Será que o catolicismo considera a morte de Cristo insuficiente para a expiação dos pecados?


Como um evangélico me disse certa vez: “É como se o que Cristo fez na Cruz para nos purificar de nossos pecados (perdoando e purificarificando-nos através de Seu sangue derramado no sacrifício da Cruz) não fosse suficiente e tivéssemos de sofrer nós memos, de alguma forma, para ganhar uma purificação que nós não recebemos simplesmente por crer em Cristo“.

Dentro dessa mesma linha de pensamento os Católicos, por sua vez, poderiam perguntar ao fundamentalista Cristão “Então, por que é que somos ensinados a guardar os mandamentos, para sermos santos, para carregarmos a nossa cruz, alimentar os famintos e vestir os despidos, etc; se simplesmente crer em Cristo é suficiente para nos levar ao Céu? O Sacrifício de Cristo não compõem para cada omissão ou pecados que poderíamos cometer? O que acontece se nós acreditamos em Cristo, mas não conseguimos cumprir todas essas coisas que o Senhor nos pede, quais são as consequências”? Porém, o mero confrontamento, de certa forma, não é suficiente para dissipar o erro dos nossos irmãos protestantes.

De volta à pergunta título, claro que a Igreja Católica não julga o Sacrifício Pascal insuficiente. Há aqui porém, uma discrepância no entendimento que os Católicos e a maioria dos protestantes têm sobre Redenção e Salvação.  Controvérsias à parte, a caridade Cristã nos diz que, quando questionados, como Católicos, devemos explicar a posição da Igreja sobre nossa fé aos amigos protestantes. Mas como? Abaixo lemos o que diz a Igreja em seu Catecismo:

III. A purificação final ou Purgatório

1030. Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não de todo purificados, embora seguros da sua salvação eterna, sofrem depois da morte uma purificação, a fim de obterem a santidade necessária para entrar na alegria do céu.

1031. A Igreja chama Purgatório a esta purificação final dos eleitos, que é absolutamente distinta do castigo dos condenados. A Igreja formulou a doutrina da fé relativamente ao Purgatório sobretudo nos concílios de Florença (622) e de Trento (623). A Tradição da Igreja, referindo-se a certos textos da Escritura (624) fala dum fogo purificador:

Primeiro, temos que esclarecer que os católicos dão-se conta de que somente Deus é perfeitamente bom e Santo. No entanto, como Deus é justo e correto, Ele não pediria a seus filhos: “sede santos, porque Eu sou Santo” (Cf. Levítico 11:44), se isso fosse algo impossível de alcançarmos. Tampouco teria Pedro repetido essas palavras em 1 Pedro 1:15-16.

Dito isto, sabemos que até mesmo os grandes santos na Bíblia, como por exemplo Davi e o apóstolo Pedro, pecaram contra Deus. Portanto, como pode ser que sem santidade ninguém verá a Deus ?(Cf Hb 12, 14)

Creio que a resposta Católica para tal pergunta seria: Em vida: Expiação, Contrição, e remissão dos pecados. Após a morte: Purgatório, para a purificação final.

A Bíblia diz claramente que “a alma que pecar, essa morrerá” – Ezequiel. 18:04. Ela também diz que, “sem derramamento de sangue não há remissão do pecado” (Heb.9: 22). Cristo, antes de voltar para o Céu, disse “que o arrependimento e a remissão dos pecados devem ser pregados em Seu nome entre todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24:47). Portanto, a redenção pelo Sangue de Cristo não significa nada para o indivíduo até que ele primeiro se arrependa de suas culpas.

Contrição – Significa o arrependimento pelos pecados cometidos. A contrição perfeita, por outro lado, é o arrependimento  por AMOR a DEUS e não por medo do inferno.

Isaías fala do arrependimento com estas palavras: “O alto e sublime, que habita na eternidade, o santo, diz assim: Eu vivo num lugar excelso e santo; mas também comigo estão todos aqueles que têm um espírito contrito e humilde. Conforto os humildes e dou nova coragem aos corações arrependidos”. (Isaías 57:15).

