A Igreja Católica prega o ‘arrebatamento’?


A Segunda vinda do Senhor

Não, tal e qual ele tem sido divulgado pelas Igrejas Evangélicas, não prega. O “arrebatamento” refere-se a uma passagem na primeira Carta aos Tessalonicenses, capítulo 4, que fala sobre cristãos sendo “apanhados” nas nuvens para encontrarem o Senhor nos ares. Muitos cristãos não Católicos têm uma interpretação equivocada dessa passagem, e “Left Behind” (Deixados para Trás, em Português), um livro publicado nos EUAs, tem ajudado a divulgar essa idéia de que seremos “apanhados” para encontrar o Senhor antes da Grande Tribulação que está vindo em nossa direção, num futuro próximo.

Segundo essa teoria, os cristãos vão simplesmente desaparecer,  para encontrarem-se com Jesus em algum lugar nas nuvens, e depois retornarem com ele para o céu para aguardar o fim dos tempos. Mas note, no versículo 17, Paulo diz que “… nós que estamos vivos, que estivermos ainda na terra,” seremos arrebatados…. Lembre-se que … aqueles que “estiverem ainda na terra” serão apanhados ao encontro do Senhor.

O livro “Left Behind” obteve seu nome a partir de uma passagem em Lucas 17 e outra passagem semelhante em Mateus 24, que falam da vinda do Senhor como nos dias de Noé e os dias de Lot. Mateus 24 diz o seguinte: “Como foram os dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem … eles comiam, bebiam, casavam-se e eles não sabiam até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. Em seguida, dois homens estarão a trabalhar no campo, um será levado e o outro será deixado para trás. Duas mulheres estarão a moer no moinho, uma será levada a outra será deixada para trás.”

“Veja”, argumentam os entusiastas do arrebatamento: “Um será levado, o outro deixado … Eis o arrebatamento! Jesus leva os cristãos e deixa para trás os não-cristãos!” Há dois problemas com esta interpretação: Primeiro, a vinda de Jesus está sendo comparada aos dias de Noé e os dias de Lot. Porém, depois do dilúvio, quem foi deixado? Noé e sua família, os justos, enquanto os pecadores foram levados! Depois que Sodoma e Gomorra viraram fumaça, quem foi deixado? Lot e suas filhas, os justos, mas os pecadores foram levados! Em segundo lugar, lembremo’nos de 1 Tessalonicenses. Lá está escrito que aqueles que são “deixados” vão ao encontro de Jesus nos ares, não os que são levados. Ou seja, os justos são deixados para trás ao encontro de Jesus.

Em outras palavras, o Cristão deve desejar ser deixado para trás, para que possa ser apanhado nas nuvens, onde irá ao encontro de Jesus no ares, que irá acompanhá-lo de volta à Terra na Sua segunda e definitiva vinda. Portanto, não haverá arrebatamento tal e qual tratam os livros como Left Behind, pois essa visão não é bíblica.

Leia mais: Entenda o arrebatamento: As diferentes posições protestantes e o que ensina a Igreja Católica

About these ads

43 comentários sobre “A Igreja Católica prega o ‘arrebatamento’?

  1. DEBATE COM UM PROTESTANTE:
    ………………………..

    Confesso que no Final fiquei com dó dele.

    .

    PROTESTANTE: “nós interpretamos a Bíblia no corpo de Cristo”.
    ………………..

    Onde a bíblia manda que os fiéis interpretem a bíblia no corpo de Cristo? Que diabos significa interpretar a bíblia no corpo de Cristo?

    Ora, sabemos claramente que a sua igreja presbiteriana interpreta de uma forma, e a outra que não é presbiteriana interpreta de outra, e isso há séculos, cada uma interpreta de uma maneira diferente…

    PROTESTANTE: “Há uma briga acirrada entre a Presbiteriana contra tais igrejas (evangélicas modernas)”.
    ………………………………………….

    Ora, mas então quem tem razão? Vocês ou eles?

    Por que a interpretação de vocês vale mais do que a deles? Eles não pedem o Espírito Santo enquanto estudam a bíblia?

    Veja como você somente pode se enrolar ao tentar responder tal questão, porque chegará a conclusão, claro, que o mundo inteiro está errado para…tchan, tchan, tchan, tchan…você estar correto!

    Todos erram, mas você acerta. Você rejeita o fato bíblico que a Igreja é a coluna e o sustentáculo da verdade, mas você crê que você seja a coluna e o sustentáculo da verdade.

    Você rejeita a infalibilidade da Igreja, mas você se julga infalível ao interpretar a bíblia, porque você, é claro, é iluminado pelo Espírito Santo, você, é claro, não abandonou a lógica e nem a razão (há, há, estes romanistas não conseguem enganá-lo, não é mesmo?).

    Você recusa o papa guiando a Igreja de Cristo como Moisés guiou o povo santo no deserto, mas você mesmo é a sua própria seita se guiando infalivelmente, onde nela o carga papal é exercido pela sua própria pessoa, esta sim infalível!!!

    Aliás, todo protestante é ele, sozinho, uma seita. E a bíblia ainda diz: maldito o homem que confia no homem.

    Não confie em você, confie em Cristo e na Igreja.

    PROTESTANTE: “Sou da Igreja Presbiteriana do Brasil e nela só podem exercer o cargo de pastor, pessoas enviadas a seminários. Ninguém que não possua este legado pode exercer o ministério da pregação da Palavra”.
    …………………………………..

    Você é da igreja presbiteriana do Brasil e nós somos da Igreja de Cristo, esta é a diferença entre nós.

    E para pregar e ensinar a bíblia corretamente Cristo não mandou ninguém ao seminário: antes, ele ENVIOU os apóstolos dando-lhes esta missão.

    O seminário não te faz um apóstolo, o que te faz apóstolo é ser enviado por Cristo e pela Sua Igreja.

    É Cristo quem envia, meu caro, é a Igreja Dele quem envia, e não o seminário presbiteriano reformado nascido da heresia e da blasfêmia luterana.

    Ora, quem enviou São Paulo? Cristo, que ainda teve que conhecer São Pedro para “acertar os ponteiros”.

    E quem enviou Matias? A Igreja.

    E quem enviou Timóteo? A Igreja.

    E quem te enviou, meu caro? Ninguém, a não ser Satanás.

    PROTESTANTE: “ estudamos a Palavra dirigido pelo pastor que segue as confissões de fé e catecismos como por exemplo (…)”.

    Onde a bíblia ensina que se deve seguir os catecismos que você cita? Eles são infalíveis?

    Não, a bíblia é que é infalível, você me dirá, não é mesmo?

    Mas todos os protestantes que você citou como sérios, como os batistas, tem a mesma doutrina que você, presbiteriano?

    Claro que não. Mas vocês seguem a mesma bíblia e estudam os mesmos catecismos?

    Então porque não batizam igualmente crianças, ou não é óbvio e bíblico que crianças devam ser batizadas, e que elas são horrivelmente prejudicadas, satanicamente prejudicadas, por não serem batizadas?

    Ora, porque os batistas não as batizam então, e vocês, Presbiterianos, batizam?

    E você não crê, a maneira presbiteriana, na presença de Cristo na hora em que as palavras de consagração são ditas durante a tal “Ceia do Senhor Reformada”?

    Então porque eles não creem igualmente nesta presença, da mesma forma que você crê?

    Não percebe que mesmo aqueles que você cita como estando do seu lado discordam em muitos aspectos, sendo que somente existe uma fé, de acordo com as escrituras?

    Por que a sua interpretação vale mais do que a dos batistas?

    Por que você está certo e ele errado?

    E as outras igrejas presbiterianas, creem todas igualmente?

    PROTESTANTE: “Primeiro, você precisa me provar que a Igreja Católica Romana é a igreja de Cristo e que a Reformada não é. E como se faz isso? Seguindo a tradição? Não! De maneira alguma, analisando cada ponto das confissões e catecismos, para chegarmos a um comum acordo e ver qual delas saiu do caminho”.
    ………

    Veja como você não segue a bíblia. São Paulo diz:

    “irmãos, estai firmes e retende as TRADIÇÕES que vos FORAM ENSINADAS, seja por palavra, seja por epístola nossa.”.

    Os fiéis receberam as TRADIÇÕES dos apóstolos de duas maneiras: ouvindo o que eles pregavam e lendo o que eles escreviam!

    Impossível eles terem escrito tudo, como ontem lhe mostrei dando o exemplo de São Paulo aos corintios, que disse claramente que quando lá chegasse esclareceria outras questões importantes não tratadas por ele naquela carta.

    Se você me der chance, eu lhe apresentarei cem mil passagens para demonstrar que os fiéis sempre creram também naquilo que não está escrito, e isso usando muitas passagens bíblicas.

    Apenas citando um único exemplo, coloco a seguinte passagem:

    II Timóteo 3, 8 – Como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes homens de coração pervertido, reprovados na fé, tentam resistir a verdade”.

    Ora, quem são Janes e Jambres? A Bíblia não fala deles.

    Qual foi a resistência que eles impuseram? E contra quem?

    Te explico: segundo a Tradição oral judaica, estes dois indivíduos foram os magos que pertenciam ao quadro de feiticeiros do Faraó, e foram também estes dois que fizeram aparecer cobras diante de Moisés.

    Sabemos disto pela Tradição, e sabemos que é verdade, porque senão Paulo não teria citado este acontecimento extra bíblico para fundamentar seu ensinamento.

    Portanto, Paulo acreditava na Tradição Oral de seu povo, e não questionava (nem é questionado) sobre onde estas informações estão na Bíblia.

    Mas se você lá estivesse ao ler estas palavras de São Paulo certamente sacaria sua Almeidona “nova tradução” e iria questionar-lhe:

    “onde está no antigo testamento esta história inventada por você, seu Paulo romanista?”.

    Tenho prazer em lhe informar que você será católico a partir de agora! Porque mostrar que a Igreja Católica é a Igreja de Cristo é tão fácil quanto mostrar que o fogo queima e a água molha.

    Se você discorda, é porque o problema está em você, e não na demonstração, que é algo elementar que qualquer pessoa de boa fé pode entender para aceitar.

    Mas o protestante não deseja, via de regra, a verdade: ele deseja estar certo! E é por isso que se perdem.

    Sobre analisar cada ponto das “confissões e catecismos”, isso me faria rir se não fosse trágico para você sua pertinácia nos erros.

    Não conhece você a fé que vem desde os apóstolos até os dias de hoje?

    Não conhece você a fé da Igreja Primitiva na transubstanciação?

    Não conhece você a fé desta mesma Igreja na própria Igreja e na Tradição como fonte de revelação?

    Ora, quem definiu o Canon bíblico, se não foi a Igreja?

    Logo, ela é fonte de revelação, porque Cristo revelou a Igreja os livros bíblicos que eram e que não eram inspirados.

    Há alguns anos até seria mais aceitável alguém defender o protestantismo com base em alguma dificuldade em acessar a história eclesiástica verdadeira. Mas hoje, com o advento da internet, isso não existe mais e qualquer pessoa com a alma reta e bem intencionada consegue ter acesso a todas estas informações, que estão disponibilizadas pelos sites católicos, e ao final compreender o óbvio, o evidente:

    Deus enviou Cristo e Cristo enviou a Igreja: quem ouve Cristo ouve Deus e quem rejeita Cristo rejeita Deus e quem rejeita a Igreja, como você, rejeita Cristo!!!

    PROTESTANTE: “Se tu for seguir esta idéia de um monge católico romano, você nunca irá a lugar algum, pois isso é uma tentativa infeliz de lavagem cerebral ao ignorante: ‘Temos que nos submeter às determinações da Santa Igreja. Embora nossa razão rejeite algum dogma, nossa submissão deve ser incondicional. Se isto é branco e a Santa Igreja diz que é preto, devo-lhe acatar a decisão e renunciar à lógica’.
    …………………………..

    Você renunciou a lógica quando passou a crer que você seria infalível interpretando os textos bíblicos, que são dificílimos, diga-se de passagem, tanto que você não se entende com os seus irmãos na heresia como os batistas e outros sobre questões fundamentais como o batismo e a Santa Ceia, entre muitas outras.

    Durante a revolta protestante, em menos de poucos anos já se contava mais de 100 interpretações diferentes para o “isso é meu corpo”, dito por Cristo.

    Imagine você,: dezenas, centenas de interpretações para uma única frase de poucas palavras ditas por Cristo!!!

    Mas todos os que deram e continuam dando sua interpretação falsa a esta frase se julgam infalíveis, pensando que todos os outros estão errados para, logicamente, somente eles estarem certos, porque como disse todo protestante é ele, sozinho, uma seita, onde o papa é ele mesmo, que se julga infalível ao interpretar as escrituras, rejeitando a infalibilidade de Pedro, que o próprio Cristo a transmitiu. Logo, Pedro possui, tem posse, daquilo que pertence a Cristo.

