A verdade sobre Galileu e a Igreja Católica


Julgamento de Galileu

Julgamento de Galileu

Durante os séculos a Igreja Católica tem sido alvo de controvérsias que envolvem desde o seus ensinamentos doutrinários e teológicos, até suas práticas e tradições. De um modo muito espécifico, constatamos também o desafeto daqueles que, em nome da ciência e da razão, afirmam que a Igreja seja um obstáculo ao progresso científico.

Tais “defensores” da razão seguramente não teriam essa opinião se conhecem o  apoio incondicional da Igreja para o exercício da verdadeira ciência. Durante séculos, pensadores católicos, como Agostinho e Tomás de Aquino têm argumentado que a nossa capacidade de raciocinar e de se envolver em investigação empírica é um dom de nosso Criador. Ha alguns anos atrás,  o Papa João Paulo II publicou uma encíclica Fides at Ratio (Fé e Razão), na qual ele reafirmou esta longa tradição. O então Papa, o Bem-aventurado João Paulo II  deu muitas palestras para grupos de cientistas elogiando seu trabalho como um cumprimento de boa humano.

Em vista dessas afirmações, o objetor da Igreja poderia perguntar: Se  isso fosse verdade, por que a Igreja condenaria Galileu?

Infelizmente, muitos mal-entendidos têm ocorrido em torno de Galileu, por isso é difícil para algumas pessoas distinguirem entre a realidade histórica e mito criado mais tarde como consequencia da controvérsia. Para entender o encontro de Galileu com a Igreja, devemos distinguir entre dois eventos distintos históricos e nos esforçarmos para entendê-las do ponto de vista dos participantes da época, não a partir de nossa perspectiva atual-dia.

O primeiro evento é a sua condenação de 05 de março de 1616, pela Congregação do Índice. Galileu precipitou essa condenação, mas nenhuma de suas obras foram mencionadas no texto em si. O documento condenava a crença no movimento da Terra como contrária à razão e às Escrituras. Concumitantemente, foi proibido o livro de Copérnico Sobre as Revoluções das Esferas Celestes, “até ser corrigido” e completamente condenava vários outros livros de teólogos que defenderam que o movimento da Terra não era contrário à Sagrada Escritura. Galileu havia escrito uma carta semelhante em 1615 no início argumentando que a Sagrada Escritura não ensina nada sobre o movimento da Terra,  seja positiva ou negativamente.

Nesse contexto, Robert cardeal Bellarmino, ele próprio um cientista jesuíta bem-sucedido, informou Galileu em 06 de marco de 1616, da decisão da Congregação de proibir o sistema de Copérnico ou heliocêntrica. Nós não temos nenhum documento confiável dessa conversa, mas é batante aceito que o cardeal disse a Galileo que ele poderia discutir o sistema de Copérnico como uma hipótese científica, oferecendo argumentos astronômicos e físicos a favor e contra, mas que ele não deveria defender a teoria como uma lei. Qualquer cientista conhece esta distinção comum. Você pode e deve discutir as teorias que são questionáveis, mas isso é diferente de defender uma teoria. Galileu concordou em seguir a liminar da Congregação. Ele continuou a trabalhar em argumentos a favor e contra a teoria, mas ele não defendia que, apesar de ele ainda acreditar que era verdade,  que bons argumentos a  favor estariam por vir.

Sendo assim, Galileu voluntariamente obedeceu a liminar de não ensinar/defender a teoria do Universo heliocêntrico, o que o possibilitou  continuar suas investigações científicas. Mas alguns acontecimentos posteriores levaram ao seu segundo encontro com a Igreja no julgamento de 1633.

Antes de fazer um julgamento negativo, devemos pelo menos entender o que levou a este segundo julgamento. Como Galileu desenvolveu argumentos para o sistema heliocêntrico após a condenação pela Congregação do Índice em 1616, ele sentiu-se muito encorajado quando um velho amigo seu foi eleito para a cadeira de Pedro em 1623, Maffeo Barbarini.

Maffeo Barbarini ocupou o trono papal 06 de agosto de 1623, como Urbano VIII. O novo papa convidou Galileo para visitá-lo, e os dois conversavam enquanto caminhavam nos jardins pontifícios. Alegadamente, Urbano VIII disse  a Galieu que a decisão de 1616 fora infeliz, mas que ela não poderia ser revogada ou, pelo menos, que não era prudente fazê-lo. O Papa Urbano VIII incentivou Galileu a escrever um novo livro sobre o sistema heliocêntrico, mas o avisou para ter cuidado para não defender a teoria nova,  mas somente oferecer argumentos contra e a favor.