Expiação – “A idéia de expiação tem a ver com a reparação de uma injustiça, a satisfação das exigências da justiça através de pagamento de uma pena” Para fazer propiciação ou satisfação de um pecado é fazer as pazes ou reparação por isso. Quando alguém faz expiação, ele tenta reparar a situação causada pelo seu pecado.

Eu encontrei esta explicação no site de Catholic Answers:

Certamente, quando se trata dos efeitos eternos dos nossos pecados, somente Cristo pode fazer expiação ou reparação. Só ele foi capaz de pagar o preço infinito necessário para cobrir os nossos pecados. Somos completamente incapazes de fazê-lo não só porque somos criaturas finites, incapazes de produzir uma satisfação infinita (ou qualquer coisa infinita), mas porque tudo o que nos foi dado , foi dado a nós por Deus. Para nós, tentar satisfazer a justiça eterna de Deus seria como usar o dinheiro emprestado de alguém para pagar o que havámos roubado desse mesmo alguém. Nenhuma satisfação real seria feita (cf. Ps. 49:7-9, Jó 41:11, Rom. 11:35). Isso não significa, porém, que não podemos ou devemos fazer a reparação dos efeitos temporais de nossos pecados. A alegação de que somente Cristo pode expiar os nossos pecados surge de uma confusão sobre se o entendimento da dimensão temporal e eterna dos nossos pecados. Só Cristo pode proporcionar a satisfação eterna pelos nossos pecados, mas podemos fazer reparações temporais para eles.

Provérbios 16:06 declara: “Com bondade e piedade a culpa é expiada, e pelo temor do Senhor o homem evita o mal” Lemos também sobre expiação em Êxodo 30:15-16, Levítico 17:11, Números 31:50.

Poderíamos colocar assim, em nossas relações terrenas sempre que ofendemos a alguém é bom pedir desculpas, mas é ainda melhor se tentamos acertar as coisas, porque somos convocados a amar nosso próximo como amamos a nós mesmos. Isto pode ser feito em todos os níveis. Digamos que eu quebrasse a janela do meu vizinho enquanto jogava bola, poderia simplesmente dizer que sinto muito e pedir desculpas, mas a coisa certa a fazer seria pedir desculpas e reparar a vidraça quebrada ou pagar pelos danos. Tal gesto não apenas agradaria ao meu vizinho; mas poria nossa relação de amizade em bons termos, correto? A mesma coisa com Deus.

Com verdadeira contrição vem o desejo de por as coisas direito. Com o arrependimento vem remissão dos pecados concedida a nós pelo Sacrifício de Cristo.

Remissão de Pecados – Um dom completamente livre e imerecida, uma novidade de vida que nunca se poderia obter. Deus concede-nos-na pela da sua misericórdia. Como São Paulo escreveu: “Tudo isso é obra de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo, através daquilo que Cristo fez por nós e nos confiou a missão de anunciar essa mesma reconciliação”. (2 Coríntios 5, 18).

Anúncios

Sobre Hellen

Católica militante, expatriada, mãe e arquiteta e estudante de Direito. Quando há tempo, engajada na "missão" de defender a fé católica e evangelizar aos irmãos católicos, especialmente aqueles afastados da Santa Fé . I am an expat architect, law student and Catholic mommy who's taken on blogging. I've doing this for a few years now and I'm totally hooked up. All for the Glory of God!
Esse post foi publicado em Doutrinas & Dogmas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

22 respostas para Será que o catolicismo considera a morte de Cristo insuficiente para a expiação dos pecados?

  1. Manuel disse:

    A religião não salva? Jesus fundou uma Igreja em vão?

    Curtir

    • Alencar disse:

      A religião não só não salva, mas também, em muitos casos, leva à condenação!

      Veja só o que Jesus disse:
      Mateus 23:15 – Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês.

