasceu para a luta, e quanto mais encarniçada se apresenta, tanto mais segura há de ser a vitória com o auxílio de Deus” (Leão XIII, Encíclica Sapientiae Christianae, 19).

    Devo recorrer ao passado recente ??? Madre Teresa de Calcutá ou a profetiza que disse Jesus voltaria em 2007 ?
    “Ninguém daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso.”

    A quem se deve escutar católico ? João Paulo II ou o pregador do aborto ?
    “Deus se deixa conquistar pelo humilde e recusa a arrogância do orgulhoso.(João Paulo II)”
    “A Igreja é a carícia do amor de Deus ao mundo.(João Paulo II)”
    “Por isso, América: se queres a paz, trabalha pela justiça. Se queres a justiça, defende a vida. Se queres a vida, abraça a verdade, a verdade revelada por Deus.(João Paulo II)”
    “Quando o homem se põe como medida de todas as coisas, converte-se em escravo de sua própria finitude.(João Paulo II)”

    Talvez olhar para o presente seja melhor. E então católico ? Padres e Bispos católicos devidamente ordenados ou homens que se fazem “apóstolos”, “bispos” e “missionários” ?

    O teólogo Joseph Ratzinger, sua santidade o Papa Bento XVI, respeitado e reverenciado pelos protestantes históricos ou a igrejola aberta por qualquer desconhecido ?
    “Nós estamos caminhando para uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e tem como valor máximo o ego e os desejos individuais(Bento XVI)”
    “Vai-se constituindo uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e que usa como critério último apenas o próprio “eu” e as suas vontades.(Bento XVI ainda cardeal na missa na basílica de São Pedro antes do conclave.)

    E você católico inseguro ? O que irá fazer ? Abraçará a auto suficiência protestante ?
    Não se engane. Quem diz que não precisa de padre para confessar os seus pecados está apenas demonstrando sua arrogância. Se Jesus deu aos apóstolos o poder de reter ou perdoar pecados, é evidente ser indispensável que alguém lhes confesse os pecados.

    São Leão Magno (400-461), Papa e doutor da Igreja:“Quem se aparta da confissão da verdade, muda de caminho e o percurso inteiro se torna afastamento. Tanto mais próximo da morte estará quanto mais distante da luz católica.”
    Católico, não entre na falsa humildade protestante que diz “só me confesso a DEUS”.
    “A Igreja é o mundo reconciliado”. (Santo Agostinho – Sermão 96,7,9)“Quem não crer que a Igreja lhe perdoa os pecados, a esses não lhe serão perdoados os pecados”.
    Só há salvação na Igreja que detém a confissão e a penitência. A Igreja que cuida da alma e dos pecados de seus filhos.
    “Sabe porque os consultórios de psiquiatras estão cheios porque os Confessionários estão vazios.” [João Paulo II].
    E nós pertencemos a esta Igreja.
    “Portanto, a Igreja Católica é a única que retém o verdadeiro culto. Esta é a fonte da verdade; esta, o domicílio da fé; o templo de DEUS. Quem quer que não entre nela ou não saia daqui é um alienado em termos de esperança de vida e salvação… Porque, , ao contrário disso, todos os vários grupos de hereges têm confiança de que são os Cristãos, e pensam que a Igreja Católica é deles. Que se saiba que a verdadeira Igreja é na qual há confissão e penitência, e que cuida de maneira salutar dos pecados e das mágoas aos quais os fracos na carne estão sujeitos”.
    Lactantius, As Instituições Divinas, 304 A.D..

    E eu te pergunto meu caro amigo católico que me lê, pode haver maior contradição do que esta ? Os protestantes que dizem que religião não serve para nada, quando acuados dizem em alto em bom som: “estamos sendo vítimas de perseguição religiosa”. Tudo no protestantismo é contraditório. E qual a sua origem afinal ?

    O vírus que Lutero disseminou do orgulho não teve origem nele próprio. Lutero contestou a Igreja e a autoridade do papa. Hoje seus filhos contestam uns aos outros e todos contestam o catolicismo. Calvino contestou Lutero. Outros contestaram Calvino.
    O vírus da auto suficiência não coexiste com explicação de qualquer ordem e nem permite que os ouvidos estejam abertos para a instrução. Pode-se ver apenas o que se deseja e troca-se o meditar pelo falar.

    O “Super Papa” Martinho Lutero, ídolo protestante, resumiu o pensamento que iria contaminar seus filhos:
    “Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma. Meu juízo é o juízo de Deus” (Weimar, X, 2 Abt, 107)
    Por isto os protestantes são intérpretes da Bíblia e não aceitam instrução de qualquer tipo.

    “As pessoas costumam amar a verdade quando esta as ilumina, porém tendem a odiá-la quando as confrontam (Santo Agostinho).”
    Por isto fundam denominações e se dividem e cada crente é mestre de sua doutrina e “infalível” em sua interpretação pessoal.
    Desejar seguir Jesus é uma coisa e encontra-lo é outra. Muitos seguramente querem. Mas quem pode nos apresentar Jesus ? O cego da Bíblia fez esta pergunta. Ela ainda é atual.

    Julgas católico que podes conhecer o DEUS verdadeiro a partir de tua leitura bíblica ? Acaso não sabes que DEUS é muito maior do que a Bíblia e incompreensível para qualquer um de nós ?
    Hoje em dia muitos “jesuses” são apresentados por aí. A Bíblia nos diz que muitos cristos falsos seriam “vistos”.
    Tem o Jesus do aborto, tem o Jesus do divórcio, tem o Jesus do dízimo, tem o Jesus do carnê, tem até Jesus do Trízimo. Tem Jesus da Arca da Aliança, tem Jesus do evangelho judaizante, tem Jesus que batiza e tem Jesus que não batiza. Tem Jesus patrocinador. Que Jesus você deseja conhecer e seguir ?

    Quem pode te apresentar o Jesus verdadeiro se não a Igreja que é coluna e sustentáculo da verdade ?
    Você acha que é assim católico ? Depois de ter demonstrado tão grande amor a ponto de entregar sua vida por nós na cruz, o nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou por conta própria ?
    Sou eu quem devo interpretar a Bíblia ? Sou eu quem devo me virar e encontrar a Igreja certa ? Eu que sou homem e falho é quem devo julgar quem interpreta certo e quem interpreta errado ? Devo escolher uma denominação protestante a partir da minha leitura individual ? Devo estudar a Bíblia para saber qual a denominação protestante é mais adequada ?

    Na prática o que está nos dizendo cada protestante ? Ora, depois de tudo que Jesus fez na cruz e sabendo que é seu desejo que nenhum de nós se perca, agora este mesmo Jesus diz:
    “Se vira. Eu já fiz a minha parte morrendo na cruz. Leia a Bíblia. Interprete por conta própria. Julgue você próprio o que é ou não heresia. Escolha uma Igreja. Fique atento aos falsos profetas. Compreenda por si mesmo qual é a minha vontade. Se perceber algo errado mude de denominação. Se não encontrar denominação alguma que pregue um evangelho “puro” funde uma nova “igreja”. Salva-se quem puder. E danem-se os ignorantes, deficientes, analfabetos. E não se esqueça de levantar o dedo em uma denominação protestante e diga que me aceita como senhor e salvador”…

    Você acha mesmo que Jesus é assim Sr.Católico ? Você acha que Jesus Cristo realmente se importa ou não com a salvação do homem ?
    Ora católico, você sabe que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. O amor que ele demonstrou na cruz nunca mudou. Ele nos deixou a Santa Igreja para que ela nos guiasse. Isto tudo por amor. Ele sabe que somos confusos, arrogantes, soberbos, inconstantes e muitas vezes auto suficientes. O apóstolo Paulo nos ensina que os julgamentos humanos são parciais, portanto duvidosos.
    Assim sendo, cumpre à Igreja a tarefa de ensinar e interpretar as sagradas escrituras. Os meios de salvação como os sacramentos estão disponíveis somente na Igreja. Não é possível acessá-los estando fora dela.
    Através da Igreja e não deixando o homem por conta própria, a salvação também foi possível aos ignorantes, pobres, doentes, analfabetos e deficientes.
    Não foi para estes que Jesus veio ? Ou ele veio somente para aqueles que “poderiam” teoricamente interpretar a lei ? Isto já faziam os fariseus.
    Meu irmão católico, os cristãos dos primeiros séculos não dispunham de Bíblias. Mas tinham Igreja. Isto é o amor de Jesus que não podemos medir ! Ele instituiu a Igreja para que nenhum de nós se perca.

    E se a Igreja errar ? Se tal fosse possível, pois não é, seria Jesus quem deve responder por ela e não Lutero. A Igreja nunca erra, embora seus filhos sejam pecadores. A Igreja nunca ensina errado, muito embora seus filhos distorçam eventualmente os ensinamentos corretos que lhes são passados.

    Lutero não foi autorizado a “consertar” a Igreja Católica e por via de consequência seus filhos que continuam reformando Lutero estão em verdade falando ao vento ou esvaziando o oceano com um balde.
    Mas fiquem tranquilos. O mesmo Jesus disse: “as portas do inferno jamais prevalecerão contra minha igreja”.
    E disse ainda: “eis que estarei convosco até o fim dos tempos”.
    Não caia na armadilha orgulhosa do protestantismo e nem faça de Jesus um mentiroso ao imaginar que DEUS precisou de Lutero para alguma coisa. Jesus não mente e você não é protestante para escolher o que pretende seguir ou não do evangelho.
    “SE VOCÊ ACREDITA NO QUE LHE AGRADA NOS EVANGELHOS E REJEITA O QUE NÃO GOSTA, NÃO É NOS EVANGELHOS QUE VOCÊ CRÊ, MAS EM VOCÊ.(SANTO AGOSTINHO)”

    Tem hora que o protestante é literal e tem hora que não é. Tem hora que ele admite que determinada disposição pode estar subentendida e tem hora que tem que estar ser “clara”.
    Tudo depende do que queira seguir. Depende do que ele quer praticar e do que ele deseja condenar nos outros. Tem hora que usam o grego. Usam o grego, por exemplo, para dizer que Pedro não era a Pedra. Mas sabemos que Jesus falava aramaico. Depois favorecem o aramaico ou o hebraico para justificarem outros costumes e crenças que praticam.
    Quando é interessante retomam a interpretação literal suprimindo inclusive versículos. É o caso da mediação de Jesus Cristo onde o protestante não lê o restante do texto e assim confunde mediação com intercessão. E depois de tudo isto, o protestante diz ainda que qualquer um pode ler e interpretar a Bíblia. Qualquer um ?

    Todos os protestantes conhecem as doutrinas de integrais de Lutero ou Calvino ? Todos os protestantes leem, escrevem e traduzem grego, aramaico e hebraico ?
    Pergunte a um protestante se ele conhece os pecados contra o Espírito Santo ? Ele não conhece. Sabe por que ? Porque a Bíblia não os define. A Bíblia só fala em blasfêmia. Mas não explica.
    Mas fique certo Sr.Católico que a tua Santa Madre Igreja te ensina quais são estes pecados de modo que você possa evitá-los.
    Não te disse que é mais seguro ser católico ? Como um protestante saberá se incorreu ou se está incorrendo em algum pecado contra o Espírito Santo ?
    Mas existem protestantes que são mais tementes a DEUS do que católicos ? Certamente. E existem protestantes que levam vidas mais sadias do que católicos ? Sem dúvida.
    Mesmo com uma leitura deficiente da Bíblia não é difícil superar um católico não praticante ou infiel que resolve dar as costas para a Santa Igreja.
    E se é certo que existem protestantes sinceros e cujas vidas são pautadas por honra e temor a DEUS, também é verdade que existem não cristãos que aos olhos humanos são ainda melhores do que católicos e protestantes. E agora ?

    O que você irá fazer católico indeciso ? Quem são os santos protestantes ? Quais são as suas obras ? Quem são seus expoentes e referências ? Qual das 50.000 igrejas protestantes você irá escolher ? Qual delas retém a sã doutrina ?
    A quem você irá escutar ? A Igreja de 2000 anos construtora da civilização, mestra por excelência ou vai escutar a si mesmo a partir de tua própria leitura individual da Bíblia ?

    Ora, a fé vem pelo ouvido e não pela leitura. O protestante faz o contrário. Lê para “entender” ao invés de ouvir.
    Não foi o eunuco da Bíblia que pediu por alguém que lhe ensinasse aquilo que não podia ele próprio compreender ?
    Se fosse fácil ele mesmo poderia ler e interpretar. A Bíblia nos adverte sobre o perigo que é a palavra de DEUS sendo manipulada por ignorantes. Nunca lestes que a letra mata, mas o espírito vivifica ? Pois é. A letra matou o protestante.

    Católico não entre nesta espiral de rejeição às autoridades constituídas por DEUS. Para entrar no reino dos céus é preciso recebê-Lo como crianças. Esvazie-se a si mesmo e por certo encontrarás a verdade na Igreja Católica.
    Amigo católico, pense bem quando alguém te convidar para um culto protestante ou te abordar na rua com um folheto. O abandono consciente da Igreja Católica será trágico para você meu amigo católico.
    “Os heréticos condenam-se a si mesmos já que por própria opção abandonam a Igreja, um abandono que, sendo consciente, torna-se sua condenação .”São Jerônimo Comentários acerca de Titus, 3,10 386 A.D.

    Se você ainda está em dúvida, não faça como os protestantes que nunca leram as obras de Lutero. Procure por elas e veja a pessoa do fundador do protestantismo.
    Fundador do protestantismo: Lutero:

    “Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?”, depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer.” (Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)”.

    “Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão frequentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar”. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso.” (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).”

    O que dizem os defensores da fé católica sobre a Igreja ?

    S. Cipriano (+258): “Julga conservar a fé aquele que não conserva esta unidade recomendada por Paulo? Confia estar na Igreja aquele que abandona a cátedra de Pedro sobre a qual está fundada a Igreja?” (Sobre a Unidade da Igreja cap. 4).
    S. Cipriano: “se alguém tivesse escapado (do dilúvio) fora da arca de Noé, então poderíamos admitir que quem abandona a Igreja pode escapar da condenação.”

    Orígenes escrevia: “…se alguém quer salvar-se, venha a esta casa, para que possa consegui-lo… Que ninguém se engane a si mesmo: fora desta casa, isto é, fora da Igreja, ninguém se salva.”

    Papa Inocencio III (1198-1216):
    “Com nossos corações cremos e com nossos lábios confessamos só uma Igreja, não aquela dos hereges, senão a Santa Igreja Católica Apostólica e Romana, fora da qual achamos que não há salvação “(Denzinger 792).

    Quarto Concilio de Letrán (1215):
    “Há só uma Igreja Universal dos fiéis, fora da qual ninguém esta a salvo.”

    Papa Bonifacio VIII, Bula Unam Sanctam (1302):
    “Nós declaramos, dizemos, definimos e pronunciamos que é absolutamente necessário para a salvação de toda criatura humana o estar submetida ao Romano Pontífice.”
    “Assim como há um só Deus, um só Cristo, um só Espírito Santo, assim também há uma só verdade divinamente revelada; uma só Fé divina que é o princípio da salvação do homem e o fundamento de toda a justificação, a Fé pela qual o justo vive e sem a qual é impossível agradar a Deus e chegar à comunhão dos Seus filhos. Há uma só Igreja una, verdadeira, santa e católica que é a Igreja Apostólica Romana. Há uma só cátedra fundada sobre Pedro pela palavra do Senhor, fora da qual não podemos encontrar nem a verdadeira Fé, nem a salvação eterna. Todo aquele que não tiver a Igreja como mãe não pode ter a Deus como pai, e quem quer que abandone a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi fundada confia falsamente que está na Igreja de Cristo. Na verdade, não pode haver crime maior e mancha mais repugnante do que se opor a Cristo, do que dividir a Igreja gerada e comprada pelo Seu Sangue, do que esquecer o amor evangélico e combater com o furor da discórdia hostil a harmonia do povo de Deus.”
    (Pio IX, Singulari Quidem)

    Católico, tenha amor por sua Igreja. Ela é temida por seus inimigos.
    Voltaire – inimigo confesso de Cristo e da Igreja, parabenizado sobre a destruição que promoveu de um templo católico:“Que ninguém se engane. A Igreja não está morta. O fogo da fé está somente em brasa, mas não extinto. A fé católica é fogo inextinguível.”

    “A Igreja é Santa, a Única Igreja, a Verdadeira Igreja, a Igreja Católica, lutando sempre contra todas as heresias. Ela pode lutar, mas não pode ser derrotada. Todas as heresias são expulsas por Ela, como os galhos pendentes são arrancados de uma vinha. Ela permanece presa à sua raiz, em Sua vinha, em Seu amor. As portas do inferno não prevalecerão contra ela”Santo Agostinho de Hipona, Sermão aos Catecúmenos sobre o Credo, 6,14, 395 D.C.

    Católico não fuja à perseguição e combata o bom combate.
    Santo Hilário de Poitiers (367):”Foi sempre privilégio da Igreja vencer quando é ferida, progredir quando é abandonada, crescer em ciência quando é atacada”.

    Católico, nunca deixe de defender a Santa Igreja, os santos e a Virgem Maria.
    ”ONDE ESTIVER O BISPO, ESTEJA O POVO, ASSIM COMO ONDE ESTÁ JESUS CRISTO, ESTÁ A IGREJA CATÓLICA”. (SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA, CARTA AOS ESMIRNENSES, 8, ANO 106 D.C.).

    Não se envergonhe de sua fé e nem se intimide com os adeptos da religião do livro.
    “Toma cuidado com o homem de um só livro(São Tomás de Aquino).”

    Ora, nosso DEUS não está restrito a tinta ou ao papel, mas é a palavra viva e encarnada.
    Quem são os nossos santos e expoentes ?
    “Espero nunca ter ensinado nenhuma verdade que não tenha aprendido de Vós. Se, por ignorância, fiz o contrário, revogo tudo e submeto todos meus escritos ao julgamento da Santa Igreja Romana(São Tomás de Aquino).
    ”Não é igreja que precisa de mim, sou eu que preciso da Igreja”( São Pio de Pietrelcina).
    “Se não podes entender, crê para que entendas. A fé precede, o intelecto segue(Santo Agostinho).”