Nos próximos sete ou oito anos Galileu escreveu o famoso diálogo sobre os dois máximos sistemas do grande mundo, que foi publicado em 1632. O censor de Florença, onde Galileu viveu, aprovou o livro, mas ele foi condenado por certos clérigos. É ai onde a histórica se divide. Alguns pensaram que Galileu não estava defendendo a teoria de Copérnico, enquanto outros achavam que o livro claramente o fazia. Em essência, a questão no julgamento de 1633 foi se Galileu tinha de fato desobedecido a liminar de 1616 ou não. Galileu manteve em seu julgamento que ele não defendia a teoria do Diálogo. Os leitores oficiais do livro concluíram de forma diferente.

No final, Galileu foi considerado culpado por desobedecer a ordem anterior. Assim, a sua abjuração, em 22 de junho de 1633, foi motivada por sua crença de que ele deve submeter ao juízo da Igreja, porque ele sempre disse de si mesmo que ele era um filho fiel da Igreja. Ele foi colocado sob prisão domiciliar em sua casa de campo em Arcetri, do outro lado do rio a partir de Florença, para o resto de sua vida como sua penitência. Ele morreu em 1642 aos 78 anos de idade. Mas ele não foi prejudicado em seu trabalho, haja visto que nesse período ele publicou sua maior obra científica em 1638, O Discurso sobre as Duas Novas Ciências.

Mas ainda resta a pergunta: Então Galileu não foi proibido de continuar seu trabalho científico. Mas o fato é que a Igreja condenou uma teoria científica comprovada, invocando a Bíblia.

É preciso lembrar que ninguém- nem mesmo Galileu, como ele reconheceu – tinha a prova para o movimento da Terra em 1632. Evidência viria mais tarde, mas  essa evidência não estava disponível para os juízes em 1633. A primeira confirmação experimental de paralaxe estelar, por exemplo, não veio até o século XIX com as observações de Friedrich Wilhelm Bessel. Assim, a  crença de  que a Terra era imóvel não era um absurdo no século XVII.

Objector: Mesmo se não houvesse prova firme para o sistema heliocêntrico e, assim, para o movimento da Terra, a Igreja ainda usou a Bíblia para condenar uma teoria estritamente científica. Isso é falso.

Por isso mesmo, precisamos nos concentrar para pensar contexto-historicamente. A maioria das pessoas hoje não usaria a Bíblia para resolver uma controvérsia científica, mas isso não era o caso no século XVII.  Muitos pensadores daquela época acreditavam que a Bíblia ensinava que a terra não se movia. Por exemplo, o grande observacional astrônomo Tycho Brahe, ele mesmo luterano, pensava dessa forma. Ele acreditava que isso estava de acordo com a física do movimento, como era então entendida. Lembremo-nos, simplesmente não havia evidências convincentes de movimento da Terra naquela época. Para as pessoas naquela época, se a física e a Bíblia pareciam concordar,  isso constituíam fortes razões para rejeitar uma teoria científica como a do movimento da Terra.

A Igreja reconhece que a decisão foi equivocada, mas que o reconhecimento ocorreu muito antes de João Paulo II fazer o pedido formal de desculpas em 1992. Livro de Copérnico e, portanto, o sistema heliocêntrico foi retirado do Índice de Livros Proibidos no século XVIII. A Igreja, muito antes das duas últimas décadas, aceitou a abordagem de Galileu para a reconciliação da ciência e da Escritura como bem fundamentada. Por exemplo, o Papa Leo XIII publicou uma encíclica Providentissimus Deus (18 de novembro de 1893), na qual, basicamente, aprovou a abordagem de Galileu para a conciliação de conflitos aparentes entre a fé  e a ciência. Eu digo “conflitos aparentes” porque nem Galileu, nem a Igreja oficial nunca acreditou que poderia haver conflitos reais entre a fé cristã e a ciência. Leo no século XIX, Galileu e Bellarmino no século XVII, todos firmaram o acordo final entre as verdades de fé e verdades da ciência.

Finalmente, o objetor da fé Católica se pergunta: Mas os católicos dizem que a Igreja é infalível, que não pode errar. No entanto, a Igreja mesma reconhece o seu erro. O caso de Galileu não é uma clara contradição com o princípio da infalibilidade da Igreja?