    PROTESTANTE: ” Estas chaves é o legado de receberem as revelações finais como Cristo os havia dito. A chave seria a garantia, o selo de que o Espírito por meio deles, abriria as revelações complementares. Isso é fundamental meu caro”.
    ……………………………………

    Meu caro, o “proprietário” da chave é Cristo, mas ele a empresta a Pedro. Leia o que diz Isaías 22, e veja quem conhece a bíblia aqui, se a Igreja Católica ou vocês:

    Isaías 22, 20 e seguintes – Naquele dia chamarei meu servo Eliacim, filho de Helcias. Revesti-lo-ei com a tua túnica, cingi-lo-ei com o teu cinto, e lhe TRANSFERIREI OS TEUS PODERES; ele SERÁ UM PAI PARA OS HABITANTES DE JERUSALÉM e para a casa de Judá.. Porei sobre seus ombros A CHAVE DA CASA DE DAVI; se ele abrir, ninguém fechará, se fechar, ninguém abrirá; fixá-lo-ei como prego em lugar firme, e ele será um trono de honra para a casa de seu pai.. Dele estarão pendentes todos os membros de sua família, os ramos principais e os ramos menores, toda espécie de vasos, desde os copos até os jarros.

    Portanto, de acordo com a bíblia que você não conhece, porque somente a Igreja Católica Apostólica Romana a conhece, porque foi ela quem a escreveu e somente ela pode a explicar, quando Deus escolhe alguém para transferir os seus poderes este alguém é um pai (papa) para os “habitantes de Jerusalém” (hoje, os verdadeiros cristãos), e este pai, o Papa, possuindo as chaves que não lhe pertencem, porque pertencem a Cristo, faz uso destas chaves de acordo com a vontade divina: ele abre e ninguém fecha, ele fecha e ninguém abre.

    Glória a Deus pelo papado e malditos sejam todos aqueles que o rejeitam e o combatem!!!

    Aliás, a explicação que você deu as chaves se encontra aonde na bíblia?

    É a sua interpretação das chaves, e porque ela valeria mais do que a nossa, que nos apoiamos também neste Isaías 22?

    Agora, o que você pode falar sobre Isaías 22?

    Não pode falar nada, prezado, porque Isaías 22 o humilha!

    PROTESTANTE: “Para que isso tivesse validade e prestigio, seria necessário, a própria Palavra dizer que este meio é perpétuo, ou seja, de geração em geração”.
    …………………………………

    Onde a bíblia diz que para ter validade e prestígio a própria palavra precisaria dizer tal coisa?

    Meu caro, para de sofismar, a Igreja determina o que ela faz: a mente de Deus está manifestada nas sagradas escrituras, onde no Antigo Testamento vemos Deus colocando papas, pais, a frente do povo, como líderes religiosos e políticos.

    Exemplo: Deus mandou jamais construir qualquer imagem de ídolo, e muito menos de animais que rastejam pela terra, condenou os ídolos egípcios e todos os outros e mandou AO MESMO TEMPO construir a serpente de bronze, um ídolo no Egito, mas uma benção para Israel.

    Imagine você lá sacando sua Almeida “nova tradução, corrigida e reformada” e a esfregando na cara de Moisés quando o visse fundir o bronze para confeccionar a bendita imagem!

    Ora, não basta ler o texto, é preciso interpretá-lo e naquele momento a sabedoria divina da interpretação estava na cátedra de Moisés, prefiguração do papado, assim como aquele povo era a prefiguração da Igreja.

    Rezando pela sua conversão, suplicando que a virgem Maria, no céu, interceda por sua alma, despeço-me aguardando vossa refutação para novamente aniquilá-la.

    //
    COMO EU ME ORGULHO DE SER CATÓLICO

  2. Bruno Mendonça disse:Esse tal arrebatamento onde a palavra mais correta seria transladação nada mais é do que uma morte e uma ressurreição instantânea como São Paulo mesmo diz, (em um piscar de olhos) [Edmilson]

    COLEGA BRUNO MENDONÇA SE ESSE BLOG FOSSE MEU VOCÊS SATÂNICOS VIBRADORES PROTESTANTES DE 50 MIL SEITAS SERIA FACILMENTE REFUTADOS ESSA É SUA SORTE
    //
    VAI UMA DICA VAI ESTUDAR A PATRÍSTICA VOCÊ FALA MUITA LOROTA VOCÊ É TÃO TOSCO QUE NEM SABE LÊ O QUE A BÍBLIA REALMENTE ENSINA POIS SE SE VOCÊ ESTIVESSE CERTO N
    NUNCA SERIA UM PROTESTANTE .
    //
    SÓ MESMO A HELEN PRA TER PACIÊNCIA COM PIADISTAS INOCENTE COMO VC

  3. Quero primeiramente dizer, que a nossa crença no arrebatamento, não é fundamentada no livro e no filme “Deixado Para Trás”, mas é já bastante tempo que isso é pregado e ensinado.

    - Lá está escrito que aqueles que são “deixados” vão ao encontro de Jesus nos ares, não os que são levados. Ou seja, os justos são deixados para trás ao encontro de Jesus.

    Resposta: É uma alegação erradicima, pois em Apocalipse 3:10 diz: “Como guardastes a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.”. Os justos (cristãos) que guardam a palavra do Senhor e as pratica, não serão deixados para trás, mas sim, serão elevados aos céus para estar pra sempre com o Senhor e não participaram da Grande Tribulação que fique bem claro.
    Mas o Senhor Jesus explica e afirma com certeza usando a parábola das dez virgens, que haverá sim um grupo de cristãos não fiéis, não sabemos a quantidade deles, mas são cristãos comparados com as virgens nércias ou loucas, pois não estarão preparados.

    - Portanto, não haverá arrebatamento tal e qual tratam os livros como Left Behind, pois essa visão não é bíblica.

    Resposta: O senhor diz que não haverá arrebatamento pois não é bíblica, e sim, uma afirmação de um mero livro. Pois bem, citarei exemplos bíblicos que realmente de fato haverá a ascenção da Igreja do Senhor aos céus:
    1. João 14:3 diz: “E quando eu for, e vos preparar lugar, VIREI OUTRA VEZ, E VOS LEVAREI PARA MIM MESMO, PARA QUE ONDE EU ESTIVER ESTEJAIS VÓS TAMBÉM.” (Promessa de Cristo)
    2. Mateus 24:31 diz: “E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, OS QUAIS AJUNTARÃO OS SEUS ESCOLHIDOS desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.”
    3. Em Lucas 21:28, o Senhor Jesus nos exorta dizendo: “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, OLHAI PARA CIMA E LEVANTAI AS VOSSAS CABEÇAS, porque a vossa REDENÇÃO está próxima.”. Isto significa que a nossa salvação será no momento momento do arrebatamento na vinda de Cristo nos céus.
    4. Em 1 Coríntios 15:51-55, Paulo revela pelo Espírito Santo, a ressureição daqueles que morreram em Cristo e o arrebatamento dos vivos em Cristo, em corpos transformados, ou seja, em corpos glorificados, com uma grande canção com uma só voz da Igreja. Pois justamente o Reino de Deus espiritual, não pode ser habitado por corpos que possui carne e sangue (1 Coríntios 15:50).

    E outras passagens bíblica que afirma a ascenção do corpo de Cristo ao Reino de Deus com o encontro maravilhos do noivo com a noiva, cumprindo a união de Jesus com a Igreja.

  4. amigos as coisas de Deus são simples, vai haver o arrebatamento em breve não sabemos o dia nem a hora e nem nos compete saber, quem não for arrebatado vai dizer que foram extraterrestre, que na realidade não existem, os mesmos foram criados por satanas, por isso vamos buscar a nosso Deus maravilhoso de todo coração, pois só assim estarem com o nosso amor Jesus. amém.

  5. As pessoas estão tão preocupadas com quem é o dono da razão, porque cada um não procura fazer sua parte? Jesus vai voltar em breve devemos procurar agradar a Deus e viver uma vida digna.

  6. Essa Helen só fala heresia aff mina vai te converter que é melhor, deixa essa ceita que tem droutrinas pagãns… e aceite a jesus que é melhor!

    • Hayllon Nykollas seita é desgraça vinda de Lutero
      que nem 500 anos tem

      pagã é o protestantismo filho do diabo

      Hayllon Nykollas no meio das seitas protestantes todos os dias aparecem
      novos pastores novas seitas

      tem de tudo no meio da seita protestantes
      igrejas com suas vãs doutrinas que negam Jesus Cristo Deus

      outras como os mórmons adventista universal tem até as novas seitas de igrejas de homossexuais kkkkkkkkkkkkk

      se liga vagabundo Hayllon Nykollas

      seita é isso a igreja católica tem 2000 anos me prove o contrário analfabeto

  7. Portanto a O arrebatamento sera ANTES DA GRANDE TRIBULAÇAO .OS teologos do catolicismo teimam em nao crer neste evneto maravlhosos.Mas nos, os salvos , e lavados pelo sangue do cordeiro, orando e vigiando, aguardamos a vinda do mestre e REI!! Agora, os catolicos coitados! ESperam o arrebatamento onde? E as almas do purgatorio ? ? O arrebatamento causa serissimas embaraços aos teologos exegestas catolicos por que nao sabem responder como ficariam a situaçao “imaginaria ‘das almas de milhares de catolicos “purificando-se ” no purgatorio

    • É “coitados dos católicos, vão ficar e queimar” É por isso que não entendo protestante nenhum, sempre se achando os melhores e os merecidos. humildade nunca é o forte deles, sabem tudo, respondem tudo ,não sei porque não está escrito na bíblia deles que eles são os próprios deuses, pois já julgam como tais.

  8. O Arrebatamento da Igreja
    Tipo: Estudos bíblicos / Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa

    ARREBATAR SIGNIFICA tirar com violência ou força; raptar; arrancar; tirar rapidamente. Portanto, a Igreja será retirada da Terra por meio sobrenatural. Será um milagre de proporções gigantescas porque alcançará todo o planeta. O arrebatamento só será plenamente compreendido quando acontecer. É ainda mistério porque não nos foi revelado nos mínimos detalhes (1 Co 15.51).

    As promessas: “… virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também…” (Jo 14.3); “Venho sem demora. Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3.11); “Eis que cedo venho!” (Ap 22.12); “E ele enviará ao seus anjos, com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos…”(Mt 24.31; 1 Ts 4.13-18).

    Quando acontecerá: “Porém daquele dia e hora ninguém sabe… Portanto vigiai, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Por isso estais vós também apercebidos, porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis” (Mt 24.35,36, 42-44; 25.1-13). A surpresa será uma das características do arrebatamento.

    Como será: Não há palavras com que se possa descrever esse momento de glória e de manifestação do poder de Deus. Será um acontecimento extraordinário e glorioso. “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor” (1 Ts 4.13-18). Participarão desse evento:

    1 – O Senhor Jesus: …”o mesmo Senhor descerá do céu…” (1 Ts 4.16-a).

    2 – O arcanjo Miguel: “Nesse tempo se levantará Miguel… livrar-se-á teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro” (Dn 12.1); “e com voz de arcanjo” (1 Ts 4.16-a). O chamamento será ouvido apenas pelos salvos. Outra característica do arrebatamento é que não será percebido, ouvido ou detectado pelo mundo.

    3 – Os mortos em Cristo – Estes serão os primeiros; ressuscitarão em corpos espirituais, gloriosos e incorruptíveis: “Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, é ressuscitado em incorrupção; semeia-se em ignomínia, é ressuscitado em glória; semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder; semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual” (1 Co 15.40-58).

    4 – Os vivos de Cristo – Logo após a ressurreição e arrebatamento dos mortos, os vivos, terão seus corpos transformados e então todos, juntos (mortos ressuscitados e vivos transformados), subirão para o encontro com o senhor Jesus nos ares (1 Co 15.51, 52; 1 Ts 4.17).

    Qual a duração: Será numa rapidez tão grande, que nenhum instrumento poderá medir sua duração. Será na menor fração de tempo possível. A Bíblia diz que será “num momento, num abrir e fechar de olhos” (1 Co 15.52). Nesta passagem, Paulo usou o termo grego átomos que sugere “algo impossível de ser cortado ou dividido”. Para Deus tudo é possível.

    Onde será: Não haverá um lugar especial. Os vivos serão arrebatados onde e como estiverem: no trabalho, mesmo que esteja trabalhando debaixo das águas ou debaixo da terra; no meio da rua; dentro de ônibus; fazendo compras; dirigindo veículos; tomando banho; dormindo; pilotando aviões; dentro de elevadores. Não importa a situação em que se encontrem. Importa que sejam lavados e remidos no sangue do Cordeiro.

