Toda autoridade na terra é permitida por Deus


Tempestade no Mar da Galiléia - Confiança em Deus

Tempestade no Mar da Galiléia – Confiança em Deus

15 Cristo é a imagem do Deus invisível. Ele existe antes de Deus ter criado todas as coisas e está acima de toda a criação 16 Na verdade, foi através dele que Deus criou tudo o que há nos céus e sobre a Terra, até os governantes, as autoridades, os que têm o poder e a força, tanto no mundo espiritual como no terreno. Tudo isso foi estabelecido por Cristo, e para Cristo. ( Col. 1, 15-16)

10 Não queres dizer nada?, insistiu Pilatos. Não compreendes que tenho poder para te soltar ou para te crucificar? 11 Jesus disse: Não terias poder nenhum sobre mim se não te tivesse sido dado do alto. Por isso ainda maior é o pecado de quem me trouxe aqui. ( João 19, 10-11)

Num mundo onde o secularismo impera e portanto,  a crença na existência de um Deus soberano é sistematicamente removida da vida quotidiana pelos meios de comunicação e aqueles em posição de poder, num mundo onde a implementação de leis ofensivas ao Criador e àqueles que ainda acreditam em Deus tornou-se lugar comum, como acreditar no homem e ter esperança para o futuro? A sociedade de hoje  promove o desapego à tudo que diz respeito à Lei Moral e fomenta o relativismo  em âmbito da existência humana.   Assim, como sustentar a confiança nos políticos, na bondade e justiça humana, no ser-humano em geral, quando a própria bíblia diz-nos que para depositarmos nossa confiança em Deus?

Eis o que diz o Senhor: Maldito o homem que confia em outro homem, que da carne faz o seu apoio e cujo coração vive distante do Senhor! (Jeremias 17,5)

Cessai de confiar no homem, cuja vida se prende a um fôlego: como se pode estimá-lo? (Isaías 2,22)

5.Não confies em colega, não contes com amigos, nem mesmo com aquele que dorme contigo. Guarda-te de abrir a boca 6. Porque o filho trata seu pai de louco, a filha levanta-se contra sua mãe, a nora contra sua sogra; e os inimigos são os da própria casa.7. Eu, porém, volto meus olhos para o Senhor, ponho minha esperança no Deus de minha salvação; meu Deus me ouvirá.  Miquéias 7, 5

Em primeiro lugar, devemos tomar cuidado em discernir o que a Bíblia realmente quer dizer como confiança em Deus e confiança no homem.  Como sempre, devemos nos alertar ao sentido escatológico das palavras das Escrituras, que via de regra, tratam de questões concernentes ao mundo espiritual, à Salvação da alma, em detrimento  à vida terrena e necessidades materiais do mundo temporal.

Nesse sentido, é bom lembrar que a Bíblia nos afirma que o Céu e a Terra passarão, mas a Palavra de Deus não passará, pois o Verbo de Deus é eterno e é o mesmo de sempre (Cf. Marcos 13,31). Assim, o que ha dois mil anos atrás era reto para Deus continua a ser justo no tempo presente e nos anos e séculos que virão. Do mesmo modo, o que ofende à Deus hoje, ofenderá-o no futuro e no passado.

Confiar em Deus é saber que Dele provém tudo o que é bom e justo e que Ele não muda. É reconhecer para si mesmo que somos incapazes de fazer algo bom sem a ajuda da graça de Deus pelo Espírito Santo, que incita nossos corações – mesmo os corações daqueles que alegam não acreditar em Deus – Confiar em Deus é saber que somente Nele temos nosso refúgio, pois somente Ele é fiel em Suas promessas. Deus, diferentemente do homem, não muda de opinião com o passar dos anos ou de acordo com as circunstâncias, algo impensável quando se trata do ser humano.

Mais adiante, temos que reconhecer e acreditar que o que para o homem é impossível, para Deus é possível (Cf. Mateus 19,26). Assim, quando se trata da nossa salvação e em toda circunstância da vida, temos que apreciar uma verdade imutável: Deus é nossa única esperança, a Rocha de nossa Salvação.  Essa é a confiança da qual a Bíblia trata. Não uma mera questão de acreditar em alguém ou não. Mas um saber íntimo de que com Deus, não nos falta nada (cf. Salmo 91).