    São João da Cruz pediu e acabou recebendo de Deus: Primeiro, força para o trabalho e para sofrer muito; Segundo: não o fazer sair deste mundo como superior de uma comunidade; Terceiro: deixá-lo morrer desprezado e escarnecido pelos homens. Pregador, místico, escritor e poeta, João da Cruz faleceu após uma penosíssima enfermidade, em 1591 com 49 anos de idade. Declarado como Doutor da Igreja pelo Papa Pio XI.
    “O amor, para ser verdadeiro, tem de doer. Não basta dar o supérfluo a quem necessita, é preciso dar até que isso nos machuque(Madre Teresa de Calcutá).”
    “Dê ao mundo o melhor de você. Mas isso pode não ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo. Veja você que, no final das contas, é tudo entre VOCÊ e DEUS. Nunca foi entre você e os outros.(Madre Teresa de Calcutá)”
    “Jesus é a Ponte entre Aquele que tudo pode e as criaturas que de tudo precisam. Seja você também uma ponte que liga os que tem de sobra, com aqueles que sentem falta de tanta coisa.(Santa Clara de Assis)”
    “A castidade duma alma é de um preço aos olhos de Deus maior que a dos anjos, pois que os cristãos só podem adquirir esta virtude pelos combates, enquanto que os anjos a têm por natureza.” (Sermão sobre a Pureza).”(Santo Ambrósio).
    “Ou nos afastamos do mal por medo do castigo, estando assim na posição do escravo; ou buscamos o atrativo de recompensa, assemelhando-nos aos mercenários; ou é pelo bem em si e por amor de quem manda que nós obedecemos… e estaremos então na posição de filhos”.(São Basílio Magno)

    O que é a Igreja Católica ?

    “A Igreja Católica é a única coisa que salva o homem da degradante escravidão de ser um filho de sua época(Chesterton)”.
    São Cipriano (†258) – Bispo de Cartago:“A Esposa de Cristo não pode adulterar, é fiel e casta. Aquele que se separa dela saiba que se junta com uma adúltera, e que as promessas da Igreja já não o alcança. Aquele que abandona a Igreja não espere que Jesus Cristo o recompense, é um estranho, um proscrito, um inimigo. Não pode ter Deus por Pai no céu quem não tem a Igreja por mãe na terra”.

    São João Crisóstomo (350-407), doutor da Igreja; Patriarca de Constantinopla:“Não te afaste da Igreja: Nada é mais forte do que ela. Ela é a tua esperança, o teu refúgio. Ela é mais alta que o céu e mais vasta que a terra. Ela nunca envelhece”.

    Contemplando este mistério da Igreja, São Pio X dizia:
    “Os reinos e os impérios desmontaram; os povos que a glória de seus nomes assim como sua civilização os havia tornado célebres, desapareceram. Viram–se nações que, atingidas pela decrepitude, se desagregaram por si mesmas. A igreja, porém, é imortal por natureza, jamais o laço que a une ao seu celeste Esposo se romperá e, em consequência, a velhice não pode atingi-la; ela permanece exuberante da juventude, sempre transbordante dessa força com a qual ela nasceu do coração transpassado de Cristo morto sobre a Cruz”. (Encíclica Lucunda Sane).

    Católico nós sabemos que existem pessoas sinceras em denominações protestantes, muito embora o ciclo vicioso do protestantismo sempre os leve ao orgulho. Não tem jeito. Necessariamente o livre exame da Bíblia instituído por Lutero transforma todo e qualquer crente em uma espécie de papa e juiz de todas as coisas.
    Sabemos ainda ou temos pelo menos a expectativa de que a grande maioria é séria e honesta. Mas o Senhor Jesus também nos advertiu que devemos temer não quem mata o corpo, mas quem mata a alma. Em outras palavras, tenhamos receio ainda maior das heresias que andam por aí. São elas que podem levar o homem para o inferno.

    Como entender tudo isto ? O que pretendeu nos ensinar Jesus a este respeito ?
    Ora, mesmo os sinceros e honestos uma vez que não recebam a devida instrução que só é possível na Igreja Católica, tornam-se ainda que de boa-fé introdutores de heresias e doutrinas espúrias. No mínimo, ensinam uma doutrina incompleta calcada em suas próprias interpretações pessoais ou em interpretações meramente humanas.

    Meu amigo, se os bons podem nos levar para o inferno, imagine então o que nos fariam os maus ?
    Católico, teu porto seguro encontra-se na Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

    João: “Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos.”
    Pedro: “Ora, assim como entre o povo houve falsos profetas, do mesmo modo haverá entre vós falsos doutores, que introduzirão seitas de perdição e renegarão aquele Senhor que os resgatou, atraindo sobre si mesmos uma pronta ruína. Muitos seguirão as suas dissoluções, por causa dos quais será blasfemado o caminho da verdade, e, por avareza, com palavras fingidas, farão negócio de vós, mas a sua condenação já desde há muito não repousa e a sua perdição não dorme”. (II Ped. 2, 1-3).”

    Reconheço que é direito de todo ser humano aderir à fé ou crença que lhe pareça mais adequada. Acredito que o exercício da fé deve compreender, entre outras coisas, o respeito pelas escolhas alheias e deve primar pela liberdade sem embaraços para com o próximo que não compartilha da mesma crença ou credo.
    Não é minha pretensão determinar ou qualificar a fé de quem quer que seja. Não concordo com aqueles que promovem ataques a dignidade e honra das pessoas que não professam suas religiões ou credos. Respeito todas as religiões e pretendo receber o mesmo respeito. Assim, considero salutar a liberdade religiosa que prevalece em nosso país.

    Com humildade, finalizo o presente texto fazendo das palavras do Santo Padre Pio as minhas:
    “Em tudo me sujeito ao que professa a Santa Igreja Católica Romana, em cuja fé vivo, afirmo viver e prometo viver e morrer”.(PADRE PIO)

    Autor: A. Silva com a colaboração de V. de Carvalho.

    Curtir

  19. V.De Carvalho disse:

    Nota-se claramente aquilo que foi dito no artigo. O protestante não responde nada e passa sempre para outro tema. Quando um protestante diz “Só a Bíblia” deveria provar para si mesmo que seu critério é o correto. Mas não ele diz: “olha para Jesus”.
    Mas qual Jesus ?
    O Jesus do trízimo ?
    O Jesus do aborto ?
    O Jesus da Arca da Aliança ?
    O Jesus da Unção do Zoológico ?
    O Jesus dos carnês e campanhas financeiras ?
    O Jesus da fogueira “Santa” ?
    O Jesus do evangelho judaizante ?
    O Jesus que casa pessoas do mesmo sexo ?
    O Jesus que aceita sacerdotes mulheres ?
    O Jesus que aceita divórcios ?
    O Jesus que chama Maria de mulher pecadora como outra qualquer ?

    E dizem ainda que Lutero é referência.

    E deve ser mesmo, Lutero que chamou Jesus de adúltero e bêbado.

    Ora, pode árvore má produzir bons frutos ?

    Pois os filhos de Lutero fazem as obras do seu pai.

    Mentiras, calúnias, blasfêmias, divisão, divisão da divisão, soberba, orgulho e interpretação da bíblia a seu bel prazer.
    Todos diferentes entre si e todos dizendo-se certos e inspirados pelo Espírito Santo.

    Quem pode nos apresentar o verdadeiro Jesus para que possamos segui-lo 😕

    O cego perguntou quem é este Jesus para que ele pudesse segui-lo ?

    Esta pergunta ainda é viva e atual.

    Quem pode nos apresentar o verdadeiro Jesus se não A IGREJA QUE É COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE ?

    Curtir

    • Alencar disse:

      Quando você diz:
      Nota-se claramente aquilo que foi dito no artigo. O protestante não responde nada e passa sempre para outro tema. Quando um protestante diz “Só a Bíblia” deveria provar para si mesmo que seu critério é o correto. Mas não ele diz: “olha para Jesus”.
      Mas qual Jesus ?
      O Jesus do trízimo ?
      O Jesus do aborto ?
      O Jesus da Arca da Aliança ?
      O Jesus da Unção do Zoológico ?
      O Jesus dos carnês e campanhas financeiras ?
      O Jesus da fogueira “Santa” ?
      O Jesus do evangelho judaizante ?
      O Jesus que casa pessoas do mesmo sexo ?
      O Jesus que aceita sacerdotes mulheres ?
      O Jesus que aceita divórcios ?
      O Jesus que chama Maria de mulher pecadora como outra qualquer ?

      Eu digo:
      Nós, ao contrário de vocês, temos um só caminho, verdade, vida: JESUS.
      Vocês têm: Um santo pra casar, outro pra chover, outro pra fertilidade, outro pro parto, e por aí vai… Aqui, inventaram até uma nossa-senhora-do-nó, para desatar os embaraços da vida. Estas heresias e inúmeras outras foram introduzidas em vossa fé a partir da fundação da igreja católica em 313 dC quando o imperador Constantino, por questões estratégicas, se converteu e parou de perseguir os cristãos. Com a queda do império romano a igreja católica assumiu (por via teocrática) o controle de toda extensão sob influência do império, e submeteu-o a um profundo período de trevas.
      Ora, os membros da corte imperial (bajuladores do império) tinham em suas crenças diversos deuses e deusas para diversas finalidades. Quando entraram na igreja católica, encontraram um só Deus pra tudo. Eles não aceitaram, e os líderes da igreja flexionaram e fizeram um arranjo de modo a satisfazê-los. O tiro saiu pela culatra, os cristãos pensavam que a vitória tinha finalmente chegado, mas estavam apenas iniciando um novo ciclo. Desta vez os demônios da idolatria e demais heresias, sorrateiramente, ganharam espaços nos lugares que eram santos. Este processo de corrupção avançou gradativamente até culminar com protestos, inicialmente isolados, mas finalmente o inevitável aconteceu. Deus, como fizera com Noé, Moisés, e tantos outros, iniciou uma nova libertação. Desta vez sob a direção do Espírito Santo. Agora, semelhantemente como aconteceu com Israel no deserto, estamos sendo escaldados até retirarmos os resquícios desta praga espiritual.
      A Palavra de Deus (Bíblia) tem alertado, claramente e com antecedência, todas estas coisas, e a história tem documentado os fatos, como constatação da fidelidade de Deus.
      Só nos resta agora abrandar os nossos corações e aceitar Jesus como o único e suficiente salvador. O homem não precisa de nenhum outro coração bondoso ou intercessor, pois o coração de Deus foi, é, e será sempre, imensuravelmente melhor.

      Agora eu tenho uma advertência:
      Digam “Alhos e Brugalhos” comigo ou com qualquer um de nós, mas não façam isso com o nome de Deus!

      Curtir

      • Helen disse:

        Ola Alencar,

        Não vou responder a todo o seu comentário, apenas aa pequena afirmacão que fez:

        “Nós, ao contrário de vocês, temos um só caminho, verdade, vida: JESUS. Vocês têm: Um santo pra casar, outro pra chover, outro pra fertilidade, outro pro parto, e por aí vai…”

        Ora, Sr Alencar, este comentário é um clássico argumento dos opositores ao catolicismo, mas infelizmente está edificado na ignorância daqueles que o fazem. Os católicos seguem a Jesus, por isso são cristãos. Foram os primeiros e continuam sendo cristãos, isso não mudou. Porém, lamentavelmente, os não-catolicos acham que recorremos aos santos separadamente de Jesus, como se eles por si mesmos tivessem algum ‘poder’ de fazer qualquer coisa…. Ledo engano, pobres santos. São criaturas, assim como eu e você. Mas Deus, esse sim é misericordioso e justo, não engana e nem é enganado, e foi o Seu filho, o Salvador, aquele que tanto eu quanto você tentamos seguir da melhor forma possível, quem nos disse:

        “Sim, eu sou a videira, e vocês são os ramos. Aquele que viver em mim e eu nele produzirá muito fruto. Pois sem mim nada podem fazer. Se alguém se separar de mim, será lançado fora por ser um ramo inútil; seca e é posto com todos os outros que serão depois queimados. Mas se continuarem em mim e obedecerem aos meus mandamentos, poderão pedir o que quiserem, que vos será concedido. Os meus verdadeiros discípulos produzem muito fruto, o que traz grande glória ao meu Pai. João 15, 5-8

        Sendo assim, basta dizer que os santos – aqueles que em vida foram fieis ao santo evangelho e fizeram a vontade do Pai – produzem muitos frutos, pois a promessa para tais pessoas eh que “poderão pedir o que quiserem, que vos será concedido”!!! Ora, o nosso Deus eh o Deus dos que vivem, e não dos mortos! Os Santos ganharam a vida eterna como recompensa por sua lealdade a Deus. Não estão mortos, pois a alma eh eterna e porque acreditavam em Cristo, que eh a Ressureicão, aquele que como vc disse eh “O caminho, a luz e a vida”.

        25-26Jesus disse-lhe: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crer em mim viverá, mesmo que morra. É-lhe dada a vida eterna por crer em mim e nunca mais morrerá. Crês nisto, Marta? João 11,25-26

        Ora, os Santos vivem e intercedem por nos assim como nos intercedemos por aqueles em nossa volta. E Cristo, que eh o único mediador entre criaturas e Deus, nos atende por intermédio da intercessão dos santos. Assim como já fazia qdo caminhava nessa terra, nas bodas de cana – qdo transformou agua em vinho – para citar apenas um exemplo. As escrituras nos dizem em Tiago 5, a prece do justo – ou santo- alcanca muito!

        Curtir

      • Anderson disse:

        Meu caro, um dos maiores problemas dos protestantes é distorcer o que se diz ou que se faz. Jesus é o único e suficiente salvador dos católicos. Não se ensina diferente no catolicsmo e Lutero aprendeu justamente isto na Igreja Católica. Os “jesuzes” aqui citados são exatamente aqueles “jezuses” que estão sendo vendidos pelas seitas evangélicas. O nosso Jesus é o príncipe da paz. O cordeiro sem mancha. O sacerdote eterno. A vítima perfeita. O cordeiro sem mácula. O rei dos reis. Senhor dos senhores. Não compre a caricatura que os lobos vorazes te empurram sobre a igreja católica. Quando dizemos salve Maria, estamos dizendo que ela precisou de salvação por conta do pecado original. Não dizemos salve Jesus, porquanto ele é a própria salvação. Existem duas maneiras de salvar alguém que está se afogando em um mar revolto. A primeira é empreender esforços com cordas, barcos e ajuda dos homens para salvar quem se afoga. Estes somos nós que precisamos ser resgatados por Jesus. A segunda maneira é evitar que alguém entre no mar que não está bom para nadar. Maria foi salva desta maneira. E só DEUS poderia faze-lo. E ele pode todas as coisas, até mesmo aquelas que você consegue imaginar. Nosso DEUS não está preso a tinta e ao papel, mas é senhor de todas as coisas e de modo algum podemos fazer da criatura Bíblia maior do que o criador que todas as coisas chama a existência. Maria foi preservada do pecado original no momento da fusão corpo e alma. Ela não entrou no mar. E por que ?
        Porque Jesus é DEUS e não habitar em lugar que não seja santo. Jesus Cristo é atemporaral. Ele não precisa de relógio ou calendário. Maria foi salva pelos mértitos antecipados de Jesus Cristo na cruz. Não distorça. Ninguém está blasfemando contra o nome santo de DEUS. Pelo contrário. Assista a uma MIssa Católica e você verá que não existe culto nesta terra mais cristocêntrico. Não se prega sobre Davi, Elias, Eliseu ou Abraão. É Jesus o tempo todo. A ponto de oferecermos a DEUS na Eucaristia o único sacrifício agradável ao Senhor. Bater palmas pode ser bonito, mas não é suficiente meu caro. Apenas comendo da carne de Jesus e bebendo do seu sangue e oferecendo ao pai eterno a vítima perfeita, o cordeiro sem mancha é se pode alcançar vida eterna. Ele mesmo usa a palavra “verdadeiramente”. Com quem devo ficar ? Como verdadeiramente de Jesus ou com o relativamente dos pastores protestantes ?
        Que fique claro que Jesus Cristo é o Senhor. Leia o catecismo da Igreja Católica e lá você verá com todas as letras que Jesus Cristo é o Senhor. Por este motivo mesmo não rebatizamos protestantes já batizados e que resolvem aderir ao catolicismo. Ora, ninguém pode dizer que Jesus Cristo é o Senhor se não pela ação do Espírito Santo. Se alguém é batizado em uma denominação protestante e lá se disse que Jesus Cristo é o senhor, como poderíamos invalidar tal batismo ? São vocês que invalidam o nosso batismo. Acaso é a Igreja maior do que o seu senhor ? E como pode a Bíblia que é filha da igreja e não sua mãe ser maior do que este mesmo Senhor ?
        Veja como é criteriosa a Igreja Católica. Não invalidamos o batismo protestante se devidamente feito na forma apostólica. O catecismo da Igreja Católica ensina ainda que nossos irmãos separados não podem ser culpados do pecado da divisão e para aqueles que já nasceram em lares protestantes, devemos chama-los de cristãos e assim considera-los. Quem nutre ódio contra a Igreja Católica são as seitas protestantes. E isto é tão verdadeiro que não se vê nem mesmo caridade ou amor entre denominações e pregadores. Basta um discordar de outro que já surge uma nova seita sob a regência de um novo “super papa” infalível.

        Curtir

        • Alexandre disse:

          Citações:

          “Jesus é o único e suficiente salvador dos católicos”
          Quem tem um único e suficiente salvador não coloca outros mediadores. Jesus disse que não se pode satisfazer a dois Senhores.