    As leis naturais do Universo não impedirão a operação do formidável milagre do arrebatamento. Agindo Deus, quem impedirá? A Gravidade – atração exercida pela Terra – não impedirá que os corpos flutuem e voem para o encontro com o Senhor Jesus; a terra não conseguirá reter os corpos dos mortos em Cristo. Nada impedirá a retirada do povo de Deus deste planeta. O encontro da Igreja com Jesus dar-se-á nos ares, acima das nuvens, num lugar não alcançado pelos olhos do mundo.

    Os mortos em Cristo ressuscitarão: Não importa se tenham morrido há dois dias ou há dois mil anos; se tenham sido cremados e suas cinzas espalhadas sobre o mar; se seus corpos tenham ficado retidos a 500 metros de profundidade, na terra ou nas águas. Todos ressuscitarão. Ressuscitar significa a volta à vida do corpo original; o retorno da alma ao corpo físico primitivo. Noutras palavras, ressuscitar significa reviver. O novo corpo será igual ao corpo de Cristo (Fp 3.21; 1 Co 15.35-54; 1 Jo 3.2). Cristo foi o primeiro a ressuscitar: “Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda” (1 Co 15.23). O apóstolo Paulo escreveu, solene:

    “Eis que vos digo um mistério: … os mortos ressurgirão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (1 Co 15.51-54; 1 Ts 4.16-17). Paulo acreditava na volta iminente de Jesus. Por isso, disse que “nem todos dormiremos” (1 Co 15.51), ou seja, nem todos daquela geração passariam pela morte física, mas seriam arrebatados e transformados.

    A ressurreição será literal, ou seja: a alma e o espírito unir-se-ão ao corpo original. Este, porém, será revestido de um corpo espiritual. A regra serve para justos e ímpios: “Não vos maravilheis disto, pois vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz [a voz do Senhor Jesus] e sairão: os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida, e os que praticaram o mal, para a ressurreição da condenação” (Jo 5.28-29). A diferença está em que os crentes em Jesus ressuscitarão em corpo glorioso. Esta ressurreição faz parte do contexto da Primeira Ressurreição, que se divide em três fases:

    Ressurreição de Cristo e de muitos santos, constituindo estas o primeiro molho de trigo colhido. Significa dizer que Jesus ressuscitou com um grupo, um “feixe”, um “molho”, “as primícias dos que dormem”. A Festa das Primícias, de Levítico 23.10-12, tipificava a ressurreição de Cristo e a dos santos (Mt 27.52; 1 Co 15.20-23). Vejamos essa tipologia: a) A colheita das primícias (os primeiros frutos maduros) de Levítivos 23.10-11, diz respeito ao primeiro molho colhido da Primeira Ressurreição, a de Cristo e dos santos ressuscitados com Ele (Mateus 27.52; 1 Coríntios 15.20); b) A colheita geral aponta para o arrebatamento da igreja (1 Tessalonicense 4.16-170; c) A colheita das espigas caídas (restolho ou sobras) de Levítivos 23.22 tipifica os salvos da Grande Tribulação: os 144 mil judeus de Apocalipse 7.4 e 14.1-4 e os gentios salvos de Apocalipse 7.13-14. Todavia, Jesus continua sendo o primeiro que ressuscitou dentre os mortos, porque a ressurreição dos santos, de que trata Mateus 27.52, deu-se após a dEle (Cl 1.18).

    Ressurreição dos mortos no arrebatamento (1 Ts 4.14-17).

    Ressurreição dos “mártires da Grande Tribulação”, correspondente ao restolho da ceifa (Ap 6.9-11; 7.9-17; 14.1-5; 20.4-5).

    A Segunda Ressurreição será a dos ímpios e dar-se-á após o Milênio, para que diante do Grande Trono Branco recebam a condenação. Esta é a segunda morte (Ap 20.5-6; 11-15; Hb 4.13). Daí porque devemos fazer parte da primeira ressurreição.

    Os vivos serão transformados: O intervalo entre a ressurreição dos salvos mortos e a transformação dos salvos vivos será o menor possível, ou seja, o menor tempo que se possa imaginar. É o que depreendemos de 1 Co 15.52 e 1 Ts 4.16-17. Primeiro, a ressurreição; logo em seguida, a transformação. E todos seguirão em corpos incorruptíveis para se encontrarem com Jesus muito longe da terra. A transformação de nossos corpos será necessária porque nada impuro entra no céu. Teremos um corpo imortal apropriado às regiões celestiais. O nosso corpo glorioso terá semelhança com o corpo de Cristo, como já dissemos.

    Com o arrebatamento, estaremos livres da ira vindoura; livres da Grande Tribulação e da morte eterna (1 Ts 1.10; 5.1-11; Lc 21.36). A Igreja não conhecerá o Anticristo. Atentemos para as palavras do Senhor Jesus: “Visto que guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da tribulação que há de vir sobre todo o mundo, para provar os que habitam sobre a terra” (Ap 3.10)

  9. O ARREBATAMENTO “DA IGREJA”

    Inúmeros líderes de Igrejas cristãs da atualidade, de variados entendimentos bíblicos teológicos, se proclamam autênticos seguidores da moral evangélica do Cristo e, por conseguinte, idealizam que as suas Igrejas, em particular, será arrebatada fisicamente do ambiente terrestre nos transes das grandes tribulações humanas que sobrevêm nos finais de ciclos para desfrutar diretamente, sem nenhum esforço coletivo, as bodas do Cordeiro no reino celestial. Eximindo-se assim numa atitude egoística de exemplificar perante os demais irmãos da humanidade aquilo que Jesus mais fez questão de ensinar e vivenciar na sua jornada terrestre: a paciência e resignação nas tribulações da vida humana.

    São decorridos mais de XX séculos em que árvore do cristianismo abriga sob a sua sombra benéfica as almas humanas, ensinando sob figuras de linguagem os mistérios da imortalidade para além do plano físico terrestre. Essa árvore para chegar frondosa aos nossos atuais dias sofreu ao longo dos séculos os embates da má vontade humana, em forma de tribulações cruciais às suas primeiras sementes, mutilações na formação dos seus primitivos ramos, destruição e queimadas nos seus galhos iniciais.

    Muitos líderes atuais dessas Igrejas modernas desconhecem, ou fingem desconhecer, os martírios e tribulações pelos quais passaram os trabalhadores da boa nova dos primeiros séculos de cristianismo, ignorando assim sem racionalizar com integridade, a labuta do crescimento da árvore cristã para chegar aos nossos dias.
    Utilizando uma figura de linguagem bem simples: aderem ao movimento evangélico que leva a bagagem de mais XX séculos de biografias das sociedades terrestres, e sem reflexionar o pão que “o diabo” da alma humana amassou (distante do bem) em rejeição à pureza aos princípios da vivência cristã.

    Aqui abrimos um parágrafo de reflexão para ajudar irmãos de embrionário entendimento que se julgam inclusos em arrebatamento direto para o reino celestial, descaracterizando a mensagem viva da cruz, do trabalho nobre, do sacrifício pessoal, da perseverança no bem, da humildade e simplicidade nas coisas espirituais, com Jesus: aquele que quiser ser o maior, então que seja o servo de todos; quem a si mesmo se exaltar, será rebaixo na vida celestial; e os últimos é que realmente serão os primeiros…

    BREVE RELATO DO CRISTIANISMO:

    As primeiras tribulações aos ideais do Cristo foram encabeçadas por Herodes, governador da Judéia, após receber a visita dos astrólogos que estavam na busca de localizar a cidade onde o menino Jesus havia nascido. E Herodes temendo o seu futuro político, baixou um decreto e autorizou a mortandade de todas as crianças do sexo masculino com até dois anos de idade (Mateus 2. 16).

    Quando Jesus completou 30 anos começou a sofrer perseguições do Sinédrio, Templo de Jerusalém, onde se praticava a religião mosaica com base no Antigo Testamento das escrituras. O Sinédrio comandava a religião dominante nessa época, na Judéia, e sentiu-se abalado em sua estrutura íntima pela moral que Jesus propagava e vivenciava diante do povo. Os Sacerdotes liderados por Caifás resolveram então promover aflições aos ideais de Jesus, e essas perseguições foram intensas que culminou no desfecho da condenação e crucificação de Jesus. De fato Jesus foi condenado à morte na cruz por acusação da Religião na figura dos Sacerdotes de Jerusalém; e pelo Poder Político que simplesmente lavou as mãos diante das exigências impostas pelo Sinédrio, e que influenciou a massa popular para aplaudir esse ato bárbaro.

    Três cruzes se erguem no alto do monte, naquela sexta feira do ano 33 em que se consumou a ação da condenação de Jesus. Alguém que contemplasse a imagem do crucificado apenas pela visão carnal, abandonado pelos seus seguidores e amigos mais íntimos, e perseguido pelos influentes que executavam a religião dominante da época: os fariseus e saduceus; e também ignorado pelas autoridades políticas que simplesmente lavaram as mãos para um ato desprezível, a crucificação de Jesus como um malfeitor rebelde. Alguém certamente diria: ali jaz um carpinteiro visionário derrotado. Porém, àqueles que têm olhos para ver e ouvidos para entender além dos sentidos puramente materiais, saberiam que no martírio de Jesus fora descortinado uma luz imorredoura para todos os séculos da vida terrestre, e que no plano oculto do invisível essa luz iria trabalhar ativamente iluminando a escuridão mental na qual vagavam as consciências humanas por longos séculos.

    Após a morte física de Jesus as perseguições continuaram sendo destinados aos Apóstolos, com a finalidade de desestruturar os seguidores do Mestre, e tudo isso instituído pelo Sinédrio, onde o jovem Saulo foi um carrasco cruel, até a sua conversão às portas da cidade de Damasco – Síria. Quando em visão espiritual (ARREBATAMENTO) vislumbra em êxtase, o espírito de Jesus ressuscitado (Atos 9. 1 a 18).

    A partir dos anos 40, a boa nova tem um novo seguidor Paulo, que se imortalizou como o apóstolo dos gentios, e que juntamente com Lucas, um jovem médico de origem grega, divulgam o Evangelho em várias pátrias da jurisdição do Império Romano, inclusive na própria Roma. Após os anos 50, em Antioquia é que os seguidores de Jesus foram realmente chamados de: cristãos (Atos 11. 26), por sugestão de Lucas, nascendo assim o termo cristianismo. Antes eram designados como os fiéis do Caminho (vide Atos dos apóstolos 19. 9)

    Quando a evangelização alcançou os bairros de Roma, o imperador Nero autorizou perseguições cruciais à comunidade cristã a partir dos anos 55, aonde chegou ao extremo de mandar atear fogo em seus arredores no ano 64, para culpar criminosamente cristãos. Aqueles que aderiam ao movimento das idéias cristãs eram caçados cruelmente e quando pegos pelas autoridades romanas eram queimados vivos, outros levados aos circus que serviam de palco para distrair as pessoas, e ali eram submetidos a enfrentar leões famintos, sucumbindo esquartejados por essas feras em dolorosos espetáculos de insensibilidade e degradação humana.
    Os Cristãos não tinham direitos sociais e nem podiam se reunir para confessar publicamente suas crenças, pois eram punidos impiedosamente com sofrimentos atrozes até extinção do corpo carnal. Só para reflexionar essas atrocidades: Assim como Jesus foi traído, julgado injustamente pelo Sinédrio e condenado à morte horrenda na cruz… os seguidores mais íntimos do Mestre também foram execrados na praças públicas: Estevão foi apedrejado barbaramente; Pedro foi crucificado brutalmente de cabeça para baixo; Paulo foi degolado com ferocidade; e milhares e milhares de cristãos mortos cruelmente, à luz do dia.

    Três séculos de acossamentos cruéis às pessoas que simplesmente buscavam seguir um Mestre que tinha ensinado e vivenciado o amor a Deus, espírito criador de todas as coisas; o amor ao próximo como a si mesmo; a imortalidade da alma; as bem-aventuranças celestes aos que suportassem as provações tribulativas da luta terrena com fé, esperança, e muito amor no coração.
    Uma das tribulações mais cruéis da história foi organizada pelo Imperador Diocleciano no ano 305 que autorizou as Legiões Romanas incendiar do oriente ao ocidente todos os núcleos de pequenas congregações cristãs, mandando assassinar barbaramente milhares e milhares de famílias que professavam a fé em Jesus Cristo.
    O Império Romano estava em decadência moral. As pessoas não suportavam mais tanta barbaridade. Porém o Evangelho crescia na alma popular, e agora as classes dominantes de Roma já viam com bons olhos o heroísmo dos cristãos em suportarem as cruéis perseguições com tanto amor pelas promessas da imortalidade da alma, para além das provações aflitivas da existência humana.