A infalibilidade da Igreja é um assunto grande, complexo demais para agora, mas resumidamente deve-se entender que a infalibilidade da Igreja atribui apenas aos seus dogmas proclamados oficialmente, como a duas naturezas de Cristo, a Santíssima Trindade. Estas são questões da mais alta autoridade. A Igreja não pode estar errada nesses assuntos. Mas em matéria de ciência empírica ou qualquer coisa que não é o que é chamado de fé , a Igreja pode e tem feito muitas revisões. As decisões no caso de Galileu foram disciplinares ou processuais, não envolvem questões doutrinárias, apesar de algumas pessoas na Igreja na época pensarem que  eram. Se tivessem sido matéria de dogma, a Igreja não poderia tê-las revertido jamais.

A fé Católica ensiana que a busca do conhecimento é sempre um processo de humildade. E isso é bom, porque a humildade é uma das maiores virtudes.

About these ads

34 comentários sobre “A verdade sobre Galileu e a Igreja Católica

  1. Pessoal
    Preciso saber quem é o autor do texto sobre Galileu. Pretendo usá-lo em minhas aulas, mas sem autoria não posso. É possível?
    Agradeço e aguardo.

      • Cara Helen,
        Gostei muito do texto de Galileu também, qual a fonte do conhecimento a respeito do julgamento de Galileu? Eu gostaria de usar esse conhecimento em minhas aulas também, mas gostaria de poder me embasar não só no texto do blog, mas também na fonte de conhecimento deste que me traria mais autoridade ao apresentá-lo para uma sala totalmente protestante, acho que você entende meu proposito…
        Eu sempre preguei a conversação e o entendimento e um argumento cientifico comprovado como este pode fazer cair uma enorme parede que nos divide.
        Os livros da escola secular primaria e secundaria nos ajudam a criar este estereotipo da igreja católica apostólica romana, mas adquirindo conhecimentos mais específicos e amplos da historia podemos ver que alguns historiadores se excedem.

        Paz seja contigo Helen.

        • Caro Ricardo,

          Obrigada mais uma vez pelo comentário. Vou consultar minhas anotações e informo a fonte tão logo possível.

          A Paz do Senhor

  2. Caro Ir. Moreira:

    Você (ou o senhor) disse:
    “Você está admitindo que usar imagens não é ser pior do que os Fariseus que não faziam isso? Eu te digo, é ser pior do que os Fariseus, que pelo menos nisso eles obedeciam”

    Exatamente isso. Não reconhecer que Jesus Cristo é Deus e Filho de Deus é incomparavelmente pior. Veja Mt 12.22-38. Os versículos que o irmão citou condena a INCREDULIDADE dos fariseus, que não O reconheceram como Deus.

    Os católicos, apesar de reverenciarem as imagens (o que eu, repito, discordo), reconhecem que só há um Deus verdadeiro (e que Jesus Cristo, juntamente com Pai e o Espírito Santo, é esse Deus).

    Sua comparação dos católicos com umbandistas, muçulmanos, ateus, é absurda. Embora nestas outras religiões também existam pessoas que procuram conhecer a Verdade, elas nenhuma afinidade tem com o Cristianismo. Não há como negar o fato de que mais de 60% dos cristãos no mundo são católicos.

    Irmão, se quisermos debater sobre a legitimidade ao não do uso de imagens, intercessão dos santos, ou outra doutrina qualquer, com os católicos, devemos fazer isso da forma mais respeitosa possível. Também, acho que, ao invés de ficarmos atacando os católicos, deveríamos estar evangelizando aqueles que ainda não têm nenhum conhecimento de Cristo.

    Veja o que o Nosso Salvador disse: “Porque, quem não é contra nós é por nós.” (Mt. 9.40)

    “E, respondendo João, disse: Mestre, vimos um que, em teu nome, expulsava os demónios, e lho proibimos, porque não te segue conosco.E Jesus lhes disse: Não o proibais, porque, quem não é contra nós é por nós” (Lc. 9.49,50).

    • Irmão Francisco,

      Amém para suas palavras: “Também, acho que, ao invés de ficarmos atacando os católicos, deveríamos estar evangelizando aqueles que ainda não têm nenhum conhecimento de Cristo.”