          “Maria foi preservada do pecado original no momento da fusão corpo e alma”
          A Palavra de Deus diz que todos pecaram, TODOS, não há um sequer que não tenha pecado, e destituídos da glória de Deus estão. Diz também que somente pela expiação com o sangue do cordeiro, seremos salvos.
          Não tem fundamento bíblico afirmar que Maria foi diferente de qualquer outro servo de Deus, como Abraão, Moisés, Davi, etc. O próprio Jesus disse, “Que tenho eu contigo mulher”; Jesus deixou bem claro que sua própria constituição física e espiritual nada tinha a ver com a de Maria
          Jesus disse também em Mateus 12:
          “47 E alguém lhe disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar-te.
          48 Porém ele respondeu ao que lhe trouxera o aviso: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
          49 E, estendendo a mão para os discípulos, disse: Eis minha mãe e meus irmãos.”
          Com isso Jesus deixou bem claro que todos (sem exclusividade pra Maria) são iguais, contanto que façam a obra do Senhor, como Ele mandou e não como os homens querem.

          “É Jesus o tempo todo. A ponto de oferecermos a DEUS na Eucaristia o único sacrifício agradável ao Senhor”
          “Apenas comendo da carne de Jesus e bebendo do seu sangue e oferecendo ao pai eterno a vítima perfeita”

          Até nisso, uma cerimônia tão simples, vocês conseguiram colocar heresias, não fazendo como Jesus nos ensinou. Retiraram o vinho e sintetizaram o pão.

          “Leia o catecismo da Igreja Católica”
          Jesus não mandou ler nenhum catecismo, mas as Sagradas Escrituras.

          “Acaso é a Igreja maior do que o seu senhor ?”
          Quando vocês decretaram a Tradição em pé de igualdade com a Palavra de Deus, por conta própria elevaram a vossa igreja ao nível do Espírito Santo, que é Deus.

          “E como pode a Bíblia que é filha da igreja e não sua mãe”
          A Bíblia nunca foi filha de nenhuma igreja. A Bíblia (Sagradas Escrituras) é obra do Espírito Santo, que é Deus.

          “Quem nutre ódio contra a Igreja Católica são as seitas protestantes”
          Os protestantes não nutrem ódios, eles protestam as heresias praticadas pelos católicos ou qualquer outra denominação que estão alterando as Sagradas Escrituras.

          Curtir

          • Helen disse:

            Alexandre,

            Não reponderei à tudo no presente momento, mas apenas Ao seu equivocado comentário sobre Maria.

            Primeiro de tudo, Jesus é Deus e Ele é plenamente humano. Como o Filho do Homem, Jesus é como nós em todos os sentidos, exceto no pecado. Negar qualquer parte da humanidade de Jesus resulta na negação de parte da nossa redenção. Em segundo lugar, apesar dos bebês nascerem com o pecado original a citação diz que “todos pecaram”. Isso pressupõe uma ação que resulta em pecado. Ora, bebês e crianças pequenas deveriam ser uma exceção a esta citação, se tomada literalmente, porque uma criança não tem pecado pessoal. Em terceiro lugar, Adão e Eva eram sem pecado antes da sua escolha para no jardim do Éden. Então, por tempo indeterminado esta citação não poderia e deveria ser aplicada a eles.

            Por isso devemos entender que Paulo enfatiza com o termo “todos”, porque está subentendido que Deus fez exceções. Como vimos, Jesus e Maria e as crianças e, por um tempo limitado, Adão e Eva. Há tantos apoios tipológicos para a compreensão da impecabilidade de Maria. Não podemos construir uma doutrina em torno de um versículo bíblico.

            Romanos 3:9-18 Esta passagem parece ser uma piada do livro de Eclesiastes. Mais uma vez, Paulo faz referências ao Salmo 14 para enfatizar um pranto de desespero devido à enorme corrupção. A escritura está longe de contrariar o que foi nos ensinado pela Igreja. É interpretação inadequada da Escritura tudo que contraria o que foi ensinado através da Igreja. Também é preciso abrir-se para o retrato inteiro das Escrituras usando o Antigo Testamento, juntamente com o novo, para ter uma visão completa da Palavra de Deus. Puxar deduções curtas é exegese pobre, e o resultado é o nosso “achismo” e nossas próprias ideias quanto ao que a interpretação correta deve ser.

            A Igreja Católica tem investido de 2000 anos em certificar-se que nós recebemos a mesma orientação do Espírito Santo que os autores bíblicos receberam como eles escreveram as Escrituras. Jesus deixou para trás uma Igreja e é a partir dessa Igreja, guiada pelo Espírito Santo, que recebemos as Escrituras e é por essa mesma Igreja que interpretar as Escrituras..

            Curtir

          • Alexandre disse:

            Helen, você nem parece uma pessoa prendada pelo saber (intelectual). Você é de que planeta?

            Comentário do Blog

            Caro Alexandre,
            Eis ai uma nova maneira de chamar alguém de ignorante, desprovida de saber – que só pode ser intelectual, já que não existe outro tipo de saber… Enfim, lamento que esse seja seu juízo de mim …

            Pax Domini,

            Curtir

            • Alexandre disse:

              Ao achar que eu fiquei louco por declarar que o DNA de Jesus não tem nada a ver com o DNA de Maria, você demonstrou ignorância intelectual ou uma alienação religiosa que apaga a sua razão.
              Leia Mateus 1:18-25 e comprove sobre o que eu disse.
              Leia Mateus 1:1-17 e veja que a genealogia de Jesus vem da parte de José e não de Maria. Entretanto, também o DNA de Jesus não é o mesmo de José. Jesus tem DNA próprio porque é filho de Deus. É o verbo que se fez carne.
              Maria foi uma serva fiel em todos os sentidos, mas sua participação como serva, foi como se diria hoje, “barriga de aluguel”.
              Minha admiração e respeito por Maria não pode me impedir de esclarecer a verdade.
              Eu não tenho dúvidas que ela própria viria aprovar tudo isso que digo se assim pudesse.

              Curtir

              • Helen disse:

                Caro Alexandre,

                Infelizmente, meu tempo é curto no moemnto, assim não posso responder a todos os seus questionamnetos/argumentos, mais tarde eu volto a escrever…

                No momento vou apenas brevemente esclarecer que a genealogia de Jesus, tal e qual apresentada no Evangelho, segue a tradição e a lógica corrente do tempo em que o texto foi escrito, ou seja, na sociedade de Israel, ou melhor no judaísmo Bíblico, a genealogia do indivíduo ‘que importava’ era sempre aquela do lado paterno, como se pode esperar numa sociedade patriarcal…. Veja por exemplo o caso da própria Nação de Israel, onde as referencias genealólicas sempre apontam para Abraão, issac e Jacob. Portanto, é um equívoco concluir que Jesus nãoc ompartilha do DNA de Maria porque a Sua descendencia do lado Materno não é declarada na Bíblia, pois isso simplesmente não se fazia naquela época. Mais adiante, devo lembrá-lo que José NADA tem a ver com a genealogia de Jesus no sentido biológico, uma vez que Maria concebeu Jesus pelo poder do Espírito Santo, sendo assim não se pode afirmar que Jesus tenha o DNA de José simplesmente pq essa seria uma conclusão contraditória àquilo que nos ensina o evangélho como um todo.

                Quanto a intercessão dos Santos, quero convidá-lo a refletir no exemplo dos judeus do antigo testamento, como uma referência para o que os Católicos fazem qdo oram a Deus invocando a intercessão de um determinado Santo:

                34. Pelo amor de vosso nome, não nos abandoneis para sempre; não destruais de modo algum vossa aliança.
                35. Não nos retireis vossa misericórdia em consideração a Abraão, vosso amigo, Isaac, vosso servo, Israel, vosso santo,  Daniel 3, 34-35

                Curtir

            • Alexandre disse:

              Eu citei a questão do DNA em referência ao que Jesus disse, “que tenho eu contigo mulher?”, e sobre os versículos de Mateus 12:46-49, já que vocês tentam a todo custo endeusar Maria.

              Quanto à oração que você citou “Daniel 3:34-35”, eu não consegui localizar os referidos versículos, de qualquer forma nesta oração o orador está se dirigindo diretamente a Deus e pedindo para que a misericórdia não seja retirada. O orador não pede a intercessão de nenhum santo, mas sim, que Deus tenha misericórdia em memória de Abraão, Isaque, Israel.
              De forma alguma, nesta oração, o orador está pedindo que Abraão, Isaque, Israel, interceda.

              Os católicos e alguns evangélicos inventam, por conta própria, marmotas que não estão nas Sagradas Escrituras, e omitem, por conta própria, pontos cruciais que impedem a condução de multidões ao caminho da verdade que Jesus nos deixou.
              O protestantismo (não religiões) foi levantado pelo Espírito Santo pra combater estas heresias.

              A batalha não é contra a carne (pessoas), mas contra os principados satânicos que adentram as igrejas cristãs e fazem estragos incalculáveis.

              Ouçam a voz do Senhor, abandonem vossas heresias enquanto é tempo!
              A misericórdia do Senhor ainda permanece porque Deus é longânime.

              Curtir

              • Helen disse:

                Oi Alexandre,

                De fato vc está correto, o orador nessa passagen não esta pedindo pela intercessao dos patriarcas citados, e não foi minha intenção implicar tal conclusão. Eu apenas queria ilustrar que a idéia de pedir para si um favor ou uma graça usando os méritos de outros não é uma ‘invensão’ católica, mas sim uma idéia que já existia na bíblia. veja bem, nós católicos qdo fazemos um pedido a Deus por meio de um santo, estamos fazendo a mesma coisa que o os personagens da passagem que eu te enviei. Na referida passsagem o orador Pede a Deus um favor para si, mas reconihecendo sua condição de pecador ele apela para a misericórdia de Deus pelos méritos de outras pessoas mais santas que ele, mesmo que elas ja estejam mortas.
                No catolicismo fazemos o mesmo, mas vamos adiante, pedimos ao santo que tabém una suas preces às nossas e ore por nós.

                Eu gostaria muito de lhe responder a tudo hoje, mas a escassez de tempo não me permitirá. Quero apenas fazer um breve comentário sobre o q vc disse sobre a Igreja como mãe ou não do cristão. Vc disse:

                “nós evangélicos não temos mãe, só Pai. A igreja não é nossa mãe, ela é a esposa do cordeiro: “

                Veja que coincidencia! Aida hoje me deparei com um livreto da Assembléia de Deus que dizia o seguinte:

                A igreja é mencionada na Bíblia de várias formas! Sião, Jeruzalém ceslestial, cidade de Deus, etc. Por exemplo, em Galatas 4,26, vemos que a Igreja É a Mãe de todos nós. As escripturas dizem que Sião labora e produz filhos, assim como a mãe natural labora para produzir a cria, a Igreja, nossa mãe espiritual, não produz filhos sem se esforçar […]

                Curtir

            • Alexandre disse:

              Helen, Helen, Helen,
              Vejo que você ainda não entendeu nada. Quando uma igreja se autointitula, “Igreja Isso”, “Igreja Aquilo”, está dando o primeiro passo às heresias.
              Jesus pregou no campo, embaixo de árvores, em alpendres alheios, e não deu nome a nada disso.
              Minha cara Helen, o templo do Senhor está em cada coração que vive em Verdade.
              Quando Jesus deu o último suspiro na cruz, o véu do templo em Jerusalém se partiu de alto a baixo. Você sabe o que Deus disse com isso? Deus disse que o lugar mais Santo (Santo dos Santos) não mais estava onde o homem edificasse, mas sim, no coração em que o Espírito Santo encontrasse Verdade. Não a própria verdade de cada um, mas, a verdade absoluta, a Verdade de Deus.

              A Igreja de Deus não é uma instituição. A Igreja de Deus já está composta por todos os corações nos quais Deus assentou seu trono, antes mesmo da formação dos tempos.

              Se você quer pertencer a essa ou aquela instituição religiosa, tudo bem, Deus não se opõe a isso, desde que você não deixe que essa instituição te retire da Verdade.

              Curtir

              • Helen disse:

                Alexandre,

                Eu não entendi nada… mmmm…. Vejamos, apenas para citar alguns exemplos:

                Vc disse que “Nós evangélicos não temos mãe …”

                Eu provei que HÁ evangélicos que alegam o oposto. Vide minha resposta com citação do texto da Assembléia de Deus.

                Vc disse que a Trindade foi determinada com base em Mateus 28.

                Eu mostrei que a formulação do Dogma da Santa Trindade ocorreu pelo discernimento da Igreja, pelo Espírito Santo através de VÀRIAS passagens Bíblicas reveladas, apesar do mistério da Trindade NÂO estar EXPLICITAMENTE ensinado nas Escrituras.

                Vc então voltou a escrever sobre a Trindade, dessa vez afirmando EXATAMENTE o que eu já havia dito, ou seja, que o dogma nasceu da interpretação de um conjunto de passagens da Revelação, contradizendo a si mesmo.

                Será que sou eu quem não entendeu nada?

                Pax Domini,

                Curtir

        • Alexandre disse:

          Citações da Helen, e minhas réplicas:

          Vc disse que “Nós evangélicos não temos mãe …”
          Eu provei que HÁ evangélicos que alegam o oposto. Vide minha resposta com citação do texto da Assembleia de Deus.

          Quem disse pra você que a Assembleia representa os evangélicos?
          Quem disse pra você que evangélico é sinônimo de perfeição? A perfeição está na Palavra de Deus.
          Existem evangélicos que aceitam o abominável crime do aborto, outros não.
          Assim como:
          Existem católicos que aceitam rezadeira pra curar “espinhela caída” ou “quebranto” enquanto outros católicos acreditam que essas coisas são artes do demônio.
          Existem católicos na Bahia que aceitam colocar uma seção de terreiro de umbanda durante as missas, bem diante do altar, enquanto outros não aceitam isso e abandonam a igreja.
          Voltando à questão da igreja mãe, a diferença entre católicos e evangélicos é que vocês colocam a igreja no mesmo nível de Deus, chegando ao cúmulo de editar novas regras contraditórias à Palavra de Deus, como se fosse Deus que tivesse mandado.
          Por exemplo:
          A igreja decreta que Maria é mãe de Deus, e vocês dizem, amém.
          A igreja cria uma planilha de santos, e diz que eles intercedem por vocês, e vocês dizem, amém.
          A igreja diz que a Santa Ceia não é mais como Jesus nos ensinou, mas sim do jeito que a igreja agora está fazendo, e vocês dizem, amém.
          Ou seja, se amanhã ou depois a igreja disser que o diabo não é tão ruim assim, vocês irão dizer, amém.

          Vc disse que a Trindade foi determinada com base em Mateus 28.
          Eu mostrei que a formulação do Dogma da Santa Trindade ocorreu pelo discernimento da Igreja, pelo Espírito Santo através de VÀRIAS passagens Bíblicas reveladas, apesar do mistério da Trindade NÂO estar EXPLICITAMENTE ensinado nas Escrituras.

          Você está colocando palavras na minha boca.
          Você pediu e eu citei uma, entre várias, passagens bíblicas que revelam a trindade de Deus. O nome “Trindade” é apenas uma forma simplificada de expressarmos o Verbo de Deus na pessoa do Pai, Filho, Espírito Santo, da mesma forma como dizemos “multidão” pra definirmos muitas pessoas juntas. O termo “Trindade” não é uma revelação de Deus. Eu não vejo mérito nem demérito em ter preestabelecido tal palavra. Vocês vêm o termo “trindade” como dogma, não sei por que. Aliás, o termo “dogma” também não vem de Deus, pois Jesus não recomendou tal palavra ou feito ou efeito.

          Vc então voltou a escrever sobre a Trindade, dessa vez afirmando EXATAMENTE o que eu já havia dito, ou seja, que o dogma nasceu da interpretação de um conjunto de passagens da Revelação, contradizendo a si mesmo.
          Não sei onde você leu isso que você diz eu ter escrito.

          Será que sou eu quem não entendeu nada?
          Quando você disputa palmo a palmo a religiosidade e não a Verdade Bíblica, deixa bem estampado o quanto ainda não entendeu nada.
          Você não abre mão das convicções da sua igreja e dá preferência a esta, mesmo em detrimento da Palavra de Deus. Você não consegue entender que ninguém está autorizado a escrever sobre a escrita de Deus.
          Comprovadamente você não está entendo mesmo.

          Curtir

        • Alexandre disse:

          Mais citação da Helen e minha réplica:

          A igreja é mencionada na Bíblia de várias formas! Sião, Jerusalém celestial, cidade de Deus, etc. Por exemplo, em Gálatas 4,26, vemos que a Igreja É a Mãe de todos nós. As escripturas dizem que Sião labora e produz filhos, assim como a mãe natural labora para produzir a cria, a Igreja, nossa mãe espiritual, não produz filhos sem se esforçar […]

          Mesmo usando a força de expressão, a igreja não converte filhos para si próprios, mas sim para o Pai (Deus). A igreja não pode reivindicar filhos para si porque não tem salvação a oferecer e, por conseguinte o filho não pode referir-se à igreja como “Mãe”, e se assim o fizer, estará renegando ao Pai, por se dividir entre dois senhores.
          Semelhantemente, em nenhum momento Jesus fez menção à Maria como “Mãe”, pois Maria não gerou Jesus para si, como as demais mães. Observe que em todo o evangelho a mãe de Jesus é sempre mencionada por terceiros e não por Ele.

          Curtir

          • Helen disse:

            Alexandre,

            Não ficou claro que o texto que eu postei – o qual vc cita em seu comentário – não são minhas palavras, mas do livreto da Church of God, ou talvez Asssembléia de Deus…? Eu vivo fora do Brazil e não sei dizer quem é quem nesse mar de mais de 50 mil denominações evangélicas, mas o pto não é esse, mas sim o fato simples: vc ou nenhum evangélico pode falar por todos as outras 50 mil denominações, pois cada uma ensina algo diferente. Nós católicos, por outro lado, temos UM magistério, uma fé!

            Pax Domini

            Curtir

            • Alexandre disse:

              Nós católicos, por outro lado, temos UM magistério, uma fé!
              Vocês católicos tem uma fé em vários Deuses.
              Nós evangélicos temos muitas fé em um só Deus.
              Helen, esse bate boca não leva a nada. Eu estou interessado em expor a verdade bíblica.