    Final do século IV. O Império Romano governado por Constantino liberou publicamente o cristianismo em todas as nações do Império. A razão de sua conversão fora uma visão do símbolo da cruz no céu, durante a Batalha da Ponte Mílvia, em que venceu o inimigo na disputa pelo trono. Transcorrido esse período de calmaria sobe ao poder público: o imperador Teodósio, que desejando concentrar em Roma a matriz do cristianismo, constitui então o Catolicismo Apostólico Romano como a religião do estado romano. Com a instituição do Catolicismo o Império Romano estabeleceu a primazia do Bispo de Roma sobre todos os demais Bispos das congregações cristãs distribuídas nas demais regiões do mundo antigo, fato este que causou divisões entre os cristãos. Pois algumas congregações se opuseram a essa subordinação, por exemplo: Antiquióquia que era uma das primitivas do ano 42. Essa tomada de decisões abriu margem para quem se dizia cristão perseguir outro cristão. Doravante, repontam as heresias de crenças; as cruzadas religiosas e explorações de terras que incitam batalhas sanguinárias; as inquisições da crença que promovem perseguições cruéis em Tribunais intitulados de Santo Ofício e que, ao invés de anunciar a vida eterna lançam a morte atroz às pessoas que divergem fundamentos e princípios de crenças.

    Mais de dez séculos de tribulações fratricidas pela sobrevivência das idéias religiosas, até as reformas protestantes que aconteceram a partir do século XVI.
    Certamente que não se alcançará o raciocínio lógico destas lutas renovadoras da evolução social e que sensibilizam as lembranças humanas, ignorando-se o principio básico da vida e muito bem divulgado no Evangelho: a imortalidade da alma. Conscientizou Jesus: “Não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma”… (Mateus 10: 28)
    No mundo passareis por tribulações, mas tende bom animo eu venci, vós também vencereis… (João 16. 33)
    Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no Reino de Deus (Atos 14. 22)
    Jesus tinha onisciência que os seus ensinamentos morais iriam inflamar as intolerâncias religiosas do mundo antigo cheio de maldades, violências, pecados, transgressões, preconceitos, corrupções… Ele mesmo dá conhecimento destas coisas, quando esclarece: Não penseis que vim trazer paz ociosa à Terra… Não vim trazer esse tipo de paz; Mas, a ação da luta renovadora… Porque eu vim por em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra… E assim os oponentes do homem serão os seus próprios familiares (Mateus 10. 34 a 36). A sociedade não tinha uma base de fé unificada em Deus, os povos eram pagãos e os governos materialistas; as crenças que eram responsáveis de conduzir as Almas viviam se digladiando umas com as outras em guerras de extermínio e crueldade. E dessa forma a mensagem renovadora do Evangelho do Cristo iria levar séculos para solidificar na alma humana, e que os primeiros trabalhadores de sua causa seriam trucidados vivos nos palcos e circos humanos, como de fato aconteceu: séculos de lutas, tribulações e derramamento de sangue para a sociedade começar a respeitar e reverenciar a moral salvadora de Jesus.
    Estas divergências e lutas que ocasionaram muitas provações coletivas no plano físico terrestre elas se tornam perfeitamente elucidadas à luz e justiça da reencarnação das almas. Sem o princípio misericordioso da reencarnação da alma e seu trabalho progressivo para o reino celestial, todas essas lutas e provações seriam incompreensíveis e estaria subordinado a um acaso cego e insensato.

    AGORA, a certeza que Jesus fez questão de ensinar nos Evangelhos sob o véu de figuras de linguagem, é que após as provações, que transcorrem com as tribulações e martírios dos seus seguidores na luta material. Nenhum deles ficaria desamparado na vida imortal do espírito após extinção do corpo carnal (Mateus 16. 24, 25 a 28), porque essas almas heróicas que perseverassem fiéis até o fim em suas provações, suas almas seriam salvas das tribulações do além túmulo, porque estariam amparadas pelos anjos celestiais e conduzidas para o reino espiritual no seio invisível de Deus, E DESTA FORMA É QUE SE CUMPRE O ARREBATAMENTO ESPIRITUAL, do círculo terrestre para o seio da vida celestial, EM TODOS OS TEMPOS DA EVOLUÇÃO TERRÁQUEA, nos finais de ciclos de tribulações provacionais individuais e, ou gerais e coletivas. Afirmou Jesus: “Em verdade vos digo que não passará esta geração (da época de Jesus) sem que todas estas coisas aconteçam” (Mateus 24. 34)

    Se esperamos em Cristo nó nesta vida (material), somos os mais miseráveis de todos os homens…
    E há corpos celestes e corpos terrestres… Se há corpo animal, há também corpo espiritual…
    A carne e sangue não podem herdar o reino de Deus (I Cor 15. 19 a 50).

    O reino de paz e amor iniciado por Jesus ainda não pertence a este mundo (João 18. 36). Apesar de nosso mundo, o planeta Terra, no plano extrafisico todo poder de direção espiritual ter sido delegado por Deus: a Jesus Cristo (Mateus 28. 18). A todos aqueles que seguem a moral cristã com consciência, Jesus está preparando novos lugares de bem-aventuranças celestiais, a desfrutar nas infinitas moradas da Casa Universal do Pai Criador (João 14. 1 a 3).

    Aparentemente apesar de não vermos Jesus com os olhos carnais, Ele está presente invisivelmente em nossas vidas participando interativamente, nos consolando nas lutas redentoras, nos inspirando pelo poder do divino espírito.
    “Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”. E o reino de Deus não vem com aparências exteriores (Lucas 17. 20 a 21). Nem dirão: ei-lo aqui, lá, acolá… É uma conquista individual e interior, ou seja, é um estado de espírito que alcançamos quando a nossa consciência desperta em si mesmo os sentimentos divinos do Cristo.
    Que despertem nas Igrejas nossos irmãos em Cristo, pois na vida eterna que se desdobra nos planos celestiais divinos não existe aposentadoria compulsória, tal qual na existência física humana. Lembremo-nos do que ensinou Jesus: O Pai trabalha até hoje, assim também o Cristo, e todos os filhos da luz…

    CONSCIENTIZAÇÃO CRISTÃ

    Eu sou a Luz da Vida;
    Eu sou a Luz do Mundo;
    Eu sou o Pão que alimenta o espírito;
    Eu sou a água viva que sacia a alma;
    Eu sou o caminho, a verdade e a vida.
    E que ninguém vai ao seio imaterial do Pai Criador para sentir a grandeza e integração multidimensional com a Vida Celeste, no Cosmos, senão através dos seus ensinamentos que tem a síntese de vivência na prática do amor e da virtude, princípios divinos (João 14. 6).
    Jesus é o mesmo ontem hoje e sempre a mais elevada consciência espiritual que Deus, o Criador dos Mundos, facultou ao espírito humano a fim de que o siga como modelo orientador para vencer as provas e provações da luta material, até o Ser complementar a perfeição intelectual e moral no curso das existências que se concretizam nas infinitas moradas astrais do cosmo celeste.

    PRINCÍPIOS MORAIS DO EVANGELHO DO CRISTO, para ser vivenciado por quem deseja seja arrebatado para o plano celestial

    Amor a Deus – o Criador, com a força da alma, de todo coração, de todo entendimento;
    Amor ao próximo como a si mesmo;
    Fé em ti mesmo e no Poder Divino que te sustenta;
    Não articular o mal para as pessoas nem por pensamentos, palavras, ou atitudes… Mas realizar o bem sem cessar;
    Perdoar sem restrições: mágoas, ofensas morais, ações maldosas do próximo. No mesmo raciocínio como esperamos que Deus perdoe as nossas transgressões, em síntese: Pai! Perdoai os nossos pecados, assim como perdoamos as faltas que os nossos ofensores cometem contra a nossa consciência;
    Orar com confiança, ou seja: buscar conexão com Plano Divino sem descanso; abençoar as adversidades; refletir bons pensamentos às pessoas com as quais não temos harmonia e nem afinidades pessoais simpáticas;
    No plano divino serás analisado pelas obras do bem que realizares na vida;
    Se a recompensa pelo bem que semeares não acontecer no plano terrestre, com certeza, realizar-se-á nos planos celestes da vida superior;
    Acreditar plenamente na imortalidade da alma, e intensificar em si mesmo, a virtude de seus tesouros imperecíveis;
    Confiar na assistência invisível dos poderes de Deus através de suas potências angélicas;
    Procurar desenvolver o reino divino no coração, e esperar trabalhando com fé a felicidade de viver intensamente nas muitas moradas astrais, que integram a Casa Universal de Nosso Pai Celestial.

    Eis a razão de Jesus imolar-se na cruz em prol de sua mensagem de amor e salvação moral à alma humana decaída em erros de existências passadas, para ensinar à humanidade exemplos dignificantes que em nome de Deus não se deve violentar a ninguém e nem promover desordens religiosas. Ele, Jesus filho do Altíssimo, ensinou e exemplificou com sacrifícios que culminou na sua crucificação que somente através do amor fraterno, do perdão incondicional, do trabalho social, do serviço pelo bem comum, da fé no poder divino, na tolerância às diferenças de crenças, e no respeito moral às pessoas poderemos encontrar a nossa redenção para a vida eterna no seio imaterial do Criador.

    Intensivo de Difusão Espiritualidade – i d e
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    mensagens semanais de auto ajuda espiritual

  10. e bom deixar claro uma coisa muito importante a todos!!
    primeiro seremos atribulados, todos!!! seremos provados todos !!
    não sei de onde saiu essa ideia humana de que alguns sairão voando daki enquanto outros ficarão sofrendo as tribulações,

    Mateus 24:1 Ora, Jesus, tendo saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos, para lhe mostrarem os edifícios do templo.
    Mateus 24:2 Mas ele lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.
    Mateus 24:3 E estando ele sentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo.
    Mateus 24:4 Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane.
    Mateus 24:5 Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão.
    Mateus 24:6 E ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; olhai não vos perturbeis; porque forçoso é que assim aconteça; mas ainda não é o fim.
    Mateus 24:7 Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino; e haverá fomes e terremotos em vários lugares.
    Mateus 24:8 Mas todas essas coisas são o princípio das dores.
    Mateus 24:9 Então sereis entregues à tortura, e vos matarão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
    Mateus 24:10 Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão.
    Mateus 24:11 Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos;
    Mateus 24:12 e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.
    Mateus 24:13 Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.
    Mateus 24:14 E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
    Mateus 24:15 Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda),
    Mateus 24:16 então os que estiverem na Judéia fujam para os montes;
    Mateus 24:17 quem estiver no eirado não desça para tirar as coisas de sua casa,
    Mateus 24:18 e quem estiver no campo não volte atrás para apanhar a sua capa.
    Mateus 24:19 Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias!
    Mateus 24:20 Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno nem no sábado;
    Mateus 24:21 porque haverá então uma tribulação tão grande, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá.
    Mateus 24:22 E se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.
    Mateus 24:23 Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-lo aí! não acrediteis;
    Mateus 24:24 porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.
    Mateus 24:25 Eis que de antemão vo-lo tenho dito.
    Mateus 24:26 Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto; não saiais; ou: Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.
    Mateus 24:27 Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem.
    Mateus 24:28 Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres.
    Mateus 24:29 Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados.
    Mateus 24:30 Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.
    Mateus 24:31 E ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.
    Mateus 24:32 Aprendei, pois, da figueira a sua parábola: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão.
    Mateus 24:33 Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas.
    Mateus 24:34 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram.
    Mateus 24:35 Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão.
    Mateus 24:36 Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai.

    acordem povo de DEUS todos serão acrisolados, até mantemos na caridade no amor ao proximo na comunhão com DEUS.

    • você parou no versiculo 36,o verso 40 diz:Então dois estarão no campo,um sera tomado ,e deixado o outro;o verso seguinte diz :duas estão num moinho,uma sera tomada e deixada a outra deixada..por que você esqueceu de escrever os versos serguintes?lLeia a Biblia não é proibido ler a Biblia.Alias não é pecado ler a Bíblia,e nunca explique um texto biblico,usando-o isoladamente.

      • Paulo Rogerio,
        Leia o artigo de novo, por favor, sim?
        Sobre ser levado e deixado… Quem é que será salvo, quem vai ou quem fica? Leia o antigo testamento, filhinho… Que aliás, meu caro, prefigura o Novo… Lá os que ficaram foram salvos, pois? Então, qual interpretação é a correta, a sua ou a da Igreja de 2 mil anos!?

        Pax Domini,

      • Paulo Rogério lêr a bíblia é bom, pois alimenta a nossa alma de fé e nos trás esperança e nos da força e muita felicidade, para fazer o bem e buscar a Deus dia a após dia.

        Mas Paulo Rogério deve-se ler a bíblia com orientação da igreja católica apostólica romana, viu Paulo Rogério, pois Pedro nos adverte que nenhuma profecia da bíblia é de interpretação particular.