      Curtir

    • Alencar disse:

      Manuel:
      Imagine que você esteja náufrago em alto mar, e um navio em sua rota te aviste e te salve. Quem te salvou, o comandante ou o navio?
      Não precisa responder. A resposta está óbvia demais.
      Meu caro, se você quer ser salvo pela religião, ninguém tem nada a ver com isso, mas já que você se diz cristão, pregue o Evangelho de Cristo, e não o catecismo da sua igreja.

      Curtir

      • Helen disse:

        Sr. Alencar,
        O problema com a sua ‘logica’ eh que obviamente o sr se usa de uma mentira para defender seu ponto de vista. Ou seja, em qual parte do mundo a Igreja Catolica ensina/prega catecismo no lugar do evangelho???

        Ora, qualquer critica para ser produtiva e justa, deve ser baseada em fatos verdadeiros. Agora, se o sr. se baseia numa mentira – ‘A igreja catolica/ o catolico, usa o catecismo ao inves do Evangelho’ – seu argumento fica AUTOMATICAMENTE invalidado e perde a credibilidade!!! Esta logica, sr Alencar, nao foi estabelecida por mim ou pelos catolicos, mas pela razao humana!

        Agora, sem o desejo de ‘acalorar’ ainda mais esta discussao; O sr ja leu o Catecismo catolico? Sabe do que ele trata? O que ele explica? Sabia que Lutero, o Pai do protestantismo tambem formulou um catecismo para ensinar as coisas nas quais a maioria dos protestantes acreditam, embora desconhecam de onde surgiram, ou porque acreditam?

        Alencar, o sr ficaria surpreso ao descobrir que o catecismo nada mais eh do que a ‘cartilha expiicatoria’ da fe crista, e tem sua base totalmente fundamentada na Biblia!!

        Verifique com seus proprios olhos, aqui esta o catecismo que tantos protestantes criticam, mas nao conhecem: Catecismo

        Curtir

        • Alencar disse:

          Se vossas pregações não batem com as escrituras bíblicas, e não constam no catecismo, o caso é mais grave do que o que eu pensei. Teria um terceiro manual?
          Desculpe-me Helen, foi apenas uma brincadeira pra descontrair. Eu sei que vocês querem e fazem o melhor que podem. Eu fui aero navegante na região amazônica e sou testemunha dos árduos e incansáveis serviços prestados pelos católicos naqueles rincões.
          Agora, voltando ao assunto, vocês precisam se voltar mais para as Sagradas Escrituras.

          Curtir

      • Manuel disse:

        Alencar;

        Então abandone a sua igreja e vive sem religião?

        Curtir

  2. Alencar disse:

    Cara Helen, eu vou me poupar do desgaste de comentar sobre o purgatório, já que não tem fundamento bíblico nenhum; mas vou comentar sobre a pergunta título e sua equivocada justificativa, que diz: “Então, por que é que somos ensinados a guardar os mandamentos, para sermos santos, para carregarmos a nossa cruz, alimentar os famintos e vestir os despidos, etc.”.

    Helen, ser santo, carregar a cruz, alimentar famintos, etc. não são para causar a nossa salvação, mas sim uma conseqüência, de crermos que o sangue derramado por Jesus é suficiente para nossa salvação.
    É um efeito e não uma causa.
    A causa foi o sacrifício do Cordeiro.
    O efeito é uma conseqüência natural de quem aceita o sacrifício de Jesus como suficiente.
    Sua justificativa está invertida.
    Os efeitos (ser santo, etc.) não são complementos para nossa salvação.
    Se crermos que o sangue de Jesus é suficiente para nos salvar, nada mais será necessário fazer, mas se fizermos (e quem crer faz), amem.

    Curtir

    • Helen disse:

      Sr. alencar,

      O seu comentario é muito importante, e por isso tenho grande interesse em responde-lo, pois trata de um grande equívoco dos protestantes, ou seja, crerem que os Católicos acreditam que boas obras ou boas ações nos obtenham a salvação. Como eu expliquei aqui neste texto, para a Igreja Catolica a Salvação se dá pela Graça Somente e não pela Fé Somente – como afirma a doutrina da Sola Fide de Martinho Lutero. A PROVA disso é que todo os que crêem em Cristo só creem nele porque o Pai, em sua miséricórdia, concede a graça da Fé!

      Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.[…] E continuou: Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, se pelo Pai lhe não for concedido. João 6,37 e 65

      Infelizmente, o Sr. afirma no incio do seu comentário que não está disposto a sequer considerar a possibilidade de estar equivocado sobre o purgatório, que aliás ESTÀ na Biblia explicitamente em 2 Maccabeus e implicitamente em outras passagens. Sendo assim, eu me vejo obrigada a discertar sobre os principios da Fé Católica, que é Apostólica e fiel a Cristo, sob os seguintes pontos:

      A – Ser Santo é a verdadeira vocação do Cristão ” Sede santos como vosso Pai no Céu é Santo”. Ou seja, devemos NÂO apenas Crer em Cristo, mas VIVER como Cristo. Isso é ensinado na Bíblia em toda parte, mas infelizmente, os Evangélicos preferem ouvir a Lutero do que a Deus.

      46E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo? 47Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, E AS PRATICA, eu vos mostrarei a quem é semelhante: 48 É semelhante ao homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala, e pôs os alicerces sobre a rocha; e vindo a enchente, bateu com ímpeto a torrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque tinha sido bem edificada. 49Mas o que ouve e NÃO PRATICA p é semelhante a um homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a torrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa. Lucas 6,46

      O que nos diz esta passagem? Muitas coisas, em primeiro lugar que Lutero e sua Sola Fide estão COMPLETAMENTE enganados. Não basta chamar a Cristo de Senhor – o que aliás, somente aqueles que tem fé podem fazer, pois o Ateu, o não Cristão e o pagão não confessam a Cristo como Senhor. Diz-nos também que Ele quer que sejamos obedientes, e ser obediente significa fazer a vontade de Deus. È da vontade de Deus que amemos uns aos outros e façamos o bem. Isso, sr ALencar não é facultativo, como o sr mostra em seu comentário “Se crermos que o sangue de Jesus é suficiente para nos salvar, nada mais será necessário fazer, mas se fizermos (e quem crer faz), amem.” Mas imperativo, mandatório, obrigatório!! Foi Deus quem nos ordenou tal conduta. Ponto final!

      Agora, e se o Cristão comum, aquele que em vida, com eu e o sr ainda não obteve a perfeição, mas contudo Crê no Senhor e em Cristo como o cordeiro que veio tirar o pecado do mundo e abrir as portas do céu morre antes de se torna em vida um Santo de Deus? Pra onde ele vai? Pro inferno?

      Não!! Aquele que crê em Cristo tem a Salvação diante de si pelo sangue derramando pelo próprio Cristo, o filho de Deus, mas antes de entrar na Glória do Deus vivente há de ser feito Santo, pois na presença de Dele só ficam aqueles PERFEITOS!!

      1.Mateus 5:48
      Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.
      Mateus 5:47-48 (em Contexto) Mateus 5 (capitulo completo)
      2.2 Coríntios 13:11
      Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.
      2 Coríntios 13:10-12 (em Contexto) 2 Coríntios 13 (capitulo completo)

      B- Por que Deus nos pederia para sermos PERFEITOS se apenas CRER em Cristo sem ser perfeito é suficiente para entrar no CEU? Deus é contraditório?

      Portanto, o esforço do católico bem instruído em sua fé é justamente imitar a Cristo!!! Aquele que consegue viver uma vida piedosa e fiel ao evangélho purifica-se em vida e ao morrer vai diretamente pro ceu – caso dos santos catolicos-. Aquele que vive ora de acordo com sua fé, ora de acordo com o mundo… Aquele que não se empenha em superar suas paixões temporais {mundanas}, a idolotria – como o amor à riqueza, o apego ao dinheiro, ou apego à opinião das outras pessoas em detrimento dos estatutos de Deus, ou seja, como é o caso da maioria das pessoas, esses podem passar uma vida inteira dizendo que são cristãos, que acreditam em cristo, mas são como aqueles que falam da boca pra fora e agem de modo diferente… Para esses a misericordia de Deus criou um lugar onde ao serem salvos vão aprender a ser tambem Santos. Esse lugar chama-se purgatório!