              Nós, semelhantemente aos católicos que se dividem em milhares de comportamentos dentro de uma mesma religião, também nos dividimos. Isto não é uma característica desta ou daquela religião, mas sim do ser humano. O ser humano é diversificador. Uma prova disso é a insistência católica em sempre gerar novos atributos. Por este motivo Deus é tão rigoroso em suas diretivas.

              Curtir

  20. Alencar disse:

    Eu gostaria de responder a todas estas perguntas acima, individualmente, pois todas elas têm suas respostas na Bíblia, mas eu precisaria de uma gráfica para isso, e não do alpendre de um blog.

    Agora eu vou dar alguns esclarecimentos:
    1-Não coloquem na minha boca, palavras que eu não disse.
    2-Não queiram que eu responda pelos pecados do mundo, perguntem isso a satanás.

    3-Jesus não fundou nenhuma denominação religiosa. Deus edificou sua igreja sobre a Pedra-Angular: Jesus. Esta Pedra-Angular foi anunciada com antecedência pelos profetas. A igreja de Deus não tem denominação terrena, ela é formada pelos membros cujos nomes estão escritos no Livro-da-Vida (Apocalipse 3:5). O Livro-da-Vida não está aqui na terra. Nós humanos não sabemos quem são os santos (separados para Deus).

    Curtir

    • (Anderson) disse:

      Quando interessa vocês usam a interpretação literal. E assim nos perguntam onde está a doutrina do purgatório. Mas quando você lê que Pedro era a Pedra aí você deixa de ser literal. Quando você lê que Maria será proclamada Bem Aventurada por todas as gerações você esquece outra vez da interpretação literal. E depois lembra-se da interpretação literal que havia esquecido e nos pede comprovação de assunção de Maria. Sempre dois pesos e duas medidas. Vale sempre o que cada protestante quiser. Seguem parte de Lutero e o repudiam nos sacramentos e na devoção a Maria. Seguem Calvino em parte e o repudiam na crença da virgindade perpétua de Maria e na necessidade da Igreja para a salvação. Meu caro, você deve usar um só critério. O Senhor Jesus disse bem claro: “Pedro apascenta minhas ovelhas.” E o disse por três vezes. Ele não disse Lutero ou Edir Macedo. Disse Pedro.
      E se você gosta de interpretação literal para nos pedir previsões bíblicas, então o que você entende por “…minha carne é verdadeiramente comida e meu sangue é verdadeiramente bebida” ? Nesta hora o verdadeiramente de Jesus é o relativamente dos pregadores protestantes. Com quem você acha que devo ficar ? Com Jesus e com a Bíblia ou com vocês protestantes ?

      Curtir

  21. (Anderson) disse:

    PROTESTANTISMO – QUESTÕES QUE OS PROTESTANTES NÃO PODEM RESPONDER
    1)Diz o protestante que religião não salva ninguém. Diz também o protestante que religião não serve para nada. Para justificar sua rebeldia contra a Igreja Católica diz ainda o protestante que Jesus não fundou a Igreja Católica.
    Pergunta-se: Jesus fundou o que ? Uma Igreja ? Uma religião ? Ou Jesus não inaugurou nada ?
    O que é o cristianismo para você ? Uma Igreja ou uma religião ?
    Se Jesus não fundou nada, como e por que você pretende segui-lo ?
    Se Jesus não fundou nada, o que significam as palavras: “Sobre ti edificarei a minha igreja” ?
    Se Jesus fundou a Igreja Católica, por que você protestante não adere a ela ?
    Se Jesus fundou uma religião por que você diz que religião não salva ou não serve para nada ?
    2)Uma denominação protestante tinha 500 membros.
    10 membros deixaram a denominação protestante porque o pastor começou a pregar a teologia da prosperidade e estes 10 discordaram.
    Dos 10 membros dissidentes, 5 fundaram novas igrejas e os outros 5 foram para outras denominações protestantes, conforme se vê abaixo:.
    Os 05 que fundaram novas denominações começaram a pregar pela ordem: a)Contra o divórcio e a favor de pregadoras mulheres, b)A favor do divórcio e contra pregadoras mulheres, c)A favor do aborto, d)A favor do evangelho judaizante, e)A favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Os 03 primeiros batizavam e os outros 02 não batizavam. Os 02 primeiros rejeitavam a trindade e os outros 03 a defendiam. 04 aceitavam sacramentos e 01 os rejeitava. 04 batiam palmas e 01 achava tal prática um desrespeito.
    Os outros 05 membros dissidentes que foram para as outras denominações dividiram-se da seguinte forma: a)Igreja Batista, b)Denominação pentecostal, c)Igreja Luterana, d)Igreja Adventista, e)Igreja Anglicana
    Quais são as nossas dúvidas ?
    Qual destes grupos reteve a sã doutrina ?
    Qual destes grupos pratica o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo ?
    Qual destes grupos pode ser chamado de sucessores dos verdadeiros apóstolos de Cristo ?
    Quais destes grupos devem ser considerados como hereges ?
    Todos estão salvos ?
    Uma vez que você protestante venha a considerar que todos estão salvos independentemente de denominação e do Cristo que cada grupo segue em cada igreja, poderíamos dizer que o importante para a salvação é tão e somente o rótulo protestante ?
    Então por que o protestante diz que placa de igreja não salva ninguém ? Claro que salva.
    Bastou levantar o dedo na denominação protestante que todos já são irmãos em cristo, ainda que sejam todos divergentes entre si.
    Se todos estão salvos, por que brigaram e se dividiram ?
    Por que ao invés de brigarem não louvaram a DEUS pela “salvação” de todos ?
    Qual destes grupos representa a igreja primitiva ?
    3)A salvação uma vez “obtida” pode ser perdida ?
    Se você acha que salvação não pode ser perdida, pergunta-se:
    Se todos estão salvos e salvação não pode ser perdida, e é fato que uns chamam aos outros de hereges, inclusive gerando inúmeras e contínuas divisões, podemos dizer que heresia não condena ninguém ao inferno ?
    Se heresia não leva ninguém ao inferno, podemos dizer que não faz diferença o Cristo que se prega ou o Cristo que se pretende seguir ?
    Se heresia não condena ninguém e a salvação está restrita aos grupos protestantes, ainda que escandalosamente divergentes entre si, podemos dizer que o importante para a salvação é tão e somente levantar o dedo em qualquer denominação protestante e “aceitar” Jesus ?
    Se todos estão salvos a partir do “aceitar” Jesus, por que precisam de pastores, templos, cultos, pregações, dvd’s, música Gospel e dízimos ? O que pode ser mais importante do que a salvação ?
    Se a salvação não pode ser perdida, estando todos os grupos protestantes salvos, independentemente do cristianismo que abraçaram, que diferença faz pagar ou não dízimos ? Escutar ou não música Gospel ?
    Alguém fica mais ou menos salvo se praticar ou não todas estas coisas ?
    4)O grupo que se auto denomina como os “Sem Igreja” se diz salvo também. E você o que acha ? Eles estão salvos ou condenados ?
    Se os “sem igreja” estão salvos, tal como aqueles que frequentam denominações, podemos dizer que igrejas protestantes não servem para nada já que não são essenciais para a salvação ?
    5)O mesmo grupo dos “Sem Igreja” justifica sua decisão em função de que constatou diversas heresias nas milhares de denominações protestantes.
    Pergunta-se: Os “Sem Igreja” tomaram a decisão correta em abandonar as igrejas por suas práticas heréticas ?
    Eles estão salvos ? Eles agradaram ou desagradaram a DEUS ?
    E os que permaneceram nas igrejas que praticam heresias ? Estão salvos ou condenados ?
    Qual dos grupos está salvo ? Os “Sem Igreja” ou os “Com milhares de Igrejas” ?
    Qual dos grupos está interpretando a Bíblia corretamente ?
    6)Se nem todos estão interpretando corretamente a Bíblia, seria correto para um protestante afirmar que nem todos são assistidos pelo Espírito Santo quando fazem a leitura da Bíblia ?
    Como o protestante distingue quem está ou não sendo assistido pelo Espírito Santo ? Qual é o critério bíblico para que se faça tal distinção ?
    Quantos Espíritos Santos existem ? Pode um mesmo Espírito Santo dar a cada denominação ou cada crente teologias e direções diferentes ?
    7)Retomando o exemplo da denominação que prega a teologia da prosperidade e seus dissidentes, pergunta-se:
    Se a maioria dos membros permaneceram com o pregador da teologia da prosperidade, alguns dele fugiram e, estes mesmos que se foram também não permaneceram unidos, pergunta-se onde está na Bíblia a permissão para cada grupo tomar a decisão que tomou ?
    Onde está na Bíblia a permissão para se trocar de denominação ?
    Onde está na Bíblia a ordem para permanecer na denominação ?
    Quem está certo ? O que saiu ou que ficou na denominação ?
    Onde está na Bíblia a quantidade de vezes que cada crente pode mudar de denominação ?
    Onde está na Bíblia que alguém insatisfeito pode fundar uma nova denominação ?
    8)Ainda sobre a denominação que pratica teologia da prosperidade e seus seguidores e dissidentes:
    Se todos os grupos citados em nosso exemplo estão corretos em suas interpretações bíblicas e doutrinas, e, considerando que “placa” de igreja não salva ninguém, assim dito pelos protestantes, pergunta-se por que brigam tanto e fundam tantas denominações ?
    Por que fundam tantas igrejas se eles mesmo dizem que igreja não salva ninguém ?
    Por que se dividem se todos concordam que igreja não serve para nada e se todos se chamam uns aos outros de irmãos em Cristo ?
    Afinal, são todos “irmãos” em Cristo ? E por que uns chamam os outros de hereges ?
    9)Se todos dizem que Lutero foi necessário para consertar os “erros” do catolicismo, por que todos estes grupos não permaneceram com Lutero ?
    Onde está na Bíblia que alguém pode se rebelar contra o “ungido” do Senhor, “escolhido” para consertar a “Babilônia” que seria a Igreja Católica ?
    Lutero foi levantado por DEUS ou pelo Diabo ?
    Se foi por DEUS, por que não permaneceram com Lutero ?
    Se foi pelo Diabo, por que lhe dão ouvidos e o tem por mestre e ídolo ?
    10)Se alguns dizem que mesmo antes de Lutero já existiam grupos que se opunham a “opressão” da Igreja Católica e segundo a tese protestante tais grupos representam a Igreja primitiva, pergunta-se:
    Como é possível a Igreja primitiva que não tinha Bíblia, gritar em alto e bom som o dogma de Lutero “Só a Bíblia” ?
    Como é possível aos que se dizem representantes atuais da igreja primitiva utilizarem a Bíblia como única fonte de revelação se a Bíblia não existia no tempo da Igreja primitiva ?
    Como é possível aos que se dizem representantes da igreja primitiva aceitarem a Bíblia produzida por um ex monge da grande “Babilônia” que seria a Igreja Católica ?
    Como é possível aos que se dizem representantes da igreja primitiva aceitarem a Bíblia de Lutero que foi produzida a partir da Bíblia produzida pela Igreja Católica que seria a Grande Babilônia ?
    E é sabido que Lutero também condenou tais grupos. E até os perseguiu.
    Pergunta-se: Lutero estava certo ou errado em condenar tais grupos que, entre outras coisas, se opunham a doutrina católica ?
    Quem estava certo ? Lutero ou os grupos que se opunham a Igreja Católica ?
    Se Lutero e tais grupos eram antagonistas, como você protestante consegue ao mesmo tempo se dizer primitivo e adotar teorias de Lutero que condenava os tais grupos “primitivos” ?
    11)Se todos os grupos, crentes e denominações são inspiradas pelo Espírito Santo na leitura da Bíblia, pergunta-se:
    Por que tantas divisões e doutrinas diferentes ?
    Por que precisam de pastores se cada um pode interpretar a Bíblia pessoalmente com a “assistência” do Espírito Santo ?
    12)Se todos já estão salvos, por que há necessidade de cultos ?
    Por que pregar para quem já está salvo ?
    Por que ao invés de cultos para os “sadios”, não se fazem missões para levar o evangelho aos doentes ?
    E se todos são inspirados pelo Espírito Santo a partir da sua própria leitura bíblia, por que não entregar Bíblias a cada ser humano para que ele mesmo interprete ?
    Afinal não é o protestante que diz que não há ninguém infalível em matéria de fé e doutrina ?
    Portanto, pela tese protestante, é prudente que não se dê ouvidos ao pregador ou palestrante, mas que cada qual faça a sua leitura particular da bíblia.
    13)Pergunta-se ainda:
    Como o protestante sabe que a Bíblia é a única fonte de revelação se a própria Bíblia nada fala a respeito ?
    Onde está na Bíblia a definição dos livros inspirados ?
    Onde está na Bíblia a definição de que a Bíblia protestante é a Bíblia que se deve seguir ?
    Onde está na Bíblia a definição de João Ferreira de Almeida como tradutor insuspeito ?
    E se a Bíblia não define o canon, os livros inspirados e mesmo a Bíblia que se deve seguir e a tradução adequada, como o protestante pode confiar em tudo que lê ?
    De onde o protestante parte para ter certeza de que sua Bíblia está correta em número de livros, aqueles que são inspirados, traduções, etc.. ?
    Considerando que é o protestante quem diz: “Só a Bíblia”, pergunta-se onde está na Bíblia, e, somente nela, a definição da Bíblia que se deve seguir ?
    Nós católicos cremos na Bíblia porque cremos na Fonte que nos diz e que é a Igreja Católica.
    E o protestante que não crê na Igreja ? Quem é o seu porto seguro sabendo-se que a Bíblia nada fala a respeito de si própria e sabendo-se que dela o protestante algum pode sair ?
    14)Considerando que todo protestante, independentemente de denominação, diz que não há homens infalíveis em matéria de fé e doutrina, pergunta-se:
    Como pretende o protestante convencer outro protestante, se antes de qualquer coisa o protestante que lhe ouve deve acreditar que ninguém é confiável ?
    Como pretende o protestante convencer a um católico de sua doutrina, se ele mesmo começa sua pregação dizendo que não há um homem infalível em matéria de fé e doutrina, e, portanto, ele acaba negando a si próprio ?
    E se não há homens infalíveis em matéria de fé e doutrina, por que os protestantes confiam nos conceitos de Lutero que era homem e pecador ?
    E por que confiam nos conceitos de Lutero que ainda por cima era católico ?
    E por que confiam nos conceitos de Lutero sabendo que sua atuação e “missão” nem mesmo são previstas pela Bíblia que o protestante jura defender !
    15)Considerando que a Bíblia diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade, portanto, sem a coluna e sustentáculo a verdade não se firma, pergunta-se:
    De que Igreja a Bíblia está falando ?
    Por que ao mesmo tempo que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade o protestante a considera como desnecessária para a salvação ?
    Se a igreja em questão é a tal da igreja “invisível” criada pelos protestantes, pergunta-se onde está o texto bíblico que define a Igreja invisível ?
    Se a igreja invisível é a reunião de todos aqueles que crêem em Jesus Cristo, pergunta-se por que apenas os católicos estão fora desta igreja invisível se a Bíblia nem mesmo define aqueles que dela fazem parte ?
    16)A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter privado. Pergunta-se:
    De acordo com a determinação bíblica é lícito a qualquer um interpretar a Bíblia ?
    Pergunta-se ainda: Se a Bíblia proíbe a interpretação privada, a quem cabe tal interpretação ?
    Por que você interpreta a Bíblia se a própria Bíblia te proíbe de faze-lo ?
    17)Marque com um (x) aquele que prega o Cristo verdadeiro:
    ( )O pregador do aborto
    ( )O pregador que vende Bíblia da prosperidade
    ( )O pregador que prega o “ministério” do patrocínio, a determinação bíblica e o débito automático
    ( )O pregador do trízimo, ofertas, carnês e campanhas
    ( )O pregador do evangelho Judaizante
    ( )O pregador da unção do Zoológico
    ( )O pregador da unção do Leão
    ( )O pregador do divórcio
    ( )O pregador do casamento entre pessoas do mesmo sexo
    Qual deles é seu “irmão” em Cristo ?
    Se você fosse obrigado a escolher, você ficaria com alguma destas igrejas ou com a Igreja Católica de Santo Agostinho e São Tomás Aquino com seus 2.000 anos, concílios e mais de duzentos e tantos papas ?
    Se você fosse alguém que procurasse viver retamente a Palavra de DEUS e freqüentasse uma denominação séria protestante e tivesse que chamar alguém de irmão em Cristo, qual dos candidatos abaixo mereceria este título ?
    Um católico praticante que leva uma vida santa
    Um membro de uma igreja do evangelho judaizante
    Um membro de uma igreja que pratica a teologia da prosperidade
    Um membro de uma igreja que casa pessoas do mesmo sexo
    18) Sobre Lutero, veja o que ele disse e responda ao final:
    “Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar”. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso.” (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).”
    “Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?”, depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer.” (Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)”.
    “Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma. Meu juízo é o juízo de Deus” (Weimar, X, 2 Abt, 107)
    Conhecendo agora alguns dos mais famosos apontamentos de Lutero, seria possível afirmar que Lutero era um homem comum sujeito a erros e pecados ?
    Se possível a Lutero cometer erros e, alguns bem graves, seria lícito supor que ele também pudesse cometer equívocos em sua avaliação sobre a Igreja Católica e seus dogmas ?
    Isto seria tecnicamente possível ?
    Não seria mais prudente a qualquer protestante antes de criticar e caluniar a Igreja Católica conhecer não só as obras de Lutero, fundador do protestantismo, mas também procurar conhecer um pouco mais de catolicismo ?
    Tal prudência não seria uma forma de sabedoria ?
    19)Sobre a leitura da Bíblia, pergunta-se:
    Se todos os crentes estão salvos e salvação não pode ser perdida, independentemente do Cristo que se segue e da interpretação bíblica que cada um faz, perguntamos que diferença faz ou não ler a Biblia ?
    Se tanto faz ser ou não herege, bastando ter aceitado a Jesus em tempo protestante para alcançar salvação, que diferença faz conhecer ou não a Bíblia ? Que diferença faz segui-la ou não ?
    20)Sobre a Eucaristia que somente os católicos praticam, o que significam as palavras de Jesus: “…minha carne é verdadeiramente comida. Meu sangue é verdadeiramente bebida”?
    Você ficaria com o ‘verdadeiramente’ de Jesus Cristo ou com o ‘relativamente’ dos pastores protestantes ?
    Onde está na Bíblia que o verdadeiramente de Jesus Cristo significa que verdadeiramente não é verdadeiro ?
    De onde você protestante tirou que o verdadeiramente é relativo?
    Quem te disse? Lutero ? Macedo ? Foi algum outro homem ? Com quem você ficaria ? Com a Bíblia ou com o homem ? Você ficaria com Jesus Cristo ou com pregador protestante ?
    21)Você crê que Jesus Cristo é filho de DEUS ?
    Você aceita que sendo Jesus Cristo filho de DEUS ele cumpre os mandamentos de seu pai ?
    Se Jesus honra os mandamentos de seu pai, você aceitaria que eu dissesse que Jesus entre outras coisas honra pai e mãe ?
    Seria aceitável dizer que Jesus Cristo honrava sua mãe Maria ?
    Então por que você a despreza ?
    Você acha realmente que Jesus Cristo fica feliz quando alguém chama sua mãe de mulher pecadora como outra qualquer ou como barriga de aluguel ? Você acredita realmente nisto ?
    22)Você lê a Bíblia? Você já leu a profecia que diz que Maria seria proclamada Bem Aventurada por todas as gerações ?
    O que isto quer dizer para você?
    Você acha que Bem Aventurada significa que ela pode ser desprezada e taxada de impura, entre outros apelidos ? É nisto que você acredita ?
    Você crê na Bíblia ou nos pregadores protestantes ?
    23)Em Genesis a Bíblia diz que DEUS poria inimizade entre os descentes da mulher e os descendentes da serpente. Pergunta-se que mulher é esta que foi descrita em Genesis ?
    Você acha mais provável que seja Maria mãe do salvador, Ana Paula Valadão ou Sonia Hernandez ?
    Você protestante é descendente de Mulher ou não ?
    Se você não é descendente de Mulher e não aceita Maria, você é descendente de quem ?
    A Bíblia é clara. Todos nós somos descendentes de alguém. E a Bíblia só nos trás duas opções. Ou somos descendentes da mulher ou somos descendentes da serpente.
    Se a mulher não é Maria, quem seria ela?
    A Bíblia diz ainda que a mulher esmagará a cabeça da serpente. Quem você acha que irá fazê-lo ?
    Você acha mais provável que seja Maria mãe de Jesus ou a pastora Ludmila ou Valnice ?
    24)A Bíblia diz que não haverá perdão para o pecado contra o Espírito Santo. A Bíblia fala precisamente em blasfêmia. Pergunta-se o que é a blasfêmia contra o Espírito Santo ?
    Em que situações seria possível blasfemar contra o Espírito Santo ? Você pode explicar isso pela Bíblia ?
    Nós temos o magistério da Igreja que nos ensina sobre as blasfêmias contra o Espírito Santo.
    E você que não crê no magistério da Igreja, como pode evitar os pecados contra o Espírito Santo se não pode conhecê-los pela Bíblia ?
    Você sabe quais são os pecados contra o Espírito Santo ? Você leu em algum livro ? Foi algum pastor que te disse?
    Então você está me dizendo que para conhecer os pecados contra o Espírito Santo você teve que sair da Bíblia ?
    Me explica ainda pela Bíblia, por que a distinção entre as blasfêmias contra Jesus e contra o Espírito Santo ? Não são ambos pessoas do mesmo DEUS uno e trino ? Por que tal distinção ?
    Nós católicos podemos entender a partir da explicação da Santa Igreja. E você pode compreender e explicar pela Bíblia?
    25)Jesus deu poder aos apóstolos para perdoar e reter pecados de outros. O texto é claro.
    O que significa para você reter pecados ?
    Você aceitaria que um apóstolo só pode reter pecado de alguém se este vier a lhe confessar ?
    É possível algum apóstolo perdoar ou reter pecado de outro sem conhecê-lo ? E por que você não se confessa ?
    Você fica com a Bíblia e com Jesus que é claro a este respeito ou com o com a rebeldia dos pregadores protestantes ?
    26)O protestante diz que todo e qualquer homem pode interpretar a Bíblia. Diz até mesmo que a Igreja Católica proibiu a leitura da Bíblia.
    O protestante afirma ainda que o Espírito Santo assiste ao crente em sua leitura privada.
    Quando perguntado sobre as heresias vistas em larga escala nas denominações protestantes, o protestante não sabe reconhecer os motivos de tantas divisões e aberrações.
    Por um lado o protestante não pode dizer que existem vários Espíritos Santos com diferentes direções e doutrinas.
    Do mesmo modo, o protestante não pode admitir que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade, pois tal assertiva bíblica eliminaria qualquer possibilidade de magistério confiável entre denominações protestantes que começaram a existir 500 anos atrás, portanto, 1.500 anos depois da Igreja Católica.
    Combater o livre exame que desencadeia o processo de múltiplas interpretações seria reconhecer a necessidade de uma autoridade infalível. Ora, entre tantas contestações promovidas pelo protestantismo, encontra-se justamente a infalibilidade da Igreja Católica e de seus papas.
    O que fazer se ao mesmo tempo o protestante diz que todo e qualquer membro que fez o favor de aceitar a Jesus já está salvo ? E acrescenta que salvação não pode ser perdida ?
    Como explicar tudo isto ?
    Não tem explicação. Mas alguns contradizendo-se e descredenciando tudo aquilo que eles próprios defendiam, chegam ao extremo absurdo quando afirmam que será salvo quem melhor interpretar a Bíblia. Pasmem. Isto mesmo. Depois de tão eloqüente sacrifício na cruz é como se Jesus viesse a nos dizer:
    “Vire-se”. “Trate de ler a Bíblia que será produzida algum dia por Lutero. Leia, interprete e faça suas escolhas. Escolha denominações, doutrinas e pastores. E quem não puder ler ou entender que se dane.”
    Sinceramente eu não acredito nisto. Para mim a criação e sobrevivência da Igreja Católica é mais uma prova do amor de Jesus que conhecendo o coração humano que é dúbio, fraco e duvidoso, não desejou que nos perdêssemos. Ora, a vontade dele é que nenhum de nós se perca. Ele nos deu a Igreja para fossemos guiados. Não nos deixou por conta própria tão grande é o seu amor.
    Mas vamos lá:
    Se cada qual deve ler, interpretar e escolher por conta própria, ou seja, salvar-se-á aquele que melhor interpretar, conforme tese protestante, então perguntamos:
    Quem salva afinal ? É Jesus ou a nossa Inteligência ?
    Somos salvos por méritos próprios a partir da nossa “melhor” interpretação ?
    Para que serviu o sacrifício de Jesus na Cruz se no final cada qual deve interpretar e julgar todas as coisas por si só ?
    27)Dizem os protestantes que foi Constantino que fundou a Igreja Católica. Negam que a Igreja Católica tenha sido fundada pelo Senhor Jesus Cristo.
    Dizem ainda os protestantes que Lutero foi um homem levantado por DEUS para corrigir os erros do catolicismo. Alguns o chamam de “anjo”.
    Pergunta-se:
    Se a Igreja Católica é obra de homens, como é possível ao protestante abraçar a sua pretensa reforma ?
    Quer dizer que a igreja é obra do homem e sua reforma obra divina ?
    É nisto que você acredita Senhor Protestante ?
    Já pensou um católico abraçar a reforma de uma denominação protestante ? Faz algum sentido que ele acate a reforma de uma denominação protestante se negou a igreja protestante original ?
    Por que você abraça as teorias de um reformador da Igreja de Constantino que você nega como sendo a Igreja do Senhor Jesus ?
    Se você ignora a Igreja não deveria também ignorar tudo que lá acontece, incluindo sua pretensa reforma e ao próprio Lutero ?
    E se Lutero surgiu no mundo 1.500 anos após o início da era cristã, você realmente acredita que Jesus Cristo esperou tanto tempo para instituir sua igreja na terra ? É nisto que você acredita ?
    Você acredita que o mundo ficou sem cristianismo e sem igreja por 1.500 anos ? E de onde partiu a Bíblia de Lutero se não havia cristianismo por 1.500 anos ?
    E por que Lutero não iniciou logo a “era” cristã ao invés de tentar “consertar” a grande Babilônia que para vocês é a Igreja Católica ?
    É neste Lutero que você acredita ?
    Você acredita no Lutero que recebeu “ordens” de DEUS para iniciar a era cristã e ao invés disto resolveu consertar a Igreja de Constantino ?
    E se a Igreja Católica tivesse aderido as teses de Lutero e portanto tornado desnecessário o protestantismo ? O que você faria se não existisse protestantismo ao mesmo tempo que você considera que o mundo ficou sem cristianismo por 1.500 anos ?
    E se não houvesse protestantismo por certo não haveria bíblia protestante. E então ? Você acreditaria na Bíblia ? Como seria possível a você ter em mãos uma bíblia que não fosse católica ?
    28)Imagine senhor protestante que não tivesse ocorrido reforma alguma.
    Pergunta-se de que igreja você faria parte hoje em dia ?
    Imagine agora que a Igreja Católica acatou todas as teses de Lutero e portanto nunca houve protestantismo. Pergunta-se de que igreja você faria parte ?
    Você vai me dizer que pertence a uma igreja anterior a Lutero ?
    Então o que você tem a ver com a reforma da Igreja Católica ou com o seu reformador a ponto de abraçar o “Só a Bíblia” e o “Só a fé” que o herege criou ?
    30)De onde vem a tua Bíblia senhor protestante ?
    Vem de Lutero ?
    E onde teve origem a Bíblia de Lutero que você hoje em dia manuseia e interpreta do seu próprio modo ?
    Você acha que a Bíblia caiu no colo de Lutero ?
    A Bíblia de Lutero teve origem na Bíblia compilada e traduzida pela Igreja Católica ? Sim ou não ?
    Sim ? Então você reconhece que ninguém pode falar em Bíblia sem reconhecer a autoridade da Igreja Católica ?
    Não ? Então você confia plenamente em Lutero a ponto de acreditar em uma Bíblia produzida por homens ? E se você confia tanto assim em Lutero por que continua mudando de denominação ou frequentando outras que não são Luteranas, ou ainda fundando novas seitas protestantes ?
    Você tem certeza que a Bíblia te autoriza a desafiar Lutero ? Será que Lutero teria produzido uma Bíblia que faria com que seus filhos se voltassem contra ele ?
    31)Embora a Bíblia proíba divisão, o protestante acredita que Lutero tinha o direito de fazer o que fez. Lutero contestou o catolicismo. Calvino contestou Lutero. Outros contestaram Calvino. Outros contestam Macedo, outros contestam Soares e outros contestam Batistas, Adventistas, Anglicanos, pentecostais ou néo pentecostais.
    Pergunta-se: Considerando que uns podem contestar os outros, nós católicos estamos autorizados a não aderir as teses protestantes ?
    É lícito a nós, ou, apenas os protestantes podem se auto contestarem e chamarem uns aos outros de hereges ?
    E dentro desta pergunta, se por algum absurdo algum protestantes vier a dizer que devemos aderir ao protestantismo, perguntamos a qual das 50.000 denominações deveremos abraçar ?
    As que batizam ou as que não batizam ?
    As que acatam o divórcio ou àquelas que o repudiam ?
    As denominações do evangelho judaizante ?
    Da prosperidade ?
    Do aborto ?
    Que bate palmas ou a que ouve música Gospel ?
    Que casa pessoas do mesmo sexo ?
    Que adora a arca da aliança ?
    Que tem unção de bichos ?
    A qual delas devemos aderir de maneira que não sejamos chamados de hereges pelas outras denominações ?
    32)Para finalizar, vamos falar das boas obras.
    O protestante diz praticamente que as obras não servem para nada. Lutero disse que o texto de Tiago é palha morta.
    Pergunta-se:
    Protestante, você concorda com Lutero quando ele diz que é “palha morta” o texto de Tiago que ensina que a Fé sem obras é morta ?
    O que Jesus quis dizer quando afirma: “A verdadeira religião é visitar órfãos e viúvas” ?
    O que significa o que Jesus disse: “Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber…” ?
    Você realmente acredita que as obras não servem para nada ?
    Você realmente acredita que a assistência aos mais necessitados é coisa apenas para os governos ?
    Você realmente acha que alguém já está salvo de véspera ? Ou será que haverá um julgamento onde nossas obras serão levadas em conta ?
    O que você entende no texto bíblico: “perseverai até o fim” ?
    Com quem você fica ? Jesus ? Lutero ? Pregadores protestantes ? Com você mesmo ?
    Autor: A.Silva com a colaboração de V.De Carvalho
    Livre divulgação mencionando-se o autor