      É tão triste ver a energia dispendida por alguns evangélicos para denegrir e atacar o catolicismo, ao invés de evangelizarem ateus, umbandistas, satanistas, etc…

      O sr realmente tocou num ponto crucial da mensagem do Evangelho: Ide e fazei discipulos de todas as nações…. Os católicos já conhecem a Jesus e Sua mensagem. Aqueles supra citados não!!!

      Pax Domini,

  3. Caro irmão Francisco:

    Conheço bons católicos, pessoas altamente tementes a Deus e que tem uma profunda fé em Jesus Cristo.
    Eu também conheço católicos, umbandistas, muçulmanos, ateus, que são pessoas excelentes, e todas, com exceção dos ateus, são tementes a Deus. Nosso debate não tem esse foco que você está colocando. Nosso debate tem foco no evangelho de Jesus. É impossível servir a dois senhores. Jesus disse:
    Mateus 12:48 “quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”, perguntou ele.
    Mateus 12:50 Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe.

    Fazer a vontade de Deus é seguir Jesus. Seguir Jesus é aceitá-lo como único e suficiente salvador, comprado com seu sangue, através do sacrifício do Cordeiro.
    Em vez disso, os católicos ofuscaram o brilho de Jesus, elevando Maria e inúmeros outros santos, e entendem que para alcançar a salvação precisam fazer boas obras, além de ter que ser católico. Eles acham que a igreja de Jesus é a instituição. Eles não entendem que a igreja de Jesus é o corpo de Cristo, e que o corpo de cristo é formado por seus seguidores, independente de religiões. Eles não conseguem entender que uma pessoa pode fazer parte do corpo de Cristo, mesmo não tendo religião.
    João 6:28 – Então lhe perguntaram: “O que precisamos fazer para realizar as obras que Deus requer?”
    João 6:29 – Jesus respondeu: “A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou”.
    1 João 2:2 – Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo.
    1 João 2:3 – Sabemos que o conhecemos, se obedecemos aos seus mandamentos.

    Sejamos razoáveis. Acho que o irmão exagerou um pouco. Não podemos afirmar que os católicos não seguem absolutamente NADA do evangelho de Cristo, nem muito menos que não são cristãos.
    Eu te faço um desafio neste fórum:
    Você vai me mostrar qualquer parte do Evangelho-de-Jesus, e eu vou te mostrar a forma como os católicos agem. Você mesmo irá tirar suas próprias conclusões.

    Nos versículos que o irmão usa posteriormente, Jesus está se dirigindo a quem? Aos FARISEUS, pessoas totalmente diferentes dos católicos, haja vista que os fariseus em hipótese alguma se utilizam de imagens! Aliás, os fariseus nem mesmo aceitaram que Jesus era Filho de Deus, e nem que Ele era o próprio Deus, ao contrário dos católicos que, como nós, aceitam uma e outra coisa. Portanto, em nada os fariseus se assemelham aos católicos.
    Você está admitindo que usar imagens não é ser pior do que os Fariseus que não faziam isso? Eu te digo, é ser pior do que os Fariseus, que pelo menos nisso eles obedeciam.
    Você acha que se Jesus tivesse vindo pra nós somente agora, nós iríamos fazer diferente dos Fariseus e iríamos aceitá-lo como Filho de Deus? Nós provavelmente faríamos pior.
    Meu caro irmão, os Fariseus eram religiosos rigorosíssimos, que embora tivesse a lei de Deus, preferiram seguir as suas próprias tradições, que eles mesmos criaram ao longo do tempo, semelhantemente aos católicos.

    Quero dizer que também DISCORDO do uso de imagens, procissões, etc. Mas faça vc mesmo um teste (eu mesmo já fiz isso): chegue a qualquer católico, por mais simples que seja, e afirme para ele que existem mais de um Deus. Observe o comportamento e a reação dele. Ao dizer isso certamente ele ficará escandalizado, discordará de tal declaração. Isso mostra que, embora usem imagens e as reverencie (o que eu não concordo), para eles no fundo existe só existe um único Deus.
    Meu caro irmão, Existem inúmeras religiões pagãs e não-pagãs, que também aceitam somente UM ÚNICO DEUS, mas isso não lhes confere a ALIANÇA que Jesus deixou aos seus seguidores (Corpo de Cristo).