      Portanto, o que nos Salva é a Graça, pois somente ela nos dá a fé. A fé, por sua vez nos garante a Vida Eterna (as almas do purgatorio sao almas SALVAS), mas os nosso modo de vida determina nossa entrada no céu, sem a necessidade de purificação ou purgação no purgatório.

      Curtir

      • Alencar disse:

        Helen; seu comentário tem dois pontos distintos:
        1- Ao contrário do que você afirma, a quase totalidade dos evangélicos desconhecem os propósitos e ideais de Lutero. Ao contrário de vocês, católicos, os evangélicos não têm interesse sobre regras, dogmas, doutrinas, pré-estabelecidas por Lutero ou qualquer outro. Na verdade os antecessores de Lutero fizeram muito mais do que ele. Lutero só recebeu a fama. O evangélico só tem um foco, a Bíblia.

        2- Sobre a salvação, você repete de várias formas o mesmo tema.
        De Gênesis a Apocalipse a Bíblia nos aconselha à santidade; mas esta santidade não acontecerá enquanto o coração não aceitar o sacrifício do Cordeiro como suficiente. Veja o que diz em Romanos 10:9. Ninguém consegue santidade enquanto não aceita o sacrifício do Cordeiro. Fazer bondade para alcançar a salvação é equivalente a comprar a salvação. Jesus não vende nem troca a salvação por nada, é doada mediante a fé. As demais coisas são conseqüências.

        Curtir

        • Helen disse:

          ALencar,

          Grande sofismas foram ditos no seu comentario!!! Vc acredita na doutrina da Sola Fide e Sola Scriptura, Fe somente e Escritura Somente. Duas doutrinas formuladas pelo Sr Lutero. Se o Protestante comum sabe disso ou nao eh outra historia, mas que seguem a Lutero, seguem!!!
          Antes de Lutero, NENHUM cristao acreditava em SOLA FIDE ou SOLA Scriptura!!! Nenhum!!!!!! Depois de Lutero virou circo… Vieram Joao Calvino, Wensley, etc, etc… HOje sao 50 mil denominacoes. Cada uma com suas proprias verdades. Uma lastima!

          Sobre salvacao: O sr esta querendo discutir um tema altamente teologico muito alem de sua habilidade e conhecimento. Alem disso, esse tema ja foi definido ha 2000 anos pela Sta Igreja, ja foi defendido por teologos infinitamente mais competentes do que eu, uma mera leiga, poderia argumentar. Se o sr tem mesmo genuino interesse em entende-lo, recomendo que leia Tomas de Aquino, S Agostinho, Joseph Ratiznger, John Henry Newman. Eu encerro essa discussao com meus agredecimentos por sua valoroza colaboracao!

          Paz de Cristo,
          H.

          Curtir

          • Alencar disse:

            Helen, eu acato o seu encerramento de discussão sobre este debate, mas, fora deste debate, vou tecer uma pequena ponderação, particular, sobre seu dito: “Grande sofismas foram ditos no seu comentario!!!”.
            Disseram algo parecido com isso para Paulo (Atos 26:24-25), quando ele deixara a velha crença cheia de complicadas formalidades, e explicava sobre um processo singelo, simples, descomplicado, sem formalidades, (Atos 26:18), para alcançar a salvação pela fé.

            PS. Caso você não queira publicar esta ponderação, eu também acato.

            Curtir

          • Luis disse:

            “Antes de Lutero, NENHUM cristao acreditava em SOLA FIDE ou SOLA Scriptura!!! Nenhum!!!!!! Depois de Lutero virou circo… Vieram Joao Calvino, Wensley, etc, etc… HOje sao 50 mil denominacoes. Cada uma com suas proprias verdades. Uma lastima!”