Entretanto, afirmar que nossa confiança deve estar em Deus não é mesmo que dizer que devemos desprezar o respeito pelo homem, ou perder a esperança na bondade humana. No caso das autoridades governantes, por exemplo, do mesmo modo a Bíblia nos ensina que devemos confiar em Deus em todas as coisas, ela nos diz que toda autoridade instituída legitimamente na terra vem de Deus ( Romanos 13,1).  Deus faz uso das suas criaturas para promover a vinda do Seu Reino na Terra, a exemplo do que fez com o Rei Davi, no antigo testamento.  Por isso, somos exortados pela Bíblia para não apenas nos submetermos às autoridades instituídas, mas  também para orarmos por aqueles em posição de autoridade, para que governem em concordância com a vontade de Deus.

Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver um vida calma  tranqüila, com toda a piedade e honestidade.  (1 Timóteo 2:1-2) –  Admoesta-os a que sejam submissos aos magistrados e às autoridades, sejam obedientes, estejam prontos para qualquer obra boa, não falem mal dos outros, sejam pacíficos, afáveis e saibam dar provas de toda mansidão para com todos os homens. Porque também nós outrora éramos insensatos, rebeldes, transviados, escravos de paixões de toda espécie, vivendo na malícia e na inveja, detestáveis, odiando-nos uns aos outros. Mas um dia apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com os homens. (Tito 3:1-4)

O respeito pela autoridade

13-14 Por amor do Senhor, obedeçam às autoridades, seja o mais alto magistrado ou os que, por mando dele, governam e que estão encarregados de reprimir os que praticam o mal e louvar os que fazem o bem.15 É a vontade de Deus que, praticando o bem, vocês tapem a boca aos homens ignorantes nas suas conversas loucas.16 Vocês são pessoas livres, mas isso não representa liberdade para fazer o que é mal, antes sim para fazer a vontade de Deus.17 Respeitem toda a gente. Amem os vossos irmãos na mesma fé. Temam a Deus. Honrem o chefe da vossa nação.

Todo desalento e desconfiança na disposição e capacidade de nossos políticos governarem, seja o nosso país ou nossa comunidade local de acordo com a Lei Moral de Deus é algo que não vem de Deus, mas do seu opositor.  Contudo, a esta altura poderíamos nos perguntar, mas como sustentar a esperança no homem diante de todo o mal que causamos uns aos outros, ou ainda diante dos inúmeros casos de corrupção e escândalos noticiados todos os dias? Seria isso a vontade de Deus?

Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação. Em verdade, as autoridades inspiram temor, não porém a quem pratica o bem, e sim a quem faz o mal! Queres não ter o que temer a autoridade? Faze o bem e terás o seu louvor. Porque ela é instrumento de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, porque não é sem razão que leva a espada: é ministro de Deus, para fazer justiça e para exercer a ira contra aquele que pratica o mal. Portanto, é necessário submeter-se, não somente por temor do castigo, mas também por dever de consciência. (Romanos 13:1-5)

Seguramente, Deus não deseja o mal, embora o permita. Na verdade, em algumas situações, como nos afirmam as Escrituras, Deus não apenas o permite, mas promove aquilo que aos olhos humanos pode parecer um  “mal”, como por exemplo o grande dilúvio, ou a destruição de Sodoma e Gomorra, porém, não como um mal que tem por fim o próprio mal em si, ou então para benefício próprio, mas como forma de punição e castigo, para com isso, extrair um bem maior para as Sua criaturas. Algumas pessoas se perguntam, por que Deus não intervém e impede o mal causado pelos homens? O homem pratica o mal por razões distintas, invariavelmente, egoístas. Por outro lado, todo homem é dotado do livre arbítrio para agir tanto para o bem como para o mal. Se Deus intervisse a cada momento que alguém tentasse fazer algo de errado, já não estaríamos mais a praticar o bem por amor a Deus ou ao nosso próximo, ou por temor à justiça Divina, mas  simplesmente por  falta de escolha. Não é isso que Deus deseja de nós. É nesse contexto que devemos exercitar a confiança em Deus exortada pela  Bíblia, pois somente Ele pode transformar os corações mais endurecidos e trazer o melhor de cada um à tona, pois como lembrado acima, para Deus tudo é possível (cf Mateus 19, 26).

About these ads