    Volto a repetir: Não se segue a dois Senhores. Colocar segundos e terceiros mediadores são o mesmo que aceitar demônios. Os líderes de uma instituição religiosa que faz isso assume a culpa de todos os membros ignorantes, e está em conluio com satanás. Conforme a Palavra de Deus é melhor não conhecer a verdade do que a conhecendo, desobedecê-la.
    João 9:41 – Disse Jesus: Se vocês fossem cegos, não seriam culpados de pecado; mas agora que dizem que podem ver, a culpa de vocês permanece.

    • Moreira,

      o sr disse: “Nosso debate não tem esse foco que você está colocando. Nosso debate tem foco no evangelho de Jesus. É impossível servir a dois senhores”…

      Eu lhe pergunto: Quem está a servir dois Senhores? Ah, por favor!

  4. Eu. como evangélico que sou, discordo de alguns poucos pontos da Doutrina Católica, mas não posso negar seu papel na construção do mundo civilizado.

    • Então você vai concordar que:
      Se Hitler tivesse ganhado a guerra o mundo estaria muito melhor.

      Meu caro, nós podemos ser bonzinhos, mas, a verdade é a verdade, doa a quem doer.
      Se os católicos quiserem conhecer a verdade da Palavra de Deus, nós estaremos à disposição e os aceitaremos de todo o coração, mas não peçam para encobrir verdades.

      • Caro Moreira:
        Caro Moreira

        Não concordar com determinadas doutrinas católicas não significa odiar a Igreja Católica. Eu, por exemplo, discordo de algumas doutrinas dela, mas nem por isso a odeio. Existe uma campanha difamatória contra o catolicismo e nós evangélicos (não sei se vc é evangélico) muitas vezes não nos damos conta que isso nos atinge, ainda que indiretamente, pois na verdade a intenção não é de se destruir a Igreja Católica somente, mas o Cristianismo como um todo.

        Eu também acreditava em estória sobre as Cruzadas, Inquisição, sem levar em conta o contexto histórico e os motivos que as determinaram. Acreditava em números mirabolantes como MILHÕES de pessoas mortas pela Inquisição. Fiquei surpreso, ao pesquisar mais a História, que isso não passa de exagero e de distorções históricas.

        Tudo depende de como enxergamos as coisas. Veja, por exemplo, um pastor (ou padre) que prega contra determinados comportamentos como a prática da homossexualidade, se recusa a celebrar uniões gays, etc. Para esse pastor ele está mais do que certo, pois ele estaria apenas sendo zeloso com as coisas de Deus e tentando agradar a Ele. Mas já para uma pessoa integrante de alguma organização GLBT, tal pastor seria “intolerante”, “homofóbico”, “desumano”, e outras tolices mais.

        Veja que tudo depende de como as coisas são vistas.

        • Irmão Francisco, ninguém falou em odiar, nem em difamar. Fala-se em esclarecer verdades (João 8:32).
          Quanto a discordar dos conceitos católicos, lamento, mas pelo visto, você está muito desinformado. Eles se dizem Cristãos, mas não seguem nada do evangelho de Cristo e, por conseguinte eu sou obrigado a discordar de tudo.

          Meu caro irmão, não pense que você com essa fala mansa vai chegar a algum lugar porque não vai. Você está lidando com enormes forças do além.
          Leia na Bíblia, como Jesus, assim como João Batista, se referia aos que andavam segundo as tradições dos homens e não conforme a Palavra de Deus:
          Mateus 3:7 Quando viu que muitos fariseus e saduceus vinham para onde ele estava batizando, disse-lhes: raça de víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da ira que se aproxima?
          Mateus 12:34 raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração.
          Mateus 23:33 Serpentes! raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno?
          Lucas 3:7 dizia às multidões que saíam para serem batizadas por ele: raça de víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da ira que se aproxima?

          Veja no link abaixo alguns vídeos sobre como a igreja católica age em relação à Palavra de Deus:

          http://wp.me/p15Fxm-qo/#catolicismo

          • Moreira,

            O sr disse – Eles se dizem Cristãos, mas não seguem nada do evangelho de Cristo -

            Isso é mais que difamação é preconceito! Além do mais, dizer que Católico não é cristão mostra mais que ignorancia, mas também um orgulho perigoso. Se Católico não é cristão, Coca-cola não é cola!