        Paulo Rogério, já pensou a bíblia nas mãos de ladões, mentirosos, de fanáticos, de semi analfabetos

        Que um exemplo a seita protestante começou com Lutero pregando a sola scriptura e deu no que deu só no Brasil são 50 mil ceitas tem até igreja de gays lésbicas

        Paulo Rogério deixa de papagaiada

        Aprenda uma coisa Jesus disse que nos finais dos tempos viriam os falsos pastores com falsas doutrinas e esses são vocês meu caro

        Que só uma exemplo meu caro Paulo Rogério
        me mostre um só versículo bíblico em que Deus da autoridades para homens fundar igrejas

        e depois me fale e me mostre historicamente um nome de um pastor protestante ou de uma igreja protestante antes de 1500 acorda
        Paulo Rogério deixe de lorota caras analfabetos e hereges como você só divide e se espalha

  11. SOU CATOLICO,MÁS NÃO CONCORDO COM SUA INTERPRETAÇÃO.ACHO QUE VC SE DEIXOU INFECTAR-SE PELA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO QUE SIMPLISMENTE RACIONA E RELATIVIZA A PALAVRA DE DEUS.CUIDADO IRMÃO!E SÓ PRA LEBRAR,LEMBRE-SE DOS PROFETAS QUE FORAM ARREBATADOS:ELIAS,ENOC,NOSSA SENHORA…E DIGO;NÃO FOI EXTASE,POIS ELES NUNCA MAIS VOLTARAM E SUBIRAM AO CÉU DE CORPO E ALMA.BOM NÃO PRECISO MAIS FALAR NADA AGORA SEI QUE VAI ENSINAR AO POVO DE DEUS A VERDADE.O ARREBATAMENTO É REAL E IMINENTE,POIS,SÓ APARECERÁ O ANTICRISTO DEPOIS QUE DESAPARECER AQUELE QUE O DETÉM,OU SEJA,A IGREJA UNGIDA NO ESPIRITO SANTO QUE SERÁ (LEVADA E NÃO DEIXADA COMO VC ENSINA…PARA IR AO ENCONTRO,ASSIM COMO ELIAS,ENOC,MARIA SANTISSMA…DO SENHOR JESUS NOS ARES-CÉU-). A PAZ DE JESUS E O AMOR DE MARIA,AMÉM.

    Resposta do Blog,
    Sr Francisco,

    Se o sr é catolico como diz, tem que obedecer o que ensina o Magistério da Igreja. Minha opinião ou a sua não importa nada, pois não temos autoridade para ensinar a palavra de Deus. Somente a Igreja a tem. Portanto, esclareço que aqui nesse espaço não exponho, em se tratando de doutrinas, as minhas próprias opiniões, mas aquilo que a igreja ensina.
    Leia o Catecismo, amigo, e aprenda a ser Católico com C maiúsculo.

    Paz,
    Helen

    • olá o fato de ser catolico não muda em nada cada concepção pois não somos obrigaos a igreja ( pois não está escrito na biblia ) e sim a deus então a sacralidade de dever obediencia a igreja e falça devcemos obediencia a deus

      estude mais tbm sou catolico

    • está totalmente errado a pratica dita do arrebatamento kkkk
      perguntei ao concilio com os padres que teve aqui e sua opinião foi escluida voçê está pregando contra a igreja beleza
      o arrebatamento dos santos ok…
      são paulo santa maria moises e outros foram arrebatados helen beleza

      • Sr Paulinho,
        O sr tem um estilo de “debate” bastante peculiar. Vem aqui dizendo-se católico, mas ficou óbvio com esses seus vossos comentários que o sr claramente não poderia é católico! Não sei com quais “padres” o sr conversou, mas eles sim estão equivocados. Leia no Catecismo, se quer realmente aprender o que ensina a Santa Igreja. Eis aqui mais um link para a sua consulta e edificação: http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s2cap2_422-682_po.html

        O catecismo diz:

        A ÚLTIMA PROVA DA IGREJA

        675. Antes da vinda de Cristo, a Igreja deverá passar por uma prova final, que abalará a fé de numerosos crentes (639). A perseguição, que acompanha a sua peregrinação na Terra (640), porá a descoberto o «mistério da iniquidade», sob a forma duma impostura religiosa, que trará aos homens uma solução aparente para os seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A suprema impostura religiosa é a do Anticristo, isto é, dum pseudo-messianismo em que o homem se glorifica a si mesmo, substituindo-se a Deus e ao Messias Encarnado (641).

        676. Esta impostura anticrística já se esboça no mundo, sempre que se pretende realizar na história a esperança messiânica, que não pode consumar-se senão para além dela, através do juízo escatológico. A Igreja rejeitou esta falsificação do Reino futuro, mesmo na sua forma mitigada, sob o nome de milenarismo (642), e principalmente sob a forma política dum messianismo secularizado, «intrinsecamente perverso» (643).

        677. A Igreja não entrará na glória do Reino senão através dessa última Páscoa, em que seguirá o Senhor na sua morte e ressurreição (644). O Reino não se consumará, pois, por um triunfo histórico da Igreja (645) segundo um progresso ascendente, mas por uma vitória de Deus sobre o último desencadear do mal (646), que fará descer do céu a sua Esposa (647). O triunfo de Deus sobre a revolta do mal tomará a forma de Juízo final (648), após o último abalo cósmico deste mundo passageiro (649).

  12. Ao Blog
    Meu Nome é Sebastião sou Presbitero na Assembléia de Deus e achei muito bom seu trabalho existem algumas divergencias nos textos apresentados por voce que eu gostaria de compartilhar com voce quando Jesus compara o arrebatamento da Igreja aos dias de Noé ele faz uma referencia a vigilancia observe ..Assim como foi nos dias de noé assim tambem será a vinda do filho do Homen porque nos dias anteriores ao diluvio comiham bebiam casavam e davam-se em casamento até o dia em que noé entrou na arca e não PERCEBERAM.. E CONTINUA DIZENDO se o pai de familia soubesse a que hora viria o ladrão VIGIARIA e não deixaria minar a casa..(de que maneira vem o ladrão? ele vem de noite rouba tudo ARREBATA os bens e o pai que não vigiou só verá no dia seguinte a falta dos bens no Arrebatamento de I Tessalonisenses 4 Paulo fala da diferença dos que estão mortos e vivos …no demais irmãos não quero que sejais ignorantes acerca dos que já dormem porque eles ressucitarão primeiro e nós os que ficarmos vivos (não vai ser preciso ressucitar porque não estamos mortos) seremos arrebatados.Noé foi arrebatado do diluvio sim e ele continuou na terra porque não era arrebatamento aos Ceus. da mesma forma foi Ló ele tambem foi arrebatado do fogo mas continuou na terra eles foram citados como exemplo do verdadeiro arrebatamento da Igreja citado por Jesus e Mateus 24:36 e I tessalonissenses 4:16,17

    • Caro Sebastiao,

      Muito grata pelo comentario. Irei responde-lo dentro de alguns dias, pois estou no momento atarefada com outros afazeres da vida.
      De qualquer modo, que Deus te abencoe e nos falamos em breve!

      Helen

  13. (1TS 4:16-17) “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim estaremos para sempre com o Senhor..”
    Meus amados irmãos Católicos, a Palavra de Deus não deixa dúvidas no que diz respeito ao arrebatamento da Igreja de Cristo. Sejam Católicos ou Evangélicos ( tendo a Cristo como verdadeiro e único Salvador ) serão arrebatados logo após a ressurreição dos mortos, pois como diz a Palavra, “e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente COM ELES ( os mortos que ressussitaram e que enquanto vivos tiveram a Cristo como Senhor e Salvador), entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim estaremos para sempre com o Senhor..”
    Isso vai acontecer em questão de segundos, e para quem diz que devemos esperar pela segunda vinda fica um alerta: Leiam (1TS 5:1-3 )
    Espero ter ajudado em esclarecer alguma dúvida. Deus abençoe a todos vocês irmãos. Amém!

  14. A VOLTA DO SENHOR JESUS ESTA PROXIMA,ACREDITE OU NAO É PROMESSA DE DEUS…
    ENTAO SE SATIFIQUEM P/QUANDO O NOIVO(JESUS)VIER BUSACA SUA NOIVA(IGREJA),
    VC VA AO ENCONTRO DELE E VIVA NA ETERNINADO C/O NOSSO AMADO.

  15. SOU CATÓLICA, GOSTARIA DE TER UM ENTENDIMENTO MELHOR SOBRE ARREBATAMENTO. ACREDITO QUE PRECISAMOS DESSAS INFORMAÇÕES PARA INSTRUIR MELHOR AS PESSOAS QUE NÓS PERGUNTAREM OU ATÉ PARA QUEM QUESTIONAR .

    • A paz do senhor!
      A biblia diz que aquele que for fiel ah ele e cumprir seus mandamentos que eh a propria biblia,ou seja,andar de acordo com ela sera salvo aquele que naum fizer isso perdera sua salvação. Uma das duas ou a pessoas vai pro inferno ou pro céu.
      Arrebatamento quer dizer segunda volta de Cristo,jesus vira entre as nuvens e levara com ele aqueles que foram fieis ah ele.
      Leia Mateus 24:1-51
      A biblia também diz quem naum entrara no reino dos céus.
      Gálatas capitulo 5:19
      1 Corintios 6-9-10

      • bem lembrado guardar os mandamentos de Deus apcl 14;12 os santos guardan os dez mandamentos e tem a fe em Jesus Cristo

    • sandra são milhares de estudos e referencias sobre o arrebatamento leia essa com carinho e se encante e saibas que muitos fundamentalistas e protestantes evangélicos adotam uma crença conhecida como “O Arrebatamento”. Existem muitas variações desta doutrina. A série popular de livros “Deixados para Trás”, escrita por Tim Lahaye e Jerry Jenkins, apresenta apenas uma dessas variações. Para defender suas idéias, os partidários do “Arrebatamento” citam alguns versículos genéricos da Bíblia, inclusive 1Tessalonicenses 4,15-17:

      “Nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares”.

      E também costumam citar 1Coríntios 15,51-52:

      “Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”.

      Destas mínimas passagens misteriosas resultam predições detalhadas e precisas que preenchem volumes e mais volumes, complementados com calendários, datas, tabelas e gráficos. A versão apresentada nos livros da série “Deixados para Trás” é denominada “dispensionalismo pré-milenarista e pré-tribulacional”. Sua proposta consiste em afirmar que no futuro a terra experimentará um reinado de Jesus que durará mil anos. Imediatamente antes deste reinado, os “verdadeiros crentes” serão “arrebatados” por Jesus, ascendendo com Ele de maneira secreta e silenciosa, entra as nuvens. Para eles não importa que a Bíblia mencione uma forte voz e uma trombeta… a maioria dos partidários do “arrebatamento” garante que o evento ocorrerá em segredo.

      Esta interpretação exagerada assegura que aqueles infelizes que serão “deixados” sofrerão um período de sete anos de tribulações – uma espécie de última chance para a fé. Ao findar os sete anos, Jesus retornará para uma Segunda Vinda “extra”, desta vez com legiões de fiéis. Juntos, derrotarão o Anticristo e iniciarão os mil anos do reinado de Jesus sobre a terra. A ironia disto tudo é que os protestantes crêem que é a Igreja Católica quem sustenta ensinamentos “antibíblicos” (apontando a doutrina católica sobre Maria como o maior exemplo), muito embora a crença no “arrebatamento” seja aceita sem questionamentos e com pouquíssima substância bíblica. É irônico também que muitos protestantes que acreditam que a Igreja Católica alterou os seus ensinamentos muitas vezes no decorrer dos séculos, admitam hoje o conceito de “arrebatamento”, sendo que tal doutrina nunca é encontrada na História do Cristianismo, pois não aparece nem na literatura católica, nem na protestante até o século XIX, quando surgiram suas primeiras manifestações nas obras de John Nelson Darby, um ministro fundamentalista que posteriormente se converteu em sacerdote anglicano.

      Os ensinamentos da Igreja Católica sobre o fim dos tempos são muito menos detalhados – e ainda muito menos dramáticos – do que os de John Nelson Darby e Tim Lahaye.

      É certo que a Igreja sustenta a Segunda Vinda de Jesus. Um exemplo conhecido encontra-se na frase do Credo de Nicéia: “E de novo há de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos”; e há outro na afirmação de São Paulo, de que os crentes serão “levados” até o Senhor. No entanto, no tocante a data e a natureza destes eventos, a Igreja diz muito pouco, uma vez que há certas coisas que são reservadas por Deus:

      “As coisas ocultas concernem ao Senhor, nosso Deus; porém, as reveladas, são para nós e para os nossos filhos, para que pratiquemos sempre todas as palavas desta Lei” (Deuteronômio 29,29).

      E, como nos adiantou o Senhor Jesus Cristo:

      “Quanto ao dia e a hora, ninguém sabe – nem os anjos dos céu, nem o Filho, mas apenas o Pai” (Mateus 24,36).