            Acreditavam sim, mas não podiam falar nada porque iam parar na fogueira. Todo regime teocrático é opressor, temos exemplos atuais de países que ainda são assim. O mundo em geral, com algumas exceções, conseguiu se livrar desta maldição, a pouco tempo, graças a reações e muitos sacrifícios humanos.

            Curtir

            • Helen disse:

              Luis,

              Infelizmente, devo descordar do Sr mais uma vez. Os cristaos primitivos, por 4 seculos nao tiveram a Biblia. Nesses 4 seculos aprenderam a confiar e seguir os ensinamentos apostolicos. Acataram a autoridade dos santos Apostolos e seus discipulos, pois nao queriam se desviar do verdadeiro evangelho. Nao preciso nem citar as exortacoes do Apostolos dos gentios, o Apostolo Paulo, afirmando a importancia da obediencia aos ensinamentos apostolicos, preciso? Ora, se ele mesmo, Paulo, apos converter-se por intercessao divina do Proprio Cristo, foi conferir com Pedro e os demais apostolos, se aquilo que pretendia pregar estava mesmo de acordo com os ensinamentos de Cristo; para somente entao ganhar permissao para pregar o evangelho, como podemos ignorar a importancia da obediencia aos sucessores dos santos apostolos?

              Nao se trata de sermos ‘robos’. O livre arbitrio NINGUEM tira do homem, eh uma dadiva de Deus. Portanto, nao seria a Igrjea de Deus ser aquela a tira-lo. Pelo contrario! Eh pelo livre arbitrio que escolhemos obedecer ou desobedecer a Igreja!! Nao ha liberdade verdadeira sem a SANTA OBEDIENCIA. Isso nos mostra o Proprio Jesus, que foi obediente ate a morte.

              Agora, se o sr discorda dos ensinamentos do seu pastor, isso deve ser uma indicacao de que ha algo fundamentamentalmente errado, seja com os ensinamentos dele, ou com o sr mesmo. Como alguem pode dizer, por exemplo; eu sou catolico, mas sou a favor do aborto? Impossivel! Aqueles que dizem assim, mesmo que na ignorancia, ja deixaram de ser catolicos!!

              Sobre jogar na fogueira; etc, essa eh uma discussao sobre historia, e nao teologica. Nao cabe aqui no argumento da Sola Scriptura e Sola Fide. Porem, pergunto: Eh do conhecimento do sr., por exemplo, que foram os protestantes que queiram vivos as pessoas que praticavam ‘bruxaria’, e nao os catolicos? Milhares deles apenas na Franca!! Admito que a inquisicao eh um assunto polemico, mas ja foi tratado preliminarmente aqui no blog. Sr for de seu interesse leia o artigo publicado AQUI.

              Paz,

              Curtir

            • Manuel disse:

              Luis podes apresentar um Teologo na igreja Primitiva que acreditava na doutrina da Sola Scriptura? porfavor preciso muito.

              Curtir

            • Luis disse:

              Helen, sobre o “sistema teocrático” e a “opressão”, isto é fato, não é teoria nem teologia.
              A opressão robotiza as pessoas até gerar um estouro (protesto), quando então uma nova ordem é criada.
              Sobre quatro séculos sem bíblia, você sabe tanto quanto eu que não é verdade. A Bíblia foi diversas vezes compilada nos porões de mosteiros católicos, entre outros lugares, longe da vista do Vaticano, se aproveitando de chances que tiveram, por não sofrerem a suspeita do mesmo. Estas compilações alcançaram distâncias impressionantes. O mais impressionante é que todas as compilações se igualavam quanto ao conteúdo da Palavra de Deus, que por vez se igualam ao atual conteúdo.
              Helen, você é das boas, Deus não vai te perder, não faça como Jonas, não dificulte as coisas para Ele.