            • Helen, eu entendo sua indignação. Com toda sinceridade, eu entendo mesmo. Quem está no engano, acha com toda lógica do mundo, que está certo. Eu digo isso porque eu também já estive na sua mesma posição, e defendia com unhas e dentes, como Paulo fez. Quando Paulo estava do lado dos Fariseus, defendia sua fé, e somente quando conheceu a verdade de Jesus, percebeu o quanto estava errado, e todos achavam que ele estava louco por causa das muitas letras:
              Atos 26:24 A esta altura Festo interrompeu a defesa de Paulo e disse em alta voz: “Você está louco, Paulo! As muitas letras o estão levando à loucura!”

              Agora vamos fazer uma suposta enquete com um juiz totalmente neutro:
              Imagine que chegasse um disco voador com ET’s na terra e eles nada soubessem sobre nossas religiões.
              Depois que mostrássemos as religiões católica e evangélica, perguntássemos:
              Qual é a que tem fé em Jesus e qual a que tem fé em Maria?

              Helen, agora eu te pergunto: Qual seria a resposta dos ET’s?

            • Você diz isso, mas as minhas vizinhas beatas que carregam uma imagem de Maria (toda resplendorosa) pra cima e pra baixo, de casa em casa (em cada casa a imagem fica 1 dia), com velas sempre acesas e com rezas em forma de ladainha, e cânticos de louvor, e fogos de artifício tipo rojão, não dizem isso que você diz.
              E tudo que elas fazem tem o aval do padre que de vez em quando comparece aos cultos à santa.
              Não se ouve falar em Jesus, mas somente na Santíssima Virgem Maria.

              Se eu estiver errado, me corrija.

            • Sr Moreira,
              O problema é que o sr julga o que não entende. Não há erro em honrar a Nossa Senhora e orar pela intercessão dela. O culto catolico é à Deus e somente à Ele.
              Se o sr se recusa a ouvir o que tem sido discutido aqui, do que adiante eu te corrigir, como o Sr sugeriu? Não presica concordar com o que os catolicos fazem, mas o seu testemunho é falso, e isso diante de Deus é pecado!
              Nós catolicos imitamos à Jesus, que como bom filho Judeu guardava o quarto mandamento, “Honrai a vossos pais”. Honrai no Hebreu significa Glorificar, vem da mesma raiz. Nós honramos à Maria, assim como fazia Jesus. Essa idéia não nasceu hoje, mas já na igreja primitiva. Ela mesmo profetizou que seria chamada Bem-aventurada, e assim o é! Bem-aventurada Maria, escolhida por Deus para levar em seu ventre o Salvador!

              Sugiro que o Sr leia a pagina entitulada Profissão da Fé no lado direito do cabeçalho deste blog. Lá encontra-se o resumo de tudo o que precisa saber sobre a nossa fé.

          • Prezado Irmão Moreira:

            Prezado Irmão Moreira:

            O senhor disse:
            “Quanto a discordar dos conceitos católicos, lamento, mas pelo visto, você está muito desinformado. Eles se dizem Cristãos, mas não seguem nada do evangelho de Cristo e, por conseguinte eu sou obrigado a discordar de tudo” (grifo meu).

            Sejamos razoáveis. Acho que o irmão exagerou um pouco. Não podemos afirmar que os católicos não seguem absolutamente NADA do evangelho de Cristo, nem muito menos que não são cristãos. Conheço bons católicos, pessoas altamente tementes a Deus e que tem uma profunda fé em Jesus Cristo.

            Nos versículos que o irmão usa posteriormente, Jesus está se dirigindo a quem? Aos FARISEUS, pessoas totalmente diferentes dos católicos, haja vista que os fariseus em hipótese alguma se utilizam de imagens! Aliás, os fariseus nem mesmo aceitaram que Jesus era Filho de Deus, e nem que Ele era o próprio Deus, ao contrário dos católicos que, como nós, aceitam uma e outra coisa. Portanto, em nada os fariseus se assemelham aos católicos.

            Quero dizer que também DISCORDO do uso de imagens, procissões, etc. Mas faça vc mesmo um teste (eu mesmo já fiz isso): chegue a qualquer católico, por mais simples que seja, e afirme para ele que existem mais de um Deus. Observe o comportamento e a reação dele. Ao dizer isso certamente ele ficará escandalizado, discordará de tal declaração. Isso mostra que, embora usem imagens e as reverencie (o que eu não concordo), para eles no fundo existe só existe um único Deus.