      Para ter uma idéia mais detalhada sobre o ensino magisterial da Igreja sobre o fim dos tempos, leia os parágrafos 671 a 679 do Catecismo da Igreja Católica.

    • Wesley p. carvalho leia essa matéria com muito carinho ela ti ensinará muito e ti mostrarás o verdadeiro significado do arrebatamento vamos lá

      Segundo algumas igrejas evangélicas, antes da grande tribulação descrita no Apocalipse, a população cristã da terra desaparecerá. Serão “arrebatados” por Cristo antes do julgamento. Isto está descrito no início do capítulo 6, os sete selos, continuando no capítulo 8, as sete trombetas, e se concluindo no capítulo 16, as sete taças da ira de Deus.

      As passagens bíblicas mais comumente apontadas como suporte para esta doutrina são:

      Ap 3,10: Visto que guardaste minha recomendação de perseverar, eu te guardarei na hora da prova, que virá sobre o mundo inteiro, para provar os habitantes da terra.
      Lc 17,34-35: Eu vos digo: nessa noite estarão dois numa cama; um será arrebatado, o outro deixado; haverá duas mulheres moendo juntas, uma será arrebatada, a outra deixada.
      Mt 24,40-41: Dois homens estarão num campo: um será levado e outro será deixado; duas mulheres estarão moendo, uma será levada e outra deixada.
      1Ts 4,15-17: Isto vo-lo dissemos apoiados na palavra do Senhor: nós, que ficarmos vivos até a vinda do Senhor, não precederemos os mortos; pois o próprio Senhor, ao soar uma ordem, à voz do arcanjo e ao toque da trombeta divina, descerá do céu; então ressuscitarão primeiro os cristãos mortos; depois nós, que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles entre as nuvens no ar, ao encontro do Senhor; e assim estaremos sempre com o Senhor.
      Estas são as passagens mais comumente referidas como uma crença num arrebatamento “pré-tribulação”. Isto ocorrerá um pouco antes do aparecimento da besta fera do Apocalipse, e todos os chamados cristãos salvos serão levados ao paraíso.

      Aqui esta teoria toma diferentes caminhos, nas várias intenções de explicar o destino dos arrebatados e dos não-arrebatados antes e depois do cumprimento das profecias apocalípticas. O rumo mais comum do pensamento se dirige desta forma: antes do arrebatamento e do aparecimento da besta, a terra sofrerá o juízo. Então o demônio será lançado no inferno, e os mártires mortos serão ressuscitados e reinarão com Cristo por um período de mil anos.

      Ap 20,4: Vis uns tronos, e sentados neles os encarregados de julgar; e as almas dos que haviam sido decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, os que não adoraram a fera nem sua imagem, os que não aceitaram sua marca nem na fronte nem na mão. Viveram e reinaram com o Messias por mil anos.
      Estes e os arrebatados irão existir em corpos ressuscitados enquanto que os sobreviventes da tribulação se converterão ao cristianismo mas permanecerão mortais. Após estes mil anos, a besta será novamente libertada, enganando muitos dos sobreviventes e tentará empreender uma guerra contra os santos, mas fogo do céu irá consumi-los e, então, finalmente a besta será vencida e lançada no fogo do inferno para sempre.

      Ap 20,7-10: Passados mil anos, soltarão satanás da prisão, e sairá para extraviar as nações nas quatro partes do mundo, Gog e Magog. Irá reuni-los para a batalha, inumeráveis como a areia do mar. Avançarão sobre a superfície da terra e cercarão a fortaleza dos santos e a cidade amada. Caiu um raio do céu e os consumiu. O diabo que os enganava foi arremessado ao fosso de fogo e enxofre, com a fera e o falso profeta: serão atormentados dia e noite pelos séculos dos séculos.
      Então o dia do julgamento de toda a humanidade irá imediatamente se seguir.

      Ap 20,11-15: Vi um trono grande e branco, e nele alguém sentado. De sua presença fugiram a terra e o céu sem deixar rastro. Vi os mortos, grandes e pequenos, de pé diante do trono. Abriram-se os livros, e abriu-se também o livro da vida. OS mortos foram julgados segundo as suas obras, segundo o que estava escrito nos livros. O mar devolveu seus mortos. Morte e Hades devolveram seus mortos, e cada um foi julgado segundo suas obras. Morte e Hades foram arremessados ao fosso de fogo (esta é a morte segunda, o fosso de fogo). Quem não estiver inscrito no livro da vida será arremessado ao fosso de fogo.
      Tudo isto é bastante interessante à primeira vista. O problema é que a doutrina do arrebatamento pressupõe que haverão três “segundas vindas” de Jesus. Uma no arrebatamento, outra no início do reinado de mil anos e outra ainda no julgamento final. Entretanto, todas as evidências bíblicas apontam para apenas uma segunda vinda de Jesus.

      Mt 24,27.30: Pois, como o relâmpago aparece no levante e brilha até o poente, assim será a chegada do Filho do Homem. Então aparecerá no céu o estandarte do Filho do Homem. Todas as raças do mundo farão luto e verão o Filho do Homem chegar nas nuvens do céu, com glória e poder.
      Mt 25,31: Quando chegar o Filho do Homem com majestade, acompanhado de todos os seus anjos, sentará em seu trono de glória.
      Por estas passagens vemos que Jesus virá apenas uma vez, quando irá assumir o seu trono. Da mesma forma os apóstolos também falam em apenas uma segunda vinda de Cristo.

      1Cor 15,22-23: Visto que todos morrem por Adão, todos recuperarão a vida em Cristo. Cada um por usa vez: a primícia é Cristo; depois, quando ele voltar, os cristãos.
      2Ts 2,1.8: Irmãos, pela vinda do Senhor nosso Jesus Cristo e nossa reunião com ele…Então se revelará o iníquo, que será destruído pelo Senhor Jesus com o sopro de sua boca e anulará com a manifestação de sua vinda.
      1Tm 6,14: Eu te recomendo que conserves o mandamento sem mancha nem repreensão, até que apareça o Senhor nosso Jesus Cristo.
      Tt 2,13: Esperando a promessa feliz e a manifestação da glória do nosso grande Deus e do nosso Salvador Jesus Cristo.
      No mesmo versículo utilizado para sustentar a doutrina do arrebatamento, Paulo nos diz que haverá somente uma segunda vinda do Senhor.

      1Ts 4,15: Isto vo-lo dissemos apoiados na palavra do Senhor: nós, que ficarmos vivos até a vinda do Senhor, não precederemos os mortos
      Outros apóstolos também concordam que haverá somente uma segunda vinda de Cristo.

      Tg 5,7: Irmãos, tende paciência até que venha o Senhor. Prestai atenção no lavrador, como espera com paciência até receber as primeiras chuvas e as tardias, com a esperança do valioso fruto da terra.
      2Pd 3,10: O dia do Senhor chegará como um ladrão. Então o céu desaparecerá com estrondo, os elementos se desfarão em chamas, a terra com suas obras ficarão em chamas, a terra com suas obras ficará evidente
      Paulo continua na mesma linha de pensamento em outras partes de suas cartas.

      1Ts 5,2: Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite.
      Falando de sua segunda vinda, Jesus aplica apenas um dia.

      Mt 24,42: Assim, pois, vigiai, porque não sabeis o dia em que chegará o vosso Senhor.
      E continua a falar neste dia no singular.

      Mt 24, 36 (Mc 13,32): Quanto ao dia e à hora, ninguém os conhece…
      E finalmente, após a ascensão de Jesus, o anjo diz:

      At 1,11: -Homens da Galiléia, que fazeis aí olhando o céu? Este Jesus que vos foi arrebatado para o céu, virá como o vistes partir para o céu.
      Ele ascendeu uma vez, retornará uma só vez. Desapareceu nas nuvens uma só vez, aparecerá nas nuvens uma só vez.

      Um outro aspecto questionável da doutrina do arrebatamento é que vários setores da humanidade serão ressuscitados em corpos imortais em tempos diferentes. Primeiro os cristãos salvos serão transformados em “um abrir e fechar de olhos”.

      1Cor 15,51-52: Eu vos comunico um segredo: nem todos morreremos, mas todos nos transformaremos. Num abrir e fechar de olhos, ao último toque de trombeta (que tocará), os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós nos transformaremos.
      Depois da tribulação, os mártires ressuscitarão e reinarão com Cristo por um período de mil anos como demonstramos em Ap 20,4. Finalmente, no juízo final todos os restantes serão ressuscitados ou para a punição eterna ou para a vida eterna.

      Jo 5,28-29: Não estranheis isto: chega a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. Os que agiram bem ressuscitarão para viver, os que agiram mal ressuscitarão para ser julgados.
      O problema é que em nenhum lugar da Bíblia há qualquer indicação de que diferentes partes da humanidade ressuscitarão em tempos deferentes. Ap 20,5-6 nos fala sobre uma “primeira ressurreição”, mas Santo Agostinho, no século 4, nos deu a correta interpretação desta primeira ressurreição, que se refere ao renascimento pelo batismo ou o “nascer de novo” como descreve Jesus em sua conversa com Nicodemos em Jo 3,1-8. Entretanto, o foco do arrebatamento é a segunda ressurreição, ou a transformação dos ainda vivos, ou a ressurreição dos mártires em forma imortal ocorrerem em um piscar de olhos. A doutrina do arrebatamento pressupõe que estas coisas ocorrerão em três momentos diferentes. Porém vimos que Cristo retornará apenas uma vez, então o dia da ressurreição também será apenas um.

      Jo 6,44: Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.
      Jesus nunca disse “eu o ressuscitarei antes da tribulação ou antes ou após mil anos”. Não, Ele disse que nos ressuscitará no último dia.

      São Paulo nos diz que todos os que estiverem vivos durante a segunda vinda de Cristo serão levados entre as nuvens e permanecerão com Ele para sempre.

      1Ts 4,16-17: O próprio Senhor, ao soar uma ordem, à voz do arcanjo e ao toque da trombeta divina, descerá do céu; então ressuscitarão primeiro os cristãos mortos; depois nós, que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles entre as nuvens no ar, ao encontro do Senhor; e assim estaremos sempre com o Senhor.
      O que está relacionado com 1Cor 15,51-52.

      Eu vos comunico um segredo: nem todos morreremos, mas todos nos transformaremos. Num abrir e fechar de olhos, ao último toque de trombeta (que tocará), os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós nos transformaremos.
      E também com 1Jo 3,2:

      Queridos, já somos filhos de Deus, mas ainda não se manifestou o que seremos. Sabemos que, quando ele aparecer, seremos semelhantes a ele e o veremos como ele é.
      Note que nas duas passagens de Paulo “os cristãos mortos ressuscitarão primeiro” e serão “ressuscitarão incorruptíveis”. Eles serão ressuscitados da mesma forma que os que vivem serão transformados “em um abrir e fechar de olhos” e serão levados às nuvens. Os que não estiverem em Cristo ressuscitarão para o julgamento como Ele mesmo afirmou em Jo 5,28-29.

      Jo 5,28-29: Não estranheis isto: chega a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. Os que agiram bem ressuscitarão para viver, os que agiram mal ressuscitarão para ser julgados.
      Este é único dia da “segunda ressurreição”. Ocorrerá apenas uma vez na única segunda vinda de Cristo.

      E, finalmente, os defensores da doutrina do arrebatamento afirmam que Jesus virá em segredo e levará consigo os eleitos. Mas lemos em Ap 1,7 que:

      Ei-lo que vem com as nuvens. Todos os olhos o verão, mesmo aqueles que o traspassaram. Por sua causa, hão de lamentar-se todas as raças da terra. Sim. Amém.
      De acordo com a Bíblia, haverá apenas uma segunda vinda de Cristo, quando se dará a ressurreição e o julgamento final, como Ele afirma em Ap 22,12, quando retornará apenas uma vez:

      Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras.

    • Caro Manuel,

      Não haverá, para a Igreja Católica, arrebatemento no sentido entendido por nossos irmãos protestantes.

      Há uma idéia generalizada entre os protestantes que o arrebatamento é um evento em que Deus escolhe um seleto grupo de fiéis cristãos para serem levados do mundo antes da tribulação. Essa idéia do arrebatamento está incorreta e contradiz a Sagrada Escritura. De acordo com São Paulo que diz “os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro”, e que “aqueles que são deixados … não precederemos os que dormem.” Desde os mortos em primeiro lugar, o arrebatamento ocorre no momento da Ressurreição. E uma vez que aqueles que são deixados não precedem os mortos que serão levantandos, o arrebatamento não pode ocorrer antes da tribulação, nem a qualquer momento antes da Ressurreição.