    Curtir

  22. V.De Carvalho disse:

    PERGUNTAS QUE OS PROTESTANTES NÃO RESPONDEM E NEM FAZEM A SI MESMO

    Para sermos totalmente justos com os protestantes, iremos utilizar os critérios que são habitualmente e insistentemente defendidos por eles.

    Aliás, trata-se de apenas um único critério.

    E qual seria este critério ?

    O critério “Sola Scriptura” de Lutero que em outras palavras significa “Só a Bíblia”.

    Como se sabe, os protestantes rejeitam a tradição apostólica e o magistério da Igreja.

    Pois bem, vamos ver se algum protestante pode responder as questões abaixo a partir da “Sola Scriptura”:

    1)Onde está na Bíblia a permissão para Lutero promover uma reforma na Igreja Católica ?

    2)Onde está na Bíblia a permissão para que qualquer um promova reformas na Igreja Católica ?

    3)Onde está na Bíblia a permissão para que alguém promova reformas em qualquer igreja, seja católica ou não ?

    Considerando que nós católicos “não” lemos a Bíblia, mas apenas os protestantes, iremos considerar que algum protestante não só encontrou permissão bíblica para que alguém promova reformas na Igreja Católica, mas também encontrou referências a Lutero como o escolhido e enviado por DEUS.

    Então perguntamos:

    4)Considerando que DEUS teria levantado Lutero para rever os “erros” do catolicismo, onde está na Bíblia a permissão para alguém separar-se de Lutero e do Luteranismo e fundar uma nova denominação protestante ?

    Vamos considerar agora que o protestante, assídulo leitor da Bíblia e ao mesmo tempo mestre e teólogo de si mesmo, também encontrou um texto bíblico que lhe permita fundar uma nova denominação protestante se constatar que Lutero cometeu também equívocos com sua pretensa reforma.

    Assim perguntamos:

    5)Onde está na Bíblia os critérios para que se conclua com total êxito as situações em que Lutero errou ou acertou ?

    6)Qual o texto bíblico que ensina ao protestante quando ele tem o direito ou não de consertar o Luteranismo ?

    7)Onde está na Bíblia as situações que permitem a qualquer protestante fundar novas denominações ?

    8)Onde está na Bíblia as situações que permitem a qualquer protestante mudar de denominação ?

    Se fosse possível aos protestantes responderam as questões acima pela Bíblia, ainda assim perguntaríamos:

    9)Onde está na Bíblia as explicações necessárias ao protestante para que ele saiba quando e quem deve fundar denominações e quando e quem deve apenas trocar de denominações ?

    E dentro desta pergunta, como se sabe que um crente deve mudar de igreja duas, três ou dez vezes ?

    Qual o protestante pode mudar mais, qual protestante pode mudar menos, qual deles não pode mudar e qual deles deve fundar uma nova denominação ?

    Quero texto bíblico para tudo isto.

    Mas então vem o protestante e diz em alto e bom som: “Foi Constantino que fundou a Igreja Católica. Temos o direito de fundar denominações também.”

    Então vamos lá.

    Lembrem-se protestantes: “Só a Bíblia”.

    10)Onde está na Bíblia que foi Constantino que fundou a Igreja Católica ?

    11)Onde está na Bíblia que Lutero deveria consertar os erros da Igreja de Constantino ?

    12)Onde está na Bíblia que após os consertos de Lutero, alguns protestantes deveriam permanecer com ele e outros deveriam fundar novas denominações para consertar também os erros de Constantino e do próprio Lutero ?

    Aliás, Sr.Protestante, como é possível seguir um reformador de uma Igreja de Constantino ?

    Sr.Protestante, o senhor rejeita a Igreja Católica, descartando que a mesma tenha sido fundada sobre Pedro por Jesus Cristo, mas tão e somente por Constantino e acaba por abraçar o seu pretenso reformador e sua pretensa reforma ?

    Me dê o texto bíblico para esta aberração por favor.

    Para tentar responder a qualquer destas perguntas acima o protestante terá que sair da Bíblia necessariamente.

    Terá que dizer que leu, ouviu, pesquisou, etc…

    Mas o fato concreto é que terá que sair da Bíblia e inventar visões e revelações dos seus “ungidos”.

    Pela Bíblia o protestante não pode provar Lutero e nem o protestantismo.

    Pela Bíblia o protestante não pode provar a necessidade de qualquer da milhares de seitas que andam por aí.

    Na prática, o que estamos dizendo é que o protestantismo é contraditório em si mesmo.

    Meras doutrinas de homens. E nada além disto.

    O que impera no protestantismo ?

    Pode-se encontrar soberba ?

    Certamente.

    Pode-se encontrar orgulho ?

    Seguramente.

    Mas o que encontramos no protestantismo em 100% dos casos é o ACHISMO.

    “Eu acho que está certo.”

    “Eu acho que está errado.”

    Quem promoveu a reforma achou que a Igreja estava errada.

    Quem não ficou com Lutero achou que Lutero não estava completamente certo.

    Quem copiou de Lutero o Sola Scriptura achou que Lutero estava certo.

    Quem não ficou com Calvino achou que Calvino estava errado.

    Quem ficou com Wesley achou que ele melhor do que Lutero e Calvino.

    E também discordando da Bíblia, o protestante achou que Paulo estava errado e achou que deve desprezar as tradições.

    Achando ainda o protestante que Tiago estava errado também despreza as obras.