            • Sr Francisco,
              Muito boas suas palavras. O Blog agradece.
              APenas acrescento que é injustiça julgar a Igreja pela prática de cada católico e não por aquilo que ensina a Igreja. Como o Sr mesmo disse, a Igreja catolica é monoteíste, acredita em UM Deus, criador do Céu e da terra. A Igreja ensina que ela é a Nova Israel, agora não mais o Povo de Deus apenas, mas seus filhos, por adoção pelos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ora, se ela declara ser o cumprimento do Judaísmo, que por ordem de Deus, abomina a Idolatria, como poderia ela mesmo praticá-la?
              O Credo Catolico declara enfaticamente:

              Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos Deus de Deus, Luz da luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não feito, da mesma substância do Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E, por nós, homens, e para a nossa salvação, desceu dos céus: Se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras; E subiu aos céus, onde está assentado à direita de Deus Pai. Donde há de vir, em glória, para julgar os vivos e os mortos; e o Seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que procede do Pai; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele falou pelos profetas. Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Confesso um só batismo para remissão dos pecados. Espero a ressurreição dos mortos; E a vida do mundo vindouro. Amém.

            • Ah, Helen. Você está se contentando com uma “colherzinha de chá” que o irmão Francisco te deu?
              Eu fico a imaginar:
              Quanta satisfação você teria se abandonasse as velhas tradições da sua igreja e aceitasse Jesus como seu único e suficiente salvador.
              Você se livraria daquela carga pesada que sua igreja te coloca nas costas, mas que eles (sacerdotes) nem com um dedo movem.
              Lucas 11:46 – “Quanto a vocês, peritos na lei”, disse Jesus, “ai de vocês também! , porque sobrecarregam os homens com fardos que dificilmente eles podem carregar, e vocês mesmos não levantam nem um dedo para ajudá-los.

            • Moreira,

              Eu citei o Credo católico e provei que sua acusação é falsa ( a de que os católicos adoram à Maria). O Sr deveria se retratar!

              Quantos ao seu comentário, já que comparou os sacerdotes católicos aos fariseus…. Eis o que a Bíblia ensina…

              Então falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos,

              Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus.

              Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;
              Mateus 23:1-3

            • Sobre o credo:
              Isaías 29:13 – O Senhor diz: Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam é feita só de regras ensinadas por homens.

              Quais as obras dos Fariseus? Tradição.
              Quais as obras dos Católicos? Tradição.

              Do que adianta um credo que não é seguido?
              Já temos a Bíblia que é imensuravelmente melhor do que o credo.

            • A Bíblia é a Palavra de Deus. Compilada pela Igreja Católica, ela contém a Verdade, sobre a qual foi formulado nosso Credo!

              O Sr. disse que as obras dos Fariseus é a tradição… Mas Cristo disse aos Judeus de Seu tempo, como já mostrei, que seguissem o que os Fariseus ensinavam! Como o sr explica isso?

              Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem; Mateus 23:1-3

            • Jesus disse para seguir o que ensinavam, e não o que faziam.
              Eles tinham as escrituras na mão, mas seguiam as tradições.

              Os católicos tem a Bíblia no púlpito da igreja, mas seguem a tradição.
              Os católicos dizem que seguem Jesus, mas adoram Maria e mais não sei quantos santos (embora neguem).

            • Que engraçado o Sr querer usar um material protestante para estabelcer seu veredito sobre a Igreja católica! seria o mesmo que chamar um Escravagista pra julgar o escravo sentado no banco dos Réus! Um veredito o parcial seria naturalmente o resultado.

              Com isso dito, e haja visto o imenso dispendio de tempo e energia dedicados ao sr para o esclarecimento da fé Católica, sem nenhum resultado, informo que incerramos aqui, pela primereira vez na existencia do Blog, sua modesta participação. Seus videos são difamatórios e cheios de erro. Se o sr escolhe acreditar naquilo que aqui tem sido dito em defesa da fé católica ou não, é algo que lhe cabe. mas não será permitido o uso deste espaço para a divulgação de materiais levianos e difamatórios.

              pPax Domini

  5. Acredito que fatos históricos como a a Inquisição, as Cruzadas, além de serem muito mal entendidos pela maioria das pessoas, são pequenos diante da grande contribuição que a Igreja deu à humanidade, notadamente ao Mundo Ocidental

  6. A maioria das pessoas hoje não usaria a Bíblia para resolver uma controvérsia científica, mas isso não era o caso no século XVII.

    Nem hoje, que a igreja católica perdeu força, nem antes da criação da igreja católica, pois quem inventou tais proibições foi a própria igreja católica. Se não fosse exatamente isso, como Pitágoras, Arquimedes, e tantos outros teriam livremente avançado com todas as descobertas científicas?