      Na passagem estudada, São Paulo indica claramente que ele está se referindo ao retorno de Cristo: “nós, os vivos, seremos deixados até a vinda do Senhor ….” Portanto, o arrebatamento não ocorrerá antes da tribulação, nem a qualquer momento antes do retorno de Cristo. Certamente e sem qualquer dúvida, Cristo voltará para a ressurreição geral. Agora, de certa forma, essa passagem refere-se a segunda volta de Cristo. Portanto, o ‘rapto’ (arrebatamento, uma vez que em latim o termo é “simul rapiemur”, que refere-se ao raptio) acontece duas vezes: primeiro, no final do reinado do Anticristo, e a segunda, muitos séculos depois, no momento da ressurreição geral.

      • Minha querida, você está redondamente enganada. Você não pode tirar uma conclusão por um versículo isolado, a própria Biblia se explica. Ela é bem clara em dizer que os mortos ressuscitarão primeiro de todos os tempos até mesmo do tempo chamado Seio de Abraão criado temporariamente por Deus antes da cruz do calvário e depois os vivos serão transformados em corpos de glória e levados a presença do Senhor. Não creia em seus principios precipitados, estude mais. Você acha que todos estão errados e somente vo^ce está certa. Antes de ler, faça uma oração a Deus e peça esclarecimentos e a revelação entendida da leitura. No amor de Cristo fique na paz daquele que te ama.

        • Caro Handerson,

          Faço das suas minhas palavras! Acrescento apenas que, enquanto Católica, não tiro conclusões ou faço minas própras interpretações, mas sigo e acredito naquilo que o
          Magistério da Santa Igreja ensina. Sei que esse é um conceito alienígena à cultura evangélica, mas tem sido assim por 2000 anos no Cristianismo…

          pax Domini,

          Helen

          Ps. Handerson, seria providencial se o sr lesse os textos abaixo;

          Igreja e a Bíblia

          Da Transmissão da Revelação Divinaa

          III. O Espírito Santo, intérprete da Escritura

          109. Na Sagrada Escritura, Deus fala ao homem à maneira dos homens. Portanto, para bem interpretar a Escritura, é necessário prestar atenção ao que os autores humanos realmente quiseram dizer, e àquilo que aprouve a Deus manifestar-nos pelas palavras deles (80).

          110. Para descobrir a intenção dos autores sagrados, é preciso ter em conta as condições do seu tempo e da sua cultura, os «géneros literários» em uso na respectiva época, os modos de sentir, falar e narrar correntes naquele tempo. «Porque a verdade é proposta e expressa de modos diversos, em textos históricos de vária índole, ou proféticos, ou poéticos ou de outros géneros de expressão»(81).

          111. Mas, uma vez que a Sagrada Escritura é inspirada, existe outro princípio de interpretação recta, não menos importante que o anterior, e sem o qual a Escritura seria letra morta: «A Sagrada Escritura deve ser lida e interpretada com o mesmo espírito com que foi escrita» (82).

          O II Concílio do Vaticano indica três critérios para uma interpretação da Escritura conforme ao Espírito que a inspirou (83): Saiba quais são eles AQUI

            • Leandro você é uma aberração como todo herege protestante
              primeiro analfabeto Jesus Cristo queria muito e se realizou seu desejo de fundar sua igreja católica apostólica romana no império Romano
              analfabeto herege se duvida leia a bíblia e os escritores e padres da igreja do primeiro segundo e terceiro séculos da era cristã todos são unânimes em bendizer essa bem aventurança você fica lendo livros e fabulas de escritores protestantes e as safadezas de lunáticos mentirosos historiadores americanos deu nisso um mundo de blasfêmia burrice e lorotas colega herege o que você acha é um ponto de vista o impossível é provar com documentos históricos acontecimentos arqueologia escritos e testemunhas oculares da época

              resumindo anticristo Leandro anticristo é a ceita protestante que tem até igrejas de gays e lésbica anticristo Leandro é algumas ceitas protestantes que negam que Jesus é Deus Leandro a ceita protestante não tem 500 anos meu caro vai estudar herege se converta e deixe de falar asneiras

            • Caríssimo Gomes,

              Eu espero que o Senhor esteja consigo e que continue a iluminá-lo em sua jornada nesta terra. Que ele fortaleça sua fé e o ajude a aproximar-se cada vez dEle.
              Porém, irmão Gomes, gostaria de alerta-lo para o dever que nós Cristãos temos em sempre demonstrar a caridade e o amor de Cristo em nossas palavras e açoes.
              O Irmão leandro não é católico, mas confessa o Senhor Jesus Cristo como seu salvador e redentor. Temos que respeitar isso e dar graças e glória a Deus por esta benção da vida do Leandro.
              Usemos de palavras verdadeiras, mas sempre calcados no amor e na caridade. Não precisamos menosprezar a fé do “rebanho separado de Cristo”. Oremos por eles. Unidos à prece de Cristo no Evangelho de João, para que um dia sejamos UM rebanho, sob UM pastor. Amém!

      • AMIGA HELEN ESTAVA VENDO AQUI AS MALUQUICES DE CADA PROTESTANTE CADA UM PREGA FABULAS QUE PARECEM CONTO DE FADAS EU QUERIA ENCONTRAR UM PROTESTANTE AQUI PRA VIM DEBATER COMIGO SOBRE ESSE ASSUNTO MAS ELES CORREM JÁ REFUTEI MILHARES DE CEITAS E PASTORES DOENTES SEI ONDE ARRANCAR A RAIZ E TIRAR A SEMENTE PODRE VEJA AMIGA O VERDADEIRO SIGNIFICADO

        ARREBATAMENTO (A MENTIRA).

        Arrebatamento da igreja (mentira).

        Helen vamos juntos mostrar verdades absolutas as nossos irmãos católicos.
        Você pode Helen até estar estranhando o titulo do tópico, mas eu vou explicar do que se trata, é lógico que o arrebatamento é bíblico, o que não é bíblico é esse tal arrebatamento da igreja; mas eu vou explicar melhor.

        Pois Helen quantas e vezes quantas vezes você aqui no seu blog teve que escutar a besteira protestante de dizer que um dia toda a santa divisão será arrebatada para os céus e nós católico da única e verdadeira igreja de Jesus Cristo ficaremos aqui sofrendo tormentos divinos no qual eles chamam de (grande tribulação)?

        Pois bem Helen, isso não passa de mais uma mentira desses falsos profetas.

        1º) Por que as tribulações já ocorreram todas no século um

        (Tribulação já aconteceu em 70 D.C durante a destruição do Templo.) e não há registro algum de que alguém teria sido arrebatado naquele momento.

        2º) Por que São Paulo afirma que esse tal arrebatamento só ocorrerá depois da ressurreição dos mortos e segundo a escatologia bíblica essa ressurreição só ocorrerá no Juízo final, depois de todas as tribulações terem cessado e também o reino milenar de Cristo ter acabado com sua volta, fato narrado no capitulo 20 de apocalipse.

        3º) Por que esse tal arrebatamento não se trata de uma abdução celestial pré-tribulacionista onde Deus ira abduzir alguns santinhos da desgraça protestante e deixar os Católicos sofrendo com pragas divinas, São Paulo diz muito bem em (I Coríntios capítulo 15) que todos os que estiverem vivos no dia da ressurreição passarão pela transformação corporal e em (I Tessalonicenses capítulo 4) São Paulo deixa bem claro que todos os que estiverem vivos serão levados juntos com os forem ressuscitados.

        Mas eu vou ti explicar isso Biblicamente Helen:
        A primeira coisa que devemos entender é o real significado da ressurreição dos mortos, o porquê e como ela ocorrerá, já que biblicamente está mais do que provado que esse arrebatamento só ocorrerá depois da ressurreição dos mortos; vamos entender isso:

        “2. E por isto suspiramos e anelamos ser sobrevestidos da nossa habitação celeste,

        3. contanto que sejamos achados vestidos e não despidos. 4. Pois, enquanto permanecemos nesta tenda, gememos oprimidos: desejamos ser não despojados, mas revestidos com uma veste nova por cima da outra, de modo que o que há de mortal em nós seja absorvido pela vida. 9. É também por isso que, vivos ou mortos, nos esforçamos por agradar-lhe. 10. Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo” (II Coríntios capítulo 5)

        Helen pois bem Nesses versículos podemos observar que todos nós teremos que comparecer no tribunal de Jesus Cristo, menos os Santos Canonizados, pois eles não serão mais julgados, eles receberam o poder de julgar e a segunda morte não poderá afeta-los, o mais importante nesses versículos é a forma com que São Paulo prega, ele diz que no tribunal de Cristo seremos julgados segundo o (bem e o mal) que fizemos (nesse corpo), por isso no dia do julgamento não podemos estar com esse corpo mortal. Então ocorrerá a ressurreição dos mortos, pois eles ressuscitarão com seus corpos gloriosos.

        Podemos observar isso na primeira carta de São Paulo aos Coríntios:
        veja Helen

        “35. Mas, dirá alguém, como ressuscitam os mortos? E com que corpo vêm? 36. Insensato! O que semeias não recobra vida, sem antes morrer. 37. E, quando semeias, não semeias o corpo da planta que há de nascer, mas o simples grão, como, por exemplo, de trigo ou de alguma outra planta. 38. Deus, porém, lhe dá o corpo como lhe apraz, e a cada uma das sementes o corpo da planta que lhe é própria. 39. Nem todas as carnes são iguais: uma é a dos homens e outra a dos animais; a das aves difere da dos peixes. 40. Também há corpos celestes e corpos terrestres, mas o brilho dos celestes difere do brilho dos terrestres. 41. Uma é a claridade do sol, outra a claridade da lua e outra a claridade das estrelas; e ainda uma estrela difere da outra na claridade. 42. Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeado na corrupção, o corpo ressuscita incorruptível;” (II Coríntios capítulo 15)
        Helen lendo o texto podemos observar que no dia do juízo os mortos serão ressuscitados para comparecer no tribunal de Jesus Cristo, mas ressuscitados com seus corpos incorruptíveis, ou seja, o que chamamos de corpos gloriosos ou um corpo celestial e nesse corpo glorioso é que seremos julgados segundo as obras que fizemos no corpo terrestre, no qual após a morte ele volta para o pó de onde ele veio.
        Mas Helen algum protestante pode estar se perguntando, o que tudo isso tem a ver com o arrebatamento?

        A resposta é simples:

        O que acontecerá com aqueles que ainda estiverem vivos no dia em que Jesus voltar e ressuscitar os mortos para comparecer em seu tribunal? Acontecerá a chamada transformação corporal, e essa transformação acontecerá com todos que ainda estiverem vivos no dia em que Jesus volta, não só para alguns santinhos protestantes, isso ocorrerá tanto para o justo quanto para o ímpio menos para os santos canonizados.

        Esse tal arrebatamento onde a palavra mais correta seria transladação nada mais é do que uma morte e uma ressurreição instantânea como São Paulo mesmo diz, (em um piscar de olhos) e assim tanto os mortos que foram ressuscitados quanto os vivos que foram transformados, tanto o justo quanto o ímpio serão (levados) para o tribunal de Cristo, onde serão julgados. Esse é o tal arrebatamento uma transformação corporal e o comparecimento no tribunal de Jesus Cristo.

        Agora Helen eu vou provar para as ceitas protestantes que tanto a transformação corporal quanto o arrebatamento para o tribunal de Cristo será para todos o que estiverem vivos tanto justo quanto ímpio menos para os Santos canonizados.

        Antes de tudo Cristo voltara com seus santos e anjos:
        “13. Que ele confirme os vossos corações, e os torne irrepreensíveis e santos na presença de Deus, nosso Pai, por ocasião da vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos!” (I Tessalonicenses caopítulo 3)

        “14. Também Henoc, que foi o oitavo patriarca depois de Adão, profetizou a respeito deles, dizendo: Eis que veio o Senhor entre milhares de seus anjos” (Judas capítulo 1)

        1º) Todos que estiverem vivos sofrerão a transformação corporal e os que estavam mortos ressuscitaras.

        “51. Eis que vos revelo um mistério: nem todos morreremos, mas todos seremos transformados, 52. num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta (porque a trombeta soará). Os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (I Coríntios capítulo 15)

        2º) Todos que estiverem vivos serão arrebatados ou transladados junto com todos os ressuscitados.
        “15. Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, nós que ficamos ainda vivos não precederemos os mortos. 16. Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. 17. Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (I Tessalonicenses capítulo 4)

        3º) Todos comparecerão no tribunal de Cristo menos os Santos que receberam o poder de nos julgar.
        “10. Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo” (II Coríntios capítulo 5)

        “4. Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e todos aqueles que não tinham adorado a Fera ou sua imagem, que não tinham recebido o seu sinal na fronte nem nas mãos. Eles viveram uma vida nova e reinaram com Cristo por mil anos” (Apocalipse capítulo 20)

        “6. Feliz e santo é aquele que toma parte na primeira ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo: reinarão com ele durante os mil anos” (Apocalipse capítulo 20)

        4º) Após o julgamento haverá a separação entre ímpio e justo (direita e esquerda).