              Curtir

              • Helen disse:

                Caro Luis,

                Nao gostaria de entrar em uma polemia com o Sr., mas sobre a historia e o surgimento da biblia, tal e qual a conhecemos hoje, nao ha como negar que minha afirmacao esteja correta, pois eh fato historico.

                A Referência mais antiga que se tem sobre o Cânon do NT se encontra em um manuscrito descoberto pelo sacerdote italiano Ludovico Antonio Muratori no séc. XVIII, datado do séc. II. Por causa do nome de seu descobridor, este documento ficou conhecido como Cânon de Muratori. Neste escrito estão relacinados os 4 Evangelhos, as cartas paulinas , a Epístola de Judas e I e II João e o Apocalipse. Não são relacionadas as epístolas aos Hebreus, de Tiago e nem I e II Pedro.

                Muitas controvérias existiram para se reconhecer o caráter canônico de livros como Hebreus, Tiago, Judas, Apolocalipse, II e III João e II Pedro. Por esta razão alguns estudiosos os chamam de Deuterocanônicos do NT.

                Da mesma forma, outros livros já estiveram no cânon NT, porém depois foram rejeitados. É o caso da Primeira Carta de Clemente aos Coríntios (séc. I) e o Pastor de Hermas (séc. II). São os chamados antilegomena.

                A lista completa dos livros do NT conforme existe hoje aparece pela primeira vez na Epístola 39 de Santo Atanásio de Alexandria para a Páscoa de 367 d.C.

                Esta mesma lista foi confirmada por documentos posteriores como o Decreto Gelasiano, e os cânones dos concílios de Hipona, Cartago III e IV.

                Durante a Reforma Protestante, Martinho Lutero demonstrou dúvida quanto à autoria e canonicidade de alguns livros do Novo Testamento: Hebreus, Tiago, Judas e o Apocalipse. No entanto, ao traduzir o Novo Testamento para o alemão em 1522, Lutero traduziu esses livros perfazendo ao todo 27 livros que temos hoje.

                O Concílio de Trento, no 1º Período (1545-48), promulgou os decretos sobre o cânon sagrado para a Igreja Católica Romana reafirmando o Cânon do Novo Testamento também com os 27 livros que temos hoje.

                Curtir

        • Manuel disse:

          Teologos Protestantes todos são inspirados por Deus,para ensinar algo diferente do outro.

          Parabens Alencar!

          Curtir

        • Manuel disse:

          “O evangélico só tem um foco, a Bíblia.”?? Qual bíblia ?? Adulterada pelo Profeta Lutero?

          Curtir

          • Alencar disse:

            Manuel, Deus é longânimo, esse seu entusiasmo inicial vai ceder, e quando você menos esperar seu coração será tomado pelo Espírito Santo, aí então você vai perceber em que labirinto (que te desvia do único “Caminho, Verdade, Vida”) você se meteu.

            Curtir

            • Manuel disse:

              Meu caro o meu coração já foi tomado pelo Espirito Santo.

              O protestantismo, meu irmão, é um labirinto sim. Nem sabem onde e como foi feito a sua bíblia …poderias me disser?

              Por favor gostaria de saber qual é a sua denominação?

              Curtir

            • Alencar disse:

              Manuel:
              Eu sou evangélico exclusivamente Bíblico.
              Caro Manuel, você sabe o que é “fogo amigo”? É isto que estamos fazendo.
              Fogo amigo, numa guerra, é quando um aliado atira, acidentalmente, no outro.
              O nosso Deus é Um só; as nossas diferenças estão somente na religião, mas religião não salva ninguém. Digladiarmos nos enfraquece. Por ora deixa estar.
              Ocasionalmente, neste link, http://youtu.be/HEcCufB3pos eu assisti ao vídeo, e considero extremamente preocupante, enquanto perdemos tempo com irrelevâncias.
              Quando o zelo pela integridade da Palavra de Deus não é observado o inimigo (demônios) ganha força.

              Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s