    Achando que Isabel estava errada, o protestante já não pode chamar Maria de mãe do meu senhor. Nessa situação o protestante não só discorda de Isabel como também de Lucas.

    Discordando ainda de João Batista que estremeceu no ventre de Isabel ao ouvir a vóz de Maria o protestante se enfurece ao ouvir o seu nome.

    Discordando ainda de Isabel que ficou cheia do Espírito Santo com a saudação de Maria o protestante fica cheio de raiva.

    E discordando do próprio anjo de DEUS que disse Ave Maria, o protestante diz que Maria é uma mulher como outra qualquer.

    Essa é boa.

    Quantos de nós recebemos a saudação de um anjo de DEUS ???

    Pois Maria foi saudada por um anjo de DEUS.

    Mas o crente também acha que Abraão é maior.

    Abraão que ao contrário de Maria ajoelhou-se diante de um anjo.

    Como sempre a teoria do “eu acho”.

    E discordando do próprio altíssimo que fez de Maria alguém plena, repleta e cheia de Graça, o protestante diz que Maria não serve para nada.

    E finalmente, quem funda uma nova denominação é porque achou que alguém ou alguns estão errados.

    E quem troca de denominação é porque não tem certeza de nada ou apenas tem certeza de que outros estão errados e ele talvez seja o único certo. Nem ele sabe de si próprio.

    Quais são as únicas certezas do protestantismo, além do relativismo presente em todas as seitas e em todos os crentes ?

    Todos são contra o catolicismo, o catolicismo está 100% errado e todos os protestantes estão certos, ainda que todos sejam divergentes entre si.

    Assim, curiosamente e na visão distorcida do protestante, estariam certos ao mesmo tempo o defensor do divórcio e quem lhe faz oposição.

    Estariam certos ao mesmo tempo quem batiza e quem não batiza.

    É como se DEUS tivesse vontades diversas.

    Ao invés de um DEUS sim ou não, o protestantismo criou um DEUS tanto faz.

    Tanto faz ?

    Tanto faz não.

    Serve qualquer doutrina de qualquer seita protestante, mas não serve Igreja Católica.

    E não é só isso.

    O protestante que grita “Só a Bíblia” também não consegue responder:

    13)Onde está na Bíblia que o protestante pode chamar Maria de mãe de aluguel ou de mulher como outra qualquer ? Com que autoridade o protestante o faz ?

    14)Onde está na Bíblia que ao contrário de Jesus Cristo o protestante não deve de chamar de pai o Altíssimo DEUS ?

    15)Onde está na Bíblia que o protestante só deve batizar quando a pessoa tiver “entendimento” ?

    16)Onde está na Bíblia que o protestante está desobrigado de recitar o PAI NOSSO ?

    17)Onde está na Bíblia que o protestante pode ignorar o texto de Tiago que diz que a Fé sem obras é morta e ao contrário do que diz a Bíblia todo e qualquer protestante pode sentir-se salvo assim mesmo e com antecedência e sem julgamento ?

    18)Onde está na Bíblia a autorização para que o protestante ignore a Bem Aventurança de Maria ?

    19)Onde está na Bíblia que os “irmãos” de Jesus eram filhos carnais de Maria e José ?

    O protestante tudo que menos faz é sustentar suas teses pela Bíblia.

    E não é só isso.

    20)Onde está na Bíblia que interpretação alguma é de caráter particular ? A Bíblia diz o contrário. Pedro afirma o contrário.

    21)Onde está na Bíblia que o protestante deve desprezar a tradição ? São Paulo nos orienta a guardarmos as tradições.

    Com que autoridade o protestante interpreta a Bíblia e ignora a tradição ?

    E antes que alguém nos faça perguntas semelhantes sobre este ou aquele tema e respectivos amparos bíblicos, é bom que se lembre que nós católicos não estamos obrigados a responder tudo pela Bíblia.

    Seguimos o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade.

    E seguimos a tradição apostólica e conseqüente transmissão oral.

    Quem se obrigou ao “Só a Bíblia” foi o protestante.

    Criou um critério para cobrar dos católicos que ele mesmo não tem pretensão de seguir.

    E amarrou assim um pedra ao seu pescoço lançando-se mar adentro.

    E por que ?

    Porque dois protestantes jamais concordam entre si em todos os temas.

    Assim, necessariamente um dos dois está errados sobre determinado tema, quando não em raras vezes ambos estão equivocados.

    E não para nisso.

    22)Onde está na Bíblia que o protestante pode dizer e considerar que Igreja não serve para nada ou não salva ninguém ?

    Como não ?

    A Bíblia diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade.

    O que significa tal expressão ?

    Significa que sem a Igreja a verdade não se sustenta.

    E se a verdade não se sustenta sem a Igreja, como é possível ao protestante conhecer a verdade se despreza sua coluna e sustentáculo ?

    E terminou ?

    Não.

    23)Onde está na Bíblia de forma clara os pecados contra o Espírito Santo ?

    A Bíblia só diz que os pecados que a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada.

    Mas o que seria a blasfêmia contra o Espírito Santo ?

    Algum protestante pode explicar pela Bíblia ?

    24)Onde está na Bíblia o motivo pelo qual as blasfêmias contra Jesus podem ser perdoadas e contra o Espírito Santo não são passíveis de perdão ?

    Por que tal distinção ?

    Acaso ambos não são pessoas do mesmo DEUS ?

    Sobretudo, o que o protestante não se pergunta é:

    24)Por que ele confia na Bíblia ?

    25)Por que ele confia em Lutero se já leu: “maldito o homem que confia em outro homem” ?

    26)Como o protestante pode saber pela Bíblia, portanto sem confiar no homem, se sua Bíblia tem todos os livros corretos e inspirados pelo Espírito Santo ?

    27)Como pode o protestante pela Bíblia saber se a própria Bíblia é a única fonte de revelação ?

    28)Onde está na Bíblia a doutrina da trindade ?

    Sr.Protestante, sabe por que a grande maioria dos protestantes confessa a trindade ?

    Não é porque a Bíblia diz.

    É porque Lutero, Calvino e outros acatavam os concílios católicos.

    29)Onde está escrito na Bíblia que alguém para ser salvo deve “aceitar” Jesus em uma seita protestante ?

    30)Onde está na Bíblia a tão falada Igreja invisível ? Quero capítulo e versículo Sr.Teólogo protestante.

    Nós até podemos falar em Igreja invisível.

    Recordo que seguimos o magistério infalível da Igreja e a tradição.

    A Igreja para nós é mais do que uma construção.

    Temos a Igreja triunfante que está no céu.

    A Igreja padecente do purgatório.

    Mas o protestante vive pela Bíblia.

    Se para o protestante purgatório não existe porque não está na Bíblia, também não deveria existir igreja invisível.

    E estranhamente esta igreja invisível da qual não fala a Bíblia é integrada apenas por protestantes e evangélicos, independentemente de doutrina e do cristianismo que se prega ou que se segue por cada crente e por cada denominação.

    Agora, sem embromação.

    Sem aquela “Tudo posso naquele que me fortalece” ou “Conhecereis a verdade e a verdade nos libertará.”

    Textos bíblicos.

    Sr.Protestante, viva pelo critério que deseja impor aos demais.

    Só a Bíblia e nada além dela.

    E não se esqueçam.

    Se os santos e Maria não podem interceder por nós, por que os protestantes oram uns pelos outros ?

    Não são vocês que dizem que só há um mediador ?

    Não utilizam tal passagem para caluniarem o catolicismo ?

    Leiam o texto até o final.

    A mediação ali descrita refere-se a redenção do gênero humano.

    Sem dúvida alguma apenas o sacrifício de Jesus Cristo é causa da nossa redenção.

    Não se ensina diferente no catolicismo.

    Mas se vocês que são dúbios e vacilantes podem interceder por que não os santos e Maria ?

    Acaso nunca leram que muito vale a oração de um justo ?

    De que justo a Bíblia está falando ?

    De vós ?

    Os santos e Maria estão mortos ?

    Não é o que diz a Bíblia.

    Moisés e Elias estavam bem vivos na transfiguração.

    E o mesmo se deu com o ladrão da cruz.

    Respondam usando apenas a Bíblia.

    Texto com capítulo e versículo completos.

    Fonte: A Silva c/colaboração de V.De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor

    Curtir

  23. Anderson disse:

    PROTESTANTISMO – QUESTÕES QUE OS PROTESTANTES NÃO PODEM RESPONDER
    1)Diz o protestante que religião não salva ninguém. Diz também o protestante que religião não serve para nada. Para justificar sua rebeldia contra a Igreja Católica diz ainda o protestante que Jesus não fundou a Igreja Católica.
    Pergunta-se: Jesus fundou o que ? Uma Igreja ? Uma religião ? Ou Jesus não inaugurou nada ?
    O que é o cristianismo para você ? Uma Igreja ou uma religião ?
    Se Jesus não fundou nada, como e por que você pretende segui-lo ?
    Se Jesus não fundou nada, o que significam as palavras: “Sobre ti edificarei a minha igreja” ?
    Se Jesus fundou a Igreja Católica, por que você protestante não adere a ela ?
    Se Jesus fundou uma religião por que você diz que religião não salva ou não serve para nada ?
    2)Uma denominação protestante tinha 500 membros.
    10 membros deixaram a denominação protestante porque o pastor começou a pregar a teologia da prosperidade e estes 10 discordaram.
    Dos 10 membros dissidentes, 5 fundaram novas igrejas e os outros 5 foram para outras denominações protestantes, conforme se vê abaixo:.
    Os 05 que fundaram novas denominações começaram a pregar pela ordem: a)Contra o divórcio e a favor de pregadoras mulheres, b)A favor do divórcio e contra pregadoras mulheres, c)A favor do aborto, d)A favor do evangelho judaizante, e)A favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Os 03 primeiros batizavam e os outros 02 não batizavam. Os 02 primeiros rejeitavam a trindade e os outros 03 a defendiam. 04 aceitavam sacramentos e 01 os rejeitava. 04 batiam palmas e 01 achava tal prática um desrespeito.
    Os outros 05 membros dissidentes que foram para as outras denominações dividiram-se da seguinte forma: a)Igreja Batista, b)Denominação pentecostal, c)Igreja Luterana, d)Igreja Adventista, e)Igreja Anglicana
    Quais são as nossas dúvidas ?
    Qual destes grupos reteve a sã doutrina ?
    Qual destes grupos pratica o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo ?
    Qual destes grupos pode ser chamado de sucessores dos verdadeiros apóstolos de Cristo ?
    Quais destes grupos devem ser considerados como hereges ?
    Todos estão salvos ?
    Uma vez que você protestante venha a considerar que todos estão salvos independentemente de denominação e do Cristo que cada grupo segue em cada igreja, poderíamos dizer que o importante para a salvação é tão e somente o rótulo protestante ?
    Então por que o protestante diz que placa de igreja não salva ninguém ? Claro que salva.
    Bastou levantar o dedo na denominação protestante que todos já são irmãos em cristo, ainda que sejam todos divergentes entre si.
    Se todos estão salvos, por que brigaram e se dividiram ?
    Por que ao invés de brigarem não louvaram a DEUS pela “salvação” de todos ?
    Qual destes grupos representa a igreja primitiva ?
    3)A salvação uma vez “obtida” pode ser perdida ?
    Se você acha que salvação não pode ser perdida, pergunta-se:
    Se todos estão salvos e salvação não pode ser perdida, e é fato que uns chamam aos outros de hereges, inclusive gerando inúmeras e contínuas divisões, podemos dizer que heresia não condena ninguém ao inferno ?
    Se heresia não leva ninguém ao inferno, podemos dizer que não faz diferença o Cristo que se prega ou o Cristo que se pretende seguir ?
    Se heresia não condena ninguém e a salvação está restrita aos grupos protestantes, ainda que escandalosamente divergentes entre si, podemos dizer que o importante para a salvação é tão e somente levantar o dedo em qualquer denominação protestante e “aceitar” Jesus ?
    Se todos estão salvos a partir do “aceitar” Jesus, por que precisam de pastores, templos, cultos, pregações, dvd’s, música Gospel e dízimos ? O que pode ser mais importante do que a salvação ?
    Se a salvação não pode ser perdida, estando todos os grupos protestantes salvos, independentemente do cristianismo que abraçaram, que diferença faz pagar ou não dízimos ? Escutar ou não música Gospel ?
    Alguém fica mais ou menos salvo se praticar ou não todas estas coisas ?
    4)O grupo que se auto denomina como os “Sem Igreja” se diz salvo também. E você o que acha ? Eles estão salvos ou condenados ?
    Se os “sem igreja” estão salvos, tal como aqueles que frequentam denominações, podemos dizer que igrejas protestantes não servem para nada já que não são essenciais para a salvação ?
    5)O mesmo grupo dos “Sem Igreja” justifica sua decisão em função de que constatou diversas heresias nas milhares de denominações protestantes.
    Pergunta-se: Os “Sem Igreja” tomaram a decisão correta em abandonar as igrejas por suas práticas heréticas ?
    Eles estão salvos ? Eles agradaram ou desagradaram a DEUS ?
    E os que permaneceram nas igrejas que praticam heresias ? Estão salvos ou condenados ?
    Qual dos grupos está salvo ? Os “Sem Igreja” ou os “Com milhares de Igrejas” ?
    Qual dos grupos está interpretando a Bíblia corretamente ?
    6)Se nem todos estão interpretando corretamente a Bíblia, seria correto para um protestante afirmar que nem todos são assistidos pelo Espírito Santo quando fazem a leitura da Bíblia ?
    Como o protestante distingue quem está ou não sendo assistido pelo Espírito Santo ? Qual é o critério bíblico para que se faça tal distinção ?
    Quantos Espíritos Santos existem ? Pode um mesmo Espírito Santo dar a cada denominação ou cada crente teologias e direções diferentes ?
    7)Retomando o exemplo da denominação que prega a teologia da prosperidade e seus dissidentes, pergunta-se:
    Se a maioria dos membros permaneceram com o pregador da teologia da prosperidade, alguns dele fugiram e, estes mesmos que se foram também não permaneceram unidos, pergunta-se onde está na Bíblia a permissão para cada grupo tomar a decisão que tomou ?
    Onde está na Bíblia a permissão para se trocar de denominação ?
    Onde está na Bíblia a ordem para permanecer na denominação ?
    Quem está certo ? O que saiu ou que ficou na denominação ?
    Onde está na Bíblia a quantidade de vezes que cada crente pode mudar de denominação ?
    Onde está na Bíblia que alguém insatisfeito pode fundar uma nova denominação ?
    8)Ainda sobre a denominação que pratica teologia da prosperidade e seus seguidores e dissidentes:
    Se todos os grupos citados em nosso exemplo estão corretos em suas interpretações bíblicas e doutrinas, e, considerando que “placa” de igreja não salva ninguém, assim dito pelos protestantes, pergunta-se por que brigam tanto e fundam tantas denominações ?
    Por que fundam tantas igrejas se eles mesmo dizem que igreja não salva ninguém ?
    Por que se dividem se todos concordam que igreja não serve para nada e se todos se chamam uns aos outros de irmãos em Cristo ?
    Afinal, são todos “irmãos” em Cristo ? E por que uns chamam os outros de hereges ?
    9)Se todos dizem que Lutero foi necessário para consertar os “erros” do catolicismo, por que todos estes grupos não permaneceram com Lutero ?
    Onde está na Bíblia que alguém pode se rebelar contra o “ungido” do Senhor, “escolhido” para consertar a “Babilônia” que seria a Igreja Católica ?
    Lutero foi levantado por DEUS ou pelo Diabo ?
    Se foi por DEUS, por que não permaneceram com Lutero ?
    Se foi pelo Diabo, por que lhe dão ouvidos e o tem por mestre e ídolo ?
    10)Se alguns dizem que mesmo antes de Lutero já existiam grupos que se opunham a “opressão” da Igreja Católica e segundo a tese protestante tais grupos representam a Igreja primitiva, pergunta-se:
    Como é possível a Igreja primitiva que não tinha Bíblia, gritar em alto e bom som o dogma de Lutero “Só a Bíblia” ?
    Como é possível aos que se dizem representantes atuais da igreja primitiva utilizarem a Bíblia como única fonte de revelação se a Bíblia não existia no tempo da Igreja primitiva ?
    Como é possível aos que se dizem representantes da igreja primitiva aceitarem a Bíblia produzida por um ex monge da grande “Babilônia” que seria a Igreja Católica ?
    Como é possível aos que se dizem representantes da igreja primitiva aceitarem a Bíblia de Lutero que foi produzida a partir da Bíblia produzida pela Igreja Católica que seria a Grande Babilônia ?
    E é sabido que Lutero também condenou tais grupos. E até os perseguiu.
    Pergunta-se: Lutero estava certo ou errado em condenar tais grupos que, entre outras coisas, se opunham a doutrina católica ?
    Quem estava certo ? Lutero ou os grupos que se opunham a Igreja Católica ?
    Se Lutero e tais grupos eram antagonistas, como você protestante consegue ao mesmo tempo se dizer primitivo e adotar teorias de Lutero que condenava os tais grupos “primitivos” ?
    11)Se todos os grupos, crentes e denominações são inspiradas pelo Espírito Santo na leitura da Bíblia, pergunta-se:
    Por que tantas divisões e doutrinas diferentes ?
    Por que precisam de pastores se cada um pode interpretar a Bíblia pessoalmente com a “assistência” do Espírito Santo ?
    12)Se todos já estão salvos, por que há necessidade de cultos ?
    Por que pregar para quem já está salvo ?
    Por que ao invés de cultos para os “sadios”, não se fazem missões para levar o evangelho aos doentes ?
    E se todos são inspirados pelo Espírito Santo a partir da sua própria leitura bíblia, por que não entregar Bíblias a cada ser humano para que ele mesmo interprete ?
    Afinal não é o protestante que diz que não há ninguém infalível em matéria de fé e doutrina ?
    Portanto, pela tese protestante, é prudente que não se dê ouvidos ao pregador ou palestrante, mas que cada qual faça a sua leitura particular da bíblia.
    13)Pergunta-se ainda:
    Como o protestante sabe que a Bíblia é a única fonte de revelação se a própria Bíblia nada fala a respeito ?
    Onde está na Bíblia a definição dos livros inspirados ?
    Onde está na Bíblia a definição de que a Bíblia protestante é a Bíblia que se deve seguir ?
    Onde está na Bíblia a definição de João Ferreira de Almeida como tradutor insuspeito ?
    E se a Bíblia não define o canon, os livros inspirados e mesmo a Bíblia que se deve seguir e a tradução adequada, como o protestante pode confiar em tudo que lê ?
    De onde o protestante parte para ter certeza de que sua Bíblia está correta em número de livros, aqueles que são inspirados, traduções, etc.. ?
    Considerando que é o protestante quem diz: “Só a Bíblia”, pergunta-se onde está na Bíblia, e, somente nela, a definição da Bíblia que se deve seguir ?
    Nós católicos cremos na Bíblia porque cremos na Fonte que nos diz e que é a Igreja Católica.
    E o protestante que não crê na Igreja ? Quem é o seu porto seguro sabendo-se que a Bíblia nada fala a respeito de si própria e sabendo-se que dela o protestante algum pode sair ?
    14)Considerando que todo protestante, independentemente de denominação, diz que não há homens infalíveis em matéria de fé e doutrina, pergunta-se:
    Como pretende o protestante convencer outro protestante, se antes de qualquer coisa o protestante que lhe ouve deve acreditar que ninguém é confiável ?
    Como pretende o protestante convencer a um católico de sua doutrina, se ele mesmo começa sua pregação dizendo que não há um homem infalível em matéria de fé e doutrina, e, portanto, ele acaba negando a si próprio ?
    E se não há homens infalíveis em matéria de fé e doutrina, por que os protestantes confiam nos conceitos de Lutero que era homem e pecador ?
    E por que confiam nos conceitos de Lutero que ainda por cima era católico ?
    E por que confiam nos conceitos de Lutero sabendo que sua atuação e “missão” nem mesmo são previstas pela Bíblia que o protestante jura defender !
    15)Considerando que a Bíblia diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade, portanto, sem a coluna e sustentáculo a verdade não se firma, pergunta-se:
    De que Igreja a Bíblia está falando ?
    Por que ao mesmo tempo que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade o protestante a considera como desnecessária para a salvação ?
    Se a igreja em questão é a tal da igreja “invisível” criada pelos protestantes, pergunta-se onde está o texto bíblico que define a Igreja invisível ?
    Se a igreja invisível é a reunião de todos aqueles que crêem em Jesus Cristo, pergunta-se por que apenas os católicos estão fora desta igreja invisível se a Bíblia nem mesmo define aqueles que dela fazem parte ?
    16)A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter privado. Pergunta-se:
    De acordo com a determinação bíblica é lícito a qualquer um interpretar a Bíblia ?
    Pergunta-se ainda: Se a Bíblia proíbe a interpretação privada, a quem cabe tal interpretação ?
    Por que você interpreta a Bíblia se a própria Bíblia te proíbe de faze-lo ?
    17)Marque com um (x) aquele que prega o Cristo verdadeiro:
    ( )O pregador do aborto
    ( )O pregador que vende Bíblia da prosperidade
    ( )O pregador que prega o “ministério” do patrocínio, a determinação bíblica e o débito automático
    ( )O pregador do trízimo, ofertas, carnês e campanhas
    ( )O pregador do evangelho Judaizante
    ( )O pregador da unção do Zoológico
    ( )O pregador da unção do Leão
    ( )O pregador do divórcio
    ( )O pregador do casamento entre pessoas do mesmo sexo
    Qual deles é seu “irmão” em Cristo ?
    Se você fosse obrigado a escolher, você ficaria com alguma destas igrejas ou com a Igreja Católica de Santo Agostinho e São Tomás Aquino com seus 2.000 anos, concílios e mais de duzentos e tantos papas ?
    Se você fosse alguém que procurasse viver retamente a Palavra de DEUS e freqüentasse uma denominação séria protestante e tivesse que chamar alguém de irmão em Cristo, qual dos candidatos abaixo mereceria este título ?
    Um católico praticante que leva uma vida santa
    Um membro de uma igreja do evangelho judaizante
    Um membro de uma igreja que pratica a teologia da prosperidade
    Um membro de uma igreja que casa pessoas do mesmo sexo
    18) Sobre Lutero, veja o que ele disse e responda ao final:
    “Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar”. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso.” (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).”
    “Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?”, depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer.” (Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)”.
    “Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma. Meu juízo é o juízo de Deus” (Weimar, X, 2 Abt, 107)
    Conhecendo agora alguns dos mais famosos apontamentos de Lutero, seria possível afirmar que Lutero era um homem comum sujeito a erros e pecados ?
    Se possível a Lutero cometer erros e, alguns bem graves, seria lícito supor que ele também pudesse cometer equívocos em sua avaliação sobre a Igreja Católica e seus dogmas ?
    Isto seria tecnicamente possível ?
    Não seria mais prudente a qualquer protestante antes de criticar e caluniar a Igreja Católica conhecer não só as obras de Lutero, fundador do protestantismo, mas também procurar conhecer um pouco mais de catolicismo ?
    Tal prudência não seria uma forma de sabedoria ?
    19)Sobre a leitura da Bíblia, pergunta-se:
    Se todos os crentes estão salvos e salvação não pode ser perdida, independentemente do Cristo que se segue e da interpretação bíblica que cada um faz, perguntamos que diferença faz ou não ler a Biblia ?
    Se tanto faz ser ou não herege, bastando ter aceitado a Jesus em tempo protestante para alcançar salvação, que diferença faz conhecer ou não a Bíblia ? Que diferença faz segui-la ou não ?
    20)Sobre a Eucaristia que somente os católicos praticam, o que significam as palavras de Jesus: “…minha carne é verdadeiramente comida. Meu sangue é verdadeiramente bebida”?
    Você ficaria com o ‘verdadeiramente’ de Jesus Cristo ou com o ‘relativamente’ dos pastores protestantes ?
    Onde está na Bíblia que o verdadeiramente de Jesus Cristo significa que verdadeiramente não é verdadeiro ?
    De onde você protestante tirou que o verdadeiramente é relativo?
    Quem te disse? Lutero ? Macedo ? Foi algum outro homem ? Com quem você ficaria ? Com a Bíblia ou com o homem ? Você ficaria com Jesus Cristo ou com pregador protestante ?
    21)Você crê que Jesus Cristo é filho de DEUS ?
    Você aceita que sendo Jesus Cristo filho de DEUS ele cumpre os mandamentos de seu pai ?
    Se Jesus honra os mandamentos de seu pai, você aceitaria que eu dissesse que Jesus entre outras coisas honra pai e mãe ?
    Seria aceitável dizer que Jesus Cristo honrava sua mãe Maria ?
    Então por que você a despreza ?
    Você acha realmente que Jesus Cristo fica feliz quando alguém chama sua mãe de mulher pecadora como outra qualquer ou como barriga de aluguel ? Você acredita realmente nisto ?
    22)Você lê a Bíblia? Você já leu a profecia que diz que Maria seria proclamada Bem Aventurada por todas as gerações ?
    O que isto quer dizer para você?
    Você acha que Bem Aventurada significa que ela pode ser desprezada e taxada de impura, entre outros apelidos ? É nisto que você acredita ?
    Você crê na Bíblia ou nos pregadores protestantes ?
    23)Em Genesis a Bíblia diz que DEUS poria inimizade entre os descentes da mulher e os descendentes da serpente. Pergunta-se que mulher é esta que foi descrita em Genesis ?
    Você acha mais provável que seja Maria mãe do salvador, Ana Paula Valadão ou Sonia Hernandez ?
    Você protestante é descendente de Mulher ou não ?
    Se você não é descendente de Mulher e não aceita Maria, você é descendente de quem ?
    A Bíblia é clara. Todos nós somos descendentes de alguém. E a Bíblia só nos trás duas opções. Ou somos descendentes da mulher ou somos descendentes da serpente.
    Se a mulher não é Maria, quem seria ela?
    A Bíblia diz ainda que a mulher esmagará a cabeça da serpente. Quem você acha que irá fazê-lo ?
    Você acha mais provável que seja Maria mãe de Jesus ou a pastora Ludmila ou Valnice ?
    24)A Bíblia diz que não haverá perdão para o pecado contra o Espírito Santo. A Bíblia fala precisamente em blasfêmia. Pergunta-se o que é a blasfêmia contra o Espírito Santo ?
    Em que situações seria possível blasfemar contra o Espírito Santo ? Você pode explicar isso pela Bíblia ?
    Nós temos o magistério da Igreja que nos ensina sobre as blasfêmias contra o Espírito Santo.
    E você que não crê no magistério da Igreja, como pode evitar os pecados contra o Espírito Santo se não pode conhecê-los pela Bíblia ?
    Você sabe quais são os pecados contra o Espírito Santo ? Você leu em algum livro ? Foi algum pastor que te disse?
    Então você está me dizendo que para conhecer os pecados contra o Espírito Santo você teve que sair da Bíblia ?
    Me explica ainda pela Bíblia, por que a distinção entre as blasfêmias contra Jesus e contra o Espírito Santo ? Não são ambos pessoas do mesmo DEUS uno e trino ? Por que tal distinção ?
    Nós católicos podemos entender a partir da explicação da Santa Igreja. E você pode compreender e explicar pela Bíblia?
    25)Jesus deu poder aos apóstolos para perdoar e reter pecados de outros. O texto é claro.
    O que significa para você reter pecados ?
    Você aceitaria que um apóstolo só pode reter pecado de alguém se este vier a lhe confessar ?
    É possível algum apóstolo perdoar ou reter pecado de outro sem conhecê-lo ? E por que você não se confessa ?
    Você fica com a Bíblia e com Jesus que é claro a este respeito ou com o com a rebeldia dos pregadores protestantes ?
    26)O protestante diz que todo e qualquer homem pode interpretar a Bíblia. Diz até mesmo que a Igreja Católica proibiu a leitura da Bíblia.
    O protestante afirma ainda que o Espírito Santo assiste ao crente em sua leitura privada.
    Quando perguntado sobre as heresias vistas em larga escala nas denominações protestantes, o protestante não sabe reconhecer os motivos de tantas divisões e aberrações.
    Por um lado o protestante não pode dizer que existem vários Espíritos Santos com diferentes direções e doutrinas.
    Do mesmo modo, o protestante não pode admitir que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade, pois tal assertiva bíblica eliminaria qualquer possibilidade de magistério confiável entre denominações protestantes que começaram a existir 500 anos atrás, portanto, 1.500 anos depois da Igreja Católica.
    Combater o livre exame que desencadeia o processo de múltiplas interpretações seria reconhecer a necessidade de uma autoridade infalível. Ora, entre tantas contestações promovidas pelo protestantismo, encontra-se justamente a infalibilidade da Igreja Católica e de seus papas.
    O que fazer se ao mesmo tempo o protestante diz que todo e qualquer membro que fez o favor de aceitar a Jesus já está salvo ? E acrescenta que salvação não pode ser perdida ?
    Como explicar tudo isto ?
    Não tem explicação. Mas alguns contradizendo-se e descredenciando tudo aquilo que eles próprios defendiam, chegam ao extremo absurdo quando afirmam que será salvo quem melhor interpretar a Bíblia. Pasmem. Isto mesmo. Depois de tão eloqüente sacrifício na cruz é como se Jesus viesse a nos dizer:
    “Vire-se”. “Trate de ler a Bíblia que será produzida algum dia por Lutero. Leia, interprete e faça suas escolhas. Escolha denominações, doutrinas e pastores. E quem não puder ler ou entender que se dane.”
    Sinceramente eu não acredito nisto. Para mim a criação e sobrevivência da Igreja Católica é mais uma prova do amor de Jesus que conhecendo o coração humano que é dúbio, fraco e duvidoso, não desejou que nos perdêssemos. Ora, a vontade dele é que nenhum de nós se perca. Ele nos deu a Igreja para fossemos guiados. Não nos deixou por conta própria tão grande é o seu amor.
    Mas vamos lá:
    Se cada qual deve ler, interpretar e escolher por conta própria, ou seja, salvar-se-á aquele que melhor interpretar, conforme tese protestante, então perguntamos:
    Quem salva afinal ? É Jesus ou a nossa Inteligência ?
    Somos salvos por méritos próprios a partir da nossa “melhor” interpretação ?
    Para que serviu o sacrifício de Jesus na Cruz se no final cada qual deve interpretar e julgar todas as coisas por si só ?
    27)Dizem os protestantes que foi Constantino que fundou a Igreja Católica. Negam que a Igreja Católica tenha sido fundada pelo Senhor Jesus Cristo.
    Dizem ainda os protestantes que Lutero foi um homem levantado por DEUS para corrigir os erros do catolicismo. Alguns o chamam de “anjo”.
    Pergunta-se:
    Se a Igreja Católica é obra de homens, como é possível ao protestante abraçar a sua pretensa reforma ?
    Quer dizer que a igreja é obra do homem e sua reforma obra divina ?
    É nisto que você acredita Senhor Protestante ?
    Já pensou um católico abraçar a reforma de uma denominação protestante ? Faz algum sentido que ele acate a reforma de uma denominação protestante se negou a igreja protestante original ?
    Por que você abraça as teorias de um reformador da Igreja de Constantino que você nega como sendo a Igreja do Senhor Jesus ?
    Se você ignora a Igreja não deveria também ignorar tudo que lá acontece, incluindo sua pretensa reforma e ao próprio Lutero ?
    E se Lutero surgiu no mundo 1.500 anos após o início da era cristã, você realmente acredita que Jesus Cristo esperou tanto tempo para instituir sua igreja na terra ? É nisto que você acredita ?
    Você acredita que o mundo ficou sem cristianismo e sem igreja por 1.500 anos ? E de onde partiu a Bíblia de Lutero se não havia cristianismo por 1.500 anos ?
    E por que Lutero não iniciou logo a “era” cristã ao invés de tentar “consertar” a grande Babilônia que para vocês é a Igreja Católica ?
    É neste Lutero que você acredita ?
    Você acredita no Lutero que recebeu “ordens” de DEUS para iniciar a era cristã e ao invés disto resolveu consertar a Igreja de Constantino ?
    E se a Igreja Católica tivesse aderido as teses de Lutero e portanto tornado desnecessário o protestantismo ? O que você faria se não existisse protestantismo ao mesmo tempo que você considera que o mundo ficou sem cristianismo por 1.500 anos ?
    E se não houvesse protestantismo por certo não haveria bíblia protestante. E então ? Você acreditaria na Bíblia ? Como seria possível a você ter em mãos uma bíblia que não fosse católica ?
    28)Imagine senhor protestante que não tivesse ocorrido reforma alguma.
    Pergunta-se de que igreja você faria parte hoje em dia ?
    Imagine agora que a Igreja Católica acatou todas as teses de Lutero e portanto nunca houve protestantismo. Pergunta-se de que igreja você faria parte ?
    Você vai me dizer que pertence a uma igreja anterior a Lutero ?
    Então o que você tem a ver com a reforma da Igreja Católica ou com o seu reformador a ponto de abraçar o “Só a Bíblia” e o “Só a fé” que o herege criou ?
    30)De onde vem a tua Bíblia senhor protestante ?
    Vem de Lutero ?
    E onde teve origem a Bíblia de Lutero que você hoje em dia manuseia e interpreta do seu próprio modo ?
    Você acha que a Bíblia caiu no colo de Lutero ?
    A Bíblia de Lutero teve origem na Bíblia compilada e traduzida pela Igreja Católica ? Sim ou não ?
    Sim ? Então você reconhece que ninguém pode falar em Bíblia sem reconhecer a autoridade da Igreja Católica ?
    Não ? Então você confia plenamente em Lutero a ponto de acreditar em uma Bíblia produzida por homens ? E se você confia tanto assim em Lutero por que continua mudando de denominação ou frequentando outras que não são Luteranas, ou ainda fundando novas seitas protestantes ?
    Você tem certeza que a Bíblia te autoriza a desafiar Lutero ? Será que Lutero teria produzido uma Bíblia que faria com que seus filhos se voltassem contra ele ?
    31)Embora a Bíblia proíba divisão, o protestante acredita que Lutero tinha o direito de fazer o que fez. Lutero contestou o catolicismo. Calvino contestou Lutero. Outros contestaram Calvino. Outros contestam Macedo, outros contestam Soares e outros contestam Batistas, Adventistas, Anglicanos, pentecostais ou néo pentecostais.
    Pergunta-se: Considerando que uns podem contestar os outros, nós católicos estamos autorizados a não aderir as teses protestantes ?
    É lícito a nós, ou, apenas os protestantes podem se auto contestarem e chamarem uns aos outros de hereges ?
    E dentro desta pergunta, se por algum absurdo algum protestantes vier a dizer que devemos aderir ao protestantismo, perguntamos a qual das 50.000 denominações deveremos abraçar ?
    As que batizam ou as que não batizam ?
    As que acatam o divórcio ou àquelas que o repudiam ?
    As denominações do evangelho judaizante ?
    Da prosperidade ?
    Do aborto ?
    Que bate palmas ou a que ouve música Gospel ?
    Que casa pessoas do mesmo sexo ?
    Que adora a arca da aliança ?
    Que tem unção de bichos ?
    A qual delas devemos aderir de maneira que não sejamos chamados de hereges pelas outras denominações ?
    32)Para finalizar, vamos falar das boas obras.
    O protestante diz praticamente que as obras não servem para nada. Lutero disse que o texto de Tiago é palha morta.
    Pergunta-se:
    Protestante, você concorda com Lutero quando ele diz que é “palha morta” o texto de Tiago que ensina que a Fé sem obras é morta ?
    O que Jesus quis dizer quando afirma: “A verdadeira religião é visitar órfãos e viúvas” ?
    O que significa o que Jesus disse: “Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber…” ?
    Você realmente acredita que as obras não servem para nada ?
    Você realmente acredita que a assistência aos mais necessitados é coisa apenas para os governos ?
    Você realmente acha que alguém já está salvo de véspera ? Ou será que haverá um julgamento onde nossas obras serão levadas em conta ?
    O que você entende no texto bíblico: “perseverai até o fim” ?
    Com quem você fica ? Jesus ? Lutero ? Pregadores protestantes ? Com você mesmo ?
    Autor: A.Silva com a colaboração de V.De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se os autores.