        “31. Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. 32. Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33. Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34. Então o Rei dirá aos que estão à direita: – Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, 41. Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: – Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos” (Mateus capítulo 25)

        5º) O justo ganhará o Reino e o ímpio será jogado no lago de fogo.
        “13. O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo, a morte e a morada subterrânea. Cada um foi julgado segundo as suas obras. 14. A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo. A segunda morte é esta: o tanque de fogo. 15. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo” (Apocalipse capítulo 20)

        “3. Ao mesmo tempo, ouvi do trono uma grande voz que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens. Habitará com eles e serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles” (Apocalipse capítulo 21)

        Helen essa foi a cronologia do arrebatamento, o mais impressionante é que toda essa cronologia do arrebatamento só ocorrerá depois da ressurreição dos mortos e na escatologia do apocalipse a ressurreição dos mortos só acontecerá com o fim das tribulações, em nenhum momento a bíblia afirma existir uma ressurreição dos mortos ou algum tipo de arrebatamento antes de alguma tribulação.

        Aos pré-tribulacionistas que pregam o tall arrebatamento da igreja, isso é tudo maluquice.

        E mais uma vez a mentira acaba.

        Mateus 24
        34. Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça

        • MUITO BOM ISSO EDMILSON E OUTRA EU NÃO SEI DE ONDE VEM TANTAS BESTEIRAS ESFARRAPADAS DAS CEITAS PROTESTANTES ELES QUEREM MUDAR VERDADES RELATADAS TESTEMUNHADAS COM INVENÇÕES AO SEU MODO

          Bem Edmilson sei que você deve saber mas , existem muitos lunáticos dentro do protestantismo que insistem na teoria que o Apocalipse se trata de uma guerra futura (tipo guerra nas estrelas) onde Deus como um verdadeiro reizinho sentará em seu troninho e começará a brincar de jogar tormentos divinos na humanidade, sendo que o livro do Apocalipse, como todos nós já vimos, retrata apenas a destruição do Templo de Jerusalém e a perseguição aos Cristãos no primeiro século, ou seja, foram profecias para época em que o Livro fora escrito.
          Mateus 24
          34. Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça.
          Sendo assim, eles querem usar os textos dos Santos Padres da Igreja para assim defender a tese maluca de que Apocalipse contraria a profecia de Jesus Cristo onde diz que tudo ocorreria naquela geração apenas.
          É verdade que alguns Padres da Igreja como “Irineu e Jerônimo” afirmaram que o Apocalipse fora escrito entre o reinado do “Imperador Dominiciano”, ou seja, por volta de 95 D.C, porém devemos lembrar que esses Padres nunca levaram em consideração o inicio da Obra e sim o Termino, a data no qual essa Obra ficou pronta ou o momento que esse livro apareceu diretamente para as comunidades Cristãs da época.

          Vale lembrar que esse livro até o século IV era tido como um livro espúrio, ou seja, um livro duvidoso, por esse fato pouco se sabia exatamente de como e quando esse livro fora escrito, o que se tinha na época eram suposições.

          Historia Eclesiástica VII Livro XXV (Euzébio de Cesaréia).
          “1. Logo continuando, pouco mais abaixo, diz o seguinte sobre o Apocalipse de João:
          Assim pois, alguns dos nossos antecessores rechaçaram como espúrio e desacreditaram por completo o livro, examinando capítulo por capítulo e declarando que era ininteligível e ilógico, e seu título enganoso.”
          Pelas palavras de “Euzébio de Cesaréia” da para perceber perfeitamente que os Santos Padre não possuíam todo o entendimento sobre o Apocalipse e não o considerava como um livro Canônico.

          Sendo assim colocarei aqui algumas referencias dos primeiros Cristãos a respeito desse maravilhoso livro.
          Observação:
          *Todos os textos tiveram que ser traduzidos, pois eram originalmente em Inglês.

          Arethas diz que o Apocalipse começou a ser escrito por São João desde sua estadia em Éfeso, e tais profecias se cumpriam durante o sitio de Jerusalém e a Destruição do Templo.

          (Arethas de Cesaréia século VIII):
          “Porque havia muitos, sim, uma incontável multidão de entre os judeus, que acreditavam em Cristo: como eles mesmo disse a São Paulo em sua chegada a Jerusalém: Tu vês, irmão, quantos milhares de judeus abraçaram a fé. (Atos 21. 20.) E aquele que deu esta revelação para o evangelista, declara que estes homens não devem partilhar a destruição infligida pelos romanos. Porque a ruína trazida pelos romanos ainda não tinha caído sobre os judeus, quando este Evangelista recebeu estas profecias:. e ele não receba em Jerusalém, mas em Iconia perto de Éfeso porque depois do sofrimento do Senhor, ele permaneceu apenas 14 anos em Jerusalém, durante os quais recebeu a mãe do Senhor, que concebeu esta descendência divina, foi preservada nesta vida temporal, após o sofrimento e ressurreição de seu Filho incorruptível. Porque ele continuou com ela sendo como sua mãe comprometida pelo Senhor. Porque depois da sua morte é relatado que ele não escolheu para permanecer na Judéia, mas passou a Éfeso, onde, como já dissemos, este Apocalipse presente também foi composto, que é uma revelação das coisas futuras, na medida em que 40 anos depois da ascensão do Senhor esta tribulação veio sobre os judeus. ”
          Nessa obra Clemente de Alexandria, diz que o ministério Apostólico termina com Paulo no reinado de CEZAR NERO.
          (Clemente de Alexandria 150-215):

          “Para o ensino de nosso Senhor na Sua vinda, começando com Augusto e Tibério, foi concluída em meados da época de Tibério. E a dos apóstolos, abraçando o ministério de Paulo, terminou com Nero.”(Miscellanies 7:17.)
          (Epifanias 315-403):

          O Apocalipse foi escrito em Cezar Nero. (Epifanias, Heresias 51:12)
          Hermas no Cânon de Muratori, diz que São Paulo também escreveu a sete Igrejas apenas segundo as regras de seu antecessor São João, ou seja, São Paulo usou a regra no qual São João usou em apocalipse; “São Paulo foi martirizado antes da destruição do Templo no Reinado de CEZAR NERO”.

          (Cânon de Muratori -170):
          “O bem-aventurado apóstolo Paulo, seguindo a regra de seu antecessor, João, escreve a não mais de sete igrejas pelo nome.”
          Tertuliano que foi contemporâneo de Santo Irineu, diz que São João foi banido para ilha de Patmos já no reinado de CEZAR NERO, no mesmo momento que São Pedro e São Paulo foram martirizados, ou seja, antes da destruição do templo.
          (Tertuliano 160-220 ):

          “Quão feliz é a sua igreja, em que os apóstolos derramaram toda a sua doutrina, juntamente com o seu sangue! onde Pedro durante a sua paixão como a do seu Senhor; onde Paulo ganha sua coroa em uma morte, como a de João Batista! onde o apóstolo João pela primeira vez caiu, ileso, em óleo fervente, e daí banido para sua ilha-exílio. ”

          Tertuliano, a prescrição contra os hereges, trans. por Peter Holmes (Vol. III, Os Padres Ante-Nicene, ed Alexander Roberts e James Donaldson, Grand Rapids.: Wm. B. Eerdmans Publishing Company, 1951; p. 260), I, 36.]
          Por esses textos, de vários séculos, podemos compreender exatamente que jamais o livro do Apocalipse fora escrito do dia para noite e muito menos depois da Destruição do templo, sendo que o mesmo, se refere exatamente aos fatos ocorrido por volta de 70 D.C quando o Império Romanos sitia Jerusalém e derruba o seu Templo, acompanhado por sinais nos céus, guerras, terremotos, fome, peste e uma tremenda perseguição Cristã.
          Creio que não há mais dúvida de que o Apocalipse fora escrito já no Reinado de Nero, a não ser que os protestantes sejam testemunhas oculares dos fatos ocorridos.

          Mais uma vez a mentira acaba.

    • - Esse tal arrebatamento onde a palavra mais correta seria transladação nada mais é do que uma morte e uma ressurreição instantânea como São Paulo mesmo diz, (em um piscar de olhos) [Edmilson]

      Resposta: Caro Edmilson, sua interpretação é incerta que o senhor faz do Apóstolo Paulo, pois o senhor afirma que para os cristãos serem arrebatados para o Reino dos Céus precisam morrer primeiro para poder entrar nas mansões celestiais.
      Mas o próprio Apóstolo dos Gentios (Paulo) diz outra coisa em 1 Tessalonicenses 4:14: “Nós pois vos dizemos isto na palavra do Senhor, que nós outros, que vivemos, que temos ficado aqui para a vinda do Senhor *NÃO PREVENIREMOS aqueles que dormiram (mortos).”.
      Alendo mais, essa frase “em um piscar de olhos”, a Bíblia Sagrada por si só explica dizendo em 1 Tessalonicenses 5:2 pela própria escrita de Paulo: “Porque vós sabeis muito bem, que assim como costuma vir o ladrão de noite, assim virá o dia do Senhor.”

      {Bíblia Sagrada, versão católica, tradução do Padre Antônio Pereira de Fiquereido}

      Dicionário: Preveniremos: Futuro do Presente do Indicativo, do latim “praevenire”

      Explicação: *Não Preveniremos: não anteciparemos, não chegaremos antes de

      Conclusão: Paulo claramente afirma que nós os que estamos vivos para a volta do Senhor Jesus, não chegaremos a ter o sono da morte, mas sim, contemplaremos a gloriosa e poderosa volta de Cristo para buscar a sua noiva (Igreja).
      E o dia do Senhor para levar os fiéis do Evangelho para o Reino de Deus, significa que será em milésimo de segundos, num momento repentino.

  16. Bom dia, muito boa matéria, mas eu em minha ignorancia ainda acredito que os que ja tiverem provado sua santidade serão poupados das tribulações ((arrebatados)vale lembrar que muitos santos em oração ja forão arrebatados, ficaram frente a Deus e outros santos que ja participam da gloria, mas voltaram e continuaram suas jornadas.) porém os que ainda precisão ser santificados deveram provar lealdade ficando firmes até o fim, como um purgatório na terra.

    muito bom trabalho parabéns para todos vocês.

    Resposta do Blog:

    Caro Daniel,
    Você tem razão ao mencionar o exemplo dos Santos. Muitos deles vivenciaram o ‘arrebatamento’, como Santa Teresa de Ávila, por exemplo, porém trata-se apenas de uma confusão de terminologia. O arrebatamento dos santos é uma espécie de extase espiritual pelo qual o Senhor permite que o Santo, ainda vivo, entre em comunhão profunda com Deus e se encontre num âmbito espiritual desconhecido pela maioria de nós. Ou seja, eles são levados em espírito, numa espécie de visão, ou revelação, mas não de uma forma física, como descreve a interpretação protestante do termo arrebatamento.

    Em Cristo,
    Helen

    • - O arrebatamento dos santos é uma espécie de extase espiritual pelo qual o Senhor permite que o Santo, ainda vivo, entre em comunhão profunda com Deus e se encontre num âmbito espiritual desconhecido pela maioria de nós.

      Resposta: Helen, esse tipo de experiência de extase espíritual que os santos, ou seja, os cristãos passarão no passado e que até hoje passam, são manifestações do Espírito Santo onde a igreja recebe o revestimento de poder para a sua edificação e renovação espíritual, e também para as obras ministeriais para o anunciar do Evangelho do Senhor Jesus ao mundo. Esse tipo de extase espíritual é o cumprimento contemporâneo da profecia do Profeta Joel que diz: “E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que no meu Espírito derramarei sobre toda carne; e os vossos filhos e as vossas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos.” (Atos 2:17)
      O próprio Apóstolo Paulo explica esse tipo de experiência dizendo: “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexpremíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.” (Romanos 8:26-27)
      Agora, essa explicação sua que extase espíritual no sentido de arrebatamento escrito em 1 Tessalonicenses 4:13-17, não tem veracidade bíblica, não tem coerência teológica.

      - Ou seja, eles são levados em espírito, numa espécie de visão, ou revelação, mas não de uma forma física, como descreve a interpretação protestante do termo arrebatamento.

      Resposta: Bem, então é bem provável que o Apóstolo Paulo errou em escrever em 1 Coríntios 15:51-53 dizendo: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista de incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade.”. Porque justamente “a carne e o sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.” (1 Coríntios 15:50).
      Mas… como o Apóstolo Pedro escreveu em sua segunda carta no capítulo 1 e verso 21 dizendo: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.”. Então creio que Paulo não errou em profetizar e escrever o arrebatamento da Igreja aos céus.

Os comentários estão desativados.