    E como se agora vocês dissessem:
    Nós matamos, mas foi com apenas um tiro e não com dez.
    Nós enforcamos, mas a corda estava com almofada.
    Nós queimamos, mas o fogo era brando.

    E agora vocês dizem: Nós, agora, só não abrimos mão dos dogmas.
    Ora, vai ser só uma questão de tempo, quando o juízo da verdade pesar a mão. Aí, o que vocês irão inventar como desculpa?

    • Sr. Moreira,

      Sobre seu comentário :

      “Nem hoje, que a igreja católica perdeu força, nem antes da criação da igreja católica, pois quem inventou tais proibições foi a própria igreja católica. Se não fosse exatamente isso, como Pitágoras, Arquimedes, e tantos outros teriam livremente avançado com todas as descobertas científicas?”

      Não seja tolo, Sr Moreira, por favor! O artigo, que o sr parece não ter lido e tampouco entendido direito, declara exatamente o oposto da sua afirmação. A Santa Igreja usou a Bíblia como referência para a validação do trabalho de Copernico e por conseguinte, Galileu. Se não ficou claro, Galileu não foi condenado por ser cientista, mas por desobeder a liminar sob qual fora submetido no primeiro julgamento.

      Quanto à Igreja ser contra a ciência, outra falácia! Diga-me quem foi o cientista a desenvolver a teoria do Big-bang? Um padre católico, Georges Lemaitre.

      Além disso, o Sr já ouviu falar no observatório científico do Vaticano? Em Tomas Aquino? Em Agostinho?

      Já que é pra ser rídiculo, diga-nos, Sr Moreira, qual foi a contribuição à ciência dada à Humanidade por sua denominação, ou pelo fundador da sua igreja? Estamos curiosos!

      Por favor, não deixe que seu desdém pela Santa Igreja afete seu bom-senso.

      Pax Domini,

      • Sr Moreira;

        Qual é o metodo que o Sr usa para estudar a história? Porque fico preocupado que ainda ficas na ignorância do caso Galileu….
        Todos que estudam a história verdadeiramente sabem qual erá o problema do Galileu com a Igreja católica.
        A igreja Católica nunca foi contra os cientistas honesto, Copernico erá Monge e foi cientista a Igreja nada fez ao contra Copernico e outros tantos.

        Pax domini

        • Meu caro, Galileu, Leonardo Da Vinci, Padre Bartolomeu de Gusmão, e tantos outros foram casos simples, e conseguiram salvar-se porque se acovardaram e assinaram termos ou fugiram, além de terem apadrinhamentos de autoridades que amenizavam os processos.

          A igreja católica partilhava com a ciência em colégios controlados pela própria igreja, pra não fugir o controle que exercia sobre o mundo civilizado.
          O Papa teve a audácia de endossar a divisão do mundo em duas partes (Tratado de Tordesilhas), ficando uma parte para a Espanha e outra para Portugal.

          Meu caro, ai de mim, que falo estas coisas, no tempo que a igreja católica era soberana, dona da razão, onde a palavra do papa era a palavra de Deus. Os católicos perderam a força do endeusamento porque o Espírito Santo levantou o Protestantismo pra brecar a fúria satânica que se instalara através do catolicismo.
          Os Estados Unidos foram civilizados por protestantes porque eles, os colonizadores, estavam fugindo do domínio católico que matava a quem seguisse a Bíblia.

          Você ignora, mas satanás está mais presente no seio da terra do que você pensa.

          • Moreira,
            Ao falar dos EUA que foi civilizados por protestantes,temos alguns coisas a constar, então vamos analisar esse país atualmente : acumula grande parte das bombas atômicas, possui grandioso poder militar ,possui um misterioso projeto chamado HAARP, entre outras muitas coisas que os EUA fazem em busca do poder, mas para utilizar contra quem? Outros seres humanos e a natureza. E tem um ponto interessante sobre os Estados Unidos que é o desperdício de ate 40% de alimentos.
            Chega a ser chato esse falatório que cai no mesmo ponto, apresente provas concretas como as minhas que divergem para outros campos(geografia, ciência, sociologia). E me poupe de suas histórias contadas do jeito que você quer.
            E se satanás está por ai, você não está desapontando ele, pois discute cria um ”clima” ruim , levando essa discussão a apenas a inimizade.

Os comentários estão desativados.