    Curtir

  24. Alencar disse:

    Helen:
    Quando você ataca Lutero, não atinge os protestantes, pois Lutero não é o nosso ponto de referência, nem temos nenhum compromisso ou fidelidade com ele. A nossa Pedra-Angular é Jesus, a mesma Pedra-Angular que os profetas, e o próprio Jesus, disseram que sobre Ela (Pedra-Angular) edificaria a sua igreja.

    Quando você diz: “Quando um protestante diz “Só a Bíblia”, deveria usar para si o critério que pretende estabelecer para os demais”.
    Eu como protestante te digo: Se você ou qualquer outro quiser um Espelho perfeito, olhe pra Jesus, e não para os religiosos.

    Quando você diz: “Confiamos na transmissão oral e, portanto, para nós nem todas as coisas precisam estar na Bíblia e por via de conseqüência nos acusam em alto e bom som: “Católicos leiam a Bíblia”!”.
    Eu te pergunto: Pode um juiz, arbitrariamente, imputar uma pena, cuja transgressão não está prevista na lei?
    Ora, se não está na lei, não houve transgressão, e a defesa irá recorrer da sentença, e ganhar a causa.

    A Bíblia diz que no dia do grande juízo, todos nós seremos julgados, todos, pois não ha um sequer que não tenha pecado. Diz também que tudo será levado a julgamento, até as pequeninas coisas.
    Ora, nosso acusador (satanás) não deixa escapar nada (veja um exemplo em Jó 1:10-11) e, se for para nos condenar, cobrará de Deus, até mesmo o cumprimento da lei.

    A Bíblia nos diz que não estamos autorizados a retirar nem acrescentar nada, e que se isso for feito, será anátema (maldito). Se os católicos querem divulgar o evangelho oralmente, amem, mas façam isso sem se desviar para a direita ou esquerda. Só há um caminho, uma verdade, uma vida: Jesus.
    Vocês, católicos, não precisam se tornar evangélicos, mas precisam retornar ao Primeiro-Amor.
    Veja o que diz em Apocalipse 2:4-5 referindo-se a uma das igrejas:
    4 Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.
    5 Lembra-te de onde caíste! Arrepende-te e pratique as primeiras obras…

    Resposta do Blog:

    Alencar, sua afirmacao: ‘Quando você ataca Lutero, não atinge os protestantes, pois Lutero não é o nosso ponto de referência, nem temos nenhum compromisso ou fidelidade com ele.’ , é mentira! Trata-se de uma mentira, pois todo protestante saiu do ramo arrancado da arvore por Martinho Lutero! A Sola Fide e Sola Scriptura, que vc ate hoje demonstrou ser adepto em suas participacoes aqui no Blog nao saiu da sua cabeca, ou da cabeca do seu pastor, mas foi ensinada e introduzida ao mundo por Lutero. Entretanto, vale salientar que o objetivo deste blog não atacar aos Protestantes ou quem quer que seja, mas sim instruir aos católicos na defesa de sua fé.

    Pelo visto o sr tem a crença que tem, mas nao sabe como ela surgiu! Todo cristão ate 1542/3 era Católico, seja católico Romano – fiel ao papa – ou Ortodoxo – em comunhão com o Papa ou não, todos têm as mesmas crencas mas estão fora da comunhão com a Santa Sé. O denominador comum entre esses cristãos acima citados eh que TODOS compartilham das MESMAS doutrinas. Nenhum deles ensina ou pratica Sola Fide ou Sola Scriptura! SOmente os seguidores diretos e indiretos de Lutero o fazem!
    Por favor, nao negue isso, pois esse argumento atestara para sua ignorancia sobre o assunto!

    Curtir

    • Alencar disse:

      Quando Jesus pregava ou respondia aos escribas e fariseus, apresentava as escrituras. O mesmo faziam os apóstolos ao pregar a Palavra de Deus.

      Mateus 21:42
      Jesus lhes disse: Vocês nunca leram isto nas escrituras? “A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós”

      Mateus 22:29
      Jesus respondeu: Vocês estão enganados porque não conhecem as escrituras nem o poder de Deus!

      Mateus 26:54 e 26:56
      54 Como então se cumpririam as escrituras que dizem que as coisas deveriam acontecer desta forma?
      56 Mas tudo isso aconteceu para que se cumprissem as escrituras dos profetas. Então todos os discípulos o abandonaram e fugiram.

      Marcos 12:10 e 12:24
      10 Vocês nunca leram esta passagem das escrituras? “A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular;
      24 Jesus respondeu: Vocês estão enganados! , pois não conhecem as escrituras nem o poder de Deus!

      Marcos 14:49
      Todos os dias eu estive com vocês, ensinando no templo, e vocês não me prenderam. Mas as escrituras precisam ser cumpridas.

      Lucas 24:27 e 24:32 e 24:45
      24 E começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as escrituras.
      32 Perguntaram-se um ao outro: “Não estava queimando o nosso coração, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as escrituras?”
      45 Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as escrituras.

      João 5:39
      Vocês estudam cuidadosamente as escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito;

      Atos 17:2 e 17:11
      2 Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga e por três sábados discutiu com eles com base nas escrituras,
      11 Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as escrituras, para ver se tudo era assim mesmo.

      Atos 18:28
      pois refutava vigorosamente os judeus em debate público, provando pelas escrituras que Jesus é o Cristo.

      Romanos 1:1-2
      1 Paulo, servo de Cristo Jesus, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,
      2 o qual foi prometido por ele de antemão por meio dos seus profetas nas escrituras Sagradas,

      Romanos 15:4
      Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das escrituras, mantenhamos a nossa esperança.

      Romanos 16:26
      mas agora revelado e dado a conhecer pelas escrituras proféticas por ordem do Deus eterno, para que todas as nações venham a crer nele e a obedecer-lhe;

      1 Coríntios 15:3-4
      3 Pois o que primeiramente lhes transmiti foi o que recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as escrituras,
      4 foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, segundo as escrituras,

      2 Pedro 3:16
      Ele escreve da mesma forma em todas as suas cartas, falando nelas destes assuntos. Suas cartas contêm algumas coisas difíceis de entender, as quais os ignorantes e instáveis torcem, como também o fazem com as demais escrituras, para a própria destruição deles.

      Só está faltando vocês dizerem que Jesus e os apóstolos também foram arrancados de Lutero.

      Curtir

    • Rafael disse:

      eu sou evangélico e não tenho nenhum compromisso com a doutrina de Lutero!!!
      Os seguidores de João Batista, lembra? é muito anterior a Lutero e a Igreja que teria sido fundada por ele existe até hoje… Ele pregou que haveria alguem que viria após ele e que seria muito mais poderoso do que ele, que não era digno de destar as sandálias e que batizaria com fogo e com Espírito Santo… eles até hoje ensinam que só a Bíblia é digna de confiança. Antes de pedir que alguém estude sobre o assunto, vai estudar primeiro.

      Protestante é um rótulo que o Catolicismo colocou em quem tem a capacidade de não seguir qualquer um que simplesmente se diz embaixador de Cristo na terra… e este rótulo surgiu com Lutero. Durante todos os séculos houveram pessoas que não aceitaram o papado, mas como eram poucas e temiam pelas suas vidas e talvez de pouca expressão em termos de popularidade, era fácil calar-lhes a boca. Sempres houveram “protestantes”, mas talvez porque a Igreja católica proibia a leitura da Bíblia, e punia quem tivesse uma em casa, era mais difícil alguém seguir algo que não tivesse acesso, dai também o motivo porque a Igreja católica gosta tanto dda tradição oral, pois esta pode ser manipulada ao bel prazer e interesses excusos do clero.
      A Igreja Católica teve seu merito dentro do cristianismo, no inicio quando ainda não era corrompida, foi ela que preservou a história biblica. Hoje temos a Vulgata, fruto do trabalho de Jerônimo, que são textos de bastante confiabilidade quanto a tradução.
      Mas em contrapartida, não adiantava nada ter a Biblia e esta estar em poder de quem não tinha interesse em sua divulgação. Como condenar alguém se esta não tinha acesso à lei? Dai o papel importante de Lutero que começou a onda de traduções em línguas vulgares, primeiramente o alemão. Outros seguiram o seu exemplo e fizeram traduções em outras línguas. Com as traduções e o advento da imprensa de Guttemberg, a palavra se espalhou e se tornou acessível ao povo, para gloria de Deus, sendo todos os esforços da Igreja católica em destruir as cópias, inútil, pois as prensas eram mais rápidas em fabricar do que o clero em destruir. Houveram repressões sim, mas já haviam bastantes cópias espalhadas pelo mundo. Lutero, não foi o pai do protestantismo, acreditem, mas talvez o mais ilustre de seus representantes, e talvez por conhecer muito bem os bastidores do clero, tenha sido e ainda seja o “mais apedrejado”, ou o filho do demo, ou o herege mor, ou o apóstata do século, ou qualquer outro qualificativo que queiram dar a ele. Eu o chamaria de “traidor do clero”, pois trouxe a luz muitas das barbaridades e tiranias do clero da época. O fato de ele ter feito um bem, não quer dizer que devo reverência a ele ou algum tipo de respeito especial. Fazer o bem é uma obrigação do cristão. Talvez por isso eu não acredito em Santos, porque eles por mais corretos e mais exemplares que fossem, fizeram apenas sua obrigação.
      Mas voltando ao assunto, por favor, afirmem para vocês, o que diz o seu catecismo ou o magistério de vocês e o que diz seu santo padre. Não queira extrapolar suas “verdades” para a vida dos outros. Somente é extrapolável aquilo que foi revelado na Bíblia, o resto é conversa de padre. OK!

      Curtir

      • Helen disse:

        Caro Rafael,

        TODO evangélico, sabendo ou não, segue as doutrina-mães estabelecidas por Lutero:

        1- Sola Scriptura: O Cristão não precisa da Igreja. Ele tem a Bíblia. Basta lê-la para aprender tudo sozinho, sem ajuda de ninguém, a não ser do Espírito Santo.

        2- Sola Fide: Estou salvo, pois creio em Cristo. A minha fé é minha Salvação.

        O sr parece estar equivocado sobre a origem das coisas que acredita.

        Curtir

        • Rafael disse:

          Desculpe Helen, mais é muita prepotência tua querer saber mais do que eu, aquilo que eu creio.

          Todo católico, sabendo ou não, é idolatra, admitindo ou não, continua sendo idólatra.

          Gostou desta afirmação? Aposto que não… então não faça o mesmo.

          Os evangélicos existem desde a época dos apóstolos, e só passaram a ser chamados de protestantes depois da corrupção do clero… só isso.
          Eu é que te pergunto agora: onde viu isso? Num programa da National Geografic? ou no site do Vaticano? ou na Wikipédia?

          Sei que o blog é teu, quem aprova o que é publicado é vc, mas isso não a torna juiza de nada, e não te dá o direito de determinar a fé dos outros.

          Se você já age assim, agora imagine um papa corrupto como grande parte do clero, com milhares de pessoas alucinadas na palma de suas mãos.
          Pax domini pra vc tb.

          Curtir

          • Helen disse:

            Caro Rafael,

            Não é prepotência minha análise e eu lhe explico porque. Agora, já a sua “analogia” com a questão da idolatria, não é fato, mas sua opinião.

            Veja, todo Evangélico guarda como premissa de sua crença os dois princípios: A Sola Fide e a Sola Scriptura.
            Agora, saiba ou não, admita ele ou não, esses dois princípios foram elaborados por Lutero. Assim, de pouco adianta o evangélico bradar “Nada tenho a ver com Lutero!” Está a enganar-se a si mesmo, pois como disse no meu comentário anterior, saiba ele ou não, sua adesão às doutrinas da Sola Fide e a Sola Scriptura são A CONSTATAÇÃO de sua associação aos ensinamentos de Lutero.

            Portanto, não a minha opinião pessoal que determina sua associação com Lutero. Mas um fato: o fato de que o sr acata as doutrinas ensinadas por ele. Diferentemente disso é dizer “és uma idólatra porque é católica”. Isso não é fato, é sua opinião, porque facilmente posso demonstrar que ela não se aplica a mim ou a o que ensina a Igreja Católica.

            Pax Domini.

            Curtir

            • ANDERSON disse:

              AMIGA HELEN, É PERDA DE TEMPO DISCUTIR RELIGIÃO COM ANALFABETOS. COMO DISSE O EDMILSON, SOBRE O RAFAEL E O GILMAR MENEZES. EU NÃO PERCO MEU TEMPO. COMO DIZ O EDMILSON, RELIGIÃO SE DISCUTE, AGORA PONTOS DE VISTA NÃO. RSRS ESSA FRASE VAI PEGAR.

              AGORA HELEN, DISCUTA COM ESSES PROTESTANTES DE FUNDO DE QUINTAL, MAS PEÇA FONTE E PROVA, E EU APOSTO QUE ELES NÃO VÃO SUMIR.

              Curtir

              • Rafael disse:

                Caro Anderson
                Analfabeto, certamente que não sou eu. Sei ler, e entendo o que leio sozinho não preciso de nenhum padre para entender por mim… e pra teu governo, tenho curso superior e pós graduação. Já ouviu falar em hermeneutica? Exegese? Patrologia? Missiologia? Discipulado? Panorama Bíblico?, Grego?, Hebraico? Já ouviu??? Eu estudo tudo isso, e me acho realmente o menor dos conhecedores, ao contrário de vc que provavelmente leu o Catecismo da ICAR ou o livrinho da catequese e achou que descobriu todos os mistérios do mundo.
                Saiba você, que se não estou esfregando em sua cara a Bíblia, é porque vocês nos acusam de não saber falar de outros assuntos como história por exemplo.
                Para mim o que está na Biblia basta, para você não! Quem é o analfabeto?
                Já ouviu falar em Ipê, Brilhante, Omo, Ariel? Use-os como dentifrício antes de me chamar de analfabeto novamente.

                Grato

                Curtir

            • Rafael disse:

              Pra mim é fato amada, que vc é idolatra, admitindo ou não, tanto quanto é fato para você que eu querendo ou não sigo lutero.
              O nosso amigo chama-me de analfabeto, mas quando concluí o segundo ano do primário já conseguia entender que quando leio na Bíblia pra não fazer imagens, nem venerá-las, parece-me que o analfabeto da história não sou eu… e não me vem com a história da serpente e nem da arca…. a Bíblia tem muito mais… inclusive elucidando estas passagens.
              Seria mais honesto se vocês dissessem: Esteja ou não nã Bíblia, eu gosto de imagem, adoro imagem, venero imagem, imagem é tudo de bom, e a Biblia que fique com sua opinião para si. Seria mais honesto!!!
              Uma coisa é adequar uma vida à verdade de Deus, e não o inverso!

              Achei muita prepotencia tua quando disse que: Se houvesse um evangélico que seguisse tudo que está na Bíblia, não seria evangélico, e sim católico.
              O básico que já é um dos 10 mandamentos vc ja não consegue fazer, dai vem com essa, que me desculpe, fiquei rindo uns 5 minutos depois que li, é muito engraçado!!!

              Paquis domini pra vc tb.

              Curtir

      • ANDERSON disse:

        RAFAEL PIADISTA ME MOSTRE ALGUM ESCRITOR OU HISTORIADOR PROTESTANTE ANTES DE 1450

        ME MOSTRE ALGUMA FONTE QUE FAZ REFERÊNCIAS AS SATÂNICAS SEITAS PROTESTANTES

        RAFAEL ME MOSTRE ALGUM VERSÍCULO BÍBLICO EM QUE DEUS DA AUTORIDADES PARA HOMENS FUNDAR IGREJAS

        VOCÊ ME RESPONDENDO ISSO MEU AMIGO EU TI DOU 50 MIL REAIS NA SUA CONTA

        Curtir

        • Rafael disse:

          Caro Anderson
          Ja dei por encerrada minha participação nesse blog, embora a Helen ainda não tenha publicado meu último post, por isso torno a postar.

          Não vou ficar tentanto te provar nada, porque o que a Bíblia chama de consciência cauterizada, já diz, é cauterizada.

          Mas por favor, desencarnem de Lutero, ele foi mais um… Ele foi o peitudo que queimou o que chamou de “execrável bula anti-cristo” em praça pública, e também colocou na porta da igreja as suas 95 teses. Mas ele foi mais um, ilustre, mas apenas mais um….pô!

          Vocês acham que Lutero é o primogênito do capeta, mas por favor, antes de falar bobagens pesquise, principalmente você que gosta de chamar os outros de analfabeto… Veja quem foram os cátaros, albigenses, novacianos, paulicianos, bogomilos, petrobrusianos e patarinos, que vocês não perseguiram e nao mataram na inquisição (isso é ironia, ok?) e verás que alguns deles surgiram entre os séculos I e II, muito antes de Lutero.
          Pegue outras fontes que não seja o seu livrinho da catequese.
          Pesquise também sobre Pedro de Bruys e Henrique de Cluny, e verá que você dissemina informação sem saber em absoluto o que fala.

          Abraços, sabichão anti-herético.

          Curtir

          • Helen disse:

            Caro Rafael,

            Finalmente concordamos em algo! Aleluia! Realmente, sei e acredito que Lutero não foi o primeiro, tampouco o último, infelizmente.
            À propósito, foi muito pertinente que o sr o tenha comparado com “cátaros, albigenses, novacianos, paulicianos, bogomilos, petrobrusianos e patarinos”, todos, como sabemos, completamente desprezados por toda denominação Cristã respeitável!

            Pax!

            Curtir

  25. Manuel disse:

    Belo Trabalho;

    Helen ,estou preparando as minhas razões de me tornar Católico.

    Porque os protestantes exigem sempre as razões.

    Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s